Atualização do Manual Profª. Drª. Tattiana Tessye. Colaboração Camila Fortuna Juliana Ferreira de Almeida Rocha Milene Benedita de Souza

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atualização do Manual Profª. Drª. Tattiana Tessye. Colaboração Camila Fortuna Juliana Ferreira de Almeida Rocha Milene Benedita de Souza"

Transcrição

1 CRÉDITOS Atualizaçã d Manual Prfª. Drª. Tattiana Tessye Clabraçã Camila Frtuna Juliana Ferreira de Almeida Rcha Milene Benedita de Suza Capa e Frmataçã Michelly Araúj Car Estudante, Seja muit bem vind à Faculdade Delta Unime Salvadr! Saiba que para nós, em td semestre, há sempre um prazer renvad em receber cada um de nsss aluns! Neste Manual d Acadêmic que fi feit para vcê, dispnibilizams infrmações sbre s diferentes setres da faculdade, tais cm Setr de Atendiment a Alun, Secretaria e Ouvidria. Também inserims nesse material, rientações sbre sua vida acadêmica, tais cm prcess de avaliaçã, ENADE, CPA, justificativa e abn de faltas, dentre utrs. Tdas essas infrmações sã apresentadas de frma clara e cm fácil acess através d sumári deste Manual. Send assim, aprveite e descubra tud que a UNIME Salvadr tem a lhe ferecer! Desejams a tds um excelente semestre, a temp em que refrçams nss cmprmiss de ferecer a vcê uma frmaçã diferenciada e que lhe assegurará sucess prfissinal. Um bm semestre a tds! Kleber Rana Fernandez Diretr da Unidade 1

2 Sumári ESTRUTURA ADMINISTRATIVA... 3 QUADRO DE CURSOS... 4 SERVIÇOS E SETORES... 5 TEMPO DE ENTREGA DE DOCUMENTOS SOLICITADOS... 6 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR... 8 AVALIAÇÕES BIMESTRAIS... 8 SEGUNDA CHAMADA... 9 FREQUÊNCIA... 9 VISTA E REVISÃO DE PROVAS... 9 AJUSTE DE HORÁRIO ACADÊMICO FREQUÊNCIA / ABONO DE FALTAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES APROVEITAMENTO DE ESTUDOS / TRANSFERÊNCIAS DESISTÊNCIA E TRANCAMENTO CONDUTA ACADÊMICA AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL BIBLIOTECA Exame Nacinal de Desempenh d Estudante (ENADE) O ENADE é brigatóri? Cm sã definidas as áreas que serã avaliadas n ENADE?

3 ESTRUTURA ADMINISTRATIVA Diretria Geral - Órgã executiv superir, que superintende, crdena e fiscaliza tdas as atividades da Faculdade Delta Unime Salvadr. Cnselh Superir (CONSUP) - O Cnselh Diretr é órgã clegiad deliberativ e nrmativ em matéria de administraçã da faculdade, supervisã d ensin, pesquisa e extensã, cm atribuições deliberativas, nrmativas e cnsultivas de natureza acadêmica e administrativa. É cmpst pr representantes da Crdenaçã de Curs, Crp Discente e Dcente, Crp Técnic-administrativ e Direçã Geral. Crdenaçã Acadêmica Regulaçã e Expansã - É setr respnsável pela rganizaçã e crdenaçã da execuçã das atividades acadêmicas da Faculdade, dand suprte s Crdenadres de Curs e as prfessres na realizaçã de seus plans e atividades, cm frma de garantir a máxima qualidade acadêmica n âmbit da graduaçã. Ele respnde, também, junt a MEC, acmpanhand prcesss e demandas ds diverss curss. Crdenações de Curs - Supervisina as atividades dcente, administrativa e acadêmica, vinculadas a curs e a cumpriment das exigências d regime didátic-administrativ e disciplinar. Crdenaçã de Pós-graduaçã e Extensã - É setr respnsável pela gestã ds curss de Pós-Graduaçã presencial e EaD, Curss de Extensã e Centr Idima, direcinand e mnitrand s trabalhs de captaçã, prspecçã ds aluns e rganizaçã ds curss, garantind a qualidade e a regularidade das atividades. Cmissã própria de avaliaçã (CPA) - A Cmissã Própria de Avaliaçã (CPA) da Instituiçã tem atuaçã autônma em relaçã as cnselhs e demais órgãs clegiads da IES, tend cm atribuiçã a cnduçã ds prcesss de avaliaçã institucinal. Bibliteca Setr respnsável pela rganizaçã e dispnibilizaçã d acerv bibligráfic da IES para as atividades de ensin, pesquisa e extensã. Departament de Tecnlgia da Infrmaçã (TI) - Planeja, avalia, cntrla e executa Sistema de Infrmaçã da Faculdade, garantind a interaçã entre a cmunidade acadêmica e Instituiçã. Departament de Cmunicaçã e Marketing - Crdena, planeja e divulga s prcesss de cmunicaçã interna e externa da Faculdade. Departament de Recurss Humans - Direcina s clabradres na direçã ds bjetivs e metas da Faculdade, alinha as plíticas de RH cm a estratégia da rganizaçã. 3

4 QUADRO DE CURSOS Curs Prtaria de Autrizaçã Administraçã 635 de 15/03/2004 C. Cntábeis 124 de 12/01/2006 Jrnalism 125 de 12/01/2006 Ed. Física 121 de 12/01/2006 Enfermagem 362 de 02/07/2014 Farmácia 592 de 24/02/2006 Fisiterapia 832 de 31/10/2006 Odntlgia de 07/10/2010 Pedaggia 122 de 12/01/2006 Psiclgia 318 de 03/07/2006 Serviç Scial 325 de 30/01/2006 Prtaria de Recnheciment 193 de 24/06/ de 28/08/ de 17/05/ de 19/04/2012 Cnceit de Curs Cnceit ENADE (2012) CPC (aguardand 2012) Crdenadr Tatiana Andrade Alice Prt Fred Burgs Miltn Barret 3 Marilaine Ferreira 471 de 22/11/ Wilsn Saback 432 de 3 SC SC Fábi Wanderley 21/10/ SC SC Thaís Aranha 445 de 01/11/ de 10/05/ de 02/03/ Gal Mura 4 3 SC Márcia Siebel Patrícia Vergasta 4

5 SERVIÇOS E SETORES Serviç Acmpanhament das Transferências Externa / Interna Setr SICP Acmpanhament de prcesss de Graduads; Acmpanhament de Aprveitament de Estuds; Emissã de Atestads, após slicitaçã n n line Slicitaçã de dcuments Trancament de semestre Trancament de disciplina Pedid de revisã de prva Geraçã de senha Recebiment de Matrículas (Graduaçã, pós-graduaçã, Centr de Idimas, Salas Especiais), cnfrme edital de prazs. Recebiment de dcumentaçã de aluns e atualizaçã de cadastr (Graduaçã, pós-graduaçã, centr de idimas). Cnsultas financeiras (Valres mensalidade, serviçs e negciaçã). Slicitaçã de Cnvêni e Blsa. Slicitações de dcuments cnfrme tabela de serviçs. SICP SICP SICP e n line 5

6 TEMPO DE ENTREGA DE DOCUMENTOS SOLICITADOS Descriçã Prazs Slicitaçã de Crédit de Disciplinas. Cinc dias úteis Slicitaçã de Análise Curricular. Cinc dias úteis Atestad de Vaga. Slicitaçã - Revisã de Prva - Até 48 (quarenta e Oit) hras após a divulgaçã da nta. Agendar Revisã de Prvas (Apresentar cmprvante de slicitaçã feita n ). Ausência Temprária (Atestad Médic, Serviç Militar brigatóri). Ausência Temprária (Events) Dis dias úteis ---- Cinc dias úteis Dis dias para parecer d Registr Acadêmic Cinc dias para parecer da Crdenaçã Entrega da cmprvaçã de hras cmplementares Slicitaçã de Verificaçã de dads acadêmics (ntas, faltas, matrícula em disciplinas, Estud Dirigid) Entrega de Mngrafias e Trabalhs de Cnclusã d Curs. Slicitaçã de Claçã de Grau fra de data ficial Assinatura de Cntrats para Estági Dis dias úteis Prazs e regras definidas pel regulament ds curss Cinc dias úteis Dis dias úteis (Crdenadres) 6

7 Descriçã Prazs Atestad de Frequência Grade Curricular Históric de Pós-graduaçã Prgrama de Disciplinas - Cnteúd Prgramátic Atestad de Pagament Bletim Atestad Sub Judice Critéris de avaliaçã Atestad de Trancament Recnheciment de Curs/Autrizaçã Certificad de Cnclusã de Curs (2º via) Atestad de Cnclusã Certidã de Estuds N at da Slicitaçã Dis dias uteis Dez dias uteis Dez dias uteis Dis dias uteis N at da slicitaçã Sete dias uteis Dis dias uteis Dis dias uteis Cinc dias uteis Dez dias uteis Cinc dias uteis Dez dias uteis 2º via d diplma de graduaçã Quatr meses Atestad de Frequência - Períds Anterires Cinc dias uteis Atestad de Matricula Atestad de Vestibular Certificad de Events diverss (2º via) Mudança de Sala Revisã de Prva cm Banca de Prfessr Slicitaçã de Relatóris de Faltas Transferência Interna Históric Esclar Declaraçã de trancament N at da slicitaçã Dis dias uteis Dis dias uteis Cinc dias uteis Dez dias uteis Dis dias uteis Cinc dias uteis Dez dias uteis Dis dias uteis 2º Via d Certificad de Pós-graduaçã Dez dias uteis Declaraçã de Cnclusã de Curs Cinc dias uteis 2ª via de Blet N at da slicitaçã Slicitaçã de Blsa Cinc dias uteis Cancelament de dependência Cancelament de Matricula Classificaçã n Vestibular Trancament da Matricula Dis dias uteis N at da slicitaçã Dis dias uteis Dis dias uteis 7

8 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR O prcess avaliativ d rendiment acadêmic da Faculdade é regid pelas dispsições gerais fixadas em Regiment institucinal e ns Regulaments ds Curss e pelas nrmas que lhe frem psterires, a juíz d Cnselh Superir da Faculdade. A avaliaçã esclar ns curss de graduaçã é feita pr disciplinas e incide sbre a frequência e rendiment esclar, mediante acmpanhament cntínu d acadêmic e ds resultads pr ele btids nas avaliações. AVALIAÇÕES BIMESTRAIS A Instituiçã faz, em caráter ficial, duas avaliações bimestrais, cm calendári préestabelecid, send permitid a prfessr realizar avaliações parciais. IMPORTANTE Em qualquer circunstância, a valraçã das avaliações, sejam elas ficiais u parciais, será de 0 (zer) a 10 (dez); Na avaliaçã ficial, é brigatória a realizaçã de uma prva escrita, individual, pr bimestre letiv. As prvas terã sempre caráter cumulativ n que diz respeit a cnteúd prgramátic. As prvas ficiais terã suas datas de realizaçã fixadas n calendári esclar, vedada sua alteraçã. A prva d segund bimestre terá caráter institucinal cbrind tds s cnteúds prgramátics d semestre. EXAME FINAL: Cmpsiçã da nta n Exame Final será da seguinte frma: Média d semestre + Exame final = MF (Média Final) 2 Média para aprvaçã sem prva final: 7,0 Média Semestral para fazer exame final: 4,0 Média para ser aprvad cm exame final: 6,0 8

9 Aprvaçã e dependência Será cnsiderad reprvad acadêmic que bteve média inferir a 4 (quatr inteirs) na média aritmética d semestre. Também assim será cnsiderad reprvad aquele que, submetend-se a exame final, nã btiver resultad final igual u superir a 6 (seis inteirs). SEGUNDA CHAMADA O alun nã tem a necessidade de slicitar agendament da prva de segunda chamada. A finalizar lançament das ntas de prvas ficiais pel prfessr, através d Prtal, sistema verificará quais aluns ficaram Ausentes e autmaticamente será prcessada em uma lista para segunda chamada. Em quais situações um alun entra na lista de segunda chamada: Td alun que deixar de fazer a prva ficial (individual) autmaticamente está para 2ª chamada; Haverá uma única 2ª chamada a ser realizada n final d semestre; O alun que faltar na prva ficial (Bimestral 1) fará a segunda chamada valend cm B1 (Bimestral 1); O alun que faltar na prva ficial (Bimestral 2) fará a segunda chamada valend cm (Bimestral 2); Cas alun deixe de fazer tdas as ficiais (Oficial 1 e Oficial 2), a 2ª Chamada só terá valr apenas para a última prva ficial (individual). Cas alun falte na prva de 2ª chamada semestral perde direit a fazê-la: nã existe segunda de segunda chamada da 2ª chamada. FREQUÊNCIA O alun deverá ter n mínim 75% de presença às aulas para a aprvaçã. O art. 47 da Lei 9394 de 1996, em seu parágraf 3º trata da brigatriedade da frequência na educaçã superir, a resluçã CFE 4/86 fixa em 75% mínim aceitável de frequência. VISTA E REVISÃO DE PROVAS O Alun terá acess à vista de suas prvas na aula seguinte à aplicaçã da prva ficial em sala de aula. Pderá, ainda, requerer a revisã da prva, em até 48 (quarenta e it) hras após a divulgaçã da nta pel Prtal d Alun, através de requeriment fundamentad junt a Serviç de Atendiment a Alun (). 9

10 O prfessr, após análise, pderá manter aumentar u diminuir a nta revisada. Nã se cncrdand cma decisã d prfessr, alun desde que justificadamente, pderá slicitar, em 48 hras, nva revisã, através de banca revisadra. Serã indeferids s requeriments de revisã que nã estiverem fundamentads e s que frem manifestamente intempestivs. AJUSTE DE HORÁRIO ACADÊMICO Quem pde realizar ajuste de hrári? Os aluns devidamente matriculads e nã semestralizads, que apresentam especificidades cm: 1. Pssuir dependências; 2. Pssuir retençã; 3. Ingressaram na instituiçã através de transferência. Os aluns semestralizads nã necessitam realizar ajustes de quadr de hráris, pis seguem exatamente hrári destinad a sua turma de ingress, prém, devem cnfirmar seu hrári n prtal d alun! Cm ajuste de quadr de hrári influencia valr de sua mensalidade? 1. O alun pde ter valr de sua mensalidade reduzida u aumentada, cas curse númer de disciplinas menr u mair d que númer que está send ferecid n quadr de hrári padrã d semestre; 2. Ns dis primeirs blets d semestre, serã cbradas as mensalidades cm valr fix d semestre; 3. Após a cnfirmaçã d quadr de hrári, valr da mensalidade a partir d 3º mês d semestre sfrerá ajuste cnfrme Carga Hrária das disciplinas cnfirmadas n quadr de hrári; 4. Cas hrári seja cnfirmad após dia 15 d segund mês d semestre, valr da mensalidade será alterad a partir ds blets ds meses seguintes. IMPORTANTE!!! Apenas s aluns regularmente matriculads pderã ajustar seu quadr de hrári. O ajuste de hrári pderá ser feit ns labratóris de acess a prtal cnfrme crngrama de atendiment e calendári de praz para ajuste, u fra, acessand site da faculdade. O ajuste de quadr de hráris é brigatóri para s acadêmics nã semestralizads. 10

11 Após praz final de ajuste a instituiçã nã irá cnfirmar hrári ds aluns que ainda nã fizeram ajuste. Sem a cnfirmaçã s aluns nã acessam prtal universitári e seus nmes nã figuram nas listas de presença. FREQUÊNCIA / ABONO DE FALTAS Justificativas de faltas cm exercícis dmiciliares Nã há abn de faltas. Para atender às diversas situações cm viagem, trabalh, cmprmisss sciais e utrs discente dispõe de 25% das aulas dadas. Abn de faltas Na educaçã superir nã há abn de faltas, mas a justificativa das faltas é dada da seguinte frma: Aluns Reservistas: Decret-lei nº 715/69 assegura a justificativa de faltas para td cnvcad matriculad em Órgã de Frmaçã de Reserva u reservista que seja brigad a faltar a suas atividades civis pr frça de exercíci u manbra, exercíci de apresentaçã das reservas u cerimônias cívicas, e Decret Nº /80 estende essa justificativa para Oficial u Aspirante-a-Oficial da Reserva, cnvcad para serviç ativ, desde que apresente devid cmprvante (a lei nã ampara militar de carreira; prtant suas faltas, mesm que independentes de sua vntade, nã terã direit a abn). Alun cm representaçã na CONAES: De acrd cm a lei que instituiu Sistema Nacinal de Avaliaçã da Educaçã Superir SINAES, as instituições de educaçã superir devem abnar as faltas d estudante que tenha participad de reuniões da CONAES em hrári cincidente cm as atividades acadêmicas. Justificativa das Faltas cm exercícis dmiciliares As situações em que a falta às aulas pdem ser preenchidas pr exercícis dmiciliares sã regulamentadas pel Decret-Lei 1.044, de 21 de utubr de Estudantes grávidas sã amparadas pela Lei nº 6.202/1975, a qual dispõe que a partir d itav mês de gestaçã, e durante três meses, a estudante grávida ficará assistida pel regime de exercícis dmiciliares. Em ambs s cass, interessad deve prtclar requeriment junt a Serviç de Atendiment a Alun (), apresentand s dcuments cmprbatóris (laud médic cm indicaçã d períd previst e utrs) para avaliaçã da instituiçã. O praz para requeriment de justificaçã de faltas é de 72 (setenta e duas) hras, a cntar da data d iníci d event. 11

12 O requeriment pderá ser apresentad pel própri acadêmic, u pr pessa que represente, independentemente da apresentaçã de mandat. Deferida a slicitaçã ausência temprária, pr Atestad médic u Serviç Militar brigatóri, acadêmic ficará respnsável pela elabraçã ds trabalhs, junt as prfessres das disciplinas, deverá entregá-ls crrigids pel prfessr na SICP. IMPORTANTE Nã há ampar legal u nrmativ para abn de faltas a estudantes que se ausentarem regularmente ds hráris de aulas devid às cnvicções religisas. A ausência cletiva às aulas, pr parte de turma, implica na atribuiçã de faltas a tds s acadêmics, devend prfessr cnsiderar lecinad cnteúd prgramátic planejad para períd em que a ausência se verificu. ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Cmplementares pdem incluir prjets de pesquisa, mnitria, iniciaçã científica, prjets de extensã, móduls temátics, semináris, simpósis, cngresss, cnferências, além de disciplinas ferecidas pr utras instituições de ensin u de regulamentaçã e supervisã d exercíci prfissinal, ainda que esses cnteúds nã estejam prevists n currícul plen de uma determinada instituiçã, mas nele pdem ser aprveitads prque circulam em um mesm currícul, de frma interdisciplinar, e se integram cm s demais cnteúds realizads. Os Estuds Dirigids (EDs) sã atividades de aprendizagem cmplementares brigatórias ds curss, desenvlvidas à distância via Prtal Universitári, utilizand cnteúds gerais d ENADE cm bjetiv de desenvlver habilidades e induzir n alun a cultura da autaprendizagem. APROVEITAMENTO DE ESTUDOS / TRANSFERÊNCIAS Havend vagas e independentemente da épca, a requeriment d interessad, a Faculdade pderá, ns terms da lei, aceitar transferência de aluns prcedentes de curss idêntics u afins as seus. O alun transferid para a Faculdade deverá apresentar dcumentaçã acmpanhada de históric esclar e de um exemplar, devidamente autenticad, de cada um ds prgramas das disciplinas vencidas u em estud cm indicaçã de cnteúd e duraçã. A matrícula d alun transferid faz-se mediante adaptaçã e aprveitament de estuds na frma das nrmas estabelecidas pel Cnselh Superir da Faculdade. 12

13 O alun da Faculdade regularmente matriculad pde slicitar transferência para utra instituiçã de ensin superir a qualquer épca. Para slicitar dispensa de disciplina, alun deverá apresentar, n, históric esclar e prgrama da disciplina cursada, bjet d pedid de dispensa. Nrmas e prazs serã estabelecids pr edital publicad semestralmente pela faculdade. DESISTÊNCIA E TRANCAMENTO DE SEMESTRE O alun que nã renvar a matrícula é cnsiderad desistente d curs, perdend sua vinculaçã cm a Faculdade. O alun pde requerer trancament de sua matrícula para efeit de, interrmpend temprariamente s estuds, manter sua vinculaçã à Faculdade. N requeriment de trancament, alun explicitará praz de afastament, nã pdend ser superir a dis ans u a quatr semestres letivs, sb pena de caducar a reserva de sua vaga na Faculdade. Nã é permitid trancament de matrícula a alun que nã a tenha renvad em data própria, ficand assim alun cm desistente. A matrícula d alun d curs de graduaçã, além ds cass prevists na legislaçã, pde ser cancelada pr at d Diretr da Faculdade, pels seguintes mtivs: Pela nã apresentaçã, em temp hábil, de dcuments exigids pel Setr de Registr Acadêmic; Pel abandn d curs, assim entendida a nã renvaçã da matrícula n mment própri; Em decrrência d cumpriment de dispsitivs legais, u quand crrer descumpriment cntratual pr parte d discente; Pela utilizaçã, pel discente, de dcumentaçã falsa u nã fidedigna; Pr at de indisciplina d alun, na frma prevista em Regiment intern da faculdade; CONDUTA ACADÊMICA O cmprtament d alun que cntrarie as nrmas de cnduta e de cnvivência e se traduza n nã cumpriment de dever geral u especial, reveland-se perturbadr d regular funcinament das atividades da Faculdade Delta Unime Salvadr u das relações na 13

14 cmunidade educativa, deve ser bjet de intervençã, send passível de aplicaçã de medida educativa disciplinar ns terms d Regiment Intern. As medidas educativas sã: Advertência; Repreensã; Suspensã e, Expulsã. Sã cnsiderads regularmente matriculads s aluns que atenderem s requisits legais ds respectivs curss u prgramas, que estiverem em dia cm suas cntraprestações de serviçs educacinais e demais taxas de cntribuições, de acrd cm dispst em regiment intern da Faculdade. O alun que, submetid a determinad regime curricular, se tenha retardad ns estuds pr trancament de matrícula u qualquer utr mtiv, inclusive pr reprvaçã, smente pde matricular se de acrd cm regime curricular vigente na data d retrn. AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A Cmissã Própria de Avaliaçã (CPA), é a cmissã de autavaliaçã institucinal que tem bjetiv de crdenar e articular prcess intern de avaliaçã, bem cm sistematizar e dispnibilizar infrmações dads. Cmpsta pr representantes de tds s segments da cmunidade universitária e da sciedade civil rganizada, a final d prcess de autavaliaçã, a CPA prestará cntas de suas atividades as órgãs clegiads superires, apresentand relatóris, pareceres e, eventualmente, recmendações. Busca-se cm iss resultads que visem à melhria da qualidade acadêmica e desenvlviment institucinal pela análise cnsciente das qualidades, prblemas e desafis para presente e futur. Tds s membrs da cmunidade educativa prfessres, estudantes, técnics administrativs, ex-aluns e utrs grups sciais relacinads estã chamads a se envlver ns prcesss avaliativs para a Integraçã, articulaçã e participaçã. O QUE É AUTO- AVALIAÇÃO? O prgrama de Avaliaçã Institucinal que visa garantir padrã da Instituiçã e cm seu resultad cntribuir para aprimrament cada vez mair de frmaçã ferecida. POR QUE AVALIAR? Para cnstruirms uma Instituiçã melhr. A sua piniã é fundamental. Participe d prcess de autavaliaçã. 14

15 QUEM É AVALIADO? Tda a faculdade (Curss, Dcentes, Discentes, Estrutura Física, Diretres e Crdenadres.) COMO AVALIAR? Respndend a questinári eletrônic dispnibilizads n prtal acadêmic cnfrme crngrama da avaliaçã. BIBLIOTECA A principal funçã de uma Instituiçã de Ensin Superir é a cnstruçã e ampliaçã d cnheciment. Prtant, a Bibliteca é a cncretizaçã mais imediata desta característica, pr ser órgã suplementar da estrutura geral da faculdade, cm funções de api a ensin e à extensã. A Bibliteca Faculdade Delta - Unime Salvadr abriga acervs e serviçs destinads a dar suprte de infrmaçã para tdas as atividades acadêmicas e administrativas interna da instituiçã e também é aberta à cmunidade externa em geral. Hrári de acess a Bibliteca A BIBLIOTECA funcina de segunda á sexta-feira de 08h00min ás 22h00min, e as sábads de 08h00min ás 12h00min. Quantitativamente, acerv da Bibliteca da Faculdade Delta Unime Salvadr, cnsiderand s Campi da Paralela e d Imbuí ferece títuls e exemplares de livrs, em tdas as áreas d cnheciment fertada pela instituiçã. Vale ressaltar que entre s ans de 2013 e 2014, acerv passu de exemplares, para Cmpõe acerv bras didáticas para cnsulta lcal, identificadas cm tarja amarela, bras das Bibligrafias Básicas e Cmplementares, bras de referência, Periódics impresss e Bases de Dads. As cleções Especiais incluem: Mngrafias de Graduaçã, Periódics nacinais, Vídes e Cds. Para que alun nv tenha acess a acerv ele precisa cmparecer à bibliteca, munid de identidade para liberar sua senha. Exame Nacinal de Desempenh d Estudante (ENADE) O ENADE, cm parte d SINAES (Sistema Nacinal de Avaliaçã da Educaçã Superir), tem pr bjetiv avaliar desempenh ds estudantes em relaçã as cnteúds prgramátics prevists nas diretrizes curriculares d respectiv curs de graduaçã, às suas habilidades para ajustament às exigências decrrentes da evluçã d cnheciment e às suas cmpetências para cmpreender temas exterires a âmbit específic de sua prfissã, ligads às realidades brasileira e mundial e a utras áreas d cnheciment. 15

16 O ENADE é brigatóri? O Cm Enade sã cnstitui-se definidas cmpnente as áreas que curricular serã brigatóri, avaliadas n send ENADE? inscrita n históric esclar d estudante smente a situaçã regular cm relaçã a essa brigaçã. A participaçã d estudante habilitad a Enade é cndiçã indispensável a registr da regularidade n históric esclar, assim cm à expediçã d diplma pela IES Cm saber se farei a prva d ENADE? O Ministéri da Educaçã define, anualmente, as áreas prpstas pela Cmissã de Avaliaçã da Educaçã Superir (Cnaes), órgã clegiad de crdenaçã e supervisã d Sinaes. A peridicidade máxima de aplicaçã d Enade em cada área será trienal. COMUNIQUE-SE COM A COORDENAÇÃO DO SEU CURSO! CURSO COORDENADOR Administraçã Prfª MSc. Tatiana Andrade C. Cntábeis Prfª MSc. Alice Prt Jrnalism Prf. Dr. Fred Burgs Ed. Física Prf. Jeffersn Mats Enfermagem Prfª MSc. Marilaine Ferreira Engenharias Prf. Msc. Jã Alcântara Farmácia Prf. MSc. Wilsn Saback Fisiterapia Prf. MSc. Fábi Wanderley Odntlgia Prfª MSc. Thaís Aranha Pedaggia Prfª MSc. Gal Mura Psiclgia Prfª MSc. Helena Miranda Serviç Scial Prfª MSc. Patrícia Vergasta Crdenaçã Acadêmica Prfª Drª Tattiana Tessye 16

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade.

1- Objetivo Orientar e apoiar a utilização dos serviços de Biblioteca por parte do corpo docente, discente e comunidade. Sistema de Gestã de Prcesss Sistema de Gestã da Qualidade Utilizaçã ds Serviçs de Bibliteca 1- Objetiv Orientar e apiar a utilizaçã ds serviçs de Bibliteca pr parte d crp dcente, discente e cmunidade.

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 027/ DE 19 DE NOVEMBRO DE VESTIBULAR 16/01 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL Nº 073/2013

Salvador, Bahia Sexta-feira 19 de Julho de 2013 Ano XCVII N o 21.187 EDITAL Nº 073/2013 Salvadr, Bahia Sexta-feira 19 de Julh de 2013 An XCVII N 21.187 EDITAL Nº 073/2013 FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA SELEÇÃO DE DIVULGADORES DO PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014 DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO N o 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005 RESOLUÇÃO N 12/2005, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2005 Aprva Regiment da Bibliteca Universitária - Sistema de Biblitecas da UFMG, e revga a Resluçã n 27/93, de 22/12/93, que aprvu Regiment da Bibliteca Universitária.

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médi PLANO DE ENSINO 2009 Médi Prfissinalizante ( ) Prfissinalizante ( ) Graduaçã ( x ) Pós-graduaçã ( ) I. Dads Identificadres Curs Superir de Tecnlgia em Gestã Ambiental

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL REGULAMENTO BIBLIOTECA FACULDADE IPEL Regulament Bibliteca FACULDADE IPEL Pus Alegre/MG 2014 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESTE REGULAMENTO TEM POR OBJETIVO ESTABELECER NORMAS REFERENTES AO FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA DISCENTES NOS PROJETOS DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES EM 2015.2

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA DISCENTES NOS PROJETOS DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES EM 2015.2 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS PARA DISCENTES NOS PROJETOS DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES EM 2015.2 A Faculdade ASCES, através d Núcle de Extensã e Atividades Cmplementares,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA

EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA EDITAL PADRÃO REFERENTE AOS PROCESSOS DE SELEÇÃO DE PESSOAS SESC SANTA CATARINA O presente dcument tem cm bjetiv dispnibilizar a divulgaçã ficial das cndições estabelecidas pel Sesc Santa Catarina para

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PARA O CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL PARA O SEGUNDO PERÍODO LETIVO DE 2014. 1. PREÂMBULO 1.1. O Crdenadr d Prgrama de

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 005/2014 DE 07 DE ABRIL DE 2014 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.: 64.073-505,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

CEAP das 16h às 22h - de segunda a sexta-feira

CEAP das 16h às 22h - de segunda a sexta-feira Caro Professor, Seja bem- vindo à UNIRON. Abaixo, fizemos um roteiro indicando as principais informações sobre os processos acadêmicos e administrativos. Para mais informações, consultar o manual do professor

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Aviso Público Nº 08/Unoesc/2012

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Aviso Público Nº 08/Unoesc/2012 UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC UNIDADE DE CHAPECÓ Avis Públic Nº 08/Unesc/2012 O Magnífic Reitr da Universidade d Oeste de Santa Catarina - Unesc, pessa jurídica de direit privad, mantida

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial)

SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO. (Credenciada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial) SELEÇÃO PARA ESPECIALIZANDO EM ORL DA CLINICA SOS OTORRINO (Credenciada pela Assciaçã Brasileira de Otrrinlaringlgia e Cirurgia Cérvic-Facial) MANUAL DO CANDIDATO 2013 2 SOS OTORRINO Crdenadr da Residencia

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 Este frmulári deve ser preenchid pr tds s aluns matriculads n Mestrad em Atençã à Saúde n an de 2013. Os dads servirã para atualizar, n Cleta Capes, as atividades

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 010/ DE 11 DE JUNHO DE VESTIBULAR /02 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505, Telefne:

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO FGV LAW PROGRAM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 1º semestre / 2015 O FGV Law Prgram da Escla

Leia mais

MANUAL DO ALUNO

MANUAL DO ALUNO MANUAL DO ALUNO 2016.2 1 CRÉDITOS Atualizaçã d Manual Prfª. Drª. Tattiana Tessye Clabraçã Prfª MSC. Elda Nicáci Diretra Acadêmica Suely da Silva Viana Maria Flávia Bel Car Estudante, Seja muit bem vind

Leia mais

Antropologia do Consumo no Marketing

Antropologia do Consumo no Marketing Antrplgia d Cnsum n Marketing Objetivs Demnstrar cm as influências culturais estã relacinadas cm s hábits de cnsum, a relaçã cm as Marcas e cmprtament de cmpra, evidenciand assim, prcess fundamental para

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2015.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2015.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO O cadastrament, previst ns editais de Vestibular da UFCG, é um mecanism para garantir a timizaçã das chamadas ds candidats para a matrícula. Esse é um mecanism imprtantíssim

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Infrmática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróle e Gás Objetiv: Elabrar e desenvlver um prjet na área prfissinal,

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 7/2015 DE 27 DE ABRIL DE 2015 VESTIBULAR 2015/02 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505,

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

EDITAL Nº 087/2007-GRE

EDITAL Nº 087/2007-GRE GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 087/2007-GRE CONVOCA, EM 7ª CHAMADA, OS CANDI- DATOS APROVADOS NO 9º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CAOS PÚBLICOS AO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO OESTE DO PARANÁ, PARA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 023/2013 DE 30 DE SETEMBRO DE 2013 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.:

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970,

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970, 1 Pedid de Prvidências n" 970 Requerente: Escla Nacinal da Magistratura e Assciaçã ds Magistrads d Brasil. Assunt:Resluçã n 11/2006 CNJ - Atividade jurídica - Curss de Pósgraduaçã - Ediçã de nrma de transiçã.

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 PLANO DE CURSO Faculdade Independente d Nrdeste Credenciada pela Prtaria MEC 1.393, de 04/07/2001 publicada n D.O.U. de 09/07/2001. CURSO DE FISIOTERAPIA Autrizad pela Prtaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seçã

Leia mais

Portal NeoGrid. Guia de Atendimento NeoGrid

Portal NeoGrid. Guia de Atendimento NeoGrid Prtal NeGrid Guia de Atendiment NeGrid 1 Sumári Guia de Atendiment NeGrid... 3 Canais de Atendiment... 3 O que é Prtal NeGrid?... 4 Praz de Atendiment... 9 Pesquisa de Satisfaçã... 10 Canal da Ouvidria...

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 27/10/2014 a 21/11/2014 Carg: Auxiliar de Sala: Educaçã Infantil Taxa de Inscriçã: R$ 48,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.146,27 Nº Vagas: Cadastr de

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a

RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 01/2007 De 8 de novembro de 2007 Reedita as Normas para Reconhecimento de Títulos de Pós-Graduação, revogando a RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N 01/2007 De 8 de nvembr de 2007 Reedita as Nrmas para Recnheciment de Títuls de Pós-Graduaçã, revgand a Resluçã Cmplementar n 02/93, de 25 de junh de 1993. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

b. Sendo caracterizada atividade concomitante remunerada, deve existir algum tipo de convênio entre a instituição interessada e a UNESP?

b. Sendo caracterizada atividade concomitante remunerada, deve existir algum tipo de convênio entre a instituição interessada e a UNESP? 1. Afastament 2. Estági Prbatóri 3. Relatóri de Atividades Dcentes/Planilha de Atividade dcente 4. Prjet de Pesquisa 5. Prgressã Carreira Dcente 1. Afastament a. Um dcente fi cnvidad para crdenar grups

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2008/2009, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

ANEXO II. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado. Capítulo I Da admissão

ANEXO II. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado. Capítulo I Da admissão ANEXO II ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica de

Leia mais

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID

EDITAL Nº 025 / 2015 SELEÇÃO DE SUPERVISOR DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitria de Graduaçã Rua Gabriel Mnteir da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fne: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

A nova metodologia de apuração do DI propõe que o cálculo seja baseado em grupos de taxas e volumes, não mais em operações.

A nova metodologia de apuração do DI propõe que o cálculo seja baseado em grupos de taxas e volumes, não mais em operações. Taxa DI Cetip Critéri de apuraçã a partir de 07/10/2013 As estatísticas d ativ Taxa DI-Cetip Over (Extra-Grup) sã calculadas e divulgadas pela Cetip, apuradas cm base nas perações de emissã de Depósits

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

Manual do Rondonista 2006

Manual do Rondonista 2006 Manual d Rndnista 2006 www.defesa.gv.br/prjetrndn 1 1 ÍNDICE MANUAL DO RONDONISTA... 3 I. FINALIDADE... 3 II. O PROJETO RONDON...3 a. Missã...3 b. Objetivs...3 III. DEVERES E DIREITOS DO RONDONISTA...

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS ESTADO DO PARANÁ

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS ESTADO DO PARANÁ A COMISSÃO EXECUTIVA DO CONCURSO PÚBLICO, n us de suas atribuições legais e tend em vista Decret númer 2698 de 16 de setembr de 2009, trna pública a abertura de inscrições e as nrmas para a realizaçã de

Leia mais

PROGRAMA FORMAR / 2009 Modalidade Apoio Formativo Plurianual

PROGRAMA FORMAR / 2009 Modalidade Apoio Formativo Plurianual PROGRAMA FORMAR / 2009 Mdalidade Api Frmativ Plurianual INSCRIÇÕES - GUIA DE PROCEDIMENTOS De acrd cm a Prtaria nº 1229/2006, de 15 de Nvembr, Institut Prtuguês da Juventude (IPJ) cntinua a prmver a frmaçã

Leia mais

MANUAL DO ALUNO PEDAGOGIA Salvador - Bahia

MANUAL DO ALUNO PEDAGOGIA Salvador - Bahia MANUAL DO ALUNO PEDAGOGIA Salvador - Bahia Caro(a) Estudante(a) Baseado no Regulamento do Curso, o Manual do Estudante da Graduação de Pedagogia do Instituto Superior de Educação Ocidemnte ISEO resumido

Leia mais

DÚVIDAS SOBRE OS BENEFÍCIOS ATRIBUÍDOS AOS ANTIGOS COMBATENTES?

DÚVIDAS SOBRE OS BENEFÍCIOS ATRIBUÍDOS AOS ANTIGOS COMBATENTES? DÚVIDAS SOBRE OS BENEFÍCIOS ATRIBUÍDOS AOS ANTIGOS COMBATENTES? ÂMBITO PESSOAL O regime jurídic d serviç militar prestad em cndições especiais de dificuldade u perig, aprvad pela Lei n.º 9/2002, de 11

Leia mais

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas Sluções in Stre Objetivs Evidenciar s pilares fundamentais para desenvlviment de um trabalh cm categrias e marcas n Pnt de Venda, munind s participantes de infrmações que permitam cnhecer shpper e sua

Leia mais

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO

Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.1 Professor: Isabel Celeste Caíres Pereira Gusmão Titulação: Mestre PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Recnhecid pela Prtaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seçã 1. Pág. 20 Cmpnente Curricular: BIOLOGIA GERAL Códig: ENF - 101 Pré-requisit: Nenhum Períd Letiv: 2016.1 Prfessr:

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais