A IMPORTÂNCIA DO PROJETO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMPORTÂNCIA DO PROJETO"

Transcrição

1 Iluminação de Lojas Destacar uma vitrine, a arquitetura da fachada, os produtos e a decoração dos espaços internos tornando as lojas atraentes aos olhos do público, já não é possível sem a elaboração de um bom projeto de iluminação (Por Sílvia A.Bigoni, Ladislao Szabo, Isac Roisenblatt) Iluminar adequadamente um ambiente comercial, obedecendo sempre a orientações técnicas, é fundamental em qualquer ponto de venda. Por isso, a primeira preocupação do comerciante deve ser a fachada do estabelecimento, usando um tipo de luz que permita, de imediato, o reconhecimento da empresa pelo público. Em seguida, as atenções devem estar voltadas para o ambiente interno, que requer uma iluminação que leve em conta a mercadoria comercializada e o perfil do público alvo. Por exemplo: uma loja de roupas ou de tecidos precisa de uma iluminação que valorize as cores e a textura do produto. Já uma loja de móveis deve ter seu foco dirigido ao acabamento, um dos primeiros itens a serem observados pelo consumidor, enquanto estabelecimentos de jóias devem focalizar o brilho. Portanto, é um trabalho bastante específico, que não pode ser executado por leigos, sob o risco de obter um resultado oposto ao esperado. Um projeto de iluminação leva em conta que 80% da percepção de mundo que tem o ser humano se dá pela visão, tornando-se um aliado extremamente importante nas vendas, e que vem sendo largamente utilizada pelos empresários. Os supermercados foram um dos primeiros segmentos de lojas a fazer uso da luz para valorizar os produtos, especialmente no setor de carnes (com iluminação valorizando o vermelho) e no de frutas e verduras, enfatizando o verde. Outro fator importante a ser ressaltado é que a alternância da luz, direta ou indireta, pode determinar comportamentos diferenciados, provocando maior ou menor satisfação do consumidor. Os supermercados foram um dos primeiros segmentos de lojas a fazer uso da luz para valorizar os produtos,especialmente nos setores de carnes, de frutas e verduras. Na foto, loja Aricanduva do Wall Mart em SãoPaulo (SP)

2 A iluminação deve levar em conta a mercadoria comercializada e o perfil do público alvo. Uma loja de roupas ou de tecidos, por exemplo, precisa de um sistema de iluminação que valorize as cores e a textura do produto A IMPORTÂNCIA DO PROJETO Destacar a vitrine, a arquitetura da fachada, os produtos, os expositores, a decoração dos espaços internos, enfim, todos os detalhes que tornam uma loja atraente aos olhos do público, já não é possível sem a elaboração de um bom projeto de iluminação. Independentemente da localização da loja - no shopping center ou na rua e do produto comercializado, qualquer estabelecimento necessita de vários efeitos de luz capazes de realçá-io entre os demais e, principalmente, chamar a atenção do consumidor, o que trará como conseqüência um incremento nas vendas. O ideal é que o projeto de arquitetura inclua também a iluminação, permitindo assim a criação de todos os recursos necessários para garantir maior facilidade na hora da instalação. Afinal, quando a obra já está concluída, muitas vezes é necessário iniciar novamente o desagradável quebra-quebra para adaptar a iluminação desejada e eliminar eventuais falhas, tornando-a compatível com a arquitetura já existente. É claro que este fato não inviabiliza a correção da iluminação, pois no caso de lojas antigas sempre é possível contar com as modernas soluções, mas será preciso contratar profissionais especializados para assegurar a qualidade. Eles deverão ser habilidosos no desenho, na parte técnica e na metodologia, ou seja, dominar perfeitamente a arte de iluminar. A MELHOR LUZ PARA CADA CASO Alguns aspectos são fundamentais na hora de planejar um sistema de iluminação para que se torne eficaz e alcance o resultado desejado. Um deles é o conforto visual, tanto para quem está observando a loja do lado de fora quanto para os funcionários e também os clientes que estão sendo atendidos lá dentro. Lembre-se sempre de que o excesso de luz poderá acarretar um ofuscamento na vista das pessoas, acabando por prejudicar a visualização dos produtos expostos na vitrine. Por outro lado, a escassez de iluminação apresenta problemas similares. O consumidor poderá passar em frente a uma loja e nem sequer notá-ia. Então, o ideal é procurar atingir o equilíbrio, criando uma iluminação que permita evidenciar o produto sem, no entanto, incomodar as pessoas.

3 A ILUMINAÇÃO E O RESULTADO DO NEGÓCIO De acordo com as modernas técnicas de marketing, o lojista, seja ele de qual ramo for, tem algumas considerações que podem favorecer o incremento das vendas quando atendidas. São elas: melhoria da imagem como fator de diferenciação; criação de um ambiente adequado; despertar o interesse; atrair os clientes; criar disposição de permanecer no ambiente; e criar a disposição para o consumo na loja. Mas como a iluminação pode gerar estas situações? A luz e seus efeitos têm tamanho poder que criam realmente facilidades para a venda de um produto? A resposta é sim. Na tabela abaixo é possível verificar como se pode atender às necessidades através da iluminação. Ainda sob o aspecto do marketing e sua análise de mercado para o desenvolvimento de estratégias de comercialização de produtos, algumas características precisam ser definidas quando se vai desenvolver o projeto de um ponto de venda. As características são: preço das mercadorias, projeto de interiores, linha de produtos e estilo da loja. Estes fatores devem ser tratados como determinantes também do público alvo da loja, uma vez que sua combinação definirá qual o segmento social o espaço vai atuar. Por exemplo, uma loja que trabalha com produtos de alto valor agregado, com um projeto de interiores bastante apurado e detalhado, uma linha de produtos pequena e com estilo personalizado, tende a ser uma loja direcionada a classes sociais mais privilegiadas, enquanto lojas de produtos baratos, com uma grande variedade e no estilo auto-atendimento, tendem a ser direcionadas ao público de mais baixo poder aquisitivo. Logicamente, as dimensões do estabelecimento e o tipo de produto e atendimento podem e devem alterar as considerações acima, não propiciando o estabelecimento de uma regra. A montagem de estabelecimento comercial exige iluminação adequada a cada tipo de negócio. Necessidade dos Logistas Ambiente atrativo Objetos com aparência natural Níveis de iluminação adequados Contraste adequado Projeto atrativo Confiabilidade Conforto pessoal Baixo custo Requisitos de iluminação Aparência e temperatura da cor adequada Qualidade na reprodução da cor Fluxo e intensidade luminosa adequados Escolha do facho de luz (abertura) Otimização do sistema Durabilidade e estabilidade Aquecimento reduzido Conservação de energia e pouca manutenção

4 A iluminação da fachada - seja a loja situada numa rua, seja num shopping center é especialmente importante, pois assume caráter de cartão de visitas da marca MÉTODOS DE ILUMINAÇÃO Iluminação Geral - Um sistema de iluminação geral, que segue um padrão de distribuição ao longo de toda a área de vendas, é o mais comum em grandes áreas de vendas onde não há uniformidade de layouts ou interferências críticas, como gôndolas altas. A iluminação geral cria uma visibilidade básica para prover quantidade apropriada e distribuição uniforme, permitindo visualizar a mercadoria sem enfatizar um produto ou outro. Iluminação Setorizada - A solução de iluminação setorizada, ou seja, o sistema de iluminação instalado conforme certa distribuição de layout, através de gôndolas, displays, racks, etc., é usado para enfatizar a mercadoria e determinar áreas de exposição de produtos. Sistema Flexível- Esta utilização se dá pela vantagem de flexibilidade em determinados pontos da loja, tais como vitrines e displays, por permitir a utilização de diferentes luminárias e lâmpadas, possibilitando criar efeitos variados. É conseguido através de trilhos eletrificados com possibilidade de divisão de circuitos. Iluminação do provador e locais de prova e teste - Uma grande atenção deve ser dada a locais de prova, pois geralmente após o cliente passar por eles é que é decidida a compra. Não há uma regra a ser apresentada. O correto, no entanto, é usar excelente reprodução de cor e temperatura de cor igual à iluminação geral, pois os olhos do cliente já estão acostumados com a luz geral da loja e não é conveniente que ele sinta nenhuma diferença em relação ao local de prova e nível médio de luz. Nem sempre é conveniente termos um nível alto de iluminação, pois em muitos casos o cliente acaba vendo algo que ainda não havia enxergado, seja no produto, seja no próprio corpo, o que pode criar algum desconforto e inviabilizar a venda. Em geral, nas áreas administrativas, trabalha-se com uma luz de mesmo padrão do restante da loja, porém normalmente com aparelhos de iluminação diferentes para gerar um efeito diferencial naquele espaço. ILUMINAÇÃO DAS FACHADAS Quando a loja estiver situada na rua, a iluminação da fachada torna-se especialmente importante, assumindo caráter de cartão de visitas da marca. O principal é que os focos de luz incidam diretamente nas paredes da construção e nunca nos vidros da vitrine, evitando reflexos indesejáveis e comprometendo o efeito desejado. Como a intenção é sempre fazer com que a loja sobressaia, convém criar um contraste com as luzes da rua, onge comumente a iluminação é feita através de lâmpadas de mercúrio (luz branca), ou de lâmpadas de sódio (luz amarelada). Assim, se a loja apresentar uma luz de outra cor, o efeito será bastante interessante. Já as lojas instaladas em centros comerciais requerem outras formas de iluminação. A começar pelas normas internas de administração de shopping centers, que limitam a potência a ser empregada em cada loja, incluindo aí o consumo com ar condicionado e luminosos externos, além, é claro, da

5 iluminação interna. Antes de definir por algum projeto de iluminação, deve-se considerar que nos shoppings há a "guerra das estrelas", ou seja, disputas de luzes entre os comerciantes, em que cada um quer ser a maior atração do local e chamar mais a atenção do consumidor para a sua loja. Então, observe atentamente as Iojas concorrentes e escolha uma proposta que o diferencie dos demais, mesmo que não seja a mais escandalosamente iluminada. Magazines - Em magazines, freqüentes alterações no sistema de distribuição de exposições são efetuadas. A iluminação geral, muitas vezes fixa, é similar à usada em escritórios panorâmicos, porém certo grau de flexibilidade poderá ser obtido por meio de spots, que poderão ser deslocados rápido e facilmente para acompanhar qualquer distribuição da mercadoria. Lojas de auto-serviço e supermercados - Lojas de autoserviço e supermercados geralmente têm um sistema de distribuição fixo de luminárias, porém, diferentemente das lojas pequenas, os níveis de iluminâncias são altos e uniformes. As fontes de luz geralmente são lâmpadas fluorescentes ou lâmpadas de descarga de alta pressão. A iluminação local é somente usada para destacar ofertas especiais. Spots sobre trilhos eletrificados geralmente são usados para esta finalidade. Os estabelecimentos que comercializam produtos perecíveis, como carnes e outros alimentos, devem dar atenção especial à iluminação que, nestes casos, precisa ser um pouco diferenciada. Primeiro porque luzes coloridas mascaram os produtos, o que significa enganar o consumidor. Segundo porque a Secretaria da Saúde, órgão responsável pela vigilância sanitária, proíbe o uso de luzes com excesso de tonalidade vermelha, um recurso muito empregado nas casas de carnes para tornar o produto mais atraente, com aparência de carne fresquinha. As multas, nestes casos, são pesadas e o melhor é, portanto, cumprir a lei. Por outro lado, o comerciante deste setor não pode lançar mão das luzes verdes e azuis. Imagine esta tonalidade esverdeada iluminando uma carne cuja cor é vermelha. Aos olhos ao público esta carne estará, no mínimo, estragada. Portanto, uma mercadoria de qualidade corre o risco de parecer passada e ter sua comercialização prejudicada. O melhor jeito, então, é procurar uma luz com temperatura de cor de acordo com a cor do produto exposto, com baixo nível de produção de calor e bom índice de fidelidade na reprodução das cores, como, por exemplo, as fluorescentes de pós-trifósforo. Estas recomendações valem tanto para as carnes como para qualquer tipo de alimento perecível. Vale lembrar que a iluminação certa precisa oferecer também vida longa, facilidade de manutenção, ausência de interferências e dispositivos de segurança (proteção contra incêndio e curto-circuito). Há também a necessidade de utilizar lâmpadas mais eficientes, que são as que fornecem mais luz com menor consumo de energia. Em magazines, freqüentes alterações no sistema de distribuição de exposições são efetuadas. Neste caso, vale a flexibilidade Artigo cedido pela Revista Câmara Informa - Nota do edito utilizadas neste artigo são iiustratlvas e não foram definidas pelos autores Revista Lumiere ano 5 setembro 2002 edição 53 páginas 86-90

NR10 - Instalações e Serviços em Eletricidade: é nesta norma que estão contidos itens voltados para iluminação.

NR10 - Instalações e Serviços em Eletricidade: é nesta norma que estão contidos itens voltados para iluminação. NR10 - Instalações e Serviços em Eletricidade: é nesta norma que estão contidos itens voltados para iluminação. Das normas NR 10 são citadas abaixo as normas voltadas para a iluminação: 10.2.3.3. Os postos

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

Fotos: Divulgação A R Q U I T E T U R A

Fotos: Divulgação A R Q U I T E T U R A Fotos: Divulgação 58 c a s e O padrão visual requintado da grife caracteriza o espaço que foi modificado e supervisionado pela matriz francesa. Num total de 700m2, a loja se divide em 4 andares. Louis

Leia mais

www.asbled.com.br EMPRESA ASBLed nasceu para ser uma empresa inovadora e especializada em iluminação utilizando a tecnologia LED.

www.asbled.com.br EMPRESA ASBLed nasceu para ser uma empresa inovadora e especializada em iluminação utilizando a tecnologia LED. EMPRESA ASBLed nasceu para ser uma empresa inovadora e especializada em iluminação utilizando a tecnologia LED. Nossa missão é fornecer soluções em iluminação LED, aliando economia à sustentabilidade.

Leia mais

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são:

VAREJO. Os principais setores varejistas brasileiros são: O que é? São todas as atividades envolvidas na venda de bens ou serviços diretamente a consumidores finais para seu uso pessoal, e não empresarial. (Philip Kotler) Não importa como os produtos são vendidos

Leia mais

As sacolas das lojas são outdoors que circulam pelos shopping centers

As sacolas das lojas são outdoors que circulam pelos shopping centers ASSUNTO em pauta As sacolas das lojas são outdoors que circulam pelos shopping centers As lojas de shopping não estão explorando todo o potencial desta poderosa ferramenta de marketing. P o r Fábio Mestriner

Leia mais

No Hiper Bergamini, a iluminação valoriza os produtos e dá vida à loja

No Hiper Bergamini, a iluminação valoriza os produtos e dá vida à loja Luz para as vendas A boa iluminação tem influência positiva nas vendas. O supermercadista pode tirar melhor proveito de um item que hoje oferece maior eficiência e menor gasto de energia POR MIRIAM NOVAES

Leia mais

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para:

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para: Introdução A BRMALLS é uma empresa que atua em diversos estados e para manter unida nossa companhia, nossos funcionários devem agir com base em valores e objetivos comuns. Isso se reflete nas atitudes

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades UNIDADE 3 Identificação de oportunidades Provavelmente seja um dos maiores mitos sobre as novas idéias para negócios: a idéia deve ser única. Na realidade pouco importa se a idéia é única ou não, o que

Leia mais

TECNOLOGIA LED LÂMPADAS E LUMINÁRIAS 2014-2015

TECNOLOGIA LED LÂMPADAS E LUMINÁRIAS 2014-2015 TECNOLOGIA LED LÂMPADAS E LUMINÁRIAS 2014-2015 3 5 7 18 22 Sobre a Sylvania Conceitos de Iluminação Lâmpadas Tabelas de Equivalência Luminárias 36 3 SOBRE A SYLVANIA Sylvania é uma companhia líder global

Leia mais

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer NA ARQUITETURA Prof. Arq. Minéia Johann Scherer Objetivo da iluminação em atividades laborativas e produtivas: Obtenção de boas condições de visão associadas à visibilidade, segurança e orientação dentro

Leia mais

Reabilitação Sustentável

Reabilitação Sustentável Reabilitação Sustentável APRESENTAÇÃO 4 A empresa QUEM SOMOS 5 A nossa visão, missão e valores SOLUÇÕES 6 À sua medida REABILITAÇÃO SUSTENTÁVEL 7 O próximo desafio ARQUITETURA 8 Deixe que as suas ideias

Leia mais

Orientações para elaborar um. Plano de Negócios

Orientações para elaborar um. Plano de Negócios Orientações para elaborar um Plano de Negócios Maio de 2010 www.nascente.cefetmg.br Página 1 Apresentação Este documento contém um roteiro básico de Plano de Negócios. O objetivo é permitir que o futuro

Leia mais

ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA

ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA 2009 ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA A elaboração do orçamento doméstico nem sempre é uma tarefa fácil. Definir quais são as suas necessidades e planejar

Leia mais

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

INFORMAÇÕES TÉCNICAS INFORMAÇÕES TÉCNICAS Luminotécnica - Conceitos Básicos Iluminância Símbolo E Unidade lux (lx) É o fluxo luminoso que incide sobre uma superfície situada a uma certa distância da fonte, ou seja, é a quantidade

Leia mais

Multiplexação de Displays

Multiplexação de Displays Multiplexação de Displays D.T. e J.R.B./200 (revisão) E.T.M./2003 (revisão da parte experimental) E.T.M./200 (revisão) E.T.M./2006 (revisão) RESUMO Nesta experiência são apresentados alguns conceitos sobre

Leia mais

Mercedes-Benz inova com atendimento diferenciado a clientes de Sprinter

Mercedes-Benz inova com atendimento diferenciado a clientes de Sprinter Nova Sprinter Mercedes-Benz inova com atendimento diferenciado a clientes de Sprinter Informação à Imprensa Data: 4 de junho de 2012 Com a inauguração do inédito conceito de Van Center (loja exclusiva

Leia mais

ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL MÓDULO 1 CONCEITUAÇÃO, PARA QUE SERVE, MANEIRAS DE ILUMINAR

ILUMINAÇÃO ARTIFICIAL MÓDULO 1 CONCEITUAÇÃO, PARA QUE SERVE, MANEIRAS DE ILUMINAR MÓDULO 1 CONCEITUAÇÃO, PARA QUE SERVE, MANEIRAS DE ILUMINAR CONCEITUAÇÃO PRODUZIDA POR INTERVENÇÃO HUMANA Para atividades produtivas ou não Fogueiras, tochas, velas, lampiões, lâmpadas elétricas, leds

Leia mais

Iluminação LED de nível alto

Iluminação LED de nível alto Iluminação LED de nível alto Sistemas de iluminação em linha com LED As séries E4, E5 e E7 da ETAP oferecem uma vasta gama de iluminação LED para espaços com pé direito elevado, como pavilhões industriais,

Leia mais

REDESENHO MODERNO PARA RESSALTAR A TRADIÇÃO

REDESENHO MODERNO PARA RESSALTAR A TRADIÇÃO 56 :: Webdesign REDESENHO MODERNO PARA RESSALTAR A TRADIÇÃO Fundado há mais de 110 anos, o IPT (www.ipt.br), Instituto de Pesquisas Tecnológicas, é uma das fundações mais tradicionais no país. Diante da

Leia mais

ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO

ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO Nome da Empresa: Sapatos e Bolsas BACANAS. Razão Social: Sócios: Endereço: Fone/Fax: Pessoa para Contato: CEP: ETAPA 2 DESCRIÇÃO GERAL DO NEGÓCIO O que a empresa

Leia mais

Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior)

Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior) Dicas de uso - Render Up (versão 3.6.7 ou superior) Desenvolvido por: Procad Softwares para Layout Rua dos Cinamomos - 517 - Cinqüentenário CEP 95012-140 - Caxias do Sul - RS Brasil Fone/Fax: 54 3209 9200

Leia mais

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA Prof. Arq. Minéia Johann Scherer LÂMPADAS A VAPOR DE MERCÚRIO São lâmpadas de descarga à alta pressão. Há no interior da lâmpada um tubo de descarga de quartzo que suporta altas

Leia mais

VISUAL MERCHANDISING DESIGN, ARQUITETURA E AMBIENTAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE VENDA

VISUAL MERCHANDISING DESIGN, ARQUITETURA E AMBIENTAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE VENDA VISUAL MERCHANDISING DESIGN, ARQUITETURA E AMBIENTAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE VENDA Curso Especial VISUAL MERCHANDISING Design, Arquitetura e Ambientação como Estratégia de Venda COORDENADORA: NATÁLIA COUTINHO

Leia mais

você, com o sólido objetivo de promover o seu sucesso no mercado afim de

você, com o sólido objetivo de promover o seu sucesso no mercado afim de A marca Milk Shake Mix foi criada pela Center Mix que é fabricante de sorvetes, coberturas e afins. Após 10 anos de atuação e com mais de 3 mil cadastros ativos, a Center Mix, visando aumentar significativamente

Leia mais

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Como escolher a pós-graduação que vai turbinar a sua carreira

Como escolher a pós-graduação que vai turbinar a sua carreira Como escolher a pós-graduação que vai turbinar a sua carreira Dicas fundamentais para você decidir pelo curso ideal para a sua qualificação profissional 2 ÍNDICE >> Introdução... 3 >> A importância da

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Desempenho de Operações EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Agenda da aula 1 Desempenho de operações 2 Estudo de caso Capítulo 2- Desempenho de Operações Desempenho de operações Como avaliar

Leia mais

Porque as. cores mudam?

Porque as. cores mudam? Porque as cores mudam? O que são cores? As cores não existem materialmente. Não possuem corpo, peso e etc. As cores correspondem à interpretação que nosso cérebro dá a certo tipo de radiação eletro-magnética

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281 Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281 Estabelece normas e procedimentos para recuperação, manutenção e valorização de edifícios, obras e monumentos tombados, sujeitos ao tombamento vizinho ou identificados

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos 2013 Iluminação LED significa uma elevada poupança na fatura de electricidade, que pode exceder os 80%. As lâmpadas da mais recente tecnologia de iluminação aplicam-se de forma simples

Leia mais

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional 40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. Foram passadas para mim pelo amigo Luiz Rodrigues, aluno também do Curso Online de Design Web. A fonte

Leia mais

Apresentação. Conceito

Apresentação. Conceito Apresentação Apresentamos um novo conceito de Mercado para a Distribuição e Venda Direta de Produtos e Serviços para o Setor da Construção Civil; Com Ênfase em atender principalmente, construtoras, lojas

Leia mais

Ricardo Mayer Palestras e Workshops

Ricardo Mayer Palestras e Workshops Ricardo Mayer Palestras e Workshops Tel: 55 8455 2022 E-mail: estudioricardomayer@gmail.com Site: estudioricardomayer.com.br Apresento esse conjunto atividades que foram formatadas ao longo dos últimos

Leia mais

Iluminação de piscinas com fibras ópticas Fábio Magalhães

Iluminação de piscinas com fibras ópticas Fábio Magalhães 1 de 9 01/11/2010 22:17 Iluminação de piscinas com fibras ópticas Fábio Magalhães O sistema mais utilizado atualmente para a iluminação de piscinas é composto por projetores submersíveis, portanto, instalados

Leia mais

Quantas vezes, entramos num restaurante, ou numa loja e dizemos: Ih! Não deve ser bom, está vazio!!!!

Quantas vezes, entramos num restaurante, ou numa loja e dizemos: Ih! Não deve ser bom, está vazio!!!! POLUIÇÃO VISUAL E PAISAGEM URBANA: QUEM LUCRA COM O CAOS? Heliana Comin Vargas(*) Camila Faccioni Mendes(**) Publicado no Portal do Estado de São Paulo. www.estadao.com.br/ext/eleicoes/artigos31/08/2000

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais

Introdução. 1. O que é e-commerce?

Introdução. 1. O que é e-commerce? Introdução As vendas na internet crescem a cada dia mais no Brasil e no mundo, isto é fato. Entretanto, dominar esta ferramenta ainda pode ser um mistério tanto para micro quanto para pequenos e médios

Leia mais

FEA-RP/USP RAD 1402 Comportamento do Consumidor Prof. Dirceu Tornavoi de Carvalho. Escolha de loja e Compra (Aula 10)

FEA-RP/USP RAD 1402 Comportamento do Consumidor Prof. Dirceu Tornavoi de Carvalho. Escolha de loja e Compra (Aula 10) FEA-RP/USP RAD 1402 Comportamento do Consumidor Prof. Dirceu Tornavoi de Carvalho Escolha de loja e Compra (Aula 10) Escolhas das lojas A localização é fator número um na escolha de lojas. Escolha de lojas

Leia mais

TECIDOS E REVESTIMENTOS

TECIDOS E REVESTIMENTOS CAMA MESA BANHO COLCHÕES E TRAVESSEIROS COBERTORES AROMATIZANTES CORTINAS E ACESSÓRIOS TECIDOS E REVESTIMENTOS TAPETES E CARPETES MALAS E ACESSÓRIOS DE VIAGEM O que é uma feira profissional Integrar em

Leia mais

UNOCHAPECÓ Programação Econômica e Financeira

UNOCHAPECÓ Programação Econômica e Financeira Estruturas de mercado UNOCHAPECÓ Programação Econômica e Financeira Texto para Discussão 1 De acordo com a natureza do mercado em que estão inseridas, as empresas deparam-se com decisões políticas diferentes,

Leia mais

Prepare sua Loja para Vender Mais

Prepare sua Loja para Vender Mais MERCHANDISING Prepare Sua Loja Para Vender Mais Questões Fundamentais 1 Como girar rapidamente os estoques no ponto de venda? Como tornar mais fácil e agradável o ato de compra de meus clientes? Como oferecer

Leia mais

DE SERVIÇOS LUSAN METALÚRGICA. w w w. l u s a n m e t a l u r g i c a. c o m. b r

DE SERVIÇOS LUSAN METALÚRGICA. w w w. l u s a n m e t a l u r g i c a. c o m. b r R I PORTFÓLIO DE SERVIÇOS LUSAN METALÚRGICA w w w. l u s a n m e t a l u r g i c a. c o m. b r I R ÍNDICE QUEM SOMOS 5 Missão, Visão e Valores QUALIDADE 8 Preservação Ambiental Fornecedores e Prestadores

Leia mais

Objetivos Trabalho desenvolvido para disciplina de Ateliê de Ambientes Comerciais, que tem como objetivo principal objetivo abordar produção

Objetivos Trabalho desenvolvido para disciplina de Ateliê de Ambientes Comerciais, que tem como objetivo principal objetivo abordar produção Objetivos Trabalho desenvolvido para a disciplina de Ateliê de Ambientes Comerciais, que tem como objetivo principal objetivo abordar na produção de lojas comerciais (shopping), os aspectos relativos a

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA COLÉGIO ESTADUAL VICENTE RIJO Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Av. Juscelino Kubitscheck, 2372. Londrina Paraná Fone: (43) 3323-7630 / 3344-1756 / 3334-0364 www.vicenterijo@sercomtel.com.br CURSO

Leia mais

Projeto luminotécnico reúne soluções que transformam sóbrio restaurante diurno em colorido bar noturno.

Projeto luminotécnico reúne soluções que transformam sóbrio restaurante diurno em colorido bar noturno. Do sério ao Projeto luminotécnico reúne soluções que transformam sóbrio restaurante diurno em colorido bar noturno. Reportagem: JOÃO CARLOS BALDAN 64 Potência Dez 05 Jan 06 despojado De dia, a luz é branca

Leia mais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais MARKETING DE VENDAS Alcioni João Bernardi Prof. Ivanessa Felicetti Lazzari Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Processos Gerenciais (EMD0130) Prática do Módulo IV 27/11/12 RESUMO Este trabalho

Leia mais

Minirrotatória. Um projeto simples e eficiente para redução de acidentes

Minirrotatória. Um projeto simples e eficiente para redução de acidentes Minirrotatória Um projeto simples e eficiente para redução de acidentes Introdução A minirrotatória é um dispositivo de segurança utilizado em cruzamento não muito movimentado, para organizar a circulação

Leia mais

Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV

Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV Top Guia In.Fra: Perguntas para fazer ao seu fornecedor de CFTV 1ª Edição (v1.4) 1 Um projeto de segurança bem feito Até pouco tempo atrás o mercado de CFTV era dividido entre fabricantes de alto custo

Leia mais

Logística e Valor para o Cliente 1

Logística e Valor para o Cliente 1 1 Objetivo da aula Esta aula se propõe a atingir os seguintes objetivos: 1. Discutir a importância do gerenciamento da interface entre marketing e logística. 2. Reconhecer a necessidade de entender os

Leia mais

ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA

ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA maio/2016 ORÇAMENTO DOMÉSTICO PLANEJAMENTO DE COMPRAS FORMAS DE PAGAMENTO ECONOMIA DOMÉSTICA A elaboração do orçamento doméstico nem sempre é uma tarefa fácil. Definir quais são as suas necessidades e

Leia mais

Contratos de Performance em Manutenção Predial Resultados de auditorias técnicas

Contratos de Performance em Manutenção Predial Resultados de auditorias técnicas Contratos de Performance em Manutenção Predial Resultados de auditorias técnicas Alexandre M. F. Lara A & F Partners Consulting Dentro dos trabalhos de consultoria e auditorias técnicas que executo em

Leia mais

Estudo do Layout Ricardo A. Cassel Áreas de Decisão na Produção

Estudo do Layout Ricardo A. Cassel Áreas de Decisão na Produção Estudo do Layout Ricardo A. Cassel Áreas de Decisão na Produção Áreas de decisão Instalações Capacidade de Produção Tecnologia Integração Vertical Organização Recursos Humanos Qualidade Planejamento e

Leia mais

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com 1 Distribuição Gratuita. Este e-book em hipótese alguma deve ser comercializado ou ter seu conteúdo modificado. Nenhuma parte deste e-book pode ser reproduzida ou transmitida sem o consentimento prévio

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e NORMAS DE CONDUTA REVOLUTYON

CÓDIGO DE ÉTICA e NORMAS DE CONDUTA REVOLUTYON CÓDIGO DE ÉTICA e NORMAS DE CONDUTA REVOLUTYON A Revolutyon é uma Empresa regida por uma escala de valores, que se orgulha da qualidade e do caráter de todos os seus Membros. O presente Código de Ética

Leia mais

Marketing Básico Capítulo II. O Composto de Marketing Os 4 P s

Marketing Básico Capítulo II. O Composto de Marketing Os 4 P s Marketing Básico Capítulo II O Composto de Marketing Os 4 P s O Produto Podemos definir produto como sendo o ator principal da relação de troca, onde o mesmo deve resultar como amplamente satisfatório

Leia mais

Manual do Painel Aceno Digital A3000/A6000. www.acenodigital.com.br. Rua Porto Alegre, 212 Jd. Agari 43 3027-2255 Cep: 86.

Manual do Painel Aceno Digital A3000/A6000. www.acenodigital.com.br. Rua Porto Alegre, 212 Jd. Agari 43 3027-2255 Cep: 86. Manual do Painel Aceno Digital A3000/A6000 Manual do Painel Aceno Digital A3000/A6000 Este manual apresenta o funcionamento e os procedimentos de configuração e instalação dos painéis Aceno Digital, modelos

Leia mais

Currículo: sua peça de marketing pessoal

Currículo: sua peça de marketing pessoal Currículo: sua peça de marketing pessoal http://br.groups.yahoo.com/group/vagasbahia Se o ditado a primeira impressão é a que fica é realmente verdadeiro, elaborar um currículo detalhado e objetivo é essencial

Leia mais

Orientações Parceiros Voitto. Apresentação Voitto 1

Orientações Parceiros Voitto. Apresentação Voitto 1 Orientações Parceiros Voitto Apresentação Voitto 1 Orientações ao parceiro Voitto: Este material tem por objetivo auxiliar passo a passo o parceiro Voitto em suas tarefas do dia-a-dia oferecendo ao cliente

Leia mais

O Guia Emocional das. Cores

O Guia Emocional das. Cores O Guia Emocional das Cores 84,7% dos consumidores acham que a cor é mais importante que muitos outros fatores ao escolher um produto. 1% decidem pelo som ou pelo cheiro 6% decidem pela textura 93% das

Leia mais

Uma empresa só poderá vender seus bens/serviços aos consumidores se dois requisitos básicos forem preenchidos:

Uma empresa só poderá vender seus bens/serviços aos consumidores se dois requisitos básicos forem preenchidos: Módulo 4. O Mercado O profissional de marketing deverá pensar sempre em uma forma de atuar no mercado para alcançar os objetivos da empresa. Teoricamente parece uma tarefa relativamente fácil, mas na realidade

Leia mais

Iluminação Fotográfica

Iluminação Fotográfica 1 Iluminação Fotográfica Primeiramente, deveríamos lembrar da necessidade da luz para a realização de uma fotografia. Sem a luz, não há fotografia, expressão que significa gravar com a luz. Logo, a principal

Leia mais

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA Prof. Arq. Minéia Johann Scherer FONTES DE LUZ ARTIFICIAL HISTÓRICO Antes da invenção da lâmpada fogo, velas, lampiões a gás; Primeira lâmpada elétrica Thomas Edson, em 1879;

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

Ensaios visuais. END não é o fim! Na verdade, esta é a sigla

Ensaios visuais. END não é o fim! Na verdade, esta é a sigla A UU L AL A Ensaios visuais END não é o fim! Na verdade, esta é a sigla que identifica o novo grupo de ensaios que você vai estudar nesta e nas próximas aulas deste módulo: os ensaios não destrutivos.

Leia mais

Figura 6.1 - Ar sangrado do compressor da APU

Figura 6.1 - Ar sangrado do compressor da APU 1 Capítulo 6 - SANGRIA DE AR 6.1 - Finalidade e características gerais A finalidade da APU é fornecer ar comprimido para os sistemas pneumáticos da aeronave e potência de eixo para acionar o gerador de

Leia mais

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Escolha o melhor fornecedor de sistemas e tecnologia e ganhe flexibilidade, rendimento e eficiência operacional automação que traz resultados

Leia mais

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DO PREGÃO AMPLO Nº 008/2010-ER05-Anatel PROCESSO Nº 53528.001004/2010 Projeto Executivo e Estudos de Adequação da nova Sala de Servidores da rede de

Leia mais

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição.

Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. Diretrizes para determinação de intervalos de comprovação para equipamentos de medição. De acordo com a Norma NBR 1001, um grande número de fatores influência a freqüência de calibração. Os mais importantes,

Leia mais

"BUSSINES PLAN"- PLANO DE NEGÓCIOS

BUSSINES PLAN- PLANO DE NEGÓCIOS "BUSSINES PLAN"- PLANO DE! Os componentes do Business Plan.! Quem precisa fazer um Business Plan! Colocando o Business Plan em ação Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO

ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO O que é uma Norma Técnica? O que é uma Norma Técnica? Documento estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido, que fornece, para uso repetitivo,

Leia mais

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático 1 Capítulo 2 - Seleção do local para a APU Os passos que devem ser dados desde a concepção de uma aeronave são: 1) No Planejamento: Admitir que a seleção e a instalação da APU são tão importantes quanto

Leia mais

SANTA CATARINA. INSCREVA SUA ARTE www.cowparadesantacatarina.com.br

SANTA CATARINA. INSCREVA SUA ARTE www.cowparadesantacatarina.com.br SANTA CATARINA INSCREVA SUA ARTE www.cowparadesantacatarina.com.br Idealização Promoção www.cowparadesantacatarina.com.br Idealização Promoção Parceiro AS A CowParade é considerada a maior exposição de

Leia mais

Compressores de parafuso

Compressores de parafuso Construídos para toda a vida Compressores de parafuso SÉRIE SM Capacidade: 0.45 a 1.20 m³/min Pressão: 7.5 a 13 bar Compressor de parafusos rotativos Máxima Eficiência e Confiabilidade Há anos os consumidores

Leia mais

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES A ENTERPRISE SOLAR Somos a empresa mais inovadora em soluções energéticas no Brasil. Temos o propósito de difundir a importância da principal fonte de energia do nosso planeta, que nos fornece, sob as

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

21 sacadas para levar o seu negócio para o próximo nível

21 sacadas para levar o seu negócio para o próximo nível Para quem é este livro? Este livro é para todas aquelas pessoas que fazem o que amam em seu trabalho mas não estão tendo o retorno que gostariam. Este mini guia com 21 sacadas é um resumo dos atendimentos

Leia mais

AFIXAÇÃO DE PREÇOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS PARA O CONSUMIDOR

AFIXAÇÃO DE PREÇOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS PARA O CONSUMIDOR Fecomércio MG Jurídico AFIXAÇÃO DE PREÇOS DE PRODUTOS E SERVIÇOS PARA O CONSUMIDOR Conforme o Código de Defesa do Consumidor, os comerciantes têm a obrigação de garantir, na oferta e apresentação de produtos

Leia mais

3M Soluções Comerciais Mercado Comunicação Visual. Soluções. visivelmente inovadoras

3M Soluções Comerciais Mercado Comunicação Visual. Soluções. visivelmente inovadoras 3M Soluções Comerciais Mercado Comunicação Visual Soluções visivelmente inovadoras Inspire -se comum Ouse inovar Desde os mais simples até os mais complexos projetos aqui na 3M enxergamos oportunidades

Leia mais

COMPETIÇÃO BASEADA NO TEMPO. Time-based Competition. Silvana Tiburi Bettiol

COMPETIÇÃO BASEADA NO TEMPO. Time-based Competition. Silvana Tiburi Bettiol COMPETIÇÃO BASEADA NO TEMPO Time-based Competition Silvana Tiburi Bettiol Time is money Será? Ondas de Inovação de Processos Processo evolutivo adaptação da organização ao ambiente Ondas de Inovação de

Leia mais

LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO

LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO Ariane Barilli de Mattos Graduação em Geografia Faculdade de Ciências e Tecnologia ane_cbj@hotmail.com

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nesta aula, o aluno conhecerá os estágios iniciais do ciclo de vida do produto (CVP), que são de introdução

Leia mais

7 Ações para afastar a crise Utilizando o marketing para melhorar suas vendas.

7 Ações para afastar a crise Utilizando o marketing para melhorar suas vendas. Criamos uma pequena lista de ações ligados ao marketing na internet que nem chega a ser um diferencial. Será o mínimo para que você com seu negócio consiga se manter no mercado e continuar a gerar lucros.

Leia mais

A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO

A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO A PROGRAMAÇÃO DO ESFORÇO MERCADOLÓGICO Luiz Carlos Bresser-Pereira Revista Marketing n. 7, vol. II, 1968: 24-32. Um programa mercadológico é um instrumento para se pensar com antecedência, para se estabelecer

Leia mais

Sistemas para portas de correr da Hettich

Sistemas para portas de correr da Hettich Adorando correr. Sistemas para portas de correr da Hettich Qual o impacto que as portas de correr têm sobre o consumidor final e quais as suas expectativas? A pesquisa de mercado da Hettich analisa essas

Leia mais

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento

Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas. 14.1. Treinamento é investimento Módulo 14 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas 14.1. Treinamento é investimento O subsistema de desenvolver pessoas é uma das áreas estratégicas do Gerenciamento de Pessoas, entretanto em algumas organizações

Leia mais

Condições de Trabalho

Condições de Trabalho NR-17 Ergonomia OBJETIVO Visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto,

Leia mais

ILUMINADOR A LED PARA SEMÁFORO DE PEDESTRE COM CONTADOR REGRESSIVO. Sumário

ILUMINADOR A LED PARA SEMÁFORO DE PEDESTRE COM CONTADOR REGRESSIVO. Sumário Código: Un pç ILUMINADOR A LED PARA SEMÁFORO DE PEDESTRE COM CONTADOR REGRESSIVO 1 Objetivo 2 Referências Normativas 3 Definições 4 Requisitos Gerais 5 Requisitos Específicos 6 Funcionamento 7 Características

Leia mais

INNOVATIVE PLASTICS BRILHANTE+ RESISTENTE FILMES E CHAPAS ESPECIAIS Chapa LEXAN SG305-OB para aplicações em mostradores

INNOVATIVE PLASTICS BRILHANTE+ RESISTENTE FILMES E CHAPAS ESPECIAIS Chapa LEXAN SG305-OB para aplicações em mostradores INNOVATIVE PLASTICS BRILHANTE+ RESISTENTE FILMES E CHAPAS ESPECIAIS Chapa LEXAN SG305-OB para aplicações em mostradores UMA EMPRESA SABIC A Innovative Plastics é a unidade estratégica de negócios da SABIC.

Leia mais

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade III MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Compras, abastecimento e distribuição de mercadorias Os varejistas: Precisam garantir o abastecimento de acordo com as decisões relacionadas

Leia mais

O planejamento do projeto. Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos Aula 8 Prof. Rafael Roesler

O planejamento do projeto. Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos Aula 8 Prof. Rafael Roesler O planejamento do projeto Tecnologia em Gestão Pública Desenvolvimento de Projetos Aula 8 Prof. Rafael Roesler 2 Introdução Processo de definição das atividades Sequenciamento de atividades Diagrama de

Leia mais

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá

Residência. Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais. c a s e. Por Claudia Sá c a s e Fotos: Rafael Leão Residência Por Claudia Sá Cenários para o dia-a-dia e ocasiões especiais ATMOSFERA ACOLHEDORA PARA O DIA-A-DIA E FLEXIBILIDADE para criação de cenários para eventos distintos.

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

LOGOTIPO. Disciplina: Oficina de Direção de Arte. Professor: WANDERLEI PARÉ

LOGOTIPO. Disciplina: Oficina de Direção de Arte. Professor: WANDERLEI PARÉ LOGOTIPO Disciplina: Oficina de Direção de Arte Professor: WANDERLEI PARÉ Avaliação de Logotipos Para avaliar um logotipo podemos nos basear em conceitos técnicos, mercadológicos e estéticos. Com o objetivo

Leia mais

Comparativo entre métodos de controle de demanda: qual o mais eficiente para o usuário nacional?

Comparativo entre métodos de controle de demanda: qual o mais eficiente para o usuário nacional? Comparativo entre métodos de controle de demanda: qual o mais eficiente para o usuário nacional? Mauricio R.Suppa (GESTAL Ltda) Marcos Iuquinori Terada (GESTAL Ltda) Afim de se obter o máximo aproveitamento

Leia mais

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina

Design Estratégico. Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Profa. Dra. Cristianne Cordeiro Nascimento criscordeiro@uel.br Universidade Estadual de Londrina Design Estratégico Vamos ver neste final de semana... Criatividade e inovação, design e sociedade contemporânea.

Leia mais

ALTERNATIVAS DE MERCHANDISING

ALTERNATIVAS DE MERCHANDISING INTRODUÇÃO Este pré-projeto apresenta um levantamento de oportunidades de merchandising que, em nosso entendimento, são viáveis de serem comercializadas no Shopping Valinhos. CRITÉRIOS UTILIZADOS Para

Leia mais

COMO ESTÁ SUA EMPRESA NA INTERNET?

COMO ESTÁ SUA EMPRESA NA INTERNET? COMO ESTÁ SUA EMPRESA NA INTERNET? NOSSA MISSÃO É ACELERAR SEU NEGÓCIO Para atender com excelência às demandas do constante crescimento do universo digital, trabalhamos muito além da criação de sites.

Leia mais