EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS"

Transcrição

1 CAMPUS GURUPI EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS PLANO DE CURSO TÉCNICO EM AGRONEGÓCIO (modalidade Subsequente) (Conforme LDB 9.394/96, artigos 39 a 42 e Lei /2008) Gurupi, Junho de

2 PLANO DE CURSO Razão Social: CNPJ: / Campus: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA IFTO/GURUPI CNPJ: / Esfera Administrativa: Endereço (Rua, N o, ): FEDERAL Alameda Madri Jardim Sevilha Cidade/UF/CEP: GURUPI/TO/CEP Telefone/Fax: de contato: Site da unidade: Eixo Tecnológico: Curso: RECURSOS NATURAIS TÉCNICO EM AGRONEGÓCIO (modalidade Subsequente) Habilitação, qualificações e especializações: 01 Habilitação: Técnico em Agronegócio Carga Horária: 1304 horas Estágio: 300 horas 1.1 Qualificação: Carga Horária: Estágio: 1.2 Qualificação: Carga Horária: Estágio: 1.3 Qualificação: Carga Horária: Estágio: 1.4 Qualificação: Carga Horária: Estágio: Assistente Técnico em Gestão Agropecuária 334 horas 75 horas Assistente Técnico em Gestão de Agricultura 335 horas 75 horas Assistente Técnico em Gestão de Pecuária 334 horas 75 Horas Assistente Técnico em Comercialização Agrícola 301 horas 75 horas 1

3 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Escola Técnica Federal de Palmas Diretor do IFTO/Campus Gurupi Paulo da Silva Paz Neto Gerente de Ensino Marcelo Alves Terra Coordenador da Área Sérgio José da Costa Equipe Técnica Cláudio Rodrigues de Oliveira Especialista em Sistemas Inteligentes. Francisco Viana Cruz Especialização em Auditoria Governamental. Marcelo Alves Terra Doutor em agricultura. Natalye Letouzé Mestre em Processo de Desenvolvimento em Saúde. Paulo da Silva Paz Neto Especialista em Educação de Jovens e Adutos. Paulo Sergio Rocha Lima Graduado em Administração. Rodrigo Antonio Magalhães Teixeira Especialista em Educação de Jovens e Adultos. Sérgio José da Costa Mestre em Agronegócio. 2

4 Sumário 1. JUSTIFICATIVA Justificativa Objetivos REQUISITOS DE ACESSO PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO Técnico em Agronegócio Perfil das Qualificações Profissionais Gestão Agropecuária Gestão de Atividades Agrícolas Gestão de Atividades de Pecuária Comercialização de Produtos de Agronegócio ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Estrutura Modular Itinerário Formativo Fluxograma do Curso Técnico em Agronegócio Carga Horária e Componentes Curriculares por Módulo Ementários/Planos de Disciplinas Estratégias Pedagógicas Enfoque Pedagógico do Currículo (Estratégias Pedagógicas) Prática Profissional Estágio Supervisionado CRITÉRIOS DE APROVEITAMENTO DE CONHECIMENTOS E EXPERIÊNCIAS ANTERIORES CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Avaliação de Conhecimentos/Competências Conselhos de Análise de Turma INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS Laboratórios de Informática PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO Quadro Demonstrativo dos Docentes do Curso Técnico em Agronegócio Quadro de Apoio Técnico Administrativo CERTIFICADOS E DIPLOMAS

5 1. JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 1.1. Justificativa Nas últimas décadas o Governo Federal tem investido muito na formação profissional, buscando atender às necessidades de cada região, capacitando mão de obra para atuar nos arranjos produtivos locais, alavancando assim a economia brasileira. Entre os setores da economia que merece destaque encontra-se o Agronegócio, que representa hoje, aproximadamente, 21% do total do Produto Interno Bruto (PIB), sendo responsável por 37% dos empregos criados no País e por 41% das nossas exportações, sendo que em algumas unidades federativas da nação o seu impacto é muito maior, como por exemplo, no Estado do Tocantins. Localizado no centro do País, na Região Norte, com área total de km² e população de aproximadamente (hum milhão e cem mil) habitantes, o Tocantins faz divisa com os Estados de Goiás, Bahia, Piauí, Maranhão, Pará e Mato Grosso. A sua posição geográfica, as riquezas naturais, as expansões comercial, industrial e econômica e o crescimento demográfico fazem deste mais novo Estado brasileiro uma rica fonte de atração de investimento, definindo para o seu perfil a competitividade. Com a economia em formação, considerada basicamente como serviços e com setor produtivo incipiente, o Estado do Tocantins mostrou crescimento maior na área de construção civil, devido a estruturação dos municípios já existentes e o início de novas cidades. A cadeia produtiva no Estado é formada predominantemente pelos setores da carne, couro, leite, vestuário, fruticultura, piscicultura, móveis, construção civil, agricultura e turismo. Nestes setores, as empresas apontam a qualificação profissional, a mão-deobra e a rotatividade como os maiores complicadores de gestão. A maioria das empresas não realiza qualificações específicas por dificuldade em encontrar profissionais para tal tarefa ou instituições que consigam atender a toda a demanda da região. Pode-se sintetizar o perfil competitivo do estado e as dificuldades apresentadas pelos empresários pelas considerações a seguir, extraídas da publicação Mercoeste, Perfil Competitivo do Estado do Tocantins. Projeto Alavancagem do Mercoeste, SENAI, 2002, aplicada a 344 empresas. Dificuldade em relação à mão-de-obra Número de pessoas Freqüência (%) Falta de mão-de-obra ,00 Rotatividade 59 12,27 Qualificação ,98 Absenteísmo 21 4,37 Outras 20 4,16 Sem resposta 30 6,24 Total

6 Perfil Microcompetitivo do Tocantins Critério Descrição Avaliação Tecnologia Boa consciência das empresas, que reconhecem suas deficiências em termos de processos, pessoas e tecnologia, e pretendem investir nos próximos anos. As empresas possuem certo apoio da estrutura competitiva existente, mas ainda existem muitas Baixa/média oportunidades de atuação para essas instituições, sobretudo por parte das universidades e centros tecnológicos*. Gestão Há bom nível de consciência da grave situação da gestão empresarial. As empresas parecem não encontrar o apoio necessário e a ação proativa da Baixa estrutura competitiva existente, utilizando poucas ferramentas de gestão essenciais no dia-a-dia. A boa situação econômico-financeira das empresas coexiste com deficiências no sistema de Capital e gerenciamento da informação e na estrutura de apoio Informação competitivo estadual. As empresas têm dificuldades Baixa/Média de acesso ao crédito de terceiros para expansão dos negócios. Recursos Humanos Operações Existem deficiências em termos de qualificação e formação básica das pessoas. As empresas investem pouco nesse item e demandam treinamentos específicos, não satisfeitos pela estrutura de apoio competitivo. Os indicadores da rotatividade dos recursos humanos apresentam-se bastante elevados. Há bons índices de idade dos equipamentos e de utilização da capacidade instalada. As empresas apresentam deficiência nos processos operacionais, destacadamente na estrutura de fornecimento e na pequena integração das empresas. O índice de refugos, embora menor do que em outras regiões, é alto. Baixa Média/baixa No setor dos Agronegócios, o Estado do Tocantins desponta nacionalmente como uma das últimas fronteiras agrícolas do país e desde a sua criação, os esforços governamentais estiveram voltados para a implantação de sua infra-estrutura econômica voltadas principalmente para a área de transporte. Nos últimos anos, o Estado pavimentou cerca de km de rodovias, aumentando em 42% o asfalto de suas vias, promovendo a integração de suas diferentes regiões e ainda conseguiu, através de seu Plano Estratégico de Desenvolvimento, despertar o interesse do Governo Federal para a necessidade de implementação de importantes projetos de construção na área de transporte, como a Ferrovia Norte-Sul, Hidrovia do Araguaia/Tocantins e a construção de hidrelétricas nos rios Tocantins e Araguaia. Conseqüentemente, isso levará a consecução de um sistema Multimodal que irá baratear os custos de transportes integrando as Ferrovias, Hidrovias e Rodovias, criando uma nova rota de exportação de produtos e viabilizando a produção agropecuária e agroindustrial em toda a região central do Brasil. O Estado é formado basicamente por mini e pequenos proprietários rurais e/ou agroindustriais, cuja estrutura produtiva está alicerçada ainda nas atividades de subsistência. No entanto, a região vem passando por transformações socioeconômicas significativas, principalmente com a chegada da cultura da soja, onde muitos produtores de diversas regiões do Brasil adquiriram grandes extensões de terra para o desenvolvimento dessa cultura e mais recentemente a implantação de usinas açucareiras 6

7 bem como o desenvolvimento da silvicultura. Por isso, cada vez mais o Estado precisa se inserir no mundo globalizado através da melhoria da sua infra-estrutura física, formação de mão-de-obra qualificada e diversificação de produtos para atender as novas demandas do mercado. Essas transformações socioeconômicas tem ocorrido em todas as regiões do estado, especialmente na região sul, onde encontra-se o município de Gurupi, especificamente localizado na região Administrativa XIV, segundo a divisão da Secretaria Estadual de Planejamento e Meio Ambiente - SEPLAN. Esta região é composta por 14 municípios sendo Gurupi a cidade pólo. Segundo dados estimados do próprio SEPLAN (2006), esta região ocupa uma área de aproximadamente Km², possui uma população aproximada de habitantes e 38,8 % da arrecadação de ICMS provém da agropecuária, 26,8% do comércio e 34,4% de outras atividades. Fica evidente a vocação agropecuária da região, tendo no agronegócio a principal atividade econômica da região. Assim sendo, o Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Tocantins - Campus de Gurupi IFTO/Gurupi, apresenta este projeto de Curso Técnico em Agronegócios, na modalidade subsequente, visando promover a qualificação profissional nesta área, proporcionando e fortalecendo o desenvolvimento Regional Objetivos Formar profissionais capacitados para atuar nas cadeias produtivas agropecuárias e agroindustriais, seja na gestão, produção ou comercialização, dotados de princípios éticos, visão crítica, comprometidos com o desenvolvimento regional e respeito à natureza. 2. REQUISITOS DE ACESSO O ingresso no Curso Técnico em Agronegócios dar-se-á semestralmente, por meio de processo seletivo. A formação mínima exigida para ingresso no curso é estar cursando a última série do Ensino Médio ou equivalente. Contudo, para receber o Diploma de Técnico em Agronegócios o aluno deverá comprovar que concluiu os estudos do Ensino Médio ou equivalente, conforme prevê a legislação. O processo seletivo será divulgado através de edital nos principais meios de comunicação do Estado, bem como nas escolas da rede estadual e municipal de ensino, com indicação dos requisitos, condições e sistemática do processo e número de vagas oferecidas. As competências e habilidades exigidas serão aquelas previstas para o Ensino Médio, nas três áreas do conhecimento: Códigos, Linguagens e suas Tecnologias; Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias. A cada semestre são ofertadas 40 vagas. 7

8 3. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO 3.1. Técnico em Agronegócio O técnico em Agronegócios deverá ser capaz de aplicar técnicas de gestão e de comercialização que visem ao aumento da eficiência do mercado agrícola e agroindustrial. Identificar os segmentos das cadeias produtivas do setor agropecuário. Avaliar custos de produção e aspectos econômicos para a comercialização de novos produtos e serviços. Idealizar ações de marketing aplicadas ao agronegócio. Auxiliar na organização e execução de atividades de gestão do negócio rural Perfil das Qualificações Profissionais As qualificações técnicas (como assistente) oferecidas pelo Curso de Técnico em Agronegócio, são: Gestão Agropecuária Conhecer, organizar e executar os princípios básicos administrativos e financeiros no controle do agronegócio como subsidio para tomada de decisões na implantação e gerenciamento de uma atividade agropecuária Gestão de Atividades Agrícolas Conhecer a gestão e as técnicas de produção das principais cadeias agrícolas da região com o objetivo de gerenciar atividades agrícolas buscando alta produtividade econômica Gestão de Atividades de Pecuária Conhecer a gestão e as técnicas de produção das principais cadeias da pecuária da região, com a finalidade de coordenar projetos de criação de animais buscando a máxima eficiência dos mesmos Comercialização de Produtos do Agronegócio Conhecer as técnicas e regras de comercialização de produtos agropecuários no mercado interno e externo para subsidiar a tomada de decisões na busca pela eficiência e rentabilidade da atividade econômica. 8

9 4. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR 4.1. Estrutura Modular O Curso Técnico em Agronegócios, obedece ao disposto na Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996 e na Resolução CNE/CEB n o 04/99 que estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico. A organização curricular tem por características: Atendimento às demandas dos cidadãos, do mercado e da sociedade; Conciliação das demandas identificadas com a vocação, à capacidade institucional e os objetivos do IFTO/Gurupi; Estrutura curricular que evidencie as competências gerais da área profissional e específicas de cada habilitação; Transversalidade das competências; Flexibilidade curricular que permita a qualificação profissional ao término de cada módulo, possibilitando certificação intermediária; Certificações intermediárias proporcionadas a um conjunto de competências técnicas, identificadas no mercado de trabalho, permeadas por competências que complementam a formação profissional, tais como: relação interpessoal, ética profissional, segurança no trabalho, meio ambiente, empreendedorismo, gestão; Componentes curriculares aplicados de forma teórica e prática proporcionando ao aluno a possibilidade de aplicar os conhecimentos adquiridos. Projeto Integrador, que envolve as bases tecnológicas específicas as suas competências, apresentado pelo discente, perante uma banca avaliadora, ao final de cada módulo; Estágio Curricular Supervisionado de 300 horas, sendo 75 horas em cada módulo Itinerário Formativo O Curso Técnico em Agronegócios será desenvolvido em quatro módulos distintos sem a necessidade de pré-requisitos, o que permeia a flexibilidade do projeto, podendo o estudante ingressar em qualquer módulo, quando da existência de vagas nos mesmos. A distribuição das bases nos módulos, ao longo do curso, segue uma seqüência lógica de acumulação de conhecimentos dentro de cada um deles, o que, aliados à Prática Profissional, obrigatória, e fora da carga horária mínima prevista para a área, garante ao estudante uma formação segura. O trabalho de ensino-aprendizagem é desenvolvido sob orientação dos professores e dos técnicos através de projetos com a participação dos estudantes. Essas atividades práticas complementam as aulas teóricas. Elas serão realizadas em fazendas, sítios e assentamentos, onde os estudantes poderão vivenciar um pouco da prática agropecuária. Também serão realizadas atividades em empresas comerciais e agroindústrias e outros órgãos que compõe os elos do Sistema Agroindustrial. Adota-se como prática pedagógica a participação do corpo discente em congressos, seminários e workshops, visitas técnicas, atividades em equipe, defesa e apresentação de seminários que se constituem nas aulas expositivas e dialogadas. 9

10 As aulas práticas são desenvolvidas em campo aberto e nas unidades educativas de produção conveniadas com a IFTO/Gurupi. Com o desenvolvimento e defesa de projetos e atividades de monitoria complementa-se a junção da teoria com a prática Fluxograma do Curso Técnico em Agronegócio EXAME DE SELEÇÃO MÓDULO DE (300 h): MÓDULO DE (300 h): MÓDULO DE (300 h): MÓDULO DE ( 300 h): GESTÃO AGROPECUÁRIA GESTÃO DE ATIVIDADES AGRÍCOLA GESTÃO EM ATIVIDADES DE PECUÁRIA COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DO AGRONEGÓCIO Certificado de Certificado de Certificado de Qualificação Certificado de Assistente Técnico em Gestão Agropecuária Assistente Técnico em Gestão da Agricultura Assistente Técnico em Gestão de Pecuária Assistente Técnico em Comercialização Agrícola 4 MODULOS (1200 h) + ESTÁGIOS (300 h) DIPLOMA DE TÉCNICO EM: AGRONEGÓCIO MERCADO DE TRABALHO 10

11 4.4. Carga Horária e Componentes Curriculares por Módulo MÓDULO DE GESTÃO AGROPECUÁRIA Componentes Curriculares Carga Horária Aulas Semanais 1 Informática Aplicada ao Agronegócio Introdução ao Agronegócio Inglês Instrumental Logística e Empreendedorismo no Agronegócio Administração Aplicada ao Agronegócio Economia Aplicada ao Agronegócio 67 4 Carga horária das componentes curriculares 334 Estágio Supervisionado 75 Total MÓDULO DE GESTÃO DE ATIVIDADES AGRÍCOLAS Componentes Curriculares Carga Horária Aulas Semanais 1 Técnicas de Identificação e Classificação de Plantas Técnicas de Manejo e Conservação de Solos Técnicas de Produção Agrícola Técnicas de Produção de Sementes e Mudas Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas 67 4 Carga horária das componentes curriculares 335 Estágio Supervisionado 75 Total MÓDULO DE GESTÃO EM ATIVIDADES DE PECUÁRIA Carga GESTÃO EM ATIVIDADES DE PECUÁRIA Horária Aulas Semanais 1 Técnicas de Nutrição Animal Técnicas de Produção Aquícola Técnicas de Produção de Aves Técnicas de Produção Apícola Técnicas de Produção de Monogástricos Técnicas de Produção de Ruminantes 67 4 Carga horária das componentes curriculares 334 Estágio Supervisionado 75 Total

12 MÓDULO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DO AGRONEGÓCIO COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS DO AGRONEGÓCIO Carga Horária Aulas Semanais 1 Gestão Ambiental e o Agronegócio Gestão da Qualidade no Agronegócio Legislação Aplicada ao Agronegócio Técnicas de Comercialização Agropecuária Técnicas de Marketing Aplicadas ao Agronegócio 67 4 Carga horária das componentes curriculares 301 Estágio Supervisionado 75 Total 376 Carga horária total do curso Técnico Turno: Duração mínima para integralização Duração máxima para integralização 1604 horas Vespertino 4 semestres 8 semestres 4.5. Ementários/Planos de Disciplinas Componente Curricular: INFORMÁTICA APLICADA AO AGRONEGÓCIO Competência: Utilizar a informática com recurso de trabalho que associadas as técnicas de gerenciamento possam ser utilizadas na administração do agronegócio. Habilidades: Conhecer os componentes do computador; Conhecer os principais programas de computação e suas utilidades; Entender a informática como uma ferramenta de trabalho; Aprender a utilizar os recursos da informática sua aplicação no agronegócio; Conhecer a informática e a sua ligação com o mundo globalizado. Bases Tecnológicas: Hardwares e softwares. Equipamentos principais e periféricos. Word, Excel e Power point. Relatórios no Word. Planilhas eletrônicas. Montagens de slides. Internet. A Internet com recurso de comunicação e negócios. 12

13 Procedimentos metodológicos e Recursos Didáticos: Aulas dialogadas, leitura dirigida, discussão, exercícios, aulas práticas em leaboratório de informática. Avaliação: Avaliação contínua mediante atividades orais e escritas, individuais e em grupo. Bibliografia: 1. CAPRON, H. L. e JOHNSON, J.A. Introdução à Informática. São Paulo: Pearson Prentice Hall, NORTON, Peter. Introdução a Informática. São Paulo: Makron Books, TORRES, Gabriel. Hardware: Curso completo. Axcel Books, JORGE, Marcos (coord.). Excel Makron Books, TINDOU, Rodrigues Quintela. Power Point XP. Escala Ltda, Apostilas disponíveis em Informações adicionais: Software(s) de apoio: Diversos softwares, MS Office, OpenOffice. Componente Curricular: INTRODUÇÃO AO AGRONEGÓCIO Competência: Compreender o agronegócio em suas bases formadoras e conhecer suas propriedades para implantar e gerenciar com sucesso as suas atividades. Habilidades: Conceituar o agronegócio; Conceituar cadeias produtivas; Desenvolver os conceitos que são presentes no dia-a-dia do agronegócio; Entender os sistemas agropecuários; Conceituar os diversos momentos do agronegócio no decorrer do tempo. Bases Tecnológicas: Histórico do agronegócio. Caracterização do agronegócio no Brasil. O agronegócio e PIB. Principais cadeias produtivas regionais. O agronegócio nos dias atuais; Integração vertical e horizontal; Pólos e clusters. 13

14 Procedimentos metodológicos e Recursos Didáticos: Aulas dialogadas, leitura dirigida, discussão, exercícios em sala de aula, estudos de casos, visitas técnicas a empresas de agronegócios. Utilização de projetor multimídia e quadro branco. Avaliação: Avaliação em caráter contínuo, mediante atividades orais e escritas, individuais e em grupo. Bibliografia: ARAÚJO, Massilon J. Fundamentos de agronegócios. São Paulo: Atlas, GEPAI. Gestão agroindustrial. 3. ed. São Paulo: Atlas, SANTOS, Gilberto José dos, et al. Administração de custos na agropecuária. 3. ed. São Paulo: Atlas, STÉDILE, João Pedro. A questão agrária no Brasil. São Paulo: Atual, ZYLBERSZTAJU, Decio & Neves, Marcos Fava (orgs). Economia e gestão dos negócios agroalimentares: indústria de insumos, produção agropecuária, distribuição. São Paulo, Componente Curricular: INGLÊS INSTRUMENTAL Competência: Utilizar técnicas de comunicação, redação e leitura, em inglês, para explorar, entender e interpretar aspectos da economia internacional relacionados com o agronegócio. Habilidades: Adquirir noções do idioma inglês. Conhecer as técnicas de aprendizagem da língua inglesa. Conhecer as principais publicações inglesas relacionadas com o agronegócio. Fazer leitura e interpretação de textos relacionados com agronegócio. Conhecer técnicas de conversação no idioma inglês. Bases Tecnológicas: Estruturas gramaticais; vocabulário técnico; formação de palavra (sufixos e prefixos); tempos verbais. Aspectos morfológicos e sintáticos pertinentes à compreensão de textos; Estabelecimento de relações entre informações explícitas e implícitas, e entre elementos da sentença; Tempos verbais simples e complexos; O dicionário de língua inglesa. 14

15 Procedimentos metodológicos e Recursos Didáticos: Aulas expositivas e dialogadas; leitura, tradução e interpretação de textos dinâmicos e/ou interativos. Utilização de projetor multimídia e quadro branco; internet; CDs e DVDs; estudo de textos previamente programados. Avaliação: contínua, através de avaliações e atividades em sala de aula. Bibliografia: ACEVEDO, Ana; DUFF, Marisol with REZENDE, Paulo. Grand Slam Combo. Pearson Education, Dicionário Inglês Português e Português Inglês. FERRARI, Mariza & RUBIN, Sarah G. Inglês. De Olho no mundo do trabalho. São Paulo; Scipione, AUN, Eliana et al. - Inglês para o ensino médio. 1. ed. São Paulo: Saraiva, Componente Curricular: LOGISTICA E EMPREENDEDORISMO NO AGRONEGÓCIO Competência: Interpretar as informações de mercado buscando identificar as oportunidades de empreendimentos agropecuários e utilizar técnicas de logística no planejamento e implantação de uma atividade agropecuária. Habilidades: Organizar-se para as oportunidades, para conhecer os valores e para atender às necessidades do mercado Identificar o mercado concorrente e fornecedor mercadológicos e econômicos Levantar informações quantitativas e financeiras sobre o desempenho de mercado, produto, custos e demais dados, visando apoiar o processo de estudos mercadológicos e econômicos Manipular informações financeiras e contábeis: custos, preços de venda, margem de contribuição, despesas e investimentos Elaborar fluxo de caixa e definir capital de giro Descrever o conhecimento, as habilidades e as atitudes do comportamento empreendedor Elaborar e apresentar as análises dos pontos fortes e das oportunidades, dos pontos fracos e ameaças dos projetos de negócios. Entender a dinâmica das atividades primárias e de apoio; Verificar o nível do serviço logístico; 15

16 Bases Tecnológicas: Pesquisa de mercado: captação de necessidades do mercado local; Estudo da concorrência: pontos fortes e fracos; Elaboração do Plano de Negócio; Políticas de financiamento ao empreendedor rural; Ativos e passivos contábeis; Patrimônio bruto; Patrimônio líquido; Custos de produção e preço de venda; Margem de lucro e de prejuízo; Elementos do fluxo de caixa; Análise do perfil do empreendedor Procedimentos metodológicos e Recursos Didáticos: Aulas expositivas; visitas técnicas; análise de estudos de casos; resolução de exercícios; seminários, atividades em grupo e individuais. Utilização de projetor multimídia e quadro branco. Avaliação: De caráter contínuo, utilizando-se de avaliações individuais ou em grupo, mediante aplicação de testes de conhecimento escrito ou oral. Bibliografia: BERNARDI, Luis Antonio. Manual de empreendedorismo e gestão: fundamentos, estratégias e dinâmicas. São Paulo: Atlas, SALIM, César et al. Adminstração empreendedora: teoria e prática usando o estudo de casos. Rio de Janeiro: Elsevier, GHOSHAL, Sumantra. Estratégia e gestão empresarial: construindo empresas brasileiras de sucesso. Rio de Janeiro: Elsevier, DOLABELA, F. Ofina do empreendedor. São Paulo: Cultura Editores Associados, GUIA PEGN: COMO MONTAR SEU PRÓPRIO NEGÓCIO. Editora Globo, LODISH, L. M.; MARBAM, H.L.; KALLIANPUR, A. Empreendedorismo e marketing: lições do curso de MBA da WHARTON. Trad. Roberto Galman. RJ: Elsevier, SILVA, Carlos Arthur Barbosa da. Projetos de empreendimentos agroindustriais: produtos de origem animal. Viçosa: UFV,

17 ÀREA: Agropecuária Carga horária: 300 h Sub-Área: Agronegócio MÓDULO: GESTÃO AGROPECUÁRIA Titulo da Qualificação: Assistente em Gestão Agropecuária Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO APLICADA AO AGRONEGÓCIO Competência: Implantar e gerenciar sistemas de produção agropecuária, buscando a eficiência e o desenvolvimento socioeconômico com base em técnicas administrativas. Habilidades: Coletar e interpretar corretamente as informações de mercado relacionadas com a atividade agropecuária que gerencia; Conhecer a legislação pertinente a administração rural; Desenvolver mecanismos de avaliação da qualidade; Conhecer a estrutura física e de pessoal necessária à atividade agropecuária implantada; Dominar as técnicas de tomada de decisões; Estabelecer um bom relacionamento interpessoal; Fazer projeções de investimentos agropecuários. Bases Tecnológicas: Qualidade total aplicada ao agronegócio: 5 s : senso de utilização, senso de ordem, senso de limpeza, senso de padronização, senso de autodisciplina; Análise do ambiente externo (oportunidades e ameaças); Análise do ambiente interno (pontos fortes e fracos); Construção do organograma; Características da empresa rural; O processo de tomada de decisão; Investimentos iniciais: orçamento de produção, custos fixos e variáveis; Análise de custos; Introdução à Administração Financeira: percepção do lucro, investimentos em fundos de renda fixa e fundos de renda variável; Liderança pessoal e organizacional; Hierarquia organizacional Gestão de pessoal. Procedimentos metodológicos e Recursos Didáticos Aulas expositivas e dialogadas; aplicação de dinâmicas de grupos que abordem os temas centrais da ementa; estudos de casos; apresentação de seminários e visitas técnicas. Utilização de projetor multimídia, quadro branco e textos previamente selecionados. 17

18 Avaliação: De caráter contínuo, mediante avaliações individuais ou em grupo, escritas ou orais, além de atividades em sala de aula, válidas como pontuação complementar aos testes de conhecimento. Contará ainda como válida, para efeitos avaliativos, a interação do estudante com a disciplina através da participação do mesmo em sala de aula. Bibliografia: BARBOSA, Jairo Silveira. - Administração rural a nível de fazendeiro. São Paulo: Nobel, BRAGA, Robeto. Fundamentos e técnicas de administração financeira. São Paulo: Atlas, CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à administração geral. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações: edição compacta. 3. ed. rev., atual. Rio de Janeiro: Elsevier; GITMAN, Lawrence J. Princípios de administração financeira. 7. ed. São Paulo: Editora Harbra, MAXIMIANO, Antonio César Amaru. Introdução à Administração. 5. ed. ver. e ampl. São Paulo: Atlas, MONTANA, Patrick J. Administração, tradução Cid Knipel Moreira; revisão técnica Álvaro Pequeno da Silva. 2. ed. São Paulo: Saraiva, SANVICENTE, Antonio Zorato. - Administração financeira. 3. ed. São Paulo: Atlas, WESTON, J. Fred & BRIGHAM, Eugene F. Fundamentos da administração financeira. 10. ed. São Paulo: pearson Makron Books, ZUGMAN, Fábio. Administração para profissionais liberais. Rio de Janeiro: Elsevia, ARRUDA, Maria Cecília de - Código de Ética - Editora Negócio.2002.SP. DUTRA, Joel Souza- Gestão de Pessoas- Editora Atlas.2002.SP 18

19 Componente Curricular: ECONOMIA APLICADA AO AGRONEGÓCIO Competência: Determinar receita e lucro de um empreendimento agropecuário, buscando a otimização de insumos e recursos humanos através da teoria da produção. Identificar os principais conceitos econômicos que possibilitem a análise das questões econômicas e de influencia no desempenho do agronegócio. Habilidades: Sistema capitalista e socialista; Conceituar Oferta, Demanda, mercado e preço de equilíbrio; A função produção: produto médio e produto marginal; Teoria dos Custos: custos no curto e no longo prazo, custos fixos e variáveis, conceito de oportunidade e custos irrecuperáveis; Teoria da Determinação da Renda: função consumo e a renda de equilíbrio; Conceitos: concorrência perfeita, concorrência monopolista, monopólio e oligopólio; Conceituar: PIB, PNB; atividades produtivas; Política monetária, taxa de juros, taxa de cambio, inflação e suas causas, inflação e desenvolvimento econômico; Balança de pagamento, teoria do comercio internacional, políticas comerciais, finanças internacionais. Bases Tecnológicas: Sistema econômico; Conceitos microeconômicos: o Demanda, oferta e mercado; Produção, custos e rendimentos; Estruturas de Mercado; Conceitos macroeconômicos: o Medidas agregadas; Moeda e preço: o Juros e inflação; Economia aberta: Procedimentos metodológicos e Recursos Didáticos: Aula dialogada, leitura dirigida, estudos de casos, discussão e exercícios individuais e/ou em grupo. Utilização de quadro branco, projetor multimídia, internet e textos previamente selecionados. Avaliação: Contínua, podendo ocorrer individualmente ou em grupo, com aplicação de testes de conhecimento ou outras atividades avaliativas, tais como apresentação de seminários. Avalia-se ainda a participação do estudante em sala de aula. 19

20 Bibliografia básica: FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 32º Ed. São Paulo. Companhia Editora Nacional, MANKIW, N. G. Introdução à Economia: Princípios de micro e macroeconomia. 2ª ed. Rio de janeiro: Campus, MENDONÇA, Marina Gusmão de. Formação econômica do Brasil. 1º Ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, PRADO JUNIOR, Caio. História econômica do Brasil. 45 reimp. São Paulo: Brasiliense,1998. REGO, José Marcio & Marques, Rosa Maria. Economia Brasileira. 2 ed. São Paulo: Saraiva, ROSSETI, José Paschoal. Introdução à Economia. São Paulo, Atlas, SILVA, Adelphino Teixeira da. Iniciação à Economia. São Paulo:Atlas, SILVA, César Roberto Leite da. Economia e mercados: introdução a economia. 18 Ed. Reform. São Paulo: Saraiva, SOUZA, Nali de Jesus de. Curso de Economia. São Paulo: Atlas, TROSTER, Roberto Luis. Introdução à economia. São Paulo: Pearson Makron Books, VASCONCELOS, Marco Antonio Sandoval de. Economia: micro e macro: teoria e exercícios. 3. ed. São Paulo: Atlas, WESSELS, Walter. J. Economia. São Paulo: Saraiva, BACHA, Carlos José Caetano. Economia e política agrícola no Brasil. São Paulo: Atlas, CRESPO, Antonio Arnot. Matemática comercial e financeira fácil. 13. ed. São Paulo: Saraiva,

Centro Estadual de Educação Profissional Arlindo Ribeiro

Centro Estadual de Educação Profissional Arlindo Ribeiro 1 Centro Estadual de Educação Profissional Arlindo Ribeiro 1. PRODUÇÃO ANIMAL Carga horária total: 400 h/a - 333 h APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA: a disciplina de produção animal é essencial ao currículo do

Leia mais

Produção Animal. Prof. Eduardo Brum Schwengber

Produção Animal. Prof. Eduardo Brum Schwengber Produção Animal Prof. Eduardo Brum Schwengber I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso Superior de Tecnologia em Agronegócio Carga Horária Teórica: 60 II EMENTA Noções básicas sobre produção de bovinos de corte.

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales - SP EE: Eixo Tecnológico: Recursos Naturais Habilitação

Leia mais

Curso de MBA. Especialização em GESTÃO SUSTENTÁVEL DO AGRONEGÓCIO (COM ÊNFASE NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO)

Curso de MBA. Especialização em GESTÃO SUSTENTÁVEL DO AGRONEGÓCIO (COM ÊNFASE NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO) Curso de MBA Especialização em GESTÃO SUSTENTÁVEL DO AGRONEGÓCIO (COM ÊNFASE NO NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO) 1 2 SUMÁRIO 4. FORMATO. 5. CONCEPÇÃO. 7. OBJETIVO. 7. PÚBLICO ALVO. 8. DIFERENCIAIS INOVADORES

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de

Leia mais

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV

SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV SÍNTESE BARRA DO GARÇAS RP IV Realizar projetos para destinação de resíduos sólidos * Meio Ambiente Desenvolver programas de educação ambiental Apresentar pequenos e médios projetos de recuperação (seqüestro

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec ETEC Dr. José Luiz Viana Coutinho Município: Jales Município: Jales Eixo Tecnológico: Recursos Naturais Componente Curricular:

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição e do Programa Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

Tecnologia em Produção de Grãos

Tecnologia em Produção de Grãos Tecnologia em Produção de Grãos Nível/Grau: Superior/Tecnólogo Vagas: 30 Turno: Matutino Duração: 3 anos mais estágio (7 semestres) Perfil do Egresso O profissional estará capacitado para: Produzir grãos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales - SP EE: Eixo Tecnológico: Recursos Naturais Habilitação

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC. Apresentação do Curso. Especialista M.B.A em Gestão de Pessoas

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC. Apresentação do Curso. Especialista M.B.A em Gestão de Pessoas PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de AUXILIAR ADMINISTRATIVO. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de AUXILIAR ADMINISTRATIVO. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional Missão do Curso A função primordial do Engenheiro Agrônomo consiste em promover a integração do homem com a terra através da planta e do animal, com empreendimentos de interesse social e humano, no trato

Leia mais

ANEXO I- (Quadro de Vagas com as respectivas codificações)

ANEXO I- (Quadro de Vagas com as respectivas codificações) ANEXO I- (Quadro de Vagas com as respectivas codificações) P1 Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Recursos Humanos, Auxiliar Financeiro. Fundamentos da administração, Recursos humanos e departamento de

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Controle Financeiro. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Controle Financeiro. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

I PERÍODO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO. Disciplina: Administração em Agronegócios

I PERÍODO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO. Disciplina: Administração em Agronegócios I PERÍODO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO Disciplina: Administração em Agronegócios A evolução do setor agrícola brasileiro. Os ciclos da agricultura brasileiro. A modernização da agricultura. O crescimento

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Qualificação: Sem certificação técnica. Componente Curricular: Planejamento Financeiro e Orçamentário

Plano de Trabalho Docente 2010. Qualificação: Sem certificação técnica. Componente Curricular: Planejamento Financeiro e Orçamentário Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEC RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: Bauru Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística Qualificação: Sem certificação

Leia mais

PLANO DE CURSO. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

PLANO DE CURSO. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal PLANO DE CURSO Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição e do Programa Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário

Leia mais

Agronegócios: conceitos e dimensões. Prof. Paulo Medeiros

Agronegócios: conceitos e dimensões. Prof. Paulo Medeiros Agronegócios: conceitos e dimensões Prof. Paulo Medeiros Agricultura e Agronegócios Durante milhares de anos, as atividades agropecuárias sobreviveram de forma muito extrativista, retirando o que natureza

Leia mais

ZOOTECNIA - SEQUÊNCIA IDEAL DO CURSO E PRÉ-REQUISITOS

ZOOTECNIA - SEQUÊNCIA IDEAL DO CURSO E PRÉ-REQUISITOS ZOOTECNIA - SEQUÊNCIA IDEAL DO CURSO E PRÉ-REQUISITOS 1º PERÍODO Obrigatória ou Carga Horária Anatomia dos Animais Domésticos Obrigatória 60 - Biologia geral animal Obrigatória 60 - Biologia geral vegetal

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS FLORIANÓPOLIS CONTINENTE PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO FORMAÇÃO CONTINUADA EM GESTÃO

Leia mais

APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PROMOTOR DE VENDAS. Parte 1 (solicitante)

APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PROMOTOR DE VENDAS. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA APROVAÇÃO DO CURSO E AUTORIZAÇÃO DA OFERTA PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA

DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA 06/ 05/ INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO º SEMESTRE 05 ANEXO II EDITAL Nº 8/05 DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS PARA PROFESSOR E FORMAÇÃO NECESSÁRIA Técnico em Redes de Computadores

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Gestão Financeira. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Gestão Financeira. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Resolução 038/2001 CONSEPE

Resolução 038/2001 CONSEPE Resolução 038/2001 CONSEPE Aprova as normas de funcionamento do Curso de Administração do Centro de Ciências da Administração CCA/ESAG. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Custos Operacionais e de Produtos. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Custos Operacionais e de Produtos. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia

Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC. Campus Ceilândia Instituto Federal de Brasília PLANO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA FIC Campus Ceilândia GESTÃO E PRÁTICAS EMPREENDEDORAS PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Ceilândia, Fevereiro de 2014. CURSO DE FORMAÇÃO

Leia mais

SEBRAE/AL Edital 01/2015 ERRATA 02 Credenciamento de Pessoas Jurídicas para compor o Cadastro de Consultores e Instrutores do Sistema SEBRAE

SEBRAE/AL Edital 01/2015 ERRATA 02 Credenciamento de Pessoas Jurídicas para compor o Cadastro de Consultores e Instrutores do Sistema SEBRAE SEBRAE/AL Edital 01/2015 ERRATA 02 Credenciamento de Pessoas Jurídicas para compor o Cadastro de Consultores e Instrutores do Sistema SEBRAE O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC DE MANEJO DE PASTAGENS EM BOVINOCULTURA DE LEITE. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC DE MANEJO DE PASTAGENS EM BOVINOCULTURA DE LEITE. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE S (ÁREA: GESTÃO) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização:A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013

Plano de Trabalho Docente 2013 Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios. Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica de Nível

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM Programa de Educação Tutorial PET 2006 MEC/SESu/DEPEM ANEXO I Proposta

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ZOOTECNIA. PRÉ-REQUISITO e/ou CO-REQUISITO (CR)

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ZOOTECNIA. PRÉ-REQUISITO e/ou CO-REQUISITO (CR) MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ZOOTECNIA Quadro 1- Matriz curricular do curso de zootecnia DISCIPLINA 1º Período Introdução à Zootecnia Nenhum 24 08 32 NC OB Exercício da Profissão de Zootecnista Nenhum

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Planejamento Estratégico. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Planejamento Estratégico. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Palestras Scot Consultoria

Palestras Scot Consultoria Palestras Scot Consultoria índice palestras scot consultoria As melhores e mais fiéis informações de mercado vão até você temas 3 pecuária de corte e seus derivados temas 5 pecuária de leite e derivados

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CÓDIGO DA DISCIPLINA: 020031 PERÍODO: 8º CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: ECONOMIA AGRÍCOLA

1. IDENTIFICAÇÃO 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CÓDIGO DA DISCIPLINA: 020031 PERÍODO: 8º CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: ECONOMIA AGRÍCOLA 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: 020031 PERÍODO: 8º CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: ECONOMIA AGRÍCOLA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DO CURSO: ECONOMIA 2. EMENTA A agricultura

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Planejamento de Marketing. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Planejamento de Marketing. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

Abordar assuntos voltados à Economia, seu objetivo e problemas econômicos básicos;

Abordar assuntos voltados à Economia, seu objetivo e problemas econômicos básicos; 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 2º CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO À ECONOMIA NOME DO CURSO: ECONOMIA 2. EMENTA Conceituação básica. Evolução

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

PLANO DE CURSO. Código: DIR00 Carga Horária: 60 horas Créditos: 03 Pré-requisito(s): - Período: 1º Ano: 2015.1

PLANO DE CURSO. Código: DIR00 Carga Horária: 60 horas Créditos: 03 Pré-requisito(s): - Período: 1º Ano: 2015.1 PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Curso: Bacharelado em Direito Disciplina: Economia Política Professor: Arivaldo Ferreira de Jesus E-mail: arivaldo.jesus@fasete.edu.br Código: DIR00 Carga Horária:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO)

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) Ingressantes a partir de 2015 1º SEMESTRE HORAS 2º SEMESTRE HORAS Introdução à Engenharia Agronômica 60 Metodologia Científica 60 Álgebra Linear 60 Desenho

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação:

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Assistente de Planejamento e Controle de Produção

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Assistente de Planejamento e Controle de Produção MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO

TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO CONTEÚDOS CURRICULARES Disciplina: Administração Rural Administração rural: Conceitos em geral, Principais teorias e funções administrativas, Diagnóstico e análise de ambientes;

Leia mais

Caprinocultura, Ovinocultura e Eqüideocultura. OBRIG./OPT. PRÉ/CO/REQUISITOS ANUAL/SEM. Obrigatória Alimentos e Alimentação 2007/2

Caprinocultura, Ovinocultura e Eqüideocultura. OBRIG./OPT. PRÉ/CO/REQUISITOS ANUAL/SEM. Obrigatória Alimentos e Alimentação 2007/2 PROGRAMA DE - CAPRINOCULTURA, OVINOCULTURA E EQUIDEOCULTURA CAMPUS: Alegre CURSOS: Medicina Veterinária HABILITAÇÃO: Bacharelado OPÇÃO: DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Zootecnia IDENTIFICAÇÃO: CÓDIGO DISCIPLINA

Leia mais

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Fiscal Federal Agropecuária

Leia mais

PLANO DE CURSO. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

PLANO DE CURSO. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição PLANO DE CURSO Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01. Código: CTB - 140 CH Total: 60 Pré-requisito:

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01. Código: CTB - 140 CH Total: 60 Pré-requisito: Componente Curricular: Economia CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria no 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Código: CTB - 140 CH Total: 60 Pré-requisito: Período Letivo: 2015.2 Professor:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE REGISTRO E CONTROLE ACADÊMICO EMENTA DE DISCIPLINA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO DIRETORIA DE REGISTRO E CONTROLE ACADÊMICO EMENTA DE DISCIPLINA EMENTA DE DISCIPLINA EMENTA (Síntese do Conteúdo): De que trata a economia; o mercado, preços e elasticidades; a empresa e a produção; custos de produção; maximização do lucro e oferta; mercado imperfeito;

Leia mais

GERED - ARARANGUÁ DISCIPLINA PARA INSCRIÇÃO PROVA HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA

GERED - ARARANGUÁ DISCIPLINA PARA INSCRIÇÃO PROVA HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA GERED - ARARANGUÁ PROVA DISCIPLINA PARA INSCRIÇÃO CÓDIGO CONTABILIDADE CONTABILIDADE 433 DIREITO DIREITO E LEGISLAÇÃO 453 AGRONEGÓCIO ASSOCIATIVISMO E COOPERATIVISMO SISTEMAS AGROALIMENTARES GESTAO III-

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Planejamento e Controle de Estoque. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Planejamento e Controle de Estoque. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Comunicação e Atendimento ao Cliente. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Comunicação e Atendimento ao Cliente. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

GERED - ARARANGUÁ PROVA DISCIPLINA PARA INSCRIÇÃO CÓDIGO HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA

GERED - ARARANGUÁ PROVA DISCIPLINA PARA INSCRIÇÃO CÓDIGO HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA GERED - ARARANGUÁ PROVA DISCIPLINA PARA INSCRIÇÃO CÓDIGO HABILITAÇÃO MÍNIMA EXIGIDA CONTABILIDADE CONTABILIDADE 433 Habilitado - Diploma e Histórico Escolar de Curso Superior em Ciências Contábeis, Administração,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

Ementário do Curso Técnico em AGROPECUÁRIA Campus Nilo Peçanha - Pinheiral

Ementário do Curso Técnico em AGROPECUÁRIA Campus Nilo Peçanha - Pinheiral Ementário do Curso Técnico em AGROPECUÁRIA Campus Nilo Peçanha - Pinheiral Disciplina: Agroindústria EMENTA: Introdução à Agroindústria; Importância das boas práticas de fabricação- BPF s. Valor nutricional

Leia mais

A Matriz curricular do curso de Engenharia Agronômica das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul fica estabelecida da seguinte forma:

A Matriz curricular do curso de Engenharia Agronômica das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul fica estabelecida da seguinte forma: 5.2 Objetivo do Curso Capacitar o aluno para que se torne um profissional com habilidades para produzir mais e melhor, com competência para gerenciar e gerar tecnologias que reduzam os impactos negativos

Leia mais

A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES

A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES A EXO 2 - LISTA DE VAGAS - DOCE TES Campus Graduação na área de Artes Ministrar aulas em disciplinas relacionadas à área de Artes em geral. Desenvolver projetos e atividades extra-curriculares nas Artes

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: ECONOMIA PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: ECONOMIA PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: ECONOMIA Código: DIR-141 Pré-requisito: ---- Período Letivo: 2015.2 Professor: Edilene de

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Dr. Francisco Nogueira de Lima Código: 059 Município: Casa Branca Eixo Tecnológico: Saúde, Ambiente e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Segurança

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Engenheiros Agrônomos e Florestais, Biólogos, profissionais de nível superior da área de Fitossanidade.

Engenheiros Agrônomos e Florestais, Biólogos, profissionais de nível superior da área de Fitossanidade. OBJETIVO O curso de MBA-IAC em Fitossanidade objetiva reunir conhecimentos sobre Fitossanidade, segurança na agricultura, gestão de pessoas e comunicação, com abordagem teórica e prática. O curso trará

Leia mais

MBA Gestão Estratégica do Agribusiness

MBA Gestão Estratégica do Agribusiness MBA Gestão Estratégica do Agribusiness Inscrições Abertas: Início das aulas: 24/08/2015 Término das aulas: 24/08/2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às 22h30 Semanal Quarta-Feira 18h30

Leia mais

Curso de Administração Informações da Disciplina: Administração da Produção I

Curso de Administração Informações da Disciplina: Administração da Produção I Administração da Produção I Apresentar aos alunos do curso de Administração de Empresas os fundamentos da Administração da Produção e Operações, fornecendo-lhes uma visão geral do conteúdo desta disciplina,

Leia mais

Perfil do Curso. O Mercado de Trabalho

Perfil do Curso. O Mercado de Trabalho Perfil do Curso É o gerenciamento dos recursos humanos, materiais e financeiros de uma organização. O administrador é o profissional responsável pelo planejamento das estratégias e pelo gerenciamento do

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário Centros de Excelência em Educação PAP 2013/2014 Profissional e Assistência Técnica Rural

Plano Agrícola e Pecuário Centros de Excelência em Educação PAP 2013/2014 Profissional e Assistência Técnica Rural Plano Agrícola e Pecuário Centros de Excelência em Educação PAP 2013/2014 Profissional e Assistência Técnica Rural ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Premissas Gerais Centros nacionais de educação

Leia mais

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO

PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS 1. O CENÁRIO DO SETOR AGROPECUÁRIO BRASILEIRO A economia brasileira tem passado por rápidas transformações nos últimos anos. Neste contexto ganham espaço novas concepções, ações

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Código da Disciplina: ZOO 05453 Disciplina: Bovinocultura de Leite PROGRAMA DA DISCIPLINA CAMPUS: Alegre CURSO:

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM VIVEIRICULTOR. EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais CATALÃO GO JANEIRO - 2014

PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM VIVEIRICULTOR. EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais CATALÃO GO JANEIRO - 2014 PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM VIVEIRICULTOR EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais Carga Horária: 160 horas CATALÃO GO JANEIRO - 2014 SUMÁRIO 1- Justificativa (Acrescentar e repaginar) Objetivo...3

Leia mais

3.1. Curso: Auxiliar de Recursos Humanos

3.1. Curso: Auxiliar de Recursos Humanos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC EDITAL PROFESSOR INTERNO - Nº 09/2014

Leia mais

Ensino Técnico. Qualificação: Qualificação Técnica de Nível Médio de Assistente Administrativo

Ensino Técnico. Qualificação: Qualificação Técnica de Nível Médio de Assistente Administrativo Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS - SP Eixo Tecnológico: Gestão & Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

Realização: PROGRAMA DO CURSO Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA

Realização: PROGRAMA DO CURSO Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA Realização: PROGRAMA DO CURSO Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA Parceria: Programa do curso Gestão da Pecuária de Corte Marabá, PA O curso Gestão da Pecuária de Corte oferece ao participante conhecimento

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS - Campus Zona Leste

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS - Campus Zona Leste INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS - Campus Zona Leste CICLO DE FUNDAMENTAÇÃO 1º. Semestre Semestre 442 h/ semanal 26 h EIXO TEMÁTICO Eixo DISCIPLINAS disciplinas Tipo INTRODUÇÃO A ATIVIDADE

Leia mais

Comunicado Edital 07/2013 IPIRANGA DO NORTE

Comunicado Edital 07/2013 IPIRANGA DO NORTE Comunicado Edital 07/2013 A Comissão de Seleção do PRONATEC Campus Sorriso, designada pelas Portarias nº 020/2013, nº 024/2013 e 026/2013 serve-se do presente para publicar o Resultado Preliminar de Análise

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO Código: ADM-353 Pré-requisito: --- Período Letivo: 2015.1 Professor:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) Viveirista de Plantas e Flores Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 8º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 8º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Acompanhamento aos Projetos de Pesquisa II Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 8º 1 - Ementa (sumário, resumo) Espaço destinado

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Vendas FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) Montador e Reparador de Computadores Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CAMPUS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CAMPUS 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ CAMPUS IGUATU DIRETORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO COMISSÃO PERMANENTE DE ADMISSÃO Edital Nº. 02 / 2015 A Diretoria Geral do Campus

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 4, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 4, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 4, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Aprova as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Zootecnia

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria de

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Economia I ADM 047. 72h 2º

EMENTA / PROGRAMA DE DISCIPLINA. ANO / SEMESTRE LETIVO Administração 2015.2. Economia I ADM 047. 72h 2º Faculdade Anísio Teixeira de Feira de Santana Autorizada pela Portaria Ministerial nº 552 de 22 de março de 2001 e publicada no Diário Oficial da União de 26 de março de 2001. Endereço: Rua Juracy Magalhães,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO

Leia mais

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS.

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. Graciela Rodrigues Trindade (1) Bacharel em Gestão Ambiental formada

Leia mais