@BANDA.LARGA PROJECTO. Relatório nº1. Portal Português de Ciência e Cultura Científica.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "@BANDA.LARGA PROJECTO. Relatório nº1. Portal Português de Ciência e Cultura Científica. www.mocho.pt"

Transcrição

1 Portal Português de Ciência e Cultura Científica Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Relatório nº1 Coimbra, 08 de Dezembro de 2005

2 ÍNDICE NOTA INICIAL...3 PÁGINA DE COORDENAÇÃO DO PROJECTO...4 ESQUELETO DO ECRÃ PARA SUPORTE DE VÍDEOS, SIMULAÇÕES E TEXTOS DE ACOMPANHAMENTO...6 DESCRIÇÕES DAS ZONAS DO PROJECTO COM ACTIVIDADE Conteúdos/aplicações para alunos Conteúdos/aplicações para formação e apoio a professores Conteúdos/aplicações para pais e encarregados de educação Conteúdos/aplicações para o público em geral ACTIVIDADES FUTURAS...25 RELANÇAMENTO DO NOVO MOCHO IMPRENSA...27 CONCLUSÃO

3 Nota Inicial Este relatório surge na sequência do desenvolvimento das actividades relacionadas com o Mocho Como programado, as várias frentes do projecto têm tomado corpo. A visibilidade do portal está também incrementada, em particular, com o relançamento do novo mocho 2005 (que teve como grande destaque de apresentação, a implementação da Mocho ). O Mocho toma já um novo e mais sofisticado rumo, como se constata ao longo deste relatório intercalar. Os conteúdos constantes deste relatório 1 integram e ampliam as referências do relatório anterior (a que chamámos relatório zero ). De uma forma geral, seguiram-se as planificações propostas, a menos de alguns ajustes de ritmo em alguns sub-projectos (uns mais avançados do que o previsto e outros mais atrasados). Por exemplo, como previsível, os laboratórios de acesso remoto (1.2 e 2.2), por dependerem de estratégias e tecnologia muito sensíveis, estão mais atrasados. Já a parte de conferências de divulgação científica (4.2) e o Hiperlivro digital (2.7), por questões de oportunidade, encontram-se praticamente concluídos. No presente relatório abstemo-nos de grandes descrições textuais, preferindo imagens simbólicas e resumos sintéticos, recomendando a visualização integral on line. 3

4 Página de coordenação do projecto Iniciámos e concluímos a página web que suportará todas as iniciativas associadas ao projecto Mocho À medida que as sub-áreas vão sendo concluídas, colocam-se links directos para a página principal do Mocho, em A página de alojamento do projecto está acessível em Estamos a construir um backoffice, de visualização restrita, para controlar esta página. As sub-áreas que estão no momento dinamizadas são facilmente reconhecidas através da utilização de cor no seu logótipo. 4

5 No portal Mocho há chamadas de atenção para o Mocho quer para a página geral, no seu todo, quer para sub-áreas específicas, mais desenvolvidas: 5

6 Esqueleto do ecrã para suporte de vídeos, simulações e textos de acompanhamento Continuámos a construção do esqueleto do ecrã para suporte de vídeos, simulações e textos de acompanhamento. Esta estrutura servirá a vários itens do projecto. 6

7 Descrições das zonas do projecto De seguida descrevem-se as várias áreas do projecto, umas com material visível (ícone a cores) e outras que, embora em desenvolvimento, não possuem ainda a materiais em condições de serem exibidos. 1. Conteúdos/aplicações para alunos 7

8 Os alunos são o principal público-alvo do sistema educativo. Qualquer intervenção que se faça na área da educação científica deve ter em especial consideração os alunos dos vários graus de ensino. Pensando directamente nos alunos, realizar-se-ão as seguintes actividades: Está neste momento disponível uma aula do Professor Carlos Fiolhais, em formato vídeo, gravada na Escola Secundária da Batalha, onde, através de um diálogo com o professor, os alunos ficam a saber mais sobre ciência. Está previsto a gravação de mais algumas aulas sobre tópicos particularmente interessantes, que sejam capazes de cativar a atenção e despertar a curiosidade dos alunos. 8

9 Há dois projectos distintos em desenvolvimento: um relativo ao ensino da Física e outro relativo ao ensino da química, no domínio da Astroquímica. Em ambos os casos são realizadas experiências em laboratórios mais ou menos sofisticados, com acesso a controlo de dados do exterior. ce Uma das professoras que connosco colabora, encontra-se a trabalhar num projecto designado por ce ( na comunidade escolar). Inicialmente era nossa intenção desenhar e construir uma plataforma de através da qual a comunidade tomasse corpo e à qual se pudesse aceder de qualquer computador ligado à Internet. Tomámos entretanto contacto com a plataforma «Desknow» e elegemo-la para utilizar no projecto, quer pelas suas características técnicas quer pelas possibilidades que encerra e que vão ao encontro do que desejamos, tais como, para além da gestão do correio electrónico, a disponibilização de recursos potenciadores de interacções colaborativistas como fóruns, pastas on-line para armazenamento de documentos, calendário para organização de eventos e/ou compromissos, listas de contactos e anúncios (mensagens curtas que aparecem por default no ecrã depois de entrar na plataforma) ver figura abaixo. 9

10 Personalizámos a plataforma dando-lhe o nome de Projecto ce ( na comunidade escolar) que lido em português soa a reflexão associando a ideia de que escrever nos permite pensar mais e melhor nas coisas e nas pessoas. Embora o projecto dependa da plataforma só queremos que ela se constitua um possível veículo, um ambiente que nos permitirá perpetuar a presença física para além das relações presenciais, transformando-a por via da tecnologia numa (co)presença e numa (co) pertença, pois como diz Salomon in and of itself, technology improves nothing. Na Internet, em 1.3, está disponível a caracterização da comunidade educativa envolvida no estudo e alguns resultados da análise dos questionários. O projecto de cujo início no terreno este tópico pretende dar conta é pela sua natureza um estudo de caso. É uma experiência de terreno que envolve uma turma do 9º ano de escolaridade do actual 3º ciclo do ensino básico e a sua directora de turma que de entre outros professores contactados aceitou por ónus próprio envolver-se no projecto. Foi-lhe por esse efeito atribuída a Direcção da referida turma estando no projecto numa dupla função de professora de Ciências Físico-Químicas e de DT. A investigadora é a administradora da plataforma e para além de um primeiro contacto presencial com os alunos para dar conta do projecto, só mantém com eles comunicação via . As interacções da investigadora com os alunos têm sido até agora de natureza técnica ou de ligação com a Dt e com outros dois professores e com a psicóloga estagiária da escola que aderiram ao projecto posteriormente. A investigadora para além do contacto diário com a DT por reúne-se semanalmente com ela e sugere pistas de motivação para uso da plataforma segundo o modelo de Gilly Salmon.. Neste momento estamos a sair da 10

11 fase de acesso e motivação (ultrapassadas que estão algumas debilidades técnicas e disponibilizadas as três ligações de Internet aos alunos que as não tinham) e a passar à de socialização on-line. Todos os alunos já acedem regularmente na plataforma quer colocando anúncios, quer participando em fóruns que eles próprios criaram quer enviando mensagens individuais uns aos outros. Estão disponíveis as ligações às páginas sobre olimpíadas de Física, Química e Matemática, onde se pode obter informações sobre estas competições juvenis bem como aceder a um conjunto de problemas devidamente seleccionados (e respectivas resoluções). Estamos a desenvolver algumas quizzes com estas questões. Estão disponíveis os exames nacionais, no formato de quizzes, das disciplinas de Física, Química e Matemática. Estes conteúdos permitem uma melhor preparação dos alunos para futuras provas, nomeadamente para provas nacionais de ciências, possibilitando uma autoavaliação dos conhecimentos já adquiridos. 11

12 Existem já quizzes no domínio da Física, Química e Matemática. 2. Conteúdos/aplicações para formação e apoio a professores A existência de professores qualificados é uma condição essencial para o sucesso educativo. Assim, pensamos criar e proporcionar conteúdos e aplicações para utilizar em acções de formação contínua para professores de ciências do ensino básico e secundário (com ênfase particular nos novos programas de ciências) e para apoio à utilização/integração das novas tecnologias nas aulas. 12

13 Está em fase de preparação uma Vídeo-Conferência no âmbito da Física ou da Química a realizar numa escola da zona de Coimbra. É uma oportunidade para dar a conhecer aos nossos alunos as novas tecnologias no ensino das Ciências e também uma possibilidade para os alunos puderem ver satisfeitas algumas curiosidades sobre as Ciências, através do diálogo com conceituados professores da área. Estão disponíveis demonstrações em formato vídeos seleccionadas entre as actividades que constam dos programas de ciências do ensino básico e secundário. Podemos encontrar dois vídeos sobre a Chuva ácida e o Ciclo do Cobre. Além do projecto ce, referido em 1.3 e com o envolvimentos dos encarregados de educação, está disponível no nosso servidor a plataforma denominada moodle. Esta aplicação permitirá exercitar capacidades de comunicação (discussão, explicação, síntese, etc.), de trabalho em equipa e de avaliação interpares. Já se desenvolvem 13

14 experiências no ensino superior e estão a começar experiência com o moodle no ensino básico. Encontra-se disponível uma ligação para o site Água Virtual que tem como objectivo ser um ambiente virtual para o estudo da Física e da Química, abrangendo conceitos sobre fases, transições de fase, orbitais atómicas do hidrogénio e orbitais moleculares, reunidos a propósito da água. 14

15 Estas páginas permitem aos professores organizarem e disponibilizarem conteúdos aos seus alunos. Está a ser esboçado um novo backoffice para as páginas de gestão pessoal, que permitirá uma gestão mais flexível da informação e de muito fácil manuseamento, por parte dos docentes: 15

16 Está disponível um protótipo de hiperlivro digital, uma aplicação que foi desenvolvida para funcionar como organizador e editor de documentos relativos ao ensino e aprendizagem de diversas áreas do conhecimento. Esta ferramenta integra um fórum que incentiva a atitudes e práticas colaborativas. 16

17 3. Conteúdos/aplicações para pais e encarregados de educação São necessários novos hábitos nas famílias portuguesas que possam facilitar a recepção da ciência pelos jovens. Para isso é necessário desenvolver competências dos pais e encarregados de educação no acesso à informação contida na Internet e fomentar a sua ajuda no desenvolvimento das capacidades dos seus educandos. Está disponível um conjunto de experiências simples de ciência, passíveis de realização num ambiente doméstico, estando previsto, num futuro próximo, o processo de filmagens de algumas dessas experiências 17

18 18

19 Estamos a investigar o curricula do ensino básico, no que diz respeito ao ensino das ciências, no sentido organizar recursos associados a vários itens e disponibilizá-los no site, para todos os encarregados de educação interessados. De forma semelhante a 3.2, iremos também disponibilizar artigos e sites, de carácter mais geral, que possam ajudar os pais na (difícil) tarefa de educarem os filhos. 19

20 Estão disponíveis alguns recursos de vários temas científicos que possibilitam ajudar os pais a responder a muitos dos porquês dos seus filhos. Com a concepção de alguns TIPS (Teachers Involve Parents in Schoolwork) os alunos podem, em conjunto com os seus familiares, aprender alguns conteúdos do currículo de Ciências. 20

21 Através da criação do espaço O Mocho Responde pretendemos criar um espaço de esclarecimento de dúvidas sobre temas científicos. O Mocho Responde pretende ser um meio de discussão sobre matérias científicas onde professores, cientistas e público em geral podem expor dúvidas, opiniões, factos e explicações. Poderá colocar questões e responder a questões levantadas por outros. 21

22 Pretende-se ajustar uma nova área de perguntas sobre Pais, educação e escola, capaz de albergar questões e respostas sobre a educação científica (e não só) e os encarregados de educação. 22

23 4. Conteúdos/aplicações para o público em geral Estão disponíveis ligações para a Gazeta de Física da Sociedade Portuguesa de Física, para o Boletim da Sociedade Portuguesa de Matemática e para o Boletim da Sociedade Portuguesa de Química. Estão disponíveis três reportagens em formato de vídeo: - Filosofia, Física e a unidade da Ciência (Olga Pombo); - O futuro da Física Biométrica (Manuel Paiva); - As interfaces entre a Física e a Biologia (Alexandre Quintanilha). Este pretende ser um espaço de artigos de divulgação científica de conhecidos especialistas portugueses estando previstas mais gravações de outras conferências. Está ainda disponível um motor de busca, o Read Ciências, que possibilita a busca de livros on-line, através do uso de palavras chave. 23

24 24

25 Actividades a desenvolver Apresentamos, seguidamente, de forma sucinta, a previsão das actividades a desenvolver até ao final do projecto. Em relação ao projecto inicial, como seria de esperar, há alguns ajustes de calendário: Alunos Descrição Síntese de tarefas com provável desenvolvimento até final de Fornecer 6 aulas de Ciências em vídeo. Filmagem de mais algumas aulas previstas para os próximos meses. 1.2 Criar laboratório de acesso remoto para o Ensino das Ciências (interface para os alunos) (ligação tarefa 2.2 Criar um laboratório de controlo remoto que promova o ensino experimental das ciências através da realização de actividades laboratoriais 1.3 Criar e adaptar aplicações interactivas de comunicação para alunos (ligação tarefa 2.4) Continuação dos trabalhos já desenvolvidos no CE. 1.4 Criar ambiente para resolução conjunta de problemas (disponibilizar material das olimpíadas de Física, matemática) Optimização dos recursos em servidor local. Testes em formato quizzes das Olimpíadas existentes. 1.5 Criar testes e quizzes de apoio aos exames nacionais de 12º ano Testes em Física, Química e Matemática. Praticamente concluído. Professores 2.1 Enriquecer plataforma com vídeo em tempo real (Com sugestões de actividades para os professores) 2.2 Criar laboratório de acesso remoto para o ensino das ciências (novos programas de FQ Ens. Sec.) (ligação tarefa 1.2) 2.3. Vídeos com demonstrações laboratoriais (6), vídeo-streaming, e guias de exploração Em curso a preparação de uma Vídeo-conferência no âmbito da Física ou da Química a realizar numa escola da zona de Coimbra. Criar um laboratório de acesso remoto para o ensino e divulgação das ciências Construção de mais 4 vídeos: dissolução de sais e outros relativos ao programa do 12º ano Desenvolver e adaptar ferramentas interactivas de comunicação (ligação tarefa 1.3) Além do CE, onde intervêm Pais, professores e alunos, utilização mais intensiva do Moodle. 25

26 2.5. Física quântica hoje realidade virtual. Guia de apoio on-line 2.6 Protótipo de páginas de gestão pessoal e profissional 2.7 Criação e disponibilização de um Hiperlivro Digital Praticamente concluído. Desenvolver um protótipo de páginas de gestão pessoal e profissional com a finalidade de albergar páginas para professores. Avanço do backoffice. Praticamente concluído. Pais 3.1 Realizar e disponibilizar em vídeo 6 experiências simples de Ciências Preparação e filmagens das experiências já disponibilizadas no portal. 3.2 Criar versão do currículo de Ciências do Ensino Básico para os pais Criar uma versão do currículo de ciências do ensino básico para os pais. Partindo dos curricua em ciências, no ensino básico, organizar recursos associados. 3.3 Publicar artigos que ajudem os pais a apoiar os seus filhos no estudo das Disponibilização de artigos sobre os Pais e o estudo dos filhos. Ciências 3.4 Recolher e organizar recursos da Internet para os pais Optimização da organização das TIPS já existentes. Disponibilização de mais TIPS. 3.5 Criar espaço de esclarecimento de área de perguntas sobre Pais, educação e escola dúvidas (fórum) Público 4.1 Afixar na Web versões completas das Praticamente concluído. revistas das sociedades cientificas 4.2 Divulgação cientifica para todos Praticamente concluído 4.3 Criar um espaço de colaboração com editoras e com o Museu Nacional da Ciência e da Técnica A colaboração com editoras nacionais que publicam colecções de ciência na divulgação das suas obras. Interacção com o Museu da Física e com o Museu Nacional da Ciência e da Técnica. 26

27 RELANÇAMENTO DO NOVO MOCHO IMPRENSA O Público, Jornal de Negócios, O campeão das províncias, Diário de Coimbra, As beiras, O Primeiro de Janeiro, Rádio Universidade de Coimbra ou a Antena 1 são apenas exemplos de órgãos de comunicação regionais e nacionais que levaram recente mês de Dezembro, o Mocho até todos os Portugueses e não só. Através de uma conferência de imprensa, realizada no Departamento de Física da Universidade de Coimbra, foram apresentadas à comunicação social e demais interessados, todas as novas novidades do portal, de onde se destacam as novas potencialidades que são agora criadas através da Banda Larga do portal. O Mocho é agora o sítio ideal para encontrar conteúdos de banda larga em língua portuguesa para aprender ciências. Ver vídeos ou conferências, inclusive em tempo real, e ouvir ficheiros áudio são apenas algumas das possibilidades que são oferecidas aos utilizadores. O formato dinâmico do portal está agora acentuado, beneficiando de um motor de procura que agora foi também aperfeiçoado. Foram ainda anunciadas novas rubricas, como o Caça Notícias, o Sótão e O Mocho Responde, lado a lado com alguns dos melhores materiais de apoio ao ensino e aprendizagem das ciências produzidos em Portugal nos últimos anos: Tabela Periódica, Molecularium, Astrosoft e Magia dos Números são apenas algumas dessas secções. O Mocho vai ter ainda um boletim electrónico: O Pio do Mocho, uma newsletter com uma recolha de notícias sobre ciência, que será distribuída a quem se inscrever. Foi também anunciado a criação de um CD-ROM com os conteúdos "off-line" do Mocho que foi já enviado a mais de mil escolas portuguesas de entre escolas do terceiro ciclo e secundárias. Desta forma, pretende-se suprir as insuficiências ainda existentes no acesso e na largura de banda nas escolas e nas casas dos alunos e professores. O press release e todas as notícias publicadas estão disponíveis a partiri do portal em 27

28 Apresentamos de seguida algumas das notícias publicadas: 28

29 29

30 30

31 31

32 32

33 33

34 34

35 35

36 Conclusão Pelo exposto se conclui que a actividade do projecto se está a desenvolver e continuará a bom ritmo até ao final do projecto. Apesar de algumas alterações, em termos de recursos humanos e tecnológicos, decorrentes das múltiplas intervenções em algumas das tarefas (algumas complexas), prevê-se concluir todas as rubricas inerentes ao projecto larga, no prazo previsto. Coimbra, 08 de Dezembro de BO Responsável do Projecto Prof. Doutor Carlos Fiolhais (Responsável pelo Projecto) HUhttp://nautilus.fis.uc.pt/~cfiolhaisU O Director do Centro de Física Computacional Prof. Doutor Manuel Fiolhais 36

PROJECTO. Portal Português de Ciência e Cultura Científica. www.mocho.pt. Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

PROJECTO. Portal Português de Ciência e Cultura Científica. www.mocho.pt. Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra PROJECTO @BANDA.LARGA Portal Português de Ciência e Cultura Científica www.mocho.pt Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Relatório de Circunstância/ Síntese Coimbra, 10 de Março

Leia mais

3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências

3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências 3 A plataforma Moodle do Centro de Competência Softciências Dar a cana para ensinar a pescar (adágio popular) 3.1 O Centro de Competência O Centro de Competência Softciências, instituição activa desde

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo

PÁGINAS WEB. António Ginja Carmo PÁGINAS WEB António Ginja Carmo Índice 1 - Titulo 2 2 Enquadramento 2 3 - Descrição 3 4 - Objectivos 3 5 Público-Alvo 3 6 - Conteúdos 4 7 - Calendário das Actividades 5 8 - Estratégias Pedagógicas 8 9

Leia mais

Website disponível em: Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt. Palavra-chave: *aluno*

Website disponível em: Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt. Palavra-chave: *aluno* Website disponível em: http://formar.tecminho.uminho.pt/moodle/course/view.php?id=69 Nome de Utilizador: aluno@aluno.pt Palavra-chave: *aluno* Associação Universidade Empresa para o Desenvolvimento Web

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante)

Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante) Manual de Utilização MU003-1.0/2013 ISPADIGITAL/e-Campus(Perfil utilizador - Estudante) 1. Introdução I 2. Primeiros passos I 3. Unidade Curricular I 4. Recursos e atividades O e-campus do ISPA - Instituto

Leia mais

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido

ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Moodle Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria BlackBoard - Guia rápido ued - unidade de ensino a distância instituto politécnico de leiria Unidade de Ensino a Distância Equipa Guia

Leia mais

Realizador por: Prof. José Santos

Realizador por: Prof. José Santos Realizador por: Prof. José Santos Objectivo Este guia tem como objectivo fornecer aos Encarregados de Educação uma breve explicação sobre o funcionamento da Plataforma de Aprendizagem Moodle do Colégio

Leia mais

Plataformas de e-learning BlackBoard http://www.aprendernanet.com

Plataformas de e-learning BlackBoard http://www.aprendernanet.com BlackBoard http://www.aprendernanet.com Vitor M. N. Fernandes (5490/M) IST/DEI INESC/IMMI/GELO Av. Rovisco Pais, 1049-001 Lisboa vmnf@yahoo.com Sumário Este relatório pretende apresentar uma listagem das

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO.

WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. WORKSHOPS. CONTEÚDOS E PÚBLICO-ALVO. Workshop 1 Web 2.0 na educação (dinamizado por Fernando Delgado EB23 D. Afonso III) Os serviços da Web 2.0 têm um enorme potencial para a educação, pois possibilitam

Leia mais

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de

Colaborações em ambientes online predispõem a criação de comunidades de Ficha de Leitura Tipo de documento: Artigo Título: Colaboração em Ambientes Online na Resolução de Tarefas de Aprendizagem Autor: Miranda Luísa, Morais Carlos, Dias Paulo Assunto/Sinopse/Resenha: Neste

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO

CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO CONCURSO ESCOLAS DA NOVA GERAÇÃO REGULAMENTO Enquadramento geral Um dos principais desafios que se colocam à sociedade portuguesa é o do desenvolvimento de uma Sociedade de Informação, voltada para o uso

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE AMBIENTES VIRTUAIS PARA O ENSINO DA FÍSICA

DESENVOLVIMENTO DE AMBIENTES VIRTUAIS PARA O ENSINO DA FÍSICA DESENVOLVIMENTO DE AMBIENTES VIRTUAIS PARA O ENSINO DA FÍSICA TRINDADE, Jorge Fonseca Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda Guarda, Portugal FIOLHAIS, Carlos Departamento

Leia mais

Manual do Utilizador Aluno

Manual do Utilizador Aluno Manual do Utilizador Aluno Escola Virtual Morada: Rua da Restauração, 365 4099-023 Porto PORTUGAL Serviço de Apoio ao Cliente: Telefone: (+351) 707 50 52 02 Fax: (+351) 22 608 83 65 Serviço Comercial:

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8

Ano letivo 2014/2015. Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano. Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Ano letivo 2014/2015 Planificação da disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação 8º ano Domínio: Comunicação e Colaboração CC8 Aulas Previstas Semestre 32 Subdomínio: Conhecimento e utilização

Leia mais

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual

Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Dicas básicas para disciplinas/atividades na modalidade de educação a distância Mediação Digital Virtual Escritório de Gestão de Projetos em EAD Unisinos http://www.unisinos.br/ead 2 A partir de agora,

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Iniciação para docentes Universidade Atlântica Versão: 1 Data: Fevereiro 2010 Última revisão: Fevereiro 2010 Autor: Ricardo Gusmão Índice Introdução... 1 Registo no Moodle...

Leia mais

Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008)

Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008) Relatório Final da Acção de Formação Sustentabilidade na Terra e Energia na Didáctica das Ciências (1 de Julho a 13 de Setembro de 2008) Centro de Formação Centro de Formação da Batalha Formando Selma

Leia mais

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma.

O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. O Recurso a Meios Digitais no Contexto do Ensino Superior. Um Estudo de Uso da Plataforma. Universidade de Aveiro Mestrado em Gestão da Informação Christelle Soigné Palavras-chave Ensino superior. e-learning.

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando

Guia de Acesso à Formação Online Formando Guia de Acesso à Formação Online Formando Copyright 2008 CTOC / NOVABASE ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...5 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...6 5. Avaliação...7

Leia mais

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU Imagina que queres criar o teu próprio site. Normalmente, terías que descarregar e instalar software para começar a programar. Com a Webnode não é preciso instalar nada.

Leia mais

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis

CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis CRIE > Iniciativa Escolas, Professores e Computadores Portáteis Resumo do projecto Com a candidatura a este projecto, e envolvendo todos os departamentos, alunos e encarregados de educação, a nossa escola

Leia mais

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação ANEXO AO CADERNO DE ENCARGOS MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOS WEB SITES DA ADMINISTRAÇÃO DIRECTA E INDIRECTA DO ESTADO Documento disponível em www.si.mct.pt

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS ASSOCIAÇÃO DOS BOLSEIROS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS 2003 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2003 A Associação dos Bolseiros de Investigação Científica, doravante denominada

Leia mais

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano

Planificação Anual. Planificação de Médio Prazo (1.º Período) Tecnologias da Informação e Comunicação. 9º Ano Escola Básica do 2º e 3º Ciclos João Afonso de Aveiro Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Secção de Informática Planificação Anual (1.º Período) Ano lectivo 2010/2011 Tecnologias da Informação

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas

Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas Os Investigadores da Universidade de Coimbra e as plataformas & 1 Índice 2 Introdução...3 3 A Plataforma de Curricula DeGóis...3 3.1 É utilizada porque...3 3.2 Com a utilização do DeGóis ganho...4 3.1

Leia mais

Guião de utilização da plataforma moodle para Professor

Guião de utilização da plataforma moodle para Professor Guião de utilização da plataforma moodle para Professor http://elearning.up.ac.mz http://www.ceadup.edu.mz E-mail: up.cead@gmail.com info@ceadup.edu.mz Maputo, 2013 Introdução Há alguns anos atrás, para

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE ACÇÃO 2009/2013

PLANO ESTRATÉGICO DE ACÇÃO 2009/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA DE VALONGO PLANO ESTRATÉGICO DE ACÇÃO 2009/2013 SALA DE ESTUDO ORIENTADO 2009/2013 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRIORIDADES... 4 OBJECTIVOS DA SALA DE ESTUDO ORIENTADO... 5 Apoio Proposto...

Leia mais

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET

CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 1 CADERNO DE ORIENTAÇÃO DIDÁTICA PARA INFORMÁTICA EDUCATIVA: PRODUÇÃO COLABORATIVA VIA INTERNET 04/2007 Mílada Tonarelli Gonçalves CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária

Leia mais

Desenho didático para cursos online

Desenho didático para cursos online Desenho didático para cursos online Edméa Santos Professora da UERJ Professora-tutora do PROGED/ISP/UFBA E-mail: mea2@uol.com.br Site: www.docenciaonline.pro.br/moodle Que é cibercultura? Educação online:

Leia mais

... 1º Período. Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação

... 1º Período. Metas/Objetivos Descritores Conceitos/Conteúdos Estratégias/Metodologias Avaliação DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA DISCIPLINA: TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANIFICAÇÃO DE 8º ANO... 1º Período Domínio COMUNICAÇÃO E COLABORAÇÃO CC8 Conhecimento e utilização adequada

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação Som Interactivo Área Científica Som Som e Imagem Ciclo de Estudos 5º Ciclo - Licenciatura Carácter: Opcional Semestre 1º ECTS 6 Tempo de Trabalho:

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça

GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP. AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça GRELHA PARA A CARACTERIZAÇÃO DE RTP Entidade interlocutora: Identificação do Projecto AEBJC Associação para o Ensino Bento de Jesus Caraça Nº do projecto: 2001/EQUAL/A2/AD/139 Designação do projecto: Área

Leia mais

HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR

HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR HÁ NORTE! ACREDITAR E MOBILIZAR Programa da lista candidata à eleição para os órgãos regionais do Norte da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas Triénio 2011-2013 25 de

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

Apresentação dos recursos Web da EASR

Apresentação dos recursos Web da EASR Apresentação dos recursos Web da EASR A Equipa TIC Setembro 2009 Introdução Este pequeno manual destina-se a dar a conhecer à comunidade da Escola Artística de Soares dos Reis (EASR) o seu Sistema de Informação

Leia mais

A SÈTIMA. O nosso principal objectivo

A SÈTIMA. O nosso principal objectivo 03 A SÈTIMA A SÉTIMA produz soluções de software maioritariamente com recurso à WEB, de modo a dar suporte ao crescimento tecnológico que é já a maior realidade do século XXI. Esta aposta deve-se ao facto

Leia mais

Plano de Comunicação para o QCA III. Relatório de Execução de 2002

Plano de Comunicação para o QCA III. Relatório de Execução de 2002 Plano de Comunicação para o QCA III Relatório de Execução de 2002 Após o período de lançamento do QCA III o ano de 2002 foi de consolidação dos projectos iniciados e de apresentação dos primeiros resultados.

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8A/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8A/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

Manual do Usuário 2013

Manual do Usuário 2013 Manual do Usuário 2013 MANUAL DO USUÁRIO 2013 Introdução Um ambiente virtual de aprendizagem é um programa para computador que permite que a sala de aula migre para a Internet. Simula muitos dos recursos

Leia mais

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI Apresentação do MOODLE Educação do século XXI Software social e e-learning Talvez seja o momento de fazer algo nas suas disciplinas! O que pretende do seu sistema de aprendizagem on-line? Fácil criação

Leia mais

Escola EB 2,3 de António Feijó

Escola EB 2,3 de António Feijó AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ANTÓNIO FEÍJO Escola EB 2,3 de António Feijó 8.º ANO PLANIFICAÇÃO SEMESTRAL Tecnologias de Informação e Comunicação Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO Domínio Conteúdos Objetivos

Leia mais

Aprend.e Sistema integrado de formação e aprendizagem

Aprend.e Sistema integrado de formação e aprendizagem Aprend.e Sistema integrado de formação e aprendizagem Pedro Beça 1, Miguel Oliveira 1 e A. Manuel de Oliveira Duarte 2 1 Escola Aveiro Norte, Universidade de Aveiro 2 Escola Aveiro Norte, Departamento

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR INDÍCE A) Noção... 2 B) Objetivos... 2 C) Destinatários... 2 D) Serviços do Centro de Atividades e Recursos (C.A.R.)... 2 E) Atividades... 3 F) Condições

Leia mais

ferramentas e funcionalidades básicas

ferramentas e funcionalidades básicas ferramentas e funcionalidades básicas MOODLE - Tipos de Actividades Núcleo Minerva da Universidade de Évora Referendo A actividade Referendo permite ao professor fazer, por exemplo, uma sondagem de opinião

Leia mais

3. DESCRIÇÃO DO PROTÓTIPO

3. DESCRIÇÃO DO PROTÓTIPO 3. DESCRIÇÃO DO PROTÓTIPO O computador pode e deve apoiar o ensino, não só na produção de imagens estereoscópicas como também na sua divulgação. O site sobre estereoscopia foi desenvolvido tendo como objectivo

Leia mais

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário...

Indicie. 1.Introdução...1. 2.Como Surgiu...2. 3.Para que serve...3. 4.Instalação...3. 5. Oque ele permite fazer...5. 6. Primeiro Cenário... Artigo sobre Indicie 1.Introdução....1 2.Como Surgiu....2 3.Para que serve....3 4.Instalação....3 5. Oque ele permite fazer....5 6. Primeiro Cenário....6 7. Segundo Cenário....7 8. Conclusão....8 5. Referencias....9

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1

Versão 1.0. [08.02.2012] 2012, Portugal - Efacec Sistemas de Gestão S.A. Todos os direitos reservados. 1 Copyright 2012 Efacec Todos os direitos reservados. Não é permitida qualquer cópia, reprodução, transmissão ou utilização deste documento sem a prévia autorização escrita da Efacec Sistemas de Gestão S.A.

Leia mais

AEC ALE TIC. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE TIC. Orientações Pedagógicas. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO 2014/2015 AEC ALE TIC Orientações Pedagógicas 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

Educação Especial. 2. Procedimentos de Referenciação e Avaliação e Elaboração do Programa Educativo Individual

Educação Especial. 2. Procedimentos de Referenciação e Avaliação e Elaboração do Programa Educativo Individual Educação Especial O Grupo da Educação Especial tem como missão fundamental colaborar na gestão da diversidade, na procura de diferentes tipos de estratégias que permitam responder às necessidades educativas

Leia mais

Manual de Utilização do Sítio da Disciplina

Manual de Utilização do Sítio da Disciplina UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA DSI Manual de Utilização do Sítio da Disciplina para: Docentes Versão 7.00 Palma de Cima 1649-023 Lisboa Portugal Tel. 21 721 42 19 Fax 21721 42 79 helpdesk@lisboa.ucp.pt

Leia mais

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno

Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Ambiente de Aprendizagem Moodle FPD Manual do Aluno Maio 2008 Conteúdo 1 Primeiros passos...4 1.1 Tornando-se um usuário...4 1.2 Acessando o ambiente Moodle...4 1.3 O ambiente Moodle...4 1.4 Cadastrando-se

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2

PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso CEF Tipo 2 Domínios de referência Competências Conteúdos Calendarização Conceitos Essenciais e

Leia mais

QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO

QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO 2000-2006 PLANO DE ACÇÃO DE COMUNICAÇÃO DO QCA AGOSTO 2001 1 ÍNDICE 1 - Objectivos... 4 2 - Públicos-alvo... 4 3 - Estratégia... 4 4 Conteúdo e Estratégia das Acções... 5 5

Leia mais

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social Semana da Liberdade de Escolha da Escola / School Choice Week & I Conferência da Liberdade de Escolha da Escola / 1st School Choice Conference Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W

3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W 3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W 3.1. DESCRIÇÃO DA FERRAMENTA E SUAS APLICAÇÕES Dyn3W é um fórum desenvolvido especialmente para ser utilizado na educação. O seu desenvolvimento iniciou-se em meados

Leia mais

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007

PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 PLANO TIC ano lectivo 2006/2007 O Coordenador TIC João Teiga Peixe Índice Índice...2 1. Introdução... 3 2. Objectivos... 3 3. Sectores Afectos... 4 1. Salas de Aulas... 4 2. Administrativo... 4 3. Outras

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE EDUCAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMÁTICA EDUCACIONAL Internet e Educação Ensaio: A Web 2.0 como ferramenta pedagógica

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Cursos de e-learning da Academia Portuguesa de Seguros

Cursos de e-learning da Academia Portuguesa de Seguros Cursos de e-learning da Academia Portuguesa de Seguros Guia de Apresentação do Curso de Qualificação de Agentes, Corretores de Seguros ou Mediadores de Resseguros Guia de Apresentação do Curso Versão 1.0

Leia mais

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês

Relatório Final de Avaliação. Acção n.º 8B/2010. Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas Estrangeiras Francês/Inglês Centro de Formação de Escolas dos Concelhos de Benavente, Coruche e Salvaterra de Magos Relatório Final de Avaliação Acção n.º 8B/2010 Quadros Interactivos Multimédia no Ensino/ Aprendizagem das Línguas

Leia mais

ITEM 1 - A melhoria dos resultados escolares dos alunos Ano/Turma Disciplina Meta PE (%) Objectivo(s) (%)

ITEM 1 - A melhoria dos resultados escolares dos alunos Ano/Turma Disciplina Meta PE (%) Objectivo(s) (%) Período em avaliação: 2007 a 2009 ESCOLA S/3 ARQUITEO OLIVEIRA FERREIRA Identificação dos Intervenientes Nome do avaliado - Patrícia Cunha Melo Campos Corado Carvalhais Fonseca Categoria - PQZPND Departamento

Leia mais

BRIP. Índice. I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05

BRIP. Índice. I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05 BRIP Índice I Que recursos digitais tenho à minha disposição e de que forma os posso utilizar? 05 1 Aulas interativas 05 2 E-manuais 09 Temas 09 Pesquisa global de Recursos Educativos Digitais 11.1 Pesquisa

Leia mais

PROJECTO GEPETO BALANÇO DE ETAPA

PROJECTO GEPETO BALANÇO DE ETAPA PROJECTO GEPETO BALANÇO DE ETAPA Coordenação Técnica. Outubro de 2013 BALANÇO DE ETAPA EM METADE DO PROJECTO GEPETO Outubro de 2013 1. RECAPITULAÇÃO DOS OBJECTIVOS 2. ROTEIRO 3. PRINCIPAIS ACTIVIDADES

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação

Tecnologias da Informação e Comunicação SUBDOMÍNIO CC8.1. CONHECIMENTO E UTILIZAÇÃO ADEQU ADA E SEGURA DE DIFERENTES TIPOS DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO, DE ACORDO COM AS SITUAÇÕES DE COMUNICAÇÃO E AS REGRAS DE CONDUTA E DE FUNCIONAMENTO DE

Leia mais

internet http://www.uarte.mct.pt internet... abrir o programa... pag.. 6 ecrã do internet explorer... ligações... escrever um endereço de internet...

internet http://www.uarte.mct.pt internet... abrir o programa... pag.. 6 ecrã do internet explorer... ligações... escrever um endereço de internet... internet 1 http://www.uarte.mct. internet...... pag.. 2 abrir o programa...... pag.. 3 ecrã do internet explorer... pag.. 4 ligações...... pag.. 5 escrever um endereço de internet... pag.. 6 voltar à página

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Planeamento de Campanha de E-Marketing Cada variável, a nível de marketing tem normas próprias, em função dos meios de comunicação através dos quais se veiculam

Leia mais

Programa de Capacitação em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos Regulamento Etapa 2

Programa de Capacitação em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos Regulamento Etapa 2 Programa de Capacitação em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos Etapa 2 1. Apresentação 1.1 O Programa de Capacitação em Projetos e Empreendimentos Criativos é uma iniciativa do Ministério da

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO CLIENTE NOS SERVIÇOS SAGRA ONLINE Relatório de Apreciação Ref.ª IT 08/82/2007 1. Introdução No Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR) a qualidade é encarada como

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL AMBIENTE VIRTUAL INSTITUCIONAL MOODLE/UFFS Guia Inicial de Acesso e Utilização Para Docentes Versão 1.0b Outubro/2010 Acesso e utilização do Ambiente Virtual de Ensino

Leia mais

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO

AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO AVALIAÇÃO DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO MUSICAL NO ENSINO BÁSICO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos do Mestrado em Educação Musical

Leia mais

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida

Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar o Microsoft Offi ce OneNote 2003: Iniciação rápida Utilizar a iniciação ao OneNote 1 O MICROSOFT OFFICE ONENOTE 2003 OPTIMIZA A PRODUTIVIDADE AO PERMITIR QUE OS UTILIZADORES CAPTEM, ORGANIZEM

Leia mais

CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS. e learning. Uma parceria entre:

CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS. e learning. Uma parceria entre: CURSO CEAD COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E ANÁLISE DE DADOS e learning Uma parceria entre: Curso CEAD - Comunicação Empresarial e Análise de Dados NECESSITA DE PREPARAR PROPOSTAS, RELATÓRIOS OU OUTRAS COMUNICAÇÕES

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

o SEU clube de aluguer de DVD s na internet. BluePlanetDVD.com Study Case 2003 - IDEF/ISEG www.blueplanetdvd.com 1

o SEU clube de aluguer de DVD s na internet. BluePlanetDVD.com Study Case 2003 - IDEF/ISEG www.blueplanetdvd.com 1 BluePlanetDVD.com Study Case www.blueplanetdvd.com 1 A Ideia Necessidades não satisfeitas para o cliente; Uma IDEIA; Dois anos a amadurecer a ideia, de forma a ser inovadora, tecnologicamente avançada,

Leia mais

Escola Secundária da Baixa da Banheira Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CLUBE DA CIÊNCIA ANO LECTIVO 2010/2011

Escola Secundária da Baixa da Banheira Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CLUBE DA CIÊNCIA ANO LECTIVO 2010/2011 CLUBE DA CIÊNCIA ANO LECTIVO 2010/2011 Clube da Ciência, Ano Lectivo 2010/2011 1 . Tempo de aplicação do projecto Os trabalhos a desenvolver no âmbito do Clube da Ciência serão realizados ao longo do ano

Leia mais

Seminário de discussão, Buenos Aires, 3 e 4 de Dezembro de 2009

Seminário de discussão, Buenos Aires, 3 e 4 de Dezembro de 2009 Maria de Lurdes Rodrigues ISCTE Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) Departamento de Sociologia Av. das Forças Armadas, 1600, Lisboa, Portugal mlreisrodrigues@gmail.com Seminário de discussão,

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS DAS CIÊNCIAS E AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NUM PROJETO INTERDISCIPLINAR DE INVESTIGAÇÃO-AÇÃO CTS

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS DAS CIÊNCIAS E AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NUM PROJETO INTERDISCIPLINAR DE INVESTIGAÇÃO-AÇÃO CTS ATIVIDADES EXPERIMENTAIS DAS CIÊNCIAS E AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NUM PROJETO INTERDISCIPLINAR DE INVESTIGAÇÃO-AÇÃO CTS Ana Paula Santos; António Fernandes; Berta Bemhaja; Cristina Fernandes;

Leia mais

Universidade Católica Portuguesa

Universidade Católica Portuguesa Universidade Católica Portuguesa Direcção de Sistemas de Informação Serviços disponíveis aos Alunos 2012/2013 Índice Direcção de Sistemas de Informação Pré requisitos e modo de acesso aos sistemas Pré

Leia mais

PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE

PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE REDIVE GUIA LMS PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida nesta publicação vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projectos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projectos em que estão envolvidos, interagindo na optimização

Leia mais

Homem tropeça anda, corre voará...

Homem tropeça anda, corre voará... Professora: Isabel Maria Ribeiro Madureira de Sousa Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo Padrão da Légua C445 - Projecto de Formação para o Novo Programa de Português do Ensino Básico Turma - D Maio

Leia mais

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA

ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA ACÇÃO DE FORMAÇÃO EDUCAÇÃO PARA O EMPREENDEDORISMO NA ESCOLA Extracto do PARECER TÉCNICO emitido pelo Especialista da Formação PREÂMBULO O presente Parecer tem como objectivo a análise do Projecto de Investigação

Leia mais