Dispositivos e Redes de Sistemas Logísticos 2008/2009 1º Exame, 19 de Janeiro de 2009

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dispositivos e Redes de Sistemas Logísticos 2008/2009 1º Exame, 19 de Janeiro de 2009"

Transcrição

1 Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial Dispositivos e edes de Sistemas ogísticos 2008/2009 1º Exame, 19 de Janeiro de 2009 Nome Número Ano / amo Duração: 1h m de tolerância. Prova sem consulta. Identifique todas as folhas. Em questões com escolha múltipla: Preencha as respostas na matriz seguinte. Só serão cotadas as respostas legíveis lançadas nesta matriz. Cada resposta errada é cotada negativamente com Cotação (N 1), onde N é o número de opções da pergunta. Em todas as perguntas utilize as zonas reservadas para a resolução. Matriz de respostas: Pergunta Cotação esposta I.a) 1,5 I.b) 1,5 I.c) 1,5 I.d) 1,5 II. 2 III.a) 1,5 II.b) 2 III.c) 2 III.d) 2 IV. 1,5 V. 1 VI. 2 1 / 6.

2 I. Considere um código de barras da família UPC com a seguinte estrutura SME. Os bits de guarda são: S (start), E (End) 101; M (Middle) Os dígitos são: (eft), (ight) Cada um representado um dígito (0 a 9) num código de 7 bits; Prefixo; corrector de erros. I.a) Qual é a função do campo Middle nos códigos UPC? A: Indicar ao leitor que se está a meio da sequência de dados, permitindo ao leitor mudar a codificação dos dados. B: Separar inequivocamente a parte esquerda da parte direita do código. C: Dar tempo ao leitor para processar o primeiro conjunto de dados e se preparar para a leitura dos seguintes. D: Identificar o tipo de dados armazenados nos dígitos e (caracteres numéricos ou caracteres alfanuméricos). E: essincronizar o leitor com a sequência codificada. Comment [1]: E: essincronizar. I.b) Um operador de parques de estacionamento está a definir um esquema unificado para os talões de estacionamento (emitidos à entrada dos parques), recibos, de identificação de clientes e funcionários, baseado num código da família UPC, mas de utilização estritamente interna à empresa. O operador gere 120 parques. Considere que o cálculo do tempo de estacionamento é feito ao minuto e que os períodos de estacionamento são inferiores a 1 ano. Indique qual das seguintes codificações do talão de estacionamento é adequada ao serviço, considerando que se pretende que os sistemas de controlo de entradas, saídas e pagamentos devem continuar a funcionar independentemente da disponibilidade do servidor central em cada parque e que, portanto, o talão deve conter a descrição do serviço necessária ao pagamento. A: Identificação do parque (3 dígitos), dia de entrada (2 dígitos), mês de entrada (2 dígitos), hora/minuto de entrada (4 dígitos). B: Identificação do parque (3 dígitos), dia de entrada (3 dígitos), hora/minuto de entrada (4 dígitos). C: Tipo = talão de entrada (1 dígito), identificação do parque (3 dígitos), dia de entrada (2 dígitos), mês de entrada (2 dígitos), hora/minuto de entrada (4 dígitos). D: Tipo = talão de entrada (1 dígito), identificação do parque (3 dígitos), dia de entrada (2 dígitos), mês de entrada (2 dígitos), hora/minuto de entrada (3 dígitos). E: Tipo = talão de entrada (1 dígito), identificação do parque (3 dígitos), dia de entrada (3 dígitos), hora/minuto de entrada (4 dígitos). F: Nenhum dos anteriores. Comment [2]: E. O Tipo é codificado no. No restante usar no máximo 10 dígitos. O dia é codificado de 1 a / 6

3 I.c) Os códigos UPC codificam cada dígito de informação em 7 bits (7 barras brancas ou pretas ). Se admitíssemos que não havia erros na leitura mas que, ainda assim, era conveniente permitir a leitura indiferenciada da esquerda para a direita e da direita para a esquerda, quantos bits (barras) seriam necessários para codificar cada dígito? A: 3 bits. B: 4 bits. C: 5 bits. D: 6 bits. E: 7 bits. F: Nenhuma Comment [3]: C: 5 bits, porque há 20 dígitos 10 eft + 10 ight. I.d) Indique qual das seguintes codificações de dígitos é adequada para um código de barras independente do sentido de varrimento do leitor. A B C D E Dígito Nenhuma Comment [4]: D. II. Numa rede global EPC onde está localizada a ficha descritiva do produto? A: Na tag do produto. B: No Object Name Service (ONS). C: Num servidor PM (Physical Markup anguage) mantido pelo produtor. Esta informação pode ser guardada temporariamente em outros servidores locais aos pontos onde o produto é manipulado. D: Exclusivamente no servidor PM mantido pelo produtor. E: Está repartida entre a tag e um servidor PM. Comment [5]: esposta certa = C. 3 / 6

4 III. Pretende-se instalar um sistema de controlo de acessos a um grande estaleiro de obra com base em tecnologia de F/ID com protocolo anti-colisão. O sistema é composto por pórticos instalados nos pontos de controlo de acessos e em pontos intermédios da obra (portas, portões, entradas de galerias ou vias transitáveis por veículos automóveis) e por identificadores (tags) activos fixados nos capacetes de todas as pessoas com acesso à obra. O sistema identifica entradas/saídas quer de pessoas isoladas quer de grupos de pessoas. O tempo de transacção é 250 ms e a penalização com a resolução da colisão (quando exista) é 50 ms por cada transacção. A entrada da obra tem um pórtico com um raio de 4 metros de alcance. III.a) Qual é o ritmo máximo teórico de passagem de pessoas pelo portão de entrada? A: 50 B: 66 C: 100 D: 200 E: 240 F: Nenhuma Comment [6]: esposta certa = E. Zona de detecção = 2* 4 m = 8 metros. O tempo necessário para detectar 1 pessoa, assumindo que não está outra na proximidade = (0 ms ms) = 250 ms. 4 pessoas / seg ou 240 III.b) Qual é o limite de velocidade no portão de entrada para permitir detectar a passagem de veículos com piquetes de 10 pessoas? A: 4,8 km/h. B: 9,6 km/h. C: 19,2 km/h. D: 38,4 km/h. E: 50 km/h. F: Nenhuma Comment [7]: esposta certa = B. Zona de detecção = 2* 4 m = 8 metros. O tempo necessário para detectar 10 pessoas = 10*(50 ms ms) = 10 * 300 ms = 3 seg. A velocidade máxima de passagem é zona / tempo = 8 metros / 3 seg = [1,200 * 8 metros]/[(60*20)* 3 seg] = 9,6 km/h. III.c) É vantajoso, do ponto de vista dos ritmos de entrada/saída, aumentar o alcance do pórtico de entrada? A: Sim, é sempre vantajoso. B: Não, não há nenhuma vantagem. C: O caudal de passagens num período alargado de tempo mantém-se mas, aumentando o alcance do pórtico, aumentava a velocidade de passagem dos veículos com piquetes. D: Só é vantajoso em passagens sem colisão. E: Só é vantajoso em passagens com colisão. Comment [8]: esposta C = O ritmo máximo não aumenta mas trata mais depressa os veículos de piquetes. 4 / 6

5 III.d) Que alterações seria necessário introduzir na instalação e configuração do sistema caso se pretendesse passar a usar identificadores passivos em vez dos activos? A: Os identificadores passivos têm menor potência de emissão e, portanto, menor alcance do que os activos, pelo que os raios de detecção diminuiriam, sendo necessário redimensionar as zonas dos pórticos e, provavelmente, os próprios processos de identificação. B: Bastava aumentar as potências das antenas dos pórticos para compensar a diminuição das potências dos sinais dos identificadores. C: Não é possível implementar um sistema com este objectivo usando tags passivas. D: Podia-se continuar a usar o sistema original mas os ritmos de passagem diminuíam drasticamente. E: Não é possível implementar um sistema com este objectivo usando tags passivas porque estas não suportam protocolos anti-colisão. Comment [9]: esposta A. IV. Considera necessário um serviço de localização para um parque de contentores utilizar GPS diferencial em vez do sistema de loalização standard? A: Sim, para melhorar a precisão da localização. B: Não, porque a precisão da localização que normalmente se obtém no serviço standard é suficiente para a aplicação. C: Sim, para melhorar a disponibilidade do serviço de localização, uma vez que, deste modo, é possível captar várias redes de satélites. D: Não, porque uma instalação diferencial é excessivamente dispendiosa. E: Sim, para melhorar a disponibilidade do serviço de localização, uma vez que, deste modo, é possível captar mais satélites. Comment [10]: esposta A. 5 / 6

6 V. Considere uma frota de distribuição de valores cujos veículos são dotados de terminais pessoais (PDAs) equipados somente com leitor de código de barras e interface GPS. A transferência de dados com estes PDAs é feita por infravermelhos na estação de recolha dos veículos. Que informação é possível obter ou deduzir no centro de controlo sobre o estado de cada veículo? A: Obtém-se a posição do veículo e o estado do serviço a ele associado. B: É possível inferir a posição e a distância percorrida. C: Conhece-se o estado macroscópico do serviço o plano de serviço a executar foi carregado, o veículo já regressou à base e descarregou os registos do serviço e a descrição do serviço previamente executado, após o regresso à base. D: Só se conhece o estado macroscópico do veículo veículo na base, veículo em serviço. E: É possível inferir a posição e a distância percorrida bem com o estado do serviço. Comment [11]: esposta C. VI. Considere uma frota de distribuição que opera numa área urbana com malha viária em quadrícula. Cada quarteirão tem 250 m 250 m. Devido à sombra criada pelos edifícios e as árvores, durante cerca de 10% do tempo não há visibilidade adequada da rede de satélites de localização, durando cada período de sombra cerca de 2 min. Considerando que a velocidade média das deslocações é 15 km/h qual é o erro máximo teórico ao calcular a distância percorrida por GPS num turno de 4 horas. (Erro = (Distância real percorrida Distância medida por GPS) / Distância real percorrida.) A: < 1%. B: 3%. C: 6%. D: 10%. E: 15%. F: Nenhuma Comment [12]: esposta certa = B. 15 km/hora dá 250 m / min 4 horas dá 240 min. 24 min. há 12 períodos de sombra de 2 min. No total são percorridos 60 km. E há 12 períodos em que se anda 250 m x 2 = 500 m, no total há 500m * 12 = 6 km em sombra. No pior dos casos percorre-se 500 m / período de sombra mas medese sqrt (250^ ^2) = 354 m. No pior dos casos a distância medida por GPS será = 240m- 24m= 216 min. com medida correcta, 216 min * 0,25 km = 54 km. E 24 min com erro inferido por gps = 12*354 = 4,243 km. No total mede-se 58,243 km Erro = (60 58,243) / 60 = 3%. 6 / 6

Aplicações para Sistemas Embebidos 2006/2007 1º Exame, 6 de Janeiro de 2007

Aplicações para Sistemas Embebidos 2006/2007 1º Exame, 6 de Janeiro de 2007 Nome Departamento de Engenharia Informática Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Aplicações para Sistemas Embebidos 2006/2007 1º Exame, 6 de Janeiro de 2007 Número Ano / Ramo E-mail

Leia mais

Dispositivos e Redes para Sistemas de Logística 05 Automatic Identification. DRSL Alberto Ramos da Cunha, IST, 2008/2009

Dispositivos e Redes para Sistemas de Logística 05 Automatic Identification. DRSL Alberto Ramos da Cunha, IST, 2008/2009 Dispositivos e Redes para Sistemas de Logística 05 Automatic Identification Bar Coding 1 Plano Características de um método de identificação Códigos de barras 2 Características de um método de identificação

Leia mais

DR3-Usar conhecimentos científicos que suportam normas reguladoras de segurança no Código Rodoviário. Distância mínimas entre veículos

DR3-Usar conhecimentos científicos que suportam normas reguladoras de segurança no Código Rodoviário. Distância mínimas entre veículos DR3-Usar conhecimentos científicos que suportam normas reguladoras de segurança no Código Rodoviário Distância mínimas entre veículos ... Há cada vez mais veículos nas nossas estradas.... os veículos

Leia mais

Arquitectura de Computadores 2007/2008 2º Semestre 2º Teste (A) - 16/06/2008

Arquitectura de Computadores 2007/2008 2º Semestre 2º Teste (A) - 16/06/2008 rquitectura de Computadores 2007/2008 2º Semestre 2º Teste () - 16/06/2008 INSTUÇÕES: - duração da prova é de 1,5 horas. - esponda apenas nos locais indicados. - Identifique todas as folhas do teste com

Leia mais

AG V AUTOMATIC GUIDED VEHICLE. Grupo 3 Bruno Ramos Nº Rui Ramos Nº Sérgio Calado Nº 46702

AG V AUTOMATIC GUIDED VEHICLE. Grupo 3 Bruno Ramos Nº Rui Ramos Nº Sérgio Calado Nº 46702 AG V Grupo 3 Bruno Ramos Nº 46494 Rui Ramos Nº 46693 Sérgio Calado Nº 46702 INTRODUÇÃO O que são AGVs? Quais as suas aplicações? Capacidade de carga. Sistemas de Referência. Comunicação. Problemas nos

Leia mais

Autárquicas Vila Franca de Xira. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 49

Autárquicas Vila Franca de Xira. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 49 Autárquicas 217 Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta Município: 49 Vila Franca de Xira Participantes no inquérito: Não responderam: PS PSD.CDS.MPT.PPM CDU BE 1.1. Apoia

Leia mais

TRANSPORTES. Sessão Prática 8 Transportes Coletivos Exploração e Dimensionamento

TRANSPORTES. Sessão Prática 8 Transportes Coletivos Exploração e Dimensionamento Mestrado Integrado em Engenharia Civil RANSPORES Prof. Responsável: Luis Picado Santos Sessão Prática 8 Exploração e Dimensionamento Instituto Superior écnico / Mestrado Integrado Engenharia Civil ransportes

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados

Algoritmos e Estruturas de Dados Introdução aos Algoritmos e Estruturas de Dados Repescagem 1 o Teste - A Ano lectivo: 2011/2012 1 o Semestre RESOLUÇÃO DA REPESCAGEM DO 1 o TESTE I. (2.0 + 2.0 + 2.0 + 2.0 = 8.0 val.) I.a) Escreva em linguagem

Leia mais

PROVA MODELO Duração da prova: 120 minutos. Grupo 5 - Três questões de resposta múltipla e um problema enquadrado nos conteúdos do curso.

PROVA MODELO Duração da prova: 120 minutos. Grupo 5 - Três questões de resposta múltipla e um problema enquadrado nos conteúdos do curso. Página 1 de 7 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 113/2014, de 16 de julho AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

Autárquicas Amadora. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 4

Autárquicas Amadora. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 4 - Autárquicas 217 Autárquicas 217 Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta Município: 4 Amadora Participantes no inquérito: PCTP-MRPP - Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses

Leia mais

Autárquicas Almada. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 2

Autárquicas Almada. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 2 - Autárquicas 217 Autárquicas 217 Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta Município: 2 Almada Participantes no inquérito: Não responderam: PS CDU CDS BE PNR PCTP-MRPP 1.1.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 338, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009

RESOLUÇÃO Nº 338, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 RESOLUÇÃO Nº 338, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009 Dá nova redação aos artigos da Resolução nº 212/2006- CONTRAN, que dispõe sobre a implantação do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (SINIAV)

Leia mais

A sinalização presente indica: Fim da estrada com prioridade. Mudança de direcção da via com prioridade. Proximidade de um cruzamento.

A sinalização presente indica: Fim da estrada com prioridade. Mudança de direcção da via com prioridade. Proximidade de um cruzamento. A referência IC 17, colocada na sinalização indica: Que circulo no itinerário complementar nº 17. Que faltam 17 kms para o início da A1. Que me encontro no km 17, da via em que circulo. A sinalização presente

Leia mais

Sistemas numéricos e a Representação Interna dos Dado no Computador

Sistemas numéricos e a Representação Interna dos Dado no Computador Sistemas numéricos e a Representação Interna dos Dado no Computador Ricardo Azambuja Silveira INE-CTC-UFSC E-Mail: silveira@inf.ufsc.br URL: http://www.inf.ufsc.br~silveira Material elaborado pelo prof

Leia mais

Exame de 1ª Época Introdução à Programação IGE e ETI 2003/02/25-1º semestre de 2002/2003 ISCTE

Exame de 1ª Época Introdução à Programação IGE e ETI 2003/02/25-1º semestre de 2002/2003 ISCTE Recibo do Exame de 1ª Época de Introdução à Programação (IGE e ETI), 2003/02/25 1º semestre de 2002/2003, ISCTE Nome do aluno:... Número do aluno:... Assinatura do docente:... Notas: Exame de 1ª Época

Leia mais

A Linguagem Global dos Negócios. Guia para a Codificação de Medicamentos

A Linguagem Global dos Negócios. Guia para a Codificação de Medicamentos A Linguagem Global dos Negócios Guia para a Codificação de Medicamentos Introdução A Diretiva 2011/62/EU Diretiva dos Medicamentos Falsificados tem como objetivo estabelecer medidas para impedir a entrada

Leia mais

Está preparado para o UDI?

Está preparado para o UDI? A Linguagem Global dos Negócios Está preparado para o UDI? Identificação Única de Dispositivos Médicos Introdução A United States Food and Drug Administration (FDA), a Comissão Europeia e outros reguladores

Leia mais

Este sinal é de: Este sinal é de:

Este sinal é de: Este sinal é de: Teste n.º 2 Tema I Sinais de Indicação 1 Este sinal é de: Indicação. Perigo. Pré-sinalização. 2 Este sinal é de: Indicação. Proibição. Regulamentação. 3 O sinal complementar indica-me a aproximação de

Leia mais

Operadores TerraMA2 Tip T o ip s o de d Aná An lis lis 1 Utilit ilit r á ios 2 - Ope Op r e ad a o d r o es e pa p r a a Aná An lis

Operadores TerraMA2 Tip T o ip s o de d Aná An lis lis 1 Utilit ilit r á ios 2 - Ope Op r e ad a o d r o es e pa p r a a Aná An lis Operadores TerraMA2 Tipos de Análise 1- Utilitários 2 - Operadores para Análise baseada em Objetos Monitorados 3 - Operadores entre dados matriciais 4 Operadores de PCD Tipos de Análises Análise baseada

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE Junho/2016 1 Objetivo Este documento tem por objetivo estabelecer os procedimentos técnicos relativos à adequação

Leia mais

X-IntegConfig. Configuração da integração do X-Mobile. Versão 1.0.7

X-IntegConfig. Configuração da integração do X-Mobile. Versão 1.0.7 X-IntegConfig Configuração da integração do X-Mobile Versão 1.0.7 Índice - Introdução...2 - Como usar o X-IntegConfig...3 - Detalhes do ficheiro de importação...5 (a) Edição de Instrução SQL...8 (b) Configuração

Leia mais

Sinais de Pré-Sinalização

Sinais de Pré-Sinalização Sinais de Pré-Sinalização Os sinais de pré-sinalização indicam os destinos de saída de um intersecção, completados ou não com indicações sobre o itinerário. A indicação do destino deve estar sempre associada

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 6 de Janeiro de o Teste A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 6 de Janeiro de o Teste A Número: Nome: Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 6 de Janeiro de 2006 3 o Teste A Duração: 1 hora O teste é sem consulta O teste deve ser resolvido

Leia mais

Sistema de Violência Doméstica GPS por Proximidade 3M - DV GPS Data Sheet

Sistema de Violência Doméstica GPS por Proximidade 3M - DV GPS Data Sheet Sistema de Violência Doméstica GPS por Proximidade 3M - DV GPS Data Sheet 1 Introdução A 3M Monitoramento Eletrônico desenvolveu uma solução pioneira para prevenção de violência doméstica que consiste

Leia mais

Utiliza fonte de alimentação full-range de 90 a 240VAC, bateria de no-break interna com autonomia de até 10 horas para o microterminal NetLine.

Utiliza fonte de alimentação full-range de 90 a 240VAC, bateria de no-break interna com autonomia de até 10 horas para o microterminal NetLine. 1 As cancelas da linha Fast, formam uma linha completa de cancelas automáticas projetadas especialmente para cada situação, possibilitando alto desempenho de acesso em todos os setores: estacionamentos,

Leia mais

OPERADOR ECONÓMICO AUTORIZADO SEGURANÇA

OPERADOR ECONÓMICO AUTORIZADO SEGURANÇA OPERADOR ECONÓMICO AUTORIZADO SEGURANÇA MAPUTO MARÇO DE 2016 INTRODUÇÃO O critério de segurança actualmente não está previsto na legislação CONTEXTO Legal Acordos Política Operacional Código Aduaneiro

Leia mais

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O Medidor TKE-120 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (VArh) em sistemas de corrente alternada (CA). Possui

Leia mais

Autárquicas Matosinhos. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 29

Autárquicas Matosinhos. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 29 - Autárquicas 217 Autárquicas 217 Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta Município: 29 Matosinhos Participantes no inquérito: Não responderam: PS PSD Narciso Miranda António

Leia mais

Introdução à programação em PASCAL. Aula de 22/10/2001. Nota: Conjunto de slides baseados nas transparências utilizadas em PEDA em anos anteriores

Introdução à programação em PASCAL. Aula de 22/10/2001. Nota: Conjunto de slides baseados nas transparências utilizadas em PEDA em anos anteriores Introdução à programação em PASCAL Aula de 22/10/2001 Nota: Conjunto de slides baseados nas transparências utilizadas em PEDA em anos anteriores Conteúdo Conceito de linguagem de programação O processo

Leia mais

A sinalização desta via pública, informa-me que circulo: Na auto-estrada A25. Na estrada nacional A25. Na estrada nacional N16.

A sinalização desta via pública, informa-me que circulo: Na auto-estrada A25. Na estrada nacional A25. Na estrada nacional N16. A referência IC 17, colocada na sinalização indica: Que circulo no itinerário complementar nº 17. Que faltam 17 kms para o início da A1. Que me encontro no km 17, da via em que circulo. A sinalização com

Leia mais

Autárquicas Vila Nova de Gaia. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 51

Autárquicas Vila Nova de Gaia. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 51 - Autárquicas 217 Autárquicas 217 Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta Município: 51 Vila Nova de Gaia Participantes no inquérito: Não responderam: PSD.CDS CDU BE PCTP-MRPP

Leia mais

Apresentação do caso. Figura 1 - Linha de fabricação de painéis

Apresentação do caso. Figura 1 - Linha de fabricação de painéis Caso MOBILEX Disponibilidade de equipamentos de produção Caso retirado do livro Manutenção Centrada na Fiabilidade, Economia das Decisões,, LIDEL, 1997 e reescrito de acordo com o livro Apoio à Decisão

Leia mais

Entrada SENSEcb-ET Emissores de bilhetes

Entrada SENSEcb-ET Emissores de bilhetes DESCRIÇÃO GERAL?A máquina de entrada SENSE-ET CB foi desenvolvida pela engenharia da Equinsa Parking como uma unidade de controlo de acessos a áreas de estacionamento. Permite indistintamente o registo

Leia mais

Arquitectura de Computadores 2006/2007 2º Semestre 2º Teste (A) - 15/06/2007. Folha de Respostas

Arquitectura de Computadores 2006/2007 2º Semestre 2º Teste (A) - 15/06/2007. Folha de Respostas Arquitectura de Computadores 2006/2007 2º Semestre 2º Teste (A) - 15/06/2007 Número: Nome: INSTRUÇÕES: - A duração da prova é de 2 horas. - Responda apenas nesta Folha de Respostas ; nada mais será recebido.

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE Março/2017 1 Objetivo Este documento tem por objetivo estabelecer os procedimentos técnicos relativos à adequação

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas

Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Mestrado Integrado em Engenharia Civil Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Sessão Prática 7 (Tipo A): Dimensionamento de intersecções semaforizadas simples INTERSECÇÕES Introdução

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados

Algoritmos e Estruturas de Dados Introdução aos Algoritmos e Estruturas de Dados 2 o Teste - A LEIC Alameda, 2007/2008 Data: 12 de Junho de 2008 2 o Semestre Duração: 2h RESOLUÇÃO I. (2.5+2.5 = 5.0 val.) I.a) Suponha que está a trabalhar

Leia mais

Avaliação Distribuída 2º Mini-Teste (30 de Abril de h30) Os telemóveis deverão ser desligados e guardados antes do início do teste.

Avaliação Distribuída 2º Mini-Teste (30 de Abril de h30) Os telemóveis deverão ser desligados e guardados antes do início do teste. LICENCIATURA EM ECONOMIA MACROECONOMIA II LEC 206 (2006-2007) Avaliação Distribuída 2º Mini-Teste (30 de Abril de 2007 16h30) Duração: 60 minutos Não é permitida qualquer forma de consulta. Os telemóveis

Leia mais

Modulação e Codificação

Modulação e Codificação INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação Engenharia de Telecomunicações e Informática Modulação e Codificação Ano Lectivo 2001/2002 2º

Leia mais

Departamento de Eng. Produção. Sinalização

Departamento de Eng. Produção. Sinalização Departamento de Eng. Produção Sinalização Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Sistemas de Comunicação e Sinalização A operação ferroviária consiste em imprimir

Leia mais

Arquitectura de Computadores 2007/2008 2º Semestre Repescagem 2º Teste - 03/07/2008

Arquitectura de Computadores 2007/2008 2º Semestre Repescagem 2º Teste - 03/07/2008 Arquitectura de Computadores 2007/2008 2º Semestre Repescagem 2º Teste - 03/07/2008 INSTRUÇÕES: - A duração da prova é de 1,5 horas. - Responda apenas nos locais indicados. - Identifique todas as folhas

Leia mais

A condução do meu veículo com estas condições climatéricas: Deve ser feita com especial cuidado. Deve ser feita como normalmente.

A condução do meu veículo com estas condições climatéricas: Deve ser feita com especial cuidado. Deve ser feita como normalmente. A circulação neste tipo de via de características urbanas e com trânsito intenso implica o reconhecimento por parte do condutor que: A condução pode tornar-se monótona. O ambiente rodoviário é mais estável

Leia mais

Problemas de RT Relativos ao Cap.3

Problemas de RT Relativos ao Cap.3 Problemas de RT Relativos ao ap..) O que é um endereço físico? omo é que se distingue de um endereço IP? Será possível obtê-lo a partir de um endereço IP?.) onsidere os grafos de rede representados na

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA MODELO. Duração da prova: 120 minutos

PROVA ESPECÍFICA MODELO. Duração da prova: 120 minutos Página 1 de 10 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de Março AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

KPVA Sistema de Controlle Pontual de Velocidade Independente KPVA SISTEMA DE CONTROLE PONTUAL DE VELOCIDADE INDEPENDENTE

KPVA Sistema de Controlle Pontual de Velocidade Independente KPVA SISTEMA DE CONTROLE PONTUAL DE VELOCIDADE INDEPENDENTE KPVA SISTEMA DE CONTROLE PONTUAL DE VELOCIDADE INDEPENDENTE Cliente: RATP Linhas: linhas do metrô Parisiense em certas zonas Número de unidades: 300 Ano de início de operação: 2004 A RATP equipou todas

Leia mais

Projecto 3º ano. Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco. Folder Tracking. Eng.ª Informática e das Tecnologias da Informação

Projecto 3º ano. Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco. Folder Tracking. Eng.ª Informática e das Tecnologias da Informação Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco Eng.ª Informática e das Tecnologias da Informação Projecto 3º ano Folder Tracking Ferramenta de Rastreio Informacional Orientadores: Elaborado por: Prof.

Leia mais

SEBENTA INTRODUÇÃO Á ALGORITMIA

SEBENTA INTRODUÇÃO Á ALGORITMIA SEBENTA INTRODUÇÃO Á ALGORITMIA O desenvolvimento de programas para computador está sempre baseado na tarefa de programar um computador para seja resolvido um problema ou executada uma função e assim dar

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Civil Licenciatura em Engenharia do Território. Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas

Mestrado Integrado em Engenharia Civil Licenciatura em Engenharia do Território. Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Mestrado Integrado em Engenharia Civil Licenciatura em Engenharia do Território Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Sessão Prática 2 (tipo A): Eficiência dos vários modos no uso

Leia mais

Tiago Guedes 10º 13ª

Tiago Guedes 10º 13ª Tiago Guedes 10º 13ª Introdução A transmissão de dados ou informação consiste na utilização de um suporte de informação para a transportar entre dois pontos fisicamente distantes. Este trabalho apresenta

Leia mais

GUIA DO GESTOR GVE2 Nº 2

GUIA DO GESTOR GVE2 Nº 2 GUIA DO GESTOR GVE2 Nº 2 Veículos (relatórios gerais) Este material apresentará todos os relatórios gerais, cadastros, ocorrências e informações dos veículos. Clique em veículos para visualizar todos os

Leia mais

Detectores fotoeléctricos

Detectores fotoeléctricos Detectores fotoeléctricos Detectores fotoeléctricos Os detectores são equipamentos eléctricos que são utilizados para detectar os mais diversos tipos de objectos, nas mais diversas aplicações, quer industriais,

Leia mais

Teste 1B h30 Parte Prática. Sem consulta e com utilização de calculadora. GRUPO 1 (5,0 val.)

Teste 1B h30 Parte Prática. Sem consulta e com utilização de calculadora. GRUPO 1 (5,0 val.) GRUPO 1 (5,0 val.) Numa dada zona de Leiria existem na atualidade 260 lugares de estacionamento. Após um aumento de preço de 10 % verificou-se que a procura de estacionamento era caracterizada, no período

Leia mais

Engenharia Civil. Representação da Informação. Introdução à Computação

Engenharia Civil. Representação da Informação. Introdução à Computação Engenharia Civil Representação da Informação Introdução à Computação Sumário Retomada... Representação de informação Bit, byte Conversão numérica Exercício Referência link na página 2.2.1 O bit, o byte,

Leia mais

Plano de Atividades e Orçamento 2017

Plano de Atividades e Orçamento 2017 Plano de Atividades e Orçamento 2017 PARAR O DECLÍNIO PROMOVER A RECUPERAÇÃO Maio 2017 mais mobilidade, melhor cidade Evolução da procura (2011-2016) e previsão (2017-2019) em milhares de passageiros Perdemos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO. Nome: Nº: Classificação: O EE:

ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO. Nome: Nº: Classificação: O EE: V/V ESCOLA SECUNDÁRIA C/3º CEB DE RIO TINTO QA 1: Lei de Ohm 7 1. Complete os espaços em branco. (A) Um amperímetro é um aparelho que serve para medir a da corrente eléctrica e a sua unidade no SI é o.

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/1.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

DOMÓTICA Protocolo de comunicação EIB - KNX

DOMÓTICA Protocolo de comunicação EIB - KNX DOMÓTICA Protocolo de comunicação EIB - KNX Introdução O Konnex (KNX), foi criado a 14 de Abril de 1999, a partir dos protocolos Batibus, EIB e EHS. Teve como objetivo criar um único standard europeu para

Leia mais

Despacho nº /99 de 30 de Dezembro. Homologação de Separadores de Táxis

Despacho nº /99 de 30 de Dezembro. Homologação de Separadores de Táxis Despacho nº. 25759/99 de 30 de Dezembro Homologação de Separadores de Táxis O Decreto-Lei n.º 230/99, de 23 de Junho, veio desenvolver o regime jurídico aplicável ao separador de segurança para táxis,

Leia mais

Resposta da questão. A figura ilustra as duas situações, descida e subida.

Resposta da questão. A figura ilustra as duas situações, descida e subida. 1) Em atmosfera de ar calmo e densidade uniforme d a, um balão aerostático, inicialmente de densidade d, desce verticalmente com aceleração constante de módulo a. A seguir, devido a uma variação de massa

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1ª FREQUÊNCIA 5 abril 2019 - Engenharia de Software - 2018/19, Duração:120 minutos 1. [3 valores] Descreva as principais

Leia mais

Projeto de Introdução à Arquitetura de Computadores. Corridas de Bicicleta 2013 / 2014 LICENCIATURA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E DE COMPUTADORES

Projeto de Introdução à Arquitetura de Computadores. Corridas de Bicicleta 2013 / 2014 LICENCIATURA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E DE COMPUTADORES LICENCIATURA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E DE COMPUTADORES Projeto de Introdução à Arquitetura de Computadores Corridas de Bicicleta 2013 / 2014 INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Índice 1. Objetivo... 3 2. Descrição

Leia mais

Número: Professor: JM JF PA _. Exame2ª Época - 13/02/2009-2h

Número: Professor: JM JF PA _. Exame2ª Época - 13/02/2009-2h Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Computadores (LEIC/LEETC/LERCM) Exame2ª Época - 13/02/2009-2h Deve justificar

Leia mais

Autárquicas Cascais. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 11

Autárquicas Cascais. Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta. Município: 11 - Autárquicas 217 Autárquicas 217 Inquérito sobre Políticas e Propostas para a Mobilidade em Bicicleta Município: 11 Cascais Participantes no inquérito: Não responderam: PSD.CDS.PPM CDU PCTP-MRPP 1.1.

Leia mais

Duração do Teste: 2h.

Duração do Teste: 2h. Telecomunicações e Redes de Computadores Mestrado em Engenharia e Gestão Industrial Prof. João Pires º Teste, 007/008 8 de Junho de 008 Nome: Número: Duração do Teste: h. A prova é composta por três partes:

Leia mais

Introdução à Programação. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados

Introdução à Programação. Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Introdução à Programação Operadores, Expressões Aritméticas e Entrada/Saída de Dados Programa em C #include int main main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas

Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Mestrado Integrado em Engenharia Civil Disciplina: TRANSPORTES Prof. Responsável: José Manuel Viegas Sessão Prática 8 (Tipo B): Organização de serviços de transporte público urbano 1/23 Classificação Geral

Leia mais

PROVAS DE ACESSO E INGRESSO PARA OS MAIORES DE 23 ANOS

PROVAS DE ACESSO E INGRESSO PARA OS MAIORES DE 23 ANOS Ano Lectivo: 00/0 Data: /05/00 Prova: MATEMÁTICA Escola onde realiza esta prova: ESEIG ESTGF ISCAP ISEP Duração da Prova: h Tolerância: 5 min Rubrica de Docente em Vigilância A preencher pelo candidato

Leia mais

Data: Horário: Turma: Turno: Grupo: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome:

Data: Horário: Turma: Turno: Grupo: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome: Aluno N : Nome: Data: Horário: Turma: Turno: Grupo: 3. DIMENSIONAMENTO Esta secção visa preparar os alunos para as experiências que irão realizar no laboratório. Todos os grupos terão de no início da sessão de laboratório

Leia mais

O que são os satélites?

O que são os satélites? Pág 1 O que são os satélites? Um satélite artificial é um sistema que orbita em torno do nosso planeta, com uma altitude e velocidade constante. Geralmente os satélites estão equipados com meios radioeléctricos

Leia mais

Multimedidor Mult-K [1] Introdução Mult-K Foto ilustrativa [2] Princípio de funcionamento [5] Precisão Mult-K

Multimedidor Mult-K [1] Introdução Mult-K Foto ilustrativa [2] Princípio de funcionamento [5] Precisão Mult-K [1] Introdução O Multimedidor Mult-K é um instrumento digital microprocessado, para instalação em porta de painel, que permite a medição de até 44 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada

Leia mais

Lista de Exercícios. Camada de Enlace de Dados

Lista de Exercícios. Camada de Enlace de Dados Lista de Exercícios Camada de Enlace de Dados 1. Um pacote de uma camada superior de redes é dividido em 10 quadros, e cada quadro tem 80% de chances de chegar sem danos. Se o protocolo de enlace de dados

Leia mais

Trabalho Prático Nº 8

Trabalho Prático Nº 8 ESTV-ESI-Sistemas Digitais-Trabalho Prático Nº8 /7 Trabalho Prático Nº 8 Projecto de um controlador de semáforos V2 S2 V S S GY R S2 R2 Y2 G2 Especificações funcionais: Controlador de semáforos de um cruzamento

Leia mais

RALLY DE PORTUGAL HISTÓRICO 2013 Informação aos concorrentes nº 1

RALLY DE PORTUGAL HISTÓRICO 2013 Informação aos concorrentes nº 1 RALLY DE PORTUGAL HISTÓRICO 2013 Informação aos concorrentes nº 1 Data: 30 Setembro 2013 Págs: 5 Anexos: 6 Atenção: A presente informação destina-se a prestar esclarecimentos adicionais e/ou a clarificar

Leia mais

Aplicação dos conceitos de posição, velocidade e aceleração. Aplicação de derivadas e primitivas de

Aplicação dos conceitos de posição, velocidade e aceleração. Aplicação de derivadas e primitivas de Ano lectivo 2010-2011 Engenharia Civil Exercícios de Física Ficha 4 Movimento a uma Dimensão Capítulo 3 Conhecimentos e e capacidades a adquirir a adquirir pelo pelo aluno aluno Aplicação dos conceitos

Leia mais

1. A empresa de transportes fluviais RioAcimaRioAbaixo vai fazer uma alteração de tarifas

1. A empresa de transportes fluviais RioAcimaRioAbaixo vai fazer uma alteração de tarifas Mestrado em Transportes Processos de Decisão Exame 2006.02.07 Duração: 2 horas Com consulta Das 3 questões que constituem este exame deverá escolher apenas 2 para responder e entregar 1. A empresa de transportes

Leia mais

segurança da circulação em meio urbano 30 de Novembro de 2018

segurança da circulação em meio urbano 30 de Novembro de 2018 2º SEMINÁRIO segurança da circulação em meio urbano 30 de Novembro de 2018 1. As características intrínsecas da sinalização do trânsito 2. Os regimes de circulação 3. A hierarquia viária urbana 4. Os Esquemas

Leia mais

Noções de Ethernet (enlace) Endereçamento Físico Dispositivos de Rede. Introdução às Redes de Computadores

Noções de Ethernet (enlace) Endereçamento Físico Dispositivos de Rede. Introdução às Redes de Computadores Noções de Ethernet (enlace) Endereçamento Físico Dispositivos de Rede Nível de enlace Enlace Físico Delimitação da informação Detecção de erros de transmissão Controle de acesso ao Meio Físico Endereçamento

Leia mais

Arquitectura de Computadores 2006/2007 2º Semestre 2º Teste (B) - 15/06/2007. Folha de Respostas

Arquitectura de Computadores 2006/2007 2º Semestre 2º Teste (B) - 15/06/2007. Folha de Respostas Arquitectura de Computadores 2006/2007 2º Semestre 2º Teste (B) - 15/06/2007 Número: Nome: INSTRUÇÕES: - A duração da prova é de 2 horas. - Responda apenas nesta Folha de Respostas ; nada mais será recebido.

Leia mais

Fundamentos de Mecânica IGc, Licenciatura, Noturno (2016) Lista 01

Fundamentos de Mecânica IGc, Licenciatura, Noturno (2016) Lista 01 1. O prefixo giga significa: (a) 10 3 (b) 10 6 (c) 10 9 (d) 10 12 (e) 10 15 2. O prefixo mega significa: (a) 10-9 (b) 10-6 (c) 10-3 (d) 10 6 (e) 10 9 3. O prefixo pico significa: (a) 10-12 (b) 10-6 (c)

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados

Algoritmos e Estruturas de Dados Introdução aos Algoritmos e Estruturas de Dados Repescagem 2 o Teste - B Ano lectivo: 2010/2011 2 o Semestre RESOLUÇÃO DA REPESCAGEM DO 2 o TESTE I. (2.5 + 2.5 + 3.0 = 8.0 val.) I.a) Considere o tipo Voo

Leia mais

Cada disco de tacógrafo pode ser utilizado, no máximo: Durante 24 horas; Durante 48 horas; Durante 72 horas;

Cada disco de tacógrafo pode ser utilizado, no máximo: Durante 24 horas; Durante 48 horas; Durante 72 horas; A falta de descanso e a ingestão de bebidas alcoólicas influenciam negativamente a tarefa da condução? Não, salvo nos casos em que o condutor ingere medicamentos com regularidade. O álcool sim. O cansaço

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO VISEU

ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO VISEU MATRIZ DA PROVA ESCRITA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE FÍSICA E QUÍMICA B FORMAÇÃO CIENTÍFICA CÓDIGO 167 11º Ano de Escolaridade Cursos Tecnológicos Duração da prova escrita: 90 minutos Ano Lectivo:

Leia mais

RASTREADOR T- BOX L HW06 MANUAL. Versão Data Responsável Comentários /09/2008 Daniele Rodrigues dos Santos Versão inicial

RASTREADOR T- BOX L HW06 MANUAL. Versão Data Responsável Comentários /09/2008 Daniele Rodrigues dos Santos Versão inicial RASTREADOR T- BOX L HW06 MANUAL Versão Data Responsável Comentários 1.0 21/09/2008 Daniele Rodrigues dos Santos Versão inicial 1 INDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. CARACTERISTICAS...3 3. FUNÇÕES...4 4. OPERAÇÃO...4

Leia mais

GESTÃO DE ENERGIA GESTÃO DO DIAGRAMA DE CARGAS

GESTÃO DE ENERGIA GESTÃO DO DIAGRAMA DE CARGAS GESTÃO DE ENERGIA GESTÃO DO DIAGRAMA DE CARGAS F. Maciel Barbosa 2004/2005 F.Maciel Barbosa 1 O DIAGRAMA DE CARGAS A ENERGIA ELÉCTRICA NÃO É UM PRODUTO SIMPLES, MENSURÁVEL ATRAVÉS DUM ÚNICO PARÂMETRO AS

Leia mais

App ActiveTrack TUTORIAL. (Instalação e Utilização)

App ActiveTrack TUTORIAL. (Instalação e Utilização) App ActiveTrack TUTORIAL (Instalação e Utilização) 1. Instalar App AtiveTrack (apenas em SO Android) a) Antes de instalares a aplicação, deves certificar-se que ativas a opção Fontes desconhecidas Permitir

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Desenvolvimento de projetos de inovação em mobilidade urbana

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Desenvolvimento de projetos de inovação em mobilidade urbana ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Desenvolvimento de projetos de inovação em mobilidade urbana Prof. Leopoldo Yoshioka 2 de abril de 2019 Objetivo da palestra Aprender a aplicar os conhecimentos

Leia mais

FICHA TÉCNICA TW2002

FICHA TÉCNICA TW2002 FICHA TÉCNICA Especificações Grau de Protecção: IP68 (Prova de água); Capacidade para 2000 utilizadores; Modos de funcionamento: Controlo de uma porta, Controlo de duas portas, entre outras aplicações.

Leia mais

Variáveis Tipos de Dados. APROG (Civil) Aula 2

Variáveis Tipos de Dados. APROG (Civil) Aula 2 Variáveis Tipos de Dados APROG () Aula 2 Conteúdo Conceito de Variável Declaração de variáveis Tipos de Dados Operação de Atribuição Uso de Constantes 2 Variáveis Uma variável é uma localização de memória

Leia mais

Algoritmos: Conceitos Fundamentais. Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza

Algoritmos: Conceitos Fundamentais. Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza Algoritmos: Conceitos Fundamentais Slides de autoria de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza DADOS E EXPRESSÕES Uso da Informação Computador manipula informações contidas em sua memória. Classificadas

Leia mais

Registro do software do token: SafeNet MobilePASS+ para Apple ios

Registro do software do token: SafeNet MobilePASS+ para Apple ios Registro do software do token: SafeNet MobilePASS+ para Apple ios Etapa 1: Abra o e-mail de autorregistro a. Abra o e-mail de autorregistro no seu dispositivo Apple ios. OBSERVAÇÃO: se estiver usando um

Leia mais

Instrução de Trabalho: Instalar Client

Instrução de Trabalho: Instalar Client Instrução de Trabalho Instrução de Trabalho: Instalar Client 1. Objetivos Estabelecer procedimento para a atividade Instalar client. 2. Definições 3. Aplicação Aplicável á todos os envolvidos na Implantação

Leia mais

NAVEGAÇÃO.

NAVEGAÇÃO. NAVEGAÇÃO www.fiatnavigation.com www.daiichi.com.tr Começar Ao utilizar o software de navegação pela primeira vez, o processo de configuração inicial é iniciado automaticamente. Faça o seguinte: Selecione

Leia mais

Exemplo de Aplicação de Algoritmos Genéticos. Prof. Juan Moisés Mauricio Villanueva cear.ufpb.br/juan

Exemplo de Aplicação de Algoritmos Genéticos. Prof. Juan Moisés Mauricio Villanueva cear.ufpb.br/juan Exemplo de Aplicação de Algoritmos Genéticos Prof. Juan Moisés Mauricio Villanueva jmauricio@cear.ufpb.br cear.ufpb.br/juan Estrutura do Algoritmo Genético Algoritmo genético Inicio t = 0 inicializar P(t)

Leia mais

2 O gráfico posição x tempo abaixo, refere se a uma partícula que se desloca em movimento uniforme.

2 O gráfico posição x tempo abaixo, refere se a uma partícula que se desloca em movimento uniforme. Aula ao vivo 10/03/2014 Introdução à Cinemática 1 Durante uma viagem entre duas cidades, um passageiro decide calcular a velocidade escalar média do ônibus. Primeiramente, verifica que os marcos indicativos

Leia mais

Transdutor Digital MKM-02

Transdutor Digital MKM-02 [1] Introdução O Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA). É um instrumento

Leia mais

ROADSHOW PORTO Sistema GS1 26 de Maio 2011 Luís Peixoto

ROADSHOW PORTO Sistema GS1 26 de Maio 2011 Luís Peixoto ROADSHOW PORTO Sistema GS1 26 de Maio 2011 Luís Peixoto The global language of business SOP 2010 Agenda 1. Normas Globais para Identificação Automática 2. A Base do Sistema GS1: os Identificadores Chave

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Bloco I 11.º Ano Ficha de avaliação sumativa n.º 1 Duração: 50 min. + 50 min.

Leia mais