FIC - Feira Internacional de Cabo Verde. Cabo Verde

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FIC - Feira Internacional de Cabo Verde. Cabo Verde"

Transcrição

1 FIC - Feira Internacional de Cabo Verde Cabo Verde 19 a 22 de Novembro de 2009

2 Enquadramento A aicep Portugal Global, no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional, propõe-se dinamizar a presença nacional na FIC Feira Internacional de Cabo Verde 2009, que se realizará na Cidade do Mindelo de 19 a 22 de Novembro de 2009, assumindo a organização do Pavilhão de Portugal. Portugal é o principal parceiro comercial de Cabo Verde estando em vigor o Acordo de promoção e Protecção Recíproca dos Investimentos entre os dois países, bem como a Convenção para evitar a dupla tributação e evasão fiscal o que traz maior estabilidade e segurança à cooperação económica bilateral. A actual conjuntura política cabo verdiana dá prioridade ao desenvolvimento e reestruturação dos sectores da energia, transportes, infraestruturas, modernização da agricultura e pescas a par da criação de condições favoráveis à atracção de capitais externos e à criação de empresas francas. A FIC Feira Internacional de Cabo Verde é uma feira multi-sectorial anual que constitui o maior evento comercial com dimensão internacional em Cabo Verde. Na edição da FIC 2008, participaram cerca de 124 empresas oriundas de Portugal, Brasil, Espanha e Cabo Verde. Estiveram presentes 53 empresas portuguesas distribuídas pelos sectores da Construção Civil, Consultoria, Ambiente, Infraestruturas, Equipamentos Industriais, Comunicações, entre outros. Para 2009, a AICEP, propõe-se organizar um pavilhão de m 2 para uma previsão de 50 empresas participantes dos sectores com mais enfoque no mercado. Em paralelo à Feira, realizar-se-ão acções de divulgação complementar tanto junto dos agentes económicos locais como das autoridades decisoras da Administração Pública e Governo de Cabo Verde. 1

3 Condições de Participação A proposta da aicep Portugal Global para a participação das empresas neste evento inclui os seguintes serviços: Stand chave na mão: montagem e desmontagem do mesmo, identificação da empresa, um armário, uma mesa, três cadeiras, iluminação básica e ligação eléctrica, vigilância e segurança, limpeza diária. Módulos disponíveis de 9m 2, 18m 2, e 27 m 2. No custo dos stands estão incluídas duas verbas: o uma relativa ao custo da área efectivamente ocupada (9m 2, 18m 2 e 27 m 2 ) mais o custo da construção do stand; o outra relativa à repartição dos custos das áreas de circulação e arrumos. A aicep Portugal Global assume 25% desses custos e as empresas participantes os restantes 75%. Transporte de mostruários: - Frete de ida 2,5 m 3 por empresa, via marítima, desde o armazém do transitário seleccionado até ao stand. De referir que a entrada dos mostruários em Cabo Verde tem regras especificas, a saber: Todas as mercadorias que entram em Cabo Verde estão sujeitas a tributações: umas pelo facto de entrarem definitivamente; outras por entrarem temporariamente. A diferença entre os dois regimes (temporário ou definitivo) prende-se com o facto de os pagamentos relacionados com as importações definitivas serem considerados como taxas/impostos obrigatórios que incidem sobre o acto de nacionalização das mercadorias, enquanto que os pagamentos relacionados com as exportações temporárias são considerados como garantias/cauções/fianças que, por um lado, garantem que as mercadorias regressem à origem ou salvaguardam o facto de as mesmas ficarem no destino. - Envio aéreo excepcional: Para as empresas de bens perecíveis, entendendo-se como tal as empresas de bens alimentares que sejam considerados perecíveis pela aicep, e somente para estes casos não havendo lugar a quaisquer excepções, o envio do mostruário poderá ser efectuado via aérea. Nota: Será feita a armazenagem de taras vazias para reembalagem de cargas durante o período de realização da feira, se para tal tiver sido dada a indicação ao transitário na data da entrega dos mostruários no armazém em Portugal. 2

4 - Será da responsabilidade das empresas expositoras: 1. Assumir a totalidade dos custos de transporte relativos a envios superiores à volumetria indicada, que serão regularizados directamente com o transitário seleccionado. 2. Assegurar o devido acondicionamento/embalagem dos produtos para transporte. 3. Assumir a totalidade do custo de retorno de mercadorias. 4. Assumir os custos de alteração dos despachos e taxas do regime de exportação temporária para definitiva ou eventuais cauções relacionadas com o regime de exportação temporária, que serão regularizados directamente entre o expositor e o transitário seleccionado. 5. Assumir o custo diferencial que venha a ser apurado entre o valor do frete marítimo de 2,5 m3 estabelecido pela aicep já incluído no valor da taxa de inscrição, e o valor de transporte aéreo, que deverá ser regularizado directamente entre o expositor e o transitário seleccionado. Nota: A data limite de entrega da carga marítima e a indicação do transitário adjudicatário deste envio serão comunicados oportunamente. Viagem e alojamento (opcional): - Está considerado um representante por empresa. - Estão incluídos nesta rubrica, viagem de ida e volta em classe económica, o alojamento de 7 noites em regime APA, taxas de aeroporto, visto de entrada em Cabo Verde, transfer aeroporto/hotel/aeroporto e hotel/feira/hotel. Nota: Será oportunamente indicada a agência de viagens adjudicatária deste grupo. Campanha de Marketing - Inscrição no catálogo editado pela aicep - Inscrição no catálogo oficial da feira 3

5 Condições Financeiras de Participação As condições financeiras de participação das empresas são as seguintes: Quadro 1 Custos de Participação sem Financiamento QREN Serviços com Viagem e Alojamento Serviços sem Viagem nem Alojamento Valor Iva (20%) Total Módulos Valor Iva (20%) Total 5.642, , ,36 Stand 9m² 3.892,80 778, , , , ,92 Stand 18m² 6.531, , , , , ,48 Stand 27m 9.170, , ,48 Quadro 2 Reembolso da aicep após aprovação e reembolso do QREN Serviços com Viagem e Alojamento Serviços sem Viagem nem Alojamento Valor 35% Módulos Valor 35% 1.974,98 Stand 9m² 1.362, ,56 Stand 18m² 2.286, ,14 Stand 27m² 3.209,64 A participação das empresas implica, numa primeira fase, o pagamento do valor total previsto no quadro 1, conforme modalidade e o módulo escolhido. Com a aprovação do financiamento QREN, a aicep Portugal Global procederá ao reembolso chegando aos valores previstos no quadro 2, igualmente em função da modalidade e do módulo seleccionado. Nota: A presente acção insere-se no Plano de Promoção Externa da AICEP para 2008/2009, objecto de candidatura ao Sistema de Incentivos às Acções Colectivas, na sequência de Carta-Convite da Autoridade de Gestão do COMPETE - Programa Operacional Factores de Competitividade. Nos termos do referido Convite, a candidatura da AICEP encontra-se sujeita às condições previstas no Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 1/SIAC/2008, de 17 de Novembro, designadamente no que se refere ao Âmbito Territorial de aplicação (Regiões de Convergência Norte, Centro e Alentejo). Nestas circunstâncias, os investimentos imputáveis às Regiões NUTII Lisboa e Algarve não serão objecto de comparticipação no âmbito do projecto e, como tal, as empresas sedeadas nessas Regiões não poderão ser beneficiárias de co-financiamento QREN. 4

6 Informamos que as pequenas empresas nas condições de usufruir do QREN e que tenham a certificação electrónica do site do IAPMEI poderão ter uma majoração até 45%. Alerta-se também para o facto de não poderem participar na feira e nem serem beneficiárias de co - financiamento QREN, as empresas que não obedeçam às condições listadas no Anexo 1. Processo de inscrição Esta Acção destina-se a empresas portuguesas produtoras e comercializadoras de Bens e Serviços Nacionais. As empresas interessadas em integrar esta acção deverão proceder ao preenchimento por via informática do Formulário de Inscrição (documento em anexo) e proceder ao seu envio para o de seu Gestor de Cliente até ao 29 de Maio de O pagamento de participação deverá ser efectuado em duas tranches: 50% até 29 de Maio de 2009 e 50% até 31 de Julho de 2009, procedendo à transferência bancária para o NIB das referidas percentagens do valor total definido no primeiro quadro ( Custo de Participação sem financiamento QREN ) em função do espaço pretendido e modalidade seleccionada. Chamamos a atenção para que com a transferência bancária seja dada a indicação do NIF, Nome da Empresa e da Feira a que se refere - FIC- de modo a que possa ser emitida a factura/recibo correctamente que discriminará o valor a cobrar sem IVA e ainda o valor do IVA correspondente. No respeitante aos comprovativos das empresas relativos à situação regularizada para com o Estado e a Segurança Social deverão ser apresentadas preferencialmente no acto de inscrição ou no limite até ao dia 29 de Maio de 2009, as certidões actualizadas ou cópias autenticadas pelos respectivos Serviços, válidas à data de realização da feira, ou autorizando a consulta por parte da Agência nos sítios da Internet da Segurança Social e das Finanças. Para participarem as empresas também têm que ter a sua situação regularizada com a aicep Portugal Global, não podendo ter dívidas em atraso. Com o envio desta informação deverão indicar qual o contacto operacional da empresa para esta acção, respectivo número de telefone e . 5

7 ANEXO 1 QREN / Sistema de Incentivos às Acções Colectivas Condições de Participação e Co-financiamento QREN Com vista à participação nas acções colectivas dinamizadas pela Aicep no âmbito do QREN, a empresa cumpre, ou encontra-se em situação de cumprir, as condições de elegibilidade constantes do Enquadramento Nacional (Artigos 11.º e 12.º do Decreto-Lei n.º 287/2007, de 17 de Agosto) e do Regulamento do Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (Portaria n.º 1463/2007, de 15 de Novembro, alterada pela Portaria nº 250/2008, de 4 de Abril), designadamente: i) Encontrar-se legalmente constituído ii) Cumprir as condições legais necessárias ao exercício da respectiva actividade iii) Possuir a situação regularizada face à administração fiscal, à segurança social e às entidades pagadoras de incentivos iv) Possuir ou assegurar os recursos humanos e físicos necessários ao desenvolvimento do projecto v) Dispor de contabilidade organizada nos termos da legislação aplicável vi) Cumprir o rácio de autonomia financeira definido no anexo B do Regulamento do Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME vii) Cumprir (quando aplicável) os critérios de PME - para efeitos de comprovação do estatuto de PME as empresas deverão registar-se no site do IAPMEI para obtenção da Certificação Electrónica prevista no Decreto-Lei nº 372/2007, de 6 de Novembro 6

FILDA Feira Internacional de Luanda. Angola

FILDA Feira Internacional de Luanda. Angola FILDA Feira Internacional de Luanda Angola 14 a 19 de Julho de 2009 Enquadramento: A aicep Portugal Global, no âmbito do Quadro de Referência Estratégica Nacional, propõe-se dinamizar a presença nacional

Leia mais

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho

Visita a Portugal do importador. Exclusivos Camacho Visita a Portugal do importador Exclusivos Camacho Sector Cerâmica e Faiança Decorativas Espanha 14 a 16 de Janeiro de 2014 Enquadramento : Como consequência da nova situação económica em Espanha, os últimos

Leia mais

50 the International Paris Air Show

50 the International Paris Air Show Cluster Aeroespacial Nacional Pavilhão de Portugal 50 the International Paris Air Show Paris - Le Bourget 17 a 23 de Junho de 2013 www.salon-du-bourget.fr ENQUADRAMENTO e OBJECTIVO Na continuidade das

Leia mais

Missão empresarial a Santiago do Chile. Multisetorial

Missão empresarial a Santiago do Chile. Multisetorial Missão empresarial a Santiago do Chile Multisetorial 25 a 29 de Novembro de 2013 Enquadramento: Missão empresarial Chile multisetorial O Chile constitui uma das economias mais desenvolvidas, estáveis e

Leia mais

Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia

Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia Missão Empresarial Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) Sector: Energia Manila, 18 a 22 de Março de 2013 1 Enquadramento: No âmbito do Acordo de Parceiros celebrado entre a AICEP e o GPEARI (Ministério

Leia mais

21ª Edição da Feira Internacional da Construção do Cazaquistão (Interiores, janelas, portas e fachadas, cerâmica, pedra, tudo para a construção) ~

21ª Edição da Feira Internacional da Construção do Cazaquistão (Interiores, janelas, portas e fachadas, cerâmica, pedra, tudo para a construção) ~ 21ª Edição da Feira Internacional da Construção do Cazaquistão (Interiores, janelas, portas e fachadas, cerâmica, pedra, tudo para a construção) ~ 2 a 5 setembro 2014 1 1. Valor de participação: 9.711,65

Leia mais

17ª Edição da FIC Feira Internacional de Cabo Verde Cidade do Mindelo ilha de S. Vicente

17ª Edição da FIC Feira Internacional de Cabo Verde Cidade do Mindelo ilha de S. Vicente 17ª Edição da FIC Feira Internacional de Cabo Verde Cidade do Mindelo ilha de S. Vicente 20 a 24 de Novembro 2013 1. PREÇOS DE PARTICIPAÇÃO (VALOR BASE, SEM CO-FINANCIAMENTO) Com Viagem e Alojamento Espaço

Leia mais

Missão empresarial ao Brasil Rio de Janeiro e São Paulo

Missão empresarial ao Brasil Rio de Janeiro e São Paulo Missão empresarial ao Brasil Rio de Janeiro e São Paulo Multisectorial Petróleo e Gás, Energias Renováveis e Eficiencia Energética; Infraestruturas (Ferroviárias, Aeroportuárias, Rodoviárias e Portuárias);

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Ver. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

FACIM Feira Internacional de Maputo. Maputo, 29 de Agosto a 4 Setembro de 2011. 47ª Edição

FACIM Feira Internacional de Maputo. Maputo, 29 de Agosto a 4 Setembro de 2011. 47ª Edição FACIM Feira Internacional de Maputo Maputo, 29 de Agosto a 4 Setembro de 2011 47ª Edição Enquadramento Moçambique continua a cumprir os principais objectivos macroeconómicos definidos no seu plano de desenvolvimento

Leia mais

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia FIA Feira Internacional de Argel Argélia 28 de maio a 2 de junho de 2014 Enquadramento de Mercado Fator Geográfico A Argélia é um dos Estados que compõe a região do Magreb, e em termos de dimensões é o

Leia mais

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov.

19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. 19ª Edição FIC Feira Internacional de Cabo Verde Ilha de S. Vicente Cidade do Mindelo Laginha 18-22 de Nov. Stopover Ilha de Santiago Cidade da Praia 16-17 de Nov. Proj. Conjunto Internacionalização PT2020

Leia mais

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia

FIA Feira Internacional de Argel. Argélia FIA Feira Internacional de Argel Argélia 27 de maio a 1 de junho de 2015 Enquadramento de Mercado Fator Geográfico A Argélia é um dos Estados que compõe a região do Magrebe, e em termos de dimensões é

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 22 a 27 de julho de 2014. 31ª Edição

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 22 a 27 de julho de 2014. 31ª Edição FILDA Feira Internacional de Luanda Luanda, 22 a 27 de julho de 2014 31ª Edição Enquadramento Nos últimos dez anos, Angola evoluiu de uma economia de guerra para uma economia de mercado dependente do sector

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO CHILE SANTIAGO DO CHILE 01 a 06 de OUTUBRO 2016 2 DESCRIÇÃO:

MISSÃO EMPRESARIAL AO CHILE SANTIAGO DO CHILE 01 a 06 de OUTUBRO 2016 2 DESCRIÇÃO: 23 MISSÃO EMPRESARIAL AO CHILE SANTIAGO DO CHILE 01 a 06 de OUTUBRO 2016 2 DESCRIÇÃO: A Missão encontra-se integrada no Projeto Conjunto da AIDA, INOV_MARKET, que tem como principais objetivos promover

Leia mais

Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas)

Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas) 1 Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas) Esta proposta de participação é válida para um elemento por empresa,

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 21 a 26 de julho de 2015. 32ª Edição

FILDA Feira Internacional de Luanda. Luanda, 21 a 26 de julho de 2015. 32ª Edição FILDA Feira Internacional de Luanda Luanda, 21 a 26 de julho de 2015 32ª Edição Enquadramento Nos últimos treze anos, Angola evoluiu de uma economia de guerra para uma economia de mercado muito dependente

Leia mais

FACIM Feira Internacional de Maputo

FACIM Feira Internacional de Maputo FACIM Feira Internacional de Maputo Moçambique 26 de agosto a 1 de setembro de 2013 Enquadramento de mercado Quadro macroeconómico favorável Moçambique obteve nos últimos 10 anos um dos melhores resultados

Leia mais

Missão Empresarial à China

Missão Empresarial à China Missão Empresarial à China Fornecedores do setor automóvel Xangai e Pequim 9 a 14 de setembro de 2013 Atualização Enquadramento A previsão do Governo Chinês emitida em Janeiro deste ano estima que em 2013

Leia mais

Portaria 560/2004, de 26 de Maio

Portaria 560/2004, de 26 de Maio Portaria 560/2004, de 26 de Maio Aprova o Regulamento Específico da Medida «Apoio à Internacionalização da Economia A Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 17 de Junho, publicada em 26 de

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 INOVAÇÃO PRODUTIVA SECTOR TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE PÁGINA OBJECTO

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Intergift 12 a 16 de Setembro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Intergift 12 a 16 de Setembro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Intergift 12 a 16 de Setembro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Rev. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção

Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção Visita a Portugal do Importador C & C Casa & Construção Sector da Construção Brasil 21 a 25 de Outubro de 2013 Enquadramento Com uma extensão territorial de aproximadamente 8,5 milhões km 2, vastos recursos

Leia mais

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio.

Maputo, a sua capital, é o seu porto de mercadorias por excelência e principal centro de comércio. Missão Empresarial Moçambique 28 agosto 3 setembro 2014 Moçambique: porta de entrada na África Austral Moçambique é hoje um mercado em expansão com mais de 24 milhões de consumidores, que tem vindo a registar

Leia mais

FILDA Feira Internacional de Luanda

FILDA Feira Internacional de Luanda FILDA Feira Internacional de Luanda Luanda, 16 a 21 de julho de 2013 30ª Edição Enquadramento Passada uma década sobre o fim do conflito militar, em que Angola se assumiu como uma potência regional no

Leia mais

Projectos de I&DT Empresas Individuais

Projectos de I&DT Empresas Individuais 1 Projectos de I&DT Empresas Individuais Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (SI I&DT) Projectos de I&DT Empresas Dezembro de 2011 2 s Enquadramento Aviso n.º 17/SI/2011

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA MOÇAMBIQUE ARGÉLIA TUNÍSIA ÁSIA AMÉRICA CHINA PERU EQUADOR CUBA ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 3 CUSTOS: MOÇAMBIQUE

Leia mais

Promoção da Propriedade Industrial

Promoção da Propriedade Industrial 1 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI Qualificação de PME) Projectos Individuais Dezembro de 2011 2 1- Enquadramento 2- Âmbito Sectorial Enquadramento Aviso n.º 14/SI/2011

Leia mais

MISSÕES EMPRESARIAIS

MISSÕES EMPRESARIAIS EXPORT 2º SEMESTRE 2014 1º SEMESTRE 2015 MISSÕES EMPRESARIAIS ÁFRICA ARGÉLIA TUNÍSIA MOÇAMBIQUE ÁSIA AMÉRICA CHINA CUBA PERU EQUADOR ESTADOS UNIDOS EUROPA POLÓNIA CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 DESCRIÇÃO

Leia mais

Ministérios das Finanças e da Economia. Portaria n.º 37/2002 de 10 de Janeiro

Ministérios das Finanças e da Economia. Portaria n.º 37/2002 de 10 de Janeiro Ministérios das Finanças e da Economia Portaria n.º 37/2002 de 10 de Janeiro O Decreto-Lei n.º 70-B/2000, de 5 de Maio, aprovou o enquadramento das medidas de política económica para o desenvolvimento

Leia mais

MARÇO EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS NORTE DE ÁFRICA MARROCOS ARGÉLIA AMÉRICA DO SUL CHILE & COLÔMBIA. Condições de participação

MARÇO EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS NORTE DE ÁFRICA MARROCOS ARGÉLIA AMÉRICA DO SUL CHILE & COLÔMBIA. Condições de participação EXPORTAR NORTE DE ÁFRICA AMÉRICA DO SUL MARROCOS ARGÉLIA CHILE & COLÔMBIA Condições de participação CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO MERCADOS PARTIDA CHEGADA 1 Marrocos 23-03- 26-03- 2 Argélia 23-03- 26-03- 3

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Maison & Objet 20 a 24 de Janeiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Maison & Objet 20 a 24 de Janeiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Maison & Objet 20 a 24 de Janeiro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Ver. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI)

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Nº 03 / SAFPRI / 2009 SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) CONSTITUIÇÃO OU REFORÇO DE FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO (FCR) PROJECTOS FASE

Leia mais

FACIM Feira Internacional de Maputo. Moçambique

FACIM Feira Internacional de Maputo. Moçambique FACIM Feira Internacional de Maputo Moçambique De 25 a 31 de agosto de 2014 Enquadramento de mercado Moçambique é um país com cerca de 24 milhões de habitantes e com um território que é aproximadamente

Leia mais

ACORDO DE PRÉ-ADESÃO Candidatura Sistema de Incentivos COMPETE 2020 Projetos Conjuntos - Formação-ação (aviso 07/SI/2016)

ACORDO DE PRÉ-ADESÃO Candidatura Sistema de Incentivos COMPETE 2020 Projetos Conjuntos - Formação-ação (aviso 07/SI/2016) ACORDO DE PRÉ-ADESÃO Candidatura Sistema de Incentivos COMPETE 2020 Projetos Conjuntos - Formação-ação (aviso 07/SI/2016) O presente acordo define os termos de manifestação de interesse das empresas na

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SI À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO SI À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Data: 13 de Outubro

Leia mais

16 a 22 de ABRIL SECTOR TICE UM PROJECTO DO SECTOR TICE Muito aberto economicamente ao exterior, o Chile assume-se como um caso de sucesso económico e social na região e tem consubstanciado a sua posição

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Âmbito de aplicação do regulamento O presente regulamento estabelece as condições de acesso e as regras gerais de atribuição de co-financiamento comunitário do Fundo

Leia mais

Nota informativa. Internacionalização de PME com incentivos de 70 milhões Aviso nº 01/SI/2014

Nota informativa. Internacionalização de PME com incentivos de 70 milhões Aviso nº 01/SI/2014 Nota informativa Internacionalização de PME com incentivos de 70 milhões Aviso nº 01/SI/2014 Já se encontra republicado, com a alteração de 23 de janeiro de 2015, o Aviso nº 01/SI/2014, para apresentação

Leia mais

Apoio. Programa NOVOS EXPORTADORES

Apoio. Programa NOVOS EXPORTADORES Programa NOVOS EXPORTADORES Artº 1º Definição e Âmbito 1. A Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, E.P.E., adiante designada por AICEP, está a promover o Programa NOVOS EXPORTADORES.

Leia mais

Versão Consolidada. Portaria n.º 964/2009 de 25 de Agosto

Versão Consolidada. Portaria n.º 964/2009 de 25 de Agosto Portaria n.º 964/2009 de 25 de Agosto O Regulamento (CE) n.º 1698/2005, do Conselho, de 20 de Setembro, relativo ao apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER),

Leia mais

1º TRIMESTRE EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS. Condições de participação ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA FEVEREIRO MARÇO

1º TRIMESTRE EXPORTAR A 1ª VEZ MISSÕES EMPRESARIAIS. Condições de participação ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA FEVEREIRO MARÇO FEVEREIRO MARÇO ARGÉLIA CHINA E MACAU MARROCOS TURQUIA ÁFRICA DO SUL E MOÇAMBIQUE COLÔMBIA E CHILE ÍNDIA ISRAEL Condições de participação CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1 AS são uma ação financiada pelo FEDER,

Leia mais

Projecto Factor PME O FACTOR PME É UM PROJECTO DE FINANCIAMENTO QUE VISA POTENCIAR A COMPETITIVIDADE DAS PME. www.trigenius.pt factorpme@trigenius.

Projecto Factor PME O FACTOR PME É UM PROJECTO DE FINANCIAMENTO QUE VISA POTENCIAR A COMPETITIVIDADE DAS PME. www.trigenius.pt factorpme@trigenius. Projecto Factor PME Junho 2011 O FACTOR PME É UM PROJECTO DE FINANCIAMENTO QUE VISA POTENCIAR A COMPETITIVIDADE DAS PME www.factorpme.aip.pt www.trigenius.pt factorpme@trigenius.pt Âmbito e Objectivos

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes e Parcelas para instalação de Actividades Económicas

Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes e Parcelas para instalação de Actividades Económicas Regulamento Municipal de Atribuição de Lotes e Parcelas para instalação de Actividades Económicas Nota Introdutória A existência de um Regulamento de cedência de lotes para a Zona Industrial de Moura,

Leia mais

TERMO DE ACEITAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO

TERMO DE ACEITAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO DA DECISÃO DE APROVAÇÃO Entidade Beneficiária Principal: Acrónimo e Designação do Projecto: Referência PAD 2003-2006: Considerando que, por despacho do Ministro Adjunto do Primeiro-Ministro, foi aprovada

Leia mais

EDITAL Nº6/2015 MEDIDA III - INCENTIVOÀ CRIAÇÃO DE MICRO E PEQUENOS PROJECTOS CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS

EDITAL Nº6/2015 MEDIDA III - INCENTIVOÀ CRIAÇÃO DE MICRO E PEQUENOS PROJECTOS CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EDITAL Nº6/2015 MEDIDA III - INCENTIVOÀ CRIAÇÃO DE MICRO E PEQUENOS PROJECTOS CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Para os efeitos convenientes torna-se público que se encontra aberto, a partir do

Leia mais

Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais

Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais Regulamento Específico Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos Acções Materiais Programa Operacional Valorização do Território Deliberações CMC POR: 26/03/2008, 17/04/2009, 14/08/2009, 20/04/2010,

Leia mais

RELATÓRIO INTERCALAR (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE)

RELATÓRIO INTERCALAR (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE) (nº 3, do artigo 23º, da Decisão 2004/904/CE) Comissão Europeia Direcção-Geral da Justiça, da Liberdade e da Segurança Unidade B/4 Fundo Europeu para os Refugiados B-1049 Bruxelas Estado-Membro: PORTUGAL

Leia mais

Fiapal Informa. Candidaturas QREN

Fiapal Informa. Candidaturas QREN Foram publicados no passado mês de Dezembro 5 Avisos para Apresentação de Candidaturas ao QREN. Destes, três integram a região de Lisboa. Fiapal Informa Aviso de Abertura de Concurso - AAC 17/SI/2011 Sistema

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS QREN

SISTEMAS DE INCENTIVOS QREN ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 09/2011 SISTEMAS DE INCENTIVOS QREN ACESSO À LINHA DE CRÉDITO QREN-INVESTE Tendo em consideração que importa dar continuidade a que as empresas com projectos aprovados no âmbito

Leia mais

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014 ACORDO PRÉ-ADESÃO O presente acordo visa definir os termos de participação na Participação na Feira BIJORHCA em França (Paris) que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2015, promovida pela ANJE Associação

Leia mais

Sistema de Incentivos

Sistema de Incentivos Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização de PME amrconsult 13 de Maio de 2010 1 Agenda 1 Enquadramento 2 Condições de elegibilidade 3 Despesas elegíveis 4 Incentivo 2 1 Enquadramento 3

Leia mais

Sistemas de Incentivos às Empresas QREN Apoios ao Empreendedorismo

Sistemas de Incentivos às Empresas QREN Apoios ao Empreendedorismo Sistemas de Incentivos às Empresas QREN Apoios ao Empreendedorismo Sónia Sequeira Albufeira, 18 abril 2012 Sistemas de Incentivos QREN Informação genérica a reter! Sistemas de Incentivos QREN SI Inovação

Leia mais

8.1 - Datas associadas à execução física 8.2 - Datas associadas à execução financeira INVESTIMENTO TOTAL 0,00

8.1 - Datas associadas à execução física 8.2 - Datas associadas à execução financeira INVESTIMENTO TOTAL 0,00 5 - LOCALIZAÇÃO DO PROJECTO Ilha Concelho i) % Concelho % Concelho % i) Sempre que o Projecto abranja mais do que um Concelho, indicar qual o respectivo benefício (%). 6 - CARACTERIZAÇÃO DO PROJECTO (Descrição

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS PROGRAMA OPERACIONAL VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Deliberações CMC POVT: 15/10/2007, 19/02/2008, 6/02/2012, 8/08/2012 e 2/10/2013 RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL ENTRADA EM VIGOR EM 3/10/2013 NA REDAÇÃO

Leia mais

http://www.iapmei.pt/iapmei-leg-03p.php?lei=7886

http://www.iapmei.pt/iapmei-leg-03p.php?lei=7886 IAPMEI - Legislação - Legislação Nacional - Incentivos-Portaria 1102/2010 de 25 de... Page 1 of 24 Portaria nº 1102/2010 de 25 de Outubro de 2010 DR 207 - SÉRIE I Emitido Por Ministério da Economia, da

Leia mais

Versão Consolidada. Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio

Versão Consolidada. Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio O Regulamento (CE) n.º 1698/2005, do Conselho, de 20 de Setembro, relativo ao apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER),

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 FICHA TÉCNICA INOVAR 2020 Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 Introdução O INOVAR 2020, Sistema de Incentivos

Leia mais

Orientação de Gestão 3.Rev.2 (2013) Procedimentos de Verificações de Gestão Sistema de Incentivos do ON.2

Orientação de Gestão 3.Rev.2 (2013) Procedimentos de Verificações de Gestão Sistema de Incentivos do ON.2 Orientação de Gestão 3.Rev.2 (2013) Procedimentos de Verificações de Gestão Sistema de Incentivos do ON.2 1. ENQUADRAMENTO 1.1. De acordo com a alínea b) do artigo 60.º do Regulamento (CE) n.º 1083/2006,

Leia mais

CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1º. Objecto

CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1º. Objecto CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as condições de acesso das operações a apoiar no âmbito da Prevenção e Gestão de Riscos Naturais e Tecnológicos, para:

Leia mais

Fundo de Apoio às Microempresas no Concelho Montemor-o-Novo NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º.

Fundo de Apoio às Microempresas no Concelho Montemor-o-Novo NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Fundo de Apoio às Microempresas no Concelho Montemor-o-Novo NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se pôr à disposição das microempresas do Concelho

Leia mais

Procedimento por Ajuste Directo N.º 2/2013 (Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro)

Procedimento por Ajuste Directo N.º 2/2013 (Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro) Procedimento por Ajuste Directo N.º 2/2013 (Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro) CADERNO DE ENCARGOS Coimbra, 25 de Janeiro de 2013 [sede] rua coronel veiga simão, edifício c 3020-053 coimbra portugal

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009

ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009 ORIENTAÇÃO DE GESTÃO N.º 05.REV1/POFC/2009 PROCEDIMENTOS DE ENCERRAMENTO DE PROJECTOS 1. ENQUADRAMENTO No âmbito do acompanhamento dos projectos apoiados pelo POFC, importa estabelecer o conjunto de procedimentos

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 66 3 de Abril de 2009 2121

Diário da República, 1.ª série N.º 66 3 de Abril de 2009 2121 Diário da República, 1.ª série N.º 66 3 de Abril de 2009 2121 Portaria n.º 346/2009 O Regulamento (CE) n.º 1698/2005, do Conselho, de 20 de Setembro, relativo ao apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo

Leia mais

Portaria 1191/2003, de 10 de Outubro

Portaria 1191/2003, de 10 de Outubro Portaria 1191/2003, de 10 de Outubro Regula a concessão de apoios a projectos que dêm lugar à criação de novas entidades que originam a criação liquida de postos de trabalho Na apresentação do respectivo

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Despacho Nº4724/2005 Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade do Conhecimento e nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 29º do Decreto-Lei n.º 54-A/2000,

Leia mais

ECOPOL APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE PARCERIAS ECO-INOVADORAS

ECOPOL APOIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE PARCERIAS ECO-INOVADORAS Identificação do Concurso Programa piloto de apoio à internacionalização de parcerias eco-inovadoras, no âmbito do projecto ECOPOL Public innovation partnership for better policies and instruments in support

Leia mais

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME

CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME CANDIDATURAS À MEDIDA FORMAÇÃO-AÇÃO PARA PME Destinatários do projeto Micro, Pequenas e Médias empresas com: Dimensão até 250 trabalhadores Localizadas nas regiões Norte, Centro e Alentejo Estatuto PME

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Processo:

FICHA DOUTRINÁRIA. Processo: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: CIVA Artigo: 1º 29º Assunto: Empresa não residente Armazém em Portugal T909 2006018 despacho do SDG dos Impostos, em substituição do Director- Geral, em 24-02-06 Conteúdo: 1.

Leia mais

Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais

Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais Eixo Prioritário III Valorização e Qualificação Ambiental e Territorial Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos Sociais Aviso Apresentação de Candidaturas Equipamentos para a Coesão Local Equipamentos

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Gabinete do Ministro

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Gabinete do Ministro MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO Despacho ne0 40/2009 O Regulamento Geral do FEDER e do Fundo de Coesiio, aprovado por delibera@o da Comissáo Ministerial de Coordenação do QREN

Leia mais

Acção 3.2.2 Serviços Básicos para a População Rural

Acção 3.2.2 Serviços Básicos para a População Rural 1. OBJECTIVOS DAS INTERVENÇÕES Os apoios previstos no âmbito do presente regulamento visam aumentar a acessibilidade a serviços básicos, que constituem um elemento essencial na equiparação dos níveis de

Leia mais

QREN (2007-2013) PARTE IV Fichas Resumo prioridade «Factores de competitividade»

QREN (2007-2013) PARTE IV Fichas Resumo prioridade «Factores de competitividade» QREN (2007-2013) PARTE IV Fichas Resumo prioridade «Factores de competitividade» SI I&D SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 1 O Quadro de Referência Estratégico Nacional

Leia mais

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses

Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Como Vender em Alemanha Uma acção à medida dos seus interesses Ficha de Inscrição Encontre a resposta às suas dúvidas! Identifique a sessão pretendida: Porto AICEP (Rua António Bessa Leite, 1430-2.º andar)

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Andorra Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Andorra Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Andorra Condições Legais de Acesso ao Mercado Fevereiro 2011 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 3 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES DESPACHO Encontra-se previsto no Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) para 2010 o projecto da responsabilidade do Instituto da Mobilidade e dos Transportes

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 07 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO Nos termos do Regulamento do SI Qualificação

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Programa FINICIA Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar

Leia mais

PRODER - Subprograma 3. ACÇÃO 3.1.2 - Criação e desenvolvimento de Microempresas DOCUMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE APOIO

PRODER - Subprograma 3. ACÇÃO 3.1.2 - Criação e desenvolvimento de Microempresas DOCUMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE APOIO PRODER - Subprograma 3 ACÇÃO 3.1.2 - Criação e desenvolvimento de Microempresas DOCUMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE APOIO DOCUMENTOS DO BENEFICIÁRIO 1 a 9 10 11 13 14 Declaração Geral de Compromisso

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTAO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS (RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL)

EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTAO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS (RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTAO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS (RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL) OOOOOOOOO 17 de Março de 2008 AVISO PARA

Leia mais

Fundo Modernização Comércio

Fundo Modernização Comércio 1 Fundo Modernização Comércio IAPMEI Portaria 236/2013 2 Índice 1. Objectivos e Prioridades 2. Condições de Acesso a. Promotor b. Projecto c. Aviso de Abertura 3. Modalidades de Projectos a Apoiar 4. Elegibilidade

Leia mais

PREVENÇÃO, GESTAO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS DOMÍNIO - RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL

PREVENÇÃO, GESTAO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS DOMÍNIO - RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EIXO PRIORITÁRIO III PREVENÇÃO, GESTAO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS NATURAIS E TECNOLÓGICOS DOMÍNIO - RECUPERAÇÃO DO PASSIVO AMBIENTAL CÓDIGO DO AVISO: POVT-34-2010-39

Leia mais

ASSUNTO: LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO

ASSUNTO: LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO CIRCULAR Nº 036/2016 (SF) RF/RC Lisboa, 09 de Março de 2016 ASSUNTO: LEI N.º 144/2015 DE 8 DE SETEMBRO Informação aos clientes quanto à existência de entidades de resolução alternativa de litígios de consumo

Leia mais

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013

SOLUÇÕES MOÇAMBIQUE-EMPRESAS JULHO 2013 JULHO 2013 EM MOÇAMBIQUE, COMO EM PORTUGAL O BPI e o BCI disponibilizam as Soluções Moçambique-Empresas, um conjunto de produtos e serviços desenhados para empresas que pretendam investir ou exportar para

Leia mais

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação?

Índice. Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Índice Como aceder ao serviço de Certificação PME? Como efectuar uma operação de renovação da certificação? Como efectuar uma operação de confirmação de estimativas? Como aceder ao Serviço de Certificação

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Reforçar a Competitividade das Empresas

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Reforçar a Competitividade das Empresas AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS PROGRAMA OPERACIONAL DA 2014-2020 (MADEIRA 14-20) EIXO PRIORITÁRIO 3 Reforçar a Competitividade das Empresas PRIORIDADE DE INVESTIMENTO (PI) 3.b Desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS IPIM - 1 - REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS INTRODUÇÃO No exercício das atribuições que lhe foram cometidas pelo número 2 do artigo

Leia mais

FORMULÁRIO PROGRAMA DE APOIO A PROJECTOS NO PAÍS

FORMULÁRIO PROGRAMA DE APOIO A PROJECTOS NO PAÍS Comissão para as Alterações Climáticas Comité Executivo Fundo Português de Carbono FORMULÁRIO PROGRAMA DE APOIO A PROJECTOS NO PAÍS CANDIDATURA DE PROGRAMA [de acordo com o Anexo do Regulamento] Resumo

Leia mais

ANEXOS MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Despacho n.º /2008 A Resolução do Conselho de Ministros n.º 25/2008, de 13 de Fevereiro, rectificada

Leia mais

INTERFURNITURE 2013. Acção ICFF Nova Iorque - 18 a 21 de Maio de 2013. (Data limite para o envio - 06 de Março) Formulário de Inscrição

INTERFURNITURE 2013. Acção ICFF Nova Iorque - 18 a 21 de Maio de 2013. (Data limite para o envio - 06 de Março) Formulário de Inscrição rubricar aqui INTERFURNITURE 2013 Acção ICFF Nova Iorque - 18 a 21 de Maio de 2013 (Data limite para o envio - 06 de Março) Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS O presente programa/ catálogo é o documento informativo no qual se inserem as presentes condições gerais, dele fazendo parte integrante e que constituem, na ausência de documento autónomo

Leia mais

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização. Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A.

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização. Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A. Ficha de Produto Tipo de Produto: Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Produto: Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A. Objectivo: Contribuir para o progresso

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS DO SECTOR DO GÁS NATURAL Fevereiro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 213 033 200 Fax:

Leia mais

AVISO (20/GAOA/2015)

AVISO (20/GAOA/2015) AVISO (20/GAOA/2015) Humberto Fernando Leão Pacheco de Brito, Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, submete a consulta pública, para recolha de sugestões, por um período de 30 dias, a contar

Leia mais

Missão empresarial ao Brasil Fortaleza - Ceará

Missão empresarial ao Brasil Fortaleza - Ceará Missão empresarial ao Brasil Fortaleza - Ceará 2 a 5 de novembro de 2014 Multissectorial _ Construção Civil, Logística, Industria Metalomecânica e Minerais não Metálicos _ Energia, Meio Ambiente, Água

Leia mais

Procedimento por Ajuste Directo N.º 1/2013 (Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro)

Procedimento por Ajuste Directo N.º 1/2013 (Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro) Procedimento por Ajuste Directo N.º 1/2013 (Decreto-Lei n.º 18/2008, de 29 de Janeiro) CADERNO DE ENCARGOS Coimbra, 18 de Janeiro de 2013 [sede] rua coronel veiga simão, edifício c 3020-053 coimbra portugal

Leia mais

CONCURSO "IDEIA BRILHANTE"

CONCURSO IDEIA BRILHANTE CONCURSO "IDEIA BRILHANTE" REGULAMENTO DO CONCURSO Concorrentes 1ª Fase 2ª Fase 3ª Fase Vencedores Avaliação de ideias Avaliação de planos de negócio Apresentação do plano de negócios REGULAMENTO DE CONCURSO

Leia mais

Tipologia de Intervenção Formação Acção para PME Programa de Candidatura

Tipologia de Intervenção Formação Acção para PME Programa de Candidatura Tipologia de Intervenção Formação Acção para PME Programa de Candidatura 1. Enquadramento legal do Projecto Dinamizar Considerando o contrato de delegação de competências da Comissão Directiva do POPH

Leia mais