FRANQUIAS. 1. O sistema de Franchising

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FRANQUIAS. 1. O sistema de Franchising"

Transcrição

1 FRANQUIAS Principais divisões desse estudo: 1. O sistema de Franchising 1. O sistema de Franchising 2. Estágios de desenvolvimento de uma franquia 3. Vantagens do sistema de franquia 4. A Lei do Franchising 5. Franquia X Negócio Independente 6. Entidade de classe O sistema de franchising é uma forma específica de gestão empresarial que tem sido amplamente utilizada, internacionalmente, como uma estratégia de organização de mercados (produção, distribuição e comercialização) e um mecanismo eficaz de expansão das micro e pequenas empresas. Ele constitui uma das mais promissoras formas de parceria empresarial, cujos riscos, incertezas e experiências são compartilhados entre o franqueado e o franqueador, via união entre o capital (do franqueado) e o know-how (do franqueador). O franchising nada mais é que um método e um arranjo para distribuição de produtos e/ou serviços. Juridicamente, implementa-se através de um contrato pelo qual o detentor de um nome ou marca, de uma idéia, de um método ou tecnologia, segredo ou processo, proprietário ou fabricante de um certo produto ou equipamento, mais know-how a ele relacionado (o franqueador) outorga a alguém dele jurídica e economicamente independente (franqueado) licença para explorar esse nome ou marca, em conexão com tal idéia, processo, método, tecnologia, produto e/ou equipamento. É estabelecido pelo franqueador o modo pelo qual o franqueado deverá instalar ou operar seu próprio negócio e desempenhar suas atividades, que serão desenvolvidas sempre sob o controle, a supervisão e com a assistência e a orientação do franqueador, a quem o franqueado pagará, direta ou indiretamente, de uma forma ou de outra uma remuneração. O Sistema de Franchising no Brasil é definido no art. 2º da Lei 8.955/94 Franquia empresarial é o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvido ou detido pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício. Franchising Definição IFA (International Franchise Association) Franchising é uma relação contratual entre o franqueador e o franqueado, na qual o primeiro oferece ou é obrigado a manter uma atenção permanente ao negócio do segundo. O franqueador, por sua vez, investe seus próprios recursos em seu próprio negócio, o qual será operado sob um nome comercial comum e de acordo com um formato padrão estabelecido e controlado pelo franqueador. É um sistema de distribuição de bens e serviços, pelo qual o titular de um produto, de um serviço ou de um método, devidamente caracterizado por uma marca registrada, concede a outros comerciantes, que se relacionem com o titular, por ligação contínua, licença e assistência para exposição do produto o mercado. Conselho de Desenvolvimento Comercial. O franchising permite um crescimento relativamente rápido da empresa, com volume de capital inferior ao de alternativas de desenvolvimento de negócio e com um controle adequado do canal de distribuição de seus produtos e/ou serviços.

2 2. Estágios de desenvolvimento de uma franquia A franquia e suas gerações Cabe ressaltar que a geração da franquia equivale apenas para o que é oferecido, não significa dizer se é melhor ou não uma da outra. Franquias de 1ª Geração ( Marca e Produto, sem exclusividade): Rede franqueada sem exclusividade na distribuição dos produtos do franqueador, que caiu em desuso com a entrada em vigor da Lei da Franquia, nº 8.955/96. São aquelas em que a ênfase está no uso de uma certa marca em conexão com a revenda de determinados produtos ou a prestação de determinados serviços, sem que haja qualquer exclusividade em favor do franqueado. Ou seja: praticamente não se verifica a transferência, pelo franqueador ao franqueado, de qualquer tipo de know-how de atuação no ramo específico em que este último irá atuar. Além disso, os mesmos produtos ou serviços que o franqueado deverá comercializar por força do contrato celebrado com o franqueador (que, até o advento da Lei Magalhães Teixeira, muitas vezes acabava sendo um mero contrato verbal) podem ser encontrados, geralmente com a mesma marca, em outros pontos de venda, inclusive lojas multimarca que nada têm a ver com a rede de franquias desse franqueador. Tudo leva a crer que a maior parte das franquias que ainda estão estruturadas dessa forma, tende a evoluir para um estágio mais avançado, ou deixar de existir. Franquias de 2ª Geração ( Marca e Produto, com exclusividade): Rede franqueada com exclusividade na distribuição dos produtos do franqueador. Assim como ocorre com as franquias de 1ª Geração, a ênfase continua na licença de uso de marca associada à revenda de certos produtos ou à prestação de certos serviços (que quase sempre envolvem a utilização de produtos, equipamentos ou insumos fornecidos pelo próprio franqueador). A diferença básica entre esses dois tipos de franquia reside no fato de que, nas franquias de 2ª Geração, os produtos ou serviços que são a razão de ser do negócio, apenas são encontrados nos estabelecimentos que integram a rede que opera sob a marca licenciada pelo franqueador. A tendência é que as empresas que se utilizam desse esquema de atuação acabem optando por evoluir para o patamar seguinte, as Franquias de 3ª Geração. Aliás, muitas já o fizeram, ou estão fazendo. Franquias de 3ª Geração ( Franquias de "Formato" de Negócio ) Negócio formatado, onde franqueador pode ser fornecedor do franqueado, mas com exclusividade mediante condições competitivas. A essência das franquias deste tipo está na transferência do know-how desenvolvido pelo franqueador ao franqueado, em tudo o que diz respeito à instalação, operação e gestão de um negócio como o que será implantado e operado pelo franqueado. Trata-se de um tipo de franquia no qual costuma existir um espírito de parceria e equipe na rede. Numa típica franquia de 3ª geração, todos os métodos, processos e sistemas relacionados ao negócio que o franqueado irá instalar e operar são previamente desenvolvidos e testados na prática, pelo franqueador, para depois serem transferidos ao franqueado através de treinamento, manuais, consultoria de campo e mais uma série de outros mecanismos e ferramentas.

3 O objetivo, no caso, é garantir a manutenção, em toda a rede de estabelecimentos que venha a ser instalada, de um padrão mínimo de qualidade e de uniformidade, tanto visual, quanto operacional, que assegure a eficiência e a eficácia de todas as franquias. Que, espera-se, deverão ser um bom negócio para os respectivos franqueados e também para o franqueador. Franquias de 4ª Geração ( Redes Inteligentes, ou de Aprendizado Contínuo) Corresponde á terceira geração, porém com métodos mais avançados de gestão e maior participação dos franqueados, aconselhando o franqueador. Nesse tipo de franquia, as regras do dia-a-dia são menos rígidas ( naquilo em que a rigidez não é essencial ). A padronização está menos baseada no típico esquema de "comando e controle" e mais na conscientização e na motivação da rede. O funcionamento e a padronização da rede estão fundamentados mais no senso de Missão e em Valores (estes sim, bastante rígidos, especialmente naquilo que afete a "essência competitiva" da organização), em objetivos claros e compartilhados e em relacionamentos fundados no respeito mútuo. A troca de informações entre franqueador e franqueados é contínua, sendo um caminho de duas mãos. A comunicação entre os franqueados (e destes com o franqueador) não é apenas tolerada, mas estimulada o tempo todo. O mesmo ocorre no que diz respeito à participação dos franqueados em certas decisões estratégicas. As franquias de 4ª Geração bem estruturadas fazem uso de tudo aquilo que as franquias de 3ª geração têm de melhor, ao mesmo tempo em que oferecem mais liberdade de atuação à rede. É evidente que, para que as coisas funcionem como devem, os franqueadores que optarem por esse tipo de sistema deverão estar ainda mais atentos aos processos de recrutamento, seleção, treinamento, motivação e monitoramento de seus franqueados. As franquias de 4ª geração estão apenas surgindo. Mas tudo indica que a tendência natural será a evolução, por parte de muitas das redes que se encontram em estágios inferiores, para esse estágio mais elevado. Isso porque esse tipo de franquia agiliza a solução de problemas e o desenvolvimento de novos diferenciais competitivos essenciais à sobrevivência dos negócios num mercado em que as coisas acontecem e mudam num ritmo cada vez mais alucinante. 3. Vantagens do sistema de franquia F R A N Q U E A D O R F Vantagens Rapidez de expansão Imagem corporativa Desenvolvimento de uma rede Aumento da rentabilidade com redução de custos Maior participação no mercado Maior cobertura geográfica Melhor publicidade Maior vantagem competitiva Descentralização Economia de escala Know-how adquirido Maior chance de sucesso Plano de negócios Maior vantagem competitiva Informações sobre instalação Economia de escalas Desvantagens Perda parcial do controle Maior custo de supervisão Maiores custos de formatação Perda de sigilo Autonomia parcial Planejamento para expansão Cuidados na seleção Perda da padronização Autonomia parcial Maiores controles Risco de desistência Taxas de franquia Cuidados para seleção Localização forçada

4 R A N Q U E A D O Maior crédito Aumento de rentabilidade com redução dos custos Retorno mais rápido do investimento Pertence a uma corporação Pesquisa e desenvolvimento do franqueador Independência jurídica Restrições na cessão do sistema Risco associado ao desempenho do franqueador Expansão veloz O Franchising permite que o franqueador aumente sua base de atuação em ritmo muito mais veloz do que lhe seria possível se dependesse apenas de seus recursos próprios para instalar, operar e gerir novas unidades. Mais eficiência A operação e a administração das unidades franqueadas ficam a cargo de seus próprios franqueados. Estrutura central reduzida Uma estrutura pequena, formada por uns poucos profissionais de bom nível, pode criar, implantar e coordenar uma rede de porte razoável e, dessa forma, gerar bons lucros para os acionistas ou sócios da empresa franqueadora, que não precisarão envolver-se no dia-a-dia de cada unidade, nem arriscar um grande volume de capital. Feedback A partir de um certo ponto, na existência de uma operação de Franchising, é comum que o know-how passe a transitar numa via de duas mãos. Ingresso em novos mercados O franqueador pode, através do Franchising, ingressar em mercados nos quais dificilmente entraria se dependesse de seus recursos próprios, sejam financeiros ou humanos. Para isso, conta com a presença física do franqueado. E com o conhecimento que cada um tem dos hábitos e da cultura da região onde vive e trabalha. Canal diferenciado para seus produtos/serviços Uma marca, ao ser comercializada através dos canais de distribuição normais, corre o risco de se tornar mais uma entre várias outras numa prateleira. Ao estabelecer uma rede de franquias, o produtor tem a oportunidade de criar um ambiente propício para a comercialização do produto, destacando-o frente à concorrência. Fortalecimento da marca Numa operação de Franchising bem estruturada, os produtos e/ou serviços comercializados na rede chegam ao consumidor (ou o consumidor chega a eles) envolvidos pelo "clima" que o franqueador considera mais adequado para estimular seu consumo e realçar suas qualidades e, portanto, a imagem institucional da marca. Menos riscos trabalhistas Tendo em vista que cada franqueado é, em princípio, econômica e juridicamente autônomo e independente do franqueador, é a ele, franqueado, que cabe a responsabilidade pelo pagamento dos salários e encargos e pelo cumprimento de todas as obrigações concernentes aos funcionários que trabalham em sua franquia.

5 4. A Lei do Franchising LEI No 8.955, DE 15 DE DEZEMBRO DE Dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising) e dá outras providências. Mensagem de Veto O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei: Art. 1º Os contratos de franquia empresarial são disciplinados por esta lei. Art. 2º Franquia empresarial é o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semi-exclusiva de produtos ou serviços e, eventualmente, também ao direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistema operacional desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem que, no entanto, fique caracterizado vínculo empregatício. Art. 3º Sempre que o franqueador tiver interesse na implantação de sistema de franquia empresarial, deverá fornecer ao interessado em tornar-se franqueado uma circular de oferta de franquia, por escrito e em linguagem clara e acessível, contendo obrigatoriamente as seguintes informações: I - histórico resumido, forma societária e nome completo ou razão social do franqueador e de todas as empresas a que esteja diretamente ligado, bem como os respectivos nomes de fantasia e endereços; II - balanços e demonstrações financeiras da empresa franqueadora relativos aos dois últimos exercícios; III - indicação precisa de todas as pendências judiciais em que estejam envolvidos o franqueador, as empresas controladoras e titulares de marcas, patentes e direitos autorais relativos à operação, e seus subfranqueadores, questionando especificamente o sistema da franquia ou que possam diretamente vir a impossibilitar o funcionamento da franquia; IV - descrição detalhada da franquia, descrição geral do negócio e das atividades que serão desempenhadas pelo franqueado; V - perfil do franqueado ideal no que se refere a experiência anterior, nível de escolaridade e outras características que deve ter, obrigatória ou preferencialmente; VI - requisitos quanto ao envolvimento direto do franqueado na operação e na administração do negócio; VII - especificações quanto ao: a) total estimado do investimento inicial necessário à aquisição, implantação e entrada em operação da franquia; b) valor da taxa inicial de filiação ou taxa de franquia e de caução; e c) valor estimado das instalações, equipamentos e do estoque inicial e suas condições de pagamento; VIII - informações claras quanto a taxas periódicas e outros valores a serem pagos pelo franqueado ao franqueador ou a terceiros por este indicados, detalhando as respectivas bases de cálculo e o que as mesmas remuneram ou o fim a que se destinam, indicando, especificamente, o seguinte:

6 a) remuneração periódica pelo uso do sistema, da marca ou em troca dos serviços efetivamente prestados pelo franqueador ao franqueado (royalties); b) aluguel de equipamentos ou ponto comercial; c) taxa de publicidade ou semelhante; d) seguro mínimo; e e) outros valores devidos ao franqueador ou a terceiros que a ele sejam ligados; IX - relação completa de todos os franqueados, subfranqueados e subfranqueadores da rede, bem como dos que se desligaram nos últimos doze meses, com nome, endereço e telefone; X - em relação ao território, deve ser especificado o seguinte: a) se é garantida ao franqueado exclusividade ou preferência sobre determinado território de atuação e, caso positivo, em que condições o faz; e b) possibilidade de o franqueado realizar vendas ou prestar serviços fora de seu território ou realizar exportações; XI - informações claras e detalhadas quanto à obrigação do franqueado de adquirir quaisquer bens, serviços ou insumos necessários à implantação, operação ou administração de sua franquia, apenas de fornecedores indicados e aprovados pelo franqueador, oferecendo ao franqueado relação completa desses fornecedores; XII - indicação do que é efetivamente oferecido ao franqueado pelo franqueador, no que se refere a: a) supervisão de rede; b) serviços de orientação e outros prestados ao franqueado; c) treinamento do franqueado, especificando duração, conteúdo e custos; d) treinamento dos funcionários do franqueado; e) manuais de franquia; f) auxílio na análise e escolha do ponto onde será instalada a franquia; e g) layout e padrões arquitetônicos nas instalações do franqueado; XIII - situação perante o Instituto Nacional de Propriedade Industrial - (INPI) das marcas ou patentes cujo uso estará sendo autorizado pelo franqueador; XIV - situação do franqueado, após a expiração do contrato de franquia, em relação a: a) know how ou segredo de indústria a que venha a ter acesso em função da franquia; e b) implantação de atividade concorrente da atividade do franqueador; XV - modelo do contrato-padrão e, se for o caso, também do pré-contrato-padrão de franquia adotado pelo franqueador, com texto completo, inclusive dos respectivos anexos e prazo de validade.

7 Art. 4º A circular oferta de franquia deverá ser entregue ao candidato a franqueado no mínimo 10 (dez) dias antes da assinatura do contrato ou pré-contrato de franquia ou ainda do pagamento de qualquer tipo de taxa pelo franqueado ao franqueador ou a empresa ou pessoa ligada a este. Parágrafo único. Na hipótese do não cumprimento do disposto no caput deste artigo, o franqueado poderá argüir a anulabilidade do contrato e exigir devolução de todas as quantias que já houver pago ao franqueador ou a terceiros por ele indicados, a título de taxa de filiação e royalties, devidamente corrigidas, pela variação da remuneração básica dos depósitos de poupança mais perdas e danos. Art. 5º (VETADO). Art. 6º O contrato de franquia deve ser sempre escrito e assinado na presença de 2 (duas) testemunhas e terá validade independentemente de ser levado a registro perante cartório ou órgão público. Art. 7º A sanção prevista no parágrafo único do art. 4º desta lei aplica-se, também, ao franqueador que veicular informações falsas na sua circular de oferta de franquia, sem prejuízo das sanções penais cabíveis. Art. 8º O disposto nesta lei aplica-se aos sistemas de franquia instalados e operados no território nacional. Art. 9º Para os fins desta lei, o termo franqueador, quando utilizado em qualquer de seus dispositivos, serve também para designar o subfranqueador, da mesma forma que as disposições que se refiram ao franqueado aplicam-se ao subfranqueado. Art. 10. Esta lei entra em vigor 60 (sessenta) dias após sua publicação. Art. 11. Revogam-se as disposições em contrário. Brasília, 15 de dezembro de 1994; 173º da Independência e 106º da República. ITAMAR FRANCO Ciro Ferreira Gomes Este texto não substitui o publicado no DOU de Conforme disposto na Lei 8.955, de 15 de dezembro de 1994 que dispõe sobre o contrato de franquia empresarial ( franchising ) deverá ser obrigação do franqueador apresentar uma Circular de Ofertas de Franquia, por escrito, em linguagem clara, objetiva e acessível contendo obrigatoriamente a seguintes informações : - Histórico resumido forma societária, nome completo do franqueador e todas as empresas a que esteja completamente ligada; - Balanços e demonstrações financeiras da empresa franqueada relativos aos dois últimos exercícios; - Indicação precisa de todas as pendências judiciais em que estejam envolvidos o franqueador, as empresas controladoras e titulares de marca; - Descrição detalhada da franquia e das atividades que serão desempenhadas pelo franqueado; - Perfil do " franqueado ideal "; - Envolvimento direto do franqueado na operação e na administração do negócio; - Especificações quanto : ao total estimado do investimento, valor das taxas e valor estimado das instalações; - Taxas periódicas e outros valores a serem pagos, indicando : remuneração periódica pelo uso do sistema, aluguel de equipamentos ou ponto comercial, taxa de publicidade, seguro mínimo e outros valores devidos; - Relação completa de todos os franqueados e sub-franqueados, bem como os franqueados que se desligaram nos últimos doze meses; - Em relação ao território deverá ser especificado : garantia, exclusividade ou preferência sobre determinado território de atuação e possibilidade de vender ou prestar serviços fora de seu território de atuação; - Obrigações quanto à aquisição de bens, serviços ou insumos indicados e aprovados pelo franqueador; - Indicação do que é oferecido ao franqueado quanto a: supervisão da rede, serviços de orientação, treinamento de funcionários, manuais de franquia, análise e escolha do ponto e layout e padrões arquitetônicos;

8 - Informações sobre a situação das marcas perante o instituto Nacional de Propriedade Industrial INPI; - Situação do franqueado após expiração do contrato quanto ao Know-how e implantação de atividade concorrente; - Modelo de contrato-padrão inclusive dos respectivos anexos e prazos de validade. A Circular de Oferta de Franquias deverá ser entregue no mínimo 10 ( dez ) dias antes da assinatura do contrato ou pré-contrato de franquia. 5. Informações importantes para quem deseja abrir uma franquia Diferenças entre franquia e negócio independente Antes de entrar no sistema de franquia, é importante que o novo empreendedor compare as vantagens e desvantagens específicas entre um negócio independente e uma franquia. Em ambos os casos, há necessidade de se avaliar detalhes básicos. Confira as diferenças entre franquia ou negócio independente: Quanto ao produto ou serviço Franquia: Oferece produtos ou serviços já desenvolvidos, testados e implantados no mercado, dependendo do tipo de franquia; Oferece de imediato uma marca de produtos ou serviços com boa aceitação de mercado, dependendo do tipo de franquia; O franqueador tem liberdade limitada na escolha de produtos ou serviços, dependendo da modalidade de franquia. A medida busca evitar riscos de mercado. Negócio independente: Requer know-how para criar produtos ou serviços, desenvolver, testar e implantar no mercado; Requer tempo para conquistar a aceitação do mercado, da marca e de produtos ou serviços a serem comercializados; O empreendedor tem plena liberdade para escolher produtos ou serviços, embora corra o risco do mercado. Quanto à localização Franquia: Fornece consultoria para escolha do local e arranjo físico da empresa, dependendo da modalidade de franquia; A consultoria da franquia já é testada no mercado, dependendo do tipo de franquia e modalidade; O custo da consultoria é menor que no negócio independente, graças à economia de escala. Negócio independente: Há necessidade de contratação de consultoria externa, em caso de inexperiência do empreendedor; É necessário testar a localização de forma independente; O custo da consultoria é maior do que na franquia (custos unitários, independentes). Quanto ao mercado: Franquia:

9 Oferece uma marca testada, experimentada e com aceitação de mercado, dependendo do tipo de franquia; Fornece consultoria para pesquisas e conhecimento do mercado específico, dependendo do tipo de franquia, nos seguintes aspectos: o área de atuação; o produto ou serviço; o público potencial; o concorrentes; o fornecedores; o preços e comercialização; o propaganda, publicidade e promoções; o planejamento de marketing. O custo da consultoria é menor que no negócio independente, devido à economia de escala. Negócio independente: Há necessidade de pesquisar marcas já testadas, experimentadas e com aceitação de mercado; Há necessidade de contratação de consultoria externa, em caso de inexperiência do empreendedor, para realizar pesquisas e estudos de mercado referentes aos seguintes aspectos: o área de atuação; o produto ou serviço; o público potencial; o concorrentes; o fornecedores; o preços e comercialização; o propaganda, publicidade e promoções; o planejamento de marketing. O custo da consultoria externa é maior que na franquia (custo unitário, independente). Quanto à administração de pessoal Franquia: Fornece consultoria em administração de pessoal, metodologia, incluindo aspectos legais e jurídicos, dependendo da modalidade de franquia; A consultoria da franquia já é testada no mercado, dependendo do tipo de franquia e modalidade; O custo da consultoria é menor do que no negócio independente (economia de escala). Negócio independente: Há necessidade de contratação de consultoria externa em administração de pessoal, incluindo aspectos legais e jurídicos, em caso de inexperiência do empreendedor; É necessário testar métodos de administração de forma independente; O custo da consultoria é maior que na franquia (custos unitários, independentes). Quanto a suprimento, máquinas e equipamentos. Franquia: Fornece consultoria para especificar material, máquinas e equipamentos e administrar a relação comercial com fornecedores, incluindo a jurídica, dependendo da modalidade de franquia; Compra por volumes, com menor custo unitário, para o franqueado; A consultoria da franquia já é testada no mercado, dependendo do tipo de franquia e modalidade; O custo da consultoria é menor que no negócio independente (economia de escala); A liberdade do franqueado é limitada, porém com menores riscos no mercado de fornecedores.

10 Negócio independente: Há necessidade de contratação de consultoria externa ou de muita pesquisa da parte do empresário para obter menores custos na aquisição de suprimentos, máquinas e equipamentos; Na administração da relação comercial com fornecedores, em caso de problemas jurídicos, o empresário assume responsabilidade integral. Os custos unitários são maiores para o empresário independente, devido ao pequeno volume de compras; É necessário testar tecnologia e custos de suprimentos, máquinas e equipamentos, de forma independente; O custo da consultoria externa é maior que na franquia, (custo unitário, independente); O empresário tem total liberdade para seleção e aquisição, enfrentando maiores riscos no mercado de fornecedores. Quanto às finanças Franquia: Fornece consultoria em administração financeira, incluindo aspectos legais e jurídicos, dependendo do tipo e da modalidade de franquia. A consultoria da franquia já é testada no mercado, dependendo do tipo de franquia e modalidade; O custo da consultoria (taxas de franquia) é menor que no negócio independente (economia de escala); Há liberdade limitada para o franqueado, com menores riscos. Negócio independente: Há necessidade de contratação de consultoria externa, em administração financeira, incluindo aspectos legais e jurídicos, em caso de inexperiência do empreendedor; É necessário testar métodos de administração de forma independente. O custo da consultoria é maior que na franquia (custo unitário, independente); Há liberdade total para o empresário, com a desvantagem de correr riscos. Perguntar nunca é demais A seguir, algumas dicas importantes: Você: ü Tem estilo de liderança? ü Gosta de trabalhar em equipes? ü Aceita críticas? ü Está disposto a seguir regras e padrões preestabelecidos? ü Está disposto a trabalhar mais do que a jornada normal? ü Aceita prestar contas do que faz? O ramo de atividade: ü Você tem afinidade com a atividade escolhida? ü Como é o mercado global e na sua região de interesse? A franquia escolhida: ü Quem são os donos, quando foi fundada e qual a sua imagem no mercado? ü Como é a estrutura organizacional? ü Qual é o faturamento anual e o volume de produção? ü Como é a sua situação financeira atual? Características das redes: ü Possui Circular de Oferta de Franquia? Item obrigatório por Lei ü Tem registro no Instituto Nacional de Marcas e Patentes INPI? Item obrigatório por Lei

11 ü ü ü ü Qual é o número de unidade próprias e franqueadas? Tem unidade-piloto? Como é o treinamento oferecido ao franqueado? Possui conselho de franqueados? A operação: ü Quais os serviços e produtos comercializados? ü Exige dedicação integral? ü Oferece manuais e softwares de apoio? ü Como é a comunicação do franqueador com a rede? ü Que tipo de suporte é dado ao franqueado? ü Como é a negociação com os fornecedores? ü Como são conduzidas as promoções, a publicidade e o marketing da rede? O contrato: ü Qual a duração? ü Limita território? ü Faz restrições ao número de unidades? ü Quais são os direitos e obrigações do franqueado e do franqueador? ü Quais são os termos para rescisão, renovação e alteração? ü Prevê sucessão, venda ou transferência? Avaliação da franquia: ü Qual é a situação atual da marca no mercado? ü Que tipo de matéria-prima utiliza e quem é o fornecedor? ü A mão-de-obra é fácil? ü Qual é o perfil do consumidor da marca? O investimento: ü Qual é o custo da instalação da franquia? ü Quais são os gastos com estoque, marketing e treinamento? ü Qual é o custo de manutenção da franquia? ü Qual é a reserva de caixa necessária? ü Cobra taxas? ü Qual é a faturamento médio mensal estimado? ü Qual o prazo de retorno do investimento? ü O valor do investimento inicial é compatível com as suas possibilidades? Franqueados antigos: ü Há quanto tempo têm a franquia? ü Quantos investiram? ü Qual o faturamento? ü Qual foi o prazo de retorno do investimento? ü Estão satisfeitos com o negócio? ü Quais são os pontos positivos e negativos? ü Qual é a sua rotina? ü Comprariam a franquia neste momento? ü Como é a assessoria prestada pelo franqueador? ü Como vêem o mercado? ü Têm planos de abrir novas unidades? ü Como é a atuação do conselho de franqueados? ü O treinamento foi satisfatório? ü A rede é consultada pelo franqueador nas mudanças estratégicas? O fornecedor: ü Há quanto tempo fornecem para a franquia? ü A empresa já ficou inadimplente? ü Como vêem o mercado? ü Qual a avaliação que têm da marca? ü Sabem da existência de problemas enfrentados pela empresa? Decidindo comprar uma franquia:

12 A decisão por uma franquia exige do franqueador e do franqueado sólido conhecimento empresarial e certas garantias entre as partes. É preciso uma grande disposição de negociação, até se decidir pela assinatura do contrato definitivo. O novo paradigma de negociações centra-se no ideal do "ganha-a-ganha" para ambas as partes, dentro de padrões éticos, voltados para maiores benefícios para o cliente final. Estes benefícios se revertem em lucros empresariais. Para escolha de uma franquia devem ser avaliados em conjunto todos os aspectos técnicos do plano de negócios, a maturidade e força da marca, a ética e respeito de padronização da rede, o potencial do negócio frente ao mercado; a adaptação à cultura local e regional; o nível de rentabilidade comparativo e, principalmente, a confiança entre as partes. O fato de optar por uma franquia não significa que o negócio terá sucesso total. Existem diferentes tipos de franquias, de franqueadores e de franqueados. Na realidade, cada franquia exige um perfil diferenciado. Como diz o velho ditado: "Existe uma franquia certa para o franqueado correto". Há vantagens e riscos, como em qualquer negócio. Tenha sempre em mente os riscos comuns de determinadas franquias. marca é de fundamental importância na escolha de uma franquia. Dela depende a reputação dos produtos ou serviços junto ao mercado. O franqueado deverá, inicialmente, escolher um negócio com o qual se identifica, analisar as melhores marcas existentes no mercado, seu estágio de aceitação, de ascensão, maturidade ou declínio antes de optar pela franquia. Onde encontrar sua franquia ABF - Associação Brasileira de Franchising Rua da Candelária, nº 9 4º andar. Telefone: (21) ou Mais informações: Entidade de classe Associação Brasileira de Franchising (Rio de Janeiro). Rua da Candelária, 9 - sala 413 Centro Rio de Janeiro - RJ (21) (21)

13 Fontes Consultadas DAHAB, Sônia [coord.]. Entendendo franchising: uma alternativa eficaz para o pequeno e médio empreendedor. Salvador: Casa da Qualidade, p. FRANCHISING: como tornar sua empresa uma franquia. São Paulo : SEBRAE/SP, p. (Série Manual prático). PLÁ, Daniel. Tudo sobre franchising. Rio de Janeiro: SENAC, p. INFORMARE. Disponível em:< Acesso em: 17/07/2007. FISCODATA LEGISLAÇÃO ON LINE. Disponível em:< Acesso em 17/07/2007.

Estrutura do sistema de franchising

Estrutura do sistema de franchising Estrutura do sistema de franchising Negócio Estruturado Empreendedor Estratégias de Ampliação de Mercado Comercializa o conceito do negócio Marca Tecnologia Know-how Compra o conceito de negócio já implantado

Leia mais

Lei nº 8.955, de 15 de Dezembro de 1994. Faço saber o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

Lei nº 8.955, de 15 de Dezembro de 1994. Faço saber o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei. Lei nº 8.955, de 15 de Dezembro de 1994 Dispõe sobre o contrato de franquia empresarial ( Franchising ) e dá outras providências. Faço saber o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei. Art.

Leia mais

COMO CONSTITUIR UMA FRANQUIA DE SUCESSO

COMO CONSTITUIR UMA FRANQUIA DE SUCESSO COMO CONSTITUIR UMA FRANQUIA DE SUCESSO DIEGO BISI ALMADA Sócio-Diretor da Almada & Teixeira Consultoria Empresarial. Advogado. Professor Universitário. Consultor e Palestrante em Direito Empresarial e

Leia mais

MERCADO 115,582 103,292 88,854 75,987 53,120. FATURAMENTO DO SETOR DE FRANCHISING BRASILEIRO (valor em bilhões de R$)

MERCADO 115,582 103,292 88,854 75,987 53,120. FATURAMENTO DO SETOR DE FRANCHISING BRASILEIRO (valor em bilhões de R$) [ [ [ A Associação Brasileira de Franchising (ABF) anunciou o resultado do setor em 2011. Frente a um crescimento de 16,9%, o faturamento das franquias brasileiras alcançou 88 bilhões de reais, ou 2,3%

Leia mais

CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA EMPRESARIAL FORMULA PIZZARIA

CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA EMPRESARIAL FORMULA PIZZARIA CIRCULAR DE OFERTA CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA EMPRESARIAL FORMULA PIZZARIA A COF Circular de Oferta de Franquia FORMULA PIZZARIA é um exemplar com todas as informações e dados relevantes direcionados

Leia mais

PROJETO DE LEI N /2013, DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a Regulamentação do Marketing Multinível ou de Rede E dá outras providências

PROJETO DE LEI N /2013, DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a Regulamentação do Marketing Multinível ou de Rede E dá outras providências PROJETO DE LEI N /2013, DE SETEMBRO DE 2013 Dispõe sobre a Regulamentação do Marketing Multinível ou de Rede E dá outras providências O Congresso Nacional Decreta: CAPITULO I DAS DEFINIÇÕES DO QUE SE ENTENDE

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2011 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2011 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2011 ASSUNTOS DIVERSOS FRANCHISING - ASPECTOS TRIBUTÁRIOS Introdução - Implantação de Sistema de Franquia - Código Civil - Lei Complementar

Leia mais

Índice Remissivo. Sobre o livro. Direitos Autorais. Prefácio. Sobre o Autor. O Conceito de Franquia. A Circular de Oferta de Franquia

Índice Remissivo. Sobre o livro. Direitos Autorais. Prefácio. Sobre o Autor. O Conceito de Franquia. A Circular de Oferta de Franquia Índice Remissivo Sobre o livro Direitos Autorais Prefácio Sobre o Autor O Conceito de Franquia A Circular de Oferta de Franquia Dos investimentos, taxas e custos para instalação... Da exclusividade territorial

Leia mais

COMO ADERIR A UMA FRANQUIA SEM ENTRAR EM UMA FRIA

COMO ADERIR A UMA FRANQUIA SEM ENTRAR EM UMA FRIA COMO ADERIR A UMA FRANQUIA SEM ENTRAR EM UMA FRIA Palestrante: Gustavo Posser de Moraes (Graduado em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul, possui MBA em Direito da Empresa e da Economia pela

Leia mais

LICENCIAMENTO: ALTO RETORNO COM BAIXO RISCO PARA QUEM QUER ABRIR UM NOVO NEGÓCIO

LICENCIAMENTO: ALTO RETORNO COM BAIXO RISCO PARA QUEM QUER ABRIR UM NOVO NEGÓCIO ebook LICENCIAMENTO: ALTO RETORNO COM BAIXO RISCO PARA QUEM QUER ABRIR UM NOVO NEGÓCIO IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO E QUALIDADE COM RAPIDEZ E BAIXO CUSTO. TAMBÉM PARA A PEQUENA EMPRESA. PROCESSO

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO NO MODELO DE FRANCHISING Internationalization in the form of franchising

INTERNACIONALIZAÇÃO NO MODELO DE FRANCHISING Internationalization in the form of franchising INTERNACIONALIZAÇÃO NO MODELO DE FRANCHISING Internationalization in the form of franchising SEKIGUCHI, Allan Shoichi Faculdade Max Planck SANTOS, Felipe Ignácio dos Faculdade Max Planck RESUMO: Este artigo

Leia mais

COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA

COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Pessoa física que deseja constituir um negócio

Leia mais

Circular de Oferta de Franquia

Circular de Oferta de Franquia Circular de Oferta de Franquia CURSO NOBRE CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL 1 Finalidade A finalidade desta circular de oferta de franquia é oferecer o maior número de informações, quanto à forma de relacionamento,

Leia mais

Profª MSc. Geovana da Mata Tavares Relatores: Erivelto da Silva; Gisele Gomes e Patrícia da Silva. PAINEL: Franquia: Mercado em crescimento

Profª MSc. Geovana da Mata Tavares Relatores: Erivelto da Silva; Gisele Gomes e Patrícia da Silva. PAINEL: Franquia: Mercado em crescimento Evento: 2º Encontro de Iniciação Científica da Faculdade Apogeu Local: Dependências da Faculdade Apogeu Dia: 11/05/12 Profª MSc. Geovana da Mata Tavares Relatores: Erivelto da Silva; Gisele Gomes e Patrícia

Leia mais

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR

COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR COMO TORNAR-SE UM FRANQUEADOR O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Empresários de pequeno, médio e grande

Leia mais

O QUE É FRANQUIA? Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio.

O QUE É FRANQUIA? Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio. O QUE É FRANQUIA? Na essência, o Franchising consiste em replicar, em diversos locais ou mercados, um mesmo conceito de negócio. VÁRIOS NEGÓCIOS SE UTILIZAM DO FRANCHISING REMUNERAÇÃO PELO USO DO SISTEMA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

Apoio Jurídico FRANCHISING

Apoio Jurídico FRANCHISING Apoio Jurídico FRANCHISING Agência dos Empresários Casa do Farol Rua Paulo Gama - 4169-006 Porto Telefone: 22 0108000 Fax: 22 0108020 monicapiressilva@anje.pt -Franchising- Nos últimos anos as actividades

Leia mais

Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Administração da AJES

Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Bacharelado em Administração da AJES Roteiro para elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do da AJES A - APRESENTAÇÃO 1. A empresa 1.1. Aspectos Gerais 1.1.1. História da empresa (da fundação a atualidade) 1.1.2. Visão, Missão e

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA. Capítulo I Das Regras Deontológicas

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA. Capítulo I Das Regras Deontológicas CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Capítulo I Das Regras Deontológicas O Código de conduta e ética reflete o padrão ideal de comportamento e valores que devem nortear os membros da Fundação Technos de Previdência

Leia mais

DECLARAÇÃO DE RECEBIMENTO DE CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA

DECLARAÇÃO DE RECEBIMENTO DE CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA DECLARAÇÃO DE RECEBIMENTO DE CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA Declaro para os devidos fins que, em razão do meu interesse em fazer parte do Sistema de Franquia INOVATYON, recebi da empresa Franqueadora a

Leia mais

Elza Fernandes de Araújo Assessora Adjunta de Inovação Novembro/2015. A importância da inovação tecnológica e o fomento da FAPEMIG

Elza Fernandes de Araújo Assessora Adjunta de Inovação Novembro/2015. A importância da inovação tecnológica e o fomento da FAPEMIG Elza Fernandes de Araújo Assessora Adjunta de Inovação Novembro/2015 A importância da inovação tecnológica e o fomento da FAPEMIG MUDANÇA DE MENTALIDADE O Brasil precisa avançar. É necessário mudar a mentalidade.

Leia mais

ANQUI AS DE AÚÊN. R ir*. ' l r >

ANQUI AS DE AÚÊN. R ir*. ' l r > ANQUI AS DE AÚÊN R ir*. ' l r > V v i fill! ç;. íi : 5 *3 lá al i!m«m í5tu UMA AGENCIA DE PRIMEIRO MUNDO A Agência de Viagens e Turismo Flytour se diferencia das demais porque: utiliza os mais avançados

Leia mais

Contrato de Prestação de Serviços de Publicidade e Propaganda

Contrato de Prestação de Serviços de Publicidade e Propaganda Contrato de Prestação de Serviços de Publicidade e Propaganda Este contrato tem por objetivo estabelecer uma conduta de relacionamento comercial entre a agência de publicidade..., pessoa jurídica de direito

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de agosto

Leia mais

Seja um franqueado E GARANTA SUA FATIA DESTA RECEITA DE SUCESSO

Seja um franqueado E GARANTA SUA FATIA DESTA RECEITA DE SUCESSO Seja um franqueado E GARANTA SUA FATIA DESTA RECEITA DE SUCESSO A FRANQUIA O nome fantasia é China Brasil, tendo a empresa mais de 35 anos de atuação. A mesma propõe seu diferencial no sabor e modo de

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 DOE 20/06/2008, Seção I, Pág. 1/3 Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre medidas de incentivo à inovação tecnológica, à pesquisa científica e tecnológica, ao desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO SÓCIO ECONÔMICO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANA RUTH MESQUITA DOS SANTOS - 05010004901

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO SÓCIO ECONÔMICO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANA RUTH MESQUITA DOS SANTOS - 05010004901 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO SÓCIO ECONÔMICO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANA RUTH MESQUITA DOS SANTOS - 05010004901 SIDNEY SOARES DE LIMA 05010004401 TURMA: 01030 TURNO: NOITE PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 151 - Data 17 de junho de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL. AGÊNCIAS DE PROPAGANDA E PUBLICIDADE.

Leia mais

CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA BIO GRAFITE SITES E MKT DIGITAL. Rubricas: FRANQUEADORA: INTERESSADO: 1

CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA BIO GRAFITE SITES E MKT DIGITAL. Rubricas: FRANQUEADORA: INTERESSADO: 1 CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA BIO GRAFITE SITES E MKT DIGITAL Rubricas: FRANQUEADORA: INTERESSADO: 1 Confidencial INTRODUÇÃO Bem vindo ao Sistema de Franquia Empresarial Bio Grafite Sites e MKT Digital!

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008

DIÁRIO OFICIAL Nº. 31144 de 08/04/2008 DIÁRIO OFICIAL Nº. 311 de 08/0/008 GABINETE DA GOVERNADORA L E I Nº 7.030, DE 30 DE JULHO DE 007* Cria o Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará - IDESP, e dá outras providências.

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

Padrão exclusivo para sua empresa. nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar

Padrão exclusivo para sua empresa. nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar especial gestão Padrão exclusivo para sua empresa nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes. A frase consagrada de Albert Einstein não poderia ser mais clara: quer

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N 71, de 11 de dezembro de 1998.

CIRCULAR SUSEP N 71, de 11 de dezembro de 1998. CIRCULAR SUSEP N 71, de 11 de dezembro de 1998. Dispõe sobre a operação dos contratos previdenciários dos planos coletivos que tenham por finalidade a concessão de benefícios a pessoas físicas vinculadas

Leia mais

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO

MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO MODELO DE PLANO DE NEGÓCIO 1 Informações sobre o responsável pela proposta. Nome : Identidade: Órgão Emissor: CPF: Endereço: Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone: FAX: E-mail Formação Profissional: Atribuições

Leia mais

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades

UNIDADE 3 Identificação de oportunidades UNIDADE 3 Identificação de oportunidades Provavelmente seja um dos maiores mitos sobre as novas idéias para negócios: a idéia deve ser única. Na realidade pouco importa se a idéia é única ou não, o que

Leia mais

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO

COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO COMPONENTES DA ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIO No Modelo de Plano de Negócio, disponível no seu ambiente do Concurso você terá um passo a passo para elaborar o seu Plano, bem como todo o conteúdo necessário

Leia mais

BioCells BioCells Franquias Uma empresa que já nasce forte e experiente! Um negócio formatado e rentável.

BioCells BioCells Franquias Uma empresa que já nasce forte e experiente! Um negócio formatado e rentável. BioCells BioCells Franquias Uma empresa que já nasce forte e experiente! Um negócio formatado e rentável. Ser franqueado da BIOCELLS significa ser membro da rede Cord- Blood America Inc. - CBAI, empresa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Turismo da Universidade Estadual do Centro- Oeste, UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

Plano de Negócios e Pesquisas de Mercado: Ninguém Vive Sem

Plano de Negócios e Pesquisas de Mercado: Ninguém Vive Sem Plano de Negócios e Pesquisas de Mercado: Ninguém Vive Sem Henrique Montserrat Fernandez Muitas pessoas, antes de abrir a empresa, já têm uma idéia do que ela produzirá. Mas será que é isso que os clientes

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002 ANTAQ, DE 14 DE OUTUBRO DE 2008. Fixa os critérios e procedimentos para a realização de concursos públicos de provas e títulos, destinados ao provimento dos cargos efetivos do

Leia mais

Apresentação da Franquia

Apresentação da Franquia Apresentação da Franquia Quem Somos Nós Somos uma franquia de assistência técnica em computadores, notebooks, monitores, impressoras e nobreak, especializada no atendimento em domicílio à clientes pessoas

Leia mais

ACORDO PARA A PROMOÇÃO E A PROTEÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DA CORÉIA

ACORDO PARA A PROMOÇÃO E A PROTEÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DA CORÉIA ACORDO PARA A PROMOÇÃO E A PROTEÇÃO RECÍPROCA DE INVESTIMENTOS ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DA CORÉIA O Governo da República Federativa do Brasil e o Governo

Leia mais

Legislação em Informática. Prof. Ms. Victor Bartholomeu. Contato: victor@bartholomeu.adv.br victor.bartholomeu.adv.br

Legislação em Informática. Prof. Ms. Victor Bartholomeu. Contato: victor@bartholomeu.adv.br victor.bartholomeu.adv.br Legislação em Informática Prof. Ms. Victor Bartholomeu Contato: victor@bartholomeu.adv.br victor.bartholomeu.adv.br Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; Porque

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO

CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO TERMO DE CONTRATO DE CREDENCIAMENTO, ORIGINÁRIO DA LICITAÇÃO OBJETIVANDO O CREDENCIAMENTO SPAL Nº 03/2014, QUE ENTRE SI FAZEM A COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS - COPASA

Leia mais

Marketing Básico Capítulo II. O Composto de Marketing Os 4 P s

Marketing Básico Capítulo II. O Composto de Marketing Os 4 P s Marketing Básico Capítulo II O Composto de Marketing Os 4 P s O Produto Podemos definir produto como sendo o ator principal da relação de troca, onde o mesmo deve resultar como amplamente satisfatório

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.437, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Altera a destinação de receitas decorrentes da Contribuição para o Desenvolvimento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.871, DE 20 DE MAIO DE 2004. Conversão da MPv nº 155, de 2003 Texto compilado Dispõe sobre a criação de carreiras e organização

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS 3.4 O PROJETO DE MELHORIA DE PROCESSOS 3.4.1 - CONCEITO DE PROJETO

Leia mais

O que é o Sistema de Franchising?...01 Por que optar pelo Sistema de Franchising?...02 O Franquia...05

O que é o Sistema de Franchising?...01 Por que optar pelo Sistema de Franchising?...02 O Franquia...05 EBOOK GRATUITO Conceito de Franquias Franquia Na essência, o sistema de franquia como metodologia de expansão e canal de venda de produtos e serviços, é alicerçado dentro de um mesmo princípio básico,

Leia mais

Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos

Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos A Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes (ABRAIDI), o Instituto Ethos e as

Leia mais

Para se tornar um FRANQUEADO. www.helpdigitalti.com.br

Para se tornar um FRANQUEADO. www.helpdigitalti.com.br OS PRIMEIROS PASSOS OS PRIMEIROS PASSOS Para se tornar um FRANQUEADO www.helpdigitalti.com.br PROCURO UMA FRANQUIA MAS NÃO SEI POR ONDE COMEÇAR Para se tornar um franqueado é necessário avaliar se OS SEUS

Leia mais

Jorge Aoni jaoni@terra.com.br. Franquia, uma relação bem delicada...

Jorge Aoni jaoni@terra.com.br. Franquia, uma relação bem delicada... Jorge Aoni jaoni@terra.com.br Franquia, uma relação bem delicada... Jorge Elias Aoni jaoni@terra.com.br Características do Líder 1. Criatividade 2. Disposição para inovar 3. Capacidade de Administrar pessoas

Leia mais

SITE - INFORMAÇÕES DE FRANQUIA

SITE - INFORMAÇÕES DE FRANQUIA SITE - INFORMAÇÕES DE FRANQUIA PROJETO As lojas Havaianas foram idealizadas para oferecer aos consumidores uma experiência completa com a marca. O modelo de franquia foi adotado porque acreditamos que

Leia mais

LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990

LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990 LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990 Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. TÍTULO I DOS DIREITOS DO CONSUMIDOR... CAPÍTULO III DOS DIREITOS BÁSICOS DO CONSUMIDOR Art. 6º São

Leia mais

DECRETO Nº 32159 DE 19 DE ABRIL DE 2010. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 32159 DE 19 DE ABRIL DE 2010. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 32159 DE 19 DE ABRIL DE 2010 Altera o Decreto nº 28.002, de 30 de maio de 2007 e dá outras providencias. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: Art.

Leia mais

ASPECTOS CONCEITUAIS OBJETIVOS planejamento tomada de decisão

ASPECTOS CONCEITUAIS OBJETIVOS planejamento tomada de decisão FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERENCIAL PROFESSOR: JOSÉ DE JESUS PINHEIRO NETO ASSUNTO: REVISÃO CONCEITUAL EM CONTABILIDADE DE CUSTOS ASPECTOS CONCEITUAIS A Contabilidade de

Leia mais

6 rede de contato. Uma sugestão é a da utilização de sua participação nos cursos e palestras promovidos pelo SEBRAE-SP. Aproveite os intervalos nestes eventos para se apresentar aos demais participantes.

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II REESTRUTURAÇÃO FINANCEIRA NAS ORGANIZAÇÕES Neste módulo, estudaremos como ocorre a reestruturação financeira nas empresas, apresentando um modelo de planejamento de revitalização, com suas características

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL VETO Nº 11 DE 2016

CONGRESSO NACIONAL VETO Nº 11 DE 2016 CONGRESSO NACIONAL VETO Nº 11 DE 2016 Veto Parcial aposto ao Projeto de Lei do Senado nº 437, de 2012 (nº 8.084/2014, na Câmara dos Deputados, devolvido ao Senado como ECD nº 8/2015), que Disciplina a

Leia mais

FACÇÃO TECIDO PLANO. 1 - Introdução. 2- Mercado

FACÇÃO TECIDO PLANO. 1 - Introdução. 2- Mercado FACÇÃO TECIDO PLANO 1 - Introdução Nesta apresentação o empreendedor encontra indicações dos conhecimentos que aumentam e melhoram suas chances de sucesso, desde a identificação da oportunidade, riscos

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO CÓDIGO DE ÉTICA DA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO 0 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO... 2 2 - ABRANGÊNCIA... 2 3 - PRINCÍPIOS GERAIS... 2 4 - INTEGRIDADE PROFISSIONAL E PESSOAL... 3 5 - RELAÇÕES COM

Leia mais

POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A.

POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A. ÍNDICE DURATEX S/A POLÍTICA DE FORNECIMENTO DE BENS E SERVIÇOS DA DURATEX S.A. 1. OBJETIVO 2. PRINCÍPIOS GERAIS 3. REFERÊNCIAS 4. DEFINIÇÕES 4.1. DURATEX 4.2. UNIDADE REQUISITANTE 4.3. UNIDADE DESTINATÁRIA

Leia mais

Verificando a viabilidade do negócio

Verificando a viabilidade do negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Verificando a viabilidade do negócio Manual Etapa 2/Parte 1 Bem-vindo! Olá, caro empreendedor! É um prazer ter você na Etapa 2 do Programa de Auto-Atendimento

Leia mais

"BUSSINES PLAN"- PLANO DE NEGÓCIOS

BUSSINES PLAN- PLANO DE NEGÓCIOS "BUSSINES PLAN"- PLANO DE! Os componentes do Business Plan.! Quem precisa fazer um Business Plan! Colocando o Business Plan em ação Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO

ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO ETAPA 1 INFORMAÇÕES SOBRE O EMPREENDIMENTO Nome da Empresa: Sapatos e Bolsas BACANAS. Razão Social: Sócios: Endereço: Fone/Fax: Pessoa para Contato: CEP: ETAPA 2 DESCRIÇÃO GERAL DO NEGÓCIO O que a empresa

Leia mais

SUZANO PAPEL E CELULOSE S.A. Regimento Interno do Conselho de Administração

SUZANO PAPEL E CELULOSE S.A. Regimento Interno do Conselho de Administração SUZANO PAPEL E CELULOSE S.A. Regimento Interno do Conselho de Administração Este Regimento Interno foi aprovado pelo Conselho de Administração da Suzano Papel e Celulose S.A. em 18 de fevereiro de 2016.

Leia mais

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições:

O Banrisul no relacionamento com os diversos setores da sociedade terá suas posições e ações baseadas nas seguintes disposições: 1.0 - CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO BANRISUL Preâmbulo O compromisso é servir como Guia Prático de Conduta Pessoal e Profissional, a ser utilizado por todos os Colaboradores do Banrisul, possibilitando a

Leia mais

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.038, DE 14 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre o Programa Municipal de Parcerias Público- Privadas. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006.

LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. LEI Nº 8.798 de 22 de fevereiro de 2006. Institui a Política Estadual de fomento à Economia Popular Solidária no Estado do Rio Grande do Norte e estabelece outras disposições. O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 Regula Direitos e Obrigações Relativos à Propriedade Industrial. TÍTULO V DOS CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA AS PATENTES Art. 183.

Leia mais

Desafios da Gestão da Revenda Agropecuária 1

Desafios da Gestão da Revenda Agropecuária 1 Desafios da Gestão da Revenda Agropecuária 1 Matheus Kfouri Marino Fabio Matuoka Mizumoto * A gestão da minha revenda é competitiva? Meus processos de gestão estão estruturados? Como me posiciono perante

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA LEI N o 3.552, DE 16 DE FEVEREIRO DE 1959. Dispõe sobre nova organização escolar e administrativa dos estabelecimentos de ensino industrial do Ministério da Educação e Cultura, e dá outras providências.

Leia mais

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial.

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial. PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O SABESPREV MAIS. 1. A Sabesprev está em dificuldades financeiras? Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos

Leia mais

O QUE É ATIVO INTANGÍVEL?

O QUE É ATIVO INTANGÍVEL? O QUE É ATIVO INTANGÍVEL?! Quais as características do Ativo Intangível?! O problema da mensuração dos Ativos Intangíveis.! O problema da duração dos Ativos Intangíveis. Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)

Leia mais

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig de Ética Código CÓDIGO de Ética Código de Ética Código DE de Ética Código de Ética de Ética Código de Ética Código ÉTICA de Ética Código de Ética Código de Ética Fazendo Negócios com Integridade Realizamos

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

Título I Das Disposições Gerais

Título I Das Disposições Gerais PORTARIA Nº 207 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009 Dispõe sobre as Diretrizes Básicas de Segurança da Informação no âmbito da Fundação Cultural Palmares. O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES, no uso de suas

Leia mais

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte LEI N o 10.672, DE 15 DE MAIO DE 2003. Altera dispositivos da Lei n o 9.615, de 24 de março de 1998, e dá outras providências. Lei: O P R E S I D E N T E D A R E P Ú B L I C A Faço saber que o Congresso

Leia mais

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 247, DE 27 DE MARÇO DE 1996, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 269/97, 285/98, 464/08 E

TEXTO INTEGRAL DA INSTRUÇÃO CVM Nº 247, DE 27 DE MARÇO DE 1996, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 269/97, 285/98, 464/08 E TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELAS INSTRUÇÕES CVM Nº 269/97, 285/98, 464/08 E 469/08. Dispõe sobre a avaliação de investimentos em sociedades coligadas e controladas e sobre os procedimentos

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS O MOVIMENTO DAS DONAS DE CASA E CONSUMIDORES DE MINAS GERAIS MDC, doravante denominada OSCIP, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, inscrita no CNPJ sob o n. 20.966.842/0001-00, com

Leia mais

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas

Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas Frequently Asked Questions Perguntas & Respostas FAQ (frequently asked questions) Perguntas e Respostas 1 Quando surgiu a UNS? A UNS Idiomas iniciou suas atividades na cidade de São Paulo, onde está localizada

Leia mais

Para ser Franqueado. É essencial:

Para ser Franqueado. É essencial: Para ser Franqueado É essencial: Estar em busca de sucesso empresarial; Ter disposição pessoal para estudar, ensinar e trabalhar para manter um negócio seguro e rentável; Possuir espírito empreendedor;

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

ASPECTOS JURÍDICOS ESSENCIAIS PARA LOJAS VIRTUAIS

ASPECTOS JURÍDICOS ESSENCIAIS PARA LOJAS VIRTUAIS ASPECTOS JURÍDICOS ESSENCIAIS PARA LOJAS VIRTUAIS Introdução Defina o tipo de empresa Capítulo 1 Registre a sua marca e o seu domínio Capítulo 2 Prepare-se para os impostos Capítulo 3 O direito do e-consumidor

Leia mais

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA. Março 2014. Página 1

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA. Março 2014. Página 1 REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA Março 2014 Página 1 ÍNDICE CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA CÂMARA... 6 CAPÍTULO

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.º 06152/2009/RJ COGCE/SEAE/MF Referência: Ofício nº 147/2009/SDE/GAB, de 15 de janeiro de 2009. Em 31 de março de 2009 Assunto:

Leia mais

Ensinando Estratégia de Vendas utilizando um Estudo de Caso

Ensinando Estratégia de Vendas utilizando um Estudo de Caso MÓDULO 5 Ensinando Estratégia de Vendas utilizando um Estudo de Caso Unidade de Ensino: Estratégia de Vendas e Distribuição de Produtos ESTRUTURA x R.H. Importância da infra-estrutura TELEMARKETING INTERNET

Leia mais

Etapas para a preparação de um plano de negócios

Etapas para a preparação de um plano de negócios 1 Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: EMPREENDEDORISMO Turma: 5 ADN Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: O PLANO DE NEGÓCIO A necessidade de um plano de negócio

Leia mais