Transelevadores para pallets

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transelevadores para pallets"

Transcrição

1 Transelevadores para pallets

2 Os transelevadores são máquinas criadas para o armazenamento automático de pallets. Movem-se ao longo dos corredores do armazém executando as funções de entrada, colocação e saída das mercadorias.

3 Transelevadores Pallets ÍNDICE Transelevadores para pallets Mono-coluna Duas-colunas 20 Componentes mecânicos 24 Testeiro inferior Colunas Testeiro superior Mecanismos de acionamento Bastidor móvel de elevação ou berço Sistemas de extração: De profundidade simples De profundidade dupla Carro satélite Equipamento de corredor Trilho inferior Trilho superior Sistemas de medida de posição: Telêmetro laser Encoders absolutos Sistemas de mudança de corredor: Giro em curva Ponte de baldeação Modos de funcionamento Modo automático Modo semi-automático Modo manual Componentes elétricos Alimentação elétrica Armários elétricos Transmissão de dados 28 Elementos de segurança 33 Elementos de segurança a bordo Elementos de segurança do corredor

4 Os transelevadores Mecalux demonstraram sua eficácia em setores tão diversos como o de alimentação, automotivo, farmacêutico, peças de reposição, metalúrgico, químico ou administrações públicas. TRANSELEVADORES PARA PALLETS Os transelevadores são máquinas desenvolvidas para o armazenamento automático de materiais, através de movimentações mecânicas automatizadas. As entradas e saídas do material são executadas em um mesmo movimento (ciclo combinado). Isto aumenta a produtividade das instalações ao mesmo tempo que reduz a necessidade de recursos para seu funcionamento. Para o traslado das cargas no armazém, os transelevadores podem realizar três tipos de movimento: Longitudinal: sobre um trilho ao longo de um corredor. Vertical: ao longo da coluna do transelevador. Transversal: ou em profundidade, realizado pelos sistemas de extração sobre o berço da máquina para a extração ou colocação do pallet. As principais famílias de transelevadores são: Mono-coluna (recomendado para cargas de até kg). Duas colunas (aconselhável para cargas de mais de kg ou de grandes dimensões). Os transelevadores Mecalux são máquinas de última geração com acionamento controlado por variadores vetoriais de freqüência com controle de posicionamento através de telêmetros a laser e comando inteligente mediante PC ou PLC. A gama de transelevadores se adapta facilmente às necessidades de cada armazém quanto à capacidade de carga, dimensões, altura da construção e tempos de ciclo, cobrindo assim um vasto leque de aplicações. Todos os sistemas podem ser adequados a condições de trabalho especiais como temperatura de congelamento (-30 ºC ), umidade extrema ou usos especiais (possibilidade de aumentar as velocidades de trabalho padrão). 20 Transelevadores pallets

5 Transelevadores para pallets mono-coluna MT Criados para oferecer a maior funcionalidade e eficiência, sua ampla gama permite selecionar caso a caso o transelevador mais adequado para o espaço disponível e a mercadoria a manipular Transelevadores Pallets A existência de um tipo de máquina para cada altura de armazém permite controlar ao máximo o custo de instalação. Desde o modelo MT-0, ideal para as instalações mais simples, até o MT-6, que atinge uma altura de armazenamento de 45 m, as necessidades mais habituais ficam cobertas. No quadro estão indicadas as capacidades técnicas máximas da linha de transelevadores mono-coluna da Mecalux. Elementos básicos 1 2 Coluna Testeiro superior Plataforma de manutenção Cabine embarcada Berço de elevação Motor de elevação 7 7 Quadro de força 8 9 Motor de translação Testeiro inferior CARACTERÍSTICAS MT-0 MT-1 MT-2 MT-3 MT-4 MT-5 Altura máx. fundo simples mm mm mm mm mm Altura máx. fundo duplo mm mm mm mm Garfo telescópico fundo duplo Opcional Garfo telescópico fundo simples Sim Carga máx. admitida kg Velocidade de translação máx. (Vx) 180 m/min mm mm Aceleração em translação máx. (ax) 0,5 m/s 2 Velocidade de elevação máx. (Vy) 60 m/min Aceleração em elevação máx. (ay) 1 m/s 2 Carro satélite Opcional Cabine embarcada lateral Opcional Faixa de temperaturas possíveis De 30 ºC a +40 ºC Dimensões máx. de carga x x mm Tipo de pallet Euro pallet de 800 mm e mm de largura (EN-13382) Sistema de recuperação de energia Opcional MT mm mm 21

6 >> TRANSELEVADORES PARA PALLETS Transelevadores para pallets duas colunas MTB Para situações de serviços mais exigentes, foram desenvolvidos os transelevadores de duas colunas, que oferecem melhores rendimentos quanto à altura de armazenamento, capacidade de carga e velocidades de operação. O berço de elevação trabalha entre duas colunas para chegar a todos os níveis, proporcionando assim um alto grau de robustez à instalação. Esta categoria também dispõe de uma ampla variedade de máquinas para uma excelente adaptação aos fatores condicionantes de altura e peso da carga. A gama de transelevadores de duas colunas da Mecalux está refletida no quadro a seguir. CARACTERÍSTICAS MTB-1 MTB-2 MTB-3 MTB-4 MTB-5 MTB-6 Altura máx. fundo simples Altura máx. fundo duplo Garfo telescópico fundo duplo Garfo telescópico fundo simples Carga máx. admitida Velocidade de translação máx. (Vx) Aceleração em translação máx. (ax) Velocidade de elevação máx. (Vy) Aceleração em elevação máx. (ay) Carro satélite Cabine embarcada lateral Faixa de temperaturas possíveis Dimensões máx. de carga Tipo de pallet Plataforma de manutenção com elevação Sistema de recuperação de energia mm mm mm mm mm mm mm mm mm mm mm Opcional Sim kg 180 m/min 0,50 m/s 2 60 m/min 1 m/s 2 Opcional Opcional De 30º C a +40º C Dimensões variáveis de acordo com as necessidades Euro-pallet de 800 mm e mm de largura (EN 13382) Opcional Opcional MTB mm mm 22 Transelevadores pallets

7 2 3 5 Transelevadores Pallets Elementos básicos Colunas Testeiro superior Plataforma de manutenção Cabine embarcada Berço de elevação Motor de elevação Quadro de força Motor de translação Testeiro inferior

8 COMPONENTES MECÂNICOS O projeto dos transelevadores permite minimizar os esforços transmitidos à estrutura que os suporta, evitando assim que se produzam, com o passar do tempo, danos na prateleira ou na estrutura do armazém. para tanto o transelevador está composto dos seguintes elementos: colunas, testeiro ou bastidor inferior, testeiro superior, acionamento de elevação e bastidor móvel de elevação ou berço Colunas As colunas podem consistir de um tubo estrutura ou vigas gaveta. Estas são fabricadas com chapas de aço de alta resistência, devidamente configuradas e soldadas entre si, formando uma gaveta de forma retangular (viga). 1. Na parte interior desta gaveta, umas nervuras de reforço dispostas no sentido horizontal e em diagonal (treliça) proporcionam à coluna uma maior resistência à torção e à flexão. A moldura formada pelas duas colunas e ambos os bastidores proporcionam ao transelevador grande robustez, bem como mais estabilidade em seus movimentos. 2. A ambos os lados, as colunas têm soldado um trilho vertical para conduzir o bastidor móvel. Estes trilhos são perfis retangulares calibrados de qualidade ST 52 K, usinados para obter-se uma alta precisão. 3. Na base da coluna uma placa de aço soldada está parafusada ao bastidor inferior. Estas placas de aço usinadas soldam-se a ambas as extremidades da coluna, sendo ancoradas, por sua vez, aos testeiros superior e inferior. 4. Na parte posterior da coluna há uma plataforma equipada com corrimão na qual está alojado o quadro elétrico e que é parafusada ao console de suporte do dispositivo de elevação. 5. Na parte lateral da coluna há uma plataforma para manutenção do bastidor superior. O acesso a esta plataforma é feito por meio de escadas de emergência, colocadas na lateral da coluna e equipadas com um cabo de segurança. Todo este equipamento está em conformidade com as diretrizes de segurança em vigor. 6. Na coluna acham-se montadas as guias em forma de "T" para o elevador de serviço (opcional nos transelevadores de duas colunas) Transelevadores pallets

9 Transelevadores Pallets Testeiro ou bastidor inferior Trata-se de uma estrutura com forma de gaveta, produzida com perfis e chapas de aço soldadas entre si, resistentes à flexão e à torção, graças às nervuras de reforço soldadas em seu interior a intervalos regulares. Em ambas as extremidades do bastidor estão solidariamente fixados os alojamentos da roda motriz e da roda livre por meio de um sistema de abraçadeiras. Graças a um procedimento térmico, a roda motriz está encaixada sobre um eixo que se apóia em rolamentos situados nos mencionados alojamentos. A colocação ou retirada da roda é feita desmontandose o sistema de abraçadeiras de fixação. Sobre o eixo há um redutor de engrenagens cônicas de eixo oco. Este está fixado por um braço par que tem acoplado um motor de corrente alternada equipado com eletrofreio e codificador incremental para o fechamento do circuito de regulagem de velocidade. A roda livre está montada da mesma forma, com a diferença de que o eixo não tem necessidade de prolongamento para a colocação do redutor. Com a finalidade de assegurar um funcionamento seguro e silencioso do transelevador, tanto a roda motriz quanto a roda livre foram projetadas com roda plana usinada em aço fundido. A superfície de rodagem recebeu tratamento especial. O sistema de guia no sentido longitudinal é feito por meio de rodas de contraste situadas em ambos os lados do trilho de rodagem e próximas tanto da roda motriz quanto da roda livre. Nas extremidades do bastidor inferior encontram-se umas pinças parafusadas cuja função é manter as rodas em contato com o trilho de rodagem, evitando descarrilamentos no caso de colisões acidentais. Testeiro superior O testeiro ou bastidor superior está compost de placas soldadas, situadas na extremidade superior da coluna, que servem de suporte para as rodas horizontais de guia sobre o trilho superior. Tais rodas estão recobertas por uma faixa de VULKOLLAN com a finalidade de amortecer o ruído que possa resultar do funcionamento do transelevador em alta velocidade. Na testeiro superior estão as roldanas de re-envio do cabo de elevação, que por sua vez estão montadas sobre os eixos por meio de rolamentos de esferas. O transelevador está projetado de tal forma que as forças de impacto sobre os topos são transmitidas diretamente à laje do solo. Desta forma, as reações derivadas de um choque contra os topos não se transmitem à estrutura nem à cobertura do armazém. 25

10 >> COMPONENTES MECÂNICOS Acionamento de elevação O mecanismo de elevação tem o objetivo de impulsionar o bastidor móvel em seu movimento vertical. Está composto por um motor de corrente alternada projetado para trabalhar com variadores vetoriais de freqüência e equipado com um codificador incremental para fechamento do circuito de controle de velocidade e freio. Está acoplado a um redutor de engrenagens cônicas helicoidais. O flanco das engrenagens está tratado e construído com dentes retificados. Os grupos cônicos também são tratados e revestidos. Sobre o eixo do redutor estão encaixados os tambores. Sobre eles enrolam-se os cabos de elevação, que estão calculados conforme a norma DIN A fixação deles é feita por meio de um sistema de cunhas facilmente regulável e desmontável. Bastidor móvel de elevação ou berço O bastidor móvel de elevação (berço) tem a função de mover a carga e a cabine no sentido vertical e de realizar os ciclos de coleta e depósito mediante o dispositivo de garfos extensíveis instalado sobre ele. Nas cavidades existentes entre os dois corpos do garfo e a moldura do bastidor móvel há um piso de chapas estriadas de alumínio dimensionadas para suportar o peso de um homem enquanto executa trabalhos de manutenção. No lado do bastidor, em relação à coluna, foram previstos cilindros de apoio com regulagem através de excêntricas, o que permite o ajuste do bastidor móvel no sentido horizontal, vertical e no eixo longitudinal do corredor. O bastidor móvel está equipado com um sistema de pára-quedas homologado, composto por um sistema de cunhas e cilindros que atuam sobre as guias laterais da coluna, calculado conforme a diretriz de segurança em vigor. Um mecanismo de controle de velocidade, localizado na lateral da coluna da máquina, ativa a ação do páraquedas. A intervenção de suas cunhas não danifica os perfis guia verticais. Sistemas de extração Um elemento determinante para o desempenho dos transelevadores é o sistema de extração da unidade de carga. Em função dos requisitos de cada instalação esse elemento será parametrizado para obter-se os melhores resultados. O parâmetro fundamental a levar em conta, além da velocidade de extração, é a profundidade da extensão do garfo. Em função da relação entre a capacidade estática e dinâmica de cada caso, serão utilizados sistemas de simples, dupla e inclusive tripla profundidade. Entende-se por fundo o número de pallets que podem ser colocados na prateleira a cada lado do corredor; portanto, nos referiremos a fundo simples quando há um só pallet situado a cada lado e a fundo duplo quando seja possível colocar dois pallets a cada lado do corredor. Nos sistemas com fundo simples, a agilidade do sistema sobre a capacidade total de armazenamento é priorizada, enquanto nos sistemas de fundo duplo, consegue-se um grande equilíbrio entre a capacidade de armazenamento e a velocidade de manipulação. Há diferentes sistemas de extração: Profundidade simples Profundidade dupla Carro satélite 26 Transelevadores pallets

11 Transelevadores Pallets Garfo telescópico de profundidade simples Este mecanismo de manipulação horizontal permite depositar ou extrair unidades de carga em prateleiras de fundo simples. O garfo telescópico está composto por dois braços unidos entre si por meio de uma árvore de transmissão, para evitar tensões. A grande resistência à torção do acoplamento assegura o movimento uniforme dos braços. Os perfis da unha encaixam-se entre si através de cilindros curvos e de umas guias de deslizamento, graças ao que o braço telescópico adquire uma grande robustez. Garfo telescópico de profundidade dupla Consiste de um mecanismo de manipulação horizontal que ajuda a depositar ou extrair unidades de carga em prateleiras de fundo duplo por meio de pás telescópicas. O garfo telescópico está formado por dois braços unidos entre si por meio de uma embreagem de corrente ou de uma árvore articulada, para evitar tensões. A grande resistência à torção do acoplamento garante o movimento uniforme dos braços. A seção dos corpos telescópicos permite a este garfo percursos superiores a 2,8 m. CARACTERÍSTICAS FUNDO SIMPLES FUNDO DUPLO Dimensões do garfo para cargas kg Dimensões do garfo para cargas kg Percurso de saída retrátil do garfo Altura x largura do garfo Velocidade de desdobramento máx com carga Velocidade de desdobramento máx sem carga Aceleração com/sem carga Desnível entre 1ª e 2ª profundidade mm mm mm 65 x 170 mm 40 m/min 80 m/min 0,8 m/s 2 /1,5 m/s mm mm mm 70 x 180 mm 42 m/min 90 m/min 0,8 m/s 2 /2 m/s mm Carro satélite Trata-se de um carro móvel, que contem um sistema de elevação, que se desloca sob as cargas pelo interior da prateleira (sobre guias), possibilitando carregar e descarregar pallets em locais de até12 m de profundidade. Torna possível um armazenamento denso em bloco, de pallets de diferentes larguras, contêineres ou jaulas. Nos casos em que seja conveniente, um sistema de armazenamento deste tipo oferece as seguintes vantagens: Um armazenamento compacto minimizando o espaço morto. O carro satélite admite o transporte de pallets especiais de diferentes larguras. A alimentação elétrica direta facilita o reparo de avarias no modo de funcionamento manual desde o posto de controle. O uso de elementos mecânicos comprovados, especialmente motoredutores padrão,assegura uma grande confiabilidade da instalação. As rodas de VULKOLLAN eliminam o ruído em funcionamento. O posicionamento mediante codificador absoluto não requer escoras na prateleira. Os sensores embarcados permitem a aproximação máxima entre pallets, obtendo assim uma grande compactação. 27

12 COMPONENTES ELÉTRICOS Os equipamentos elétricos atendem em todos os pontos as normas VDE em vigor e as normas para proteção contra acidentes. A alimentação e distribuição dos transelevadores é feita através do trilho eletrificado desde um quadro elétrico ao pé do corredor. Alimentação elétrica Os corredores dos transelevadores têm quadros elétricos com sua correspondente carga de potência, suas proteções e circuito de emergência. Desde o quadro é feita a alimentação elétrica do transelevador através de um trilho eletrificado. A linha de alimentação está suportada na parte inferior da prateleira por meio de um perfil galvanizado em "C" que recolhe as cinco linhas. A instalação do trilho a uma altura próxima do solo facilita a inspeção e a manutenção. Os transelevadores recebem a corrente por meio de escovas deslizantes fixadas de maneira flexível ao testeiro inferior. Essas escovas estão situadas em dois carros de tomada de corrente, que asseguram um perfeito contato elétrico e mecânico. Quadro de força O quadro de força a bordo do transelevador está colocado na parte posterior da coluna dianteira, e os controles estão distribuídos de tal forma que o transelevador possa ser dirigido como uma unidade individual. A conexão elétrica ao berço e ao elevador é feita por meio de escovas deslizantes fixadas de forma flexível ao berço. A alimentação elétrica do transelevador pode ser suspensa graças a um interruptor colocado lateralmente no quadro de força. Módulo de devolução de energia a rede Opcionalmente se pode selecionar um módulo eletrônico de devolução de energia a rede que permite uma economia no consumo de eletricidade em torno de 15%. Este dispositivo opcional, montado abordo do transelevador, conecta a tensão de alimentação do circuito intermédio dos variadores. Desta forma quando os motores trabalham como geradores, a maior parte de sua energia é devolvida a rede de alimentação do cliente, para que seja absorvida por qualquer outro elemento consumidor conectado a ela. Transmissão de dados Para estabelecer a comunicação dos terminais periféricos descentralizados com o PC ou PLC fixos, bem como com os variadores de velocidade, são utilizados sistemas de comunicação ótica por raios infravermelhos (fotocélulas), com alcances de até 240 m e uma velocidade de transmissão de 1,5 Mbps, para temperaturas de operação de até -30 ºC caso necessário. As fotocélulas fixas estão situadas no final do corredor, e as fotocélulas embarcadas na coluna. Para a versão de comunicação de dados entre o quadro de força embarcado e o berço de elevação, um jogo de fotocélulas fica de frente entre o berço e o testeiro inferior. 28 Transelevadores pallets

13 Transelevadores Pallets EQUIPAMENTO DE CORREDOR O equipamento de corredor está composto por um trilho inferior, um trilho guia superior, elementos de segurança, alimentação elétrica, transmissão de dados e sistemas de medição de posição. O trilho inferior I trilho do tipo RN-45 ou equivalente está fixado na laje de concreto através de placas de apoio e parafusos de ancoragem, com um intervalo máximo de 925 mm. Nas extremidades os intervalos têm 600 mm. O trilho guia superior O trilho guia superior pode estar formado por um perfil HEA120. Ele é fixado aos perfis superiores de união dos corpos da prateleira por meio de placas de ajuste soldadas. Para a instalação deste elemento, primeiro se fazem as perfurações na laje de concreto, introduz-se os parafusos rosqueados preenchendo-se a perfuração com uma resina especial de fixação. Posteriormente são colocadas as placas de apoio, fazendo sua regulagem nivelandoas em toda a extensão do corredor. Colocam-se também os trilhos, cortando os pontos de junção em linha reta, perpendicularmente ao eixo do corredor, para depois soldar sua asa e núcleo com eletrodos especiais formando um cordão com 4 mm de espessura. Uma vez terminada a operação, faz-se o polimento da solda, verificam-se os níveis e preenchem-se as placas de apoio com um cimento sem retração. 29

14 >> EQUIPAMENTO DE CORREDOR Sistemas de medição de posição Para tirar as medidas da posição exata de cada eixo, é preciso selecionar o sistema mais adequado: Telêmetro a laser Codificador absoluto Telêmetros a laser Equipamentos óticos que medem a distância com alta precisão e resolução de 0,1mm ao refletir-se o laser em um refletor na outra extremidade. Estes sistemas são utilizados para o controle de posição de translação e elevação. Como não dependem de nenhum sistema mecânico com desgaste ou roda com deslizamento, a medida é direta e de grande confiabilidade. Codificadores absolutos Equipamentos rotativos com valor codificado não repetitivo nem incremental, que entregam seu valor absoluto e diferente a cada volta. Mantêm o valor medido ainda que a máquina tenha sido desligada. Habitualmente são instalados nos garfos telescópicos e nos carros satélite. Dispõem de dispositivos com acoplamentos sem excessivos deslizamentos nem desgastes e com percursos normalmente curtos. Há dispositivos de segurança elétrica previstos para a parada do transelevador no caso de acesso aos corredores. 30 Transelevadores Pallets

15 Transelevadores Pallets Sistemas de mudança de corredor Quando a rotatividade da mercadoria não é muito alta mas o volume de armazenamento é alto, não é necessário colocar um transelevador em cada corredor. Neste caso se utiliza um sistema que permita mudar o transelevador de um corredor a outro. Giro em curva Neste sistema é o transelevador que realiza a manobra de mudança de um corredor a outro através de uns desvios do tipo de linha férrea. Um simples acionamento mecânico dos sistemas do tipo "troca de agulhas" possibilita selecionar o corredor de destino. Ponte de baldeação A ponte de baldeação é a máquina encarregada de deslocar os transelevadores de um corredor a outro. O transelevador se posiciona sobre a ponte ficando ancorado e trasladando-se lateralmente até o corredor de destino onde ocorrerá a baldeação. Giro em curva Ponte de baldeação A diferença principal destes transelevadores com relação aos normais se baseia na incorporação de rodas giratórias com cilindros guia laterais, que se integram a uma bancada especial. Este sistema permite trabalhar com maior velocidade no interior dos corredores, apesar de resultar menos flexível no que tange à mudança de corredor do que o sistema de giro em curva. O sistema de giro em curva permite que os transelevadores se desloquem a velocidades elevadas nas curvas. A implementação de um ou outro sistema envolve um estudo amplo das condicionantes de cada caso. A operação de guia superior, em curvas e desvios, consiste de um trilho configurado para que as rodas de contraste superior do transelevador não abandonem em nenhum momento o perfil durante seu percurso. Não requer uma manutenção adicional, dado que os elementos de mudança de corredor são acionados de maneira simples por meio de sistemas de ar comprimido com baixo índice de desgaste. 31

16 MODOS DE FUNCIONAMENTO Os transelevadores da Mecalux podem funcionar no modo automático, semi-automático ou manual segundo as necessidades. Modo automático (sem homem a bordo) Executa as ordens enviadas por meio de uma fotocélula de comunicação desde o computador de gestão de transportes. Neste modo são executadas as seguintes operações: Localização. Extração. Mudança de localização. Correção de erros no armazém. Auto-aprendizado das localizações do armazém. Modo semi-automático É utilizado para executar funções de apoio, tais como: Acesso automático a uma localização, posicionando o transelevador automaticamente no local solicitado pelo operário. Ciclo de garfos automático: extrai ou deposita automaticamente uma unidade de carga na direção indicada pelo operário. Reposicionamento de mercadoria. Modo manual (com homem a bordo) Permite manipular todos os elementos do transelevador de forma restrita para realizar tarefas de manutenção e reparos. Este modo de operação exige controle visual: sempre é executado por comandos manuais e a baixas velocidades. 32 Transelevadores Pallets

17 ELEMENTOS DE SEGURANÇA A Mecalux, consciente da importância de contar no local de trabalho com condições de trabalho ótimas e seguras, dotou seus transelevadores dos meios ergonômicos e de segurança necessários para executar de modo simples as operações de trabalho e manutenção. Transelevadores Pallets Escada de mão Elementos de segurança a bordo Escadas de mão com patamares. Cabo de segurança (línha de vida) onde ancorar o arnês do operário de manutenção quando está usando a escada de mão, com a finalidade de evitar uma possível queda. Corrimãos de segurança em todas as plataformas de manutenção para evitar eventuais acidentes. Plataformas de manutenção posicionadas nos locais do transelevador às quais não é possível ter acesso desde o chão. Estas são acessíveis desde a escada de mão ou desde a cabine. Elevador para pessoal de manutenção (opcional), independente do sistema de elevação da carga. Cabine de comando em conjunto com o bastidor de carga. Os comandos do controle manual, localizados na cabine de comando, estão distribuídos de tal forma que os controles se situam entre os ombros e a cintura do operário, obtendo-se assim uma posição de trabalho ergonomicamente correta. Sistema mecânico de detenção do berço no caso de ruptura do cabo de elevação (pára-quedas). Proteção magnetotérmica nos quadros elétricos contra sobrecargas e sobre tensões. Proteção térmica nos motores elétricos por meio de sondas de temperatura contra sobrecargas. Limitadores de intensidade na alimentação elétrica de motores. Fins de curso em elevação e monitoramento das velocidades vertical e de extração de garfos. Grade de segurança Cabine com calefação, no elevador ou no bastidor de elevação, montada em transelevadores que operam em ambientes de temperaturas extremas. Fotocélula apalpadora instalada no berço para confirmar os locais vazios e evitar a queda de pallets. Sistema de verificação de centralização de garfos e carga anterior ao movimento de translação e elevação. 33

18 >> ELEMENTOS DE SEGURANÇA 1 2 Elementos de segurança no corredor Sistemas de parada de emergência do transelevador por botões homologados situados nas posições de controle manual e em zonas específicas da instalação. Sistemas de parada de emergência do transelevador por meio de um cabo esticado situado ao longo do corredor a 20 cm do piso, que atua sobre um dispositivo homologado de segurança. Segurança mecânica nas extremidades do corredor, por meio da fixação rígida e topes do tipo hidráulico. Tais elementos estão calculados para absorver 100% do impacto produzido pelo transelevador quando se move a velocidade nominal com o berço carregado. 1 Sistema de parada de emergência Fins de curso no corredor para comandar os movimentos de translação Tope hidráulico Tela de toque de controle Barreira de segurança Fechamento de segurança Zonas de desconexão de emergência nas extremidades do corredor, para impedir o impacto mecânico contra o tope hidráulico. 6 Detector de porta fechada e aberta com uma única chave de acesso Cercas, dispositivos de sinalização e circuitos de emergência localizados adequadamente para permitir um acesso seguro aos corredores para a execução de tarefas de manutenção Transelevadores Pallets

19 Transelevadores Pallets

20 Fabrica Estrada Municipal SMR 281 Campinas Hortolândia, s/n Bairro Rural Hortolândia-SP Caixa Postal 13 Cep: Tel.: Fax: Escritório Sâo Paulo Alameda Tocantins, 125 cj Alphaville Industrial Barueri- SP Cep: Tel.: Fax: M /09

Transelevadores para paletes

Transelevadores para paletes Transelevadores para paletes Os transelevadores são máquinas criadas para o armazenamento automático de paletes. Movem-se ao longo dos corredores do armazém executando as funções de entrada, colocação

Leia mais

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das unidades de carga. Trata-se de um conjunto de elementos

Leia mais

Transelevadores para paletes

Transelevadores para paletes Transelevadores para paletes Os transelevadores são máquinas criadas para o armazenamento automático de paletes. Deslocam-se ao longo dos corredores do armazém realizando as funções de entrada, localização

Leia mais

Mais automóveis e menos espaço. Essa é a equação em quase todas as cidades. Por esta razão, os sistemas de estacionamento robotizados, que aproveitam

Mais automóveis e menos espaço. Essa é a equação em quase todas as cidades. Por esta razão, os sistemas de estacionamento robotizados, que aproveitam Mais automóveis e menos espaço. Essa é a equação em quase todas as cidades. Por esta razão, os sistemas de estacionamento robotizados, que aproveitam o espaço disponível mais eficientemente, são uma alternativa

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

Estantes para Picking com passarelas

Estantes para Picking com passarelas Estantes para Picking com passarelas PICKING COM PASSARELAS A importância que tem o máximo aproveitamento do espaço dos armazéns requer soluções que permitam aceder aos níveis mais altos. Uma destas soluções

Leia mais

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s Mezaninos Os mezaninos permitem aproveitar ao máximo a altura útil de um local, duplicando ou triplicando sua superfície e acondicionando-a como área de armazenagem, vestuário, escritórios, etc. A instalação

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. ESTRUTURA E BLINDAGEM DOS MODULOS 1.1 - Estruturas Laterais Externas Deverão ser confeccionadas em chapa de aço SAE1010 #18, com varias dobras formando colunas, sem quinas ou

Leia mais

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das unidades de carga. Trata-se de um conjunto de elementos

Leia mais

Enroladores de Cabos - Contrapeso. Sistemas de Recuperação

Enroladores de Cabos - Contrapeso. Sistemas de Recuperação Enroladores de Cabos - Contrapeso Sistemas de Recuperação As figuras acima ilustram os tipos de acionamento a contrapeso. Na figura 7a temos o acionamento direto, na 7b, o acionamento direto através de

Leia mais

TRANSPORTADORES DE CORREIA

TRANSPORTADORES DE CORREIA 1. DESCRIÇÃO Os Transportadores de correia é a solução ideal para o transporte de materiais sólidos a baixo custo. Sua construção é compacta e com excelente desempenho funcional. Sua manutenção é simples

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MONTA-AUTOS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MONTA-AUTOS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MONTA-AUTOS MODELOS MCH 1/8 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MONTA AUTOS APLICAÇÃO APLICAÇÃO Transporte vertical de veículos acompanhados do condutor, a cabina terá as dimensões adequadas

Leia mais

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO Equipamento: COLETOR COMPACTADOR DE LIXO 10 m³ Modelo : CCL-10 Aplicação: Coleta de resíduos domésticos e/ou industriais,selecionados ou não Fabricante: VEMAQ - Indústria Mecânica de Máquinas Ltda 1 -

Leia mais

Estantes para paletização Push-back

Estantes para paletização Push-back Estantes para paletização Push-back PALETIZAÇÃO PUSH-BACK As estantes Push-back são um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Todas

Leia mais

A eficiência do laser. The Bend The Combi The Laser The Punch The System The Software

A eficiência do laser. The Bend The Combi The Laser The Punch The System The Software A eficiência do laser The Bend The Combi The Laser The Punch The System The Software Inovação e experiência Econômica e ecológica A máquina de corte a laser PLATINO Fiber 2D tem perfeito balanço entre

Leia mais

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t

GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300. Capacidade de Elevação 130t GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Capacidade de Elevação 130t PÁGINA 01 GUINDASTE SOBRE CAMINHÃO STC1300 Comprimento da extensão total da lança principal de 60m, perfil U, placa de aço WELDOX de alta resistência.

Leia mais

CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA. Uma Fonte Confiável de Excelentes Máquinas para Complementar Sua Força de Trabalho

CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA. Uma Fonte Confiável de Excelentes Máquinas para Complementar Sua Força de Trabalho CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA Uma Fonte Confiável de Excelentes Máquinas para Complementar Sua Força de Trabalho SÉRIE DV14 1417 / 1422 / 1432 / 1442 CENTRO DE USINAGEM DUPLA COLUNA O Centro de Usinagem

Leia mais

Linha de MOVIMENTAÇÃO

Linha de MOVIMENTAÇÃO Linha de MOVIMENTAÇÃO 2010 Empilhadeira Elétrica MEE 1.5 Ton MEE 2.0 Ton As Empilhadeiras Elétricas Menegotti são totalmente automatizadas, possuem controles de velocidade para deslocamento do equipamento

Leia mais

Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações. Pavimentadora de Concreto SP 850

Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações. Pavimentadora de Concreto SP 850 Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações Pavimentadora de Concreto SP 850 Pavimentadora de concreto SP 850 para uma pavimentação em concreto com qualidade superior Ampla variedade

Leia mais

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL

EMPILHADEIRAS HYUNDAI À DIESEL GARFO (Comprimento X Largura x Bitola) (mm) HDF50-7S (TIPO EIXO - TIPO GANCHO) - 1.350 X 150 X 60-1.500 X 150 X 60-1.800 X 150 X 60-2.000 X 150 X 60-2.400 X 150 X 60 HDF70-7S (TIPO EIXO) - 1,350 X 180

Leia mais

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER

TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TDA DIFUSOR PARA LUMINÁRIA TROFFER TSA/TODA DIFUSORES PARA LUMINÁRIAS O conjunto de difusão de ar completamente embutido, contribui para um visual leve e sem distorções. Sua flexibilidade própria,

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

AVISO DE RESULTADO DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 039/2015 - SAÚDE MENOR PREÇO POR ITEM

AVISO DE RESULTADO DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 039/2015 - SAÚDE MENOR PREÇO POR ITEM AVISO DE RESULTADO DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 039/25 - SAÚDE MENOR PREÇO POR ITEM A Pregoeira Pollyanna Allen Gomes de Jesus, designado pela Portaria nº 092/24 da Prefeitura Municipal de Goiânia / Secretaria

Leia mais

Alinhamento geométrico e nivelamento de máquinas e equipamentos

Alinhamento geométrico e nivelamento de máquinas e equipamentos A U A UL LA Alinhamento geométrico e nivelamento de máquinas e equipamentos A indústria mecânica Kybrobó S.A. adquiriu três máquinas-ferramenta para ampliar seu setor de produção: um torno CNC, uma fresadora

Leia mais

SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA

SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA 2 SHORT TRAVEL STANDARD SH ST ALVENARIA Com um conceito que busca facilidades, desenvolvemos uma plataforma cabinada, compacta e moderna, perfeita para o tipo de aplicação em estrutura de alvenaria. Com

Leia mais

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências:

correas UNIPLY Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Referências: Funcionamento das Correias Elevadoras Componentes de um Elevador de Correias a Canecas Os elevadores de correias a caçambas são os equipamentos mais comuns e econômicos para o movimento vertical de materiais

Leia mais

Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível.

Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Push-back Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Características gerais do sistema Push-back As estantes Push-back

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS TALHAS ELÉTRICAS GUINCHOS DE ALAVANCA TALHAS COM ACIONAMENTO MANUAL 1) NORMAS UTILIZADAS: NBR 10401 e 10402 Especificação: Fixa as condições exigíveis

Leia mais

Especifi cação técnica Pavimentadora de Concreto SP 850

Especifi cação técnica Pavimentadora de Concreto SP 850 Especifi cação técnica Pavimentadora de Concreto SP 850 Especificação técnica Pavimentadora de concreto SP 850 Vibradores e circuitos Vibração elétrica 24 conexões Vibradores acionados eletricamente Curvos

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO. 1 Alimentador

DESCRITIVO TÉCNICO. 1 Alimentador DESCRITIVO TÉCNICO Nome Equipamento: Máquina automática para corte de silício 45º e perna central até 400 mm largura Código: MQ-0039-NEP Código Finame: *** Classificação Fiscal: 8462.39.0101 1 Alimentador

Leia mais

T09. R o by. Trepador Móvel de Escada

T09. R o by. Trepador Móvel de Escada T09 R o by Trepador Móvel de Escada T09 Roby T09 Roby, o Trepador Móvel de Escada para o seu máximo conforto e segurança. O Roby permite às pessoas em cadeira de rodas ultrapassar as barreiras arquitetónicas,

Leia mais

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br SOLUÇÕES PARA FACHADA metax.com.br Passarela para pedestres Estes equipamentos são utilizados em locais onde a instalação do andaime fachadeiro obstrui a passagem de via, ou seja, a fachada do prédio não

Leia mais

CARROS DE APOIO À INDUSTRIA

CARROS DE APOIO À INDUSTRIA Carros de Mão Carros Ligeiros com Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para Escritóio

Leia mais

GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO

GVS GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO GABINETES DE VENTILAÇÃO TIPO SIROCCO CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS INTRODUÇÃO Os gabinetes de ventilação da linha são equipados com ventiladores de pás curvadas para frente (tipo "sirocco"), de dupla aspiração

Leia mais

Estantes para Push-back Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada nível

Estantes para Push-back Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada nível Estantes para Push-back Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada nível Características gerais do sistema Push-back Sistema de armazenagem

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar 50 anos a oferecer soluções de armazenagem 3 Presença em mais de 70 países 3 11 centros de produção 3 4 centros

Leia mais

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS

UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS VENTILADORES AXIAL UM A M ARC A DO GRUPO ESPIRODUTOS DESCRIÇÃO E NOMENCLATURA DE VENTILADORES AXIAL Diâmetro Fabricação Aspiração Rotor Empresa Ex: EAFN 500 Diâmetro da seleção Tipo de Fabricação G = Gabinete

Leia mais

Estantes para picking

Estantes para picking M7 Estantes para picking Sistema de armazenagem de produtos para picking manual que segue o princípio homem a produto. Principais vantagens: - Possibilidade de armazenar produtos de carga média e grande.

Leia mais

Estantes sobre bases móveis Movirack. Armazenagem de alta densidade sobre estantes móveis

Estantes sobre bases móveis Movirack. Armazenagem de alta densidade sobre estantes móveis Estantes sobre bases móveis Movirack Armazenagem de alta densidade sobre estantes móveis Características gerais do sistema Movirack Com o Movirack é possível compactar as estantes e aumentar consideravelmente

Leia mais

JATEAMENTO - INTRODUÇÃO APLICAÇÃO

JATEAMENTO - INTRODUÇÃO APLICAÇÃO www.sinto.com.br JATEAMENTO - INTRODUÇÃO APLICAÇÃO O Jateamento com abrasivo é um método de trabalho a frio que consiste no arremesso de partículas contra uma determinada superfície, a elevadas velocidades,

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD 18.01.2013 Racks Paletização KD O sistema de armazenagem KD de cargas médias e pesadas representa a melhor solução para armazéns em que é necessária uma correta armazenagem para produtos paletizados com

Leia mais

Pontes Rolantes - Aplicações

Pontes Rolantes - Aplicações Pontes Rolantes Pontes rolantes são máquinas transportadoras utilizadas, em meio industrial, no içamento e locomoção de cargas de um local para o outro. Conta com três movimentos independentes ou simultâneos

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE ARQUIVO DESLIZANTE ORGÃO GERENCIADOR:

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE ARQUIVO DESLIZANTE ORGÃO GERENCIADOR: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE ARQUIVO DESLIZANTE ORGÃO GERENCIADOR: Código UASG: 393003 Pregão Eletrônico SRP n 511/14 Vigência: 26/11/2014 a 25/11/2015 Sr. Luciano Sacramento Fone: (61) 3315-4241/4601

Leia mais

Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade

Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade Ótima rotação dos produtos graças à movimentação da carga Características do sistema de paletização dinâmica As estantes dinâmicas para a armazenagem

Leia mais

TRANSPORTADORES DE CORREIA - ZL EQUIPAMENTOS

TRANSPORTADORES DE CORREIA - ZL EQUIPAMENTOS . 1. DESCRIÇÃO Os Transportadores de correia projetados e fabricados pela ZL Equipamentos são uma solução ideal para o transporte de materiais a granel a um custo muito baixo. Sua construção é compacta

Leia mais

Como automatizar o seu armazém de forma rápida e econômica

Como automatizar o seu armazém de forma rápida e econômica Como automatizar o seu armazém de forma rápida e econômica Transelevador trilateral automático >> >> >> Solução ideal para automatizar estantes convencionais até 15 m de altura. Sem modificar a estrutura

Leia mais

Barramentos Blindados em Geral

Barramentos Blindados em Geral Barramentos Blindados em Geral Os Barramentos Blindados da Wampfler, são sistemas seguros para a eletrificação de consumidores móveis, utilizados mundialmente em instalações de transporte, máquinas e equipamentos

Leia mais

Armazéns automáticos para caixas

Armazéns automáticos para caixas Armazéns automáticos para caixas ARMAZÉNS AUTOMÁTICOS PARA CAIXAS É o sistema óptimo de manipulação de caixas para picking, seguindo o conceito de produto ao Homem. O armazém automático para caixas Miniload

Leia mais

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM A EMPRESA NOSSAS SOLUÇÕES PARA ARMAZENAGEM 25 DE AGOSTO DE 1969 Dar continuidade ao legado do pai, exímio ferreiro e artesão. Esse foi o sonho que impulsionou os irmãos

Leia mais

55MR. Escavadeira Compacta PC55MR-3. POTÊNCIA 39,6 HP @ 2.400 rpm. PESO OPERACIONAL 5.160-5.350 kg. CAPACIDADE DA CAÇAMBA 0,07-0,18 m³

55MR. Escavadeira Compacta PC55MR-3. POTÊNCIA 39,6 HP @ 2.400 rpm. PESO OPERACIONAL 5.160-5.350 kg. CAPACIDADE DA CAÇAMBA 0,07-0,18 m³ PC 55MR As fotos neste folheto são meramente ilustrativas, podendo incluir opcionais ou configurações diferentes do equipamento padrão. Escavadeira Compacta PC55MR-3 POTÊNCIA 39,6 HP @ 2.400 rpm PESO OPERACIONAL

Leia mais

MS12-15XIL. Transpaleteiras com torre para operador embarcado/andando. Capacidade de Carga de 1.250 a 1.500 kg

MS12-15XIL. Transpaleteiras com torre para operador embarcado/andando. Capacidade de Carga de 1.250 a 1.500 kg MS12-15XIL Capacidade de Carga de 1.250 a 1.500 kg Transpaleteiras com torre para operador embarcado/andando Grande plataforma para o operador Controlador do tipo Combi-Mosfet Tecnologia de corrente alternada

Leia mais

Proposta Empresarial

Proposta Empresarial Proposta Empresarial NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ANEXO V MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEITARIA 1. Este Anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas

Leia mais

catálogo de PRodutos

catálogo de PRodutos catálogo de PRodutos Linhas de trabalho Equipamentos como os fabricados pela eixomaq reduzem o esforço físico, tornando a jornada de trabalho muito mais prática e produtiva, além de, na maioria das vezes,

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

Barramento Elétrico Blindado KSL70

Barramento Elétrico Blindado KSL70 Barramento Elétrico Blindado KSL70 PG: 2 / 19 ÍNDICE PÁG. 1.0 DADOS TÉCNICOS 03 2.0 - MÓDULO 04 3.0 SUSPENSÃO DESLIZANTE 05 4.0 TRAVESSA DE SUSTENTAÇÃO 06 5.0 EMENDA DOS CONDUTORES E DOS MÓDULOS 07 6.0

Leia mais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais Contextualização A transformação da matéria-prima em produto acabado requer que pelo menos um dos três elementos básicos de produção (trabalhador, máquina e material) seja movimentado. Para a maioria dos

Leia mais

EMTV MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DESDE 1956

EMTV MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DESDE 1956 EMTV Elevador de manutenção telescópico vertical MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO ZELOSO DESDE 1956 PREFÁCIO APLICAÇÃO: Este manual contém informações para a operação e manutenção, bem como uma lista ilustrada

Leia mais

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção.

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. MODELO: BYG AR 1533 Índice 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. 7. Diagrama elétrico. 8. Diagrama hidráulico. 9. Peças

Leia mais

A Paletrans Equipamentos é uma empresa brasileira projetada e planejada para a eficiência competitiva.

A Paletrans Equipamentos é uma empresa brasileira projetada e planejada para a eficiência competitiva. A Paletrans A Paletrans Equipamentos é uma empresa brasileira projetada e planejada para a eficiência competitiva. Especializada em produtos e soluções para movimentação de materiais, com uma experiência

Leia mais

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102

ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS II AT-102 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br INTRODUÇÃO: Nem sempre as unidades geradoras

Leia mais

TALHAS DE CABO DE AÇO SPACEMASTER

TALHAS DE CABO DE AÇO SPACEMASTER TALHAS DE CABO DE AÇO SPACEMASTER A Spacemaster SX representa um design inovador que inclui tambor de cabo de grande diâmetro, que dá às talhas Spacemaster a altura construtiva mais baixa e melhores cargas

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br

(19) 3541-2000 - contato@dispelempilhadeiras.com.br www.dispelempilhadeiras.com.br CE CERTIFICADO EMPILHADEIRAS A transmissão 2-3 T possui estrutura avançada tipo flutuante, a única na China. Estruturas flutuantes são projetadas para reduzir a transmissão das vibrações ao chassis em

Leia mais

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s Mezaninos Os mezaninos permitem aproveitar ao máximo a altura útil de um local, duplicando ou triplicando sua superfície e acondicionando-a como área de armazenagem, vestuário, escritórios, etc. A instalação

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

Especifi cação Técnica. Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i

Especifi cação Técnica. Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i Especifi cação Técnica Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i Especifi cação Técnica Pavimentadora de Concreto SP 92 SP 92 i Vibradores e circuitos Vibração hidráulica Vibração elétrica Vibradores de

Leia mais

Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO

Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO Linha de TECNOLOGIA PARA CONCRETO 2010 2 Cortadora de Pisos HCC14 I HCC16 O design da Cortadora de Pisos Menegotti foi desenvolvido para aumentar a performance, força e vida útil do produto. É um equipamento

Leia mais

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LEVANTAMENTO E TRANSPORTE DE CARGAS Posição vertical: Dotar o posto de trabalho com regulagem de altura; Suporte para peças; Considerar dados antropométricos, na dúvida colocar

Leia mais

EMPILHADEIRAS ELEVADORAS TODO-O- TERRENO E SEMI INDUSTRIÁIS DE 1.300 até 5.000 kg FORKLIFT LINE. www.ausa.com

EMPILHADEIRAS ELEVADORAS TODO-O- TERRENO E SEMI INDUSTRIÁIS DE 1.300 até 5.000 kg FORKLIFT LINE. www.ausa.com EMPILHADEIRAS ELEVADORAS TODO-O- TERRENO E SEMI INDUSTRIÁIS DE 1.300 até 5.000 kg FORKLIFT LINE www.ausa.com FORKLIFT LINE A GAMA LÍDER EM EMPILHADEIRAS COMPACTAS TODO-O- TERRENO E SEMI-INDUSTRIAIS C 11

Leia mais

Estantes para Push-back. Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal

Estantes para Push-back. Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal Estantes para Push-back Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal Características gerais do sistema Push-back As estantes Push-back

Leia mais

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes Forma Construtiva dos Transelevadores Modo de Funcionamento dos Transelevadores Sistemas de Transferência Transelevadores para Armazém Autoportante Transelevadores para Armazém Autoportante Climatizado

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO D.S.M.P. - SEÇÃO DE COMPRAS COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº 01714.2007.000.14.00-3 Solicitamos de Vossa Senhoria

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. GARFO (Comprimento X Largura X Bitola) (mm): 100D7: 1.200 X 200 X 70 / 1.500 X 200 X 75 / 1.650 X 200 X 75 1.800 X 200 X 75 / 2.100 X 200 X 75 / 2.400 X 200 X 75 120D7: 1.200 X 200 X 75 / 1.500 X 200 X

Leia mais

www.keelautomacao.com.br Linha KSDX Solução em processamento CNC

www.keelautomacao.com.br Linha KSDX Solução em processamento CNC Linha KSDX Solução em processamento CNC Automatize a produção de sua empresa Instalada em Tubarão, SC, a KEEL atua na fabricação de equipamentos para Corte, Solda e Sistemas (CNC). Fundada em 2002, a empresa

Leia mais

RADIO-SHUTTLE Armazenagem compacta semi-automática

RADIO-SHUTTLE Armazenagem compacta semi-automática RADIO-SHUTTLE Armazenagem compacta semi-automática É um sistema de armazenagem semi-automático de paletização compacta que utiliza carrinhos para fazer os movimentos internos dentro das estantes de forma

Leia mais

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica

Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos. Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Curso Automação Industrial Aula 3 Robôs e Seus Periféricos Prof. Giuliano Gozzi Disciplina: CNC - Robótica Cronograma Introdução a Robótica Estrutura e Características Gerais dos Robôs Robôs e seus Periféricos

Leia mais

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná 0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná Santa Catarina. São Paulo. Rio Grande do Sul. Tocantins ÍNDICE Confiança

Leia mais

PROJETO DE NORMA BRASILEIRA

PROJETO DE NORMA BRASILEIRA PROJETO DE NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 9050 Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos Acessibility to buildings, equipment and the urban environment Palavras-chave: Descriptors:

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS Bastidores das Torres Rolantes Disponíveis em 2 larguras (0,75 e 1,35 m) de 4 degraus (1 m) e 7 degraus (2 m) Os degraus possuem uma superfície estriada antideslizante e a distância entre degraus é de

Leia mais

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais.

O modelo da foto pode conter equipamentos opcionais. Contate o seu concessionário Hyundai para mais informações. O equipamento apresentado pode variar de acordo com normas internacionais. Todas as medidas em libras e polegadas estão arredondadas. Novo Conceito

Leia mais

I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO

I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. DESENVONVIMENTO DE EQUIPAMENTOS E PROCEDIMENTOS

Leia mais

O Elevador Automotivo mais Confiável do Mundo Vans e Caminhonetes

O Elevador Automotivo mais Confiável do Mundo Vans e Caminhonetes Elevador de Duas Colunas O Elevador Automotivo mais Confiável do Mundo Vans e Caminhonetes Propriedades e Benefícios Figura: S15i 6.800kg Elevador simétrico com pacote inbay Desenvolvido para Produtividade

Leia mais

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES

Pregão 003/2006 Alteração 01 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES Pregão 003/2006 Alteração ESPECIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE ARQUIVAMENTO COMPOSTO DE MÓDULOS DE ARQUIVOS DESLIZANTES ITEM O1 Sistema de arquivamento composto de módulos de arquivos deslizantes, com acionamento

Leia mais

HSL650 7A/HSL850-7A CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado

HSL650 7A/HSL850-7A CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR * Algumas fotos podem incluir equipamentos opcionais. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado HSL650 7A/HSL850-7A NOVAS Minicarregadeiras Hyundai HSL650-7A/HSL850-7A

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO 2013-2

CATÁLOGO TÉCNICO 2013-2 CATÁLOGO TÉCNICO 2013-2 PRODUTO CONTRA PONTO MESA DIVISORA HV-240 TAMBOR GRADUADO - Pode ser acoplado no lugar do disco perfurado sendo possível fazer divisões de 2 em 2 minutos. FLANGE PORTA PLACA - Para

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO. DPE Desmontadora de Pneus Elétrica

MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO. DPE Desmontadora de Pneus Elétrica MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO DPE Desmontadora de Pneus Elétrica 01 - Cabeçote Fixador 02 Garras 03 Bicos de Pato Deslocador 04 Haste Móvel 05 Braço Deslocador 06 Trava da Haste Móvel 07 Mola 08 Bico

Leia mais

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 OBJETIVO: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento básico sobre Mezaninos, seus acessórios e suas aplicações, facilitando a solução de problemas

Leia mais

Motores Lineares Industriais

Motores Lineares Industriais Motores Lineares Industriais Sistema de accionamento puramente eléctrico Controlo de posição livre ao longo de todo o curso Para tarefas de posicionamento precisas e dinâmicas Vida útil maior com a tecnologia

Leia mais

SISTEMA DE ESTANTES MOVIPACK

SISTEMA DE ESTANTES MOVIPACK SISTEMA DE ESTANTES MOVIPACK MOVIPACK é um sistema de estantes móveis deslizando sobre carris. A vantagem óbvia do sistema é o aproveitamento de espaço em comparação com as estantes fixas que requerem

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARLOS BARBOSA SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS PÚBLICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARLOS BARBOSA SECRETARIA MUNICIPAL DE PROJETOS E OBRAS PÚBLICAS MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: MÓVEIS PARA SECRETARIA DE PROJETOS E OBRAS PÚBLICAS RUA ASSIS BRASIL, 11, CENTRO CARLOS BARBOSA GENERALIDADES O presente documento tem por objetivo: Instruir as condições que

Leia mais

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift Empilhadoras Elétricas Os empilhadores com braços de suporte oferecem uma solução efetiva e econômica para todos os tipos de armazém grandes ou pequenos. A BT oferece o grupo mais completo de empilhadores

Leia mais

Foco. ALLROUNDER verticais. Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos. www.arburg.com

Foco. ALLROUNDER verticais. Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos. www.arburg.com Foco ALLROUNDER verticais Injetoras para a sobreinjeção ergonômica de insertos www.arburg.com Sinopse Ergonomia: sistema vertical de espaço livre com placa de fixação imóvel presa na parte de baixo, proporcionando

Leia mais

VerticalLine V 160C V 160G. Centros de Torneamento Verticais

VerticalLine V 160C V 160G. Centros de Torneamento Verticais VerticalLine V 160C V 160G Centros de Torneamento Verticais VerticalLine V160C, V160G Compacto, rápido, universal Aumente a produtividade Sistema Forte com máquinas verticais O sistema modular efici- compactas

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

www.drmequipamentos.com.br 1

www.drmequipamentos.com.br 1 www.drmequipamentos.com.br 1 INSTITUCIONAL: DRM EQUIPAMENTOS - Locações e Vendas de Equipamentos para Construção Civil A DRM - Locações e Vendas de Equipamentos corresponde à grande evolução na indústria

Leia mais

ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação

ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação ANEXO IX INJETORA DE MATERIAIS PLÁSTICOS 1. Para fins de aplicação deste Anexo considera-se injetora a máquina utilizada para a fabricação descontínua de produtos moldados, por meio de injeção de material

Leia mais

PORTA-PALETES PARA APLICAÇÕES ESPECÍFICAS

PORTA-PALETES PARA APLICAÇÕES ESPECÍFICAS Porta-Paletes Manuais Porta-Paletes Elétricos Porta-Paletes de Tesoura Porta-Paletes em Inox Porta-Paletes com Balança Porta-Paletes TODO-O-TERRENO Porta-Paletes Aplicações Específicas Compre Produtos

Leia mais

MBB C 2500 L LIFETIME EXCELLENCE TRANSPORTE DE CARGAS ATÉ 2500 KG SEGURO, FÁCIL E EFICIENTE, PARA OS MAIS DIVERSOS TIPOS DE APLICAÇÕES

MBB C 2500 L LIFETIME EXCELLENCE TRANSPORTE DE CARGAS ATÉ 2500 KG SEGURO, FÁCIL E EFICIENTE, PARA OS MAIS DIVERSOS TIPOS DE APLICAÇÕES MBB C 2500 L LIFETIME EXCELLENCE TRANSPORTE DE CARGAS ATÉ 2500 KG SEGURO, FÁCIL E EFICIENTE, PARA OS MAIS DIVERSOS TIPOS DE APLICAÇÕES MOVIMENTAÇÃO ÁGIL E SEGURA DEVIDO AO SEU PISO ANTIDERRAPANTE A FERRAMENTA

Leia mais