1 Justificativa. 2 Objetivos. 2.1 Objetivos gerais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 Justificativa. 2 Objetivos. 2.1 Objetivos gerais"

Transcrição

1 4 Introdução Este projeto de pesquisa procura levantar dados que mostrem a qualidade de compreensão dos alunos que compõem o Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) sobre questões de Bioética. Acredita-se na necessidade de compreensão de uma ética complexa pelos alunos da área de saúde, no geral, num tempo de crise de referenciais e de perplexidade com a humanidade principalmente científica. Pensa-se que, com uma pesquisa como esta, possa-se estar fomentando uma reflexão sobre questões amplas como o valor e o dever das ciências, a participação da sociedade nas ações de saúde, atitudes de respeito ao outro, capacidade de tolerância, liberdade, fidelidade, sobre a compreensão, o perdão, a esperança, utopia, sobre o amor e a amizade, e os princípios universais da Bioética e seus desdobramentos contemporâneos (MORIN, 1996, 2000, 2005; ESPINOSA, 1998; LADRIÈRE, 2000; GOLDIM, 2006; UNESCO, 2005). Por ser a Bioética um campo interdisciplinar, ela bem serve como uma ponte entre as ciências biomédicas e as humanas pelo compromisso que tem frente aos conflitos morais na área da saúde e da doença dos seres humanos, já que seus temas dizem respeito a situações de vida que nunca deixarão de estar em pauta na história da humanidade. Profissionais fisioterapeutas já se deram conta de que a Bioética está implícita na ação da educação e assistência da criança, do adolescente, do adulto e do velho, englobando cuidados não só com o corpo, mas com a mente e com o espírito. Daí a necessidade de se compreender primeiramente os quatro princípios de Bioética: Autonomia, Justiça, Beneficência e Não-Maleficência e de conhecer o conceito que está representado na mente do aluno, para se poder avaliar e diagnosticar o nível de compreensão sobre esses princípios. A política da Fisioterapia está orientada para, sem deixar de atender às necessidades específicas no campo médico, funcional, psicológico e social, focar a sua ação no meio envolvente, na perspectiva da construção de uma sociedade onde haja lugar para o direito a ser e permanecer diferente (BONINI-ROCHA, 2009, 2010). Aspectos como um ambiente físico inacessível, a falta de tecnologia de apoio apropriada, atitudes negativas das pessoas em relação à incapacidade, bem como serviços, sistemas e políticas inexistentes ou que dificultam o envolvimento das pessoas, em todas as áreas da vida, limitam a funcionalidade e provocam incapacidade (BARCHIFONTAINE, 2002). A participação dos sujeitos, monitores e colaboradores neste projeto de investigação tem potencial para instigar a curiosidade sobre a Declaração Universal de Bioética e Direitos

2 5 Humanos dentre outros documentos interessantes, além de dar início a uma reflexão crítica sobre os problemas morais que surgem na prática da ação fisioterapêutica que pode se estender de forma sólida sobre o curso de fisioterapia como um todo, envolvendo e influenciando diretamente nas práticas de ensino, pesquisa e extensão. 1 Justificativa Este projeto se justifica porque, atualmente, alunos e profissionais da Fisioterapia têm tido uma forte base sobre Anatomia, Fisiologia de Órgãos e Sistemas e de Técnicas, seguindo o fluxo do crescimento científico e tecnológico, todavia, pouco se discute sobre Bioética. Os Cursos de Graduação tem, no geral, restringidos a disciplina de Ética ao estudo do Código de Ética Profissional. Em contrapartida, outros cursos têm restringido a disciplina ao estudo da Filosofia, desconectado, por vezes, de aspectos reais da disciplina da fisioterapia. Essas abordagens não são pouco importantes, pelo contrário, devem cada vez mais ser estudada, observada, debatida e reconhecida moralmente. Porém, a Fisioterapia é uma disciplina global, que tem o dever de recuperar capacidades físicas e mentais do cidadão para o exercício da vida, função altamente comprometida com valores bioéticos. 2 Objetivos 2.1 Objetivos gerais Reflexão teórica dos problemas relacionados à Bioética que surgem na prática da Fisioterapia Conhecer como os Alunos do Curso de Fisioterapia da UNIFRA entendem os princípios da Bioética. 2.2 Objetivos específicos Pesquisa bibliográfica e reflexão teórica e crítica dos conceitos envolvidos à Bioética; Aplicação de questionários para os alunos do Curso de Fisioterapia; Classificação de categorias sobre as respostas dos alunos; Diagnóstico da compreensão dos alunos.

3 6 3 Materiais e métodos 3.1 População e amostra Alunos do Curso de Fisioterapia da UNIFRA regularmente matriculados. Um estudo piloto está sendo realizado com os alunos do 8º semestre do Curso de Fisioterapia, formandos de 2010/ Instrumento de coleta de dados Utilizar-se-á um Questionário Aberto apresentado de forma impressa aos alunos, compondo duas perguntas: - Quais os princípios da Bioética? - Como você compreende a Bioética aplicada à Fisioterapia? Dentre os Questionários respondidos, aqueles cujas respostas se destacarem, serão eleitos (no máximo dois sujeitos) para entrevistas semi-estruturadas. As entrevistas serão gravadas e transcritas e terão duração máxima de 40 minutos. Como roteiro da entrevista, permanecerá as mesmas perguntas do questionário, trabalhando-se noções contemporâneas e aplicadas à área da reabilitação sobre a Bioética e as principais categorias levantadas pelas respostas dos questionários. 3.3 Metodologia Os alunos, bolsistas e colaboradores, aplicarão pessoalmente o questionário aos sujeitos, de forma escrita ou gravada e transcrita, dependendo da forma que melhor se adapte à situação. Eles transitarão pelos espaços da instituição coletando as informações em momentos extraclasses. Nesta fase da investigação, não será utilizado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido tendo em vista ser de caráter investigativo sem nenhuma exposição declarativa do sujeito que responder o questionário. A professora Ana Clara, realizará a (s) entrevista (s) semi-estruturada. Os alunos colaboradores poderão participar desde que o sujeito entrevistado permita a presença deles. As entrevistas serão realizadas nas dependências da UNIFRA, em ambiente tranqüilo, onde pesquisadores e sujeitos não possam ser interrompidos, ou em qualquer outro lugar de preferência do sujeito entrevistado. Ao sujeito que for submetido à entrevista, será lido um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (Apêndice 2) que poderá ou não ser assinado, ficando assim a coleta dependente do seu consentimento em participar do estudo.

4 7 4 Orçamento Caneta (02 unidades) R$ 3,00 Encadernação do Projeto R$ 2,00 Folhas A4 (500 folhas) R$ 20,00 Xerox (300 cópias) R$ 20,00 Total R$ 45,00 As despesas serão de responsabilidade da professora pesquisadora. 5 Metas Levantamento de categorias significantes para a discussão da temática de Bioética na área da Fisioterapia da UNIFRA e disponibilização dessas informações em forma de palestras. 4.1 Oferecer oficinas de embasamento teórico aos alunos envolvidos na pesquisa; 4.2 Preparar um grupo de alunos para produção científica em Bioética; 4.3 Gerar pesquisa de Trabalho de Final de Graduação na temática; 4.4 Gerar publicação na revista Disciplinarium; Referências Bibliográficas BARCHIFONTAINE, C. P. Bioética e Reabilitação. O Mundo da Saúde. São Paulo, 2002, 26 (26) : BONINI-ROCHA, A.C. Fisioterapia e Bioética. Revista do Crefito5, Rio Grande do Sul. Abr p BONINI-ROCHA, A.C. Fisioterapia e Bioética II. Jornal da Unifra, UNIFRA. Abril/Maio, BONINI-ROCHA, A.C. Fisioterapia e Bioética. Jornal da Unifra, UNIFRA. Dezembro, ESPINOSA, J. Questões de Bioética. Lisboa: Quadrante, GOLDIM, J. Bioética: Origens e Complexidade. Revista HCPA, 2006, 26 (2) : LADRIÈRE, J. Del Sentido de La Bioética. Acta Bioethica. 2000; AñoVI (2): MORIN, E. O Método 6. Ética. 2ª edição. Porto Alegre: Sulina, MORIN, E. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez/UNESCO, MORIN, E. ; PROGOGINE, I. A Sociedade em Busca de Valores. Lisboa: Instituto Piaget, UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura Disponível em

5 8 Apêndices Apêndices 1: Questionário Apêndices 2: Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

6 9 Apêndice 1: Questionário CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO (UNIFRA) Curso de Fisioterapia ( ) Feminino ( ) Masculino Semestre: Idade: Fone para contato: Quais os princípios da Bioética? Como você compreende a Bioética aplicada a Fisioterapia?

7 10 Apêndice 2: Termo de Consentimento Livre e Esclarecido Estudo sobre a compreensão de professores e alunos do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) sobre Bioética Formulário de Consentimento Livre e Esclarecido para Adultos A professora do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Ana Clara Bonini-Rocha, informou-me de sua participação em uma pesquisa na UNIFRA. O título da pesquisa é Estudo sobre a compreensão de alunos do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) sobre Bioética. Eu fui informado de que o propósito da pesquisa é levantar dados que mostrem a qualidade de compreensão da população do Curso de Fisioterapia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) sobre questões de Bioética. Eu fui informado que as intenções do estudo são de buscar dados que levem a uma reflexão teórica dos problemas relacionados à Bioética que surgem no ensino e na prática da Fisioterapia dentro da academia, bem como conhecer de que forma os alunos do Curso de Fisioterapia da UNIFRA entendem os princípios da Bioética. Eu fui informado que a pesquisa se justifica porque, atualmente, alunos da Fisioterapia têm tido uma forte base sobre Anatomia, Fisiologia de Órgãos e Sistemas e de Técnicas, seguindo o fluxo do crescimento científico e tecnológico, mas pouco se discute sobre valores e princípios morais em relação a abordagem à saúde do ser humano. A Fisioterapia é uma disciplina global, que tem o dever de recuperar capacidades físicas e mentais do cidadão para o exercício da vida. Eu fui informado que a minha participação neste estudo envolverá esta conversa com a professora que durará no máximo 30 minutos e que tudo o que eu disser será gravado e transcrito pelos alunos colaboradores da professora Ana Clara, sendo guardada por ele qualquer possibilidade de indentificação da minha identidade. Eu fui informado que não há riscos para minha saúde ou integridade física nem seqüelas imediatas ou tardias se eu participar da entrevista e que não existem procedimentos alternativos que não estejam descritos neste termo. Portanto, todas as condutas nas quais deverei participar foram abordadas antes da minha assinatura neste formulário sem nenhum dano a minha reputação moral. Eu fui informado que todos os participantes assinarão esse termo de consentimento

8 11 livre e esclarecido que estará de acordo com as normas institucionais estabelecidas e submetidas ao Comitê de Ética de Pesquisa do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), antes da minha participação no estudo. Eu fui informado que os possíveis benefícios da minha participação nesta pesquisa se devem, primeiramente, que eu estarei participando de uma pesquisa importante na área da Bioética; e que os conhecimentos aqui obtidos poderão ser apresentados em congressos científicos e trabalhos na literatura especializada, guardando meu anonimato e não utilização de minha imagem pessoal. Nesta entrevista, e sempre que eu necessitar, eu poderei perguntar e adquirir conhecimento sobre os princípios da Bioética e aplicá-los assim na atuação de minha atual/futura profissão, é só contatar com minha professora ou com meus colegas colaboradores neste estudo. Resumindo, eu fui informado que os resultados da pesquisa serão publicados, mas que o meu nome e demais dados de identificação não serão revelados. Para manter a confidencialidade de meus registros, a pesquisadora Ana Clara não solicitará o meu nome e que somente ela e seus alunos diretamente envolvidos no estudo terão acesso aos meus dados de identificação e as informações coletadas. Eu também fui informado que não serei remunerado pela minha participação e que posso não aceitar participar ou desistir de fazê-lo a qualquer momento que pese sobre mim qualquer encargo. Quaisquer dúvidas que eu tiver em relação à pesquisa ou a minha participação, antes ou depois do meu consentimento, serão respondidas pela pesquisadora Ana Clara, no endereço Rua Silva Jardim, 1175, Cep em Santa Maria (Campus II UNIFRA) ou pelos telefones (55) ou (55) O Comitê de Ética em Pesquisa que aprovou este termo pode ser contatado na Rua dos Andradas, 1614, Cep Santa Maria (Campus I UNIFRA) ou pelo fone (55) ramal: Eu fui informado que se tiver dúvidas sobre os meus direitos como um participante desta pesquisa, ou se sentir que fui colocado em risco, posso contatar o Comitê de Ética em Pesquisa da UNIFRA e que minha ocasional vontade em não participar desta pesquisa não implica em nenhum prejuízo a minha pessoa. Declaro que recebi uma cópia do presente Termo de Consentimento Livre e Esclarecido para Adultos e assino-o de forma voluntária.

9 12 Assinatura do entrevistado: Nome do Informado: Data:.../.../... Certifico que expliquei ao indivíduo acima, a natureza e o propósito, os benefícios potenciais, e os possíveis riscos associados com a participação neste estudo, e que respondi todas as questões que me foram levantadas, testemunhando a assinatura acima. Forneci uma cópia ao entrevistado deste documento de consentimento assinado por ele. Assinatura da Pesquisadora: Ana Clara Bonini Rocha Data:.../.../... Este formulário foi lido para... em.../.../... por Ana Clara Bonini-Rocha enquanto eu estava presente. Assinatura da Testemunha: Nome da Testemunha: Data:.../.../...

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos

Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Cuidados paliativos em uma Instituição de Longa Permanência para Idosos Fernanda Diniz de Sá 1, Leonildo Santos do Nascimento Júnior, Daniele Nascimento dos Santos, Magdalena Muryelle Silva Brilhante (UFRN

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DA GRANDE FORTALEZA FAMETRO PROGRAMA DE MONITORIA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 007/2015 DA

FACULDADE METROPOLITANA DA GRANDE FORTALEZA FAMETRO PROGRAMA DE MONITORIA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 007/2015 DA FAMETRO PROGRAMA DE MONITORIA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 007/2015 DA A Direção Acadêmica torna pública a inscrição para docentes e estudantes da Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza FAMETRO,

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (TCLE)

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (TCLE) TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (TCLE) (Responsável por paciente com idade 24 meses) TÍTULO DA PESQUISA: IDENTIFICAÇÃO DE ALTERAÇÕES IMUNOFENOTÍPICAS E MOLECULARES DAS LEUCEMIAS DE CÉLULAS-T

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TCLE

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TCLE TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TCLE O TCLE não é apenas um texto jurídico com a assinatura do sujeito da pesquisa afixada. É um instrumento que se usa para facilitar a comunicação entre pesquisador

Leia mais

MODELOS DOS DOCUMENTOS EXIGIDOS (De acordo com as exigências da Res. nº. 466/2012 CNS/CONEP)

MODELOS DOS DOCUMENTOS EXIGIDOS (De acordo com as exigências da Res. nº. 466/2012 CNS/CONEP) MODELOS DOS DOCUMENTOS EXIGIDOS (De acordo com as exigências da Res. nº. 466/2012 CNS/CONEP) APÊNDICES Termo de Consentimento Livre e Esclarecido TCLE O Termo de Consentimento Livre e Esclarecido deve

Leia mais

TÍTULO: BIOÉTICA NOS CURSOS SUPERIORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO

TÍTULO: BIOÉTICA NOS CURSOS SUPERIORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO TÍTULO: BIOÉTICA NOS CURSOS SUPERIORES DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE PRESBITERIANA

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA

FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE SANTA CATARINA TUTORIAL DE PREENCHIMENTO DOS DOCUMENTOS A SEREM ENTREGUES PARA A OBTENÇÃO DO PARECER DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA COM SERES HUMANOS INTRODUÇÃO. O Comitê de

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Resumo

MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA. Resumo 1 MONITORIA: EXPERIENCIA DA PESQUISA EM SALA DE AULA NO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA Resumo Patricia Santos de Barros/UFRJ A nossa vivência pedagógica situa-se no âmbito do curso de Licenciatura

Leia mais

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 GIL, Bruna; BOTTON, Andressa 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Psicóloga, formada pelo Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria,

Leia mais

Palavras-chave: Ambiente de aprendizagem. Sala de aula. Percepção dos acadêmicos.

Palavras-chave: Ambiente de aprendizagem. Sala de aula. Percepção dos acadêmicos. PERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA UENP, EM RELAÇÃO AOS ASPECTOS QUE CARACTERIZAM UM AMBIENTE FAVORECEDOR DA APRENDIZAGEM RESUMO Maria Cristina SIMEONI 1 Este resumo

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO 2 Sumário 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS... 3 1.1 Atividade acadêmica... 3 1.2 Estruturação... 3 1.3 Localização

Leia mais

DESENVOLVIMENTO INFANTIL EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIAIS

DESENVOLVIMENTO INFANTIL EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIAIS DESENVOLVIMENTO INFANTIL EM DIFERENTES CONTEXTOS SOCIAIS Coordenadoras: Karla da Costa Seabra (Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Educação) Susana Engelhard Nogueira (Instituto Federal

Leia mais

ROTEIRO E ESCLARECIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS A COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIFRA

ROTEIRO E ESCLARECIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS A COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIFRA ROTEIRO E ESCLARECIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS A COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIFRA Antes de preencher o formulário para submissão de projeto de pesquisa em animais,

Leia mais

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI

A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI A PERCEPÇÃO DE GRADUANDOS EM PEDAGOGIA SOBRE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM UMA FACULDADE EM MONTE ALEGRE DO PIAUÍ - PI Kássia Hellem Tavares da Silva (*), Lorrane de Castro Miranda, Israel

Leia mais

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva Pela primeira vez, o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD)

Leia mais

ED WILSON ARAÚJO, THAÍSA BUENO, MARCO ANTÔNIO GEHLEN e LUCAS SANTIGO ARRAES REINO

ED WILSON ARAÚJO, THAÍSA BUENO, MARCO ANTÔNIO GEHLEN e LUCAS SANTIGO ARRAES REINO Entrevista Cláudia Peixoto de Moura Nós da Comunicação tendemos a trabalhar com métodos qualitativos, porque, acredito, muitos pesquisadores desconhecem os procedimentos metodológicos quantitativos ED

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação e Formação Especialização: E-learning e Formação a Distância (Regime a Distância) 14 15 Edição Instituto

Leia mais

3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa

3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa 3 Metodologia 3.1. Tipo de pesquisa Selltiz et al (1967) apud Gil (2007) definem três grupos de pesquisas, sendo estes: estudos exploratórios, estudos descritivos e estudos que verificam hipóteses causais.

Leia mais

NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (NAC) REGULAMENTO

NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (NAC) REGULAMENTO NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES (NAC) REGULAMENTO E-1/11 FACULDADES SÃO JOSÉ NÚCLEO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO I - DA NATUREZA DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º - Designamos atividades

Leia mais

CENTRO LÚCIO COSTA (CLC) PROGRAMA DE FORMAÇÃO Novembro 2013

CENTRO LÚCIO COSTA (CLC) PROGRAMA DE FORMAÇÃO Novembro 2013 CENTRO LÚCIO COSTA (CLC) PROGRAMA DE FORMAÇÃO Novembro 2013 Datam de 2008 as primeiras negociações entre o Governo do Brasil e a UNESCO para a criação de um Centro de Categoria II (CC2) sediado no Rio

Leia mais

PROCESSO DE TRABALHO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ENQUANTO MORADOR E TRABALHADOR DE SAÚDE INSERIDO NO MESMO TERRITÓRIO

PROCESSO DE TRABALHO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ENQUANTO MORADOR E TRABALHADOR DE SAÚDE INSERIDO NO MESMO TERRITÓRIO 1322 PROCESSO DE TRABALHO DO AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ENQUANTO MORADOR E TRABALHADOR DE SAÚDE INSERIDO NO MESMO TERRITÓRIO Janyelle Silva Mendes¹;Juliana Alves Leite Leal² 1. Graduanda do Curso de Enfermagem,

Leia mais

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010

PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 PROPOSTA PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO II ENSINO DE CIÊNCIAS 2010 OBSERVAÇÃO NA ESCOLA Localização da Escola 29/03 16/04 Espaço Físico PPP e o Ensino de Ciências OBSERVAÇÃO NA SALA Relação Professor/Alunos

Leia mais

Roteiro para encaminhamento de Projeto de Pesquisa ao CEP-FIPA

Roteiro para encaminhamento de Projeto de Pesquisa ao CEP-FIPA 1 Prezado Pesquisador: Comitê de Ética em Pesquisa CEP / FIPA Faculdades Integradas Padre Albino Fundação Padre Albino Rua dos Estudantes, 225 - Cep - 15.809-144 Catanduva SP Fone (17) 33113229 e-mail:

Leia mais

Trabalhando em equipes e resolvendo problemas: a aplicação do PBL em sala de aula

Trabalhando em equipes e resolvendo problemas: a aplicação do PBL em sala de aula Trabalhando em equipes e resolvendo problemas: a aplicação do PBL em sala de aula Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul São Paulo, 17 de junho de 2015. Agenda Introdução

Leia mais

Categorias Temas Significados Propostos

Categorias Temas Significados Propostos 91 5. Conclusão O objetivo do presente trabalho foi descrever a essência do significado da experiência consultiva para profissionais de TI que prestam de serviços de consultoria na área de TI. Para atingir

Leia mais

PESQUISA FASSP: INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Apresentação Objetivos Áreas de Concentração Normas Dowloads

PESQUISA FASSP: INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Apresentação Objetivos Áreas de Concentração Normas Dowloads Apresentação Objetivos Áreas de Concentração Normas Dowloads FISIOTERAPIA ENFERMAGEM Downloads Apresentação Este Programa tem como sustento pedagógico a ideia da interdisciplinaridade e da integração nas

Leia mais

INSTRUMENTOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

INSTRUMENTOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO GERÊNCIA DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DA REDE DE ENSINO INSTRUMENTOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GOIÂNIA 2010 SEDUC/GO Matrícula

Leia mais

EDITAL PROEN Nº 43/2015

EDITAL PROEN Nº 43/2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE ENSINO EDITAL PROEN Nº 43/2015 Dispõe sobre

Leia mais

ANEXO I FICHA DE IDENTIFICAÇÃO DE INTERESSADOS NA ATIVIDADE DE CONDUÇÃO DE VISITANTE NO PARQUE NACIONAL DE SÃO JOAQUIM

ANEXO I FICHA DE IDENTIFICAÇÃO DE INTERESSADOS NA ATIVIDADE DE CONDUÇÃO DE VISITANTE NO PARQUE NACIONAL DE SÃO JOAQUIM ANEXO I FICHA DE IDENTIFICAÇÃO DE INTERESSADOS NA ATIVIDADE DE CONDUÇÃO DE VISITANTE NO PARQUE NACIONAL DE SÃO JOAQUIM FICHA DE IDENTIFICAÇÃO Informações Gerais Nome: Data de nascimento: / / Sexo: ( )

Leia mais

Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015

Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015 Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015 INDICE Competências a Desenvolver 5 Área de Especialização Músculo-Esquelética 5 Área de Especialização Saúde Pública 6 Condições

Leia mais

ANÁLISE DA POSTURA DE UMA PROFESSORA PARTICIPANTE DE UM CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA

ANÁLISE DA POSTURA DE UMA PROFESSORA PARTICIPANTE DE UM CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN ANÁLISE DA POSTURA DE UMA PROFESSORA PARTICIPANTE DE UM CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA

Leia mais

EXEMPLO. Ensaio CHIPS. (Control of Hypertension In Pregnancy Study/Estudo do Controle da Hipertensão na Gravidez)

EXEMPLO. Ensaio CHIPS. (Control of Hypertension In Pregnancy Study/Estudo do Controle da Hipertensão na Gravidez) {Colocar no Cabeçalho do Hospital} Ensaio CHIPS (Control of Hypertension In Pregnancy Study/Estudo do Controle da Hipertensão na Gravidez) Introdução (CHECK LIST) TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

Leia mais

www.poderdocoachingemgrupos.com.br

www.poderdocoachingemgrupos.com.br Pesquisa de Mercado A condução de pesquisas de mercado é uma das atividades mais eficazes e importantes que você pode fazer quando você estiver projetando seu coaching em grupo. Você vai se surpreender

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 1/2013

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 1/2013 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 1/2013 Estabelece as regras para seleção de Projetos de Iniciação Científica nas modalidades INICIA-b e INICIA-v para execução em 2014 (INICIA-2014). A Coordenação de

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO

TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO PREZADO PACIENTE: O Termo de Consentimento Informado é um documento no qual sua AUTONOMIA (vontade) em CONSENTIR (autorizar) é manifestada. A intervenção cirúrgica indicada

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A VISÃO DE ALGUMAS BOLSISTAS DO PIBID SOBRE SUA ATUAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS

Leia mais

III PROMOÇÃO LITERÁRIA CONTAGEM DAS LETRAS

III PROMOÇÃO LITERÁRIA CONTAGEM DAS LETRAS EDUCAÇÃO APRESENTA: REGULAMENTO III PROMOÇÃO LITERÁRIA CONTAGEM DAS LETRAS DE MARÇO A DEZEMBRO DE 2015 REGULAMENTO III PROMOÇÃO LITERÁRIA CONTAGEM DAS LETRAS 1. DO OBJETO A Secretaria de Educação de Contagem,

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

A Visão das Educadoras Sobre a Inclusão de Pessoas com Necessidades Especiais na Rede Regular de Ensino do Município do Rio de Janeiro.

A Visão das Educadoras Sobre a Inclusão de Pessoas com Necessidades Especiais na Rede Regular de Ensino do Município do Rio de Janeiro. A Visão das Educadoras Sobre a Inclusão de Pessoas com Necessidades Especiais na Rede Regular de Ensino do Município do Rio de Janeiro Teacher s Perspective about Including Special Needs Students Into

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais

CHAMADA PARA CADASTRO DE PROJETOS DE ENSINO. EDITAL Nº 001/2015-DG, de 16 de março de 2015

CHAMADA PARA CADASTRO DE PROJETOS DE ENSINO. EDITAL Nº 001/2015-DG, de 16 de março de 2015 CHAMADA PARA CADASTRO DE PROJETOS DE ENSINO EDITAL Nº 001/2015-DG, de 16 de março de 2015 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Câmpus Anápolis, por meio do Departamento de Áreas

Leia mais

MANUAL DO DENTISTA VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO DENTISTA DO BEM

MANUAL DO DENTISTA VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO DENTISTA DO BEM MANUAL DO DENTISTA VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO DENTISTA DO BEM 2008 TURMA DO BEM Fundada em 2002, a Turma do Bem é uma OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que tem como

Leia mais

A atuação do pedagogo em espaços não escolares: desafios e possibilidades

A atuação do pedagogo em espaços não escolares: desafios e possibilidades A atuação do pedagogo em espaços não escolares: desafios e possibilidades Aretha Soares Nascimento 1 Fabíola Tunala Fernandes Marta Justo Ferreira Renata Aparecida Paiva Rosimar Rodrigues de Lisboa Rubiane

Leia mais

GUIA DO ESTAGIÁRIO CURSO SUPERIOR

GUIA DO ESTAGIÁRIO CURSO SUPERIOR GUIA DO ESTAGIÁRIO CURSO SUPERIOR FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE CURSO SUPERIOR EM BACHAREL EM SITEMAS DE INFORMAÇÃO 1 Faculdade de Tecnologia de São Vicente Av. Presidente Wilson, 1013 Centro

Leia mais

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS

A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS A INCLUSÃO DOS DIREITOS HUMANOS NAS TURMAS DO EJA POR MEIO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Gisllayne Rufino Souza UFPB gisllayne.souza@gmail.com Profa. Dra. Marlene Helena de Oliveira França UFPB/Centro de Educação/Núcleo

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE O ENSINO REGULAR E O ESPECIALIZADO PARA OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES.

COMPARAÇÃO ENTRE O ENSINO REGULAR E O ESPECIALIZADO PARA OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES. COMPARAÇÃO ENTRE O ENSINO REGULAR E O ESPECIALIZADO PARA OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES. Iasmini Nicoli Galter 1, Mayla Gava ¹, Henrique Tabelini ¹, Elias Terra Werner².

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO APÊNDICES 182 APÊNDICE A UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PPGE MESTRADO EM EDUCAÇÃO TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO PESQUISA:

Leia mais

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Avaliação Econômica como instrumento para o aprimoramento da gestão das ações sociais 26/09/2013 Fundação

Leia mais

Modelos entrevistas com intelectuais das Ciências Humanas e Filósofos

Modelos entrevistas com intelectuais das Ciências Humanas e Filósofos Modelos entrevistas com intelectuais das Ciências Humanas e Filósofos ENTREVISTA PETER SINGER. - SELEÇÃO DE TRECHOS Fonte: Portal da Revista Época. Disponível em http://revistaepoca.globo.com/revista/epoca/0,,edg74453-5856-421,00.html

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

PESQUISA QUALITATIVA EM EDUCAÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DAS VIVÊNCIAS DE UM GRUPO DE PESQUISA

PESQUISA QUALITATIVA EM EDUCAÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DAS VIVÊNCIAS DE UM GRUPO DE PESQUISA 1 PESQUISA QUALITATIVA EM EDUCAÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DAS VIVÊNCIAS DE UM GRUPO DE PESQUISA Educação e Produção do Conhecimento nos Processos Pedagógicos Mateus Lorenzon 1 Daniela Diesel 2 Jacqueline

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ENFERMEIROS DA ATENÇÃO BÁSICA SOBRE A REFERÊNCIA E CONTRARREFERÊNCIA AO CUIDADO AO IDOSO

PERCEPÇÃO DOS ENFERMEIROS DA ATENÇÃO BÁSICA SOBRE A REFERÊNCIA E CONTRARREFERÊNCIA AO CUIDADO AO IDOSO PERCEPÇÃO DOS ENFERMEIROS DA ATENÇÃO BÁSICA SOBRE A REFERÊNCIA E CONTRARREFERÊNCIA AO CUIDADO AO IDOSO Introdução: A enfermagem, em seu cotidiano assistencial, apresenta como principal dimensão do seu

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CCHS PLANO DE ENSINO: METODOLOGIA DA PESQUISA (EaD)

UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CCHS PLANO DE ENSINO: METODOLOGIA DA PESQUISA (EaD) UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CCHS PLANO DE ENSINO: METODOLOGIA DA PESQUISA (EaD) Curso/Habilitação: Administração Núcleo Comum EaD Disciplina:

Leia mais

30/07 Sessão de Experiência Pedagógica

30/07 Sessão de Experiência Pedagógica 30/07 Sessão de Experiência Pedagógica INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II UM CAMINHO DE PESQUISA Profª Drª Cleuza Pelá (Escola Cidade Jardim SP) Introdução Quando o Projeto de Minimonografia

Leia mais

Prazo de execução: xxxx meses, a partir da assinatura do convênio

Prazo de execução: xxxx meses, a partir da assinatura do convênio MODELO PARA APRESENTAÇÃO PLANO DE TRABALHO EDITAL 2013 1 - IDENTIFICAÇÃO 1.1 DO PROJETO Nome do Projeto: Local onde será executado o projeto: (endereço completo) Nº de Beneficiários diretos: xx crianças

Leia mais

POLÍTICA DE PROMOÇÃO À SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS

POLÍTICA DE PROMOÇÃO À SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS POLÍTICA DE PROMOÇÃO À SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS Versão aprovada na 2ª reunião do Conselho Deliberativo da Cemig Saúde em 22.10.2010. Em POLÍTICA DE PROMOÇÃO À SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS 1- Introdução

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ELABORAÇÃO DE PROJETOS Unidade II ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA Profa. Eliane Gomes Rocha Pesquisa em Serviço Social As metodologias qualitativas de pesquisa são utilizadas nas Ciências Sociais e também no Serviço Social,

Leia mais

PIBIC 05/06. Departamento de Educação

PIBIC 05/06. Departamento de Educação PIBIC 05/06 Departamento de Educação Alunas: Sandra Mendes Moreira Orientadora: Tânia Dauster Título do Projeto: Escrita na Universidade Os Universitários e as Relações entre Leitura E Escrita ESCRITA

Leia mais

LISTA DE CHECAGEM DO PROTOCOLO DE PESQUISA

LISTA DE CHECAGEM DO PROTOCOLO DE PESQUISA LISTA DE CHECAGEM DO PROTOCOLO DE PESQUISA Roteiro de procedimentos para submissão ao CEP 1. Deve haver adequação do enquadramento na área temática e o número de sujeitos indicado na folha de rosto deve

Leia mais

podres mecanismo de seleção no acesso às escolas municipais de alto prestígio da cidade do Rio de Janeiro (CHAMARELLI, 2007a). Vale destacar que um

podres mecanismo de seleção no acesso às escolas municipais de alto prestígio da cidade do Rio de Janeiro (CHAMARELLI, 2007a). Vale destacar que um 1. Introdução Tomo consciência de mim, originalmente, através do outro: deles recebo a palavra, a forma e o tom que servirão à formação original da representação que terei de mim mesmo. (BAKHTIN, 1992,

Leia mais

Marcelo c. m. pessoa

Marcelo c. m. pessoa Marcelo c. m. pessoa CRM 52670502 CIRURGIA PLASTICA INFORMAÇÕES SOBRE TRATAMENTO MÉDICO-ESPECIALIZADO SOLICITAÇÃO E AUTORIZAÇÃO PARA TRATAMENTO Eu, identidade número expedida por, solicito e autorizo ao

Leia mais

Descrever de forma resumida a relevância e os objetivos da pesquisa;

Descrever de forma resumida a relevância e os objetivos da pesquisa; TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO TÍTULO DO PROJETO Você está sendo convidado a participar de uma pesquisa desenvolvida por Elisabete Teixeira,Letícia Gonzaga, Ilana Citolin,Juliana Padilha,alunos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO Rothchild Sousa de Morais Carvalho Filho 1 Naiana Machado Pontes 2 Laiane Viana de Andrade 2 Antonio

Leia mais

LEITURA E ENSINO: ESTUDO DE CASO COM CRIANÇAS AUTISTAS EM TUBARÃO/SC Talita Reis Cortez 1 ; Dra. Andréia da Silva Daltoé (orientadora) 2

LEITURA E ENSINO: ESTUDO DE CASO COM CRIANÇAS AUTISTAS EM TUBARÃO/SC Talita Reis Cortez 1 ; Dra. Andréia da Silva Daltoé (orientadora) 2 LEITURA E ENSINO: ESTUDO DE CASO COM CRIANÇAS AUTISTAS EM TUBARÃO/SC Talita Reis Cortez 1 ; Dra. Andréia da Silva Daltoé (orientadora) 2 INTRODUÇÃO Os três primeiros anos da escolarização formal das crianças,

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Jornalismo. Projeto de Extensão. Programa Ade!. Interatividade.

PALAVRAS CHAVE: Jornalismo. Projeto de Extensão. Programa Ade!. Interatividade. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

Diretrizes Internas das Atividades Complementares do curso de Zootecnia do UNIFEB

Diretrizes Internas das Atividades Complementares do curso de Zootecnia do UNIFEB Diretrizes Internas das Atividades Complementares do curso de Zootecnia do UNIFEB O aluno deve cumprir no mínimo 300 horas de atividades complementares durante o curso de Zootecnia, que devem ser contempladas

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 161/2010 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade Sem Fronteiras,

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: A RELAÇÃO DE PARCERIA ENTRE PROFESSORES QUE TRABALHAM NO MODELO DE ENSINO COLABORATIVO

EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: A RELAÇÃO DE PARCERIA ENTRE PROFESSORES QUE TRABALHAM NO MODELO DE ENSINO COLABORATIVO EDUCAÇÃO FÍSICA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: A RELAÇÃO DE PARCERIA ENTRE PROFESSORES QUE TRABALHAM NO MODELO DE ENSINO COLABORATIVO Patrícia Santos de Oliveira¹ Melina Thais da Silva² RESUMO A proposta de trabalho

Leia mais

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência Código de Ética Conduzimos nossos negócios dentro de uma estrutura de padrões profissionais, legislações, regulamentações e políticas internas. Entretanto, temos consciência que essas normas não necessariamente

Leia mais

DIREITO PESQUISA EXAME NACIONAL DE CURSOS

DIREITO PESQUISA EXAME NACIONAL DE CURSOS EXAME NACIONAL DE CURSOS Esta pesquisa é parte integrante do Exame Nacional de Cursos o Provão e tem por objetivo não só levantar informações que permitam traçar o perfil do conjunto de graduandos, mas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos

DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos DECLARAÇÃO DE HELSINQUE DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA MUNDIAL (WMA) Princípios Éticos para Pesquisa Médica envolvendo Seres Humanos Adotada pela 18ª Assembleia Geral da Associação Médica Mundial (Helsinque, Finlândia,

Leia mais

O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula

O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula Título: Uso do jornal na sala de aula: uma análise do ponto de vista do aluno do ensino fundamental II Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA 1 Professor: Ernesto Friedrich de Lima Amaral Disciplina: Metodologia

Leia mais

Concurso de Ideias Escola Sustentável Dom Cipriano Chagas

Concurso de Ideias Escola Sustentável Dom Cipriano Chagas Concurso de Ideias Escola Sustentável Dom Cipriano Chagas 1. DA ATIVIDADE CONCURSO DE IDEIAS, O QUE É? 1.1 De caráter cultural e acadêmico, o Concurso de Ideias - Escola Sustentável Dom Cipriano Chagas

Leia mais

161 162 163 164 165 166 167 168 ANEXO C Carta de Informação e Termo de Consentimento Livre e Esclarecido 169 CARTA DE INFORMAÇÃO À INSTITUIÇÃO Esta pesquisa se propõe a estudar aspectos peculiares da inclusão

Leia mais

Guia do Estagiário Curso Superior Faculdade de Tecnologia de São Vicente Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial (Mecatrônica)

Guia do Estagiário Curso Superior Faculdade de Tecnologia de São Vicente Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial (Mecatrônica) Guia do Estagiário Curso Superior Faculdade de Tecnologia de São Vicente Curso Superior de Tecnologia em Automação Industrial (Mecatrônica) Faculdade de Tecnologia de São Vicente Av Presidente Wilson,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. Do objeto 1.1. Contratação de 01 (uma) empresa especializada em avaliação econômica para realizar a avaliação econômica do valor da marca BRB. 2. Objetivo 2.1. A presente

Leia mais

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina

ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina ICTR 2004 CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM RESÍDUOS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Costão do Santinho Florianópolis Santa Catarina PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - MIOSÓTIS Daniella Mac-Dowell

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Res. Consun nº 90/10, de 24/11/2010. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Art. 2º Art. 3º Este instrumento apresenta

Leia mais

PLANO DE ESTÁGIO - ACADEMIA SPORT FITNESS

PLANO DE ESTÁGIO - ACADEMIA SPORT FITNESS PLANO DE ESTÁGIO - ACADEMIA SPORT FITNESS DEPARTAMENTO - MUSCULAÇÃO O programa de estágio da Academia Sport Fitness tem como objetivo complementar a formação do futuro profissional de Educação Física,

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM PESQUISA AÇÃO PARA A MELHORIA NA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA - FAPEAL /CAPES/ UNEAL

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM PESQUISA AÇÃO PARA A MELHORIA NA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA - FAPEAL /CAPES/ UNEAL ESTADO DE ALAGOAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação - PROPEP Fone: (82) 3521-3379. E-mail: propep@uneal.edu.br PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para habilitar Polos EMBRAPII IF (PEIF). Os

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas de

Leia mais

A INFLUÊNCIA DOCENTE NA (RE)CONSTRUÇÃO DO SIGNIFICADO DE LUGAR POR ALUNOS DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FEIRA DE SANTANA-BA 1

A INFLUÊNCIA DOCENTE NA (RE)CONSTRUÇÃO DO SIGNIFICADO DE LUGAR POR ALUNOS DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FEIRA DE SANTANA-BA 1 64 A INFLUÊNCIA DOCENTE NA (RE)CONSTRUÇÃO DO SIGNIFICADO DE LUGAR POR ALUNOS DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE FEIRA DE SANTANA-BA 1 Edson da Silva Santos e-mail: edsonsporte@hotmail.com Bolsista FAPESB, Bacharelando

Leia mais

Pesquisa. A participação dos pais na Educação de seus filhos

Pesquisa. A participação dos pais na Educação de seus filhos Pesquisa A participação dos pais na Educação de seus filhos 1 Objetivos do movimento Todos Pela Educação Ampliar os conhecimentos do Todos Pela Educação, da Fundação SM, de nossos parceiros e da sociedade

Leia mais

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578

JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 JHSF PARTICIPAÇÕES S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF Nº. 08.294.224/0001-65 - NIRE Nº. 35.300.333.578 CÓDIGO DE ÉTICA Escopo Este Código de Ética ( Código ) reúne as principais normas de conduta que devem

Leia mais

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Felipe Schadt 1 O presente capítulo 2 é parte integrante do livro Metodologia da Pesquisa-ação, do

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR TI - INTEGRADOR FAN CEUNSP

MANUAL DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR TI - INTEGRADOR FAN CEUNSP MANUAL DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR TI - INTEGRADOR FAN CEUNSP Salto 2010 MANUAL DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR TI / INTEGRADOR 0 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 TRABALHO INTERDISCIPLINAR (TI)... 3 ORGANIZAÇÃO...

Leia mais

PMI Espírito Santo. Política de Voluntariado. Diretoria de Filiação e Voluntariado

PMI Espírito Santo. Política de Voluntariado. Diretoria de Filiação e Voluntariado PMI Espírito Santo Política de Voluntariado Diretoria de Filiação e Voluntariado Índice 1. Introdução...3 2. O Trabalho Voluntário...4 3. O PMI-ES e o Trabalho Voluntário...4 4. Expectativas do PMI-ES

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

EDITAL Nº 2/2015 TÍTULO I DO PROCESSO SELETIVO

EDITAL Nº 2/2015 TÍTULO I DO PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 2/2015 O Diretor da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), no uso de suas atribuições, torna público o presente Edital contendo as normas referentes ao Processo Seletivo para o

Leia mais

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO-GERAL - CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL N 08/2015

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO-GERAL - CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL N 08/2015 MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO-GERAL - CAMPUS JOÃO PESSOA EDITAL N 08/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DO IFPB CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA

Leia mais

LETRAS PESQUISA EXAME NACIONAL DE CURSOS

LETRAS PESQUISA EXAME NACIONAL DE CURSOS EXAME NACIONAL DE CURSOS Esta pesquisa é parte integrante do Exame Nacional de Cursos o Provão e tem por objetivo não só levantar informações que permitam traçar o perfil do conjunto de graduandos, mas

Leia mais

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações:

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações: POLÍTICAS CORPORATIVAS Assunto: Código de Ética e Conduta Objetivo O Código de Ética e Conduta objetiva estabelecer os princípios, conceitos e valores que orientam o padrão ético de todos os Colaboradores

Leia mais