Abaixo, questionamentos referentes ao certame supracitado e respostas conforme área técnica da CESAMA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Abaixo, questionamentos referentes ao certame supracitado e respostas conforme área técnica da CESAMA."

Transcrição

1 Juiz de Fora, 17 de maio de Referência: Concorrência 009/12 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de licenças de uso perpétuo, implantação, customização, treinamento e manutenção de Sistema de Gestão Integrada (ERP) Abaixo, questionamentos referentes ao certame supracitado e respostas conforme área técnica da CESAMA. QUESTIONAMENTO (Q) e RESPOSTA (R) Q: Segundo a LEI 8.666/93 a data limite de apresentação do BP do Exercício Financeiro anterior é 30 de abril do ano subsequente, a partir daí perde sua validade. Segundo o (art. 5º da Instrução Normativa nº 787/07), após a criação do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) para empresas de tributação com base em Lucro Real, a validade do BP se estendeu até o último dia útil do mês de junho. Se a empresa é de Lucro Real, o balanço patrimonial exigível em mãos é do ano de 2011 e 2010, sendo possível emissão do balanço de 2012 em junho deste ano. O entendimento da comissão licitatória tratará as empresas de lucro real conforme a instrução normativa nº 787/07? R: A Comissão de licitação atenderá conforme instrução normativa nº 787/07 para empresas enquadradas no Lucro Real. Com isto, as empresas poderão apresentar os demonstrativos anteriores 2011/2010 registrados e o 2012/2011 sem o registro, mas contendo a assinatura do contador responsável e responsável pela empresa. Q: No Quadro de Aderência, a sequência de números está correta? (do item passa para o item ) R: Trata-se apenas de erro de digitação. A seguir, informamos a tabela com a numeração corrigida.

2 Quadro de aderência dos sistemas propostos SUBMÓDULO ESTOQUES NA Permitir o Cadastro de Depósitos (Almoxarifado) Permitir controle de aprovação e atendimento de Requisições por Nível hierárquico; Possibilitar o controle de Requisições pendentes, liberadas e reprovadas; Permitir o cancelamento das Solicitações de Compras com reversão da Dotação Orçamentária utilizada; Permitir liberação de produtos em estoque para atendimento de requisição; Permitir o controle e baixas por Movimentação direto no Estoque Permitir a geração de Solicitação de Compras quando o estoque atingir o nível mínimo (ponto de pedido) definido pelo usuário, com controle de aprovação e cancelamento O sistema deverá emitir notificação automática quando o estoque atingir o ponto de pedido Permitir o lançamento de Notas Fiscais de Transferência de Produtos/Bens entre Filiais Permitir o cadastro de Requisição de Produtos e Serviços; Não permitir que usuários de outros centros de custos acessem ou cadastrem requisições/solicitações não pertencentes ao seu centro de custo; Não permitir a liberação de requisição se não possuir saldo orçamentário para a conta e centro de custo, integrado ao MÓDULO DE ORÇAMENTO; Registrar os dados necessários ao controle de estoques (ponto de pedido, mínimo e máximo), Movimentação e preços unitário, anterior, atual e médio; Permitir o ressuprimento de estoques subsidiários de um depósito principal Permitir consulta das últimas compras do produto; Permitir o controle de toda as movimentações de entrada, saída, devolução e transferências de produtos feitas nos estoques, bem como administrar e inventariar os estoques para localização FÍSICA do Produto; Controlar ponto de pedido. Efetuar cálculo automático de estoques mínimo, médio e máximo; Permitir a elaboração de Solicitações de Compra para suprimento de estoque, encaminhado esta informação para o MÓDULO DE COMPRAS. Efetuar a baixa automática no estoque pelo fornecimento de produto e emitir comprovante de entrega; Permitir gerar automaticamente uma Nota Fiscal de Transferência quando da transferência autorizada de um material de um almoxarifado para outro; Permitir a transferência de produtos entre almoxarifados; Controle de diversos almoxarifados; Manutenção das informações no cadastro de Fornecedores; Controle de pendência de requisições e autorizações de fornecimento; Controle das movimentações de entrada e saída de produtos em estoque Controlar o atendimento, as requisições e as devoluções ao almoxarifado;

3 Valorização do Estoque pelo Método Custo Médio; Controlar saldos físicos e financeiros dos estoques; Controlar o saldo do produto por Almoxarifado; Controlar ajustes físicos e financeiros do Estoque; Controlar localização física no almoxarifado; Controlar o produtos por localização física no almoxarifado; Permitir a realização de inventários dos seguintes tipos: em data fixada, individual, por amostragem definida pela empresa, por almoxarifado; Permitir processar ajustes de divergências apuradas, depois de aprovados pelas Diretorias competentes; Permitir o registro das divergências encontradas no Inventario de Almoxarifado Permitir a emissão de fichas e relatórios de contagem por item, local ou família de produtos; Permitir a Integração com o MÓDULO CONTABIL de todas as movimentações ocorridas no estoque; Bloqueando Movimentações para Períodos contábeis já fechados; Permitir emissão de Autorização de Fornecimento (OC) agrupadas Possuir cadastro de materiais, contendo todas as informações necessárias para o controle de estoque Possuir alerta de aumento de consumo de material acima da média histórica (12 meses) Possibilitar a inclusão de fotos na especificação do material Emitir automaticamente advertência para os fornecedores por atraso na entrega do material Possuir cadastro de não-conformidades na entrega de materiais, com possibilidade de bloqueio do pagamento do fornecedor Cadastros de contratos com os respectivos materiais contratados, possibilitando geração de ordem de compra/solicitação de fornecimento, medição e relatórios dos mesmos Possuir giro de estoque de materiais Possuir controle de materiais da Cesama em posse de terceiros ou vice-versa, com controle de NFs recebidas/emitidas Mostrar tempo (em dias) de estoque dos materiais Permitir entrada de itens em consignação no estoque com respectivo controle no sistema e com geração de relatórios O sistema deverá informar na tela, e também por , quando o material atingir o ponto de pedido O Sistema deverá permitir identificar os materiais com consumo sazonal Permitir o controle dos materiais com preços registrados (SRP) O Sistema deverá permitir requisitar o material com o custo real, e não custo médio ARTEFATOS

4 Permitir a emissão de relatório de balancete do estoque movimentos de entradas, saídas e saldo atual por período Possibilitar a emissão de relatório da ficha de controle de estoque, mostrando as movimentações por produto e período com saldo anterior ao período (analítico / sintético) Possibilitar a emissão de relatórios de entradas e saídas de produtos por produto, nota fiscal, centro de custo Permitir a emissão de fichas e relatórios de contagem por item, local ou família de produtos; Permitir a emissão de relatórios de Inventários realizados e de divergências apuradas; Extrato de Movimentação de Produtos Relatório de Mudança (Mutação) mensal do Almoxarifado Relatório de Requisições de Produtos por Período Relatórios analíticos de estoque de produtos por finalidade (utilização) e por almoxarifado Relatório ABC de saldo em estoque e consumo Relatório de Produtos abaixo do mínimo Relatório de média de consumo por Produto Relatório consolidado de um período (semanal, mensal) de necessidades de ressuprimento por item, para análise Relatórios de Inventários gerais Relatório de Saldos em branco (relatório de materiais inativos ou com saldo igual a zero) Fichas de Inventário Relação da posição atual do estoque com preço médio Relatório dos produtos mais solicitados por período Relatório de requisições expedidas, classificadas por responsável pela expedição Relatório de materiais sem movimentação dentro de determinado período Relatório de entregas não conformes Relatório de advertências enviadas aos fornecedores Relatório de itens perecíveis no estoque Gerar gráfico do consumo dos materiais Quando for aplicada multa, lançar o desconto automaticamente na OC Relatórios de advertências e multas enviadas aos fornecedores IASM =

5 2. QUADRO DE CUSTOS PARA CUSTOMIZAÇÃO POR FUNCIONALIDADE Preencher a tabela discriminando os valores de cada módulo / submódulo SUBMÓDULO ESTOQUES Valor (R$) Permitir o Cadastro de Depósitos (Almoxarifado) Permitir controle de aprovação e atendimento de Requisições por Nível hierárquico; Possibilitar o controle de Requisições pendentes, liberadas e reprovadas; Permitir o cancelamento das Solicitações de Compras com reversão da Dotação Orçamentária utilizada; Permitir liberação de produtos em estoque para atendimento de requisição; Permitir o controle e baixas por Movimentação direto no Estoque Permitir a geração de Solicitação de Compras quando o estoque atingir o nível mínimo (ponto de pedido) definido pelo usuário, com controle de aprovação e cancelamento. O sistema deverá emitir notificação automática quando o estoque atingir o ponto de pedido Permitir o lançamento de Notas Fiscais de Transferência de Produtos/Bens entre Filiais Permitir o cadastro de Requisição de Produtos e Serviços; Não permitir que usuários de outros centros de custos acessem ou cadastrem requisições/solicitações não pertencentes ao seu centro de custo; Não permitir a liberação de requisição se não possuir saldo orçamentário para a conta e centro de custo, integrado ao MÓDULO DE ORÇAMENTO; Registrar os dados necessários ao controle de estoques (ponto de pedido, mínimo e máximo), Movimentação e preços unitário, anterior, atual e médio; Permitir o ressuprimento de estoques subsidiários de um deposito principal Permitir consulta das últimas compras do produto; Permitir o controle de toda as movimentações de entrada, saída, devolução e transferências de produtos feitas nos estoques, bem como administrar e inventariar os estoques para localização FÍSICA do Produto; Controlar ponto de pedido. Efetuar cálculo automático de estoques mínimo, médio e máximo; Permitir a elaboração de Solicitações de Compra para suprimento de estoque, encaminhado esta informação para o MÓDULO DE COMPRAS. Efetuar a baixa automática no estoque pelo fornecimento de produto e emitir comprovante de entrega; Permitir gerar automaticamente uma Nota Fiscal de Transferência quando da transferência autorizada de um material de um almoxarifado para outro; Permitir a transferência de produtos entre almoxarifados; Controle de diversos almoxarifados; Manutenção das informações no cadastro de Fornecedores; Controle de pendência de requisições e autorizações de fornecimento; Controle das movimentações de entrada e saída de produtos em estoque Controlar o atendimento, as requisições e as devoluções ao almoxarifado;

6 Valorização do Estoque pelo Método Custo Médio; Controlar saldos físicos e financeiros dos estoques; Controlar o saldo do produto por Almoxarifado; Controlar ajustes físicos e financeiros do Estoque; Controlar localização física no almoxarifado; Controlar os produtos por localização física no almoxarifado; Permitir a realização de inventários dos seguintes tipos: em data fixada, individual, por amostragem definida pela empresa, por almoxarifado; Permitir processar ajustes de divergências apuradas, depois de aprovados pelas Diretorias competentes; Permitir o registro das divergências encontradas no Inventario de Almoxarifado Permitir a emissão de fichas e relatórios de contagem por item, local ou família de produtos; Permitir a Integração com o MÓDULO CONTABIL de todas as movimentações ocorridas no estoque; Bloqueando Movimentações para Períodos contábeis já fechados; Permitir emissão de Autorização de Fornecimento (OC) agrupadas Possuir cadastro de materiais, contendo todas as informações necessárias para o controle de estoque Possuir alerta de aumento de consumo de material acima da média histórica (12 meses) Possibilitar a inclusão de fotos na especificação do material Emitir automaticamente advertência para os fornecedores por atraso na entrega do material Possuir cadastro de não-conformidades na entrega de materiais, com possibilidade de bloqueio do pagamento do fornecedor Cadastros de contratos com os respectivos materiais contratados, possibilitando geração de ordem de compra/solicitação de fornecimento, medição e relatórios dos mesmos Possuir giro de estoque de materiais Possuir controle de materiais da Cesama em posse de terceiros ou vice-versa, com controle de NFs recebidas/emitidas Mostrar tempo (em dias) de estoque dos materiais Permitir entrada de itens em consignação no estoque com respectivo controle no sistema e com geração de relatórios O sistema deverá informar na tela, e também por , quando o material atingir o ponto de pedido O Sistema deverá permitir identificar os materiais com consumo sazonal Permitir o controle dos materiais com preços registrados (SRP) O Sistema deverá permitir requisitar o material com o custo real, e não custo médio ARTEFATOS Permitir a emissão de relatório de balancete do estoque movimentos de entradas, saídas e saldo atual por período Possibilitar a emissão de relatório da ficha de controle de estoque, mostrando as movimentações por produto e período com saldo anterior ao período (analítico / sintético)

7 Possibilitar a emissão de relatórios de entradas e saídas de produtos por produto, nota fiscal, centro de custo Permitir a emissão de fichas e relatórios de contagem por item, local ou família de produtos; Permitir a emissão de relatórios de Inventários realizados e de divergências apuradas; Extrato de Movimentação de Produtos Relatório de Mudança (Mutação) mensal do Almoxarifado Relatório de Requisições de Produtos por Período Relatórios analíticos de estoque de produtos por finalidade (utilização) e por almoxarifado Relatório ABC de saldo em estoque e consumo Relatório de Produtos abaixo do mínimo Relatório de média de consumo por Produto Relatório consolidado de um período (semanal, mensal) de necessidades de ressuprimento por item, para análise Relatórios de Inventários gerais Relatório de Saldos em branco (relatório de materiais inativos ou com saldo igual a zero) Fichas de Inventário Relação da posição atual do estoque com preço médio Relatório dos produtos mais solicitados por período Relatório de requisições expedidas, classificadas por responsável pela expedição Relatório de materiais sem movimentação dentro de determinado período Relatório de entregas não conformes Relatório de advertências enviadas aos fornecedores Relatório de itens perecíveis no estoque Gerar gráfico do consumo dos materiais Quando for aplicada multa, lançar o desconto automaticamente na OC Relatórios de advertências e multas enviadas aos fornecedores Permitir o Cadastro de Depósitos (Almoxarifado) SUBMÓDULO ESTOQUES Valor (R$) Permitir controle de aprovação e atendimento de Requisições por Nível hierárquico; Possibilitar o controle de Requisições pendentes, liberadas e reprovadas; Permitir o cancelamento das Solicitações de Compras com reversão da Dotação Orçamentária utilizada; Permitir liberação de produtos em estoque para atendimento de requisição; Permitir o controle e baixas por Movimentação direto no Estoque Permitir a geração de Solicitação de Compras quando o estoque atingir o nível mínimo (ponto de pedido) definido pelo usuário, com controle de aprovação e cancelamento. O sistema deverá emitir notificação automática quando o estoque atingir o ponto de pedido Permitir o lançamento de Notas Fiscais de Transferência de Produtos/Bens entre Filiais Permitir o cadastro de Requisição de Produtos e Serviços; Não permitir que usuários de outros centros de custos acessem ou cadastrem requisições/solicitações não pertencentes ao seu centro de custo;

8 Não permitir a liberação de requisição se não possuir saldo orçamentário para a conta e centro de custo, integrado ao MÓDULO DE ORÇAMENTO; Registrar os dados necessários ao controle de estoques (ponto de pedido, mínimo e máximo), Movimentação e preços unitário, anterior, atual e médio; Permitir o ressuprimento de estoques subsidiários de um deposito principal Permitir consulta das últimas compras do produto; Permitir o controle de toda as movimentações de entrada, saída, devolução e transferências de produtos feitas nos estoques, bem como administrar e inventariar os estoques para localização FÍSICA do Produto; Controlar ponto de pedido. Efetuar cálculo automático de estoques mínimo, médio e máximo; Permitir a elaboração de Solicitações de Compra para suprimento de estoque, encaminhado esta informação para o MÓDULO DE COMPRAS. Efetuar a baixa automática no estoque pelo fornecimento de produto e emitir comprovante de entrega; Permitir gerar automaticamente uma Nota Fiscal de Transferência quando da transferência autorizada de um material de um almoxarifado para outro; Permitir a transferência de produtos entre almoxarifados; Controle de diversos almoxarifados; Manutenção das informações no cadastro de Fornecedores; Controle de pendência de requisições e autorizações de fornecimento; Controle das movimentações de entrada e saída de produtos em estoque Controlar o atendimento, as requisições e as devoluções ao almoxarifado; Valorização do Estoque pelo Método Custo Médio; Controlar saldos físicos e financeiros dos estoques; Controlar o saldo do produto por Almoxarifado; Controlar ajustes físicos e financeiros do Estoque; Controlar localização física no almoxarifado; Controlar os produtos por localização física no almoxarifado; Permitir a realização de inventários dos seguintes tipos: em data fixada, individual, por amostragem definida pela empresa, por almoxarifado; Permitir processar ajustes de divergências apuradas, depois de aprovados pelas Diretorias competentes; Permitir o registro das divergências encontradas no Inventario de Almoxarifado Permitir a emissão de fichas e relatórios de contagem por item, local ou família de produtos; Permitir a Integração com o MÓDULO CONTABIL de todas as movimentações ocorridas no estoque; Bloqueando Movimentações para Períodos contábeis já fechados; Permitir emissão de Autorização de Fornecimento (OC) agrupadas Possuir cadastro de materiais, contendo todas as informações necessárias para o controle de estoque Possuir alerta de aumento de consumo de material acima da média histórica (12 meses)

9 Possibilitar a inclusão de fotos na especificação do material Emitir automaticamente advertência para os fornecedores por atraso na entrega do material Possuir cadastro de não-conformidades na entrega de materiais, com possibilidade de bloqueio do pagamento do fornecedor Cadastros de contratos com os respectivos materiais contratados, possibilitando geração de ordem de compra/solicitação de fornecimento, medição e relatórios dos mesmos Possuir giro de estoque de materiais Possuir controle de materiais da Cesama em posse de terceiros ou vice-versa, com controle de NFs recebidas/emitidas Mostrar tempo (em dias) de estoque dos materiais Permitir entrada de itens em consignação no estoque com respectivo controle no sistema e com geração de relatórios O sistema deverá informar na tela, e também por , quando o material atingir o ponto de pedido O Sistema deverá permitir identificar os materiais com consumo sazonal Permitir o controle dos materiais com preços registrados (SRP) O Sistema deverá permitir requisitar o material com o custo real, e não custo médio ARTEFATOS Permitir a emissão de relatório de balancete do estoque movimentos de entradas, saídas e saldo atual por período Possibilitar a emissão de relatório da ficha de controle de estoque, mostrando as movimentações por produto e período com saldo anterior ao período (analítico / sintético) Possibilitar a emissão de relatórios de entradas e saídas de produtos por produto, nota fiscal, centro de custo Permitir a emissão de fichas e relatórios de contagem por item, local ou família de produtos; Permitir a emissão de relatórios de Inventários realizados e de divergências apuradas; Extrato de Movimentação de Produtos Relatório de Mudança (Mutação) mensal do Almoxarifado Relatório de Requisições de Produtos por Período Relatórios analíticos de estoque de produtos por finalidade (utilização) e por almoxarifado Relatório ABC de saldo em estoque e consumo Relatório de Produtos abaixo do mínimo Relatório de média de consumo por Produto Relatório consolidado de um período (semanal, mensal) de necessidades de ressuprimento por item, para análise Relatórios de Inventários gerais Relatório de Saldos em branco (relatório de materiais inativos ou com saldo igual a zero) Fichas de Inventário Relação da posição atual do estoque com preço médio Relatório dos produtos mais solicitados por período Relatório de requisições expedidas, classificadas por responsável pela expedição

10 Relatório de materiais sem movimentação dentro de determinado período Relatório de entregas não conformes Relatório de advertências enviadas aos fornecedores Relatório de itens perecíveis no estoque Gerar gráfico do consumo dos materiais Quando for aplicada multa, lançar o desconto automaticamente na OC Relatórios de advertências e multas enviadas aos fornecedores Q: O que deve ser considerado para calcular o valor da planilha do QUADRO DE CUSTOS PARA CUSTOMIZAÇÃO POR FUNCIONALIDADE? Nesta mesma planilha, o que não for necessário customizar pode ser informado o valor de R$0,00? R: Com relação ao preenchimento do Quadro de Custos por Funcionalidade, preencher com o valor estimado a ser gasto com a customização de cada funcionalidade levando-se em consideração um valor homem/hora. Se não houver necessidade de customização para um determinado item, deve-se preencher com R$0,00. O valor total de customização deverá ser levado para a tabela abaixo: Valor Unitário Qtd Unid Preço (R$) A Licença 60 unidade B Implantação 1 ***** C Customização hora D Manutenção Mensal 9 mês E Treinamento 180 hora VALOR TOTAL PROPOSTO: Observar que a quantidade de horas vai estar relacionada com as customizações necessárias e preenchidas no Quadro de Custos por Funcionalidade. Atenciosamente, Edwiges Clemente de Oliveira Departamento de Compras e Licitação (32) / 1229

Release 3.83. Resumo das alterações. Gerais. Contabilidade. Estoque. ERP-7113 Lançamentos Erros ao alterar lançamentos contábeis.

Release 3.83. Resumo das alterações. Gerais. Contabilidade. Estoque. ERP-7113 Lançamentos Erros ao alterar lançamentos contábeis. Release 3.83 Resumo das alterações Gerais Contabilidade ERP-7113 Lançamentos Erros ao alterar lançamentos contábeis. 1. Corrigido processo de alteração do lançamento contábil em lotes manuais, nos casos

Leia mais

O que é um inventário?

O que é um inventário? Com a chegada do fim de ano e os encerramentos fiscais e contábeis, as empresas fazem o processo de inventário do seu estoque. O que é um inventário? Inventário basicamente é uma lista de bens e materiais

Leia mais

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS

Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Manual de Operacionalização do Módulo de Prestação de Contas PCS Versão Fevereiro/2013 Índice PCS - Módulo de Prestação de Contas...3 Acesso ao Módulo PCS...3 1. Contas financeiras...5 1.1. Cadastro de

Leia mais

Palestra. SPED - Escrituração Contábil Digital - ECD - Roteiro. Julho 2012. Elaborado por: Antonio Sérgio de Oliveira

Palestra. SPED - Escrituração Contábil Digital - ECD - Roteiro. Julho 2012. Elaborado por: Antonio Sérgio de Oliveira Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Configurando o Módulo... 3 Contas... 3 Conta Caixa... 5 Aba Geral... 5 Aba Empresas... 8 Conta Banco... 9 Aba Geral... 9 Aba Conta Banco... 10 Aba Empresas... 12 Tipos de

Leia mais

Ref.: NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO DE 2009

Ref.: NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA ENCERRAMENTO DO EXERCÍCIO DE 2009 Universidade Federal de Minas Gerais Pro - Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Departamento de Contabilidade e Finanças e-mail: dcf@dcf.ufmg.br Tel. (031) 3409-4102 1 OFÍCIO CIRCULAR DCF 028/2009

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.2 13/10/2010 Sumário Apresentação... 3 Objetivo... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

Diretor Técnico 01/10/2009 Dr. Jose Carlos dos Santos. Diretor Executivo 01/10/2009

Diretor Técnico 01/10/2009 Dr. Jose Carlos dos Santos. Diretor Executivo 01/10/2009 Versão: 2 Pg: 1/5 ELABORADO POR DE ACORDO APROVADO POR NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Ivo Gerente da Fernandes Qualidade 01/10/2009 Dr. Renato de Lacerda Diretor Técnico 01/10/2009 Dr. Jose Carlos dos

Leia mais

SRP Sistema de Controle de Ata de Registro de Preço. Passo a Passo Gestor de Compras

SRP Sistema de Controle de Ata de Registro de Preço. Passo a Passo Gestor de Compras SRP Sistema de Controle de Ata de Registro de Preço Passo a Passo Gestor de Compras Como acessar Como Acessar O acesso ao Sistema se faz através da página da SEPLAG Clicando no Link destacado Como Acessar

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO EBS. E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br.

SUPORTE TÉCNICO EBS. E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. C C P SUPORTE TÉCNICO EBS Horário de atendimento: Das 08h30min às 18h, de Segunda a Sexta-feira. Formas de atendimento: E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. Suporte On-Line

Leia mais

Sistema de Acompanhamento Financeiro. Ao Chefe da DOF/CGSG,

Sistema de Acompanhamento Financeiro. Ao Chefe da DOF/CGSG, MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COORDENAÇÃO GERAL DE SERVIÇOS GERAIS DIVISÃO DE GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA SEÇÃO DE ANÁLISE E AVALIAÇÃO ASSUNTO:

Leia mais

ERP-8115 Nota Fiscal Eletrônica v2.0 (XML) Erro "Elemento inválido" emitido pelo sistema na transmissão da Nota Fiscal Eletrônica.

ERP-8115 Nota Fiscal Eletrônica v2.0 (XML) Erro Elemento inválido emitido pelo sistema na transmissão da Nota Fiscal Eletrônica. Release 3.60 Resumo das alterações Faturamento ERP-6954 Em casos em que o usuário tentar efetivar um pedido de vendas onde um dos produtos encontra-se inativo, o sistema está efetivando normalmente. Para

Leia mais

Apresentação E&L ERP. Agendamento. Interbase. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação E&L ERP. Agendamento. Interbase. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 E&L ERP Gestão da Saúde P Agendamento Interbase Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Com o crescente número de pessoas que utilizam os serviços de saúde, cresceu também a necessidade

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS SISGEN SET/12

MANUAL DO SISTEMA DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS SISGEN SET/12 2. Módulo de Relatórios... 3 2.5 TELA N000M MENU DE NOTAS FISCAIS... 3 2.6 N010M Menu de Relatórios de Notas Fiscais... 3 2.6.1 N11002 Relatório de Processo de Notas Fiscais... 4 2.6.2 N11034 Composição

Leia mais

CeC. Cadastro Eletrônico de Contribuintes

CeC. Cadastro Eletrônico de Contribuintes CeC Cadastro Eletrônico de Contribuintes Versão 1.0 Usuário Externo Março/2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Objetivos... 3 3. Solicitação de CeC... 4 3.1. Cadastro de pessoas físicas... 5 3.1.1. Cadastro

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO PROCEDIMENTOS PARA AQUISIÇÃO Acesse o site www.teubilhete.com.br, selecione a opção Teu Online, e clique no botão, preencha o formulário com os dados de sua empresa. Reúna duas vias impressas do Contrato

Leia mais

Câmara Municipal dos Barreiros

Câmara Municipal dos Barreiros Barreiros, 30 de Abril de 2010 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ofício nº 006/2010 SCI EXMO. SR. JOSÉ GERALDO DE SOUZA LEÃO M.D. Presidente da Câmara de Vereadores dos Barreiros NESTA O Coordenador do Sistema

Leia mais

ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO...

ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... Suprimentos e Pág. 1 de 13 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 2 2 ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3 SIGLAS UTILIZADAS... 2 4 GLOSSÁRIO / CONCEITOS... 2 5 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA... 3 6 CONTEÚDO... 4 7 ANEXOS...

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO PELO SISTEMA E GARANTIA

BOLETIM INFORMATIVO SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO PELO SISTEMA E GARANTIA BOLETIM INFORMATIVO N 103 julho 2013 SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO PELO SISTEMA E GARANTIA A partir de Agosto de 2013, todas as Notas Fiscais de; prestações de serviços, peças, pedágio, sedex e deslocamento,

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE COMPRAS

PROCEDIMENTOS DE COMPRAS PROCEDIMENTOS DE COMPRAS Estas instruções têm como objetivo a padronização dos procedimentos para a realização das compras de materiais de consumo, bens permanentes e prestações de serviços necessários

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

Tem por objetivo garantir a existência contínua de um estoque organizado, de modo a não faltar nenhum dos itens necessários à produção.

Tem por objetivo garantir a existência contínua de um estoque organizado, de modo a não faltar nenhum dos itens necessários à produção. Resumo aula 3 Introdução à gestão de materiais A gestão de materiais é um conjunto de ações destinadas a suprir a unidade com materiais necessários ao desenvolvimento das suas atribuições. Abrange: previsão

Leia mais

Manual sistema Laundry 4.0

Manual sistema Laundry 4.0 Manual sistema Laundry 4.0 Sistema para serviços de Lavanderia Comércios Empresa responsável Novacorp informática Fone (41) 3013-1006 E-mail marcio@novacorp.com.br WWW.novacorp.com.br Sumario 1 Este manual

Leia mais

Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL. Procedimentos do Programa de Eficiência Energética PROPEE

Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL. Procedimentos do Programa de Eficiência Energética PROPEE Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Procedimentos do Programa de Eficiência Energética PROPEE Módulo 10 Controle e Fiscalização Revisão Motivo da Revisão 1 Correções e aperfeiçoamentos Instrumento

Leia mais

Módulo de Contratos Manual: Orientações ao usuário

Módulo de Contratos Manual: Orientações ao usuário Módulo de Contratos Manual: Orientações ao usuário SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2 2. O QUE É? 2 3. FINALIDADES DO MÓDULO DE CONTRATOS 2 4. INTEGRAÇÕES 3 5. ATORES 3 6. DEFINIÇÕES 3 7. FUNCIONALIDADES 5 8. MANTER

Leia mais

Acessando o SVN. Soluções em Vendas Ninfa 2

Acessando o SVN. Soluções em Vendas Ninfa 2 Acessando o SVN Para acessar o SVN é necessário um código de usuário e senha, o código de usuário do SVN é o código de cadastro da sua representação na Ninfa, a senha no primeiro acesso é o mesmo código,

Leia mais

Klavier Tecnologia da Informação. Klavier Sistemas Integrados. Contas a Pagar

Klavier Tecnologia da Informação. Klavier Sistemas Integrados. Contas a Pagar Klavier Sistemas Integrados Contas a Pagar Versão 3.00.003 2009 1 - Contas a Pagar O módulo Contas a Pagar contém toda a previsão de pagamentos futuros bem como o movimento pago e / ou em aberto da empresa.

Leia mais

Responsabilidades/ Autoridades

Responsabilidades/ Autoridades 1/5 1. OBJETIVO Garantir o abastecimento dos materiais Consignados e OPME do Hospital. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO OPME - Órtese Prótese e Materiais Especiais; CAF - Central de Abastecimento Farmacêutico;

Leia mais

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1

2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 1 2015 GVDASA Sistemas Suprimentos 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

CONTROLE PATRIMONIAL ÍNDICE

CONTROLE PATRIMONIAL ÍNDICE ÍNDICE 00 FOLHA 01 05/98 ASSUNTO FOLHA GENERALIDADES 01 01/02 NORMAS GERAIS 02 01/01 SOLICITAÇÃO DE BENS MÓVEIS 03 01/01 CADASTRAMENTO E TOMBAMENTO DE BENS MÓVEIS 04 01/02 CONTROLE DA MOVIMENTAÇÃO DE BENS

Leia mais

GESCOMP Sistema de Gestão de Compras, Orçamento, Material e Patrimônio

GESCOMP Sistema de Gestão de Compras, Orçamento, Material e Patrimônio UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS - PRH DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS - DRH DIVISÃO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO TDE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

DECRETO Nº 5627, de 10 de janeiro de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 5627, de 10 de janeiro de 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 5627, de 10 de janeiro de 2013. Introduz as alterações que menciona no Decreto Municipal nº 1751/2004, de 29 de junho de 2004 e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVO HAMBURGO,

Leia mais

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DA LIQUIDAÇÃO DE DESPESA (MFLD)

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DA LIQUIDAÇÃO DE DESPESA (MFLD) SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE INTERNO - SCI GERÊNCIA DE AÇÃO PREVENTIVA - GEAP COORDENAÇÃO DE AÇÃO PREVENTIVA - COAP MANUAL DE FISCALIZAÇÃO DA LIQUIDAÇÃO DE DESPESA (MFLD) GOIÂNIA, JULHO DE 2009 1ª EDIÇÃO

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público 2 Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa

Leia mais

Boletim Informativo Técnico BIT 004 08/2014

Boletim Informativo Técnico BIT 004 08/2014 PROCESSO DE CONTAGEM DE INVENTÁRIO FÍSICO Para um resultado satisfatório na execução da contagem do inventário físico é importante que os preparativos tenham início 30 dias antes da data programada para

Leia mais

Execução de Despesa. DNT/SSSCI/SF Abril 2013

Execução de Despesa. DNT/SSSCI/SF Abril 2013 DNT/SSSCI/SF Abril 2013 Realização Secretaria da Fazenda Subsecretaria do Sistema de Controle Interno Departamento de Normas Técnicas Apresentação David Fabri Monique Junqueira Ferraz Zanella INTRODUÇÃO

Leia mais

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital

SPED - Sistema Público de Escrituração Digital SPED - Sistema Público de Escrituração Digital SPED - Sistema Público de Escrituração Digital? 2 SPED - Sistema Público de Escrituração Digital Projeto do PAC 2007-2010 Instituído pelo Convênio ICMS 143/06.

Leia mais

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999)

- No primeiro campo informe o numero da empresa que serão copiadas as informações.(ex: 9999) 1 2 1. Duplicação das informações de uma empresa para outra Juntamente com a instalação do sistema Office encaminhamos anexada a empresa modelo, que contem cadastros que podem ser utilizados nas empresas

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ TRIBUNAL DE CONTAS DO PARANÁ DIRETORIA DE CONTAS MUNICIPAIS Prestação de Contas de Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista Municipais Prestação de Contas Anual Instrução Normativa n 22/2008 INSTRUÇÃO

Leia mais

CÓPIA CONTROLADA POP - PRIMATO 002 / REV. 01

CÓPIA CONTROLADA POP - PRIMATO 002 / REV. 01 Procedimento Operacional Padrão Sistema de Gestão Qualificação de Fornecedores e Controle de Matérias - primas e Embalagens POP - PRIMATO 002 / REV. 01 QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES Este método tem por

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 001/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 001/2013 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 001/2013 "Estabelece normas de controle para o Patrimônio do Poder Executivo Municipal." A Unidade Central de Controle Interno, no uso de suas atribuições, conforme determina o

Leia mais

Aquisição. Manual APC

Aquisição. Manual APC Sumário 1. ORÇAMENTO... 1 1.1 CADASTRO DAS VERBAS...3 1.2 UNIDADE ORGANIZACIONAL...4 1.1.1 Orçamento...6 2. SUGESTÕES DE COMPRA... 1 1.3 ITENS...3 2.1.1 VISUALIZAÇÃO...7 1.4 CONSULTA GERAL E GERAÇÃO DE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP DESPACHO:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP DESPACHO: DESPACHO: Considerando o disposto na Instrução nº 2501, de 09 de fevereiro de 2010, que dispõe sobre procedimentos relativos à responsabilidade e ao inventário físico-financeiro dos bens permanentes do

Leia mais

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS

GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS GUIA DO COORDENADOR DE PROJETOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Início Portal Coordenador... 2 2.1. Novos Pedidos... 2 2.2. Pendências... 3 2.3. Menu... 4 2.4. Sair... 4 3. Saldo de Projetos... 5 4. Extrato

Leia mais

Itens relativos à Regulamentação de Utilização de Máquinas de Franquear por Terceiros.

Itens relativos à Regulamentação de Utilização de Máquinas de Franquear por Terceiros. Itens relativos à Regulamentação de Utilização de Máquinas de Franquear por Terceiros. 1. Apresentação 2. Objetivos do Documento a) Regulamentação da utilização de MFD - Máquina de Franquear Digital e

Leia mais

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005.

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no artigo 15, 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e artigo 11 da Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS Estado de Mato Grosso

CÂMARA MUNICIPAL DE RONDONÓPOLIS Estado de Mato Grosso INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL- Nº. 002/2013- Versão 02 Unidade Responsável: Secretaria Legislativa de Administração Unidade Executora: Setor de Material e Patrimônio Aprovação em: 24/01/13 Dispõe sobre os procedimentos

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Relatórios...3 Mix de Compra...3 Peças >> Relatórios >> Mix de Compra Peças...3 Mix de Vendas...4 Peças >> Relatórios >> Mix de Venda Peças...4 Tabela de Preços...6 Peças

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 Estabelece normas e procedimentos para aquisição de serviços e recebimento, controle, guarda e distribuição de materiais permanentes e de consumo no âmbito do Poder Legislativo

Leia mais

A função Fazer Solicitação de Registro de Preço permite:

A função Fazer Solicitação de Registro de Preço permite: 0BSolicitação de Registro de Preço 1BCaracterísticas A função Fazer Solicitação de Registro de Preço permite: criar solicitações que darão origem às licitações de registro de preços, através de concorrência

Leia mais

Manual de Procedimentos ISGH Gestão de Patrimônio Página 1

Manual de Procedimentos ISGH Gestão de Patrimônio Página 1 Manual de Procedimentos ISGH Gestão de Patrimônio Página 1 ELABORAÇÃO Gracília dos Santos Gonçalves FORMATAÇÃO Silvânia Oliveira Teixeira REVISÃO Cristina Isidio Rodrigues Aguiar Albuquerque DATA Estabelecido

Leia mais

Nova tela de relatórios

Nova tela de relatórios Nova tela de relatórios A tela de Relatórios do sistema foi remodelada com a finalidade de deixá-la mais intuitiva. Agora são menos agrupamentos de relatórios e cores separam os tipos de relatórios. Além

Leia mais

GESTÃO DE MATERIAIS: ALMOXARIFADO HOSPITALAR

GESTÃO DE MATERIAIS: ALMOXARIFADO HOSPITALAR José Neto Aristides da Silva Graduando em Logística pelo Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro, RJ, Brasil jneto12@gmail.com José Claudio de Souza Lima Mestre em Engenharia de Produção

Leia mais

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque.

CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. CONTROLE DE ESTOQUES Todo erro gerencial acaba gerando estoque. RAZÕES PARA MANTER ESTOQUES A armazenagem de mercadorias prevendo seu uso futuro exige investimento por parte da organização. O ideal seria

Leia mais

TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 CAPÍTULO : Normas Básicas - 1 SEÇÃO : Consórcios - 26

TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 CAPÍTULO : Normas Básicas - 1 SEÇÃO : Consórcios - 26 TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 26. Consórcios 1. Procedimentos Específicos de Escrituração 1 - Para fins de elaboração dos Documentos Balancete e Balanço

Leia mais

ECF- Escrituração Contábil Fiscal 2015

ECF- Escrituração Contábil Fiscal 2015 ECF- Escrituração Contábil Fiscal 2015 Versão 1.0 (08/2015) Prazo de entrega 2015-30/09/2015. Instrução Normativa RFB nº 1524, de 08 de dezembro de 2014) Art. 3º A ECF será transmitida anualmente ao Sistema

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO E AUDITORIA ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DOS DIRETÓRIOS PARTIDÁRIOS Tendo em vista a obrigação das agremiações partidárias de prestar contas até 30 de abril de 2014, referente ao exercício

Leia mais

A solução ideal para a gestão do comércio varejista

A solução ideal para a gestão do comércio varejista A solução ideal para a gestão do comércio varejista Principais Segmentos Auto Peças Material Elétrico / Construção Material Cirúrgico e Hospitalar Papelaria Informática Brinquedo Vestuários em Geral Cosméticos

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Geral. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Geral Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema de Almoxarifado

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO TÉRMINO DE MANDATO MANUAL DE UTILIZAÇÃO.

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO TÉRMINO DE MANDATO MANUAL DE UTILIZAÇÃO. TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO TÉRMINO DE MANDATO MANUAL DE UTILIZAÇÃO Versão 2008 Janeiro/2009 SIGFIS-Sistema Integrado de Gestão Fiscal : Manual

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

Processo de Compras GENS

Processo de Compras GENS Processo de Compras GENS Manual do Colaborador Versão 2.0 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1 Objetivos... 3 1.1.1 Objetivo da definição do Processo de Compras... 3 1.1.2 Objetivo deste Manual... 3 2. PROCESSO

Leia mais

ERP PROTHEUS Introdução a Controladoria. DRG / SP - Educação Corporativa

ERP PROTHEUS Introdução a Controladoria. DRG / SP - Educação Corporativa ERP PROTHEUS Introdução a Controladoria DRG / SP - Educação Corporativa 1 Método do Treinamento: - Expositivo baseado na apresentação; - Organizado pelo conteúdo programático; - Desenvolvido no padrão

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Departamento de Administração INSTRUÇÃO NORMATIVA DA/PGT Nº 01, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Departamento de Administração INSTRUÇÃO NORMATIVA DA/PGT Nº 01, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010. MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA-GERAL Departamento de Administração INSTRUÇÃO NORMATIVA DA/PGT Nº 01, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2010. Regulamenta a concessão, aplicação e prestação de contas dos

Leia mais

C C P SUPORTE TÉCNICO EBS

C C P SUPORTE TÉCNICO EBS C C P SUPORTE TÉCNICO EBS Horário de atendimento: Das 08h30min às 18h, de Segunda a Sexta-feira. Formas de atendimento: E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. Suporte On-Line

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTABILIDADE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTABILIDADE 6/06/205 PCO-0. INTRODUÇÃO O Manual de tem por objetivo estabelecer procedimento para registro e análise das informações contábeis, bem como, a elaboração e divulgação das Demonstrações Financeiras da

Leia mais

GUIA RÁPIDO CRÍTICA CONGELAMENTO INVENTÁRIO EMPENHO DE TROCAS

GUIA RÁPIDO CRÍTICA CONGELAMENTO INVENTÁRIO EMPENHO DE TROCAS GUIA RÁPIDO CRÍTICA CONGELAMENTO INVENTÁRIO EMPENHO DE TROCAS RMS Software S.A. - Uma Empresa TOTVS Todos os direitos reservados. A RMS Software é a maior fornecedora nacional de software de gestão corporativa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PESQUEIRA CCI - Controladoria de Controle Interno

PREFEITURA MUNICIPAL DE PESQUEIRA CCI - Controladoria de Controle Interno SISTEMA DE CONTROLE INTERNO - SCI INSTRUÇÕES NORMATIVAS SABS Nº 004/2010-1 Aprovação em: 20/07/2010 Versão: 001 Ato de Aprovação: IN SABS Nº 004/2010-1 Unidade Responsável: Sistema de Aquisição de Bens

Leia mais

NESSE MANUAL VÃO SER SOLUCIONADAS AS SEGUINTES DÚVIDAS DE USO:

NESSE MANUAL VÃO SER SOLUCIONADAS AS SEGUINTES DÚVIDAS DE USO: NESSE MANUAL VÃO SER SOLUCIONADAS AS SEGUINTES DÚVIDAS DE USO: PG DESPESAS COMO CADASTRAR UMA DESPESA 3 COMO PAGO UMA DESPESA 4 COMO ALTERAR OS DADOS DE UMA DESPESA 6 COMO EXLUIR UMA DESPESA 7 COMO FAÇO

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE CONSIGNADOS COMPRAS/ RECEBIMENTO/ ARMAZENAGEM E DISTRIBUIÇÃO

SOLICITAÇÃO DE CONSIGNADOS COMPRAS/ RECEBIMENTO/ ARMAZENAGEM E DISTRIBUIÇÃO 1 de 8 Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Processo MTQ, OAP, JBM 1 Objetivo Gestão de material de alto custo consignado, estabelecendo fluxo de solicitação,

Leia mais

SIGA Manual -1ª - Edição

SIGA Manual -1ª - Edição SIGA Manual -1ª - Edição ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 4 2. MÓDULO DE PROCESSOS 4 3. ACESSO AO SISTEMA 4 3.1 Acessando o Sistema 4 3.2 Primeiro Acesso 5 3.3 Login do Fornecedor 5 o Teclado Virtual 5 o Máquina Virtual

Leia mais

ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST

ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO CHECKLIST Para auxiliar nas providências que devem ser tomadas para o encerramento de exercício, foi elaborada uma série de verificações, em formato de checklist, que devem ser

Leia mais

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS CONSULTORIA TRIBUTÁRIA. SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil. Obrigação de Avaliar os Estoques

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS CONSULTORIA TRIBUTÁRIA. SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil. Obrigação de Avaliar os Estoques SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil Legislação Aplicada Obrigação de Avaliar os Estoques Empresas Tributadas com Base no Lucro Real As pessoas jurídicas submetidas à tributação com base no lucro

Leia mais

2.1.1.1.1- BAIXA TÍTULOS CONTAS A RECEBER (2-Financeiro, 1-Contas a pagar e a receber, 1-Receber, 1-Recebimentos, 1-Baixa Títulos)

2.1.1.1.1- BAIXA TÍTULOS CONTAS A RECEBER (2-Financeiro, 1-Contas a pagar e a receber, 1-Receber, 1-Recebimentos, 1-Baixa Títulos) 2.1.1.1.1- BAIXA TÍTULOS CONTAS A RECEBER (2-Financeiro, 1-Contas a pagar e a receber, 1-Receber, 1-Recebimentos, 1-Baixa Títulos) Consulta e faz a baixa financeira de um título do contas a receber. Informe

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 001/2015. DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A AQUISIÇÃO DE BENS E SERVIÇOS MEDIANTE LICITAÇÃO, INCLUSIVE DISPENSA E INEXIGIBILIDADE,

Leia mais

PARCELAMENTO ESPECIAL DO ICMS

PARCELAMENTO ESPECIAL DO ICMS PARCELAMENTO ESPECIAL DO ICMS A Resolução da Secretária da Fazenda nº 108, publicada do DOE de hoje, institui o parcelamento especial dos débitos fiscais relativos ao ICMS decorrentes de fatos geradores

Leia mais

modernidade e eficiência em automação comercial ANOS

modernidade e eficiência em automação comercial ANOS modernidade e eficiência em automação comercial ANOS FUNCIONALIDADES Fácil de usar, contendo teclas de atalho para todos os comandos; Cadastro unificado de pessoas (Fornecedores, Clientes, Vendedores entre

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA GERENCIA EXECUTIVA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 RELAÇÃO DE ITENS ASSUNTOS 1. OBJETIVO... 1 2. DO OBJETO... 2 3. DA JUSTIFICATIVA DO OBJETO... 2 4. DAS ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS... 2 5. DA PRESTAÇÃO

Leia mais

Almox Express Especificação de Requisitos

Almox Express Especificação de Requisitos 1. Introdução Almox Express Especificação de Requisitos Este documento descreve um sistema de gerenciamento de almoxarifado, denominado de Almox Express, a ser desenvolvido por um grupo de estudo. Nele

Leia mais

SYSMO INFORMÁTICA CRM CONTROLE DE PONTUAÇÃO MANUAL DO USUÁRIO SYSMO S1. Versão 1.00 SÃO MIGUEL DO OESTE SC, MAIO DE 2007.

SYSMO INFORMÁTICA CRM CONTROLE DE PONTUAÇÃO MANUAL DO USUÁRIO SYSMO S1. Versão 1.00 SÃO MIGUEL DO OESTE SC, MAIO DE 2007. SYSMO INFORMÁTICA CRM CONTROLE DE PONTUAÇÃO MANUAL DO USUÁRIO SYSMO S1 Versão 1.00 SÃO MIGUEL DO OESTE SC, MAIO DE 2007. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 2 CONFIGURAÇÃO... 3 2.1

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CONTROLE DE CAIXINHAS (REEMBOLSO) Data - 27/01/2015 CÓDIGO: PSGQ 23.01.01. Procedimento do Sistema Gestão da Qualidade

PROCEDIMENTO PARA CONTROLE DE CAIXINHAS (REEMBOLSO) Data - 27/01/2015 CÓDIGO: PSGQ 23.01.01. Procedimento do Sistema Gestão da Qualidade (REEMBOLSO) Data - 27/01/2015 FL. 1 / 05 1 OBJETIVO Este documento tem como objetivo estabelecer limites para a concessão de adiantamento e reembolso de despesas para as viagens a serviço e treinamento,

Leia mais

Informativo de Versão 18.12

Informativo de Versão 18.12 Informativo de Versão 18.12 Índice ERP Posto... 2 Cadastro Contrato de Abastecimento (Chamado 21982)... 2 Resulth Business... 3 Entrada de Produtos (Chamado 24400)... 3 ERP Faturamento... 4 Consulta Preço

Leia mais

Relatório de Gestão de Mudanças

Relatório de Gestão de Mudanças - UFRN CISGAP - Comitê Executivo de Integração de Sistemas de Gestão Administrativa e de Pessoas TÍTULO DO PROJETO CICLO-/e-log/SIPAC DEMANDANTE DO PROJETO, DPF e DPRF MÓDULO SIPAC Almoxarifado ÓRGÃO UFRN,,

Leia mais

Serviço Municipal De Saneamento Ambiental De Santo André

Serviço Municipal De Saneamento Ambiental De Santo André Serviço Municipal De Saneamento Ambiental De Santo André GESTÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA, ESGOTAMENTO SANITÁRIO E DRENAGEM URBANA. Autores: Márcia Cristina Monteiro Plínio Alves

Leia mais

Neste bip. Você sabia? Quando salvar um histórico no contrato? Contribuição Sindical para admitidos após o mês de março. edição 20 Abril de 2012

Neste bip. Você sabia? Quando salvar um histórico no contrato? Contribuição Sindical para admitidos após o mês de março. edição 20 Abril de 2012 Neste bip Contribuição Sindical para admitidos após mês de março... Quando salvar um histórico no contrato?... 1 Identificação dos dias de trabalho para retorno de férias... 2 Ferramentas de atendimento...

Leia mais

3 ASSUNTOS CONTÁBEIS, DE CONTROLE INTERNO E DE GESTÃO

3 ASSUNTOS CONTÁBEIS, DE CONTROLE INTERNO E DE GESTÃO Vitória/ES, 12 de maio de 2016. Ofício do CRP16/ES Nº205/2016 A AUDILINK & CIA. AUDITORES Sra. Maria Elizabete Morais Assunto: Manifestação do CRP16/ES, referente ao Relatório de Auditoria do exercício

Leia mais

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5

Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 Atualização do Sistema T-Car-Win Versão 1.15.5 O sistema T-Car-Win está sendo atualizado para a versão 1.15.5. Esta versão tem o objetivo de agregar as seguintes funcionalidades ao sistema: Possibilidade

Leia mais

ASSUNTO: SISTEMA OPERACIONAL NO ALMOXARIFADO DO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO SAAE

ASSUNTO: SISTEMA OPERACIONAL NO ALMOXARIFADO DO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO SAAE 1/6 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Normatizar os procedimentos de entrada e saída de materiais adquiridos pela autarquia SAAE; 1.2) Garantir recebimento dos materiais no que se refere a quantidade, qualidade e

Leia mais

SUPRIMENTOS. Detalhamento de Processos. Entrada de Nota Fiscal. Menu Movimento/Entrada via/nota Fiscal

SUPRIMENTOS. Detalhamento de Processos. Entrada de Nota Fiscal. Menu Movimento/Entrada via/nota Fiscal SUPRIMENTOS Detalhamento de Processos Entrada de Nota Fiscal Menu Movimento/Entrada via/nota Fiscal Para realizar a Entrada via Nota Fiscal: - Informar número e série da nota fiscal - Selecionar através

Leia mais

ACERP Diretoria Administrativa e Financeira Gerência de Logística Núcleo de Suprimento Norma de Suprimentos

ACERP Diretoria Administrativa e Financeira Gerência de Logística Núcleo de Suprimento Norma de Suprimentos ACERP Diretoria Administrativa e Financeira Gerência de Logística Núcleo de Suprimento Norma de Suprimentos OBJETIVO Estabelecer Normas e Procedimentos sobre a aquisição de Bens e Serviços visando assegurar

Leia mais

PASSO A PASSO PATROCÍNIO CULTURAL LEI ROUANET. produções

PASSO A PASSO PATROCÍNIO CULTURAL LEI ROUANET. produções PASSO A PASSO PATROCÍNIO CULTURAL LEI ROUANET produções A CULTURA NO BRASIL Os últimos dados do MINISTÉRIO DA CULTURA destacam que: - Apenas 14% dos brasileiros frequentam as salas de CINEMA; - 92% da

Leia mais

Para os demais formatos, o relatório será gerado mas virá com configurações incorretas.

Para os demais formatos, o relatório será gerado mas virá com configurações incorretas. Balancete Orçamentário Produto : TOTVS Gestão Patrimonial - 12.1.6 Processo : Relatórios Subprocesso : Balancete Orçamentário Data publicação da : 17/06/2015 O Balancete é um relatório contábil oficial

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA CCA Versão.0 Sistema de Controle de Concessão de Adiantamentos Sumário O Sistema CCA ----------------------------------------------------- 3 Iniciando a operacionalização do

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.1 12/11/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 23, 25, 30, 31, 34, 35, 37, 46, 47 e 48 Incluído: itens 14, 40, 41 e

Leia mais

COMPRA - FASE INTERNA DA LICITAÇÃO PREGÃO, CONVITE, TOMADA DE PREÇOS E CONCORRÊNCIA

COMPRA - FASE INTERNA DA LICITAÇÃO PREGÃO, CONVITE, TOMADA DE PREÇOS E CONCORRÊNCIA SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO - SCI FOLHA DE VERIFICAÇÃO - DALC COMPRA - FASE INTERNA DA LICITAÇÃO PREGÃO, CONVITE, TOMADA DE PREÇOS E CONCORRÊNCIA Processo: TRT/SOF nº Volumes: Exercício: Subelemento:

Leia mais

DIRF 2012 (Ano base 2012) Entrega e Prazo. Da Obrigatoriedade de Entrega

DIRF 2012 (Ano base 2012) Entrega e Prazo. Da Obrigatoriedade de Entrega DIRF 2012 (Ano base 2012) A RFB (Receita Federal do Brasil) divulgou as regras para o preenchimento e o envio da Dirf (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte) 2013. A Instrução Normativa nº 1.297/2012

Leia mais

CONCORRÊNCIA SESC/MA Nº 14/0018-CC REGISTRO DE PREÇOS ANEXO III MINUTA DO TERMO DE REGISTRO DE PREÇOS

CONCORRÊNCIA SESC/MA Nº 14/0018-CC REGISTRO DE PREÇOS ANEXO III MINUTA DO TERMO DE REGISTRO DE PREÇOS CONCORRÊNCIA SESC/MA Nº 14/0018-CC REGISTRO DE PREÇOS ANEXO III MINUTA DO TERMO DE REGISTRO DE PREÇOS O Serviço Social do Comércio Sesc-MA, localizado na Av. Gomes de Castro, nº 132 Centro, em São Luís-MA,

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº. 8678/2012 PREGÃO Nº. 111/2012 CONTRATANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE TELÊMACO BORBA CONTRATADA: NILZA MARA FERREIRA COITO Aos dois dias do mês de agosto

Leia mais