BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE"

Transcrição

1 Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Agosto 2015

2 Índice 1. Situação Monetária Base Monetária (BM) Massa Monetária (M3) Crédito à Economia Activo Externo Líquido Crédito Líquido ao Governo Preços Sector Externo Reservas Internacionais Líquidas (RIL) Taxas de Câmbio Bilaterais e a Competitividade Externa... 5 ANEXOS ESTATÍSTICOS... 6 Tabela 1 Indicadores Monetários... 7 Tabela 2 Agregados monetários (M1, M2, M3)... 7 Tabela 3 Crédito à Economia... 7 Tabela 4 Inflação... 8 Tabela 5 Taxa de câmbio bilaterais... 8 Tabela 6 Taxa de câmbio efectiva nominal e real... 9

3 Índice de Gráficos GRÁFICO 1 - ESTRUTURA DA BASE MONETÁRIA E SUA VARIAÇÃO MENSAL... 1 GRÁFICO 2 - RESERVAS BANCÁRIAS (EM MIL MILHÕES DE DOBRAS)... 1 GRÁFICO 3 - FACTORES DE EXPANSÃO DE LIQUIDEZ (VALORES EM PERCENTAGEM DA M3 DO MÊS ANTERIOR)... 2 GRÁFICO 4 - CRÉDITO À ECONOMIA (MILHÕES DE DOBRAS)... 2 GRÁFICO 5 CRÉDITO AO SECTOR PRIVADO POR MOEDA (%)... 3 GRÁFICO 6 - CRÉDITO LÍQUIDO AO GOVERNO (MILHÕES DE DOBRAS)... 3 GRÁFICO 7 VARIAÇÃO EM CADEIA... 4 GRÁFICO 8 - PRODUTOS COM CONTRIBUIÇÃO PARA A VARIAÇÃO DA INFLAÇÃO (VALORES EM %)... 4 GRÁFICO 9 - INFLAÇÃO ACUMULADA... 4 GRÁFICO 10 - RESERVAS INTERNACIONAIS LÍQUIDAS (MILHÕES USD)... 5 GRÁFICO 11 - TAXA DE CÂMBIO EFECTIVA... 5

4 Abreviaturas AEL Activo Externo Líquido BCSTP Banco Central de São Tomé e Príncipe CLE Crédito Líquido A Economia CNP Conta Nacional de Petróleo CPM Comité de Política Monetária Dbs Dobras EUR Euro FMI Fundo Monetário Internacional INE Instituto Nacional de Estatísticas IPC Índice de Preços no Consumidor ITCER Índice de taxa de câmbio efectiva real M0 Base Monetária M3 Massa Monetária ME Moeda Estrangeira MN Moeda Nacional OAP Outros Activos e Passivos RIB Reservas Internacionais Brutas RIL Reservas Internacionais Líquidas USD Dólar Americano

5 Ago-14 Set-14 Out-14 Nov-14 Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Ago-14 Set-14 Out-14 Nov-14 Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE 1. Situação Monetária 1.1. Base Monetária (BM) No final de Agosto de 2015, a Base Monetária situou-se em mil milhões de Dobras contra os mil milhões de Dobras verificados no mês precedente, representando um aumento de 27 mil milhões de Dobras (2,0%) (gráfico 1). Relativamente ao mesmo período de 2014, a base apresentou um crescimento de 3,9%. O incremento da BM no período em análise foi impulsionado pelo aumento das reservas dos bancos no Banco Central em 28 mil milhões de Dobras (2,6%), enquanto as notas e moedas em circulação apresentaram um ligeiro decréscimo em 1 mil milhão de Dobras (0,6%). Gráfico 1 - Estrutura da Base Monetária e sua variação mensal ,0 10,0 5,0 0,0-5,0-10,0 Notas e Moedas em Circulação (eixo a esquerda) Reservas dos Bancos no BCSTP (eixo a esquerda) Variação da BM (%) (eixo a direita) O crescimento das reservas dos bancos foi influenciado essencialmente pelo depósito de uma instituição financeira para o provisionamento da conta. Em termos de estrutura continua-se a observar que as reservas em moeda nacional correspondem a mais de 70% do total, tendo-se registado um crescimento de 6 mil milhões de Dobras (0,8%). Na mesma linha, as reservas em moeda estrangeira apresentaram um incremento de 22 mil milhões de Dobras (8,7%) (gráfico 2). Gráfico 2 - Reservas bancárias (Em mil milhões de Dobras) 1200,0 900,0 600,0 300,0 0,0 Reservas Bancárias em Moeda Nacional Reservas Bancárias em Moeda Estrangeira 1.2. Massa Monetária (M3) No período em análise, a massa monetária atingiu os mil milhões de Dobras contra um montante de mil milhões de Dobras observados no mês precedente, traduzindo-se num decréscimo cerca de 11 mil milhões de Dobras (0,42%) A contracção da M3 foi determinada pela contribuição negativa do Activo Externo Líquido (2,1%) (gráfico 3). Boletim mensal Agosto/2015 Página 1

6 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Gráfico 3 - Factores de expansão de liquidez (valores em percentagem da M3 do mês anterior) 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0-5,0-10,0-15,0-20,0 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 AEL CLG CE OAP M Crédito à Economia No período em referência, o Crédito à Economia atingiu um montante de mil milhões de Dobras contra os mil milhões registados no mês precedente, correspondendo um ténue crescimento de aproximadamente 8 mil milhões de Dobras (0,4%) comparativamente a Julho de 2015 (gráfico 4). Gráfico 4 - Crédito à Economia (milhões de Dobras) ,0% 4,0% 2,0% 0,0% -2,0% -4,0% De salientar que, a componente do Crédito à Economia destinada ao sector privado apresentou um crescimento de cerca de 4 mil milhões de Dobras (0,2%) comparativamente ao mês de Julho de Em termos de estrutura, a componente designada em moeda nacional registou um ligeiro crescimento de 5,8 mil milhões de Dobras (0,5%) correspondendo a 62% do total. No sentido inverso, a componente em moeda estrangeira apresentou um decréscimo de 1,8 mil milhões de Dobras (0,2%) (gráfico 5). CE Variação mensal CE (%) (eixo a direita) Boletim mensal Agosto/2015 Página 2

7 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Gráfico 5 Crédito ao Sector Privado por moeda (%) 12,00 8,00 4,00 0,00-4,00 0,5-0,2-8,00 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Variação de crédito MN Variação de crédito ME Activo Externo Líquido O Activo Externo Líquido situou-se em mil milhões de Dobras contra os mil milhões de Dobras registados no mês precedente, representando uma diminuição de 55 mil milhões de Dobras (2,1%), resultante das utilizações dos depósitos pelos bancos e dos pagamentos do Governo. Gráfico 6 - Crédito Líquido ao Governo (milhões de Dobras) Crédito Líquido ao Governo No período em referência, verificou-se um decréscimo da situação líquida do Governo em cerca de milhões de Dobras (2,5%) face ao mês precedente, justificado essencialmente pela diminuição dos Depósitos em milhões de Dobras (2,4%). Boletim mensal Agosto/2015 Página 3

8 2. Preços A inflação medida pela variação do índice de Preços no Consumidor, apresentou em Agosto de 2015 uma variação mensal de 0,1% contra variações de 0,3% e 0,2% observadas no mês precedente e no período homólogo de 2014, respectivamente. Gráfico 7 Variação em cadeia 3, ,5 2,0 1,5 1,0 0,5 0,0 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Fonte: INE, tratamento do BCSTP de 2014, representando um decréscimo de 1,4 pp. Esta evolução mantém-se em linha com a inflação projetada para o ano de 2015 (5,2%) (gráfico 9). Gráfico 9 - Inflação Acumulada 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 Fonte: INE, tratamento do BCSTP A inflação homóloga situou-se em 5,0% em Agosto de 2015, valor idêntico observado nos meses de Junho e Julho de corrente ano Taxa de inflação projectada para ,3 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 5,2 A inflação verificada no período em análise está associada as variações dos seguintes grupos de produtos: vestuário e calçado (4,5%), outros bens e serviços (4,3%) e ensino (2,3%) (gráfico 8). Gráfico 8 - Produtos com contribuição para a variação da Inflação (valores em %) Ensino 2,3 Outros bens e serviços 4,3 Vestuário e calçado 4,5 Fonte: INE, tratamento do BCSTP A taxa de inflação acumulada atingiu 2,3% contra 3,7% no período homólogo 3. Sector Externo 3.1. Reservas Internacionais Líquidas (RIL) No final de Agosto de 2015, as RIL situaram-se em 61,8 milhões de Dólares, correspondendo a um decréscimo de 1,3 milhões de Dólares (2,1%) comparativamente a Julho de 2015, resultante de pagamentos efectuados pelo Governo (gráfico 10). O valor das RIL no final de Agosto traduziu-se num rácio de cobertura acima dos 3,0 meses de importação de bens e serviços. Boletim mensal Agosto/2015 Página 4

9 Ago-14 Set-14 Out-14 Nov-14 Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Gráfico 10 - Reservas Internacionais líquidas (milhões USD) 80,000 60,000 40,000 20,000 0,000 7,000 6,000 5,000 4,000 3,000 2,000 1,000 0,000 Reservas Internacionais Líquidas - milhões USD RIL em meses de Importação (eixo a direita) Meta - RIL em meses de importação (eixo a direita) justificada pelo diferencial da inflação nacional face aos principais parceiros comerciais. Gráfico 11 - Taxa de Câmbio Efectiva 140,00 137,00 134,00 131,00 128,00 (variação em % ) Depreciação: (-); Apreciação: (+) (Índices, base 100:2001) 48,20 47,70 47,20 46,70 46, Taxas de Câmbio Bilaterais e a Competitividade Externa No período em referência, a taxa de câmbio do Euro face ao Dólar americano no mercado internacional apresentou uma valorização de aproximadamente 2,9%. Na mesma linha, registou-se uma apreciação da Dobra face ao Dólar Americano em 2,8%. No tocante ao Índice da taxa de câmbio efectiva real (ITCER), registou-se uma apreciação de 0,6% 1 no mês de Agosto de 2015 contra uma apreciação 1,4% no período precedente e uma depreciação de 0,2% verificada no mesmo período de Em termos acumulados, de Dezembro de 2014 a Agosto de 2015, observou-se uma apreciação de 7,7% contra 4,9% verificada no período homólogo de Esta evolução é Índice real (eixo a esquerda) Índice nominal (eixo a direita) 1 De acordo com a tabela nº6 em anexo Boletim mensal Agosto/2015 Página 5

10 ANEXOS ESTATÍSTICOS Boletim mensal Agosto/2015 Página 6

11 Tabela 1 Indicadores Monetários Fonte: BCSTP Banco Central de S. Tomé e Príncipe (Indicadores Monetários) (Em mil milhões de Dobras) Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Base Monetária Total 1.135, , , , , , , , ,18 Base Monetária Moeda Nacional 970, ,02 940,12 961,73 925,42 950,75 980, , ,03 Notas e Moedas em Circulação 266,97 230,67 228,30 231,59 228,50 250,94 244,13 255,08 253,61 Depósitos dos Bancos no BCSTP 868,79 956,88 886,18 913,69 881,01 893,03 929, , ,57 Reservas Bancárias em Moeda Nacional 703,87 773,36 711,82 730,13 696,92 699,80 736,20 808,27 814,42 Reservas Bancárias em Moeda Estrangeira 164,93 183,52 174,36 183,56 184,08 193,22 193,07 252,29 274,15 Reservas Internacionais Líquidas - milhões USD 50,59 49,57 61,19 56,77 53,70 54,42 54,80 63,14 61,81 RIL em meses de Importação 5,31 5,20 6,42 5,95 5,63 5,71 5,75 6,62 6,48 Tabela 2 Agregados monetários (M1, M2, M3) Fonte: BCSTP Banco Central de S. Tomé e Príncipe Agregados Monetários (M1, M2,M3) (Em milhões de Dobras) Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 M0 (Base Monetária) , , , , , , , , ,57 Emissão , , , , , , , , ,64 M , , , , , , , , ,19 Emissão ao Poder do Público , , , , , , , , ,10 Depositos (transferíveis) a ordem em MN , , , , , , , , ,09 M , , , , , , , , ,21 M , , , , , , , , ,19 Outros Depositos em MN , , , , , , , , ,02 M , , , , , , , , ,65 M , , , , , , , , ,21 Deposito em ME , , , , , , , , ,44 Tabela 3 Crédito à Economia Banco Central de S. Tomé e Príncipe Crédito à Economia (Em milhões de Dobras) Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Crédito à Economia , , , , , , , , ,92 Crédito ao Sector Privado , , , , , , , , ,34 Moeda Nacional , , , , , , , , ,14 Moeda Estrangeira , , , , , , , , ,20 Fonte: BCSTP, Bancos Comerciais Boletim mensal Agosto/2015 Página 7

12 Tabela 4 Inflação Fonte: INE BANCO CENTRAL DE S.TOMÉ E PRÍNCIPE INFLAÇÃO (Em %) Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Taxa inflação acumulada ,3 0,6 1,1 1,5 1,7 1,9 2,2 2, ,3 0,8 1,0 1,7 2,6 3,2 3,5 3,7 3,9 4,7 5,2 6, ,4 1,1 2,1 2,5 2,8 3,0 3,2 3,7 4,0 4,6 5,6 7, ,4 1,0 1,3 2,2 3,6 6,1 7,0 7,6 7,9 8,4 9,1 10, ,5 1,4 3,6 5,9 6,8 7,1 7,3 8,1 8,4 8,9 10,0 11, ,6 1,4 1,9 2,4 2,7 3,7 5,3 6,2 7,5 8,6 10,7 12, ,7 1,6 3,0 4,8 6,7 7,9 8,7 9,3 10,3 11,6 13,7 16, ,8 5,7 9,2 11,4 13,2 14,2 17,6 19,2 20,5 21,4 22,8 24, ,7 2,8 4,2 5,2 6,3 7,7 9,5 12,4 15,9 18,9 23,3 27, ,7 6,5 11,1 16,9 17,4 18,3 19,3 20,6 21,1 21,8 22,7 24, ,9 6,1 9,4 10,6 11,2 11,3 11,6 12,1 13,1 14,7 15,8 17, ,6 5,1 7,6 8,4 8,9 9,4 9,7 10,2 11,2 12,7 13,9 15, ,3 3,0 4,9 5,2 5,5 6,2 6,8 7,5 8,1 8,4 9,1 10, ,0 3,1 3,6 4,9 5,1 5,6 5,8 6,1 6,8 7,7 8,2 9, ,9 2,1 3,0 3,5 4,1 4,7 4,9 5,3 6,0 6,9 8,2 9, ,3 2,9 3,6 3,7 3,8 4,4 5,2 5,8 6,6 7,6 8,8 9, ,8 1,5 2,3 3,1 4,3 5,0 5,4 6,1 7,7 8,6 10,5 12, ,9 8,0 9,4 10,6 12,3 13,6 14,6 15,2 16,1 17,2 18,7 20,9 Variação em cadeia ,3 0,3 0,5 0,4 0,2 0,2 0,3 0, ,3 0,5 0,2 0,7 0,9 0,6 0,3 0,2 0,2 0,8 0,5 1, ,4 0,7 1,0 0,4 0,3 0,2 0,2 0,5 0,3 0,6 1,0 1, ,4 0,6 0,3 0,9 1,4 2,4 0,9 0,6 0,3 0,5 0,7 1, ,5 0,9 2,2 2,3 0,9 0,3 0,2 0,8 0,3 0,5 1,0 1, ,6 0,8 0,5 0,5 0,3 0,9 1,6 0,9 1,2 1,0 1,9 2, ,7 0,9 1,4 1,8 1,8 1,2 0,7 0,6 0,9 1,2 1,9 2, ,8 3,8 3,3 1,9 1,6 0,9 2,9 1,3 1,1 0,8 1,2 1, ,7 1,1 1,3 0,9 1,1 1,4 1,6 2,7 3,1 2,6 3,6 3, ,7 3,7 4,3 5,1 0,5 0,7 0,9 1,1 0,4 0,6 0,8 1, ,9 3,2 3,3 1,2 0,5 0,2 0,3 0,5 0,9 1,7 1,1 1, ,6 3,5 2,5 0,8 0,5 0,5 0,3 0,5 1,0 1,5 1,2 1, ,3 1,7 1,8 0,4 0,3 0,7 0,6 0,7 0,5 0,3 0,6 0, ,0 2,1 0,5 1,3 0,2 0,5 0,2 0,3 0,7 0,8 0,5 0, ,9 1,2 0,9 0,4 0,6 0,5 0,2 0,4 0,7 0,8 1,3 1, ,3 1,7 0,7 0,1 0,1 0,6 0,8 0,6 0,7 0,9 1,2 0, ,8 0,7 0,8 0,8 1,2 0,6 0,4 0,7 1,5 0,9 1,7 1, ,9 5,0 1,3 1,1 1,5 1,2 0,9 0,5 0,8 1,0 1,3 1,8 Variação Homóloga 2014/2015 6,4 6,2 6,5 6,1 5,4 5,0 5,0 5,0 2013/2014 7,0 6,8 7,4 6,3 6,9 7,3 7,4 7,1 7,1 7,3 6,7 6,4 2013/ ,4 10,5 11,3 10,7 9,6 7,2 6,5 6,4 6,4 6,5 6,8 7,1 2012/ ,8 11,5 9,5 8,0 8,6 10,9 11,6 11,4 11,4 11,4 11,1 10,4 2011/ ,8 12,9 14,8 16,7 17,4 16,6 15,1 14,9 13,8 13,2 12,2 11,9 2010/ ,9 15,9 14,8 13,4 11,8 11,5 12,4 12,8 13,2 13,0 13,0 12,9 2009/ ,5 20,0 17,7 17,5 17,7 18,0 15,4 14,6 14,3 14,8 15,6 16,1 2008/ ,7 31,2 33,8 35,1 35,8 35,3 37,0 35,2 32,5 30,2 27,1 24,8 2007/ ,7 20,2 16,8 12,1 12,7 13,5 14,3 16,1 19,2 21,6 25,1 27,6 2006/ ,0 17,7 19,0 23,8 23,8 24,5 25,2 26,1 25,6 24,5 24,2 24,6 2005/ ,7 16,3 17,2 17,6 17,6 17,2 17,2 17,2 17,1 17,2 17,2 17,2 2004/ ,3 12,3 12,9 13,3 13,6 13,3 13,0 12,7 13,2 14,4 14,9 15,2 2003/2002 9,4 8,9 10,3 9,3 9,4 9,6 10,1 10,5 10,3 9,7 9,9 10,0 2002/2001 9,5 10,6 10,0 11,0 10,5 10,4 10,4 10,2 10,2 10,3 9,4 9,0 2001/2000 9,2 8,7 9,0 9,3 9,9 9,8 9,3 9,1 9,0 8,9 9,0 9,4 2000/ ,1 14,2 14,0 13,3 12,1 12,0 12,4 12,3 11,4 11,5 10,9 9,6 1999/ ,4 13,6 13,1 12,7 12,3 11,7 11,1 11,3 12,1 12,0 12,5 12,6 1998/ ,7 86,8 84,8 79,8 59,5 55,6 48,9 44,4 41,9 31,5 22,7 20,9 Tabela 5 Taxa de câmbio bilaterais Fonte: BCSTP Banco Central de S. Tomé e Príncipe Taxa de Câmbio bilaterais Mês Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 DBS/USD , , , , , , , , ,06 DBS/EUR , , , , , , , , ,00 USD/EUR 1,22 1,13 1,13 1,08 1,10 1,09 1,11 1,10 1,13 Boletim mensal Agosto/2015 Página 8

13 Tabela 6 Taxa de câmbio efectiva nominal e real Taxa de Câmbio Efetiva Nominal e Real (taxas médias - anuais e mensais) STD/EUR STD/USD ITCEN1 ITCER1 Variação face ao período precedente, em % STD/EUR STD/USD ITCEN2 ITCER , ,11 100,00 100, , ,22 107,25 99,00 8,44 2,79 7,25-1, , ,58 100,68 86,69 23,08 2,84-6,12-12, , ,32 90,22 80,27 16,45 5,93-10,40-7, , ,97 85,46 83,86 6,64 6,62-5,27 4, , ,48 70,64 81,28 19,10 17,91-17,35-3, , ,76 60,00 78,46 18,74 8,74-15,06-3, , ,20 52,02 85,85 16,48 8,56-13,30 9, , ,45 49,87 94,31 4,31 10,30-4,14 9, , ,03 46,85 96,59 8,65 14,59-6,06 2, , ,25 47,51 106,06 0,00-4,41 1,41 9, , ,43 46,93 111,23 0,00 8,21-1,23 4, , ,54 47,31 118,93 0,00-3,21 0,81 6, , ,92 47,50 128,30 0,00-0,01 0,40 7,87 Jan , ,81 47,67 124,57 0,00-2,55 0,37-2,91 Feb , ,28 47,70 125,32 0,00-0,21 0,05 0,61 Mar , ,32 47,81 127,31 0,00-1,27 0,24 1,58 Apr , ,77 47,81 127,81 0,00 0,11-0,01 0,39 May , ,19 47,77 128,89 0,00 0,50-0,09 0,85 Jun , ,37 47,65 129,05 0,00 1,14-0,24 0,13 Jul , ,71 47,58 129,66 0,00 0,28-0,16 0,47 Aug , ,77 47,46 129,40 0,00 1,70-0,24-0,20 Sep , ,66 47,19 128,59 0,00 2,98-0,57-0,63 Oct , ,53 47,09 128,75 0,00 2,04-0,21 0,12 Nov , ,00 47,11 129,45 0,00 1,65 0,04 0,55 Dec , ,63 47,15 130,98 0,00 1,08 0,08 1, Jan , ,22 46,99 138,47 0,00 5,44-0,33 5,72 Feb , ,04 46,63 137,59 0,00 3,10-0,76-0,63 Mar , ,01 46,38 135,50 0,00 4,57-0,53-1,51 Apr , ,11 46,51 135,79 0,00 0,87 0,27 0,21 May , ,91 46,88 136,35 0,00-3,56 0,80 0,41 Jun , ,73 47,58 138,36 0,00-0,38 1,48 1,47 Jul , ,69 47,97 140,28 0,00 1,87 0,84 1,39 Aug , ,17 48,18 141,09 0,00-1,15 0,43 0,58 Notas: (1) Índice da taxa de câmbio efetiva (ITCE, nominal e real; base 100: 2001), calculado a partir das taxas de câmbio oficiais praticadas para as moedas dos quatro maiores parceiros comerciais no período 2006/10 (2) Um aumento/diminuição do ITCE (nominal ou real) corresponde a uma apreciação/depreciação da Dobra Boletim mensal Agosto/2015 Página 9

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial

Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Índice 1. Situação Monetária... 4 1.1. Base Monetária... 4 1.2. Massa Monetária... 5 1.2.1. Crédito à Economia... 6 1.2.2. Activo Externo

Leia mais

Banco Central de S. Tomé e Príncipe

Banco Central de S. Tomé e Príncipe Banco Central de S. Tomé e Príncipe CONJUNTURA MACROECONÓMICA IIIº Trimestre 2015 Disponível em: www.bcstp.st/publicações 1 ÍNDICE 1. RESUMO EXECUTIVO... 5 2. CONJUNTURA ECONÓMICA INTERNACIONAL... 6 2.1

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Fevereiro 2016 Índice 1. Política Monetária e Financeira... 1 1.1. Evolução dos Agregados Monetários... 1 1.2. Base Monetária (BM)... 1 1.3.

Leia mais

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Boletim Mensal Situação Monetária e Cambial Estudos Económicos Maio 2016 Índice 1. Situação Monetária... 1 1.1. Base Monetária (BM)... 1 1.2. Massa Monetária (M3)... 2 1.2.2. Activo Externo Líquido...

Leia mais

BOLETIM MENSAL JANEIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial. BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em:

BOLETIM MENSAL JANEIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial. BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em: BOLETIM MENSAL JANEIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em: www.bcstp.st/publicações Banco Central de S. Tomé e Príncipe Índice 1. SITUAÇÃO MONETÁRIA

Leia mais

BOLETIM MENSAL FEVEREIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial

BOLETIM MENSAL FEVEREIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial BOLETIM MENSAL FEVEREIRO DE 2017 Situação Monetária e Cambial BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE Disponível em: www.bcstp.st/publicações 1 Índice 1. SITUAÇÃO MONETÁRIA 1 1.1 BASE MONETÁRIA (BM) 1 1.2.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Análise de Conjuntura Maio 2008 Indicador de Sentimento Económico O clima económico na União Europeia volta a deteriorar-se em Abril. Comparativamente

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro.

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro. Julho 2012 Jun-02 Jun-03 Jun-04 Jun-05 Jun-06 Jun-07 Jun-08 Jun-09 Jun-10 Jun-11 Jun-12 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal novembro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal julho 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

Análise de Conjuntura

Análise de Conjuntura Análise de Conjuntura Novembro 2006 Associação Industrial Portuguesa Confederação Empresarial Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico de Outubro de 2006 apresenta uma melhoria

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal março 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Abril 2012 Indicador de Sentimento Económico Após uma melhoria em Janeiro e Fevereiro, o indicador de sentimento

Leia mais

Indicadores de Conjuntura 4 2009. Disponível em www.bportugal.pt Publicações

Indicadores de Conjuntura 4 2009. Disponível em www.bportugal.pt Publicações Indicadores de Conjuntura 2009 Disponível em www.bportugal.pt Publicações ENQUADRAMENTO DA ECONOMIA PORTUGUESA Na reunião de 2 de Abril, o Conselho do Banco Central Europeu (BCE) reduziu as taxas de juro

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

Relatório Tipo Dezembro de 20XX

Relatório Tipo Dezembro de 20XX Relatório Tipo Dezembro de 20XX Alvim & Rocha Consultoria de Gestão, Lda. Tel.: 22 831 70 05; Fax: 22 833 12 34 Rua do Monte dos Burgos, 848 Email: mail@alvimrocha.com 4250-313 Porto www.alvimrocha.com

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Maio 2011 Indicador de Sentimento Económico Os indicadores de sentimento económico da União Europeia e da Área

Leia mais

Boletim Económico Angola

Boletim Económico Angola Boletim Económico Angola 1. Conjuntura: estabilidade macro económica reforçada 3º Trimestre de 2013 A informação disponível para caracterizar o desempenho da economia de Angola no 3º trimestre de 2013

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 4 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal janeiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 4 Comércio internacional...

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Av. 4 de Fevereiro nº 151, Luanda, Angola Caixa Postal 1243 Telefone/Fax: (+244) 222 339 125 www.bna.ao

Av. 4 de Fevereiro nº 151, Luanda, Angola Caixa Postal 1243 Telefone/Fax: (+244) 222 339 125 www.bna.ao Relatório de Inflação I trimestre de 2012 Av. 4 de Fevereiro nº 151, Luanda, Angola Caixa Postal 1243 Telefone/Fax: (+244) 222 339 125 www.bna.ao Relatório de Inflação I trimestre de 2012 3 Índice Sumário

Leia mais

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos).

Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União Europeia (+0.2 pontos) quer na Área Euro (+0.7 pontos). Mai-04 Mai-05 Mai-06 Mai-07 Mai-08 Mai-09 Mai-10 Mai-11 Mai-12 Análise de Conjuntura Junho 2014 Indicador de Sentimento Económico Em maio de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou quer na União

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 Elaborado Por: Ministério das Finanças Ministério da Planificação e Desenvolvimento Banco de Moçambique

Leia mais

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 Preliminares Paridade do Poder de Compra (PPC) Equilíbrio de longo prazo Bens comercializáveis (PPC) e não-comercializáveis Câmbio

Leia mais

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016

Safra 2016/2017. Safra 2015/2016 Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado do Paraná Safra 2016/2017 Mar/16 0,6048 0,6048 0,6048 66,04 73,77 Abr 0,6232 0,6232 0,5927 64,72 72,29 Mai 0,5585 0,5878 0,5868

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento SETEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais

COMO ELABORAR UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

COMO ELABORAR UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Série: 3º ANO ENSINO MÉDIO MATERIAL COMPLEMENTAR COMO ELABORAR UM TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO São Paulo 2012 1 1. APRESENTAÇÃO GRÁFICA: Todo trabalho escolar deve conter impressão de boa qualidade,

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014

Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014 08 de setembro de 2014 Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014 Diminuição homóloga do Índice de Volume de Negócios na Indústria Em termos nominais,

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

MZMERCADO. 0.87% 6.12% 42.200,67. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano. O Metical apreciou em. O Índice de Confiança empresarial melhorou

MZMERCADO. 0.87% 6.12% 42.200,67. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano. O Metical apreciou em. O Índice de Confiança empresarial melhorou MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano O Índice de Confiança empresarial melhorou 0.87% no mês de Dezembro A capitalização bolsista situou-se em 42.200,67 milhões de Meticas em janeiro

Leia mais

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013 Banco de Cabo Verde BANCO DE CABO VERDE Departamento de Estudos Económicos e Estatísticas Avenida Amílcar Cabral, 27 CP 7600-101 - Praia - Cabo Verde Tel:

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo

Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo Valores de ATR e Preço da Tonelada de Cana-de-açúcar - Consecana do Estado de São Paulo Safra 2015/2016 Mensal Acumulado Cana Campo (1) Cana Esteira (2) R$/Kg ATR R$/Kg ATR R$/Ton. R$/Ton. Abr/15 0,4909

Leia mais

A relação de Angola com o FMI após seis anos do acordo Stand-By

A relação de Angola com o FMI após seis anos do acordo Stand-By nov-5 abr-6 set-6 fev-7 jul-7 dez-7 mai-8 out-8 mar-9 ago-9 jan-1 jun-1 nov-1 abr-11 set-11 fev-12 jul-12 dez-12 mai-13 out-13 mar-14 ago-14 jan-15 jun-15 nov-15 abr-16 Dep. Estudos Económicos e Financeiros

Leia mais

Decomposição da Inflação de 2011

Decomposição da Inflação de 2011 Decomposição da de Seguindo procedimento adotado em anos anteriores, este boxe apresenta estimativas, com base nos modelos de projeção utilizados pelo Banco Central, para a contribuição de diversos fatores

Leia mais

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12

TABELA PRÁTICA PARA CÁLCULO DOS JUROS DE MORA ICMS ANEXA AO COMUNICADO DA-87/12 JANEIRO 2,8451 2,7133 2,4903 2,3303 2,1669 1,9859 1,7813 1,6288 1,4527 1,3148 1,1940 1,0684 FEVEREIRO 2,8351 2,6895 2,4758 2,3201 2,1544 1,9676 1,7705 1,6166 1,4412 1,3048 1,1840 1,0584 MARÇO 2,8251 2,6562

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

Desafios para as Empresas Portuguesas

Desafios para as Empresas Portuguesas Desafios para as Empresas Portuguesas Francisco Pinto Balsemão IMPRESA Conferência CMVM Porto, 12 Abril 2002 www.impresa.pt 1 Evolução das cotações da IMPRESA vs EuroStoxx Media (Jan - Abr 02) 1.300 1.100

Leia mais

Valores #N/D de Avaliação Bancária. Dezembro - 2015

Valores #N/D de Avaliação Bancária. Dezembro - 2015 Valores #N/D de Avaliação Bancária Dezembro - 2015 Valores Mensais de Avaliação Bancária: Quadro Resumo Portugal Norte Centro Alentejo Algarve Açores Madeira Valor Médio (VM) 1.043/m² 916/m² 856/m² 1.267/m²

Leia mais

Balanço de Pagamentos

Balanço de Pagamentos Balanço de Pagamentos Agosto/2015 22 de setembro de 2015 Resumo dos Resultados Em agosto de 2015, o déficit em Transações Correntes foi de US$ 2,5 bilhões, resultado superior ao observado em agosto de

Leia mais

Fevereiro de 2014 INDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (IPC) MOÇAMBIQUE, (Base Dez.2010 = 100)

Fevereiro de 2014 INDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (IPC) MOÇAMBIQUE, (Base Dez.2010 = 100) INDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Moçambique Fevereiro de 2015 Base: Dezembro de 2010 Instituto Nacional de Estatística Índice de Preços no Consumidor Boletim Mensal Reprodução autorizada, excepto para fins

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA EXECUÇÃO FINANCEIRA CONTRATO 07/2013 EXERCÍCIO 2013 jan/13 fev/13 mar/13 abr/13 mai/13 jun/13 jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 Número da Nota Fiscal emitida - - - - - - 92 99 110 121/133-157 - - Depósitos realizados

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde

Leia mais

Revista Economica e Financeira

Revista Economica e Financeira 2. A ECONOMIA DE MACAU 2.1 Conjuntura macro-económica e sectorial 2.1.1 Evolução dos agregados Em 214, a economia global continuou a registar uma expansão moderada com um grau de divergência elevada nas

Leia mais

Produtos e Serviços Financeiros no Varejo

Produtos e Serviços Financeiros no Varejo Seminário GVcev Produtos e Serviços Financeiros no Varejo Produto Private Label fortalecendo a parceria entre varejo e instituições financeiras Marcelo Noronha Agenda Parceria Produto Private Label Bradesco

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

RELATÓRIO O SECTOR DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL EM 2010

RELATÓRIO O SECTOR DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL EM 2010 RELATÓRIO O Sector da Construção em Portugal em 2010 Setembro de 2011 Ficha Técnica Título: Relatório O Sector da Construção em Portugal em 2010 Autoria: Catarina Gil Coordenação Geral: Pedro Ministro

Leia mais

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6%

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% 09 de janeiro de 2012 Estatísticas do Comércio Internacional Novembro de 2011 Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% No período de setembro a novembro de 2011, as saídas

Leia mais

Redução da Taxa de Juro no crédito à habitação em abrandamento a

Redução da Taxa de Juro no crédito à habitação em abrandamento a Taxas de Juro Implícitas no Crédito à Habitação 27 de Janeiro de 2010 Dezembro de 2009 Redução da Taxa de Juro no crédito à habitação em abrandamento a A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos

Leia mais

Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima

Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima Atividade dos Transportes 3º Trimestre de 215 14 de janeiro de 216 Transporte de mercadorias aumenta por via rodoviária e marítima Movimento de passageiros nos aeroportos continua a crescer mas com ligeira

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

Associação Nacional dos Bancos de Investimento

Associação Nacional dos Bancos de Investimento Associação Nacional dos Bancos de Investimento Dados Estatísticos de Rentabilidade da Indústria de Fundos - Mar/2007 - Dados Estatísticos de Rentabilidade da Indústria de Fundos - Mar/2007 - Índice Quadro

Leia mais

III Fórum Banca Expansão. João Fonseca Luanda, 4 de Julho de 2013

III Fórum Banca Expansão. João Fonseca Luanda, 4 de Julho de 2013 Novo Regime Cambial para o Sector Petrolífero (NRCSP) Impacto na economia Desdolarização, desenvolvimento do mercado cambial e da economia não petrolífera. III Fórum Banca Expansão João Fonseca Luanda,

Leia mais

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001 Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e - Clara Synek* O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso dos anos /9, resulta fundamentalmente

Leia mais

Gráfico 1: Faturamento real consolidado Variação em % (acúmulo mensal do ano /igual período do ano anterior) 7,5% 7,1% 4,4% fev/13. abr/13.

Gráfico 1: Faturamento real consolidado Variação em % (acúmulo mensal do ano /igual período do ano anterior) 7,5% 7,1% 4,4% fev/13. abr/13. -14,7% -14, -13,9% 7,1% 4,4% 7, 7,6% 8,2% 7,2% 5,6% 5,8% 13,7% Novembro de 213 edição n. 27 I Resultado Nacional O Relatório da Pesquisa Conjuntural de novembro, elaborado com base nos dados das empresas

Leia mais

Balança Comercial 2003

Balança Comercial 2003 Balança Comercial 2003 26 de janeiro de 2004 O saldo da balança comercial atingiu US$24,8 bilhões em 2003, o melhor resultado anual já alcançado no comércio exterior brasileiro. As exportações somaram

Leia mais

Descrição Jan a Jun. 2013 Jan a Jun. 2014 Variação R$ Variação % Receitas Custos Assistenciais Resultado Operacional

Descrição Jan a Jun. 2013 Jan a Jun. 2014 Variação R$ Variação % Receitas Custos Assistenciais Resultado Operacional Comparativamente com o mesmo período de 2013, o percentual de crescimento dos custos assistenciais (atendimentos a beneficiários locais - 158) foi de 20,06%, enquanto que as receitas oriundas de mensalidades

Leia mais

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2014

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2014 N.º 3 fevereiro 215 Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 21 O Banco de Portugal publica hoje, no Boletim Estatístico, as estatísticas de balanço e de

Leia mais

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão 1 / 5 OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão As obrigações de caixa FNB Remuneração Garantida 2006 são um Instrumento

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

Capítulo 3. Taxas de câmbio e mercados de divisas. Objectivos do capítulo

Capítulo 3. Taxas de câmbio e mercados de divisas. Objectivos do capítulo Capítulo 3 Taxas de câmbio e mercados de divisas Objectivos do capítulo A função das taxas de câmbio no comércio internacional; Como se determinam as taxas de câmbio? Preços e decisões dos agentes económicos

Leia mais

COMUNICADO SDG Nº 02/2013

COMUNICADO SDG Nº 02/2013 COMUNICADO SDG Nº 02/2013 O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo divulga aos órgãos jurisdicionados da área municipal o calendário de obrigações para 2013 necessárias ao atendimento das exigências

Leia mais

PESQUISA MENSAL DO COMERCIO VAREJISTA DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - MARÇO 2016 -

PESQUISA MENSAL DO COMERCIO VAREJISTA DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - MARÇO 2016 - PESQUISA MENSAL DO COMERCIO VAREJISTA DA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (CE) - MARÇO 2016 - Elaboração: Francisco Estevam Martins de Oliveira, Estatístico Coordenação de Campo: Roberto Guerra SUMÁRIO

Leia mais

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro Em fevereiro de 215, o Brasil apresentou um déficit na balança comercial de, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o montante é um déficit de US$ 3,8 bilhões (Figura 1),

Leia mais

Aula 7 Inflação. Prof. Vladimir Maciel

Aula 7 Inflação. Prof. Vladimir Maciel Aula 7 Inflação Prof. Vladimir Maciel Estrutura Ferramenta de análise: OA e DA. Inflação Conceitos básicos. Causas. Trade-off com desemprego. Fator sancionador: expansão de moeda. Instrumentos de Política

Leia mais

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008

Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social. Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil: Crescimento Sustentável, Distribuição de Renda e Inclusão Social Miami Ministro Paulo Bernardo 6 de Abril de 2008 Brasil consolida um mercado de consumo de massa e promove o surgimento de uma nova

Leia mais

O Tamanho da Crise e a Dose do Remédio: o Sistema Financeiro precisa de mais regulação? Ciano Investimentos

O Tamanho da Crise e a Dose do Remédio: o Sistema Financeiro precisa de mais regulação? Ciano Investimentos O Tamanho da Crise e a Dose do Remédio: o Sistema Financeiro precisa de mais regulação? Ciano Investimentos 1 Roteiro 1. A crise O que ocorreu? Tamanho das perdas Porque ocorreu? 2. Reação dos Bancos Centrais

Leia mais

Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T.

Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T. Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T. 54 3Inquérito às necessidades de formação profissional em higiene e segurança do trabalho 59 Inquérito às necessidades de formação profissional

Leia mais

DAILY BRIEFING COMPORTAMENTO DOS MERCADOS 02 DE SETEMBRO DE 2011

DAILY BRIEFING COMPORTAMENTO DOS MERCADOS 02 DE SETEMBRO DE 2011 DAILY BRIEFING COMPORTAMENTO DOS MERCADOS 02 DE SETEMBRO DE 2011 p Índice ÍNDICE S&P 500... 2 ÍNDICE BOVESPA FUTURO OUT/11... 3 PETRÓLEO SPOT TIPO BRENT... 4 PETROBRÁS PN... 5 TAXA DE CÂMBIO SPOT USD/EURO...

Leia mais

Angola. Evolução dos principais indicadores económicos e financeiros entre 2008 e 2012 e perspectivas futuras. Junho 2013

Angola. Evolução dos principais indicadores económicos e financeiros entre 2008 e 2012 e perspectivas futuras. Junho 2013 Angola Evolução dos principais indicadores económicos e financeiros entre 28 e 212 e perspectivas futuras Junho 213 Sumário da apresentação Produto Interno Bruto Inflação Exportações e Reservas Internacionais

Leia mais

Evolução Recente dos Preços das Matérias-Primas Internacionais e Impacto na Taxa de inflação

Evolução Recente dos Preços das Matérias-Primas Internacionais e Impacto na Taxa de inflação Evolução Recente dos Preços das Matérias-Primas Internacionais e Impacto na Taxa de inflação Alda Rito e Clara Synek* Uma das principais preocupações existentes actualmente relaciona-se com a forte subida

Leia mais

As mudanças estruturais da economia brasileira. Henrique de Campos Meirelles

As mudanças estruturais da economia brasileira. Henrique de Campos Meirelles As mudanças estruturais da economia brasileira Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 Inflação 18 16 14 12 8 6 4 2 IPCA (acumulado em doze meses) projeção de mercado 0 03 06 11 Fontes: IBGE e Banco Central

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 Introdução Guilherme R. S. Souza e Silva * Lucas Lautert Dezordi ** Este artigo pretende

Leia mais

2005: Cenários para o Mercado de Renda Fixa. Marcello Siniscalchi

2005: Cenários para o Mercado de Renda Fixa. Marcello Siniscalchi 2005: Cenários para o Mercado de Renda Fixa Marcello Siniscalchi Ampla liquidez internacional provocada por taxas de juros reais negativas e curvas de juros pouco inclinadas. Taxas de juros Reais G3 Inclinação

Leia mais

Taxas de câmbio. A condição de paridade não coberta da taxa de juro. O fenómeno do sobreajustamento da taxa de câmbio.

Taxas de câmbio. A condição de paridade não coberta da taxa de juro. O fenómeno do sobreajustamento da taxa de câmbio. De notar que a revalorização de uma moeda em termos de outra é superior à desvalorização desta última em termos da primeira. Veja-se a exemplificação no quadro. Ano 1 0 Tx. Var. Cambial (%) EURO/USD 0.8

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Julho de 2015 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Análise das Facturas de Energia e Água entre 2008 e Abril 2010

Análise das Facturas de Energia e Água entre 2008 e Abril 2010 Análise das Facturas de Energia e Água entre 28 e Abril 21 Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa Relatório Outubro 21 ÍNDICE 1. NOTA INTRODUTÓRIA... 3 2. CONSUMO E GASTOS EM DE ELECTRICIDADE,

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

CIRCULAR N/REFª : 09/2015 DATA: 09/01/15. ASSUNTO: Conjuntura Económica 3º Trimestre de 2014. Exmos. Senhores,

CIRCULAR N/REFª : 09/2015 DATA: 09/01/15. ASSUNTO: Conjuntura Económica 3º Trimestre de 2014. Exmos. Senhores, CIRCULAR N/REFª : 09/2015 DATA: 09/01/15 ASSUNTO: Conjuntura Económica 3º Trimestre de 2014 Exmos. Senhores, Junto se envia a Conjuntura Económica, elaborada pelo Gabinete de Estudos e Projectos, relativa

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

BRASIL: SUPERANDO A CRISE

BRASIL: SUPERANDO A CRISE BRASIL: SUPERANDO A CRISE Min. GUIDO MANTEGA Setembro de 2009 1 DEIXANDO A CRISE PARA TRÁS A quebra do Lehman Brothers explicitava a maior crise dos últimos 80 anos Um ano depois o Brasil é um dos primeiros

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Agosto de 2014 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

MZMERCADO. 0.48% 8.25% para 7.5% em Novembro. 0.89% em relação ao Dólar Norte-Americano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano

MZMERCADO. 0.48% 8.25% para 7.5% em Novembro. 0.89% em relação ao Dólar Norte-Americano. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano A confiança empresarial deteriorou em 0.48% no mês de Outubro O Banco de Moçambique cortou a FPC de 8.25% para 7.5% em Novembro O Metical depreciou

Leia mais

Relatório do Conselho de Administração 2006 1

Relatório do Conselho de Administração 2006 1 Relatório do Conselho de Administração 2006 1 RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2006 Relatório do Conselho de Administração 2006 2 Senhores Accionistas, No cumprimento das normas legais e estatutárias

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

MZMERCADO. 2.24% 0.04% pelo terceiro mês consecutivo. 1.27% em relação ao Dólar. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano

MZMERCADO. 2.24% 0.04% pelo terceiro mês consecutivo. 1.27% em relação ao Dólar. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano MZMERCADO. Inteligência do mercado financeiro Moçambicano O Índice de Confiança empresarial cresceu 2.24% no mês de Junho A inflação reduziu 0.04% pelo terceiro mês consecutivo O Metical teve apreciação

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Orçamento do Estado para 2005 Relatório Janeiro 2005 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Avª Infante D. Henrique, 1 1149-009 LISBOA Telefone:

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

Seminário Anual de Saúde 2013

Seminário Anual de Saúde 2013 Seminário Anual de Saúde 2013 Sustentabilidade dos programas de saúde: desafios e oportunidades Luiz Augusto Carneiro Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) 16 de maio de 2013 2013 Towers Watson.

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

RELATÓRIO ACTIVIDADE SEGURADORA ANO-2008 ÍNDICE GERAL BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

RELATÓRIO ACTIVIDADE SEGURADORA ANO-2008 ÍNDICE GERAL BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE RELATÓRIO ACTIVIDADE SEGURADORA ANO-2008 BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ÍNDICE GERAL BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ASSUNTO PÁGINA EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA EM STP 1. ENQUADRAMENTO

Leia mais