DESENVOLVENDO O TURISMO RURAL EM UM MEIO DE HOSPEDAGEM RURAL: SPA XANGRILÁ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVENDO O TURISMO RURAL EM UM MEIO DE HOSPEDAGEM RURAL: SPA XANGRILÁ"

Transcrição

1 V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O G E S T Ã O S O C I O A M B I E N T A L DESENVOLVENDO O TURISMO RURAL EM UM MEIO DE HOSPEDAGEM RURAL: SPA XANGRILÁ Juliano Zanoni Especialista em Gestão e Análise Ambiental, Tutor Eletrônico do curso de Ensino a Distância da UNOPAR do curso de Tecnologia em Turismo. Silvio Roberto Stefano Professor Mestre do Departamento de Administração da UNOPAR da UNICENTRO e das Faculdades Guarapuava JULIANO ZANONI Rua Antero de Quental, 95 Londrina Pr CEP: Tel.: (43) ou SILVIO ROBERTO STEFANO Rua Pres. Zacarias, 875 Guarapuava PR CEP: Tel.: (42) RESUMO Nas últimas décadas diversos proprietários rurais vem diversificando suas atividades, com o turismo rural e até mesmo o eco-rural, conciliando estas atividades econômicas com as demais de suas propriedades. Este estudo objetivou a análise da exploração sustentável de uma propriedade rural trabalhando a educação ambiental como o seu principal produto comercial. Baseando-se na Chácara Adonai Ervas Medicinais, Condimentos & Cia., que se localiza no município de Londrina, onde se desenvolvem atividades direcionadas: ervas medicinais e a hospedagem rural. A metodologia caracteriza-se como exploratória de caráter descritiva, o período compreendeu o segundo semestre de 2002 e utilizou-se dados primários e secundários. A partir da pesquisa bibliográfica e outra in loco para diagnóstico (pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades), aponta-se as seguintes propostas: reformar e reestruturação dos alojamentos visando diminuir o impacto ambiental, formação das diretrizes da propriedade para preservar os atrativos ambientais da região, formação de um plano ambiental eficaz que seja capaz de educar tanto os visitantes como a comunidade vizinha à propriedade. Os resultados e conclusões apontam para um potencial turístico expressivo na propriedade analisada, podendo-se desenvolver vários segmentos do mercado turístico, como por exemplo: turismo ecológico, turismo eqüestre e até mesmo turismo de eventos. PALAVRAS CHAVES: Gestão ambiental, eco-turismo, educação ambiental.

2 Desenvolvendo o turismo rural em um meio de hospedagem rural: SPA Xangrilá INTRODUÇÃO O presente trabalho visa discutir alternativas e opções para que o empreendedor rural reestruture a infra-estrutura da sua propriedade minimizando os possíveis impactos ambientais que geraria se não tivesse tal preocupação. Utilizando-se da educação ambiental como o principal atrativo turístico para a sua propriedade. O meio rural e a educação ambiental são tendências que estão crescendo cada vez mais, mas como opções de turismo alternativo. Pode-se dizer que talvez o turista urbano já esteja saturado de ficar hospedado em grandes hotéis que estão localizados em mega metrópoles. A sua preferência nos dias de hoje tem sido fugir para o campo em buscar de paz e tranqüilidade que não tem encontrado na cidade por causa da violência e da poluição sonora etc. A exploração do turismo rural é recente, contudo está despertando o interesse não somente de turistas como também de empresários rurais que estão gerando mais receitas através da exploração turística dos recursos naturais que estão a disposição nas suas fazendas, sítios ou chácaras. O turismo rural é uma modalidade ainda relativamente nova no Brasil quando comparada a outras, como o modelo sol e praia e o eco-turismo. Não há marcos precisos para datar o início dessa atividade no Brasil devido à grande extensão geográfica do país. Com o rótulo de turismo rural, entretanto, sabe-se que as primeiras iniciativas oficiais, em escala estadual, ocorreram no município de Lages, localizado no planalto catarinense, na fazenda Pedras Brancas. Em 1986, a fazenda propôs a acolher visitantes para passar um dia no campo. Oferecendo pernoite e participação nas lidas do campo, são consideradas pioneiras também a fazenda Barreiro e a fazenda Boqueirão. As iniciativas multiplicaramse rapidamente não somente em Lages, mas em todo o território brasileiro, particularmente nas regiões Sul e Sudeste. Mais recentemente aderiram à atividade muitos municípios da região Centro-Oeste, com destaque para o Mato Grosso do Sul. (ALMEIDA; RIEDL, 2000, p. 51) Os empresários e proprietários que não possuem o conhecimento necessário para aplicar o turismo rural em suas propriedades podem contar com o serviço de consultores que irão auxilialos na elaboração dos projetos, afim de comercializar o turismo de forma sustentável (minimizando os impactos ambientais) além de se tornar uma atividade rentável para o grande ou micro empresário rural em médio ou longo prazo. Um fator interessante sobre o turismo rural é que segundo a autora Olga Tulik, o turismo rural surgiu na França no ano de 1948, com o principal objetivo de conter o êxodo rural dentre outros fatores como: a preservação do meio ambiente, a preservação do patrimônio e da cultural local. E que segundo a autora o turismo rural adotado pelos empreendedores brasileiros foi montado nos modelos europeus, embora não com objetivo de combater o êxodo rural, mas sim por questões estritamente financeiras. A oferta e as opções do ecoturismo estão no seu auge, as pessoas tem procurado alternativas em suas viagens e estas alternativas estão vinculadas a natureza e aos seus atrativos turísticos. Hoje existem inúmeros pessoas que gostam de se reunir para ir acampar em lugares isolados, praticar escaladas, fazer trilhas, praticar mergulho, praticar, rapel entre outros esportes vinculados a natureza.

3 Hoje, no entanto, basta abrir o caderno de turismo de qualquer jornal e escolher uma das inúmeras opções de excursões para que existem para esses locais. É possível passar uma semana em lodge (hotel de selva) às margens do rio Negro, fazer um trekking 1 pelo Himalaia, descer de bote inflável um rio da Cordilheira dos Andes ou passar um mês em um transatlântico na Antártica, consultando apenas uma das inúmeras agências especializadas no chamado ecoturismo, que se espalharam pelo país nestes últimos cinco anos. (BARBIERI, 1998, p. 92) Já que de um lado existem as demandas turísticas, ou seja, de turistas interessados pelo turismo que esteja vinculado aos atrativos da natureza. De outro lado existem empresários que se preocupam em preservar o meio ambiente para poder explora-lo turisticamente, há também uma série de empresas privadas ou públicas interessadas no desenvolvimento do ecoturismo em determinadas localidades. Algumas empresas privadas como as agências de turismo e empresas de esportes radicais querem levar grupos de turistas para determinadas localidades que despertam grande interesse pelos seus belos atrativos naturais. No caso das empresas públicas, exemplo: EMBRATUR 2, a Secretária Estadual de Turismo ou a Secretária Municipal de Turismo buscam alternativas de fomentar o turismo e fazer crescer as regiões com a exploração desta atividade econômica. No caso da exploração da educação ambiental como produto turístico, podem ser contempladas algumas práticas de turismo em potencial, que são: Turismo Ecológico, Turismo de Aventura, Turismo Rural e o Turismo de Saúde. Em cada uma destas práticas de turismo podem ser desenvolvidas uma série de atividades comerciais que visam a geração de receitas, tanto para a comunidade nativa da localidade, que será explorada, como para o município e o estado. Algumas práticas que são do interesse notório dos ecoturistas são: a observação de aves, a pesca esportiva, rapel, montanhismo, escalada, rafting 3, espeleologia 4, eco-ciclismo entre outras modalidades que atraem os aventureiros. 1 Caminhada (trekking): consiste na realização de caminhadas, em trilhas ou não, onde o turista carrega seu próprio equipamento em mochilas especiais. Próprio para contemplar paisagens, como cascatas, montanhas, praias, além da observação da fauna ou flora. O local visitado é muitas vezes, acidentado ou desportivo de acesso, e a caminhada é a única alternativa para chegar até ele. Muitos hotéis e/ou pousadas, localizados em áreas verdes, estão proporcionando aos seus hóspedes esse tipo de atividade em sua programação, porém monitorada por profissionais experientes. (GOIDANICH, 2000, p. 12) 2 Embratur T Sigla de Instituto Brasileiro de Turismo. (PELLEGRINI FILHO, 2000, p. 90) 3 Enfrentar corredeiras a bordo de um bote de borracha requer, antes de mais nada, trabalho em equipe. O rafting é feito geralmente com 6 remadores, entre os quais um instrutor que dá os comandos (CIDADE AVENTURA, 07 mar. 2004) 4 espeleologia E T [Do gr. spelaion, caverna + estudo.] S.f. Especialidade da geologia que trata de cavernas e grutas naturais. (PELLEGRINI FILHO, 2000, p. 95)

4 O fator decisivo para os aventureiros decidirem por uma localidade turística, são as paisagens que vão encontrar (ou seja, a fauna 5 e flora 6 a riqueza de um ecossistema, localidades que foram preservadas da ação do homem durante séculos de destruição dos recursos naturais do planeta). Já que a ascensão da atividade do turismo vem crescendo e gerando mais receitas para as fábricas e a indústria do turismo nada mais justo que os órgãos competentes cuidem com mais eficácia dos planos preventivos da segurança dos recursos naturais....até os dias de hoje, o ecoturismo atrai cada vez mais adeptos. De 1990 até 1995 cresceu entre 30 e 40 %; no mesmo período, o setor empresarial turístico teve um crescimento estimado em 8%, o que é muito, comparando-se com outros segmentos da economia. O que antes tinha o intuito custear pesquisas sobre gorilas, pandas e baleias, atualmente é um negócio altamente rentável, que gera milhões de dólares por ano. (BARBIERI, 1998, p. 92) Os próprios ecoturistas já são meio fiscais protetores da natureza uma vez que se preocupam em desfrutar dela sem colocar em risco a sobrevivência da fauna ou flora por onde passam. Em alguns casos os turistas que estão passeando em parques ou dentro de grandes áreas de matas nativas que ainda não são parques, já fazem parte de alguma organização não governamental e procuram ficarem atentos aos mal feitores da natureza para poderem denuncialos a justiça. PROBLEMA DE PESQUISA E OBJETIVO Existe demanda pelo turismo em áreas rurais que trabalham a educação ambiental na região de Londrina e regiões vizinhas. Se for comprovada a existência de demanda com que freqüência ela irá ao atrativo turístico em questão? É viável sugerir a conversão de uma parte da propriedade que está servindo como objeto de estudo da monografia como uma RPPN 7. É necessário expor a comunidade rural vizinha da estância à importância em explorar a região turisticamente e os benéficos que os turistas vão gerar para a localidade. Que ferramentas serão mais úteis para conscientizar a comunidade e empreendedores rurais, a desenvolver a atividade turística no meio rural sem prejudicar os recursos naturais? 5 fauna E T S.f. O conjunto das espécies animais de determinado hábitat ou de determinado estrato geológico. (PELLEGRINI FILHO, 2000, p. 102) 6 flora E T S.f. O conjunto das espécies vegetais de determinada região ou de um período geológico. A convergência de diversos fatores determina a flora típica de um biótopo solo, precipitações, incidência de luz solar, ação de animais no transporte de sementes etc. (PELLEGRINI FILHO, 2000, p. 106) 7 As Reservas Particulares do Patrimônio Natural, também conhecidas como RPPNs, são áreas de conservação de natureza em propriedades privadas. A existência de uma RPPN é um ato de vontade, o proprietário é que decide se quer fazer de sua propriedade, ou parte dela uma RPPN, sem que isso acarrete perda do direito de propriedade. (IBAMA, 26 mar. 2001g)

5 METODOLOGIA O suporte metodológico do presente trabalho caracteriza-se como sendo um levantamento descritivo, com uso de duas fases, qualitativa primária e secundária e quantitativa primária. Os dados primários da fase qualitativa foram coletados de documentos relativos ao SPA que é o objeto de estudo do trabalho de pós-graduação (conversas informais). Em cima dos resultados das conversas informais com uma das proprietárias e dos documentos pesquisados, foi aplicada a técnica de análise de conteúdo de maneira a extrair as informações mais relevantes. Importante comentar que os principais tipos de documentos pesquisados foram livros. Os dados da pesquisa de campo, exploratória e quantitativa foram coletados através de 1000 questionários. Sendo que 800 foram aplicados aleatoriamente nos estudantes (de vários cursos) e funcionários do campus da Universidade Estadual de Londrina. Os outros 200 questionários foram aplicados aleatoriamente nos estudantes da Universidade Norte do Paraná. OBJETIVO GERAL Analisar a educação ambiental como principal atrativo, para turistas que tenham afinidade com o turismo no meio rural. Desenvolvendo também a consciência ambiental nos proprietários rurais. Objetivos Específicos a) Realizar um diagnóstico global da propriedade rural, compreendendo seus pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades; b) Analisar o potencial turístico da propriedade analisada; c) Discutir a educação ambiental como suporte para exploração sustentável da atividade turística. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA O turismo rural vem se tornando cada vez mais um dos principais atrativos turísticos que tende a crescer por ser uma atividade que exige menos dinheiro do público alvo que prática este tipo de lazer. Mas é claro que mesmo no turismo rural ou turismo ecológico existem opções para todos os bolsos e gostos. Numa chácara de três alqueires, os produtores Nazilda e Odácio Manchini cultivam mais de 100 espécies de ervas medicinais, que são comercializadas na Feira de Lua. (MENDONÇA, 14 jun. 1998, p. 4A). A busca de novas opções de comercio para serem desenvolvidas no trade 8 turístico é muito importante, pois os turistas estão saturados de ficarem num espaço agradável e sempre a 8 trade n 1 comércio. 2 negócio. he does a goad trade / ele faz bons negócios. 3 tráfico. vt + vi comerciar, negociar. 2 trocar, intercambiar. foreign trade comércio exterior. home/domestic trade comércio nacional. jack of all trades homem dos sete instrumentos. to trade (up) on tirar proveito de, especular. trade and industry comércio e indústria. (MICHAELIS: DICIONÁRIO ESCOLAR DE INGLÊS, 2001, p. 333)

6 disposição mesmas coisas para fazerem. Por esse motivo o cultivo e exploração das ervas medicinais pode ser um fator para se alavancar o turismo rural, setor que apresenta tantos atrativos turísticos. Tidos como locais para tratamento médico que se utilizavam-se de recursos naturais como as fontes termais. Embora a prática da utilização de fontes termais também seja usada nos grandes hotéis resorts 9. São voltados para hospedes interessados em saúde e cuidados com o corpo. Originalmente, os spas vinculavam-se a locais onde as propriedades terapêuticas das águas constituíam o atrativo principal. Hoje, o interesse por esse tipo de instalação vem se ampliando, com o foco sendo desviado para o controle de peso e o condicionamento físico. (ANDRADE; BRITO; JORGE, 2000, p. 85) Em ambos os casos o tratamento pelas fontes termais e o da obesidade requerem mão-deobra qualificada, pois o acesso nas fontes termais poderá gerar graves queimaduras na pele e a falta de proteínas na alimentação pode gerar uma anemia ou seqüela pior no indivíduo que se encontra em tratamento médico. No começo buscava-se apenas a compreensão da natureza através da educação ambiental, o homem analisa a natureza e os efeitos de sua interação sobre ela. A conferência da ONU 10 sobre meio ambiente e desenvolvimento, realizada em 1977 em Tibilisi, na ex-união Soviética, definiu naquela época que o objetivo fundamental da educação ambiental é: Fazer com que os indivíduos e a coletividades compreendam a natureza complexa do meio ambiente natural e do criado pelo homem resultante da interação de seus aspectos biológicos, físicos sociais, econômicos e culturais e adquiram os conhecimentos, os valores, os comportamentos e as habilidades práticas para participar responsável e eficazmente na preservação e na solução dos problemas ambientais e na questão da qualidade do meio ambiente. (BARBIERI, 1998, p. 89) Mas o tempo foi passando e com ele o buraco na camada de ozônio foi aumentando (por conseqüência o clima em determinados pontos do planeta foi se alterando), o aparecimento das chuvas ácidas, o derretimento das calotas polares, o aumento de construções de usinas nucleares, o extensivo aumento dos recursos naturais não renováveis entre outros fatores, começaram a chamar a atenção da população mundial. O Brasil sofreu muito no que diz respeito à questão da preservação ambiental, como também na educação das pessoas, processo que teria minimizado os impactos ambientais pelos quais passaram e ainda estão passando os estados brasileiros. A principal ameaça para os biólogos e geólogos é o desaparecimento da mata atlântica. 9 hotel de resort E T Tipo de hotel destinado a turistas em férias, portanto, de lazer geralmente localizado junto a um atrativo da natureza. Procura valorizar o descanso e a distração mediante a associação de seu equipamento convencional com a oferta diferencial representada por bens do meio ambiente (cachoeira, ar puro, bosque, fonte de água, praias, esportes aquáticos etc.). Assim, é um tipo de estabelecimento hoteleiro que oferece atrativos além do chamado in-door: atrativos da natureza. (PELLEGRINI FILHO, 2000, p. 129) 10 ONU. Sigla da Organização das Nações Unidas. [Em ingl.: UNO.] (FERREIRA, 1986, p. 1225)

7 Podemos apreciar o quadro abaixo e ver o tamanho da extensão e da ganância da humanidade perante a destruição que causou nas suas floras, prejudicando com isso a harmonia que é o grande ecossistema que pode-se denominar planeta terra. Quadro 2 Situação das Florestas nos Principais Países PAÍS COBERTURA COBERTURA ORIGINAL ATUAL ÁREA DESMATADA / ANO Brasil km km km 2 América Central km km km 2 Zaire km km km 2 Índia km km km 2 Indonésia km km km 2 Fonte: dados elaborados pelo autor através de adaptação feita de OLIVEIRA (2000a, p ). O público que busca o turismo rural geralmente são pessoas que já tem origem rural e querem matar a saudade das coisas que realizavam na infância ou que presenciaram na adolescência. Portanto, pode ser vista como uma fulga para o campo. É o turismo praticado em áreas (fazendas, sítios ou chácaras) para proporcionar aos visitantes a oportunidade de participar das atividades próprias da zona rural, como: andar a cavalo, ordenar vacas, passear de carroça, tomar banho de rio ou cachoeira, caminhar pelos campos, comer churrasco, tomar chimarrão etc. É intensamente procurado por pessoas que residem em grandes centros urbanos e que precisam de um descanso físico e mental. Esse tipo de turismo exige estrutura apropriada e investimento, pois as pessoas que o praticam querem conviver em ambiente rústico, porém com um mínimo de conforto. (OLIVEIRA, Pereira, 2000, p. 72) As pessoas que tem origem no campo gostam de levar os seus filhos juntos para aprenderem como é a vida no campo e também para conhecerem os animais que são criados na fazenda. Pois existem crianças que foram criadas no meio urbano que nunca viram uma vaca, um cavalo, uma cabra, uma galinha entre outros animais. Sendo assim, é uma forma de aprendizado para as crianças e uma maneira para os pais relaxarem longe dos problemas das cidades grandes. O turismo de saúde surgiu de forma mais eletizada para as pessoas de alto poder aquisitivo. As localidades que oferecem este tipo de turismo geralmente são os: SPAs, as estâncias e algumas clínicas de tratamento para desintoxicação de usuários de drogas. Claro que também existem outras modalidades. Praticado por pessoas que necessitam realizar tratamentos de saúde e, por isso procuram locais onde existem clínicas e serviços médicos especializados. Como exemplo desse tipo de turismo, Cuba é um destino de saúde por excelência, graças a seus avanços científicos

8 e suas novas técnicas em todas as especialidades da medicina. (OLIVEIRA, Pereira, 2000, p. 75) O turismo de saúde cresceu muito nos últimos anos. Existem fatos históricos que contam a legitimidade e do auge do turismo de saúde, como o caso do incidente nuclear da usina que aconteceu na Ucrânia em 1989, os feridos foram todos transferidos para Cuba onde se concentram os melhores especialistas do mundo na área de queimaduras. Pode-se mencionar o caso dos médicos sem fronteiras que viajam o mundo para tratar de pacientes que necessitam de tratamento médico urgente. A atividade do turismo ecológico é muito comum no continente africano onde são promovidos os denominados safáris ecológicos. Diferente do passado, os turistas se preocupam em fotografar os animais ameaçados de extinção e não estão interessados em caça-los como os exploradores ou colonizadores do passado. Praticado por pessoas que apreciam a natureza, entre as quais destacam-se os residentes em países desenvolvidos, industrializados. Interessadas em manter contato com os elementos da natureza que já desapareceram das grandes cidades, essas pessoas buscam locais nos quais a natureza ainda permanece intacta, como as regiões do Pantanal e da Amazônia. O objetivo desses visitantes é respeitar ar puro, apreciar a beleza do ambiente e registrar em fotos e filmes os elementos da fauna e da flora. (OLIVEIRA, Pereira, 2000, p. 69) Os turistas da natureza ajudam a criar a conscientização ambiental nos demais visitantes de um parque, pois os mais velhos se reeducam e não pensam mais em matar os animais que hoje trazem turistas para a região que por conseqüência geram receitas para a comunidade local. E as crianças aprendem que preservar os animais hoje vai garantir que as próximas gerações poderão aprecia-los no futuro (evitando que saiam da lista de espécies ameaçadas de extinção). ANÁLISE DOS RESULTADOS Questão 16 - Quando você está praticando turismo no meio rural. Você apanha o seu lixo em sacos plásticos? Na grande maioria dos casos, ou seja, 94 % os turistas apanham o lixo que estão produzindo em suas atividades turísticas pelas zonas rurais. Minimizando os impactos ambientais que estão ocasionando durante a sua permanência. Mas ainda falta um pouco de conscientização ambiental no 6 % restante que não recolhe o seu lixo de acordo com o gráfico 16.

9 Gráfico 16 - O Turista Apanha O Lixo Que Produz Na Zona Rural: 100% 50% 0% 94% Sim 6% Não Opções Questão 17 - Quando você costuma encontrar lixo que foi jogado por outra pessoa você o recolhe? O grande problema dentro da exploração da atividade do ecoturismo dentro do Brasil, é que o turista na maioria dos casos não apanha o lixo que é gerado por outros turistas. Fatos que são comprovados através das respostas dos ouvintes da pesquisa quantitativa, que em sua maioria 50,90 % afirma não apanhar o lixo que é gerado por outros turistas que encontra dentro de áreas de preservação ambiental de acordo com o gráfico 17. Gráfico 17 - O Turista Apnha O Lixo Deixado Por Outros? 100,00% 50,00% 49,10% 50,90% 0,00% Sim Não Opçõs CONCLUSÃO O grande fator que leva os empreendedores do meio rural a desenvolverem as suas atividades turísticas no meio rural é o conselho que é dado por amigos ou parentes correspondendo a 28,57 %. Apesar da atividade turística no meio rural ser uma coisa bem recente, cerca de 57,14 % dos empreendimentos rurais (estão funcionando a mais de dois anos). Os principais atrativos turísticos que foram encontrados nas propriedades foram os tanques de peixe correspondendo a 57,14 % (confirmando os investimentos dos proprietários no setor do turismo de pesca), as outras atividades corresponde a 42,85 % (que abrange áreas para eventos, restaurantes e lanchonetes). Na opinião dos empreendedores rurais a demanda pelos seus empreendimentos é mais forte na maioria dos casos, nos finais de semana correspondendo a 85,71 % (e nos feriados prolongados). Existe demanda de turistas por localidades que trabalham com a questão ambiental e ela seria mais nos finais de semana. Torna-se viável a conversão de uma parte da propriedade em RPPN, pois devido ao grande número de espécimes arbóreas e de aves encontradas na região

10 torna-se eminente a importância de preservação permanente da localidade. Para que a atividade turística seja desenvolvida de uma forma sustentável é indispensável o comprometimento de ambas as partes: empreendedores, comunidade vizinha e turistas. Para que a educação ambiental esteja constante foi sugerido a utilização de material gráfico (uma cartilha que a satisfazer a necessidade de orientar os turistas adultos e uma atividade para as crianças pintarem e se conscientizarem. Embora o que pretenda-se desenvolver na região, não seja apenas uma atividade econômica bem rentável, mas sim uma atividade econômica que esteja vinculada ao turismo explorando os recursos naturais de uma forma consciente e responsável buscando a conscientização dos turistas, empresários e também da comunidade local. Para o sucesso de um projeto no meio rural que inclua a exploração de recursos naturais em prol das atividades turísticas. Enfatiza-se que o empreendedor faça um planejamento estratégico sobre o que pretende-se implantar e se a sua propriedade vai ter suporte de infraestrutura para comportar os turistas sem gerar grandes impactos ao meio ambiente. BIBLIOGRAFIA ALMEIDA, Joaquim Anécio; RIEDL, Mário. Turismo rural: ecologia, lazer e desenvolvimento. Bauru: EDUSC, 2000, p. 51. ANDRADE, Nelson; BRITO, Paulo Lucio de; JORGE, Wilson Edson. Hotel: Planejamento e Projeto. 2. ed. São Paulo: SENAC, BARBIERI, Edison. Biodiversidade: capitalismo verde ou ecologia social? São Paulo: Cidade Nova, 1998, p EMBRATUR. In: PELLEGRINI FILHO, Américo. Dicionário enciclopédico de ecologia e turismo. 1. ed. São Paulo: Manole, 2000, p. 90. ESPEOLOGIA. In: PELLEGRINI FILHO, Américo. Dicionário enciclopédico de ecologia e turismo. 1. ed. São Paulo: Manole, 2000, p.95. FAUNA. In: PELLEGRINI FILHO, Américo. Dicionário enciclopédico de ecologia e turismo. 1. ed. São Paulo: Manole, 2000, p.102. FLORA. In: PELLEGRINI FILHO, Américo. Dicionário enciclopédico de ecologia e turismo. 1. ed. São Paulo: Manole, 2000, p.106. MENDONÇA, Gisele. Com 7 ervas, casal faz Viagra Natural. Jornal de Londrina, Londrina, 19 jul Jl-Cidade, p. 4A. OLIVEIRA, Elísio Márico de. Educação ambiental: uma possível abordagem. 2. ed. Brasília: IBAMA, 2000a, p

11 OLIVEIRA, Antônio Pereira. Turismo e Desenvolvimento: Planejamento e Organização. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000b. ONU. In: FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário aurélio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986, p RAFETING. In: CIDADE AVENTURA. Rafting. Disponível em: «http://www.cidadeaventura.com.br/gold/esporte2.php?esporte=rafting». Acesso em 07 mar RESORT. In: PELLEGRINI FILHO, Américo. Dicionário enciclopédico de ecologia e turismo. 1. ed. São Paulo: Manole, 2000, p.129. RPPN. In: IBAMA. Tudo o que você sempre quis saber sobre as reservas de patrimônio natural. Disponível em: «http:www2.ibama.gov.br/unidades/rppn/duvidas.html». Acesso em 26 fev TRADE. In: MICHAELIS: dicionário escolar de inglês. São Paulo: Melhoramentos Ltda., 2001, p TREKKING. In: GOIDANICH, Karin Leyser. Turismo esportivo. Porto Alegre: SEBRAE/RS, 2000, p. 12.

AÇÃO DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA NA PONTE DO RIO SÃO JORGE/PARQUE NACIONAL DOS CAMPOS GERAIS

AÇÃO DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA NA PONTE DO RIO SÃO JORGE/PARQUE NACIONAL DOS CAMPOS GERAIS AÇÃO DE SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA NA PONTE DO RIO SÃO JORGE/PARQUE NACIONAL DOS CAMPOS GERAIS Andressa Stefany Teles Jasmine Cardoso Moreira Victor Emanuel Carbonar Santos RESUMO: Impactos negativos

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.939 TURISMO DE AVENTURA: ANÁLISES E QUESTIONAMENTOS SOBRE O PROCESSO DE CRIAÇÃO DA EXPERIÊNCIA

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ Área: TURISMO SOUZA Janaína Terezinha de MASCARENHAS, Rubia Gisele Tramontin Resumo A atividade turística está ligada

Leia mais

6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4

6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4 QUALIDADE E EXCELÊNCIA DISNEY, UM EXEMPLO PARA HOTÉIS DE TODO O MUNDO Fábio Ricardo Barros da Silva Acadêmico do Curso de Turismo e Hotelaria

Leia mais

POSSIBILIDADES DA PRÁTICA DOS ESPORTES DE AVENTURA NA REGIÃO DE JATAÍ-GO. Palavras-chave: esportes de aventura; desenvolvimento sustentável; trabalho.

POSSIBILIDADES DA PRÁTICA DOS ESPORTES DE AVENTURA NA REGIÃO DE JATAÍ-GO. Palavras-chave: esportes de aventura; desenvolvimento sustentável; trabalho. POSSIBILIDADES DA PRÁTICA DOS ESPORTES DE AVENTURA NA REGIÃO DE JATAÍ-GO Rafael Alves Sá Jesus Universidade Federal de Goiás/Campus Jataí Comunicação Educação, trabalho e movimentos sociais O seguinte

Leia mais

ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DO TURISMO

ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DO TURISMO ANÁLISE DOS IMPACTOS AMBIENTAIS DO TURISMO Solange Marques Domingos da Silva 1, Pérsio D Oliveira Sandir 2 RESUMO: A necessidade emergente de práticas de lazer mais saudável, a tranqüilidade e o relaxamento

Leia mais

www.idestur.org.br - info@idestur.org.br

www.idestur.org.br - info@idestur.org.br ROTEIROS PAULISTAS DE TURISMO EQUESTRE O Turismo Eqüestre que tem nos eqüídeos o principal atrativo ou, pelo menos, uma das principais motivações, já é reconhecido em diferentes países como um importante

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.918

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.918 1 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.918 A REGIÃO TURÍSTICA DO ALTO CAFEZAL: DISCUSSÕES SOBRE AS POTENCIALIDADES DA PRÁTICA

Leia mais

Palavras-chave: Turismo Rural; Turismo Alternativo; Atividades Agropecuárias.

Palavras-chave: Turismo Rural; Turismo Alternativo; Atividades Agropecuárias. Turismo Rural: Teoria x Prática 1 Patrícia Fino 2 Faculdade Carlos Drummond de Andrade Resumo A busca do homem contemporâneo por locais naturais e autênticos em seu tempo livre é crescente. O interesse

Leia mais

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Região Norte 1. Qual a diferença entre região Norte, Amazônia Legal e Amazônia Internacional? A região Norte é um conjunto de 7 estados e estes estados

Leia mais

Visão integrada. da conservação

Visão integrada. da conservação para sempre Em busca do equilíbrio entre a produção econômica e a conservação do Pantanal, o WWF-Brasil atua na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai em uma perspectiva transfronteiriça e em articulação

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N o 1.548, DE 2015 Dispõe sobre a criação, gestão e manejo de Reserva Particular do Patrimônio Natural RPPN, e dá

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

9º Lugar. População: 62.204 hab. Área do Município: 1,589,52 km² Localização: Região Sul Goiano PIB (2005): R$ 505,5 milhões PIB :

9º Lugar. População: 62.204 hab. Área do Município: 1,589,52 km² Localização: Região Sul Goiano PIB (2005): R$ 505,5 milhões PIB : População: 62.204 hab. Área do Município: 1,589,52 km² Localização: Região Sul Goiano PIB (2005): R$ 505,5 milhões PIB : per capita R$ 7.701,00 9º Lugar Principais distâncias: Goiânia: 154 km Brasília:

Leia mais

Ecoturismo. Parque Nacional Tapantí em Costa Rica.

Ecoturismo. Parque Nacional Tapantí em Costa Rica. Ecoturismo Parque Nacional Tapantí em Costa Rica. O ecoturismo, segundo a EMBRATUR, é um "segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua

Leia mais

USO RACIONAL DA ÁGUA: RESULTADOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA

USO RACIONAL DA ÁGUA: RESULTADOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA USO RACIONAL DA ÁGUA: RESULTADOS DE PRÁTICA PEDAGÓGICA ROCHA, Elza dos Santos S. da (UNEMAT) elzassr@yahoo.com.br SANTOS, Leandra Ines Seganfredo (UNEMAT) leandraines@hotmail.com Sabemos que a água é indispensável

Leia mais

PROJETO PARA FORMAÇÃO DE MONITORES AMBIENTAIS NO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO XAVIER - SP. Glauce Yukari Michida, Greice Keli Nunes, Cleide Pivott

PROJETO PARA FORMAÇÃO DE MONITORES AMBIENTAIS NO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO XAVIER - SP. Glauce Yukari Michida, Greice Keli Nunes, Cleide Pivott PROJETO PARA FORMAÇÃO DE MONITORES AMBIENTAIS NO DISTRITO DE SÃO FRANCISCO XAVIER - SP Glauce Yukari Michida, Greice Keli Nunes, Cleide Pivott UNIVAP Universidade do Vale do Paraíba / Faculdade de Comunicação

Leia mais

O TURISMO SOB A ÓTICA DA PLATAFORMA DE SUSTENTABILIDADE DO LITORAL NORTE

O TURISMO SOB A ÓTICA DA PLATAFORMA DE SUSTENTABILIDADE DO LITORAL NORTE Contratantes: O TURISMO SOB A ÓTICA DA PLATAFORMA DE SUSTENTABILIDADE DO LITORAL NORTE Tópicos da apresentação: Turismo Sustentável sob a Ótica da PSLN. Tópicos: I Informações gerais sobre a PSLN; II Diagnóstico

Leia mais

Daniela Campioto Cyrilo Lima*, Emanuela Matos Granja*, Fabio Giordano **

Daniela Campioto Cyrilo Lima*, Emanuela Matos Granja*, Fabio Giordano ** AVALIAÇÃO SOBRE AS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL DESENVOLVIDA ATRAVÉS DO ECOTURISMO NO CAMINHO DO MAR PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR NÚCLEO ITUTINGA PILÕES Daniela Campioto Cyrilo Lima*, Emanuela Matos

Leia mais

FERRAMENTAS UTILIZADAS PELO SEBRAE / MT

FERRAMENTAS UTILIZADAS PELO SEBRAE / MT MISSÃO SEBRAE Missão: Ser uma organização de desenvolvimento, ética e séria, gerando alternativas de soluções para nossos clientes tornarem-se competitivos alinhados à sustentabilidade da vida. ÁREA DE

Leia mais

O USO DA BIODIVERSIDADE COMO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

O USO DA BIODIVERSIDADE COMO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL O USO DA BIODIVERSIDADE COMO PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Stefani de Souza Patricia de Freitas Co-autor - Prof. MSc. Cristian Coelho Silva cristian_coelho@yahoo.com.br luscheuer@hotmail.com Palavras-chave: sustentabilidade,

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 5-CEPE/UNICENTRO, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2010. Aprova o Curso de Especialização em Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento, modalidade modular, a ser ministrado no Campus CEDETEG, da UNICENTRO.

Leia mais

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS.

ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. ANÁLISE DAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS SUSTENTÁVEIS UTILIZADAS POR COMERCIANTES DA FEIRA DO PRODUTOR FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL-RS. Graciela Rodrigues Trindade (1) Bacharel em Gestão Ambiental formada

Leia mais

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI

ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ANÁLISE DA PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS ALUNOS DE 6 AO 9 ANO EM UMA ESCOLA PARTICULAR NO MUNICIPIO DE TERESINA-PI Graciane Rodrigues Rocha (*), Juliana Rodrigues Rocha, Caroline

Leia mais

La Amistad. Barra do Ouro A MDARQ ARQUITETURA CONVIDA VOCÊ PARA INVESTIR EM UM CONTEXTO TERRITORIAL PRIVILEGIADO NO PLANETA

La Amistad. Barra do Ouro A MDARQ ARQUITETURA CONVIDA VOCÊ PARA INVESTIR EM UM CONTEXTO TERRITORIAL PRIVILEGIADO NO PLANETA La Amistad Barra do Ouro A MDARQ ARQUITETURA CONVIDA VOCÊ PARA INVESTIR EM UM CONTEXTO TERRITORIAL PRIVILEGIADO NO PLANETA A 140KM DE PORTO ALEGRE RS, NO MUNICÍPIO DE MAQUINÉ, O DISTRITO DE BARRA DO OURO

Leia mais

O que é a Programação? Justificativa:

O que é a Programação? Justificativa: O que é a Programação? A Programação consiste de temas a serem abordados a cada mês com caráter de evento (pequeno, médio ou de grande porte) com duração média de até 2 semanas/mês. Mesmo com cada mês

Leia mais

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva

Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque. Darlyne de Aquino Silva Hospedagem Sustentável: Gestão Ambiental em meios de hospedagem para o município de São Roque Darlyne de Aquino Silva Instituto Federal de Educação Ciência e tecnologia de São Paulo. São Roque, SP 2011

Leia mais

Espanhol como Segunda Língua ou Língua Estrangeira. Aprenda espanhol conosco. Apaixone-se pela Colômbia e por sua cultura.

Espanhol como Segunda Língua ou Língua Estrangeira. Aprenda espanhol conosco. Apaixone-se pela Colômbia e por sua cultura. Espanhol como Segunda Língua ou Língua Estrangeira Aprenda espanhol conosco. Apaixone-se pela Colômbia e por sua cultura. Aprenda espanhol em Bogotá, Colômbia, e experimente a emocionante cultura colombiana

Leia mais

EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO SOBRE O PROJETO SEMENTE DO AMANHÃ NA CIDADE DE GUARATINGUETÁ-SP

EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO SOBRE O PROJETO SEMENTE DO AMANHÃ NA CIDADE DE GUARATINGUETÁ-SP EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL: UM ESTUDO DE CASO SOBRE O PROJETO SEMENTE DO AMANHÃ NA CIDADE DE GUARATINGUETÁ-SP RESUMO Carneiro Junior, J. L. 1 ; Freitas, R. C. M. 2 ; Rosa, A. C.

Leia mais

Ação de sensibilização ambiental realizada na Ponte do Rio São Jorge/ Parque Nacional dos Campos Gerais- PR

Ação de sensibilização ambiental realizada na Ponte do Rio São Jorge/ Parque Nacional dos Campos Gerais- PR Ação de sensibilização ambiental realizada na Ponte do Rio São Jorge/ Parque Nacional dos Campos Gerais- PR Andressa Stefany Teles 1 Flávia Ferreira dos Santos 2 Jasmine Cardozo Moreira 3 RESUMO Impactos

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur. Prefeitura Municipal de Mairiporã

ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur. Prefeitura Municipal de Mairiporã ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur Prefeitura Municipal de Mairiporã Secretaria de Meio Ambiente e Turismo Departamento de Turismo - DeTur Apresentação Um Plano Diretor de Turismo é uma ferramenta

Leia mais

PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO

PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO PROBLEMÁTICA DO LIXO: PEQUENAS ATITUDES, UM BOM COMEÇO Janelene Freire Diniz, Adeilton Padre de Paz, Hellen Regina Guimarães da Silva, Verônica Evangelista de Lima RESUMO Departamento de Química, Universidade

Leia mais

63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 10 a 15 de junho de 2011 UFG Goiânia, Goiás.

63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. 10 a 15 de junho de 2011 UFG Goiânia, Goiás. 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência 10 a 15 de junho de 2011 UFG Goiânia, Goiás. Comunicação, Ciência e Conservação do Cerrado: Mídia e Jornalismo na conscientização e

Leia mais

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas.

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. Justificativa Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. A Escola de Ensino Fundamental Mondrian, fundada em 2011, começou suas atividades em

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

PROJETO IMPACTO AMBIENTAL ZERO APRESENTAÇÃO

PROJETO IMPACTO AMBIENTAL ZERO APRESENTAÇÃO PROJETO IMPACTO AMBIENTAL ZERO APRESENTAÇÃO O PROJETO IMPACTO AMBIENTAL ZERO tem como missão junto ao meio ambiente, minimizar os impactos ambientais decorrentes da realização de eventos em áreas de preservação

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL COM ESTUDANTES ORIUNDOS DA ZONA RURAL DO MUNICÍPIO DE PELOTAS

CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL COM ESTUDANTES ORIUNDOS DA ZONA RURAL DO MUNICÍPIO DE PELOTAS CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL COM ESTUDANTES ORIUNDOS DA ZONA RURAL DO MUNICÍPIO DE PELOTAS EJE. Comunicacion y Extensión PETER, Cristina Mendes ¹; ZANI João Luiz ²; MONTEIRO, Alegani Vieira³; PICOLI,Tony

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania

PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania 2010 PROJETO CHICO MENDES: Ciclos da vida: ambiente, saúde e cidadania Mogi Guaçu/SP PROJETO CHICO MENDES CICLOS DA VIDA: AMBIENTE, SAÚDE E CIDADANIA Equipe FMPFM Prof. Ms. Glauco Rogério Ferreira Desenvolvimento

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Ministério do Meio Ambiente IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Unidade de Conservação Área geograficamente estabelecida para se alcançar um objetivo específico de conservação por meio do uso controlado dos recursos biológicos

Leia mais

'Cachoeira da Onça' é opção de ecoturismo próximo a Manaus

'Cachoeira da Onça' é opção de ecoturismo próximo a Manaus 'Cachoeira da Onça' é opção de ecoturismo próximo a Manaus Reserva particular de proteção natural mantém preservadas flora e fauna. Local está situado no município de Presidente Figueiredo. A reserva particular

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências Nome: Ano: 5º Ano 1º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências da Natureza Disciplina:

Leia mais

Maria João Carneiro mjcarneiro@ua.pt Diogo Soares da Silva diogo.silva@ua.pt Vítor Brandão vmbrandao@ua.pt Elisabete Figueiredo elisa@ua.

Maria João Carneiro mjcarneiro@ua.pt Diogo Soares da Silva diogo.silva@ua.pt Vítor Brandão vmbrandao@ua.pt Elisabete Figueiredo elisa@ua. Maria João Carneiro mjcarneiro@ua.pt Diogo Soares da Silva diogo.silva@ua.pt Vítor Brandão vmbrandao@ua.pt Elisabete Figueiredo elisa@ua.pt Universidade de Aveiro, Portugal Avaliar os discursos sobre o

Leia mais

RPPN Fazenda Rio Negro

RPPN Fazenda Rio Negro Sítio Ramsar Área Úmida de Importância Internacional RPPN Fazenda Rio Negro Conservação Internacional 1. Dados G erais Nome da RPPN: Fazenda Rio Negro Proprietário: Conservação Internacional do Brasil

Leia mais

Hotel Pousada. Nosso Hotel possui os seguintes tipos de apartamentos:

Hotel Pousada. Nosso Hotel possui os seguintes tipos de apartamentos: Hotel Pousada Onde tudo começou! O Hotel Pousada está localizado no interior do complexo, em local mais que privilegiado entre o Parque das Fontes e a entrada do Hot Park. É o local perfeito para aproveitar

Leia mais

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL: EDUCANDO E APRENDENDO COM A NATUREZA Soraya Carvalho Pereira Rocha (Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal/Universidade Aberta do Brasil Universidade de Brasília) Kátia

Leia mais

RELATÓRIO GERAL DO CENTRO DE CIÊNCIAS DE SEABRA

RELATÓRIO GERAL DO CENTRO DE CIÊNCIAS DE SEABRA Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia Departamento de Zoologia Campus Universitário de Ondina, Salvador - Bahia, Brasil 40.170-210 # (071) 3263-6564, FAX (071) 3263-6511 e-mail: 1 RELATÓRIO

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

Termo de Referência INTRODUÇÃO E CONTEXTO

Termo de Referência INTRODUÇÃO E CONTEXTO Termo de Referência CONSULTORIA PARA AVALIAÇÃO DOS FINANCIAMENTOS DO BANCO DA AMAZÔNIA BASA, PARA FORTALECIMENTO DA AGENDA DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AMAZÔNIA BRASILEIRA, COM DESTAQUE PARA

Leia mais

CACHOEIRAS em PERNAMBUCO

CACHOEIRAS em PERNAMBUCO quinze quilômetros. A do Poço do Soldado é uma das mais populares. Os moradores dizem que a força da água é uma verdadeira massagem. Na do Caboclo há duas duchas, escorrego e piscinas naturais, além de

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

UMA ANÁLISE SOBRE AS DIVERSAS PAISAGENS DA LAGOA MAIOR EM TRÊS LAGOAS/MS

UMA ANÁLISE SOBRE AS DIVERSAS PAISAGENS DA LAGOA MAIOR EM TRÊS LAGOAS/MS UMA ANÁLISE SOBRE AS DIVERSAS PAISAGENS DA LAGOA MAIOR EM TRÊS LAGOAS/MS Cínthia dos Santos Sêna 1 Esp Luziane Albuquerque 2 RESUMO O presente trabalho visa analisar as diversas paisagens que compõem a

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores!

REGISTRE SEUS DADOS ESCOLA: ALUNO: Prezados alunos e professores! 1 Prezados alunos e professores! O livro Somos os Senhores do Planeta é fruto de um trabalho didático que tem por objetivo reunir em uma única publicação temas sobre o meio ambiente, são textos de fácil

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS História da Cultura CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM TURISMO GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Repassar ao alunado a compreensão do fenômeno da cultura e sua relevância para

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES

CADERNO DE ATIVIDADES COLÉGIO ARNALDO 2014 CADERNO DE ATIVIDADES GEOGRAFIA ATENÇÃO: Este trabalho deverá ser realizado em casa, trazendo as dúvidas para serem sanadas durante as aulas de plantão. Aluno (a): 5º ano Turma: Professora:

Leia mais

SOCIEDADE INFORMADA APOIO PARA GESTÃO E AÇÕES INDICADORES SOBRE QUALIDADE DE VIDA PESQUISA COM A POPULAÇÃO ACORDO COM A PREFEITURA EDUCAÇÃO CIDADÃ

SOCIEDADE INFORMADA APOIO PARA GESTÃO E AÇÕES INDICADORES SOBRE QUALIDADE DE VIDA PESQUISA COM A POPULAÇÃO ACORDO COM A PREFEITURA EDUCAÇÃO CIDADÃ APOIO PARA GESTÃO E AÇÕES PESQUISA COM A POPULAÇÃO INDICADORES SOBRE QUALIDADE DE VIDA SOCIEDADE INFORMADA EDUCAÇÃO CIDADÃ ACORDO COM A PREFEITURA COMPORTAMENTO CIDADÃO A UNIÃO FZ A FORÇA GOVERNO TRANSPARENTE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem.

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA- UNESP Prof. Msc. Francisco Nascimento Curso de Turismo 5º Semestre Disciplina Meios de Hospedagem 1º Semestre 2013 O Cadastur Registro Hotel, Hotel histórico, hotel de lazer/resort,

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

Saberes e Práticas Docentes na Formação de Professores PROF.DR. FERNANDO RIBEIRO JUNHO/2012

Saberes e Práticas Docentes na Formação de Professores PROF.DR. FERNANDO RIBEIRO JUNHO/2012 A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA PARA AS LICENCIATURAS NA AMAZÔNIA: NÃO HÁ ENSINO SEM PESQUISA E PESQUISA SEM ENSINO Saberes e Práticas Docentes na Formação de Professores PROF.DR. FERNANDO RIBEIRO JUNHO/2012

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.983

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.983 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.983 TURISMO E MEIO AMBIENTE: PRINCIPIOS E CONDUTAS NORMATIVAS PARA O USUFRUTO DE RECURSOS/ATRATIVOS

Leia mais

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: COMERCIO ELETRÔNICO (E-COMMERCE) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): EBERSON EVANDRO DA SILVA GUNDIN, PAULO

Leia mais

Por que Investir em Caldas Novas-GO? E Por que o Mirante da Serra?

Por que Investir em Caldas Novas-GO? E Por que o Mirante da Serra? Por que Investir em Caldas Novas-GO? E Por que o Mirante da Serra? Grupo Di Roma investe R$ 147 milhões em Caldas Novas --------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Passeios Amazon Explorers

Passeios Amazon Explorers Passeios Amazon Explorers Para os passeios de um dia, sem pernoite, lhe oferecemos a seguinte variedade, cada um com suas especificidades, que lhe proporcionam experiências diferentes e inesquecíveis,

Leia mais

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO

HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO HOTELARIA ADAPTADA PARA ANIMAIS: UMA NOVA TENDÊNCIA NO MERCADO TURÍSTICO HOTELEIRO Karla Cristinni Canteri 1 Larissa Mongruel Martins De Lara 2 RESUMO O presente resumo visa apresentar as novas tendências

Leia mais

Acampamento Evangélico Casa Branca Mogi das Cruzes

Acampamento Evangélico Casa Branca Mogi das Cruzes INDICAÇÃO DE LOCAIS Acampamento Evangélico Casa Branca Mogi das Cruzes Rod. Mogi Bertioga, Km 70 - Biritiba Ussu Fones: (11) 6857 3148 / 2957-5111 / 4792-1050 E-mail: luizepalmira@gmail.com Site: http://www.puritanos.com.br/casabranca/

Leia mais

MANAUS AQUI COMEÇA A AVENTURA INESQUECÍVEL

MANAUS AQUI COMEÇA A AVENTURA INESQUECÍVEL MANAUS AQUI COMEÇA A AVENTURA INESQUECÍVEL O turismo na Amazônia é grandioso pela sua diversidade fascinante de paisagens, fauna, flora, artesanato, folclore e culinária. Sua natureza farta é exótica,

Leia mais

A Amazônia. 9 países da América do Sul: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela;

A Amazônia. 9 países da América do Sul: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela; A Amazônia 9 países da América do Sul: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela; 60% da área da floresta amazônica está em terras brasileiras; 3 regiões:

Leia mais

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Ao anunciar o título de "Sítio Ramsar" ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos, o ministro do Meio Ambiente

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 PO AÇORES 2020 UM CAMINHO LONGO, DIVERSAS ETAPAS A definição das grandes linhas de

Leia mais

Status da Certificação do

Status da Certificação do Status da Certificação do Turismo Sustentável no Brasil Enabling Developing Countries to Seize Eco-Label Opportunities Projeto de Cooperação em Rotulagem Ambiental Do que vamos falar? Turismo no Brasil

Leia mais

ONDE TEM TURISMO, TEM CNC SESC SENAC CNC SESC SENAC. www.cnc.org.br www.sesc.com.br www.senac.br

ONDE TEM TURISMO, TEM CNC SESC SENAC CNC SESC SENAC. www.cnc.org.br www.sesc.com.br www.senac.br ONDE TEM TURISMO, TEM CNC SESC SENAC CNC SESC SENAC www.cnc.org.br www.sesc.com.br www.senac.br ONDE TEM TURISMO, TEM CNC SESC SENAC A CNC Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

Leia mais

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1

Seres vivos. Mensagens aos jovens. Proposta 1 Mensagens aos jovens Nós, jovens, devemos nos organizar para a construção de projetos, em que possamos, juntos com a população e os órgãos responsáveis, nos responsabilizar pelo bem-estar do nosso patrimônio.

Leia mais

METODOLOGIA. Realização

METODOLOGIA. Realização // METODOLOGIA OBJETIVOS DA PESQUISA Produzir um painel de informações públicas sobre consciência ambiental no país; Continuar uma série histórica iniciada em 1991 sobre o tema; Conhecer os hábitos de

Leia mais

Crescimento global da consciência socioambiental

Crescimento global da consciência socioambiental Programa de Sustentabilidade Bunge 1. Contextualização Crescimento global da consciência socioambiental Sociedade Importância do tema Estruturação e articulação das entidades civis Pressões comerciais

Leia mais

FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO CÁCERES E REGIÃO POTENCIAIS TURÍSTICOS DA REGIÃO

FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO CÁCERES E REGIÃO POTENCIAIS TURÍSTICOS DA REGIÃO FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO CÁCERES E REGIÃO POTENCIAIS TURÍSTICOS DA REGIÃO Rosangela Cabral Rosa Lazarin Coord. Comitê Gestor Destino Indutor & Presidente do COMTUR Cáceres MT Servidora da Unemat VIDEO

Leia mais

Meio Ambiente,Turismo e Ordenamento Territorial

Meio Ambiente,Turismo e Ordenamento Territorial Meio Ambiente,Turismo e Ordenamento Territorial O Turismo é a atividade mais promissora para a promoção do desenvolvimento sustentável Entretanto...o modelo adotado de Turismo no litoral brasileiro tem

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 007 Consultoria especializada (pessoa física) para elaborar e implantar novas metodologias

Leia mais

turístico: a oferta e a demanda turísticas

turístico: a oferta e a demanda turísticas 2 Mercado turístico: a oferta e a demanda turísticas Meta da aula Apresentar os conceitos e o funcionamento do mercado turístico, especialmente a oferta e a demanda turística. Objetivos Esperamos que,

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO O CEET - Centro Estadual de Educação Técnica Vasco Coutinho é uma Instituição de Ensino criada e mantida pelo Governo do Estado do Espírito Santo e transferido através da lei n 9.971/12, para Secretaria

Leia mais

Pós-graduando em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP. Pós-graduanda em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP

Pós-graduando em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP. Pós-graduanda em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DE IMPACTOS CAUSADOS PELA POLUIÇÃO DAS ÁGUAS DA REPRESA DE FURNAS NO ENTORNO DO MUNICÍPIO DE ALFENAS-MG FÁBIO VIEIRA MARTINS Pós-graduando

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL MARIA DO CARMO ORECHIO

ESCOLA MUNICIPAL MARIA DO CARMO ORECHIO ESCOLA MUNICIPAL MARIA DO CARMO ORECHIO PROFESSORAS: DURVALINA M. B. FERNANDES HELENA N. DE SOUSA PEREIRA PÚBLICO ALVO: 2º, 3º ANOS DO 1º CICLO, 5º ANO DO 2º CICLO A ESCOLA PARTICIPA DO PROJETO DO PRÊMIO

Leia mais

DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: %

DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: % SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 06 / 12 / 2013 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais

1ª PARTE - OBJETIVA ESPECIFICA (Valendo 05 pontos cada questão)

1ª PARTE - OBJETIVA ESPECIFICA (Valendo 05 pontos cada questão) PREFEITURA DE VÁRZEA ALEGRE CE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 01/2014 SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CONTRATAÇÂO TEMPORÁRIA - PROVA DE GEOGRAFIA PROFESSOR DE GEOGRAFIA (6º ao 9º ANO) ASSINATURA DO

Leia mais

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA

MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA 1 MARKETING AMBIENTAL: UMA FERRAMENTA EMPRESARIAL ESTRATÉGICA Felipe Rogério Pereira (UniSALESIANO Araçatuba/SP) HerculesFarnesi Cunha ( Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas- AEMS e UniSALESIANO

Leia mais

Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias. para a conservação e uso sustentável do Cerrado

Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias. para a conservação e uso sustentável do Cerrado Informação sob embargo até dia 30/11 às 9hs Instituto Sociedade, População e Natureza... Cana-de-açúcar avança em áreas prioritárias para a conservação e uso sustentável do Cerrado (Mapas elaborados pelo

Leia mais