10 - EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "10 - EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA"

Transcrição

1 10 - EDUCAÇÃO MORA E REIGIOSA CATÓICA Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Ciências Religiosas Pela Universidade Católica Portuguesa ou por universidade católica estrangeira, desde que legalmente esteja 1.º Desp. Norm. 6- considerada equivalente à primeira A/90 Ciências Religiosas, Educação Moral e Religião Católica Do Instituto Universitário de Ciências Religiosas, da Universidade Católica Portuguesa 1.º Desp. Norm. 6- A/90 Teologia Pela Universidade Católica Portuguesa ou universidade católica estrangeira, desde que legalmente esteja 1.º Desp. Norm. 6- considerada equivalente à primeira A/90 Ciências Religiosas Pela Universidade Católica Portuguesa ou por universidade católica estrangeira, desde que legalmente esteja 2.º Desp. Norm. 6- considerado equivalente ao primeiro A/90 Teologia Pela Universidade Católica Portuguesa ou por universidade católica estrangeira, desde que legalmente esteja 2.º Desp. Norm. 6- considerado equivalente ao primeiro A/90 Teologia ou teológico Ministrado por: 2.º Desp. Norm. 6- Seminários maiores diocesanos; A/90 icenciatura em qualquer outra especialidade ou alínea, acrescida de um dos cursos de formação em Ciências Morais e Religiosas indicados na alínea (a) Seminários maiores de teologia; Seminários de teologia das ordens, congregações ou institutos religiosos; Institutos Superiores de Estudos Teológicos de raga. Coimbra e Évora; Instituto de Ciências Humanas e Teológicas do Porto; Instituto Superior de Estudos Eclesiásticos ou Instituto Superior de Estudos Teológicos de isboa; Instituto Superior de Estudos Eclesiásticos ou Instituto Superior de Estudos Teológicos do Porto [cf. o anexo ao Despacho n. 52/79, de 22 de Janeiro de 1980 (D. R., 2.ª série n. 12)] Consideram-se cursos de completamento de habilitação em Ciências Morais e Religiosas, para efeitos do presente despacho os seguintes:curso básico de Teologia da Universidade Católica Portuguesa ou por ela considerado equivalente;curso básico de Ciências Religiosas do Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro;Curso superior de Cultura Religiosa do Centro de Cultura Católica do Porto;Curso de Teologia do Instituto de Cultura Superior Católica de isboa;curso de Professores de Religião e Moral do Instituto de Cultura Superior Católica de isboa;qualquer outro curso básico de Teologia ou Ciências Religiosas, com o mínimo de quatro semestres correspondentes a 60 créditos.a lista destes cursos será fixada anualmente pela Comissão Episcopal de Educação Cristã e divulgada oficialmente pelo Ministério da Educação. 3.º Desp. Norm. 6- A/90 acharelato ou curso superior de qualquer especialidade ou alínea acrescido de um dos cursos de formação em Ciências Morais e Religiosas indicados na alínea (a) Consideram-se cursos de completamento de habilitação em Ciências Morais e Religiosas, para efeitos do presente despacho os seguintes:curso básico de Teologia da Universidade Católica Portuguesa ou por ela considerado equivalente;curso básico de Ciências Religiosas do Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro;Curso superior de Cultura Religiosa do Centro de Cultura Católica do Porto;Curso de Teologia do Instituto de Cultura Superior Católica de isboa;curso de Professores de Religião e Moral do Instituto de Cultura Superior Católica de isboa;qualquer outro curso básico de Teologia ou Ciências Religiosas, com o mínimo de quatro semestres correspondentes a 60 créditos.a lista destes cursos será fixada anualmente pela Comissão Episcopal de Educação Cristã e divulgada oficialmente pelo Ministério da Educação. 4.º Desp. Norm. 6- A/90 Docentes em exercício de funções na disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica à data da publicação do presente despacho que preencham, cumulativamente, as ano do curso complementar do ensino secundário ou equivalente; 5.º Desp. Norm. 6- A/90 - A posse de, pelo menos, cinco anos completos de docência da disciplina de Educação Moral e Religiosa ou da disciplina de Religião e Moral Católica, que legalmente precedeu a primeira; - Um dos cursos de Ciências Morais e Religiosas indicados na alínea a) ou 60 créditos em disciplinas específicas de Teologia ou Ciências Religiosas dos cursos previstos nos 1. e 2. escalões. (a )Consideram-se cursos de completamento de habilitação em Ciências Morais e Religiosas, para efeitos do presente despacho os seguintes:curso básico de Teologia da Universidade Católica Portuguesa ou por ela considerado equivalente;curso básico de Ciências Religiosas do Instituto Superior de Ciências Religiosas de Aveiro;Curso superior de Cultura Religiosa do Centro de Cultura Católica do Porto;Curso de Teologia do Instituto de Cultura Superior Católica de isboa;curso de Professores de Religião e Moral do Instituto de Cultura Superior Católica de isboa;qualquer outro curso básico de Teologia ou Ciências Religiosas, com o mínimo de quatro semestres correspondentes a 60 créditos.a lista destes cursos será fixada anualmente pela Comissão Episcopal de Educação Cristã e divulgada oficialmente pelo Ministério da Educação.

2 11 - Matemática Curso / Habilitação Grau Escalão Diploma Condições especiais egal Ciências Matemáticas 1.º Desp. Norm. Engenharia Geográfica 1.º Desp. Norm. Matemática 1.º Desp. Norm. Matemática Aplicada 1.º Desp. Norm. Matemática Aplicada e Computação Da Universidade de Aveiro ou do Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de isboa Matemática e Ciências da Computação Matemática Pura 1.º Desp. Norm. Matemática/Informática Matemáticas Aplicadas Engenheiro Geógrafo 1.º Desp. Norm. Matemática Aplicada à Gestão 2.º Desp. Norm. 10- Matemática Aplicada à Tecnologia 2.º Desp. Norm. 10- Matemática Aplicada e Computação 2.º Desp. Norm. 1- Ciências Matemáticas Nos termos do Decreto n.º 2.º Desp. Norm. 333/72, de 23 de Agosto Matemática 2.º Desp. Norm. Ciências da Computação 3.º Desp. Norm. 10- Ciências Físico-Químicas 3.º Desp. Norm. 10- Ciências Geofísicas 3.º Desp. Norm. 10- Ciências Militares especialidades: Administração Militar; Artilharia; Cavalaria; Engenharia; Infantaria; Material; Transmissões Ciências Militares Aeronáuticas especialidade: Engenheiro Electrotécnico Ciências Militares Aeronáuticas especialidade: Engenheiro Informático Ciências Militares Navais - Administração Naval Da Academia Militar, com planos 3.º Desp.Norm 3 de estudos aprovados pelo Desp. nº 102/89, de 28 de Novembro do Chefe do Estado-Maior do Exército 3.º Desp. Norm º Desp. Norm º Desp. Norm. 10- Ciências Militares Navais - Engenheiros Navais 3.º Desp. Norm. 10- Ciências Militares Navais Fuzileiros 3.º Desp. Norm. 10-

3 Ciências Militares Navais Marinha 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Aeronáutica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Cerâmica do Vidro (d) Engenharia Cerâmica e do Vidro (d) Obs. 3.º Desp. Norm. 10- (d) icenciaturas cujo elenco curricular foi publicado até 1984 Obs. Designação exacta do curso, conforme consta do diploma legal de criação do mesmo. Engenharia Civil 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Automação e Controlo 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Construção Naval 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Electrotecnia e Computadores 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Minas 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Minas e Georecursos 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Produção 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Produção Industrial 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Sistemas Decisionais 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Sistemas e Computadores 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Sistemas e Informática 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia e Gestão Industrial 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Electrónica e Informática 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Electrónica e Telecomunicações 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Electrotécnica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Electrotécnica e de Computadores 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Electrotécnica Militar especialidades: Material; Transmissões Da Academia Militar, com planos de estudos aprovados pelo Desp. nº 3.º Desp.Norm /97 (2ª série), de 11 de Junho do Chefe do Estado-Maior do Exército Engenharia Energética 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Física 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Geológica (d) (d) icenciaturas cujo elenco curricular foi publicado até º Desp. Norm. 10-

4 Engenharia Geotécnica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Industrial Da Universidade Católica 3.º Desp.Norm 3 Engenharia Informática 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Mecânica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Mecânica Militar - especialidade: Material Da Academia Militar, com Plano 3.º Desp.Norm 3 de estudos aprovado pelo Desp. nº 1910/97 (2ª série), de 11 de Junho do Chefe do Estado-Maior do Exército Engenharia Mecatrónica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Metalomecânica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Metalúrgica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Metalúrgica e de Materiais 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Militar - especialidade: Engenharia Da Academia Militar, com Plano 3.º Desp.Norm 3 de estudos aprovado pelo Desp. nº 28/96, de 12 de Março do Chefe do Estado-Maior do Exército Engenharia Naval 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Química 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Têxtil (d) (d) icenciaturas cujo elenco curricular foi publicado até º Desp. Norm. 10- Estatística 3.º Desp. Norm. 10- Estatística e Investigação Operacional 3.º Desp. Norm. 10- Física 3.º Desp. Norm. 10- Física Aplicada-Ramo Óptica 3.º Desp. Norm. 10- Física Tecnológica 3.º Desp. Norm. 10- Física/Matemática (Astronomia) Aplicada 3.º Desp. Norm. 10- Gestão ramo: Gestão de Empresas Da Universidade da eira Interior 3.º Desp.Norm 3 Gestão de Empresas Da Universidade do Algarve, com o plano de estudos aprovado pela 3º Desp. Norm. 28/99 Portaria nº 711/87, de 19 de Agosto Interdisciplinar Aplicada Física/Matemática 3.º Desp. Norm. 10- icenciaturas em Engenharia (a) (a) Desde que sejam descriminadas as disciplinas constantes do elenco curricular das licenciaturas que fazem parte das áreas científicas da Análise, da Álgebra, da Geometria ou da Estatística e Probabilidades e em que seja explicitado o número de unidades de 3.º Desp. Norm. 10-

5 Matemática Aplicada à Economia e à Gestão Probabilidades e em que seja explicitado o número de unidades de crédito/número de horas atribuído a cada uma delas, tendo que perfazer um total de 30 unidades de crédito ou 600 horas Desp. Norm. 1-3.º Desp. Norm. 10- Matemáticas Aplicadas Da Universidade ivre 3.º Desp. Norm. 10- Probabilidades e Estatística 3.º Desp. Norm. 10- Química (d) (d) icenciaturas cujo elenco curricular foi publicado até º Desp. Norm. 10- Transportes 3.º Desp. Norm. 10- Informática Industrial DE Em conjunto com o bacharelato 3.º Desp. Norm. 10- em Engenharia Informática

6 Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Engenharia de Construção Naval 1.º Desp. Norm. Engenharia de Máquinas Marítimas Da Escola Náutica Infante D. Henrique, desde que em conjunto com o 1.º Desp.Norm 3 bacharelato em Máquinas Marítimas ou em Engenharia de Máquinas Marítimas Engenharia de Materiais Da Universidade do Minho 1.º Desp.Norm 3 Engenharia de Materiais Do Instituto Superior Técnico da Universidade Técnica de isboa, da Universidade de Aveiro e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Engenharia de Polímeros Da Universidade do Minho 1.º Desp.Norm 3 Engenharia de Produção ramo: Metalomecânica 1.º Desp. Norm. Engenharia de Produção Industrial opção: Construção Mecânica 12 - Mecanotecnia 1.º Desp. Norm. Engenharia de Produção Industrial ramo: Metalomecânica Engenharia de Produção Industrial ramo: Engenharia Mecânica Da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de isboa 1.º Desp.Norm 3 Engenharia dos Materiais Da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de isboa Engenharia e Gestão Industrial Da Universidade usíada 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electromecânica Engenharia Industrial Engenharia Mecânica 1.º Desp. Norm. Engenharia Mecânica Ramo: Manutenção Industrial (Sistemas Electromecânicos) Da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Mecânica Militar especialidade: Material Da Academia Militar 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Metalomecânica 1.º Desp. Norm. Engenharia Metalúrgica e de Materiais Engenharia Naval Engenheiro Maquinista Naval Da Escola Naval 1.º Desp. Norm. Engenharia de Máquinas ramos: Produção Automóvel; Energia DE Do Instituto Politécnico Autónomo, desde que em conjunto com um dos 1.º Desp.Norm 3 bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia e Gestão Industrial - ramo: Engenharia de Produção Mecânica DE Da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Setúbal, desde 1.º Desp.Norm 3 que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Industrial DE Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de eiria, 1.º Desp.Norm 3 desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Mecânica - Frio, Climatização e Ventilação Industrial DE Do Instituto Superior de Engenharia do Instituto Politécnico de isboa, desde 1.º Desp.Norm 3 que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Mecânica Gestão da Produção DE Do Instituto Superior de Engenharia do Instituto Politécnico do Porto, desde 1.º Desp.Norm 3 que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Mecânica Manutenção DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias

7 Mecânica Gestão da Produção DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Electrotecnia e Máquinas Dos ex-institutos industriais equiparados a bacharelatos em Engenharia 2.º Desp. Norm. Engenharia da Produção e Manutenção Industrial Do Instituto Superior de Entre Douro e Vouga 2.º Desp.Norm 3 Engenharia de Manutenção Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia de Máquinas 2.º Desp. Norm. Engenharia de Máquinas ramos: Produção Automóvel; Energia Do Instituto Politécnico Autónomo 2.º Desp.Norm 3 Engenharia de Máquinas Marítimas 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Electromecânica 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Industrial Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de 2.º Desp.Norm 3 Castelo ranco Engenharia Mecânica 2.º Desp. Norm. Engenharia Mecânica variantes: Moldes e Plásticos; Produção Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de eiria 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Mecânica de Transportes Do Instituto Superior de Engenharia do Instituto Politécnico do Porto 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Metalomecânica 2.º Desp. Norm. Máquinas Marítimas Da Escola Náutica Infante D. Henrique 2.º Desp. Norm. 1- Produção Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Produção Industrial ramo: Novas Tecnologias da Produção Do Instituto Superior de Humanidades e Tecnologias 2.º Desp.Norm 3 Produção Mecânica 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Física dos Materiais ramo: Engenharia dos Materiais 3.º Desp. Norm. 11- A/86 Engenharia Metalúrgica 3.º Desp. Norm.

8 13 - Electrotecnia Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Ciências Militares ramo: Transmissões Ciências Militares Navais ramo: Armas e Electrónica Engenharia de Sistemas Electrónicos Marítimos ramos: Tecnologia Marítima; Electrónica e Telecomunicações Da Escola Náutica Infante D. Henrique, desde que em conjunto com o bacharelato de Engenharia de Manutenção Marítima de Electrónica e Telecomunicações, ou o bacharelato de Engenharia de Sistemas Electrónicos Marítimos 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electromecânica Engenharia Electrónica e Informática Da Universidade usíada 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electrónica e Informática Engenharia Electrónica e Telecomunicações 1.º Desp. Norm. Engenharia Electrónica Industrial Engenharia Electrotécnica 1.º Desp. Norm. Engenharia Electrotécnica ramo: Electrónica, Instrumentação e Computação Engenharia Electrotécnica - ramos: Automação, Energia e Electrónica; Sistemas Industriais; Telecomunicações e Electrónica; Informática; Automação; Computadores; Energia; Telecomunicações Da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electrotécnica e Computadores Engenharia Electrotécnica e de Computadores Da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electrotécnica Industrial Do ISA 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electrotécnica Militar especialidades: Transmissões; Material Da Academia Militar 1.º Desp.Norm 3 Automação e Robótica DE Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de eiria, desde que em conjunto com um bacharelato na área de Electrotecnia ou outro bacharelato (ou equiparado) do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp.Norm 3 Engenharia de Sistemas de Electrotecnia e Telecomunicações DE Da Escola Náutica Infante D. Henrique, desde que em conjunto com um bacharelato (ou equiparado) do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp.Norm 3 Engenharia de Sistemas Marítimos de Electrotecnia e Telecomunicações DE Da Escola Náutica Infante D. Henrique, desde que em conjunto com um bacharelato (ou equiparado) do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp.Norm 3 Engenharia e Gestão Industrial ramos: Electrónica e Computadores; Engenharia Electrotécnica DE Da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Setúbal, desde que em conjunto com um bacharelato (ou equiparado) do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Electromecânica DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Electrotécnica Automação e Electrónica Industrial DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Electrotécnica Comandos e Protecção DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Electrotécnica Controle Industrial DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias

9 Engenharia Electrotécnica Sistemas e Comunicação DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia de Sistemas e Computadores Da Universidade da Madeira 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Industrial Da Universidade Católica 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Mecatrónica Do Instituto Superior de Transportes 2.º Desp.Norm 3 Automação e Controle Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Automação e Electrónica Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Electricidade e Electrónica 2º Desp. Norm. 1- Electricidade Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Electrónica e Telecomunicações Do Instituto Português de Estudos Superiores 2.º Desp.Norm 3 Electrotecnia e Máquinas Dos ex-institutos industriais equiparados a bacharelatos em Engenharia 2.º Desp. Norm. Engenharia de Electrónica e Computadores Da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Setúbal 2.º Desp.Norm 3 Engenharia de Energia e Sistemas de Potência 2.º Desp. Norm. Engenharia de Manutenção Industrial ramo: Electrotecnia 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia de Manutenção Marítima de Electrónica e Telecomunicações Engenharia dos Sistemas Marítimos de Electrónica e Telecomunicações Da Escola Náutica Infante D. Henrique 2.º Desp.Norm 3 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Eléctrica e Electrónica 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Eléctrica Industrial Da Escola Superior de Tecnologia do Instituto Politécnico de Tomar 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Electromecânica 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Electrónica 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Electrónica e Comunicações Do Instituto Superior de Engenharia do Instituto Politécnico de isboa 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Electrónica e de Automação 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Electrónica e de Computadores 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Electrónica e Telecomunicações 2.º Desp. Norm. Engenharia Electrotécnica 2.º Desp. Norm. Engenharia Electrotécnica Electrónica Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Electrotécnica -- Manutenção Industrial Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de eiria 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Electrotécnica Sistemas de Energia 2.º Desp. Norm. 1- Produção Industrial ramo: Automação e Robótica; Do Instituto Superior de Humanidades e Tecnologias 2.º Desp.Norm 3 Manutenção Industrial - Ramo de Electrotécnica 2º Desp.Norm. 1- Marinha especialização: Electrotecnia 2.º Desp. Norm.

10 Radiotecnia Escola Náutica Infante D. Henrique 2º Desp.Norm. 1- Engenharia de Sistemas e Informática 3.º Desp. Norm.

11 14 - Construção Civil Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Arquitectura 1.º Desp. Norm. Arquitectura e Urbanismo Da Universidade Fernando Pessoa 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Civil 1.º Desp. Norm. Engenharia Civil variante de Planeamento e Urbanísmo Engenharia Civil e Ordenamento do Território Do Instituto Superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares Engenharia de Produção Ramo: Construção Civil e Obras Públicas 1.º Desp.Norm 3 1.º Desp. Norm. Engenharia Militar especialidade: Engenharia Da Academia Militar 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Civil DE Do Instituto Politécnico Autónomo, desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Civil Direcção, Gestão e Execução de Obras DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Civil Municipal DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Civil - Transportes e Vias de Comunicação DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia das Construções Civis DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia e Gestão de Projectos e Obras DE Do Instituto Politécnico Autónomo, desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Municipal DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp.Norm 3 1.º Desp.Norm 3 Arquitectura 1.º Desp. Norm. Arquitectura (Curso superior) 1.º Desp. Norm. Construção Civil 2.º Desp. Norm. 1- Construção Civil e Minas Dos ex-institutos industriais equiparado a bacharelato em Engenharia 2.º Desp. Norm. Engenharia Civil 2.º Desp. Norm. Engenharia Civil e do Ambiente Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo 2.º Desp.Norm 3 Engenharia das Construções Civis 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia de Construção Civil 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia e Gestão de Projectos e Obras Do Instituto Politécnico Autónomo 2.º Desp.Norm 3 Gestão de Projectos e Obras Do Instituto Politécnico Autónomo 2.º Desp.Norm 3

12 15 - Física - Química Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal ioquímica Da Faculdade de Ciências da Universidade de isboa 1.º Desp.Norm 3 Ciências Físico-Químicas 1.º Desp. Norm. Engenharia de Processos e Energia ramos: Processos e Materiais; Energia e Ambiente Da Universidade de Évora 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Física 1º Desp. Norm. 1- Engenharia Física e dos Materiais Engenharia Química 1.º Desp. Norm. Física 1.º Desp. Norm. Física e Química Física Tecnológica Química 1.º Desp. Norm. Química Aplicada Química Industrial Química Tecnológica Engenharia da Qualidade DE Do Instituto Superior de Engenharia do Instituto Politécnico do Porto, desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Química Gestão de Energia Engenharia Química Gestão de Energia na Indústria Química Obs. DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações Engenharia Química Industrial DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações Obs. Designação exacta do curso, conforme consta do diploma legal de criação do mesmo. 1.º Desp. Norm. 1- Engenharia Cerâmica e do Vidro 2.º Desp. Norm. Ciências do Ambiente ramo: Qualidade do Ambiente Da Universidade de Évora 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Alimentar Da Universidade Católica 2.º Desp.Norm 3 Engenharia de Produção Industrial opção: Engenharia Física 2.º Desp. Norm. Engenharia do Ambiente Da Universidade Católica 2.º Desp.Norm 3 Engenharia do Papel Da Universidade da eira Interior 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Física e dos Materiais 2.º Desp. Norm. 11- A/86 Engenharia Física e Tecnológica 2.º Desp. Norm. 1-

13 Engenharia Física Tecnológica 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Industrial Da Universidade Católica 2.º Desp.Norm 3 Física Aplicada ramo: Óptica 2.º Desp. Norm. 1- Física e Tecnologia dos Materiais 2.º Desp. Norm. 10- Física/Matemática Aplicada 2.º Desp. Norm. 1- Física/Matemática (Astronomia) Aplicada 2.º Desp. Norm. 1- Optoelectrónica e asers 2.º Desp. Norm. 10- Engenharia Química Tecnologias de Produção Ambiental DE Em conjunto com o bacharelato em 2.º Desp. Norm. 10- Engenharia Química Engenharia Química - Tecnologias de Protecção Ambiental (Obs) Ciências Físico-Químicas Nos termos do Decreto n.º 333/ 72, de 23 de Agosto Obs. Designação exacta do curso, conforme consta do diploma legal de criação do mesmo. 2.º Desp. Norm. Engenharia Química 2.º Desp. Norm. Física 2.º Desp. Norm. Química 2.º Desp. Norm. Química aboratorial e Industrial Dos ex-institutos industriais equiparado a bacharelato em Engenharia 2.º Desp. Norm. ioquímica 3.º Desp. Norm. 1- Ciências Geofísicas variante: Geofísica Interna 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Agro-Industrial Do Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de isboa 3.º Desp.Norm 3 Engenharia iológica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Materiais 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Produção 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Produção Industrial 3.º Desp. Norm. 1- Engenharia de Produção Industrial Processos Químicos 3.º Desp. Norm. 1- Engenharia dos Materiais Da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de isboa 3.º Desp.Norm 3 Engenharia Florestal ramo: Tecnologia dos Produtos Florestais Do Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de isboa 3.º Desp.Norm 3 Engenharia Florestal ramo: Tecnologia de Produtos Florestais (Obs) Obs.Designação exacta do curso, conforme consta do diploma legal de criação do mesmo. Engenharia de Instrumentação e Qualidade Industrial 3.º Desp. Norm. 10-

14 Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal ioquímica Ciências Físico-Químicas 1.º Desp. Norm. Ciências Químicas e do Ambiente ramo: Química Aplicada Do Instituto superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Alimentar Da Universidade Católica 1.º Desp.Norm 3 Engenharia iológica 1.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Processos e Energia ramos: Processos e Materiais; Energia e Ambiente Da Universidade de Évora 1.º Desp.Norm 3 Engenharia do Ambiente Da Universidade Católica 1.º Desp.Norm 3 Engenharia Química 1.º Desp. Norm. Física e Química opção: Química Microbiologia Da Universidade Católica 1.º Desp.Norm 3 Química 1.º Desp. Norm. Química Aplicada 1.º Desp. Norm. 11-A/86 Química Aplicada Química Industrial Química Tecnológica Engenharia da Qualidade DE Do Instituto Superior de Engenharia do Instituto Politécnico do Porto, desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Química Gestão de Energia na Indústria Química DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Química Industrial DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Engenharia Química - Tecnologias Produção Ambiental Engenharia Química - Tecnologias de Protecção Ambiental ( Obs) DE 16 - Química - Física Em conjunto com o bacharelato em Engenharia Química Obs. Designação exacta do curso, conforme consta do diploma legal de criação do mesmo. 1.º Desp.Norm 3 1.º Desp. Norm. 10- Ciências do Ambiente ramo: Qualidade do Ambiente Da Universidade de Évora 2.º Desp.Norm 3 Ciências Farmacêuticas 2.º Desp. Norm. 11-A/86 Ciências Químicas e do Ambiente ramo: iotecnologia Do Instituto superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares Engenharia Agro-Industrial Do Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de isboa Engenharia iotecnológica Da Unidade de Ciências e Tecnologias Agrárias da Universidade do Algarve 2.º Desp.Norm 3 2.º Desp.Norm 3 2.º Desp. Norm. 10- Engenharia Cerâmica e do Vidro 2.º Desp. Norm. Engenharia Florestal ramo: Tecnologia de Produtos Florestais Do Instituto Superior de Agronomia da Universidade Técnica de isboa 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Têxtil 2.º Desp. Norm. Farmácia 2.º Desp. Norm. Ciências Físico-Químicas Nos termos do Decreto n.º 333/72, de 23 de Agosto 2.º Desp. Norm. Engenharia Alimentar Da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Algarve 2.º Desp.Norm 3 Engenharia Química 2.º Desp. Norm. Química 2.º Desp. Norm. Química aboratorial e Industrial Dos ex-institutos industriais. equiparado a bacharelato em Engenharia 2.º Desp. Norm. Engenharia iotecnológica 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Materiais Da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Polímeros 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia de Produção Industrial - Processos Químicos 3.º Desp. Norm. Engenharia do Ambiente 3.º Desp. Norm. Engenharia Física ramo: Instrumentação 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Metalúrgica ou de Materiais 3.º Desp. Norm. Enologia 3.º Desp. Norm. 10- Engenharia Química Industrial opção: Tecnologia do Ambiente Do Instituto Politécnico de Tomar 3.º Desp. Norm. 10-

15 17 - Artes Visuais Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Arquitectura 1.º Desp. Norm. Arquitectura de Design Arquitectura de Interiores Arquitectura Paisagista Arte e Design Artes Plásticas variantes: Escultura; Pintura; Expressão Plástica Artes Plásticas-Escultura 1.º Desp. Norm. Artes Plásticas-Pintura 1.º Desp. Norm. Cerâmica Design Design Artesanal e Industrial Design de Comunicação 1.º Desp. Norm. Design de Equipamento 1.º Desp. Norm. Desp. Norm. 1- Design Gráfico e Ilustração Design Industrial Design/Projectação variantes: Comunicação; Equipamentos; Projectação Geral. Escultura História e Ciências da Arte variantes: História da Arte; Ciências da Arte Pintura Design DE Conjuntamente com uma das habilitações próprias do 2.º escalão Design Industrial DE Conjuntamente com uma das habilitações próprias do 2.º escalão Ensino Tecnológico, Profissional e Artístico opção: Artes Plásticas DE Em conjunto com o acharelato em Artes Plásticas da Fac. elas Artes de isboa, do Porto ou do Inst. Sup. Arte e Design da Universidade Madeira ou da Escola Sup. de Tecnologia, Gestão, Arte e Design de Caldas da Rainha

16 Arquitectura Das Escolas Superiores de elas- Artes 1.º Desp. Norm. Arquitectura (Curso superior) 1.º Desp. Norm. Artes Plásticas (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Artes Plásticas-Escultura (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Artes Plásticas-Pintura (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Curso de professores de Desenho dos liceus A que se refere o Decreto nº de 16 de Novembro de º Desp. Norm. Design de Comunicação (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Design de Comunicação-Arte Gráfica (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Design de Equipamento (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Design/Comunicação Visual (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Design/Projectação Gráfica (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Design-Arte Gráfica (Ciclo especial) 1.º Desp. Norm. Escultura (Curso complementar) 1.º Desp. Norm. Escultura (Curso superior) 1.º Desp. Norm. Pintura (Curso complementar) 1.º Desp. Norm. Pintura (Curso superior) 1.º Desp. Norm. Arte e Tecnologia DE Em conjunto com o curso superior de Artes Decorativas Design de Mobiliário Urbano DE Da Escola Superior de Artes Decorativas, desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias 2.º Desp. Norm. 1-2.º Desp.Norm 3 Design de Mobiliário Urbano DE Em conjunto com o curso superior de Artes Decorativas 2.º Desp. Norm. 1- Artes 2.º Desp. Norm. 1- Artes Decorativas 2.º Desp. Norm. 1- Artes Plásticas 2.º Desp. Norm. 7/97 Artes Plásticas opções: Pintura; Escultura; Gravura Artes Plásticas variantes: Escultura; Pintura; Expressão Plástica 2º Desp. Norm. 1-2.º Desp. Norm. 1- Artes Plásticas (Pintura e Escultura) 2.º Desp. Norm. 1- Artes Plásticas-Escultura 2.º Desp. Norm. Artes Plásticas-Pintura 2.º Desp. Norm. Desenho 2.º Desp. Norm. 1-

17 Design 2.º Desp. Norm. 1- Design de Comunicação 2.º Desp. Norm. Design de Equipamento 2.º Desp. Norm. Design e Tecnologia para a Cerâmica 2.º Desp. Norm. 1- Design Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Design/Projectação variantes: Comunicação; Equipamentos; Projectação Geral. 2.º Desp. Norm. 1- Estudos de Arte 2.º Desp. Norm. 1- Manualidade Artística 2.º Desp. Norm. 1- Manualidade Educativa 2.º Desp. Norm. 1- Pintura 2.º Desp. Norm. 1- Tecnologias Artísticas 2.º Desp. Norm. 1- Arquitectura (Curso especial) 2.º Desp. Norm. Artes Plásticas (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Artes Plásticas-Escultura (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Artes Plásticas-Pintura (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Design de Comunicação (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Design de Comunicação-Arte Gráfica (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Design de Equipamento (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Design/Comunicação Visual (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Design/Projectação Gráfica (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Design-Arte Gráfica (Ciclo básico) 2.º Desp. Norm. Escultura (Curso especial) 2.º Desp. Norm. Escultura (Curso geral) 2.º Desp. Norm. Pintura (Curso especial) 2.º Desp. Norm. Pintura (Curso geral) 2.º Desp. Norm. Arquitectura da Gestão Urbanística 3.º Desp. Norm. 1- Arquitectura do Planeamento Urbano e Territorial 3.º Desp. Norm. 1- Arquitectura Paisagista Da Universidade de Évora 3.º Desp. Norm. 1-3.º ano completo do curso de Arquitectura 3.º Desp. Norm. Design de Interiores e Equipamento Geral (a) Do IADE 3.º (a) Desde que os respectivos titulares comprovem possuir - curso complementar do ensino secundário (Área E) incluindo a disciplina de Geometria Descritiva ou- curso complementar liceal do ensino secundário. Incluindo a disciplina de Desenho Desp. Norm.

18 18 - Contabilidade e Administração Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Administração e Gestão de Empresas 1.º Desp. Norm. Ciências Económicas e Empresariais Ciências Empresariais especializações: Marketing; Finanças Empresariais; Gestão Internacional; Gestão Internacional na CEE; Gestão Industrial Contabilidade Contabilidade e Auditoria Economia (a) (a) Desde que os respectivos titulares comprovem a aprovação nas disciplinas de Contabilidade Geral, Contabilidade Analítica e Fiscalidade ou outras declaradas equivalentes pelos conselhos científicos 1.º Desp. Norm. Economia e Finanças Finanças 1.º Desp. Norm. Gestão 1.º Desp. Norm. Gestão Agrária Gestão Comercial e Contabilidade Gestão das PME s Gestão de Empresas 1.º Desp. Norm. Gestão e Administração Gestão e Desenvolvimento Social Gestão e Planeamento em Turismo Organização e Gestão de Empresas 1.º Desp. Norm. Tecnologias de Gestão Administração e Técnica Aduaneiras DE Em conjunto com o acharelato em Aduaneiro Administração Empresarial DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Assessoria de Administração DE Em conjunto com um dos acharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp. Norm. 7/97 Auditoria DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Auditoria Contabilística DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias 1.º Desp. Norm. 7/97

19 Auditoria e Controlo de Gestão DE Em conjunto com o acharelato em Contabilidade e Administração Auditoria e Revisão de Contas DE Em conjunto com um dos acharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Comércio Internacional opções: Gestão Internacional e Administração Aduaneira DE Em conjunto com o acharelato em Estudos Superiores de Comércio Contabilidade DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Contabilidade e Administração DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Contabilidade e Administração de Empresas DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Contabilidade e Auditoria DE Em conjunto com um dos acharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Contabilidade e Gestão de Empresas DE Em conjunto com o acharelato em Contabilidade e Administração ou Contabilidade e Gestão Controle Financeiro DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Controlo de Gestão DE Em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Gestão Comercial DE Em conjunto com o acharelato em Gestão e Finanças da Empresa 1.º Desp. Norm. 7/97 Gestão de Cooperativas Agrícolas DE Em conjunto com o acharelato em Gestão de Empresas Gestão de Empresas DE Em conjunto com um dos acharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Gestão de Pequenas e Médias Empresas DE Em conjunto com o acharelato em Gestão de Pequenas e Médias Empresas Gestão e Contabilidade DE Em conjunto com o acharelato em Gestão e Contabilidade Gestão Empresarial DE Em conjunto com um dos acharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias Gestão Financeira DE Do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Instituto Politécnico do Porto ou do Instituto Superior de Administração e Gestão ou outro desde que em conjunto com um dos seguintes acharelatos: Gestão e Finanças da Empresa; Contabilidade e Administração; Estudos Superiores de Comércio; Gestão Marketing DE Do Instituto Superior de Administração e Gestão ou outro desde que em conjunto com o acharelato em Marketing Ciências Empresariais Do Instituto Superior issaya arreto 2.º Desp.Norm 3 Ciências Empresariais especializações: Gestão Financeira; Recursos Humanos 2.º Desp. Norm. 1- Informática de Gestão Do ISA 2.º Desp. Norm. 1- Marketing Do ISA 2.º Desp. Norm. 1- Marketing e Comércio Internacional 2.º Desp. Norm. 1-

20 Comércio Internacional opções: Gestão Internacional; Administração Aduaneira DE Do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Instituto Politécnico do Porto, desde que em conjunto com um dos bacharelatos do 2.º escalão das habilitações próprias 2.º Desp.Norm 3 Aduaneiro 2.º Desp. Norm. 1- Contabilidade Dos ex-institutos comerciais equiparado a bacharelato 2.º Desp. Norm. Contabilidade 2.º Desp. Norm. 1- Contabilidade e Auditoria 2.º Desp. Norm. 1- Desp. Norm. 1- Contabilidade e Gestão 2.º Desp. Norm. 1- Contabilidade e Gestão de Pessoal 2.º Desp. Norm. 1- Contabilidade e Gestão Financeira 2.º Desp. Norm. 1- Estudos Superiores de Comércio 2.º Desp. Norm. 1- Gestão 2.º Desp. Norm. 1- Gestão opções: Gestão Comercial; Gestão Industrial 2.º Desp. Norm. 1- Gestão Comercial 2.º Desp. Norm. 1- Gestão Comercial e Contabilidade 2.º Desp. Norm. 1- Gestão Comercial e Marketing 2.º Desp. Norm. 1- Gestão de Comércio Internacional 2.º Desp. Norm. 1- Gestão de Empresas 2.º Desp. Norm. 1- Gestão de Pequenas e Médias Empresas 2.º Desp. Norm. 1- Gestão e Administração de Empresas 2.º Desp. Norm. 1- Gestão e Contabilidade 2.º Desp. Norm. 1- Gestão e Criação de Empresas 2.º Desp. Norm. 1- Gestão Informática ramos: Contabilidade; Informática de Gestão; Gestão Empresarial 2.º Desp. Norm. 1- Informática de Gestão Da Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico de Santarém 2.º Desp. Norm. 1- Técnico Superior de Contabilidade 2.º Desp. Norm. 1- Administração e Contabilidade (acharelato ou curso) 2.º Desp. Norm.

21 Administração Naval Da Escola Naval 2.º Desp. Norm. Contabilidade e Administração (acharelato ou curso) Economia (acharelato ou curso) (a) Organização e Gestão de Empresas (acharelato ou curso) (a) (a) Desde que os respectivos titulares comprovem a aprovação nas disciplinas de Contabilidade Geral, Contabilidade Analítica e Fiscalidade ou outras declaradas equivalentes pelos conselhos científicos (a) Desde que os respectivos titulares comprovem a aprovação nas disciplinas de Contabilidade Geral, Contabilidade Analítica e Fiscalidade ou outras declaradas equivalentes pelos conselhos científicos 2.º Desp. Norm. 2.º Desp. Norm. 2.º Desp. Norm. Administração Pública 3.º Desp. Norm. 1- Economia e Gestão ramo: Economia e Gestão de Pequenas e Médias Empresas 3.º Desp. Norm. 1- Gestão Estratégica Da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre 3.º Desp.Norm 3 Informática de Gestão Do Instituto Superior de Gestão 3.º Desp. Norm. 1- Gestão Comercial DE Em conjunto com o acharelato em Gestão Internacional e Exportação ou Gestão e Ciência Fiscal Gestão Financeira DE Em conjunto com um dos seguintes acharelatos: Gestão Internacional e Exportação; Gestão e Ciência Fiscal; Gestão Hoteleira 3.º Desp. Norm. 1-3.º Desp. Norm. 1- Gestão das PME s 3.º Desp. Norm. 1- Gestão Industrial e da Produção 3.º Desp. Norm. 1- Informática e Gestão 3.º Desp. Norm. 1- Marketing 3.º Desp. Norm. 1-

22 Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Administração e Gestão de Empresas 1.º Desp. Norm. Ciências Económicas e Financeiras Com as antigas secções Aduaneiras e Diplomática ou Consular 1.º Desp. Norm. Desenvolvimento Económico 1.º Desp. Norm. Economia 1.º Desp. Norm. Economia e Finanças Economia e Gestão ramo: Economia e Gestão de Projectos de Desenvolvimento e Cooperação Finanças 1.º Desp. Norm. Gestão 1.º Desp. Norm. Gestão de Empresas 1.º Desp. Norm. Organização e Gestão de Empresas 1.º Desp. Norm. Relações Internacionais ramo: Relações Económicas e Políticas Gestão de Cooperativas Agrícolas DE Em conjunto com o acharelato em Gestão de Empresas Administração Pública 2.º Desp. Norm. 1- Administração Pública Regional e ocal 2.º Desp. Norm. Ciência Política Da Universidade usíada 2.º Desp. Norm. 1- Ciências Económicas e Empresariais 2.º Desp. Norm. 1- Direito 2.º Desp. Norm. Direito ramo: Ciências Jurídico-Económicas 2.º Desp. Norm. 1- Economia e Gestão ramos: Economia e Gestão de Associações e Cooperativas 19 - Economia 2.º Desp. Norm. 1- Engenharia Informática Com os três primeiros anos de licenciatura em Economia Gestão do Desenvolvimento e Cooperação Internacional Da Universidade Moderna, com plano de estudos aprovado pela Port. nº 577/97, de 31/7 ou 571/97, de 31/7 Da Dinensino, com plano de estudos aprovado pela Port. nº 587/97, de 4/8 2.º Desp. Norm. 2.º Desp. Norm. 1- Gestão e Administração Pública 2.º Desp. Norm. 23/85 Relações Internacionais ramo: Político-Económicas 2.º Desp. Norm. Serviço Social Do Instituto Superior de Serviço Social de isboa 2.º Desp. Norm. 1- Relações e Cooperação Internacionais DE Em conjunto com o acharelato em Relações e Cooperação Internacionais 2.º Desp. Norm. 1- Ciência Política Do ISMAG 3.º Desp. Norm. 1- Ciência Política opções: Relações Internacionais; Opinião Pública e Ciências Eleitorais; Instituições Políticas e Administração Pública 3.º Desp. Norm. 1- Estudos Europeus Da Universidade Moderna, com plano de estudos aprovado pelas Port. as nº 311/98, de 20/5 ou nº 312/98, de 20/5 3.º Desp. Norm. 1- Gestão Agrária 3.º Desp. Norm. 1- Gestão das PME s 3.º Desp. Norm. 1- Gestão e Desenvolvimento Social 3.º Desp. Norm. 1- Informática de Gestão 3.º Desp. Norm. 1- Investigação Social Aplicada Da Universidade Moderna com plano de estudos aprovado pela Port. nº 573 /97, de 30/7 Da Dinensino com plano de estudos aprovado pelas Port.as 574/97, de 30/7 ou 579/97, de 31/7 3.º Desp. Norm. 1- Marketing e Comércio Internacional 3.º Desp. Norm. 1- Relações Internacionais 3.º Desp. Norm. 1- Relações Internacionais Ramo: Relações Culturais e Políticas 3.º Desp. Norm. 1- Serviço Social Do Instituto Superior de Serviço Social de Coimbra Sociologia ramos: Políticas Sociais; Sociologia das Organizações 3.º Desp. Norm. 1-3.º Desp. Norm. 1- Sociologia das Organizações 3.º Desp. Norm. 1- Auditoria e Controlo de Gestão DE Em conjunto com o acharelato em Contabilidade e Administração Gestão e Contabilidade DE Em conjunto com o acharelato em Gestão e Contabilidade 3.º Desp. Norm. 1-3.º Desp. Norm. 1-

23 Administração e Contabilidade (bacharelato ou curso) 3.º Desp. Norm. Contabilidade e Administração (bacharelato ou curso) 3.º Desp. Norm. Economia (bacharelato ou curso) 3.º Desp. Norm. Gestão de Comércio Internacional 3.º Desp. Norm. 1- Gestão de Empresas Da Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico de Santarém 3.º Desp. Norm. 1- Gestão de Recursos Humanos Do ISMAG 3.º Desp. Norm. 1- Organização e Gestão de Empresas (bacharelato ou curso) 3.º Desp. Norm. Administração Militar Da Academia Militar (se os titulares provierem do Instituto Técnico Militar dos Pupilos do Exército). 3.º Desp. Norm. Administração Naval Da Escola Naval 3.º Desp. Norm. Ciências Sociais e Política Ultramarina 4.º Desp. Norm. Ciências Sociais e Políticas 4.º Desp. Norm. Sociologia 4.º Desp. Norm.

24 Curso / Habilitação Grau Condições especiais Escalão Diploma egal Ciências Humanas e Sociais (a) Desde que os candidatos sejam (a) Desde que os candidatos comprovem possuir as seguintes provenientes dos departamentos cadeiras de estudos clássicos dasfaculdades de etras - 2 de inguística (Geral ou Portuguesa) - 2 de iteratura Portuguesa - 1 de iteratura Grega - 1 de iteratura atina - 3 de íngua Grega e 2 de íngua atina ou 3 de íngua atina e 2 de íngua Grega outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes Ciências iterárias (a) A partir do bacharelato correspondente à licenciatura em Filologia Clássica e dela derivadas ínguas e iteraturas Modernas variante: Estudos Portugueses 20 - Português, atim e Grego (a) Desde que os candidatos comprovem possuir as seguintes cadeiras - 2 de inguística (Geral ou Portuguesa) - 2 de iteratura Portuguesa - 1 de iteratura Grega - 1 de iteratura atina - 3 de íngua Grega e 2 de íngua atina ou 3 de íngua atina e 2 de íngua Grega outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes 1.º Desp. Norm. 1.º Desp. Norm. 1.º Desp. Norm. 23/85 Filologia Clássica 1.º Desp. Norm. Filosofia e Humanidades Humanidades 1.º Desp. Norm. icenciaturas organizadas nas faculdades de letras posteriormente a e derivadas da licenciatura em Filosofia Clássica (a) (a) Desde que os candidatos comprovem possuir as seguintes cadeiras - 2 de inguística (Geral ou Portuguesa) - 2 de iteratura Portuguesa - 1 de iteratura Grega - 1 de iteratura atina - 3 de íngua Grega e 2 de íngua atina ou 3 de íngua atina e 2 de íngua Grega outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes 1.º Desp. Norm. ínguas e iteraturas Clássicas ínguas e iteraturas Clássicas - variantes: Estudos Clássicos e Alemães (b) Estudos Clássicos e Franceses (b) Estudos Clássicos e Ingleses (b) Estudos Clássicos e Portugueses ínguas e iteraturas Clássicas e Portuguesa (b) Desde que os candidatos comprovem possuir, de entre as opções, 1 cadeira de inguística (Geral ou Portuguesa) e 1 cadeira de iteratura Portuguesa outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes 1.º Desp. Norm. Ciências Humanas e Sociais (c) Desde que os candidatos sejam provenientes dos departamentos (c) Desde que os respectivos titulares comprovem aprovacão em: -1 cadeira anual de iteratura Grega de estudos clássicos -1 cadeira anual de iteratura atina dasfaculdades de etras -2 cadeiras anuais de inguística (Geral ou Portuguesa) - 2 cadeiras anuais de iteratura Portuguesa - Grego I e II - atim I e II outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes acharelatos organizados nas faculdades de letras posteriormente a e derivados da licenciatura em Filosofia Clássica (a) (a) Desde que os candidatos comprovem possuir as seguintes cadeiras - 2 de inguística (Geral ou Portuguesa) - 2 de iteratura Portuguesa - 1 de iteratura Grega - 1 de iteratura atina - 3 de íngua Grega e 2 de íngua atina ou 3 de íngua atina e 2 de íngua Grega outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes 2.º Desp. Norm. 2.º Desp. Norm. Filologia Clássica 2.º Desp. Norm. Ciências Humanas e Sociais (d) Desde que os candidatos sejam (d)acrescida da aprovação nas seguintes cadeiras das Faculdades provenientes dos departamentos de etras: de estudos clássicos das -2 de inguística (Geral ou Portuguesa) Ffaculdades de etras -2 de iteratura Portuguesa -Grego I e II -História da Cultura Clássica -atim I e II outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes 3.º Desp. Norm.

25 Filologia Românica 3.º Desp. Norm. 1- Filosófico- Humanístico (e) Da Universidade Católica (e) Desde que os candidatos comprovem aprovação em 2 cadeiras Portuguesa de inguística (Geral ou Portuguesa) ou noutras que os conselhos científicos atestem como equivalentes íngua e Cultura Portuguesa, íngua Estrangeira 3.º Desp. Norm. 3.º Desp. Norm. 1- ínguas e iteraturas Modernas variantes: 3.º Desp. Norm. Estudos Portugueses e Alemães Estudos Portugueses e Espanhóis Estudos Portugueses e Franceses Estudos Portugueses e Ingleses Estudos Portugueses e Italianos íguas e iteraturas Românicas 3.º Desp. Norm. 52/96 inguística Desde que comprove a titularidade de uma cadeira anual de Introdução aos Estudos iterários e de 2 cadeiras anuais de iteratura Portuguesa 3.º Desp. Norm. 1- iteratura Comparada 3.º Desp. Norm. 1- Português-Francês (licenciatura científica) 3.º Desp. Norm. 1- Português-História (licenciatura científica) 3.º Desp. Norm. 1- Teologia (d) Da Universidade Católica Portuguesa (d)acrescida da aprovação nas seguintes cadeiras das Faculdades de etras: -2 de inguística (Geral ou Portuguesa) -2 de iteratura Portuguesa -Grego I e II -História da Cultura Clássica -atim I e II outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes Filosófico-Humanístico (e) Da Universidade Católica (e) Desde que os candidatos comprovem aprovação em 2 cadeiras Portuguesa de inguística (Geral ou Portuguesa) ou noutras que os conselhos científicos atestem como equivalentes Teologia (d) Da Universidade Católica Portuguesa (d)acrescida da aprovação nas seguintes cadeiras das Faculdades de etras: -2 de inguística (Geral ou Portuguesa) -2 de iteratura Portuguesa -Grego I e II -História da Cultura Clássica -atim I e II outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes Teologia ou Teológico (f) Dos Seminários Maiores e (f)desde que os respectivos titulares comprovem a respectiva equivalentes aprovação nas seguintes cadeiras anuais do Curso de Estudos Clássicos e Portugueses das Faculdades de etras: Cultura Clássica; Grego II;atim II;Introdução aos Estudos inguísticos; Introdução aos Estudos iterários;iteratura Portuguesa III; Sintaxe e Semântica do Português; outras que os conselhos científicos atestem como equivalentes 3.º Desp. Norm. 4.º Desp. Norm. 4.º Desp. Norm. 4.º Desp. Norm. (Os titulares que comprovem, através de declaração passada pelo seminário respectivo, a frequência com aproveitamento de 7 anos de atim são dispensados da realização de qualquer outro exame nessa disciplina no ensino superior)

CURSOS QUE CONFEREM HABILITAÇÃO PRÓPRIA PARA A DOCÊNCIA. Grupo de Recrutamento 530 - Educação Tecnológica

CURSOS QUE CONFEREM HABILITAÇÃO PRÓPRIA PARA A DOCÊNCIA. Grupo de Recrutamento 530 - Educação Tecnológica Arquitectura Arquitectura (Curso superior) 1º Arquitectura e Urbanismo Universidade Fernando Pessoa Arte e Comunicação ramo de Audiovisual; ramo Fotográfico; ramo de Multimédia Escola Superior Artística

Leia mais

Estabelecimento Sobras da 3.ª Fase. Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 0110 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 16 3 10 9

Estabelecimento Sobras da 3.ª Fase. Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 0110 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 16 3 10 9 Sobras da.ª Fase Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 00 0 Ciências Agrárias 00 0 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 00 Energias Renováveis 00 0 Engenharia e Gestão do Ambiente 0 00 Guias da Natureza

Leia mais

Estabelecimento Sobras da 1.ª Fase

Estabelecimento Sobras da 1.ª Fase Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 00 90 Ciências Agrárias 00 0 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 00 994 Energias Renováveis 00 9 Engenharia e Gestão do Ambiente 00 9 Guias da Natureza Universidade

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 2.ª Fase

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 2.ª Fase Vagas.ª Fase Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 00 0 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 00 0 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 00 0 Medicina Veterinária (Preparatórios) 00 0 Ciências Agrárias

Leia mais

0202 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente

0202 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente 0110 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 8031 Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) 155,5 8085 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 128,8 8086 Medicina Veterinária (Preparatórios) 154,8 9022 Ciências

Leia mais

04 - MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA

04 - MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA 04 - MATEMÁTICA E CIÊNCIAS DA NATUREZA Curso / Habilitação Grau Condições especiais Engenharia Agronómica ramo: Hortofruticultura Da Universidade do Algarve Engenharia Civil Da Universidade Fernando Pessoa

Leia mais

4312-(18) Diário da República, 1.ª série N.º 131 9 de Julho de 2008

4312-(18) Diário da República, 1.ª série N.º 131 9 de Julho de 2008 4312-(18) Diário da República, 1.ª série N.º 131 9 de Julho de 2008 pre que necessário, para a realização de entrevista e ou avaliação funcional das suas capacidades. 4 A comissão pode, face à prova documental

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 3.ª Fase

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - Direcção-Geral do Ensino Superior. Estabelecimento Vagas 3.ª Fase Vagas.ª Fase Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 00 0 Ciências da Nutrição (Preparatórios) 00 0 Medicina Veterinária (Preparatórios) 00 0 Ciências Agrárias 00 0 Engenharia e Gestão do Ambiente

Leia mais

Ensino Superior Universitário e Politécnico (Público; Privado; Militar e Policial; Católica)

Ensino Superior Universitário e Politécnico (Público; Privado; Militar e Policial; Católica) Ensino Superior Universitário e Politécnico (Público; Privado; Militar e Policial; Católica) Ano letivo 2012/2013 Nota informativa: esta listagem está ordenada por nome do curso da outra Intituição de

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 2 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

Estabelecimento/Curso Estabelecimento/Curso Estabelecimento/Curso

Estabelecimento/Curso Estabelecimento/Curso Estabelecimento/Curso ENSINO UNIVERSITÁRIO Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 Ciências da Nutrição (Preparatórios) PL 15 5 122,5 10 Medicina Veterinária (Preparatórios)

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-2ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Classificações dos últimos colocados Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-2ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Classificações dos últimos colocados Código Instit. Classificações dos últimos s Nome da Instituição Nome do Grau de 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 6 0 1 143,5 5 0110 8086 Universidade dos

Leia mais

ANEXO 1. Cursos. Ciências da Educação (concurso local) Ciências da Educação e da Formação Educação Educação (concurso local)

ANEXO 1. Cursos. Ciências da Educação (concurso local) Ciências da Educação e da Formação Educação Educação (concurso local) Educação ANEXO 1 de professores / formadores e ciência da educação Ciências Educação Ciências da Educação Ciências da Educação Ciências da Educação (concurso local) Ciências da Educação e da Educação Educação

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO 11 1.ª FASE DEZEMBRO DE 2011 ÍNDICE Nota Introdutória... 3 Conceitos... 4 Grandes Números... 5 Candidatos, Vagas, Colocados e Matriculados... 6 OFERTA FORMATIVA... 7 Vagas por

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Nome da Instituição Nome do Grau Fase (cont. geral) 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios)

Leia mais

1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2009 Código Código

1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2009 Código Código (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísm Ciências Farmacêuticas (Preparatórios PM 15 15 0 155,5 0 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísm

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2011-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objecto de concurso nacional

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2011-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objecto de concurso nacional ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Designação da Localidade Fase (cont. geral) 110 Ensino Superior Público Universitário 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2014, 2015, 2016 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2014, 2015, 2016 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2014, 2015, 2016 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direção de Serviços

Leia mais

Estabelecimento de ensino diplom a 1 2 3

Estabelecimento de ensino diplom a 1 2 3 Cursos previstos no art. 55.º do Estatuto da Carreira Docente que relevam para a aplicação da alínea c) do n.º 1 do art. 14.º do Decreto-ei n.º20/2006, de 31 de Janeiro 1 Cursos de licenciatura, diplomas

Leia mais

Lista de Cursos Aprovados 2007/2008

Lista de Cursos Aprovados 2007/2008 Universidade do Porto Lista de Cursos Aprovados 2007/2008 Última actualização: 09/03/2007 1/ 20 FACULDADE DE ARQUITECTURA LDADE DE ARQUITECTURA Mestrado Integrado Mestrado Integrado em Arquitectura Aguarda

Leia mais

Lisboa Privado Politécnico 4002 Academia Nacional Superior de Orquestra Instrumentista de Orquestra

Lisboa Privado Politécnico 4002 Academia Nacional Superior de Orquestra Instrumentista de Orquestra Distrito Subsistema Tipo de ensino Cód. Estab. Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Lisboa Privado Politécnico 4002 Academia Nacional Superior de Orquestra Direcção de Orquestra Lisboa Privado Politécnico

Leia mais

Instituição. Número de Conselheiros Nacionais a eleger por Secção Sindical - 1

Instituição. Número de Conselheiros Nacionais a eleger por Secção Sindical - 1 Instituição Lugares no CN Academia Militar Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto Centro de Investigação Marinha e Ambiental, Laboratório Associado da Universidade

Leia mais

PROVAS DE INGRESSO PARA CANDIDATOS QUE SEJAM TITULARES DE CURSOS DO ENSINO SECUNDÁRIO PORTUGUÊS

PROVAS DE INGRESSO PARA CANDIDATOS QUE SEJAM TITULARES DE CURSOS DO ENSINO SECUNDÁRIO PORTUGUÊS TITULARES DE S DO ENSINO SECUNDÁRIO PORTUGUÊS FACULDADE DE ARQUITETURA Arquitetura, área de especialização em Arquitetura de Interiores e Reabilitação do Edificado Arquitetura Arquitetura (regime pós-laboral)

Leia mais

Cursos médios ou superior mais próximo da área do curso

Cursos médios ou superior mais próximo da área do curso Homologo, O Vice-Reitor, (Prof. Doutor António de Brito Ferrari) DESPACHO Nº 16-R/2008 TITULARES DE CURSOS MÉDIOS OU SUPERIORES Cursos médios ou superior mais próximo da área do curso Curso - Licª em Bioquímica

Leia mais

1. PARES ESCOLA/CURSO REGISTADOS INST. POLITÉC./ UNIVERSIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO

1. PARES ESCOLA/CURSO REGISTADOS INST. POLITÉC./ UNIVERSIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO 1. PARES ESCOLA/CURSO REGISTADOS INST. POLITÉC./ UNIVERSIDADE ESTABELECIMENTO DE ENSINO CURSO PRÉ-BOLONHA ESPECIALIDADE LICENCIATURA PÓS-BOLONHA ESPECIALIDADE INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA Eng.ª Alimentar

Leia mais

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt

Ensino Superior. Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Ensino Superior Regulamento n.º 319/2013 Regulamento do Programa de Apoio Social a Estudantes através de atividades de tempo Parcial (PASEP) da Universidade

Leia mais

552 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 17 24 de Janeiro de 2006 MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

552 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 17 24 de Janeiro de 2006 MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 552 DIÁRIO DA REPÚBICA I SÉRIE-B N. o 17 24 de Janeiro de 2006 MINISTÉRIO DO TRABAHO E DA SOIDARIEDADE SOCIA ANEXO I Modelo do cartão Frente Portaria n. o 87/2006 de 24 de Janeiro A ei n. o 71/98, de 3

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 2008. Provas de Ingresso - 2008. Ensino Superior Público

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 2008. Provas de Ingresso - 2008. Ensino Superior Público ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 2008 Provas de Ingresso - 2008 Ensino Superior Público Direcção-Geral do Ensino Superior Fevereiro de 2008 Ficha técnica Título: Acesso ao Ensino Superior 2008 - Provas de Ingresso

Leia mais

GUIA DOCÊNCIA PARA A QUALIFICAÇÕES PROFISSIONAIS. Janeiro de 2002 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO

GUIA DOCÊNCIA PARA A QUALIFICAÇÕES PROFISSIONAIS. Janeiro de 2002 1º, 2º E 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO GUIA Janeiro de 2002 QUAIFICAÇÕES PROFISSIONAIS PARA A DOCÊNCIA 1º, 2º E 3º CICOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO Direcção-Geral da Administração Educativa QUAIFICAÇÕES PROFISSIONAIS PARA A DOCÊNCIA

Leia mais

João de Deus Rogado Salvador Pinheiro medidas legislativas. Cria algumas escolas do ensino primário em vários distritos.

João de Deus Rogado Salvador Pinheiro medidas legislativas. Cria algumas escolas do ensino primário em vários distritos. João de Deus Rogado Salvador Pinheiro medidas legislativas Portaria nº 151/85, de 13 de Março, D.R. 63, p. 712 Cria algumas escolas do ensino primário em vários distritos. Decreto-Lei nº 75/85, de 25 de

Leia mais

Ministério d. da Presidência do Conselho, em 19 de Março de 2008. Registado com o n.º DL 116/2008 no livro de registo de diplomas

Ministério d. da Presidência do Conselho, em 19 de Março de 2008. Registado com o n.º DL 116/2008 no livro de registo de diplomas Registado com o DL 116/2008 no livro de registo de diplomas da Presidência do Conselho, em 19 de Março de 2008 No âmbito do programa de reformas da Administração Pública assume especial relevância o novo

Leia mais

AVEIRO. vagas colocados Engenharia Geográfica L1 30 7 ALGARVE. Engenharia Geológica L1 20 8 Física L1 22 8 Finanças (regime pós-laboral) L1 20 6 UBI

AVEIRO. vagas colocados Engenharia Geográfica L1 30 7 ALGARVE. Engenharia Geológica L1 20 8 Física L1 22 8 Finanças (regime pós-laboral) L1 20 6 UBI AÇORES Ciências da Engenharia Civil L1 20 1 Património Cultural L1 20 6 Ciências Agrárias L1 10 10 Informática - Redes e Multimédia L1 25 8 Engenharia e Gestão do Ambiente L1 20 0 ALGARVE Engenharia Civil

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL. LUGARES A PREENCHER (Necessidades previsionais) SERVIÇO MUNICIPAL PROTEÇÃO CIVIL. LUGARES A PREENCHER (Necessidades previsionais)

CÂMARA MUNICIPAL. LUGARES A PREENCHER (Necessidades previsionais) SERVIÇO MUNICIPAL PROTEÇÃO CIVIL. LUGARES A PREENCHER (Necessidades previsionais) mapa de pessoal Ano 2013 Artigos 4º e 5º da Lei nº 12-A/2008 de 27 de Fevereiro CÂMARA MUNICIPAL Assistente Técnico 12º ano de escolaridade 2 1 - Secretário Presidência Assistente Operacional Escolaridade

Leia mais

PRIVADO ENSINO SUPERIOR. Ocupação dos Cursos de Formação Inicial

PRIVADO ENSINO SUPERIOR. Ocupação dos Cursos de Formação Inicial ENSINO SUPERIOR PRIVADO Ocupação dos Cursos de Formação Inicial Ensino Superior Privado Ocupação dos Cursos de Formação Novembro Inicial 2011 DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direcção de Serviços de Suporte

Leia mais

9º ano e agora? Joana Pais Rodrigues França - Psicóloga

9º ano e agora? Joana Pais Rodrigues França - Psicóloga 9º ano e agora? Joana Pais Rodrigues França Psicóloga 1ª decisão Ingressar no Mundo do Trabalho Seguir para o Ensino Superior Mundo do Trabalho / Ensino Superior C. Profissionais C. ArtísticoEspecializados

Leia mais

Mapa de Pessoal - ano 2015

Mapa de Pessoal - ano 2015 Gabinete de Apoio à Presidência Artigo 5.º do Regulamento dos Superior Postos de trabalho ocupados: 1 Licenciado em Relações Internacionais, 1 Licenciado em Gestão do Património e 1 lugar por força do

Leia mais

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Colocados CONCURSO NACIONAL DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Etapa 1: colocação dos candidatos às vagas

Leia mais

WWW.WEB-EMPREGO.COM. 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2010 Código Código Iniciais. (vagas adicionais)

WWW.WEB-EMPREGO.COM. 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO: 2010 Código Código Iniciais. (vagas adicionais) (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) (10) 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 15 0 155,8 0 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

GUIA DOCÊNCIA HABILITAÇÕES PARA A. Janeiro de 2002 2º E 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO HABILITAÇÕES PARA A 2º E 3º CICLOS

GUIA DOCÊNCIA HABILITAÇÕES PARA A. Janeiro de 2002 2º E 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO HABILITAÇÕES PARA A 2º E 3º CICLOS GUIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Direcção-Geral da Administração Educativa Janeiro de 2000 Janeiro de 2002 HABILITAÇÕES PARA A HABILITAÇÕES DOCÊNCIA PARA A 2º E 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO E ENSINO SECUNDÁRIO

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014: 1.ª FASE da Nome da Nome Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 10 134,0 5 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

50054 Diário da República, 2.ª série N.º 239 11 de Dezembro de 2009

50054 Diário da República, 2.ª série N.º 239 11 de Dezembro de 2009 50054 Diário da República, 2.ª série 239 11 de Dezembro de 2009 Ciclo Denominação Percursos alternativos de ECTS Grau Denominação Grau de registo Aplicada; Biologia Celular e Molecular; Biologia Celular;

Leia mais

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013

Nome da instituição Nome do curso Grau Vagas iniciais de 2013 Nome da instituição Nome do Grau na 1.ª fase de pelo 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) Prep. Mestrado Integrado 15 15 155,8 0110 8085 Universidade

Leia mais

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21

Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 21 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 8 1 0 9 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios) PL 14

Leia mais

EXAMES - 2º Semestre Ano lectivo 2011/2012 CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA

EXAMES - 2º Semestre Ano lectivo 2011/2012 CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA Estética das Artes Visuais Práticas Cerâmicas Projecto Multimédia II / Portofólio História das Artes e do Design em Portugal 10 28 3 3+4 Laboratório Multimédia II 28 Desenho/Laboratório

Leia mais

E D I T A L INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO EDIÇÃO 2009/2010

E D I T A L INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO EDIÇÃO 2009/2010 E D I T A L INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CONCURSOS ESPECIAIS DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR EDIÇÃO 2009/2010 2010 O Presidente do Instituto Politécnico do Porto (IPP), Vítor Correia Santos,

Leia mais

ESCOLAS. Ciências Agrárias e Veterinárias

ESCOLAS. Ciências Agrárias e Veterinárias ANEXO 2 ESCOLAS Ciências Agrárias e Veterinárias Arquitectura Paisagista Ciências de Engenharia - Engenharia Zootécnica Engenharia Agronómica Engenharia Florestal Enologia Medicina Veterinária Mestrado

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS CURSOS DE ENGENHARIA REGISTADOS - Bacharelatos e Licenciaturas

ORDEM DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS CURSOS DE ENGENHARIA REGISTADOS - Bacharelatos e Licenciaturas ESCOLA CURSO GRAU ESPECIALIDADE NORMAS REGISTO OBS. ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E G ÁGUEDA Engenharia Electromecânica B Mecânica a) do n.º 2 Universidade de Aveiro Engenharia Electrotécnica B ESP a)

Leia mais

Lista de cursos referidos no anexo II da Portaria

Lista de cursos referidos no anexo II da Portaria ista de cursos referidos no anexo II da Portaria Nº de outoramento em Ciências ocumentais (Ramo Científico) Universidade de Évora outoramento em ocumentação e Informação (ocumentación e Informatión) Universidade

Leia mais

EXAMES - 2º Semestre Ano lectivo 2013/2014 CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA (1º Ciclo)

EXAMES - 2º Semestre Ano lectivo 2013/2014 CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA (1º Ciclo) CURSO: ARTE E MULTIMÉDIA (1º Ciclo) Antropologia Cultural Estética das Artes Visuais Práticas Cerâmicas História das Artes e do Design Contemporâneos 1 3 1 A1 Laboratório Multimédia II Sociologia da Cultura,

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

SAÍDAS PROFISSIONAIS

SAÍDAS PROFISSIONAIS SAÍDAS PROFISSIONAIS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 6 CURSO CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ÁREA DAS CIÊNCIAS ÁREA DA ANIMAÇÃO ÁREA DA SAÚDE AREA DO

Leia mais

Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Vagas Iniciais

Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Vagas Iniciais Nome do Estabelecimento Nome do Grau 0110 1131 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios) P 12 0 6 0 126,5 6 0110 1603 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

ENSINO SUPERIOR PARTICULAR

ENSINO SUPERIOR PARTICULAR ENSINO SUPERIOR PARTICULAR 220 4002 9732 Academia Nacional Superior de Orquestra Direcção de Orquestra 1.º 6 Sem 180 1 220 4002 9771 Academia Nacional Superior de Orquestra Instrumentista de Orquestra

Leia mais

ul. Ogrodowa 28/30, 00-896 Warszawa sekretariat: tel.+48 22 393-38-02 fax: +48 22 826-28-23 e-mail: biuro@buwiwm.edu.pl

ul. Ogrodowa 28/30, 00-896 Warszawa sekretariat: tel.+48 22 393-38-02 fax: +48 22 826-28-23 e-mail: biuro@buwiwm.edu.pl Destinatário: DEPARTAMENTO DE RECONHECIMENTO DE DIPLOMAS DO ENSINO SUPERIOR E DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL (BIURO UZNAWALNOŚCI WYKSZTAŁCENIA I WYMIANY MIĘDZYNARODOWEJ) ul. Ogrodowa 28/30, 00-896 Warszawa

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2011

Leia mais

Ensino Superior Particular e Cooperativo - Universidades

Ensino Superior Particular e Cooperativo - Universidades Ensino Superior Particular e Cooperativo - Universidades Universidade Atlântica Universidade Autónoma de Lisboa Luís de Camões Universidade Fernando Pessoa Universidade Independente Universidade Internacional

Leia mais

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 0203 0203 0204 0204 0204 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 Universidade do Algarve - Faculdade

Leia mais

Diplomados e inscritos em programas de doutoramento

Diplomados e inscritos em programas de doutoramento Diplomados e inscritos em programas de doutoramento Núcleo de Estudos & Projectos 9 de Março de 2015 A atractividade e concretização ao nível do terceiro ciclo é um indicador que vale a pena avaliar. O

Leia mais

Listagem de UC por curso. Escola Superior de Educação e Ciências Sociais

Listagem de UC por curso. Escola Superior de Educação e Ciências Sociais Listagem de UC por curso Semestre * 2014-15 Escola Superior de Educação e Ciências Sociais Animação Cultural Prática do Projeto Cultural Animação Ambiental Gestão Cultural Seminário Linguagem Plástica

Leia mais

IVCURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL - Nível III

IVCURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL - Nível III APRESENTAÇÃO O Ensino Profissional é uma modalidade especial de educação que visa, essencialmente, o desenvolvimento da formação profissional qualificante dos jovens. Dado o facto de dedicarem grande parte

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE MATOSINHOS REGULAMENTO DE ADMISSÃO NO MESTRADO EM DESIGN. Preâmbulo

ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE MATOSINHOS REGULAMENTO DE ADMISSÃO NO MESTRADO EM DESIGN. Preâmbulo ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE MATOSINHOS REGULAMENTO DE ADMISSÃO NO MESTRADO EM DESIGN Preâmbulo De acordo com o novo Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, a Escola Superior de Artes

Leia mais

3.6.4 As inscrições dos alunos far-se-ão de acordo com as seguintes regras:

3.6.4 As inscrições dos alunos far-se-ão de acordo com as seguintes regras: Tabela de precedências de Inscrição para efeitos de inscrição Extraordinária (aplicação do 3.6.5. do Regulamento Pedagógico) 3.6.4 As inscrições dos alunos far-se-ão de acordo com as seguintes regras:

Leia mais

ATO NORMATIVO nº 006, de 10 de junho de 2013.

ATO NORMATIVO nº 006, de 10 de junho de 2013. ATO NORMATIVO nº 006, de 10 de junho de 2013. Vera Rejane Coelho, Pró-Reitora de Ensino da Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO: 1. a necessidade de

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 215-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instit. Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Ministério da Educação e Ciência - Direcção Geral do Ensino Superior

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit.

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Pares instituição/curso objeto de concurso nacional Código Instit. ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Nome da Instituição Nome do Grau Direção-Geral do Ensino Superior Página 1 de 25 Fase (cont. geral) 0110 8031 Universidade dos Açores

Leia mais

Anexo C. Estabelecimentos de Ensino Superior. Índice

Anexo C. Estabelecimentos de Ensino Superior. Índice Anexo C Estabelecimentos de Ensino Superior Índice Anexo C1 - Estabelecimentos de Ensino Superior: Situação em 1980...c.2 Anexo C2 - Estabelecimentos de Ensino Superior: Situação em 1990...c.4 Anexo C3

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Código Instit. Código Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Colocados Nota do últ. colocado (cont. geral) (1) (2)

Leia mais

REQUERIMENTO DE INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO

REQUERIMENTO DE INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO DIGEP D-01 P. 1/2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul 1. DADOS DO SERVIDOR Data de ingresso

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instituição Grau (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) 3122 9670 Instituto Politécnico de Portalegre - Escola Superior de Tecnologia e GestãoAdministração de Publicidade e Marketing L1 27 18 111,3 9 3102

Leia mais

Universidade dos Açores Engenharia Zootécnica Engenharia Zootécnica Agronómica. Engenharia do Ambiente Engenharia Biotecnológica

Universidade dos Açores Engenharia Zootécnica Engenharia Zootécnica Agronómica. Engenharia do Ambiente Engenharia Biotecnológica LISTA DOS CURSOS QUE CONFEREM DISPENSA DE PRESTAÇÃO DE PROVAS DE ADMISSÃO À OE* Até 31 de Julho de 2011 A presente lista identifica os cursos de Licenciatura pré-bolonha e de Mestrado pós-bolonha cujos

Leia mais

ANÚNCIO PÚBLICO. Cursos Legalmente Criados nas Instituições de Ensino Superior Públicas

ANÚNCIO PÚBLICO. Cursos Legalmente Criados nas Instituições de Ensino Superior Públicas RPÚBLICA D ANGOLA MINISTÉRIO DO NSINO SUPRIOR INSTITUTO NACIONAL D AVALIAÇÃO, ACRDITAÇÃO RCONHCIMNTO D STUDOS DO NSINO SUPRIOR (INAARS) ANO ACADÉMICO 2016 II SPCIAL NSINO SUPRIOR JORNAL D ANGOLA Sexta-feira,

Leia mais

COMUNICADO II (Estudantes GS. Ext.)

COMUNICADO II (Estudantes GS. Ext.) COMUNICADO II (Estudantes GS. Ext.) Edital SECRI 004/2015 Seleção para Programa de Bolsas Erasmus Mundus Projeto Euro Brazilian Windows (EBW+) 2ª chamada A (SECRI) com relação ao Edital SECRI 004/2015

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2013: 1.ª FASE Nome da Nome do Grau 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 15 11 130,8 4 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição

Leia mais

GUIA DE ACESSO ao Secundário. Educação e Formação Ofertas para Jovens e Adultos 2006

GUIA DE ACESSO ao Secundário. Educação e Formação Ofertas para Jovens e Adultos 2006 GUIA DE ACESSO ao Secundário Educação e Formação Ofertas para Jovens e Adultos 006 s Ficha Técnica Título: Guia de Acesso ao Secundário - 006 Autor: Gabinete de Informação e Avaliação do Sistema Educativo

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 08/04/08 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 482 CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 02

Aprovado no CONGRAD: 08/04/08 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 482 CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA. MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 02 Aprovado no CONGRAD: 08/04/08 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 482 CURSO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 02 I- NÚCLEO DE CONTEÚDOS BÁSICOS Metodologia Científica e Tecnológica

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2010-1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Código Código Nome do Estabelecimento Nome do Curso Grau Localidade 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas

Leia mais

Oferta Escolar 2015/2016

Oferta Escolar 2015/2016 Oferta Escolar 2015/2016 Ana Carina Pereira Serviço de Psicologia e Orientação 9º ano e agora? Oferta Escolar de Ensino Secundário: Cursos Científico-Humanísticos Curso Profissional Curso Vocacional de

Leia mais

5356 Diário da República, 2.ª série N.º 44 4 de março de 2015

5356 Diário da República, 2.ª série N.º 44 4 de março de 2015 5356 Diário da República, 2.ª série N.º 44 4 de março de 2015 Posto Arma/Serviço NIM Nome Data Reforma TCor SGE 03373079 Domingos Alberto Preto Neto...................................... 21-12-2014 Maj

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO DE 2013 RESULTADOS DA 2.ª FASE

CONCURSO NACIONAL DE ACESSO DE 2013 RESULTADOS DA 2.ª FASE 0110 8031 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências Farmacêuticas (Preparatórios) PM 10 1 1 10 127,3 0110 8085 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo Ciências da Nutrição (Preparatórios)

Leia mais

Lista de cursos referidos no Anexo II da Portaria n.º 756/2009 de 14 de julho

Lista de cursos referidos no Anexo II da Portaria n.º 756/2009 de 14 de julho ista de cursos referidos no Anexo II da Portaria n.º 756/2009 de 14 de julho Pontos 35 outoramento em Ciências ocumentais (Ramo Científico) 35 outoramento em e (ocumentación e Informatión) 35 estrado em

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. EDITAL SEPLAG/UEMG Nº. 08 /2014, de 28 de novembro de 2014

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. EDITAL SEPLAG/UEMG Nº. 08 /2014, de 28 de novembro de 2014 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL SEPLAG/UEMG Nº. 08 /2014, de 28 de novembro de 2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA DE PROFESSOR DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Instituto Politécnico de Bragança - Escola Superior Agrária de Bragança

Instituto Politécnico de Bragança - Escola Superior Agrária de Bragança Distrito de Bragança Instituto Politécnico de Bragança - Escola Superior Agrária de Bragança 3041/L029 Biologia e Biotecnologia [Lic-1º cic] 30 vagas Braga, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Porto, Viana

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010

ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010 ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010 EMPREGABILIDADE A informação estatística recolhida neste documento é baseada no relatório

Leia mais

ATO NORMATIVO nº 010, de 01 de novembro de 2012.

ATO NORMATIVO nº 010, de 01 de novembro de 2012. ATO NORMATIVO nº 010, de 01 de novembro de 2012. Vera Rejane Coelho, Pró-Reitora de Ensino da Universidade do Planalto Catarinense - UNIPLAC, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO: 1. a organização

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações Congénere 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 11.09.07 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 483 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Currículo nº 02

Aprovado no CONGRAD: 11.09.07 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 483 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Currículo nº 02 Aprovado no CONGRAD: 11.09.07 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 483 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Currículo nº 02 DISCIPLINAS E PRÁTICAS DO CURRÍCULO PLENO I- NÚCLEO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS Matemática

Leia mais

Cód. Curso Área CNAEF Curso ESEC. Técnicas de Intervenção Social em Toxicodependências Técnico de Intervenção Social em Toxicodependência 1/7

Cód. Curso Área CNAEF Curso ESEC. Técnicas de Intervenção Social em Toxicodependências Técnico de Intervenção Social em Toxicodependência 1/7 7224 Acolhimento em Instituição 761 - Serviços de Apoio a Crianças e Jovens Animação Socioeducativa 7257 Acompanhamento de Crianças e Jovens 761 - Serviços de Apoio a Crianças e Jovens Animação Socioeducativa

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 65 4 de abril de 2016 11203 SERVIÇOS DE AÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

Diário da República, 2.ª série N.º 65 4 de abril de 2016 11203 SERVIÇOS DE AÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA Diário da República, 2.ª série N.º 65 4 de abril de 2016 11203 21 Lei Geral Tributária, aprovada pelo Decreto -Lei n.º 398/98, de 17 de dezembro; 22 Código de Procedimento e de Processo Tributário, aprovado

Leia mais

FORMULÁRIO DESTINADO AOS CANDIDATOS PARA FORMAÇÃO 2014/2015

FORMULÁRIO DESTINADO AOS CANDIDATOS PARA FORMAÇÃO 2014/2015 Destinatário: BIURO UZNAWALNOŚCI WYKSZTACENIA I WYMIANY MIĘDZYNARODOWEJ BUREAU DE RECONHECIMENTO DE DIPLOMAS DE ENSINO SUPERIOR E DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL ul. Ogrodowa 28/30, 00-896 Warszawa sekretariat:

Leia mais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências e Tecnologia 0110 Universidade dos Açores - Angra

Leia mais

ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE

ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE

Leia mais

Regulamento. do Mestrado em Gestão Ambiental

Regulamento. do Mestrado em Gestão Ambiental Regulamento do Mestrado em Gestão Ambiental Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF), concede o grau de Mestre em Gestão Ambiental. Artigo 2º Objectivos Gerais O curso de Mestrado em Gestão

Leia mais

Edital Nº 14 de 24 de julho de 2008

Edital Nº 14 de 24 de julho de 2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DE PALMAS Edital Nº 14 de 24 de julho de 2008 A Comissão designada pela Portaria nº 399 de 03 de dezembro

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS. 1.ª Edição 2011-2012 INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA PÓS-GRADUAÇÃO EM FINANÇAS EMPRESARIAIS 1.ª Edição 2011-2012 Nos termos do disposto no artigo 8.º, n.º 1, a), do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, aprovado

Leia mais

RESULTADOS DA 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

RESULTADOS DA 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015 RESULTADOS DA 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO NOTA 1. Encontra se concluída a colocação na primeira fase do 39.º concurso nacional de acesso, tendo sido admitidos,

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2015, 2016, 2017 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2015, 2016, 2017 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2015, 2016, 2017 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direção de Serviços

Leia mais

EDITAL Nº 06, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2011 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO

EDITAL Nº 06, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2011 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Barreiras MINISTERIO DA EDUCACÃO SECRETARIA DE EDUCACÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCACÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA EDITAL Nº 06, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2011 CONCURSO PÚBLICO

Leia mais

RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA

RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA Em cumprimento ao disposto no art. 2º da Portaria Normativa MEC nº. 3, de 1o de abril de 2008, e considerando as orientações das Comissões Assessoras

Leia mais