PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO TOCANTINS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO TOCANTINS"

Transcrição

1 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO TOCANTINS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS/TO 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames realizados sobre os 23 programas de governo executados na base municipal de Aguiarnópolis/TO em decorrência do 5º Evento do Projeto de Fiscalização a partir de Sorteios Públicos. 2. As fiscalizações tiveram como objetivo analisar a aplicação dos recursos federais no Município sob a responsabilidade de órgãos federais, estaduais, municipais ou entidades legalmente habilitadas. 3. Os trabalhos foram realizados in loco no Município, no período de 15/09/2003 a 19/08/2003, sendo utilizados, em sua execução, as seguintes técnicas e procedimentos: inspeções físicas e documentais, realização de entrevistas, aplicação de questionários e registros fotográficos 4. Os programas de governo, que foram objeto das ações de fiscalização, estão apresentados no quadro a seguir, por Ministério Supervisor, discriminando, a quantidade de fiscalizações realizadas e os recursos aproximados aplicados, por Programa. 4.1 Recursos recebidos e quantidade de fiscalizações realizadas Ministério Programa/Ação Fiscalizado Quat. de Recursos Supervisor Fiscalizações Fiscalizados (R$) Ministério da Fazenda BASA - Administração 01 - Garantia de Padrão Mínimo de Qualidade para o Ensino Fundamental de Jovens e Adultos ,00 RECOMEÇO Ministério da Alimentação Escolar ,20 Educação Programa de melhoria e expansão do ensino ,14 médio Projeto Alvorada Bolsa Escola ,00 Ministério da Saúde Atendimento a População com medicamentos para Tuberculose e outras Pneumopatias 01 0,00 Av. JK, 104 Norte (ACNE 01), Conj.01, Lote 99, Salas 3, 5 e 7 CEP Palmas TO Fone: (63) Fax: (63) SITE:

2 Ministério da Integração Nacional Ministério da Previdência Social Ministério da Assistência Social Ministério do Trabalho e Emprego Ministério das Cidades Implantação de Melhorias Sanitárias Domiciliares para Controle de Agravos Melhorias Sanitárias Construção e Ampliação ou Melhoria de Sistema de Coleta e Tratamento de Esgoto Sanitário para Controle de Agravos Construção e Ampliação ou Melhoria dos Serviços de Abastecimento de Água para Controle de Agravos Assistência financeira à família visando a complementação da renda para melhoria da nutrição Bolsa Alimentação Atendimento assistencial básico referente à parte fixa do piso de atenção básica PAB, nos municípios em gestão plena da atenção básica Incentivo financeiro a municípios habilitados a parte variável do piso de atenção básica PAB, para a saúde da família Incentivo Financeiro a Municípios Habilitados a Parte Variável do Piso de Atenção Básica PAB, para ações de prevenção e controle das doenças transmissíveis Controle da tuberculose e outras pneumopatias de interesse sanitário , , , , , , , ,00 Tratamento de hanseníase e outras dermatoses 01 0,00 Incentivo Financeiro a Municípios Habilitados a Parte Variável do Piso de Atenção Básica Farmácia Básica Financiamento de Setores Produtivos da Região Norte - FNO , ,45 Pagamento de Aposentadorias 01 0,00 Atendimento à Criança e ao Adolescente em Jornada Escolar Ampliada Ações Sociais e Comunitárias para Populações Carentes , ,00 Estudos e Pesquisas na Área do Trabalho 01 0,00 Implantação de Serviços de Saneamento Básico em Municípios com População até Habitantes Implantação, ampliação ou melhoria de obras de infra-estrutura urbana , ,00 TOTAL ,77 Palmas, 26 de setembro de Av. JK, 104 Norte (ACNE 01), Conj.01, Lote 99, Salas 3, 5 e 7 CEP Palmas TO Fone: (63) Fax: (63) SITE: 2

3 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 50 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS - TO MINISTÉRIO DA FAZENDA 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

4 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 50 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 15 a 19/09/2003, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério da Fazenda: Programa/Ação: BASA Administração (funcional ) Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 - Programa/Ação: BASA Administração Objetivo da Ação de Governo: Contribuir para o desenvolvimento econômico e social das três regiões, Norte, Nordeste e Centro-Oeste, a partir da concessão de financiamento a empreendedores. Objeto Fiscalizado: 02 empreendimentos rurais financiados com recursos do FNO, nas modalidades de PRODERUR. Obs:.A amostra definida pela SFC/DEINT continha de 03 projetos a serem fiscalizados, contudo, o dossiê do Sr. Rafael Nogueira de Carvalho (contrato FIR-M /4) não foi objeto de fiscalização, porque o mesmo fora implantado no município de Abreulândia-TO, e já se encontrava liquidado. Agente Executor Local: Banco da Amazônia S/A-BASA, agências de Tocantinópolis e Palmas. Qualificação do Instrumento de Transferência: Concessão de empréstimos a empreendedores rurais, com recursos do FNO. Montante de Recursos Financeiros Aplicados: Não é o caso. Secretaria Federal de Controle Interno AV. JK, acne 01, cj 01, lote 39 A, salas 3, 5 e 7, centro CEP Palmas-To 1

5 Extensão dos exames: : A presente fiscalização consistiu na análise processual de 02 dossiês referentes a projetos financiados com recursos do Fundo Constitucional do Norte, situados no município de Aguiarnópolis-TO, selecionados previamente pela SFC/DEINT, a saber: (FIR-M Agenor Pinheiro de Moura e FIR-M José Vicente Filho). Os dossiês se encontravam na agência do BASA em Tocantinópolis-TO. Analisando, a documentação constante dos dossiês dos mutuários, verificamos as falhas descritas abaixo: 1.1)Constatação da Fiscalização: Fato: No Dossiê do Sr. Agenor Pinheiro de Moura não constavam todos os comprovantes de despesas, tendo em vista que o somatório dos valores constantes das notas fiscais/recibos apresentados é inferior ao valor total do crédito liberado ao mutuário. O quadro abaixo evidencia a porcentagem de despesa não comprovada, constatada pela nossa fiscalização: Contrato/Mutuário Valor Total do Valor Total da Notas Diferença Financiamento Fiscais/Recibos % (A) apresentados (B) (B-A)/A FIR-M /3 Agenor Pinheiro de Moura , ,35 18,03% Evidência: Documentos e comprovantes de despesas (notas fiscais e recibos) apresentados pelo beneficiário do Fundo Constitucional do Norte-FNO ao Banco da Amazônia-BASA, constante no dossiê apresentado na tabela acima. 1.2)Constatação da Fiscalização: Fato: Verificamos não constar do processo do mutuário José Vicente Filho (Contrato FIR-M ) qualquer laudo que comprovasse a realização de fiscalização e acompanhamento, por parte do banco operador, no empreendimento financiado. Para justificar tal fato, solicitamos esclarecimentos, por meio da Solicitação de Fiscalização n.º / , de 15/09/2003. Em resposta obtivemos as seguintes justificativas: A agência mantém programação de vistoria anual (conforme preceituam as normas internas do Banco), na qual o empreendimento do Sr. José Vicente Filho, emitente da CRPH /0077, está prevista para outubro/2003, visto que o recurso foi liberado já em janeiro deste ano; Em abril deste ano foi feita visita ao cliente visando a verificação dos registros, junto ao DETRAN, do veículo financiado, constando como comprovação o documento apresentado pelo cliente (documento arquivado no dossiê operacional); Secretaria Federal de Controle Interno AV. JK, acne 01, cj 01, lote 39 A, salas 3, 5 e 7, centro CEP Palmas-To 2

6 A fiscalização de empreendimentos dessa natureza é feita anualmente, por tratar-se de financiamento em exposição-feira, cuja liberação do recurso é feita concomitante a entrega do bem, que é verificado pelo técnico do Banco durante o evento isto, após vistoria prévia feita no imóvel do financiado para confirmar capacidade de pagamento, subsidiar análise de risco, confirmar atividade do cliente e necessidade do bem, etc. (parecer técnico arquivado no dossiê operacional); A fiscalização ainda não foi realizada basicamente pelo número de fiscalizações previstas e quantidade de técnicos disponíveis na agência não ser suficiente para atender a demanda. Conforme justificativas apresentadas, evidenciamos que a falta de fiscalização do BASA, no projeto, não comprometeu o andamento do mesmo, tendo em vista que, posteriormente, será realizada a fiscalização no empreendimento, apesar da falta de técnicos disponíveis na execução das fiscalizações. Evidência: Contrato FIR-M , firmado em 22/11/2002 com o Sr. José Vicente Filho, no valor global de R$ ,51, visando à melhoria na qualidade genética do rebanho existente, bem como ao incremento do apoio logístico da fazenda Sapucaia, localizada no município de Aguiarnópolis-TO. Secretaria Federal de Controle Interno AV. JK, acne 01, cj 01, lote 39 A, salas 3, 5 e 7, centro CEP Palmas-To 3

7 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS- TO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

8 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 15/09 a 19/09/2003, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério da Educação: Programa/Ação : Participação em Programas Municipais de Garantia de Renda Mínima Associados a Ações Sócio-Educativas Bolsa-Escola. Programa/Ação : Alimentação Escolar Tocantins. Programa/Ação : Expansão e Melhoria da Rede Estadual do Ensino Médio. Programa/Ação : Garantia de Padrão Mínimo de Qualidade para o Ensino Fundamental de Jovens e Adultos Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 - Programa/Ação: Participação em Programas Municipais de Garantia de Renda Mínima Associados a Ações Sócio-Educativas Bolsa-Escola Objetivo da Ação de Governo: Estimular a universalização do ensino e contribuir para a redução da evasão e repetência. Objeto Fiscalizado : Incentivo financeiro a famílias de menor renda, estimulando a universalização do ensino, procurando contribuir para a redução da evasão escolar e da repetência. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis - TO Qualificação do Instrumento de Transferência: Termo de Adesão, com pagamento direto às famílias beneficiárias Montante de Recursos Financeiros Aplicados :R$34.920,00 Extensão dos exames: Foram visitadas 17 famílias, escolhidas aleatoriamente, do limite de 143 famílias beneficiárias cadastradas no município, conforme dados disponibilizados a esta CGU/TO. Também foram inspecionadas 03 escolas. Secretaria Federal de Controle Interno 1

9 1.1)Constatação da Fiscalização Fatos(s): O Conselho Municipal de Assistência Social CMAS, criado pela Lei Municipal n.º 105/01, de 10 de maio de 2001, não está atuando no Município, apesar de estar registrando, em ata, reuniões regulares foram 05 reuniões em 2002 e uma em Não obstante essas reuniões, o CMAS não está cumprindo todas as competências definidas no Decreto 4.313, de 24/07/2002, tais como aprovar o relatório de freqüência escolar, acompanhar e avaliar a execução do programa de garantia de renda associado a ações socioeducativas no âmbito municipal, dentre outras. Justificativas do Prefeito: Esclarecemos que estamos realizando um trabalho de conscientização junto aos conselheiros, com fim propósito que os mesmos passem a cumprir todas as suas competências definidas em leis. (sic) Análise da Equipe de Fiscalização: As justificativas apenas corroboram as constatações acima inseridas. Evidência(s): Lei Municipal n.º 105/01, de 10 de maio de 2001, e livro de atas de reuniões do CMAS. 1.2)Constatação da Fiscalização: Fato(s): O Conselho Municipal de Assistência Social CMAS teve sua última designação de membros efetuada por meio do Decreto 84/2001, de 10 de maio de 2001, estando, portanto, com o mandato de seus membros atuais vencido, posto que a duração máxima dos respectivos mandatos é de 02 anos, admitida uma recondução, conforme artigo 3º, III, da Lei Municipal 035/95. Justificativas do Prefeito: Conforme constatado pela equipe de fiscalização os mandatos dos conselheiros nomeados pelo decreto 84/2001 encontra-se vencido, esclarecemos que já tomamos as devidas providências para que seja efetivada nossa composição e/ou recondução dos atuais membros.(sic) Análise da Equipe de Fiscalização: As justificativas apenas corroboram as constatações acima inseridas. Evidência(s): Decreto 84/2001, de 10 de maio de 2001 e livro de atas das reuniões do CMAS. 1.3)Constatação da Fiscalização: Fato(s) As seguintes constatações, mais específicas, decorrentes da não atuação do CMAS no município, foram registradas pela fiscalização: Embora a maioria dos cadastros das famílias beneficiárias estivessem homologados pelo CMAS, constatamos que faltava a aprovação do CMAS em alguns do cadastros ; Os relatórios de freqüência escolar apresentados à fiscalização, inclusive o referente ao 2º trimestre de 2003, não contavam com a aprovação do CMAS. Evidência(s): Cadastro das famílias beneficiárias, relatórios de freqüência e informações colhidas in loco. Secretaria Federal de Controle Interno 2

10 1.4)Constatação da Fiscalização Fato(s) Foram constatadas divergências entre os dados cadastrais constantes da amostra enviada a esta CGU/TO e aqueles obtidos em campo, quando da visita às famílias e às escolas. Abaixo, as principais discrepâncias : NIS Beneficiário Inconsistência Gilvan da Mota Silva O beneficiário faleceu. Entretanto, a criança está sob responsabilidade da viúva, que está efetuando os saques regularmente Maria José de Sousa Barbosa O nome correto do beneficiário é Maria José Cruza Barbosa. O aluno NIS João Roberto de Sousa Barbosa, segundo apurado na escola, é Maria das Graças Cardoso dos Santos. aluno do ensino médio, fora, portanto, das diretrizes do Programa. Apesar de não ter feito parte da amostra escolhida, fomos informados pela Sra. Iara Gomes Bezerra, secretária da Escola Municipal Antonio J. R. Filho, que a criança NIS Leandro Cardoso dos Santos, embora conste do relatório referente ao 2.º trimestre de 2003, sem ocorrências, faleceu em Eliana Santana Palmas Mudou-se. O endereço atual é rua São Luís, s/n Júlia Pereira Silva Leal NIS Vitória Silva Lea transferida da Escola Assent. Coco para a Escola Municipal Antonio José Rodrigues Filho. Justificativas do Prefeito: Quanto ao Relatório de Freqüência Escolar esclarecemos que no 3.º (terceiro) trimestre., ou seja julho, agosto, setembro, as falhas apontadas serão regularizadas, bem como faremos as devidas correções apontadas nos cadastros, apontados no item 1.4.(sic) Análise da Equipe de Fiscalização: As justificativas apenas corroboram as constatações acima inseridas. Evidência(s): Certidões de nascimento, cadastro do Bolsa-Escola, informações colhidas in loco. 2 Programa/Ação: Alimentação Escolar - Tocantins Objetivo da Ação de Governo: Suprir parcialmente as necessidades nutricionais dos alunos, com vistas a contribuir para a melhoria do desempenho escolar, para a redução da evasão e da repetência, e para formar bons hábitos alimentares. Objeto Fiscalizado: aquisição de gêneros alimentícios para escolas, fornecimento de merenda aos alunos e atuação do controle social. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis - TO Qualificação do Instrumento de Transferência: repasse direto à prefeitura (Fundo a Fundo) Montante de Recursos Financeiros Aplicados: R$ 9.001,20 Extensão dos exames: analisado o total dos recursos repassados à Prefeitura Municipal no exercício de 2003, até a data da realização da fiscalização. 2.1)Constatação da Fiscalização: Fato(s): O Conselho de Alimentação Escolar - CAE não desempenha as atribuições legais definidas na legislação do Programa, embora esteja formalmente constituído. Dessa forma, o acompanhamento da aplicação dos recursos federais, o zelo pela qualidade dos produtos adquiridos, a verificação dos locais de armazenamento e a fiscalização da forma como os alimentos são preparados nas escolas não são procedidos pelo Conselho. Cabe ressaltar, por oportuno, em que pese a não atuação efetiva do CAE, que restou comprovado, a partir de entrevistas com alunos das escolas beneficiárias, que o Executivo Municipal vem desenvolvendo a contento as ações do Programa no Município, tendo faltado merenda por menos de 05 dias, não consecutivos, por motivos alheios à falta de alimentos, Secretaria Federal de Controle Interno 3

11 principalmente pela falta de energia elétrica, que inviabiliza o fornecimento dá água necessária ao preparo dos alimentos. Justificativas do Prefeito: - Conforme constatado pela fiscalização, o Conselho Municipal de Alimentação Escolar, não vem cumprindo as determinações estabelecidas. Considerando também que o mandato dos mesmos está vencido estamos fazendo nova composição, quando faremos também um esclarecimento aos novos conselheiros quais são suas verdadeiras obrigações.(sic) Análise da Equipe de Fiscalização: As justificativas apenas corroboram as constatações acima inseridas. Evidência(s): Os fatos foram evidenciados por meio de inspeção in loco do Conselho e das escolas; dos registros constantes no livro de atas e de entrevistas com os alunos. 3 Programa/Ação: Garantia de Padrão Mínimo de Qualidade para o Ensino Fundamental de Jovens e Adultos - Recomeço Objetivo da Ação de Governo: Ampliar a oferta de vagas na educação de jovens e adultos que foram excluídos precocemente da escola Objeto Fiscalizado: remuneração de docentes, formação continuada de docentes, aquisição /impressão de material didático e aquisição de gêneros alimentícios escolar dos alunos do recomeço. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis TO. Qualificação do Instrumento de Transferência: repasse direto à prefeitura (Fundo a Fundo) Montante de Recursos Financeiros Aplicados: R$ ,00 Extensão dos exames: analisado o total dos recursos repassados à Prefeitura Municipal no exercício de )Constatação da Fiscalização: Fato(s): O Conselho Municipal de Educação e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, criado no Município pela Lei Municipal 056/98, de 05 de fevereiro de 1998, reuniu-se, com registro em ata, uma única vez, desde a sua criação, evidenciando que o mesmo não tem cumprido as funções para as quais foi instituído. Entretanto, a partir da análise da documentação comprobatória das despesas efetuadas, verificamos que os gastos foram efetuados em consonância com o que preceitua a Resolução CD/FNDE/ N.º 09, de 13/03/2002. Justificativas do Prefeito: - O Conselho Municipal de Educação e Controle Social do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, criado pela Lei Municipal nº 056/98, conforme constatado pela fiscalização os conselheiros não estão cumprindo as funções para as quais foram instituídos, porém esclarecemos que estamos fazendo uma convocação, para que seja feito um esclarecimento de suas verdadeiras funções, quando pediremos total empenho dos mesmos.(sic) Secretaria Federal de Controle Interno 4

12 Análise da Equipe de Fiscalização: As justificativas apenas corroboram as constatações acima inseridas. Evidência(s): Livro de Atas, Lei de criação do Conselho. Secretaria Federal de Controle Interno 5

13 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIAO NO ESTAO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 50 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS - TO MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

14 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 50 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 15 a 19/09/2003, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional: Programa/Ação: BASA Financiamentos aos Setores Produtivos da Região Norte Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 - Programa/Ação: BASA Financiamentos aos Setores Produtivos da Região Norte Objetivo da Ação de Governo: Contribuir para o desenvolvimento econômico e social das três regiões, Norte, Nordeste e Centro-Oeste, a partir da concessão de financiamento a empreendedores. Objeto Fiscalizado: 02 empreendimentos rurais financiados com recursos do FNO, na modalidade PRODERUR, conforme amostra definida pela SFC/DEINT. Cumpre esclarecer que houve falha na definição da amostra, tendo em vista que esta era composta inicialmente por 03 empreendimentos, sendo que um dos empreendimentos (contrato ) não estava localizado no município sorteado, razão pela qual não foi fiscalizado. Agente Executor Local: Banco da Amazônia S/A-BASA, agências de Tocantinópolis e Palmas. Qualificação do Instrumento de Transferência: concessão de empréstimos a empreendedores rurais, com recursos do FNO. Montante de Recursos Financeiros Aplicados: R$ ,45 Secretaria Federal de Controle Interno AV. JK, acne 01, cj 01, lote 39 A, salas 3, 5 e 7, centro CEP Palmas-To 1

15 Extensão dos exames: A presente fiscalização consistiu na vistoria in loco de 02 projetos financiados com recursos do Fundo Constitucional do Norte, situados no município de Aguiarnópolis- TO, pré-selecionados pela SFC/DEINT. 1.1)Constatação da Fiscalização: Fato: Analisando os projetos e orçamentos apresentados pelos mutuários, em comparação com as observações da equipe fiscalizadora, quando da vistoria dos empreendimentos financiados, verificamos que os projetos, em sua maior parte foram implementados, porém, com relação ao contrato FIR-M /3, verificamos falhas que se referem à não realização de poço artesiano, previsto no projeto de financiamento. O projeto financiado pela cédula de crédito n.º FIR-M /3, emitido em benefício do Sr. Agenor Pinheiro de Moura, no valor de R$ ,94, tinha por finalidade implantar um aviário na chácara Santa Luzia, de propriedade do emitente, localizada no município de Aguiarnópolis-TO. Segue abaixo a descrição dos itens financiados com os recurso do empréstimo: Item Descrição Unidade Quant Valor Total 01 Construção de 01 aviário para aves com todos Unid ,08 os equipamentos internos 02 Poço artesiano com bomba Unid ,00 03 Assistência técnica Verba ,86 Total ,94 Em vistoria in loco, constatamos que o projeto fora implantado, e que está em plena atividade, no entanto, o poço artesiano com bomba, previsto no item 02 acima, não foi executado. Segundo justificativa da administradora do empreendimento, os recursos que seriam destinados a perfurar o poço artesiano foram usados na construção do aviário. Cumpre informar que os relatórios de vistoria e fiscalização emitidos pelo Basa e pela Assistência Técnica não fazem menção a esse fato. Foto 01- Aviário, parte externa Foto 02 Aviário, parte interna Foto 03 Bebedouros e comedouros Secretaria Federal de Controle Interno AV. JK, acne 01, cj 01, lote 39 A, salas 3, 5 e 7, centro CEP Palmas-To 2

16 Evidência: O fato foi evidenciado por meio de análise da documentação constante do dossiê n.º FIR-M /3, em comparação com as constatações observadas quando da verificação in loco do empreendimento. Secretaria Federal de Controle Interno AV. JK, acne 01, cj 01, lote 39 A, salas 3, 5 e 7, centro CEP Palmas-To 3

17 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS - TO MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

18 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foi examinada, no período de 15 a 19/09/2003, a seguinte ação de responsabilidade do Ministério da Previdência Social: Programa/Ação: Pagamento de Aposentadorias Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 - Programa/Ação: Pagamento de Aposentadorias. Objetivo da Ação de Governo: Garantir o reconhecimento e o pagamento de aposentadorias previstos em lei. Objeto Fiscalizado: informações de óbitos enviadas à Gerência Executiva do INSS da circunscrição do cartório. Agente Executor Local: Cartório de Registro Civil de Aguiarnópolis-TO. Qualificação do Instrumento de Transferência: Não é o caso. Montante de Recursos Financeiros: Não é o caso. Extensão dos exames: Não é o caso. 1.1)Constatação da Fiscalização: Fato(s): O município de Aguiarnópolis possui apenas um cartório de registro civil. Verificamos que as informações sobre óbitos são repassadas por meio de formulário, em papel, à agência de Previdência Social de Tocantinópolis, distante cerca de 30 km de Aguiarnópolis. Constatamos que a agência de Tocantinópolis não está fornecendo recibo quando da entrega dos formulários pelo cartório, conforme prevê a portaria nº 847/2001. O cartório dispunha apenas das cópias dos formulários que foram enviados à agência da Tocantinópolis, nestas, porém, não constava qualquer aposição de recibo por parte da agência recebedora. Secretaria Federal de Controle Interno 1

19 Os formulários são encaminhados ao INSS até o dia 05 do mês subsequente, segundo informações da suboficial do cartório. Evidência: Entrevista com a suboficial do cartório, sra. Elizabeth Gomes da Silva; análise das cópias dos formulários de cadastramento de óbito que são mantidas no cartório. Secretaria Federal de Controle Interno 2

20 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS - TO MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

21 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 15 a 19/09/2003, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério da Assistência Social: Programa/Ação: Atendimento à Criança e ao Adolescente em Jornada Escolar Ampliada. Programa/Ação: Ações Sociais e Comunitárias para Populações Carentes. Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 - Programa/Ação: Atendimento à Criança e ao Adolescente em Jornada Escolar Ampliada. Objetivo da Ação de Governo: Busca eliminar o trabalho infantil por meio de ofertas de atividades culturais, esportivas e de lazer, desenvolvidas nos locais de Jornada Escolar Ampliada, no horário complementar ao da escola. Objeto Fiscalizado: Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis/TO Qualificação do Instrumento de Transferência: Transferência do Fundo Nacional de Assistência Social para o Fundo Estadual de Assistência Social e, deste, para a Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis, depositado em conta específica do Programa PETI. Montante de Recursos Financeiros: R$ 5.400,00. Extensão dos exames: Análise de toda a documentação relativa ao Programa PETI ( Quadro de acompanhamento físico, extratos bancários, atas do Conselho Municipal de Assistência Social e da Comissão Municipal de Erradicação do Trabalho Infantil) e visita in loco. 1.1)Constatação da Fiscalização: Fato(s): O Conselho Municipal de Assistência Social CMAS, criado pela Lei Municipal n.º 105/01, de 10 de maio de 2001, não está atuando no Município, apesar de estar registrando, em ata, reuniões realizadas foram 05 reuniões em 2002 e apenas uma em Não há supervisão no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI. Secretaria Federal de Controle Interno 1

22 Evidência Lei Municipal 105/01, de 10 de maio de 2001, e livro de atas de reuniões do CMAS. 1.2) Constatações da Fiscalização Fato(s) A Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis/TO não apresentou a Lei que criou a Comissão Municipal de Erradicação do Trabalho Infantil CMETI, embora fosse constatado através do livro de atas, que a mesma se reúne pelo menos uma vez por ano. Essa reunião trata exclusivamente da substituição de crianças no Programa. Evidência Livro de atas de reuniões do CMETI e entrevista com a Presidente da Comissão, Sra. Maria Lúcia Pinheiro Cabral. 1.3)Constatação da Fiscalização: Fato(s) O local da Jornada Escolar Ampliada não está adequado às normas do Programa. O local não é definitivo, não há ventilação, a iluminação é precária, prejudicando a visão das crianças, e não possui área de lazer. Local da Jornada Escolar Ampliada Evidência Visita in loco. 1.4)Constatação da Fiscalização: Fato(s) Os gastos com pessoal estão na faixa de 60% dos recursos repassados para a Jornada Escolar Ampliada. As normas do Programa limita os gastos com pessoal em 30% dos recursos referentes a Jornada Escolar Ampliada. Evidência Recibos de pagamentos e extratos bancários. Secretaria Federal de Controle Interno 2

23 Justificativa do Gestor Devido a falta de conhecimento de normas e procedimentos foram verificadas falhas quanto ao efetivo funcionamento do CMAS, no entanto iremos reunir juntamente com os membros do CMAS para que tais falhas não mais ocorrer, bem como a devida supervisão do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI. Quando da implantação do Programa PETI, juntamente com os servidores da Estado, não nos foi orientado da necessidade de criação de comissões, sendo apenas efetuadas reuniões periódicas, conforme constatado, portanto tomaremos procedimentos a fim de atender a legislação que trata a matéria. Não dispomos ainda de local definitivo, no entanto estamos tomando providencias para adequarmos o espaço físico destinado à Jornada Escolar Ampliada, ou seja, atendendo às necessidades as quais requerem. Procuremos adequar as despesas com pessoal dentro dos limites estabelecidos na legislação vigente. Análise da Equipe de Fiscalização As justificativas apresentadas pelo Gestor Municipal vem a confirmar o que foi constatado pela Equipe de Fiscalização. 2 - Programa/Ação: Ações Sociais e Comunitárias para Populações Carentes. Objetivo da Ação de Governo: Construção, ampliação, reformulação e modernização de obras e/ou aquisição de equipamentos para Núcleo de Apoio a Família NAF, centros de multiplo-uso, albergues, centros de geração de renda e abrigos, visando incentivar o desenvolvimento de ações sociais e comunitárias de geração de renda para populações carentes. Objeto Fiscalizado: Obras de construção de uma creche no Município de Aguiarnópolis/TO. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis/TO Qualificação do Instrumento de Transferência: Convênio PT/SEAS/MPAS/ (SIAFI ). Montante de Recursos Financeiros: R$ ,00. Extensão dos exames: Análise de toda a documentação relativa ao convênio e visita in loco. 1.1)Constatação da Fiscalização: Fato(s): O Ministério da Previdência e Ação Social, através do Fundo Nacional de Assistência Social firmou Convênio PT/SEAS/MPAS/753-02, em 08/07/2002, com a Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis, tendo como objeto a construção de uma creche no Município. Os recursos conveniados foram na ordem de R$ ,00 (cento e cinco mil reais), sendo R$ ,00 (cem mil reais) a cargo da União e R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a título de contrapartida. Por motivo de mudança do local onde seria construída a creche, os recursos só foram liberados em 29/08/2003. Na data da nossa visita, observamos que o terreno estava limpo e que alguns materiais estavam depositados no local. Porém, a obra estava paralisada e não encontramos ninguém que representasse a empresa ganhadora do certame licitatório. Cabe ressaltar que o processo licitatório está de acordo com as normas vigentes. Secretaria Federal de Controle Interno 3

24 Local de construção da creche Evidência: Análise da Documentação referente ao Convênio PT/SEAS/MPAS/ e visita in loco. Justificativa do Gestor Como já informado e constatado in loco a mudança de local acarretou alteração no cronograma da Rede/Celtins na nova área destinada à creche, fator predominante à execução da obra, hoje, 30/09/2003, a obra já se encontra à altura de pé direito com vigas cintas sendo armadas e concretadas até 02/10/2003. É a intenção o objetivo recuperarmos o cronograma e conclusão das obras, pois, é importante e tão necessária à população carente de Aguiarnópolis. Quanto a ausência do representante da construtora, justificável, pois, conforme previsão da Rede, a ligação de energia se deu 02 dias após a fiscalização e efetivo reinicio dos serviços. Análise da Equipe de Fiscalização As justificativas do Gestor só poderão ser acatadas, ou não, após nova visita in lico no empreendimento. Secretaria Federal de Controle Interno 4

25 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS - TO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

26 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 15 a 19/09/2003, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério do Trabalho e Emprego: Programa/Ação: Estudos e Pesquisas na Área do trabalho. Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 - Programa/Ação: Estudos e Pesquisas na Área do Trabalho. Objetivo da Ação de Governo: Verificar se a Comissão Municipal de Emprego CME acompanha a utilização dos recursos financeiros administrados pelo Sistema Nacional de Emprego, no âmbito do Programa de Geração de Emprego e Renda. Objeto Fiscalizado: Criação da Comissão Municipal de Emprego CME. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Aguiarnópolis/TO Qualificação do Instrumento de Transferência: Não é o caso. Montante de Recursos Financeiros: Não é o caso. Extensão dos exames: Não é o caso. 1.1)Constatação da Fiscalização: Fato(s): Evidência: A Comissão Municipal de Emprego - CME não foi criada no Município de Aguiarnópolis TO. Visita in loco ao Município de Aguiarnópolis/TO. Secretaria Federal de Controle Interno 1

27 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS - TO MINISTÉRIO DAS CIDADES 5º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 03/SETEMBRO/2003

28 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 050 MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 15 a 19/09/2003, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério das Cidades: Programa/Ação: Implantação de Serviços de Saneamento Básico em Municípios com população até Habitantes. Programa/Ação: Implantação, Ampliação ou Melhoria de Obras de Infra-estrutura Urbana Dos resultados das ações das fiscalizações não foram evidenciados fatos relevantes que indiquem impropriedades/irregularidades na execução dos programas/ações relacionados. Secretaria Federal de Controle Interno 2

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO 01365 MUNICIPIO DE NOVA CANAA PAULISTA - SP E02º Sorteio do Projeto de Fiscalização

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE PINDOBAÇU/BA 1. Trata o presente

Leia mais

Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA.

Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA. Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA. Relatório de Demandas Externas n 00213.000058/2010-38 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

Número: 00190.010346/2010-14 Unidade Examinada: Município de Avanhandava/SP

Número: 00190.010346/2010-14 Unidade Examinada: Município de Avanhandava/SP Número: 00190.010346/2010-14 Unidade Examinada: Município de Avanhandava/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.010346/2010-14 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO TOCANTINS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO TOCANTINS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO TOCANTINS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE GOIATINS/TO 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IEPÊ - SP

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IEPÊ - SP PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IEPÊ - SP 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames realizados

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SABINÓPOLIS 1. Trata o

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO GOIÁS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO GOIÁS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO GOIÁS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SANCLERLÂNDIA/GO 1. Trata o presente

Leia mais

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Relatório de Demandas Externas n 00213.000123/2010-25 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE CLARO DOS POÇÕES/MG

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE CLARO DOS POÇÕES/MG PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE CLARO DOS POÇÕES/MG 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames

Leia mais

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.004342/ 2013-31 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE JULIO DE CASTILHOS/RS

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE JULIO DE CASTILHOS/RS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE JULIO DE CASTILHOS/RS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE TANGUÁ/RJ 1. Trata o

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE GOIÁS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE GOIÁS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE GOIÁS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE UIRAPURU-GO 1. Trata o presente

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES A Lei 8.666/93 foi alterada em 11 de julho de 2011 (artigos 27 e 29), pela Lei 12.440, sendo implementada a exigência

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUBVENÇÃO SOCIAL, AUXÍLIO FINANCEIRO, CONTRIBUIÇÃO E OUTRAS FONTES DE RECURSO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO. A Controladoria Geral do Município

Leia mais

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação (Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014 (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação Instrumento Diagnóstico - PAR Municipal 2011-2014 A gestão que prioriza

Leia mais

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER

O PREFEITO DE GOIÂNIA, no uso de suas atribuições legais, e CAPÍTULO I DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 4139, DE 11 DE SETEMBRO DE 2013. Regulamenta o Fundo Municipal de Esporte e Lazer e o Incentivo ao Esporte e Lazer e dá outras providências. O PREFEITO DE GOIÂNIA, no

Leia mais

Ação Governamental Fiscalizada. Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condições de Pobreza e Extrema Pobreza (Lei nº 10.

Ação Governamental Fiscalizada. Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condições de Pobreza e Extrema Pobreza (Lei nº 10. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PARANÁ RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ORTIGUEIRA/PR 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE RELATO GERENCIAL ESTADO DO ACRE 1. Trata o presente Relato

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE PIRATININGA/SP 1. Trata o

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS Nº 243930-2ª PARTE

RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS Nº 243930-2ª PARTE RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS Nº 243930-2ª PARTE 1 ASSIST. AMBULAT. E HOSPITALAR ESPECIALIZADA 1.1 ATENÇÃO À SAÚDE DA POP NOS MUNICÍPIOS 1.1.1 ASSUNTO - PROGRAMAÇÃO DOS OBJETIVOS E METAS 1.1.1.1

Leia mais

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ROCA SALES /RS

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ROCA SALES /RS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ROCA SALES /RS 1.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE PENAMBUCO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE PENAMBUCO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE PENAMBUCO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE BUENOS AIRES PE 1. Trata o

Leia mais

Ação Governamental Fiscalizada

Ação Governamental Fiscalizada PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE BONINAL/BA 1. Trata o presente

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 612, DE 16 DE MARÇO DE 2007. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Registro de Preços nas compras, obras e serviços contratados pelos órgãos da

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

EDITAL Nº 02/2014, de 13 de fevereiro de 2014

EDITAL Nº 02/2014, de 13 de fevereiro de 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais REITORIA EDITAL Nº 02/2014, de 13 de fevereiro de

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. Fixa normas para a execução orçamentária e financeira do exercício de 2012 e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO RIO GRANDE

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro RELAÇÃO DE DOCUMENTOS INTEGRANTES DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (CONTAS DE GOVERNO) EXERCÍCIO DE 2013 CONFORME OFÍCIO-CIRCULAR Nº 14/2014 PRS/GAP RESPONSABILIZAÇÃO CADASTROS do Prefeito

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE APIAÍ/SP 1. Trata o presente

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-CAE CAPÍTULO II

REGIMENTO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-CAE CAPÍTULO II REGIMENTO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-CAE CAPÍTULOI DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º. O Conselho de Alimentação Escolar - CAE, do Município de Sorriso-MT criado por meio da Lei municipal nº 870

Leia mais

Recomendação PRDC/PR/PA nº 10/2009

Recomendação PRDC/PR/PA nº 10/2009 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO PARÁ Recomendação PRDC/PR/PA nº 10/2009 O Ministério Público Federal, por meio da Procuradora da República subscrita, no regular exercício de suas

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 A SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, especialmente em referência ao disposto no artigo 25, da Constituição Federal de 1988, e ao

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO PARÁ

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO PARÁ PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO PARÁ RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE BANNACH/PA 1. Trata o presente Relato

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO ATOS DO PODER EXECUTIVO Decreto nº 7.499, de 16 de junho de 2011 Regulamenta dispositivos da Lei no 11.977, de 7 de julho de 2009, que dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida, e dá outras providências.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 20/2015, DE 20 DE ABRIL DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº 20/2015, DE 20 DE ABRIL DE 2015. PROJETO DE LEI Nº 20/2015, DE 20 DE ABRIL DE 2015. AUTORIZA O MUNICÍPIO CONCEDER CONTRIBUIÇÃO AO GRUPO DA MELHOR IDADE PAZ E AMOR, FIRMAR CONVÊNIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPORÉ-RS

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA 003/06

RESOLUÇÃO NORMATIVA 003/06 RESOLUÇÃO NORMATIVA 003/06 Dispõe sobre a criação do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. O DO ESTADO DE GOIÁS, no uso de suas atribuições legais e constitucionais; Considerando que

Leia mais

HOMOLOGADA PELO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM 09/12/2004 RESOLUÇÃO Nº 145/04. Palmas, 08 de dezembro de 2004

HOMOLOGADA PELO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM 09/12/2004 RESOLUÇÃO Nº 145/04. Palmas, 08 de dezembro de 2004 HOMOLOGADA PELO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EM 09/12/2004 REVOGADA RESOLUÇÃO Nº 145/04 Palmas, 08 de dezembro de 2004 Fixa normas para criação e autorização de funcionamento de instituições de educação

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SÃO THOMÉ DAS LETRAS/MG

Leia mais

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica do Município, e

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica do Município, e DECRETO Nº 063/2013-GP. Regulamenta e implementa a Lei Complementar Federal n 123 de 14 de Dezembro de 2006 e a Lei Geral Municipal da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte n 216, de 18 de dezembro

Leia mais

CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE

CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE CONSELHOS SIGECON CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE CONSELHOS SIGECON

Leia mais

2- TRANSFERÊNCIAS REALIZADAS ÀS INSTITUIÇÕES POR INTERMÉDIO DE CONVÊNIOS

2- TRANSFERÊNCIAS REALIZADAS ÀS INSTITUIÇÕES POR INTERMÉDIO DE CONVÊNIOS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA INSTITUIÇÕES DE APLICAÇÃO DE RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE CONVÊNIOS FIRMADOS COM A SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E ESPORTES SEDESE. 1 - INTRODUÇÃO Este

Leia mais

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal.

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. Em resumo, o programa fornece, mediante convênio de cooperação

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PIAUÍ

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PIAUÍ PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PIAUÍ RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SIMPLÍCIO MENDES/PI 1. Trata o

Leia mais

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e ALTERADA PELO DECRETO SP N 48.919/2004 DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) Regulamenta dispositivos da Lei Estadual nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes ao licenciamento ambiental,

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente por Estados, Distrito Federal, Municípios e União em ações e serviços públicos de saúde, os critérios de rateio dos recursos de transferências

Leia mais

CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO RESOLUÇÃO N 289, DE 30 DE JUNHO DE

CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO RESOLUÇÃO N 289, DE 30 DE JUNHO DE CONSELHO CURADOR DO FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO RESOLUÇÃO N 289, DE 30 DE JUNHO DE 1998 Estabelece diretrizes para a aplicação dos recursos e a elaboração das propostas orçamentárias do FGTS,

Leia mais

QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR

QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR 1 Justificativa O Observatório Social do Brasil lança uma ação conjunta para a Rede de Observatórios Sociais que consistirá num

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N o 003/2015

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N o 003/2015 EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N o 003/2015 O Município de Três de Maio comunica aos interessados que está procedendo à CHAMADA PÚBLICA, para fins de habilitação e recebimento das propostas de gêneros alimentícios

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SAQUAREMA/RJ 1. Trata

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATO GERENCIAL MdUNICÍPIO DE NILÓPOLIS/RJ 1. Trata

Leia mais

Universidade Aberta do Brasil Edital Nº. 02 de 31 de julho de 2009 DED/CAPES Edital Pró-Equipamentos

Universidade Aberta do Brasil Edital Nº. 02 de 31 de julho de 2009 DED/CAPES Edital Pró-Equipamentos Universidade Aberta do Brasil Edital Nº. 02 de 31 de julho de 2009 DED/CAPES Edital Pró-Equipamentos A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, sediada no Setor Bancário

Leia mais

Apresentação. Documentos de diversas modalidades que formalizam atividades de cooperação entre a UFRGS e outras instituições.

Apresentação. Documentos de diversas modalidades que formalizam atividades de cooperação entre a UFRGS e outras instituições. Apresentação A Universidade Federal do Rio Grande do Sul interage com instituições públicas ou privadas, nacionais ou internacionais, em conformidade com as leis federais, estatuto e regimento, resoluções,

Leia mais

LEI Nº 3.219, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006

LEI Nº 3.219, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 LEI Nº 3.219, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Meio Ambiente, dá outras providências sobre o Fundo Municipal de Meio Ambiente, revoga e altera disposições indicadas

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 06/2014

EDITAL FAPEMIG 06/2014 EDITAL FAPEMIG 06/2014 BOLSA DE INCENTIVO À PESQUISA E AO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DESTINADA A SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais FAPEMIG, nos termos

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS LEI COMPLEMENTAR Nº 291, DE 03 DE MAIO DE 2013 Projeto de Lei Complementar nº 02/2013 Autor: Prefeito Municipal Henrique Lourivaldo Rinco de Oliveira Dispõe sobre a criação do Programa de Incentivo ao

Leia mais

Descentralização mediante convênio.

Descentralização mediante convênio. PARCERIAS PÚBLICAS Descentralização A descentralização é um princípio administrativo consagrado pelo art. 10 do Decreto-lei n 200, de 1967, que firmou, como uma das práticas principais, descentralizar

Leia mais

Banco Mundial. Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos

Banco Mundial. Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos Banco Mundial Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos Versão: Agosto/2011 O QUE É O PROGRAMA PRODUZIR? O PRODUZIR é um programa do Governo do Estado da Bahia, coordenado pela CAR - Companhia de Desenvolvimento

Leia mais

MANUAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PDDE

MANUAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PDDE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Diretoria de Educação Básica - DIEB Gerência de Administração Escolar - GEADE Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE Rua Antônio Luz, 111-5º

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL

MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL Anexo IX MODELO DE RELATÓRIO DO TOMADOR DE CONTAS ESPECIAL (PARA TOMADAS DE CONTAS ESPECIAIS QUE NÃO TRATEM DE RECURSOS REPASSADOS POR CONVÊNIO OU INSTRUMENTOS CONGÊNERES) RELATÓRIO DE TCE Nº 999/20XX

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, CONSELHOS COMUNITÁRIOS Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHOS COMUNITÁRIOS ORGAO COLEGIADO GABINETE DO PREFEITO Tornar os cidadãos parte ativa no exercício do governo, mediante

Leia mais

Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Diretoria de Educação a Distância

Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Diretoria de Educação a Distância Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Diretoria de Educação a Distância Edital n 04/2011 DEAD / IFMA Seleção Simplificada de

Leia mais

Número: 00190.001435/2011-42 Unidade Examinada: Município de Pindamonhagaba/SP.

Número: 00190.001435/2011-42 Unidade Examinada: Município de Pindamonhagaba/SP. Número: 00190.001435/2011-42 Unidade Examinada: Município de Pindamonhagaba/SP. Relatório de Demandas Externas n 00190.001435/2011-42 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS/RJ

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS/RJ PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS/RJ 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE INSCRIÇÃO PARA O PROGRAMA SOCIAL BOLSA UNIVERSITÁRIA EDITAL Nº 003/2015

PROCESSO SELETIVO DE INSCRIÇÃO PARA O PROGRAMA SOCIAL BOLSA UNIVERSITÁRIA EDITAL Nº 003/2015 O Município de Itapemirim, Estado do Espírito Santo, por intermédio da Comissão Executiva instituída pela Portaria nº 008, de 27 de janeiro de 2015. TORNA PÚBLICO que realizará Processo Seletivo de Inscrição

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SEBRAE-TO / SECT-TO INOVA TOCANTINS / PAPPE INTEGRAÇÃO - Nº 01 / 2010

CHAMADA PÚBLICA SEBRAE-TO / SECT-TO INOVA TOCANTINS / PAPPE INTEGRAÇÃO - Nº 01 / 2010 CHAMADA PÚBLICA SEBRAE-TO / SECT-TO INOVA TOCANTINS / PAPPE INTEGRAÇÃO - Nº 01 / 2010 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO À PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO

Leia mais

Número: 00225.000175/2012-24 Unidade Examinada: Município de Mogi Guaçu/SP

Número: 00225.000175/2012-24 Unidade Examinada: Município de Mogi Guaçu/SP Número: 00225.000175/2012-24 Unidade Examinada: Município de Mogi Guaçu/SP Relatório de Demandas Externas n 00225.000175/2012-24 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE MONGAGUÁ/SP 1. Trata o presente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42 DE 28 DE AGOSTO DE 2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42 DE 28 DE AGOSTO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42 DE 28 DE AGOSTO DE 2012 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal artigos 205, 206, 208, 211 e

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DO MUNICÍPO DE URUPÁ Palácio Senador Ronaldo Aragão PROCURADORIA JURÍDICA

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DO MUNICÍPO DE URUPÁ Palácio Senador Ronaldo Aragão PROCURADORIA JURÍDICA LEI Nº 581/2013 DE 18 DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre a criação do Programa de Gestão Financeira Escolar ESCOLA FORTE, orienta sua implantação e adota outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 Disciplina a celebração de convênios e operações de crédito com previsão de ingresso de recursos financeiros que beneficiem órgãos e entidades da Administração

Leia mais

DA GESTÃO DO PROGRAMA

DA GESTÃO DO PROGRAMA DA GESTÃO DO PROGRAMA 1. INTRODUÇÃO O Programa Nacional de Apoio à Modernização da Gestão e do Planejamento dos Estados e DF (PNAGE) tem por objetivo geral melhorar a efetividade e a transparência institucional

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IAPU/MG 1. Trata o presente

Leia mais

Orientações Estruturantes

Orientações Estruturantes Ministério do Esporte Programa Esporte e Lazer da Cidade PELC & Vida Saudável Orientações Estruturantes 2016 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO E PROJETO TÉCNICO PEDAGÓGICO...3 3. RELAÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº. 001/2015 PROCESSO SELETIVO DO PROJETO BOLSA-ESPORTE DA SECRETARIA DO ESPORTE DO CEARÁ

EDITAL Nº. 001/2015 PROCESSO SELETIVO DO PROJETO BOLSA-ESPORTE DA SECRETARIA DO ESPORTE DO CEARÁ EDITAL Nº. 001/2015 PROCESSO SELETIVO DO PROJETO BOLSA-ESPORTE DA SECRETARIA DO ESPORTE DO CEARÁ O Estado do Ceará, através da Secretaria do Esporte, torna público, para conhecimento dos interessados,

Leia mais

EDITAL Nº. 41/2015. Programa Institucional de Iniciação Científica para o Ensino Médio - IC/EM. Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio

EDITAL Nº. 41/2015. Programa Institucional de Iniciação Científica para o Ensino Médio - IC/EM. Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio EDITAL Nº. 41/2015 Programa Institucional de Iniciação Científica para o Ensino Médio - IC/EM Bolsas de Iniciação Científica Ensino Médio A Universidade Católica de Santos, por meio da Pró-Reitoria de

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MESQUITA GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MESQUITA GABINETE DO PREFEITO (*) LEI Nº 416 DE 30 DE JANEIRO DE 2008. Autor: Poder Executivo DISPÕE SOBRE O ESTATUTO E PLANO DE CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE MESQUITA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/ FNDE/CD/ Nº 044, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal de 1988 artigos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL Nº 1925, DE 23 DE MAIO DE 2005, Págs 54 e 56 LEI Nº 1367, DE 17 DE MAIO DE 2005. Regulamentada pelo Decreto nº 198/06 Cria o Fundo Municipal de Desenvolvimento da Economia Popular

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 02/2012 SNBP-FBN X ENTIDADES PÚBLICAS E PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTA PARA PROJETO DE APOIO A INSTALAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS NO BRASIL REFERENTE

Leia mais

COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO ANUAL DE CONTROLE INTERNO OBJETO: 2014 GESTOR/ORDENADOR DE DESPESAS:

COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO ANUAL DE CONTROLE INTERNO OBJETO: 2014 GESTOR/ORDENADOR DE DESPESAS: COMISSÃO DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO ANUAL DE CONTROLE INTERNO OBJETO: Contas relativas ao exercício de 2014 GESTOR/ORDENADOR DE DESPESAS: Vereadora Maria das Dores Campos A. Lousado I APRESENTAÇÃO Em

Leia mais

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004

DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 DECRETO Nº 11.319, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2004 PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL Nº 032, DE 17-02-2004 Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP, previsto no art. 15, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral PROJETO DE LEI No. 104/08 Dispõe sobre a criação de empregos de Agente Comunitário de Saúde, junto ao Quadro de Pessoal da Prefeitura do Município de Piracicaba, nos termos da Lei Federal nº 11.350/06

Leia mais

CONSIDERANDO a resolução nº 14, de 9 de junho de 2014, que trata do Programa Mais Educação;

CONSIDERANDO a resolução nº 14, de 9 de junho de 2014, que trata do Programa Mais Educação; No pcsa EDITAL Nº 020/2015 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS E FORMAÇÃO DO CADASTRO DE RESERVA DOS MONITORES DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO, JUNTO ÀS UNIDADES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 48 DE 28 DE NOVEMBRO DE 2008.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 48 DE 28 DE NOVEMBRO DE 2008. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/FNDE/CD/N 48 DE 28 DE NOVEMBRO DE 2008. Estabelece orientações para a apresentação, seleção e apoio

Leia mais

I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SERVIÇO PÚBLICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS DIRETORIA GERAL DO CAMPUS MANAUS CENTRO COORDENAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE

POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE POLÍTICA DE PATROCINIO DA CAGECE A Política de Patrocínio da Cagece que compreende o apoio financeiro concedido a projetos institucionais, culturais, sociais, ambientais e esportivos de iniciativa de terceiros,

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Resolução SEADS - 8, de 5-8-2005 Dispõe sobre as Normas Operacionais Básicas para o Projeto Ação Jovem e dá providências correlatas A Secretária Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, com fundamento

Leia mais

Pelo exposto e considerando a relevância do tema, contamos com o apoio e compreensão de V. Exª e ilustres Pares para aprovação do Projeto

Pelo exposto e considerando a relevância do tema, contamos com o apoio e compreensão de V. Exª e ilustres Pares para aprovação do Projeto Vitória, 22 de junho de 2012 Mensagem nº 150/2012 Senhor Presidente: Encaminho à apreciação dessa Casa de Leis o anexo projeto de lei que propõe a criação de cargos para contratação temporária, Funções

Leia mais

ATOS DA FMEL - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER DE ITAJAÍ EDITAL Nº. 004/2013 LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO AO ESPORTE

ATOS DA FMEL - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER DE ITAJAÍ EDITAL Nº. 004/2013 LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO AO ESPORTE ATOS DA FMEL - FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER DE ITAJAÍ EDITAL Nº. 004/2013 LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO AO ESPORTE O Superintendente da Fundação Municipal de Esporte e Lazer de Itajaí, no uso de

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES DIRETORIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DSAN

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES DIRETORIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DSAN 1. APRESENTAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA Este documento se constitui no Termo de Referência que contém as instruções necessárias para a contratação de empresa para a realização de pesquisa e diagnóstico de

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 28/2/2011, Seção 1, Pág. 25. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 28/2/2011, Seção 1, Pág. 25. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Nacional de Unidades Universitárias Federais de UF: RS Educação Infantil (ANUUFEI) ASSUNTO: Normas de funcionamento das unidades

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMPRAS E LICITAÇÕES End: Rua Siqueira Campos, S-64 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9576 Email: compras@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Dr. Luis Carlos Rinaldi Atribuições

Leia mais