Atividades. Caro professor, cara professora,

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atividades. Caro professor, cara professora,"

Transcrição

1 Atividades Caro professor, cara professora, Esta é uma proposta de atividade didática sobre alguns dos temas abordados pelo Programa Escravo, nem pensar!. Além das orientações sobre a estrutura da atividade, você vai encontrar, ao longo do texto e ao final, indicações de reportagens, filmes, pesquisas, gráficos e outros suportes que subsidiem e sirvam de matéria-prima para o trabalho com a turma. No texto há algumas palavras ou expressões grifadas. Se você clicar sobre elas, será direcionado a outros sites. Além disso, você pode encontrar, em um glossário ao fim do texto, explicações sobre as palavras marcadas com um asterisco*. Sugerimos séries e disciplinas em que os objetivos e conteúdos da atividade podem ser desenvolvidos mais detalhadamente. No entanto, por mais que o tema receba espaço privilegiado dentro do currículo de uma determinada disciplina, não deixe de convidar os demais professores, afinal a dinâmica e qualidade da atividade podem ter um enriquecimento com a interdisciplinaridade. Ainda que estejam estipuladas algumas aulas, você pode se apropriar da sequência didática para impulsionar algo maior, que dialogue com outros temas, envolva outros saberes e espaços e culmine eventualmente em um projeto temático. Ressaltamos que a atividade não é fechada. Pelo contrário, deve ser mudada de acordo com sua meta e realidade. Você verá que ela sugere um determinado número de aulas e que, no entanto, está estruturada em passos, isto é, módulos. Não necessariamente uma aula corresponde a um passo, visto que ele pode abranger muitos tópicos e desdobramentos, assim como o trabalho simultâneo e complementar entre as disciplinas. Por isso, exerça sua autoria, aproprie-se do material e dê a ele os tons da sua realidade. Não deixe de nos enviar relatos, registros e sugestões de alterações. Um abraço! Equipe Escravo, nem pensar! Arte & Diagramação Gustavo Ohara

2 ATIVIDADE SOBRE A CONCENTRAÇÃO DA TERRA Disciplinas: História, Geografia, Sociologia, Estudos Amazônicos, Matemática. Série: Ensino Médio e EJA 5 a 6 aulas Pauta da atividade: O objetivo é refletir com os estudantes sobre a concentração fundiária no campo brasileiro, suas causas e consequências. Esta atividade pode ser realizada em parceria entre educadores e educadoras de Humanas e de Matemática, por ser composta de elementos presentes nas duas áreas do conhecimento. Apresentação No site do Escravo, nem pensar!, você encontra atividades que abordam temáticas referentes ao campo brasileiro. Todas elas acabam, direta ou indiretamente, esbarrando em uma questão que está presente em nossa história desde que as caravelas portuguesas aqui desembarcaram: a concentração da terra. O nosso país é um dos mais desiguais neste quesito: poucos detêm muita terra, muitos têm pouca terra ou terra nenhuma. Nesta atividade, vamos discutir como se dá a distribuição da terra em nossa região e em nosso país e suas origens. Também vamos refletir sobre as consequências que a concentração fundiária provoca, tanto no campo como nas cidades. São temas relacionados: os conflitos no campo, a produção de alimentos, o êxodo rural e o trabalho escravo. A atividade também permite desenvolver porcentagens. PRIMEIRO PASSO: De que vamos falar? A) Vamos iniciar a discussão do tema apresentando a alunos e alunas a seguinte charge de Marcio Baraldi:

3 Em um primeiro momento, podemos observar as imagens separadamente. Vamos ao primeiro desenho, Enxadas paradas. Quais os elementos que o compõem? Por que a enxada tem teia de aranha? Onde está encostada? O que quer dizer a plaquinha latifúndio*? Há alguma plantação no campo atrás da cerca? No segundo desenho, Inchadas paradas, quais os elementos que compõem a imagem? O que ela retrata? Agora é hora de comparar: qual brincadeira o autor faz com os nomes dos desenhos? O que ele quer dizer? Quais as diferenças entre os dois desenhos? Há relação entre as duas situações? A partir da análise da charge e das respostas da turma, é possível introduzir a reflexão sobre a relação entre o latifúndio e o inchaço populacional nas cidades. B) Solicite que, em duplas ou trios, alunos e alunas realizem pesquisa sobre o tamanho das propriedades rurais de seu município ou região: existem grandes fazendas? Quantas? Que áreas ocupam? Existem pequenas propriedades? Quantas? Que área ocupam? O que as propriedades, grandes ou pequenas, produzem? Quem são seus donos? SEGUNDO PASSO: Como a terra é distribuída? A) A ideia nesta etapa da atividade é pensar em como a terra é dividida. A partir do levantamento realizado pelos estudantes, crie tabelas, gráficos, estabeleça porcentagens. Este é um bom momento para trabalhar conceitos matemáticos com base na realidade de seus alunos. Você pode trabalhar a comparação entre o número de propriedades, seu tamanho e variedade de gêneros agrícolas produzidos. Por exemplo: Propriedade Área Produção Total Fazenda Água Branca hectares Soja Fazenda Boa Esperança hectares Improdutiva Fazenda Canabrava hectares Cana 3 propriedades ocupam hectares e produzem 2 tipos de produto Sítio Novo 100 hectares Mandioca, Feijão, Milho, Galinha Mandioca, Feijão, Arroz, Milho, Melancia, Maxixe, Tomate, Maracujá, Fava, Galinha, Porco Assentamento Muiraquitã (30 famílias/ propriedades) hectares 31 propriedades ocupam hectares e produzem 11 produtos 34 propriedades hectares

4 A partir disso, pode desenhar gráficos com porcentagens. grandes propriedades pequenas propriedades O gráfico mostra que no nosso exemplo as grandes propriedades (em azul) ocupam 79% da área total, apesar de serem apenas 3. As pequenas propriedades (em vermelho), apesar de serem 31, ocupam 21% da área total. Com base na análise dos dados, como a terra é distribuída em nossa região? Qual a diferença de produção entre as pequenas e as grandes propriedades? B) Depois de pensar na distribuição local da terra, vamos estudar como ela se dá no Brasil. Para isso, faremos a atividade do bolo. Você vai precisar de um bolo retangular, inteiro, sem recheio ou cobertura, de tamanho suficiente para que toda a turma possa comer ao final. Vamos imaginar que o bolo é a área total de terras agricultáveis do país. Nosso Brasil retangular tem 100 hectares. Com uma faca, divida o bolo da seguinte maneira: Este pedaço teria 30 hectares, ou seja, 30% do bolo (este pedaço será uma única propriedade grande propriedade) Este pedaço teria 40 hectares, ou seja, 40% do bolo (este pedaço será dividido em 7 propriedades médias) Este pedaço teria 30 hectares, ou seja, 30% do bolo (este pedaço será dividido em 92 propriedades pequenas) Convoque um(a) voluntário(a) para se tornar proprietário(a) de um dos pedaços de 30 hectares. Peça para que divida o pedaço do meio em 7 e distribua para 7 amigos. Outro aluno ou aluna irá dividir o último pedaço (30 hectares) em 92 pequenas partes, distribuídas aos demais da turma. Brinque dizendo que no lanche será esta a divisão. Acharam essa divisão justa? É justamente essa a divisão de terras no Brasil, segundo dados de 2002 do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Na brincadeira do bolo, arredondamos os números para facilitar a divisão. Segundo a mesma pesquisa, as pequenas propriedades são também as que mais empregam (86,6%) e mais produzem os gêneros alimentícios que compõem a mesa do brasileiro, como mandioca (87%), feijão (70%), suínos (59%) e leite (58%). Nos latifúndios, geralmente a produção é em sistema de monocultura* destinada à exportação.

5 Tamanho das propriedades Quantidade de propriedades Área Pessoas ocupadas Pequenas 91,9% 29,2% 86,6% Médias 7,3% 39,2% 10,9% Grandes 0,8% 31,6% 2,5% Total 100% 100% 100% Concentração agrária e trabalho escravo: Existe uma forte relação entre a questão agrária e o trabalho escravo em nosso país. A modernização do campo brasileiro não levou em conta os interesses dos trabalhadores: a terra é concentrada e a produção tem sido mecanizada, gerando uma grande massa de trabalhadores sem terra e sem trabalho. Sem perspectivas, muitos deles são aliciados pelos chamados gatos ou partem de seus locais de origem em busca de emprego. Em muitos casos, acabam submetidos a péssimas condições de trabalho e até ao trabalho escravo. Apesar de modernos e com tecnologia de ponta, os principais agentes que escravizam trabalhadores são justamente os latifúndios, em especial no momento de implantação da fazenda, construção de cercas, roço de pasto, catação de raízes. O mesmo latifúndio que expulsa trabalhadores é também o que escraviza. Veja a atividade sobre trabalho escravo. Recentemente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados do Censo Agropecuário realizado em 2006, que mostram que a concentração de terra não diminuiu ao longo dos anos e até aumentou. Veja: Tamanho das propriedades Quantidade de propriedades Área Pequenas 90,41% 21,43% Médias 8,64% 34,16% Grandes 0,95% 44,42% Total 100% 100% Apesar dos números mais atualizados indicarem um aprofundamento da disparidade da distribuição de terras, indicamos os números de 2002 para a realização da atividade do bolo. É interessante comentar os dados mais recentes do quadro fundiário com a turma, para efeito de comparação. Se você preferir, também pode fazer a atividade do bolo com base nos números do Censo. Analise os dados com seus alunos e alunas. O que eles nos mostram?

6 TERCEIRO PASSO: Como isso tudo começou? A) Depois de pensar a situação na realidade atual, precisamos entender quais suas origens históricas. Por que, ao contrário de outros países no mundo, o Brasil ainda não conseguiu realizar a reforma agrária? Segundo o Incra, reforma agrária é o conjunto de medidas para promover a melhor distribuição da terra, mediante modificações no regime de posse e uso, a fim de atender aos princípios de justiça social, desenvolvimento rural sustentável e aumento de produção. Ou seja, é promover uma distribuição mais justa da terra, considerando também que, para produzir, não é necessária apenas a posse da terra como também infraestrutura, assistência técnica, transporte, saúde, educação, entre outros direitos. Para realizar a reforma agrária, o Estado brasileiro, por meio do Incra, compra terras ou desapropria* fazendas que não estejam cumprindo sua função social*, criando os chamados assentamentos. Também pode ser realizada reforma agrária em terras pertencentes à União, ou seja, ao Estado Brasileiro. Está em tramitação no Congresso Nacional há mais de dez anos a Proposta de Emenda Constitucional* 438, a PEC do Trabalho Escravo. A proposta prevê o confisco da terra de fazendeiros flagrados com trabalho escravo. A ideia é simples: o fazendeiro que escravizou deixou de cumprir a função social da propriedade e, por isso, deve perder sua terra, que será destinada à reforma agrária. A ideia é montar uma linha do tempo da terra, com todos os fatos históricos que se relacionam com a história da terra no Brasil (capitanias hereditárias, sistema de plantation, latifúndio, monocultura, escravidão, Lei de Terras, terra como símbolo de poder, Estatuto da Terra, ausência de reforma agrária, manutenção de uma alta concentração de terras, função social da terra, etc.) para explicar como se chegou à atual concentração fundiária, o modelo agrário adotado atualmente e as contradições entre o que diz a Constituição Brasileira sobre a terra e o que ocorre na prática. A linha começa em 1500 e chega até hoje. Você vai precisar de um pedaço de papel madeira para desenhar a linha e as datas, e de folhas de papel ou pedaços de cartolina para montar as fichas com os marcos históricos e os donos da terra. As fichas serão coladas na linha ao longo da atividade. O resultado será o seguinte: C Antes de começar a discutir a linha da questão agrária, sugerimos situar os cinco grandes períodos da história política no Brasil (Colonização Portuguesa, Império, República Velha, Ditadura Militar, Nova República). As datas são importantes para dar a referência política à linha do tempo da questão agrária. Repare que, na fotografia, as fichas que indicam os marcos políticos foram colocadas na parte superior. São elas:

7 Ficha: Colonização portuguesa Portugal chega às terras hoje chamadas de Brasil e, sobretudo a partir de 1532, passa a realizar expedições colonizadoras Ficha: Império Brasil se torna independente de Portugal e passa a ser governado por Dom Pedro I no dia 7 de setembro Ficha: República Velha Início do regime republicano no Brasil no dia 15 de novembro. O primeiro presidente da república foi Marechal Deodoro da Fonseca Ficha: Regime Militar Início do período da Ditadura Militar no dia 31 de março Ficha: Nova República Fim da ditadura militar e início do período democrático e presidencialista no Brasil. Em 1985, Tancredo Neves ganha eleição indireta para a presidência da república, mas não chega a assumir, pois faleceu. Seu vice-presidente, José Sarney, assume a presidência em seu lugar. É importante que alunos e alunas participem ativamente do processo de construção da linha. Você pode indicar livros para que pesquisem na biblioteca ou artigos na internet sobre os períodos. A partir disso, serão mais capazes de estabelecer relações entre os acontecimentos e a atual realidade brasileira. C Depois de colocar os marcos políticos com ajuda da turma, é hora de colocar na linha as fichas com os fatos relacionados à história agrária do Brasil, listadas a seguir. A cada uma que será colada, debata com alunos e alunas a respeito daquele fato. Cole também a ficha que informa a quem pertencia a terra e passe para o próximo marco histórico, até completá-la, como na fotografia da página 6. Nossa sugestão é iniciar com os dias de hoje, a partir da retomada da atividade do bolo. Os fatos são os seguintes: /HOJE Partiremos do presente, estabelecendo relação com a atividade do bolo. Seguem existindo os latifúndios de monocultura agroexportadora. Ficha: Grande concentração de terras Principal atividade agrícola: agroindústria grãos, cana-de-açúcar e pecuária. Mão de obra principal: maquinário, empregados e trabalho escravo contemporâneo. Donos da terra (ficha): latifundiários/empresários Portugal chega às terras hoje chamadas de Brasil. O território era vazio? Descobrimento ou invasão? A América já era ocupada por indígenas, que tinham outra relação com a terra: uso coletivo e simbiose com a natureza. Ficha: Chegada dos portugueses ao Brasil Principal atividade agrícola: subsistência Mão de obra e donos da terra (ficha): indígenas

8 A Coroa portuguesa se declara proprietária dessas terras e cria as capitanias hereditárias que beneficiam inicialmente a 15 nobres portugueses. São criados os primeiros latifúndios do Brasil. O poder de uma pessoa é medido pelo número de escravos que ela possui. Ficha: Capitanias hereditárias Principal atividade agrícola: Cana-de-açúcar Mão de obra: Escravidão de indígenas e, depois, de negros Donos da terra (ficha): latifundiários É criada a Lei de Terras. Depois de 1822, com a independência, a Coroa Portuguesa deixa de ser dona das terras brasileiras. A Lei de Terras regulamenta a situação, definindo que toda propriedade passa a ser adquirida mediante um contrato de compra: nasce a propriedade privada. Compra terra quem tem dinheiro, tem dinheiro quem já possuía terra. O poder de uma pessoa passa a ser medido pela quantidade de terra que ela possui. Podemos relacioná-la com a proibição do tráfico de escravos promulgada no mesmo ano: escravos seriam libertados em breve e nasceria o trabalho livre no Brasil. Iria contra o interessa dos latifundiários se tais trabalhadores tivessem acesso irrestrito à terra. Se todos conquistassem sua terra, quem trabalharia para eles? Ficha: Lei de Terras Principal atividade agrícola: Café Mão de obra: Escravidão de negros Donos da terra (ficha): latifundiários Em 13 de maio a princesa Isabel assina a Lei Áurea que tornou a escravidão uma prática ilegal no Brasil. Os escravos estavam livres. Mas livres para ir aonde? Ficha: Lei Áurea Principal atividade agrícola: café Mão de obra: colonos e sistema de barracão* Donos da terra (ficha): latifundiários O Governo Militar lança o Estatuto da Terra para organizar a distribuição de terras no país, mas ele não saiu do papel. Com propaganda, o governo incentivou o deslocamento de milhões de famílias sem terra para ocupar a região da Amazônia. Com benefícios fiscais e acesso à boa infra-estrutura, o governo também incentivou os grandes empresários da região sul a ocupar a mesma região, tornando-se latifundiários. Inicia-se o processo de expansão da fronteira agrícola, com muitos conflitos. Ficha: Estatuto da Terra Principal atividade agrícola: agroindústria grãos, cana e pecuária Mão de obra: maquinário, empregados e sistema de barracão Donos da terra (ficha): latifundiários e empresários É lançada a Nova Constituição Brasileira, que passa a prever a função social da terra : toda propriedade que não for produtiva e que não respeitar as leis ambientais e trabalhistas, deverá ser desapropriada e, em muitos casos, destinada para a reforma agrária. Ficha: Nova Constituição Brasileira Principal atividade agrícola: agroindústria grãos, cana e pecuária Mão de obra: maquinário, empregados e trabalho escravo contemporâneo Donos da terra (ficha): latifundiários e empresários

9 Um bom subsídio para a construção da linha do tempo é o vídeo elaborado pela Campanha Nacional pelo Limite da Propriedade da Terra. A mesma campanha também produziu a cartilha Três Histórias e Uma Terra. Se você achar interessante, eles podem ser usados na sala de aula. A Campanha Nacional pelo Limite da Propriedade da Terra: em defesa da reforma agrária e da soberania territorial e alimentar existe desde 2000 e é promovida pelo Fórum Nacional pela Reforma Agrária e Justiça no Campo, composto por mais de 50 entidades. A ideia é mobilizar a sociedade para a discussão da reforma agrária e defender que, como em outros países do mundo, o tamanho das propriedades no Brasil seja limitado. Isso significa que uma propriedade não poderia ter mais do que 35 módulos fiscais*, o que varia entre 175 e hectares. O fórum acredita que, com isso, seria possível fazer uma ampla reforma agrária no Brasil, garantindo que todas as famílias sem-terra pudessem viver dignamente, aumentando a produção de alimentos e destinando o recurso que seria gasto com desapropriação e compra de terras para o fortalecimento da agricultura familiar. B) No final da construção da linha, é importante que você peça para que a turma faça uma interpretação geral do que foi exposto: a propriedade da terra sofreu grandes alterações ao longo da história do Brasil? Como podemos perceber, apesar de as mudanças políticas terem acontecido em nosso país, não houve mudanças na estrutura agrária brasileira. As elites do campo continuam exercendo poder de decidir sobre o destino do campo brasileiro, ou seja, terra continua sinônimo de poder. Como um exemplo concreto, podemos citar a bancada ruralista, que representa esse setor da sociedade no Congresso Nacional, barrando uma série de projetos que favoreceriam os trabalhadores. Além disso, os fazendeiros, por meio de suas confederações e sindicatos, exercem enorme pressão sobre os governos para que sejam sempre beneficiados. O que os trabalhadores têm feito para reverter esta situação? Como a maior parte da sociedade encara as ações dos trabalhadores sem-terra? A concentração fundiária tem gerado sérios conflitos no campo brasileiro. Muitos tipos de violência são cometidos: além do trabalho escravo, ameaças de morte, espancamentos, pistolagem, queima de roças e de casas, assassinatos. A Comissão Pastoral da Terra realiza importante trabalho de compilar e analisar os conflitos que acontecem ano a ano por meio do Caderno Conflitos no Campo. O país tem um triste histórico de repressão e violência aos movimentos sociais que lutam contra a concentração de terras. Um caso que ganhou destaque foi o massacre de Eldorado dos Carajás (PA), ocorrido em 1996 na curva do S, onde 19 trabalhadores foram sumariamente assassinados. Até hoje o caso permanece como um exemplo de impunidade.

10 Para abordar essas questões, você pode trabalhar com o poema Funeral de um Lavrador, de João Cabral de Melo Neto e musicado por Chico Buarque. O poema é apenas um trecho do livro Morte e Vida Severina, publicado em O trecho narra a trajetória mal sucedida de um camponês em busca de uma parcela de terra. Ao interpretar o poema, podem ser levantadas as seguintes questões: Qual o destino desse trabalhador? Quais são as figuras de linguagem utilizadas para transmitir a realidade narrada? Ela ainda é atual? A concentração de terra não expulsa apenas camponeses, como também prejudica as comunidades tradicionais, quilombolas e indígenas, que apresentam outra relação com a terra que vai além da mera propriedade. QUARTO PASSO: O que a concentração da terra provoca? Depois de toda discussão e estudo realizado com a turma, é hora de sintetizar as informações para refletir sobre os efeitos da concentração fundiária. A partir dos estudos, quais as consequências da concentração da terra no nosso país? A partir da pergunta, alunos e alunas podem elencar as diversas possibilidades, por exemplo: inchaço das cidades, desemprego no campo e trabalho escravo, violência no campo, menor produção de alimentos, improdutividade, monocultura... Depois, divida a turma em grupos. A ideia é que cada grupo pesquise e monte uma apresentação, aprofundando os temas levantados a partir da questão sobre as consequências da concentração fundiária. Cada grupo pode ficar com um tema diferente e usar a criatividade para montar sua apresentação, que pode ser um texto, um painel, uma peça de teatro, um vídeo, uma maquete... Seria muito interessante apresentar os trabalhos à comunidade ou como um tema na feira de ciências. * GLOSSÁRIO * Desapropriar A Constituição Brasileira permite ao Estado desapropriar aquelas propriedades que não estejam cumprindo a sua função social. A terra passa ao controle do Estado, que pode destiná-las para reforma agrária. O proprietário recebe uma indenização. Função social da propriedade De acordo com a Constituição, toda propriedade deve cumprir sua função social, ou seja, ser produtiva, respeitar a legislação trabalhista e a legislação ambiental. Se descumprir qualquer um dos três itens que compõem a função social, ainda que produtiva, deve ser desapropriada. No Brasil, a única desapropriação por função social em que a terra era produtiva foi a da fazenda Cabaceiras, em Marabá (PA), flagrada repetidas vezes com trabalho escravo.

11 Latifúndio Em latim, latifúndio quer dizer largo e fundo. São as grandes propriedades de terra, com mais de mil hectares. Normalmente, a produção dos latifúndios é de monoculturas. Está associado ao agronegócio. Módulos fiscais Referência estabelecida pelo Incra que define a área mínima suficiente para o sustento e vida digna de uma família de trabalhadores e trabalhadoras rurais. Varia de região para região (entre cinco e 110 hectares) e depende da análise de variantes, como a localização, qualidade do solo, relevo, acesso, etc. Monocultura Cultivo de um único tipo de lavoura. No Brasil Colonial, por exemplo, os engenhos praticavam a monocultura da cana-de-açúcar. Era o chamado sistema de plantation: grandes propriedades com um único cultivo destinado à exportação, para atender a metrópole portuguesa. Proposta de Emenda Constitucional (PEC) É uma mudança que se faz na Constituição Brasileira. No caso da PEC do Trabalho Escravo, em vez de desapropriar a terra de fazendeiros flagrados com trabalho escravo, como já prevê a Constituição, a proposta é expropriá-la, ou seja, confiscá-la, sem que o proprietário receba qualquer indenização. Se ele escravizou, simplesmente perderia o direito à propriedade, sempre vinculado em nossa Constituição ao cumprimento da função social da terra. Sistema de barracão Muito utilizado no Ciclo da Borracha na Amazônia. Por meio dele, os trabalhadores eram pagos com mercadorias ou vales a serem trocados em pequenos armazéns de propriedade do empregador, conhecidos como cantina ou barracão. A caderneta da dívida, usada para aprisionar trabalhadores, tem nesse sistema a sua origem. Sugestão de textos, livros, vídeos, mapas... - Poesia: Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto A questão da terra permeia esta história do retirante pernambucano que parte do sertão em direção à capital litorânea. - Atlas da Questão Agrária, do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária, da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp). O estudo traz mapas e análises sobre a estrutura agrária brasileira. - Vídeo: Escola Eldorado, de Victor Lopes (2008, 13 minutos) O curta documentário narra a história de um trabalhador que saiu do Maranhão para o sul do Pará em busca de terra e trabalho, vivenciando vários acontecimentos da história da região. - Reportagem: Em concentração de renda, Brasil rural só não supera Namíbia, na Repórter Brasil (2/4/2010). Pesquisa aponta Brasil como um dos países onde é maior a concentração da terra.

Atividades. Caro professor, cara professora,

Atividades. Caro professor, cara professora, Atividades Caro professor, cara professora, Apresentamos mais uma nova proposta de atividade sobre alguns dos temas abordados pelo programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil*. Ela inaugura a

Leia mais

A LUTA PELA TERRA NO SUL DE MINAS: CONFLITOS AGRÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CAMPO DO MEIO (MG)

A LUTA PELA TERRA NO SUL DE MINAS: CONFLITOS AGRÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CAMPO DO MEIO (MG) A LUTA PELA TERRA NO SUL DE MINAS: CONFLITOS AGRÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CAMPO DO MEIO (MG) Arthur Rodrigues Lourenço¹ e Ana Rute do Vale² madrugarockets@hotmail.com, aruvale@bol.com.br ¹ discente do curso

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

Capítulo. Organização político- -administrativa na América portuguesa

Capítulo. Organização político- -administrativa na América portuguesa Capítulo Organização político- -administrativa na América portuguesa 1 O Império Português e a administração da Colônia americana Brasil: 1500-1530 O interesse português pelo território americano era pequeno

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM.

COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. COLÉGIO ESTADUAL CESAR STANGE EFM. PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2012 Professora: Ana Claudia Martins Ribas Disciplina: História - 8º ano -Fundamental 1º BIMESTRE Conteúdos Básicos: -Povos, Movimentos e

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012

PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 PLANO DE ESTUDOS 3º trimestre 2012 ano: 9º disciplina: geografia professor: Meus caros (as) alunos (as): Durante o 2º trimestre, você estudou as principais características das cidades globais e das megacidades

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE PRODUTOR RURAL. Esta série foi criada para abrigar entrevistas com empresário e produtores rurais.

APRESENTAÇÃO DA SÉRIE PRODUTOR RURAL. Esta série foi criada para abrigar entrevistas com empresário e produtores rurais. APRESENTAÇÃO DA SÉRIE PRODUTOR RURAL Esta série foi criada para abrigar entrevistas com empresário e produtores rurais. Entrevistas disponíveis até o momento: Carlos Henrique Maranhão Cecílio Rego de Almeida

Leia mais

OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR

OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR Tamires Silva Gama Acadêmica do Curso de Geografia da UEM. Bolsista do CNPq Tamires_gama@hotmail.com OS ARRENDAMENTOS DE TERRA PARA A PRODUÇÃO DE CANA- DE- AÇÚCAR INTRODUÇÃO Frente os avanços da modernização

Leia mais

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO CAMPO: IMPLANTAÇÃO DO PRONERA EM RORAIMA

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO CAMPO: IMPLANTAÇÃO DO PRONERA EM RORAIMA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DO CAMPO: IMPLANTAÇÃO DO PRONERA EM RORAIMA Resumo Na história da educação brasileira é perceptível que o direito à educação foi negado às classes menos favorecidas da população,

Leia mais

Expansão do território brasileiro

Expansão do território brasileiro Expansão do território brasileiro O território brasileiro é resultado de diferentes movimentos expansionistas que ocorreram no Período Colonial, Imperial e Republicano. Esse processo ocorreu através de

Leia mais

Nota à 14 a Edição... 11 Introdução... 13

Nota à 14 a Edição... 11 Introdução... 13 sumário Nota à 14 a Edição................................................ 11 Introdução..................................................... 13 1. As Causas da Expansão Marítima e a Chegada dos Portugueses

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

48 Os professores optaram por estudar a urbanização, partindo dos espaços conhecidos pelos alunos no entorno da escola. Buscavam, nesse projeto, refletir sobre as características das moradias existentes,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS 1) IDENTIFICAÇÃO: Disciplina: Formação Territorial do Brasil Carga Horária: 60 h UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS PROGRAMA DE DISCIPLINA Curso:

Leia mais

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão.

CRISE DO ESCRAVISMO. O Brasil foi o último país da América Latina a abolir a escravidão. CRISE DO ESCRAVISMO A Dinamarca foi o primeiro país Europeu a abolir o tráfico de escravos em 1792. A Grã-Bretanha veio a seguir, abolindo em 1807 e os Estados Unidos em 1808. O Brasil foi o último país

Leia mais

CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Ricardo Dantas SECRETÁRIA EXECUTIVA

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

Equipe de Geografia GEOGRAFIA

Equipe de Geografia GEOGRAFIA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 7B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA 1. Agricultura no Brasil: Breve histórico - Brasil Colônia: monocultura da cana se destacava como produto principal,

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA)

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) REDE PRÓ-MENINO ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil CURSISTA: JACKELYNE RIBEIRO CINTRA MORAIS CPF: 014275241-06 ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) Características

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

O lema do grupo é sugestivo: Campo e Cidade se dando as mãos, que é também o título de um excelente documentário de autoria do cineasta

O lema do grupo é sugestivo: Campo e Cidade se dando as mãos, que é também o título de um excelente documentário de autoria do cineasta 13/12/2015 - Copyleft Ameaçado o primeiro Assentamento Agroecológico do Rio de Janeiro O mais grave é que o laudo do MPF nega a possibilidade de permanência das famílias e ignora a potencialidade ambiental

Leia mais

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na atualidade: luta, organização e educação

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na atualidade: luta, organização e educação O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na atualidade: luta, organização e educação Entrevista concedida por Álvaro Santin*, da coordenação nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem

Leia mais

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional

O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional CIÊNCIAS HUMANAS (HISTÓRIA/ATUALIDADES/GEOGRAFIA) O candidato deverá demonstrar uma visão globalizante do processo transformacional das sociedades através dos tempos, observando os fatores econômico, histórico,

Leia mais

Fórum ABAG, ESALQ, AEASP e CREA-SP. Gestão Territorial

Fórum ABAG, ESALQ, AEASP e CREA-SP. Gestão Territorial Fórum ABAG, ESALQ, AEASP e CREA-SP Piracicaba (SP), 10 de outubro de 2012 Ocupação e Uso do Solo: Gestão Territorial Claudio Spadotto e Equipe O território i rural é alterado por expansão, concentração,

Leia mais

A atividade agrícola e o espaço agrário. Prof. Bruno Batista

A atividade agrícola e o espaço agrário. Prof. Bruno Batista A atividade agrícola e o espaço agrário Prof. Bruno Batista A agropecuária É uma atividade primária; É obtida de forma muito heterogênea no mundo países desenvolvidos com agricultura moderna, e países

Leia mais

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO

O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO O espaço rural brasileiro 7ºano PROF. FRANCO AUGUSTO Agropecuária É o termo utilizado para designar as atividades da agricultura e da pecuária A agropecuária é uma das atividades mais antigas econômicas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 77 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA MARIA DO NASCIMENTO CAMPOS

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA MARIA DO NASCIMENTO CAMPOS SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA MARIA DO NASCIMENTO CAMPOS A CHEGADA DOS PORTUGUESES A AMÉRICA E AS VIAGENS MARÍTIMAS Projeto apresentado e desenvolvido

Leia mais

Economia e Sociedade Açucareira. Alan

Economia e Sociedade Açucareira. Alan Economia e Sociedade Açucareira Alan Características coloniais gerais Colônia de exploração Existência de Pacto Colonial Monopólio Economia de exportação de produtos tropicais Natureza predatória extrativista,

Leia mais

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003 Propostas de luta para tornar nossa vida melhor Maio de 2003 Companheiros e companheiras A s políticas capitalistas neoliberais, aplicadas com mais força no governo FHC, foram muito duras com os trabalhadores

Leia mais

O Banco da Terra e os beneficiários do programa em Lebon Regis

O Banco da Terra e os beneficiários do programa em Lebon Regis O Banco da Terra e os beneficiários do programa em Lebon Regis Hanen Sarkis Kanaan 1 Resumo: Este trabalho discute a implantação e a situação das famílias assentadas pelo programa de assentamento do Banco

Leia mais

1 EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM A GALINHA RUIVA. Guia Didático do Objeto Educacional Digital

1 EDUCAÇÃO INFANTIL LINGUAGEM A GALINHA RUIVA. Guia Didático do Objeto Educacional Digital Guia Didático do Objeto Educacional Digital LINGUAGEM 1 EDUCAÇÃO INFANTIL A GALINHA RUIVA Este Objeto Educacional Digital (OED) está relacionado ao tema da Unidade 3 do Livro do Aluno. LINGUAGEM A GALINHA

Leia mais

Ambiente de Gerenciamento do PRONAF e Programas de Crédito Fundiário

Ambiente de Gerenciamento do PRONAF e Programas de Crédito Fundiário Ambiente de Gerenciamento do PRONAF e Programas de Crédito Fundiário Janeiro - 2011 Banco do Nordeste Apoio à Agricultura Familiar Programa Nacional de Fortalecimento Da Agricultura Familiar OBJETIVO Fortalecer

Leia mais

Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP

Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP Pressionado a produzir mais, trabalhador atua cerca de 12 anos, como na época da escravidão Conclusão é de pesquisadora da Unesp; usineiros dizem que estão

Leia mais

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA EJA - Ensino Fundamental 2º Segmento GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA Fase/Ano: 4ª Fase -6º e 7º Ano Ano Letivo: 2014 Componente Curricular: História Professores do Estúdio: Cláudio

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem vive no Brasil Rural.

Leia mais

AÇÕES AGROECOLÓGICAS E DESENVOLVIMENTO RURAL: PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS NO ASSENTAMENTO PRIMEIRO DO SUL CAMPO DO MEIO, MG. Área Temática: Meio Ambiente

AÇÕES AGROECOLÓGICAS E DESENVOLVIMENTO RURAL: PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS NO ASSENTAMENTO PRIMEIRO DO SUL CAMPO DO MEIO, MG. Área Temática: Meio Ambiente AÇÕES AGROECOLÓGICAS E DESENVOLVIMENTO RURAL: PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS NO ASSENTAMENTO PRIMEIRO DO SUL CAMPO DO MEIO, MG Área Temática: Meio Ambiente Responsável pelo trabalho: Artur Leonardo Andrade Universidade

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE

III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE III CONGRESSO BRASILEIRO DO CACAU: INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E SUSTENTABILIDADE Painel 8: O papel de Instituições Públicas para Desenvolvimento da Cacauicultura Brasileira O Cacau e a Agricultura Familiar Adriana

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008

Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008 Mudanças na composição agropecuária e florestal paulista - 1999 e 2008 José Alberto Ângelo Danton Leonel de Camargo Bini Denise Viane Caser Paulo José Coelho Carlos Nabil Ghobril alberto@iea.sp.gov.br

Leia mais

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS

Feira Internacional de tecnologia e negócios. 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios 05 a 09 de março de 2012 Não-Me-Toque/RS EXPODIRETO 2012 Feira Internacional de tecnologia e negócios Você é nosso convidado para participar

Leia mais

Índios do Brasil. Episódio 7: Nossas Terras. Modalidade Educação de Jovens e adultos Fundamental e Médio.

Índios do Brasil. Episódio 7: Nossas Terras. Modalidade Educação de Jovens e adultos Fundamental e Médio. Índios do Brasil Episódio 7: Nossas Terras Resumo A série "Índios no Brasil", com duração média de 20 minutos, traça um perfil da população indígena brasileira e mostra a relação dessa população com a

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais Podcast Área Matemática Segmento Ensino Fundamental Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos Duração 6min32seg

Leia mais

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO

alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO 2014-2015 alimentos para o brasil APRESENTAÇÃO O Plano Safra da Agricultura Familiar 2014/2015 Alimentos Para o Brasil vem consolidar mais de uma década de políticas públicas que melhoram a vida de quem

Leia mais

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural Marcos Santos Figueiredo* Introdução A presença dos sindicatos de trabalhadores

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE GEOGRAFIA

COMENTÁRIO DA PROVA DE GEOGRAFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE GEOGRAFIA A UFPR elaborou boas questões de geografia para esta edição do vestibular. Destacamos a abrangência, com questões de assuntos importantes, como orientação, migrações, urbanização

Leia mais

Sua Escola, Nossa Escola

Sua Escola, Nossa Escola Sua Escola, Nossa Escola Episódio: Andréa Natália e o Ensino na Fronteira Ponta Porã Resumo Esse vídeo integra a série Sua Escola, Nossa Escola, composta por dezessete programas, os quais mostram experiências

Leia mais

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará

Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará Colégio Estadual do Campo Professora Maria de Jesus Pacheco Guimarães E. F. e M. Uma História de Amor ao Guará PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2012 DISCIPLINA: GEOGRAFIA - PROFESSOR: ADEMIR REMPEL SÉRIE: 8º

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM-SP: Principais políticas publicas. Arthur Moriconi harthus94@gmail.com.

AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM-SP: Principais políticas publicas. Arthur Moriconi harthus94@gmail.com. AGRICULTURA FAMILIAR NO MUNICÍPIO DE MOGI MIRIM-SP: Principais políticas publicas Arthur Moriconi harthus94@gmail.com. Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Fabio Junior Penteado fabioturvo@gmail.com.

Leia mais

MOVIMENTOS SOCIAIS AGRÁRIOS E O ESTADO E O QUE DIZ O DIREITO 1. CANNO, Daniele Cristina; OLIVEIRA, Alex Luciano; SEVERINO, Silvia Regina

MOVIMENTOS SOCIAIS AGRÁRIOS E O ESTADO E O QUE DIZ O DIREITO 1. CANNO, Daniele Cristina; OLIVEIRA, Alex Luciano; SEVERINO, Silvia Regina MOVIMENTOS SOCIAIS AGRÁRIOS E O ESTADO E O QUE DIZ O DIREITO 1 CANNO, Daniele Cristina; OLIVEIRA, Alex Luciano; SEVERINO, Silvia Regina FACULDADE MARECHAL RONDON/ UNINOVE NPI NÚCLEO DE PESQUISA INTERDISCIPLINAR

Leia mais

500 anos: O Brasil - Império na TV

500 anos: O Brasil - Império na TV 500 anos: O Brasil - Império na TV Episódio 01: A Corte desembarca na Colônia Resumo O episódio A Corte Desembarca na Colônia narra os acontecimentos históricos que envolveram a transferência da corte

Leia mais

Aula 4 A FOME NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. Christian Jean-Marie Boudou

Aula 4 A FOME NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. Christian Jean-Marie Boudou Aula 4 A FOME NO MUNDO CONTEMPORÂNEO OBJETIVOS Compreender a abordagem geográfica da fome; Discorrer sobre fome e desnutrição; Conhecer a problemática de má distribuição de renda e alimentos no Brasil

Leia mais

DILMA ROUSSEFF Presidenta da República. PATRUS ANANIAS Ministro do Desenvolvimento Agrário

DILMA ROUSSEFF Presidenta da República. PATRUS ANANIAS Ministro do Desenvolvimento Agrário DILMA ROUSSEFF Presidenta da República PATRUS ANANIAS Ministro do Desenvolvimento Agrário MARIA FERNANDA RAMOS COELHO Secretária Executiva do Ministério do Desenvolvimento Agrário MARIA LÚCIA DE OLIVEIRA

Leia mais

500 anos: O Brasil Colônia na TV

500 anos: O Brasil Colônia na TV 500 anos: O Brasil Colônia na TV Episódio 5: A Conquista da terra e da gente Resumo O episódio 5, A Conquista da terra e da gente, parte da série 500 anos: O Brasil Colônia na TV, apresenta o processo

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril

DATAS COMEMORATIVAS. CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL 22 de abril Descobrimento do Brasil. Pintura de Aurélio de Figueiredo. Em 1500, há mais de 500 anos, Pedro Álvares Cabral e cerca de 1.500 outros portugueses chegaram

Leia mais

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal

Brasil e suas Organizações políticas e administrativas. Brasil Atual 27 unidades político-administrativas 26 estados e distrito federal Brasil e suas Organizações políticas e administrativas GEOGRAFIA Em 1938 Getúlio Vargas almejando conhecer o território brasileiro e dados referentes a população deste país funda o IBGE ( Instituto Brasileiro

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

CADERNO PEDAGÓGICO DE GEOGRAFIA PIBID/UFRGS

CADERNO PEDAGÓGICO DE GEOGRAFIA PIBID/UFRGS CADERNO PEDAGÓGICO DE GEOGRAFIA PIBID/UFRGS Organizador Universidade Federal do Rio Grande do Sul Reitor Vice-Reitor Pró-Reitor de Graduação Coord. Inst. do PIBID-UFRGS Projeto Pastas DADOS INTERNACIONAIS

Leia mais

CONCENTRAÇÃO DE TERRAS NO BRASIL UM OLHAR ACADÊMICO SOBRE O PROCESSO

CONCENTRAÇÃO DE TERRAS NO BRASIL UM OLHAR ACADÊMICO SOBRE O PROCESSO CONCENTRAÇÃO DE TERRAS NO BRASIL UM OLHAR ACADÊMICO SOBRE O PROCESSO Ana Claudia Silva Almeida Universidade Estadual de Maringá - UEM anaclaudia1985@yahoo.com.br Elpídio Serra Universidade Estadual de

Leia mais

AGRICULTURA NA RÚSSIA SOCIALISTA E NA CHINA

AGRICULTURA NA RÚSSIA SOCIALISTA E NA CHINA Espaço Agrário Rússia/China 1 AGRICULTURA NA RÚSSIA SOCIALISTA E NA CHINA! Ambos os países passaram por uma revolução socialista, ou seja, com a revolução a Terra passa a ser propriedade do Estado (propriedade

Leia mais

Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo

Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo A UA UL LA MÓDULO 7 Crescimento urbano e industrial dos anos 20 ao Estado Novo Nesta aula O café foi o principal produto de exportação durante a República Velha. Os cafeicultores detinham o controle da

Leia mais

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO DE ARAGUAINA SETOR REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E ENSINO INTEGRAL Sugestão de Planejamento da Semana

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20

PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO Brasil 2009/10 a 2019/20 AGE - ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Chefe da AGE: Derli Dossa. E-mail: derli.dossa@agricultura.gov.br Equipe Técnica: José Garcia Gasques. E-mail: jose.gasques@agricultura.gov.br

Leia mais

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2

1º ano. A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10: Item 2 1º ano O absolutismo e o Estado Moderno Capítulo 12: Todos os itens A reconquista ibérica e as grandes navegações Capítulo 10: Item 2 A revolução comercial Capítulo 12: Item 3 O Novo Mundo Capítulo 10:

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

ESTADO DO PARANÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO ESTADO DO PARANÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Núcleo Regional de Educação de Toledo Colégio Estadual Jardim Gisele Ensino Fundamental e Médio PLANO DE TRABALHO DOCENTE - 2015 TRABALHO DOCENTE Estabelecimento

Leia mais

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO HQ se lga! i CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO Defender a CONSTITUINTE é um erro! Erro, por que? A direita vai aproveitar uma Constituinte

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 7 o ano 4 o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o : Leia o trecho da carta de Pero Vaz de Caminha, escrivão da armada de Pedro Álvares Cabral, escrita em maio de 1500 para o rei português

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Projeto - A afrodescendência brasileira: desmistificando a história

Projeto - A afrodescendência brasileira: desmistificando a história Projeto - A afrodescendência brasileira: desmistificando a história Tema: Consciência Negra Público-alvo: O projeto é destinado a alunos do Ensino Fundamental - Anos Finais Duração: Um mês Justificativa:

Leia mais

BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE

BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE BAIXO ARAGUAIA PORTAL DA AMAZÔNIA BAIXADA CUIABANA NOROESTE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA TERRITÓRIOS RIOS DA CIDADANIA Objetivos Os Territórios TERRITÓRIOS RIOS Os Territórios Rurais se caracterizam por: conjunto

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR COMO FORMA DE PRODUÇÃO RURAL PARA ABASTECIMENTO DE GRANDES CENTROS URBANOS

AGRICULTURA FAMILIAR COMO FORMA DE PRODUÇÃO RURAL PARA ABASTECIMENTO DE GRANDES CENTROS URBANOS AGRICULTURA FAMILIAR COMO FORMA DE PRODUÇÃO RURAL PARA ABASTECIMENTO DE GRANDES CENTROS URBANOS Jaqueline Freitas dos Santos 692 jaquelineufmg_09@hotmail.com Klécia Gonçalves de Paiva Farias kleciagp@gmail.com

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI 1. Coloque V para verdadeiro e F para falso: EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI ( ) a população economicamente ativa compreende a parcela da população que está trabalhando ou procurando emprego.

Leia mais

Palavras-chave: Compra direta. Agricultura Familiar. Modelo de checagem

Palavras-chave: Compra direta. Agricultura Familiar. Modelo de checagem Avaliação de desempenho de processos de Compra Direta da Agricultura familiar: proposta metodológica baseada em modelo de checagem Magalhães A. M. Cruz, G. V. O mercado institucional pode ser um excelente

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Matemática - 9º ano. II Unidade

ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Matemática - 9º ano. II Unidade ATIVIDADES COMPLEMENTARES II Unidade Matemática - 9º ano Olá! Você gosta de assistir às telenovelas? Pois bem! Mesmo que muitas pessoas "torçam o nariz" para esse tipo de entretenimento, não há como negar

Leia mais

Introdução... 4. Percepção sobre a economia e o comércio... 5. Gargalos da economia brasileira... 7. Consumo das famílias... 8

Introdução... 4. Percepção sobre a economia e o comércio... 5. Gargalos da economia brasileira... 7. Consumo das famílias... 8 Conteúdo Introdução... 4 Percepção sobre a economia e o comércio... 5 Gargalos da economia brasileira... 7 Consumo das famílias... 8 Ambiente regulatório... 9 Logística pública... 10 Mão de obra... 10

Leia mais

VIII COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E ENGELS. A Questão Agrária no Brasil no Século XXI

VIII COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E ENGELS. A Questão Agrária no Brasil no Século XXI 1 VIII COLÓQUIO INTERNACIONAL MARX E ENGELS A Questão Agrária no Brasil no Século XXI Marcos Cassin 1 Mírian Helena Goldschmidt 2 GT3 Marxismo e ciências humanas Introdução O que é a Questão Agrária? O

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 7 5 Unidade 7 Nome: Data: 1. Sobre as formas de conquista e exploração do governo português, associe corretamente as colunas. a) Relações diplomáticas.

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio Planejamento Anual Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015 Professor(s): Júlio APRESENTAÇÃO: Percebemos ser de fundamental importância que o aluno da 2 Ano do Ensino Fundamental possua

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética

Escola de Formação Política Miguel Arraes. Módulo I História da Formação Política Brasileira. Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética LINHA DO TEMPO Módulo I História da Formação Política Brasileira Aula 2 A História do Brasil numa dimensão ética SEC XV SEC XVIII 1492 A chegada dos espanhóis na América Brasil Colônia (1500-1822) 1500

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX.

Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Aula 13 Os E.U.A. nos séculos XVIII e XIX. Nesta aula iremos tratar da formação dos Estados Unidos da América. Primeiramente o processo de independência dos Estados Unidos, em seguida, o processo de expansão

Leia mais

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA

PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ TERMO DE REFERÊNCIA PROCERRADO PROJETO DE REDUÇÃO DO DESMATAMENTO E DAS QUEIMADAS NO CERRADO DO PIAUÍ Acordo de Doação Nº TF016192 TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL DE LONGO

Leia mais

AGROECOLOGIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: pesquisa, ação e reflexão a partir das escolas do campo no município de Goiás-GO 1

AGROECOLOGIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: pesquisa, ação e reflexão a partir das escolas do campo no município de Goiás-GO 1 AGROECOLOGIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: pesquisa, ação e reflexão a partir das escolas do campo no município de Goiás-GO 1 SOUZA, Murilo M. O. 2 ; COSTA, Auristela A. 2 ; SANT ANNA, Thiago S. 3 ; SILVA, Fábio

Leia mais

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº:

Exerc ícios de Revisão Aluno(a): Nº: Exerc íciosde Revisão Aluno(a): Nº: Disciplina:HistóriadoBrasil Prof(a).:Cidney Data: deagostode2009 2ªSériedoEnsinoMédio Turma: Unidade:Nilópolis 01. QuerPortugallivreser, EmferrosqueroBrasil; promoveaguerracivil,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Reforma Agrária: mercado versus desapropriação ou mercado e desapropriação? Antônio Márcio Buainain e José Maria da Silveira Poucas questões suscitam tanta polêmica e paixão como

Leia mais

ENTREVISTA COLETIVA. Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA. 10 de julho de 2013. Compromisso com o Brasil

ENTREVISTA COLETIVA. Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA. 10 de julho de 2013. Compromisso com o Brasil ENTREVISTA COLETIVA Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA 10 de julho de 2013 Compromisso com o Brasil 1 Uso do Solo no Brasil Cidades e Infraestrutura 0,2% Terras Devolutas do Incra 17,6% Outros Usos:

Leia mais

A Turma da Tabuada 3

A Turma da Tabuada 3 A Turma da Tabuada 3 Resumo Aprender brincando e brincando para aprender melhor. É dessa forma que a turma da tabuada nos levará a mais uma grande aventura pelo mundo do espaço e das formas. Na primeira

Leia mais

2. Laboratório: uso do avental, organização e relatório 3. Tarefas. 1. Avaliação da Semana de Geociências e Meio Ambiente 2.

2. Laboratório: uso do avental, organização e relatório 3. Tarefas. 1. Avaliação da Semana de Geociências e Meio Ambiente 2. PIC VERSÃO PARA O PROFESSOR Produção Integrada ao Conteúdo 6. o ano Ensino Fundamental Componentes da PIC 2. o bimestre Arte Ciências A nota da PIC é a média entre a nota de tarefa (avaliação do conjunto

Leia mais

PRÁTICA PEDAGÓGICA EM GEOGRAFIA: ABORDANDO O ANTAGONISMO DO CONTINENTE AFRICANO POR MEIO DAS INTERVENÇÕES DO PIBID

PRÁTICA PEDAGÓGICA EM GEOGRAFIA: ABORDANDO O ANTAGONISMO DO CONTINENTE AFRICANO POR MEIO DAS INTERVENÇÕES DO PIBID PRÁTICA PEDAGÓGICA EM GEOGRAFIA: ABORDANDO O ANTAGONISMO DO CONTINENTE AFRICANO POR MEIO DAS INTERVENÇÕES DO PIBID Liberato Epitacio de Sousa da Silva - PIBID/UEPB (Bolsista do PIBID de Geografia) Liberatotacio20@hotmail.com

Leia mais