IPSec. IPSec Internet Protocol Security OBJETIVO ROTEIRO ROTEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IPSec. IPSec Internet Protocol Security OBJETIVO ROTEIRO ROTEIRO"

Transcrição

1 OBJETIVO Internet Protocol Security Antonio Abílio da Costa Coutinho José Eduardo Mendonça da Fonseca Apresentar conceitos sobre segurança em redes de comunicação de dados, relacionados ao Protocolo (Internet Protocol Security), compreendendo sua tecnologia, sua arquitetura e algumas de suas aplicações. Jan./2005 Arquitetura; Associação de Segurança; Protocolos; Algoritimos de Confidencialidade; e Gerenciamento de Chaves. Arquitetura; Associação de Segurança; Protocolos; Algoritimos de Confidencialidade; e Gerenciamento de Chaves. Tipos; e Tunelamento. Tipos; e Tunelamento. No início do desenvolvimento do TCP/IP, pouco se falava ou se desenvolvia em relação à segurança de redes. Surgimento de aplicações e crescimento da Internet => segurança de redes e de sistemas tornaram-se demandas cada vez mais crescentes. Em resposta, o IETF (Internet Engineering Task Force) desenvolveu uma plataforma conhecida como (IP Security). Objetivo: desenvolver mecanismos que forneçam proteção ao pacote IP e às aplicações que rodam sobre o IP, estabelecendo níveis de segurança para as comunicações host- to-host, subnet-to to-subnet e host-to to-subnet. Características do : Modelo ponto-a-ponto => troca de informações entre dois computadores de maneira segura => devem concordar com regras comuns e definições do protocolo; Comunicação segura,, mesmo usando um meio não seguro como a Internet; e Plataforma aberta formada por um conjunto de protocolos que fornecem serviços na camada de rede IP: Autenticação; Integridade; e Confidencialidade. 1

2 Aplicações: redes LANs, WANs (públicas e privadas) e Internet. é uma das opções de se implementar s e seus serviços podem ser utilizados por quaisquer protocolos das camadas superiores como TCP, UDP, BGP, etc. Arquitetura; Associação de Segurança; Protocolos; Algoritimos de Confidencialidade; e Gerenciamento de Chaves. Tipos; e Tunelamento. - Arquitetura - Arquitetura Funções principais: Autenticação: Authentication Header (AH). Autenticação/criptografia: O situa-se entre a camada de rede e a de transporte. Encapsulating Security Payload (ESP). Troca de chaves. - Associação de Segurança Associação de Segurança (SA - Security Association) é um dos conceitos fundamentais do : Conexão simplex" - viabiliza tráfego de serviços seguros entre 2 pontos; Possui um identificador de segurança associado; SA identificada univocamente por 3 parâmetros: Identificador do protocolo: AH ou ESP. SPI (Security Parameter Index): identifica a SA => definida durante a negociação. Nota: Todos os membros de uma SA devem conhecer o SPI correspondente e usá-lo durante a comunicação. Endereço IP de destino: unicast, broadcast ou multicast. - Associação de Segurança Negociação de SA: Definição da chave; Algoritmos de criptografia e de autenticação; e Parâmetros usados por estes algoritmos. Segurança dos serviços: Garantida pela utilização dos protocolos de segurança (AH ou ESP ou ambos). Uso conjunto AH e ESP => mais de uma SA deve ser definida. 2

3 - Associação de Segurança SA: identificada pelo cabeçalho do endereço de destino e o SPI encapsulado no cabeçalho extensão de AH e ESP. Versão IHL Tipo de Serviço Tamanho Total - Protocolos Authentication Header (AH): Adiciona autenticação e integridade => Pacote não alterado durante a TX. SPI: valor de 32-bits; e Dados de Autenticação: valor variável para verificação de integridade. Durante a SA, define-se o protocolo a ser utilizado. Identificação Flags Offset Fragmentos Próx. Cabeçalho Tam. Payload Reservado Tempo de vida Protocolo Checksum do Cabeçalho SPI (Security Parameters Index) AH 51; ESP 50. Endereço IP de origem Endereço IP de destino Numero de Seqüência Dados de Autenticação Opções Enchimento Dados continuam trafegando intactos (o cabeçalho em cleartext ) pela rede, podendo, p. ex., ser capturados (sniffer). Confidencialidade é tratada pelo ESP. Encapsulating Security Payload (ESP): Adiciona confidencialidade. - Protocolos SPI e Dados de Autenticação: funções semelhantes àqueles do AH; e Dados de Payload: contém dados referentes ao pacote definido no Próximo Cabeçalho => segmento da camada de transporte (Modo Transporte) ou Pacote IP (Modo Túnel) que é protegido pela criptografia. SPI (Security Parameters Index) Número de Seqüência Dados de Payload Enchimento (0-255 bytes) Tam. Enchimento Prox. Cabeçalho Dados de Autenticação Modos de SA (estabelecimento): Transporte; ou Túnel. - Modos Modo Transporte => somente o baseadas em IP. em redes Modo Túnel => é possível utilizar o L2TP (Layer 2 Tunneling Protocol), que é um protocolo de nível de enlace. Com isso, além do transporte não apenas de pacotes IP, mas também de IPX, NetBEUI, etc. - Modos Modo Transporte => protege primeiramente os protocolos das camadas superiores (p. ex.: TCP, UDP, etc.), ou seja, atua protegendo o payload de um pacote IP. Tipicamente, é utilizado em comunicações fim-a-fim entre dois hosts (p. ex.: cliente e servidor, ou duas estações de trabalho). - Modos Modo Túnel => protege o pacote IP inteiramente. Após a inserção do AH e do ESP no pacote IP original, o pacote inteiro acrescido de um campo de segurança é considerado como sendo o payload de um novo pacote IP, que inclui novo cabeçalho IP. Pacote IP original trafega por túnel através da rede => Roteadores não terão acesso ao cabeçalho original. Encapsulamento => novo pacote IP possuirá endereços - origem e destino diferentes => Segurança. 3

4 - Modos Formato dos Pacotes no Modo Transporte: Formato dos Pacotes no Modo Túnel: => Compartilhamento de chaves secretas para autenticação, integridade e criptografia dos dados. Gerenciamento de chaves: Gerenciamento de Chaves Manual; ou Automático. Protocolo padrão: IKE (Internet Key Management), que é a combinação do: ISAKMP (Internet Security Association and Key Management Protocol): negociação da segurança; e Protocolo Oakley: troca de chaves. Gerenciamento de Chaves Fases do IKE: Inicialmente, dois pares estabelecem um canal seguro; Em seguida, os dois pares negociam a SA de propósito geral. Funcionalidades do IKE: Define os protocolos, algoritmos e chaves; Garante a identidade das partes, tanto do cliente, quanto do servidor; Gerencia as chaves (após estarem em uso); e Garante a troca de mensagens (que contém chaves) por meios seguros. Arquitetura; Associação de Segurança; Protocolos; Algoritimos de Confidencialidade; e Gerenciamento de Chaves. Tipos; e Tunelamento. Uma Rede Privada Virtual ou (Virtual Private Network) é uma rede construída sobre a infra-estrutura de uma rede pública, normalmente a Internet, a qual garante o transporte de informações de forma segura em redes abertas, aliado a algumas características intrínsecas das redes públicas, tais como: Escalabilidade; Cobertura; e - Virtual Private Network Acessibilidade. - Tipos de Acesso: Acesso remoto à Rede Intranet ou Extranet em cima de uma infra-estrutura que compartilha as mesmas políticas da rede privada. Por intermédio deste tipo de, o usuário ganha um meio de acesso seguro aos recursos corporativos onde quer que esteja e quando necessário. 4

5 - Tipos para Intranet: interliga uma corporação matriz, filiais e escritórios remotos. Este tipo de permite que os negócios se utilizem da mesma política da rede privativa. - Tipos para Extranet: realiza perfis de interação por meio da Internet, com uma infra-estrutura compartilhada que usa conexões dedicadas entre comunidades de interesse comum: cadeias entre clientes, fornecedores e parceiros, empresas e sócios. - Tunelamento A baseia-se no conceito de tunelamento, a exemplo do que foi descrito com o, a qual inclui criptografia, antes do encapsulamento do pacote. Em seguida, o protocolo de tunelamento encapsula o pacote com um novo cabeçalho IP (adicional) que contém as informações de roteamento. - Tunelamento Tunelamento O chamado túnel é o caminho lógico percorrido pelo pacote ao longo da rede intermediária. Etapas do Tunelamento: Encapsulamento; Transmissão ao longo da rede intermediária; e Desencapsulamento do pacote. - Tunelamento Tunelamento de nível 2: 2 Os protocolos utilizam o quadro como unidade de troca; Encapsulam os pacotes da camada 3 (como o IP e o IPX) em quadros do tipo: PPP (Point-to-Point Protocol); PPTP (Point-to-Point Tunneling Protocol), da Microsoft; L2F (Layer 2 Forwarding), da Cisco; e L2TP (Layer 2 Tunneling Protocol), da IETF (Internet Engineering Task Force). Tunelamento de nível 3: O pacote IP original é encapsulado com um novo cabeçalho IP, formando um novo pacote IP,, antes de enviá-lo através da rede, utilizando:. Arquitetura; Associação de Segurança; Protocolos; Algoritimos de Confidencialidade; e Gerenciamento de Chaves. Tipos; e Tunelamento. 5

6 CONCLUSÃO O protocolo fornece o que há de melhor no mercado atual em termos de proteção do tráfego e rede IP. O possui um conjunto de padrões utilizados para garantir uma comunicação segura entre dois computadores, mesmo que as informações estejam sendo enviadas através de um meio não seguro, como, por exemplo, a Internet. Com o uso do e das tecnologias associadas, os dois computadores são capazes de se autenticar mutuamente e manter uma comunicação segura, com dados criptografados, permitindo a criação de s em ambientes expostos e sensíveis aos aspectos de segurança. 6

VPN. Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação

VPN. Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação VPN Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação Conceito Vantagens Tipos Protocolos utilizados Objetivos VPN (Virtual Private Network) Rede Privada Virtual - uma conexão onde o acesso e a troca de

Leia mais

Nível de segurança de uma VPN

Nível de segurança de uma VPN VPN Virtual Private Network (VPN) é uma conexão segura baseada em criptografia O objetivo é transportar informação sensível através de uma rede insegura (Internet) VPNs combinam tecnologias de criptografia,

Leia mais

VPN. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

VPN. Prof. Marciano dos Santos Dionizio VPN Prof. Marciano dos Santos Dionizio VPN Virtual Private Network ou Rede Privada Virtual É uma rede de comunicações privada normalmente utilizada por uma empresa ou um conjunto de empresas e/ou instituições,

Leia mais

OTES07 - Segurança da Informação Módulo 08: VPN

OTES07 - Segurança da Informação Módulo 08: VPN OTES07 - Segurança da Informação Módulo 08: VPN Prof. Charles Christian Miers e-mail:charles.miers@udesc.br VPN: Virtual Private Networks Uma Rede Virtual Privada (VPN) é um meio de simular uma rede privada

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. VPN: Redes Privadas Virtuais O objetivo deste tutorial é apresentar os tipos básicos de Redes Privadas Virtuais (VPN's) esclarecendo os significados variados que tem sido atribuído a este termo. Eduardo

Leia mais

OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 11: VPN

OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 11: VPN OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 11: VPN Prof. Charles Christian Miers e-mail: charles.miers@udesc.br VPN: Virtual Private Networks Uma Rede Virtual Privada (VPN) é um meio de simular uma

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 10 Segurança na Camadas de Rede Redes Privadas Virtuais (VPN) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação 1º Semestre / 2015

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 3 VPN Tecnologias Atuais de Redes - VPN 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Vantagens, Desvantagens e Aplicações Etapas da Conexão Segurança Tunelamento Protocolos de

Leia mais

Internet Protocol Security (IPSec)

Internet Protocol Security (IPSec) Internet Protocol Security (IPSec) Segurança de Computadores IPSec - Introdução Preocupados com a insegurança na Internet o IETF (Internet Engineering Task Force) desenvolveu um conjunto de protocolos,

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas. Segurança de Redes VPN - Virtual Private Network

Segurança e Auditoria de Sistemas. Segurança de Redes VPN - Virtual Private Network Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança de Redes VPN - Virtual Private Network Prof. Me Willians Bueno williansbueno@gmail.com UNIFEB/2013 INTRODUÇÃO; ROTEIRO APLICAÇÕES; VANTAGENS; CARACTERÍSTICAS;

Leia mais

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN V3PN Voice, Video and Integrated Data IP V3PN Voice, Video and Integrated Data Palestrante André Gustavo Lomônaco Diretor de Tecnologia da IPPLUS Tecnologia Mestre em Engenharia Elétrica Certificado Cisco

Leia mais

Implementação de uma VPN com Protocolo PPTP

Implementação de uma VPN com Protocolo PPTP Implementação de uma VPN com Protocolo PPTP Rafael Folhal 1, Msc. Rafael Rodrigues 1 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC (FATEC PELOTAS) Rua Gonçalves

Leia mais

REDES VIRTUAIS PRIVADAS

REDES VIRTUAIS PRIVADAS REDES VIRTUAIS PRIVADAS VPN Universidade Católica do Salvador Curso de Bacharelado em Informática Disciplina: Redes de Computadores Professor: Marco Antônio Câmara Aluna: Patricia Abreu Página 1 de 10

Leia mais

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec Criptografia e Segurança das Comunicações IPsec IPsec : 1/27 Introdução (1) Os datagramas IP do nível de rede da pilha de protocolos v4 são inseguros! Endereço fonte pode ser mistificado ( spoofed ). Conteúdo

Leia mais

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Segurança de Sistemas na Internet Aula 10 - IPSec Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Slide 2 de 31 Introdução Há inúmeras soluções de autenticação/cifragem na camada de aplicação

Leia mais

Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 10 - Conceitos Básicos de Roteamento e de Sub-redes 1 Protocolos Roteáveis e Roteados Protocolo roteado: permite que o roteador encaminhe dados entre nós de diferentes redes. Endereço de rede:

Leia mais

O serviço IPsec da camada 3

O serviço IPsec da camada 3 IPsec O standard IPsec é uma arquitectura de transporte de dados de uma forma segura sobre redes não seguras. A sua utilização começa a ser bastante comum para a construção de redes virtuais (VPNs) sobre

Leia mais

SEGURANÇA EM REDE PEER TO PEER USANDO TECNOLOGIA IPSEC EM UM AMBIENTE CORPORATIVO *

SEGURANÇA EM REDE PEER TO PEER USANDO TECNOLOGIA IPSEC EM UM AMBIENTE CORPORATIVO * SEGURANÇA EM REDE PEER TO PEER USANDO TECNOLOGIA IPSEC EM UM AMBIENTE CORPORATIVO * Giovani Francisco de Sant Anna Centro Universitário do Triângulo (UNITRI) William Rodrigues Gomes Centro Universitário

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Segurança em Comunicações Protocolos de Segurança VPN 2 1 Comunicações Origem Destino Meio Protocolo 3 Ataques Interceptação Modificação Interrupção Fabricação 4 2 Interceptação

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Introdução Conceitos básicos IP Seguro Criptografia Segurança em redes IP Associação de Segurança, Modos de funcionamento AH, ESP, Processamento de tráfego,

Leia mais

Domín í io d e C onhecimento t 2 : Se S gurança e m C omunicações Carlos Sampaio

Domín í io d e C onhecimento t 2 : Se S gurança e m C omunicações Carlos Sampaio Domínio de Conhecimento 2: Segurança em Comunicações Carlos Sampaio Agenda Segurança de acesso remoto 802.1x (Wireless) VPN RADIUS e TACACS+ PPTP e L2TP SSH IPSec Segurança de E-Mail MIME e S/MIME PGP

Leia mais

VPN - VIRTUAL PRIVATE NETWORK REDES VIRTUAIS PRIVADAS

VPN - VIRTUAL PRIVATE NETWORK REDES VIRTUAIS PRIVADAS VPN - VIRTUAL PRIVATE NETWORK REDES VIRTUAIS PRIVADAS Alfredo Alves da Silva Neto, Técnico em Eletrônica,CCNA-M4 pela academia Cisco Poli - UPE 2009 MCTIP MCTS MCT - Infra Estrutura Servidores e Virtualização

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio

REDES DE COMPUTADORES. Camada de Rede. Prof.: Agostinho S. Riofrio REDES DE COMPUTADORES Camada de Rede Prof.: Agostinho S. Riofrio Agenda 1. Introdução 2. Funções 3. Serviços oferecidos às Camadas superiores 4. Redes de Datagramas 5. Redes de Circuitos Virtuais 6. Comparação

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança Protocolos de Segurança A criptografia resolve os problemas envolvendo a autenticação, integridade

Leia mais

Capítulo 5. A camada de rede

Capítulo 5. A camada de rede Capítulo 5 A camada de rede slide slide 1 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice

Leia mais

Endereços Lógicos, Físicos e de Serviço

Endereços Lógicos, Físicos e de Serviço Endereçamento IP O IP é um protocolo da Camada de rede É um endereço lógico único em toda a rede, portanto, quando estamos navegando na Internet estamos utilizando um endereço IP único mundialmente, pois

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS

CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS VIRTUAL PRIVATED NETWORK - VPN VPN: Rede Virtual Privativa que usa a estrutura aberta e distribuída da Internet para a troca de dados segura e confiável entre redes corporativas

Leia mais

Interconexão de Redes de Comutadores

Interconexão de Redes de Comutadores IPv6 - Introdução Interconexão de Redes de Comutadores Parte 3.5: TCP / IPv6 Em 1992 uma Internet Engineering Task Force (IETF) cria o grupo IPng (IP next generation) para a criação de um novo protocolo

Leia mais

VPN VPN VPN. Resumo do seminário Próxima apresentação. ESP Encapsulation Security Payload

VPN VPN VPN. Resumo do seminário Próxima apresentação. ESP Encapsulation Security Payload Referências ibliográficas Segurança em redes sem fio Parte IV Tópicos Especiais em Redes Integradas Faixa Larga Orientador: Prof. Luís Felipe M. de Moraes luno: verissimo@ravel.ufrj.br http://www.ravel.ufrj.br/~verissimo

Leia mais

VPN. Virtual Private Networks

VPN. Virtual Private Networks VPN Virtual Private Networks Universidade Santan Cecília Prof. Hugo Santana Motivação para as VPN s PROBLEMA: Como construir sistemas de informação de grande amplitude geográfica sem arcar com custos excessivos

Leia mais

ACESSO REMOTO A SERVIDOR LINUX, VIA TERMINAL WINDOWS, UTILIZANDO VPN

ACESSO REMOTO A SERVIDOR LINUX, VIA TERMINAL WINDOWS, UTILIZANDO VPN HIRAN CAMARGO DE ARAÚJO ACESSO REMOTO A SERVIDOR LINUX, VIA TERMINAL WINDOWS, UTILIZANDO VPN Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Curso de Ciência da Computação. UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO

Leia mais

TCP-IP - Introdução. Aula 02. Professor Sérgio Teixeira E-mail: sergio.professor@multicast.com.br Telefone: (27) 9989-1122

TCP-IP - Introdução. Aula 02. Professor Sérgio Teixeira E-mail: sergio.professor@multicast.com.br Telefone: (27) 9989-1122 TCP-IP - Introdução Aula 02 Professor Sérgio Teixeira E-mail: sergio.professor@multicast.com.br Telefone: (27) 9989-1122 História 1969 - Advanced Research Project Agency (ARPA) financia a pesquisa e o

Leia mais

Introdução às Redes Privadas Virtuais - VPN. Conceituação, Protocolos,...

Introdução às Redes Privadas Virtuais - VPN. Conceituação, Protocolos,... Introdução às Redes Privadas Virtuais - VPN Conceituação, Protocolos,... VPN - Virtual Private Network O conceito de VPN surgiu a partir da necessidade de se utilizar redes de comunicação não confiáveis

Leia mais

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação. NAT Network Address Translation

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação. NAT Network Address Translation A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação NAT Network Address Translation A funcionalidade de NAT consiste no procedimento de translado de endereços de uma rede para a outra.

Leia mais

TRABALHO DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO VIRTUAL PRIVATE NETWORK VPN

TRABALHO DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO VIRTUAL PRIVATE NETWORK VPN TRABALHO DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO VIRTUAL PRIVATE NETWORK VPN Equipe: Virtual Private Network Rede Privada Virtual ou Virtual Private Network, ou seja, é uma rede de comunicações privada(com o acesso restrito)

Leia mais

Análise de segurança dos protocolos utilizados para acesso remoto VPN em plataformas Windows

Análise de segurança dos protocolos utilizados para acesso remoto VPN em plataformas Windows Laboratório de Administração e Segurança de Sistemas Instituto de Computação Universidade Estadual de Campinas Análise de segurança dos protocolos utilizados para acesso remoto VPN em plataformas Windows

Leia mais

Criptografia e Segurança de Redes Capítulo 16

Criptografia e Segurança de Redes Capítulo 16 Criptografia e Segurança de Redes Capítulo 16 Quarta Edição por William Stallings Lecture slides by Lawrie Brown Capítulo 16 Segurança de IP Se uma noticia secreta é divulgada por um espião antes da hora

Leia mais

IPsec: IP Seguro. Edgard Jamhour 2009, Edgard Jamhour

IPsec: IP Seguro. Edgard Jamhour 2009, Edgard Jamhour IPsec: IP Seguro Edgard Jamhour 1) Introdução ao IP Sec - IP Seguro Padrão aberto baseado em RFC (IETF). Comunicação segura em camada 3 (IPv4 e IPv6) Provê recursos de segurança sobre redes IP: Autenticação,

Leia mais

Interligação de Redes

Interligação de Redes REDES II HETEROGENEO E CONVERGENTE Interligação de Redes rffelix70@yahoo.com.br Conceito Redes de ComputadoresII Interligação de Redes Quando estações de origem e destino encontram-se em redes diferentes,

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Requisitos de Segurança em Redes» Autenticação: O parceiro da comunicação deve ser o verdadeiro» Confidencialidade: Os dados transmitidos não devem ser espiados»

Leia mais

Segurança em Redes TCP/IP. Redes Virtuais Privadas e Extranets

Segurança em Redes TCP/IP. Redes Virtuais Privadas e Extranets Segurança em Redes TCP/IP Redes Virtuais Privadas e Extranets UNISANTA TELECOMUNICAÇÕES 2004 Acesso por linha discada Serviço de Acesso Remoto: Implementado pelos sistemas operacionais comerciais mais

Leia mais

Rede Privada Virtual - VPN. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com

Rede Privada Virtual - VPN. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Rede Privada Virtual - VPN Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Tópicos Abordados Introdução a VPN Protocolos de Tunelamento Criptografia Infraestrutura de Chave Pública - PKI Introdução

Leia mais

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos

Arquiteturas de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos Arquiteturas de Rede 1 Sumário Introdução; Modelo de Referência OSI; Modelo de Referência TCP/IP; Bibliografia. 2/30 Introdução Já percebemos que as Redes de Computadores são bastante complexas. Elas possuem

Leia mais

Viviane Pereira de Oliveira. VPN - Virtual Private Network

Viviane Pereira de Oliveira. VPN - Virtual Private Network Viviane Pereira de Oliveira VPN - Virtual Private Network Centro Universitário Amparense Amparo SP 2007 Viviane Pereira de Oliveira VPN Virtual Private Network Projeto de Monografia apresentado ao Centro

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE REDES REDES DE COMPUTADORES Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos cpgcarlos@yahoo.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Material elaborado com base nas apresentações

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Cenário Atual As novas aplicações que necessitam de recurso da rede são cada vez mais comuns Transmissão de TV na Internet Videoconferências Jogos on-line A popularização

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE REDES VIRTUAIS PRIVADAS SUA IMPLEMENTAÇÃO E TESTES SOBRE A REDE UFES

UM ESTUDO SOBRE REDES VIRTUAIS PRIVADAS SUA IMPLEMENTAÇÃO E TESTES SOBRE A REDE UFES UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPIRÍTO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROJETO DE GRADUAÇÃO KASSIANO CASTIGLIONI ROSSMANN UM ESTUDO SOBRE REDES VIRTUAIS PRIVADAS SUA IMPLEMENTAÇÃO E TESTES

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 5: VPN Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) criada para interligar duas redes distantes, através

Leia mais

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Interconexão de Redes Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Interconexão de Redes Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Software IP nos hosts finais O software IP nos hosts finais consiste principalmente dos seguintes módulos: Camada Aplicação; DNS (Domain name system)

Leia mais

O que é VPN? 1. Definições:

O que é VPN? 1. Definições: O que é VPN? 1. Definições: VPNs (Virtual Private Networks) são redes que possibilitam um acesso privado de comunicação, utilizando-se redes públicas já existentes, como a Internet. O termo refere-se a

Leia mais

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação NAT Network Translation Address A funcionalidade de NAT consiste no procedimento de translado de endereços de uma rede para a outra.

Leia mais

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP

Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Aula 6 Modelo de Divisão em Camadas TCP/IP Camada Conceitual APLICATIVO TRANSPORTE INTER-REDE INTERFACE DE REDE FÍSICA Unidade de Dados do Protocolo - PDU Mensagem Segmento Datagrama /Pacote Quadro 01010101010100000011110

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE SERVIÇO SEM CONEXÃO E SERVIÇO ORIENTADO À CONEXÃO Serviço sem conexão Os pacotes são enviados de uma parte para outra sem necessidade de estabelecimento de conexão Os pacotes

Leia mais

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose)

Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) Cap 01 - Conceitos Básicos de Rede (Kurose) 1. Quais são os tipos de redes de computadores e qual a motivação para estudá-las separadamente? Lan (Local Area Networks) MANs(Metropolitan Area Networks) WANs(Wide

Leia mais

Camadas da Arquitetura TCP/IP

Camadas da Arquitetura TCP/IP Camadas da Arquitetura TCP/IP A arquitetura TCP/IP divide o processo de comunicação em quatro camadas. Em cada camada atuam determinados protocolos que interagem com os protocolos das outas camadas desta

Leia mais

JULIANA C. MOURA CAMPOS MARCELLA MARIA. ROBERTO MARCELO AGUIAR STENICO SAMANTA CAMARGO POSSOBOM THIAGO RIBEIRO MENDES SEGURANÇA DE REDES

JULIANA C. MOURA CAMPOS MARCELLA MARIA. ROBERTO MARCELO AGUIAR STENICO SAMANTA CAMARGO POSSOBOM THIAGO RIBEIRO MENDES SEGURANÇA DE REDES JULIANA C. MOURA CAMPOS MARCELLA MARIA. ROBERTO MARCELO AGUIAR STENICO SAMANTA CAMARGO POSSOBOM THIAGO RIBEIRO MENDES SEGURANÇA DE REDES Pontifícia Universidade Católica de Campinas Faculdade de Engenharia

Leia mais

REDES PRIVADAS VIRTUAIS COM IPSec

REDES PRIVADAS VIRTUAIS COM IPSec UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ESCOLA DE EXTENSÃO Prof. Pedro A. D. Rezende REDES PRIVADAS VIRTUAIS COM IPSec Dêner Lima Fernandes Martins Brasília DF 11-agosto-2000 Dêner L. F. Martins

Leia mais

Redes Virtuais Privadas VPN. Edgard Jamhour. 2013, Edgard Jamhour

Redes Virtuais Privadas VPN. Edgard Jamhour. 2013, Edgard Jamhour Redes Virtuais Privadas VPN Edgard Jamhour Tipos de VPN rede Insegura ENTRE DUAS MÁQUINAS rede Insegura ENTRE UMA MÁQUINA E UMA REDE (VPN DE ACESSO) rede Insegura ENTRE DUAS REDES (INTRANET OU EXTRANET

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE INTRODUÇÃO (KUROSE) A Camada de Rede é uma peça central da arquitetura de rede em camadas A sua função é a de fornecer serviços de comunicação diretamente aos processos

Leia mais

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Enlace Ponto-a-Ponto Um emissor, um receptor, um enlace: Sem controle de acesso ao meio; Sem necessidade de uso de endereços MAC; X.25, dialup link, ISDN. Protocolos

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

VIRTUAIS PRIVADAS. Pedro Celestino Mestre em Engenharia Mecânica Professor do CEFET-SP. Luiz Octávio Mattos dos Reis. Professor da UNITAU

VIRTUAIS PRIVADAS. Pedro Celestino Mestre em Engenharia Mecânica Professor do CEFET-SP. Luiz Octávio Mattos dos Reis. Professor da UNITAU REDES VIRTUAIS PRIVADAS Pedro Celestino Mestre em Engenharia Mecânica Professor do CEFET-SP Luiz Octávio Mattos dos Reis Doutor em Engenharia Professor da UNITAU Mecânica Com as redes de computadores,

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência

Unidade 2.1 Modelos de Referência Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.1 Modelos de Referência 2 Bibliografia da disciplina

Leia mais

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas

5.2 MAN s (Metropolitan Area Network) Redes Metropolitanas MÓDULO 5 Tipos de Redes 5.1 LAN s (Local Area Network) Redes Locais As LAN s são pequenas redes, a maioria de uso privado, que interligam nós dentro de pequenas distâncias, variando entre 1 a 30 km. São

Leia mais

MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP

MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP MÓDULO 8 Modelo de Referência TCP/IP A internet é conhecida como uma rede pública de comunicação de dados com o controle totalmente descentralizado, utiliza para isso um conjunto de protocolos TCP e IP,

Leia mais

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009

Unidade 2.1 Modelos de Referência. Bibliografia da disciplina. Modelo OSI. Modelo OSI. Padrões 18/10/2009 Faculdade INED Unidade 2.1 Modelos de Referência Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Fundamentos de Redes Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 2 Bibliografia da disciplina Bibliografia

Leia mais

Comunicando através da rede

Comunicando através da rede Comunicando através da rede Fundamentos de Rede Capítulo 2 1 Estrutura de Rede Elementos de comunicação Três elementos comuns de comunicação origem da mensagem o canal destino da mensagem Podemos definir

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes 2 O que acontece na camada de rede Transporta segmentos do hospedeiro transmissor para o receptor Roteador examina campos de cabeçalho em todos os datagramas

Leia mais

IPv6 - Características do IP Next Generation

IPv6 - Características do IP Next Generation IPv6 - Características do IP Next Generation 1 - Introdução As três das principais motivações que conduziram à necessidade de superar as limitações de crescimento da versão atual do protocolo IP (Internet

Leia mais

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet.

Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Protocolo TCP/IP. Conexão de Redes. Protocolo TCP/IP. Arquitetura Internet. Origem: Surgiu na década de 60 através da DARPA (para fins militares) - ARPANET. Em 1977 - Unix é projetado para ser o protocolo de comunicação da ARPANET. Em 1980 a ARPANET foi dividida em ARPANET e MILINET.

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Agenda Motivação Objetivos Histórico Família de protocolos TCP/IP Modelo de Interconexão Arquitetura em camadas Arquitetura TCP/IP Encapsulamento

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural

Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP. Modelo Arquitetural Arquitetura e Protocolos de Rede TCP/IP Modelo Arquitetural Motivação Realidade Atual Ampla adoção das diversas tecnologias de redes de computadores Evolução das tecnologias de comunicação Redução dos

Leia mais

Construindo e Integrando VPNs Utilizando IPSEC

Construindo e Integrando VPNs Utilizando IPSEC Construindo e Integrando VPNs Utilizando IPSEC Juscelino C. de Lima Junior, Graziele O. Alves Curso de Segurança de sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Outubro de 2009 Resumo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

A Camada de Rede. A Camada de Rede

A Camada de Rede. A Camada de Rede Revisão Parte 5 2011 Modelo de Referência TCP/IP Camada de Aplicação Camada de Transporte Camada de Rede Camada de Enlace de Dados Camada de Física Funções Principais 1. Prestar serviços à Camada de Transporte.

Leia mais

Unidade 1. Conceitos Básicos

Unidade 1. Conceitos Básicos Unidade 1 Conceitos Básicos 11 U1 - Conceitos Básicos Comunicação Protocolo Definição de rede Rede Internet 12 Comunicação de dados Comunicação de dados comunicação de informação em estado binário entre

Leia mais

Como as redes privadas virtuais funcionam

Como as redes privadas virtuais funcionam Como as redes privadas virtuais funcionam Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Que faz um VPN? Analogia: Cada LAN é uma ilha Tecnologias de

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc.

Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Segurança em Correio Eletrônico Aplicação mais usada no mundo Altamente vulnerável Serviços necessários: Confidencialidade Autenticação

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. IPv6. Prof. Claudemir

Fundamentos de Redes de Computadores. IPv6. Prof. Claudemir Fundamentos de Redes de Computadores IPv6 Prof. Claudemir Implantação do IPv6 Implantação do IPv6 Implantação do IPv6 Implantação do IPv6 RIR Regional Internet Registries (Registrador Regional de Internet)

Leia mais

IPSec & Redes Virtuais Privadas

IPSec & Redes Virtuais Privadas IPSec & Redes Virtuais Privadas Informe Técnico Página 1 de 19 I. Introdução A Unicert Brasil Certificadora é uma empresa que atua em tecnologia de informação, com produtos e serviços consistentes com

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores CAMADA DE REDE DHCP NAT IPv6 Slide 1 Protocolo DHCP Protocolo de Configuração Dinâmica de Hospedeiros (Dynamic Host Configuration Protocol DHCP), RFC 2131; Obtenção de endereço de

Leia mais

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP Modelos OSI e TCP/IP Modelo em camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Comparação dos modelos Endereçamento de rede Modelo de camadas Encapsulamento Desencapsulamento Modelo OSI Sistema

Leia mais

FormaçãoIPv6-Maputo. Segurança Maputo 28 de Agosto de 2008 Carlos Friaças e Pedro Lorga

FormaçãoIPv6-Maputo. Segurança Maputo 28 de Agosto de 2008 Carlos Friaças e Pedro Lorga FormaçãoIPv6-Maputo Segurança Maputo 28 de Agosto de 2008 Carlos Friaças e Pedro Lorga Segurança Agenda/Índice O que há de novo no IPv6? Ameaças IPsec Firewall Conclusão O que há de novo no IPv6? A Segurança

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 1 Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br - O que é a Internet? - Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais - Executando aplicações

Leia mais

Como as Virtual Private Networks Funcionam

Como as Virtual Private Networks Funcionam Como as Virtual Private Networks Funcionam Índice Introdução Antes de Iniciar Convenções Pré-requisitos Componentes Usados Informações Complementares O que forma uma VPN? Analogia: Cada LAN É um IsLANd

Leia mais

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP

INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP Arquitetura TCP/IP Arquitetura TCP/IP INTERNET = ARQUITETURA TCP/IP gatewa y internet internet REDE REDE REDE REDE Arquitetura TCP/IP (Resumo) É útil conhecer os dois modelos de rede TCP/IP e OSI. Cada

Leia mais

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Rede. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Rede Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Internet Protocol IP; Fragmentação do Datagrama IP; Endereço IP; Sub-Redes; CIDR Classes Interdomain Routing NAT Network Address Translation

Leia mais

Uma solução segura e escalável para Acesso Remoto VPN

Uma solução segura e escalável para Acesso Remoto VPN Laboratório de Administração e Segurança de Sistemas Instituto de Computação Universidade Estadual de Campinas Uma solução segura e escalável para Acesso Remoto Autores: Edmar Roberto Santana de Rezende

Leia mais

Unidade 2.4 Endereçamento IP

Unidade 2.4 Endereçamento IP Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.4 Endereçamento IP 2 Bibliografia da disciplina

Leia mais

Autenticação: mais uma tentativa. Autenticação: mais uma tentativa. ap5.0: falha de segurança. Autenticação: ap5.0. Assinaturas Digitais (mais)

Autenticação: mais uma tentativa. Autenticação: mais uma tentativa. ap5.0: falha de segurança. Autenticação: ap5.0. Assinaturas Digitais (mais) Autenticação: mais uma tentativa Protocolo ap3.1: Alice diz Eu sou Alice e envia sua senha secreta criptografada para prová-lo. Eu I am sou Alice encrypt(password) criptografia (senha) Cenário de Falha?

Leia mais

O que é VPN? A VPN Connection

O que é VPN? A VPN Connection O que é VPN? As redes virtuais privadas (VPNs) são conexões ponto a ponto em redes privadas ou públicas, como a Internet. Um cliente VPN usa protocolos especiais baseados em TCP/IP, denominados protocolos

Leia mais