Dimensão ambiental, de saúde e segurança

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dimensão ambiental, de saúde e segurança"

Transcrição

1 em busca da excelência Dimensão ambiental, de saúde e segurança A gestão de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSMA) é integrada e gerenciada pelo sistema SEMPRE. Os resultados obtidos em são consequência de investimentos e novos projetos aliados ao compromisso dos Integrantes com as metas para promoção do desenvolvimento sustentável. RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 6 Produzir hoje, garantindo os recursos naturais para o amanhã. O SEMPRE Excelência em Segurança, Saúde e Meio Ambiente é um sistema integrado de gestão instituído em, com o objetivo de prevenir e minimizar riscos e perdas nessas áreas. Em, foram realizados diagnósticos nos novos ativos adquiridos pela Braskem, identificando o grau de conformidade das práticas de cada planta com os requisitos do sistema e gerando, consequentemente, um plano de ação plurianual que suporta a implantação em todas essas áreas. A Braskem acredita que o desenvolvimento sustentável, a valorização do ser humano e o comportamento ético são essenciais para alcançar níveis crescentes de excelência empresarial. Atingir uma cultura de excelência em saúde, segurança e meio ambiente significa empreender transformações no conjunto de comportamentos, decisões, práticas, crenças e valores individuais, buscando a prevenção e a melhoria contínua. Para isso, a Braskem definiu seus elementos estratégicos em saúde, segurança e meio ambiente, consolidando a estratégia da Companhia para excelência em SSMA. Esses elementos contêm os requisitos que devem ser implementados em todos os processos organizacionais da empresa. Os elementos decorrem da política de saúde, segurança e meio ambiente e dos princípios de atuação, apoiando-se em padrões, ferramentas e indicadores de desempenho que facilitam o desdobramento dos requisitos nos processos organizacionais. 13 Investimentos em SSMA (R$ milhões) O conjunto de princípios, políticas, elementos estratégicos, diretrizes, padrões, procedimentos e ferramentas de SSMA garante o atendimento aos requisitos legais e de todos os requisitos voluntários assumidos pela Braskem. Os investimentos no fortalecimento da estratégia de sustentabilidade da Companhia em somaram R$ 328 milhões, sendo R$ 12 milhões para saúde, segurança e meio ambiente (em 39 projetos que contribuíram para a evolução dos índices de desempenho) e R$ 226 milhões nos projetos polietileno verde e ETBE, já explicitados em capítulos anteriores. Os recursos diretamente aplicados em SSMA foram distribuídos da seguinte forma: saúde: R$ 8,4 milhões 32 projetos; segurança: R$ 64,3 milhões 221 projetos; meio ambiente: R$ 29,3 milhões 56 projetos. A de R$ 161 milhões em para R$ 12 milhões em é explicada pela decisão tomada pela Companhia no sentido de aplicar mais recursos de capital em projetos que fortaleçam a sua estratégia de sustentabilidade no longo prazo, como o ETBE e o PE Verde. Os indicadores de ecoeficiência da Braskem atestam que os investimentos em SSMA atingiram a maturidade. Assim, em, foram necessários menos recursos para a manutenção do desempenho nessa área. Requisitos legais em SSMA A Braskem está estruturada para controlar e acompanhar a Legislação Nacional por meio de equipes qualificadas em todos os sites, com o suporte de ferramenta de gestão e consultoria contínua, que atualiza mensalmente os novos projetos de lei

2 relacionados aos negócios da Braskem, assim como todas as alterações da legislação vigente, pertinentes e aplicáveis. Existe um padrão definido que orienta o processo e define indicadores operacionais e estratégicos. Todo o sistema é auditado anualmente, interna e externamente, com cobertura para 1% da legislação aplicável. A Braskem identifica, analisa e trata 1% dos requisitos aplicáveis ao seu negócio. Para atender a novos projetos de lei sancionados, bem como à alteração de leis vigentes, são definidos planos de ação, que visavam à sinergia na homogeneização das práticas entre as diversas plantas industriais. Segurança Em, a Braskem obteve o melhor resultado histórico para os indicadores de segurança do trabalho desde. A evolução progressiva desses indicadores deve-se, em grande parte, ao comportamento preventivo de Integrantes e Prestadores de Serviços nas unidades industriais. Foram realizados diálogos comportamentais por Integrantes e Prestadores de Serviços treinados no Programa de Prevenção de Perdas no Ambiente de Trabalho (PPAT). Quarenta e dois por cento dos diálogos foram conformes, demonstrando uma evolução de 23% no nível de conformidade observado em relação a, período em que foram registrados 34% de diálogos conformes. O PPAT foi fundamental para a evolução da cultura preventiva da Companhia, com indicadores de segurança em acidentes cada vez melhores. A taxa de frequência de acidentes com afastamento (CAF), considerando Integrantes e Prestadores de Serviços por milhão de horas trabalhadas, foi de,16, de 63% em relação a. Em números absolutos, foram registradas 13 ocorrências pessoais, sendo cinco acidentes com afastamento (CAF), 21 sem afastamento (SAF) e 14 com primeiros socorros. Das 13 ocorrências, 81% aconteceram com Prestadores de Serviços e 19% com Integrantes. O resultado de apresenta melhora de 46% em relação a, período em que foram registradas 243 ocorrências pessoais: 88 acidentes SAF, 17 acidentes CAF e 138 acidentes com primeiros socorros. Não foram registrados óbitos de Integrantes ou Prestadores de Serviços desde. Ainda em, foram registrados 273 dias perdidos, considerando Integrantes e Prestadores de Serviços, resultado 74% melhor que o de, quando houve 1.38 dias perdidos por causa de acidentes do trabalho. A taxa de gravidade em foi 8,86, e a de, de 26,26. O resultado reforça o compromisso da empresa com a preservação da integridade e da saúde dos Integrantes e Prestadores de Serviços. Para cálculo desse indicador, são considerados dias civis. A contagem começa no dia seguinte ao acidente. Taxa de gravidade ( 1 milhão hht) 131,69 118,81 São reportadas duas taxas de lesões: frequência de acidentes CAF (com afastamento): são ocorrências em que o aci- 92,8 dentado não retorna à rotina de trabalho no dia seguinte ao acidente e; 58,19 frequência de acidentes CAF + SAF (sem afastamento), que considera os acidentes 63,46 54,85 CAF somados aos acidentes SAF. Este último refere-se às ocorrências em que o acidentado retorna, à rotina de trabalho no dia seguinte ao acidente. 62 Em nenhum dos casos são incluídas as ocorrências com primeiros socorros. Para toda ocorrência registrada é emitido um Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT). Em, a taxa de frequência de acidentes com e sem afastamento (CAF + SAF) foi de,84, considerando Integrantes e Prestadores de Serviços por milhão de horas trabalhadas, o que demonstra de 68% em relação a. Foi o melhor resultado da Companhia desde a sua criação em. De acordo com esse indicador, a Braskem está incluída entre as empresas com melhor desempenho em segurança no trabalho na petroquímica mundial, considerando como benchmark mundial a taxa 1,. Taxa de acidentes SAF + CAF ( 1 milhão hht) 9,6 Taxa de acidentes CAF ( 1 milhão hht) 3,6 7,65 2,42 6,79 1,92 3,58 3,34 1,34 3,67 1,15 2,66,8,43,84 Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal.,16 Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal. 26, ,86 Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal. Em a Braskem obteve os melhores indicadores de segurança e meio ambiente desde sua criação

3 Índice GRi la7 indicador base de cálculo Total Taxa de dias perdidos (acidente de trabalho ou doença ocupacional) / 1.. hht Total de acidentes no transporte de produtos acabados RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 64 Taxa de lesões (Tl) Taxa de dias perdidos (TdP) Registro de doenças ocupacionais Taxa de absenteísmo (Ta) Óbitos Integrantes Prestadores de Serviços Taxa de frequência de acidentes CAF (n o acidentes CAF / hht) * 1.. 1,1,42,22,72,43,14 Total,8,43,16 Integrantes Prestadores de Serviços Taxa de frequência de Acidentes SAF + CAF (n o acidentes (SAF + CAF) / hht) * 1.. 3,33 2,33,89 3,79 2,76,83 Total 3,67 2,66,84 Integrantes Prestadores de Serviços Taxa de dias perdidos (acidente de trabalho e doença ocupacional) (n o dias perdidos + debitados) / hht) * ,62 1,16 9,97 49,91 34,16 11,43 Total 54,85 26,26 11, Total (apenas Integrantes) Integrantes Prestadores de Serviços Registro de doenças ocupacionais Taxa de absenteísmo (Integrantes) Quantidade de doenças ocupacionais registradas no período (n o de dias * 1) / hht Considera a incidência casos de doenças ocupacionais 1 caso de perda auditiva induzida por ruído (PAIR) na PE4, com zero dia perdido por ter sido caracterizada por ocasião do exame demissional do Integrante.,73,75,83 Total,73,75,83 Integrantes Prestadores de Serviços Quantidade de óbitos no ano Quantidade de óbitos no ano Total 3 registros de doenças ocupacionais 1 na PE6 e 1 na PP1 em função de PAIR, ambos com zero dia perdido, pois as doenças foram caracterizadas nos exames demissionais dos Integrantes, e 1 na PE2 identificado como agravamento de lesão osteomuscular preexistente com 66 dias perdidos. Obs.: Não são controladas doença ocupacional e taxa de absenteísmo de Prestadores de Serviços Indicador pro forma. Considera UNIB-RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal. Dos R$ 64,3 milhões investidos em Segurança em, 79% foram destinados a melhorias em segurança de processos e 21% a melhorias em segurança do trabalho. Alagoas, 17,9, Bahia 36,62 18,17 1,21 São Paulo, 8,9, Rio Grande do Sul 13,62 41,5 28,19 Taxa de absenteísmo (incidência) integrantes Alagoas,89,15,142 Bahia,14,19,91 São Paulo,69,5,24 Rio Grande do Sul,34,55,78 Acidentes de transporte A Braskem investe na prevenção de riscos no transporte de produtos perigosos e não perigosos. O programa de gerenciamento de riscos concentra recursos para a capacitação e seleção de Prestadores de Serviços e de seus motoristas. Além disso, os Prestadores de Serviços investem em centrais de monitoramento do transporte de cargas a distância. Os programas que envolvem empresas parceiras especializadas buscam garantir a da probabilidade de ocorrência de sinistros. Mas, caso ocorram, existem centrais de atendimento a emergências em diversas regiões do Brasil com equipamentos, materiais e profissionais capacitados para atendimento aos eventuais sinistros, minimizando possíveis consequências às pessoas, ao meio ambiente e ao patrimônio. Os indicadores de acidentes de transporte também melhoraram em, conforme descrito: Produtos sólidos: registrados 86 acidentes, 19% menos que em, obtendo a menor taxa desde. Produtos líquidos: registrados cinco acidentes, a mesma quantidade de. Existe de 19% nesse índice, porque em e houve mudança de atuação na condição CIF (Coast Insurance Freight) que elevou o indicador no período. Sal: a taxa de acidentes rodoviários com sal matéria-prima para a cadeia de vinílicos foi de 4,8. Somente a partir de, o indicador de carga perigosa foi dividido em carga líquida e sal. Não há referencial comparativo para esse índice. 5 produtos líquidos 5,98 7,36 2 sal total: 93 9,49 9,4 86 produtos sólidos Taxa de acidentes no transporte de produtos sólidos (nº de acidentes / quantidade de viagens / 1.) 8,71 65 LA7 por região Taxa de frequência de acidentes caf / 1.. hht Alagoas,56 Bahia,25,12,8 São Paulo,86 Rio Grande do Sul 1,97,66,35 Taxa de frequência de acidentes saf + caf / 1.. hht Alagoas,84,85 Bahia 1,13 1,79,83 São Paulo 1,6 3,73,78 Rio Grande do Sul 8,98 3,83,87 Roubo de carga Em ocorreram 4 roubos de carga (963 toneladas), 38 deles em conformidade, ou seja, os danos materiais foram pagos pela seguradora, uma vez que a transportadora seguiu todos os procedimentos de segurança estabelecidos no contrato com a Braskem. Do total de 4, duas ocorrências não estavam em conformidade com o Plano de Gerenciamento de Riscos da Companhia. Em relação a, houve aumento de 3,8% no indicador. Segurança de processo O Risk Rating médio das plantas da Braskem melhorou no período de a, em decorrência dos esforços empreendidos para aperfeiçoar o gerenciamento de riscos das instalações e processos produtivos, assim como de treinamentos, auditorias internas de segurança e da participação direta dos líderes em ações de prevenção. O item gerenciamento de riscos representa, no protocolo de avaliação das seguradoras e resseguradoras internacionais, 5% do total de pontos que uma empresa pode obter na inspeção do seguro. Das plantas industriais da Braskem, dez estão acima do padrão (above standard) e as demais estão na categoria standard. O resultado permite posicionamento favorável junto aos seguradores internacionais, na busca pela do prêmio de seguro. Taxa de acidentes no transporte de produtos líquidos (n o de acidentes / quantidade de produto expedido / 1..) 3,17 3,91 3,17 1,14 1,8

4 Percentual de roubo de cargas de resina por volume transportado (quantidade de produto roubado / quantidade de produto transportado),62% Em, foram realizadas auditorias de segurança de processo nas plantas de PVC AL, PVC BA, CS AL, CS BA, PE2 e UNIB RS. Todas foram classificadas com Risk Rating superior à última inspeção realizada. A evolução do Risk Rating da Braskem foi de 85,93 () para 88,91 (). Em relação à segurança química, a Companhia assumiu, perante o ICCA (International Council of Chemical Associations), o compromisso de liderar, com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), a implantação do GPS (Global Product Strategy). O GPS é uma iniciativa do ICCA para promover o reconhecimento e a divulgação dos riscos às pessoas e ao meio ambiente, decorrentes do uso de produtos químicos.,33%,27%,26% RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE,19% Essa iniciativa está alinhada à estratégia global do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), com objetivo similar, chamada SAICM (sigla em inglês para Abordagem Estratégica para a Gestão Internacional das Substâncias Químicas). Em, foi conduzido texto-piloto para verificar a adequação do documento preliminar de diretriz global do ICCA à situação do Brasil. A versão final será emitida pelo ICCA em 21, considerando as contribuições recebidas pelos diversos pilotos preparados em outros países. Suzuki Recicladora desenvolve nova tecnologia para reutilização do plástico Saúde Risk Rating Braskem 88,91 87,2 87,19 86,6 85,93 66 Nota: considerando-se que os critérios de avaliação do Risk Rating utilizados pelas seguradoras internacionais foram alterados em, os resultados das auditorias estão sendo reportados de a. No que se refere à gestão de saúde, as estratégias e ações da Braskem envolvem atividades de promoção que visam ao bem-estar físico, mental e social dos Integrantes, como campanhas de vacinação, bem como o atendimento aos programas de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce de doenças ocupacionais e clínicas. As novas condutas e procedimentos médicos de orientação aos Integrantes resultaram na melhoria da sinistralidade no plano de saúde da assistência médica supletiva, contribuindo na renegociação das apólices de saúde da Braskem. Como parte do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional foram realizados todos os exames médicos periódicos e avaliações de consultas clínicas que evidenciaram a incidência de nove casos de suspeita de doenças ocupacionais com Integrantes em. Dentre eles, três já foram confirmados, sendo dois casos por perda auditiva induzida por ruído (PAIR) na PP1 e PE6 e um caso por agravamento de lesão osteomuscular preexistente na PE2. Não foram acompanhados casos de doença ocupacional com Prestadores de Serviços. Quanto à gripe A H1N1, foram realizadas ações de comunicação e informação a respeito da doença. O monitoramento sistemático dos locais de trabalho, de acordo com os Programas de Prevenção dos Riscos Ambientais (PPRAs), permitiu gerenciar as ações de prevenção e controle dos riscos químicos, físicos, biológicos e ergonômicos dentro de padrões reconhecidos internacionalmente. A taxa de absenteísmo da Braskem considera o índice de incidência de doenças não ocupacionais. Os indicadores da próxima tabela refletem a mudança da atitude dos Integrantes, que passaram a informar à área médica suas ausências ao trabalho por problemas de saúde. Meio ambiente Os resultados alcançados pela área de meio ambiente em foram os melhores para todos os indicadores de ecoeficiência desde, embora ainda existam oportunidades de eliminação de perdas e uso racional dos recursos naturais, reuso de efluentes, entre outras. Dos R$ 29,3 milhões investidos em meio ambiente, 81% foram destinados a efluentes, 2% a resíduos e 17% para aquisição de equipamentos de monitoramento ambiental e melhorias no consumo de água e energia. Evolução dos indicadores de ecoeficiência desde de 61% na geração de resíduos sólidos; de 12% no consumo de energia; de 19% no consumo de água; de 4% no volume de efluentes líquidos. Geração de resíduos sólidos As ações e projetos relativos ao controle na geração de resíduos sólidos em resultaram na de 19% da taxa de geração de resíduos em relação a. Esse índice representa absoluta de kg / ano. Geração de resíduos (kg/t) Os R$ 8,4 milhões investidos em Saúde, em, foram distribuídos da seguinte maneira: reforma e adequação do serviço médico, vestiários e refeitórios: 11,3%; segurança Química: 33%; melhorias ergonômicas: 17,2%; programa de Prevenção da Exposição Ocupacional ao Benzeno (PPEOB): 17,1%; programa de proteção respiratória: 1,9%; outros: 19,5%. 6,95 5,77 4,66 4,37 4,9 3,71 3,37 2,72 Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal e Mineração. Madeira plástica, solução sustentável A Acinplas, pool de empresas transformadoras de embalagens plásticas para frutas e verduras, encontrou uma solução de custo competitivo para aproveitar sobras de matéria-prima do processo produtivo em suas unidades e em empresas vizinhas. A tecnologia capaz de reciclar até mesmo plástico sujo e úmido foi desenvolvida pela unidade de reciclagem Suzuki Recicladora, sócia do pool Acinplas. Com as toneladas de plástico reciclado são feitas peças em madeira plástica. A Braskem participa do projeto adquirindo bancos, floreiras, lixeiras, mesas e outros equipamentos feitos em madeira plástica e que serão instalados no Parque de Convivência de Paulínia e no Centro de Educação Ambiental de Maceió, situado no Cinturão Verde, no entorno do polo da Companhia na capital alagoana. A madeira plástica não é novidade no mercado, mas sempre foi muito cara. O que há de novo é o sistema desenvolvido pela Suzuki, que vai baratear o processo, podendo ser utilizado por cooperativas de catadores, afirma Gustavo Borat Bazzano, Diretor Geral da Acinplas. Dessa maneira, a Acinplas está contribuindo para o desenvolvimento de soluções para o descarte correto do plástico e geração de renda para as cooperativas, com o aproveitamento de materiais que não têm valor de mercado depois de utilizados. 67

5 GRI (EN24): total de resíduos transportados e exportados que a empresa tenha tratado, discriminados por destinação quantidade em kg Total de resíduos / destinação disposição de resíduos (aterros industriais, injeção em poços profundos, colocação em minas desativadas) 16,% 13,2% 14,3% Tratamento de resíduos (desidratação de lodo, fazendas de óleo, biolavagem, solidificação e estabilização, encapsulamento, etc.) 1,8% 2,5% 4,9% incineração de resíduos (com e sem reaproveitamento energético) 39,7% 39,1% 36,7% Reciclagem externa RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE (coprocessamento em fornos de clínquer, bolsas resíduos, simbiose ind.) 25,1% 29,6% 28,5% Outra destinação % 15,6% 15,6% GRI (EN24): peso total em kg dos resíduos perigosos transportados, importados, exportados e tratados Total de resíduos / destinação 68 Tratamento ambiental em Triunfo (RS) O transporte e o manejo de resíduos perigosos estão definidos nos anexos I, II, III e VIII da Convenção de Basileia, para assegurar a segurança ambiental e da saúde humana. A Convenção de Basileia foi aprovada em 1988, na Suíça, e entrou em vigor em 1992, proibindo a importação e exportação de qualquer resíduo para fins de destinação final ou reciclagem. O manejo adequado de resíduos perigosos é questão de fundamental importância para os públicos relacionados com as organizações, uma vez que diz respeito à responsabilidade empresarial. Peso total dos resíduos perigosos transportados Peso total dos resíduos perigosos importados NA * NA * NA * Peso total dos resíduos perigosos exportados NA * NA * NA * Peso total dos resíduos perigosos tratados A Braskem não apresentou inconformidades com leis e regulamentos ambientais nos anos de, e. A Companhia também não sofreu aplicação de multas e sanções não monetárias em decisões que tenham tramitado em julgado. Nenhuma penalidade definitiva com valores significativos foi aplicada à empresa. * NA: não se aplica consumo de energia Em, o resultado de consumo de energia da Braskem diminuiu 5% em relação a. Em valores absolutos, houve de GJ / ano. (GRi en24) Quantidade (em kg) Total de resíduos Consumo de energia (Gj/t) perigosos gerados ,49 12,2 11,85 11,99 11,75 11,66 11,62 11, GRI (EN24): peso total dos resíduos perigosos transportados total de resíduos destinados em volume (kg) e sua representatividade sobre o total de resíduos destinados, medido em %. Total de resíduos perigosos transportados / destinação Tratamento de resíduos ,3% 58,4% 59,3% Reciclagem externa ,7% 41,6% 4,7% Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal e Mineração.

6 GRI (EN24): total de resíduos perigosos gerados (quantidade em kg) GRI (EN5) A consolidação da Braskem se deu por meio da incorporação de indústrias com aspectos produtivos diversos (plantas de cloro-soda, PVC, eteno, propeno, PE, PP, etc.), abrindo espaço para ações com foco em do consumo de energia. Nos últimos anos, ações pontuais foram tomadas para a eficiência energética e a conservação de energia nos processos, potencializando os recursos da tecnologia instalada. Exemplo: melhorias nos fornos das plantas de olefinas e aromáticos; melhorias nos sistemas de produção e transporte de vapor; otimização da operação de sistemas de bombeamento; compressores; otimização da operação de purgadores. Produzida (GJ) comprada (GJ) Vendida (GJ) consumida (GJ) Fontes não renováveis de energia direta Carvão Gás natural Combustível destilado de petróleo bruto, incluindo gasolina, diesel, GLP, GNC, GNL, butano, propano, etano, etc RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 7 Estudos de integração energética de plantas industriais estão em curso, seja por meio de ações entre áreas das fábricas ou entre duas ou mais unidades, localizadas no mesmo perímetro. Recentemente, foram intensificados esforços para o término da estruturação de um programa que não se limitará à do consumo final de energia. O objetivo é aumentar a eficiência dos sistemas de produção de vapor e eletricidade, além de reduzir perdas com o transporte de energia. As ações colocadas em prática nos últimos cinco anos, para aumentar a eficiência energética, deverão proporcionar uma economia média de 8,44 milhões de GJ. A meta para os próximos cinco anos é reduzir o indicador global de energia (que mede a quantidade de energia por tonelada de produto) em 12%, tendo como base o ano de. (GRI EN3): consumo de energia direta discriminado por fonte de energia primária (GJ) Produzida (GJ) comprada (GJ) Vendida (GJ) consumida (GJ) Fontes não renováveis de energia direta Carvão Gás natural Combustível destilado de petróleo bruto, incluindo gasolina, diesel, GLP, GNC, GNL, butano, propano, etano, etc (base carvão) Vapor Fontes renováveis de energia direta (hidrelétrica) Combustíveis biológicos Etanol Hidrogênio TOTal Produzida (GJ) comprada (GJ) Vendida (GJ) consumida (GJ) Fontes não renováveis de energia direta Carvão Gás natural Combustível destilado de petróleo bruto, incluindo gasolina, diesel, GLP, GNC, GNL, butano, propano, etano, etc (base carvão) Vapor Fontes renováveis de energia direta 71 (base carvão) (hidrelétrica) Vapor Combustíveis biológicos Fontes renováveis de energia direta Etanol (hidrelétrica) Combustíveis biológicos Etanol Hidrogênio TOTal Ações para aumentar a eficiência energética deverão proporcionar economia média de 8,44 milhões de GJ Hidrogênio TOTal Obs.: 1 Materiais diretos são os materiais que estão presentes no produto final 2 Materiais não renováveis são recursos que não se renovam em períodos curtos de tempo, tais como minerais, metais, petróleo, gás, carvão, etc.

7 Adutora Santa helena RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE Em, foi concluída a construção da nova adutora Santa helena, na Bahia. O projeto garante o abastecimento de água da Barragem Santa helena para todo o Polo de Camaçari em época de estiagem, a partir de um manancial pouco influenciado pelas condições climáticas. O abastecimento assegura a continuidade das operações industriais. Consumo de água Geração de efluentes Assim como ocorreu com os demais indicadores de ecoeficiência, o referente ao consumo de água em apresentou significativa. Em relação a, houve diminuição na taxa de consumo de água em 15%, representando de m3 /ano no consumo absoluto. Em, o resultado de geração de efluentes da Braskem foi 13% menor que o de. Em valores absolutos, a foi de m3/ano. Geração de efluentes (m3/t) Consumo de água (m3/t) 4,91 4,68 4,55 4,73 4,63 4,53 2,5 1,92 4,71 1,49 3,99 1,41 1,37 1,3 1,41 1,22 Com a nova adutora Santa helena, a água que anteriormente abastecia o Complexo de Camaçari também abastecerá Salvador. O projeto foi realizado em parceria com a Empresa de Água e Saneamento do Estado da Bahia (Embasa). Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal e Mineração. Nota: indicador pro forma. Considera UNIB - RS, PE5, PP2, PE6 e PE3 a partir de e PP3 a partir de. Inclui a planta de Eteno Verde em. Não inclui Cinal e Mineração. Os indicadores a seguir contribuem para a compreensão dos impactos e riscos potenciais ligados ao uso da água. GRI (EN8): volume total de água retirada* em m³ por ano 72 Volume total de água retirada (direta e indiretamente) * O total de retirada é a soma de toda a água levada para os limites da empresa e proveniente de fontes diversas (superfície, subterrânea, de chuva e abastecimento municipal) para qualquer uso durante o período coberto pelo reporte. (GRI EN1): volume de água reciclada ou reutilizada em m³ por ano e o percentual de água reciclada ou reutilizada como percentual de água retirada* Volume total de água retirada (direta e indiretamente) Braskem (total de água reciclada / reutilizada) ,2% 3,7% 4,1% % de água reciclada / reutilizada pelo volume total de água retirada * O indicador apresenta o grau de eficiência hídrica da empresa. Derramamento de substâncias químicas (GRI EN8): volume total de água retirada por ano, em m³, discriminado por fonte Água de superfície, incluindo áreas úmidas, rios, lagos e oceanos Fontes Água subterrânea Água de chuva diretamente coletada e armazenada pela organização relatora Efluentes de uma outra organização NA* NA* NA* Abastecimento municipal de água ou outras empresas de abastecimento de água * NA: não se aplica Esse indicador reporta impactos negativos ao meio ambiente, resultantes de vazamento de produtos químicos, óleos ou combustíveis. Esforços a fim de evitar vazamento de produtos perigosos estão diretamente ligados à busca contínua da empresa pelo cumprimento das diretrizes e procedimentos. Eventual descumprimento pode causar acidentes com potenciais danos à marca, riscos financeiros e possíveis passivos jurídicos relacionados a questões ambientais. GRI (EN23): derramamentos significativos registrados e perdas em dólares Quantidade Descrição do derramamento Explosão no reator de polímeros na PE2 Quantidade de derramamentos significativos registrados 1 Volume derramado 24,4 ton de n-hexano + 3,2 ton de eteno Perda (em dólares) U$$ 18 milhões * Valor da perda definido levando-se em consideração as perdas materiais (ativos e produtos), danos * O indicador apresenta O grau de eficiência hídrica da empresa ambientais e perdas por eventual lucro cessante. Valor alinhado com empresas seguradoras. 73

8 Gases de Efeito Estufa A Braskem apresentou nas emissões atmosféricas de CO2e em A Braskem atualizou seu inventário de emissões de gases contribuintes para o efeito estufa, ampliando a abrangência para o escopo 3, ou seja, considerou as atividades upstream na cadeia produtiva, itens de Uso e Disposição de Produtos (parcial), Supply Chain e Viagens a Negócio, emissões equivalentes relacionadas a atividades de suporte, cuja gestão não é da Companhia. Além da inserção do escopo 3, a Braskem consolidou o inventário para 1% de suas plantas industriais, incluindo duas novas unidades, uma no Rio Grande do Sul e outra em São Paulo, e, ainda, os centros corporativos. RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 74 Medição das emissões de gases de efeito estufa Em, foi concluído o inventário das emissões de gases de efeito estufa e de gases destruidores da camada de ozônio, em todas as plantas industriais da Companhia, com base no ano de. Nesse processo, a Braskem foi assessorada pela consultoria ambiental ERM. Bráulio Pickmann, um de seus Diretores, explica que os resultados obtidos refletem os investimentos feitos em tecnologia, mudanças operacionais e melhoria de processos. Esse é o caminho seguido pelas empresas brasileiras que se posicionam em relação ao tema das mudanças climáticas e à necessidade de reduzir as emissões de gases de efeito estufa por tonelada de produtos. Quanto à Braskem, os programas ambientais implementados e o compromisso assumido com a excelência sinalizam o propósito de vir a ser referência internacional em alguns anos. As emissões diretas (GEE) em foram de toneladas de CO 2e (CO 2 equivalente) e as emissões indiretas de t CO 2e, apresentando nas emissões atmosféricas de CO 2e de 6% no escopo 1 e 41% no escopo 2, como resultado de ações de melhorias e gerenciamento eficazes em suas operações internas. O inventário será submetido à verificação externa no próximo ano. Com o inventário de GEE, foi atualizado também o inventário de emissões das substâncias destruidoras da camada de ozônio, com base no ano de. O inventário permite à empresa avaliar o quanto está adaptada à legislação específica sobre o tema. O inventário engloba os gases CO 2 (dióxido de carbono), CH4 (gás metano), N 2 O (óxido nitroso) e HFC 134 (hidrofluorcarbono, fluido refrigerante), dentre outros. A posição e o compromisso da Companhia em relação às emissões de CO 2 estão expressos no documento É preciso amadurecer para ser verde, lançado em agosto de. Além dos avanços obtidos em nos indicadores e na em valores absolutos e valores relativos (intensidade), a Braskem deu um passo importante, quando passou a reportar suas emissões de escopo 3, assim como iniciou a preparação para uma verificação externa do inventário, que deve ocorrer nos próximos anos. A Companhia pretende melhorar a intensidade das emissões, com de, no mínimo 11%, até 212, com base nos valores de. Nota: as tabelas a seguir são relativas aos escopos 1, 2 e 3. Os dados reportados a seguir não incluem PE6 e PP3 nos inventários de a. GRI EN16 Emissão de CO 2e (ton) Fonte de emissão co 2e (t) co 2e (t) co 2e (t) co 2e (t) Emissões de combustão , , , ,21 Emissões fugitivas (linhas gás refrigerante / isolante) 3.2, 74.15, , , Emissões fugitivas (linhas CH 4 e CO 2 ) , , , ,83 Emissões de ventilação em processo , , , ,13 Total escopo , , , ,17 Compra de energia , , , ,36 Total Escopo , , , ,36 Fontes móveis de combustão , Transporte de matéria-prima , Transporte de resíduos , Disposição de resíduos , Tratamento de efluentes , Matérias-primas fósseis , 75 Viagens em aeronaves , Total Escopo 3,,, , Nota: a Braskem começou a emitir o inventário de emissões de gases de efeito estufa a partir de e a considerar o escopo 3 em. O inventário foi elaborado segundo uma abordagem bottom-up, a partir de informações de processos coletadas nas diversas plantas e cálculos baseados em balanço de massa e / ou fatores de emissão incluídos em protocolos internacionais, como o AP-42 (Compilation of Air Pollutant Emission Factors Volume I, Fifth Edition, January, revised edition), o Compêndio API (American Petroleum Institute), com base nos cinco princípios referendados no documento Greenhouse Gas (GHG) Protocol Corporate Accounting and Reporting Standard Revised Edition, da WRI (World Resources Institute) e WBCSD (World Business Council for Sustainable Development). O Inventário de GEE da Braskem baseou-se nos princípios do Petroleum Industry Guidelines for Reporting Greenhouse Gas Emissions (IPIECA/ API/ OGP, ), de modo a atender à categoria Tiers. Foi adotada a unidade de medida CO 2e (dióxido de carbono equivalente). O CO 2 equivalente é o resultado da multiplicação das toneladas emitidas do GEE pelo seu potencial de aquecimento global. O potencial de aquecimento global do CO 2 foi convencionado como 1. Por exemplo, o potencial de aquecimento global do gás metano é 21 vezes maior que o potencial do CO 2, portanto o CO 2 equivalente do metano é igual a 21. Bráulio Pickmann, da ERM

9 GRI (EN19): emissões de substâncias destruidoras da camada de ozônio ano unidade emissões de HFc em t equivalentes de HFc 134 emissões de HFc em t equivalentes de HFc 134a emissões de HFc em t equivalentes de HcFc 22 emissões de HFc em t equivalentes de HcFc 141b emissões de cfc em t equivalentes de cfc 12 emissões de ctc em t equivalentes de ctc emissões de ccl4 em t equivalentes de ccl4 UNIB RS,534 UNIB BA 3,42 PE1 BA 2,2 PE2 BA 1,23 PE3 BA 3,86 CS AL 3,2 5,6 19, CS BA 3,184 PVC AL,54 PVC BA,85,3 Total, 3,2 21,23, 19,3,, UNIB RS,1,914 PE1 BA 2,24 PE2 BA 4,759 PE3 BA 4,128 PE4 RS 2,74 PP1 RS,68 CS BA 2,744 CS AL 16,7 3,52,95 25,26 PVC AL,1 PVC BA 52,31 1,341 Total 52,31 16,7 22,43,,95 25,26, UNIB RS,8872 UNIB BA,272 1,742,36 PE1 BA 1,94 PE2 BA 1,344 PE3 BA 4,951 PE4 RS 4,116 PP1 RS,4 PE5/PP2 RS,1592 CS AL 13,75 5,6 4,5 23,92 CS BA 4,116 PVC AL 1,2 PVC BA 44,65,68 UA3 BA,1632,17 Total 44,65 24,86 24,67 4,553, 23,92, UNIB RS,6292 PE1 BA 1,64 PE2 BA 4,256 PE3 BA 5,88 PE4 RS,272 PE5 RS 11,46 PP1 RS,952 PP2 RS,2855 PP3 SP,57 CS BA 2,24 CS AL 18,45 5,6 1,16 PVC BA 15,7,952 PVC AL 27,2 CPL BA,3787 Total 15,76 46,28 31,86 1,16,3787 Observações: não são abrangidas as substâncias destruidoras da camada de ozônio contidas em produtos ou por eles emitidas durante seu uso ou disposição; estão incluídas as emissões das substâncias abrangidas pelos anexos A, B, C e E do Protocolo de Montreal sobre substâncias que destroem a camada de ozônio; emissões = produção + importação exportação de substâncias; produção = substâncias produzidas substâncias destruídas por tecnologia; substâncias usadas totalmente como matéria-prima na fabricação de outras substâncias químicas; substâncias destruidoras da camada de ozônio recicladas não são consideradas como produção; GRI (EN18): para reduzir as emissões de gases causadores de efeito estufa e as reduções obtidas GRI (EN18): identificação das reduções de emissões de todas as fontes de propriedade da Braskem ou por ela controladas e resultantes do uso de energia indireta e atividades Fontes Emissões indiretas (compra de energia) Emissões de combustão Emissões fugitivas (linhas gás refrigerante/ isolante) Emissões fugitivas * O indicador apresenta o grau de eficiência hídrica da empresa (linhas CH 4 e CO 2 ) Emissões de ventilação em processo 73.53, , , , , , ,54 Em, foram atualizados os inventários de GEE e de emissões de substâncias destruidoras da camada de ozônio

10 GRI (EN18): para de emissões de GEE Áreas de implementação. Áreas Avaliação e melhoria do processo / aplicação de investimento e alterações de projeto / capacitação dos envolvidos (emissões de ventilação em processo) e (emissões de combustão). CPL BA/ PVC BA / UNIB RS Avaliação e melhoria do processo / aplicação de investimento e alterações de projeto / capacitação dos envolvidos (emissões de combustão) PE4 RS / PE2 BA/ PE3 BA /PE5 RS / PP1 RS / PP2 RS / UNIB BA / PVC SP Modificações diversas na planta de Olefinas 1 RS, durante a parada geral de manutenção. Parte da modificação foi causada pelo desgargalamento da planta, permitindo maior produção. Com isso foi possível produzir mais, com aumento proporcional de consumo de energia menor que o aumento da produção. UNIB (RS) RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE Modificações diversas na planta de Olefinas 1 RS, durante a parada geral de manutenção. Parte da modificação foi causada pelo desgargalamento da planta, permitindo maior produção. Com isso foi possível produzir mais, com aumento proporcional de consumo de energia menor que o aumento da produção. Redução da produção na Unib RS com 1 planta parada em janeiro e parcialmente parada em fevereiro por causa da crise, levando ao menor consumo de energia e menor emissão de CO 2. As melhorias de de consumo de energia, introduzidas em Olefinas 1 RS em, foram capturadas em. Projeto de de perdas de vapor na UPVC AL, desenvolvido em e certificado na metodologia Six Sigma em fevereiro de 21. Principal ação: otimização da geração de energia elétrica versus consumo de vapor (sem investimento). Investimento realizado de R$ 6 mil (troca de purgadores danificados). Economia anual atingida: R$ 1,4 milhões (custo evitado). Paralisação parcial da produção de UA3 com a interrupção da fabricação de CPL. Com a parada do reator da planta de CPL cessou a emissão de N 2 O que era a mais significativa contribuição da unidade na geração de gases de efeito estufa. Áreas UNIB (RS) UNIB (RS) PVC (AL) UNIB BA (CPL) Proteção ambiental O total de investimentos e gastos em proteção ambiental é um indicador que permite avaliar a eficiência da empresa em relação às suas ambientais. GRI (EN3): custos, em reais, referentes à disposição de resíduos, tratamento de emissões e mitigação de impactos ambientais Preservação ambiental em Triunfo (RS) 78 GRI (EN18): reduções de emissões de GEE obtidas durante o período coberto pelo relatório, como resultado direto da(s) iniciativa(s) em toneladas equivalentes de CO 2 serviços variáveis de produção (custo variável) Serviços de tratamento de efluentes líquidos, destinação de resíduos sólidos, recuperação de embalagens e outros. R$ ,43 R$ ,6 79 Gerenciamento de emissões atmosféricas R$ ,58 R$ ,37. Parada de manutenção da planta de Olefinas 1 RS, durante um mês. Redução de produção na Unib RS com parada da planta de Olefinas 1 RS a partir de 1 de novembro, por causa da crise mundial. Redução de consumo de energia em Olefinas 1 RS, causada por melhorias introduzidas durante a parada de manutenção. A captura foi parcial no ano de. Redução de emissões t CO 2e Gerenciamento de águas subterrâneas R$ ,52 R$ ,2 Energia e água administrativa R$ ,84 R$ ,2 Outros monitoramentos ambientais R$ ,89 R$ , Investimentos em meio ambiente R$ 24.., R$ ,92 TOTal R$ ,26 R$ ,75 Áreas Obs.: a gestão integrada de custos e orçamentos em saúde, segurança e meio ambiente foi implantada em. Por esse motivo, os valores de não foram reportados. Redução da produção na Unib RS com 1 planta parada em janeiro e parcialmente parada em fevereiro, por causa da crise, levando ao menor consumo de energia e menor emissão de CO 2. As melhorias de de consumo de energia, introduzidas em Olefinas 1 RS em, foram capturadas em. Projeto de de perdas de vapor na UPVC AL, desenvolvido em e certificado na metodologia Six Sigma em fevereiro de 21. Principal ação: otimização da geração de energia elétrica versus consumo de vapor (sem investimento). Investimento realizado de R$ 6 mil (troca de purgadores danificados). Economia anual atingida: R$ 1,4 milhões (custo evitado) t CO 2e 3.42 t CO 2e GRI (EN3): custos (em R$) de prevenção e gestão ambiental Paralisação parcial da produção de UA3 com a interrupção da fabricação de CPL. Com a parada do reator da planta de CPL cessou a emissão de N 2 O que era a mais significativa contribuição da unidade na geração de gases de efeito estufa t CO 2e Pessoal utilizado em educação e treinamento Licenças ambientais R$ , R$ ,5 Gerenciamento de emissões atmosféricas R$ ,58 R$ ,37 Gerenciamento de águas subterrâneas R$ ,52 R$ ,2 Pessoal para atividades gerais de gestão ambiental Pesquisa e desenvolvimento Despesas extras para instalar tecnologias mais limpas Despesas extras em compras verdes Outros monitoramentos ambientais R$ ,89 R$ ,

11 Localização: av. Assis Chateaubriand, 5.26, Pontal da Barra, Maceió (AL) Área útil total: m² Área construída: m² Área total do terreno: m² Parque de Proteção Ambiental (Unib / RS) Parque de Proteção Ambiental com 68 hectares às margens do rio Caí. A área da Unib RS é de 157 hectares (soma das áreas industrial, protegida e adjacentes). Objetivo do projeto: oferecer à comunidade, principalmente estudantes do ensino fundamental, palestras sobre o meio ambiente. O parque é monitorado cientificamente por meio de convênio com a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul. RELATÓRIO ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE 8 Desde o diagnóstico da população local, para planejamento de atividades, até o engajamento dos parceiros em sua concepção, o projeto do parque se mostrou dinâmico e integrador. Representados no processo, os parceiros passam a trabalhar em rede colaborativa, sendo envolvidos na garantia de melhores resultados. Daniela Monteiro, Coordenadora de Relacionamento Institucional do Gaia Projeto Parque de Paulínia Em uma área de 3 mil m², em Paulínia, interior de São Paulo, está sendo instalado o Parque da Amizade, espaço reservado a lazer, a atividades culturais e projetos ambientais. A iniciativa inclui entre os parceiros da Braskem, o poder público e o Grupo de Aplicação Interdisciplinar à Aprendizagem (Gaia). Os recursos financeiros são de responsabilidade da Braskem, cumprindo parte do acordo de compensação firmado com o Governo do Estado de São Paulo na concessão de licença ambiental para instalação da Petroquímica Paulínia. Com o projeto serão beneficiados cerca de 15 mil moradores de bairros vizinhos, os possíveis frequentadores do parque. A inauguração está prevista para o final de 21. No parque haverá uma área de preservação permanente (APP), onde será desenvolvido projeto de recomposição de Mata Atlântica. Projeto Parque Paulínia (PP3 / Paulínia / SP) Quando estiver instalado, o parque irá abranger uma área de 3 mil m². A inauguração está prevista para o final de 21. Serão desenvolvidos projetos ambientais, de lazer e culturais. Nele haverá uma área de preservação permanente (APP), onde será desenvolvido projeto de recomposição de Mata Atlântica. Localização: bairro Betel. Características: área composta de 121 espécies pioneiras e 125 não pioneiras, totalizando 246 mudas de árvores (manutenção e preservação sob responsabilidade Braskem). Projeto de recuperação da mata ciliar do Córrego do Jacaré (PP3 / Paulínia) Projeto implementado em janeiro de. Características: ao longo do córrego do Jacaré, cujas margens estão há décadas em processo de degradação, foram replantadas mais de 2.2 árvores nativas de cerca de 5 espécies, onze delas ameaçadas de extinção. A área, de 1,35 hectares, fica no limite do terreno onde está instalada a unidade PP3 (manutenção e preservação sob responsabilidade da Braskem). Programa Corredor Ecológico Costa dos Coqueiros (UNIB / Bahia) Projeto socioambiental no litoral norte da Bahia. Contempla o plantio de espécies nativas para recuperação da Mata Atlântica, com ênfase no reflorestamento das nascentes e matas ciliares da região que se estende do Polo Industrial de Camaçari ao parque Sauípe. Observações: I PE4 / PP1 / PE5 / PP2 e PE6 (RS) Não se encaixam no tópico Áreas protegidas. II Cloro-Soda, PVC, PE1, PE2 e PE3 (BA) Também não se encaixam no referido tópico. 81 Biodiversidade no Cinturão Verde (AL) GRI (EN3): despesas totais (em R$) de proteção ambiental Disposição de resíduos, tratamento de emissões e custos de remediação Passivos ambientais R$ , R$ ,33 Custos de prevenção e gestão ambiental R$ ,99 R$ ,54 Áreas protegidas Importantes projetos sociais, ambientais, educativos e culturais desenvolvidos pela Braskem localizam-se em áreas protegidas. Outros, em sua vizinhança, em regiões de rica biodiversidade. Nesse sentido, a empresa considera fundamental identificar, monitorar e reportar os riscos associados às atividades desenvolvidas para, assim, preveni-los e/ou minimizá-los. Educação ambiental no Cinturão Verde (cloro-soda / Alagoas) Área de Preservação Ambiental de 15 hectares, onde são realizados projetos para recuperação do solo, reconstituição topográfica das dunas e recomposição da paisagem da Mata Atlântica de restinga.

o alinhamento com as políticas e práticas da Companhia.

o alinhamento com as políticas e práticas da Companhia. Gestão integrada garante o monitoramento contínuo para evitar perdas e prevenir acidentes, promovendo o alinhamento com as políticas e práticas da Companhia. Como toda organização que vivencia um rápido

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO

FUNDAMENTOS DA GESTÃO A Ultrapar realizou em 2011 um programa de comunicação e disseminação do tema sustentabilidade entre seus colaboradores, com uma série de iniciativas voltadas para o engajamento e treinamento das pessoas.

Leia mais

Indicadores de Sustentabilidade Ambiental. Roberta Bruno S. Carneiro Monsanto Mariana R. Sigrist - BASF

Indicadores de Sustentabilidade Ambiental. Roberta Bruno S. Carneiro Monsanto Mariana R. Sigrist - BASF Indicadores de Sustentabilidade Ambiental Roberta Bruno S. Carneiro Monsanto Mariana R. Sigrist - BASF Indicadores de Sustentabilidade Ambiental Grupo de Trabalho: Fernanda - Solvay Lorena Oxiteno Luis

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Metodologia, resultados e ações CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS CARTA ABERTA AO BRASIL Compromissos Assumidos A. Publicar anualmente o

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável na Braskem Importância da Visão Ampliada

Desenvolvimento Sustentável na Braskem Importância da Visão Ampliada Desenvolvimento Sustentável na Braskem Importância da Visão Ampliada Jorge Soto 08/06/2015 Objetivo Discutir a importância da contribuição empresarial para o Desenvolvimento Sustentável com uma visão que

Leia mais

Química Verde e Petroquímica Impactos na Distribuição Décio Oddone Vice-presidente responsável pela quantiq

Química Verde e Petroquímica Impactos na Distribuição Décio Oddone Vice-presidente responsável pela quantiq Química Verde e Petroquímica Impactos na Distribuição Décio Oddone Vice-presidente responsável pela quantiq AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO QUÍMICA PILARES FUTURO FUTURO DA DISTRIBUIÇÃO AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015 Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem Jorge Soto 11/08/2015 1 Braskem INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas Termoplásticas

Leia mais

Dimensão Ambiental. Critério I - Responsabilidade e Compromisso. Indicador 1 - Abrangência. Indicador 2 - Responsabilidade Ambiental

Dimensão Ambiental. Critério I - Responsabilidade e Compromisso. Indicador 1 - Abrangência. Indicador 2 - Responsabilidade Ambiental Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Ambiental Critério I - Responsabilidade e Compromisso Indicador 1 - Abrangência 1. A empresa possui uma política ambiental? Caso "" para a pergunta

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria Química INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Associação Brasileira da Indústria Química INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Associação Brasileira da Indústria Química INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL Sumário da apresentação Desenvolvimento do ISA Indicadores de Sustentabilidade Ambiental Indicadores Sustentabilidade

Leia mais

Pegada de Carbono. Carbon Footprint. Abril 2013

Pegada de Carbono. Carbon Footprint. Abril 2013 Pegada de Carbono Carbon Footprint Abril 2013 O que é pegada de carbono Carbon Footprint É o total de emissões de CO2 e de quaisquer outros gases (GEE), expressas em termos de carbono equivalentes de dióxido

Leia mais

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2008/2010. Vonpar - Divisão Bebidas

RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2008/2010. Vonpar - Divisão Bebidas RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 200/200 Neste documento você terá o extrato em números dos dados contidos no Relatório de Sustentabilidade 200/200 da Vonpar. Conforme a versão digital animada (disponível

Leia mais

Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa

Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa Inventário Corporativo de Gases do Efeito Estufa 2011 Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa Gerente do Projeto: Iris Gobato Gercov Consultora: Adriane Elise de Assunção Flausino Consultor:

Leia mais

Ecoeficiência. Inventário de emissões. Assumimos o compromisso de monitorar as emissões de GEE anualmente

Ecoeficiência. Inventário de emissões. Assumimos o compromisso de monitorar as emissões de GEE anualmente Relatório Anual de Sustentabilidade 2011 69 Ecoeficiência A Redecard aprimorou seu nível de controle de consumo de água, energia elétrica, combustível e da geração de lixo para adotar práticas responsáveis

Leia mais

Inventário de Emissões de GEE: Ferramenta Estratégica para uma Economia de Baixo Carbono

Inventário de Emissões de GEE: Ferramenta Estratégica para uma Economia de Baixo Carbono Inventário de Emissões de GEE: Ferramenta Estratégica para uma Economia de Baixo Carbono Temas abordados 1. Quem somos 2. Efeito estufa e aquecimento global 3. Marco regulatório 4. O inventário de emissões

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS 4 2º INVENTÁRIO BRASILEIRO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 5 PERSPECTIVAS E DESAFIOS 6

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos

Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos w Gestão Ambiental na Sabesp Workshop Carbon Disclosure Project Supply Chain CDP na cadeia de suprimentos Sup. Wanderley da Silva Paganini São Paulo, 05 de maio de 2011. Lei Federal 11.445/07 Lei do Saneamento

Leia mais

QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011

QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011 QUÍMICA SUSTENTÁVEL Carlos Fadigas 24/08/2011 AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUÍMICA SUSTENTÁVEL PILARES BRASKEM FUTURO VISÃO E ESTRATÉGIA AGENDA BRASKEM DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL QUÍMICA

Leia mais

Sustentabilidade: O que tem haver com seu negócio. (Associação Comercial de Porto Alegre) (Mário Pino, 01/06/2010)

Sustentabilidade: O que tem haver com seu negócio. (Associação Comercial de Porto Alegre) (Mário Pino, 01/06/2010) Sustentabilidade: O que tem haver com seu negócio (Associação Comercial de Porto Alegre) (Mário Pino, 01/06/2010) Agenda Alinhamento Conceitual O Desafio da Sustentabilidade O que a Braskem tem feito?

Leia mais

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS Alternativas tecnológicas disponíveis. Variações de custo e de segurança das operações. Copyright Ecovalor Consultoria

Leia mais

O projeto de Neutralização das Emissões de Carbono do Camarote Expresso 2222 envolve as seguintes etapas:

O projeto de Neutralização das Emissões de Carbono do Camarote Expresso 2222 envolve as seguintes etapas: Relatório de Emissões de Carbono Camarote Expresso 2222 Carnaval Salvador 2010 Introdução As atividades da humanidade têm aumentado como nunca visto a concentração de gases poluidores na atmosfera. Alguns

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição

Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição Perguntas e Respostas Prêmio Petrobras SMES IV Edição 1. Qual o objetivo do Prêmio Petrobras SMES IV Edição? O Prêmio Petrobras SMES IV Edição tem por objetivo estimular a força de trabalho da Companhia

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

White Paper Inventário de Gases de Efeito Estufa

White Paper Inventário de Gases de Efeito Estufa White Paper Inventário de Gases de Efeito Estufa O que você precisa saber? Inventário de Gases de Efeito Estufa O que você precisa saber? Sumário Objetivo... 2 Parte 1 - Entendendo o Inventário de Gases

Leia mais

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA DO ESTADO DE MINAS GERAIS ANO BASE 2005 O Governo do Estado, por meio da Fundação Estadual de Meio Ambiente FEAM, entidade da Secretaria Estadual de Meio

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

Tutorial: Indicadores do Atuação Responsável dezembro 2014

Tutorial: Indicadores do Atuação Responsável dezembro 2014 Tutorial: Indicadores do Atuação Responsável dezembro 2014 Brasil: uma vocação natural para a indústria química País rico em petróleo, gás, biodiversidade, minerais e terras raras O conjunto de Indicadores

Leia mais

Atuação Responsável. Programa. Requisitos do Sistema de Gestão. 20 anos do Atuação Responsável no Brasil. Responsável 1992-2012

Atuação Responsável. Programa. Requisitos do Sistema de Gestão. 20 anos do Atuação Responsável no Brasil. Responsável 1992-2012 Atuação Responsável anos 1992-2012 Programa Atuação Responsável 20 anos do Atuação Responsável no Brasil Requisitos do Sistema de Gestão Associação Brasileira da Indústria Química Associação Brasileira

Leia mais

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Sobre a WayCarbon 7 anos no mercado sul-americano de consultoria em mudanças climáticas Portifólio de projetos

Leia mais

e Gestão de Riscos Alicerces firmes para o crescimento sustentável Compromissos internacionais assumidos Sustentabilidade Ambiental

e Gestão de Riscos Alicerces firmes para o crescimento sustentável Compromissos internacionais assumidos Sustentabilidade Ambiental 8 Sustentabilidade resultado 31 e Gestão de Riscos A Companhia reconhece que suas atividades influenciam as comunidades nas quais opera e se compromete a atuar de forma proativa para monitorar e mitigar

Leia mais

Desempenho Sustentável na Empresa: Proposta de Índice de Avaliação para uma Empresa Brasileira do Setor Químico

Desempenho Sustentável na Empresa: Proposta de Índice de Avaliação para uma Empresa Brasileira do Setor Químico Desempenho Sustentável na Empresa: Proposta de Índice de Avaliação para uma Empresa Brasileira do Setor Químico Cleber Augusto Scholl Flavio Hourneaux Junior São Paulo 23 de maio de 2013 Contextualização

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009 ÍNDICE 1. A Empresa 03 2. Objetivo 03 3. Inventário segundo a ISO 14.064-01 03 4. Identificação dos

Leia mais

Gestão de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Fabio Abdala Gerente de Sustentabilidade, ALCOA

Gestão de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Fabio Abdala Gerente de Sustentabilidade, ALCOA Gestão de Emissões de Gases de Efeito Estufa Fabio Abdala Gerente de Sustentabilidade, ALCOA 2º. DEBATE SOBRE MINERAÇÃO TJ/PA e PUC/SP Tribunal de Justiça do Pará - Belém, 30/09/2011 Gestão Estratégica

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares

A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte lei: Capítulo I Das Disposições Preliminares Projeto de lei n. Institui a Política Estadual sobre Mudança do Clima e fixa seus princípios, objetivos, diretrizes e instrumentos. A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro publica a seguinte

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013 INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013 A liberação de gases de efeito estufa (GEE) associada às atividades humanas em todo o mundo é reconhecida como a principal causa das mudanças climáticas que vem sendo observadas

Leia mais

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 XIV Simpósio Nacional de Auditoria de Obras Públicas (SINAOP) Centro de Eventos do Pantanal - Cuiabá 1 Novembro 2011 Nome do Evento: XIV SINAOP 2011 Cuiabá

Leia mais

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política Global Novartis 1 de março de 2014 Versão HSE 001.V1.PT 1. Introdução Na Novartis, nossa meta é ser líder em Saúde, Segurança e Meio Ambiente (HSE).

Leia mais

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE CGD 1 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE GEE CGD S.A. 2014 2 CGD Relatório de Compensação de Emissões de GEE - CGD S.A. 2014 1.1 Introdução O Programa de Baixo Carbono, pioneiro no setor da banca

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2015

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2015 Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2015 Nome da instituição: De Angeli Feiras & Eventos Tipo de instituição: Evento Setor econômico: Turismo Endereço: Edifício

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013 Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. GHG PROTOCOL... 2 2.1 Premissas... 3 2.1.1 Definições... 3 2.1.1.1. Período... 3

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS SENADO FEDERAL MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL Beatriz Nassur Espinosa

Leia mais

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3.1. Metodologia Neste capítulo, com base na Matriz Energética do Estado do Rio de Janeiro, é apresentada a metodologia utilizada para as estimativas de emissões de

Leia mais

Os sistemas de despoeiramento, presentes em todas as usinas do Grupo Gerdau, captam e filtram gases e partículas sólidas gerados na produção

Os sistemas de despoeiramento, presentes em todas as usinas do Grupo Gerdau, captam e filtram gases e partículas sólidas gerados na produção Os sistemas de despoeiramento, presentes em todas as usinas do Grupo Gerdau, captam e filtram gases e partículas sólidas gerados na produção siderúrgica. Ontário Canadá GESTÃO AMBIENTAL Sistema de gestão

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Gases de Efeito Estufa Inventário de Gases de Efeito Estufa Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Nicole Celupi - Three Phase Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Institucional A Three Phase foi criada em

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014)

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014) LIFE-BR-CS-3.0-Português Versão 3.0 Brasil Português (NOVEMBRO/2014) Próxima revisão planejada para: 2017 2 OBJETIVO A partir das Premissas LIFE, definir os Princípios, critérios e respectivos indicadores

Leia mais

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa. Evento: CORRIDA ESPERANÇA - 2011

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa. Evento: CORRIDA ESPERANÇA - 2011 2011 Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa Evento: CORRIDA ESPERANÇA - 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. A GREEN CO 2.... 3 2.1. VISÃO.... 3 2.2. MISSÃO.... 3 2.3. OBJETIVOS.... 3 2.4. VALORES....

Leia mais

Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil

Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil Texto Preliminar Completo - Agosto 2011 INTRODUÇÃO Começam a existir no Brasil um bom número de edifícios com

Leia mais

Inovação da Gestão em Saneamento IGS

Inovação da Gestão em Saneamento IGS Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento PNQS Inovação da Gestão em Saneamento IGS GESTÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA (GEE) Ciclo 2013 2 Organograma Simplificado Organograma simplificado da OC, com ênfase

Leia mais

Informação de Imprensa

Informação de Imprensa Informação de Imprensa L Fundação Espaço ECO produz e dissemina conhecimento por meio da Educação para a Sustentabilidade Organização promove a transformação socioambiental de pessoas, organizações e sistemas

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

Sistema Gestão Ambiental

Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental Sistema Gestão Ambiental - ISO 14001 Agora você vai conhecer o Sistema de Gestão Ambiental da MJRE CONSTRUTORA que está integrado ao SGI, entender os principais problemas ambientais

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GEE 2014

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GEE 2014 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GEE 2014 Outubro/2014 VERSÃO 01 AUTOR Guilherme Pacheco Schuchter Belo Horizonte, MG Brasil guilherme@waycarbon.com COLABORADORES Jussara Utsch Belo Horizonte, MG Brasil jussara.utsch@scdcbrasil.com.br

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

I - Energia - indústria de energia, indústria de manufatura, transportes, comércio, setor público, residências, agropecuária e emissões fugitivas;

I - Energia - indústria de energia, indústria de manufatura, transportes, comércio, setor público, residências, agropecuária e emissões fugitivas; Decreto Nº 43216 DE 30/09/2011 (Estadual - Rio de Janeiro) Data D.O.: 03/10/2011 Regulamenta a Lei nº 5.690, de 14 de abril de 2010, que dispõe sobre a Política Estadual sobre Mudança Global do Clima e

Leia mais

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável ANEXO III Resolução 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Projeto: Geração de eletricidade a partir de fontes

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

Sustentabilidade. Vanda Nunes - SGS

Sustentabilidade. Vanda Nunes - SGS Novas Tendências de Certificação de Sustentabilidade Vanda Nunes - SGS A HISTÓRIA DA SGS Maior empresa do mundo na área de testes, auditorias, inspeções e certificações. Fundada em 1878, na cidade de Rouen,

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Petroquímica Básica Instrutor André Costa

Petroquímica Básica Instrutor André Costa Petroquímica Básica Instrutor André Costa Como é explotado da jazida não possui valor agregado para o homem. É uma mistura complexa de compostos orgânicos e inorgânicos, em que predominam carbono e hidrogênio.

Leia mais

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria

Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria Soluções sustentáveis em eficiência energética para a indústria PROGRAMA SENAI + COMPETITIVIDADE INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção Civil CE EletroMetalmecânica Energias Renováveis RN Petróleo

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL GUILHERME SCHETINGER

GESTÃO AMBIENTAL GUILHERME SCHETINGER GESTÃO AMBIENTAL A atividade portuária gera um impacto significativo onde se instala, tanto em relação ao meio ambiente quanto em relação à comunidade. Na Portonave a gente percebe que apesar de haver

Leia mais

A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2.

A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2. A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2.000 consultores que se dedicam de forma integral à gestão de riscos

Leia mais

2 Documento de Referência CarbonOk

2 Documento de Referência CarbonOk 2 Documento de Referência CarbonOk SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 5 2 PROGRAMA CARBONOK... 6 2.1 Missão... 6 2.2 Objetivos... 6 2.3 Valores... 7 2.4 Metodologia... 7 2.5 Atuação... 8 2.6 Responsável... 9 3

Leia mais

Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa Inventário de de Gases de Efeito Estufa Projeto Coral Vivo Priscila G. C. Sette Moreira CREA 49.354/D Inventário de de Gases de Efeito Estufa 1 Introduça o A variação do clima é um fenômeno natural que

Leia mais

auxiliamos nossos clientes a identificar as vantagens competitivas e as oportunidades em um ambiente complexo e em constante evolução.

auxiliamos nossos clientes a identificar as vantagens competitivas e as oportunidades em um ambiente complexo e em constante evolução. Meio ambiente A gestão ambiental da KPMG no Brasil tem como base a nossa Global Green Initiative (GGI), que define a atuação e os compromissos da rede de firmasmembro conforme três aspectos principais:

Leia mais

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Anexo III da Resolução n o 1 da CIMGC Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução A atividade de projeto do Projeto de MDL das Usinas Eólicas Seabra, Novo Horizonte

Leia mais

Mudanças Climáticas na Vale

Mudanças Climáticas na Vale 30/09/2011 Mudanças Climáticas na Vale Gerência de Nova Economia e Mudanças Climáticas Departamento de Desenvolvimento Sustentável Política de Sustentabilidade Operador Sustentável Legado Econômico, Social

Leia mais

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute Metodologias para medir pegada carbônica Stephen Russell World Resources Institute O que é uma pegada carbônica? Empresa Fonte Instalação GHG Protocol Inventário Nacional Ferramentas de cálculo GHG Protocol

Leia mais

ENTENDENDO A ISO 14000

ENTENDENDO A ISO 14000 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS ENTENDENDO A ISO 14000 Danilo José P. da Silva Série Sistema de Gestão Ambiental Viçosa-MG/Janeiro/2011

Leia mais

Definição de Educação Ambiental*:

Definição de Educação Ambiental*: Programa de Educação Ambiental PEA Sabesp Planejamento e Gestão da Educação Ambiental na Sabesp Superintendência de Gestão Ambiental TA Programa de Educação Ambiental PEA Sabesp Definição de Educação Ambiental*:

Leia mais

Relatório de Situação do Programa Voluntário de Registro Público de Emissões de Gases de Efeito Estufa do Estado de Minas Gerais

Relatório de Situação do Programa Voluntário de Registro Público de Emissões de Gases de Efeito Estufa do Estado de Minas Gerais Sistema Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Fundação Estadual do Meio Ambiente Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento Gerência

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC

PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC PRINCÍPIOS COMERCIAIS DE HSEC CONDUZINDO E EXPANDINDO NOSSOS NEGÓCIOSDE UMA MANEIRA RESPONSÁVEL E SUSTENTÁVEL HSEC APPROACH INTRODUCAO SOBRE NÓS A Trafigura é líder no mercado global de commodities. Suprimos,

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

RELATÓRIO DE SITUAÇÃO DO PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE REGISTRO PÚBLICO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Ano 2012

RELATÓRIO DE SITUAÇÃO DO PROGRAMA VOLUNTÁRIO DE REGISTRO PÚBLICO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA DO ESTADO DE MINAS GERAIS Ano 2012 SISTEMA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS SECRETARIA DE ESTADO MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE DIRETORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO GERÊNCIA

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 Relatório de Sustentabilidade 2014 Sumário Executivo Março de 2015 A Brasil Kirin Jovem, mas cheia de história A Brasil Kirin faz parte de um dos maiores grupos de bebidas do mundo, a japonesa Kirin Holdings

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 Relatório de Sustentabilidade 2014 Sumário Executivo Março de 2015 BrKirin_RAS2014_Compacta.indd 1 02/06/15 13:03 A Brasil Kirin Jovem, mas cheia de história A Brasil Kirin faz parte de um dos maiores

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro

Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro RELATÓRIO TÉCNICO Inventário de Gases de Efeito Estufa da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro Ano de referência: 2012 Outubro de 2013 RIO DE JANEIRO - RJ Rio de Janeiro RJ. Telefone: +55-21-3256-7968

Leia mais

CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES

CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES Profa. Dra. Priscila Borin de Oliveira Claro priscila.claro@insper.edu.br 05/02/2015 Apoio: Agenda Apresentação Parceria CDP e Insper

Leia mais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais

O quadro abaixo mostra que a disposição dos resíduos em aterros é aquela que traz menos benefícios ambientais VANTAGES PROJETO PEGASUS E RECICLAGEM ENERGÉTICA O problema do lixo é extremamente grave em nosso país. Estimativas baseadas nos dados do IBGE mostram que no País são geradas diariamente cerca de 140 mil

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Versão resumida BANCO BRADESCO S.A.

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Versão resumida BANCO BRADESCO S.A. INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Versão resumida BANCO BRADESCO S.A. 2008 1 Inventário de GEE O Inventário de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) permite que uma

Leia mais

Gestão Ambiental. Diretrizes GRI: 2 EC2 EN27. Conformidade Legal. Principais Aspectos e Impactos Ambientais. Equilíbrio

Gestão Ambiental. Diretrizes GRI: 2 EC2 EN27. Conformidade Legal. Principais Aspectos e Impactos Ambientais. Equilíbrio GRI: 2 EC2 EN27 Gestão Ambiental Diretrizes Conformidade Legal Todas as usinas operadas pela Tractebel Energia possuem as autorizações e licenças ambientais exigidas pela legislação em vigor. A Companhia

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO COMUNICAÇÃO ESTADUAL EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN)

SUMÁRIO EXECUTIVO COMUNICAÇÃO ESTADUAL EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN) COMUNICAÇÃO ESTADUAL 1º INVENTÁRIO DE EMISSÕES ANTRÓPICAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA DIRETOS E INDIRETOS DO ESTADO DE SÃO PAULO EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN) SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa

Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Política Nacional de Resíduos Sólidos e Logística Reversa Cristina R. Wolter Sabino de Freitas Departamento Ambiental O mundo será obrigado a se desenvolver de forma sustentável, ou seja, que preserve

Leia mais

Relatório Sócio Ambiental 2015/2016 Desempenho Sócio Ambiental

Relatório Sócio Ambiental 2015/2016 Desempenho Sócio Ambiental Desempenho Sócio Ambiental Revisão: Agosto de 2015 1 Índice 1. Apresentando a quantiq... 3 2. Política Integrada de Gestão... 3 3. Partes Interessadas... 4 4. Resultados de Auditoria Externa Gestão Ambiental...

Leia mais

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES

PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES PRINCÍPIOS E NORMAS DE CONDUTA EMPRESARIAL NA RELAÇÃO DE FURNAS COM SEUS FORNECEDORES Outubro/2009 1/8 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. ABRANGÊNCIA 3. OBJETIVOS 4. CÓDIGO DE CONDUTA EMPRESARIAL 4.1 NORMAS DE CONDUTA

Leia mais

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS CONTEÚDO CRITÉRIO I - POLÍTICA... 2 INDICADOR 1: COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 2 CRITÉRIO II GESTÃO... 3 INDICADOR 2: RESPONSABILIDADES... 3 INDICADOR 3: PLANEJAMENTO/GESTÃO

Leia mais

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Inventário das de Gases de Efeito Estufa SADIA S/A 2009 INVENTÁRIO: Completo Preliminar INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Data: 01/04/2010 Preparador

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2014 1. Dados do inventário Banco Santander S.A. (Brasil) Tipo de preenchimento: 1.1 Responsável pela elaboração do inventário

Leia mais

YK Risk Consultoria em Gestão Empresarial Ltda. Apresentação Institucional v.3 (2014)

YK Risk Consultoria em Gestão Empresarial Ltda. Apresentação Institucional v.3 (2014) YK Risk Consultoria em Gestão Empresarial Ltda. Apresentação Institucional v.3 (2014) Quem somos? Uma empresa com foco na geração de valor com serviços em Gestão de Riscos associados à Sustentabilidade.

Leia mais