Seguros. J. Malucelli Seguradora S.A. Brasil. Brasil. Relatório Analítico. Fundamentos do Rating

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seguros. J. Malucelli Seguradora S.A. Brasil. Brasil. Relatório Analítico. Fundamentos do Rating"

Transcrição

1 Brasil Brasil Relatório Analítico Ratings Rating FFS em Escala Nacional Risco Soberano IDR de Longo Prazo em Moeda Estrangeira IDR de Longo Prazo em Moeda Local AA-(bra) BBB BBB Perspectiva Rating Nacional de Longo Prazo Estável IDR Soberano de Longo Prazo em Moeda Estrangeira Estável IDR Soberano de Longo Prazo em Moeda Local Estável IDR Issuer Default Rating Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor Dados Financeiros 30/06/2012 Total de Prêmios Emitidos (USDmi) 59,8 Total de Prêmios Emitidos (BRLmi) 120,9 Patrimônio Líquido (BRLmi) 228,6 Índice Operacional (%) 40,3 ROA (%) 5,0 Patrimônio Líquido/Ativos (%) 26,6 Total de Passivos/ Patrimônio Líquido (x) 2,8 Pesquisa Relacionada Relatório Analítico: J. Malucelli Resseguradora S.A., 9 de janeiro de 2013; Relatório Analítico: Paraná Banco S.A., 26 de julho de Analistas Maria Rita Gonçalves Esin Celasun Fundamentos do Rating Aumento dos Ratings: Em dezembro de 2012, a Fitch Ratings elevou o Rating Nacional de Força Financeira de Seguradora (FFS) da (JM). Esta ação reflete a comprovada capacidade de a JM manter bom desempenho, mesmo durante períodos de desaceleração no mercado de seguro-garantia, fortalecida pela experiência e bom histórico da administração. A elevação também considera os confortáveis índices de capitalização, a contínua liderança de mercado e a maior capacidade de retenção da sua resseguradora cativa, a J. Malucelli Resseguradora (JM Re, Rating Nacional FFS AA-(bra) /Perspectiva Estável). Adequado Desempenho Operacional: A Fitch acredita que a alavancagem e a rentabilidade da JM continuarão adequadas, apesar dos efeitos da desacelaração econômica e da queda das taxas de prêmios de seguros decorrentes da forte concorrência em A agência ressalta que a concentração da carteira continua relativamente alta, assim como a correlação dos negócios com o cenário macroeconômico, comuns a seu nicho de atuação. Liderança e Experiência: Desde 1995, a JM foca o seguro-garantia, posicionando-se como líder entre as seguradoras locais. Entre seus diferenciais, destacam-se a ampla penetração nos negócios de varejo, que representam aproximadamente 50% dos prêmios ganhos, e a boa base de renovação. O crescimento da JM no segmento de garantia foi afetado em 2012 pelos efeitos da maior competição e redução no ritmo de investimentos do país. A Fitch espera um crescimento maior em 2013, motivado pela recuperação da economia. Apoio dos Resseguradores: Desde 2008, a JM conta com a resseguradora do grupo, a JM Re, cuja base de capital foi ampliada após a parceria firmada em 2011 com a Travelers Companies, Inc. (Travelers, IDR A+ /Perspectiva Estável). O bom programa de retrocessão junto aos resseguradores internacionais e ao IRB Brasil Re S.A. (IRB) tem permitido maior retenção de prêmios sem ampliação significativa da exposição a risco. Boa Qualidade de Subscrição: A boa qualidade de subscrição e de regulação de sinistros, a melhoria dos controles internos e a manutenção dos custos sob controle tendem a continuar apoiando o desempenho operacional da JM. Ainda assim, houve significativo aumento na sinistralidade bruta no 1S12, devido a um sinistro no ramo garantia para um único tomador, 100% ressegurado, cuja reversão projetada pela JM é alta. Espera-se que o índice de sinistralidade retorne a um patamar menor e próximo ao dos últimos dois anos a curto prazo. Liquidez Adequada: No 1S12, a liquidez da JM permaneceu adequada e as aplicações e provisões mostravam bom casamento, mesmo considerando a elevada parcela de investimentos até o vencimento e em depósitos a prazo com garantias especiais (DPGEs) (60,5% em junho de 2012). Não são esperadas alterações significativas nos investimentos a curto prazo, os quais devem manter bom rendimento, apesar da queda da taxa de juros. Fatores que Podem Induzir uma Ação de Rating Ação de Rating Positiva: Novas ações de rating positivas estão limitadas, a curto e médio prazos, devido à baixa probabilidade de diversificação do fluxo de receitas da seguradora. Ação de Rating Negativa: Um aumento da alavancagem operacional (prêmios líquidos/patrimônio líquido) para mais de 1,0 vez e/ou um índice combinado que permaneça acima de 85% por um período sustentado, poderia levar a uma ação de rating negativa. Uma deterioração no perfil de crédito da JM Re também poderia afetar negativamente o rating da companhia. 9 de

2 Posição de Mercado e Porte/Escala Seguradora Especializada e Líder em Seguro-garantia Fatores Positivos para o Rating Liderança de mercado, apesar do acirramento da concorrência Carteira estável, com baixa retenção de riscos Participação no seguro obrigatório de danos pessoais causados por veículos automotores de vias terrestres, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não (DPVAT) Bom relacionamento com corretores e canais de distribuição Parceria com a Travelers ampliou a capacidade de retenção Liderança de Mercado, Apesar do Acirramento da Concorrência A JM é uma das seguradoras pioneiras do segmento de seguro-garantia. É beneficiada pela atuação do grupo na Região Sul do país, por sua experiência nos segmentos de concessão e construção, além da base de clientes responsável por apólices de garantia de valores menores que desenvolveu ao longo dos anos. Sua expansão acima da concorrência a partir de 2004, levou a liderança do segmento, apesar da crescente competição desde 2008, com a abertura do mercado de resseguros. A parceria com a Travelers, efetivada em 2011, tem permitido à seguradora maior retenção combinada no ramo garantia, bem como explorar progressivamente oportunidades em outros segmentos correlatos a este nicho através da J. Malucelli Seguros S.A., outra subsidiária do grupo, que iniciou suas operações nos segmentos elementares em O grupo pretende focar também nichos correlatos ligados aos segmentos de infraestrutura, como os ramos de risco de engenharia, responsabilidade civil, entre outros, diversificando a grade de produtos e receitas. Prêmios Ganhos % Jun12 Jun11 Garantia Financeira 0,2 0,9 Obrigações Privadas 9,2 12,2 Obrigações Públicas 16,0 35,6 Concessões Públicas 0,5 5,9 Segurado - Privado 13,9 4,8 Segurado - Público 35,2 9,8 Garantia Judicial 8,4 14,4 DPVAT 16,6 16,4 Fonte: JM Metodologia Aplicada: Insurance Rating Methodology, 18 de outubro de 2012 A seguradora atua em quase todos os ramos de garantia, conforme quadro de distribuição de prêmios ganhos totais. Sua participação de mercado neste nicho se mantém historicamente elevada apesar do declínio observado nos últimos anos com a maior concorrência e sua postura de evitar participar ativamente da guerra de preços deste mercado. Os prêmios da JM no primeiro semestre 2012 declinaram 13% na comparação com igual período de 2011, similar à queda observada no mercado. Ainda assim, sua participação de mercado se manteve em torno de 30% em junho de 2012 e 2011 e 35,3%, em Na visão da Fitch, a liderança de mercado no ramo garantia não tende a se alterar a médio prazo, apesar da expectativa de acirramento da concorrência, com o aumento do número de participantes motivado pelo desenvolvimento recente do mercado e potencial incremento no volume de investimentos em infraestrutura a médio prazo. Além disso, apesar da diversificação progressiva do grupo JM após a parceria com a Travelers, este segmento deve permanecer como um dos principais ramos de atuação do grupo. Carteira Estável, com Baixa Retenção de Riscos Os produtos do ramo garantia respondem por cerca de 90% dos prêmios da JM. No Brasil, estes tipicamente apresentam baixa retenção de riscos e maior concentração de tomadores na carteira, ainda que a JM mantenha foco em produtos voltados a pequenos e médios tomadores em seguro-garantia. A participação dos vinte maiores tomadores permanece alta e gira em torno de 50% dos prêmios emitidos e 35% da importância segurada. Assim, a seguradora está muito exposta às oscilações nas taxas de prêmios do mercado de garantia e aos potenciais sinistros em montantes significativos. 2

3 Governança Corporativa Apesar dos contínuos avanços nas regras de governança da JM, estas, em geral, são similares às de outros participantes do mercado e neutras para o rating da companhia. O grupo JM tem ampliado esforços para aperfeiçoar suas práticas e controles e a companhia tem se beneficiado da participação da Travelers como acionista. Na visão da Fitch, houve melhorias signficativas apesar de ainda haver espaço para aprimoramentos. A maioria das decisões da seguradora e de sua holding é tomada de forma colegiada em comitês. O conselho da holding de seguros, responsável pela maioria das discussões estratégicas, não possui membros independentes e é conduzido pelos membros do grupo JM e por dois executivos da Travelers, com poder de veto. Em 2011, a estrutura do grupo sofreu algumas alteraçoes e vários comitês foram criados. Alexandre Malucelli, um dos acionistas, passou a CEO da holding e a presidir a estrutura do grupo JM. Na seguradora, a diretoria passou a ser comandada pelo presidente João Possiede e pelo vice-presidente Gustavo Hernrich. A curto e médio prazos é esperada maior contribuição da geração de negócios estruturados ligados a projetos de infraestrutura e de obrigações públicas e privadas, além da manutenção do fluxo recorrente originado por concessões públicas, especialmente se de fato houver retomada do desenvolvimento econômico, além de maior maturação dos investimentos planejados no país. Na subscrição no ramo de garantia judicial, especialmente em questões tributárias, o grupo também tem adotado uma abordagem mais cautelosa após o crescimento significativo deste segmento até 2010, principalmente em seguros relacionados a questões fiscais. Desde então, a seguradora tem adotado critérios um pouco mais rígidos de aprovação em relação à média geral do mercado e espera-se que este segmento não ultrapasse mais de 15% de seus negócios futuros. Entre as vantagens competitivas da JM estão a estabilidade de sua carteira de garantias, devido à participação em segmentos de renovação anual, como o de concessionárias, e o maior peso relativo em comparação a concorrência de suas atividades de varejo (ou seja, em transações de menor tamanho e complexidade). Além disso, houve aumento dos limites de automaticidade da seguradora e esta conta com um elevado grau de automação desenvolvido no processo de análise nesse segmento. O pronto atendimento nos pequenos negócios também está entre os diferenciais da empresa. Desde 2007, a companhia ampliou o número de escritórios próprios, de funcionários, bem como suas estruturas internas de suporte. Participação no DPVAT A participação no DPVAT continua estável, uma vez que a JM, assim como a maioria das seguradoras brasileiras, detém parcela pouco representativa neste consórcio, no qual sua participação na gestão é passiva. Apesar do montante relevante de suas receitas no resultado agregado, este segmento contribui com uma pequena parcela da geração de resultados recorrentes, próxima a BRL1 milhão no 1S12. O DPVAT agrega geralmente baixo resultado técnico devido à alta sinistralidade, apesar de adicionar diversificação à fonte de ingressos com poucos custos administrativos associados. Bom Relacionamento com Corretores e Canais de Distribuição A rede de atendimento da JM é uma das mais amplas entre as seguradoras independentes e especializadas no seguro-garantia. Conta com nove filiais localizadas nas principais capitais do país, além da matriz em Curitiba (PR) e mais de mil corretores ativos, que atendem os cerca de seiscentos tomadores por mês entre os 45 mil cadastrados. Essa presença, aliada à agilidade na análise dos segurados e ao bom histórico da companhia, explica a maior exposição aos pequenos e médios tomadores. Parceria com a Travelers Ampliou a Capacidade de Retenção Em novembro de 2010, o Paraná Banco S.A. (Paraná Banco, Rating Nacional de Longo Prazo A(bra) /Perspectiva Estável) firmou um acordo com o grupo Travelers, líder no segmento properties & casualty (P&C), aprovado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), em junho de Naquele mesmo ano, a Travelers injetou BRL657 milhões na J. Malucelli Participações em Seguros e Resseguros (JMPSR), a holding de seguros, e em suas subsidiárias, que, após a distribuição de BRL110 milhões de dividendos ao Paraná Banco, tiveram a base de capital ajustada. Este aumento de capital propiciou um significativo incremento na capacidade de retenção de prêmios e negócios de seguro-garantia para o grupo. Em dezembro de 2012, o grupo norte-americano exerceu sua opção e aumentou a participação para 49,5% de 43,4% no capital da JMPSR. Este aumento de participação está em fase de homologação pelo regulador. Perspectiva e Planos de Negócios Com a possibilidade de maior retenção combinada da JM e JM Re, a seguradora planeja 3

4 manter a liderança de mercado em seguro-garantia a médio prazo e expandir os negócios. A longo prazo, a estratégia do grupo JM visa também a aproveitar as oportunidades de venda cruzada e de outros segmentos correlatos ao nicho de garantia. O plano de negócios destas novas atividades está em estágio avançado e tem sido implementado progressivamente desde o 2S11. A diversificação de produtos tende a ocorrer de forma gradual e a Fitch espera que o grupo mantenha parâmetros conservadores para que não haja maiores pressões sobre a estrutura atual, desempenho, alavancagem e perfil creditício, a médio prazo. Na visão da Fitch, as projeções de crescimento para a JM são factíveis, embora as estimativas no ramo garantia continuem impondo um ritmo mais moderado de expansão devido aos efeitos da maior competição de preços e dos impactos no volume de negócios, em função dos atrasos nos investimentos, principalmente de grandes projetos públicos com a maior volatilidade da economia. Apresentação de Contas Este relatório é baseado em balanços auditados, sem ressalvas, e segue as regras locais (Brazilian GAAP (BR GAAP)). Desde 2011, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) fez algumas alterações e reclassificações de rubricas no plano de contas das seguradoras brasileiras, com o objetivo de deixá-las mais em linha com as regras internacionais de contabilidade prescritas pelo International Accounting Standards Board (IASB), o comitê de normas internacionais contábeis. Estrutura Societária Positiva Para o Rating A participação da Travelers na JMPSR tende a favorecer o desenvolvimento dos negócios,. Entre os benefícios da associação estão a ampliação da capacidade de financiamento e alavancagem do grupo, a transferência da competência técnica e os potenciais ganhos com o desenvolvimento futuro da venda cruzada de produtos e diversificação de receitas. A holding absorveu as atividades estratégicas e de apoio comuns, como administração, compliance, auditoria, tecnologia, riscos, atuário, RH, legal, comercial, finanças e planejamento estratégico, enquanto as diretorias técnicas de subscrição, comercial e sinistro permaneceram sob cada seguradora. Mesmo após alguns ajustes na estrutura e o reforço da equipe de executivos das empresas com a entrada de novos profissionais, a estrutura da JM permaneceu enxuta, com alguns diretores Organograma Societário* J.Malucelli Holding 54,6% Paraná Banco J.Malucelli Resseguradora acumulando funções na holding. Em junho de 2012, o grupo de empresas de seguros contava com mais de 240 funcionários, sendo 165 destes alocados na JM (187 em junho de 2011). Os ativos combinados, patrimônio e resultados somavam respectivamente BRL177 milhões, BRL946 milhões, BRL41 milhões em junho de ,4% Outros 50,5% 49,5 % Travelers J. Malucelli Participações em Seguros e Resseguros 100% J.Malucelli Seguradora J.Malucelli Seguros (*) Pendente de aprovação do aumento de capital. Fonte: Fitch. 4

5 Perfil da Indústria e Ambiente Operacional O mercado de seguro-garantia foi um dos poucos segmentos que registrou queda surpreendente nos prêmios no 3T12 em comparação ao 3T11, de 8,4%, atingindo BRL562 milhões. Isso pode ser atribuído tanto ao atual excesso de capacidade no mercado que levou à redução das taxas de prêmios de seguros, quanto aos atrasos dos principais projetos ligados à infraestrutura no país, devido à desacelaração econômica e à maior volatilidade no cenário internacional. Com isso, o crescimento médio anual caiu para 19% entre 2008 e o 3T12. Este segmento ainda permanece concentrado em poucas seguradoras, apesar do acréscimo no número de participantes nos últimos anos. As cinco maiores seguradoras responderam por cerca de 60% dos prêmios no 3T12 (67% e 80% em 2011 e 2010, respectivamente). Parte deste comportamento é explicada pelo fato de que, geralmente, as operações são ligadas a grandes projetos e concessionárias, apesar do maior desenvolvimento das operações de varejo voltadas a empresas de médio porte nos últimos anos. Apesar dos casos pontuais de sinistro, os índices de sinistralidade liquida têm sido historicamente baixos (15,0%, 14,0% e 13,8% no 3T12, em 2011 e em 2010, respectivamente). Uma vez que se observa alta competição e uma tendência de elevação de retenção (46% no 3T12, 38% em 2011 e 25% em 2010), será crucial que as seguradoras não percam o conservadorismo na subscrição dos riscos para manutenção de seus resultados vis-à-vis suas participações de mercado. Além disso, dada a alta correlação do setor com os projetos de infraestrutura do governo, são esperadas a retomada de um ritmo de crescimento maior, devido ao recém-anunciado programa de investimento do governo, que totaliza BRL133 bilhões e à eliminação do imposto sobre operações financeiras (IOF), de 7,38%, para operações de seguro-garantia. A Fitch observa que os investimentos movidos pelo Plano de Aceleração de Crescimento (PAC) e pelos eventos ligados à Copa do Mundo, em 2014, e aos Jogos Olímpicos, em 2016, devem continuar beneficiando a trajetória do seguro-garantia a médio prazo. O mesmo deve ocorrer com outros ramos, como os de responsabilidade, engenharia, imobiliário e de transportes, a curto e médio prazos. Análise dos Concorrentes JM Mantém Bom Desempenho Operacional Os indicadores da JM refletem seu bom desempenho operacional. A baixa sinistralidade no seguro-garantia, combinada ao volume crescente de negócios com maior retenção, tem contribuído para a elevada rentabilidade e adequados índices de solvência, apesar da maior pressão na capitalização desde 2008, com a incorporação progressiva da alocação de novos fatores de risco no calcúlo de capital regulatório. Comparação com os Concorrentes Média 12/2009-6/2012 (%) Rating Sinistralidade Líquida Índice Combinado ROA Provisões Técnicas Líquidas/ Prêmios Prêmios Ganhos Ganhos Líquidos/PL Passivos/PL Líquidos Ativos Líquidos/ Provisões Técnicas Líquidas Fator Seguradora BBB+(bra) 71,8 110,7 20,4 37,1 194,2 170,9 273,5 37,8 J Malucelli Seguradora AA-(bra) 43,5 54,4 5,9 48,8 306,9 188,1 188,8 85,9 Média dos Concorrentes n.a. 49,7 106,1 0,5 81,2 517,3 199,0 166,2 29,5 Fonte: Fitch Prêmios Ganhos Líquidos (BRL mi 5

6 Capitalização e Alavancagem Jun./ Expectativas da Fitch Prêmios Ganhos Líquidos/PL 50,3% 46,2% 49,4% A base de capital da JM deve continuar adequada. É esperada maior pressão na Passivos/PL 2,8 x 2,3 x 3,2 x alavancagem, a médio e longo prazos, Índice de Capital Regulatório* 372,0% 406,9% 573,4% com a retomada do crescimento dos negócios e exigências prudenciais de capital. Provisões Técnicas/Passivos 79,1% 77,1% 68,7% (*) Índice de Capital Regulatório = Patrimônio Líquido Ajustado/ Capital Mínimo Exigido Fonte: Fitch Capital Adequado Boa qualidade da base de capital Alavancagem moderada, apesar da expectativa de crescimento dos negócios Sem dívida financeira Boa Qualidade da Base de Capital A base de capital da JM se manteve estável após a entrada da Travelers, uma vez que a injeção de capital de BRL80 milhões na seguradora, em 2011, foi em montante similar aos dividendos pagos naquele mesmo ano. A baixa retenção de riscos e a boa rentabilidade têm contribuído para reduzir pressões futuras sobre a alavancagem, devido ao crescimento dos negócios. Além disso, a base de capital atual se compara bem em relação aos pares e tende a suportar um crescimento de negócios moderado. É composta por capital nível 1, não sendo esperados volumes de distribuição significativos a médio prazo. Os ativos intangíveis em valor ínfimo, compostos pelo ágio decorrente da incorporação da controladora Porto de Cima Holding Ltda., estão sendo amortizados em sessenta meses desde Estes são apresentados líquidos da provisão para suportar a integridade do PL, constituída pelo valor da diferença entre o ágio e o benefício fiscal. Os créditos tributários, equivaliam a 11% do PL da seguradora em junho de O capital regulatório deduz parcialmente estes ativos e equivalia a altos 3 vezes (x) o capital mínimo exigido. Alavancagem Moderada, Apesar da Expectativa de Crescimento dos Negócios Mesmo diante da ampliação dos negócios, a alavancagem da JM tem sido administrada através da maior retenção de resultados. Isto explica o aumento da base de capital e o fato dos passivos equivalerem a cerca de 3,0x o PL da seguradora no final de junho de 2012 em linha com a maioria dos pares, ainda que a média destes esteja em torno de 5,6x, devido a alguns participantes do mercado. Sem Dívida Financeira Como seus pares no Brasil, a JM não apresenta dívida financeira e não deverá contratar nenhuma a curto prazo. 6

7 Performance Financeira e Resultados Jun./ Expectativas da Fitch Sinistralidade Líquida 47,4 % 37,8 % 39,6% A sinistralidade da seguradora deve retornar a patamares Despesas mais baixos beneficiando sua performance. Os custos Administrativas/Prêmios 21,5 % 20,1 % 14,7 % operacionais maiores desde 2010 devem permanecer relativamente estáveis até que se observe maior Índice Combinado 65,7% 60,1% 45,9% retomada do desenvolvimento do mercado. Índice Operacional 40,3% 26,4% 14,8% ROA 4,4% 6,1 % 7,2% Fonte: Fitch Boa Rentabilidade Boa rentabilidade, apesar de algum declínio Sinistralidade líquida comportada, apesar do pico recente Custos administrativos sob controle Bons retornos financeiros Boa Rentabilidade, apesar de Algum Declínio A elevada rentabilidade da JM tem sido favorecida por uma combinação de fatores, entre os quais destacam-se a comportada sinistralidade no ramo garantia, aliada aos contratos de resseguros adequados, ao aumento de negócios com a crescente retenção de prêmios e aos custos operacionais sob controle. Além do resultado operacional adequado, os bons desempenhos financeiros mantêm relevante contribuição devido à expansão das reservas e à ampliação dos negócios. Apesar da expectativa de menor crescimento a curto e médio prazos e de algum incremento dos custos e da sinistralidade, tal qual observado no 1S12, a Fitch acredita que a rentabilidade e o desempenho, em geral, da JM tendem a continuar adequados. Sinistralidade Líquida Comportada, Apesar do Pico Recente Historicamente, a JM tem mantido baixa sinistralidade em seguro-garantia, refletindo suas boas práticas, o bom relacionamento e o conhecimento dos tomadores. Na última década, a média histórica neste segmento da JM não ultrapassou 4% em comparação aos 15% do mercado (10% em junho de 2012 e 14% em 2010). Meso assim, esta foi afetatada significativamente no 1S12 com um sinistro para um único tomador de uma obrigação pública, para o qual a seguradora tem 100% do risco ressegurado. A sinistralidade bruta atingiu 112%, enquanto a líquida foi de 21% no período. Para os próximos períodos, a Fitch espera que haja redução na sinistralidade da companhia e que esta retorne a patamares anteriores favorecendo seu desempenho operacional. No caso do DPVAT, a agência não espera alterações, dado que esta permanece elevada e oscila entre 85% e 90%, aumentando os indicadores consolidados das carteiras. Custos Administrativos sob Controle Mesmo após o reforço de sua estrutura para suportar o crescimento a partir de 2010, a JM manteve os custos sob controle. Em 2012, seus indicadores relativamente estáveis permanecem abaixo da média dos pares e são beneficiados pelo compartilhamento de atividades entre o grupo. Para 2013, estes devem seguir alinhados à geração de negócios e não devem comprometer a eficiência, a médio e longo prazos. Bons Retornos Financeiros Bons retornos das aplicações financeiras continuaram a contribuir para a rentabilidade, mesmo diante do cenário de queda da taxa de juros. Embora se espere uma queda gradual nas receitas financeiras, estas devem se estabilizar em um patamar relativamente mais baixo. 7

8 Investimentos e Liquidez Jun Expectativa da Fitch Títulos de renda fixa (% do total) 90% A política de investimentos da JM, assim como seus 87% 87% indicadores, não deve se alterar a médio prazo, dado Títulos públicos (% do total) 19% 18% 12% que a seguradora mantem uma alocação maior em Rotação das Contas a Cobrar (em dias) DPGEs focando a rentabilidade dos investimentos. 135 Ativos Líquidos/Provisões 0,74x 0,85x 0,81x Ativos Líquidos/Provisões Técnicas Líquidas 1,79 1,67 x 1,59 x Fonte: Fitch Boa Liquidez e Carteira Conservadora Risco de mercado e liquidez sob controle Concentração elevada dos investimentos em DPGEs Risco de Mercado e Liquidez sob Controle A JM mantém baixa exposição a risco de oscilações nas taxas de juros local, embora não estipule um limite de perda para o risco de mercado. Os investimentos são marcados a mercado e o impacto contábil de um choque de 50% de queda da taxa de juros produziria um efeito negativo de apenas 3% na carteira de títulos. Parcela significativa da carteira foi alongada desde 2009, e boa parte dos títulos está concentrada em renda fixa, mantidos até ao vencimento, embora cerca de 51% dos investimentos tenham vencimento em até 12 meses, o que geralmente, está alinhado ao perfil de negócios gerados pela JM. Não são esperadas alterações significativas na carteira até 2013, porém a seguradora pretende ajustar sua estratégia de investimento gradualmente para o novo patamar das taxas de juros no país, dentro dos limites prudenciais permitidos pelos reguladores. A liquidez da JM tem sido administrada com foco no baixo volume de sinistros e compromissos da seguradora. No entanto, o índice de ativos financeiros líquidos aumentou para 1,8x as provisões líquidas das provisões de resseguros e seu crescimento tem acompanhado a maior geração de negócios, comparando-se favoravelmente em relação aos concorrentes. Concentração Elevada dos Investimentos em DPGEs Embora o perfil de investimentos das seguradoras brasileiras seja relativamente limitado pela estrutura regulatória local conservadora na alocação das provisões técnicas, o gestor da carteira de investimentos da JM, o Paraná Banco, tem procurado obter maior lucratividade. Entre 2009 e 2011, o banco utilizou a estratégia de ampliar os investimentos em DPGEs, considerados de baixo risco de crédito, apesar de sua baixa liquidez por não poderem ser resgatáveis antecipadamente ou possuir mercado secundário. A carteira de DPGEs é diversificada em termos de tomadores, uma vez que seus limites de investimento são dados pelo esquema de garantia dos DPGEs, de até BRL20 milhões por aplicador. O retorno das aplicações tem sido vantajoso, pois estes títulos possuem rendimentos entre 111% e 125% do CDI, e prazo médio de dois a três anos. Entretanto, a Susep comunicou às seguradoras, em dezembro de 2011, que estes depósitos não poderão mais servir de lastro das reservas obrigatórias e terão que ser substituídos. Até junho de 2012, as aplicações nos DPGEs atingiram 61% do total da carteira de investimento e 57% dos ativos garantidores (64% da carteira total e 61% dos ativos garantidores em dezembro de 2011). A Fitch acredita que a JM não terá maiores problemas para substituir progressivamente o lastro de suas reservas obrigatórias por outros ativos e que, assim como as demais seguradoras, será impactada pela perspectiva do cenário de menor taxa de juros e inflação. 8

9 Adequação de Provisões (%) Jun Expectativas da Fitch Provisões Técnicas Líquidas/Prêmios Apesar do aumento necessário das provisões para cobrir sinistros, não são Ganhos Líquidos 1,8 x 2,0 x 2,2 x esperadas alterações significativas no perfil de reservas da JM a médio prazo. (Provisões para Sinistros + IBNR) (% A Fitch acredita que a cobertura das provisões técnicas dos prêmios ganhos de Provisões Técnicas) 38,2% 13,9% 10,7% líquidos não deve ficar abaixo de 1x. (Provisões para Sinistros + IBNR) (t- 1)) (% de sinistros incorridos (t))* 13% 93,2% 147,0% (*) t = período atual e t-1 = período anterior Fonte:Fitch Provisões Técnicas Alinhadas às Regras Regulatórias e ao Ambiente Local Provisões líquidas adequadas à baixa retenção e sinistralidade Testes de adequação dos passivos (TAPs) indicam provisões técnicas adequadas Provisões Líquidas Adequadas à Baixa Retenção e Sinistralidade As seguradoras brasileiras, assim como a JM, seguem as regras prudenciais locais de provisionamento, para fazer frente aos compromissos e sinistros avisados. A principal obrigação assumida pelas seguradoras locais é o pagamento de sinistros e débitos junto aos resseguradores, reflexo do elevado volume de cessão de negócios, em torno de 62% ao final de junho de Além disso, a constituição de provisões para a parcela ressegurada também é proporcional ao volume de prêmios diferidos e ocorre no início da transação, sendo posteriormente complementada, se necessário. Em 2012, o aumento das provisões de sinistros a liquidar refletiu o pontual incremento da sinistralidade. Os testes de estresse, com mudanças nas taxas de juros, sinistralidade e custos comprovam a prudência de seu perfil de constituição de provisões. TAPs Indicam Provisões Técnicas Adequadas O ultimo teste de adequação de reservas exigido pelo regulador, elaborado por uma empresa tercerizada com base nos números de 2011, indicou o posicionamento satisfatório da JM. Resseguros, Administração de Risco e Risco de Catástrofe Boa Flexibilidade Permitida pelo Programa de Retrocessão Resseguro de prêmios realizado inteiramente com a JM Re Boa qualidade da retrocessão Níveis de retenção conservadores Resseguro de prêmios realizado inteiramente com a JM Re A JM ressegura todos os riscos com a JM Re desde junho de 2008, o que permitiu ao grupo maior liberdade na aceitação de negócios, garantindo a ampliação da retenção de riscos neste. Assim, apesar da maior disputa no mercado local, a JM têm conseguido administrar suas necessidades de resseguros de forma consistente e mantém bons limites de automaticidade e risco. Boa Qualidade de Retrocessão O programa de retrocessão da JM Re conta com o apoio de resseguradores internacionais e permite boa flexibilidade na aceitação de riscos. A carteira da JM Re é concentrada principalmente em resseguradores internacionais, com os quais a companhia mantém 9

10 relacionamento comercial. Estes possuem boa qualidade creditícia, em sua maioria classificados com rating grau de investimento. A JM Re continua a utilizar contratos de quotaparte, a fim de permitir o compartilhamento proporcional de prêmios e sinistros em todas as importâncias seguradas, combinados aos contratos de excesso de perda, que permitem a cessão de perdas relativas aos sinistros acima do limite técnico da seguradora. Níveis de Retenção Conservadores Apesar da maior retenção de riscos desde 2009, com a criação da JM Re e do desenvolvimento do mercado de resseguros, que permitiu aumento dos limites de automaticidade da seguradora e novos contratos com melhores condições, a retenção de prêmios está em torno de 48% em bases anuais. Este percentual ainda está abaixo do observado em outros mercados na América Latina ou em desenvolvimento, sendo que o limite máximo de perda no ramo garantia manteve-se em torno de 2,8% do PL ajustado da JM. Em parte, isto é explicado pelo perfil conservador das regras prudenciais locais para concentração, devido ao potencial de severidade de perdas do produto, ainda que a sinistralidade histórica do mercado seja baixa. 10

11 Apêndice A: Planilha Financeira J.MALUCELLI SEGURADORA S.A. (Milhares de Reais, não-consolidado) ESTRUTURA DO BALANÇO Jun-12 Dez-11 Dez-10* Dez-09 Dez-08 A. Ativos Líquidos Valores de Liquidez Imediata Valores Negociáveis Carteira de Títulos e Valores Mobiliários Outras Aplicações B. Crédito das Operações Prêmios a Receber Operações com Seguradoras e Resseguradoras Outros Créditos Operacionais Ativos de Resseguros (Provisão Técnica) C. Empréstimos e Depósitos Compulsórios D. Depósitos Judiciais e Fiscais E. Custo de Aquisição Diferidas F. Outros Ativos G. Imobilizado e Ativo Diferido H. Intangível I. Participações Societárias e Outros Investimentos J.TOTAL DO ATIVO K. Provisões Técnicas Sinistros a liquidar Eventos Incorridos mas Não Avisados Outras Provisões L. Obrigações com Financeiras M. Obrigações com Seguros, Resseguros, Previdência e Capitalização N. Contas a Pagar O. Contingências Fiscais, Trabalhistas e Civis P. Outros Passivos Q. TOTAL DO PASSIVO R. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas de Lucros e Prejuízos Acumulados Participações Minoritárias (*) Reclassificado 11

12 Apêndice A: Planilha Financeira (Continuação) J.MALUCELLI SEGURADORA S.A. (Milhares de Reais, Controlador) 6 meses 12 meses 12 meses 12 meses 12 meses RESULTADOS Jun-12 Dez-11 Dez-10 Dez-09 Dez Prêmios Seguros, Contribuições de Planos de Previdência e de Capitalização Variação das Provisões Técnicas de Seguros,Previdência e Capitalização Prêmios Ganhos Prêmios Cedidos Prêmios Ganhos Líquidos Sinistros Resgates e Benefícios de apólices de vida, Previdência e Capitalização Recuperação de Sinistros de Resseguradores Sinistros Salvados e Ressarcidos Variação das Provisões de Sinistros e de Eventos Ocorridos não Avisados Sinistros Retidos Custos de Aquisição Recuperação de Comissões de Resseguradores Despesas Administrativas e Tributárias Outras Receitas e Despesas Operacionais Custos de Operação Líquidos Resultado Técnico das Operações Receitas Financeiras Despesas Financeiras Resultado Operacional Resultado Não Operacional Resultado Patrimonial Lucros ou Prejuízo Antes de Impostos e Participações Minoritárias Impostos Participações Minoritárias LUCRO OU PREJUÍZO LÍQUIDO PRINCIPAIS INDICADORES Jun-12 Dez-11 Dez-10 Dez-09 Dez-08 I. Performance 1. Retenção 48,3% 35,8% 29,3% 23,6% 17,5% 2. Sinistralidade Incorrida Bruta 118,9% 16,7% 13,4% 12,1% 11,3% 3. Sinistralidade Incorrida Líquida 47,4% 37,8% 39,6% 49,3% 50,7% 4. Despesas de Comercialização/Prêmios Ganhos 11,9% 10,0% 10,7% -8,6% -6,7% 5. Despesas Administrativas/Prêmios Ganhos 21,5% 20,1% 14,7% 11,8% 11,0% 6. Custos de Operação Líquidos/Prêmios Ganhos Líquidos 18,3% 22,3% 6,3% -3,4% 5,6% 7. Resultado Técnico das Operações/ Prêmios Ganhos 16,5% 14,3% 15,9% 12,8% 7,6% 8. Índice Combinado 65,7% 60,1% 45,9% 45,9% 56,3% 9. Índice Operacional 40,3% 26,4% 14,8% 15,3% 27,6% 10. Resultado Financeiro/Prêmios Ganhos 12,3% 12,1% 9,1% 7,2% 5,0% 11. Retorno sobre Ativos Médios 5,0% 6,7% 6,4% 5,5% 5,0% 12. Retorno sobre Patrimônio Médio 4,4% 6,1% 7,2% 7,5% 5,8% II. Capitalização e Alavancagem 1. Passivo/Patrimônio Líquido (x) 2,76 2,31 3,21 4,00 5,01 2. Provisões Técnicas/Passivo 79,1% 77,1% 68,7% 66,7% 60,2% 3. Dívida Financeira/Passivo 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% 4. Provisões Técnicas (líquidas de PPNG de Resseguro Cedido)/Prêmios 1,81 1,98 2,26 1,47 1,64 Ganhos Líquidos (x) 5. Prêmios Ganhos Líquidos/Patrimônio Líquido 50,3% 46,2% 49,4% 49,3% 45,2% 6. Patrimônio Líquido/Ativo 26,6% 30,2% 23,8% 20,0% 16,6% 7. Capital Regulatório 372,0% 406,9% 573,4% 573,7% 391,0% 8. (Provisão de Sinistro a Liquidar + IBNR)/Provisões Técnicas 38,2% 13,9% 10,7% 10,9% 12,1% 9. (Provisão de Sinistro a Liquidar + IBNR) (t-1)/sinistros Ocorridos (t) 13,0% 93,2% 147,0% 106,9% 57,9% III. Investimentos e Liquidez 1. Ativos Líquidos/Provisões Técnicas (líquidas da PPNG de Resseguro 1,79 1,67 1,59 2,50 1,98 Cedido) (x) 2. Ativos Líquidos/(Provisões Técnicas (líquidas da PPNG de Resseguro 1,79 1,67 1,59 2,50 1,98 Cedido)+Divida Financeira) (x) 3. Ativos Liquidos/Passivos 59,2% 65,8% 55,5% 45,4% 29,3% 4. Imobilizado e Ativo Diferido /Ativo Total 1,2% 1,6% 1,8% 0,2% 0,2% 5. Rotação das Contas a Cobrar (em dias)

13 Apêndice B: Outras Considerações sobre o Rating Abordagem do Grupo FFS O rating da JM se baseia em sua força financeira intrínseca. O rating considera os benefícios da integração entre a seguradora e a JM Re, além da ampla capacidade de retenção combinada e a abordagem comercial e do uso da mesma marca. Graduação (Notching) Não se aplica ao emissor. 13

14 A presente publicação não é um relatório de classificação de risco de crédito para os efeitos do artigo 16 da Instrução CVM n o 521/12. O rating acima foi solicitado pelo, ou em nome do, emissor e, portanto, a Fitch foi compensada pela avaliação do rating. TODOS OS RATINGS DE CRÉDITO DA FITCH ESTÃO SUJEITOS A ALGUMAS LIMITAÇÕES E TERMOS DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE. POR FAVOR, VEJA NO LINK A SEGUIR ESSAS LIMITAÇÕES E TERMOS DE ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: AS DEFINIÇÕES E TERMOS DE USO DOS RATINGS ESTÃO DISPONÍVEIS NO SITE PÚBLICO DA AGÊNCIA, EM OS RATINGS PÙBLICOS, CRITÉRIOS E METODOLOGIAS PUBLICADOS ESTÃO PERMANENTEMENTE DISPONÍVEIS NESTE SITE. O CÓDIGO DE CONDUTA DA FITCH E POLÍTICAS DE CONFIDENCIALIDADE, CONFLITOS DE INTERESSE; SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO (FIREWALL) DE AFILIADAS, COMPLIANCE E OUTRAS POLÍTICAS E PROCEDIMENTOS RELEVANTES TAMBÉM ESTÃO DISPONÍVEIS NESTE SITE, NA SEÇÃO "CÓDIGO DE CONDUTA". Copyright 2013 da Fitch, Inc., Fitch Ratings Ltd. e suas subsidiárias. One State Street Plaza, NY, NY Telefone: (para chamadas efetuadas nos Estados Unidos), ou (001212) (chamadas fora dos Estados Unidos). Fax: (212) Proibida a reprodução ou retransmissão, integral ou parcial, exceto quando autorizada. Todos os direitos reservados. Ao atribuir e manter ratings, a Fitch se baseia em informações fatuais recebidas de emissores e underwriters e de outras fontes que a agência considere confiáveis. A Fitch realiza uma investigação adequada apoiada em informações fatuais disponíveis, de acordo com suas metodologias de rating, e obtém uma verificação também adequada destas informações de outras fontes independentes, à medida que estas estejam disponíveis com certa segurança e em determinadas jurisdições. A forma como a Fitch conduz a análise dos fatos e o escopo da verificação obtido de terceiros variará, dependendo da natureza dos títulos e valores mobiliários analisados e do seu emissor; das exigências e práticas na jurisdição em que o título analisado é oferecido e vendido e/ou o emissor esteja localizado; da disponibilidade e natureza das informações públicas relevantes; do acesso à administração do emissor e seus consultores; da disponibilidade de verificações de terceiros já existentes, como relatórios de auditoria, cartas de procedimentos acordadas, avaliações, relatórios atuariais, relatórios de engenharia, pareceres legais e outros relatórios fornecidos por terceiros; da disponibilidade de verificação por parte de terceiros independentes e competentes com respeito àqueles títulos e valores mobiliários em particular, ou na jurisdição do emissor, particularmente, e de outros fatores. Os usuários dos ratings da Fitch devem entender que nem uma investigação fatual aprofundada, nem qualquer verificação de terceiros pode assegurar que todas as informações de que a Fitch dispõe relativas a um rating serão precisas ou completas. Em última análise, o emissor e seus consultores são responsáveis pela exatidão das informações fornecidas à Fitch e ao mercado ao apresentar documentos e outros relatórios. Ao atribuir ratings, a Fitch deve se apoiar no trabalho de especialistas, inclusive dos auditores independentes, com respeito às demonstrações financeiras, e de consultores jurídicos, com relação aos aspectos legais e tributários. Além disso, os ratings são, por natureza, prospectivos e incorporam assertivas e prognósticos sobre eventos futuros que, por sua natureza, não podem ser comprovados como fatos. Como resultado, apesar de qualquer verificação dos fatos atuais, os ratings podem ser afetados por eventos futuros ou por condições não previstas por ocasião da atribuição ou da afirmação de um rating. As informações neste relatório são fornecidas "tal como se apresentam", sem que ofereçam qualquer tipo de garantia. Um rating da Fitch constitui opinião sobre o perfil de crédito de um título. Esta opinião se apoia em critérios e metodologias existentes, que são constantemente avaliados e atualizados pela Fitch. Os ratings são, portanto, resultado de um trabalho de equipe na Fitch, e nenhuma classificação é de responsabilidade exclusiva de um indivíduo, ou de um grupo de indivíduos. O rating não cobre o risco de perdas em função de outros riscos que não sejam o de crédito, a menos que tal risco esteja especificamente mencionado. A Fitch não participa da oferta ou venda de qualquer título. Todos os relatórios da Fitch são de autoria compartilhada. Os profissionais identificados em um relatório da Fitch participaram de sua elaboração, mas não são isoladamente responsáveis pelas opiniões expressas no texto. Os nomes são divulgados apenas para fins de contato. Um relatório que contenha um rating atribuído pela Fitch não constitui um prospecto, nem substitui as informações reunidas, verificadas e apresentadas aos investidores pelo emissor e seus agentes com respeito à venda dos títulos. Os ratings podem ser modificados ou retirados a qualquer tempo, por qualquer razão, a critério exclusivo da Fitch. A agência não oferece aconselhamento de investimentos de qualquer espécie. Os ratings não constituem recomendação de compra, venda ou retenção de qualquer título. Os ratings não comentam a correção dos preços de mercado, a adequação de qualquer título a determinado investidor ou a natureza de isenção de impostos ou taxação sobre pagamentos efetuados com respeito a qualquer título. A Fitch recebe honorários de emissores, seguradores, garantidores, outros coobrigados e underwriters para avaliar os títulos. Estes honorários geralmente variam entre USD1.000 e USD (ou o equivalente em moeda local aplicável) por emissão. Em certos casos, a Fitch analisará todas ou determinado número de emissões efetuadas por um emissor em particular ou seguradas ou garantidas por determinada seguradora ou garantidor, mediante o pagamento de uma única taxa anual. Tais honorários podem variar de USD a USD (ou o equivalente em moeda local aplicável). A atribuição, publicação ou disseminação de um rating pela Fitch não implicará consentimento da Fitch para a utilização de seu nome como especialista, com respeito a qualquer declaração de registro submetida mediante a legislação referente a títulos em vigor nos Estados Unidos da América, a Lei de Serviços Financeiros e Mercados, de 2000, da Grã-Bretanha ou a legislação referente a títulos de qualquer outra jurisdição, em particular. Devido à relativa eficiência da publicação e distribuição por meios eletrônicos, a pesquisa da Fitch poderá ser disponibilizada para os assinantes eletrônicos até três dias antes do acesso para os assinantes dos impressos. 14

Seguros. J. Malucelli Resseguradora S.A. JM Re. Seguros/ Brasil. Relatório Analítico. Fundamentos do Rating

Seguros. J. Malucelli Resseguradora S.A. JM Re. Seguros/ Brasil. Relatório Analítico. Fundamentos do Rating Seguros/ Brasil JM Re Relatório Analítico Ratings Rating FFS em Escala Nacional Risco Soberano IDR de Longo Prazo em Moeda Estrangeira IDR de Longo Prazo em Moeda Local Perspectiva Rating FFS em Escala

Leia mais

Fitch Afirma Ratings do Banco Fator e da Fator Seguradora; Perspectiva Revisada Para Negativa

Fitch Afirma Ratings do Banco Fator e da Fator Seguradora; Perspectiva Revisada Para Negativa Fitch Afirma Ratings do Banco e da Seguradora; Perspectiva Revisada Para Negativa Fitch Ratings - São Paulo/Rio de Janeiro, 16 de outubro de 2014: A Fitch Ratings afirmou, hoje, os Ratings Nacionais do

Leia mais

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Ratings - Rio de Janeiro, xx de outubro de 2015: A Fitch Ratings publicou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo A-(bra) (A menos(bra))

Leia mais

Seguros. Posição de Mercado e Porte/Escala. Seguradora com Participação Relevante no Mercado de Seguro-Garantia - Fator Positivo Para o Rating

Seguros. Posição de Mercado e Porte/Escala. Seguradora com Participação Relevante no Mercado de Seguro-Garantia - Fator Positivo Para o Rating Seguros / Brasil Relatório Analítico Ratings Força Financeira de Seguradora Rating Nacional Risco Soberano IDR de Longo Prazo em Moeda Estrangeira IDR de Longo Prazo em Moeda Local BBB(bra) BBB BBB Perspectivas

Leia mais

Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável

Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável Fitch Ratings Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2014: A Fitch Ratings rebaixou, hoje, o Rating Nacional de Longo

Leia mais

Release de Resultado 3T08

Release de Resultado 3T08 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$75,0 MILHÕES OU R$0,33 POR AÇÃO NO E R$211,6 MILHÕES OU R$0,92 POR AÇÃO NO 9M08. São Paulo, 7 de Novembro de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os

Leia mais

Release de Resultados do 1T10

Release de Resultados do 1T10 Release de Resultados do 1T10 Fale com R.I Relações com Investidores Tel: (11) 3366-5323 / 3366-5378 www.portoseguro.com.br, gri@portoseguro.com.br Porto Seguro S.A. Alameda Ribeiro da Silva, 275 1º andar

Leia mais

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006.

Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. Lucro Líquido de R$179,4 milhões ou R$2,33 por ação no 4T06 e R$460,2 milhões ou R$5,99 por ação em 2006. São Paulo, 28 de fevereiro de 2007 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Finanças Estruturadas

Finanças Estruturadas z Finanças Estruturadas ABS / Brasil Séries 2011-10 e 2011-11 Relatório de Rating Preliminar Conteúdo Sumário da Transação 1 Fundamentos do Rating 1 Sensibilidade do Rating 2 Análise de Dados 2 Transação

Leia mais

Finanças Estruturadas

Finanças Estruturadas z Finanças Estruturadas ABS / Brasil Séries 2012-19 e 2012-20 Relatório de Rating Preliminar Conteúdo Estrutura de Capital 1 Resumo da Transação 1 Fundamentos do Rating 1 Sensibilidade do Rating 2 Análise

Leia mais

Fundamentos do Rating. Fatores de Evolução do Rating. www.fitchratings.com.br 13 de Outubro de 2009

Fundamentos do Rating. Fatores de Evolução do Rating. www.fitchratings.com.br 13 de Outubro de 2009 Brasil Relatório Sintético Ratings Ratings Atuais Moeda Estrangeira IDR de Longo Prazo - IDR de Curto Prazo - Moeda Local IDR de Longo Prazo - IDR de Curto Prazo - Nacional Longo Prazo Curto Prazo Individual

Leia mais

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS

11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1 ATIVO 1 11 CIRCULANTE 111 DISPONÍVEL 1111 CAIXA 11111 CAIXA 1112 VALORES EM TRÂNSITO 11121 VALORES EM TRÂNSITO 11122 CHEQUES EMITIDOS 1113 BANCOS CONTA DEPÓSITOS 11131 BANCOS CONTA DEPÓSITOS - MOVIMENTO

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Fitch Revisa Ratings de Cinco Bancos Brasileiros de Médio Porte

Fitch Revisa Ratings de Cinco Bancos Brasileiros de Médio Porte Fitch Revisa Ratings de Cinco Bancos Brasileiros de Médio Porte 30 Abr 2014 15h57 Fitch Ratings - São Paulo/Nova York/Rio de Janeiro, 30 de abril de 2014: A Fitch Ratings concluiu a revisão de cinco bancos

Leia mais

Ratings na Escala Nacional Brasil da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. rebaixados para 'braa-'

Ratings na Escala Nacional Brasil da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. rebaixados para 'braa-' Data de Publicação: 14 de abril de 2014 Comunicado à Imprensa Ratings na Escala Nacional Brasil da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. rebaixados para 'braa-' Analista principal:

Leia mais

Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Ratings do Grupo BTG Pactual; Perspectiva Revisada Para Positiva 27 Jan 2014 17h04 São Paulo/Rio de Janeiro, 27 de Janeiro de 2014 A Fitch Ratings afirmou os ratings do Banco BTG Pactual S.A.

Leia mais

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

FITCH AFIRMA RATINGS DA CPFL ENERGIA E DE SUAS SUBSIDIÁRIAS EM AA(BRA) ; PERSPECTIVA NEGATIVA

FITCH AFIRMA RATINGS DA CPFL ENERGIA E DE SUAS SUBSIDIÁRIAS EM AA(BRA) ; PERSPECTIVA NEGATIVA FITCH AFIRMA RATINGS DA CPFL ENERGIA E DE SUAS SUBSIDIÁRIAS EM AA(BRA) ; PERSPECTIVA NEGATIVA Fitch Ratings-Sao Paulo-17 June 2016: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo 'AA(bra)'

Leia mais

Relatório de Estabilidade Financeira. Banco Central do Brasil Setembro de 2013

Relatório de Estabilidade Financeira. Banco Central do Brasil Setembro de 2013 Relatório de Estabilidade Financeira Banco Central do Brasil Setembro de 2013 Pontos abordados para o Sistema Bancário* Base: 1º semestre de 2013 Risco de liquidez Captações Risco de crédito Portabilidade

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

1T11. Principais. Destaques. Qualidade da Carteira de Crédito 4T09 3T09 4T08. 4T09 x 4T08

1T11. Principais. Destaques. Qualidade da Carteira de Crédito 4T09 3T09 4T08. 4T09 x 4T08 1T11 Disclaimer Todas as informações financeiras aqui apresentadas são consolidadas, abrangendo as demonstrações financeiras do Banco, suas controladas, a JMalucelli Seguradora, a JMalucelli Seguradora

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos e 2010 e do exercício findo

Leia mais

Contato analítico adicional: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039?7782, marcelo.schwarz@standardandpoors.com

Contato analítico adicional: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039?7782, marcelo.schwarz@standardandpoors.com Data de Publicação: 26 de junho de 2014 Comunicado à Imprensa Standard & Poor's reafirma ratings 'BB+' na escala global e 'braa' na Escala Nacional Brasil atribuídos à Ampla Energia e Serviços; Rating

Leia mais

Crescimento expressivo. Conjuntura econômica

Crescimento expressivo. Conjuntura econômica Resultados 2010 Resultados 2010 Crescimento expressivo A SulAmérica registrou lucro líquido de R$ 614 milhões, que corresponde a uma elevação de 48,5% em relação a 2009 Conjuntura econômica O ano de 2010

Leia mais

Ratings 'braa-' da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. reafirmados; perspectiva negativa

Ratings 'braa-' da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. reafirmados; perspectiva negativa Data de Publicação: 17 de abril de 2015 Comunicado à Imprensa Ratings 'braa-' da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. reafirmados; perspectiva negativa Analista principal: Gabriela

Leia mais

Release de Resultado Janeiro/08

Release de Resultado Janeiro/08 PORTO SEGURO anuncia lucro líquido de R$10,0 milhões ou R$0,13 por ação em janeiro de 2008 São Paulo, 17 de Março de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados de janeiro de 2008. As

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Crédito y Caución Seguradora de Crédito à Exportação S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

Crédito y Caución Seguradora de Crédito à Exportação S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores Acionistas Submetemos à apreciação de V.Sas as demonstrações financeiras da

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Data de Publicação: 14 de outubro de 2009 Relatório de Monitoramento Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Ratings em Outubro de 2009 Instrumento Rating Atual Rating Inicial

Leia mais

Seguros, Previdência e Capitalização

Seguros, Previdência e Capitalização Seguros, Previdência e Capitalização Análise das contas Patrimoniais e do Resultado Ajustado do Grupo Bradesco de Seguros, Previdência e Capitalização: Balanço Patrimonial Mar10 Dez09 Mar09 Ativo Circulante

Leia mais

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras

Prática - desenvolvimento de sistemas Av. Assis Brasil 1800/302 - Porto Alegre - RS - CEP:91010-001. Empresa: Plano referencial 4 - Seguradoras 1 ATIVO 1.01 CIRCULANTE 1.01.01 DISPONÍVEL 1.01.01.01 Caixa 1.01.01.02 Valores em Trânsito 1.01.01.03 Bancos Conta Depósitos 1.01.01.04 Aplicações no Mercado Aberto 1.01.02 APLICAÇÕES 1.01.02.01 Títulos

Leia mais

Corporates. Contax Participações S.A. Contact Center/Brasill. Relatório Analítico. Principais Fundamentos dos Ratings. Sensibilidade dos Ratings

Corporates. Contax Participações S.A. Contact Center/Brasill. Relatório Analítico. Principais Fundamentos dos Ratings. Sensibilidade dos Ratings Contact Center/Brasill Relatório Analítico Ratings Nacional Rating de Longo Prazo AA(bra) 1ª Emissão de Debêntures AA(bra) Perspectiva Rating Nacional de Longo Prazo Estável Dados Financeiros Contax Participacoes

Leia mais

Comparações entre Práticas Contábeis

Comparações entre Práticas Contábeis IAS 12, SIC-21, SIC-25 SFAS 109, I27, muitas questões EITF NPC 25 do Ibracon, Deliberação CVM 273/98 e Instrução CVM 371/02 Pontos-chave para comparar diferenças D i f e r e n ç a s S i g n i f i c a t

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro

Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro Estamos expostos aos efeitos das perturbações e volatilidade nos mercados financeiros globais e nas economias nos países

Leia mais

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A.

BANCO INDUSTRIAL DO BRASIL S.A. BI Monitoramento de Rating A LFRating comunica ao Banco Industrial S.A. e ao mercado que, em reunião de Comitê realizada no dia 6 de agosto de 2008, foi confirmada a nota A+ atribuída ao referido banco

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis Introdução As empresas de seguros são estruturas que apresentam características próprias. Podem se revestir

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes

American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes American Life Companhia de Seguros Demonstrações financeiras individuais em 30 de junho de 2013 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores acionistas: Em cumprimento às

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

Ratings 'braa' atribuídos à Rodovia das Colinas S.A. e à sua emissão de debêntures; Perspectiva estável

Ratings 'braa' atribuídos à Rodovia das Colinas S.A. e à sua emissão de debêntures; Perspectiva estável Data de Publicação: 28 de fevereiro de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings 'braa' atribuídos à Rodovia das Colinas S.A. e à sua emissão de debêntures; Perspectiva estável Analistas: Marcus Fernandes, São

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos semestres findos em 30 de junho de 2013 e de

Leia mais

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro

Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro Normas Contábeis Orientações da SUSEP ao Previdência Complementar Aberta, Capitalização e Resseguro julho/2013 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1. Área Responsável... 2 1.2. Base Legal... 2 1.3. Abrangência...

Leia mais

Rating 'bra' atribuídos à ALD Automotive S.A.

Rating 'bra' atribuídos à ALD Automotive S.A. Data de Publicação: 23 de janeiro de 2013 Comunicado à Imprensa Rating 'bra' atribuídos à ALD Automotive S.A. Analistas: Marcus Fernandes, São Paulo (55) 11-3039-9734, marcus_fernandes@standardandpoors.com;

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Preparadas de acordo com normas de contabilidade Internacional IFRS. Banco Santander (Brasil) S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Preparadas de acordo com normas de contabilidade Internacional IFRS. Banco Santander (Brasil) S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Preparadas de acordo com normas de contabilidade Internacional IFRS Banco Santander (Brasil) S.A. 31 de Dezembro de 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS ÍNDICE

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08. Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 08 Custos de Transação e Prêmios na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 39 partes

Leia mais

Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes

Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2011 e relatório dos auditores independentes RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas.

Leia mais

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Seguros Gerais S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes 3 SAFRA SEGUROS GERAIS S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 06.109.373/0001-81 Submetemos à

Leia mais

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

Safra Vida e Previdência S.A. Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis individuais em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes SAFRA VIDA E PREVIDÊNCIA S.A. AV. PAULISTA, 2100 SÃO PAULO SP CNPJ: 30.902.142/0001-05 Submetemos

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA GENERALI BRASIL SEGUROS S.A.

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DA GENERALI BRASIL SEGUROS S.A. Senhores acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, a Administração da Generali Brasil Seguros submete à apreciação de V.Sas. as demonstrações financeiras relativas ao exercício de

Leia mais

ITAÚ SEGUROS DE AUTO E RESIDÊNCIA S.A.

ITAÚ SEGUROS DE AUTO E RESIDÊNCIA S.A. 144 São Paulo, 124 (39) Diário Oficial Empresarial quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras

Leia mais

Divulgação de Resultados 2T08

Divulgação de Resultados 2T08 Divulgação de Resultados 2T08 Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2008 A Sul América S.A. (Bovespa: SULA11) anuncia hoje os resultados do segundo trimestre de 2008 (2T08). As informações operacionais e financeiras

Leia mais

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015

Sancor Seguros do Brasil S.A. Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração

Leia mais

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013

Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 Teleconferência Resultado 2T2013 13/08/2013 BB Seguridade S.A. Resultado do 2º Trimestre de 2013 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009

Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 Normas Internacionais de Relatório Financeiro Modelo de demonstrações financeiras para 2009 2 Demonstrações financeiras para o exercício findo em 31 de dezembro de 2009 As demonstrações financeiras, modelo

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações financeiras

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - PARTICIPAÇÕES INDUST. DO NORDESTE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Zurich Minas Brasil Seguros S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e relatório dos auditores independentes

Zurich Minas Brasil Seguros S.A. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório da Administração Senhores acionistas Submetemos à V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Zurich Minas

Leia mais

J.MALUCELLI SEGURADORA S.A.

J.MALUCELLI SEGURADORA S.A. 6ª feira 27/Fev/2015 - Edição nº 9400 63 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de Vossas Senhorias, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e o Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A.

Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A. Metropolitan Life Seguros e Previdência Privada S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2014 e Relatório dos Auditores Independentes Deloitte Touche

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

Bancos. Santinvest S.A. Crédito, Financiamento e Investimentos Relatório Analítico. Brasil. Principais Fundamentos dos Ratings

Bancos. Santinvest S.A. Crédito, Financiamento e Investimentos Relatório Analítico. Brasil. Principais Fundamentos dos Ratings Bancos Brasil Santinvest S.A. Crédito, Financiamento e Investimentos Relatório Analítico Principais Fundamentos dos Ratings Ratings Rating Nacional Rating de Longo Prazo Rating de Curto Prazo Rating Soberano

Leia mais

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS. Dezembro de 2014

Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS. Dezembro de 2014 Demonstrações Contábeis Consolidadas em IFRS Dezembro de 2014 Índice Geral Pág. Relatório dos Auditores Independentes 02 Demonstrativos Contábeis 05 Notas Explicativas da Administração 11 Relatório dos

Leia mais

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL

SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL SIMULA Re APLICAÇÃO DE SIMULADOR PARA AVALIAÇÃO DE IMPLANTAÇÃO DE UMA RESSEGURADORA LOCAL Simulação para avaliação da viabilidade econômica e retorno do capital investido para a implantação de Resseguradora

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo OBJETIVO

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

.MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR

.MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR .MINISTÉRIO DA SAÚDE 1 AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR RESOLUÇÃO - RDC Nº 65, DE 16 DE ABRIL DE 2001 (*) Dispõe sobre as sociedades seguradoras especializadas em saúde. A Diretoria Colegiada da Agência

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 2º Trimestre de 2013 . São Paulo, 06 de agosto de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

Analista principal: Suzane Iamamoto, São Paulo (55) 11 3039-9728, suzane.iamamoto@standardandpoors.com

Analista principal: Suzane Iamamoto, São Paulo (55) 11 3039-9728, suzane.iamamoto@standardandpoors.com Data de Publicação: 23 de maio de 2013 Comunicado à Imprensa Ratings da JMalucelli Seguradora S.A. e da JMalucelli Resseguradora S.A. elevados para 'braa' na Escala Nacional Brasil com base no novo critério

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

16 São Paulo, 125 (66) Diário Oficial Empresarial quinta-feira, 9 de abril de 2015

16 São Paulo, 125 (66) Diário Oficial Empresarial quinta-feira, 9 de abril de 2015 16 São Paulo, 125 (66) Diário Oficial Empresarial quinta-feira, 9 de abril de 2015 Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE

Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Data de Publicação: 23 de fevereiro de 2010 Comunicado à Imprensa Monitoramento: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios CEEE Ratings em Fevereiro de 2010 Instrumento Rating Atual Rating Inicial

Leia mais

MAPFRE Seguros Gerais S.A. CNPJ 61.074.175/0001-38

MAPFRE Seguros Gerais S.A. CNPJ 61.074.175/0001-38 26 São Paulo, 125 (38) Diário Oficial Empresarial sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015 MAPFRE Seguros Gerais S.A. CNPJ 61.074.175/0001-38 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação

Leia mais

Ratings da Austral Seguradora S.A. e Austral Resseguradora S.A. elevados de 'bra+' para 'braa-'

Ratings da Austral Seguradora S.A. e Austral Resseguradora S.A. elevados de 'bra+' para 'braa-' Data de Publicação: 24 de janeiro de 2014 Comunicado à Imprensa Ratings da Austral Seguradora S.A. e Austral Resseguradora S.A. elevados de 'bra+' para 'braa-' Analista principal: Amalia Bulacios, Buenos

Leia mais

Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes

Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes Azul Companhia de Seguros Gerais Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2011 e relatório dos auditores independentes RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 226, DE 2010. Dispõe sobre os critérios para a realização de investimentos pelas sociedades seguradoras, resseguradores locais,

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.)

BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de março de

Leia mais

Demonstrações Financeiras SUHAI SEGUROS S.A.

Demonstrações Financeiras SUHAI SEGUROS S.A. Demonstrações Financeiras SUHAI SEGUROS S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.S.as o Relatório da Administração

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais