Arquitetura de Computadores. Linguagem de Máquina

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arquitetura de Computadores. Linguagem de Máquina"

Transcrição

1 Arquitetura de Computadores Linguagem de Máquina Ivan Saraiva Silva Formato de Instrução MAC O MIC possui dois formatos de instrução: 4 bits 12 bits Formato 1 CODOP ENDEREÇO 8 bits 8 bits Formato 2 CODOP ENDEREÇO 16 bits Formato 3 CODOP 1

2 Conjunto de Instruções MAC Instrução Mnemônico Significado 0000xxxxxxxxxxxx LODD X AC := M[X] 0001xxxxxxxxxxxx STOD X M[X] := AC 0010xxxxxxxxxxxx ADDD X AC := AC + M[X] 0011xxxxxxxxxxxx SUBD X AC := AC - M[X] 0100xxxxxxxxxxxx JPOS X If AC 0; PC := X 0101xxxxxxxxxxxx JZER X If AC = 0; PC := X 0110xxxxxxxxxxxx JUMP PC := X 0111xxxxxxxxxxxx LOCO AC := X 1000xxxxxxxxxxxx LODL AC := M[SP +X] Conjunto de Instruções do MAC Instrução Mnemônico Significado 1001xxxxxxxxxxxx STOL M[X + SP] := AC 1010xxxxxxxxxxxx ADDL AC := AC + M[SP + X] 1011xxxxxxxxxxxx SUBL AC := AC - M[SP + X] 1100xxxxxxxxxxxx JNEG if AC < 0; PC := X 1101xxxxxxxxxxxx JNZE if AC 0; PC := X 1110xxxxxxxxxxx CALL SP := SP - 1; M[SP] := PC; PC := X 2

3 Conjunto de Instruções MAC Instrução Mnemônico Significado PSHI SP := SP - 1; M[SP] := M[AC] POPI M[AC] := M[SP] SP := SP + 1; PUSH SP := SP - 1; M[SP] := AC POP AC := M[SP]; SP := SP + 1; RETN PC := M[SP]; SP := SP + 1; SWAP TMP := AC; AC := SP; SP := TMP yyyyyyyyy INSP SP = SP + Y yyyyyyyyy DESP SP := SP - Y MAR MBR RD WR ULA P A S C C P I R T I R A B A B C D E M M F 16 Z N 3

4 Programação no MIPS Programação no MIPS A notação em assembly do MIPS usa add a, b, c # que significa a = b + c Sub a, b, c # que significa a = b - c sub add Ordem dos operandos indica operandos fonte e destino 4

5 Programação no MIPS Para somar os conteúdos de b, c, d e e add a, b, c # a = b + c add a, a, d # a = (b+c) + d add a, a, e # a = (b+c+d) + e Cada linha do programa tem apenas uma instrução Os operandos das instruções MIPS precisam ser um registrador O conteúdo de um registrador Programação no MIPS A ISA MIPS usa três formatos de instrução 6 bits 5 bits 5 bits 5 bits 5 bits 6 bits op rs rt rd shamt funct Formato tipo R (Operações entre registradores) 6 bits 5 bits 5 bits 16 bits op rs rt constante ou endereço Formato tipo I (Endereçamento imediato) 5

6 Programação no MIPS A ISA MIPS usa três formatos de instrução 6 bits 26 bits op constante ou endereço Formato tipo J (Saltos e chamada de procedimentos) Uso de Registradores no MIPS 32 registradores estão disponíveis no MIPS $s0, $s1, $s2, # para variáveis $t0, $t1, $t2, # para temporários A palavra do MIPS é de 32 bits Registradores também têm 32 bits 6

7 Uso de Registradores no MIPS Registrador Número Uso Preservado na chamada? $zero 0 Valor 0 n.a. $at 1 Assembler temporary N $v0-$v1 2-3 Resultados (procedimentos) N $a0-$a3 4-7 Argumentos (procedimentos) N $t0-$t Temporários N $s0-$s Valores salvos S $t8-$t Temporários N $gp 28 Ponteiro global S $sp 29 pilha S Sfp 30 quadro S $ra 31 retorno S Instruções de Formato R op: opcode operação básica da instrução rs: registrador do primeiro operando de origem rt: registrador do segundo operando de origem rd: registrador do operando destino shamt: Quantidade de deslocamento funct: função define uma variante da operação 6 bits 5 bits 5 bits 5 bits 5 bits 6 bits op rs rt rd shamt funct Formato tipo R 7

8 Representando Instruções Tipo R Exemplo: Como codificar: add $t0, $s1, $s2 op 6 bits rs 5 bits rt 5 bits rd 5 bits shant 5 bits funct 6 bits add (17 = $s1) (18 = $s2) (8 = $t0) Instruções do Formato R Instruções aritméticas add $s0, $s1, $s2 sub $s0, $s1, $s2 Instruções lógicas (entre registradores) AND bit-a-bit and $t0, $t1, $t2 OR bit-a-bit or $t0, $t1, $t2 NOR bit-a-bit nor $t0, $t1, $t2 # $t0 = NOT ($t1 OR $t2) 8

9 Instruções do Formato R Instruções de deslocamento Shift à esquerda sll $t2, $s0, 4 # $t2 = shift a esquerda de $s0 de 4 bits O campo shamt indica o tamanho do deslocamento Shift à direita Codificado no Campo shamt srl $t2, $s0, 4 # $t2 = shift a direita de $s0 de 4 bits Codificado no campo shamt Instruções do Formato R Teste de igualdade ou desigualdade slt $t0, $s3, $s4 # $t0 = 1 se $s3 < $s4; cc $t0 = 0 Retorno de procedimento jr $ra Instrução de retorno incondicional de procedimento Salta para o endereço armazenado em $ra Esta instrução é usada coma a última instrução de um procedimento A instrução de salto para procedimento é a instrução jal (tipo J) 9

10 Instruções do Formato I Permite a utilização de constantes e operandos Imediatos As vezes é importante evitar o tempo de carga (load) de uma constante O MIPS faz isto com endereçamento imediato Aumenta da velocidade de execução Instruções do Formato I Instruções aritméticas addi $s3, $s3, 4 # $s3 = $s é um operando imediato O operando imediato é codificado na instrução Instruções lógicas Codificado no andi $t0, $t1, 100 campo constante ou endereço de ori $t0, $t1, bits Teste de igualdade ou desigualdade slti $t0, $s2, 10 # $t0 = 1 se $s2 < 10; cc $t0 = 0 10

11 Instruções do Formato I Instruções de controle de fluxo Desvios Condicionais beq $s3, $s4, label # salte para label se ($s3 = $s4) bne $s3, $s4, label # salte para label se ($s3 $s4) Carga e armazenamento envolvendo a memória lw $t0, 32 ($s3) # salte para label se ($s3 = $s4) sw $t0, 32($s3) Instruções do Formato I Carga e armazenamento menores que uma palavra lh $s1, 100($s2) # load meia palavra (2 bytes) $s1 = M(($s ) sh $s1, 100($s2) # store meia palavra (2 bytes) M(($s ) = $s1 lb $s1, 100($s2) # load um byte sb $s1, 100($s2) # store um byte 11

12 Instruções do Formato I Carga e armazenamento menores que uma palavra lui $t0, 255 # carrega constante nos 16 bits mais significativos de $t0 Instruções do Formato J Desvios Incondicionais j label # salte para label de forma incondicional A instrução jump usa um formato chamado formato j Chamada de procedimento jal label # label é o endereço do procedimento Para executar um procedimento é necessário garantir certos recursos... 12

13 Programação no MIPS Exemplo if (i == j) f = g + h; else f = g h; Supor i e j armazenados em $s3 e $s4 f, g e h estão armazenados em $s0, $s1 e $s2 bne $s3, $s4, Else # PC = Else se $s3 $s4 add $s0, $s1, $s2 # f = g + h j Exit; Else: sub $s0, $s1, $s2 # # f = g - h Exit: Programação no MIPS Exemplo While (save[i] = = k) i += 1; Supor i e k armazenados em $s3 e $s5 Precisamos do endereço de do array save Supor que o endereço base do array save armazenada em $s6. Loop: sll $t1, $s3, 2 # $t1=4*i add $t1, $t1, $s6 # save = (4*i) + $s6 lw $t0, 0($t1) # $t0 = save(i) bne $t0, $s5, Exit # sai se i k addi $s3, $s3, 1 # i = i + 1 j Loop # vá para Loop Exit: 13

14 Procedimentos no MIPS Para a execução de um procedimento é necessário: Colocar parâmetros em um local conhecido do procedimento Transferir o controle para o procedimento Adquirir recursos de armazenamento para o procedimento Realizar a tarefa desejada Colocar o valor de retorno em um valor conhecido por quem chamou o procedimento Retornar ao ponto de origem Procedimentos no MIPS Registradores e procedimentos $a0 a $a3 - Quatro registradores para passar parâmetros $v0 e $v1 Dois registradores para valores de retorno $ra Registrador de endereço de retorno ao ponto de origem Mais registradores Para usar mais registradores para parâmetros ou valores de retorno usa-se o $sp (apontador de pilha) 14

15 Programação no MIPS Exemplo procedimento int exemplo (int g, int h, int i, int j) { int f; f = (g + h) (I + j) } g, h, i e j usam os registradores de argumento $a0 a $a3 f corresponde a $s0 Preparando a execução do procedimento addi $sp, $sp, -12 sw $t1, 8($sp) # empilha $t1 sw $t0, 4($sp) # empilha $t0 sw $s0, 0($sp) # empilha $s0 Executando o procedimento add $t0, $a0, $a1 # $t0 contém g + h add $t1, $a2, $a3 # $t1 contém i + j sub $s0, $t0, $t1 # f = $t0 - $t1 Programação no MIPS Armazenando valor de retorno add $v0, $s0, $zero Preparando o retornoimento lw $s0, 0($sp) # restaura $s0 lw $t0, 4($sp) # restaura $t0 lw $t1, 8,($sp) # restaura $t1 addi $sp, $sp, 12 # ajusta a pilha jr $ra # retorna para o chamador 15

16 Modos de endereçamento Dois formatos envolvem constantes ou endereços da memória Formato I: constantes ou endereços de 16 bits Desvio máximo de 2 16, insuficiente para os dias atuais. Solução é usar o salto relativo a um registrador PC = Registrador + Endereço de desvio PC = (PC + 4) + Endereço de desvio (em # de palavras) Formato J: Constantes ou endereços de 26 bits Desvio máximo de 2 26, podes ser insuficiente Modos de endereçamento O MIPS disponibiliza cinco modos de endereçamento Endereçamento em registrador O operando é um registrador O endereço é o endereço do registrador (formato R) Endereçamento de base ou deslocamento O operando está na posição de memória apontada pela soma de um registrador com uma constante na instrução Ex. lw $t0, 4($sp) 16

17 Modos de endereçamento Endereçamento Imediato O operando é uma constante na instrução Ex. addi $A0, $A0, -1 Endereçamento relativo ao PC O endereço é a soma do PC com uma constante na instrução Endereçamento Pseudodireto O endereço do jump são os 26 bits do campo endereço da instrução concatenados com os 4 bits superiores de PC Programação no MIPS Estudo de caso Com o que foi visto até agora tente escrever em assembly do MIPS o algoritmo ao lado Identifique o que o algoritmo faz int X, S = 4, D = 2, R = 1, T = 0; cin >> X; While (T >= 0) { } R = R+1; D = D+2; S = S+D+1; T = X S; 17

18 Atividades Recomendadas Baixar o simulador MARS Estudar o capítulo 2 do livro: até a seção 2.9. Exercitar-se no uso do simulador MARS 18

Arquitetura de Sistemas Digitais (FTL066) Instruções: Linguagem do Computador Segunda Lista de Exercícios

Arquitetura de Sistemas Digitais (FTL066) Instruções: Linguagem do Computador Segunda Lista de Exercícios Arquitetura de Sistemas Digitais (FTL066) Instruções: Linguagem do Computador Segunda Lista de Exercícios 1) Explore conversões de números a partir de números binárias com sinal e sem sinal para decimal:

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Curso de Pós-Graduação em Ciência da Computação Aula 2 Arquitetura do Processador MIPS: características gerais, registradores, formatos de instrução,

Leia mais

MODOS DE ENDEREÇAMENTO

MODOS DE ENDEREÇAMENTO UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ERINALDO SANCHES NASCIMENTO MODOS DE ENDEREÇAMENTO MARINGÁ 2014 SUMÁRIO 6 MODOS DE ENDEREÇAMENTO...2 6.1 ENDEREÇAMENTO

Leia mais

MIPS. Prof. Carlos Bazilio http://www.ic.uff.br/~bazilio bazilio@ic.uff.br

MIPS. Prof. Carlos Bazilio http://www.ic.uff.br/~bazilio bazilio@ic.uff.br MIPS Prof. Carlos Bazilio http://www.ic.uff.br/~bazilio bazilio@ic.uff.br Introdução Plataforma projetada da parceria entre NEC, Nintendo, Silicon Graphics e Sony Possui um conjunto de instruções que e

Leia mais

Sistemas Processadores e Periféricos Aula 2 - Revisão

Sistemas Processadores e Periféricos Aula 2 - Revisão Sistemas Processadores e Periféricos Aula 2 - Revisão Prof. Frank Sill Torres DELT Escola de Engenharia UFMG Adaptado a partir dos Slides de Organização de Computadores 2006/02 do professor Leandro Galvão

Leia mais

Aula 14: Instruções e Seus Tipos

Aula 14: Instruções e Seus Tipos Aula 14: Instruções e Seus Tipos Diego Passos Universidade Federal Fluminense Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Diego Passos (UFF) Instruções e Seus Tipos FAC 1 / 35 Conceitos Básicos Diego Passos

Leia mais

PARTE II - CONJUNTO DE INSTRUÇÕES ARQUITETURA DE COMPUTADORES ANTONIO RAMOS DE CARVALHO JÚNIOR

PARTE II - CONJUNTO DE INSTRUÇÕES ARQUITETURA DE COMPUTADORES ANTONIO RAMOS DE CARVALHO JÚNIOR PARTE II - CONJUNTO DE INSTRUÇÕES ARQUITETURA DE COMPUTADORES ANTONIO RAMOS DE CARVALHO JÚNIOR Introdução Instruções são representadas em linguagem de máquina (binário) E x i s t e m l i n g u a g e n

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I

ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I AULA 04: ASPECTO BÁSICO DO PROJETO DE UMA CPU SIMPLES E LINGUAGEM DE MONTAGEM Prof. Max Santana Rolemberg Farias max.santana@univasf.edu.br Colegiado de Engenharia

Leia mais

MIPS ISA (Instruction Set Architecture)

MIPS ISA (Instruction Set Architecture) MIPS ISA (Instruction Set Architecture) MIcroprocessor without Interlocking Pipeline Stages MIPS Processador RISC de 32 bits Referência dos Processadores RISC Mais de 100 Milhões de processadores vendidos

Leia mais

Conjunto de. Instrução MIPS. Parte II. Instruções MIPS. Instruções MIPS. Instruções MIPS :: Instruções lógicas. :: Instruções lógicas

Conjunto de. Instrução MIPS. Parte II. Instruções MIPS. Instruções MIPS. Instruções MIPS :: Instruções lógicas. :: Instruções lógicas Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE Conjunto de Pae II Transferência de Dados Lógicas Controle Supoe a procedimentos Prof. Sérgio Adaptado dos slides de Sistemas Processadores

Leia mais

Sistemas de Computação. Instruções de Linguagem de Máquina

Sistemas de Computação. Instruções de Linguagem de Máquina Instruções de Linguagem de Máquina Linguagem de montagem do processador MIPS Operações aritméticas Instrução Exemplo Significado soma add a, b, c a = b + c subtração sub a, b, c a = b - c Compilação de

Leia mais

SSC0611 Arquitetura de Computadores

SSC0611 Arquitetura de Computadores SSC0611 Arquitetura de Computadores 2ª e 3ª Aulas Arquitetura MIPS: ISA, Formato das instruções e Modos de endereçamento Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br 1 Arquitetura MIPS MIPS: Microprocessor

Leia mais

SSC0114 Arquitetura de Computadores

SSC0114 Arquitetura de Computadores SSC0114 Arquitetura de Computadores 3ª Aula Arquitetura MIPS: ISA, Formato das instruções e Modos de endereçamento MIPS Monociclo: Caminho de Dados e Unidade de Controle Profa. Sarita Mazzini Bruschi sarita@icmc.usp.br

Leia mais

Computadores de Programação (MAB353)

Computadores de Programação (MAB353) Computadores de Programação (MAB353) Aula 8: 04 de maio de 2010 1 Formatos de instruções MIPS 2 Endereçamento de operandos imediatos de 32 bits Endereçamento em desvios Modos de endereçamento do MIPS 3

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Linguagem de Montagem Slide 1 Operações Lógicas Embora os primeiros computadores se concentrassem em words completas, logo ficou claro que era útil atuar sobre

Leia mais

Arquitectura de Computadores

Arquitectura de Computadores Arquitectura de Computadores Prof. Doutora Ana Isabel Leiria Ano Lectivo 2004/05 Prof. Doutora Margarida Madeira e Moura Eng. António Rosado Ano lectivo 2005/06 Pág. 1 Guias das aulas práticas 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Computadores de Programação (MAB353)

Computadores de Programação (MAB353) Computadores de Programação (MAB353) Aula 6: 27 de abril de 2010 1 Recaptulando operações já estudadas Operações lógicas 2 3 Exercícios Referências bibliográficas Recaptulando operações já estudadas Operações

Leia mais

AULA 05: LINGUAGEM DE MONTAGEM: SUPORTE A PROCEDIMENTOS

AULA 05: LINGUAGEM DE MONTAGEM: SUPORTE A PROCEDIMENTOS ORGANIZAÇÃO E ARQUITETURA DE COMPUTADORES I AULA 05: Prof. Max Santana Rolemberg Farias max.santana@univasf.edu.br Colegiado de Engenharia de Computação O QUE SÃO PROCEDIMENTOS? Procedimentos são um conjunto

Leia mais

CISC - Complex Instruction Set Computer

CISC - Complex Instruction Set Computer MAC 412- Organizãção de Computadores - Siang W. Song Baseado no livro de Tanenbaum - Structured Computer Organization Índice Conceito de microprogramação 1 Conceito de microprogramação Como surgiu Exemplos

Leia mais

Anotações da 2a Edição

Anotações da 2a Edição Anotações da 2a Edição OBS: Essas anotações são adaptações do material suplementar (apresentações PPT) ao Livro do Hennessy e Patterson. Supõe-se que os estudantes tenham noções de lógica digital e linguagem

Leia mais

Conjunto de Instruções. Conjunto de Instruções

Conjunto de Instruções. Conjunto de Instruções Conjunto de Instruções It is easy to see by formal-logical methods that there exist certain [instruction sets] that are in abstract adequate to control and cause the execution of any sequence of operations...

Leia mais

Organização e Arquitetura de computadores

Organização e Arquitetura de computadores Organização e Arquitetura de computadores Instruções: a linguagem de máquina Prof. Dr. Luciano José Senger Introdução Operações no hardware do computador Operandos do hardware do computador Representando

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Caminho de Dados Slide 1 Sumário Introdução Convenções Lógicas de Projeto Construindo um Caminho de Dados O Controle da ULA Projeto da Unidade de Controle Principal

Leia mais

Computador: Hardware + Software

Computador: Hardware + Software Conceitos Básicos de Arquitetura de Computadores Capítulo 3 Computador: Hardware + Software 1 Computador: Hardware + Software Aplicação (Netscape) Software Hardware Compilador Montador Processor Memory

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Instruindo um Computador Subrotinas, Tipos de Dados e Modos de Endereçamento

Infraestrutura de Hardware. Instruindo um Computador Subrotinas, Tipos de Dados e Modos de Endereçamento Infraestrutura de Hardware Instruindo um Computador Subrotinas, Tipos de Dados e Modos de Endereçamento Perguntas que Devem ser Respondidas ao Final do Curso Como um programa escrito em uma linguagem de

Leia mais

Conjunto de instruções. O Conjunto de Instruções. Conjunto de instruções. Instruções típicas. Instruções típicas. Instruções típicas

Conjunto de instruções. O Conjunto de Instruções. Conjunto de instruções. Instruções típicas. Instruções típicas. Instruções típicas Conjunto de instruções O Conjunto de Instruções ISA Instruction Set Architecture Alguns conceitos... Linguagem máquina Combinação de 0 s e 1 s organizados segundo palavras que são as instruções que o processador

Leia mais

Conjunto de Instruções. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Conjunto de Instruções. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Conjunto de Instruções Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; CISC; RISC; MIPS; Representação de Instruções; SPIM; Prof. Leonardo Barreto Campos 2/58 Sumário Operações Lógicas; Instruções

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Instruindo um Computador

Infraestrutura de Hardware. Instruindo um Computador Infraestrutura de Hardware Instruindo um Computador Componentes de um Computador Unid. Controle Controle Memória Registradores PC MAR IR AC Programa + Dados Instrução Endereço Operando ALU Temp Datapath

Leia mais

Registradores na Arquitetura MIPS. 29/4/2016 MIPS - Instruction Set Architecture

Registradores na Arquitetura MIPS. 29/4/2016 MIPS - Instruction Set Architecture Registradores na Arquitetura MIPS 29/4/2016 MIPS - Instruction Set Architecture 1 Mapa de Memória da Arq. MIPS 2 GB 2 GB 256 MB 64 KB 2 GB 64 KB 256 4 MB 4 MB 29/4/2016 MIPS - Instruction Set Architecture

Leia mais

Conjunto de Instruções e Arquitectura p.1

Conjunto de Instruções e Arquitectura p.1 Conjunto de Instruções e Arquitectura Luís Nogueira luis@dei.isep.ipp.pt Departamento Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Conjunto de Instruções e Arquitectura p.1 Organização

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Caminho de Dados Slide 1 Sumário Introdução Convenções Lógicas de Projeto Construindo um Caminho de Dados O Controle da ULA Projeto da Unidade de Controle Principal

Leia mais

Conjunto de Instruções

Conjunto de Instruções Conjunto de Instruções Para comandar o hardware do computador, é necessário que falemos sua língua: As palavras da linguagem de máquina são chamadas de instruções; O vocabulário forma o conjunto de instruções,

Leia mais

Relembrando desempenho...

Relembrando desempenho... Parte 5 OBS: Essas anotações são adaptações do material suplementar (apresentações PPT) ao Livro do Hennessy e Patterson, 2ª e 3ª Ed. e do Livro do 5ª Ed. A parte final do material corresponde às aulas

Leia mais

Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO

Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO Linguagem de Montagem Prof. Marcos Quinet Universidade Federal Fluminense UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO 1 Introdução Independente da linguagem de programação utilizada, todo programa

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Assembly Miscelâneas. Mário O. de Menezes. http://www.tf.ipen.br/~mario

Arquitetura de Computadores. Assembly Miscelâneas. Mário O. de Menezes. http://www.tf.ipen.br/~mario Arquitetura de Computadores Assembly Miscelâneas Mário O. de Menezes http://www.tf.ipen.br/~mario AC Mário O. de Menezes 1 Lembrando Instruções Lógicas e Shift operam em bits individuais, diferente de

Leia mais

Conjunto de instruções e modos de. aula 4. Profa. Débora Matos

Conjunto de instruções e modos de. aula 4. Profa. Débora Matos Conjunto de instruções e modos de endereçamento aula 4 Profa. Débora Matos Conjunto de Instruções A = ((B + C) x D + E F)/(G x H) A H denotam posições da memória endereços As arquiteturas possuem as seguintes

Leia mais

Relembrando desempenho...

Relembrando desempenho... Parte 5 OBS: Essas anotações são adaptações do material suplementar (apresentações PPT) ao Livro do Hennessy e Patterson, 2ª e 3ª Ed. e do Livro do 5ª Ed. A parte final do material corresponde às aulas

Leia mais

RISC simples. Aula 7. 31 de Março de 2005 1

RISC simples. Aula 7. 31 de Março de 2005 1 RISC simples Aula 7 31 de Março de 2005 1 Estrutura desta aula Principais características dos processadores RISC Estrutura de um processador (MIPS) sem pipeline, de ciclo único O datapath ou circuito de

Leia mais

Organização e Projetos de Computadores. Capítulo 2. Organização e Projetos de Computadores. Instruções

Organização e Projetos de Computadores. Capítulo 2. Organização e Projetos de Computadores. Instruções Capítulo 2 Hennessy Patterson 1 Instruções Linguagem da máquina Vamos trabalhar com a arquitetura do conjunto de instruções MIPS (Micrrocessor without interlocked pipeline stages Micrrocessador sem estágios

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 5 CONJUNTO DE INSTRUÇÕES Prof. Luiz Gustavo A. Martins Introdução O que é um conjunto de instruções? Coleção completa das instruções que a CPU é capaz de executar (entende).

Leia mais

Representando Instruções no Computador

Representando Instruções no Computador Representando Instruções no Computador Humanos aprenderam a pensar na base 10 Números podem ser representados em qualquer base Números mantidos no hardware como série de sinais eletrônicos altos e baixos

Leia mais

Conjunto de Instruções MIPS

Conjunto de Instruções MIPS Conjunto de Instruções MIPS Ch3-1 RISC X CISC RISC (Reduced Instruction Set Computer) CISC (Complex Instruction Set Computer) 1. Instruções simples 2. Referencias a memória só com LOAD/STORE 3. Uso intensivo

Leia mais

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM Linguagem de programação Linguagem de Alto Nível próximo ao ser humano, escrita de forma textual. Ex: if (a==b) a=b+c; Linguagem de Montagem (Assembly) próximo à linguagem de máquina, escrita em códigos

Leia mais

MIPS Implementação. sw) or, slt. Vamos examinar uma implementação que inclui um subconjunto de instruções do MIPS

MIPS Implementação. sw) or, slt. Vamos examinar uma implementação que inclui um subconjunto de instruções do MIPS Datapath do MIPS MIPS Implementação Vamos examinar uma implementação que inclui um subconjunto de instruções do MIPS Instruções de leitura (load lw) e de escrita (store sw) Instruções aritméticas e lógicas

Leia mais

Operações de Controle de Fluxo e Acesso a Memória. Na Aula Anterior... Nesta Aula. Instruções de Controle de Fluxo. if then - else.

Operações de Controle de Fluxo e Acesso a Memória. Na Aula Anterior... Nesta Aula. Instruções de Controle de Fluxo. if then - else. GBC036 Arq. e Org. Computadores I Operações Controle Fluxo e Acesso a Memória Na Aula Anterior... Instruções aritméticas em Z; Formato e Codificação Instruções; Overflow e unrflow; Instruções aritméticas

Leia mais

Arquitetura de Computadores I Prof. Ricardo Santos (Cap 2)

Arquitetura de Computadores I Prof. Ricardo Santos (Cap 2) Arquitetura de Computadores I Prof. Ricardo Santos ricr.santos@gmail.com (Cap 2) 1 Fluxo de controle Vimos até agora: beq, bne Uma nova instrução: if $s1 < $s2 then $t0 = 1 slt $t0, $s1, $s2 else $t0 =

Leia mais

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES ARQUITECTURA DE COMPUTADORES CAPÍTULO II AULA III Março 2014 Índice Instruction Set Revisões Procedimentos Stack Comunicar com pessoas ASCII Programar em MIPS estrutura, input e output Programar em MIPS

Leia mais

Introdução à Arquitetura de Computadores

Introdução à Arquitetura de Computadores Introdução à Arquitetura de Computadores Um programa pode ser definido como uma seqüência de instruções que descrevem como executar uma determinada tarefa. Uma instrução pode ser definida como um comando

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização do Processador - Parte A Capítulo 5 Patterson & Hennessy Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática Universidade Federal de Goiás Conteúdo Caminho de dados Caminho de controle Implementação

Leia mais

Linguagem de Montagem 2. Operações e Operandos

Linguagem de Montagem 2. Operações e Operandos Linguagem de Montagem 2 Operações e Operandos Revisão Para executar uma tarefa qualquer, um computador precisa receber instruções precisas sobre o que fazer Esse conjunto de instruções chamamos de algoritmo

Leia mais

Escreva um programa em código assembly correspondente ao seguinte programa C.

Escreva um programa em código assembly correspondente ao seguinte programa C. Exercício 11.1 Escreva um programa em código assembly correspondente ao seguinte programa C. cont=0; for (n=0; n

Leia mais

Especificação do Projeto de Processador RISC

Especificação do Projeto de Processador RISC UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Especificação do Projeto de Processador RISC mycpu Neste documento é apresentada a especificação do projeto da disciplina Organização e Arquitetura de Computadores

Leia mais

Prova P4/PS Disciplina: Organização de Computadores-EC Professor: Ney Laert Vilar Calazans lui+ori syscall 1. .text 2. main: $s0, string 3.

Prova P4/PS Disciplina: Organização de Computadores-EC Professor: Ney Laert Vilar Calazans lui+ori syscall 1. .text 2. main: $s0, string 3. Prova P4/PS Disciplina: Organização de Computadores-EC Professor: Ney Laert Vilar Calazans Aluno: 30/novembro/2012 1. (4 pontos) Assumindo uma frequência de relógio de 500 MHz para a organização MIPS multiciclo

Leia mais

Arquitetura de Computadores I. Prof. Ricardo Santos (Cap 2)

Arquitetura de Computadores I. Prof. Ricardo Santos (Cap 2) Arquitetura de Computadores I Prof. Ricardo Santos ricr.santos@gmail.com (Cap 2) Fluxo de Controle Vimos até agora: beq, bne Uma nova instrução: slt $t0, $s1, $s2 if $s1 < $s2 then $t0 = 1 else $t0 = 0

Leia mais

Infra-estrutura de Hardware

Infra-estrutura de Hardware CPU: Estrutura e Funcionalidade Roteiro da Aula Ciclo de Instrução Projeto de uma CPU simples: conceitos Componentes básicos Leitura da instrução Operação entre registradores Acesso à memória Implementação

Leia mais

Descrição e análise da implementação em Assembly MIPS da função itoa

Descrição e análise da implementação em Assembly MIPS da função itoa Descrição e análise da implementação em Assembly MIPS da função itoa Alana Rocha 1, Guilherme Alves 2, Guilherme Nunes 3 e Luiz Guilherme 4 Objetivo e visão geral do documento Este documento tem o objetivo

Leia mais

Organização de Computadores μarquitetura. Na Aula Anterior... Introdução. Nesta Aula. MIPS-Monociclo. Formas de Organização 17/10/2016

Organização de Computadores μarquitetura. Na Aula Anterior... Introdução. Nesta Aula. MIPS-Monociclo. Formas de Organização 17/10/2016 GBC06 Arq. e Org. de Computadores I 17/10/2016 Organização de Computadores μarquitetura Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Prof. Dr. rer. nat. Daniel D. Abdala Na Aula Anterior...

Leia mais

Tópicos Avançados em Sistemas Computacionais: Infraestrutura de Hardware Aula 10

Tópicos Avançados em Sistemas Computacionais: Infraestrutura de Hardware Aula 10 Tópicos Avançados em Sistemas Computacionais: Infraestrutura de Hardware Aula 10 Prof. Max Santana Rolemberg Farias max.santana@univasf.edu.br Colegiado de Engenharia de Computação QUAL É A INTERFACE ENTRE

Leia mais

Cap - 3: Linguagem de Máquina - MIPS

Cap - 3: Linguagem de Máquina - MIPS Cap - 3: Linguagem de Máquina - MIPS Arquitetura de Sistemas Computacionais Prof Ricardo Pannain 1 Arquitetura MIPS MIPS Microprocessor without Interlocking Pipes Stages (Microprocessador sem Intertravamento

Leia mais

Nível Máquina Formatos de Instruções

Nível Máquina Formatos de Instruções Nível Máquina Formatos de Instruções IA32 e MIPS AC1 11ª aula Formatos de Instruções 1 Stored Program Concept As instruções são números, armazenados em memória, que são descodificados pela Unidade de Controlo

Leia mais

Faculdade de Computação

Faculdade de Computação Faculdade de Computação Arquitetura e Organização de Computadores 2 1 a Laboratório de Programação MIPS entrega 03/05/2018 Prof. Cláudio C. Rodrigues Problemas: P1) Execute as conversões abaixo: a) Converta

Leia mais

Arquitetura de Computadores Moderna

Arquitetura de Computadores Moderna Arquitetura de Computadores Moderna Eduardo Barrére (eduardo.barrere@ice.ufjf.br) DCC/UFJF Baseado no material do prof. Marcelo Lobosco Agenda Visão Geral Objetivos do Curso Ementa Bibliografia Avaliações

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Fábio M. Costa Instituto de Informática UFG 1S/2004 ISA: Arquitetura de Conjunto de Instruções Roteiro Introdução Classificação de conjuntos de instruções Endereçamento

Leia mais

Implementação de um soft-core em VHDL baseado no conjunto de instruções MIPS-I

Implementação de um soft-core em VHDL baseado no conjunto de instruções MIPS-I UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO Rafael Vargas Implementação de um soft-core em VHDL baseado no conjunto de instruções MIPS-I

Leia mais

Microcontroladores e Interfaces

Microcontroladores e Interfaces Microcontroladores e Interfaces 3º Ano Eng. Electrónica Industrial Carlos A. Silva 2º Semestre de 2005/2006 http://www.dei.uminho.pt/lic/mint Aula A3 15 Mar 05 - M Datapath e a sua Unidade de Controlo

Leia mais

Arquitetura de Computadores MIPS

Arquitetura de Computadores MIPS Arquitetura de Computadores MIPS Arquitetura de von Neumann CPU Memory Input / Output Control bus Address bus Data bus System BUS Arquitetura de von Neumann Executa as instruções do programa Working copy

Leia mais

Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores. Unidade I:

Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores. Unidade I: Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores Unidade I: 0 Unidade: Unidade Lógica e Aritmética e Registradores UNIDADE LÓGICA E ARITMÉTICA E REGISTRADORES O Processador é um chip com milhares de

Leia mais

Predição de Desvios e Processadores Superescalares Especulativos

Predição de Desvios e Processadores Superescalares Especulativos Predição de Desvios e Processadores Superescalares Especulativos Arquiteturas para Alto Desmpenho Prof. pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac Tomasulo Especulativo Se os

Leia mais

Capítulo 3. Instruções: Aritmética MIPS

Capítulo 3. Instruções: Aritmética MIPS Capítulo 3 Permission is granted to copy and distribute this material for e ducational purposes only, provided that the complete bibliographic citation and following credit line is included: "Copyright

Leia mais

Questionário Arquitetura e Organização de Computadores

Questionário Arquitetura e Organização de Computadores Questionário Arquitetura e Organização de Computadores Os exercícios desta lista estão organizados em geral seguindo a apresentação do conteúdo em aula. No entanto, alguns exercícios podem requerem conhecimentos

Leia mais

Capítulo 3. This material may not be copied or distributed for commercial purposes without express written permission of the copyright holder.

Capítulo 3. This material may not be copied or distributed for commercial purposes without express written permission of the copyright holder. Capítulo 3 Permission is granted to copy and distribute this material for educational purposes only, provided that the complete bibliographic citation and following credit line is included: "Copyright

Leia mais

Conjunto de Instruções MIPS Parte IV

Conjunto de Instruções MIPS Parte IV Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE Conjunto de Parte IV Transferência de Dados Lógicas Controle Suporte a procedimentos Prof. Sérgio Adaptado dos slides de Sistemas Processadores

Leia mais

Caminho dos Dados e Atrasos

Caminho dos Dados e Atrasos Caminho dos Dados e Atrasos Arquiteturas para Alto Desmpenho Prof. pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac Pipeline MIPS O MIPS utiliza um pipeline com profundidade 5, porém

Leia mais

Sistemas Processadores e Periféricos Aula 3 - Revisão

Sistemas Processadores e Periféricos Aula 3 - Revisão Sistemas Processadores e Periféricos Aula 3 - Revisão Prof. Frank Sill Torres DELT Escola de Engenharia UFMG Adaptado a partir dos Slides de Organização de Computadores 2006/02 do professor Leandro Galvão

Leia mais

Sumário. Aula Anterior. Exercício 7.1 Contagem de bits a 1 numa palavra Exercício 7.2 Deslocamento de n bits num operando de 64 bits.

Sumário. Aula Anterior. Exercício 7.1 Contagem de bits a 1 numa palavra Exercício 7.2 Deslocamento de n bits num operando de 64 bits. Sumário Aula Anterior Exercício 7.1 Contagem de bits a 1 numa palavra Exercício 7.2 Deslocamento de n bits num operando de 64 bits Aula 12 1 Sumário Nesta Aula Esclarecimento de dúvidas para o Exame Resolução

Leia mais

Organização de Computadores Como a informação é processada?

Organização de Computadores Como a informação é processada? Curso de ADS/DTEE/IFBA Organização de Computadores Como a informação é processada? Prof. Antonio Carlos Referências Bibliográficas: 1. Ciência da Computação: Uma visão abrangente - J.Glenn Brokshear 2.

Leia mais

Guia Rápido MIPS. Tipos de Dados e Formatações

Guia Rápido MIPS. Tipos de Dados e Formatações Tipos de Dados e Formatações Guia Rápido MIPS Tipos de Dados: Todas as instruções são de 32 bits Byte = 8 bits Halfword = 2 bytes Word = 4 bytes Um caractere ocupa 1 byte na memória Um inteiro ocupa 1

Leia mais

Paralelismo a Nível de Instrução

Paralelismo a Nível de Instrução Paralelismo a Nível de Instrução É possível obter maior desempenho computacional com: tecnologias mais avançadas, tais como circuitos mais rápidos; melhor organização da CPU, tais como o uso de múltiplos

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Linguagem de Montagem Slide 1 CISC RISC MIPS Organização e Arquitetura de Computadores I Sumário Representação de instruções Slide 2 CISC O CISC (Complex Instruction

Leia mais

Capítulo 7 Nível da Linguagem Assembly

Capítulo 7 Nível da Linguagem Assembly Capítulo 7 Nível da Linguagem Assembly Presente em quase todos os computadores modernos. Implementado por tradução. Linguagem fonte => Linguagem alvo. O programa no arquivo fonte não é executado diretamente

Leia mais

Para os problemas seguintes considere os 5 andares de pipelining do MIPS:

Para os problemas seguintes considere os 5 andares de pipelining do MIPS: A. Pipelining Para os problemas seguintes considere os 5 andares de pipelining do MIPS: ETCH () ID (I) EXEC (E) MEM (M) WR (W) Para resolução dos problemas utilize a tabela em anexo, na qual deve indicar

Leia mais

2. A influência do tamanho da palavra

2. A influência do tamanho da palavra 1. Introdução O processador é o componente vital do sistema de computação, responsável pela realização das operações de processamento (os cálculos matemáticos etc.) e de controle, durante a execução de

Leia mais

PROJETO LÓGICO DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

PROJETO LÓGICO DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 3 - O NÍVEL DA ARQUITETURA DO CONJUNTO DAS INSTRUÇÕES (ISA) (Nível Convencional de Máquina) 1. INTRODUÇÃO Este é o nível responsável por fazer a ligação entra a parte de hardware e a parte de software

Leia mais

Introdução à Engenharia de Computação

Introdução à Engenharia de Computação Introdução à Engenharia de Computação Tópico: Organização Básica de um Computador Digital Introdução à Engenharia de Computação 2 Componentes de um Computador Computador Eletrônico Digital É um sistema

Leia mais

Questionário 1 Arquitetura e Organização de Computadores

Questionário 1 Arquitetura e Organização de Computadores Questionário 1 Arquitetura e Organização de Computadores Os exercícios desta lista estão em geral organizados seguindo a apresentação do conteúdo em aula. No entanto, alguns exercícios podem requerem conhecimentos

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 3.1 CPU: Unidade de Processamento Central Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Unidade de Processamento Central (CPU): Memória Principal Unidade de Processamento

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva

Arquitetura de Computadores. Ivan Saraiva Silva Arquitetura de Computadores MIPS Pipeline Ivan Saraiva Silva Pipeline 4 pessoas (A, B, C, D) possuem sacolas de roupa para lavar, secar e dobrar A B C D Lavar leva 30 minutos Secar leva 40 minutos Dobrar

Leia mais

Sistemas Processadores e Periféricos Aula 5 - Revisão

Sistemas Processadores e Periféricos Aula 5 - Revisão Sistemas Processadores e Periféricos Aula 5 - Revisão Prof. Frank Sill Torres DELT Escola de Engenharia UFMG Adaptado a partir dos Slides de Organização de Computadores 2006/02 do professor Leandro Galvão

Leia mais

ção de Computadores II

ção de Computadores II Universidade Federal de Pelotas Instituto de Física e Matemática Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Arquitetura e Organizaçã ção de Computadores II Aula 2 2. MIPS monociclo:

Leia mais

O Processador: Via de Dados e Controle

O Processador: Via de Dados e Controle O Processador: Via de Dados e Controle Ch5A Via de Dados e Controle Implementação da arquitetura MIPS Visão simplificada de uma arquitetura monociclo Instruções de memória: lw, sw Instruções lógicas aritméticas:

Leia mais

Procedimentos. Sistemas de Computação

Procedimentos. Sistemas de Computação Procedimentos Chamada de Procedimentos Utilização de procedimentos: Facilitar entendimento do programa Reutilização de código Passos necessários para execução de um procedimento: Os parâmetros a serem

Leia mais

Pipelining - analogia

Pipelining - analogia PIPELINE Pipelining - analogia Pipelining OBJECTIVO: Aumentar o desempenho pelo aumento do fluxo de instruções Program execution Time order (in instructions) lw $1, 100($0) Instruction fetch ALU Data access

Leia mais

http://www.ic.uff.br/~boeres/fac.html! Conteúdos: Debora, Edcarllos, livros! slides disponíveis!

http://www.ic.uff.br/~boeres/fac.html! Conteúdos: Debora, Edcarllos, livros! slides disponíveis! http://www.ic.uff.br/~boeres/fac.html! 1 Conteúdos: Debora, Edcarllos, livros! slides disponíveis! Unidade central de Processamento realiza operações básicas codificadas em 0s e 1s instrução contém código

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Prof. Alexandro Baldassin. 1o semestre/2017

Arquitetura de Computadores. Prof. Alexandro Baldassin. 1o semestre/2017 Arquitetura de Computadores Prof. Alexandro Baldassin 1o semestre/2017 Personagens da Semana David Pa5erson (le9) John Hennessy (right) In 2000 they shared the IEEE John Von Neumann Medal for crea(ng a

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Prof. Alexandro Baldassin. 1o semestre/2018

Arquitetura de Computadores. Prof. Alexandro Baldassin. 1o semestre/2018 Arquitetura de Computadores Prof. Alexandro Baldassin 1o semestre/2018 Personagens da Semana David Pa5erson (le9) John Hennessy (right) In 2000 they shared the IEEE John Von Neumann Medal for crea(ng a

Leia mais

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES CAPÍTULO II AULA VII

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES CAPÍTULO II AULA VII ARQUITECTURA DE COMPUTADORES CAPÍTULO II AULA VII Índice Endereçamento MIPS: 32-bits imediatos; Endereços em branches e jumps; Modos de endereçamento; MARS Exercício 5: Fibonnaci Problema Apesar de instruções

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Implementação Monociclo de um Processador Simples

Infraestrutura de Hardware. Implementação Monociclo de um Processador Simples Infraestrutura de Hardware Implementação Monociclo de um Processador Simples Componentes de um Computador Unid. Controle Controle Memória Registradores PC MAR IR AC Programa + Dados Instrução Endereço

Leia mais

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM

ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM Cap1.1 ORGANIZAÇÃO BÁSICA DE COMPUTADORES E LINGUAGEM DE MONTAGEM 1. Conceitos básicos Bit = BInary digit = vale sempre 0 ou 1 elemento básico de informação Byte Word = 8 bits processados em paralelo (ao

Leia mais

2 Formalidades referentes ao trabalho

2 Formalidades referentes ao trabalho Bacharelado em Ciência da Computação DINF / UFPR Projetos Digitais e Microprocessadores 1 o Semestre de 2006 MICO-v12.r0 07/03/2006 Profs. Luis Allan Künzle e Armando Luiz Nicolini Delgado Atenção: Este

Leia mais