Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo DECRETO Nº 13.281"

Transcrição

1 Estado do Espírito Santo DECRETO Nº Estabelece normas e procedimentos para recuperação, manutenção e valorização de edifícios, obras e monumentos tombados, sujeitos ao tombamento vizinho ou identificados como de interesse de preservação, na forma do disposto nos artigos 284 e 285, da Lei 6.705/06 Plano Diretor Urbano do Município de Vitória. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo, usando de atribuição legal que lhe é conferida através do inciso III do Artigo 113, da Lei Orgânica do Município de Vitória, D E C R E T A: Art. 1º. As construções, reformas e quaisquer obras a serem efetuadas nas edificações, obras ou monumentos tombados, sujeitos ao tombamento vizinho ou identificados como de interesse de preservação, deverão ser previamente aprovados pelo órgão técnico municipal competente. Parágrafo único. Em caso de pintura e quaisquer outros reparos para os quais normalmente não é exigida a aprovação de projeto, será obrigatória a apresentação dos seguintes documentos: I - foto colorida 10 x 15 cm do imóvel; II - croquis da proposta da intervenção. Art. 2º. As obras de reforma, modificação ou qualquer intervenção física nos imóveis tombados ou identificados

2 Decreto nº fls. 2 - como de interesse de preservação, deverão respeitar os critérios que seguem: I - VÃOS/ESQUADRIAS: a) deverão ser respeitados os vãos originais das edificações, não podendo, os mesmos, serem obstruídos; b) as esquadrias originais (portas, janelas e gradis) deverão ser mantidas. No caso de haver necessidade de troca, deverão ser substituídas por exemplares idênticos aos originais. Caso não haja o registro da esquadria original, a nova esquadria deverá ser avaliada pelo órgão técnico municipal competente. c) nos vãos de porta do térreo serão admitidos fechamento com painel de vidro. II ADORNOS: a) os adornos deverão ser mantidos e restaurados; b) no caso de necessidade de reconstituição de adornos, estes deverão ser recuperados com base em registro iconográfico e/ou documental (projeto arquitetônico original); c) as cantarias, texturas, revestimentos em pó de pedra, barras em granito ou pastilhas originais não poderão ser substituídos ou descaracterizados, devendo, os mesmos, serem recuperados, aplicando-se a técnica mais adequada. III - GRADES DE PROTEÇÃO: a) não serão permitidas nas varandas, sendo admitidas telas de proteção, cujos ganchos não poderão danificar ornatos, padronizadas para todos os pavimentos da mesma edificação; b) nos demais vãos de ventilação só serão permitidas grades internas. IV - VARANDAS E SACADAS: a) as varandas e sacadas não poderão ser vedadas por esquadrias de qualquer espécie; b) os peitoris e gradis originais deverão ser mantidos e recuperados;

3 Decreto nº fls. 3 - c) os vãos de acesso às varandas deverão ser mantidos com as esquadrias originais; d) os forros e beirais das varandas deverão ser conservados e padronizados. V - APARELHOS DE AR CONDICIONADO: a) a instalação de aparelhos de ar condicionado deverá seguir as orientações do órgão técnico municipal competente; b) esta deverá ser preferencialmente do tipo central (tipo gabinete ou self-contained), portátil ou split, visando a não descaracterização das fachadas dos imóveis; c) havendo a necessidade de instalação de aparelhos de ar condicionado convencionais na fachada, estes deverão ser instalados, com vãos de dimensões idênticas para todas as unidades da edificação, alinhados vertical e horizontalmente, instalados o mais recuadamente possível, pintados da cor da fachada e não poderão seccionar ornatos e esquadrias. VI EXAUSTORES: a) a instalação de exaustores deverá ser voltada para áreas de ventilação internas; b) não havendo áreas de ventilação internas, os exaustores deverão ser instalados faceando à fachada, pintados na cor da mesma e não poderão seccionar ornatos e esquadrias. VII VITRINES: a) não será permitida a instalação de vitrines do tipo armário para a exposição de mercadorias fixados na fachada. VIII COBERTURAS: a) as coberturas originais dos imóveis tombados e identificados como de interesse de preservação deverão ser conservadas quanto à morfologia e materiais; b) as telhas deverão ser limpas e mantidas em bom estado de conservação. Havendo necessidade de troca e impossibilidade de conservação do material original, tecnicamente comprovado, o mesmo deverá ser substituído por exemplares

4 Decreto nº fls. 4 - semelhantes aos originais, sem que haja alteração em sua morfologia ou inclinação. IX MARQUISES: a) as marquises originais deverão ser preservadas e mantidas em bom estado de conservação; b) poderá ser admitida, a critério do órgão técnico municipal competente, a colocação de elementos de proteção do tipo: 1 - toldo, devendo obedecer a legislação em vigor; 2 - estrutura metálica com material translúcido; c) os elementos de proteção a serem instalados deverão manter a mesma padronização em toda a fachada da edificação; d) os imóveis que possuem marquises não originais deverão seguir as diretrizes estabelecidas pelo órgão técnico municipal competente, quanto à sua demolição ou permanência. X TUBULAÇÕES: a) não será permitida a instalação de tubulação aparente, salvo os casos em que esta for original; XI FIAÇÕES: a) as entradas de eletricidade, telefonia e TV a cabo deverão ser subterrâneas. XII PINTURA: a) a pintura das fachadas deverá observar as diretrizes constantes do Anexo I, parte integrante deste Decreto, de acordo com o estilo arquitetônico da edificação; b) o órgão técnico municipal competente poderá ser consultado para a orientação quanto ao estilo arquitetônico da edificação e o esquema de cores a ser utilizado; c) não será permitida a utilização da mesma cor da fachada dos imóveis vizinhos, salvo no caso de conjuntos arquitetônicos ou situações especiais;

5 Decreto nº fls. 5 - d) a pintura deverá ser igual em toda a edificação, independente da subdivisão das lojas e salas existentes; e) orienta-se o uso de rebocos e tintas que possibilitem as trocas de calor e umidade da parede; f) é vedada a utilização de cores fosforescentes ou ofuscantes; g) as fachadas laterais e de fundo deverão ser pintadas na cor da fachada principal. XIII MUROS: a) os muros e gradis originais deverão ser mantidos. Nos demais casos, a construção de novos muros deverá permitir a plena visibilidade das edificações tombadas e identificadas como de interesse de preservação. XIV ACRÉSCIMOS: a) a construção de acréscimos deverá garantir e respeitar a integridade das características arquitetônicas do bem preservado; b) os acréscimos deverão obedecer a altura máxima igual à do beiral ou platibanda da edificação tombada e identificada como de interesse de preservação, não podendo a altura da cobertura ultrapassar a linha de cumeeira do imóvel preservado; c) altura máxima do acréscimo inclui todos os elementos construtivos, inclusive caixa d água, caixa de escada e demais equipamentos técnicos. XV - MONUMENTOS E ESCADARIAS: a) os pisos originais das escadarias deverão ser mantidos e recuperados. No caso de haver necessidade de mudança, deverão ser substituídos por exemplares do mesmo material; b) os monumentos deverão ser mantidos e recuperados dentro da técnica mais adequada.

6 Decreto nº fls. 6 - Parágrafo único. No grau de preservação secundária GP2, são permitidas modificações internas e acréscimos, nas seguintes condições: alterações internas, inclusive subdivisão do pé-direito, desde que os vãos das fachadas sejam mantidos em funcionamento, livres de interferência e garantidos o acesso aos mesmos, desde que atendidas as exigências do Código de Edificações do Município de Vitória, vigente. Art. 3º. Os imóveis tombados e identificados como de interesse de preservação serão monitorados anualmente, pelo órgão técnico municipal competente, sendo a avaliação do estado de conservação dos mesmos, realizada segundo os critérios especificados na tabela, constante do Anexo II, parte integrante deste Decreto. Parágrafo único. Serão notificados os proprietários de imóveis que receberem percentual inferior a 75% (setenta e cinco por cento). Art. 4º. As edificações sujeitas ao tombamento vizinho e as identificadas como de interesse de preservação no grau GP3 não poderão sofrer alterações que interfiram e/ou comprometam as edificações tombadas ou de interesse de preservação nos graus GP1 e GP2. Art. 5º. Os projetos especiais para iluminação de efeito para valorizar e dar visibilidade aos painéis artísticos, edificações, monumentos e bens tombados ou identificados como de interesse de preservação particulare, deverão receber parecer técnico do órgão municipal competente responsável pela revitalização urbana. Art. 6º. Nos imóveis tombados ou identificados como de interesse de preservação onde se verificar precariedade nas condições de estabilidade, segurança e salubridade, serão aplicados o disposto nos artigos 69, 70, 71,

7 Decreto nº fls. 7-72, 73, 74 e 75, da Lei nº 4.821, de 30 de dezembro de 1998, que instituiu o Código de Edificações do Município de Vitória. Parágrafo único. Somente será possível a realização de obras visando a recuperação dos referidos imóveis em observância aos critérios estabelecidos nos artigos 282 e 283 da Lei nº 6.705, de 13 de outubro de 2006, e deste Decreto. Art. 7º. Em caso de descumprimento das normas aplicáveis a imóveis tombados e identificados como de interesse de preservação, o Município comunicará o fato ao Ministério Público a fim de que sejam tomadas as medidas cabíveis à preservação do patrimônio histórico, cultural e paisagístico do Município. Art. 8º. Nos casos em que o proprietário der início à recuperação de seu imóvel tombado ou identificado como de interesse de preservação, dentro do prazo estabelecido pela notificação, poderá ser firmado Termo de Compromisso, onde o mesmo se obrigará a cumprir, em prazo determinado pelo Município, os reparos necessários à conclusão da recuperação de seu imóvel. de sua publicação Art. 9º. Este Decreto entra em vigor na data Palácio Jerônimo Monteiro, em 11 de abril de João Carlos Coser Prefeito de Vitória Kleber Perini Frizzera Secretário Municipal de Desenvolvimento da Cidade

8 Decreto nº fls. 8 - ANEXO I DIRETRIZES PARA PINTURA DE IMÓVEIS TOMBADOS E IDENTIFICADOS COMO DE INTERESSE DE PRESERVAÇÃO I - IMÓVEIS COLONIAIS Paredes: Cor branca. Adornos: Tons fortes e escuros. Esquadrias: Tons fortes e escuros. II - IMÓVEIS NEOCLÁSSICOS E ECLÉTICOS Paredes: Tons claros, médios e fortes. Adornos: Tons mais claros que as paredes. Esquadrias: Tons claros, médios e fortes. Gradis: Tons escuros (geralmente preto, marrom, verde escuro, azul marinho, cobre, grafite). Porta de enrolar: tons escuros. III - IMÓVEIS PROTOMODERNOS Paredes: Embasamentos revestidos em mármores, granitos e materiais nobres. Estruturas em concreto armado e revestimentos altos em pó de pedra. Quando em pintura, usando tons fortes, com adornos mais escuros. Esquadrias: tons escuros (terrosos, verdes). Gradis: Tons escuros. IV - IMÓVEIS NEOCOLONIAIS Paredes: Blocos de pedras irregulares dispostos na superfície da parede, tratamento texturizado em argamassas, geralmente na cor branca. Adornos: Tons escuros ou branco. Esquadrias: Tons escuros. Gradis: Tons escuros.

9 Decreto nº fls. 9 - V - IMÓVEIS MODERNOS Paredes: Uso do concreto aparente, pastilhas, painéis de azulejo, pedras e pintura na cor branca. Esquadrias: cores primárias (vermelho, azul, amarelo, branco e preto). Gradis e detalhes: cores primárias (vermelho, azul, amarelo, branco e preto).

10 Decreto nº fls ANEXO II CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO E PERCENTUAL DE RECUPERAÇÃO CRITÉRIOS SITUAÇÃO % DE RECUPERAÇÃO Revestimento Externo em bom estado de conservação, com recuperação de reboco, adornos e pintura. Ótimo 30% Bom 25% Regular 15% Esquadrias em bom estado de conservação, conforme o desenho Total 20% original. Parcial 10% Equipamentos e tubulações elétricas e hidro-sanitárias não aparente nas fachadas. Eliminação de qualquer interferência na fachada, como letreiros, faixas ou placas publicitárias, marquises ou anexos que escondam elementos como: gradis, balcões, adornos, dentre outros. Total 10% Total 20 % Parcial 10% Recuperação do telhado Total 10% Eliminação de acréscimos que interfiram ou modifiquem a concepção original da edificação e não descaracterização do térreo. Total 10% Parcial 5%

Vila do IAPI - Patrimônio Cultural da Cidade

Vila do IAPI - Patrimônio Cultural da Cidade Item Diretriz Tipologia 1. Reformas e Ampliações 1.1. Cosntruções Originais 1.1.1. Não será permitida a demolição da edificação original para construção de uma nova edificação ou para qualquer outro fim.

Leia mais

DECRETO Nº 2.557, DE 10 DE MARÇO DE 2008.

DECRETO Nº 2.557, DE 10 DE MARÇO DE 2008. DECRETO Nº 2.557, DE 10 DE MARÇO DE 2008. Altera a redação do Decreto nº 2.378, de 16 de agosto de 2006, que regulamenta a Lei Complementar nº 112, de 25 de julho de 2006, e dispõe sobre a Autorização

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

DOS CRITÉRIOS PARA COLOCAÇÃO DE LETREIROS

DOS CRITÉRIOS PARA COLOCAÇÃO DE LETREIROS Ministério da Cultura IPHAN INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL Escritório Técnico II - São João del Rei Rua Hermíllo Alves n.º 52 Centro São João del-rei Minas Gerais CEP 36.307-328

Leia mais

LEI Nº 3.182, DE 27 DE JULHO DE 2012.

LEI Nº 3.182, DE 27 DE JULHO DE 2012. LEI Nº 3.182, DE 27 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE O USO DAS CALÇADAS, GARANTINDO SUA DESTINAÇÃO PRIORITÁRIA PARA A CIRCULAÇÃO DE PESSOAS E A CONVIVÊNCIA SOCIAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO DE

Leia mais

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL

5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL 57 5 DESCRIÇÃO DETALHADA DO BEM CULTURAL O conjunto arquitetônico da residência de Antônio de Rezende Costa, que hoje abriga a Escola Estadual Enéas de Oliveira Guimarães foi pelos autores do presente

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 019, DE 09 DE AGOSTO DE 2006. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI COMPLEMENTAR Nº 019, DE 09 DE AGOSTO DE 2006. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. ESTABELECE NORMAS SOBRE EDIFICAÇÕES NO CONDOMÍNIO BOSQUES DE ATLÂNTIDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. CELSO BASSANI BARBOSA, Prefeito Municipal de Xangri-Lá, FAÇO SABER que a Câmara Municipal de Vereadores

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA CÂMARA DE VEREADORES DE CANOAS - RS

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA CÂMARA DE VEREADORES DE CANOAS - RS RODRIGUES & AGUINAGA PROJETOS LTDA. Av. Francisco Talaia de Moura, 545 CEP: 91170-090 - Porto Alegre/RS. CNPJ: 09.077.763/0001-05 MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA CÂMARA DE VEREADORES DE CANOAS - RS 1 1.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS

Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS Capítulo 4 - EXECUÇÃO E SEGURANÇA DAS OBRAS 4.1 Disposições gerais Art. 61 - A execução de obras, incluindo os serviços preparatórios e complementares, suas instalações e equipamentos, embora que temporários,

Leia mais

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC

Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC Descritivo Modelo de Infraestrutura para CDC DMIC CONTATO E-MAIL: implantacao@redecidadania.ba.gob.br VERSÃO 9.0 MAIO / 2015 ESPECIFICAÇÕES DO ESPAÇO DO CDC Para a implantação do CDC é necessário encontrar

Leia mais

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO

PROJETO BÁSICO I - DISPOSIÇÕES GERAIS I.1 - INTRODUÇÃO PROJETO BÁSICO OBJETO: Obras de Engenharia para Reforma e Ampliação do CAIC THEOPHILO DE SOUZA PINTO. Localizado na Rua Praça do Terço, s/nº - Nova Brasília - Bonsucesso Rio de Janeiro. I- DISPOSIÇÕES

Leia mais

ANEXO 1 TABELA DO TIPO, PADRÃO E VALOR UNITÁRIO DE METRO QUADRADO DE CONSTRUÇÃO

ANEXO 1 TABELA DO TIPO, PADRÃO E VALOR UNITÁRIO DE METRO QUADRADO DE CONSTRUÇÃO ANEXO 1 TABELA DO TIPO, PADRÃO E VALOR UNITÁRIO DE METRO QUADRADO DE CONSTRUÇÃO TIPO 10 - EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS TÉRREAS E ASSOBRADADAS, COM OU SEM SUBSOLO 10.1 - Padrão Rústico Arquitetura: Construídas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total ANEXO I-B PLANILHA DE PREÇOS, COM OS SERVIÇOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A COMPLETA EXECUÇÃO DO OBJETO, DE ACORDO COM AS ESPECIFICAÇÕES DO MEMORIAL DESCRITIVO Item 1 Descrição dos Serviços Material Mão

Leia mais

DECRETO Nº 18.480 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2000

DECRETO Nº 18.480 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2000 DECRETO Nº 18.480 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2000 Regulamenta a Lei nº 16.478/99, publicada no Diário Oficial da Cidade do Recife em 23.02.99 CAPÍTULO I OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Art. 1º Estas normas têm

Leia mais

MENSAGEM Nº 02/10. Senhor presidente,

MENSAGEM Nº 02/10. Senhor presidente, MENSAGEM Nº 02/10 Senhor presidente, Tenho a honra de encaminhar a Vossa Excelência, a fim de ser submetido à deliberação dessa augusta Câmara Municipal, o incluso Projeto de Lei que institui o Programa

Leia mais

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP CARTILHA DE CONSTRUÇÃO Seguem especificações para as construções nos lotes do Loteamento Villaggio Di Firenze: A) Conforme

Leia mais

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas D.O. nº 93 Segunda-feira. 30 de julho de 2001 DECRETO N.º 20300 DE 27 DE JULHO DE 2001 CRIA A ÁREA DE PROTEÇÃO DO AMBIENTE CULTURAL DO BAIRRO DO LEBLON VI R. A E ESTABELECE CRITÉRIOS PARA SUA PROTEÇÃO.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO PUBLICADO EM PLACAR Em / / PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS LEI COMPLEMENTAR Nº 173, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2008. Faço saber que: Dispõe sobre permissão de uso, de espaço público, aéreo e subsolo, para instalação

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

Imprensa Oficial da Estância de Atibaia Sábado, 7 de setembro de 2013 - nº 1524 - Ano XVII - Caderno C - Volume V de V

Imprensa Oficial da Estância de Atibaia Sábado, 7 de setembro de 2013 - nº 1524 - Ano XVII - Caderno C - Volume V de V Prefeitura da Estância de Atibaia 201 Comércio - Precário Definição: Edificações inacabadas, deficiências aparentes, construídas com tijolos ou blocos. Coberta de telha ou laje pré moldada sem acabamento,

Leia mais

REUNIÃO COM A PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO SEC. DA CASA CIVIL - DEPUTADO PEDRO PAULO CARVALHO TEIXEIRA SEC. DE URBANISMO SEC. MARIA MADALENA SAINT

REUNIÃO COM A PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO SEC. DA CASA CIVIL - DEPUTADO PEDRO PAULO CARVALHO TEIXEIRA SEC. DE URBANISMO SEC. MARIA MADALENA SAINT REUNIÃO COM A PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO SEC. DA CASA CIVIL - DEPUTADO PEDRO PAULO CARVALHO TEIXEIRA SEC. DE URBANISMO SEC. MARIA MADALENA SAINT MARTIN DE ASTÁCIO 09/05/2013 Colaboração do Conselho de

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

13. Proteção Legal Existente: não tem 14. Proteção Legal Proposta: Tombamento

13. Proteção Legal Existente: não tem 14. Proteção Legal Proposta: Tombamento Página 81 de 112 basculante, com vedações em vidro. A decoração externa é composta de pequenas colunas torsas e frontões arqueados coroados com telhas tipo capa e canal e cimalha. 13. Proteção Legal Existente:

Leia mais

DECRETO 7451 DE 03 DE MARÇO DE 1988. No uso de suas atribuições legais, Tendo em vista o que consta do processo 10/34.039/87 e de seus apensos e,

DECRETO 7451 DE 03 DE MARÇO DE 1988. No uso de suas atribuições legais, Tendo em vista o que consta do processo 10/34.039/87 e de seus apensos e, DECRETO 7451 DE 03 DE MARÇO DE 1988 DETERMINA o tombamento definitivo dos bens culturais que menciona e delimita sua área de entorno. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, No uso de suas atribuições

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 1401

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA DECRETO Nº 1401 DECRETO Nº 1401 Dispõe sobre o uso temporário do recuo frontal obrigatório no Município de Curitiba. O PREFEITO MUNICIPAL DE CURITIBA, CAPITAL DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições legais que lhe

Leia mais

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI COMPLEMENTAR Nº 005/2010

MUNICÍPIO DE JUAZEIRO ESTADO DA BAHIA LEI COMPLEMENTAR Nº 005/2010 Página 1 de 13 LEI COMPLEMENTAR Nº 005/2010 Altera dispositivos da Lei Complementar Municipal nº 003, de 21 de dezembro de 2009, que instituiu o Código Tributário do Município de Juazeiro-BA, e dá outras

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA PORTARIA Nº 327, DE 17 DE SETEMBRO DE 2009 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA

Leia mais

Parágrafo 1º - Os anúncios, de que trata esta Resolução, deverão atender, preliminar e subsidiariamente, aos requisitos da Lei nº 13.525/2003.

Parágrafo 1º - Os anúncios, de que trata esta Resolução, deverão atender, preliminar e subsidiariamente, aos requisitos da Lei nº 13.525/2003. RESOLUÇÃO 12.04 CONPRESP.SMC O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo - CONPRESP, no uso de suas atribuições legais e nos termos da Lei nº

Leia mais

Totalmente erguida em alvenaria estrutural, Obra racionalizada ARQUITETURA

Totalmente erguida em alvenaria estrutural, Obra racionalizada ARQUITETURA ARQUITETURA Obra racionalizada A alvenaria estrutural reduziu os custos da construção deste sobrado, que, apesar do método construtivo, tem cômodos integrados, no maior estilo contemporâneo POR CÍNTIA

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL 1 MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA O conjunto marca/logotipo é o elemento gráfico e visual pelo qual somos reconhecidos nos diversos meios em que atuamos. As suas formas foram concebidas

Leia mais

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO: O Empreendimento seguirá as características constantes do memorial abaixo descrito. 1- Especificação Técnica: 1.1 - Fundações: Serão executadas de acordo com sondagem a ser realizada

Leia mais

REVESTIMENTOS Conceituação e classificação Aula 1-2

REVESTIMENTOS Conceituação e classificação Aula 1-2 200888 Técnicas das Construções I REVESTIMENTOS Conceituação e classificação Aula 1-2 Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 11 1 REVESTIMENTOS VERTICAIS O que

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase Este Memorial Descritivo tem por finalidade especificar os materiais e serviços a serem executados na REFORMA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012

RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012 RESOLUÇÃO Nº DE DE DE 2012 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de ondulações transversais (lombadas físicas) em vias públicas, disciplinadas pelo Parágrafo único do art. 94 do Código de

Leia mais

QUI-BIO. Laboratório de Química e Biologia PROGRAMA ENSINO MÉDIO INTEGRAL ENSINO INTEGRAL 2014 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA

QUI-BIO. Laboratório de Química e Biologia PROGRAMA ENSINO MÉDIO INTEGRAL ENSINO INTEGRAL 2014 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA 1/11 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA INTRODUÇÃO A escolha das salas a serem adequadas para o Laboratório de Química e Biologia, para a Sala de Preparo e para o Laboratório de Matemática e Física deverá

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 MATERIAL CÓDIGO CONTAINER MÓDULO ESCRITÓRIO CONT 05 A 08_10_11_14 A 19 e CT 10 CONTAINER MÓDULO ESCRITÓRIO/MÓDULO HABITACIONAL

Leia mais

MEMORIAL EXPLICATIVO PROJETO DE REFORMA,AMPLIAÇÃO ER 09 - ANATEL NATAL-RN

MEMORIAL EXPLICATIVO PROJETO DE REFORMA,AMPLIAÇÃO ER 09 - ANATEL NATAL-RN MEMORIAL EXPLICATIVO PROJETO DE REFORMA,AMPLIAÇÃO ER 09 - ANATEL NATAL-RN A solução apresentada para o projeto de reforma, ampliação do ER-09 de Natal, observou as seguintes diretrizes: Aproveitar, da

Leia mais

SECRETARIA MUNICPAL DE OBRAS, TRANSPORTE E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

SECRETARIA MUNICPAL DE OBRAS, TRANSPORTE E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO SECRETARIA MUNICPAL DE OBRAS, TRANSPORTE E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reformas na EMEF Pedro Cattani OBJETIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo estabelecer as diretrizes básicas para

Leia mais

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS

PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Universidade Federal de Goiás Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Setor de Engenharia Rural PROJETO DE EDIFICAÇÕES RURAIS Construções e Eletrificação Rural Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Leia mais

CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO

CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO São os seguintes os Critérios de Edificação para o Condomínio Quintas do Sol, aprovados na Assembléia Geral Extraordinária realizada em 08.12.2002 e complementados na AGE de 17.10.2004.

Leia mais

PARÂMETROS PARA COLOCAÇÃO DE ANÚNCIOS E TOLDOS NO CONJUNTO HISTÓRICO E PAISAGÍSTICO TOMBADO DE IGUAPE/SP

PARÂMETROS PARA COLOCAÇÃO DE ANÚNCIOS E TOLDOS NO CONJUNTO HISTÓRICO E PAISAGÍSTICO TOMBADO DE IGUAPE/SP PARÂMETROS PARA COLOCAÇÃO DE ANÚNCIOS E TOLDOS NO CONJUNTO HISTÓRICO E PAISAGÍSTICO TOMBADO DE IGUAPE/SP Iguape : Área tombada - Setores Setor Portuário Setor Morro da Espia Setor Núcleo Urbano O TOMBAMENTO

Leia mais

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO SALAS COMERCIAIS E ESTACIONAMENTOS 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO...03 1.1. O EMPREENDIMENTO...03 1.2. PROJETOS E ÁREAS...03 1.3. - LOCAÇÃO DA OBRA...04

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2) 02/07/22 12/12/22 Versão MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL NERIÁ Rua A.J. Renner, 1.390 Estância Velha Canoas / RS Arquivo: P:\SGQ\Registros\ e Desenvolvimento\0-RE.PRO.023 - Memorial Descritivo V.\Residencial

Leia mais

ESTRUTURAS ARQUITETÔNICAS (acervo civil) ficha 11: Antigo Cine Teatro Helena

ESTRUTURAS ARQUITETÔNICAS (acervo civil) ficha 11: Antigo Cine Teatro Helena Página 70 de 141 ESTRUTURAS ARQUITETÔNICAS (acervo civil) ficha 11: Antigo Cine Teatro Helena Coroamento da fachada frontal Vista da fachada frontal Afastamento lateral esquerdo Inscrições do nome do antigo

Leia mais

Artigo 1.º. Artigo 2.º

Artigo 1.º. Artigo 2.º Artigo 1.º 1. Os núcleos antigos, sítios classificados e respetivas áreas de proteção, ficam sujeitos ao regime de proteção constante deste regulamento. 2. Os núcleos antigos são estruturas urbanas que

Leia mais

MEMORIAL DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LAS OLAS

MEMORIAL DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LAS OLAS MEMORIAL DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LAS OLAS ÍNDICE 1. DEPENDÊNCIAS DE USO PRIVATIVO - ESPECIFICAÇÕES 2. DEPENDÊNCIA DE USO COMUM - ESPECIFICAÇÕES 3. URBANIZAÇÃO 4. OBSERVAÇÕES FINAIS 1. DEPENDÊNCIAS DE

Leia mais

NOX SISTEMAS CONSTRUTIVOS

NOX SISTEMAS CONSTRUTIVOS LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL LMCC ENDEREÇO: Cidade Universitária Camobi, Santa Maria/RS CEP 97105 900 TELEFONE: (55) 3220 8608 (Fax) Direção 3220 8313 Secretaria E-MAIL: lmcc@ct.ufsm.br

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Torres Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Gestão

Estado do Rio Grande do Sul Município de Torres Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Gestão DECRETO N o 17, DE 1 o DE MARÇO DE 2013. Regulamenta a Lei Municipal n o 4.324, de 28 de maio de 2010, que dispõe sobre a obrigatoriedade de vistoria preventiva em construções plurifamiliares e de grande

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

DISCIPLINA O CORTE DE ÁRVORES NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

DISCIPLINA O CORTE DE ÁRVORES NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS LEI Nº 5849, de 4 de julho de 2011. DISCIPLINA O CORTE DE ÁRVORES NO MUNICÍPIO DE CRICIÚMA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE CRICIÚMA, Faço saber a todos os habitantes deste Município,

Leia mais

DECRETO Nº 32159 DE 19 DE ABRIL DE 2010. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 32159 DE 19 DE ABRIL DE 2010. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 32159 DE 19 DE ABRIL DE 2010 Altera o Decreto nº 28.002, de 30 de maio de 2007 e dá outras providencias. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETA: Art.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico Fornecimento e Instalação de Brises na Fachada Oeste do Edifício Sede do MPDFT Sumário MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Projeto Arquitetônico 1.Descrição dos Serviços...2 2.Serviços Preliminares...2 2.1.Tapumes

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010 Publicada no Boletim de Serviço, nº 8 em 6/8/2010. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010 Dispõe sobre a administração de bens móveis patrimoniais no âmbito da Secretaria do Supremo Tribunal

Leia mais

ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH

ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH ANEXO 05 - Minutas de Ato Autorizativo para PCH A) Para Autoprodução PORTARIA Nº, DE DE DE 2005 Autoriza a empresa... a estabelecer-se como Autoprodutor de Energia Elétrica, mediante a implantação e exploração

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE MANUTENÇÃO LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS LOCAL: SETOR/ENDEREÇO: PERÍODO: RESPONSÁVEL PELAS INFORMAÇÕES: LISTA DE VERIFICAÇÕES SERVIÇOS PREVENTIVOS SISTEMAS HIDROSSANITÁRIOS PERÍODICIDADE SERVIÇOS PREVENTIVOS STATUS SEMANA 01 DIÁRIO Verificação

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS

DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS Secretaria de Transportes, Obras e Urbanismo Departamento de Engenharia DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS Obra: Conclusão das obras de melhoria da infraestrutura e revitalização do Parque Ambiental

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a:

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1.º Esta lei complementar estabelece as exigências quanto a: Atualizada até LC 610/2007. LEI COMPLEMENTAR N.º 528 DE 18 DE ABRIL DE 2005 ESTABELECE A OBRIGATORIEDADE DE VAGAS PARA ESTACIONAMENTO PARA EDIFICAÇÕES EM GERAL E A ADOÇÃO DE MEDIDAS MITIGADORAS ÀS ATIVIDADES

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO

MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO MEMORIAL DESCRITIVO/TÉCNICO PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Carmo de Minas. ENDEREÇO: Rua Luiz Gomes, nº. 150, Bairro: Centro, CEP: 37472-000. CNPJ: 18.188.243/0001-60. ENDEREÇO DA OBRA: Rua Euclides

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80

RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80 RESOLUÇÃO CONAMA nº 334, de 3 de abril de 2003 Publicada no DOU n o 94, de 19 de maio de 2003, Seção 1, páginas 79-80 Dispõe sobre os procedimentos de licenciamento ambiental de estabelecimentos destinados

Leia mais

Parque do Engenho Central e Mirante 2002

Parque do Engenho Central e Mirante 2002 Anexo 1.34 Parque do Engenho Central e Mirante 2002 1. EDIFÍCIO HISTÓRICO Endereço: Rua Maurice Allain, 454, Vila Rezende, Piracicaba SP, Brasil. Autoria: desconhecida. Data do Projeto: final da década

Leia mais

DECRETO Nº 14.066, DE 11 DE AGOSTO DE 2010

DECRETO Nº 14.066, DE 11 DE AGOSTO DE 2010 Sumário: Decreto Municipal nº14.066, de 11 de Agosto de 2.010, que regulamenta a lei municipal nº9.952/10, que institui a Operação Urbana de Estímulo ao Desenvolvimento da Infraestrutura de Saúde, de Turismo

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DECRETO Nº 45.463, de 30 de agosto de 2010 Dispõe sobre a política de aquisição e locação de bens e contratação de serviços da Família Frota de Veículos, cria o Comitê Executivo de Gestão Estratégica de

Leia mais

Água: responsabilidade de todos. Proteja seu hidrômetro

Água: responsabilidade de todos. Proteja seu hidrômetro Água: responsabilidade de todos Proteja seu hidrômetro 2005 Saiba por que é preciso proteger seu hidrômetro Sr.(a) Usuário(a), leia com atenção as instruções abaixo: -A ligação e a religação de água serão

Leia mais

Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA

Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA CENTRO DE APOIO PSICOSOCIAL CASA VERDE - CAPS E CENTRO DE ESTUDOS A ATENÇÃO AO ALCOOLISMO E OUTRAS DEPENDÊNCIAS CEAAD COMPLEXO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Getúlio Vargas RS. telhado do prédio da câmara

MEMORIAL DESCRITIVO. Getúlio Vargas RS. telhado do prédio da câmara MEMORIAL DESCRITIVO 1. DADOS GERAIS 1.1 - Proprietário: Município de Getúlio Vargas - Câmara Municipal de Vereadores Getúlio Vargas RS. 1.2 - Obra: Reforma da Sala das Sessões Eng. Firmino Girardello e

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

LICENCIAMENTO DE OBRAS NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA APSS,SA TAXAS

LICENCIAMENTO DE OBRAS NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA APSS,SA TAXAS ORDEM DE SERVIÇO Nº 003/2006 DE: DEIA DATA: 18-01-06 ASSUNTO: LICENCIAMENTO DE OBRAS NA ÁREA DE JURISDIÇÃO DA APSS,SA TAXAS Conforme o disposto no n.º 1 do art. 4º do Decreto Lei n.º 338/98, de 3 de novembro

Leia mais

DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967.

DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967. DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967. Regulamenta os seguros obrigatórios previstos no artigo 20 do Decreto-lei nº 73, de 21 de novembro de 1966, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES

x Obras e Instalações Prestação de Serviços INFORMAÇÕES Projeto: TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2010062316505095 Conclusão das obras de infraestrutura física do alojamento de pesquisadores, recuperação das edificações existentes (sede administrativa e centro de visitantes),

Leia mais

DECRETO Nº 47.950, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2006

DECRETO Nº 47.950, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2006 DECRETO Nº 47.950, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2006 Regulamenta a Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, que dispõe sobre a ordenação dos elementos que compõem a paisagem urbana do Município de São Paulo. GILBERTO

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 MIGUEL HADDAD, Prefeito do Município de Jundiaí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e, em especial, ao que consta do art. 10 da Lei Municipal

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES NA ZONA HISTÓRICA DA CIDADE E DEVESA

REGULAMENTO PROGRAMA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES NA ZONA HISTÓRICA DA CIDADE E DEVESA REGULAMENTO DO PROGRAMA RECUPERAÇÃO DE HABITAÇÕES NA ZONA HISTÓRICA DA CIDADE E DEVESA INTRODUÇÃO O levantamento socioeconómico da população residente nas zonas antigas evidencia um significativo número

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo)

LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Publicado no DODF Nº 20, terça-feira, 29 de janeiro de 2008, pág. 2 a 4. LEI COMPLEMENTAR Nº 755, DE 28 DE JANEIRO DE 2008. (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Define critérios para ocupação de área

Leia mais

FASE 3 (1998-2003) 3.1 Criação da Comissão Especial Casa de Dona Yayá (1998)

FASE 3 (1998-2003) 3.1 Criação da Comissão Especial Casa de Dona Yayá (1998) 3.1 Criação da Comissão Especial Casa de Dona Yayá (1998) 3.2 O restauro de murais artísticos realizado pelo programa Identificação, Consolidação e Restauração de Pinturas Murais (Canteiro Escola) do CPC

Leia mais

Normas Gerais de Estágios

Normas Gerais de Estágios Normas Gerais de Estágios NORMAS GERAIS DE ESTÁGIOS DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO - UNISA O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA e EXTENSÃO - CONSEPE, órgão normativo, consultivo e deliberativo da administração

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais

LEI Nº. 1.940,DE 21 DE JUNHO DE 2011.

LEI Nº. 1.940,DE 21 DE JUNHO DE 2011. LEI Nº. 1.940,DE 21 DE JUNHO DE 2011. Disciplina o uso de caçambas estacionárias containers de entulhos nas vias públicas do Município de Porto Velho e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

Art. 2º A instalação dos equipamentos mencionados no artigo 1º não será permitida nos seguintes locais:

Art. 2º A instalação dos equipamentos mencionados no artigo 1º não será permitida nos seguintes locais: Resolução nº 001, de 25 de outubro de 2005 Estabelece normas para a instalação e operação de Estações de Rádio-Base ERB, microcélulas de telefonia celular, de rádio-difusão, de TV e equipamentos afins,

Leia mais

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de termos de cooperação com a iniciativa privada, visando

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE Rua Clemente Pinto, 146. Pág. 1 / 9 1 GENERALIDADES E DISPOSIÇÕES GERAIS O presente memorial descritivo tem por objetivo especificar o tipo, qualidade e

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO CEPREVI 2012

DESENHO ARQUITETÔNICO CEPREVI 2012 DESENHO ARQUITETÔNICO CEPREVI 2012 OBJETIVO: Tornar o aluno apto a interpretação do desenho técnico e das simbologias utilizadas em projetos de segurança contra incêndio e pânico; Identificar e compreender

Leia mais

OBRAS DE RESTAURO E CONSERVAÇÃO DO ED. RAMOS DE AZEVEDO E ANEXO. - RELATÓRIO DE PROSPECÇÃO (ED. ANEXO)

OBRAS DE RESTAURO E CONSERVAÇÃO DO ED. RAMOS DE AZEVEDO E ANEXO. - RELATÓRIO DE PROSPECÇÃO (ED. ANEXO) OBRAS DE RESTAURO E CONSERVAÇÃO DO ED. RAMOS DE AZEVEDO E ANEXO. - RELATÓRIO DE PROSPECÇÃO (ED. ANEXO) Fichas de Prospecções No. 01 Ambiente: fachada do anexo Andar: térreo Data: Fevereiro de 2007 Elemento:

Leia mais

FICHA TÉCNICA Rev. 08

FICHA TÉCNICA Rev. 08 FICHA TÉCNICA Rev. 08 IDENTIFICAÇÃO 1. Nome: ESMERALDA RESIDENCE 2. Localização: Rua Joaquim Lyrio, nº 207, Praia do Canto, Vitória-ES. 3. Terreno de Marinha: Não. 4. Autor do Projeto Arquitetônico: Diocélio

Leia mais

COMPENSAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

COMPENSAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL COMPENSAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL O instrumento da Compensação Ambiental está contido expressamente no Art. 36 da Lei N o 9985 de 18 Julho de 2000 que institui o Sistema Nacional

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DO AVCB DECRETO Nº 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001.

OBRIGATORIEDADE DO AVCB DECRETO Nº 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001. OBRIGATORIEDADE DO AVCB DECRETO Nº 46.076, DE 31 DE AGOSTO DE 2001. Institui o Regulamento de Segurança contra Incêndio das edificações e áreas de risco para fins da lei nº 684, de 30 de Setembro de 1975

Leia mais

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda:

DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009. O PREFEITO MUNICIPAL DE ANANINDEUA, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e ainda: 1 DECRETO nº. 11.698, de 16 de janeiro de 2009 Regulamenta, no âmbito da Administração pública municipal, o Sistema de Registro de Preços previsto no art. 15 da Lei nº. 8.666, de 21 de junho de 1993, e

Leia mais

ANEXO II - LAUDO DE VISTORIA. Vistoria realizada em: / / Responsável Técnico: IMOVEL: 1. Endereço:

ANEXO II - LAUDO DE VISTORIA. Vistoria realizada em: / / Responsável Técnico: IMOVEL: 1. Endereço: ANEXO II - LAUDO DE VISTORIA Vistoria realizada em: / / Responsável Técnico: CARACTERIZAÇÃO DO BEM IMOVEL: 1. Endereço: 2. Proteção legal: Tombamento Municipal Tombamento Estadual Tombamento Federal Preservado

Leia mais

II - Manter suspensas as concessões de novas cartas patentes para o funcionamento de sociedade de arrendamento mercantil.

II - Manter suspensas as concessões de novas cartas patentes para o funcionamento de sociedade de arrendamento mercantil. RESOLUCAO 980 ------------- O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9. da Lei n. 4.595, de 31.12.64, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL, em sessão realizada nesta data, tendo em vista

Leia mais

Prefeitura Municipal De Belém Secretaria Municipal de Finanças

Prefeitura Municipal De Belém Secretaria Municipal de Finanças DECRETO MUNICIPAL N 35416, DE 25 DE JUNHO DE 1999. 02/07/99. Regulamenta a Lei n 7.850,17 de Outubro de 1997, que dispõe sobre a concessão de incentivos fiscais para a realização de Projetos Culturais

Leia mais

LEI Nº 9.074, DE 18 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.074, DE 18 DE JANEIRO DE 2005. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.074, DE 18 DE JANEIRO DE 2005 Dispõe sobre a regularização de parcelamentos do solo e de edificações no Município de Belo Horizonte e dá outras providências. O Povo do Município de Belo Horizonte,

Leia mais

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador

Anexo I. Caderno de Especificações Técnicas. Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Anexo I Caderno de Especificações Técnicas Execução de Adaptações, Obras Civis e Instalações para Implantação de Grupo Motor Gerador Porto Alegre/RS 1. Considerações Gerais Antes do início de quaisquer

Leia mais

PRESIDÊNCIA 04/12/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2013

PRESIDÊNCIA 04/12/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 04/12/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2013 Assunto: Estabelecer

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 370 /009 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009.

GABINETE DO PREFEITO LEI Nº. 370 /009 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009. LEI Nº. 370 /009 DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009. INSTITUI O SISTEMA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS E PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ATRAVÉS DE MOTOCICLETAS NO MUNICÍPIO DE URUPÁ/RO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais