Catálogo de pólen da Mata Atlântica. Espécies que ocorrem nas áreas de restauração da SPVS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Catálogo de pólen da Mata Atlântica. Espécies que ocorrem nas áreas de restauração da SPVS"

Transcrição

1 Catálogo de pólen da Mata Atlântica Espécies que ocorrem nas áreas de restauração da SPVS 1

2 Catálogo de pólen da Mata Atlântica Espécies que ocorrem nas áreas de restauração da SPVS Edição: Caroline Ribeiro Isabela G. Varassin Jana M. T. de Souza Universidade Federal do Paraná Laboratório de Ecologia Vegetal Departamento de Botânica Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica PIBIC Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação - PRPPG Apoio financeiro do CNPq Curitiba,

3 Catálogo de pólen da Mata Atlântica Espécies que ocorrem nas áreas de restauração da SPVS 3 Este trabalho é fruto de um projeto de iniciação científica realizado pela estudante de graduação Caroline Ribeiro, sob orientação de Isabela Galarda Varassin. As parcelas amostrais foram definidas para estudo das redes de interação plantapolinizador como parte da tese de doutorado de Jana M. T. de Souza, quem realizou toda a coleta do material nas reservas. Colaboradores: Duane Fernandes Lima, Paulo Schwirkowski e Renato Goldenberg, que cederam imagens de algumas plantas; Gabriel A. R. de Paula, que auxiliou na elaboração do layout deste catálogo; Olavo Araújo Guimarães, Renato Goldenberg, Osmar dos Santos Ribas, Cristiane Snak, Fabrício Schmitz Meyer, que contribuíram na identificação das plantas. Universidade Federal do Paraná Laboratório de Ecologia Vegetal Departamento de Botânica Curitiba,

4 Os remanescentes florestais da Floresta Atlântica são de aproximadamente 13,32% da área original. A degradação deste bioma tem-se intensificado principalmente pela agricultura, pecuária, extração de madeira e crescimento demográfico das cidades litorâneas. Além de influenciar o clima local, a floresta fornece recursos essenciais a diversas atividades humanas. A manutenção da floresta depende, entre outros fatores, das interações estabelecidas entre as espécies, e uma delas é a que ocorre entre planta-polinizador. Uma forma de interpretar as interações é através de redes de interação construídas através da observação da visitação floral, testes de reprodução e análise dos grãos. A análise dos grãos consiste na identificação dos tipos morfológicos (forma, ornamentação). As plantas escolhidas foram coletadas nas reservas naturais do Rio Cachoeira e do Morro da Mina, na APA de Guaraqueçaba, em áreas de restauração da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental - SPVS. As fotografias deste material foram obtidas através de microscópio Olympus BX40 com câmera P071 acoplada, situado no laboratório da Prof.ª Dra. Thelma Veiga, e microscópio JEOL JSM-6360 em 15 kv, este último localizado no Centro de Microscopia Eletrônica da UFPR. As amostras de microscopia ótica foram coradas com fucsina básica. 4 4

5 ÍNDICE (Clique sobre a espécie para direcionar a página) Acanthaceae Hygrophila sp. 1 Hygrophila sp. 2 Apiaceae Hydrocotyle leucocephala Asteraceae Adenostemma brasilianum Baccharis singularis Cyrtocymura scorpioides Elephantopus mollis Erechtites valerianifolius Heterocondylus alatus Mikania micrantha Vernonanthura beirichii Vernonanthura puberula Balsaminaceae Impatiens walleriana Begoniaceae Begonia fischeri Bignoniaceae Jacaranda puberula Boraginaceae Cordia monosperma Caryophyllaceae Drymaria cordata Commelinaceae Commelina diffusa Tradescantia sellowiana Euphorbiaceae Alchornea triplinervea Pera glabrata Fabaceae Desmodium adscendens Desmodium affine Desmodium incanum Inga edulis Inga marginata Mimosa bimucronata Senna multijuga Lamiaceae Hyptis fasciculata Hyptis lappulacea Lobeliaceae Lobelia sp. Malpighiaceae Bunchosia pallenscens Malvaceae Sida carpinifolia Sida rhombifolia Melastomateceae Clidemia hirta Leandra reversa Miconia cinerascens Miconia latecrenata Pterolepis glomerata Tibouchina clavata Tibouchina clinopodifolia Tibouchina pulchra Tibouchina regnelli Tibouchina trichopoda Myrtaceae Psidium guajava Nyctaginaceae Neea sp. Onagraceae Ludwigia sp. Orchidaceae Habenaria parviflora Oxalidaceae Oxalis debilis Plantaginaceae Achetaria ocymoides Conobea scoparioides Rosaceae Rubus rosaefolius Rubiaceae Rubiaceae sp. Dioidia saponariifolia Psychotria leiocarpa Spermacoce ocymifolia Salicaceae Casearia sylvestris Solanaceae Acnistus arborescens Solanum paniculatum Solanum pseudoquina Solanum rufescens Ulmaceae Trema micrantha Verbenaceae Stachytarpheta maximiliani Vitaceae Cissus verticillata

6 Hygrophyla sp. 1 Acanthaceae 6

7 Hygrophyla sp. 2 Acanthaceae 7

8 Hydrocotyle leucocephala Apiaceae 8

9 Adenostemma brasilianum Asteraceae 9

10 Baccharis singularis Asteraceae 10

11 Cyrtocymura scorpioides Asteraceae 11

12 Elephantopus mollis Asteraceae 12

13 Erechtites valerianifolius Asteraceae 13

14 Heteroncondylus alatus Asteraceae 14

15 Mikania micrantha Asteraceae 15

16 Vernonhantura beirichii Asteraceae 16

17 Vernonhantura puberula Asteraceae 17

18 Impatiens walleriana Balsaminaceae 18

19 Begonia fischeri Begoniaceae 19

20 Jacaranda puberula Bignoniaceae 20

21 Cordia monosperma Boraginaceae 21

22 Foto: P. Schwirkoswski Drymaria cordata Caryophyllaceae 22

23 Commelina diffusa Commelinaceae 23

24 Tradescantia sellowiana Commelinaceae 24

25 Fonte: Lorenzi, 2009 Alchornea Triplinervia Euphorbiaceae 25

26 Pera glabrata Euphorbiaceae 26

27 Desmodium adscendens Fabaceae 27

28 Desmodium affine Fabaceae 28

29 Desmodium incanum Fabaceae 29

30 Fonte: Lorenzi, 2009 Inga edulis Fabaceae 30

31 Inga marginata Fabaceae 31

32 Mimosa bimucronata Fabaceae 32

33 Senna multijuga Fabaceae 33

34 Hyptis fasciculata Lamiaceae 34

35 Hyptis lappulacea Lamiaceae 35

36 Lobelia sp. Lobeliaceae 36

37 Bunchosia pallescens Malpiguiaceae 37

38 Sida carpinifolia Malvaceae 38

39 Sida rhombifolia Malvaceae 39

40 Clidemia hirta Melastomataceae 40

41 Leandra reversa Melastomataceae 41

42 Foto: R. Goldenberg Miconia cinerascens Melastomataceae 42

43 Miconia latecrenata Melastomataceae 43

44 Pterolepis glomerata Melastomataceae 44

45 Tibouchina clavata Melastomataceae 45

46 Tibouchina clinopodifolia Melastomataceae 46

47 Tibouchina pulchra Melastomataceae 47

48 Tibouchina regnelli Melastomataceae 48

49 Tibouchina trichopoda Melastomataceae 49

50 Foto: D. F. Lima Psidium guajava Myrtaceae 50

51 Neea sp. Nyctaginaceae 51

52 Ludwigia sp. Onagraceae 52

53 Fonte: Lorenzi & Souza, 2008 Habenaria parviflora Orchidaceae 53

54 Oxalis debilis Oxalidaceae 54

55 Achetaria ocymoides Plantaginaceae 55

56 Foto: C. Ribeiro Conobea scoparioides Plantaginaceae 56

57 Rubus rosaefolius Rosaceae 57

58 Rubiaceae sp. Rubiaceae 58

59 Dioidia saponariifolia Rubiaceae 59

60 Foto: C. Ribeiro Psychotria leiocarpa Rubiaceae 60

61 Spermacoce ocymifolia Rubiaceae 61

62 Fonte: Lorenzi & Souza, 2008 Casearia sylvestris Salicaceae 62

63 Acnistus arborescens Solanaceae 63

64 Fonte: Lorenzi & Matos, 2008 Solanum paniculatum Solanaceae 64

65 Foto: P. Schwirkoswski Solanum pseudoquina Solanaceae 65

66 Solanum rufescens Solanaceae 66

67 Fonte: Lorenzi & Souza, 2008 Trema micrantha Ulmaceae 67

68 Stachytarpheta maximiliani Verbenaceae 68

69 Cissus verticilata Vitaceae 69

Descrição e Análise da Vegetação Arbórea

Descrição e Análise da Vegetação Arbórea Descrição e Análise da Vegetação Arbórea Prof. Israel Marinho Pereira Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM Laboratório de Dendrologia e Ecologia Florestal-LDEF imarinhopereira@gmail.com

Leia mais

Licenciatura em ciências biológicas. Botânica II. Verônica R. Albuquerque Eliane C. S. Fernandes

Licenciatura em ciências biológicas. Botânica II. Verônica R. Albuquerque Eliane C. S. Fernandes Licenciatura em ciências biológicas Botânica II Mª do Carmo da Silva Souza Verônica R. Albuquerque Eliane C. S. Fernandes Plantas medicinais da flora Andiroba Cavalinha Anador Sapucainha Catuaba Angelicó

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE COBERTURA VEGETAL

LAUDO TÉCNICO DE COBERTURA VEGETAL LAUDO TÉCNICO DE COBERTURA VEGETAL ÁREA LOCALIZADA NA AVENIDA DR. SEZEFREDO AZAMBUJA VIEIRA, LOTE 37, ESQUINA AV. FARROUPILHA (projetada), CANOAS, RS. Outubro de 2013. SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO 3 1.1 Dados

Leia mais

Contendas do Sincorá Floresta Nacional Bahia, BRASIL Plants of Contendas do Sincorá National Forest

Contendas do Sincorá Floresta Nacional Bahia, BRASIL Plants of Contendas do Sincorá National Forest Contendas do Sincorá Floresta Nacional Bahia, BRASIL Plants of Contendas do Sincorá National Forest Lucas Cardoso Marinho & Filipe Ribeiro Sá Martins Lucas C. Marinho [lcmarinho@gmail.com] # 452 version

Leia mais

LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS PELA POPULAÇÃO DE SANTA CRUZ RIO DE JANEIRO RJ

LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS PELA POPULAÇÃO DE SANTA CRUZ RIO DE JANEIRO RJ Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2012, v. 15, edição especial, p. 76 82 LEVANTAMENTO DAS ESPÉCIES DE PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS PELA POPULAÇÃO DE SANTA CRUZ RIO DE JANEIRO RJ LOPES, Gláucia Ferreira

Leia mais

A experiência do Herbário SP na produção e divulgação de imagens do acervo

A experiência do Herbário SP na produção e divulgação de imagens do acervo A experiência do Herbário SP na produção e divulgação de imagens do acervo Maria Candida Henrique Mamede Curadora de Fanerógamas Instituto de Botânica São Paulo, Brasil Instituto de Botânica Fundação:

Leia mais

Plants of the Restinga of Jaconé-Saquarema Region

Plants of the Restinga of Jaconé-Saquarema Region [800] Version 0/206 Thunbergia alata ACANTHACEAE 2 Schinus terebinthifolius 6 Aspidosperma pyricollum APOCYNACEAE 7 Oxypetalum banksii 2 6 Jacaranda jasminoides 7 Tabebuia cassinoides 3 ANACARDIACEAE APOCYNACEAE

Leia mais

Fazenda Experimental da Ressacada Centro de Ciências Agrárias CCA-UFSC Florianópolis/SC

Fazenda Experimental da Ressacada Centro de Ciências Agrárias CCA-UFSC Florianópolis/SC s Fazenda Eperimental da Ressacada Centro de Ciências Agrárias CCA-UFSC Florianópolis/SC 3.6. CARACTERIZAÇÃO DA COBERTURA VEGETAL Sumário 3.6 Caracterização da Cobertura Vegetal... 3.6-3 3.6.1 Equipe Responsável...

Leia mais

PLANTAS APÍCOLAS NATIVAS DA REGIÃO DE CAMPO MOURÃO-PR

PLANTAS APÍCOLAS NATIVAS DA REGIÃO DE CAMPO MOURÃO-PR PLANTAS APÍCOLAS NATIVAS DA REGIÃO DE CAMPO MOURÃO-PR L.S. BRAGA*; S. M. CURTI*; M. K.UMADA*; E.S. SEKINE** *Graduandos de Engenharia Ambiental/UTFPR, Campo Mourão, Brasil **Coordenação de Engenharia Ambiental/UTFPR,

Leia mais

PROPOSTA DE REVEGETAÇÃO DA ENCOSTA DO MORRO DA CRUZ ITAJAI SC

PROPOSTA DE REVEGETAÇÃO DA ENCOSTA DO MORRO DA CRUZ ITAJAI SC 1 Centro de Ciências Tecnológicas da Terra e do Mar - CTTMar Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência e Tecnologia Ambiental Disciplina: Estudos de Caso em Ciência e Tecnologia Ambiental PROPOSTA

Leia mais

Aluna: Maria Daniela Martins Guimarães Orientadora: Profª. Drª. Blandina Felipe Viana Co-orientadora: Msc. Camila Magalhães Pigozzo

Aluna: Maria Daniela Martins Guimarães Orientadora: Profª. Drª. Blandina Felipe Viana Co-orientadora: Msc. Camila Magalhães Pigozzo Caracterização das potenciais fontes de recursos tróficos para abelhas do gênero ylocopa e Apis mellifera nas áreas de entorno do distrito de Maniçoba (Juazeiro BA) Aluna: Maria Daniela Martins Guimarães

Leia mais

CLAUDIVÃ MATOS MAIA FAUNA DE ABELHAS DA RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL DO RIO CACHOEIRA NO MUNICIPIO DE ANTONINA, PARANÁ.

CLAUDIVÃ MATOS MAIA FAUNA DE ABELHAS DA RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL DO RIO CACHOEIRA NO MUNICIPIO DE ANTONINA, PARANÁ. CLAUDIVÃ MATOS MAIA FAUNA DE ABELHAS DA RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL DO RIO CACHOEIRA NO MUNICIPIO DE ANTONINA, PARANÁ. Dissertação apresentada à Coordenação do Curso de Pós- Graduação em Ciências

Leia mais

Plantas da Serra da Pedra Branca 1

Plantas da Serra da Pedra Branca 1 Plantas da Serra da Pedra Branca 1 1 Alstroemeria variegata ALSTROEMERIACEAE 2 Asclepias curassavia 3 Mandevilla cf. hirsuta 4 Mandevilla venulosa 5 Orthosia scoparia 6 Aristolochia burchellii ARISTOLOCHIACEAE

Leia mais

Cortines, E 1 ; Magalhães, M.A.F. 2 ; Melo, A.L 3 ; Valcarcel, R. 4.

Cortines, E 1 ; Magalhães, M.A.F. 2 ; Melo, A.L 3 ; Valcarcel, R. 4. MONITORAMENTO DA REGENERAÇÃO COMO FORMA DE AVALIAR A AUTO-SUSTENTABILIDADE DA RECUPERAÇÃO DE ECOSSISTEMAS PERTURBADOS E COM EXÍGUOS ATRIBUTOS AMBIENTAIS DE NOVA IGUAÇÚ, RJ. Cortines, E 1 ; Magalhães, M.A.F.

Leia mais

COMPOSIÇÃO DA VEGETAÇÃO HERBÁCEO- ARBUSTIVA DA RESTINGA DA VILA BARRA DO UNA, PERUÍBE, SP.

COMPOSIÇÃO DA VEGETAÇÃO HERBÁCEO- ARBUSTIVA DA RESTINGA DA VILA BARRA DO UNA, PERUÍBE, SP. COMPOSIÇÃO DA VEGETAÇÃO HERBÁCEO- ARBUSTIVA DA RESTINGA DA VILA BARRA DO UNA, PERUÍBE, SP. Talita Cristina Caetano Camargo*, Luana Lucena de Novaes*, Mara Angelina Galvão Magenta**, Cláudio de Moura***,

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO PARQUE ESTADUAL MATA SÃO FRANCISCO, MUNICÍPIO DE CORNÉLIO PROCÓPIO (PARANÁ).

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO PARQUE ESTADUAL MATA SÃO FRANCISCO, MUNICÍPIO DE CORNÉLIO PROCÓPIO (PARANÁ). LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO PARQUE ESTADUAL MATA SÃO FRANCISCO, MUNICÍPIO DE CORNÉLIO PROCÓPIO (PARANÁ). Daniela Aparecida Estevan, Renata Baldo, Patrícia Tiemi de Paula Leite, Gabriela da Mota Ferreira

Leia mais

INTRODUÇÃO METODOLOGIA

INTRODUÇÃO METODOLOGIA Pesquisas agronômicas das plantas medicinais nativas regulamentadas pela ANVISA Lin Chau Ming, Gabriela Granghelli Gonçalves, Maria Izabela Ferreira Departamento de Horticultura, Faculdade de Ciências

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO. C Não é necessário ser uma muda de árvore, pode-se adotar uma já existente na calçada em frente a sua casa.

TERMO DE COOPERAÇÃO. C Não é necessário ser uma muda de árvore, pode-se adotar uma já existente na calçada em frente a sua casa. ADOTE UMA ÁRVORE TERMO DE COOPERAÇÃO Declaro que li o texto abaixo e concordo com os termos do mesmo, visando à adoção de uma árvore (muda), localizada conforme formulário em anexo: A Pelo período de um

Leia mais

Anacardiaceae Schinus terebinthifolius Nativa terebinthifolius ou Schinus Terebinthifolia

Anacardiaceae Schinus terebinthifolius Nativa terebinthifolius ou Schinus Terebinthifolia Árvores do campus São Roque Levantamento das espécies de arvores nativas e exóticas existente no Instituto Federal São Paulo (IFSP) no campus São Roque. As espécies abaixo estão dividas por áreas: Área

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE RESTAURAÇÃO FLORESTAL NO ENTORNO DO RESERVATÓRIO CACHOEIRA, PIRACAIA SP

IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE RESTAURAÇÃO FLORESTAL NO ENTORNO DO RESERVATÓRIO CACHOEIRA, PIRACAIA SP Termo de Referência IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE RESTAURAÇÃO FLORESTAL NO ENTORNO DO RESERVATÓRIO CACHOEIRA, PIRACAIA SP Novembro de 2012 1. Contextualização e Justificativa A The Nature Conservancy (TNC)

Leia mais

Plantas Saxícolas em Inselbergue no Vale do Mucuri

Plantas Saxícolas em Inselbergue no Vale do Mucuri Minas Gerais, BRASIL 1 Science & Education, The Field Museum, Chicago, IL 60605 USA. [http://fieldmuseum.org/idtools] [rrc@fieldmuseum.org] Rapid Color Guide # 378 versão 1 08/2013 1 Hippeastrum glaucescens

Leia mais

Análise da Vegetação Florestal Ciliar na Bacia do Rio Passo Fundo, RS bases para a restauração ecológica

Análise da Vegetação Florestal Ciliar na Bacia do Rio Passo Fundo, RS bases para a restauração ecológica Análise da Vegetação Florestal Ciliar na Bacia do Rio Passo Fundo, RS bases para a restauração ecológica 1 S. C. Müller, NeoTropical, E. D. Forneck, UFRGS, L. Hahn, NeoTropical, L. F. Câmara, NeoTropical

Leia mais

Aline Luiza Tomazi 1 * Carlos Eduardo Zimmermann 1,2 Rudi Ricardo Laps 1

Aline Luiza Tomazi 1 * Carlos Eduardo Zimmermann 1,2 Rudi Ricardo Laps 1 Biotemas, 23 (3): 125-135, setembro de 2010 ISSN 0103 1643 125 Aline Luiza Tomazi 1 * Carlos Eduardo Zimmermann 1,2 Rudi Ricardo Laps 1 1 Laboratório de Ecologia e Ornitologia, Instituto de Pesquisas Ambientais

Leia mais

Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, BRASIL PLANTAS do Campus do Pici Professor Prisco Bezerra

Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, BRASIL PLANTAS do Campus do Pici Professor Prisco Bezerra Universidade Federal do Ceará (UFC), PLANTAS do Campus do Pici Professor Prisco Bezerra Carlos Eduardo L. Fernandes, Rayane de T. M. Ribeiro, Luciana S. Cordeiro, Emanuel P. de Mesquita, Gabriele O. Félix,

Leia mais

Experiências Com Plantas Medicinais Nativas E Exóticas dos Moradores do Entorno de Um Parque Florestal Em Varginha, Minas Gerais.

Experiências Com Plantas Medicinais Nativas E Exóticas dos Moradores do Entorno de Um Parque Florestal Em Varginha, Minas Gerais. Experiências Com Plantas Medicinais Nativas E Exóticas dos Moradores do Entorno de Um Parque Florestal Em Varginha, Minas Gerais. Rafaela Pereira Naves ¹,²; Raquel Stockman¹,²; Deborah Mattos Guimarães

Leia mais

Núm. 37, pp. 47-61, ISSN 1405-2768; México, 2014 FLORA DE UM INSELBERG NA MESORREGIÃO AGRESTE DO ESTADO DA PARAÍBA-BRASIL

Núm. 37, pp. 47-61, ISSN 1405-2768; México, 2014 FLORA DE UM INSELBERG NA MESORREGIÃO AGRESTE DO ESTADO DA PARAÍBA-BRASIL Núm. 37, pp. 47-61, ISSN 1405-2768; México, 2014 FLORA DE UM INSELBERG NA MESORREGIÃO AGRESTE DO ESTADO DA PARAÍBA-BRASIL FLORA DE UN INSELBERG EN LA MESOREGIÓN AGRESTE DEL ESTADO DE PARAIBA, BRASIL FLORA

Leia mais

ARTIGO Estudo florístico e fitossociológico de uma área às margens da lagoa do Armazém, Osório, Rio Grande do Sul, Brasil

ARTIGO Estudo florístico e fitossociológico de uma área às margens da lagoa do Armazém, Osório, Rio Grande do Sul, Brasil Revista Brasileira de Biociências Brazilian Journal of Biosciences http://www.ufrgs.br/seerbio/ojs ISSN 1980-4849 (on-line) / 1679-2343 (print) ARTIGO Estudo florístico e fitossociológico de uma área às

Leia mais

UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DISSERTAÇÃO

UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DISSERTAÇÃO UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DISSERTAÇÃO A OCORRÊNCIA DE APIFORMES (Hymenoptera) EM FRAGMENTOS DA MATA ATLÂNTICA E RESPOSTAS ECOLÓGICAS PARA SEU DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

Palavras-chave Espécies nativas; Espécies melíferas; Potencial apícola da flora catoleense; Sertão paraibano.

Palavras-chave Espécies nativas; Espécies melíferas; Potencial apícola da flora catoleense; Sertão paraibano. ATUALIZAÇÃO DA LISTA FLORÍSTICA ESPECIALIZADA PARA A APICULTURA E PLANTAS OLEAGINOSAS DA CAATINGA EM CATOLÉ DO ROCHA-PB*. Tamires da Costa Figueiredo 1 ; Jandeilson Pereira dos Santos 1 ; Jaiane Alves

Leia mais

ARBORIZAÇÃO URBANA EM UM BAIRRO DE SANTA MARIA, RS 1

ARBORIZAÇÃO URBANA EM UM BAIRRO DE SANTA MARIA, RS 1 ARBORIZAÇÃO URBANA EM UM BAIRRO DE SANTA MARIA, RS 1 NEUHAUS, Mauricio 2 ; GIRARDI, Leonita Beatriz 2 ; SCHWAB, Natalia Teixeira 3 ; BACKES, Fernanda Alice Antonello Londero 4 ; BELLÉ, Rogério Antônio

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA VEGETAÇÃO HERBÁCEA PRESENTE EM UMA ÁREA DE CAATINGA, GAMELEIRA DOS RODRIGUES, PICOS-PI.

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA VEGETAÇÃO HERBÁCEA PRESENTE EM UMA ÁREA DE CAATINGA, GAMELEIRA DOS RODRIGUES, PICOS-PI. LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA VEGETAÇÃO HERBÁCEA PRESENTE EM UMA ÁREA DE CAATINGA, GAMELEIRA DOS RODRIGUES, PICOS-PI. Anne Ranielly Monteiro Luz; Amanda Macêdo Rocha; Maria Carolina de Abreu. Universidade

Leia mais

Florística de uma área de Cerrado da Fazenda Barreiro D antas, São José de Almeida, Jaboticatubas, MG

Florística de uma área de Cerrado da Fazenda Barreiro D antas, São José de Almeida, Jaboticatubas, MG Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Florística de uma área de Cerrado da Fazenda Barreiro D antas, São José de Almeida, Jaboticatubas, MG Morgana Flávia Rodrigues

Leia mais

Estudo Etnobotânico no Município de Colômbia SP

Estudo Etnobotânico no Município de Colômbia SP Estudo Etnobotânico no Município de Colômbia SP (Ethnobotany Study at Colômbia, SP, Brazil) Elaine Tosti 1 ; Áurea Maria Therezinha Colli 2 1 Faculdades Integradas Fafibe - Bebedouro-SP elianetosti@hotmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO DANIELA CAMILO PINHEIRO ZANONI

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO DANIELA CAMILO PINHEIRO ZANONI 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - BACHARELADO DANIELA CAMILO PINHEIRO ZANONI AMPLITUDE DE NICHO E SIMILARIDADE NO USO DE RECURSOS FLORAIS DE DUAS ESPÉCIES

Leia mais

PLANTAS DANINHAS NA PÓS-COLHEITA DE MILHO NAS VÁRZEAS DO RIO SÃO FRANCISCO, EM MINAS GERAIS 1

PLANTAS DANINHAS NA PÓS-COLHEITA DE MILHO NAS VÁRZEAS DO RIO SÃO FRANCISCO, EM MINAS GERAIS 1 Plantas daninhas na pós-colheita de milho nas várzeas... 239 PLANTAS DANINHAS NA PÓS-COLHEITA DE MILHO NAS VÁRZEAS DO RIO SÃO FRANCISCO, EM MINAS GERAIS 1 Weed Survey on Corn Post-Harvest Under Meadow

Leia mais

LEVANTAMENTO DA FLORA APICOLA EM DUAS ÁREAS PRODUTORAS DE MEL NO ESTADO DO PIAUÍ

LEVANTAMENTO DA FLORA APICOLA EM DUAS ÁREAS PRODUTORAS DE MEL NO ESTADO DO PIAUÍ LEVANTAMENTO DA FLORA APICOLA EM DUAS ÁREAS PRODUTORAS DE MEL NO ESTADO DO PIAUÍ Genilson Alves dos Reis e Silva 1 ; Ethyênne Moraes Bastos 2 ; Juliana Alves dos Reis Sobreira 3. 1. Biólogo, Mestre em

Leia mais

Distrito do Ipiranga, São Paulo, SP - BRASIL ÁRVORES do Parque da Independência, São Paulo

Distrito do Ipiranga, São Paulo, SP - BRASIL ÁRVORES do Parque da Independência, São Paulo Distrito do Ipiranga, São Paulo, SP - BRASIL 1 1 Rafael Felipe de Almeida, Simone Justamante De Sordi2 & Ricardo José Francischetti Garcia2 1.Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo. 2. Herbário Municipal

Leia mais

LEVANTAMENTO DA FLORA APÍCOLA DO ESTRATO HERBÁCEO EM MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DE CATOLÉ DO ROCHA-PB.

LEVANTAMENTO DA FLORA APÍCOLA DO ESTRATO HERBÁCEO EM MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DE CATOLÉ DO ROCHA-PB. LEVANTAMENTO DA FLORA APÍCOLA DO ESTRATO HERBÁCEO EM MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DE CATOLÉ DO ROCHA-PB. Liliane da Silva Soares 1 ;Carlos Alberto de Lima e Silva 2 ; Damião Pedro da Silva 2 ; Maria do Socorro

Leia mais

Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, Rio Grande do Norte - BRASIL FLORA DO PARQUE DA CIDADE NATAL

Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, Rio Grande do Norte - BRASIL FLORA DO PARQUE DA CIDADE NATAL 1 Ayrthon Weslley Vitorino de Medeiros [ayrthon.medeiros@gmail.com] [fieldguides.fieldmuseum.org] [836] versão 1 11/2016 1 Aphelandra nuda ACANTHACEAE 2Thyrsacanthus ramosissimus ACANTHACEAE 3 Anacardium

Leia mais

Levantamento de plantas infestantes em reflorestamento de Pinus taeda em Rio Negrinho, SC

Levantamento de plantas infestantes em reflorestamento de Pinus taeda em Rio Negrinho, SC Levantamento de plantas infestantes em reflorestamento de Pinus taeda em Rio Negrinho, SC Paulo Roberto Lessa (1), Eduardo Adenesky Filho (1, 2) & Lauri Amândio Schorn (1,2) RESUMO As plantas infestantes

Leia mais

Projeto: PRESERVE O PLANETA TERRA DISTRIBUIÇÃO DE MUDAS PARA PLANTIO

Projeto: PRESERVE O PLANETA TERRA DISTRIBUIÇÃO DE MUDAS PARA PLANTIO PARCERIA: ROTARY / CECL-PEFI 1) Grupo de Espécies Preferenciais DISTRIBUIÇÃO DE MUDAS PARA PLANTIO Área Tipo Nome comum Nome científico Família 14/out Área 1 Área 2 Área 4 3 5 Abio Pouteria caimito Sapotaceae

Leia mais

Composição Florística e Síndromes de Dispersão no Morro Coração de Mãe, em. Piraputanga, MS, Brasil. Wellington Matsumoto Ramos

Composição Florística e Síndromes de Dispersão no Morro Coração de Mãe, em. Piraputanga, MS, Brasil. Wellington Matsumoto Ramos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA VEGETAL Composição Florística e Síndromes de Dispersão

Leia mais

MONITORAMENTO DE REFLORESTAMENTO NA RESERVA ECOLÓGICA DE GUAPIAÇU, CACHOEIRAS DE MACACU-RJ

MONITORAMENTO DE REFLORESTAMENTO NA RESERVA ECOLÓGICA DE GUAPIAÇU, CACHOEIRAS DE MACACU-RJ EIXO TEMÁTICO: Ciências Ambientais e da Terra MONITORAMENTO DE REFLORESTAMENTO NA RESERVA ECOLÓGICA DE GUAPIAÇU, CACHOEIRAS DE MACACU-RJ Rayanne Carvalho da Costa 1 Thayza de Oliveira Batitucci 2 Milena

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO CARRASCO NO PLANALTO DA IBIAPABA, CEARÁ DADOS PRELIMINARES (1)

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO CARRASCO NO PLANALTO DA IBIAPABA, CEARÁ DADOS PRELIMINARES (1) LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DO CARRASCO NO PLANALTO DA IBIAPABA, CEARÁ DADOS PRELIMINARES (1) Maria Gracielle Rodrigues Maciel 1 ; Joelina Marques de Mesquita 2 ; Izaíra Vasconcelos Nepomuceno 3 ; Elnatan

Leia mais

FAZENDA SÃO MAXIMIANO, Pampa biome, Rio Grande do Sul, BRAZIL VASCULAR PLANTS of São Maximiano, Guaíba, Brazil

FAZENDA SÃO MAXIMIANO, Pampa biome, Rio Grande do Sul, BRAZIL VASCULAR PLANTS of São Maximiano, Guaíba, Brazil FAZENDA SÃO MAXIMIANO, Pampa biome, Rio Grande do Sul, BRAZIL Greta A. Dettke, Jaqueline Durigon, Nelson I. Matzenbacher, M. Angélica Kieling-Rubio, Luís F.P. Lima2 & Rafael Trevisan3 Universidade Federal

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO - SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Relatório Técnico Makoto Ambiental - RT MMAS Nº 014/2011 -

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO - SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. Relatório Técnico Makoto Ambiental - RT MMAS Nº 014/2011 - SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO - SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ESTUDO TÉCNICO CENTRO DE TURISMO DE DOMINGOS MARTINS, ESPÍRITO SANTO. Relatório Técnico Makoto Ambiental - RT MMAS Nº

Leia mais

FLORÍSTICA DO ESTRATO HERBÁCEO/ARBUSTIVO, NO PERÍODO CHUVOSO, DA RESERVA ESTADUAL DE ÁGUAS DA PRATA, SÃO PAULO

FLORÍSTICA DO ESTRATO HERBÁCEO/ARBUSTIVO, NO PERÍODO CHUVOSO, DA RESERVA ESTADUAL DE ÁGUAS DA PRATA, SÃO PAULO FLORÍSTICA DO ESTRATO HERBÁCEO/ARBUSTIVO, NO PERÍODO CHUVOSO, DA RESERVA ESTADUAL DE ÁGUAS DA PRATA, SÃO PAULO Júlio César dos Santos Lima¹, Aline Saturnino Costa 2 1. Graduando em Ciências Biológicas

Leia mais

Universidade Regional de Blumenau FURB

Universidade Regional de Blumenau FURB Universidade Regional de Blumenau FURB Centro de Ciências Tecnológicas Programa de Pós-Graduação - PPGA Nível de Mestrado em Engenharia Ambiental Distribuição de Mimosoideae nas regiões do oeste e planalto

Leia mais

SERRA DO MAR ENTRE A EXPLORAÇÃO E A CONSERVAÇÃO

SERRA DO MAR ENTRE A EXPLORAÇÃO E A CONSERVAÇÃO SERRA DO MAR ENTRE A EXPLORAÇÃO E A CONSERVAÇÃO 34 INTRODUÇÃO Marcos Antonio Pinto Acadêmico 4 Geografia - UNESPAR/Fafipa jrnarcos.geo@gmail.com Renato Rafael Diogo do Valle Acadêmico 4 Geografia - UNESPAR/Fafipa

Leia mais

COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL NO MUNICÍPIO DE ESPERA FELIZ, MG.

COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE RESERVAS PARTICULARES DO PATRIMÔNIO NATURAL NO MUNICÍPIO DE ESPERA FELIZ, MG. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS BACHARELADO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE RESERVAS PARTICULARES DO

Leia mais

Livro vermelho da flora do Brasil. Errata

Livro vermelho da flora do Brasil. Errata Livro vermelho da flora do Brasil Errata REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Dilma Rousseff PRESIDENTA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Izabella Mônica Vieira Teixeira MINISTRA Francisco Gaetani SECRETÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

Espécies Bioativas. Antonio Amaury Silva Jr. Airton Rodrigues Salerno. Pesquisadores da Epagri Estação Experimental de Itajaí

Espécies Bioativas. Antonio Amaury Silva Jr. Airton Rodrigues Salerno. Pesquisadores da Epagri Estação Experimental de Itajaí Espécies Bioativas Antonio Amaury Silva Jr. Airton Rodrigues Salerno Pesquisadores da Epagri Estação Experimental de Itajaí UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Taxonomia 222 espécies bioativas 193 com

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO FLORÍSTICA DE BANCOS DE SEMENTES EM SISTEMAS SOLTEIROS E INTEGRADOS DE PRODUÇÃO

CARACTERIZAÇÃO FLORÍSTICA DE BANCOS DE SEMENTES EM SISTEMAS SOLTEIROS E INTEGRADOS DE PRODUÇÃO CARACTERIZAÇÃO FLORÍSTICA DE BANCOS DE SEMENTES EM SISTEMAS SOLTEIROS E INTEGRADOS DE PRODUÇÃO MENEGATTI, L. (UFMT, Sinop/MT menegatti._lukas@hotmail.com), IKEDA, F. S. (Embrapa Agrossilvipastoril, Sinop/MT

Leia mais

PESQUISAS EM LONGO PRAZO E MONITORAMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Claudia Franca Barros

PESQUISAS EM LONGO PRAZO E MONITORAMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Claudia Franca Barros PESQUISAS EM LONGO PRAZO E MONITORAMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Claudia Franca Barros Objetivo Geral Investigar processos e padrões geradores, mantenedores e impactantes da

Leia mais

LEVANTAMENTO PRELIMINAR DA VEGETAÇÃO RUDERAL DA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB

LEVANTAMENTO PRELIMINAR DA VEGETAÇÃO RUDERAL DA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB LEVANTAMENTO PRELIMINAR DA VEGETAÇÃO RUDERAL DA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB Roméria Santana da Silva Souza Instituto Federal de Ciência e Tecnologia da Paraíba IFPB romeriasantana2@gmail.com Hermes de Oliveira

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA VEGETAÇÃO SECUNDÁRIA DO BIOMA MATA ATLÂNTICA COM BASE EM SUA POSIÇÃO NA PAISAGEM

CARACTERIZAÇÃO DA VEGETAÇÃO SECUNDÁRIA DO BIOMA MATA ATLÂNTICA COM BASE EM SUA POSIÇÃO NA PAISAGEM Original Article 2042 CARACTERIZAÇÃO DA VEGETAÇÃO SECUNDÁRIA DO BIOMA MATA ATLÂNTICA COM BASE EM SUA POSIÇÃO NA PAISAGEM CHARACTERIZATION OF VEGETATION OF SECONDARY OF BIOME ATLANTIC FOREST COM BASE ON

Leia mais

A seguir o Mapa Fitogeográfico do Estado de Santa Catarina proposto por KLEIN (1978).

A seguir o Mapa Fitogeográfico do Estado de Santa Catarina proposto por KLEIN (1978). 8. CARACTERIZAÇÃO DA FLORA A área de domínio do bioma Mata Atlântica compreende um conjunto de formações florestais que abrangem total ou parcialmente 17 estados brasileiros situados ao longo da costa

Leia mais

SULTEPA CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA. EXTRAÇÃO DE GRANITO SÃO LOURENÇO DO SUL / RS TR ESTUDOS AMBIENTAIS REFERENTES AO

SULTEPA CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA. EXTRAÇÃO DE GRANITO SÃO LOURENÇO DO SUL / RS TR ESTUDOS AMBIENTAIS REFERENTES AO SULTEPA CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA. EXTRAÇÃO DE GRANITO SÃO LOURENÇO DO SUL / RS TR ESTUDOS AMBIENTAIS REFERENTES AO LICENCIAMENTO DAS ÁREAS DE EMPRÉSTIMO DE MATERIAIS - MINERAÇÃO ÓRGÃO AMBIENTAL LICENCIADOR:

Leia mais

150 100 50 0 Caméfitos/Chamaephytes Fanerófitos escandentes/liana-phanerophytes Geófitos/Geophytes Helófitos/Helophytes Hemicriptófitos/Hemicryptophytes Hidrófitos/Hydrophytes Macrofanerófitos/Macrophanerophytes

Leia mais

APA Itupararanga é tema de palestra na ETEC/São Roque

APA Itupararanga é tema de palestra na ETEC/São Roque APA Itupararanga é tema de palestra na ETEC/São Roque A APA Área de Proteção Ambiental de Itupararanga foi tema da palestra de abertura da Semana Paulo Freire, promovida pela ETEC - São Roque. O evento

Leia mais

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO

CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 PLANO DE CURSO CURSO DE FARMÁCIA Autorizado pela Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Botânica Aplicada a Farmácia Código: FAR 102 Pré-requisito: - Período Letivo:

Leia mais

Palavras-chave: campo rupestre, síndromes de dispersão, Serra dos Pireneus.

Palavras-chave: campo rupestre, síndromes de dispersão, Serra dos Pireneus. 1 TIPOLOGIA DE FRUTOS E SÍNDROMES DE DISPERSÃO DE UMA COMUNIDADE DE CAMPO RUPESTRE NO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DOS PIRENEUS, GOIÁS. Sabrina do Couto de Miranda 1,4 ; Marineide Abreu Batista 1,4 ; Jair

Leia mais

Preparando dados de levantamentos para o Fitopac 2.1

Preparando dados de levantamentos para o Fitopac 2.1 Preparando dados de levantamentos para o Fitopac 2.1 Esta versão oferece muito mais flexibilidade na leitura de dados de levantamentos que as versões anteriores mas, dado a diversidade de opções disponíveis,

Leia mais

RELATÓRIO DE CAMPO: ANÁLISE DA SUCESSÃO NATURAL DO COSTÃO DA ILHA DO CAMPECHE APÓS PERTURBAÇÃO POR FOGO

RELATÓRIO DE CAMPO: ANÁLISE DA SUCESSÃO NATURAL DO COSTÃO DA ILHA DO CAMPECHE APÓS PERTURBAÇÃO POR FOGO 111 REVISTA ELETRÔNICA DOS ESTUDANTES DE GEOGRAFIA DA UFSC www.geograficas.cfh.ufsc.br ISSN 1980-4148 - Web Qualis/CAPES RELATÓRIO DE CAMPO: ANÁLISE DA SUCESSÃO NATURAL DO COSTÃO DA ILHA DO CAMPECHE APÓS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI LEI No. 10.425 DE 19 DE ABRIL DE 2002, D.O.U. DE 22 DE ABRIL DE 2002

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI LEI No. 10.425 DE 19 DE ABRIL DE 2002, D.O.U. DE 22 DE ABRIL DE 2002 1 de 6 21/05/2015 11:26 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI LEI No. 10.425 DE 19 DE ABRIL DE 2002, D.O.U. DE 22 DE ABRIL DE 2002 Sistema de Gestão e Produção Intelectual Relatório de Projetos por

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO FLORÍSTICA DE BANCOS DE SEMENTES EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO COM DIFERENTES NÍVEIS DE SOMBREAMENTO

CARACTERIZAÇÃO FLORÍSTICA DE BANCOS DE SEMENTES EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO COM DIFERENTES NÍVEIS DE SOMBREAMENTO CARACTERIZAÇÃO FLORÍSTICA DE BANCOS DE SEMENTES EM SISTEMAS INTEGRADOS DE PRODUÇÃO COM DIFERENTES NÍVEIS DE SOMBREAMENTO IKEDA, F. S. (Embrapa Agrossilvipastoril, Sinop/MT fernanda.ikeda@embrapa.br), MENEGATTI,

Leia mais

Plants of Dense Ombrophilous Forest of Ceará, Brazil Plantas das Serras Úmidas do Ceará, BRASIL

Plants of Dense Ombrophilous Forest of Ceará, Brazil Plantas das Serras Úmidas do Ceará, BRASIL Rayane de Tasso Moreira Ribeiro, Valéria da Silva Sampaio 2, Elnatan Bezerra de Souza & Maria Iracema Bezerra Loiola 2 Universidade Estadual Vale do Acaraú, Herbário Professor Francisco José de Abreu Matos

Leia mais

FAUNA, FLORA E AMBIENTE

FAUNA, FLORA E AMBIENTE UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS FAUNA, FLORA E AMBIENTE PROJETO VARIABILIDADE OBJETIVO GERAL Analisar as variações morfológicas das seguintes espécies de plantas presentes na Cidade

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PLANTAS DANINHAS EM REGIÕES PRODUTORAS DE MILHO E SOJA NOS ESTADOS DE GOIÁS E MINAS GERAIS

LEVANTAMENTO DE PLANTAS DANINHAS EM REGIÕES PRODUTORAS DE MILHO E SOJA NOS ESTADOS DE GOIÁS E MINAS GERAIS LEVANTAMENTO DE PLANTAS DANINHAS EM REGIÕES PRODUTORAS DE MILHO E SOJA NOS ESTADOS DE GOIÁS E MINAS GERAIS Karam, D. (Embrapa Milho e Sorgo - Sete Lagoas/MG decio.karam@embrapa.br), SILVA, W. T. (UFSJ

Leia mais

Como preparar uma apresentação. Felipe W. Amorim Programa de Pós Graduação em Biologia Vegetal

Como preparar uma apresentação. Felipe W. Amorim Programa de Pós Graduação em Biologia Vegetal Disciplina de Introdução à Ecologia BE180 Como preparar uma apresentação oral? Felipe W. Amorim Programa de Pós Graduação em Biologia Vegetal UNICAMP Tenho que fazer uma apresentação oral!!!! Preparando

Leia mais

EDITAL Nº 25, de 9 de setembro de 2008.

EDITAL Nº 25, de 9 de setembro de 2008. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação-PROPP EDITAL Nº 25, de 9 de setembro de 2008. A Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Profª Drª Marize

Leia mais

FAUNA, FLORA E AMBIENTE PROJETO VARIABILIDADE

FAUNA, FLORA E AMBIENTE PROJETO VARIABILIDADE UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS FAUNA, FLORA E AMBIENTE PROJETO VARIABILIDADE www.imagens.usp.br OBJETIVO GERAL Pesquisar padrões de variabilidade dentro de uma população (CUASO) e interpretar

Leia mais

DIVERSIDADE DE ESPÉCIES HERBÁCEAS OCORRENTES EM UMA ÁREA DE CAATINGA, GAMELEIRA DOS RODRIGUES, PICOS-PI.

DIVERSIDADE DE ESPÉCIES HERBÁCEAS OCORRENTES EM UMA ÁREA DE CAATINGA, GAMELEIRA DOS RODRIGUES, PICOS-PI. DIVERSIDADE DE ESPÉCIES HERBÁCEAS OCORRENTES EM UMA ÁREA DE Resumo CAATINGA, GAMELEIRA DOS RODRIGUES, PICOS-PI. Anne Ranielly Monteiro Luz (bolsista do PIBIC/CNPq), Maria Carolina de Abreu (Orientadora,Depto

Leia mais

FLORESTAS ESTACIONAIS INTERIORANAS DO NORDESTE O BREJO NOVO

FLORESTAS ESTACIONAIS INTERIORANAS DO NORDESTE O BREJO NOVO FLORESTAS ESTACIONAIS INTERIORANAS DO NORDESTE O BREJO NOVO G.E.L.Macedo 1. 1-Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB, Departamento de Ciências Biológicas-DCB, Av. José Moreira sobrinho, s/n, 45200-000,

Leia mais

PLANTAS VISITADAS POR ABELHAS E POLINIZAÇÃO

PLANTAS VISITADAS POR ABELHAS E POLINIZAÇÃO ISSN 1414-4530 Universidade de São Paulo USP Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ Divisão de Biblioteca e Documentação DIBD Daniela de Almeida Luís Carlos Marchini Geni da Silva Sodré Márcia

Leia mais

Plants traditionally used to treat Malaria (& related conditions)

Plants traditionally used to treat Malaria (& related conditions) 1 1 Justicia sp. ACANTHACEAE 2 Trichanthera gigantea ACANTHACEAE 3 Trichanthera gigantea ACANTHACEAE 4 Sambucus nigra ADOXACEAE 5 Allium sativum AMARYLLIDACEAE 6 Mangifera indica 7 Anacardium occidentale

Leia mais

MUNICÍPIO DE GUARANIAÇU

MUNICÍPIO DE GUARANIAÇU LEI Nº 669/2012. SUMULA: Disciplina o plantio, replantio, a poda, supressão e o uso adequado e planejado da arborização urbana e estabelece outras providencias. A Câmara Municipal de Guaraniaçu, Estado

Leia mais

Renato Vinícius Oliveira Castro

Renato Vinícius Oliveira Castro EFICIÊNCIA DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS NA ESTIMAÇÃO DE MORTALIDADE EM UMA FLORESTA ESTACIONAL SEMIDECIDUAL Renato Vinícius Oliveira Castro Prof. Adjunto Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ)

Leia mais

AÇÕES EM ECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE ENFATIZANDO A ÁGUA E OS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS

AÇÕES EM ECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE ENFATIZANDO A ÁGUA E OS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS AÇÕES EM ECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE ENFATIZANDO A ÁGUA E OS ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS Área temática: MeioAmbiente Responsável: Cleber Palma-Silva 1 Fundação Universidade Federal do Rio Grande FURG (FURG)

Leia mais

COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DA PRAIA ARTIFICIAL DO MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO IGUAÇU-PR

COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DA PRAIA ARTIFICIAL DO MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO IGUAÇU-PR COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DA PRAIA ARTIFICIAL DO MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO IGUAÇU-PR Fabrícia Lorrane Rodrigues Oliveira 1, 3*, Suzamara Biz 1, 4, Ítalo Mayke Gonçalves Amaral 1, 4, Flávia Gizele König Brun

Leia mais

Espécies vegetais com potencial antimicrobiano em área de cerrado em Prudente de Morais (MG)

Espécies vegetais com potencial antimicrobiano em área de cerrado em Prudente de Morais (MG) Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013. Belo Horizonte Espécies vegetais com potencial antimicrobiano em área de cerrado em Prudente de Morais (MG) Mayara Magalhães Enoque (1), Andréia

Leia mais

FLORA APÍCOLA EM JEQUITIBÁ, MUNDO NOVO-BA

FLORA APÍCOLA EM JEQUITIBÁ, MUNDO NOVO-BA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS, AMBIENTAIS E BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO FLORA APÍCOLA EM JEQUITIBÁ, MUNDO

Leia mais

Levantamento das espécies de borboletas (Insecta, Lepidoptera) na Reserva Particular de Patrimônio Natural Caetezal, do município de Joinville SC

Levantamento das espécies de borboletas (Insecta, Lepidoptera) na Reserva Particular de Patrimônio Natural Caetezal, do município de Joinville SC Levantamento das espécies de borboletas (Insecta, Lepidoptera) na Reserva Particular de Patrimônio Natural Caetezal, do município de Joinville SC Alexandra Bächtold 1 Denise M. D. da Silva Mouga 2 Resumo:

Leia mais

ASPECTOS DA VEGETAÇÃO DA BACIA DO RIO MAIOR NO MUNICÍPIO DE URUSSANGA - SC

ASPECTOS DA VEGETAÇÃO DA BACIA DO RIO MAIOR NO MUNICÍPIO DE URUSSANGA - SC ASPECTOS DA VEGETAÇÃO DA BACIA DO RIO MAIOR NO MUNICÍPIO DE URUSSANGA - SC Vicente Rocha Silva Bolsista PNPD-CAPES/ PGE/UEM-PR vicenters61@ig.com.br Introdução O município de Urussanga localiza-se na região

Leia mais

Palavras-chave Diversidade de espécies, famílias botânicas, semiárido.

Palavras-chave Diversidade de espécies, famílias botânicas, semiárido. FLORA APÍCOLA DO ESTRATO ARBUSTIVO EM MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DE CATOLÉ DO ROCHA-PB. Maria do Socorro de Caldas Pinto 1 ; Carlos Alberto de Lima e Silva 2 ; Damião Pedro da Silva 2 ; Kelina Bernardo

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RESGATAR A IMPORTÂNCIA DO BIOMA CAATINGA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RESGATAR A IMPORTÂNCIA DO BIOMA CAATINGA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ CERES DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DGEO PROJETO EDUCAÇÃO AMBIENTAL, RESGATAR A IMPORTÂNCIA DO BIOMA CAATINGA Caicó/RN 2015 UNIVERSIDADE

Leia mais

Luiz Mauro Barbosa Pesquisador Científico. VI Coordenadoria Especial de Restauração de Áreas Degradadas - CERAD Instituto de Botânica / SMA

Luiz Mauro Barbosa Pesquisador Científico. VI Coordenadoria Especial de Restauração de Áreas Degradadas - CERAD Instituto de Botânica / SMA Luiz Mauro Barbosa Pesquisador Científico VI Coordenadoria Especial de Restauração de Áreas Degradadas - CERAD Instituto de Botânica / SMA PROCESSO HISTÓRICO 20 anos de RAD Processo Histórico Anos 80...

Leia mais

Avaliação Integrada de Remanescentes Florestais de Embu-SP

Avaliação Integrada de Remanescentes Florestais de Embu-SP SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO FLORESTAL Rua do Horto, 931 -CEP 02377-000 Horto Florestal - São Paulo, Brasil - Fone: (011) 6231-8555 - Fax (011) 6232-5767 nuinfo@iflorest.sp.gov.br Avaliação Integrada

Leia mais

RESUMO ABSTRACT IDENTIFY NECESSARY CHANGES

RESUMO ABSTRACT IDENTIFY NECESSARY CHANGES 28 Florestar Estatístico ARTIGOS TÉCNICOS / ARTICLES RECUPERAÇÃO FLORESTAL COM ESPÉCIES NATIVAS NO ESTADO DE SÃO PAULO: PESQUISAS APONTAM MUDANÇAS NECESSÁRIAS * / FOREST RECOVERY WITH NATIVE SPECIES IN

Leia mais

Seminário sobre Marco Regulatório, Acesso e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira - Oportunidades da Cadeia Produtiva de Cosméticos

Seminário sobre Marco Regulatório, Acesso e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira - Oportunidades da Cadeia Produtiva de Cosméticos Seminário sobre Marco Regulatório, Acesso e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira - Oportunidades da Cadeia Produtiva de Cosméticos Flora de Roraima com potencial para exploração econômica

Leia mais

Redescobrindo as árvores do ambiente escolar

Redescobrindo as árvores do ambiente escolar Redescobrindo as árvores do ambiente escolar Autor: Vinicius Freitas Klain Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul vinicius.klain@acad.pucrs.br Coautor : Mônica dos Santos Matos Pontifícia

Leia mais

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO CAMPUS SÃO JOÃO DEL-REI

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO CAMPUS SÃO JOÃO DEL-REI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS - CAMPUS SÃO JOÃO DEL-REI PROJETO DE REVITALIZAÇÃO

Leia mais

RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA NO CAMPUS FIOCRUZ MATA ATLÂNTICA, RIO DE JANEIRO

RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA NO CAMPUS FIOCRUZ MATA ATLÂNTICA, RIO DE JANEIRO RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA NO CAMPUS FIOCRUZ MATA ATLÂNTICA, RIO DE JANEIRO Fundação Oswaldo Cruz FIOCRUZ Fundação para Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde - FIOTEC Restauração Ecológica no Campus

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA MUSEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA E ESTRUTURA DO ESTRATO INFERIOR DE FLORESTA DE VÁRZEA

Leia mais

RELATÓRIO DE SITUAÇÃO AMBIENTAL CONDOMÍNIO CASTANHEIRAS SOROCABA/SP

RELATÓRIO DE SITUAÇÃO AMBIENTAL CONDOMÍNIO CASTANHEIRAS SOROCABA/SP RELATÓRIO DE SITUAÇÃO AMBIENTAL CONDOMÍNIO CASTANHEIRAS SOROCABA/SP Junho de 2013 1. Introdução Alere Consultoria Treinamentos e Soluções Ambientais LTDA EPP. CNPJ: 12.620.510/0001-40 Alameda Augusto Severo,

Leia mais

RPPN Fazenda Rio Negro

RPPN Fazenda Rio Negro Sítio Ramsar Área Úmida de Importância Internacional RPPN Fazenda Rio Negro Conservação Internacional 1. Dados G erais Nome da RPPN: Fazenda Rio Negro Proprietário: Conservação Internacional do Brasil

Leia mais

RPPN Stoessel de Britto, Seridó Region, Rio Grande do Norte, BRASIL PLANTS of the CAATINGA of Seridó

RPPN Stoessel de Britto, Seridó Region, Rio Grande do Norte, BRASIL PLANTS of the CAATINGA of Seridó WEB VERSION RPPN Stoessel de Britto, Seridó Region, Rio Grande do Norte, BRASIL PLANTS of the CAATINGA of Seridó 1 1. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) 2. Universidade Federal do Ceará

Leia mais

RECURSOS FLORAIS E SISTEMAS DE POLINIZAÇÃO E SEXUAIS EM UMA ÁREA DE CERRADO NO CAMPUS DA UEG, ANÁPOLIS

RECURSOS FLORAIS E SISTEMAS DE POLINIZAÇÃO E SEXUAIS EM UMA ÁREA DE CERRADO NO CAMPUS DA UEG, ANÁPOLIS 1 RECURSOS FLORAIS E SISTEMAS DE POLINIZAÇÃO E SEXUAIS EM UMA ÁREA DE CERRADO NO CAMPUS DA UEG, ANÁPOLIS Analice Maria CALAÇA 1,4, Caroline Ferraz GONÇALVES 2,4, Mirley Luciene dos SANTOS 3,4 1 Voluntária

Leia mais