O que Fazer em Uma Emergência

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O que Fazer em Uma Emergência"

Transcrição

1 O que Fazer em Uma Emergência Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Maj BM QOS David Szpilman Em qualquer emergência procure agir rápida e calmamente. Avalie a situação. Certifique-se de que você esta fora de perigo Procure por riscos adicionais. Dê os primeiros socorros de emergência. Tranqüilize as vítimas. Use um curioso para ajudá-lo - use-o para discar 193 e solicitar socorro. Se você chega primeiro na cena de um acidente na estrada 1 - Disque para solicitar socorro - utilize um telefone móvel, faça parar um outro motorista ou mande alguém encontrar um telefone. 2 - Estacione seu carro atrás dos veículos acidentados. Use pisca-alerta e triângulo de segurança. Assegure-se da sua própria segurança e aproxime-se do acidente com cuidado. Não fume, em caso de ter havido vazamento químico ou de combustível. Não se aproxime de um veículo exibindo um sinal de perigo químico. Solicite a outras pessoas que desviem o tráfico do acidente. 3 - Cheque cada vítima. A que faz mais barulho pode estar menos seriamente ferida que aquela que está silenciosa. 4 - Só remova vítimas que estejam em perigo iminente. Se você tem que remover alguém, chame uma outra pessoa para apoiar a cabeça e o pescoço da vítima, mantendo-as alinhadas com o corpo. Se um motociclista está ferido, somente remova seu capacete se ele não estiver respirando ou se estiver vomitando. 5 - Se uma pessoa está inconsciente, execute o ABC da Vida.

2 6 - Controle hemorragias 7 - Proceda então ao Exame Secundário. 8 - Avalie se existe Choque 9 - Mantenha a vítima aquecida Esteja certo que forneceu todos os detalhes para a equipe de socorro. Avalie as vítimas na seguinte ordem de importância: 1 - Inconsciente e não respirando 2 - Inconsciente e respirando 3 - Hemorragias graves 4 - Outras lesões Nunca deixe uma vítima com algo para comer, beber ou fumar Sistema de Emergencias Medicas - SEM Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman Maj BM QOS David Szpilman Aproximadamente 70% das mortes por trauma, afogamento, doenças cardiovasculares e cerebrais ocorrem antes da vítima chegar ao hospital. Muitas dessas mortes podem ser evitadas se as vítimas forem rapidamente atendidas por um socorrista treinado em Primeiros Socorros, que dê inicio imediatamente aos procedimentos de Suporte Básico de Vida (SBV).

3 A Reanimação Cárdio-Pulmonar (RCP) aplicada no âmbito pré-hospitalar (SBV) é parte vital de um elo na corrente para a sobrevivência das vítimas de Parada Cárdio-Respiratória (PCR), que se liga a outros dois elos que são a chegada de socorro médico pré-hospitalar (SCAV) e o posterior tratamento hospitalar. O desfibrilador vem sendo gradativamente inserido como uma segundo elo, antes mesmo da chegada da ambulância. Na maioria das grandes cidades Brasileiras existe um número telefônico padrão do Corpo de Bombeiros com o qual pode-se acionar em casos de emergência, mesmo de um telefone público (opera sem ficha telefônica) uma ambulância. Você é fundamental para o salvamento desta vítima, assim que as primeiras etapas do Sistema de Emergência Médica - SEM - forem ativadas rapidamente e que você mantenha as funções vitais (ventilação e circulação) deste indivíduo até a chegada da equipe de Suporte Avançado de Vida (SAV). ESTA VIDA ESTÁ EM SUAS MÃOS! Tão logo você identifique uma situação de emergência, acione o telefone 193 para desencadear o Sistema de Emergência Médica (SEM). As seguintes informações devem ser fornecidas: 1. Local de ocorrência do evento (com pontos de referência, se possível). 2. O número do telefone do qual você está falando. 3. O que aconteceu no local (acidente de trânsito, queda, afogamento, ou outros). 4. O número de vítimas envolvidas no acidente. 5. Condições das vítimas. 6. Quais as medidas que já foram instituídas?

4 Importancia das Informacoes do Socorro Boletim de Atendimento Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Ten Cel BM QOS Osmair da Siveira Silva Maj BM QOS David Szpilman Boletim de Socorro As informações que são passadas pelos socorristas à equipe médica, que chega ao local do evento para dar continuidade ao socorro, são de extrema importância para o correto e completo preenchimento do Boletim de Atendimento Médico. Estas informações do boletim médico serão de grande valor para os nossos estudos estatísticos em relação à vítima, o local, a qualidade e o tempo de socorro e irão nortear todas as nossas condutas futuras, tanto na área médica quanto na área do salvamento. Com base nestes dados poderemos cada vez mais aprimorar o bom atendimento não só as vítimas de afogamentos, bem como a todos os tipos de emergências médicas, nos quais um socorrista é acionado para prestar o primeiro atendimento. Lembramos que Guarda-Vidas além de estarem preparados física e profissionalmente para as operações de resgates de vítimas de afogamentos também tem que estar extremamente capacitados para execução das manobras de RCP (ressuscitação cárdio-pulmonar), assim como nos procedimentos básicos de algumas situações vividas na praia como por exemplo: > Ferimentos por pranchas de surf; > Luxações escápulo-umerais (deslocamento de ombro); > Entorses de tornozelos (torção do pé); > Crise hipertensiva (pressão arterial alta);

5 > Hipotensão arterial (pressão arterial baixa); > Hipoglicemia (baixo nível de glicose no sangue); > Crises convulsivas > DNV (distúrbio neuro-vegetativo); > Queimaduras; > Choques elétricos; > IAM (infarto agudo do miocárdio); > Obstrução de vias aéreas superiores por corpo estranho (engasgar com alimentos); > Fraturas; > E Outros, Podemos observar pelos exemplos citados acima o quanto se faz necessário o treinamento e os cursos de reciclagem em primeiros socorros ministrados, pois cada vez mais temos que tornar o Guarda-Vidas um socorrista completo. Quando consideramos o atendimento as vitimas de afogamentos ou mesmo outros tipos de emergências já citadas, temos o atendimento de emergência como uma corrente de três elos (veja Sistema de Emergência Médica). Primeiro elo Suporte Básico de Vida (BLS) - Socorrista Segundo elo Suporte Avançado de Vida (ACLS) Ambulância com equipe médica / UTI móvel. Terceiro elo - Representado pelo Hospital de referencia Funções de Cada Elo da Corrente Socorrista (Guarda-Vidas) (BLS) - Cabe proceder ao resgate da vítima e iniciar as manobras de RCP em caso de necessidade, assim como dar o primeiro atendimento aos demais casos de emergência anteriormente citados, e simultaneamente a esses procedimentos providenciar o acionamento da equipe médica da ambulância (ACLS). Equipe médica (ACLS) Deverá chegar ao local de solicitação de emergência no menor tempo possível. O tempo médio considerado ideal para os padrões internacionais é de 8

6 minutos para o ACLS. O tempo médio avaliado ao longo dos últimos anos no CRA foi de 10,20 (+/- 3,2) minutos (CRA Barra da Tijuca ). Este tempo médio de deslocamento CRA-vítima está muito próximo do ideal, considerando o intenso transito existente nas vias públicas por ocasião dos dias de maior movimentação nas praias, quando ocorrem os maiores números de chamados. Com a recente (ano 2000) colocação e utilização de mais ambulâncias e socorro avançado feito com motocicletas em nossa orla, teremos em breve uma possível confirmação da redução deste tempo médio de atendimento. Chegando ao local o ACLS deverá assumir o atendimento a vítima tomando as condutas médicas complementares que se fizerem necessárias como por exemplo: oxigênioterapia, intubação orotraqueal, punção venosa, administração de medicamentos coadjuvantes, instalação de monitorização (eletrocardiógrafo, oxímetro de pulso, etc...) e utilização de equipamentos como: respirador mecânico e desfibrilador caso seja indicado, após a estabilidade clinica do paciente será procedido à remoção do mesmo. Nos casos de afogamento, cabe lembrar que no caso do Grupamento Marítimo do CBMERJ, o paciente poderá ter dois destinos com relação a sua remoção. Nos casos menos graves de afogamento serão removidos diretamente para os nossos CRAs onde ficarão em tratamento e recuperação durante algumas horas, sendo então liberados com orientação e/ou prescrição médica. Esses casos representam um grande número dos nossos atendimentos. Nos casos mais graves principalmente naqueles em que ocorreram parada cárdio-respiratória a remoção será feita para o Hospital de referência. Hospital de Referência - Receberá o paciente removido pela UTI móvel e dará prosseguimento ao atendimento da vítima em unidade intermediária, unidade terapia intensiva ou no setor que estiver indicado para o caso. Observe que para o sucesso do atendimento se faz necessário a total harmonia e sintonia entre os três elos da corrente, pois será baseada em uma boa coleta de informações por parte do socorrista, como por exemplo: A vítima fez ingestão de alimentos? Bebida alcoólica? Qual a quantidade? Há quanto tempo? Faz uso de algum medicamento? É portador de alguma doença? Quanto tempo ficou submerso? Foi realizado algum tipo de manobras de RCP? Durante quanto tempo? Existe algum tipo de lesão associada? E outras informações

7 pertinentes (veja boletim médico no apêndice para maiores informações sobre coleta de dados) que poderemos melhorar a qualidade de atendimento. É muito importante a coleta das informações e o preenchimento correto do Boletim Médico e do Boletim de socorro que é objeto desse tópico do manual. Essas informações serão repassadas para equipe médica que as registrará no boletim médico, junto com outras que serão colhidas durante o exame da vítima e posteriormente repassadas aos médicos do hospital de referência. Às vezes, dados que consideramos sem importância, são extremamente valiosos para o tratamento do paciente, sendo assim orientamos que seja observado com carinho e atenção o boletim médico existente nesse manual para melhor conhecerem sobre os dados que exemplificamos acima. Lembramos também aos socorristas e as equipes médicas que o boletim de atendimento além de sua função do ponto de vista dos levantamentos estatísticos é o único documento legal do qual poderemos nos valer em casos de questionamentos quanto à conduta médica ou em possíveis ações judiciais.

8 Quando Acionar Socorro Médico? Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman Maj BM QOS David Szpilman O guarda-vidas ou socorrista trabalhando na frente de linha enfrenta diariamente a dúvida de quando chamar o socorro médico e quando encaminhar a vítima ao hospital após o resgate/atendimento. Em casos graves a indicação da necessidade da ambulância e/ou do hospital é óbvia, porém casos menos graves sempre ocasionam dúvidas. Após o resgate/atendimento inicial de primeiros socorros, o guarda-vidas/socorrista tem basicamente 3 possibilidades: 1. Liberar a vítima sem maiores recomendações a) Vítima sem sintomas, doenças ou traumas associados apresentando a freqüência do coração e da respiração normal, sem frio e totalmente acordado, alerta e capaz de andar sem ajuda. 2. Liberar a vítima com recomendações de ser acompanhada ou procurar por médico por meios próprios a) Acidentes/doenças com pequenas queixas que não a impossibilitam de andar por conta própria e que assim o fazendo não determine um agravamento em seu estado Ex: pequeno trauma como ferimento por anzol, luxação escápulo-umeral, e outros. b) Acidentes/doenças com pequenas queixas que a impossibilitam de andar por conta própria temporariamente, estando a vítima acompanhada por responsável possuidor de

9 veículo para transporte a sua residência ou ambulatório médico e que assim o fazendo não determine um agravamento em seu estado. c) Em caso de dúvida, contate o socorro médico e esclareça se há ou não necessidade do socorro médico. 3. Acionar o Sistema de Emergências Médicas (SEM) Ambulância (193) ou levar diretamente ao hospital em caso de ausência do SEM (ambulância) a) Qualquer paciente que por conta do acidente ou doença aguda o impossibilitam de andar sem ajuda. b) Qualquer paciente que perdeu a consciência mesmo por um breve período. c) Qualquer paciente que necessitou de boca-a-boca ou RCP. d) Qualquer paciente com suspeita de doença grave como; infarto do miocárdio, lesão de coluna, trauma grave, falta de ar, epilepsia, lesão por animal marinho, intoxicação por drogas, etc. Em caso de dúvida procure recomendações de conduta via rádio ou telefone com o médico ou pessoal de saúde, ou na ausência do Sistema de Emergência Médica leve o paciente diretamente ao hospital

Tipo de PCR Fibrilação Ventricular Desfibrilação Princípios da Desfibrilação Precoce Tipos de Desfibrilador

Tipo de PCR Fibrilação Ventricular Desfibrilação Princípios da Desfibrilação Precoce Tipos de Desfibrilador Qual a importância do Desfibrilador Externo Automático (DEA) em praias e balneários e especialmente em casos de afogamento? (versão datada de 24/03/2013) Aprovado pela Diretoria da Sociedade Brasileira

Leia mais

AULA 1 TEÓRICO-PRÁTICA: ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E METÓDO START. 1.1- Triagem de prioridades na urgência sistema de Manchester.

AULA 1 TEÓRICO-PRÁTICA: ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E METÓDO START. 1.1- Triagem de prioridades na urgência sistema de Manchester. AULA 1 TEÓRICO-PRÁTICA: ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E METÓDO START 1- ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO 1.1- Triagem de prioridades na urgência sistema de Manchester. Sistema de triagem inicial

Leia mais

PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA EM ADULTO - PCR

PARADA CARDIO RESPIRATÓRIA EM ADULTO - PCR Protocolo: Nº 48 Elaborado por: Paulo Calaça Arlen Ramos Ubiratam Lopes Wilhma Castro Última revisão: 08/08/2011 Revisores: Claudio Câmara Manoel E. Macedo Ubiratam Lopes Wilhma Castro Antônio Cedrim PARADA

Leia mais

NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados O objetivo desta NR é estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento

Leia mais

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes deverão. Definir:

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes deverão. Definir: FRATURAS OBJETIVOS Ao final da aula os participantes deverão Definir: * Fratura,luxação e entorse; * Citar 4 sinais ou sintomas que indicam tais lesões; * Citar 2 importantes razões para efetuar a imobilização;

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR SUMÁRIO 01. Apresentação 02. Definições de Termos 03. Síntese Histórica 04. Causas de Acidentes 05. Estatísticas de Acidentes 06. Prioridades

Leia mais

Conforme entendimentos mantidos anteriormente, vimos formalizar uma Proposta Comercial para a prestação de serviços de cobertura médica de evento.

Conforme entendimentos mantidos anteriormente, vimos formalizar uma Proposta Comercial para a prestação de serviços de cobertura médica de evento. Fortaleza, 18 de Novembro de 2010. Formatura Faculdade de Medicina UFC Fortaleza/CE Att: Sr. Pedro Guilme Prezado Senhor, Conforme entendimentos mantidos anteriormente, vimos formalizar uma Proposta Comercial

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO 1. INTRODUÇÃO Toda e qualquer atividade prática a ser desenvolvida dentro de um laboratório apresentam riscos e estão propensas a acidentes. Devemos então utilizar normas

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com ESPAÇOS CONFINADOS LIVRETO DO TRABALHADOR NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

Leia mais

Apresentação de serviços Ecco Salva

Apresentação de serviços Ecco Salva Apresentação de serviços Ecco Salva A ECCO SALVA é uma empresa de atendimentos médicos de Urgências e Emergências domiciliares. COM OS PLANOS DE COBERTURA PESSOAL DA ECCO SALVA COM OS PLANOS DE COBERTURA

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Assegurar a satisfação do cliente no pós-venda, desenvolvendo um relacionamento duradouro entre o vendedor e o cliente, além de conseguir indicações através de um sistema de follow-up (acompanhamento).

Leia mais

Redação Dr. Maurício de Freitas Lima. Edição ACS - Assessoria de Comunicação Social Maria Isabel Marques - MTB 16.996

Redação Dr. Maurício de Freitas Lima. Edição ACS - Assessoria de Comunicação Social Maria Isabel Marques - MTB 16.996 2 Redação Dr. Maurício de Freitas Lima Edição ACS - Assessoria de Comunicação Social Maria Isabel Marques - MTB 16.996 Produção e Projeto Gráfico Designer Gráfico: Patricia Lopes da Silva Edição - Outubro/2012

Leia mais

Inclui no "Ementário - Elementos para Lavratura de Autos de Infração" as ementas referentes à Norma Regulamentadora nº 33

Inclui no Ementário - Elementos para Lavratura de Autos de Infração as ementas referentes à Norma Regulamentadora nº 33 SIT - Portaria nº 39/2008 25/2/2008 PORTARIA SIT Nº 39, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2008 DOU 25.02.2008 Inclui no "Ementário - Elementos para Lavratura de Autos de Infração" as ementas referentes à Norma Regulamentadora

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES COM INTERNAÇÕES AGENDADAS PREZADO CLIENTE:

ORIENTAÇÕES PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES COM INTERNAÇÕES AGENDADAS PREZADO CLIENTE: ORIENTAÇÕES PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES COM INTERNAÇÕES AGENDADAS PREZADO CLIENTE: Pensando em seu bem-estar e tranquilidade, preparamos este guia rápido com informações úteis para sua internação, tornando

Leia mais

ABNT NBR 15331 SGS. Preparação e Atendimento a Emergências

ABNT NBR 15331 SGS. Preparação e Atendimento a Emergências Introdução A Alaya Expedições concebeu um plano de emergência para atender os acidentes e incidentes e qualquer tipo de situação emergencial chamado Procedimento em Caso de Acidente (PCA). E este PCA foi

Leia mais

CURSO DE GUARDA-VIDAS DE PISCINA

CURSO DE GUARDA-VIDAS DE PISCINA CURSO DE GUARDA-VIDAS DE PISCINA No Mundo, 500.000 pessoas morrem afogadas por ano No Brasil são 8.000 vítimas 65% destas mortes são crianças O afogamento é a 2 a causa de morte entre 5 e 14 anos Nós não

Leia mais

PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA E MANOBRAS DE RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR

PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA E MANOBRAS DE RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA E MANOBRAS DE RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR Parada cardíaca ou parada cardiorrespiratória (PCR) é a cessação súbita da circulação sistêmica e da respiração. As principais causas

Leia mais

Hipertensão Arterial no idoso

Hipertensão Arterial no idoso Hipertensão Arterial no idoso Prof. Dr. Sebastião Rodrigues Ferreira-Filho Universidade Federal de Uberlândia, MG, Brasil Departamento de Hipertensão Sociedade Brasileira de Nefrologia Uma história americana:

Leia mais

Acidentes com tratores agrícolas

Acidentes com tratores agrícolas Acidentes com tratores agrícolas Estudos recentes realizados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostraram que as atividades agrícolas, em especial a utilização de máquinas agrícolas, estão

Leia mais

Heart Saver AED Salva Corações DEA

Heart Saver AED Salva Corações DEA Heart Saver AED Salva Corações DEA Centro de Ensino, Treinamento e Simulação-CETES-HCor A simulação aplicada ao ensino em saúde é uma técnica destinada a substituir experiências de pacientes reais por

Leia mais

CURSO AVANÇADO DE MANUTENÇÃO DA VIDA EM QUEIMADURAS

CURSO AVANÇADO DE MANUTENÇÃO DA VIDA EM QUEIMADURAS CURSO AVANÇADO DE MANUTENÇÃO DA VIDA EM QUEIMADURAS OBJETIVOS Diferenciar entre queimaduras de espessura parcial e total. Descrever o procedimento para a escarotomia do tórax e de extremidade. Discutir

Leia mais

Mais de 265 veículos na frota, sendo 85% com menos de 4 anos de uso e equipados com recursos de alta tecnologia.

Mais de 265 veículos na frota, sendo 85% com menos de 4 anos de uso e equipados com recursos de alta tecnologia. Quem Somos A BEM Emergências Médicas atua no segmento pré-hospitalar, com qualidade e competência desde 1979, atendendo hospitais, assistências médicas, seguradoras, empresas públicas e privadas e autogestões

Leia mais

Bula com informações ao Paciente soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético. solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Bula com informações ao Paciente soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético. solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético solução injetável IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético APRESENTAÇÃO O soro antibotrópico (pentavalente) e antilaquético,

Leia mais

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA

AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA AULA 1: ORGANIZAÇÃO E PLANEJAMENTO NA EMERGÊNCIA 1- INTRODUÇÃO Quando uma pessoa sofre agravo agudo à saúde, deve ser acolhido em serviço do SUS mais próximo de sua ocorrência, seja numa Unidade de Saúde

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal ATO DELIBERATIVO Nº 6, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta os serviços de pronto socorro em UTI Móvel. A PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO PLANO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DE BENEFÍCIOS SOCIAIS - STF-Med

Leia mais

CLÁUSULA 958 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas

CLÁUSULA 958 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas CLÁUSULA 958 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas 1. Riscos Cobertos A cobertura Assistência 24 horas apresenta um conjunto de serviços oferecidos ao Segurado, titular da apólice de seguro ou ao

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL. Carga Horária 1:00

PLANO INSTRUCIONAL. Carga Horária 1:00 PLANO INSTRUCIONAL Ação/Atividade: PROMOÇÃO SOCIAL/ PRIMEIROS SOCORROS Carga Horária: 20 HORAS Nº MÍNIMO DE PESSOAS: 12 PESSOAS Nº MÁXIMO: 15 PESSOAS IDADE MINIMA: 16 ANOS Objetivo Geral: PROPORCIONAR

Leia mais

Dúvidas Frequentes. Central de Atendimento ao Fornecedor

Dúvidas Frequentes. Central de Atendimento ao Fornecedor Dúvidas Frequentes Central de Atendimento ao Fornecedor Fornecedor de Material 1- Sou um fornecedor Raízen devidamente Homologado e preciso entregar o material solicitado em uma de suas unidades, como

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO NA ÁREA DE ARRITMIAS, ELETROFISIOLOGIA E ESTIMULAÇÃO CARDÍACA ARTIFICIAL DO HOSPITAL DO CORAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO NA ÁREA DE ARRITMIAS, ELETROFISIOLOGIA E ESTIMULAÇÃO CARDÍACA ARTIFICIAL DO HOSPITAL DO CORAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE APRIMORAMENTO NA ÁREA DE ARRITMIAS, ELETROFISIOLOGIA E ESTIMULAÇÃO CARDÍACA ARTIFICIAL DO HOSPITAL DO CORAÇÃO CAPÍTULO I Conceito Art. 1º - O Programa de Aprimoramento

Leia mais

PACIENTE Como você pode contribuir para que a sua saúde e segurança não sejam colocadas em risco no hospital?

PACIENTE Como você pode contribuir para que a sua saúde e segurança não sejam colocadas em risco no hospital? Cartilha de Segurança do PACIENTE Como você pode contribuir para que a sua saúde e segurança não sejam colocadas em risco no hospital? CARO PACIENTE, Esta Cartilha foi desenvolvida para orientá-lo sobre

Leia mais

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 Ementa: Utilização de luvas de procedimentos para aplicação de vacina. 1. Do fato Profissionais de Enfermagem solicitam

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR)

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR) PROTOCOLO DE ATENDIMENTO A PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR) 1 - OBJETIVO Este protocolo tem por objetivo padronizar o atendimento à parada cardiorrespiratória (PCR), para um atendimento rápido e organizado,

Leia mais

Teste seus conhecimentos: Caça-Palavras

Teste seus conhecimentos: Caça-Palavras Teste seus conhecimentos: Caça-Palavras Batizada pelos médicos de diabetes mellitus, a doença ocorre quando há um aumento do açúcar no sangue. Dependendo dos motivos desse disparo, pode ser de dois tipos.

Leia mais

Algumas dicas para você ter uma boa qualidade de navegação

Algumas dicas para você ter uma boa qualidade de navegação MUITO OBRIGADO! 02 Estamos muito felizes por nos escolher. Por isso, trabalhamos todos os dias buscando inovações e procurando desenvolver novos produtos e serviços para a sua satisfação, seja em casa

Leia mais

GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS

GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS GUIA DE ESTÁGIO CURSOS TECNOLÓGICOS 1 SUMÁRIO 3 INTRODUÇÃO 4 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO 6 RESCISÃO DO CONTRATO DE ESTÁGIO 7 CONCLUSÃO DE CURSO 7 RELATÓRIO TÉCNICO 8 AVALIAÇÃO DE

Leia mais

SEGURANÇA COM MOTOBOMBA A GASOLINA. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

SEGURANÇA COM MOTOBOMBA A GASOLINA. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho SEGURANÇA COM MOTOBOMBA A GASOLINA Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA As instruções desta apresentação garantem a segurança do operador e de terceiros

Leia mais

APOSTILA. Transporte de Produtos Perigosos

APOSTILA. Transporte de Produtos Perigosos 11 APOSTILA Transporte de Produtos Perigosos Caros Colegas, A nova apostila do Programa Olimpíadas da Segurança trata de assuntos do nosso cotidiano. Já falamos de movimentação de cargas, postura, análise

Leia mais

1 O que é o pectus? Fotografia de paciente portador de pectus carinatum. Fotografia de paciente portador de pectus excavatum.

1 O que é o pectus? Fotografia de paciente portador de pectus carinatum. Fotografia de paciente portador de pectus excavatum. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira 1 O que é o pectus? Os pectus são deformidades da parede do tórax e ocorrem devido a um crescimento

Leia mais

... ... ANÁLISE DOS REGISTROS DE ACIDENTES 2013 PROGRAMA. Ação integrante do Projeto Comissão de Saúde / Programa Unimed Vida

... ... ANÁLISE DOS REGISTROS DE ACIDENTES 2013 PROGRAMA. Ação integrante do Projeto Comissão de Saúde / Programa Unimed Vida ~........................................ ANÁLISE DOS REGISTROS DE ACIDENTES 213 PROGRAMA Unimed..........................Vida.............. Ação integrante do Projeto Comissão de Saúde / Programa Unimed

Leia mais

SAÚDE CONNECT 03.010 AUTORIZAÇÃO

SAÚDE CONNECT 03.010 AUTORIZAÇÃO SAÚDE CONNECT 03.010 AUTORIZAÇÃO AUTORIZAÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES COMUNS DAS GUIAS AUTORIZAÇÃO.... 2 2. GUIA DE CONSULTA... 7 3. GUIA DE SP/SADT... 9 4. PRÉ-AUTORIZAÇÃO DE SP/SADT... 13 5. ANEXO SOLICITAÇÃO

Leia mais

EMERGÊNCIA. Experiência não é o que acontece a você. Éo que você faz com o que acontece a você. EMERGÊNCIAS MÉDICAS EM ODONTOLOGIA

EMERGÊNCIA. Experiência não é o que acontece a você. Éo que você faz com o que acontece a você. EMERGÊNCIAS MÉDICAS EM ODONTOLOGIA EMERGÊNCIAS MÉDICAS EM ODONTOLOGIA Experiência não é o que acontece a você. Éo que você faz com o que acontece a você. Aldous Huxley EMERGÊNCIA Éuma situação crítica, acontecimento perigoso ou dificuldade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - SGI (MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO) Procedimento PREPARAÇÃO E RESPOSTA A EMERGENCIA PR.11 Revisão: 00 Página 1 de 4 1. OBJETIVO Estabelecer e manter planos

Leia mais

Existem questões de extrema importância numa vistoria de sinistro de

Existem questões de extrema importância numa vistoria de sinistro de PONTOS IMPORTANTES Existem questões de extrema importância numa vistoria de sinistro de auto. Por esta razão é que enfatizamos nesta apresentação pontos que, apesar de constarem no Manual de Procedimentos

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013

Plano de Trabalho Docente 2013 Plano de Trabalho Docente 2013 Especialização Profissional Técnica de Nível Médio Etec PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE e SAÚDE Habilitação Profissional:

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PARA CONDUÇÃO SEGURAVEICULOS LEVES

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PARA CONDUÇÃO SEGURAVEICULOS LEVES PROCEDIMENTO OPERACIONAL PARA CONDUÇÃO SEGURAVEICULOS LEVES Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. OBJETIVO... 2 3. DOCUNTAÇÕES... 2 3.1 DO VEÍCULO... 2 3.2 DO CONDUTOR... 2 4. TREINAMENTOS... 2 5. PRATICAS SEGURAS

Leia mais

BIOLÓGICOS DATA : 01/03/2010 APROV: CCIH

BIOLÓGICOS DATA : 01/03/2010 APROV: CCIH PAG: 1/5 1 - DEFINIÇÃO É um procedimento que informa passo a passo aos coordenadores, chefes de setor, lideres e outros interessados, o que fazer após um acidente de contado com materiais biológicos. -

Leia mais

Empresa. A ACEL foi fundada em novembro de 1998, e reúne 20 empresas do setor de telefonia móvel celular.

Empresa. A ACEL foi fundada em novembro de 1998, e reúne 20 empresas do setor de telefonia móvel celular. 1 Empresa A ACEL foi fundada em novembro de 1998, e reúne 20 empresas do setor de telefonia móvel celular. O presidente da ACEL é Luiz Alberto Garcia o qual foi eleito para um mandato de dois anos, que

Leia mais

INFORMAÇÕES AOS COMITÊS E FRANQUEADOS

INFORMAÇÕES AOS COMITÊS E FRANQUEADOS INFORMAÇÕES AOS COMITÊS E FRANQUEADOS Este material tem o objetivo de fornecer aos comitês regionais e setoriais do PGQP, e a seus franqueados, informações atualizadas sobre o SAG e orientações para a

Leia mais

Vazamento e/ou Incêndio em Cilindros de GLP

Vazamento e/ou Incêndio em Cilindros de GLP Assunto: VAZAMENTO E/OU EM CILINDROS 1/7 1. FINALIDADE Padronizar e minimizar a ocorrência de desvios na execução de tarefas fundamentais para o funcionamento correto do processo de atendimento de ocorrências

Leia mais

ENTRADA EM ESPAÇOS CONFINADOS

ENTRADA EM ESPAÇOS CONFINADOS ENTRADA EM ESPAÇOS CONFINADOS Uma vez concluída a avaliação de um trabalho em espaço confinado é necessário que se avalie também os perigos e se desenvolva um programa para que ele seja realizado com sucesso.

Leia mais

O presente resumo não dispensa a leitura atenta do Parecer anexo.

O presente resumo não dispensa a leitura atenta do Parecer anexo. Recomendações Jurídico-Trabalhistas Interessados: Federação das Associações de Arrozeiros do Estado Rio Grande do Sul Federarroz e Outros Assunto: Resumo Referente Às Obrigações Patronais Trabalhistas

Leia mais

Plano de Emergência. Este Plano de Emergência tem previsão de treinamento e revisão a cada 06 (seis) meses.

Plano de Emergência. Este Plano de Emergência tem previsão de treinamento e revisão a cada 06 (seis) meses. Plano de Emergência Assumimos para fins deste plano, que todas as embarcações que operam turismo no Parque Nacional Marinho dos Abrolhos possuem a bordo pelo menos uma pessoa treinada e apta a ministrar

Leia mais

ENFERMEIRO DO EXÉRCITO BRASILEIRO CONCURSO 2015 (PLANO DE ESTUDO)

ENFERMEIRO DO EXÉRCITO BRASILEIRO CONCURSO 2015 (PLANO DE ESTUDO) ENFERMEIRO DO EXÉRCITO BRASILEIRO CONCURSO 2015 (PLANO DE ESTUDO) Manual da Aprovação Plano de Estudo 1 Querida (o) Aluna (o), Hoje apresentaremos o Plano de Estudo rumo à sua aprovação em uma das 15 vagas

Leia mais

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu

Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Conectar diferentes pesquisas na internet por um menu Pré requisitos: Elaboração de questionário Formulário multimídia Publicação na internet Uso de senhas na Web Visualização condicionada ao perfil A

Leia mais

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS DEZ/2014 1 ÍNDICE Objetivo Definição... 04 Oque É Espaço Confinado... 05 Onde É Encontrado O Espaço Confinado... 06 Quais São Os Tipos De Trabalhos

Leia mais

1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 - IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS 3 - COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES. Nome: MASSA PARA MADEIRA

1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 - IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS 3 - COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES. Nome: MASSA PARA MADEIRA Página: 1 de 6 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: MASSA PARA MADEIRA Empresa: Viapol Ltda Endereço: Rodovia Vito Ardito, 6.401 km 118,5 Complemento: Bairro: Jd. Campo Grande Cidade: Caçapava

Leia mais

Evolução Constante GUIA RÁPIDO ELETRODRIVE

Evolução Constante GUIA RÁPIDO ELETRODRIVE Evolução Constante GUIA RÁPIDO ELETRODRIVE STARA S.A. - INDÚSTRIA DE IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS AV. STARA, 519 CEP 99470-000 - Não-Me-Toque/RS - Brasil Telefone/Fax: (54) 3332-2800 e-mail: stara@stara.com.br

Leia mais

APRESENTAÇÃO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV

APRESENTAÇÃO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV APRESENTAÇÃO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV 1) Voce escolhe se quer investir as suas contribuições em Renda Variável Ao iniciar a contribuição ao Plano de Previdência da CargillPrev (Planos Cargill

Leia mais

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração

muito gás carbônico, gás de enxofre e monóxido de carbono. extremamente perigoso, pois ocupa o lugar do oxigênio no corpo. Conforme a concentração A UU L AL A Respiração A poluição do ar é um dos problemas ambientais que mais preocupam os governos de vários países e a população em geral. A queima intensiva de combustíveis gasolina, óleo e carvão,

Leia mais

1-1 Primeiros Socorros, Incêndios e Acidentes de Tráfego, Telefones de Emergência em Caso de Crimes

1-1 Primeiros Socorros, Incêndios e Acidentes de Tráfego, Telefones de Emergência em Caso de Crimes Em caso de emergência Quando ocorrerem situações de primeiros socorros, incêndios, acidentes de tráfego, roubos e outros crimes, procure manter a calma e, sem se precipitar, procure por socorro. Explicaremos

Leia mais

Poltrona de Massagem Lousiana

Poltrona de Massagem Lousiana Essência Móveis de Design www.essenciamoveis.com.br Manual de Instruções Poltrona de Massagem Lousiana Instruções de manutenção: Para guardar: Coloque este aparelho em sua embalagem original, e guarde

Leia mais

Manual do Usuário BT200

Manual do Usuário BT200 Manual do Usuário BT200 INFORMAÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA Por favor, mantenha este manual em local seguro para referência. 1. É importante que se leia todo este manual antes de montar e utilizar o equipamento.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO INTERNO - CORPO DE BOMBEIROS MILITAR/SC PARECER DA BANCA EXAMINADORA

PROCESSO SELETIVO INTERNO - CORPO DE BOMBEIROS MILITAR/SC PARECER DA BANCA EXAMINADORA QUESTÃO 06 GABARITO PRELIMINAR: A Em relação às responsabilidades do socorrista, assinalar a alternativa CORRETA: a) Atender um acidente sem tomar as precauções necessárias a fim de evitar risco à sua

Leia mais

Q TIC. Produtor/ Fornecedor:... Quimil Indústria e Comércio LTDA

Q TIC. Produtor/ Fornecedor:... Quimil Indústria e Comércio LTDA Revisão: 00 Data de revisão: 12/2011 Página 1 de 9 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto:... Produtor/ Fornecedor:... Endereço:...Via periférica II, 2460 CIA SUL- Simões Filho. Bahia.

Leia mais

O SMMP oferece aos seus associados uma apólice de Internamento Hospitalar, com as seguintes características:

O SMMP oferece aos seus associados uma apólice de Internamento Hospitalar, com as seguintes características: SEGUROS E ASSISTÊNCIA MÉDICA DOS ASSOCIADOS DO SMMP RESUMO 2015 SEGURO DE INTERNAMENTO HOSPITALAR O SMMP oferece aos seus associados uma apólice de Internamento Hospitalar, com as seguintes características:

Leia mais

SEG. E MEDICINA DO TRABALHO MAN03 SMT Rev00 01/03/13. MANUAL Plano de emergência AREAS DE APLICAÇÃO Expodireto Cotrijal Feira

SEG. E MEDICINA DO TRABALHO MAN03 SMT Rev00 01/03/13. MANUAL Plano de emergência AREAS DE APLICAÇÃO Expodireto Cotrijal Feira MANUAL Plano de emergência AREAS DE APLICAÇÃO Expodireto Cotrijal Feira SEG. E MEDICINA DO TRABALHO MAN03 SMT Rev00 01/03/13 Objetivo: Fornecer um conjunto de diretrizes e informações visando a adoção

Leia mais

Serviços Emergenciais

Serviços Emergenciais Serviços do seguro Assistência ao Torcedor Serviços e Limites Serviços de Conveniência ao Torcedor Todas as despesas provenientes das solicitações de assistência descritas ficarão por conta do Segurado,

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diabetes & você

INTRODUÇÃO. Diabetes & você INTRODUÇÃO Diabetes & você Uma das coisas mais importantes na vida de uma pessoa com diabetes é a educação sobre a doença. Conhecer e saber lidar diariamente com o diabetes é fundamental para levar uma

Leia mais

Os serviços de atendimento veicular emergencial serão prestados ao usuário em todo território brasileiro.

Os serviços de atendimento veicular emergencial serão prestados ao usuário em todo território brasileiro. Manual de Assistência 24 horas Âmbito territorial Os serviços de atendimento veicular emergencial serão prestados ao usuário em todo território brasileiro. Objetivo do programa Este programa tem por objetivo

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE OBJETIVO DO PROGRAMA PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO PEDESTRE O objetivo do Programa de Proteção ao Pedestre, da Secretaria Municipal de Transportes SMT é criar a cultura de respeito ao pedestre, resgatando os

Leia mais

CLÁUSULA 959 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas

CLÁUSULA 959 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas CLÁUSULA 959 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas 1. Riscos Cobertos A cobertura Assistência 24 horas apresenta um conjunto de serviços oferecidos ao Segurado, titular da apólice de seguro ou ao

Leia mais

INFORMAÇÕES DO AGENDAMENTO

INFORMAÇÕES DO AGENDAMENTO INFORMAÇÕES DO AGENDAMENTO Agendamentos devem ser feitos com 24 horas antecedência, de segunda a sexta. Para o transporte no fim de semana e na segunda-feira, o agendamento deve ser feito na sextafeira.

Leia mais

Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido

Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido Homehealth provider Apnéia do Sono e Ronco Guia Rápido Ronco: atrás do barulho, um problema de saúde mais sério www.airliquide.com.br O que é Apnéia do Sono? Apnéia do sono é uma síndrome que pode levar

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ DE PRODUTO QUIMICO - FISPQ INDÚSTRIA QUIMICA LTDA FISPQ nº: LH 003 Página 1 de 7 Data da última revisão:9/12/2010 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: OIRAD ph 200 - Código interno

Leia mais

Condições de Instalação e Uso

Condições de Instalação e Uso [M06 11102011] 1 INSTRUÇÕES IMPORTANTES DE SEGURANÇA É muito importante que você leia atentamente todas as instruções antes de utilizar o produto, pois elas garantirão sua segurança. Condições de Instalação

Leia mais

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de Recomendada Por quê? A coleção apresenta eficiência e adequação metodológica, com os principais temas relacionados a Ciências adequados a cada faixa etária, além de conceitos em geral corretos. Constitui

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE História Recente na Saúde Suplementar Planos de Saúde Contratos Código do Consumidor Planos de Saúde = relação de consumo Lei dos Planos Obrigação de Coberturas

Leia mais

Outras concentram-se em mercados específicos, tais como de produtos agrícolas, médicos e farmacêuticos ou automotivos;

Outras concentram-se em mercados específicos, tais como de produtos agrícolas, médicos e farmacêuticos ou automotivos; Diferentes empresas de pesquisa oferecem diferentes habilidades, experiências e instalações. Por essa razão, não existe uma única empresa que seja a mais apropriada para todos os tipos de problemas de

Leia mais

A equipe que cuidará de seu filho. Sejam bem-vindos

A equipe que cuidará de seu filho. Sejam bem-vindos Sejam bem-vindos Nós desenvolvemos este guia para ajudá-lo a se preparar para a operação de sua criança. Muitas famílias acreditam que aprendendo e conversando sobre o que esperar do tratamento pode ajudar

Leia mais

Manual Ilustrado Utilitários Controle de Infecção Hospitalar

Manual Ilustrado Utilitários Controle de Infecção Hospitalar Manual Ilustrado Utilitários Controle de Infecção Hospitalar Abril - 2014 Manual Ilustrado Utilitários Indíce Título do documento 1. Como utilizar esse material em seus estudos?... 3 2. Introdução... 3

Leia mais

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo

Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI. Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Programa AMG Manual de Operação Conteúdo 1. Sumário 3 2. Programa

Leia mais

APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA

APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA Dra. Maria Beatriz Silveira Schmitt Silva Coordenadora do SAMU do Vale do Itajaí Coordenadora Médica do SOS Unimed Blumenau Setembro/2010 Revisado em Fevereiro

Leia mais

Legislação de Trânsito

Legislação de Trânsito Prova simulada do DETRAN 11 Legislação de Trânsito 1) O julgamento das penalidades de trânsito se dará através de um: a) Identificação do infrator. b) Notificação de autuação. c) Processo administrativo.

Leia mais

1.1.2. A CONTRATADA se responsabilizará apenas pelo custo de mão-de-obra de conserto empregada no local, no momento do atendimento emergencial.

1.1.2. A CONTRATADA se responsabilizará apenas pelo custo de mão-de-obra de conserto empregada no local, no momento do atendimento emergencial. SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA AUTO 24 HORAS 1.1. SOCORRO LOCAL 1.1.1. A CONTRATADA disponibilizará um socorro de emergência para o veículo impossibilitado de se locomover em decorrência de PANE MECÂNICA OU ELÉTRICA.

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO Nº 04/2016 ESCLARECIMENTO Nº 03

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO Nº 04/2016 ESCLARECIMENTO Nº 03 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento nº 03 Referência: Pregão Eletrônico nº 04/2016 Data: 4/4/2016 Objeto: Contratação de serviços de assistência médica ambulatorial de emergência/urgência em saúde, medicina

Leia mais

Consumo problemático de álcool Resumo de diretriz NHG M10 (maio 2005)

Consumo problemático de álcool Resumo de diretriz NHG M10 (maio 2005) Consumo problemático de álcool Resumo de diretriz NHG M10 (maio 2005) Meerkerk GJ, Aarns T, Dijkstra RH, Weisscher PJ, Njoo K, Boomsma LJ traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014

Leia mais

CURSO SUPERVISOR EM ESPAÇO CONFINADO

CURSO SUPERVISOR EM ESPAÇO CONFINADO FUNCIONAMENTO DO CURSO O curso terá duração de 40 horas/aula, composto pelos seguintes módulos: MÓDULO h/a Entendimento da NR-33 4 Análise de Riscos 4 Permissões de Trabalho e Bloqueio de Energias 4 Proteção

Leia mais

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços Procedimento de Segurança para Execução de Serviços 1. OBJETIVO: Este procedimento tem como objetivo estabelecer requisitos básicos de segurança na execução de serviços realizados por empresa contratada

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO E QUEIMADURAS EM CIRURGIA

POLÍTICA DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO E QUEIMADURAS EM CIRURGIA POLÍTICA DE PREVENÇÃO DE INCÊNDIO E QUEIMADURAS EM CIRURGIA DEFINIÇÃO Política que normatiza as condições para uso de fontes de oxigênio, óxido nitroso e fontes de ignição no sentido de prevenir incêndios,

Leia mais

Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA

Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA A Doença Diarréica Aguda (DDA) é reconhecida como importante causa de morbimortalidade no Brasil, mantendo relação direta com as: precárias condições de

Leia mais

Marketing Educacional como manter e captar novos alunos

Marketing Educacional como manter e captar novos alunos Marketing Educacional como manter e captar novos alunos Baiard Guggi Carvalho Publicitário, consultor em marketing educacional e em tecnologia aplicada à educação N os dias de hoje, se perguntarmos para

Leia mais

DICAS DE BURACO ONLINE

DICAS DE BURACO ONLINE DICAS DE BURACO ONLINE Link: http://www.jogatina.com/dicas-jogar-buraco-online.html Às vezes, conhecemos todas as regras de um jogo, mas na hora de passar da teoria para a prática, as coisas não funcionam

Leia mais

RESPONSABILIDADES DO OPERADOR

RESPONSABILIDADES DO OPERADOR RESPONSABILIDADES DO OPERADOR Assegure-se sempre que a sua empilhadeira encontra-se em boas condições de funcionamento antes de começar o trabalho. Não tente realizar consertos ou reparos. Informe imediatamente

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS PARA TRABALHADORES DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA COM ÊNFASE EM REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR: UMA DISCUSSÃO. RESUMO

PRIMEIROS SOCORROS PARA TRABALHADORES DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA COM ÊNFASE EM REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR: UMA DISCUSSÃO. RESUMO PRIMEIROS SOCORROS PARA TRABALHADORES DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA COM ÊNFASE EM REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR: UMA DISCUSSÃO. Maria Luiza Guzzo Vist 1 Telma Picheth 2 RESUMO O artigo avalia o modelo de ensino de

Leia mais