A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3."

Transcrição

1 Resumo A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3 O trabalho apresentado é um relato de experiência que foi desenvolvida no estágio curricular supervisionado no primeiro semestre de 2006, em uma escola de educação infantil, berçário 2, com crianças de 1a 2 anos. Na escola tivemos a oportunidade de contextualizar o universo escolar no que se refere à análise da estrutura curricular e organizacional, ao Projeto Pedagógico, à proposta de trabalho, ao planejamento e desenvolvemos algumas ações pedagógicas. Entre as ações pedagógicas desenvolvidas, tivemos, assim como a escola, uma preocupação em fazer um trabalho que auxiliasse nas necessidades das crianças. Havia também uma preocupação muito grande com a questão do cuidar e educar, pois, nessa faixa etária, todas as ações realizadas devem ter um olhar pedagógico, porque as crianças, além de cuidadas, também estão sendo educadas, tudo depende da forma como se pensam e se procedem às ações que são desenvolvidas. Colocamos também a importância do trabalho com atividades lúdicas, pois as crianças são pequenas e o que elas mais necessitam é explorar e conhecer o mundo e o ambiente que as cercam, e por meio da utilização de brinquedos e brincadeiras que utilizem o movimento o conhecimento do corpo e do outro, elas identificar-se-ão mais facilmente com o mundo. Este trabalho foi muito importante para nós, pois possibilitou-nos o contato com a realidade do dia-a-dia de uma escola de educação infantil, bem como a oportunidade de desenvolvermos ações que são necessárias e são a base do nosso trabalho de futuras educadoras. Palavras-Chave: Educação infantil. Ações pedagógicas. Cuidar-educar. Crianças. Lúdico 1 Acadêmica do Curso de Pedagogia Educação Infantil UNIFRA 2 Acadêmica do Curso de Pedagogia Educação Infantil UNIFRA 3 Professora Orientadora UNIFRA

2 2 A Educação Infantil é uma fase muito importante para o desenvolvimento das crianças de 0 a 5 anos de idade, pois é durante essa etapa de sua infância que elas terão a oportunidade de desenvolver habilidades fundamentais. Dentro das faixas etárias que abrangem a educação infantil, optamos pela realização do trabalho com crianças de 1 a 2 anos, buscando a oportunidade de mostrar que as crianças, com essa idade, necessitam de estímulos para se desenvolver, pois percebemos, por meio do Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998), que essas crianças requerem muito conhecimento e habilidade do profissional, porque estão descobrindo o mundo e a independência que a criança adquire quando anda proporciona-lhe explorar o ambiente e o espaço à sua volta. Assim, acompanhada das mãos e da curiosidade, ela mexe em tudo, explora, pesquisa. Realizar um trabalho de qualidade, com crianças, nessa faixa etária, é fundamental, pois muitas pessoas têm uma visão de que elas vão à escola, ou à creche para serem cuidadas, mas na verdade, essa é uma das funções da educação infantil, aliado a esses cuidados, existe todo um olhar pedagógico para o trato das crianças. De acordo com Craidy& Kaercher (2001, p.70): Atividades que envolvam o cuidado e a saúde são realizadas diariamente nas instituições de educação infantil e não podem ser consideradas na dimensão escrita de cuidados físicos. A dicotomia, muitas vezes vivida entre cuidar e o educar deve começar a ser desmistificada. Todos os momentos podem ser pedagógicos e de cuidados no trabalho com crianças de 0 a 5 anos. Tudo dependerá da forma como se pensam e se procedem as ações. Ao promovê-las proporcionamos cuidados básicos, ao mesmo tempo em que atentamos para a construção da autonomia, dos conceitos, das habilidades, do conhecimento físico e social. Nas instituições de educação infantil, as crianças têm um atendimento que visa não só ao cuidar, mas também ao educar e uma maneira de mostrarmos nosso trabalho é utilizando, no desenvolvimento das nossas ações pedagógicas, temas que façam parte da vida, da realidade das crianças, independente da classe social a que pertençam ou da faixa etária em que se encontram, pois além do afeto, da atenção, dos cuidados que as crianças necessitam, elas também precisam estar em constante desenvolvimento e crescimento. Esse é o papel do profissional que atua na

3 3 educação, que precisam estar sempre atentos aos movimentos das crianças, ao que elas gostam, pensam; os seus conhecimentos sobre o mundo e, dessa forma, visar sempre à ampliação dos seus conhecimentos e das suas habilidades. O educar é uma questão que deve ser encarada com muita seriedade pelos pais, professores, enfim, por todas as pessoas envolvidas no desenvolvimento infantil, porque na maioria das vezes, achamos que isso significa ensinar a escrever, ler, pintar, somar, mas não se trata unicamente disso, ou seja, na educação infantil, essa questão é muito mais ampla e merece um olhar e uma atenção muito especial para que não prejudique as fases de desenvolvimento pelas quais a criança passa durante a sua infância. Conforme o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998, p. 23): As novas funções para educação infantil devem estar associadas a padrões de qualidade. Essa qualidade advém de concepções de desenvolvimento que consideram as crianças nos seus contextos sociais, ambientais, culturais e, mais concretamente, nas interações e práticas sociais. Educar significa, portanto, propiciar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser, estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança. Os Pressupostos Teóricos e Metodológicos do Projeto Pedagógico da escola são a base de sustentação para que se desenvolvam ações pedagógicas bem elaboradas e de qualidade, visando sempre ao desenvolvimento integral das crianças, por isso ele se encontra fundamentado na Constituição Federal de 1988, na qual foram conquistados novos direitos para as crianças no campo da educação, no ECA, Estatuto da Criança e Adolescente, que trata da proteção integral à criança e ao adolescente e na LDB, Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Constam também no Projeto Pedagógico da escola o surgimento do Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (RCNEI) e as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil, norteadores dos projetos pedagógicos, estabelecendo paradigmas de qualidade. De acordo com o parecer 22/98, foram instituídas sete diretrizes que abordam questões como cuidar e o educar, importância da constituição da identidade, formação integral, interação

4 4 entre as diversas áreas do conhecimento e aspectos da vida, avaliação, nível de formação dos professores, entre outros. A proposta da escola tem como referência, para o trabalho pedagógico, o autor VYGOTSKY, que atribui enorme importância ao papel da interação social, na qual as crianças são consideradas sujeitos ativos na construção do conhecimento. O autor apresenta também dois tipos de desenvolvimento: o desenvolvimento real que é entendido como as conquistas que já foram consolidadas nas crianças e o desenvolvimento potencial que se refere a tudo aquilo que a criança é capaz de fazer, só que mediante a ajuda de outra pessoa. Dentro do Projeto Pedagógico da escola campo de estágio, um dos itens que também é fundamental para a realização de um trabalho de qualidade é o tipo de avaliação que é realizado pela escola, entendida, prioritariamente como um conjunto de ações que auxiliam o professor a refletir sobre as condições de aprendizagem oferecidas, ajustando suas práticas às necessidades colocadas pelas crianças. A avaliação é um processo contínuo que se dá pelo parecer descritivo, trimestralmente, e os professores e coordenação estão sempre atentos aos avanços e dificuldades encontrados pelas crianças e juntos tentam achar alternativas para a ação pedagógica. Para dar sustentação à toda ação pedagógica, a escola busca organizar um currículo a partir de uma perspectiva interdisciplinar, pela eliminação de barreiras entre diversas áreas do conhecimento, mantendo, dessa forma, o diálogo e constante reflexão por parte dos profissionais que atuam no trabalho pedagógico. As reuniões pedagógicas e os planejamentos da escola são dinâmicos e o grande grupo pode participar ativamente, de todas as questões que são abordadas. Nas reuniões, os professores apresentam seus planejamentos e explicam como pretendem desenvolvê-lo, e o grande grupo pode colaborar com novas idéias para ajudar no aperfeiçoamento do trabalho, tendo sempre a criança como foco principal. A tarefa principal da criança, nos seus primeiros anos de vida, é a descoberta do mundo físico e de si mesma como objeto desse mundo; o processo de aprendizagem, que faz com que a criança conheça o mundo e a si própria, começa com a percepção. O estágio foi desenvolvido por meio do projeto Brincando e Aprendendo sobre a temática Páscoa, tendo como objetivo analisar e interpretar a estrutura organizacional da escola e desenvolver ações pedagógicas diversificadas, que contemplem as fases do desenvolvimento e as áreas do conhecimento da criança, a fim de conhecer a simbologia da Páscoa e resgatar os

5 5 valores desse tema, ao trabalhar a socialização, oportunizar o convívio com o grupo, de forma lúdica, afetiva e prazerosa. Durante o período de estágio, foram desenvolvidas ações pedagógicas como: histórias infantis, importantíssimas nesta fase, porque ajudam no desenvolvimento da linguagem, na interpretação de imagens, na criatividade e imaginação. Neste período de 0 a 2 anos de idade é que deve ser construída uma relação com o objeto livro, no sentido de torná-lo próximo das crianças, tanto quanto um brinquedo. Quando estamos trabalhando com uma criança pequena precisamos perceber que através dos sentidos e das informações apreendidas através do livro, que a criança irá compreender o mundo que a cerca, neste período é importante trabalhar com livros de pano, borracha, papelão, enfim, feitos de materiais que a criança possa explorar de forma livre (CRAIDY & KAERCHER, 2001, p.83-4). O trabalho com músicas é outra ação pedagógica fundamental para ser trabalhada com as crianças nesta faixa etária, principalmente, nas várias situações do dia-a-dia, como na hora do sono, na hora do lanche, nas brincadeiras, pois as crianças vão se acostumando a diferentes tipos de ritmos e podemos observar no Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (1998) que as músicas, na maioria das vezes, têm sido suporte para vários propósitos como neste caso, as que envolvem o tema Páscoa. Será ainda melhor se as canções vierem acompanhadas por gestos corporais que podem ser criados pelas próprias crianças, pois é auxiliar e respeitar o modo de pensar, perceber, sentir, na fase de desenvolvimento em que as crianças estão. Salienta-se ainda que o trabalho com músicas é uma forma de comunicação, expressão que, nos primeiros anos de vida, pode ocorrer por meio de atividades lúdicas, assim o professor estará contribuindo para o desenvolvimento da percepção e atenção dos pequenos. Além das músicas, histórias, durante o dia-a-dia de uma escola de educação infantil, que envolve a faixa etária de 0 a 5 anos, assim, é fundamental e necessário que se realizem atividades lúdicas, que envolvam brinquedos, brincadeiras, jogos, colagens, desenhos, atividades com fantoches, porque essa é uma fase de descoberta e a criança, com idade entre 1 ano e 2 anos, exige liberdade para poder descobrir o mundo que a cerca. Conforme, Machado (2001, p.26-7):

6 6 A criança que brinca livremente e no seu nível, a sua maneira, está não só explorando o mundo ao seu redor, mas também comunicando sentimentos, idéias, fantasias, intercambiando o real e o imaginário [...]. Brincar é também raciocinar, descobrir, persistir e preservar, brincar é viver criativamente no mundo. Brincar com espontaneidade, sem regras rígidas e sem precisar seguir estritamente as regras do brinquedo, é explorar o mundo por intermédio dos objetos. Muitas vezes, quando uma criança pega um objeto para brincar, achamos que ela está simplesmente brincando, mas no momento em que a criança se interessa por qualquer tipo de objeto, ela está descobrindo o que é possível fazer com ele, como é possível utilizá-lo e todas essas situações que fazem parte da vida das crianças são um aprendizado que elas estão adquirindo. Isso, principalmente, nos pequenos que têm a curiosidade muito mais aguçada, porque eles estão conhecendo o meio que está a sua volta, então eles sentem a necessidade de pegar, tocar, manipular, explorar, pesquisar, descobrir e, dessa maneira, conseguem chegar a conclusões sobre o mundo, e ainda quando puxam, empilham, amassam, desamassam, eles transformam, brincam e criam ao mesmo tempo (MACHADO, 2001). Notamos, assim, a importância de proporcionar para as crianças momentos de prazer de satisfação de alegria, de liberdade, nos quais ela possa se expressar, movimentar-se, expor os seus desejos, suas necessidades e os brinquedos, as brincadeiras, as atividades orientadas e lúdicas são os meios que auxiliam os professores a conhecerem melhor os seus alunos, a descobrirem as suas necessidades e buscarem maneiras de ajudá-los no seu desenvolvimento. Percebemos que a exploração de atividades lúdicas é fundamental também para o profissional que atua na área de educação infantil, pois por meio dessas atividades, podemos conhecer mais a criança com quem estamos trabalhando. Voltamos a colocar aqui a questão do educar e do cuidar na educação infantil, pois, no momento em que ela corre, pula, explora o meio, está se desenvolvendo, aprendendo mais sobre as coisas que estão a sua volta, mas existem pessoas que pensam que as crianças vão à escola só para serem cuidadas ou para brincarem com colegas. É necessário esclarecer que quando está brincando, a criança está aprendendo e da forma mais adequada e prazerosa. É importante que os professores que atuam nesta área tenham bem clara e bem fundamentada a idéia que a ludicidade é a maneira mais rica de se proporcionar o aprendizado e a descoberta do mundo para

7 7 as crianças, pois estaremos cuidando e educando nossas crianças da forma mais saudável e contribuindo para a construção do seu conhecimento. Para que possam desenvolver dentro da escola de educação infantil as ações pedagógicas que foram destacadas anteriormente, é necessário que a escola ofereça opções metodológicas bem elaboradas, bem claras, que possam dar sustentação ao trabalho que estará sendo desenvolvido. Com isso, nós perceberemos, se o trabalho for realizado se a escola está realmente consciente e tem claro que tipo de objetivo quer alcançar no desenvolvimento de suas ações pedagógicas, pois de acordo com Projeto Pedagógico: O trabalho é baseado numa proposta educativa, onde é fundamental a compreensão de como ocorre o processo de desenvolvimento e aprendizagem infantil. A escola adota uma abordagem sociocultural, onde o indivíduo se constitui como tal, não somente devido aos processos de maturação orgânica, mas principalmente, através de suas interações sociais, a partir das trocas estabelecidas com seus pares. A escola coloca, dentro de suas opções metodológicas, algumas ações que norteiam o trabalho que deve ser desenvolvido com as crianças, no qual percebemos a importância do lúdico, que já foi mencionado nas nossas ações pedagógicas e é fundamental para que o desenvolvimento aconteça de forma espontânea e por meio de brinquedos e brincadeiras que despertem o seu interesse, colocamos também a questão do cuidar e educar como dois processos complementares e indissociáveis. Outra opção metodológica da escola é a relação professor-aluno, que é um fator importantíssimo para que possamos realizar um trabalho de qualidade, visando sempre ao desenvolvimento pleno do educando. Antes de falarmos propriamente na relação professoraluno, queremos lembrar que os profissionais que trabalham com crianças devem estar sempre em sintonia com universo infantil, sempre informados sobre as mudanças, buscando compreender o que acontece durante o desenvolvimento de cada criança. Como coloca Machado (2001), os professores devem estar atentos, sabendo reconhecer as etapas do crescimento e do desenvolvimento infantil, mas tendo presente que cada criança é uma mistura de todas essas características, a seu modo. Assim, devemos compreender o que acontece com cada criança independentemente, porque elas não são todas iguais e o desenvolvimento de cada

8 8 uma ocorre de maneira diferente, dependendo do meio em que está, da cultura e dos estímulos que lhes foram fornecidos desde o nascimento. É por meio do conhecimento da realidade das crianças, das relações que elas estabelecem com os outros e com as coisas que professor irá identificar as suas necessidades e poderá auxiliar no seu desenvolvimento. Dessa forma, também poderá estabelecer um elo mais consistente entre os mesmos, pois saberá em quais momentos aquela criança irá precisar mais de sua ajuda e estabelecerá com ela uma relação de amizade, de carinho, de respeito e a criança saberá que poderá sempre contar com esse professor, quando dele necessitar. Como nos coloca o Projeto Pedagógico da escola, nas palavras de Freire (1996, p.11), [...] é a convivência amorosa com seus alunos e a postura curiosa e aberta que assume e ao mesmo tempo, provocaos a se assumirem enquanto sujeitos sócio-histórico-culturais do ato de respeito, da dignidade e autonomia do educando. A realização deste projeto foi fundamental para nós futuras pedagogas, porque ele nos proporcionou conhecer o universo de uma escola infantil, mais de perto, porque tivemos a oportunidade de conversar com as professores, coordenadores, enfim, tivemos um contato direto com todas as pessoas envolvidas no funcionamento diário da escola Além disso, tivemos acesso a materiais importantes que fazem parte da estrutura pedagógica da escola como o Projeto Pedagógico que é documento base do funcionamento de escola de educação infantil. Durante o desenvolver do projeto, observamos a preocupação da escola em oferecer para as crianças um trabalho de qualidade, visando sempre ao desenvolvimento pleno do educando e o mais importante é que todo o trabalho, que era oferecido e desenvolvido, baseou-se nas diretrizes que a escola estabelecia no Projeto Pedagógico. O projeto de estágio realizado deu-nos a oportunidade de estabelecer mais profundamente, a relação da teoria estudada com a prática do cotidiano da educação infantil, possibilitou-nos também crescer como futuras pedagogas. Por meio das observações realizadas, foi possível detectar as necessidades, limitações e as riquezas do trabalho pedagógico dentro de uma instituição de educação infantil. Percebemos também como é importante o papel de uma pedagoga no dia-a-dia, com as crianças na faixa etária de 0 a 5 anos, pois ela tem como função principal proporcionar às crianças diversas situações de aprendizado, possibilitando que elas vivenciem, conheçam e exponham suas experiências e seus conhecimentos, sem esquecer que

9 9 cuidar e educar são dois fatores que caminham juntos na realização das ações pedagógicas diárias da educação infantil. Devemos colocar também que algumas ações pedagógicas não saíram da maneira que imaginamos, mas como o nosso planejamento é flexível, conseguimos reorganizar conforme as necessidades da turma naquele momento e não esqueçamos que os planejamentos elaborados não são estanques, eles estão sempre abertos às modificações de acordo com as crianças e com a faixa etária em que trabalhamos. Um dos momentos de grande valia e importância para nós foi na avaliação diária das aulas planejadas, pois foi nesse momento que refletimos sobre o nosso trabalho, as ações educativas desenvolvidas, se foram significativas para as crianças, se conseguiram alcançar os objetivos propostos e, por meio dessa avaliação, buscamos estratégias novas para conseguirmos alcançar as metas desejadas. Enfim, para o projeto de estágio foi fundamental, porque tivemos a oportunidade de observar e de assumir uma turma de educação infantil, o que é importantíssimo, pois é a área de trabalho que escolhemos para atuar como educadoras, sendo que a experiência escolar, bem como as vivências na sala de aula e comunidade educacional favorecem enfrentar desafios, apresentar alternativas de soluções para a práxis docente. A relação teoria-prática, portanto, proporciona-nos a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências fundamentais no processo educativo. O trabalho direto com crianças pequenas exige que o professor tenha uma competência polivalente. Ser polivalente significa que ao professor cabe trabalhar com conteúdos de naturezas diversas que abrangem desde cuidados básicos essenciais até conhecimentos específicos provenientes das diversas áreas do conhecimento. Esse caráter demanda, por sua vez uma formação bastante ampla do profissional que deve tornar-se, ele também, um aprendiz, refletindo sobre sua prática,debatendo com seus pares, dialogando com famílias e a comunidade e buscando informações necessárias para o trabalho que desenvolve (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998, p.41). Tudo isso exige que o profissional de educação infantil tenha a formação adequada, pois ele possui funções importantíssimas para o desenvolvimento infantil que exige qualificação para

10 10 quem atuar nessa área e, além disso, a LDBEN, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, no título VI, art.62, deixa bem clara a formação necessária para se atuar na educação básica, pois não é simplesmente cuidar para que a criança não caia, não se machuque, mas é desenvolver ações pedagógicas baseadas no cuidar-educar, que só um profissional habilitado tem formação para realizar. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: BRASIL. Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, CRAIDY, Carmem Maria; KAERCHER, Gladis Elise P.da Silva. Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, MACHADO, Marina Marcondes. O Brinquedo-Sucata e a Criança: A importância do brincar, atividades e materiais. 4. ed. São Paulo: Ed. Loyola, Projeto Pedagógico da escola Campo de Estágio.

Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu. Internacional de Ufologia, História e Ciência. Victor Mostajo.

Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu. Internacional de Ufologia, História e Ciência. Victor Mostajo. Projeto de Atuação Pedagógica junto ao Museu Internacional de Ufologia, História e Ciência Victor Mostajo. Cátia Bairro Ferreira Santa Maria, RS 2009. 1 Oficina Lúdico Pedagógica - Dinossauros A criança

Leia mais

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas

Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Avaliação na Educação Infantil Legislação e Pesquisas Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto Diversos pesquisadores têm

Leia mais

O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian

O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Simone Helen Drumond Ischkanian O LÚDICO: JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. O projeto - o lúdico: jogos, brinquedos e brincadeiras na construção do processo de aprendizagem

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS.

CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. CADERNO DE ATIVIDADES PARA O PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS: FERRAMENTA DE APOIO AO PROFESSOR DA CRIANÇA DE 6 ANOS. Elaine Cristina Rodrigues Gomes Vidal. Gruhbas Projetos Educacionais

Leia mais

A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI

A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI A POSTURA DO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL DIANTE DOS NOVOS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI Resumo ATAÍDE, Sandra Terezinha Guimarães 1 - UNIPLAC Eixo Temático: Formação de Professores e Profissionalização

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

O QUE REVELAM OS DOCUMENTOS OFICIAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL SOBRE A DIMENSÃO AFETIVA

O QUE REVELAM OS DOCUMENTOS OFICIAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL SOBRE A DIMENSÃO AFETIVA Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1007 O QUE REVELAM OS DOCUMENTOS OFICIAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL SOBRE A DIMENSÃO AFETIVA Viviane Aparecida Ferreira

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 3 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

Organização do espaço e do tempo na Educação Infantil. TEMA 03 Profª Luciana Ribeiro Pinheiro

Organização do espaço e do tempo na Educação Infantil. TEMA 03 Profª Luciana Ribeiro Pinheiro Organização do espaço e do tempo na Educação Infantil TEMA 03 Profª Luciana Ribeiro Pinheiro DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL (2010) (p. 19-20) Organização de Espaço, Tempo e

Leia mais

PESQUISA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DO PIBID E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

PESQUISA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DO PIBID E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PESQUISA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: EXPERIÊNCIAS DO PIBID E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Edna Neves Pereira (1); Dacielle Antunes Santos (1); Sandra Alves de Oliveira

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

Quatro coordenadas para o andamento da educação musical

Quatro coordenadas para o andamento da educação musical Quatro coordenadas para o andamento da educação musical Léa Pintor Martins de Arruda Maria Angela de Souza Lima Rizzi O trabalho realizado com os educadores, pela equipe da Associação Arte Despertar no

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL

EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL EXPERIÊNCIAS NO ESTÁGIO DOCENTE: OBSERVAÇÕES ACERCA DO COTIDIANO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL Acacia Silva Alcantara Graduanda/UEPB Danielly Muniz de Lima Graduanda/UEPB Glória Mª Leitão de Souza

Leia mais

A EDUCAÇÃO INFANTIL E OS DESAFIOS DA DOCÊNCIA NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Ana Paula Reis de Morais 1 Kizzy Morejón 2

A EDUCAÇÃO INFANTIL E OS DESAFIOS DA DOCÊNCIA NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Ana Paula Reis de Morais 1 Kizzy Morejón 2 728 A EDUCAÇÃO INFANTIL E OS DESAFIOS DA DOCÊNCIA NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Ana Paula Reis de Morais 1 Kizzy Morejón 2 RESUMO: O presente artigo trata da especificidade da ação pedagógica voltada

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DA ESCOLA

1. DESCRIÇÃO DA ESCOLA ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UM OLHAR SOBRE A CRECHE TEREZA GIOIA - CAMPINA GRANDE/PB Carla Priscila Gonçalves Cesário - Graduanda/UEPB Érika Barbosa Santos Graduanda / UEPB Nívia Kaliana da Silva Costa - Graduanda/

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA

A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA A CONSTITUIÇÃO DO SER PROFESSOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL PELO PIBID DE PEDAGOGIA Resumo Gisele Brandelero Camargo 1 - UEPG Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora:

Leia mais

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL O PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL Elane Porto Campos-UESB Graduanda em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista do subprojeto de Pedagogia PIBID/UESB-CAPES

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 88-GR/UNICENTRO, DE 12 DE MAIO DE 2014. Especifica a estrutura curricular do Curso de Especialização em Educação e Formação Empreendedora, modalidade de educação a distância, aprovado pela

Leia mais

2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES

2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES 2.1 INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO INFANTIL: CARACTERÍSTICAS E ESPECIFICIDADES De acordo com a Abordagem Histórico-Cultural, que fundamenta está proposta, a Instituição de Educação Infantil deverá ser pensada

Leia mais

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR VOLTADO PARA OS SABERES MATEMÁTICOS DAS CRIANÇAS DAS CLASSES POPULARES

UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR VOLTADO PARA OS SABERES MATEMÁTICOS DAS CRIANÇAS DAS CLASSES POPULARES UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR VOLTADO PARA OS SABERES MATEMÁTICOS DAS CRIANÇAS DAS CLASSES POPULARES Maria Raquel da Silva- Graduanda em Pedagogia (UFPE- CAA) G. Nóbrega L. de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA PELO PEDAGOGO AO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS. Palavras-chave: ensino-aprendizagem; Matemática; Anos Iniciais.

A IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA PELO PEDAGOGO AO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS. Palavras-chave: ensino-aprendizagem; Matemática; Anos Iniciais. 1 A IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA PELO PEDAGOGO AO ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS Janaina de Carvalho Vieira da Silva, Faculdade Jesus Maria José, janainacarvieira@gmail.com Daniela Souza Lima, Faculdade

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS

EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS. Linguagem Oral e Escrita. Matemática OBJETIVOS E CONTEÚDOS EDUCAÇÃO INFANTIL OBJETIVOS GERAIS Conhecimento do Mundo Formação Pessoal e Social Movimento Linguagem Oral e Escrita Identidade e Autonomia Música Natureza e Sociedade Artes Visuais Matemática OBJETIVOS

Leia mais

O DIREITO À BINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O DIREITO À BINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL O DIREITO À BINCADEIRA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Juliana Mayane Sobreira Xavier Graduanda do Curso de Pedagogia Universidade Regional do Cariri-URCA jumayanne@gmail.com Maria Aparecida Ferreira dos Santos Graduanda

Leia mais

ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO CAMILA SONALY QUEIROZ TITO¹ MAÍSE RODRIGUES LÚCIO² O presente artigo tem por objetivo levar educadores da Educação Infantil a repensar sobre as concepções e metodologias

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ETAPA PARA O CRESCIMENTO PROFISSIONAL 1

ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ETAPA PARA O CRESCIMENTO PROFISSIONAL 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO: UMA ETAPA PARA O CRESCIMENTO PROFISSIONAL 1 JARDIM, Aline 2 ; CAMPARA, Francieli 3 ; SOUZA, Carmen R. S. 4 1 Relatório de Estágio Supervisionado - UNIFRA. 2 Acadêmica do Curso de

Leia mais

A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL EVELISE RAQUEL DE PONTES (UNESP). Resumo O ato de contar histórias para crianças da educação infantil é a possibilidade de sorrir, criar, é se envolver com

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso Pró-Reitoria de Graduação Curso de Educação Física Trabalho de Conclusão de Curso A influência do jogo e desenvolvimento cognitivo, motor e social da criança: análise dos Trabalhos de Conclusão de Curso

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO

PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO PSICOMOTRICIDADE, JOGOS E BRINCADEIRAS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E DR. MORATO DE OLIVEIRA RESUMO Na vida de uma criança, para além do entretenimento, o jogo

Leia mais

TÍTULO: JOGOS LÚDICOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZADO NA MATEMÁTICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA

TÍTULO: JOGOS LÚDICOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZADO NA MATEMÁTICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA TÍTULO: JOGOS LÚDICOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZADO NA MATEMÁTICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO AUTOR(ES):

Leia mais

V ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS

V ENCONTRO PROGRAMA DE BOLSA AUXÍLIO RESULTADO QUESTIONÁRIO BOLSISTAS 1. Por que você decidiu fazer esse curso? 57% para ampliar conhecimentos, aperfeiçoar o trabalho, ampliar horizontes, permanecer na área 26% pelo sonho de ser educadora, gostar e acreditar na educação,

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ATIVIDADES LÚDICAS NOS ESPAÇOS DE APRENDIZAGENS

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ATIVIDADES LÚDICAS NOS ESPAÇOS DE APRENDIZAGENS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ATIVIDADES LÚDICAS NOS ESPAÇOS DE APRENDIZAGENS Rosane Penha Mendes Secretaria Municipal de Educação de Cáceres-MT rosane.pmendes@gmail.com Andréa Lemes Lustig

Leia mais

Educação Infantil, que espaço é este?

Educação Infantil, que espaço é este? Educação Infantil, que espaço é este? O material do sistema de ensino Aprende Brasil de Educação Infantil foi elaborado a fim de oferecer subsídios para reflexões, informações e sugestões que auxiliem

Leia mais

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL 2.2 O PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO INFANTIL Ao conceber as instituições de Educação Infantil como espaços onde ocorre o processo educativo, processo este pelo qual os homens apropriam-se do desenvolvimento

Leia mais

PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Síntia Lúcia Faé Ebert Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS SMED/POA- Escola M. E. F. João Antônio Satte Cristiane Lumertz Klein Domingues

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: INTEGRANDO A PRÁTICA E A TEORIA NO CURSO DE PEDAGOGIA CYRILO, Silvana Pereira São silvanapscyrilo@gmail.com SAITO, Heloisa Toshie Irie (Orientadora) Universidade Estadual de Maringá

Leia mais

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo MATUCHESKI, Franciele Luci PUCPR francielematucheski@yahoo.com.br Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas

Leia mais

AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE.

AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE. AS MÚLTIPLAS POSSIBILIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL: PARTINDO DA OBSERVAÇÃO A CONCRETIZAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE. Viviane de Almeida Silva (Graduanda em Pedagogia UEPB) Lilian de Araújo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica

Palavras-chave: Novas Tecnologias Educação Professor Prática Pedagógica EDUCAÇÃO E PROFESSOR DIANTE DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS Resumo Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Orientadora: Profª Ms. Eliane Brito de Lima- UEPB/PMCG eliabrito@ig.com.br

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA ROTINA PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CONTRIBUIÇÕES DA ROTINA PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTRIBUIÇÕES DA ROTINA PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CRUZ, Aline Matos Oliveira ¹ COSTA, Andréia de Oliveira Santos¹ SILVA, Raquel Rodrigues de Andrade ¹ FERREIRA, Jalmira

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

Alfabetização Matemática: O universo lúdico infantil potencializando a aprendizagem

Alfabetização Matemática: O universo lúdico infantil potencializando a aprendizagem 1 Alfabetização Matemática: O universo lúdico infantil potencializando a aprendizagem Juliana de Alcântara Silveira Rubio 1 Resumo A alfabetização matemática, assim como a alfabetização da língua materna,

Leia mais

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO

Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO 0 Pró-Reitoria de Graduação Curso de Pedagogia Trabalho de Conclusão de Curso INDISCIPLINA ESCOLAR SUAS CAUSAS E ALTERNATIVAS DE SOLUÇÃO Margarida Fernandes de Sousa Graciano Autora: Cristiane Pereira

Leia mais

PRÁTICAS DE ENSINO DA METODOLOGIA DE GEOGRAFIA: A GEOGRAFIA NA SALA DE AULA

PRÁTICAS DE ENSINO DA METODOLOGIA DE GEOGRAFIA: A GEOGRAFIA NA SALA DE AULA PRÁTICAS DE ENSINO DA METODOLOGIA DE GEOGRAFIA: A GEOGRAFIA NA SALA DE AULA Marcele Larisse dos Santos Silva larisse_al14@hotmail.com Rafaella Márcia Borges da Silva mb.rafaella@gmail.com RESUMO O presente

Leia mais

1. Introdução. Palavras Chaves: Observação do Espaço Escolar. Cotidiano. Processo formativo.

1. Introdução. Palavras Chaves: Observação do Espaço Escolar. Cotidiano. Processo formativo. A OBSERVAÇÃO DA ROTINA ESCOLAR COMO MEIO DE CONHECIMENTO: POSSIBILIDADES FORMATIVAS PARA O FUTURO PROFESSOR, UM RELATO DE EXPERIÊNCIA A PARTIR DO PIBID. Santos, Vanessa Lago dos Licencianda em Pedagogia,

Leia mais

O ATO DE ESTUDAR 1. (Apresentação a partir do texto de Paulo Freire.)

O ATO DE ESTUDAR 1. (Apresentação a partir do texto de Paulo Freire.) O ATO DE ESTUDAR 1 (Apresentação a partir do texto de Paulo Freire.) Paulo Freire, educador da atualidade, aponta a necessidade de se fazer uma prévia reflexão sobre o sentido do estudo. Segundo suas palavras:

Leia mais

O Brincar na Educação Infantil

O Brincar na Educação Infantil O Brincar na Educação Infantil Maévi Anabel Nono Unesp - Departamento de Educação Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Como escrevem Imma Marín e Silvia Penón (2003/2004, p. 30), especialistas

Leia mais

Trabalhos Premiados em 2001 ACRE Trabalho: Conhecendo nossa Floresta Resenha da Experiência ALAGOAS Trabalho: Projeto Dentes Resenha da Experiência

Trabalhos Premiados em 2001 ACRE Trabalho: Conhecendo nossa Floresta Resenha da Experiência ALAGOAS Trabalho: Projeto Dentes Resenha da Experiência Trabalhos Premiados em 2001 ACRE Trabalho: Conhecendo nossa Floresta - Faixa etária das crianças: 6 anos - Grau de escolaridade de professor: Nível Médio Magistério - Contexto sócio-cultural em que foi

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo

A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo A ARTE DE BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Elany Nogueira da Silva Estudante de Pedagogia pela FECLESC / UECE Resumo Este presente artigo pretende refletir idéias sobre o brincar na Educação Infantil,

Leia mais

Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas.

Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas. RELATÓRIO DE GRUPO MATERNAL A 2º SEMESTRE DE 2014 Professora: Jéssica Oliveira Professora auxiliar: Elizabeth Fontes Coordenação: Lucy Ramos Torres Tripulação do Maternal A e as viagens com os piratas.

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa O ESTÁGIO SUPERVISIONADO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN: Desafios e perpectivas para uma formação reflexiva e investigativa RESUMO Jacyene Melo de Oliveira Araújo Profª Drª UFRN- CE-SEDIS Os Estágios

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 II A Jogos As crianças da Turma dos Amigos, desde os primeiros dias de aula, têm incluídos em sua rotina as brincadeiras com jogos de encaixe. Vários jogos estão disponíveis

Leia mais

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster.

Graduandas do curso de pedagogia, pela Universidade do Estado da Bahia-Campus XII, Trabalho que será apresentado em forma de Pôster. ESTÁGIO SUPERVISIONADO: CONSTRUINDO A IDENTIDADE DOCENTE DO LICENCINADO EM PEDAGOGIA Sunária Rodrigues da Silva (sunariasilvagbi@hotmail.com) Maurina Souza Alves (maraalvespma@hotmail.com) Este trabalho

Leia mais

O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL O ESTÁGIO COMO UM ELEMENTO CONSTITUTIVO DO PROFISSIONAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL Profª Drª. Altina Abadia da Silva 1 Profª Ms. Heloísa Vitória Castro de Paula 2 Profª Ms. Priscilla de Andrade Silva Ximenes

Leia mais

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO

LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO LUDICIDADE E ENSINO: UMA PARCERIA QUE CONTRIBUI COM A EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO Ana Lucia da Silva 1 Franchys Marizethe Nascimento Santana Ferreira 2 O presente projeto justifica-se pela necessidade verificada,

Leia mais

O uso de jogos no ensino da Matemática

O uso de jogos no ensino da Matemática 607 O uso de jogos no ensino da Matemática Cyntia Luane Silva Godoy 1 Marlene Menegazzi 2 RESUMO Neste trabalho irei abordar a importância do uso de jogos no ensino da Matemática como um recurso didático

Leia mais

Possibilitar à criança o desenvolvimento de novas capacidades que a levem às situações de independência e autonomia.

Possibilitar à criança o desenvolvimento de novas capacidades que a levem às situações de independência e autonomia. Movimento Objetivo da Aula Possibilitar à criança o desenvolvimento de novas capacidades que a levem às situações de independência e autonomia. Trataremos aqui sobre o movimento, elemento que também pode

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática COMPOR E DECOMPOR IMAGENS: POSSÍVEIS INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL COM A GEOMETRIA

X Encontro Nacional de Educação Matemática COMPOR E DECOMPOR IMAGENS: POSSÍVEIS INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL COM A GEOMETRIA COMPOR E DECOMPOR IMAGENS: POSSÍVEIS INTERAÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL COM A GEOMETRIA Enia Figueredo Nunes Escola Despertar eniafignunes@hotmail.com Cristiane Moreira Ribeiro Escola Despertar crism.r@bol.com.br

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA

IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA IMPORTÂNCIA DOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL E SUA FUNÇÃO EDUCATIVA Thaylisa Almeida Franco 1 Sandra Aparecida Machado Polon 2 RESUMO: Este artigo é resultado do Estágio Supervisionado na Educação Infantil.

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O PROFESSOR DO SEXO MASCULINO NA EDUCAÇÂO INFANTIL

REFLEXÕES SOBRE O PROFESSOR DO SEXO MASCULINO NA EDUCAÇÂO INFANTIL 1 REFLEXÕES SOBRE O PROFESSOR DO SEXO MASCULINO NA EDUCAÇÂO INFANTIL ANGELA CRISTINA GOMES DA SILVA Monografia apresentada como requisito parcial para a obtenção de licenciatura plena do curso de Pedagogia

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA

A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA Rivaldo Bevenuto de Oliveira Neto Departamento de Artes UFRN RESUMO O ensino de Arte é a educação que oportuniza ao aluno o acesso à Arte

Leia mais

Turma do Maternal as minhocas e a plantação de rabanetes.

Turma do Maternal as minhocas e a plantação de rabanetes. RELATÓRIO DE GRUPO MATERNAL VESPERTINO 2º SEMESTRE DE 2014 Professora: Jéssica Oliveira Professora auxiliar: Elizabeth Fontes Coordenação: Lucy Ramos Torres Turma do Maternal as minhocas e a plantação

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE PEDAGOGIA. COMPONENTE CURRICULAR PERÍODO PROFESSOR (A) ANO/SEMESTRE Fundamentos Teórico-metodológicos

PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE PEDAGOGIA. COMPONENTE CURRICULAR PERÍODO PROFESSOR (A) ANO/SEMESTRE Fundamentos Teórico-metodológicos PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE PEDAGOGIA COMPONENTE CURRICULAR PERÍODO PROFESSOR (A) ANO/SEMESTRE Fundamentos Teórico-metodológicos 3º período Daniela Santana Reis 2012.1 da Educação Infantil CRÉDITOS

Leia mais

O ESPAÇO DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: um estudo em creches e pré - escolas

O ESPAÇO DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: um estudo em creches e pré - escolas O ESPAÇO DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: um estudo em creches e pré - escolas Maria Zita Figueiredo Gera Doutora e Livre Docente em Psicologia Uni-FACEF Ana Maria Tassinari Psicopedagoga clínica, Mestre

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL O LÚDICO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Andréa Nogueira de Souza¹; Andreza Emicarla Pereira Calvacante²; Francicleide Cesário

Leia mais

Maria Emanuela de Oliveira Cruz - Graduanda Pedagogia/UEPB. Camila Matos Viana - Graduanda Pedagogia/UEPB

Maria Emanuela de Oliveira Cruz - Graduanda Pedagogia/UEPB. Camila Matos Viana - Graduanda Pedagogia/UEPB BRINCANDO TAMBÉM SE APRENDE! CONTRIBUIÇÕES DAS MÚLTIPLAS FORMAS DE BRINCAR PARA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM ORAL E PARA A INTERAÇÃO SOCIAL DAS CRIANÇAS. Maria Emanuela de Oliveira Cruz - Graduanda Pedagogia/UEPB

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Educação Infantil: novos olhares, muitos desafios / Formação continuada para professores

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

DESCOBRINDO A CONDIÇÃO HUMANA NA LUDOPOIESE: UM DESPERTAR PARA A CONSCIÊNCIA DA COMPLEXIDADE HUMANA

DESCOBRINDO A CONDIÇÃO HUMANA NA LUDOPOIESE: UM DESPERTAR PARA A CONSCIÊNCIA DA COMPLEXIDADE HUMANA DESCOBRINDO A CONDIÇÃO HUMANA NA LUDOPOIESE: UM DESPERTAR PARA A CONSCIÊNCIA DA COMPLEXIDADE HUMANA Áurea Emilia da Silva Pinto BACOR/PPGED/UFRN Resumo Esse trabalho foi elaborado a partir de uma roda

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 PESQUISA E PRODUÇÃO DE MATERIAL DE APOIO REGIONAL AOS DOCENTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS Aldaiza Sudré Pereira Universidade Federal do Tocantins aldaizasudre@hotmail.com José Ricardo e Souza

Leia mais

Resolução SME N 24/2010

Resolução SME N 24/2010 Resolução SME N 24/2010 Dispõe sobre orientações das rotinas na Educação Infantil, em escolas e classes de período integral da rede municipal e conveniada, anexos I e II desta Resolução, com base no Parecer

Leia mais

As Datas Comemorativas

As Datas Comemorativas As Datas Comemorativas É bastante comum que algumas datas sejam comemoradas no ambiente escolar, mas elas precisam ser criteriosamente selecionadas, de acordo com o contexto das crianças e seus interesses.

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRIZOLA, Silene Francisca dos Santos. (UNEMAT) silenefsb@hotmail.com SILVA, Maria Ivonete da. (UNEMAT) ivonete0304@hotmail.com RESUMO Este projeto foi desenvolvido

Leia mais

JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin

JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin JOGOS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM Olímpia Terezinha da Silva Henicka e Dariléia Marin Quem não se lembra do tempo de escola? Das canções infantis? Das brincadeiras de criança? Dos jogos daquele

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA: DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO À PROPOSTA DE UM PROJETO COM FOCO NA MULTIMODALIDADE

RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA: DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO À PROPOSTA DE UM PROJETO COM FOCO NA MULTIMODALIDADE RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA: DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO À PROPOSTA DE UM PROJETO COM FOCO NA MULTIMODALIDADE INTRODUÇÃO Patrícia Aparecida Mendes * Thiago Henrique da Silva ** A Geografia

Leia mais

Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE - ISSN 1806-6283

Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE - ISSN 1806-6283 O PAPEL DO PROFESSOR E DO AUXILIAR DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL E DO ESTAGIÁRIO: Um diálogo necessário OLIVEIRA, Elisangela 1 SERAFIM, Lindineide 2 OLIVEIRA, Elizabete Gaspar de 3 RESUMO O presente estudo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 24/2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia, na

Leia mais

JUSTIFICATIVA E ARTICULAÇÃO COM O PROJETO PEDAGÓGICO:

JUSTIFICATIVA E ARTICULAÇÃO COM O PROJETO PEDAGÓGICO: DENOMINAÇÃO DO PROJETO : Convivência Social, Ética e Valores Humanos na Educação Infantil INÍCIO EM: 06 e 07 / 02 / 12 TÉRMINO EM : 05 / 12 / 12 TOTAL DE 156 HORAS Nunca estamos preparados para a surpresa

Leia mais

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos.

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos. Etapa de Ensino Faixa Etária Prevista Duração Educação Infantil 3 a 5 anos Ensino Fundamental: Anos Iniciais 6 a 10 anos 5 anos Ensino Fundamental: Anos Finais 11 a 14 anos 4 anos EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES

UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES Luciana Bessa Silva (bessaluciana@hotmail.com) RESUMO Como humanos, narramos nossos sentimentos, nossos desejos, nossas emoções, nossas

Leia mais

Projeto: Teatro Infantil

Projeto: Teatro Infantil Cooperativa de Ensino e Cultura de Santa Rita Projeto: Teatro Infantil O teatro é a poesia que sai do livro e se faz humana. (Frederico Garcia Lorca) 1 Unidade Executora: Coordenação Pedagógica, Grupo

Leia mais

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA

DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA DO EMAIL AO SITE: TECNOLOGIA EDUCACIONAL NO CURSO DE PEDAGOGIA SILVA, José Roberto Alves da 1 - UEPA Resumo Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA PSICOPEDAGÓGICA NA FACULDADE DE ENGENHARIA DA PUCRS

UMA EXPERIÊNCIA PSICOPEDAGÓGICA NA FACULDADE DE ENGENHARIA DA PUCRS UMA EXPERIÊNCIA PSICOPEDAGÓGICA NA FACULDADE DE ENGENHARIA DA PUCRS Jorge Ferreira da Silva Filho Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Viegas Ribas Pesquisador e Consultor Psicopedagógico

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Diversidade Etnicorracial. Práticas Pedagógicas.

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Diversidade Etnicorracial. Práticas Pedagógicas. REVELANDO SENTIDOS E DESPERTANDO PERTENÇAS: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.639/03 EM UMA ESCOLA DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CAMPINA GRANDE-PB Acacia Silva Alcantara Graduanda Pedagogia UEPB/PROPESQ/PIBIC-Af

Leia mais

O DESENHO COMO FATOR PRIMORDIAL NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL 1

O DESENHO COMO FATOR PRIMORDIAL NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL 1 1 O DESENHO COMO FATOR PRIMORDIAL NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL 1 Aline Aparecida Silva * Helenice Maria Tavares ** RESUMO O presente artigo tem por objetivo levar aos educadores a repensar sobre sua prática,

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização.

Apresentação do Professor. Educação Infantil: Procedimentos. Teleaula 1. Ementa. Organização da Disciplina. Contextualização. Educação Infantil: Procedimentos Teleaula 1 Prof. Me. Mônica Caetano da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Pedagogia Apresentação do Professor Pedagogia (PUCPr) Especialização em Psicopedagogia

Leia mais

CONCEPÇÕES DOS ALUNOS DE EAD SOBRE O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR

CONCEPÇÕES DOS ALUNOS DE EAD SOBRE O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR CONCEPÇÕES DOS ALUNOS DE EAD SOBRE O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR FERRAZ, Dirce Huf (dirce.ferraz @iap.org.br) IAP CHAVES, Sônia Maria Haracemiv (sharacemiv@gmail.com) Universidade

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR Katia Maria de Oliveira CUSTODIO, Ketulem Cristina Vieira ARANTES, Ducéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES. Ângela Aparecida DIAS Departamento de Educação,UFG

Leia mais

PREFEITURA DE RIO NEGRINHO ESTADO DE SANTA CATARINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N. 001/2013

PREFEITURA DE RIO NEGRINHO ESTADO DE SANTA CATARINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N. 001/2013 PREFEITURA DE RIO NEGRINHO ESTADO DE SANTA CATARINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N. 001/2013 PROVA: CONHECIMENTOS GERAIS E ESPECÍFICOS FORMAÇÃO EM NÍVEL DE ENSINO FUNDAMENTAL CARGO PROFESSOR EDUCAÇÃO

Leia mais

A EDUCAÇÃO INFANTIL E O BRINCAR NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

A EDUCAÇÃO INFANTIL E O BRINCAR NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR CLÁUDIA BARCELOS MARIANO A EDUCAÇÃO INFANTIL E O BRINCAR NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA CRICIUMA,

Leia mais

Área: Educação Infantil - Creche

Área: Educação Infantil - Creche O ponto de virada: tomar decisões para qualificar a Educação Infantil de bebês e crianças até três anos Área: Educação Infantil - Creche Selecionador: Maria Paula Zurawski Categoria: Professor O ponto

Leia mais

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓSTICA

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓSTICA O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓSTICA Profa. Me. Michele Costa (Professora do Curso de Pedagogia das Faculdades COC) 06 e 07/04/2010 CONVERSAREMOS SOBRE: Planejamento e RCN: Oralidade na Educação

Leia mais

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil 1 Introdução: A matemática é uma disciplina de fundamental importância na vida de todo mundo. Desde tempos antigos o ensino dessa matéria vem fazendo cada vez mais parte da vida dos seres humanos. Basta

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural

Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Uma Perspectiva Sócio-Histórica do Processo de Alfabetização com Conscientização do Contexto Sociocultural Camila Turati Pessoa (Universidade Federal de Uberlândia) camilatpessoa@gmail.com Ruben de Oliveira

Leia mais