COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA. Em 09/06/14 PRINCIPAIS ACIONISTAS ONS PNS TOTAL BNDESPAR - 11,4% -X- 11,4% BERNARDO FRANCISCO P. GOMES 11,3% -X- 11,3%

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA. Em 09/06/14 PRINCIPAIS ACIONISTAS ONS PNS TOTAL BNDESPAR - 11,4% -X- 11,4% BERNARDO FRANCISCO P. GOMES 11,3% -X- 11,3%"

Transcrição

1 CM COMPANY REPORT SENIOR SOLUTION PARECER 10/OUT/14 COMPRAR PREÇO ALVO R$ 13,00 SNSL3 COTAÇÃO EM 09/OUT/14 R$ 8,79 POTENCIAL DE VALORIZAÇÃO 47,9% MIN / MÁX 12 MESES R$ 6,55 / R$ 11,08 VOLUME EM - 90 DIAS R$ 0,3 MILHÕES FREE FLOAT 35,3% VALOR DE MERCADO R$ 103,6 MILHÕES ENTERPRISE VALUE R$ 66,2 MILHÕES COT/VPA 1,70 Δ% 12 MESES -20,7% Δ% ACUMULADO NO ANO -20,3% Iniciamos a cobertura de Senior Solution (SNSL3) recomendando a compra de suas ações com preço alvo de R$ 13,00, o que nos remete a um potencial de valorização superior a 40%. Numa frase: Jovem em fase de crescimento!!! As ações da empresa são listadas no segmento conhecido como Bovespa Mais. Para maiores informações sobre esse segmento sugerimos a leitura do link em anexo: Trata-se de um case de crescimento, sendo que o grande vetor de agregação de valor são as aquisições aliadas à forte expansão orgânica naturalmente. Todavia, a qualidade e a forma como essas empresas serão absorvidas serão determinantes para o desempenho das ações da Senior Solution nos próximos anos. Em nossas projeções, trabalhamos com expansão de seu ativo intangível (leia-se aquisições) na casa de R$ 15 milhões ao ano, num patamar muito próximo do observado na compra da Drive, sendo 60% em cash no ato da aquisição e 40% como assunção de dívida a pagar em cinco anos. Os recursos em caixa oriundos do IPO do ano passado (R$ 40 milhões) garantem um bom colchão de liquidez para essa empreitada. Apesar de termos colocado linearmente as aquisições em cinco anos, poderemos assistir ao redor de quatro compras de empresas até Mantidas as mesmas condições de pressão e temperatura, a Senior Solution deverá se tornar um negócio três vezes maior em termos de faturamento até A empresa visa aumentar a recorrência de suas receitas, oferecendo soluções integradas (one-stop-shop), via complementariedade dos segmentos que atua na vertical financeira. Desta forma, a receita média por cliente tende a aumentar pela possibilidade de oferecer produtos e serviços de cross-selling. No entanto, o investidor deve ficar atento aos riscos embutido nas ações da Senior Solution, tais como: consolidação na indústria financeira; a realização de más aquisições, ou a realização de aquisições em uma velocidade menor do que a esperada; concorrência de players internacionais, embora a barreira de entrada tenha se mostrado elevada; obsolescência tecnológica; e perda de pessoal qualificado. Vale observação que o investidor pessoa física que adquirir as ações ordinárias da Senior Solution estará isento de imposto de renda sobre o ganho de capital até GRÁFICO DE SNSL3 X IBOVESPA na base 100 COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA Em 09/06/14 PRINCIPAIS ACIONISTAS ONS PNS TOTAL BNDESPAR - 11,4% -X- 11,4% BERNARDO FRANCISCO P. GOMES 11,3% -X- 11,3% ANTONIO LUCIANO CAMARGO FILHO 11,2% -X- 11,2% FMIEE STRATUS GC 8,7% -X- 8,7% UNA CAPITAL LTDA. 8,0% -X- 8,0% LEBLON EQUITIES GESTAO DE RECURSOS LTDA. FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES FOCUS EAC 6,7% -X- 6,7% 5,3% -X- 5,3% FREE FLOAT 35,3% -X- 35,3%

2 PREMISSAS Dado que assumimos as aquisições como um driver decisivo de agregação de valor à Senior Solution, vamos esmiuçar um pouco mais como as apropriamos em nossa projeção. O objetivo das aquisições é, na maior parte das vezes, complementar, dessa forma, devem ser compradas empresas que atuem nos subsegmentos de software/aplicativos para conta corrente, crédito, consórcio, risco e câmbio, por exemplo. A vertical financeira é atendida por +/- 200 empresas que atuam nesse nicho software/aplicativo. A empresa visa se tornar uma consolidadora, oferecendo soluções integradas no conceito conhecido como one-stop-shop. No radar da companhia há mais de uma centena de empresas, sendo que há mais de duas dezenas de potenciais alvos em diferentes estágios de avaliação. Como se trata de um segmento altamente fragmentado, as possibilidades de crescimento via aquisições são enormes com muitos benefícios, tais como: a ampliação da base de clientes; entrada em segmentos estratégicos, como mencionamos; e acesso à novas tecnologias. Vale comentar que a Senior Solution pode vir a adquirir uma concorrente também, num eventual negócio de ocasião, como no caso da Netage. Somando as aquisições com a expansão orgânica da empresa, chegamos a um crescimento médio composto de aproximadamente 28% ao ano até Hoje, o mix de receitas é composto da seguinte forma: Software, 50%; Serviços, 14%; Outsourcing, 30%; e Consultoria, 6%. Como consequência das aquisições que estão no pipeline, em nossas projeções, chegamos em 2018 com a seguinte distribuição das receitas: Software, 60%; Serviços, 9%; Outsourcing, 26%; e Consultoria, 5%. OUTROS PONTOS DA PROJEÇÃO Em nossas projeções, trabalhamos com certa estabilidade da margem bruta, a despeito que 90% do custo seja oriundo de mão de obra. Conforme informação da empresa, a estrutura de custos é 70% a 80% variável e 20% a 30% dispêndios fixos. Nesse caso há uma menor possibilidade para a alavancagem operacional representada por um maior percentual de gastos fixos diluíveis diante da expansão da receita. Outro ponto que pesou também foi a participação ainda elevada do outsourcing na composição das receitas projetadas. Vale destacar que é o segmento que possui menor margem de lucratividade. A melhora da rentabilidade que vislumbramos para a Senior Solution está centrada na diluição das despesas operacionais. Explica-se, projetamos expressiva expansão das receitas, seja por aquisição, seja por crescimento orgânico e as despesas operacionais são ao redor de 70% a 80% fixas e 20% a 30% variáveis. Isto posto, o patamar de despesas operacionais que hoje se situa na casa de 25% da receita líquida operacional, deve retroceder para perto de 19% em Trabalhamos com esses parâmetros, dessa forma, observamos melhora da margem/ebitda ao longo dos anos, chegando a 2018 na faixa de 20%. Em nosso modelo de projeção, o funding para os investimentos programados é, em sua maior parte, oriundo dos recursos disponíveis em caixa provenientes do IPO da empresa no ano passado, somados à geração operacional de caixa. Como dissemos anteriormente, as aquisições deverão apresentar alavancagem de 40%, entretanto, apesar de computarmos essa fonte como divida onerosa, não apropriamos a mesma como bancária. Como divida bancária regular, adotamos o cronograma de amortização informado e captações no âmbito do BNDES Prosoft.

3 Ressalta-se que o nível de disponibilidade fica relativamente alto no universo de cinco anos de nossas projeções. Ressalta-se que o nível de disponibilidade fica relativamente alto no universo de cinco anos de nossas projeções. No que diz respeito aos aspectos fiscais, chegamos a uma alíquota efetiva de IR/CS menor que a utilizada normalmente (34%). No caso da Senior Solution, a partir de 2015, trabalhamos com algo como 18% por conta da combinação de alguns elementos. A Senior Solution é beneficiaria da Lei (Lei do Bem), que autoriza as empresas de software a deduzir, a partir de seus impostos a pagar, a partir de 60% do valor investido em Pesquisa e Desenvolvimento dirigido a inovação. Assumimos gastos anuais em P&D de 5,0% da receita operacional líquida da Senior Solution. Adicionalmente, também computamos a amortização de ágio e os juros sobre capital próprio para efeitos de calculo do Imposto de Renda e Contribuição Social da empresa. PANORAMA SETORIAL De acordo com estudo da ABES, Associação Brasileira das Empresas de Software, no ano de 2013, o mercado doméstico de Tecnologia da Informação (hardware, software e serviços) movimentou US$ 61,6 bilhões, representando 2,74% do PIB brasileiro e 3% do total de investimentos de TI no mundo. A associação enfatiza que os investimentos em Tecnologia da Informação no País cresceram 15,4% em relação a Ou seja, expansão bem superior à média internacional de 4,8%. Em razão dessa ótima performance, o Brasil ficou entre os dez maiores crescimentos setoriais, mantendo a 7ª posição no ranking mundial de investimentos em TI. O mercado de software foi o destaque dessa expansão, com crescimento de 13,5% sobre o ano anterior, atingindo US$ 10,7 bilhões. Os serviços somaram faturamento de US$ 14,4 bilhões, aumento de 7,7% sobre o ano anterior. O estudo chama atenção que esses dois segmentos somados já representam 40% do mercado total de TI. Segundo a publicação, é um forte indicativo da passagem do país para o grupo de economias que privilegiam o desenvolvimento de soluções e sistemas. Uma leitura interessante é que no ano passado, a utilização de programas de computador desenvolvidos no país (standard e sob encomenda) aumentou 15,3%, acima dos 12,9% de crescimento identificado no uso de programas de computador desenvolvidos no exterior. Por sinal, essa tendência vem sendo observada desde Há empresas que atuam no Brasil no desenvolvimento, produção e distribuição de software e de prestação de serviços, sendo que 93% são classificadas como micro e pequenas empresas. A vertical financeira, segmento de atuação da Senior Solution, representou 26,4% do mercado doméstico de software em 2013 (US$ 12,158 bilhões), atingindo faturamento de US$ 3,2 bilhões. Esse volume de vendas representou crescimento de 18,8% sobre Interessante notar que a vertical financeira é a que mais consome software no Brasil, apesar de ter um número de instituições muito menor que a vertical comércio (faturamento de US$ 973 milhões em 2013), por exemplo. Vale destacar que o mercado mundial de Software e Serviços atingiu, em 2013, o valor de US$ bilhões, e o Brasil assumiu o 8º lugar no ranking mundial, com mercado interno de US$ 25,1 bilhões.

4 ENTENDENDO A SENIOR SOLUTION Perfil Fundada em 1996, a Senior Solution é uma das lideres do mercado de software/aplicativos na vertical financeira, tendo expertise nos subsegmento de tesouraria, seguro de vida/previdência, canal de atendimento e controle de investimentos. Possui mais de 180 clientes entre bancos, seguradoras, gestoras de recursos, corretoras e distribuidoras. A companhia atua por meio de quatro unidades de negócios: Software, Serviços, Outsourcing e Consultoria. Todavia, vale destacar que os principais clientes são os bancos. O Banco Itaú, por exemplo, é o maior cliente, respondendo por 12,7% do faturamento da companhia. Em software, seu principal segmento, seus produtos são: SBS, SIAN, Profit, E-Funds, E-Seg, Single Sign ON e DriveAMnet. Vale informar que a Senior está descontinuando o SIAN, negociando paulatinamente a migração dos clientes para SBS, um sistema com mais funcionalidades e desenvolvido em uma plataforma tecnológica mais moderna; e (ii) consolidando o DriveAMnet como seu principal sistema para controle de investimentos, que poderá incorporar futuramente as funcionalidades do Profit e do E-Funds. Isso deve melhorar o faturamento médio, por conta da maior abrangência do SBS e do DriveAMnet, que têm valores de licenciamento maiores, todavia, são softwares mais up-to-date e oferecem mais funcionalidades, como comentamos. Características Operacionais Há quadro modelos básicos de comercialização de software, a saber: venda do código fonte, venda de licença, aluguel de licença e software como serviços (SaaS em inglês - software as a service). (i) Venda de Código Fonte - ocorre com alguma frequência em TI na vertical financeira, principalmente no caso de empresas pequenas e pouco capitalizadas com restrições financeiras. Trata-se da comercialização da propriedade intelectual. O valor recebido é alto, todavia, não é recorrente. Ocasionalmente há o encaixe da prestação de serviços de suporte e manutenção que acabam gerando receita equivalente a 18% a 20% do valor do código fonte. O racional para os clientes comprarem o código fonte é não ficar na mão do fornecedor em termos de propriedade intelectual. Todavia, ao comprar o código fonte e não fazer suporte e manutenção desse software/aplicativo, em alguns anos, fica defasado. Adicionalmente, vale comentar que mesmo fazendo esse suporte e manutenção, especialistas afirmam que o software fica defasado num prazo de até cinco anos. A Senior Solution informa que nunca vendeu um código fonte e não faz parte dos planos da empresa fazê-lo, a não ser que seja condição necessária para fechamento de um negócio. Na vertical financeira, há uma enorme gama de competidores locais (+/- 200), principalmente empresas de pequeno porte como dissemos anteriormente. Nas outras verticais também há diversas empresas com esse perfil. (ii) Venda de Licença Venda de Licença é modelo das grandes empresas de software internacionais, num ambiente mais próximo dos sistemas operacionais e dos sistemas de gestão integrada (ERP). O ativo comercializado é Direito de Uso. Não há recorrência da receita nesse caso também e contratos de suporte e manutenção atrelados são ocasionais. Na vertical financeira, esse modelo também é usado pelos competidores internacionais (Microsoft e Oracle, por exemplo) e a TOTVS.

5 (iii) (iv) Aluguel de Licença o ativo comercializado aqui também é o Direito de Uso, todavia, não se vende a licença, se aluga. Dessa forma, não há um valor recebido no fechamento do contrato e os valores recebidos após o fechamento são baixos. Os preços são fixos, todavia, escaláveis, ou seja, se variáveis usadas na precificação mudam, o preço muda. Nesse modelo, destaca-se a recorrência da receita, e os contratos de suporte e manutenção atrelados são frequentes. É nesse modelo, na vertical financeira, que atua a Senior Solution. A Adobe, ao comercializar o Photoshop, é um exemplo de empresa que atua nesse modelo de comercialização só que em outras verticais. Software como Serviço (SaaS em inglês) O ativo comercializado também é o Direito de Uso. Não há recebimento no fechamento do contrato como no caso do aluguel e o valor recebido após a conclusão da comercialização também é baixo. O preço é variável, dependendo do número de transações ou outra medida. Frequentemente há ocorrência de contratos de suporte e manutenção atrelados. Não há competidores conhecidos no mercado brasileiro dentro da vertical financeira, por ser um modelo de comercialização mais recente. Um exemplo de empresa que atua nesse modelo de comercialização só que em outra vertical é a Salesforce. Em relação aos contratos de aluguel de licença celebrados pela Senior Solution, o prazo dos mesmos depende de negociação comercial. Normalmente são firmados em prazos que variam de 2 a 5 anos. Na maior parte dos casos são reajustados pelo IGP-M, sendo que também há uma alta proporção reajustada pelo IPCA e existem alguns casos de outros indexadores como IPC e INPC. Adotamos o IGPM como premissa de nossa projeção. Ainda sobre os contratos, vale ressaltar que em relação às possíveis quebras antes do vencimento, a direção da empresa informa que geralmente há multas variando de um a seis meses de mensalidade, ou então 50% do valor remanescente do contrato. Se houver rescisão após o vencimento, geralmente há aviso prévio com pelo menos um mês de antecedência. Os pênaltis por quebra de contrato raramente são acionados, uma vez que as empresas têm necessidade de continuar usando o sistema e há um alto custo de substituição. Porem, vale reiterar que a empresa explica que há cláusulas de proteção para perda de receitas. Seus principais concorrentes, por cada segmento onde atua na vertical financeira são: Em tesouraria: Grupo CRK, Infotreasury e Tema Sistemas. Em seguros: I4PRO, Kiman Solutions, Ampsoft e Sistran Em Canais de Atendimento: Pandata Informática, Fóton Informática e Opus Software. Em Investimentos: YMF, Brain Financial Systems, Investools e Valemobi. Alguns players importantes em outros segmentos da vertical financeira são: Em Crédito: att/ps, Disoft, Função, NeuroTech, Siacorp, View, Vivere e ZetraSoft. Em Risco: C&M, FHS, Luz, Maps, Mvar e UB. Em Câmbio: Change e TreeSolution. Em Core banking : Matera, Autbank e Softpar. Um dos pontos cruciais para empresas como a Senior Solution é a qualificação de sua mão-de-obra. A empresa é muito reconhecida entre os profissionais do meio como uma excelente casa para se trabalhar. Todavia, não escapa do turn over de

6 pessoal de 36% a.a., no mesmo nível do setor. Por esta razão, não trabalhamos com o fator de reajuste médio pleiteado pelo sindicato de 7,5% (o dissídio é dia 01/jan) e nem repasse integral da inflação. Como um terço do pessoal sai anualmente, as novas contratações garantem pisos menores em termos remuneratórios. Os reajustes médios situaram-se na casa de 3% a 4% nos últimos anos, segundo informação da empresa. Em relação ao segmento de consultoria, a Senior Solution atua através da Controlbanc, especializada em consultoria estratégica e de processos para instituições financeiras, atendendo às seguintes demandas: Montagem de negócios Estratégia e planejamento Organização Engenharia de processos Tecnologia da Informação Recursos humanos O expertise dessa consultoria é a montagem de instituições financeiras. Como dissemos anteriormente, é muito difícil uma instituição financeira trocar seu fornecedor de soluções em TI pelo alto custo. Dessa forma, ao auxiliar na montagem de uma nova instituição a Controlbanc pode servir como uma porta de entrada para a Senior Solution e suas soluções integradas. Esse é o racional de manter um negócio desses que, de certa forma, não faz parte do core business. A Controlbanc pretende se situar num nicho entre as Big Four (PricewaterhouseCoopers, Deloitte Touche Tohmatsu, KPMG e Ernst & Young) e os consultores independentes. No 2T14, a Receita Operacional Líquida da Controlbanc foi de R$ 1,56 MM, representando expansão de 55,7% sobre o 2T13, em decorrência da Resolução Vale lembrar que o assunto que essa resolução do BC trata é o seguinte: estabelece as diretrizes que devem ser observadas na regulamentação, na vigilância e na supervisão das instituições de pagamento e dos arranjos de pagamento integrantes do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), de que trata a Lei nº , de 9 de outubro de Todavia, a Senior Solution deixou claro que mesmo quando a Resolução deixar de ser o principal ponto de demanda a Controlbanc direcionará seus esforços para um pipeline significativo com outras possibilidades. No segmento de serviços vale destacar que essa unidade realiza projetos de desenvolvimento de software sob medida (não associados aos softwares de prateleira) e também, faz projetos de implantação, integração e customização dos sistemas da Senior Solution (associados aos softwares). Como exemplos, as áreas de atuação abrangem fábrica de requisitos e especificações técnicas e funcionais, fábrica de software, programas, testes, gestão e escritório de projeto, ou seja, em todas as etapas do desenvolvimento de software (projetos end-to-end). E por fim, mas não menos importante, temos o segmento de outsourcing. Trata-se do suporte e a manutenção de sistemas em importantes instituições financeiras, que podem ter sido desenvolvidos pelos próprios clientes (legados), por outros fornecedores ou na unidade de Serviços da própria Senior Solution. Com isso, os clientes dessa unidade de negócios podem recorrer à Senior Solution para (i) terceirizar atividades de apoio ao negócio permanecendo focadas no core; (ii) utilizar a terceirização para atender a demandas pontuais por capacidade da área de tecnologia; ou (iii) utilizar a terceirização como forma para acessar mão-de-obra especializada no negócio financeiro.

7 PROJEÇÕES DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PARA CINCO ANOS R$ MM 2013 (R) 2014 (P) 2015 (P) 2016 (P) 2017 (P) 2018 (P) ATIVO CIRCULANTE 50,4 69,3 75,7 80,0 86,3 100,1 DISPONÍVEL 42,1 58,9 62,8 64,3 67,5 78,0 CLIENTES 5,5 7,6 10,0 12,6 15,4 18,6 ESTOQUE 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 OUTROS 2,7 2,8 3,0 3,2 3,3 3,5 REALIZÁVEL A LP 3,7 3,8 3,8 3,8 3,9 3,9 PERMANENTE 25,4 24,4 42,0 59,1 75,5 91,2 ATIVO TOTAL 79,5 97,4 121,6 142,9 165,6 195, (R) 2014 (P) 2015 (P) 2016 (P) 2017 (P) 2018 (P) PASSIVO CIRCULANTE 11,4 14,1 21,6 27,5 30,4 35,3 FORNECEDORES 0,6 0,9 1,2 1,6 2,0 2,5 FINANCIAMENTOS 1,5 1,1 1,3 3,3 1,7 1,6 DIVIDENDOS 0,0 4,3 4,7 5,6 7,0 8,6 OUTROS 9,3 7,8 14,4 16,9 19,7 22,7 EXIGÍVEL LP 11,0 15,8 20,9 22,4 24,9 28,5 PATRIMÔNIO LÍQ. 57,1 67,5 79,1 93,0 110,3 131,4 PASSIVO TOTAL 79,5 97,4 121,6 142,9 165,6 195,3 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 2013 (R) 2014 (P) 2015 (P) 2016 (P) 2017 (P) 2018 (P) RECEITA LÍQUIDA 51,2 71,1 93,2 117,8 144,3 173,6 CPV (32,0) (43,7) (57,9) (74,2) (90,6) (109,6) DESP. OPERACIONAIS (13,8) (18,2) (21,5) (25,3) (29,2) (33,0) EBITDA 6,2 10,7 15,4 20,6 27,4 34,7 MARGEM EBITDA % 12,1% 15,0% 16,5% 17,5% 19,0% 20,0% RES. FINANCEIRO LÍQUIDO 2,7 4,4 6,0 5,6 5,4 5,4 EQUIV. PATR. E OUTROS 0,1 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 IMPOSTOS (1,7) 1,1 (3,7) (4,5) (5,6) (6,8) LUCRO LÍQUIDO 6,4 14,7 16,2 19,5 24,3 29,7 FLUXO DE CAIXA OPERACIONAL 2013 (R) 2014 (P) 2015 (P) 2016 (P) 2017 (P) 2018 (P) EBITDA 10,7 15,4 20,6 27,4 34,7 CAPITAL DE GIRO (1,8) (2,0) (2,2) (2,5) (2,7) (=) FLUXO DE CAIXA DA ATIVIDADE 8,9 13,4 18,4 25,0 32,1 (-) IR E CS (0,2) 1,1 (3,7) (4,5) (5,6) (-) INVESTIMENTOS (0,4) (0,5) (0,5) (0,6) (0,6) (-/+) OUTRAS MOVIMENTAÇÕES (0,0) (18,8) (18,8) (18,8) (18,8) (=) FLUXO CAIXA OPERACIONAL 8,3 (4,7) (4,6) 1,1 7,1 WACC 9,7% 9,4% 9,0% 8,6% 8,6% DESPESAS FINANCEIRAS (1,8) (2,3) (4,8) (8,8) (9,0) (=) FLUXO CAIXA DO ACIONISTA 6,4 (7,0) (9,4) (7,7) (1,9) MÚLTIPLOS E INDICADORES 2013 (R) 2014 (P) 2015 (P) 2016 (P) 2017 (P) 2018 (P) PREÇO/LUCRO 16,2 7,1 6,4 5,3 4,3 3,5 DIVIDEND YIELD -x- 4,1% 4,5% 5,4% 6,8% 8,3% PAY OUT -x- 29,0% 29,0% 28,9% 28,9% 28,9% DÍVIDA LÍQUIDA (R$ MM) (36,7) -x- -x- -x- -x- -x- % DE DÍVIDA DE CURTO PRAZO 27,3% 28,0% 26,2% 66,9% 51,5% 27,9% DÍVIDA S/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 9,6% 5,9% 6,1% 5,4% 2,9% 4,2% DÍVIDA LIQUIDA S/EBITDA (5,9) -x- -x- -x- -x- -x- ROE (%) 11,2% 21,7% 20,5% 21,0% 22,0% 22,6% ROIC (%) 21,5% 33,9% 33,2% 30,4% 31,3% 32,6% MARGEM BRUTA 37,5% 38,5% 37,9% 37,0% 37,2% 36,9% MARGEM EBITDA 12,1% 15,0% 16,5% 17,5% 19,0% 20,0% MARGEM LÍQUIDA 12,5% 20,6% 17,4% 16,6% 16,8% 17,1% RECEITA LÍQUIDA -x- 38,9% 31,1% 26,4% 22,5% 20,3% EBIT -x- 71,1% 51,4% 32,3% 33,2% 27,0% EBITDA -x- 72,8% 44,6% 33,6% 33,0% 26,7% LUCRO LÍQUIDO -x- 129,9% 10,3% 20,6% 24,4% 22,3%

8 CM EQUITYRESEARCH Marco Aurélio Barbosa, CNPI (011) r.127 CM RESEARCH Camila Abdelmalack, Economista (011) r. 166 Jessica Strasburg, Economista (011) r.243 CM EQUITIES Mesa Institucional (011) Mesa CMPlus (011) Informações Importantes Este material foi elaborado em nome da CM Capital Markets CCTVM Ltda. para uso exclusivo de seus clientes, sendo destinado a pessoas físicas e jurídicas, e está sujeito às regras e supervisão da Comissão de Valores Mobiliários e Banco Central do Brasil, estando em conformidade com as disposições da Instrução da CVM n 483/10. Vale destacar que os Comentários, Análises e Projeções contidas neste trabalho foram elaboradas de forma absolutamente independente das posições detidas por esta instituição, refletindo a opinião pessoal dos analistas que as avaliam. De acordo com a Instrução CVM 483/10 art 16º, o analista credenciado Marco Aurélio Barbosa que, sem prejuízo da responsabilidade de qualquer coautor, é o responsável principal pelo conteúdo do relatório e pelo cumprimento do disposto na presente Instrução. Este trabalho é fornecido ao seu destinatário com a exclusiva finalidade de apresentar informações e os valores mobiliários de que trata, não se constituindo de forma alguma numa oferta de venda ou uma solicitação para compra de ações. As informações utilizadas para sua elaboração foram obtidas de fontes públicas e/ou diretamente junto à(s) companhias(s), objeto da análise. Consideramos estas fontes confiáveis e de boa fé, porém não há nenhuma garantia, expressa ou implícita, sobre sua exatidão. As informações, opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e estão sujeitas à variações e mudanças, que não implicam na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal mudança. As opiniões aqui contidas a respeito da compra, venda ou manutenção dos papéis das companhias em análise ou a ponderação de tais valores mobiliários numa carteira teórica expressam o melhor julgamento dos analistas responsáveis por sua elaboração, porém não devem ser tomadas por investidores como recomendação para uma efetiva tomada de decisão ou realização de negócios de qualquer natureza. Desta forma, a CM Capital Markets e os analistas envolvidos em sua elaboração não aceitam responsabilidade por qualquer perda direta ou indireta decorrente da utilização do conteúdo deste documento.

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 19/02/2010 CETIP S.A BALCÃO ORGANIZADO DE ATIVOS E DERIVATIVOS A Companhia A CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos ( Companhia ou CETIP ) opera o maior Mercado Organizado para Ativos de

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Equity Research. Relatório de Análise. Saindo da mesmice, Small Caps no radar dos investidores

Equity Research. Relatório de Análise. Saindo da mesmice, Small Caps no radar dos investidores 5 de agosto de 2013 Saindo da mesmice, Small Caps no radar dos investidores A BM&FBovespa firmou um convênio com a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (APIMEC),

Leia mais

Equity Research. Relatório de Análise. Ainda à espera de aquisição

Equity Research. Relatório de Análise. Ainda à espera de aquisição Ainda à espera de aquisição 16 de setembro de 2014 SENIOR SOLUTION NEUTRO Preço Justo: 11,97/ação Cotação Atual: R$ 8,90/ação Upside: 34,5% Ticker Lucas Marins, CNPI lmarins@invistaativa.com.br +55 21

Leia mais

Memorando de Aquisição - Drive

Memorando de Aquisição - Drive Memorando de Aquisição - Drive Contatos de RI Thiago Rocha Diretor de RI thiago.rocha@seniorsolution.com.br (11) 2182-4922 Jaqueline Visentin Analista de RI jaqueline.visentin@seniorsolution.com.br (11)

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

COMPRA. Relatório de Acompanhamento Porto Seguro S.A. A história da Porto Seguro tem como marco inicial a comercialização de seguros por

COMPRA. Relatório de Acompanhamento Porto Seguro S.A. A história da Porto Seguro tem como marco inicial a comercialização de seguros por COMPRA Código em Bolsa PSSA3 Setor de Atuação Seguros Categoria 1 Linha Cotação Atual R$ 22,5 Preço Alvo R$ 32,7 Potencial de Valorização 42,52% Preço / Lucro (11E) 13,28 Preço / Vendas (11E),76 Preço

Leia mais

Investmania Video Chat 3T13 19/11/2013

Investmania Video Chat 3T13 19/11/2013 Investmania Video Chat 3T13 19/11/2013 1 A Senior Solution 2 Resultados do 3T13 3 Perguntas e respostas 2 A Senior Solution Pioneirismo e liderança na vertical financeira Atuação desde 1996 no setor de

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 23/07/2010 AMIL S.A. A Companhia COMPRA Código em Bolsa AMIL3 Setor SAÚDE Cotação em 15/07/10 R$ 15,00 Preço Alvo R$ 20,60 Potencial de Valorização 37,33% Valor de Mercado (em mil) R$ 5.426.775 Cotação

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Equity Research. Relatório de Análise. Saindo da mesmice, Small Caps no radar dos investidores

Equity Research. Relatório de Análise. Saindo da mesmice, Small Caps no radar dos investidores 16 de dezembro de 2013 Saindo da mesmice, Small Caps no radar dos investidores A BM&FBovespa firmou um convênio com a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (APIMEC),

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam

Leia mais

Governança corporativa: vida real Governança corporativa em empresa de capital aberto (Bovespa Mais) Julho de 2015

Governança corporativa: vida real Governança corporativa em empresa de capital aberto (Bovespa Mais) Julho de 2015 Governança corporativa: vida real Governança corporativa em empresa de capital aberto (Bovespa Mais) Julho de 2015 Introdução A Senior Solution é a principal fornecedora de softwares aplicativos para o

Leia mais

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda. Suas unidades de negócio estão divididas em:

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda. Suas unidades de negócio estão divididas em: 23/04/2010 FERTILIZANTES FOSFATADOS S.A. - FOSFERTIL A Companhia COMPRA Código em Bolsa FFTL4 Setor FERTILIZANTES Cotação em 08/04/10 R$ 17,27 Preço Alvo R$ 28,43 Potencial de Valorização 64,61% Valor

Leia mais

2T15 CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA

2T15 CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA São Paulo, 06 de agosto de 2015. A Linx S.A. (BOVESPA: LINX3; Bloomberg: LINX3:BZ e Reuters: LINX3.SA), líder em tecnologia de gestão empresarial para

Leia mais

NUTRIPLANT ON (NUTR3M)

NUTRIPLANT ON (NUTR3M) NUTRIPLANT ON (NUTR3M) Cotação: R$ 1,79 (18/06/2014) Preço-Alvo (12m): R$ 2,10 Potencial de Valorização: 18% 4º. Relatório de Análise de Resultados (1T14) Recomendação: COMPRA P/L 14: 8,0 Min-Máx 52s:

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 O FII BTG Pactual Corporate Office Fund é um fundo de investimento imobiliário do tipo corporativo, ou seja, tem como objetivo investir em ativos imobiliários

Leia mais

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011 Contax Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI Janeiro de 2011 SEÇÃO 1 Racional da Transação 2 A Líder no Mercado de Contact Center no Brasil A Contax Líder no mercado com ampla base de clientes Fundada

Leia mais

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 DASA divulga receita bruta de R$ 640,4 milhões e geração de caixa operacional de R$ 43,3 milhões no 1T13 Romeu Cortes Domingues Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

1T15 CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA

1T15 CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA São Paulo, 07 de maio de 2015. A Linx S.A. (BOVESPA: LINX3; Bloomberg: LINX3:BZ e Reuters: LINX3.SA), líder em tecnologia de gestão empresarial para o

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 02/06/2010 YARA BRASIL FERTILIZANTES S.A. A Companhia A Yara International ASA é uma empresa global especializada em produtos agrícolas e agentes de proteção ambiental. A empresa, sediada em Oslo, tem

Leia mais

2T14 CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA

2T14 CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA CRESCIMENTO DA RECEITA, DO EBITDA E DO LUCRO CAIXA São Paulo, 7 de agosto de 2014. A Linx S.A. (BOVESPA: LINX3; Bloomberg: LINX3:BZ e Reuters: LINX3.SA), líder em tecnologia de gestão empresarial para

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 3T09

Teleconferência de Resultados do 3T09 Teleconferência de Resultados do 3T09 2 Destaques do trimestre O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas e confirmou os resultados esperados de

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012 Apresentação de Resultados 4T11 1º de Março de 2012 Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia, Argentina e Peru Líder na América Latina em serviços de relacionamento com consumidores

Leia mais

Demonstrativo de Preço

Demonstrativo de Preço 11:24 1/13 Demonstrativo de Preço 1. Sumário das Análises Apresentadas Nas análises apresentadas nesse documento demonstramos: (i) Como foi atingido o valor implícito da Telemig Celular (Operadora) (ii)

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto)

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) Bibliografia Básica: FANOR MBA Internacional - Finanças DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) CONTATOS: www.netofeitosa.com.br contato@netofeitosa.com.br (85)

Leia mais

Aquisição da Microlins. Agosto 2008

Aquisição da Microlins. Agosto 2008 Aquisição da Microlins Agosto 2008 Overview da Transação A Anhanguera adquiriu uma participação de 30% na Microlins, a maior rede de cursos profissionalizantes do país Overview 657 franquias em todo Brasil

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Anúncio de Reestruturação Financeira

Anúncio de Reestruturação Financeira Anúncio de Reestruturação Financeira 1 Considerações Futuras Algumas informações sobre o Plano de Reestruturação Financeira da Companhia apresentam nossas expectativas sobre o resultado que poderemos obter

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Ratings - Rio de Janeiro, xx de outubro de 2015: A Fitch Ratings publicou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo A-(bra) (A menos(bra))

Leia mais

04 de maio de 2015. A Carteira Dinâmica apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015

04 de maio de 2015. A Carteira Dinâmica apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015 A apresentou valorização de 5,03% em abril, acumulando alta de 5,24% em 2015 Período: 04/05 a 08/05 Com base em análises fundamentalistas, apresentamos alternativas de investimento no curto prazo. Acreditamos

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T10

Apresentação de Resultados 3T10 Apresentação de Resultados 3T10 09 de Novembro de 2010 Agenda 1. Desempenho do Período 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa 5. Estratégia

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 14/04/2010 CIA BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV A Companhia COMPRA Código em Bolsa AMBV4 Setor BEBIDAS Cotação em 01/04/10 R$ 162,50 Preço Alvo R$ 207,12 Potencial de Valorização 27,46% Valor de Mercado (em

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 3T15 10 de novembro de 2015 Magazine Luiza Destaques do 3T15 Vendas E-commerce Ganho de participação de mercado com aumento da margem bruta Receita bruta consolidada de R$2,4

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 08/03/2010 M.DIAS BRANCO S.A IND. COM. ALIMENTOS A Companhia COMPRA Código em Bolsa MDIA3 Setor Alimentos Cotação em 08/03/10 R$ 45,20 Preço Alvo R$ 56,83 Potencial de Valorização 25,72% Valor de Mercado

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Relatório Analítico 19 de abril de 2012

Relatório Analítico 19 de abril de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa AM BV4 Segmento de Atuação Principal Alimentos Categoria segundo a Liquidez 1 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 80,99 Valor Econômico por Ação (R$) 81,05 Potencial

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Objeto Estabelecer uma política adequada de gerenciamento de riscos financeiros, de modo a resguardar as empresas do grupo Endesa Brasil de

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor Reestruturação Societária Grupo Criando Valor Novembro, 1999 Índice 8 Visão Geral da Reestruturação 2 8 Passos da Reestruturação 3 8 Benefícios da Reestruturação 4 8 Bases da Reestruturação 5 8 As Relações

Leia mais

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história Resultados do 4 o Trimestre de 2006 Cotações (28/12/06) ROMI3 - R$ 158,00 ROMI4 - R$ 146,50 Valor de Mercado R$ 999,0 milhões Quantidade de Ações Ordinárias: 3.452.589 Preferenciais.: 3.092.882 Total:

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Maio de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Teleconferência. Resultados do 2 o Trimestre de 2007

Teleconferência. Resultados do 2 o Trimestre de 2007 Teleconferência Resultados do 2 o Trimestre de 2007 Aviso Legal Este documento contém declarações futuras, que podem ser identificadas por palavras como espera, pretende, planeja, acredita, procura, estima

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Projeções dos Demonstrativos Contábeis. Prof. Isidro

Projeções dos Demonstrativos Contábeis. Prof. Isidro Projeções dos Demonstrativos Contábeis Prof. Isidro Planejamento Financeiro O planejamento financeiro de uma empresa busca determinar suas necessidades de caixa e é feito em dois níveis: Curto prazo (operacional)

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Relações com Investidores Agenda 1. Destaques 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

COMO ORGANIZAR A APRESENTAÇÃO DOS INDICADORES ECONÔMICOS E FINANCEIROS (COLOCANDO-OS DEBAIXO DOS 3 DETERMINANTES DO RETORNO SOBRE

COMO ORGANIZAR A APRESENTAÇÃO DOS INDICADORES ECONÔMICOS E FINANCEIROS (COLOCANDO-OS DEBAIXO DOS 3 DETERMINANTES DO RETORNO SOBRE UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 5 COMO ORGANIZAR A APRESENTAÇÃO DOS INDICADORES ECONÔMICOS E FINANCEIROS (COLOCANDO-OS DEBAIXO DOS 3 DETERMINANTES DO RETORNO SOBRE O PATRIMÔNIO LÍQUIDO) Retorno Sobre o Patrimônio

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13

Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Relatório Econômico Mensal JANEIRO/13 Índice INDICADORES FINANCEIROS 3 PROJEÇÕES 4 CENÁRIO EXTERNO 5 CENÁRIO DOMÉSTICO 7 RENDA FIXA 8 RENDA VARIÁVEL 9 Indicadores Financeiros Projeções Economia Global

Leia mais

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO

SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO SOCINAL S.A- CRÉDITO FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CAPITAL - EXERCICIO 2014 SUMÁRIO 1. Introdução; 2. Política Institucional para Gestão do Risco de Capital; 3. Estrutura,

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA quarta-feira, 1 de abril de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA quarta-feira, 1 de abril de 2015 quartafeira, 1 de abril de 2015 1. Alocação recomendada para Abril de 2015 Classe de Ativo Coservadora Moderada Agressiva Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo PósFixado

Leia mais

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software

Senado Federal. O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática O BNDES e o Apoio ao Setor de Software Alan Fischler Área Industrial Depto das Industrias de TICs 11/04/2012 Brasília

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de IGP-M Futuro de IGP-M Ferramenta de gerenciamento de risco contra a variação do nível de preços de diversos setores da economia O produto Para auxiliar o mercado a se proteger

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados;

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados; Guia de Fundos de Investimento A CMA desenvolveu o Guia de Fundos de Investimento para você que quer se familiarizar com os princípios básicos do mercado financeiro, ou que tem interesse em aprofundar

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco

O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco O apoio do BNDES à Inovação por meio do Capital de Risco CNI-MEI São Paulo, 19 de outubro de 2015 Agenda Atuação da BNDESPAR em Capital de Risco Participações diretas Participações por meio de Fundos de

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11 10 de Agosto de 2011

Apresentação de Resultados 2T11 10 de Agosto de 2011 Apresentação de Resultados 2T11 10 de Agosto de 2011 Relações com Investidores Agenda 1. Destaques 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas:

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas: CASHFLOW OU FLUXO DE CAIXA 1. CONCEITO É um demonstrativo que reflete dinamicamente o fluxo do disponível da empresa, em um determinado período de tempo. 2. FINALIDADES 2.1. Evidenciar a movimentação dos

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Sul em ações 26 de novembro de 2008

Sul em ações 26 de novembro de 2008 Sul em ações 26 de novembro de 2008 A Bematech é bi-campeã do prêmio do IBGC de melhor governança Corporativa dentre as empresas listadas na Bovespa. Expansão do Varejo e Necessidade de Investimento em

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Divulgação dos Resultados 1T08. 08 de Maio de 2008

Divulgação dos Resultados 1T08. 08 de Maio de 2008 1 Divulgação dos Resultados 1T08 08 de Maio de 2008 Divulgação dos Resultados Aviso 2 Apresentaremos, a seguir, informações gerais e resumidas relacionadas às atividades desempenhadas pela TOTVS até a

Leia mais

Análise Financeira II

Análise Financeira II UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO FACULDADE DE ECONOMIA, ADM CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Análise Financeira II Análise Financeira Empresarial da empresa Marcopolo S.A.

Leia mais

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012 Expomoney São Paulo Setembro de 2012 Contax Visão Geral Contact Center Brasil Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais serviços: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

15 de Outubro de 2015

15 de Outubro de 2015 out-14 nov-14 nov-14 dez-14 jan-15 jan-15 fev-15 mar-15 mar-15 abr-15 abr-15 mai-15 jun-15 jun-15 jul-15 jul-15 ago-15 set-15 set-15 jun-07 set-07 dez-07 mar-08 jun-08 set-08 dez-08 mar-09 jun-09 set-09

Leia mais

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures ALOG SOLUÇÕES DE TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA S.A., sucessora por incorporação de ALOG DATA CENTERS DO BRASIL S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2012 ALOG

Leia mais

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures

OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures OI S.A. (Atual denominação de Brasil Telecom S.A.) 8ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 Oi S.A. (atual denominação de BRASIL TELECOM S.A.) 8ª Emissão

Leia mais

Carteira Top Pick Dezembro 01.12.13

Carteira Top Pick Dezembro 01.12.13 CARTEIRA COMENTÁRIO Carteira Top Pick Dezembro 01.12.13 A carteira direcional recomendada pela equipe de analistas da Socopa Corretora é mensalmente avaliada buscando relacionar as cinco melhores opções

Leia mais

Resultados do 1T06 Teleconferência

Resultados do 1T06 Teleconferência Resultados do 1T06 Teleconferência 0 Considerações Iniciais AVISO - INFORMAÇÕES E PROJEÇÕES O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Rossi Residencial S.A. na data

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Análise e Avaliação Financeira de Investimentos

Análise e Avaliação Financeira de Investimentos 1 Análise e Avaliação Financeira de Investimentos O objetivo desse tópico é apresentar uma das metodologias de análise e avaliação financeira de investimentos. A análise de investimentos depende do ramo

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais