Sistema de Avaliação de Treinamento SAT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Avaliação de Treinamento SAT"

Transcrição

1 Sistema de Avaliação de Treinamento SAT Maria Ednei da Silva* *Analista de Recursos Humanos Sênior da Eletronorte. Administradora com Mestrado em Administração UnB. Especialização em Recursos Humanos. RESUMO A UCEL Universidade Corporativa da Eletronorte vem desenvolvendo programas intensivos de Educação Corporativa nos últimos anos, em função da competitividade exigida pelas empresas do setor elétrico. Um Sistema de Avaliação de Treinamento capaz de monitorar a eficiência e eficácia desses programas tornou-se imperioso na empresa. Com esse foco, a empresa implantou o Sistema de Avaliação de Treinamento SAT: um projeto de ponta que utiliza medidas de avaliação validadas cientificamente, tanto ao nível de reação, quanto ao nível de impacto do treinamento no trabalho. No SAT também é avaliado o Centro de Treinamento da Empresa, localizado na sede, Bem-Te- Vi Desenvolvimento e Educação Empresarial. Os resultados encontrados são encaminhados sistematicamente para as áreas clientes da empresa, instrutores, treinados e empresas fornecedoras desses programas. O SAT tem sido efetivo para a empresa, pois com base nos resultados encontrados nas avaliações de reação e de impacto do treinamento no trabalho, a UCEL reformula e introduz novas estratégias para a gestão da educação corporativa na Eletronorte. Palavras-chave: Educação Corporativa; Avaliação de Treinamento; Avaliação do Impacto do Treinamento no Trabalho.

2 INTRODUÇÃO A Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A (Eletronorte) é uma concessionária de serviço público de energia elétrica, sociedade anônima de economia mista, subsidiária das Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobrás, criada em 20 de junho de 1973, com sede no Distrito Federal e com Unidades Descentralizadas nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Tem como finalidade principal a realização de estudos, projetos, construção e operação de usinas geradoras e de sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica, diretamente ou por meio de suas subsidiárias integrais Boa Vista Energia S/A e Manaus Energia S/A, bem como a celebração de atos de comércio decorrentes dessas atividades. A Eletronorte tem investido substancialmente em Educação Corporativa, desde a sua criação, tendo em vista o fomento de uma cultura empresarial de excelência, nos moldes do Prêmio Nacional de Gestão Pública (PQGF), Prêmio Nacional da Qualidade (PNQ) e Total Productive Maintenance (TPM). A Universidade Corporativa da Eletronorte (UCEL), criada em 2002, vem intensificando programas de Treinamento, Desenvolvimento e Educação Empresarial, fortalecendo o capital humano da empresa, em função da competitividade exigida atualmente pelas empresas do setor elétrico. Esses programas compreendem ações educacionais presenciais e a distância, como também por meio da TV-Educativa Digital, que oferta programas de educação continuada On line. Um Sistema de Avaliação de Treinamento capaz de monitorar a eficiência e eficácia dos programas desenvolvidos tornou-se imperioso na empresa, sobretudo, em função dos altos custos envolvidos nessas ações. O Sistema de Avaliação de Treinamento (SAT) foi implantado na Eletronorte em 2000, com o objetivo de estabelecer medidas de avaliação fidedignas, científicas e sistematizadas das ações de educação adotadas na empresa. O SAT vem se consolidando na empresa, desde então, como estratégia eficaz para a monitoração da educação corporativa na Eletronorte. 1. MODELO DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO SAT O Sistema de Avaliação de Treinamento (SAT), da Eletronorte, foi baseado no modelo de avaliação de Hamblin (1978), que preconiza a avaliação de treinamento em cinco

3 níveis: Reação, Aprendizagem, Mudança de Comportamento no Cargo (Avaliação de Impacto), Organização (Mudanças Organizacionais) e Valor Final (Retorno Financeiro). A Figura 1, a seguir, apresenta os níveis de avaliação, conforme preconizado por Hamblin (1978): Avaliação de Reação Avaliação de Aprendizagem Avaliação do Impacto do Treinamento Avaliação das mudanças organizacionais Avaliação do retorno financeiro Figura 1. NÍVEIS DE AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO (HAMBLIN, 1978) (FONTE: SILVA, M.E. Gestão da Educação Corporativa na Eletronorte: estratégias visando à consolidação da Universidade Corporativa Eletronorte. Para Hamblin (1978) avaliação é o ato de julgar se o treinamento valeu a pena ou não em termos de algum critério de valor à luz da informação disponível. O SAT tem, portanto, o objetivo geral de fornecer informações contínuas e fidedignas à Eletronorte sobre a eficiência e eficácia das ações educacionais realizadas e/ou patrocinadas pela empresa. Tem os seguintes objetivos específicos: Avaliar a eficiência dos treinamentos realizados e/ou patrocinados pela Eletronorte, pela avaliação de reação; Avaliar a aprendizagem das competências adquiridas (conhecimentos, habilidades e atitudes) pela avaliação de aprendizagem; Avaliar o impacto do treinamento no trabalho, que tem como objetivo averiguar a transferência para o trabalho dos conhecimentos, habilidades e atitudes adquiridas na ação educacional, a melhoria do desempenho no trabalho, bem como o suporte organizacional encontrado pelo treinado (gerencial, social e material);

4 Avaliar as mudanças ocorridas na organização em função das ações educacionais realizadas. Essas mudanças vinculam-se diretamente ao alcance dos objetivos organizacionais e as mudanças comportamentais esperadas na força de trabalho; Avaliar o retorno financeiro dos treinamentos realizados. Refere-se à relação entre a avaliação das mudanças na organização e o retorno financeiro. Os dois últimos níveis ainda se encontram em fase de projeto com vistas à implantação futura na Eletronorte. Porém, sabe-se que as habilidades adquiridas, quando transferidas para o trabalho, aumentam o desempenho do indivíduo e, por conseqüência, o da organização. Muitos têm procurado fórmulas de avaliar o retorno financeiro do treinamento para a empresa; contudo, esse retorno pode ser percebido pelo aumento do ativo intangível da organização, como a sua performance no mercado. A Eletronorte é prova disso, face aos inúmeros prêmios de qualidade que vem recebendo nos últimos anos, o que naturalmente provocou aumento do seu ativo intangível. 2. MODELO TEÓRICO UTILIZADO NA CONSTRUÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO SAT Em função das especificidades da Eletronorte - cultura, suporte organizacional para a transferência do treinamento, política de recursos humanos e características dos colaboradores, foram estabelecidos objetivos de avaliação específicos para a empresa. A elaboração dos Questionários de Avaliação de Reação e de Avaliação de Impacto foi baseada nos conceitos de Hamblin (1978) e nos pressupostos teóricos do modelo MAIS (Borges-Andrade, 1982), conforme se apresenta a seguir (Figura 2):

5 AMBIENTE: APOIO PROCESSO AMBIENTE: NECESSIDADES INSUMOS PROCEDIMENTOS RESULTADOS AMBIENTE: RESULTADOS A LONGO PRAZO PROCESSO AMBIENTE: DISSEMINAÇÃO Figura 2 Insumo: refere-se aos fatores sociais e físicos, e aos estados comportamentais da clientela, anteriores ao processo de treinamento; Procedimentos: refere-se aos procedimentos instrucionais e outras ocorrências adotadas na situação de ensino/aprendizagem; Processos: mudanças ocorridas no comportamento dos treinandos durante o treinamento; Resultados: indicam o sucesso imediato ou fracasso dos treinamentos, que são os indicadores de aprendizagem; Ambiente: refere-se ao contexto do treinamento que influencia os seus resultados. Este componente é subdividido em quatro sub-componentes: avaliação de necessidades _ identifica as lacunas entre o que é ideal e o que é real, em termos de desempenho do futuro treinando; apoio ou suporte organizacional _ refere-se às variáveis do ambiente em que o treinando está inserido, que podem afetar os resultados instrucionais; disseminação _ diz respeito às estratégias de divulgação do treinamento; resultados a longo prazo _ refere-se ao impacto do treinamento no trabalho. 2.1 PROCESSO DE CONSTRUÇÃO E VALIDAÇÃO DOS QUESTIONÁRIOS Para a construção dos questionários utilizados no SAT, os técnicos da área de educação empresarial da Eletronorte foram capacitados nos pressupostos teóricos relatados anteriormente, a partir dos quais foram formulados os itens dos Questionários de Avaliação de Reação e de Impacto. Os questionários passaram por dois processos demorados e intensos de validação: validação semântica e validação psicométrica, o que lhes garantiu bons índices de precisão e consistência.

6 A Avaliação de Reação de Treinamento Interno abrange as seguintes categorias de avaliação: Desempenho do Instrutor; Desempenho dos Treinandos e Programação. A Avaliação de Reação de Treinamento Externo convergiu os seus itens em duas categorias de avaliação: Qualidade Instrucional e Apoio. A Avaliação de Reação de Treinamentos a Distância (Com Tutor) contempla as categorias: Desempenho do Tutor; Desempenho do Aluno; Quanto ao Curso. A Avaliação de Reação de Treinamentos a Distância (Sem Tutor) contempla as seguintes categorias: Processo de Aprendizagem do Aluno; Quanto ao Curso; Utilidade do Curso e Suporte Organizacional. A Avaliação de Reação de Treinamento Interno é aplicada nas atividades educacionais no último dia da ação, de forma presencial e a Avaliação de Reação de Treinamento Externo é enviada por ao participante, quando do retorno da atividade de educação. Os questionários de Avaliação de Reação de Treinamentos a Distância são disponibilizados para preenchimento no software que faz o gerenciamento da Universidade Corporativa da Eletronorte (UCEL) e os participantes são orientados pela coordenação para o seu preenchimento. A Avaliação de Aprendizagem é definida pelo respectivo instrutor, portanto, é elaborada e aplicada por ele nos cursos presenciais e pelo tutor/conteudista no caso do treinamento a distância. A Avaliação de Impacto do Treinamento no Trabalho também sofreu as análises estatísticas semântica e psicométrica e compreende três conjuntos de categorias: Objetivos Específicos do Treinamento; Suporte Organizacional e Impacto em Amplitude que avalia o impacto sobre os indicadores do TPM Manutenção Produtiva Total (Total Productive Maintenance) na Eletronorte. A Avaliação de Impacto do Treinamento no Trabalho é realizada tanto pelo colaborador treinado, quanto pelo seu gerente imediato e é aplicada, no mínimo, três meses após o término da ação educacional. 2.2 ANÁLISE DOS RESULTADOS E EMISSÃO DOS RELATÓRIOS O processo da avaliação de treinamento e emissão de relatórios é realizado por uma equipe específica na Sede e pelos Coordenadores de Treinamento nas Unidades Descentralizadas. Qualquer processo de avaliação envolve, em algum grau, variadas fontes de erro ou viés, como a subjetividade do avaliador, diferenças metodológicas e de

7 estilo. Para minimizar a fonte de viés, a equipe da sede sistematiza e padroniza a coleta de dados, análise e redação dos relatórios das avaliações de reação e de impacto de treinamento no trabalho. Os questionários preenchidos pelos treinados e respectivos gerentes são digitados no programa estatístico Statistical Package for the Social Science (SPSS), que gera tabelas descritivas de freqüências das médias gerais e desvios padrão, obtidas em cada uma das categorias dos instrumentos. A partir dos resultados obtidos, as informações são analisadas e é emitido o respectivo relatório. Os relatórios são encaminhados aos gerentes envolvidos na empresa, instrutores e treinados, gerencias da área de Educação Empresarial e empresas fornecedoras. Os dados encontrados também dão origem a relatórios gerenciais para a Eletronorte sobre o ranking das melhores empresas fornecedoras, de acordo com as médias encontradas nas avaliações de reação. Esse ranking é encaminhado para todas as gerências da empresa. Na sede, avalia-se, ainda, a qualidade do Centro de Treinamento da Eletronorte: BEM-TE-VI DESENVOLVIMENTO E EDUCAÇÃO EMPRESARIAL. 3. PARTICIPAÇÃO DO SAT NO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA EMPRESA Os dados do SAT mantêm perfeita interação com o Planejamento Estratégico da Eletronorte, uma vez que os resultados das avaliações das ações de educação desenvolvidas e/ou patrocinadas pela empresa retratam os indicadores de excelência da área de educação empresarial: Satisfação dos Treinados com as Ações Educacionais (STAE) e Impacto do Treinamento no Trabalho (ITT). Dentre os indicadores de desempenho empresariais contidos no Plano Estratégico da Empresa, encontra-se o Impacto do Treinamento no Trabalho (ITT), com a meta de 70%, para O quadro 1 a seguir apresenta a matriz desse indicador, conforme as metas do Desempenho Empresarial para : Quadro 1 Indicador e Meta para 2006 Perspectiva Aprendizado Objetivo Indicador Nível Unidade Metas 2006 Área

8 Assegurar a gestão de pessoas alinhadas com os desafios ITT* Resultado % 70% GSE Empresariais *ITT Impacto do Treinamento no Trabalho No Plano Estratégico da Eletronorte, ciclo 2006, o objetivo Aperfeiçoar Continuamente a Gestão Empresarial, indica a necessidade da otimização dos processos empresariais, pela certificação dos processos críticos segundo a norma ISO 9001:2000, a qual exige avaliações sistematizadas e documentadas dos produtos fornecidos aos clientes. Os resultados das avaliações de reação contribuíram e têm sido essenciais para a manutenção da certificação ISO 9001:2000, no processo denominado Projeto e Implementação de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas da Superintendência de Desenvolvimento e Educação Empresarial (GSE), por meio do indicador Satisfação dos Treinados com as Ações Educacionais (STAE). Na Eletronorte, o processo de educação corporativa contempla três etapas fundamentais e interdependentes (Figura 3), cada uma fornecendo informações importantes para a outra. PLANEJAMENTO É o processo de elaboração do Plano Diretor de Educação PDE, baseado no Plano Estratégico da Eletronorte e outros diagnósticos. EXECUÇÃO Projeto e Realização de todo o processo da ação educacional, Projeto e Implementação de Treinamento e Desenvolvimento de pessoas. AVALIAÇÃO É a mensuração da eficiência e eficácia da ação educacional, conforme metodologias adotadas no SAT. Figura 3 _ PROCESSO DE EDUCAÇÃO EMPRESARIAL NA ELETRONORTE

9 Os programas de educação corporativa são definidos em função dos objetivos estratégicos da Eletronorte, dos gaps encontrados na avaliação de desempenho dos empregados e das competências organizacionais. Espera-se que sejam eficientes e eficazes, ou seja, os treinados fiquem satisfeitos, adquiram as habilidades e as transfiram para o trabalho, apresentando impacto desses programas no trabalho e na organização, redundando, portanto, em resultados empresariais consistentes. O processo de educação corporativa da Eletronorte foi totalmente revolucionado após a implantação do Sistema de Avaliação de Treinamento (SAT). Os relatórios de avaliação de reação têm subsidiado constantes reformulações no projeto do treinamento, na performance do instrutor, na qualidade do material instrucional e na definição das características da clientela indicada para as atividades. As reformulações têm sido assimiladas e adotadas na área de educação empresarial, nas áreas clientes e demais áreas envolvidas na empresa. Também, tem-se estendido às empresas fornecedoras de treinamento. A Avaliação de Impacto do Treinamento no trabalho tem mostrado, sistematicamente, a importância da avaliação da necessidade do treinamento e do perfil da clientela envolvida, bem como do suporte gerencial existente na empresa para a transferência das habilidades adquiridas, sugerindo aos gestores da empresa maior critério nas indicações para treinamento e suporte organizacional. Atualmente, percebe-se uma nova cultura gerencial na empresa em relação ao processo de educação corporativa, tanto por parte da área gestora do processo _ havendo um significativo aumento da competência técnica para a negociação e planejamento dos treinamentos _, bem como por parte dos gerentes, os quais ganham maior conscientização para o cumprimento dos critérios na indicação para treinamento. A Eletronorte dispõe de um Sistema de Avaliação de Treinamento capaz de fomentar uma cultura corporativa de alto desempenho, pela obtenção de critérios científicos de avaliação, consolidando informações-chave sobre a educação corporativa que é desenvolvida na empresa. 4. PROCESSO DE COMUNICAÇÃO PARA O PÚBLICO INTERNO Um Sistema de Avaliação de Treinamento dessa natureza requer que os segmentos organizacionais tenham seus papéis bem definidos e que uma nova cultura de avaliação seja fomentada na Empresa. Em função disso, a Eletronorte elaborou uma

10 estratégia de disseminação e sensibilização para a colaboração desses segmentos no processo de avaliação, a fim de valorizarem o SAT. A sensibilização dos membros da organização como um todo é fundamental para esse processo. Inicialmente, apresentou-se o projeto para a empresa através do jornal Norte/News, no qual se detalhou todo o processo do SAT. Por ocasião da capacitação dos Coordenadores de Treinamento, foi entregue o Manual do SAT, com os conceitos, metodologias, instrumentos e procedimentos do projeto, inclusive nos aspectos técnicocientíficos, a fim de servir como guia na implantação local do sistema. Além disso, foi distribuída, na empresa, uma cartilha ilustrada que explicava o SAT, cujo teor, além de apresentar os objetivos de avaliação, níveis adotados, instrumentos e procedimentos utilizados, também sensibilizava os leitores para a adesão ao projeto, respondendo às avaliações e lendo os relatórios de reação e de impacto. Essas estratégias de endomarketing tiveram sucesso, pois hoje o corpo funcional, na maioria, responde às avaliações que são encaminhadas. 5. RESULTADOS OBTIDOS NA ELETRONORTE COM O SAT Os resultados obtidos com o SAT são robustos e mostram que produzem dados comparativos relevantes para a efetividade do processo de gestão da educação empresarial, fazendo parte da matriz de indicadores da Eletronorte. Os gráficos 1 e 2, a seguir, apresentam o resultado do indicador Satisfação dos Treinandos com as Ações Educacionais (STAE) e do Impacto do Treinamento no Trabalho (ITT) obtido na empresa no período de entre 2001 e Gráfico 1 Evolução do STAE - Satisfação dos Treinandos com as Ações Educaionais(Em Percentuais) Plenamente Satisfatório Medianamente Satisfatório Pouco Satisfatório

11 Evolução do STAE - Educação a Distância (Em Percentuais) % 80% 60% 40% 20% 0% Plenamente Satisfatório GRÀFICO 2 O indicador STAE tem se apresentado alto na Eletronorte, sobretudo com ações de educação a distância, indicando que a maioria dos treinados estão muito satisfeitos com as ações de educação realizadas, seja com relação ao projeto instrucional, ao desempenho do instrutor e ao desempenho dos treinandos. Sabe-se, entretanto, que reações favoráveis sobre a ação educacional não garantem a transferência das competências adquiridas. É preciso medir o impacto posterior que a ação educacional provoca no trabalho do treinado e também na organização. O Impacto do Treinamento no Trabalho (ITT) é um indicador de educação estratégico para a Eletronorte, pois demonstra a eficácia do treinamento para o trabalho do treinado. O Gráfico 3, a seguir, mostra a evolução desse indicador. GRÁFICO 3 Evolução do ITT - Impacto do Treinamento no Trabalho na Eletronorte (Em percentuais) Grande Impacto Moderado Impacto

12 Percebe-se que os resultados do ITT não se apresentam em um padrão crescente, como ocorre com os resultados da avaliação de reação. Entretanto, vale lembrar que o impacto _ compreendido como a transferência das habilidades ensinadas no treinamento para o trabalho, o suporte organizacional encontrado e o impacto sobre as metas de trabalho do TPM _ não depende apenas da qualidade do projeto instrucional ou do desempenho do instrutor, mas, sobretudo, do suporte gerencial e dos pares encontrado pelo treinado, bem como das características da clientela indicada. O Suporte Organizacional tem sido relatado na literatura como crucial para a transferência de treinamento. Conforme Freitas, Borges-Andrade, Abbad e Pilati (2006, p.490) o impacto de treinamento no trabalho é avaliado em termos da transferência de treinamento e pela influência dessa estratégia sobre o desempenho posterior do treinado. Segundo esses autores, transferência de treinamento é a aplicação correta, no ambiente de trabalho, de conhecimentos, habilidades e atitudes (CHAs) adquiridos nesses eventos instrucionais (ib. id. p.490). Segundo Abbad et al. (2001, p. 2), Impacto do Treinamento no Trabalho é a influência da ação sobre o desempenho, motivação e atitudes do treinado. É classificado em dois tipos: avaliação de impacto em amplitude ou em largura, que mede os efeitos gerais do treinamento sobre o desempenho do treinado e avaliação de impacto em profundidade, que mede o efeito do treinamento em tarefa estritamente relacionada ao conteúdo específico do curso. Entretanto, para Kozlowski et al. (2000, p.159), transferência de treinamento tem apenas duas distinções: transferências horizontais, que ocorrem por meio de diferentes rumos ou contextos, no mesmo nível da tarefa executada pelo indivíduo; e as transferências verticais, que se referem ao link entre os resultados do treinamento no indivíduo e na organização. A Avaliação de Impacto utilizada na Eletronorte é a de profundidade e de amplitude, uma vez que avaliam a transferência das competências adquiridas para o trabalho dos treinados, o suporte organizacional encontrado e o impacto sobre os indicadores específicos do TPM. Os resultados encontrados nas Avaliações de Impacto apontam para a necessidade de a Eletronorte prover maior suporte gerencial e social à transferência de treinamento, a fim de aumentar o impacto das ações de educação na empresa, uma vez que esse impacto tem sido mediano, na maioria dos eventos.

13 6. CONCLUSÃO Um sistema de avaliação de treinamento dessa natureza está apoiado em uma mudança de longo prazo nos valores empresariais, de forma a incluir na organização a cultura da mensuração contínua e objetiva dos processos e dos resultados das ações de educação empresarial. Os dados produzidos pelas avaliações de treinamento fornecem feedback contínuo ao sistema de gestão da educação corporativa na Empresa. A Eletronorte monitora a qualidade do projeto instrucional das ações de educação, assim como o impacto percebido no trabalho dos indivíduos treinados. Nas avaliações de impacto, a categoria pior avaliada pelos treinados tem sido o suporte organizacional, mais especificamente, o suporte psicossocial (gerencial e dos pares). Embora a Eletronorte tenha desenvolvido inúmeros Programas de Desenvolvimento Gerencial, ainda é percebido, pelos treinados, que falta encorajamento, acompanhamento e orientações dos gestores para a transferência das habilidades adquiridas em ações de educação. A empresa necessita investigar em que extensão o suporte organizacional é percebido pelos empregados, ou seja, o quanto ela valoriza a transferência das habilidades adquiridas em treinamento. Hoje, a cultura da empresa está consolidada no que se refere à avaliação de reação e de impacto, pois a maioria dos treinados e respectivos gestores colabora espontaneamente com o Sistema de Avaliação da organização. Na economia do conhecimento, informações precisas, fornecidas por análises científicas, são fatores-chave para as empresas alcançarem sucesso. Os dados encontrados nas avaliações são capazes de agregar valor ao processo de gestão da educação na Eletronorte. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABBAD, G; SALLORENZO, L. H. Desenvolvimento e validação de escalas de suporte à transferência de treinamento. Revista de Administração da USP, São Paulo, v. 36, n. 2, p , abr./jun BORGES-ANDRADE, J. E. Avaliação Somativa de Sistemas Instrucionais. Tecnologia Educacional,. v..xi, n.46, p ,1982.

14 CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S/A - ELETRONORTE. Manual do Sistema de Avaliação de Treinamento SAT. Brasília, p. CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S/A ELETRONORTE. Plano Estratégico da Eletronorte. Brasília, FREITAS, I.A. de et al. Medidas de impacto de TD&E no trabalho e nas organizações. In: BORGES-ANDRADE, J. B.; ABBAD, G.; MOURÃO, L. Treinamento, Desenvolvimento e Educação em Organizações e Trabalho. Porto Alegre: Artmed, cap. 24, p HAMBLIN, A. C. Avaliação e controle de treinamento. São Paulo: McGraw-Hill, KOZLOWSKI, S. W. J. et al. A Multilevel approach to training effectiveness: enhancing horizontal and vertical transfer. In: KOZLOWSKI, S.W.J. Multilevel Theory: research and methods in organizations. San Francisco: Jossey-Bass, cap. 4, p SILVA, M. E. Gestão da Educação Corporativa na Eletronorte: estratégias visando à consolidação da Universidade Corporativa Eletronorte UCEL. In: RICARDO E. J. (Org.) Gestão da Educação Corporativa. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007, cap. 10, p

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INOVAÇÃO E DA EDUCAÇÃO GTE

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INOVAÇÃO E DA EDUCAÇÃO GTE SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTE 04 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DE GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INOVAÇÃO E DA EDUCAÇÃO GTE

Leia mais

Relatório de Educação Corporativa. e Gestão do Conhecimento

Relatório de Educação Corporativa. e Gestão do Conhecimento Relatório de Educação Corporativa e Gestão do Conhecimento 2010 SUMÁRIO CREDO, ATRIBUIÇÕES E OBJETIVOS DA UCEL... 3 INTRODUÇÃO... 4 PLANO DIRETOR DE EDUCAÇÃO PDE... 6 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

COMUNICAÇÃO INTERNA DESAFIOS E ÊXITOS

COMUNICAÇÃO INTERNA DESAFIOS E ÊXITOS O gerenciamento do sistem,a COMUNICAÇÃO INTERNA DESAFIOS E ÊXITOS Dandare Manuelle Pereira (1) Historiadora formada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Trabalha desde 2012 na SANASA no cargo

Leia mais

SGD. Sistema de Gestão do Desempenho Sistema Eletrobras. Versão Final

SGD. Sistema de Gestão do Desempenho Sistema Eletrobras. Versão Final SGD Sistema de Gestão do Desempenho Sistema Eletrobras Versão Final 2 APROVAÇÕES Resolução da Diretoria Executiva da Eletrobras DEE - 508/09, de 10.06.2009. Deliberação do Conselho de Administração da

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Autoria: Isa Aparecida de Freitas

Autoria: Isa Aparecida de Freitas Título do Trabalho: A Avaliação de Desempenho é um Instrumento Adequado para Medir Impacto de Treinamento? Autoria: Isa Aparecida de Freitas Resumo Avaliar as contribuições do treinamento para a melhoria

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

ROI UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO SOBRE O RETORNO DO INVESTIMENTO EM TREINAMENTO.

ROI UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO SOBRE O RETORNO DO INVESTIMENTO EM TREINAMENTO. ROI UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO SOBRE O RETORNO DO INVESTIMENTO EM TREINAMENTO. Ronnie Joshé Figueiredo de Andrade Universidade Federal Fluminense Nathaly Ferreira da Silva Universidade

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Plano de Desenvolvimento Relação Ergonomia e Moda e Educação Corporativa Ilca Maria Moya de Oliveira Segundo Dutra (2004), a preparação para o futuro exige investimentos simultâneos: um na modernização

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA PRÁTICA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL 2009 GESTÃO PARA RESULTADOS RELATOR. Maria Tereza Gonçalves RESPONSÁVEIS

APRESENTAÇÃO DA PRÁTICA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL 2009 GESTÃO PARA RESULTADOS RELATOR. Maria Tereza Gonçalves RESPONSÁVEIS APRESENTAÇÃO DA PRÁTICA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL 2009 GESTÃO PARA RESULTADOS RELATOR Maria Tereza Gonçalves RESPONSÁVEIS Maria do Carmo Aparecida de Oliveira - (41) 3350-9565 - - - IMAP -

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO

GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS PARA A INOVAÇÃO Indicadores e Diagnóstico para a Inovação Primeiro passo para implantar um sistema de gestão nas empresas é fazer um diagnóstico da organização; Diagnóstico mapa n-dimensional

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil 9000 8000 8690 7000 6000 5000 4000 3000 4709 3948 2000 1000 29 4 0 Indústria Comércio e Serviços Agropecuária Código Nace Inválido TOTAL Fonte: Comitê

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

BUSINESS COACHING. A solução que faltava para sua empresa.

BUSINESS COACHING. A solução que faltava para sua empresa. A solução que faltava para sua empresa. Quem é a Net Profit? Com know-how de mais de 10 anos treinando e desenvolvendo pessoas, a Net Profit Brasil se tornou referência de empresa especializada no desenvolvimento

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP - 23 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO IX GRUPO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA

Leia mais

Pesquisa de Maturidade do GERAES. Data de aplicação: 21/02/08

Pesquisa de Maturidade do GERAES. Data de aplicação: 21/02/08 Pesquisa de Maturidade do GERAES Data de aplicação: 21/02/08 Pesquisa de Maturidade Metodologia MPCM / Darci Prado Disponível em www.maturityresearch.com Metodologia da pesquisa 5 níveis e 6 dimensões

Leia mais

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR

PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR PARANÁ ---------------------------- GOVERNO DO ESTADO PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTORES PARA O TERCEIRO SETOR CURITIBA Maio 2012 1 PROGRAMA TÍTULO: Formação de Gestores para o Terceiro Setor. JUSTIFICATIVA:

Leia mais

Seminário Telecentros Brasil

Seminário Telecentros Brasil Seminário Telecentros Brasil Inclusão Digital e Sustentabilidade A Capacitação dos Operadores de Telecentros Brasília, 14 de maio de 2009 TELECENTROS DE INFORMAÇÃO E NEGÓCIOS COMO VEÍCULO DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF

Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF Secretaria de Fiscalização de Pessoal Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na APF Fabiano Nijelschi Guercio Fernandes Auditor Federal de Controle Externo Brasília-DF, 25 de fevereiro de 2013

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com Quem somos? A BEATRIZ DEHTEAR KM apresenta a seus clientes uma proposta totalmente inovadora para implementar a Gestão do Conhecimento Organizacional. Nosso objetivo

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA COLÉGIO SESI ENSINO MÉDIO

GESTÃO ESTRATÉGICA COLÉGIO SESI ENSINO MÉDIO GESTÃO ESTRATÉGICA COLÉGIO SESI ENSINO MÉDIO Resumo Denis Pereira Martins 1 - SESI-PR Grupo de Trabalho Políticas Públicas, Avaliação e Gestão da Educação Básica Agência Financiadora: SESI PR O Sesi Paraná

Leia mais

Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011

Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 1 Lançamento do Planejamento Estratégico Nacional Brasília, 09 de novembro de 2011 2 Planejamento Estratégico Nacional do

Leia mais

Gestão de Pessoas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. 5.Mapeamento e análise de processos organizacionais. Indicadores de Desempenho.

Gestão de Pessoas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO. 5.Mapeamento e análise de processos organizacionais. Indicadores de Desempenho. Gestão de Pessoas CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 5.Mapeamento e análise de processos organizacionais. Indicadores de Desempenho. AULA 07 - ATPS Prof. Leonardo Ferreira 1 A Estrutura Funcional X Horizontal Visão

Leia mais

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6.

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6. Sumário Resumo de Qualificações... 2 Atuação no Mercado... 3 Formação Profissional... 5 Contatos... 6 Página 1 de 6 Resumo de Qualificações Consultora responsável pela organização e gestão da RHITSolution,

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit.

1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 1- Objetivo: Avaliar os conhecimentos adquiridos durante o auto treinamento de Governança de TI com as práticas da ITIL e Cobit. 2 Regras e Instruções: Antes de começar a fazer a avaliação leia as instruções

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

Francisco Cardoso SCBC08

Francisco Cardoso SCBC08 Formando profissionais para a sustentabilidade Prof. Francisco CARDOSO Escola Politécnica da USP Francisco Cardoso SCBC08 1 Estrutura da apresentação Objetivo Metodologia Resultados investigação Conclusão:

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Valério da Silva Ramos (*) Administrador de Empresas, pós-graduado em Gestão Econômica e Financeira

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos

Gestão por Processos. Gestão por Processos Gestão por Projetos. Metodologias Aplicadas à Gestão de Processos Gestão por Processos Gestão por Projetos Gestão por Processos Gestão de Processos de Negócio ou Business Process Management (BPM) é um modelo de administração que une gestão de negócios à tecnologia da

Leia mais

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO III Congresso Consad de Gestão Pública O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA SEPLAG Norma Maria Cavalcanti Alcoforado Painel 02/007 Avaliação de desempenho e remuneração variável O NOVO MODELO DE

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Consultoria: Alta Performance em Vendas

Consultoria: Alta Performance em Vendas MPRADO COOPERATIVAS Consultoria: Alta Performance em Vendas Apresentação: MPrado Consultoria Empresarial Uma das maiores consultorias em Agronegócio do Brasil; 15 anos de mercado; 70 Consultores em Gestão

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Implantação de Escritórios de Projetos para Aumento da Maturidade em Gestão nas Empresas de Distribuição da Eletrobras. Leonardo Lustosa, M.Sc.

Implantação de Escritórios de Projetos para Aumento da Maturidade em Gestão nas Empresas de Distribuição da Eletrobras. Leonardo Lustosa, M.Sc. Implantação de Escritórios de Projetos para Aumento da Maturidade em Gestão nas Empresas de Distribuição da Eletrobras Leonardo Lustosa, M.Sc., PMP Escritórios de Gestão de Projetos EGP Central Diretoria

Leia mais

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização

EIXO DE APRENDIZAGEM: CERTIFICAÇÃO E AUDITORIA Mês de Realização S QUE VOCÊ ENCONTRA NO INAED Como instituição que se posiciona em seu mercado de atuação na condição de provedora de soluções em gestão empresarial, o INAED disponibiliza para o mercado cursos abertos,

Leia mais

José Orlando Lima de Morais. Atividade de Portfólio caderno 06

José Orlando Lima de Morais. Atividade de Portfólio caderno 06 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ SECRETÁRIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO PARÁ. PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO José Orlando Lima de Morais Atividade de Portfólio

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 01/2010 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 2 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA...3 3. CONTEXTO...4

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações

A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações A Terceirização da Manutenção como Estratégia Competitiva nas Organizações Alessandro Trombeta Supervisor de Manutenção Valdemar Roberto Cremoneis Gerente Industrial Cocamar Cooperativa Agroindustrial

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Disciplina: Administração de Suporte e Automação Gerenciamento de Suporte Professor: Fernando Zaidan Ago-2009 1 2 Contexto Área de TI lugar estratégico

Leia mais

Conceitos essenciais em treinamento, desenvolvimento e educação de pessoas 1

Conceitos essenciais em treinamento, desenvolvimento e educação de pessoas 1 Manual de Treinamento Organizacional 15 Conceitos essenciais em treinamento, desenvolvimento e educação de pessoas 1 Objetivos Ao final deste capítulo, o leitor deverá ser capaz de: Definir os conceitos

Leia mais

Núcleo Estadual GesPública RS

Núcleo Estadual GesPública RS Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização GESPÚBLICA Núcleo Estadual GesPública RS Contexto do GESPÚBLICA no MINISTÉRIO Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão G E S P Ú B L I C A Conselho

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Uma Análise da Confiabilidade da Aplicação de um Questionário na Equipe de TI de uma Instituição de Saúde

Uma Análise da Confiabilidade da Aplicação de um Questionário na Equipe de TI de uma Instituição de Saúde Uma Análise da Confiabilidade da Aplicação de um Questionário na Equipe de TI de uma Instituição de Saúde Aluna: Karina Aparecida da Cruz Pinto Orientadora: Ms. Maria Ludovina Aparecida Quintans Sistemas

Leia mais

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR

O PAPEL DO GESTOR COMO MULTIPLICADOR Programa de Capacitação PAPEL D GESTR CM MULTIPLICADR Brasília 12 de maio de 2011 Graciela Hopstein ghopstein@yahoo.com.br Qual o conceito de multiplicador? Quais são as idéias associadas a esse conceito?

Leia mais

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG 1 Introdução Texto para discussão Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG Como resultado da coleta de subsídios para aperfeiçoamento da gestão da carreira de Especialista em Políticas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

X PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICAS E IDEIAS INOVADORAS NA GESTÃO ESTADUAL

X PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICAS E IDEIAS INOVADORAS NA GESTÃO ESTADUAL X PRÊMIO SUL-MATO-GROSSENSE DE GESTÃO PÚBLICA CATEGORIA PRÁTICAS E IDEIAS INOVADORAS NA GESTÃO ESTADUAL 1. Nome da prática ou ideia inovadora: Programa Canal de Ideias, sistema de sugestões. 2. Caracterização

Leia mais

BPM Congress 27 e 28-11-2012. Palestrante: Ranussy Gonçalves

BPM Congress 27 e 28-11-2012. Palestrante: Ranussy Gonçalves BPM Congress 27 e 28-11-2012 Palestrante: Ranussy Gonçalves O SEBRAE-MG Mais de 700 funcionários Orçamento para 2012 de mais de R$ 185 milhões 130 mil empresas atendidas em 2011 e 150 mil para 2012 O início

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.3 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 QUALIDADE DE SOFTWARE Objetivos: Introduzir os três modelos para implementar

Leia mais

Secretaria de Estado da Administração e da Previdência Departamento de Recursos Humanos Escola de Governo do Paraná SÍNTESE DAS EMENTAS PROPOSTAS

Secretaria de Estado da Administração e da Previdência Departamento de Recursos Humanos Escola de Governo do Paraná SÍNTESE DAS EMENTAS PROPOSTAS 1º MÓDULO: SÍNTESE DAS EMENTAS PROPOSTAS Economia e Sociedade do Conhecimento: Conceitos básicos: economia da informação e conhecimento. Investimentos tangíveis e intangíveis. Gestão do Conhecimento e

Leia mais

Reflexões sobre a Política de Capacitação na Administração Pública Federal. Brasília Julho 2009

Reflexões sobre a Política de Capacitação na Administração Pública Federal. Brasília Julho 2009 Reflexões sobre a Política de Capacitação na Administração Pública Federal Brasília Julho 2009 Mudanças que ocorrem no comportamento do indivíduo, não resultantes unicamente da maturação, mas de sua interação

Leia mais

ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL

ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL ABORDANDO OS PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS PARA TREINAMENTO LABORAL Antonia Maria Gimenes 1, Renato Nogueira Perez Avila 2 Cleiton Riz Aleixo 3, Jakeline da Silva 4 Thayane C. Anjos Afonso 5 RESUMO Este estudo

Leia mais

GUIA DO SGD. Transformação SISTEMA ELETROBRÁS. Conheça mais sobre o novo Sistema de Gestão do Desempenho (SGD) que entrará

GUIA DO SGD. Transformação SISTEMA ELETROBRÁS. Conheça mais sobre o novo Sistema de Gestão do Desempenho (SGD) que entrará GUIA DO SGD Conheça mais sobre o novo Sistema de Gestão do Desempenho (SGD) que entrará em vigor em todas as empresas do Sistema Eletrobrás ainda este ano. Transformação SISTEMA ELETROBRÁS A T R A N S

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

MELHORIA DE SERVIÇO CONTINUADA ITIL FOUNDATION V3 Conteúdo deste resumo deve ser contemplado com a leitura do livro ITIL Melhoria de Serviço

MELHORIA DE SERVIÇO CONTINUADA ITIL FOUNDATION V3 Conteúdo deste resumo deve ser contemplado com a leitura do livro ITIL Melhoria de Serviço MELHORIA DE SERVIÇO CONTINUADA ITIL FOUNDATION V3 Conteúdo deste resumo deve ser contemplado com a leitura do livro ITIL Melhoria de Serviço Melhorias continuas Proporcionar um Guia Prático para avaliar

Leia mais

Janeiro 2009. ELO Group www.elogroup.com.br Página 2

Janeiro 2009. ELO Group www.elogroup.com.br Página 2 de um Escritório - O Escritório como mecanismo para gerar excelência operacional, aumentar a visibilidade gerencial e fomentar a inovação - Introdução...2 Visão Geral dos Papéis Estratégicos... 3 Papel

Leia mais

BALANCED SCORECARD. Balanced Scorecard

BALANCED SCORECARD. Balanced Scorecard Olá, pessoal! Hoje trago para vocês uma aula sobre um dos tópicos que será cobrado na prova de Analista do TCU 2008: o Balanced Scorecard BSC. Trata-se de um assunto afeto à área da Contabilidade Gerencial,

Leia mais

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL RESOLUÇÃO SEPLAG no. xx/xxxx Disciplina o funcionamento das Comunidades de Prática CoPs no âmbito do Poder Executivo Estadual, vinculadas

Leia mais

Projeto Olho Vivo Atuação estratégica nas necessidades dos clientes para melhoria da Satisfação.

Projeto Olho Vivo Atuação estratégica nas necessidades dos clientes para melhoria da Satisfação. IGS INOVAÇÃO DA GESTÃO EM SANEAMENTO Ciclo 2012 Case: Projeto Olho Vivo Atuação estratégica nas necessidades dos clientes para melhoria da Satisfação. A. A OPORTUNIDADE A.1. Qual foi a oportunidade de

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ1127/SETEC EDITAL Nº 03/2009 1. Perfil: ACOMPANHAMENTO DA GESTÃO EM PROJETOS - PERFIL I Ministério da Educação. Especialização na área de educação,

Leia mais

Al. dos Pamaris, 308 Moema São Paulo / SP - CEP: 04086-020 Fone: 11 5535-1397 Fax: 11 5531-5988 www.humus.com.br

Al. dos Pamaris, 308 Moema São Paulo / SP - CEP: 04086-020 Fone: 11 5535-1397 Fax: 11 5531-5988 www.humus.com.br PALESTRAS E CURSOS IN COMPANY PARA O ENSINO SUPERIOR ACADÊMICOS A Coordenação de Curso e sua Relevância no Processo de Competitividade e Excelência da IES Acessibilidade: requisito legal no processo de

Leia mais

Planejamento e Gestão Estratégica

Planejamento e Gestão Estratégica Planejamento e Gestão Estratégica O Governo de Minas estabeleceu como um dos eixos norteadores da suas políticas públicas a eficiência na utilização dos recursos e a oferta de serviços com qualidade cada

Leia mais

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 1 de 30 16/11/2015 15:16 Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 Prezado(a) Como o OBJETIVO de apurar o nível de maturidade em governança da Justiça Federal, foi desenvolvido instrumento

Leia mais

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços)

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) 1. MÉTODO MENTOR - Modelagem Estratégica Totalmente Orientada para Resultados Figura 1: Método MENTOR da Intellectum. Fonte: autor, 2007 O método MENTOR (vide o texto

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa?

ASSET 55. Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Como a gestão por meio da PAS 55 promove a excelência operacional e aumenta a rentabilidade da empresa? Conselho de Administração / Alta Direção Nós estamos extraindo o maior valor possível dos nossos

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO

INDICADORES DE DESEMPENHO INDICADORES DE DESEMPENHO Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, não há sucesso no que não se gerencia. (E. Deming) Os indicadores são ferramentas

Leia mais

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL MEDIÇÃO DE DESEMPENHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL Eng. Dayana B. Costa MSc, Doutoranda e Pesquisadora do NORIE/UFRGS Conteúdo da Manhã Módulo 1 Medição de Desempenho Conceitos Básicos Experiência de Sistemas de

Leia mais

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA

Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA UNIVERSIDADE COOPERATIVA Promotores AEDIN - Associação de Empresas do distrito Industrial de Santa Cruz. FACULDADE MACHADO DE ASSIS CELERA CONSULTORIA E TREINAMENTO LTDA Educação Empresarial - Treinamento

Leia mais

O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO

O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO 1 O PROCESSO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA NA EDUCAÇÃO CORPORATIVA: A EFETIVIDADE DO TREINAMENTO CURITIBA PR MAIO DE 2014 Margarete Teresinha Fabbris de Oliveira Santos Faculdade de Administração, Educação,

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

OBSERVAÇÃO DE TAREFAS BASEADA NA SEGURANÇA COMPORTAMENTAL

OBSERVAÇÃO DE TAREFAS BASEADA NA SEGURANÇA COMPORTAMENTAL OBSERVAÇÃO DE TAREFAS BASEADA NA SEGURANÇA COMPORTAMENTAL Autores Gerson Luiz Chaves Vandro Luiz Pezzin RGE - RIO GRANDE ENERGIA S.A. RESUMO Os riscos presentes nas atividades que envolvem a distribuição

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR: O

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR: O IV Simpósio sobre Gestão Empresarial e Sustentabilidade: Negócios Sociais e seus Desafios 24 e 25 de novembro de 2015 Campo Grande-MS Universidade Federal do Mato Grosso do Sul INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 2 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Modelos de avaliação e aplicação em td&e

Modelos de avaliação e aplicação em td&e 1 Modelos de avaliação e aplicação em td&e JAIRo EDuARDo BoRGES ANDRADE GARDêNIA DA SILVA ABBAD LuCIANA MouRão Ao FINAL DESTE CAPíTuLo, VoCê DEVERá: ü Definir avaliação em TD&E. ü Discutir a importância

Leia mais

Relaçőes entre Impacto do Treinamento no Trabalho e Estratégia Empresarial: o Caso da Eletronorte

Relaçőes entre Impacto do Treinamento no Trabalho e Estratégia Empresarial: o Caso da Eletronorte Relaçőes entre Impacto do Treinamento no Trabalho e Estratégia Empresarial: o Caso da Eletronorte Maria Ednei da Silva RESUMO A pesquisa avaliou a relação entre as variáveis: Relevância do Treinamento

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTANCIA PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP 2007 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais