OS 3Rs NA ESCOLA : UMA ATITUDE AMBIENTAL CONCRETA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ESEBA/UFU.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OS 3Rs NA ESCOLA : UMA ATITUDE AMBIENTAL CONCRETA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ESEBA/UFU."

Transcrição

1 OS 3Rs NA ESCOLA : UMA ATITUDE AMBIENTAL CONCRETA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ESEBA/UFU. Débora Cristina Camilo de Carvalho Estudante do curso de graduação em Engenharia Civil na Faculdade de Engenharia Civil FECIV/UFU Cláudia de Paula Silva Oliveira Estudante do curso de Engenharia Química da Faculdade de Engenharia Química FEQUI/UFU Rones Aureliano de Sousa Professor de Filosofia na Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia ESEBA/UFU INTRODUÇÃO Com este trabalho visamos abranger resumidamente o conceito dos Três Erres (reduzir, reutilizar e reciclar) bem como o motivo que levou a sua criação e propagação pelos mais diversos ambientes, no nosso caso em específico, a escola. Objetivamos mais profundamente relatar nossas experiências, vitórias e dificuldades no tocante à implantação do projeto na Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia ESEBA/UFU. Nós enfrentamos muita resistência de alguns, mas também contamos com o apoio e colaboração de outros, o que nos deixa esperançosos sobre uma possível mudança gradativa de, se não todos, pelo menos a maioria das pessoas e que esses ensinamentos transmitidos hoje acarretem mudanças nas ações futuras corroborando para comportamentos e ações sustentáveis. E, que este trabalho sirva de piloto para auxiliar projetos semelhantes espalhados pelos mais diversos ambientes, acadêmicos ou não, mas que visam à proteção e conservação do meio ambiente. PALAVRAS CHAVES: três erres; sustentável; meio ambiente; ESEBA/UFU. COMO SURGIU O CONCEITO DOS 3RS? O conceito dos 3Rs (Três Erres) surgiu da necessidade de conscientizar a população dos problemas decorrentes da desenfreada geração do lixo e seu descarte feito de forma errada no meio ambiente. O tema que permeia os 3Rs é o meio ambiente, pois, os estudos realizados

2 no último século retratam uma realidade de degradação e extração abusiva de recursos ambientais. Estudos mostram que desde os anos 80 a demanda da população mundial por recursos naturais é maior do que a capacidade do planeta em renová-los. Dados mais recentes demonstram que utilizamos cerca de 25% recursos naturais do que temos disponível, ou seja, precisamos de um planeta e mais um quarto dele para sustentar nosso atual estilo de vida atual.(inpe, 2013). Na Figura 1 podemos ver quantos planetas Terra seriam necessários para suprir a demanda de consumo em cada continente. Figura 1 Quantos planetas Terra? Fonte: Valorizar (2013). A análise desses dados nos permite afirmar que tentamos manter um padrão de consumo que é por si só insustentável e que precisa ser urgentemente revisto. Muitos se questionam se é preciso abrir mão de todas as conquistas e avanços tecnológicos alcançados até hoje para que possamos viver em harmonia com o meio ambiente, ou seja, de forma sustentável. Na realidade não se trata de abandonar as tecnologias para viver de uma forma quase primitiva. O ponto em questão é modificar e abandonar comportamentos impulsionados por puro consumismo.

3 Na busca pelo lucro, as empresas lançam no mercado produtos de forma cada vez mais rápida e muitas vezes o que muda de um produto recém lançado para a versão anterior são pequenos detalhes que não fazem tanta diferença nem tornam a versão anterior obsoleta a ponto de não mais atender as nossas necessidades. Ao adquirir estes produtos, estaremos sustentando a cadeia produtiva que retira da natureza a matéria prima necessária para a fabricação de seus produtos. Mas não apenas estamos contribuindo para a extração excessiva como também estamos contribuindo para o aumento desenfreado do descarte de produtos manufaturados sobre a mesma. E agimos dessa forma porque não somos conscientizados dos problemas que essas atitudes acarretam, pois, infelizmente, o desejo de lucro tem sido maior que a preservação dos recursos naturais. Nesse contexto surgiram os 3Rs que se tratam de Reduzir, Reutilizar e Reciclar, necessariamente nesta ordem. Reduzir é o principal. Devemos diminuir o consumo de produtos e o desperdício de materiais, utilizando somente o necessário, ou seja, implica numa revisão do atual padrão de consumo gerado pelo sistema capitalista que prega o consumo exacerbado e muitas vezes desnecessário no qual as pessoas, por estímulos de propagandas, compram mais do que precisam sem se preocupar com o problema que o descarte de tais produtos acarretará no meio ambiente. Já tendo reduzido ao máximo o consumo, devemos Reutilizar, ou seja, reaproveitar os materiais que estiverem em bom estado, antes de seu descarte final. É possível realizar uma gama enorme de bens com os materiais que seriam descartados como, por exemplo, uma de leite em pó pode, com um tratamento relativamente simples, virar uma luminária (ver figura 2, a seguir). Figura 2 Luminária feita com lata de leite em pó. Fonte: Casa de Colorir (2013).

4 Uma lata de alumínio pode virar um porta-lápis, um pneu usado pode virar um balanço ou uma garrafa pet se transformar em um vaso decorativo, por exemplo. Quando já se reduziu ao máximo o consumo e não há mais como reutilizar, uma solução adequada seria Reciclar, retornar o material usado ao ciclo de produção para que ele possa retornar à cadeia de produção evitando a extração de matérias da natureza. Na reciclagem é importante entregar os resíduos para a coleta seletivos devidamente limpos e separados em seus coletores específicos. As cores universais da coleta seletiva são: azul para papel, vermelho para plástico, verde para vidro, amarelo para metal, e marrom para orgânicos. Atualmente, estão reduzindo essas categorias a apenas três: lixo úmido, lixo seco e orgânico. Figura 3 Coletores externos da ESEBA/UFU, Arquivo dos autores. Devemos enfatizar que reduzir e/ou evitar a geração de lixo é a atitude menos impactante para o meio ambiente, pois, a reciclagem apesar de ser um processo positivo para o ciclo do lixo ainda gera resíduos e demanda elevada quantidade de água para ser realizada. A IMPORTÂNCIA DE INSERIR OS 3RS NO CONTEXTO ESCOLAR Tendo em vista a necessidade de se conscientizar a população a respeito das questões ambientais é preciso encontrar uma forma de levar esta temática da maneira mais eficaz possível para que possamos mudar os comportamentos prejudiciais ao meio ambiente nas

5 sociedades atuais e formar cidadãos conscientes de seu papel na preservação ambiental para o futuro. Com base nisso é que nos propomos inserir a questão ambiental naqueles que são os futuros cidadãos do planeta Terra, aqueles que levarão o aprendizado de hoje para estruturar suas atitudes amanhã, ou seja, as crianças. Os brasileiros possuem direitos e deveres assegurados pela Constituição e a educação é um direito garantido. Segundo a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, no artigo 225, inciso primeiro do VI parágrafo, a Educação Ambiental deve ser abordada em todos os níveis de escolaridade: Promover a Educação Ambiental em todos os níveis de ensino e conscientização pública para a preservação do meio ambiente. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente correto, bem de uso comum do povo e essencial a sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e a coletividade o dever de defender e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. De acordo com Sato (2004) o aprendizado ambiental é um componente vital, pois oferece motivos que levam os alunos a se reconhecerem como parte integrante do meio em que vivem e faz pensar nas alternativas para soluções dos problemas ambientais e ajudar a manter os recursos para as futuras gerações. Ao aproximarmos os alunos das questões ambientais e fazer com que eles se sintam parte do meio ambiente e consequentemente saber que dele dependem, conseguimos tocar em seu íntimo para que neles cresça o sentimento de proteção do meio ambiente. Aliada a essa abordagem torna-se necessário desenvolver na escola atividades curriculares e extraclasse de conscientização pautados inicialmente no princípio dos 3Rs, ou seja, devemos ajudar os alunos a reconstruir seus hábitos, inibindo atitudes não sustentáveis e estimulando práticas ecologicamente corretas. Contudo, muito além de apenas inibir as práticas não sustentáveis devemos através de palestras, apresentações, oficinas e outras práticas, abordar os temas ambientais e conscientizar os alunos mostrando as consequências que práticas não ecologicamente corretas causam e consequentemente fazendo crescer neles a noção do certo e errado no que se

6 refere ao meio ambiente. Nesse contexto de ser também uma ação transformadora, segundo Vilmar Berna (2004, p.18): O ensino sobre o meio ambiente deve contribuir principalmente para o exercício da cidadania, estimulando a ação transformadora além de buscar aprofundar os conhecimentos sobre as questões ambientais de melhores tecnologias, estimular a mudança de comportamento e a construção de novos valores éticos menos antropocêntricos. Com este objetivo é preciso expandir a educação ambiental nas escolas brasileiras a fim de se conscientizar um número cada vez maior de crianças difundindo assim as questões ambientais, pois, as crianças são agentes ativos nas sociedades e podem tentar transformar a realidade e o pensamento em suas casas, propagando a conscientização para além dos limites das escolas fazendo com que as questões ambientais sejam pauta de assuntos e ações familiares. E como as crianças de hoje serão os adultos do futuro, ao criar nelas a conscientização ambiental quando elas formarem suas famílias educarão seus próprios filhos seguindo um modelo ecologicamente correto. Dessa forma temos na educação ambiental o alicerce principal para mudança dos atuais padrões e ações na sociedade que passaria de uma sociedade que vive num modelo insustentável para uma sociedade ecologicamente correta. O processo de expansão da Educação Ambiental nas escolas de ensino fundamental foi bastante acelerado: entre 2001 e 2004 o número de matrículas nas escolas que oferecem Educação Ambiental passou de 25,3 milhões para 32,3 milhões, o que corresponde a uma taxa de crescimento de 28%. Em 2001, o número de escolas que ofereciam Educação Ambiental era de aproximadamente 115 mil, 61,2% do universo escolar, ao passo que, em 2004, este número praticamente alcançou 152 mil escolas, ou seja, cerca de 94% do conjunto. (CADERNO SECAD, 2007)

7 Figura 4 Expansão da Educação Ambiental. Fonte: Caderno Secad (2006). Como os professores e o meio escolar são os principais contribuintes para a inserção da temática da educação ambiental no Brasil, se torna imprescindível o aumento desta temática nas escolas e também o número de escolas que oferece a educação ambiental para que os objetivos de preservação ambiental sejam alcançados. Neste contexto surge o Projeto 3Rs na Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia ESEBA/UFU. IMPLANTAÇÃO DO PROJETO 3RS NA ESEBA O projeto de ensino Os 3Rs na escola é oriundo da área de Ciências da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia (ESEBA/UFU) onde se tornou institucional a partir do ano Tal projeto tem como ação precípua a coleta seletiva de papel no espaço escolar, insere-se no âmbito das discussões sobre o consumo crescente e imposto pelo modelo socioeconômico atual e suas implicações ambientais. Está pautado em referenciais teóricos, como o princípio dos 3(três) erres ( reduzir, reutilizar, reciclar), a revisão dos padrões de produção e consumo e as relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade. As ações objetivam informar, sensibilizar e conscientizar a comunidade escolar sobre a importância da coleta seletiva, na perspectiva de formar cidadãos e cidadãs responsáveis pelo meio ambiente.

8 Neste sentido, o objetivo do projeto é suscitar reflexões e promover ações na comunidade ESEBA, acerca do padrão de produção e de consumo praticados nas sociedades contemporâneas, com ênfase no descarte de resíduos provenientes de atividades humanas e seu impacto ambiental à luz do princípio dos 3Rs. No final da década de 1990, em decorrência de experiências já vivenciadas e de contribuições teóricas do grupo de docentes, fortaleceu-se na área de Ciências, da Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia ESEBA/UFU, a ideia de planejamento e desenvolvvimento de um projeto de ensino visando à coleta seletiva dos resíduos sólidos no ambiente escolar. A possibilidade de vivenciarmos momentos de reflexões, discussões, decisões, planejamentos, acompanhamentos e avaliações para a implementação deste projeto de ensino aconteceu a partir do ano de 2000, com a reestruturação do Grupo de Estudos da Área de Ciências (GEACi), com encontros semanais de duas horas/aula. A partir de então, esse grupo ampliou as discussões para além das questões ambientais e da coleta seletiva e incorporou referenciais teóricos pautados no princípio dos 3Rs (três erres), na revisão dos padrões de produção e de consumo (GRIMBERG; BLAUTH, 1998) e nas relações entre Ciência,Tecnologia e Sociedade (CTS) (AMARAL, 2000; AULER &BAZZO, 2001; SILVA, 2002; SILVA, 2003). Os estudos semanais destes referenciais teóricos contribuíram para a revisão dos princípios metodológicos estrutguradores da prática pedagógica dos/as professores/as da área de Ciências, bem como para a proposição de ações efetivas a serem desenvolvidas no ambiente escolar. Tais encaminhamentos desencadearam reflexões acerca do papel de cada cidadão/ã na preservação ambiental em uma sociedade crescentemente influenciada pelo desenvolvimento científico e tecnológico. Desde a sua institucionalização, o projeto obteve várias vitórias como a difusão do conceito dos 3Rs dentre os alunos e funcionários da escola, contribuindo assim para que assumissem uma atitude mais sustentável. Consideramos como outra grande vitória a redução do número de copos descartáveis utilizados na escola, incentivando com que todo o corpo docente, discente e funcionários diversos tenham seu próprio copo e que o utilizem durante todo o período em que estejam na escola, evitando assim o desperdício e o descarte excessivo de copos descartáveis. Podemos citar também que no projeto há a coleta de óleo e de pilhas. Essa coleta visa o correto descarte dos mesmos para que não poluam o meio ambiente ao serem descartados de forma incorreta. Podemos ver na figura a seguir uma imagem que ilustra o coletor de pilhas da escola.

9 Figura 5 Coletor de pilha da ESEBA/UFU. Fonte: arquivo dos autores. Um outro ganho foi a criação em 2011 da Diretoria de Sustentabilidade Ambiental da UFU que visa abranger todas as situações que necessitam de um olhar especial quando se trata de sustentabilidade auxiliando todos os projetos ambientais no interior da universidade, inclusive na Escola de Educação Básica / ESEBA, de forma a propiciar o bom andamento do nosso projeto. Foi através da Diretoria de Sustentabilidade que houve a institucionalização das parcerias com as cooperativas de coleta e reciclagem, dentre elas a Cooperativa de Recicladores de Uberlândia (CORU), nossa principal parceira. E mais recentemente podemos citar a inclusão de estagiárias como meio de contribuir para a efetivação das ações do projeto no interior da escola, divulgando o mesmo na comunidade escolar e por meio do blog do projeto (http://3rsnaescola.blogspot.com.br/) tentando conscientizar todos acerca de atitudes sustentáveis e informando didaticamente sobre a luta mundial e nacional para a conservação do meio ambiente a fim de contribuir na formação cidadã de nossos alunos. No entanto como todo projeto que visa conscientizar as pessoas, tendo como meta central a mudança de atitudes,, também tivemos dificuldades ao longo da implantação da proposta. Uma delas diz respeito à dificuldade dos professores da comissão em se reunir para abordar as ações que serão implementadas, bem como para a realização dos estudos semanais. Também podemos citar a grande rotatividade dos funcionários da limpeza como um empecilho já que os funcionários novos não são imediatamente treinados e muitos resistem e misturam os resíduos dos coletores, tornando ineficaz a coleta seletiva pois, mesmo que os alunos e professores separem o lixo no momento do descarte, ao recolher o lixo, os funcionários da limpeza muitas vezes misturam tudo. A grande rotatividade dos membros da

10 comissão do projeto também gera fatores que dificultam a sua realização porque por se tratar de pessoas diferentes, ações diferentes são planejadas e todas realizadas em um relativamente curto espaço de tempo, assim o projeto se torna cíclico e os métodos de realização da coleta seletiva mudam constantemente, sendo assim um fator dificultante. De maneira geral, o maior problema encontrado é a grande resistência da comunidade escolar em mudar seu padrão de comportamento visto que, durante toda a sua vida, essas pessoas não se importavam com a coleta seletiva nem com o meio ambiente, agindo portanto de maneira não sustentável. Ao propor a mudança desse comportamento encontramos resistência de muitos que insistem em não aderir as atitudes propostas pelo projeto, dificultando assim seu total sucesso. Desde o surgimento do projeto várias ações foram realizadas, tais como aplicação de questionários com alunos e familiares, confecção de garrafinhas para incentivar a redução de copos descartáveis, treinamento com as funcionárias da limpeza, palestras de conscientização para os professores, aulas com temáticas ambientais e trabalhos de campo com os alunos, dentre outras ações. A seguir temos duas figuras que ilustram a ação do projeto na escola. Figura 6 Coletor de papel da ESEBA/UFU. Fonte: arquivo dos autores.

11 Figura 7 Garrafinhas do projeto. Fonte: arquivo dos autores. CONCLUSÃO Apesar das dificuldades encontradas ao longo dos anos da duração do projeto as vitórias alcançadas nos incentivam a continuar com o mesmo, pois, se trata de um processo árduo e longo, pautado em valores éticos e ecologicamente corretos que proporcionam uma reflexão de toda comunidade escolar a respeito da temática ambiental bem como a maneira insustentável que as sociedades atuais mantêm. Acreditamos que a partir do momento que fizermos nossos alunos e professores se sentirem como parte do todo, e não individualmente inseridos no meio ambiente, portanto dele serem dependentes, conseguiremos fazê-los perceber a real necessidade de mudança de seu comportamento a fim de preservar a natureza e contribuir com ações que reduzam nosso impacto sobre ela. O motivo de termos implementado o projeto na escola de educação básica e de insistirmos na sua continuidade se deve ao fato de que acreditamos veementemente que o conhecimento transmitido não ficará recluso apenas entre as crianças, mas sim extrapolará as fronteiras da escola, chegando até suas casas e famílias e assim se torna uma ferramenta importante para conseguirmos conscientizar não apenas os alunos, mas sim boa parcela da população. Assim somos otimistas que nosso projeto contribuirá de forma positiva para a formação das atuais e futuras gerações melhorando a qualidade de vida de todos,

12 conscientizando a população para que ela adote um comportamento sustentável já que ao educarmos as nossas crianças hoje, formaremos adultos conscientes e modificadores do amanhã. Referências AMARAL, I. A. Currículo de Ciências: das tendências clássicas aos movimentos atuais de renovação. In: BARRETO, E. S. de S. (Org.). Os currículos do ensino fundamental para as escolas brasileiras. 2. ed., Campinas: Autores Associados; São Paulo: Fundação Carlos Chagas, AULER, D.; BAZZO, W. A Reflexões para a implementação do movimento CTS no contexto educacional brasileiro. Ciência & educação.são Paulo, v. 7, n.1, BERNA, Vilmar. Como fazer educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Paulus, CADERNO SECAD. Disponível em: < Acessado em: 17 Jun Casa de Colorir. Disponível em: <http://www.casadecolorir.com.br/2013/04/recaida-de-pisca-ou-como-fazer-uma.html> Acessado em: 15 Jun GRIMBERG, Elisabeth; BLAUTH, Patrícia (Org.). Coleta seletiva: reciclando materiais, reciclando valores. N 31, São Paulo: Pólis, INPE. Disponível em: < > Acessado em: 16 Jun SATO, Michele. Educação Ambiental. São Carlos. Rima, SILVA, Hosana Salete Curtt. Artigos de divulgação científica e o ensino de ciências: concepções de ciência, tecnologia, sociedade Valorizar. Disponível em: < Acessado em: 20 Jun. 2013

PRATICANDO OS 3R s. 1. Introdução

PRATICANDO OS 3R s. 1. Introdução PRATICANDO OS 3R s América SANTIAGO 1 Barbara Baumgarten Baião PEREIRA 2 Faida Denise RODRIGUES 3 Patrícia Cardoso BRÍGIDO 2 Thaise Domingos Martins de SOUZA 1 Tamires CEOLIN 1 RESUMO: Este artigo tem

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica LIXO MÍNIMO: EDUCANDO PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS Heliene Ferreira da Silveira Batista 1,3 Andréia Arruda de Oliveira Mosca 2,3 1 Bolsista PIVIC/UEG 2 Pesquisadora - Orientadora 3 Curso de Geografia,

Leia mais

CONCEITOS E PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

CONCEITOS E PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL CONCEITOS E PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL LOUGON, Marcela Silva¹, BRANDOLIM, Bruna Figueiredo², OLIVEIRA, Brunela de Souza², FIM, Claudiane Vieira², ¹ Mestre em Ciências Florestais, UFES, Professora supervisora

Leia mais

Eixo Temático ET-13-026 - Educação Ambiental

Eixo Temático ET-13-026 - Educação Ambiental 552 Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade - Vol. 1: Congestas 2013 Eixo Temático ET-13-026 - Educação Ambiental AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO E ENVOLVIMENTO DOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO

Leia mais

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL A Comissão Ministerial de Gestão Ambiental foi criada através da Portaria POR-PGJ n 204/08, com o fim de estudar, sugerir e acompanhar a implementação de medidas administrativas

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OFICINAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO CAMPO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OFICINAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO CAMPO EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OFICINAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO CAMPO Fabiano Custodio de Oliveira 1 UFCG/CDSA - fabiano.geografia@gmail.com Fabiana Feitosa de Souza 2 UFCG/CDSA fabiana.luquinha@hotmail.com

Leia mais

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Introdução O objetivo desse trabalho é ajudar as Escolas e demais instituições na implantação do programa da coleta seletiva do lixo e do lixo eletrônico.

Leia mais

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS AUTOR(ES):

Leia mais

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional

Programa Permanente de Coleta Seletiva. Solidária do Arquivo Nacional Solidária do Arquivo Nacional Programa Permanente de Coleta Seletiva Amparado pelo Decreto Federal 5.940/ 2006 - que prevê que todas as instituições federais passem a doar seus materiais recicláveis descartados

Leia mais

NATAL SUSTENTÁVEL: UMA PROPOSTA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA PELO PROEJA EDIFICAÇÕES.

NATAL SUSTENTÁVEL: UMA PROPOSTA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA PELO PROEJA EDIFICAÇÕES. 1 NATAL SUSTENTÁVEL: UMA PROPOSTA PRÁTICA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL REALIZADA PELO PROEJA EDIFICAÇÕES. FREITAS, Samylla Tassia Ferreira de¹; SILVA, Thariny Alves²; SOUSA, Leticia Ferreira de³; OLIVEIRA, Sandra

Leia mais

CONSTRUINDO A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

CONSTRUINDO A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA CONSTRUINDO A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Lorena Bispo do Nascimento* Welane dos Santos Silva** RESUMO O principal objetivo desse artigo é de promover desde cedo a conscientização nos alunos da

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Oficineiros: Gillian Pinto Gilberto Carvalho Fernanda Gallon

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Oficineiros: Gillian Pinto Gilberto Carvalho Fernanda Gallon CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Oficineiros: Gillian Pinto Gilberto Carvalho Fernanda Gallon ESTRUTURA DA OFICINA LEGISLAÇÃO: - porque temos a obrigação de trabalharmos temas ambientais com nossos alunos. Os 5 Rs

Leia mais

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins.

SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. SABER E ATUAR PARA MELHORAR O MUNDO: ÉTICA, CIDADANIA E MEIO AMBIENTE. DE OLHO NO ÓLEO (Resíduos líquidos) Dulce Florinda de Souza Lins. RIO VERDE GO 2010 Identificação: EMEF José do Prado Guimarães. Série:

Leia mais

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ;

RECICLANDO ATITUDES. Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; RECICLANDO ATITUDES Ana MariaVenquiaruti 1 ;Janice de Fátima Preuss dacruz 2 ;Natanael Martins Ajala 3 ; Tanise da Silva Moura 4 ; 1 Farmacêutica, Bioquímica e Pós Graduada em Educação Ambiental- Professora

Leia mais

TECNOLOGIA E A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL

TECNOLOGIA E A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL TECNOLOGIA E A CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL Autor: 1 Maxsuillian R. Detogni Autor: 2 Evelize de França Dalanhol Resumo A tecnologia traz avanços inacreditáveis e de tempos em tempos ouvimos falar que a ciência

Leia mais

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária Meio ambiente: a conscientização começa pela educação Implementação da Coleta Seletiva Solidária A guardiã da natureza Judith Cortesão "... Quem conhece ama, quem ama protege. Uma das descobertas mais

Leia mais

Projeto de Incentivo à Reciclagem

Projeto de Incentivo à Reciclagem Projeto de Incentivo à Reciclagem Boas Práticas em Meio Ambiente Apresentação: O objetivo do seguinte projeto tem a finalidade de auxiliar a implementação da Coleta Seletiva e posteriormente envio para

Leia mais

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de Recomendada Por quê? A coleção apresenta eficiência e adequação metodológica, com os principais temas relacionados a Ciências adequados a cada faixa etária, além de conceitos em geral corretos. Constitui

Leia mais

A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1

A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1 A RECICLAGEM EM NOSSO PLANETA, COMEÇA NA ESCOLA. 1 Marivana Da Silva Rigo 2, Liane Maria Fiorim Comerlato 3, Angela De Fátima Linck De Jesus 4. 1 Atividades desenvolvidas na Escola Municipal Fundamental

Leia mais

Projetos Pedagógicos. Agosto 2012

Projetos Pedagógicos. Agosto 2012 Projetos Pedagógicos Agosto 2012 REAPROVEITANDO MATERIAIS Permanecendo com o olhar atento para a preservação do meio ambiente, em nosso dia a dia, orientamos nossas crianças a agirem de forma consciente,

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Educação para o consumo: contribuindo com o planejamento financeiro das famílias do Litoral do Paraná

Mostra de Projetos 2011. Educação para o consumo: contribuindo com o planejamento financeiro das famílias do Litoral do Paraná Mostra de Projetos 2011 Educação para o consumo: contribuindo com o planejamento financeiro das famílias do Litoral do Paraná Mostra Local de: Pontal do Paraná. Categoria do projeto: I - Projetos em implantação,

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL Júlio César de Almeida (FASA) julioc.almeida@hotmail.com Gisele Figueiredo Braz

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PRESERVANDO O MEIO AMBIENTE 2012 I Nome do Projeto: Preservando o Meio Ambiente. II Público Alvo: Alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I III Histórico e Justificativa:

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR

EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR EDUCAÇÃO AMBIENTAL & SAÚDE: ABORDANDO O TEMA RECICLAGEM NO CONTEXTO ESCOLAR ARNOR, Asneth Êmilly de Oliveira; DA SILVA, Ana Maria Gomes; DA SILVA, Ana Paula; DA SILVA, Tatiana Graduanda em Pedagogia -UFPB-

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO DA GEOGRAFIA. META Compreender as contribuições da Educação Ambiental para o ensino da Geografi a

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO DA GEOGRAFIA. META Compreender as contribuições da Educação Ambiental para o ensino da Geografi a CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO ENSINO DA GEOGRAFIA Aula 10 META Compreender as contribuições da Educação Ambiental para o ensino da Geografi a OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Conhecer

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 Juliana Carla Persich 2, Sérgio Luís Allebrandt 3. 1 Estudo

Leia mais

Análise da responsabilidade social na gestão de um projeto de extensão: estudo de caso em uma IES

Análise da responsabilidade social na gestão de um projeto de extensão: estudo de caso em uma IES Análise da responsabilidade social na gestão de um projeto de extensão: estudo de caso em uma IES Resumo Este trabalho busca avaliar as atividades do projeto de extensão: Rumo a Gestão Ambiental no Campus:

Leia mais

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO Resumo: O presente artigo pretende refletir sobre os problemas ambientais em nossa sociedade, em especial, sobre o

Leia mais

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 441 ARTIGOS COMPLETOS...442

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 441 ARTIGOS COMPLETOS...442 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011 441 ARTIGOS COMPLETOS...442 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 17 a 20 de outubro, 2011

Leia mais

LOGOMARCA. Endereço, telefones, email, CNPJ. IGREJA BATISTA NACIONAL ESPERANÇA VERDE

LOGOMARCA. Endereço, telefones, email, CNPJ. IGREJA BATISTA NACIONAL ESPERANÇA VERDE LOGOMARCA Endereço, telefones, email, CNPJ. IGREJA BATISTA NACIONAL ESPERANÇA VERDE BRASÍLIA 2013 Logomarca Assinaturas: Presidente (da igreja) Secretário (da igreja) Superintendente (do projeto) Coordenador

Leia mais

Gestão ambiental. Comitê. » Cumprir a legislação ambiental aplicável, as normas regulamentares e os demais

Gestão ambiental. Comitê. » Cumprir a legislação ambiental aplicável, as normas regulamentares e os demais Gestão Ambiental Atuação Sustentável COM REFERÊNCIA NOS PADRÕES DE PRODUÇÃO mais LIMPA, A ITAUTEC INSERE A QUESTÃO AMBIENTAL EM SUA ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS, PARA ASSEGURAR A PRESERVAÇÃO E O USO RACIONAL

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

1 Nº 1 - Fevereiro de 2011

1 Nº 1 - Fevereiro de 2011 O Senhor Buriti, guardião do PLANETA para proteger a cidade fez cinco anéis mágicos a partir do arco íris com os poderes do vento, água, terra, fogo e amor. A união dos cinco poderes fazem surgir o capitão

Leia mais

OS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS E A GESTÃO DE RESÍDUOS

OS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS E A GESTÃO DE RESÍDUOS 1 OS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS E A GESTÃO DE RESÍDUOS Marta Pimenta Velloso CSGSF/ENSP/FIOCRUZ Na sociedade contemporânea, o consumo de produtos e serviços tem gerado resíduos em excesso. Atualmente,

Leia mais

A RECICLAGEM DE ÓLEO PRODUZIDO NA ESCOLA PROFESSOR LORDÃO COMO PROMOTOR DO CUIDADO AMBIENTAL

A RECICLAGEM DE ÓLEO PRODUZIDO NA ESCOLA PROFESSOR LORDÃO COMO PROMOTOR DO CUIDADO AMBIENTAL A RECICLAGEM DE ÓLEO PRODUZIDO NA ESCOLA PROFESSOR LORDÃO COMO PROMOTOR DO CUIDADO AMBIENTAL DANTAS¹, Danilo Lima ; SILVA¹,Aline Priscila de França,SANTOS², José Carlos Oliveira; ARAÚJO 3, Danielly Santos

Leia mais

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola Coleta Seletiva Apresentaçao ~ Índice Esta cartilha foi elaborada pela Prefeitura de São Bernardo do Campo, em parceria com a SBC Valorização de

Leia mais

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA O SÉCULO XXI: CONCEPÇÕES E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA O SÉCULO XXI: CONCEPÇÕES E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO Encontro Água & Floresta: Resultados e Perspectivas Bragança Paulista - 1 a 3 dez 2009 DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA O SÉCULO XXI: CONCEPÇÕES E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO Renata Ferraz de Toledo

Leia mais

A REVISÃO DO CONSUMO DE COPOS DESCARTÁVEIS NO AMBIENTE ESCOLAR: UM DESAFIO NO ÂMBITO DE UM PROJETO DE ENSINO PAUTADO NO PRINCÍPIO DOS 3 RS

A REVISÃO DO CONSUMO DE COPOS DESCARTÁVEIS NO AMBIENTE ESCOLAR: UM DESAFIO NO ÂMBITO DE UM PROJETO DE ENSINO PAUTADO NO PRINCÍPIO DOS 3 RS Anais do II Seminário de Pesquisa do NUPEPE Uberlândia/MG p. 4-4 e de maio 00 4 A REVISÃO DO CONSUMO DE COPOS DESCARTÁVEIS NO AMBIENTE ESCOLAR: UM DESAFIO NO ÂMBITO DE UM PROJETO DE ENSINO PAUTADO NO PRINCÍPIO

Leia mais

CONCIENTIZAÇÃO SOBRE O MEIO AMBIENTE NO ENSINO FUNDAMENTAL II: PROMOÇÃO DA CRIATIVIDADE E REUTILIZAÇÃO DOS SÓLIDOS 1

CONCIENTIZAÇÃO SOBRE O MEIO AMBIENTE NO ENSINO FUNDAMENTAL II: PROMOÇÃO DA CRIATIVIDADE E REUTILIZAÇÃO DOS SÓLIDOS 1 CONCIENTIZAÇÃO SOBRE O MEIO AMBIENTE NO ENSINO FUNDAMENTAL II: PROMOÇÃO DA CRIATIVIDADE E REUTILIZAÇÃO DOS SÓLIDOS 1 Carina Lopes Somer; Marina de Fátima Fracasso Trevizan; Valdinete Pereira Benevides

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

QUANTO TEMPO DEMORA PARA SE DECOMPOR O LIXO QUE VOCÊ UTILIZA?

QUANTO TEMPO DEMORA PARA SE DECOMPOR O LIXO QUE VOCÊ UTILIZA? 138 QUANTO TEMPO DEMORA PARA SE DECOMPOR O LIXO QUE VOCÊ UTILIZA? Danieli Barbosa Araújo 1 Mateus Ovídio Viol Canezin 2 Marcelo Aparecido dos Santos 3 RESUMO: Andar pelas ruas, locais públicos e não se

Leia mais

PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADAS AOS RESIDUOS SOLIDOS DE UMA UNIDADE ESCOLAR DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ

PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADAS AOS RESIDUOS SOLIDOS DE UMA UNIDADE ESCOLAR DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL VOLTADAS AOS RESIDUOS SOLIDOS DE UMA UNIDADE ESCOLAR DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA PARÁ Fabiana Bassani (1) Tecnóloga Ambiental Universidade Tecnológica Federal do Paraná; Mestre

Leia mais

B6-527 Educação do campo: um esforço para se fazer presente na história do Brasil

B6-527 Educação do campo: um esforço para se fazer presente na história do Brasil B6-527 Educação do campo: um esforço para se fazer presente na história do Brasil Raimundo Jackson Nogueira da Silva, Secretaria Municipal de Educação de Canindé-CE, e- mail: raimundojackson@hotmail.com.

Leia mais

1. Introdução e Revisão Bibliográfica 1.1. A problemática da conservação ambiental e o descarte de resíduos sólidos

1. Introdução e Revisão Bibliográfica 1.1. A problemática da conservação ambiental e o descarte de resíduos sólidos RECICLAGEM DE RESÍDUOS SÓLIDOS EM ESCOLA DE ENSINO BÁSICO FERREIRA, A. A. R. 1, NASCIMENTO, J. P. L 1, FALONE, S. Z. 2. 1 IFGoiano - Câmpus Rio Verde (Alunos do Projeto de Extensão do IF Goiano, Câmpus

Leia mais

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011

UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 UNISAL ARTIGO PARA MOSTRA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMERICANA 2011 Autora: Profa. Dra. Melissa Furlan Cursos: Direito e Engenharia Ambiental Área de Pesquisa: Meio Ambiente Título do artigo: O destino

Leia mais

Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015.

Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015. Of. nº 21 /2015. Guaporé, 25 de junho de 2015. Senhor Presidente, Encaminho nesta Casa Legislativa, para apreciação e votação dos nobres Edis, o projeto de lei legislativa nº 009/2015, que INSTITUI O PROGRAMA

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula RECICLANDO. Anos iniciais. 4º ano. Ciências. Ser Humano e Saúde. 2 aulas (50 minutos cada) Educação Presencial

TÍTULO: Plano de Aula RECICLANDO. Anos iniciais. 4º ano. Ciências. Ser Humano e Saúde. 2 aulas (50 minutos cada) Educação Presencial Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: RECICLANDO Nível de Ensino: Ensino Fundamental / Anos iniciais Ano/Semestre de estudo Componente Curricular: Tema: Duração da Aula: Modalidade de Ensino: 4º ano Ciências

Leia mais

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES A G E N D A 2007 as 4 SÉRIES ÍNDICE Proposta da ONU... 04 Compromisso do Brasil... 05 Cada cidade responsável por sua agenda 21... 07 Dia internacional da Água... 09 Dia do Meio Ambiente... 12 Dia da Árvore...

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIÁS - AECG FACULDADE PADRÃO III DEPARTAMENTO DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA

ASSOCIAÇÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIÁS - AECG FACULDADE PADRÃO III DEPARTAMENTO DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA ABORDAGEM ESCOLAR Flávia Cristina M. C. de Souza Introdução O objetivo desta pesquisa é identificar as relações e conhecimentos dos alunos do Ensino Fundamental de uma escola pública

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES - RS BRASIL PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DAS MISSÕES Elaborado por: COMITE DE COORDENAÇÃO DO

Leia mais

Palavras-chave: lixo - sensibilização - reciclagem

Palavras-chave: lixo - sensibilização - reciclagem RECICLAGEM: UMA ALTERNATIVA DE SENSIBILIZAÇÃO PARA COM O LIXO PRODUZIDO NA COMUNIDADE SÃO MATEUS, CUIABÁ MT SANTOS, AGDA LEMES DOS UNIC GOMES, ANINÊS ASSUNÇÃO UNIC Devido à evolução e o desenvolvimento

Leia mais

PETECO UM PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PET RELATO DE EXPERIÊNCIA

PETECO UM PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PET RELATO DE EXPERIÊNCIA PETECO UM PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO PET RELATO DE EXPERIÊNCIA Maria Izabel Gallão (Departamento de Biologia Centro de Ciências/UFC) Victorya Vieira Gois (Bolsista do PET Biologia UFC MEC/ SESu)

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE Resumo O estudo objetiva discutir os desafios dos cursos de formação de professores frente à inserção

Leia mais

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS

Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS 198 Eixo Temático ET-03-004 - Gestão de Resíduos Sólidos VANTAGENS DA LOGÍSTICA REVERSA NOS EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS Isailma da Silva Araújo; Luanna Nari Freitas de Lima; Juliana Ribeiro dos Reis; Robson

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Dia da família na escola. 13 de março de 2010

Dia da família na escola. 13 de março de 2010 1 Dia da família na escola 13 de março de 2010 Sugestões de atividades Desde 2009, o Amigos da Escola tem incentivado às escolas participantes do projeto a tornar os dias temáticos em dias da família e

Leia mais

INDISCIPLINA ESCOLAR E A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: UMA ANÁLISE SOB AS ÓTICAS MORAL E INSTITUCIONAL

INDISCIPLINA ESCOLAR E A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: UMA ANÁLISE SOB AS ÓTICAS MORAL E INSTITUCIONAL INDISCIPLINA ESCOLAR E A RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO: UMA ANÁLISE SOB AS ÓTICAS MORAL E INSTITUCIONAL ZANDONATO, Zilda Lopes - UNESP GT: Educação Fundamental/nº 13 Agência Financiadora: não contou com financiamento

Leia mais

O TEMA TRANSVERSAL MEIO AMBIENTE E O LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA

O TEMA TRANSVERSAL MEIO AMBIENTE E O LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA O TEMA TRANSVERSAL MEIO AMBIENTE E O LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA Karine Machado Fraga de Melo 1 Claudia Lisete Oliveira Groenwald 2 Resumo Este artigo apresenta a análise de como o tema transversal Meio

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Capitulo 2 Resíduos Sólidos

Capitulo 2 Resíduos Sólidos ASSOCIAÇÃO SOCIOAMBIENTALISTA SOMOS UBATUBA Conteúdo Pedagógico Capitulo 2 Resíduos Sólidos Organização Parceria Convênio Resíduos Sólidos Introdução Esta etapa é composta por atividades ligadas à relação

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III

PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III PROGRAMA DE BOLSA ACADÊMICA DE EXTENSÃO PBAEX / EDIÇÃO 2016 CAMPUS AMAJARI ANEXO III FORMULÁRIO DA VERSÃO ELETRÔNICA DO PROJETO / ATIVIDADE DE EXTENSÃO PBAEX 2016 01. Título do Projeto Implantação e desenvolvimento

Leia mais

Estudo de caso: Projeto Reciclart

Estudo de caso: Projeto Reciclart 2014 Estudo de caso: Projeto Reciclart Solange Costa Miranda Nascimento Gerente de Resíduo - HGNI 4/9/2014 Estudo de Caso Reciclagem de resíduos Comum Política dos 3 R s Projeto Reciclart HGNI HGNI - Hospital

Leia mais

CONSOLIDANDO EXPERIÊNCIAS DE EXTENSÃO: O CURSO PRÉ-UNIVERISTÁRIO POPULAR COMO FORMA DE DEMOCRATIZAÇÃO E ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

CONSOLIDANDO EXPERIÊNCIAS DE EXTENSÃO: O CURSO PRÉ-UNIVERISTÁRIO POPULAR COMO FORMA DE DEMOCRATIZAÇÃO E ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 4PRACOUT03 CONSOLIDANDO EXPERIÊNCIAS DE EXTENSÃO: O CURSO PRÉ-UNIVERISTÁRIO POPULAR COMO FORMA DE DEMOCRATIZAÇÃO E ACESSO AO ENSINO SUPERIOR Alan Leite Moreira (1); Patrícia Roque Lemos (1); Profª. Vilma

Leia mais

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação)

Educação ambiental e participação comunitária. Modelo de projeto (estruturação) Educação ambiental e participação comunitária Modelo de projeto (estruturação) A problemática da coleta seletiva 3.2. Concepção geral do sistema projetado 3.3. Objetivos gerais 3.4. Objetivos específicos

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA -PIBID-FAAT

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA -PIBID-FAAT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA -PIBID-FAAT Projeto Institucional - Faculdades Atibaia FAAT Parceria entre o Ensino Superior e a Escola Pública na formação inicial e continuada

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA EXPERIÊNCIA DE SENSIBILIZAÇÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS - Campus São Carlos

EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA EXPERIÊNCIA DE SENSIBILIZAÇÃO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS - Campus São Carlos EDUCAÇÃO AMBIENTAL: UMA EXPERIÊNCIA DE SENSIBILIZAÇÃO. Maria Estela Maciel Freitas 1 Denise de Freitas 2 Programa de Pós-graduação Profissional em Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS - Campus São

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

RESENHA. Desenvolvimento Sustentável: dimensões e desafios

RESENHA. Desenvolvimento Sustentável: dimensões e desafios RESENHA Desenvolvimento Sustentável: dimensões e desafios Sustainable Development: Dimensions and Challenges Marcos Antônio de Souza Lopes 1 Rogério Antonio Picoli 2 Escrito pela autora Ana Luiza de Brasil

Leia mais

GESTÃO CIDADÃO CONSCIENTE

GESTÃO CIDADÃO CONSCIENTE GESTÃO CIDADÃO CONSCIENTE Missão Valores Visão Trata-se da área de significado, dando sentido a tudo o que é feito, respondendo à pergunta: por que é feito isso? 6 C AS FERRAMENTAS PARA GESTÃO CIDADÃO

Leia mais

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em:

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em: Fundado em agosto de 2003, o Instituto Kautsky é uma Associação sem fins lucrativos que tem como missão estabelecer a harmonia do homem com o meio ambiente pesquisando, promovendo e disseminando conhecimentos

Leia mais

Eco-Mundi 1. PALAVRAS-CHAVE: game; remake; PacMan; natureza; sustentabilidade.

Eco-Mundi 1. PALAVRAS-CHAVE: game; remake; PacMan; natureza; sustentabilidade. Eco-Mundi 1 Gabriela Cardoso LEITÃO 2 Amanda Lorraine Teles RODRIGUES 3 Bruno Andrew Furtado de SOUSA 4 Luisa Pinto ALMEIDA 5 Lamounier Lucas PEREIRA JUNIOR 6 Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte,

Leia mais

Nome da Ação 1.2: Descrição da Ação 1.2: Nome da Ação 1.3: Descrição da Ação 1.3: Nome da Ação 1.4: Descrição da Ação 1.4:

Nome da Ação 1.2: Descrição da Ação 1.2: Nome da Ação 1.3: Descrição da Ação 1.3: Nome da Ação 1.4: Descrição da Ação 1.4: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Cassilândia 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Interdisciplinar Obs.: Para

Leia mais

A ÉTICA EMPRESARIAL E O VALOR COMPARTILHADO

A ÉTICA EMPRESARIAL E O VALOR COMPARTILHADO A ÉTICA EMPRESARIAL E O VALOR COMPARTILHADO Camila e Silva MESCOLOTI 1 Lucas do Nascimento TAVARES 2 Gilson Rodrigo Silvério POLIDORIO 3 RESUMO: A sociedade tinha uma concepção de que as causa dos problemas

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL Ana Maria G. D. MENDONÇA 1, Darling L. PEREIRA 2,,José J. MENDONÇA 3, Aluska M. C. RAMOS 4 Maria S. B. DUARTE

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Lixo, Bicho É

Mostra de Projetos 2011. Lixo, Bicho É Mostra de Projetos 2011 Lixo, Bicho É Mostra Local de: Ivaiporã. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: APAE - MARILANDIA DO SUL. Cidade: MARILANDIA

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: UMA REFLEXÃO SOBRE O USO DAS TIC NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APRENDIZAGEM 1

FORMAÇÃO DOCENTE: UMA REFLEXÃO SOBRE O USO DAS TIC NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APRENDIZAGEM 1 AYRES, Sandra Regina Braz; MILANESI, Irton; MILHOMEM, André Luiz Borges. Formação Docente: Uma reflexão sobre o uso das TIC no desenvolvimento de projetos de aprendizagem. SemiEdu2010 - ISSN:1518-4846

Leia mais

O ENGAJAMENTO DA INDÚSTRIA DE TINTAS NA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

O ENGAJAMENTO DA INDÚSTRIA DE TINTAS NA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS O ENGAJAMENTO DA INDÚSTRIA DE TINTAS NA POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS Há muitos anos, a indústria de tintas, sob a liderança da ABRAFATI (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas), pesquisa

Leia mais

III-235 - COMUNICAÇÃO AMBIENTAL NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

III-235 - COMUNICAÇÃO AMBIENTAL NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS III-235 - COMUNICAÇÃO AMBIENTAL NO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Sandra Maria Furiam Dias (1) Engenheira Civil. Doutora em Saúde Pública pela FSP/USP. Professora Adjunta do Departamento de

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Recicle Art

Mostra de Projetos 2011. Recicle Art Mostra de Projetos 2011 Recicle Art Mostra Local de: Ivaiporã. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Sesi Apucarana. Cidade: Apucarana. Contato:

Leia mais

O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM

O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA O projeto piloto de acompanhamento pedagógico dos estudantes do CTISM/UFSM Mariglei Severo Maraschin CTISM/UFSM Camila Sehnem - CTISM/UFSM Débora Marschal CTISM/UFSM

Leia mais

Osasco - SP 04/2015. Classe B1 Estudo de Caso. Setor Educacional - c) Educação Superior

Osasco - SP 04/2015. Classe B1 Estudo de Caso. Setor Educacional - c) Educação Superior EaD DE DENTRO PARA FORA: O APROVEITAMENTO E INTEGRAÇÃO DOS DOCENTES PRESENCIAIS COMO FORMA DE MELHORAR O ENVOLVIMENTO E ENFRENTAR OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR.

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS.

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS. PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS. O Programa de Educação Ambiental nas Escolas terá como marcos norteadores: - A educação ambiental contida na Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA),

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL SUSTENTABILIDADE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÚCLEO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - NEA O NEA na Universidade São Judas constitui-se de um grupo de docentes, com atribuições acadêmicas de implementação e acompanhamento

Leia mais

Criar cursos de graduação, tanto presenciais quanto à distância, e pós-graduação multidisciplinares.

Criar cursos de graduação, tanto presenciais quanto à distância, e pós-graduação multidisciplinares. 12.1) Otimizar a capacidade instalada da estrutura física e de recursos humanos das instituições públicas de educação superior mediante ações planejadas e coordenadas, de forma a ampliar e interiorizar

Leia mais

Eixo Temático ET-01-017 - Gestão Ambiental PROJETO DE MINIMIZAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL EM UMA INDÚSTRIA DO ALTO SERTÃO DA PARAÍBA

Eixo Temático ET-01-017 - Gestão Ambiental PROJETO DE MINIMIZAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL EM UMA INDÚSTRIA DO ALTO SERTÃO DA PARAÍBA 129 Eixo Temático ET-01-017 - Gestão Ambiental PROJETO DE MINIMIZAÇÃO DO IMPACTO AMBIENTAL EM UMA INDÚSTRIA DO ALTO SERTÃO DA PARAÍBA Nelly Alexandre Marçal¹; Susana Cristina Lucena² ¹Graduanda em Tecnologia

Leia mais

Justificativa. Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas.

Justificativa. Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. Justificativa Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. A Escola de Ensino Fundamental Mondrian, fundada em 2011, começou suas atividades em

Leia mais

Plano de Aula CIÊNCIAS. Reciclando

Plano de Aula CIÊNCIAS. Reciclando Plano de Aula CIÊNCIAS Reciclando Reciclando. 09 p.; il. (Série Plano de Aula; Ciências) ISBN: 1. Ensino Fundamental - Ciências 2. Ciências Naturais 3. Terra e Universo I. Título II. Série CDU:373.3:5

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA A presente proposta articula um conjunto de sugestões, cenários e arranjos institucionais e sociais,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA HISTÓRICO A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA, fundada em 20/07/1990 é uma organização

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA HISTÓRICO A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA, fundada em 20/07/1990 é uma organização ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA HISTÓRICO A ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MEIO AMBIENTE - AMA, fundada em 20/07/1990 é uma organização Não-Governamental, a qual desenvolve suas atividades no campo da preservação

Leia mais

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas.

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. Justificativa Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. A Escola de Ensino Fundamental Mondrian, fundada em 2011, começou suas atividades em

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR)

Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de aula 1 IDENTIFICAÇÃO NOME DO SUBPROJETO: POPULARIZANDO

Leia mais

PÔSTER PO69 CONTEÚDOS QUÍMICOS CONTEMPLADOS NA SEÇÃO O LEITOR PERGUNTA DA REVISTA CIÊNCIA HOJE: CONCEPÇÕES DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE

PÔSTER PO69 CONTEÚDOS QUÍMICOS CONTEMPLADOS NA SEÇÃO O LEITOR PERGUNTA DA REVISTA CIÊNCIA HOJE: CONCEPÇÕES DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE PÔSTER PO69 CONTEÚDOS QUÍMICOS CONTEMPLADOS NA SEÇÃO O LEITOR PERGUNTA DA REVISTA CIÊNCIA HOJE: CONCEPÇÕES DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE Resumo Severina Coelho da Silva Cantanhede Universidade Federal

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO

FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E EXTENSÃO Protocolo 052/2010 FORMULÁRIO PARA CADASTRO DE PROJETO DE PESQUISA E ETENSÃO 1. Instruções 1 Deverão ser entregues 2 (duas) cópias impressas e 1 (uma) cópia via e-mail (na extensão.doc), encaminhados para

Leia mais