SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo"

Transcrição

1 SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Me. Leandro Parussolo

2 Sistema Endócrino Função de garantir o fluxo de informações entre diferentes cells, permitindo a integração funcional de todo o organismo; Garantir a reprodução; Promover o crescimento e desenvolvimento; Garantir a homeostasia

3 Fluxo de informações S.Endócrino ocorre a partir dos efeitos biológicos determinados pelos hormônios. Nesse fluxo participam a cell secretora e cell alvo Responsável pela síntese do hormônio que vai levar a informação Vai reconhecer o hormônio e modificar alguma função celular em resposta a esse hormônio Cell alvo para um hormônio expressa um receptor hormonal específico (fundamental na resposta endócrina)

4 Hormônio Substância química que é produzida por uma parte do corpo e que atua no sentido de controlar ou ajudar no controle de alguma função, em outra parte do corpo

5 CÉLULA SECRETORA HORMÔNIO AÇÃO HORMONAL RECEPTORES CÉLULA - ALVO

6 Sistemas Hormonais Três clássicos sistemas ou ações hormonais: 1- Sistema Endócrino (hormônio age em uma cell alvo distante, na qual chega através do sangue); 2- Sistema Parácrino (hormônio difundi-se pelo interstício (LEC) agindo em cells vizinhas da cell secretora); 3- Sistema Autócrino (hormônio secretado volta a agir na mesma cell secretora)

7 célula secretora AÇÃO DOS HORMÔNIOS célula-alvo célula que não apresenta receptores para hormônio. AÇÃO PARÁCRINA AÇÃO ENDÓCRINA célula secretora célula-alvo

8

9 Química dos Hormônios Hormônios Esteróides: tem um núcleo esteróide, semelhante ao colesterol. Os hormônios esteróides são secretados pelo córtex adrenal (cortisol e aldosterona); pelos testículos (testosterona) e pela placenta (estrogênio e progesterona). Derivados do aminoácido tirosina: hormônios secretados pela tireóide (tiroxina e triiodotironina) e a medulas adrenal (epinefrina e norepinefrina). Proteínas ou peptídeos : os hormônios secretados pela hipófise anterior e posterior, pelo pâncreas (insulina e glucagon), pela paratireóide (paratormônio) e outros.

10 Visão Geral das Glândulas Endócrinas

11 Glândulas Endócrinas Hipófise Hipotálamo Tireóide Timo Adrenais Pâncreas Ovário Testículo

12 Funções Reguladoras dos Hormônios Glândula Hipófise anterior secreta 6 hormônios diferentes que regulam: Crescimento de todos os tecidos do corpo; Secreção de hormônio tireoidiano; Secreção de hormônios do córtex supra-renal; Produção de leite (glândulas mamárias); Secreção de diversos hormônios sexuais.

13 Funções Reguladoras dos Hormônios Glândula Tireóide secreta tiroxina, que controla a intensidade do metabolismo de todas as cells; Medula supra-renal secreta epinefrina e norepinefrina (estimulação do SN Simpático) Córtex supra-renal secreta hormônios que regulam a reabsorção de sódio pelo RIM

14 Funções Reguladoras dos Hormônios Pâncreas secreta insulina, que regula a utilização de glicose por todo o corpo; Testículos secretam hormônios que controlam as funções sexuais e reprodutoras no sexo masculino Placenta secreta hormônios que controlam as funções sexuais e reprodutoras no sexo feminino Glândulas paratireóides secreta hormônios que regulam a concentração de cálcio nos líquidos corporais

15 Controle da Secreção Hormonal Produção hormonal baseia-se no equilíbrio entre estímulo e inibição da síntese e secreção do hormônio; Importante base funcional - mecanismo de feedback negativo (na grande maioria dos sistemas hormonais). feedback negativo impede a hiperatividade dos sistemas hormonais

16 Estímulo Liberação do Hormônio Condições ou produtos decorrentes da ação do hormônio tendem a suprimir uma liberação adicional Efeito de feedback negativo impede a hipersecreção do hormônio ou a hiperatividade no tecido alvo; Somente quando a atividade do tecido alvo se eleva até um nível apropriado, os sinais de feedback para a glândula endócrina se tornarão poderosos o suficiente para tornar mais lenta a secreção do hormônio

17 Ex : Secreção de Insulina Glicemia + Pâncreas a secretar insulina _ Glicemia

18 Ex : Produção de T 3 e T 4 Hipófise TSH Tireóide T 3 T 4 Hipotálamo Hipotálamo produz hormônio TRH (hormônio liberador de tireotropina) que é o hormônio estimulador do TSH (hormônio tireoestimulante). àassim, estimula a Hipófise a liberar TSH (tireotrofina). à Essa, por sua vez, estimula a Tireóide a produzir os hormônios T3 (triidotironina) e T4 (tiroxina). à O T3 inibe a produção hipotalâmica de TRH e a hipofisária de TSH (feedback negativo)

19 Em alguns casos ocorre feedback positivo quando a ação biológica do hormônio causa secreção adicional deste. Hipotálamo Sintetiza Ocitocina + Hipófise Posterior Libera Ocitocina Útero Contrações Uterinas FEEDBACK POSITIVO

20 Hormônios Hipofisários e seu controle pelo Hipotálamo Hipotálamo e hipófise funcionam de maneira coordenada comandando a maioria dos sistemas endócrinos. Regulam as funções da tireóide, adrenais, e das glândulas reprodutoras Controlam o crescimento, a produção e a ejeção do leite e a regulação osmótica.

21 Hipófise produz numerosos e importantes hormônios; Grande parte das funções dessa glândula são reguladas pelo HIPOTÁLAMO (Hipófise posterior) (Hipófise anterior)

22 Os hormônios produzidos pela hipófise são liberados na corrente sangüínea.

23 Adenohipófise Neurohipófise Necessitam receber estímulos hormonais a partir do hipotálamo. Ocitocina ADH Prolactina FSH e LH TSH ACTH STH (GH) FSH: folículo-estimulante; LH: luteinizante; TSH: tireoestimulante; ACTH: adrenocorticotrópico; GH: crescimento

24 Controle da secreção adeno-hipofisária pelo Hipotálamo: Hormônios liberadores e inibidores hipotalâmicos que controlam a secreção da hipófise: 1.TRH: hormônio de liberação do TSH 2.CRH: hormônio de liberação do ACTH 3.GHRH: h. de liberação do GH. 4.Somatostatina: h. de inibição do GH 5.GnRH: h. de inibição das gonadotrofinas (FSH e LH) 6.Dopamina: fator inibição da prolactina

25 HIPÓFISE ANTERIOR OU ADENOHIPÓFISE Todos os principais hormônios da Hipófise Anterior, com exceção do hormônio de crescimento, exercem seus efeitos principais por meio do estímulo de glândulas-alvo, incluindo a glândula tireóide, córtex adrenal, ovários, testículos e glândulas mamárias. O hormônio de crescimento, ao contrário dos outros hormônios, não age através de glândulas-alvo, mas exerce seus efeitos diretamente sobre todos ou quase todos os tecidos do organismo.

26 Hormônio do Crescimento (GH) Hormônio Somatotrópico (somatotropina); Tem profundos efeitos sobre os metabolismos protéico, glicídico e lipídico; Secretado durante toda a vida; Promove o crescimento de quase todos os tecidos do corpo que são capazes de crescer; Promove não só o aumento das cells, como tbém o n. de mitoses (multiplicação e diferenciação)

27 Comparação entre o ganho de peso de um rato injetado diariamente com hormônio do crescimento comparado a um outro da mesma ninhada.

28 Regulação da secreção do Hormônio do Cresmimento Após a adolescência secreção do hormônio diminui lentamente; Pessoas idosas aprox. 25% do nível encontrado na adolescência; Padrão de secreção é pulsátil aumentando e diminuindo; Diversos fatores relacionados ao estado nutricional de uma pessoa ou estresse estimulam a sua secreção; Aumenta caracteristicamente durante as 2 primeiras horas de sono profundo.

29 Gráfico mostra variações típicas na secreção do hormônio do crescimento durante o dia, demonstrando o efeito especialmente potente de exercícios intensos e também da elevada taxa de secreção durante as primeiras poucas horas de sono profundo.

30

31 Fatores que estimulam a secreção do Hormônio de crescimento Diminuição da glicose no sangue Diminuição dos ácidos graxos livres no sangue Privação ou jejum, deficiência de proteínas Traumatismo, estresse, excitação Exercícios Testosterona, estrogênio Sono profundo Hormônio liberador do H. cresc. Fatores que inibem a secreção do Hormônio de crescimento Glicose sérica aumentada Aumento dos ác. Graxos livres no sangue Envelhecimento Obesidade Hormônio inibidor do H. cresc. (somatostatina) Somatomedinas (fatores de crescimento semelhantes à insulina)

32 Atuação do GH: 1) Metabolismo -Aumenta glicose plasmática - Aumenta ácidos graxos plasmáticos - Diminui aa s plasmáticos - Diminui captação glicose - Aumenta captação de aa s - Aumenta síntese de proteínas 2) Músculo 3) Condrócitos - Aumenta captação de aa s - Aumenta síntese de proteínas - Aumenta síntese de colágeno - Aumenta tamanho e número de célula - Diminui captação de glicose - Aumenta lipólise - Diminui adiposidade 4) Tecido Adiposo

33 Fisiopatologia do hormônio do crescimento Deficiência do GH nanismo Excesso do GH gigantismo antes da puberdade - acromegalia após a puberdade

34 Fisiopatologia do hormônio do crescimento Gigantismo: - Cells acidofílicas produtoras do hormônio se tornam excessivamente ativas; - Se ocorrer antes da adolescência - pode chegar até 2,43 m de altura; - Apresentam hiperglicemia (10% desenvolve diabetes melito)

35 Efeito da Reposição hormonal com GH, em criança de 6 anos : 15 meses de tratamento

36 Acromegalia Se um tumor acidofílico ocorrer depois da adolescência o paciente não pode crescer mais, mas os ossos tornam-se mais espessos e as partes moles continuam a crescer; Aumento acentuado especialmente nos ossos das mãos e dos pés, e nos ossos membranosos, incluindo crânio, nariz, testa, maxila inferior (até 10cm); Além disso, as mudanças nas vértebras, em geral, levam a curvatura das costas (cifose)

37 Sistema Endócrino: Glândula Tireóide

38 Glândula Tireóide à Uma das maiores glândulas endócrinas (15 a 20 g); à 2 hormônios principais (T3 e T4) que aumentam a taxa metabólica do organismo; à Ausência completa de secreção tireoideana taxa metabólica diminui de 40 a 50% à Excesso extremo aumenta de 60% a 100% à Secreção controlada pelo hormônio estimulante da tireóide (TSH)

39 Hormônios Tireoidianos: -T 3 (tri-iodotironina): 7%, hormônio ativo. - T 4 (tetra-iodotironina): tb chamado de tiroxina 93% Aminas derivadas do aa TIROSINA. Diferem em apenas um átomo de iodo. O iodo deve ser obtido através da alimentação (peixes, sal de cozinha), 1mg por semana. - Calcitonina: equilíbrio do Ca ++ no LEC

40 Secreção de T 3 e T 4 : HIPÓFISE TSH TRH HIPOTÁLAMO Tireóide àdurante poucos dias, cerca da metade da tiroxina (T4) é lentamente desiodada, formando T3; à Hormônio transportado e utilizado pelos tecidos consiste principalmente em T3 (total de 35 microgramas diários deste hormônio) T 3 T 4 H. ativo

41 Transporte plasmático de T 3 e T 4 : -No sangue são transportados juntamente com: -Globulina - Albumina - pré-albumina Possuem afinidade maior com T 4 Quando T 3 e T 4 estão ligados a estas proteínas, eles não são depurados pelo organismo. Logo funcionam como reservatório de tais hormônios. Todas as células do organismo possuem Receptores para T 3 e T 4.

42 Mecanismo de ação de T 3 e T 4 : - O T4 é transformado em T3 O T3 adentra o núcleo da célula alvo, se liga a um receptor contido no DNA; Ocorre então a estimulação da transcrição de determinados genes, ou mesmo inibição. T3 + Receptor do DNA (+) ou (-) Transcrição

43 Funções Fisiológicas de T 3 : Os hormônios tireoidianos atuam em praticamente todos os sistemas do corpo humano. Aumento do metabolismo basal: -Aumento do número de mitocôndrias e de sua atividade (maior gasto de ATP) - Aumento do metabolismo dos carboidratos (glicólise, aumento absorção glicose pelo intestino e aumento liberação insulina) - Aumento metabolismo de lipídios ( T3 colesterol, fosfolipídios e triglicerídeos)

44 Funções Fisiológicas de T 3 : - Aumento do metabolismo protéico - Crescimento e desenvolvimento (+ produção de GH) - Aumento do consumo de O 2 - Aumenta hematopoiese - Efeitos cardiovasculares ( aumenta força de contração e freqüência cardíaca) - Efeitos gastrintestinais: aumento da motilidade -Efeitos neuromusculares: contração muscular mais rápida. - São essenciais para o desenvolvimento do SNC. Sua falta pode ocasionar retardo mental cretinismo.

45

46 Regulação da secreção de T 3 e T 4 : Interna: -feedback negativo Externa: - O frio estimula produção de TRH pelo hipotálamo e, portanto, de TSH pela adenohipófise

47 Fisiopatologia da tireóide: HIPERTIREOIDISMO: Conjunto de sinais e sintomas decorrentes do excesso de hormônios da tireóide. Sintomas: Fome excessiva Aumento ritmo intestinal Nervosismo, insônia, labilidade emocional Tremores e fraqueza muscular Intolerância ao calor Palpitações Emagrecimento Exoftalmia Bócio Pele quente e úmida Unhas quebradiças, Cabelo seco, quebradiço e Encaracolado.

48 HIPERTIREOIDISMO: Causas: Doença de Graves: Auto-imune, produção de anticorpos estimulantes da tireóide. Neoplasia da tireóide: ocasionam secreção de grandes quantidades de hormônios. Tumores na hipófise: secreção exagerada de TSH.

49 HIPERTIREOIDISMO: Bócio Exoftalmia

50 HIPOTIREOIDISMO: Conjunto de sinais e sintomas decorrentes da falta ou ausência de hormônios da tireóide. Sintomas: Intolerância ao frio Sonolência e constipação Pálpebras inchadas Diminuição do apetite Ganho de peso Fraqueza muscular Raciocínio lento Depressão Cabelos com cresc. lento Queda de cabelos Queda das pálpebras Pele seca Déficit de crescimento em cças Choro rouco Diminuição dos reflexos Bócio Perda da libido

51 HIPOTIREOIDISMO: Causas: Tireoidite de Hashimoto: Auto-imune, produção de anticorpos com destruição das células da tireóide. Falta de Iodo TSH ou TRH diminído Cirurgia para hipertireoidismo Congênita (cretinismo)

52 HIPOTIREOIDISMO: Mixedema Bócio Cretinismo

53 Tratamento Hiper: Administração de drogas: propiltiouracil que inibe a síntese dos hormônios tireoidianos Remoção cirúrgica da glândula ou parte dela Ablação da glândula por tratamento com 131 I 2. Tratamento Hipo: Terapia de reposição hormonal geralmente T 4. Caso seja decorrente da falta de iodo fornecimento de dietas ricas em iodo (sal de cozinha iodado).

54 Sistema Endócrino: Pâncreas

55 INSULINA Pâncreas glândula mista composta por: à Região exócrina (ácinos): secreções formam o suco pancreático liberado no duodeno (participa da digestão) à Região endócrina (ilhotas de Langerhans): produzem hormônios relacionados com o metabolismo da glicose (sangue) Insulina Glucagon

56 INSULINA - Ilhotas de Langerhans formadas por cells alfa e beta Secreção de Glucagon Secreção de Insulina - Função da insulina = metabolismo de alimentos (carboidratos, gorduras, proteínas); - Sem insulina animal ou ser humano não consegue crescer = por não poder utilizar grande parte do carboidrato que ingere; = por suas cells serem incapazes de sintetizar proteína.

57 INSULINA - Na falta de insulina = cells utilizam grandes qtdes de gordura debilidade extrema (perda de peso, coma). Efeito mais importante da Insulina = transporte de glicose para o interior de quase todas as cells do corpo (cells musculares, cells gordurosas, cells hepáticas); Ativa o mecanismo de difusão facilitada

58

59 INSULINA Aumento da Glicose no Sangue Pâncreas secreta insulina Promove o transporte rápido da Glicose para as cells Utilização para produção de Energia na cell

60 INSULINA Após uma refeição, quando existe excesso de glicose e excesso de insulina: - Glicose transportada para interior de cells hepáticas e musculares em quantidades muito maiores que as que podem ser utilizadas para energia; grande parte é armazenada sob a forma de glicogênio - Durante os intervalos das refeições : Cells musculares convertem glicogênio em glicose para energia Cells hepáticas enzima fosforilase fica ativada e despolimeriza gliogênio em glicose que é liberado no sangue circulante

61 INSULINA - Conversão da Glicose em Gordura: - Após os depósitos hepatico e muscular terem sido preenchidos Glicose em excesso é armazenada na forma de gordura - 9/10 gordura sintetizadas no fígado - Gordura é liberada para o sangue (forma de lipoproteínas) - Transportada para cells adiposas - 1/10 Glicose sintetizado nas próprias cells adiposas.

62 INSULINA Efeito da Insulina sobre a Glicose Sanguínea: Grandes quantidades de Insulina Rápido transporte Glicose p/ cells corpo diminuição concentração sanguínea Falta de Insulina Glicose retida no sangue Falta completa de insulina aumento da concentração sanguínea desde o Valor normal 90 mg/100ml até valores de 350 mg/100ml Aumento acentuado Insulina redução glicose sanguínea a níveis de 25 mg/100ml

63 INSULINA Efeito da Insulina sobre o metabolismo da Gordura Insulina inibe, de modo acentuado, o metabolismo das gorduras 1) Glicose em excesso nas cells vão sendo utilizadas (degradação de ác. graxos diminuída) 2) Antes de ser utilizada, a gordura deve ser liberada das cells isso ocorre por meio de uma enzima (lipase hormônio-sensível) que desdobra os ác graxos das gorduras Insulina inibe essa enzima (gordura não é liberada enquanto tiver insulina suficiente para inibir a lipase hormônio-sensível)

64 INSULINA Efeito da Falta da Insulina sobre o metabolismo das gorduras: Metabolismo de gorduras fica acelerado 1) Lipase hormônio-sensível das cells gordurosas fortemente ativada; 2) Ác. Graxos ficam disponíveis p/ cells de todo corpo muitos são usados imediatamente para Energia; 3) Grande parte de ác. graxos é transportada para o fígado (onde são convertidos em triglicérides, fosfolipídios, colesterol) quais são devolvidos ao sangue sob a forma de lipoproteínas (aumentando conc. de lipídios no sangue) 4) Metabolismo rápido dos ác. graxos no fígado formação de ácido acetoacético liberado no sangue (pode causar acidose generalizada grave coma acidótico morte) efeitos mais danosos do diabetes

65

66 INSULINA REGULAÇÃO DA SECREÇÃO DE INSULINA Mecanismo da Insulina é um modo de feedback para controle da [glicose] no sangue e líquidos corporais; Teor elevado de Glicose Secreção de Insulina Maior utilização de Glicose Retorno de sua concentração aos valores normais

67 INSULINA DIABETES MELLITUS Incapacidade do pâncreas em secretar insulina; Degeneração das cells beta das ilhotas de Langerhans; à Herança de um dos genitores (pessoas diabéticas jovens); à Outras pessoas anticorpos contra cells beta (destruição) doença auto-imune; à Em outras anticorpos contra insulina (qtdade de insulina secretada pode ser normal, mas nunca atinge seu destino)

68 INSULINA Efeitos Fisiológicos do DIABETES à Incapacidade de utilizar quantidades adequadas de glicose para energia, utilizando qtdes excessivas de gorduras; à Teor sanguíneo de glicose fica aumentado; à Grandes qtdes de glicose são perdidas na urina (cells renais não conseguem reabsorver) o que reduz também a reabsorção de água; Pessoa diabética perde muita água e glicose na urina; Perde peso e fica enfraquecida.

69 INSULINA Tratamento com Insulina à Injeções diárias de insulina Aterosclerose no Diabetes à Diabetes prolongado pode levar a quadro precoce de aterosclerose, provocando ataques cardíacos, lesões renais, acidentes vasculares cerebrais e outros distúrbios circulatórios; à Isso é devido ao metabolismo excessivo de gorduras e o depósito de colesterol nas paredes dos vasos sanguíneos.

70 GLUCAGON Secretado pelas cells alfa das ilhotas de Langerhans; à Muitas de suas funções são opostas às da Insulina; Outras a complementam; Glucagon aumenta o teor sanguíneo de glicose; Insulina diminui Insulina e Glucagon aumentam a disponibilidade de glicose para utilização celular Glucagon realiza isso para mobilizar a glicose do fígado Insulina realiza isso para aumentar o transp de glicose interior cells

Aula 23 Sistema endócrino

Aula 23 Sistema endócrino Aula 23 Sistema endócrino O sistema endócrino é formado por órgãos e tecidos que secretam hormônios. Os hormônios são lançados na corrente sangüínea e influenciam a atividade de células, órgãos ou sistemas.

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise): Introdução Sistema Endócrino O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados (glândulas) cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas Hormônios. Os

Leia mais

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas)

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) É formado pelas glândulas endócrinas Essas tem origem no tecido epitelial

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Introdução Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelos sangue. Conjunto de células produtoras de hormônios. Hormônios

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino-I

Fisiologia do Sistema Endócrino-I Curso Preparatório para Residência em Enfermagem-2012 Fisiologia do Sistema Endócrino-I Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam

Leia mais

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas Biologia Tema: Módulo 01: Anatomia e fisiologia Marcos Vinícius Introdução É um sistema que juntamente com o sistema nervoso atua no controle das funções gerais do nosso organismo. É representado pelos

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL HORMÔNIOS 1. MENSAGEIROS QUÍMICOS PRODUZIDOS PELAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS. 2. REGULADORES: - (ESTIMULANTES OU INIBIDORES) - (CRESCIMENTO, METABOLISMO, REPRODUÇÃO, ETC.)

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON CARACTERÍSTICAS FUNCIONAMENTO DO CORPO COMUNICAÇÃO COM CÉLULAS: AÇÃO HORMONAL LIBERAÇÃO POR DETERMINADAS CÉLULAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS: CÉLULAS PRODUTORAS DE HORMÔNIOS

Leia mais

Profª Leticia Pedroso

Profª Leticia Pedroso Profª Leticia Pedroso Sistema Endócrino O homem apresenta em seu organismo várias glândulas endócrinas (glândulas que secretam hormônios para dentro do sangue). Hormônios são mensageiros químicos responsáveis

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA III

FISIOLOGIA HUMANA III FISIOLOGIA HUMANA III UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Profª Drª Silvia Aparecida Pieta Interação dos sistemas nervoso e endócrino Os sistemas nervoso e

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO SISTEMA ENDÓCRINO Prof. TIAGO CARACTERÍSTICAS GERAIS INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS. CONTROLEDEATIVIDADES FISIOLOGICAS. SEMELHANTE AO SISTEMA NERVOSO. EFETUADO POR HORMÔNIOS TRANSPORTADO PELA CORRENTE SANGUINEA

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa Biologia Aulas 33, 34 e 35 Setor B Prof. Rafa Tipos de glândulas: Exócrinas: com ducto de saída lacrimais, mamárias, salivares, sebáceas e sudoríparas Endócrinas: sem ducto de saída, secreções (hormônios)

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS SISTEMA ENDÓCRINO Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS As glândulas endócrinas mais importantes são: 1. hipófise; 2. tireóide; 3. paratireóides; 4. supra-renais; 5. ilhotas de Langerhans do pâncreas;

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos SISTEMA ENDÓCRINO Ornólia Paracampos CARACTERÍSTICAS Sistema de regulação e integração de funções O mediador químico é um hormônio Alcança o alvo via sangue Aã Ação mais lenta e mais duradoura d São glândulas

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução

Sistema Endócrino. Introdução Introdução A coordenação das funções do organismo é feita pelos sistemas nervoso e endócrino. Este é formado pelo conjunto das glândulas, que produzem os hormônios, substâncias lançadas no sangue que influenciam

Leia mais

Hormônios Metabólicos da

Hormônios Metabólicos da Hormônios Metabólicos da Tireóide Tireóide Produz Calcitoninahomeostasia de CA Produz hormôniocolóide [Ca +2 ] plasmática (inibe osteoclastos) [Ca +2 ] plasmática Síntese dos Hormônios Capilar Bomba de

Leia mais

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Sistema endócrino + Sistema nervoso integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Conjunto de glândulas endócrinas que secretam hormônio Relembrando Glândulas que liberam

Leia mais

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha:

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Biologia 11) (Fuvest-1998) Uma jovem que sempre foi saudável chegou a um hospital em estado

Leia mais

d) uma célula é alvo apenas para um dado hormônio e) uma determinada função pode ser controlada por vários hormônios

d) uma célula é alvo apenas para um dado hormônio e) uma determinada função pode ser controlada por vários hormônios Fisiologia Endócrina - Bloco 1 de exercícios 1. O mecanismo de feedback ou retroação é o principal meio regulador da secreção das glândulas endócrinas. Um exemplo de feedback negativo é: a) aumento da

Leia mais

Sistema endócrino. Apostila 3 Página 22

Sistema endócrino. Apostila 3 Página 22 Sistema endócrino Apostila 3 Página 22 Sistema mensageiro Hormônios: informacionais, produzidas pelas glândulas endócrinas e distribuídas pelo sangue. Órgão-alvo: reage ao estímulo do hormônio. Sistema

Leia mais

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU SISTEMA ENDRÓCRINO Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU GLÂNDULAS DIFERENTES QUE SECRETAM HORMÔNIOS. OS HORMÔNIOS SÃO MENSAGEIROS QUÍMICOS,GERALMENTE TRANSPORTADOS

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Diego Ceolin INTRODUÇÃO Função: Atua juntamente com o sistema nervoso para o equilíbrio corporal ( Homeostase ) HOMEOSTASE Tendência permanente do organismo manter a constância

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino O sistema nervoso e as glândulas endócrinas são os dois principais mecanismos de comunicação e coordenação do corpo humano. Eles regulam quase todos os

Leia mais

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse.

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse. BIO 8E aula 22 22.01. O tecido epitelial de revestimento é pobre em substância intercelular e avascular. Existe também o tecido epitelial glandular que é derivado do tecido epitelial de revestimento. O

Leia mais

Curso: Integração Metabólica

Curso: Integração Metabólica Curso: Integração Metabólica Aula 7: Suprarrenal e tireoide Prof. Carlos Castilho de Barros Algumas pessoas podem apresentar distúrbios que provocam a obesidade. Estórias como Eu como pouco mas continuo

Leia mais

Fisiologia da glândula Tireóide

Fisiologia da glândula Tireóide Universidade Federal do Espírito Santo PSICOLOGIA Fisiologia da glândula Tireóide Élio Waichert Júnior Localização anatômica Secreta 3 Hormônios: Tiroxina (T4) Triiodotironina (T3) Calcitonina Prof. Élio

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução Os mensageiros químicos do corpo (hormônios) são produzidos pelas glândulas endócrinas ou glândulas de secreção interna,

Leia mais

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus Curitibanos Medicina Veterinária ANATOMIA II (NAV) Tireóide Paratireóide Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo Profa. Rosane Silva glândulas de secreção

Leia mais

Hipófise (ou glândula Pituitária)

Hipófise (ou glândula Pituitária) Sistema Hormonal Sistema Hormonal O sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substância denominadas hormonas. As glândulas endócrinas

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo corresponde a um Estímulo que provoca uma resposta do sistema neurohormonal. Como funciona

Leia mais

XIV O Sistema Endócrino

XIV O Sistema Endócrino 103 XIV O Sistema Endócrino a. HORMÔNIOS: São substâncias químicas produzidas por um grupo de células, numa parte do corpo e, secretadas na corrente sangüíneas, controlam ou ajudam no controle de outras

Leia mais

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS GLICOCORTICÓIDES - Hormônios esteroidais: Hormônios sexuais e Hormônios do Córtex da Adrenal. - Hormônios do Córtex da Adrenal: o Adrenocorticosteróides [glicocorticóides e (cortisol) e Mineralocorticóides

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

FISIOLOGIA ENDÓCRINA. Aula Fisiologia da Tireóide

FISIOLOGIA ENDÓCRINA. Aula Fisiologia da Tireóide UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas Lab. Regulação Central do Sistema Cardiovascular Prof. Hélder Mauad FISIOLOGIA ENDÓCRINA Aula Fisiologia da Tireóide

Leia mais

Exercícios de Coordenação Endócrina

Exercícios de Coordenação Endócrina Exercícios de Coordenação Endócrina 1. (UFABC) Leia a tirinha: Material de apoio do Extensivo Enquanto o futuro não chega, diabéticos controlam a glicemia através de injeções diárias de insulina ou mesmo

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA 1 SISTEMA ENDÓCRINO 2 1 Visão geral Sistema endócrino: Grupo de glândulas responsáveis por regular vários órgãos dentro do corpo; Satisfazer as necessidades de crescimento e reprodução

Leia mais

ZONA DE SOBREVIVÊNCIA. Conforto Térmico. Gráfico 1: Variações da temperatura corporal de um animal homeotérmico em função da temperatura ambiente.

ZONA DE SOBREVIVÊNCIA. Conforto Térmico. Gráfico 1: Variações da temperatura corporal de um animal homeotérmico em função da temperatura ambiente. ZONA DE SOBREVIVÊNCIA Hipotermia HOMEOTERMIA Homeotermia (HOMEOSTASIA) Hipertermia ou Homeostasia Termogênese Termoneutralidade Zona de Conforto Térmico Temperatura corporal TI TCIn Zona de TCS Termoneutralidade

Leia mais

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas.

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas. Hiperprolactinemia A hiperprolactinemia é alteração endocrinológica mais comum que ocorre no sistema nervoso central, sendo mais comum no sexo feminino. Além disso, é uma causa freqüente de infertilidade.

Leia mais

Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV

Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV 1 Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV Visão Geral do Sistema das Glândulas Endócrinas Introdução

Leia mais

Embriologia e Histologia Animal II

Embriologia e Histologia Animal II Embriologia e Histologia Animal II HISTOFISIOLOGIA DO SISTEMA ENDÓCRINO Daniela dos Santos Brum Glândulas endócrinas Secretam seus produtos (moléculas biologicamente ativas) HORMÔNIOS Corrente sanguínea

Leia mais

Sistema Endócrino II - Hormônios

Sistema Endócrino II - Hormônios Ciências Morfofuncionais III Sistema Endócrino II - Hormônios Natureza, química e funções Professores: Felipe, Jean-Pierre e Olivia Endocrinologia Estudo das secreções internas do organismo Hormônios São

Leia mais

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL Glândulas endócrinas e tecidos que secretam hormônios; Coordena funções do organismo CONTROLE HORMONAL S. Nervoso + S. endócrino = Homeostase Mensageiros químicos; Atuam em um tecido ou órgão alvo específico;

Leia mais

DOENÇAS DA TIREÓIDE. A Tireóide é uma glândula endócrina produtora de 2 hormônios do tipo amina:

DOENÇAS DA TIREÓIDE. A Tireóide é uma glândula endócrina produtora de 2 hormônios do tipo amina: Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DOENÇAS DA TIREÓIDE 1 - HORMÔNIOS DA TIRÓIDE: A Tireóide é uma glândula endócrina produtora de 2 hormônios

Leia mais

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Hormônios 2 HORMÔNIOS DA HIPÓFISE E DO HIPOTÁLAMO Quanto a sua origem os hormônios da hipófise e hipotálamo podem ser classificados em : - Hormônios da hipófise

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. André Maia

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. André Maia SISTEMA ENDÓCRINO O sistema endócrino e formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substancias denominadas hormônios. As glândulas endócrinas (do grego endos,

Leia mais

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms. Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Sistema Endócrino Composto pelas glândulas endócrinas integra e regula

Leia mais

Disciplina de Fisiologia Veterinária. GH e PROLACTINA. Prof. Fabio Otero Ascoli

Disciplina de Fisiologia Veterinária. GH e PROLACTINA. Prof. Fabio Otero Ascoli Disciplina de Fisiologia Veterinária GH e PROLACTINA Prof. Fabio Otero Ascoli GH Sinônimos: Hormônio do crescimento ou somatotrópico ou somatotropina Histologia: Em torno de 30 a 40% das células da hipófise

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas Sistema Endócrino Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Sistema Hormonal atua como um sistema de controle e regulação (assim como o

Leia mais

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. Fisiologia Endócrina. Introdução ao Sistema Endócrino

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM. Fisiologia Endócrina. Introdução ao Sistema Endócrino Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri - UFVJM Fisiologia Endócrina Introdução ao Sistema Endócrino Prof. Wagner de Fátima Pereira Departamento de Ciências Básicas Faculdade de Ciências

Leia mais

Fisiologia I CÓRTEX ADRENAL. Prof. Élio Waichert Júnior 1

Fisiologia I CÓRTEX ADRENAL. Prof. Élio Waichert Júnior 1 CÓRTEX ADRENAL Prof. Élio Waichert Júnior 1 Córtex adrenal Colesterol Hormônios corticosteróides Mineralocorticóides Glicocorticóides Hormônios androgênicos Afetam os eletrólitos (sódio, potássio) Afetam

Leia mais

Tireoidites e Comportamento Tireoidiano

Tireoidites e Comportamento Tireoidiano Tireoidites e Comportamento Tireoidiano Dr Semy Krillos Orientação: prof. Dr. Romeu Carillo Jr Hipotálamo Células do sistema parvicelular Secretam TRH ( hormônio liberador de tireotropina) Secretam CRH

Leia mais

Alterações Hormonais no Estresse

Alterações Hormonais no Estresse Alterações Hormonais no Estresse Na reação simpática da Fase de Alarme do Estresse é onde ocorre maior secreção de hormônios anti-inflamatórios, como por exemplo, um dos corticosteroides, a desoxicorticosterona,

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Endócrino. Profa. Valdirene Zabot Unochapecó

Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Endócrino. Profa. Valdirene Zabot Unochapecó Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Endócrino Profa. Valdirene Zabot Unochapecó Sistema de Comunicação Corpórea: Endócrino Nervoso Produtos = Hormônios: ajudam a enviar informações para outras células

Leia mais

Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Mensagem Química: Hormônios Os hormônios são substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS Andiara Onizzolo Marques Isadora Schmachtenberg Manoela Zaccani Maristela Ullrich

Leia mais

HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE. Introdução à Endocrinologia

HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE. Introdução à Endocrinologia HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE Introdução à Endocrinologia GENERALIDADES SOBRE HORMÔNIOS CONCEITO Hormônios são substâncias que funcionam como mensageiras inter-celulares CLASSIFICAÇÃO DOS HORMÔNIOS PROTÉICOS Formados

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO - 1 Figuras desta aula são do livro de Silverthorn

SISTEMA ENDÓCRINO - 1 Figuras desta aula são do livro de Silverthorn SISTEMA ENDÓCRINO - 1 Figuras desta aula são do livro de Silverthorn Bernardo Baldisserotto Departamento de Fisiologia e Farmacologia Universidade Federal de Santa Maria, Brasil Sistema nervoso: usualmente

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO - HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO - HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO - HORMONAL As funções corporais são reguladas por dois grandes sistemas de controle: 1. Sist. Nervoso 2. Sist. Hormonal ou Endócrino envolvido com: - diferentes funções metabólicas -

Leia mais

Tema 07: Glândulas Endócrinas

Tema 07: Glândulas Endócrinas Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Tópicos Especiais para Biotecnologia Tema 07: Glândulas Endócrinas Função Produção de hormônios; 1 Constituição Controle da homeostase;

Leia mais

Fisiologia do sistema endócrino: hipotálamo e hipófise

Fisiologia do sistema endócrino: hipotálamo e hipófise Fisiologia do sistema endócrino: hipotálamo e hipófise Prof. Kellen Brunaldi Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Ciências Fisiológicas Curso: Odontologia Silverthorn, Capítulo 7. Roteiro

Leia mais

SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPÓFISE. Prof. Dra. Lucila L K Elias

SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPÓFISE. Prof. Dra. Lucila L K Elias SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPÓFISE Prof. Dra. Lucila L K Elias TÓPICOS Unidade hipotalâmica-hipofisária Eixos hipotálamo-hipófise-glândula-alvo Hormônios hipofisiotróficos Retroalimentação negativa Hipófise

Leia mais

Brígida Ferrão. 10 de Outubro de 2014

Brígida Ferrão. 10 de Outubro de 2014 Brígida Ferrão 10 de Outubro de 2014 DEFINIÇÃO Sistema Endócrino conjunto de orgãos e tecidos que produzem hormonas, libertadas na corrente sanguínea e que controlam outros orgãos alvo Envelhecimento tecidos

Leia mais

DROGAS HIPOGLICEMIANTES

DROGAS HIPOGLICEMIANTES DROGAS HIPOGLICEMIANTES Secreção da insulina Insulina plasmática Receptor de insulina Ações da insulina DIABETES: Síndrome de múltipla etiologia, decorrente da falta de insulina e/ou sua incapacidade

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/35 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/35 Introdução Cronologia dos conceitos

Leia mais

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano 1. Na pirâmide alimentar, que alimentos precisam ser consumidos em maior quantidade? a) Carboidratos complexos, como alimentos integrais

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das TIREÓIDE

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das TIREÓIDE SISTEMA ENDÓCRINO Jatin Das Os hormônios tireoidianos são fundamentais para o desenvolvimento de vários órgãos no período embrionário, rio, mas também m são responsáveis pelo crescimento, a diferenciação

Leia mais

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas.

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas. RESUMO DE AULA Sistema endócrino I O funcionamento e equilíbrio fisiológico do corpo humano dependem em parte da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos denominados de hormônios.

Leia mais

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO FISIOLOGIA DO EIXO - HIPOFISÁRIO Letícia Lotufo Histórico: Sec. XI d.c. Galeno - primeiras evidências da associação íntima entre o hipotálamo e a hipófise 1920 Lewi & Greving Identificação do trato hipotalâmico-hipofisário

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Hipófise. 1.1. Relações anatômicas. Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino. Remoção cirúrgica morte 1 a 2 dias

Hipófise. 1.1. Relações anatômicas. Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino. Remoção cirúrgica morte 1 a 2 dias 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO SISTEMA HIPOTÂMICO HIPÓFISÁRIO 1.1. Relações anatômicas Hipófise Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino Infundíbulo Controla a função hipofisária através

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO FISIOLOGIA DI SISTEMA NERVOSO AUTONOMO. Fundamentos da organização morfo-funcional do SNA.

INTRODUÇÃO AO ESTUDO FISIOLOGIA DI SISTEMA NERVOSO AUTONOMO. Fundamentos da organização morfo-funcional do SNA. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA FISIOLOGIA DI SISTEMA NERVOSO AUTONOMO Fundamentos da organização morfo-funcional do SNA. Obs: O texto abaixo apresenta caráter introdutório, dessa forma, não substitui as aulas

Leia mais

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue Universidade Estadual Paulista DIABETES E EXERCÍCIO FÍSICO Profª Dnda Camila Buonani da Silva Disciplina: Atividade Física e Saúde Tópicos da Aula 1. Carboidrato como fonte de energia 2. Papel da insulina

Leia mais

FISIOLOGIA ENDÓCRINA

FISIOLOGIA ENDÓCRINA EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM FISIOLOGIA ENDÓCRINA 01. Os chamados hormônios trópicos da hipófise são aqueles que estimulam: a) o desenvolvimento e a função de outras glândulas b) a produção e a eliminação

Leia mais

Hipotireoidismo. O que é Tireóide?

Hipotireoidismo. O que é Tireóide? Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Hipotireoidismo O que é Tireóide? É uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, bem abaixo

Leia mais

BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4

BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4 BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4 1 Caro(a) professor(a), O Manual do Professor constitui uma importante ferramenta para o uso dos cadernos de sala da Coleção Pré-vestibular do Sistema de Ensino Poliedro

Leia mais

Neuroendocrinologia. Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes. Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo

Neuroendocrinologia. Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes. Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo Neuroendocrinologia Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo Neuro-endocrinologia O campo de neuro-endocrinologia - papel significante no entendimento

Leia mais

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana Enquadramento A alimentação garante a sobrevivência do ser humano Representa uma fonte de

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1 BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1 Paratireoides Tireoide Hipófise Timo Pâncreas Cápsulas suprarrenais ilhotas pancreáticas Testículos (no homem) Ovários (na mulher) glândula tireoide

Leia mais

ALIMENTOS, NUTRIENTES E SAÚDE. Profª MSc Monyke Lucena

ALIMENTOS, NUTRIENTES E SAÚDE. Profª MSc Monyke Lucena ALIMENTOS, NUTRIENTES E SAÚDE Profª MSc Monyke Lucena Para podermos praticar esportes, estudar ou realizar qualquer outra atividade, devemos ter energia no nosso organismo; Essa energia é fornecida pelos

Leia mais

ORGANIZAÇÃO MORFOLÓGICA E FUNCIONAL DO SISTEMA HIPOTALÂMICO HIPOFISÁRIO

ORGANIZAÇÃO MORFOLÓGICA E FUNCIONAL DO SISTEMA HIPOTALÂMICO HIPOFISÁRIO ORGANIZAÇÃO MORFOLÓGICA E FUNCIONAL DO SISTEMA HIPOTALÂMICO HIPOFISÁRIO Laboratório de Neuroendocrinologia Prof. Dr. Celso Rodrigues Franci Fernanda Barbosa Lima Os sistemas nervoso e endócrino regulam

Leia mais

Atividade Física. A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes.

Atividade Física. A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Atividade Física A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver

Leia mais

Biologia Fascículo 02 Juvenal Carlos Schalch

Biologia Fascículo 02 Juvenal Carlos Schalch Biologia Fascículo 02 Juvenal Carlos Schalch Índice Fisiologia Animal II... 1 Sistema nervoso... 1 Sistema excretor... 5 Sistema endócrino... 8 Exercícios... 12 Gabarito... 15 Fisiologia Animal II Sistema

Leia mais

Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos. Profa. Dra. Fernanda Datti

Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos. Profa. Dra. Fernanda Datti Tratamento de diabetes: insulina e anti-diabéticos Profa. Dra. Fernanda Datti Pâncreas Ilhotas de Langerhans células beta insulina células alfa glucagon células gama somatostatina regulação das atividades

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Informações gerais

SISTEMA ENDÓCRINO. Informações gerais SISTEMA ENDÓCRINO Algumas das mais importantes funções do nosso corpo são reguladas e integradas pelo sistema endócrino, frequentemente interagindo com o sistema nervoso: o sistema nervoso pode fornecer

Leia mais

Células A (25%) Glucagon Células B (60%) Insulina Células D (10%) Somatostatina Células F ou PP (5%) Polipeptídeo Pancreático 1-2 milhões de ilhotas

Células A (25%) Glucagon Células B (60%) Insulina Células D (10%) Somatostatina Células F ou PP (5%) Polipeptídeo Pancreático 1-2 milhões de ilhotas Instituto Biomédico Departamento de Fisiologia e Farmacologia Disciplina: Fisiologia II Curso: Medicina Veterinária Pâncreas Endócrino Prof. Guilherme Soares Ilhotas Células A (25%) Glucagon Células B

Leia mais

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual Fisiologia O ciclo menstrual para ocorrer depende de uma série de intercomunicações entre diversos compartimentos femininos. Todo o ciclo menstrual

Leia mais

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES 1 Copyright 2014 por Publicado por: Diabetes & Você Autora: Primeira edição: Maio de 2014 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta apostila pode

Leia mais

Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais Contra-indicações à realização do teste:

Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais Contra-indicações à realização do teste: Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais O teste consiste na dosagem dos níveis séricos de cortisol e ACTH, após um estímulo hormonal ou farmacológico in vivo

Leia mais

Módulo II.III - Fisiologia. Tema da Aula: Tiróide Docente: Prof. Alberto Escalda Data: 03/12/2008 Número da Aula Previsto:16

Módulo II.III - Fisiologia. Tema da Aula: Tiróide Docente: Prof. Alberto Escalda Data: 03/12/2008 Número da Aula Previsto:16 Módulo II.III - Fisiologia Tema da Aula: Tiróide Docente: Prof. Alberto Escalda Data: 03/12/2008 Número da Aula Previsto:16 Desgravador: Luís Miguel Magalhães Vieira Castro de Lemos Corrector: Ana Margarida

Leia mais

GABARITO DEFINITIVO DA IX OBB (1ª FASE)

GABARITO DEFINITIVO DA IX OBB (1ª FASE) (1/5) Resolução Comentada OBB IX Fase 1 GABARITO DEFINITIVO DA IX OBB (1ª FASE) 1 A B C D E 11 A B C D E 21 A B C D E 2 A B C D E 12 A B C D E 22 A B C D E 3 A B C D E 13 A B C D E 23 A B C D E 4 A B C

Leia mais

TIREÓIDE. O que é tireóide?

TIREÓIDE. O que é tireóide? TIREÓIDE O que é tireóide? A tireóide é uma glândula em forma de borboleta, situada no pescoço, logo abaixo do ossinho do pescoço, popularmente conhecido como gogó. A tireóide produz um hormônio capaz

Leia mais

SISTEMA DIGESTÓRIO. Quitéria Paravidino

SISTEMA DIGESTÓRIO. Quitéria Paravidino SISTEMA DIGESTÓRIO Quitéria Paravidino PROCESSOS DIGESTÓRIOS Ingestão:captar alimento pela boca; Mistura e movimentação do alimento:contrações musculares misturam o alimento e as secreções e movimentam

Leia mais