IDENTIFICAÇÃO DA MERCADORIA / IDENTIFICAZIONE DELLA MERCE. Número da autorização de importação / Numero del permesso di importazione:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IDENTIFICAÇÃO DA MERCADORIA / IDENTIFICAZIONE DELLA MERCE. Número da autorização de importação / Numero del permesso di importazione:"

Transcrição

1 CERTIFICADO SANITÁRIO INTERNACIONAIS PARA A EXPORTAÇÃO DE SÊMEN BOVINO E BUBALINO DE PAÍSES EXTRAMERCOSUL PARA O BRASIL CERTIFICATO SANITARIO INTERNAZIONALE PER L ESPORTAZIONE DI SEME BOVINO E BFALINO DA PAESI EXTRAMERCOSUL VERSO IL BRASILE IDENTIFICAÇÃO DA MERCADORIA / IDENTIFICAZIONE DELLA MERCE Mercadoria / Prodotto: SEMEN BOVINO CONGELADO / SEME BOVINO CONGELATO Número da autorização de importação / Numero del permesso di importazione: Nome do país exportador / Nome del paese esportatore: ITALIA INFORMAÇÕES REFERENTES A CADA DOADOR / INFORMAZIONI RELATIVE AD OGNI DONATORE Nome / Nome Número de Raça / Razza Registro / Numero di matricola INFORMAÇÕES DO SÊMEN DE CADA DOADOR / INFORMAZIONI RELATIVE AL SEME DI OGNI DONATORE Número de palhetas / Numero di dosi Datas da colheita / Data di raccolta Identificação da palheta / Identificazione delle dosi (lotto) Centro de coleta / Centro di raccolta ORIGEM / ORIGINE Nome e endereço do exportador / Nome e indirizzo dell esportatore: Número de autorização / numero di riconoscimento: Nome e endereço do Centro de Coleta e Processamento do sêmen (CCPS) / Nome e indirizzo del centro di raccolta e preparazione del seme (CCPS):

2 DESTINO / DESTINAZIONE Nome e endereço do importador / Nome e indirizzo dell importatore: ZOOGEN COMERCIO DE MATERIAL GENETICO LTDA ME RUA BARAO DO AMAZONAS 1121 SOBRE LOJA CENTRO RIBEIRAO PRETO SP BRASIL CONDIÇÕES SANITÁRIAS DO PAÍS EXPORTADOR / CONDIZIONE SANITARIA DEL PAESE ESPORTATORE O país exportador è livre de febre aftosa, com ou sem vacinação, peste bovina, pleuropneumonia contagiosa bovina (mycoplasma mycoides mycoides - colônias pequenas) e dermatose nodular contagiosa bovina, de acordo com as recomendações do Código Sanitário para os Animais Terrestres da OIE. Il paese esportatore è libero da Afta Epizootica (con o senza vaccinazione), peste bovina, pleuropolmonite contagiosa bovina (mycoplasma mycoides mycoides colonie piccole) e dermatite nodulare contagiosa bovina in accordo con le raccomandazioni del codice zoosanitario dell OIE per gli animali terrestri. Parágrafo único. No caso de zonificação para as doenças especificadas no caput deste artigo, o Serviço Oficial do país exportador certificará que o sêmen foi coletado e processado em um CCPS localizado em uma zona livre conforme o estabelecido no Código Sanitário para os Animais Terrestres da OIE. Nel caso di zonizzazioni per le malattie specificate all inizio di questo articolo, il Servizio Sanitario Ufficiale del paese esportatore certificherà che il seme è stato raccolto e preparato in un Centro localizzato in una zona libera, conformemente a quanto stabilito nel codice sanitario dell OIE per gli animali terrestri. DOADORES DE SÊMEN / DONATORI DEL SEME Os doadores de sêmen devem ser nascidos e criados no país exportador ou ter permanecido naquele por um período mínimo de 60 (sessenta) dias antes da colheita do sêmen. I donatori del seme devono essere nati e allevati nel paese esportatore oppure devono avervi risieduto per un periodo minimo di 60 (sessanta ) giorni prima della raccolta del seme. Os doadores não devem apresentar nenhuma evidência clínica de doença transmissível pelo sêmen nos 30 (trinta) dias anteriores à colheita, no dia da colheita, bem como nos 30 (trinta) dias subseqüentes à colheita. I donatori non devono presentare nessuna evidenza clinica di malattie trasmissibili col seme nei 30 (trenta) giorni precedenti la raccolta, nel giorno della raccolta e nei 30 (trenta) giorni successivi alla raccolta. TESTES DE DIAGNÓSTICO / TEST DIAGNISTICI A colheita de material para realização dos exames laboratoriais requeridos pelo MAPA (Ministero da Agricoltura, Pecuária e Abastecimento) deverá ser supervisionada por Veterinário Oficial ou credenciado pelo Serviço Veterinário Oficial do país exportador.

3 La raccolta del materiale per la realizzazione degli esami di laboratorio richiesti dal MAPA, dovrà essere effettuata sotto la supervisione di un veterinario ufficiale o accreditato dal servizio veterinario ufficiale del paese esportatore. Os testes de diagnóstico requeridos pelo MAPA deverão ser realizados em laboratório oficial ou em laboratório aprovado pelo Serviço Veterinário Oficial do país exportador. I test diagnostici richiesti dal MAPA dovranno essere realizzati in un laboratorio ufficiale o in un laboratorio approvato dal servizio veterinario ufficiale del paese esportatore. O sêmen deverá ser coletado em um CCPS que cumpra as "CONDIÇÕES APLICÁVEIS PARA A REALIZAÇÃO DE TESTES DE TOUROS E DE ANIMAIS UTILIZADOS COMO MANEQUIM", conforme estabelecido no Código Sanitário para os Animais Terrestres da OIE, ou em um CCPS que adote a sistemática de testar os animais que ingressam no centro e no rebanho residente, com resultados negativos, conforme especificado a seguir: Il seme dovrà essere raccolto in un centro (CCPS) che adempie alle CONDIZIONI APPLICABILI AI TORI IN PROVA E AGLI ANIMALI UTILIZZATI COME MANICHINI, conformemente a quanto stabilito nel codice zoosanitario dell OIE per gli animali terrestri, oppure in un centro che adotta il sistema di testare gli animali che entrano al centro o gli animali residenti conformemente a quanto specificato di seguito e con esito negativo: I - durante a pré-quarentena no rebanho de origem dos animais: I durante il periodo di pre-quarantena nell allevamento da cui provengono gli animali: a) BRUCELOSE: teste de AAT ou teste de Fixação de Complemento; a) BRUCELLOSI: test AAT o test di fissazione del complemento; b) TUBERCULOSE: tuberculinização intradérmica cervical ou escapular com tuberculina PPD bovino, teste comparativo com PPD bovino e aviário ou teste na prega ano-caudal com tuberculina forte. b) TUBERCOLOSI: tubercolinizzazione intradermica cervicale o scapolare con tubercolina PPD bovina, test comparativo con PPD bovina e aviaria oppure test nella piega ano-caudale con tubercolina forte. II - durante a quarentena antes de ingressar no rebanho residente: II durante la quarantena prima di entrare nella mandria di residenza: a) BRUCELOSE: teste de AAT ou teste de Fixação de Complemento; a) BRUCELLOSI: test AAT o test di fissazione del complemento; b) TUBERCULOSE: tuberculinização intradérmica cervical ou escapular com tuberculina PPD bovino, teste comparativo com PPD bovino e aviário ou teste na prega ano-caudal com tuberculina forte; b) TUBERCOLOSI: tubercolinizzazione intradermica cervicale o scapolare con tubercolina PPD bovina, test comparativo con PPD bovina e aviaria oppure test nella piega ano-caudale con tubercolina forte. c) CAMPILOBACTERIOSE GENITAL BOVINA (Campylobacter fetus subsp. venerealis) : em animais com idade superior a 6 (seis) meses são realizados 3 (três) testes de cultivo de material prepucial, coletado com intervalos mínimos de 7 (sete) dias, e em animais com idade inferior a 6 (seis) meses ou que foram mantidos até essa idade em um grupo do mesmo sexo, é realizado somente um teste; ou um teste de imunofluorescência; c) CAMPILOBACTERIOSI GENITALE BOVINA (Campylobacter fetus subsp. venerealis) : sugli animali di età superiore a 6 (sei) mesi si realizzano 3 (tre) colture di materiale prepuziale raccolte ad intervalli minimi di 7 (sette) giorni, mentre sugli animali di età inferiore a 6 (sei) mesi, o che fino a questa età hanno vissuto in un gruppo di animali dello stesso sesso, viene realizzato solo un test oppure una immunofluorescenza; d) TRICOMONOSE (Trichomonas fetus): em animais com idade superior a 6 (seis) meses são realizados 3 (três) testes de cultivo de material prepucial, coletado com intervalos mínimos de 7 (sete) dias, e em animais com idade inferior a 6 (seis) meses ou que foram mantidos até essa idade em um grupo do mesmo sexo, è realizado somente um teste; d) TRICOMONIASI (Trichomonas fetus): sugli animali di età superiore a 6 (sei) mesi si realizzano 3 (tre) colture di materiale prepuziale raccolte ad intervalli minimi di 7 (sette) giorni, mentre sugli animali di età inferiore a 6 (sei) mesi, o che fino a questa età hanno vissuto in un gruppo di animali dello stesso sesso, viene realizzato solo un test oppure una immunofluorescenza; e) DIARRÉIA VIRAL BOVINA (BVD): teste negativo de isolamento e identificação do agente por imunofluorescência ou imunoperoxidase em amostra de sangue total, ou teste de ELISA para detecção de antígeno ou teste de PCR na préquarentena ou na quarentena.

4 e) DIARREA VIRALE BOVINA (BVD): isolamento e identificazione dell agente virale mediante immunofluorescenza o immunoperossidasi a partire da campioni di sangue intero, oppure test ELISA per la ricerca dell antigene o PCR test durante il periodo della pre-quarantena o della quarantena. Parágrafo único. Durante a permanência no rebanho residente do centro, devem ser realizados os seguintes testes a cada doze meses, conforme especificado abaixo, com resultados negativos: Durante la permanenza nella mandria residente del centro devono essere realizzati, ogni 12 mesi, con risultato negativo e conformemente a quanto specificato di seguito, i seguenti test: I - BRUCELOSE: teste de AAT ou teste de Fixação de Complemento; I) BRUCELLOSI: test AAT o test di fissazione del complemento; II - TUBERCULOSE: tuberculinização intradérmica cervical ou escapular com tuberculina PPD bovino, teste comparativo com PPD bovino e aviário ou teste na prega ano-caudal com tuberculina forte; II) TUBERCOLOSI: tubercolinizzazione intradermica cervicale o scapolare con tubercolina PPD bovina, test comparativo con PPD bovina e aviaria oppure test nella piega ano-caudale con tubercolina forte. III - CAMPILOBACTERIOSE GENITAL BOVINA (Campylobacter fetus subsp. venerealis) : um teste de cultivo de material prepucial ou imunofluorescência; III - CAMPILOBACTERIOSI GENITALE BOVINA (Campylobacter fetus subsp. venerealis) : una coltura di materiale prepuziale oppure una immunofluorescenza; IV - TRICOMONOSE: um teste de cultivo de material prepucial; IV TRICOMONIASI: una coltura di materiale prepuziale; V DIARRÉIA VIRAL BOVINA: teste negativo de isolamento e identificação do agente por imunofluorescência ou imunoperoxidase em amostra de sangue total, ou teste de ELISA para detecção de antígeno ou teste de PCR. V DIARREA VIRALE BOVINA: test, con esito negativo, di isolamento e identificazione dell agente virale mediante immunofluorescenza o immunoperossidasi in un campione di sangue intero, oppure test ELISA per l identificazione dell antigene, oppure test PCR. TESTES DE DIAGNÓSTICO COMPLEMENTARES / TEST DIAGNOSTICI COMPLEMENTARI Quando o sêmen destinar-se à importação pelo Brasil, um dos seguintes procedimentos deverá ser realizado para as doenças relacionadas abaixo: Per quanto riguarda il seme da importare in Brasile, e relativamente alle malattie sotto-elencate, di dovrà realizzare uno dei seguenti procedimenti: I - RINOTRAQUEÍTE INFECCIOSA BOVINA (IBR): submeter uma amostra de soro sanguíneo de cada doador do sêmen ao teste de vírus neutralização ou ao teste de ELISA, no mínimo 21 (vinte e um) dias após a última coleta do sêmen; ou submeter uma alíquota de sêmen congelado de cada partida destinada à exportação à prova de isolamento viral ou à prova de PCR, com resultado negativo; I RINOTRACHEITE INFETTIVA BOVINA (IBR): sottoporre un campione di siero sanguigno di ogni donatore di seme ad un test di neutralizzazione virale o a un test ELISA realizzato dopo almeno 21 giorni dopo l ultima raccolta del seme; oppure sottoporre una aliquota di seme congelato di ogni lotto da esportare ad una prova di isolamento virale o ad un test PCR, con esito negativo; e / e II - LÍNGUA AZUL: submeter uma amostra de soro sanguíneo de cada doador do sêmen ao teste de imunodifusão em gel de agar, ou ao teste de ELISA com resultados negativos no periodo do 30 (trinta) dias anteriores al dia da primeira coleta do sêmen, e novamente entre 30 (trinta) e 60 (sessenta) dias após a última coleta do sêmen; ou submeter uma amostra de sangue total de cada doador do sêmen, coletada a cada 28 dias, ao teste de PCR; ou submeter uma alíquota de sêmen congelado de cada partida destinada à exportação à prova de PCR, com resultado negativo. II BLUETONGUE: sottoporre un campione di siero sanguigno di ogni donatore di seme ad un test di immunodiffusione su agar-gel, oppure a un test ELISA (con esito negativo) nel periodo dei 30 (trenta) giorni precedenti il giorno della prima raccolta del seme e poi ancora nel periodo compreso tra 30 (trenta) e 60 (sessanta) giorni dopo l ultima raccolta del seme;

5 oppure sottoporre un campione di sangue intero di ogni donatore, prelevato ogni 28 giorni, ad un test PCR; oppure sottoporre una aliquota di seme congelato di ogni lotto da esportare ad un test PCR con esito negativo. Nome / Nome Datas da colheita / Data di raccolta IBR / IBR Lingua Azul / Bluetongue Resultado / esito COLETA, PROCESSAMENTO E ARMAZENAMENTO DO SÊMEN / RACCOLTA PREPARAZIONE E MAGAZZINAGGIO DEL SEME O sêmen deverá ser coletado em local que atenda às recomendações referentes às "CONDIÇÕES APLICADAS PARA A COLETA DE SÊMEN" e processado em local que atenda às "CONDIÇÕES APLICADAS PARA O MANUSEIO E PROCESSAMENTO DE AMOSTRAS DE SÊMEN NO LABORATÓRIO", descritas no Código Sanitário para os Animais Terrestres da OIE. Il seme dovrà essere raccolto in un locale che rispetta le raccomandazioni riferite alle CONDIZIONI APPLICABILI ALLA RACCOLTA DEL SEME e preparato in un locale che rispetti le CONDIZIONI APPLICABILI ALLA MANIPOLAZIONE E PREPARAZIONE DEI CAMPIONI DI SEME IN LABORATORIO, come raccomandato nel codice zoosanitario dell OIE per gli animali terrestri. O sêmen deverá ser acondicionado em palhetas identificadas individualmente, de acordo com as recomendações do Código Sanitário para os Animais Terrestres da OIE, e armazenado por um período mínimo de 30 (trinta) dias antes da importação para o Brasil, sob os cuidados do Veterinário Oficial responsável pelo CCPS. Il seme dovrà essere confezionato in pajette identificate individualmente, in accordo con le raccomandazioni del codice zoosanitario dell OIE per gli animali terrestri, e immagazzinato per un periodo minimo di 30 (trenta) giorni prima di essere importato in Brasile e queste operazioni vengono svolte sotto la supervisione del veterinario responsabile del centro. ADIÇÃO DE ANTIBIÓTICOS AO SÊMEN / AGGIUNTA DI ANTIBIOTICI AL SEME Para cada mililitro do sêmen congelado, uma das seguintes misturas de antibióticos deverá ser incluída: Ogni millilitro di seme congelato dovrà includere una delle seguenti miscele di antibiotici: I - gentamicina (250 Tg), tilosina (50 Tg), lincomicina-espectinomicina (150/300 Tg); I - gentamicina (250 Tg), tilosina (50 Tg), lincomicina-spectinomicina (150/300 Tg); ou / oppure II - penicilina (500 UI), estreptomicina (500 UI), lincomicina- espectinomicina (150/300Tg). II - penicilina (500 UI), streptomicina (500 UI), lincomicina-espectinomicina (150/300Tg). Parágrafo único. Novas combinações de antibióticos poderão ser utilizadas, uma vez comprovada sua eficácia, e mediante autorização prévia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Nuove combinazioni di antibiotici potranno assere utilizzate dopo aver comprovato la loro efficacia e previa autorizzazione del MAPA.

6 TRANSPORTE / TRASPORTO Antes do embarque, o contêiner com o sêmen identificado acima deverá ser lacrado com selo oficial por Veterinário Oficial do país exportador, e o número do lacre deverá ser incluído no certificado sanitário. Prima dell imbarco, il contenitore con il seme sopra-descritto dovrà essere sigillato con un sigillo ufficiale dal Veterinario Ufficiale del paese esportatore e il numero del sigillo viene riportato sul certificato sanitario. Numero do lacre / numero del sigillo: CARIMBO OFICIAL E ASSINATURA DO VETERINARIO OFICIAL TIMBRO UFFICIALE E FIRMA DEL VETERINARIO UFFICIALE LOCAL E DATA LUOGO E DATA:,

REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS PARA A IMPORTAÇÃO DE SÊMEN EQÜINO DESTINADO AOS ESTADOS PARTES

REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS PARA A IMPORTAÇÃO DE SÊMEN EQÜINO DESTINADO AOS ESTADOS PARTES MERCOSUL/GMC/RES Nº 24/07 REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS PARA A IMPORTAÇÃO DE SÊMEN EQÜINO DESTINADO AOS ESTADOS PARTES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão Nº 06/96 do

Leia mais

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor 180 (cento e oitenta dias) dias após a data de sua publicação.

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor 180 (cento e oitenta dias) dias após a data de sua publicação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 63, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

APÊNDICE 3.2.1 Sêmen de Bovinos e Pequenos Ruminantes Artigo 3.2.1.1. Considerações gerais

APÊNDICE 3.2.1 Sêmen de Bovinos e Pequenos Ruminantes Artigo 3.2.1.1. Considerações gerais COLETA E PROCESSAMENTO DE SÊMEN APÊNDICE 3.2.1 Sêmen de Bovinos e Pequenos Ruminantes Artigo 3.2.1.1. Considerações gerais Os objetivos do controle sanitário oficial da produção de sêmen são: 1. manter

Leia mais

REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA IMPORTAÇÃO DEFINITIVA OU PARA REPRODUÇÃO DE EQÜÍDEOS ENTRE OS ESTADOS PARTES

REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA IMPORTAÇÃO DEFINITIVA OU PARA REPRODUÇÃO DE EQÜÍDEOS ENTRE OS ESTADOS PARTES MERCOSUL/GMC/RES Nº 20/07 REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA IMPORTAÇÃO DEFINITIVA OU PARA REPRODUÇÃO DE EQÜÍDEOS ENTRE OS ESTADOS PARTES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e

Leia mais

REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA IMPORTAÇÃO DEFINITIVA OU PARA REPRODUÇÃO DE EQÜÍDEOS DE TERCEIROS PAÍSES

REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA IMPORTAÇÃO DEFINITIVA OU PARA REPRODUÇÃO DE EQÜÍDEOS DE TERCEIROS PAÍSES MERCOSUL/GMC/RES Nº 19/07 REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA IMPORTAÇÃO DEFINITIVA OU PARA REPRODUÇÃO DE EQÜÍDEOS DE TERCEIROS PAÍSES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e a Decisão

Leia mais

EXIGÊNCIAS CONSTANTES NA RESOLUÇÃO 005 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2011.

EXIGÊNCIAS CONSTANTES NA RESOLUÇÃO 005 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2011. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ DIRETORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA GERÊNCIA DE SAÚDE ANIMAL UNIDADE REGIONAL DE SANIDADE AGROPECUÁRIA UNIDADE LOCAL DE SANIDADE AGROPECUÁRIA LONDRINA - PARANÁ EXIGÊNCIAS

Leia mais

Ano CXLIII N o - 155 Brasília - DF, segunda-feira, 14 de agosto de 2006

Ano CXLIII N o - 155 Brasília - DF, segunda-feira, 14 de agosto de 2006 ISSN 677-7042 Ano CXLIII 55 Brasília - DF, segunda-feira, 4 de agosto de 2006. Sumário PÁGINA Atos do Congresso Nacional... Presidência

Leia mais

REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS PARA A IMPORTAÇÃO DE ABELHAS RAINHAS E PRODUTOS APÍCOLAS DESTINADOS AOS ESTADOS PARTES

REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS PARA A IMPORTAÇÃO DE ABELHAS RAINHAS E PRODUTOS APÍCOLAS DESTINADOS AOS ESTADOS PARTES MERCOSUL/GMC/RES Nº 23/07 REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS PARA A IMPORTAÇÃO DE ABELHAS RAINHAS E PRODUTOS APÍCOLAS DESTINADOS AOS ESTADOS PARTES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA N o 30, DE 07 DE JUNHO DE 2006.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA N o 30, DE 07 DE JUNHO DE 2006. INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA N o 30, DE 07 DE JUNHO DE 2006. O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 42, do Anexo

Leia mais

Artigo 4 O MAPA confirma oficialmente que:

Artigo 4 O MAPA confirma oficialmente que: PROTOCOLO ENTRE A ADMINISTRAÇÃO GERAL DE SUPERVISÃO DE QUALIDADE, INSPEÇÃO E QUARENTENA DA REPÚBLICA POPULAR DA CHINA E O MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO ABASTECIMENTO E REFORMA AGRÁRIA

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO ABASTECIMENTO E REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO ABASTECIMENTO E REFORMA AGRÁRIA SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE DEFESA ANIMAL PORTARIA N.º 162, DE 18 DE OUTUBRO DE 1994 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA,

Leia mais

Portaria Conjunta INDEA/SEDRAF nº 9 DE 13/11/2014

Portaria Conjunta INDEA/SEDRAF nº 9 DE 13/11/2014 Portaria Conjunta INDEA/SEDRAF nº 9 DE 13/11/2014 Norma Estadual - Mato Grosso Publicado no DOE em 14 nov 2014 Institui o regulamento técnico do plano de vigilância para a Erradicação da Tuberculose bovina

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DA AGRICULTURA PORTARIA ESTADUAL Nº 015/GABS/SDA DE 27/04/2000

SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DA AGRICULTURA PORTARIA ESTADUAL Nº 015/GABS/SDA DE 27/04/2000 SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DA AGRICULTURA PORTARIA ESTADUAL Nº 015/GABS/SDA DE 27/04/2000 O SECRETÁRIO DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO RURAL E DA AGRICULTURA, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES

Leia mais

Viaggi di studio di Tor Vergata in Brasile. Un approccio di extensão.

Viaggi di studio di Tor Vergata in Brasile. Un approccio di extensão. Viaggi di studio di Tor Vergata in Brasile. Un approccio di extensão. O que é Extensão De acordo com o Plano Nacional de Extensão brasileiro, publicado em 1999, essa prática acadêmica é entendida como:

Leia mais

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2013 (*) O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso

Leia mais

AGRIFAM 2014 01 A 03 DE AGOSTO DE 2014

AGRIFAM 2014 01 A 03 DE AGOSTO DE 2014 AGRIFAM 2014 01 A 03 DE AGOSTO DE 2014 REGULAMENTO ANIMAL CAPÍTULO I DA FEIRA E SUAS FINALIDADES Artigo I A AGRIFAM 2014 Feira da Agricultura Familiar e do Trabalhador Rural - será realizada sob o auspício

Leia mais

EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS PARA O INGRESSO DE ANIMAIS EM EVENTOS PECUÁRIOS NO ESTADO DA BAHIA ATUALIZADO EM 15/07/2014

EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS PARA O INGRESSO DE ANIMAIS EM EVENTOS PECUÁRIOS NO ESTADO DA BAHIA ATUALIZADO EM 15/07/2014 EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS PARA O INGRESSO DE ANIMAIS EM EVENTOS PECUÁRIOS NO ESTADO DA BAHIA ATUALIZADO EM 15/07/2014 De acordo com a portaria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento n.º 162/94,

Leia mais

DEPARTAMENTO DE DEFESA ANIMAL

DEPARTAMENTO DE DEFESA ANIMAL Serviço Público Federal Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Defesa Agropecuária DEPARTAMENTO DE DEFESA ANIMAL INSTRUÇÃO DE SERVIÇO DDA Nº 06/03 ASSUNTO: Reconhecimento de

Leia mais

II Convegno di Studi di Genere La donna in contesto italiano e nei paesi di lingua portoghese

II Convegno di Studi di Genere La donna in contesto italiano e nei paesi di lingua portoghese II Convegno di Studi di Genere La donna in contesto italiano e nei paesi di lingua portoghese Università degli Studi di Napoli L Orientale 4 e 5 novembre 2015 II Jornada em Estudos de Género A mulher no

Leia mais

Autoridade Central Portuguesa (Autorità Centrale Portoghese)

Autoridade Central Portuguesa (Autorità Centrale Portoghese) 1 Autoridade Central Portuguesa (Autorità Centrale Portoghese) Requerimento/Pedido Ι - TIPO DE PEDIDO/REQUERIMENTO (Tipo di applicazione) Por favor indique o tipo de requerimento que pretende fazer colocando

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO DDA 04/03

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO DDA 04/03 INSTRUÇÃO DE SERVIÇO DDA 04/03 Assunto: definição dos formulários, fluxo de informações, testes laboratoriais e outros aspectos, a serem empregados para ingresso no Estado de Santa Catarina de ovinos,

Leia mais

REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL PARA A IMPORTAÇÃO DE EMBRIÕES OVINOS COLETADOS IN VIVO

REQUISITOS ZOOSANITÁRIOS DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL PARA A IMPORTAÇÃO DE EMBRIÕES OVINOS COLETADOS IN VIVO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DA MINISTRA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 4, DE 19 DE MARÇO DE 2015 A MINISTRA DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

CAPÍTULO IV DAS EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS E ASSISTÊNCIA VETERINÁRIA

CAPÍTULO IV DAS EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS E ASSISTÊNCIA VETERINÁRIA CAPÍTULO IV DAS EXIGÊNCIAS SANITÁRIAS E ASSISTÊNCIA VETERINÁRIA Art. 18º - Durante o evento o Serviço de Defesa Sanitária e Assistência Veterinária ficará a cargo da Comissão Sanitária Animal, a ser designada

Leia mais

"suínos" significa suínos domésticos, javalis domésticos, suínos selvagens e javalis selvagens

suínos significa suínos domésticos, javalis domésticos, suínos selvagens e javalis selvagens Página: 1 de 6 Os requisitos de saúde animal para carne de porco etc. a exportar de para o Japão, são os seguintes: (Definições) No âmbito destes requisitos de saúde animal: "carne etc." significa carne

Leia mais

SECRETARIA DO MERCOSUL RESOLUÇÃO GMC Nº 26/01 ARTIGO 10 FÉ DE ERRATAS ORIGINAL

SECRETARIA DO MERCOSUL RESOLUÇÃO GMC Nº 26/01 ARTIGO 10 FÉ DE ERRATAS ORIGINAL MERCOSUL/GMC/RES. N 31/03 SECRETARIA DO MERCOSUL REQUISITOS ZOOSSANITÁRIOS PARA O INTERCÂMBIO DE BOVINOS PARA RECRIA E ENGORDA ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção,

Leia mais

O GRUPO MERCADO COMUM RESOLVE:

O GRUPO MERCADO COMUM RESOLVE: MERCOSUL/XLVII GMC/RES. N 41/02 REQUISITOS E CERTIFICADOS ZOOSSANITÁRIOS PARA O INTERCÂMBIO DE ANIMAIS BOVINOS E BUBALINOS ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL (REVOGA RES. GMC Nº 50/96) TENDO EM VISTA:

Leia mais

Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento 25 de Agosto de 2016 Pag. 11 Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 30, DE 24 DE AGOSTO DE 2016 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso

Leia mais

EDITAL N. º 26 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL

EDITAL N. º 26 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL EDITAL N. º 26 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL Susana Guedes Pombo, Directora-Geral de Veterinária, na qualidade de Autoridade Sanitária Veterinária Nacional, torna público que: A língua azul ou febre

Leia mais

Árvore da informação do agronegócio do leite. identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite

Árvore da informação do agronegócio do leite. identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite Árvore da informação do agronegócio do leite identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite 1. Introdução Claudio Nápolis Costa 1 A exposição dos mercados dos diversos países às pressões

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA EMISSÃO DE GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL (GTA) PARA SUÍDEOS VERSÃO 5.0

MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA EMISSÃO DE GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL (GTA) PARA SUÍDEOS VERSÃO 5.0 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA SDA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL DSA COORDENAÇÃO DE TRÃNSITO E QUARENTENA ANIMAL CTQA MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Normas e Procedimentos do PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE E ERRADICAÇÃO DA BRUCELOSE E DA TUBERCULOSE ANIMAL (PNCEBT)

Perguntas e Respostas sobre Normas e Procedimentos do PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE E ERRADICAÇÃO DA BRUCELOSE E DA TUBERCULOSE ANIMAL (PNCEBT) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Perguntas e Respostas sobre Normas e Procedimentos do PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE E ERRADICAÇÃO DA BRUCELOSE E DA TUBERCULOSE ANIMAL (PNCEBT) Colaboradores:

Leia mais

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004 1. ANIMAIS AQUÁTICOS (PEIXES, MOLUSCOS E CRUSTÁCEOS EM QUALQUER FASE DE DESENVOLVIMENTO: ALEVINOS, ISCAS, LARVAS, ETC) Trânsito de espécies cultivadas (nativas e exóticas) Trânsito de espécies coletadas

Leia mais

DE CRIADOR PARA CRIADOR

DE CRIADOR PARA CRIADOR DE CRIADOR PARA CRIADOR No clima para a máxima produção com qualidade. Altitude e temperatura perfeitas. O resultado são rebanhos com máxima produção de sêmen com qualidade, para você vender sempre mais.

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 61, DE 30 DE AGOSTO DE 2004.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 61, DE 30 DE AGOSTO DE 2004. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 61, DE 30 DE AGOSTO DE 2004. O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO

Leia mais

PORTARIA/IAGRO/MS Nº 623, DE 15 DE OUTUBRO DE 2003.

PORTARIA/IAGRO/MS Nº 623, DE 15 DE OUTUBRO DE 2003. Secretaria de Estado da Produção e do Turismo - SEPROTUR PORTARIA/IAGRO/MS Nº 623, DE 15 DE OUTUBRO DE 2003. Dispõe sobre a distribuição de antígenos e Alérgenos no Estado de Mato Grosso do Sul, e dá outras

Leia mais

EDITAL N. º 27 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL

EDITAL N. º 27 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL EDITAL N. º 27 FEBRE CATARRAL OVINA LÍNGUA AZUL Susana Guedes Pombo, Directora-Geral de Veterinária, na qualidade de Autoridade Sanitária Veterinária Nacional, torna público que: A língua azul ou febre

Leia mais

I - estar inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária da(s) Unidade(s) Federativa(s) de atuação;

I - estar inscrito no Conselho Regional de Medicina Veterinária da(s) Unidade(s) Federativa(s) de atuação; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 30, DE 7 DE JUNHO DE 2006 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA,

Leia mais

Art. 5º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Art. 6º Fica revogada a Instrução Normativa nº 12, de 23 de junho de 1999.

Art. 5º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Art. 6º Fica revogada a Instrução Normativa nº 12, de 23 de junho de 1999. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2002 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA - SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO

Leia mais

redesolmg@yahoo.com.br

redesolmg@yahoo.com.br redesolmg@yahoo.com.br Ogni giorno vengono prodotte su 100 MILA TONNELLATE DI RIFIUTI nelle città brasiliane. Circa l'88% dei rifiuti domestici finiscono nelle discariche. Le discariche rappresentano la

Leia mais

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL

EXEMPLAR DE ASSINANTE DA IMPRENSA NACIONAL ISSN 677-7042 Ano CLII N o - 206 Brasília - DF, quarta-feira, 28 de outubro de 205. Sumário PÁGINA Atos do Poder Judiciário... Presidência da República... Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento...

Leia mais

Konungariket Sverige / Território do Reino da Suécia Statens jordbruksverk / Direcção National de Agricultura

Konungariket Sverige / Território do Reino da Suécia Statens jordbruksverk / Direcção National de Agricultura Konungariket Sverige / Território do Reino da Suécia Statens jordbruksverk / Direcção National de Agricultura Enheten för idisslare och gris / Divisão para ruminantes e porcos HÄLSOINTYG för export av

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 042 de 07/04/2009

RESOLUÇÃO Nº 042 de 07/04/2009 RESOLUÇÃO Nº 042 de 07/04/2009 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 45, XIV, da Lei nº 8.485 de 03 de junho de 1.987; art.

Leia mais

Passaporte para Trânsito de Cães e. Márcio Henrique Micheletti Coordenação Geral do Vigiagro

Passaporte para Trânsito de Cães e. Márcio Henrique Micheletti Coordenação Geral do Vigiagro Trânsito de Cães e Gatos Márcio Henrique Micheletti Coordenação Geral do Vigiagro Trânsito Internacional de Cães e Gatos A movimentação de passageiros internacionais no Brasil vem crescendo cerca de 10%

Leia mais

REGULAMENTO ANIMAL. 19 A 23 de Novembro de 2012. www.feileite.com.br

REGULAMENTO ANIMAL. 19 A 23 de Novembro de 2012. www.feileite.com.br REGULAMENTO ANIMAL 19 A 23 de Novembro de 2012. www.feileite.com.br CAPÍTULO I DA FEIRA E SUAS FINALIDADES Artigo I A FEILEITE 2012 Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite será realizada sob o

Leia mais

Manual de Legislação. manual técnico

Manual de Legislação. manual técnico Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Defesa Agropecuária Departamento de Saúde Animal Manual de Legislação PROGRAMAS NACIONAIS DE SAÚDE ANIMAL DO BRASIL manual técnico Missão

Leia mais

ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL

ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para a importação de produtos destinados à alimentação animal visando garantir

Leia mais

Pedido de Idoneidade Habitacional

Pedido de Idoneidade Habitacional Pedido de Idoneidade Habitacional Manual do usuário Índice 1. Busca Pedido... 2 2. Nova Solicitação... 3 3. Autoconvocação no Municipio...13 1. Busca Pedido Através do link "Busca Pedido, localizado na

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DAS MEDIDAS DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DAS MEDIDAS DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL LEI N. 1.486, DE 17 DE JANEIRO DE 2003 Dispõe sobre a Defesa Sanitária Animal no Estado do Acre e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa

Leia mais

DISPOSIÇÕES SANITÁRIAS E CERTIFICADO ZOO-SANITÁRIO ÚNICO DE SUÍNOS PARA INTERCÂMBIO ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL

DISPOSIÇÕES SANITÁRIAS E CERTIFICADO ZOO-SANITÁRIO ÚNICO DE SUÍNOS PARA INTERCÂMBIO ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES Nº 19/97 DISPOSIÇÕES SANITÁRIAS E CERTIFICADO ZOO-SANITÁRIO ÚNICO DE SUÍNOS PARA INTERCÂMBIO ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro

Leia mais

IMPARA LE LINGUE CON I FILM AL CLA

IMPARA LE LINGUE CON I FILM AL CLA UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI PADOVA - CENTRO LINGUISTICO DI ATENEO IMPARA LE LINGUE CON I FILM AL CLA Vedere film in lingua straniera è un modo utile e divertente per imparare o perfezionare una lingua straniera.

Leia mais

Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico)

Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico) Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico) Coordenador Agricultural Services SGS do Brasil Ltda. O que é Rastreabilidade?

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA Nº 25, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 O

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA Nº 25, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 O MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA SDA Nº 25, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, SUBSTITUTO, DO MINISTÉRIO

Leia mais

Natal/RN maio de 2015. Aos colegas Médicos Veterinários

Natal/RN maio de 2015. Aos colegas Médicos Veterinários SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE CRMV/RN Rua Segundo Wanderley nº 668 Barro Vermelho Natal/RN - CEP: 59.030-050 Telefax : (084) 3222-2166

Leia mais

BRUNA HELENA KIPPER REQUISITOS SANITÁRIOS E FISCALIZAÇÃO DE MATERIAL GENÉTICO E REPRODUTORES DA ESPÉCIE BOVINA: REVISÃO DE LITERATURA

BRUNA HELENA KIPPER REQUISITOS SANITÁRIOS E FISCALIZAÇÃO DE MATERIAL GENÉTICO E REPRODUTORES DA ESPÉCIE BOVINA: REVISÃO DE LITERATURA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ANIMAIS DEFESA SANITÁRIA E HIGIENE E INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL BRUNA HELENA KIPPER REQUISITOS SANITÁRIOS E FISCALIZAÇÃO DE

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO ABRIL/2016. 46ª ExpoAgro de Itapetininga. Julgamento 15 de abril de 2016

BOLETIM INFORMATIVO ABRIL/2016. 46ª ExpoAgro de Itapetininga. Julgamento 15 de abril de 2016 Associação dos Criadores de Gado Jersey do Brasil BOLETIM INFORMATIVO ABRIL/2016 46ª ExpoAgro de Itapetininga Julgamento 15 de abril de 2016 Itapetininga - SP Av. Francisco Matarazzo, 455 Parque da Água

Leia mais

PLANO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DO IDAF (ATIVIDADES - FIM)

PLANO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DO IDAF (ATIVIDADES - FIM) PLANO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DO IDAF (ATIVIDADES - FIM) CÓDIGO FUNÇÃO 100 GESTÃO DA POLÍTICA DE DEFESA AGROPECUÁRIA E FLORESTAL DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ATIVIDADE 101 PLANEJAMENTO E NORMATIZAÇÃO

Leia mais

Per loro è Meglio. Para o bebê é melhor. Dormire sulla schiena Non avere troppo caldo Essere allattati al seno Non fumare nel loro ambiente

Per loro è Meglio. Para o bebê é melhor. Dormire sulla schiena Non avere troppo caldo Essere allattati al seno Non fumare nel loro ambiente Per loro è Meglio Para o bebê é melhor Dormire sulla schiena Non avere troppo caldo Essere allattati al seno Non fumare nel loro ambiente Dormir de costas Não sentir muito calor Ser amamentado ao seio

Leia mais

ELENCO DEI TRADUTTORI DI RIFERIMENTO DEL CONSOLATO D ITALIA A RECIFE LISTA DOS TRADUTORES DE REFERÊNCIA DO CONSULADO DA ITÁLIA EM RECIFE

ELENCO DEI TRADUTTORI DI RIFERIMENTO DEL CONSOLATO D ITALIA A RECIFE LISTA DOS TRADUTORES DE REFERÊNCIA DO CONSULADO DA ITÁLIA EM RECIFE ELENCO DEI TRADUTTORI DI RIFERIMENTO DEL CONSOLATO D ITALIA A RECIFE Questa lista è stata messa a disposizione dal Consolato d Italia in Recife esclusivamente a scopo informativo in quanto i professionisti

Leia mais

VENTILATORI INDUSTRIALI mapi

VENTILATORI INDUSTRIALI mapi VENTILATORI INDUSTRIALI mapi mod.vge. 090605 ma.pi s.a.s. Via F.lli di Dio, 12-20037 PADERNO DUGNANO (Mi) - Tel. 02.9106940 - Fax 02.91084136 email: mail@ma-pi.it www.ma-pi.it VENTILATORI INDUSTRIALI VCN

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO RANKING NACIONAL DA ABCT

REGULAMENTO GERAL DO RANKING NACIONAL DA ABCT REGULAMENTO GERAL DO RANKING NACIONAL DA ABCT RANKING NACIONAL CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS, ESTRUTURAÇÃO E COMPETIÇÕES Art. 1º - O Regulamento Geral das Exposições e Competições Oficiais da ABCT tem como

Leia mais

Sintesi di un controllore a tempo discreto LT-Cap. 7-8

Sintesi di un controllore a tempo discreto LT-Cap. 7-8 per Controllo Digitale a.a. 2006-2007 di un controllore a tempo discreto LT-Cap. 7-8 processo corretto per processo corretto L algoritmo di controllo C(z) viene ricavato a partire dalla sua versione analogica

Leia mais

Luogo di svolgimento dell evento: Circolo Italiano, San Paolo. Av. São Luis, 50, 1 andar Edificio Itália Centro.

Luogo di svolgimento dell evento: Circolo Italiano, San Paolo. Av. São Luis, 50, 1 andar Edificio Itália Centro. San Paolo 16 Maggio 2012 Protocollo N. 010/2012-AS Oggetto: Workshop Italia para todos Egregi Signori, L ENIT, nell ambito delle proprie attività promozionali tese ad incrementare i flussi turistici dall

Leia mais

No Sistema Participativo de Garantia as avaliações da conformidade visam:

No Sistema Participativo de Garantia as avaliações da conformidade visam: MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO SISTEMA PARTICIPATIVO DE GARANTIA DA QUALIDADE ORGÂNICA E BIODINÂMICA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AGRICULTURA BIODINÂMICA - VERSÃO 5 No Sistema Participativo de Garantia as avaliações

Leia mais

Considerando, ainda, a necessidade de serem designadas Autoridades Administrativas e Científicas nos países signatários da Convenção; e

Considerando, ainda, a necessidade de serem designadas Autoridades Administrativas e Científicas nos países signatários da Convenção; e DECRETO N o 3.607, DE 21 DE SETEMBRO DE 2000. Dispõe sobre a implementação da Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção - CITES, e dá outras providências.

Leia mais

O Presidente da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia IDARON, no uso de suas atribuições legais:

O Presidente da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia IDARON, no uso de suas atribuições legais: GABINETE DA PRESIDÊNCIA PORTARIA Nº 65/GAB/IDARON Porto Velho, 19 de Fevereiro de 2010. Torna obrigatória a vacinação contra brucelose das fêmeas bovinas e bubalinas com idade entre 3 e 8 meses com vacina

Leia mais

REQUISITOS E CERTIFICADOS ZOOSSANITÁRIOS PARA O INTERCÂMBIO DE ANIMAIS OVINOS ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL (REVOGA RES GMC Nº 66/94)

REQUISITOS E CERTIFICADOS ZOOSSANITÁRIOS PARA O INTERCÂMBIO DE ANIMAIS OVINOS ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL (REVOGA RES GMC Nº 66/94) MERCOSUL/GMC/RES. N 51/01 REQUISITOS E CERTIFICADOS ZOOSSANITÁRIOS PARA O INTERCÂMBIO DE ANIMAIS OVINOS ENTRE OS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL (REVOGA RES GMC Nº 66/94) TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção,

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS PAIS NO CONTEXTO EDUCACIONAL ESCOLAR RESUMO

A PARTICIPAÇÃO DOS PAIS NO CONTEXTO EDUCACIONAL ESCOLAR RESUMO Revista Eventos Pedagógicos v.2, n.2, p. 220 229, Ago./Dez. 2011 A PARTICIPAÇÃO DOS PAIS NO CONTEXTO EDUCACIONAL ESCOLAR Simone Barbosa Fernandes Silva José Luiz Muller RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

N. o 269 16 de Novembro de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 6741

N. o 269 16 de Novembro de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 6741 N. o 269 16 de Novembro de 2004 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A 6741 tituição, e que o outro será conservado nos arquivos de Organização Mundial de Saúde. 3 Decide que a notificação de aceitação destas emendas

Leia mais

Organización Panamericana de la Salud Oficina Regional de la Organización Mundial de la Salud

Organización Panamericana de la Salud Oficina Regional de la Organización Mundial de la Salud Organización Panamericana de la Salud Oficina Regional de la Organización Mundial de la Salud http://www.panaftosa.org.br Unidad de Salud Pública Veterinaria OPS/OMS Centro Panamericano de Fiebre Aftosa

Leia mais

MANUAL DE RASTREABILIDADE

MANUAL DE RASTREABILIDADE MANUAL DE RASTREABILIDADE A.P.C.B.R.H/RASTRECERT CNPJ: 76.607.597/0001-07 Inscrição Estadual: 101.15739-39 Endereço: Rua Professor Francisco Dranka, nº 608 Bairro Orleans - CEP: 81200-560 Curitiba-Paraná

Leia mais

IMPARA LE LINGUE CON I FILM AL CLA

IMPARA LE LINGUE CON I FILM AL CLA UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DI PADOVA - CENTRO LINGUISTICO DI ATENEO IMPARA LE LINGUE CON I FILM AL CLA Vedere film in lingua straniera è un modo utile e divertente per imparare o perfezionare una lingua straniera.

Leia mais

Principais Exigências Sanitárias e Fitossanitárias do Mercado Internacional

Principais Exigências Sanitárias e Fitossanitárias do Mercado Internacional ENCOMEX Empresarial Fortaleza, 19 de setembro de 2013 Principais Exigências Sanitárias e Fitossanitárias do Mercado Internacional Luís Henrique Barbosa da Silva Exportando... tenho o produto aqui no Brasil

Leia mais

L 52/14 Jornal Oficial da União Europeia 3.3.2010

L 52/14 Jornal Oficial da União Europeia 3.3.2010 L 52/14 Jornal Oficial da União Europeia 3.3.2010 REGULAMENTO (UE) N. o 176/2010 DA COMISSÃO de 2 de Março de 2010 que altera o anexo D da Directiva 92/65/CEE do Conselho no que diz respeito aos centros

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 TIPO DE INSTALAÇÃO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO. Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 TIPO DE INSTALAÇÃO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 5 RAZÃO SOCIAL/SIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO MERCOLAB LABORATÓRIOS LTDA MERCOLAB CASCAVEL SORO AVES

Leia mais

EDITAL N. 37 FEBRE CATARRAL OVINA LINGUA AZUL

EDITAL N. 37 FEBRE CATARRAL OVINA LINGUA AZUL GOVERNO DE reeou,ncecunxn d a v Dim-Ca. M ^liw.laca. EDITAL N. 37 FEBRE CATARRAL OVINA LINGUA AZUL Alvaro Pegado Lemos de Mendonga, Diretor-Geral de Alimentagao e Veterinaria, na qualidade de Autoridade

Leia mais

CONHECENDO UMA CENTRAL DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

CONHECENDO UMA CENTRAL DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL CONHECENDO UMA CENTRAL DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL Entrevistado: Marcelo Brandi Vieira Mestre em Reprodução Animal Diretor Técnico da Progen Inseminação Artificial BI: Qual a importância da Inseminação Artificial

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) L 93/72 9.4.2015 DECISÃO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/569 DA COMISSÃO de 7 de abril de 2015 que altera os anexos da Decisão de Execução 2011/630/UE no que diz respeito à equivalência entre efetivos bovinos oficialmente

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO L 194/12 Jornal Oficial da União Europeia 21.7.2012 DECISÕES DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 17 de julho de 2012 que altera os anexos I a IV da Decisão 2006/168/CE no que se refere a certos requisitos

Leia mais

DINAMICA DI AGRICOLTURA BRASILIANA. ACI- International Affairs Staff - SEBRAE PR

DINAMICA DI AGRICOLTURA BRASILIANA. ACI- International Affairs Staff - SEBRAE PR DINAMICA DI AGRICOLTURA BRASILIANA ACI- International Affairs Staff - SEBRAE PR Brasil La popolazione del Brasile PERFIL DE CONSUMO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

Leia mais

31.5.2012 Jornal Oficial da União Europeia L 141/7

31.5.2012 Jornal Oficial da União Europeia L 141/7 31.5.2012 Jornal Oficial da União Europeia L 141/7 REGULAMENTO DE EXECUÇÃO (UE) N. o 456/2012 DA COMISSÃO de 30 de maio de 2012 que altera o Regulamento (CE) n. o 1266/2007 que estabelece normas de execução

Leia mais

Febre do Nilo Ocidental em Portugal Plano de Vigilância

Febre do Nilo Ocidental em Portugal Plano de Vigilância Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Febre do Nilo Ocidental em Portugal Plano de Vigilância Maria Rita Ramos Amador Direcção Geral de Veterinária, DSSPA-DPPS Fórum Internacional

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS FACULDADE DE DIREITO DO RECIFE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS FACULDADE DE DIREITO DO RECIFE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS FACULDADE DE DIREITO DO RECIFE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO ANDRÉ MELO GOMES PEREIRA CIDADANIA E EFETIVIDADE DO PROCESSO JUDICIAL

Leia mais

EXPORTAÇÃO ANIMAIS VIVOS E MATERIAL GENÉTICO DE EQUINOS

EXPORTAÇÃO ANIMAIS VIVOS E MATERIAL GENÉTICO DE EQUINOS EXPORTAÇÃO ANIMAIS VIVOS E MATERIAL GENÉTICO DE EQUINOS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS 1) Abertura de quarentena (quando for o caso e respeitando as exigências impostas pelo país importador) - FFA da UF de egresso

Leia mais

Canti, versi, mantras. Orixàs

Canti, versi, mantras. Orixàs Canti, versi, mantras degli Orixàs Liberare l anima Mantra degli Orixàs Oi vamos saravà Ogun (guerriero, metallo) oi vamos saravà Oxum (acqua dolce) Iansà (aria) Oxossi (vegetale) Iemanjà (acqua salata)

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR

ESTADO DE ALAGOAS GABINETE DO GOVERNADOR LEI Nº 6.608, DE 1º DE JULHO DE 2005. REDEFINE O SISTEMA ESTADUAL DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS CORRELATAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DE ALAGOAS Faço saber que o Poder Legislativo Estadual

Leia mais

Responsabilidades Secretaria de Defesa Agropecuária

Responsabilidades Secretaria de Defesa Agropecuária Responsabilidades Secretaria de Defesa Agropecuária Prevenção, controle e erradicação de doenças e pragas animais e vegetais de interesse econômico e de importância para a saúde pública. Assegurar a sanidade,

Leia mais

1 3Vicino a te non ho paura

1 3Vicino a te non ho paura 1 3Vicino a te non ho paura romanzo 1 3Quando hai un segreto che ti costringe ad andare via. Quando il tuo passato entra con violenza nel presente. Quanto tutto sembra perduto l unico posto dove puoi andare

Leia mais

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º Fica revogada a Instrução Normativa nº 22, de 12 de agosto de 1999.

Art. 2º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º Fica revogada a Instrução Normativa nº 22, de 12 de agosto de 1999. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 9 DE JANEIRO DE 2002 Revogado(a) pelo(a) Instrução Normativa Nº 78/2003/SDA/MAA O SECRETÁRIO

Leia mais

BREIL riafferma a gran voce il suo ruolo primario nel mondo del design da vivere e indossare. E lo fa a suon di colore e passione.

BREIL riafferma a gran voce il suo ruolo primario nel mondo del design da vivere e indossare. E lo fa a suon di colore e passione. Gioielli BREIL riafferma a gran voce il suo ruolo primario nel mondo del design da vivere e indossare. E lo fa a suon di colore e passione. Red è una collezione di gioielli che racchiude in sé tutti i

Leia mais

Art. 3º Para inscrever-se no registro de Operador de Transporte Multimodal, o interessado deverá apresentar à ANTT:

Art. 3º Para inscrever-se no registro de Operador de Transporte Multimodal, o interessado deverá apresentar à ANTT: DECRETO 3.411, DE 12 DE ABRIL DE 2000. Regulamenta a Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1998, que dispõe sobre o Transporte Multimodal de Cargas, altera os Decretos 91.030, de 5 de março de 1985, e 1.910,

Leia mais