José Antonio Pagola GRUPOS DE JESUS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "José Antonio Pagola GRUPOS DE JESUS"

Transcrição

1 GRUPOS DE JESUS

2

3 José Antonio Pagola GRUPOS DE JESUS

4 2014, José Antonio Pagola 2014, PPC, Editorial y Distribuidora, S.A. Título original: Grupos de Jesús Tradução: Mário José dos Santos, ssp Pré -impressão e capa: PAULUS Editora Impressão e acabamento: Empresa do Diário do Minho, Lda. Depósito legal: ISBN: PAULUS Editora, 2015 Rua D. Pedro de Cristo, LISBOA Tel.: Fax: Departamento Comercial Estrada de São Paulo APELAÇÃO Tel.: Fax: Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida de qualquer forma ou por quaisquer meios, eletrónicos ou mecânicos, incluindo fotocópias, gravações ou qualquer sistema de armazenamento e recuperação de informação sem autorização prévia, por escrito, do editor.

5 Apresentação Q uerido amigo, querida amiga: D urante quatro ou cinco anos vais fazer parte de um Grupo de Jesus. Juntamente com outros amigos e amigas, irás viver uma aventura apaixonante, pois farás uma caminhada para consolidares a tua vida com mais fé e mais verdade em Jesus. Estes grupos são de Jesus. Reúnem-se em seu nome. Ele convoca-os e assiste-os. Jesus ocupa o centro do grupo. Para fazeres parte de um Grupo de Jesus, não necessitas de uma preparação especial. Podes até nem ser crente praticante. Basta teres o desejo de te encontrares com Jesus, o Cristo. Impelidos por Jesus, estes grupos podem ser no nosso tempo um canal humilde para fazer circular a sua força renovadora e humanizadora no interior de uma Igreja em crise e no meio de uma sociedade necessitada de sentido e de esperança. Nos próximos anos notar-se-á cada vez mais como se vai reduzindo o número de religiosos, religiosas e presbíteros no ativo. Por isso, serão sobretudo mulheres e homens do povo de Deus que mobilizarão a condução e a animação destes Grupos de Jesus. Estes Grupos de Jesus poderão contribuir, juntamente com outras iniciativas e experiências, para que o Espírito de Jesus ressuscitado possa impelir o que o Papa Francisco chama «um dinamismo evangelizador que atua por atração». Jesus salvará a

6 6 JOSÉ ANTONIO PAGOLA Igreja, ainda que nós não conheçamos os seus caminhos concretos. Não te esqueças de que Jesus te acompanha e que o seu Espírito está vivo dentro de ti. Ele trouxe-te até este Grupo de Jesus. A tua vida pode mudar. A tua pouca fé basta. José Antonio

7 Grupos de Jesus Objetivos e características Voltar juntos a Jesus, o Cristo O nosso objetivo principal nos Grupos de Jesus é viver juntos um processo de conversão individual e grupal a Jesus, aprofundando de maneira simples o essencial do Evangelho. Queremos fazer juntos uma caminhada para conhecer melhor Jesus e enraizar a nossa vida com mais verdade na sua pessoa, na sua mensagem e no seu projeto de fazer um mundo mais humano. Estes grupos nascem da convicção de que Jesus responde também hoje às perguntas, aos problemas e às necessidades mais profundas das pessoas. 1 Reunidos em nome de Jesus A primeira experiência que se vive nestes grupos alimenta-se desta promessa de Jesus: «Onde dois ou três se reunirem em meu nome, aí estarei Eu no meio deles.» Por isso, os grupos reúnem- -se em nome de Jesus. É Ele quem os convoca e organiza. Ele ocupa o centro. Estes grupos são de Jesus. Não têm outro nome 1 Para entender melhor a necessidade e o sentido dos Grupos de Jesus, pode consultar-se o meu livro Voltar a Jesus. Lisboa: PAULUS Editora, 2015.

8 8 JOSÉ ANTONIO PAGOLA nem protetor. Não se enquadram na espiritualidade particular de nenhum movimento nem em qualquer associação religiosa. São espaços de liberdade, abertos a quem queira viver a experiência de voltar a Jesus «recuperando a frescura original do Evangelho» escutando a partir das inquietações, problemas, sofrimentos e esperanças das mulheres e dos homens de hoje. Num clima de amizade fraterna Fazer juntos esta caminhada à procura de Jesus é uma experiência renovadora que se vive num clima de amizade fraterna. Alguns já se conheciam, outros não. Aqui todos nos sentimos atraídos por Jesus. Ninguém está acima de ninguém. Nenhum é superior aos outros. No grupo convivem mulheres e homens, crentes convictos e pessoas que procuram, leigos e presbíteros... Gradualmente, o Evangelho vai despertando em nós a comunicação e o diálogo, a confiança mútua e a alegria. Espaço de conversão pessoal a Jesus Cristo Estes Grupos de Jesus não pretendem substituir outros grupos pastorais, processos catequéticos, catecumenados ou realidades semelhantes, que têm os seus próprios objetivos e métodos. Os que fazem parte destes grupos movem-se noutro plano: reúnem-se para viver um processo de conversão a Jesus numa caminhada de quatro a cinco anos. Durante este tempo, se somos cristãos comprometidos em algum campo, continuamos a trabalhar onde já estamos. Nos Grupos de Jesus encontramos o clima apropriado para nos deixarmos transformar pelo Evangelho e para recuperar ou reavivar a nossa identidade de discípulos e de seguidores de Jesus. Ao serviço do projeto humanizador do Pai Ao longo da nossa caminhada nestes Grupos de Jesus, iremos descobrindo que não é possível seguir Jesus sem nos identificarmos com o projeto do Reino de Deus, que constitui a paixão que animou a sua vida inteira: fazer um mundo mais justo, mais digno e mais ditoso para todos, começando pelos últimos. Por isso, nestes grupos sentimo-nos chamados a «buscar o Reino de Deus e a

9 GRUPOS DE JESUS 9 sua justiça». Esta paixão por um mundo mais humano, tal como Deus o quer, vai marcando lentamente o nosso estilo de viver tanto na sociedade como no interior da Igreja. Construindo a Igreja de Cristo Estes grupos não nascem para viverem fechados em si mesmos, pensando somente nos seus problemas ou falando apenas das suas coisas. Desde o início que se situam no horizonte do Reino de Deus e no seio da Igreja. Mais em concreto, os Grupos de Jesus vivem e crescem com a vontade de contribuir para o impulso no interior da Igreja de uma conversão radical a Jesus Cristo. Por isso, esforçamo-nos por contribuir com a nossa própria conversão na construção de uma Igreja mais fiel a Cristo: uma Igreja mais simples, fraterna e acolhedora; uma Igreja samaritana, compassiva, «amiga dos pecadores»; uma Igreja onde a mulher ocupe o lugar querido por Jesus; uma Igreja que nos leve a Jesus e nos ensine a confiar no Pai. Uma Igreja de coração grande em que em cada manhã nos ponhamos a trabalhar pelo reino, sabendo que Deus faz nascer o sol para bons e maus. Como iniciar um grupo Primeiros passos Para tomar parte ativa nestes Grupos de Jesus não é necessária uma preparação especial. Basta que um grupo de pessoas queira fazer a experiência de escutar junto o Evangelho para voltar a Jesus. Não é necessário que os membros sejam praticantes. Podem fazer a caminhada crentes convictos, pouco crentes e até pessoas que andam à procura e se sentem atraídas por Jesus. Ele está no coração de todos, despertando a nossa fé e o desejo de uma vida mais digna. Podem-no acolher os cristãos convictos e os não praticantes; os simples e os ignorantes; os que se sentem perdidos e os que vivem sem esperança. Jesus é para todos. O moderador Para iniciar um Grupo de Jesus não é necessária a presença de um presbítero ou de uma religiosa. No entanto, pode ser importante

10 10 JOSÉ ANTONIO PAGOLA que alguém dirija e anime discretamente o grupo. Não é exigido que saiba mais que os outros. O grupo não se reúne para escutar este ou aquela, mas para escutar Jesus, que nos fala a partir do seu Evangelho. A missão do moderador é convocar os membros, assegurar que todos tomem parte dialogando amigavelmente, com respeito mútuo e de maneira positiva, que se escute o Evangelho e se crie um clima de oração e de conversão a Jesus, seguindo os diversos passos do encontro. A iniciativa dos leigos Sem dúvida, os padres e as religiosas podem ter um papel muito importante para animar estes Grupos de Jesus, sobretudo no início. Porém, no futuro serão os leigos que encontrarão nestes grupos um espaço novo de compromisso evangelizador. Serão homens e mulheres do povo de Deus quem se mobilizam para constituir e animar os Grupos de Jesus. Não se deve pensar em grupos grandes e complexos, mas, sobretudo, em pequenas células com cerca de doze pessoas, mais ou menos. Nestes momentos estão em marcha grupos de vizinhos praticantes, casais cristãos, famílias em situação irregular, antigos alunos de um colégio, religiosas e mães... Duplo compromisso Iniciar a caminhada num Grupo de Jesus supõe um duplo compromisso em que todos temos de nos sentir solidários. Em primeiro lugar, comprometemo-nos a preparar o melhor possível o encontro: o bom andamento do grupo vai depender, em boa parte, do trabalho pessoal que cada um de nós faz em casa, antes de vir para o encontro. Em segundo lugar, comprometemo-nos a tomar parte ativa no encontro; nem todos temos a mesma facilidade para falar e dialogar, porém, todos participamos no grupo para o construir com toda a simplicidade, e não apenas para receber. Criatividade do grupo No grupo propõe-se um caminho com sete etapas (veja-se o índice). Em cada tema trata-se de um texto evangélico. Aos participantes são oferecidas diferentes ajudas: para descobrir entre todos a mensagem do Evangelho; para motivar a conversão

11 GRUPOS DE JESUS 11 pessoal; para estimular o compromisso do grupo no projeto de Jesus. É conveniente que a caminhada seja feita corretamente; porém, é o grupo quem há de determinar a sua própria criatividade para decidir a periodicidade e o ritmo dos encontros, assim como o lugar mais adequado para as reuniões e a sua duração. No grupo propõem-se também sugestões para a oração, porém, como é natural, convém que o grupo desenvolva a sua própria criatividade (cânticos, símbolos, gestos, música ambiente...). Antes de iniciar a caminhada Antes de iniciar a caminhada, é conveniente fazer um encontro ou dois para tomar contacto com os participantes, para conhecer o que é um Grupo de Jesus e para definir, entre todos, qual o lugar e a periodicidade das reuniões, a distribuição das tarefas, a aquisição dos materiais, a preparação do primeiro encontro... (pode utilizar-se o material desta introdução sobre os Grupos de Jesus lida e comentada por todos). Dinâmica dos encontros A cada tema dedicaremos dois encontros. No primeiro temos como objetivo aproximar-nos do texto evangélico. É a primeira coisa. Entender o melhor possível a mensagem do Evangelho. No segundo encontro propomo-nos trabalhar em vista da nossa conversão pessoal e do compromisso do grupo no projeto de Jesus. Se o grupo considerar necessário, pode marcar outro encontro. Começamos todas as reuniões escutando a proclamação do Evangelho num clima de silêncio e de escuta atenta. Concluímo-las com a oração, juntos, do Pai Nosso, de pé e com as mãos unidas, formando um círculo. Ao terminar, damos uma saudação de paz. Primeiro encontro (aproximação ao Evangelho) Em casa. A primeira coisa a fazer, sempre, é ler o Evangelho. No entanto, antes de começar, fechamos os olhos e em silêncio tomamos consciência do que vamos fazer: «Vou escutar Jesus,

12 12 JOSÉ ANTONIO PAGOLA Deus vai-me falar, que hei de d Ele escutar nestes momentos da minha vida?» Esta breve pausa serve para dispor o nosso coração à mudança profunda da nossa maneira de ler o Evangelho. De seguida, lemos o texto evangélico indicado. Fazemo-lo muito lentamente. Sem pressa. O importante é perceber o que o texto quer comunicar. Se o lemos compassadamente, muitas palavras de Jesus que escutámos tantas vezes de forma rotineira começarão a tocar o nosso coração. Nesta leitura podemos fixar-nos sobretudo em Jesus. Temos de compreender bem o que nos diz e tudo o que Ele faz. Temos de gravar em nós as suas palavras e o seu estilo de vida. D Ele é que aprendemos a viver. Uma vez terminada a leitura começamos a aprofundar o texto evangélico, seguindo as perguntas ou sugestões do guião. Assim escutaremos a mensagem e preparamo-nos para dar ao grupo o nosso pequeno contributo. No encontro. Começamos sempre por criar um clima de silêncio e de recolhimento para escutar a proclamação do Evangelho de Jesus, lido pela pessoa designada. Depois aprofundamos entre todos o texto evangélico. Seguimos as perguntas e sugestões do guião. O diálogo tem de ser aberto, espontâneo, mas também ordenado. O moderador pode ir lendo as perguntas ou recolher outras que surgirem dos membros do grupo. Não se trata de discutir, mas de expor o eco que o Evangelho encontra no nosso coração. Ao terminar o diálogo, lemos entre todos o comentário e vamo-lo comentando com tranquilidade. O importante é que a mensagem evangélica vá penetrando no nosso coração. Por razões pedagógicas, convém que não leiamos esse comentário antes de nós mesmos o havermos trabalhado buscando a mensagem do texto evangélico. Terminamos o encontro em oração seguindo as sugestões do guião ou a criatividade do grupo. Oração do Pai Nosso e saudação da paz, no final. Segundo encontro (aproximação à vida) Em casa. Antes mais nada, recolhemo-nos, lembramo-nos de como vivemos o último encontro e lemos novamente o Evangelho. Agora já o conhecemos melhor.

13 GRUPOS DE JESUS 13 Depois, refletimos sobre a nossa conversão pessoal. As perguntas do guião são apenas um ponto de partida. Cada um deixa-se guiar pelo Espírito de Jesus. Para muitos será uma experiência de comunicação muito íntima com Jesus. Por isso, sugerimos algumas orientações para um diálogo com Ele. Por último, refletimos sobre o compromisso possível de todo o grupo no projeto de Jesus. Se nos ajudar, podemos tomar algumas notas em vista de um nosso contributo para o grupo. No encontro. Começamos, como sempre, fazendo silêncio para escutar a proclamação do Evangelho de Jesus. Logo a seguir partilhamos a nossa reflexão sobre o apelo que ouvimos em vista da nossa conversão pessoal. Fazemo-lo com muito respeito mútuo. Cada um comunica ao grupo o que lhe parecer conveniente. Todos vamos perfilando melhor os nossos passos para seguir Jesus. Depois passamos a dialogar sobre o nosso compromisso no projeto de Jesus. Aqui, seguramente, o diálogo será mais vivo e variado. Cada um falará a partir do seu próprio contexto familiar, do ambiente em que nos movemos da vizinhança, trabalho, paróquia... Seguimos as sugestões do guião ou detemo-nos noutras questões de interesse para o grupo. Entre todos vamos concretizando o nosso compromisso com realismo, humildade e grande confiança em Jesus. Ele sustém-nos e acompanha-nos. Terminamos o encontro em oração, num clima de alegria e de ação de graças. Oração do Pai Nosso e saudação da paz. No fim da caminhada No fim da caminhada, cada Grupo de Jesus dedica um tempo de reflexão para tomar uma decisão entre diferentes alternativas. Em alguns casos, o grupo termina e os seus membros vão-se comprometendo, cada um por seu lado, com tarefas pastorais e evangelizadoras diversas. Noutros casos, o grupo termina como Grupo de Jesus, porém os seus membros tomam a decisão de se continuarem a reunir para escutar juntos o Evangelho (seguindo, por exemplo,

14 14 JOSÉ ANTONIO PAGOLA algum dos textos evangélicos dos domingos). Inclusivamente podem convidar novas pessoas. Noutros casos, o grupo decide permanecer unido para se oferecer ao serviço das necessidades pastorais de uma paróquia concreta, ou constituir-se como uma equipa evangelizadora, concretizando a sua atuação em algum campo determinado (marginalização social, atenção a crianças ou idosos necessitados de ajuda, atenção a imigrantes, apoio a famílias divididas...). A melhor alternativa pode ser a seguinte: o Grupo de Jesus termina, porém os seus membros comprometem-se a dar início a dois ou mais Grupos de Jesus, acompanhando-os com a sua experiência. Esta decisão seria de grande importância, pois iria multiplicando a difusão de Grupos de Jesus. Desta forma circularia no interior da Igreja a força renovadora do Evangelho, reavivando a fé das comunidades cristãs e abrindo caminhos ao Reino de Deus na sociedade. Assim, estes Grupos de Jesus poderiam contribuir, junto de outras experiências e iniciativas, para que o Espírito possa suscitar o que o Papa Francisco chama «um dinamismo evangelizador que atua por atração» (A alegria do Evangelho, n.º 131). Ao longo da sua caminhada, os grupos poderão criar um blogue para partilhar a sua experiência, pedir orientação ou oferecer sugestões. Em alternativa, poderão aceder online ao endereço Assim ajudar- -nos-emos uns aos outros.

Orações Semanais para a Quaresma

Orações Semanais para a Quaresma Orações Semanais para a Quaresma Nesta Quaresma iremos realizar uma pequena oração no inicio ou no fim de cada reunião, pretendendo assim criar o hábito de oração em grupo, mas relembrando sempre que somos

Leia mais

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado

RESUMO. Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado UMA TENTATIVA RESUMO Apresentação abreviada Recapitulação breve = repetição do que foi apresentado Para transmitir uma ideia geral do que foi apresentado SÍNTESE Mostra e revela as relações entre elementos

Leia mais

Audiência às Equipes Nossa Senhora

Audiência às Equipes Nossa Senhora SECRETARIADO DO ESTADO Audiência às Equipes Nossa Senhora 10 Setembro 2015 DISCURSO DO SANTO-PADRE Discurso do Papa: (Roma, 10 de setembro de 2015) Estou muito feliz por vos acolher, caros responsáveis

Leia mais

Programas de Pastoral

Programas de Pastoral Programas de Pastoral PROGRAMA CULTURA VOCACIONAL Caderno 5 02 1. Apresentação Na INSA a Animação Vocacional tem por finalidade trabalhar a cultura vocacional e o despertar do jovem para a vocação no sentido

Leia mais

Prática de Aniversário. Benefício

Prática de Aniversário. Benefício Prática de Aniversário Espaço para refletirmos com um pouco mais de profundidade sobre o que significa SER IGREJA no contexto em que nos encontramos. Benefício Foco na MISSÃO SIMPLICIDADE nas estruturas

Leia mais

EXALTAÇÃO A MARIA SANTÍSSIMA REFLEXÕES SOBRE A SALVE-RAINHA

EXALTAÇÃO A MARIA SANTÍSSIMA REFLEXÕES SOBRE A SALVE-RAINHA EXALTAÇÃO A MARIA SANTÍSSIMA REFLEXÕES SOBRE A SALVE-RAINHA Coleção Com Maria ٠ Exaltação a Maria Santíssima: reflexões sobre a Salve-Rainha, Gemma Scardini ٠ Maria de Jesus: sua vida e missão, José Dias

Leia mais

Paróquia S. Salvador do Burgo - Arouca Advento 2015

Paróquia S. Salvador do Burgo - Arouca Advento 2015 1ª Semana de Advento (29 de Novembro a 5 de Dezembro) Catequista responsável: Ana Maria (2º e 7º ano) Palavra da semana: CARIDADE Estás a preparar-te para um caminho que te leva ao Natal. O Natal é um

Leia mais

LINHA DE AÇÃO 1 - IGREJA QUE SAI PARA SERVIR Ícone Bíblico - A Parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37):

LINHA DE AÇÃO 1 - IGREJA QUE SAI PARA SERVIR Ícone Bíblico - A Parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37): LINHA DE AÇÃO 1 - IGREJA QUE SAI PARA SERVIR Ícone Bíblico - A Parábola do Bom Samaritano (Lc 10,25-37): Quem é o meu próximo? perguntou o Doutor da Lei a Jesus, que em seguida lhe contou a Parábola do

Leia mais

Os Padres da Igreja e a Misericórdia

Os Padres da Igreja e a Misericórdia Os Padres da Igreja e a Misericórdia Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização Os Padres da Igreja e a Misericórdia Jubileu da Misericórdia 2015-2016 Título original: La Misericordia nei

Leia mais

ITINERÁRIO JUBILAR VERSÃO SPC

ITINERÁRIO JUBILAR VERSÃO SPC ITINERÁRIO JUBILAR VERSÃO SPC FICHA TÉCNICA VERSÃO SPC Título Itinerário Jubilar Autor Santuário de Fátima Tradução e adaptação para pictogramas (SPC) Autoria Célia Sousa- CRID/ iact/politécnico de Leiria

Leia mais

EDMC Equipe Distrital de Mordomia Cristã Obje7vos, Perfil, atuações e limites

EDMC Equipe Distrital de Mordomia Cristã Obje7vos, Perfil, atuações e limites EDMC Equipe Distrital de Mordomia Cristã Obje7vos, Perfil, atuações e limites É Importante Lembrar... A. Que a segunda vinda de Cristo está bem próxima, e a igreja de Deus necessita estar reavivada pelo

Leia mais

FESTA DA EPIFANIA DO SENHOR

FESTA DA EPIFANIA DO SENHOR FESTA DA EPIFANIA DO SENHOR 3 JANEIRO DE 2016 HOMILIA SOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR 2016 MONIÇÃO DE ENTRADA: Levanta-te e resplandece; a glória do Senhor brilha sobre ti (Is, 60,1). Esta é a palavra

Leia mais

Tudo se resolve com uma boa conversa? Protesto!

Tudo se resolve com uma boa conversa? Protesto! Tudo se resolve com uma boa conversa? Protesto! A Difícil Arte de Comunicar-se... Palavras Fundo de Experiência Fundo de Experiência A Difícil Arte de Comunicar-se... Palavras Fundo de Experiência Fundo

Leia mais

Saúdo-vos com alegria, consciente de que em Cristo Vivo e

Saúdo-vos com alegria, consciente de que em Cristo Vivo e CONFERÊNCIA DE IMPRENSA ESTARREJA, 6 de Maio de 2008 Saúdo-vos com alegria, consciente de que em Cristo Vivo e Ressuscitado sou chamado a anunciar, a celebrar e a testemunhar uma vida nova para todos os

Leia mais

Roteiro da celebração. As velas serão acesas quando a celebração começar. Acolhida e introdução ao tema da Semana de Oração

Roteiro da celebração. As velas serão acesas quando a celebração começar. Acolhida e introdução ao tema da Semana de Oração Roteiro da celebração D: Dirigente L: Leitor T: Todos I. Prelúdio/ Preparação As velas serão acesas quando a celebração começar. Acolhida e introdução ao tema da Semana de Oração Um apresentador dá as

Leia mais

Lição das Boas Aventuranças Mateus Capítulo Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois o Reino do Céu é delas.

Lição das Boas Aventuranças Mateus Capítulo Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois o Reino do Céu é delas. 1 Lição das Boas Aventuranças Mateus Capítulo 5 5.3 Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres, pois o Reino do Céu é delas. Você se considera mais crente que seu irmão? Acha que sua fé

Leia mais

Há muitas razões para lermos a Bíblia nos tempos de hoje

Há muitas razões para lermos a Bíblia nos tempos de hoje Há muitas razões para lermos a Bíblia nos tempos de hoje A Bíblia é como se fosse um manual de sobrevivência com dicas e relatos escritos por pessoas, assim como nós, normais. Exemplo:- como o advogado

Leia mais

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento

Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Itinerários e catequese Itinerário de conversão e de crescimento Imersão progressiva na onda do Espírito, acompanhada por testemunhas feita de escuta, encontros e experiências no coração do REINO/COMUNIDADE

Leia mais

DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A

DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A EIS O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO DOMINGO II DO TEMPO COMUM Ano A EUCARISTIA 19H DINAMIZAÇÃO DO 10º ANO DE CATEQUESE IGREJA MATRIZ DE VILA DO CONDE Cântico Inicial: Filho de Deus 1. Somos

Leia mais

Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal

Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal Com Maria, ao encontro do sonho de Deus. Novena a Nossa Senhora, pelas vocações em Portugal 18 de maio - Maria, pronta a servir com amor Hoje lembramos a simplicidade e generosidade de Maria, que logo

Leia mais

Conselho Arquidiocesano de Pastoral

Conselho Arquidiocesano de Pastoral Conselho Arquidiocesano de Pastoral Capítulo 1 Marco histórico-eclesial Marco Histórico-Eclesial (VER-JULGAR-AGIR) OS LEIGOS NA ÉPOCA DA CRISTANDADE... A presença e organização dos leigos buscou sempre

Leia mais

Dicas ousadas para descobrir como educar os filhos para a felicidade. Ao jeito de Jesus

Dicas ousadas para descobrir como educar os filhos para a felicidade. Ao jeito de Jesus Dicas familiares ? Dicas ousadas para descobrir como educar os filhos para a felicidade Ao jeito de Jesus Para quê esta montagem? Para ilustrar as seguintes afirmações: Educamos mais com o que somos e

Leia mais

Nada nem ninguém te roube a alegria

Nada nem ninguém te roube a alegria Nada nem ninguém te roube a alegria Coleção MANRESA Autoconhecimento e Discernimento Cristão Domingos Terra, S.J. 1ª Semana de Estudos de Deus e o Homem segundo Santo Inácio 2ª Semana de Estudos de Espiritualidade

Leia mais

Re Nascer. PROPÓSITO Re Nascer

Re Nascer.  PROPÓSITO Re Nascer O nascimento é o momento em que o Ser dá início à vida. Em cada respiração define-se a existência duma nova vida. Em cada Expiração há morte... E em cada Inspiração há vida. Cada momento da nossa vida

Leia mais

GUIÂO FESTA DAS BEM-AVENTURANÇAS 2014/2015. (Admonitor 1-Lê as admonições normais; Admonitor 2- Lê as admonições das bem-aventuranças)

GUIÂO FESTA DAS BEM-AVENTURANÇAS 2014/2015. (Admonitor 1-Lê as admonições normais; Admonitor 2- Lê as admonições das bem-aventuranças) (Admonitor 1-Lê as admonições normais; Admonitor 2- Lê as admonições das bem-aventuranças) Admonitor 1- Jovem da Maria da Luz Admonitor 2- Jovem da Jovem Bússola- Jovem da Mónica/Fátima ADMONIÇÃO INICIAL

Leia mais

Roteiro Celebrativo Mês Diocesano do Dízimo 2017

Roteiro Celebrativo Mês Diocesano do Dízimo 2017 02 de julho de 2017 13º Domingo do Tempo Comum Sejam bem-vindos à celebração eucarística. Convocados pelo Pai, incorporados a Cristo e movidos pelo Espírito Santo, tornamo-nos assembleia celebrativa para

Leia mais

JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas

JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas Série: Um Natal de Esperança (02/04). JESUS: A ESPERANÇA DO NATAL CHEGOU! Baseado em Lucas 1.26-38 Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele

Leia mais

FAMÍLIA R&B 12º ANIVERSÁRIO CASAMENTO COMEMORAÇÃO JANTAR DE FAMÍLIA 1 DE MARÇO

FAMÍLIA R&B 12º ANIVERSÁRIO CASAMENTO COMEMORAÇÃO JANTAR DE FAMÍLIA 1 DE MARÇO ARRANJACASA REPARAMOS E REMODELAMOS O SEU LAR, EMPRESA, JARDIM 938664495 FAMÍLIA R&B EDIÇÃO ESPECIAL S. VALENTIM DIRECÇÃO TÉCNICA OLÍVIA 14 DE FEVEREIRO DE 2015 FOTOGRAFIA MARGARIDA RETIRO DA QUARESMA

Leia mais

Conteúdos. Porque fazemos pequenos grupos de estudo bíblico? Tarefas do Pastor, Ancião ou director de estudo bíblico em grupo.

Conteúdos. Porque fazemos pequenos grupos de estudo bíblico? Tarefas do Pastor, Ancião ou director de estudo bíblico em grupo. Conteúdos Porque fazemos pequenos grupos de estudo bíblico? Quem necessita de estudo bíblico em grupo? Quem deve liderar o grupo? Tipos de pessoas que podem participar nos grupos. Como iniciar um novo

Leia mais

Animação bíblica da escola

Animação bíblica da escola Animação bíblica da escola Coleção Animação Bíblica Da Pastoral Bíblica à Animação Bíblica da Pastoral, Gabriel Naranjo Salazar A animação Bíblica da Pastoral: sua identidade e missão, Santiago Silva Retamales

Leia mais

Dia Mundial das Missões - Coleta Nacional - 21 e 22 de outubro

Dia Mundial das Missões - Coleta Nacional - 21 e 22 de outubro Missionária 26º Domingo do Tempo Comum - 01/10/ Motivação inicial é o tema da Missionária que hoje iniciamos. A Igreja em saída é a comunidade que faz a experiência de Jesus e sai de si para anunciar a

Leia mais

Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU

Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU Guião da Lição 25 SOMOS A IGREJA QUE ELE FUNDOU A família e os nossos amigos mais próximos, que são como uma família, são muito importantes para nós. Tratam-se todos, de uma comunidade de pessoas ligadas

Leia mais

12 Passos para ter um namoro centrado em Deus

12 Passos para ter um namoro centrado em Deus 12 Passos para ter um namoro centrado em Deus 1 Avisos Legais REDISTRIBUIÇÃO Você concorda que não irá copiar, redistribuir ou explorar comercialmente qualquer parte deste documento sem a permissão expressa

Leia mais

Arquitetura, especialização em Arquitetura Arquitetura, especialização em Urbanismo Arquitetura, especialização em Interiores Design Design de Moda

Arquitetura, especialização em Arquitetura Arquitetura, especialização em Urbanismo Arquitetura, especialização em Interiores Design Design de Moda CURSOS E ÁREAS CIENTÍFICAS (AC) Arquitetura, especialização em Arquitetura Arquitetura, especialização em Urbanismo Arquitetura, especialização em Interiores Design Design de Moda AC.: Geometria Descritiva

Leia mais

REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA

REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA REFRÃO ORANTE TU ÉS FONTE DE VIDA CANTO DE ENTRADA SENHOR EIS AQUI O TEU POVO CANTO DE ENTRADA SENHOR EIS AQUI O TEU POVO Em D Em G C B 7 Senhor, eis aqui o teu povo/ Que vem implorar teu perdão/ Am B

Leia mais

ASSISTIR Sport X Ponte Preta ao vivo gratis online tv transmissão

ASSISTIR Sport X Ponte Preta ao vivo gratis online tv transmissão ASSISTIR Sport X Ponte Preta ao vivo gratis online tv transmissão 13-08-2017 ASSISTIR,.,Sport,.,X,.,Ponte,.,Preta,.,ao,.,vivo,.,gratis,.,online,.,tv,.,transmissão,.,13-08- 2017,.,Premiere,.,PFC,.,SporTV,.,Globo,.,Assistir,.,Sport,.,x,.,Ponte,.,Preta,.,ao,.,vivo,.,em,.,HD,.,grátis,.,ho

Leia mais

Catedral Diocesana de Campina Grande. II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia. ANO DA FÉ Rito Inicial

Catedral Diocesana de Campina Grande. II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia. ANO DA FÉ Rito Inicial Catedral Diocesana de Campina Grande Paróquia nossa Senhora da Conceição II Domingo da Páscoa Ano C Domingo da Divina Misericórdia Por suas chagas fomos curados, felizes aqueles que crêem sem terem visto.

Leia mais

Evangelho. As Bem- Aventuranças Mateus: 5:1-12

Evangelho. As Bem- Aventuranças Mateus: 5:1-12 Evangelho As Bem- Aventuranças Mateus: 5:1-12 12 As Bem Aventuranças 1. Bem Aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus. 2. Bem Aventurados os que choram, porque eles serão consolados.

Leia mais

A Aliança do povo hebreu com o Senhor

A Aliança do povo hebreu com o Senhor A Aliança do povo hebreu com o Senhor Não é fácil orientar-se numa floresta quando não se têm caminhos, nem trilhas. A Bíblia é como uma floresta e, se não conhecermos o caminho, facilmente poderemos nos

Leia mais

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM

EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM EVANGELHO DO DIA E HOMILIA (LECTIO DIVINA) REFLEXÕES DE FREI CARLOS MESTERS,, O. CARM REFLEXÕES E ILUSTRAÇÕES DE PE. LUCAS DE PAULA ALMEIDA, CM Quarta-feira da 3ª Semana do Advento 1) Oração O Evangelho

Leia mais

Romanos, Paulo diz qual a motivação que o levou a escrever a epístola à igreja em Roma. visando evangelizar o ocidente do Império Romano.

Romanos, Paulo diz qual a motivação que o levou a escrever a epístola à igreja em Roma. visando evangelizar o ocidente do Império Romano. O No capítulo 15 da carta aos Romanos, Paulo diz qual a motivação que o levou a escrever a epístola à igreja em Roma. O Paulo escreve a carta aos Romanos visando evangelizar o ocidente do Império Romano.

Leia mais

Assessoria de Educação. Pastor Joel Nascimento Congresso Renovação Ministerial Fev/2016 Avivamento Bíblico - Jaçanã

Assessoria de Educação. Pastor Joel Nascimento Congresso Renovação Ministerial Fev/2016 Avivamento Bíblico - Jaçanã Assessoria de Educação Pastor Joel Nascimento Congresso Renovação Ministerial Fev/2016 Avivamento Bíblico - Jaçanã Agenda O que é a EBD? Considerações sobre o Ensino Algumas recomendações para os professores

Leia mais

O CHAMAMENTO PARA A ESPERANÇA

O CHAMAMENTO PARA A ESPERANÇA O CHAMAMENTO PARA A ESPERANÇA Oração do Mês Dezembro de 2015 1.- Introdução O advento é um tempo de resposta ao "chamamento para a esperança": e a esperança que nós temos é a nossa esperança no nascimento

Leia mais

Conteúdos programáticos das disciplinas de Geometria Descritiva do 10.º ano e do 11.º ano do Ensino Secundário.

Conteúdos programáticos das disciplinas de Geometria Descritiva do 10.º ano e do 11.º ano do Ensino Secundário. GEOMETRIA DESCRITIVA Conteúdos programáticos das disciplinas de Geometria Descritiva do 10.º ano e do 11.º ano do Ensino Secundário. Manuais e livros de exercícios de Geometria Descritiva do 10.º ano e

Leia mais

Roteiros Mensais para Grupos

Roteiros Mensais para Grupos Roteiros Mensais para Grupos JANEIRO 2017 INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO PAPA Ajudar a aprofundar e rezar com a INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO PAPA de cada mês, para mobilizar os grupos e a vida pessoal diante dos grandes

Leia mais

Acto penitencial: Aclamação:

Acto penitencial: Aclamação: Entrada: O senhor Ressuscitou! Do+ O Senhor ressuscitou, vencendo a morte na cruz Re7 Re7 Nossa esperança está n Ele, Ele é o nosso Salvador. Do+ P ra trás ficou o temor, a dúvida e a pouca fé: Re7 Re7

Leia mais

CONSUMIDOR INFORMADO. CONSUMIDOR PROTEGIDO. VIVER MAIS E MELHOR. Projeto apoiado pelo Fundo para a Promoção dos Direitos dos Consumidores

CONSUMIDOR INFORMADO. CONSUMIDOR PROTEGIDO. VIVER MAIS E MELHOR. Projeto apoiado pelo Fundo para a Promoção dos Direitos dos Consumidores CONSUMIDOR INFORMADO. CONSUMIDOR PROTEGIDO. VIVER MAIS E MELHOR Projeto apoiado pelo Fundo para a Promoção dos Direitos dos Consumidores UMA VIDA MAIS LONGA É UM BEM INCRIVELMENTE VALIOSO Queremos ajudá-lo

Leia mais

COMUM DOS SANTOS E DAS SANTAS

COMUM DOS SANTOS E DAS SANTAS 279 I rmãs e irmãos: Ao celebrar a solenidade de São N. (de Santa N.), nosso irmão (nossa irmã) na fé e no Baptismo, oremos a Deus Pai todo-poderoso, dizendo (ou: cantando): R. Deus, fonte de toda a santidade,

Leia mais

Guia para a animação UN CAMINHO PARA ROMA. das irmandades fratello CADERNO DO ANIMADOR. Nome : Apelido : MAIS INFORMAÇÕES EM :

Guia para a animação UN CAMINHO PARA ROMA. das irmandades fratello CADERNO DO ANIMADOR. Nome : Apelido : MAIS INFORMAÇÕES EM : CADERNO DO ANIMADOR UN CAMINHO PARA ROMA Guia para a animação CONTACTO LOCAL das irmandades fratello Nome : Apelido : MAIS INFORMAÇÕES EM : www.fratello2016.org NOTAS PESSOAIS «Por isso, desejo uma Igreja

Leia mais

Capacete de um chefe saxão

Capacete de um chefe saxão Capacete de um chefe saxão Fivela de ouro (séc. VI, Museu Britânico, A Europa no início do século VI Londres, Inglaterra). 2 Fim do Império Romano do Ocidente Guerras civis. Descrédito do Imperador. Fixação

Leia mais

Rumo à Solenidade de Nossa Senhora do Carmo (4)

Rumo à Solenidade de Nossa Senhora do Carmo (4) (4) Maria na sua missão de mãe de família, na sua casa de Nazaré Contemplamos Maria como mãe de família, na sua casa em Nazaré, na vida simples de todos os dias, na intimidade do Seu lar de amor, onde

Leia mais

ESPIRITUALIDADE VICENTINA

ESPIRITUALIDADE VICENTINA SOCIEDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO CONSELHO GERAL INTERNACIONAL ESPIRITUALIDADE VICENTINA Dai-me um homem de oração e ele será capaz de tudo SÃO VICENTE DE PAULO 2 CONTEÚDO 1 A EXPERIÊNCIA FUNDADORA DE

Leia mais

DOMINGO V 215 DOMINGO V DA PÁSCOA. LEITURA I Actos 6,1-7. «Escolheram sete homens cheios do Espírito Santo...»

DOMINGO V 215 DOMINGO V DA PÁSCOA. LEITURA I Actos 6,1-7. «Escolheram sete homens cheios do Espírito Santo...» DOMINGO V 215 DOMINGO V DA PÁSCOA LEITURA I Actos 6,1-7 «Escolheram sete homens cheios do Espírito Santo...» Leitura dos Actos dos Apóstolos Naqueles dias, aumentando o número dos discípulos, os helenistas

Leia mais

Nota: Lembramos que hoje, às haverá encontro de acólitos na Igreja e ensaio de coro no Auditório 1.

Nota: Lembramos que hoje, às haverá encontro de acólitos na Igreja e ensaio de coro no Auditório 1. 2ª FEIRA 23 DE JANEIRO DESAFIA-TE #FAZERMARAVILHAS #COM(O)DOMBOSCO Bom dia! Hoje termina a Novena de a Nossa Senhora Auxiliadora pelo P. TOM UZHUNALIL, m que rezámos pedindo a sua libertação. Rezemos,

Leia mais

Nº 22 C Domingo II da Páscoa Cristo ressuscitado, os primeiros apóstolos viram-te, tocaram-te, escutaram-te e acreditaram em ti. Nós, os teus amigos

Nº 22 C Domingo II da Páscoa Cristo ressuscitado, os primeiros apóstolos viram-te, tocaram-te, escutaram-te e acreditaram em ti. Nós, os teus amigos Nº 22 C Domingo II da Páscoa Cristo ressuscitado, os primeiros apóstolos viram-te, tocaram-te, escutaram-te e acreditaram em ti. Nós, os teus amigos de hoje não te contemplámos, nem escutámos a tua voz,

Leia mais

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio.

Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. Interpretando o Apocalipse Por Pastor Luiz Antonio. CAPÍTULO III QUINTA CARTA, À IGREJA DE SARDES 1 E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus e as sete

Leia mais

Nº 40A Domingo XXXIV do Tempo Comum Quando ajudamos alguém, é como se ajudássemos Jesus

Nº 40A Domingo XXXIV do Tempo Comum Quando ajudamos alguém, é como se ajudássemos Jesus Nº 40A Domingo XXXIV do Tempo Comum- 20.11.1011 Quando ajudamos alguém, é como se ajudássemos Jesus Quando eu tive fome, deste-me de comer. Quando eu tinha sede, deste-me de beber. Quando eu estava sem

Leia mais

PASTORAL DO MENOR DFEFINIÇÃO DE PASTORAL

PASTORAL DO MENOR DFEFINIÇÃO DE PASTORAL 15/8/2011 CONSELHO DE PASTORAL DIOCESE DE CARAGUATATUBA 16/06/2010 PASTORAL DO MENOR DFEFINIÇÃO DE PASTORAL A pastoral consiste em atualizar para o nosso tempo as atitudes de Jesus como bom pastor. A boa

Leia mais

PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João

PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João Coleção DO POVO PARA O POVO Preparada pela equipe de assessores e assessoras do Centro Bíblico Verbo Da comunidade

Leia mais

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor :Airton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor :Airton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa LIST DE CONTEÚDOS PR RECUPERÇÃO FINL - 2015 Professor :irton José Müller Componente Curricular: Educação Religiosa CONTEÚDOS DO EXME 6º no 16 C e D Quem sou eu? mizade, cooperação, respeito... Convivência

Leia mais

Misericordiosos como o Pai Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso Lc 6,36

Misericordiosos como o Pai Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso Lc 6,36 Misericordiosos como o Pai Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso Lc 6,36 Vídeo: Parcialmente nublado Só mesmo com Deus! A bondade é uma qualidade do caracter, a misericórdia é

Leia mais

Roteiros Mensais para Grupos

Roteiros Mensais para Grupos Roteiros Mensais para Grupos COMPLEMENTO 2º ROTEIRO - FEVEREIRO 2017 INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO PAPA Ajudar a aprofundar e rezar com a INTENÇÃO DE ORAÇÃO DO PAPA de cada mês, para mobilizar os grupos e a vida

Leia mais

XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM 02 de agosto de 2015

XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM 02 de agosto de 2015 XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM 02 de agosto de 2015 Caríssimos Irmãos e Irmãs: Hoje, muitos cristãos têm a Bíblia em mão e lêem-na com freqüência. Essa realidade acontece, também, entre os católicos, cuja

Leia mais

1º Técnicas e Regras para Entender a Palavra de Deus. 2º Lendo a Palavra Tirando Entendimento Dela Geografia Bíblica da Interpretação.

1º Técnicas e Regras para Entender a Palavra de Deus. 2º Lendo a Palavra Tirando Entendimento Dela Geografia Bíblica da Interpretação. Introdução 1º Técnicas e Regras para Entender a Palavra de Deus. 2º Lendo a Palavra Tirando Entendimento Dela Geografia Bíblica da Interpretação. 4º A Regra Espiritual da Interpretação 5º O que disse Jesus

Leia mais

O Filho do Homem veio para servir e dar a vida por muitos. (Mc 10,45) Roteiro de Oração. na Vida Diária

O Filho do Homem veio para servir e dar a vida por muitos. (Mc 10,45) Roteiro de Oração. na Vida Diária O Filho do Homem veio para servir e dar a vida por muitos. (Mc 10,45) Roteiro de Oração Edição 71 - Fevereiro 2015 Neste mês de Fevereiro, somos convidados a viver um tempo novo na liturgia da Igreja.

Leia mais

Agradando adeus. Medite: De longe, o pior hábito é ser constantemente ocupado em vez de produtivo. (Charles Duhigg)

Agradando adeus. Medite: De longe, o pior hábito é ser constantemente ocupado em vez de produtivo. (Charles Duhigg) Agradando adeus Às vezes, procuramos agradar somente as pessoas e nos esquecemos de que devemos manter uma boa comunhão com Deus, confessando os nossos pecados, buscando arrependimento quando erramos,

Leia mais

Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA:

Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA: Ritos Iniciais: 1- ACOLHIDA: Faz muito tempo, mas parece que foi ontem. Cada criança que nasce é uma mensagem de que Deus acredita nos homens. Deus acreditou em nós e nos deu a alegria e a responsabilidade

Leia mais

Nº 40 A Domingo XXXIII do Tempo Comum Deus renova todas as coisas

Nº 40 A Domingo XXXIII do Tempo Comum Deus renova todas as coisas Nº 40 A Domingo XXXIII do Tempo Comum-17.11.13 Deus renova todas as coisas Eu tive um sonho. Sonhei que os rios já não estavam poluídos, e as suas águas eram puras e cristalinas. Sonhei que. em vez de

Leia mais

Prefácio. Santo Tomás de Aquino. Suma Teológica, II-II, q. 28, a. 4.

Prefácio. Santo Tomás de Aquino. Suma Teológica, II-II, q. 28, a. 4. Prefácio A vida de São Francisco de Assis foi e continua sendo fonte de inspiração para tantos homens e mulheres de boa vontade que, percebendo a beleza que emana do amor, desejam experimentar também a

Leia mais

Os Milagres de Jesus

Os Milagres de Jesus Os Milagres de Jesus Que difícil entender os milagres de Jesus. E, como vou explicar isso para as crianças? . A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.

Leia mais

1º tema: Modos de viver o natal; 2º tema: Os símbolos e tradições de natal; 3º tema: O nascimento de Jesus; 4º tema: O Natal é tempo de amor;

1º tema: Modos de viver o natal; 2º tema: Os símbolos e tradições de natal; 3º tema: O nascimento de Jesus; 4º tema: O Natal é tempo de amor; Disciplina de: E.M.R.C. Ano escolaridade: Professor: Carlos Durães U.L. 1: Ter um coração bom tema: Significado da expressão «ser bondoso»; tema: Ser bom para todos; tema: Jesus fala de bondade; 4º tema:

Leia mais

Ó vós todos os que tendes sede, vinde às águas. Isaías Buscai ao Senhor enquanto se pode achar... Isaías 55.6 a. Programação

Ó vós todos os que tendes sede, vinde às águas. Isaías Buscai ao Senhor enquanto se pode achar... Isaías 55.6 a. Programação Tema: Ó vós todos os que tendes sede, vinde às águas. Isaías 55.1 Divisa: Buscai ao Senhor enquanto se pode achar... Isaías 55.6 a Programação Programação Catedral das Assembleias de Deus em Juiz de Fora

Leia mais

Direcionamentos para 2017

Direcionamentos para 2017 Direcionamentos para 2017 A Festa jubilar com certeza vai nos levar a atualização de muitas graças em nossa vida e também no que o Espirito Santo vem realizando na vida de muitas pessoas. Pensando sobre

Leia mais

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA

CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA CREIO NA SANTA IGREJA CATÓLICA 17-03-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze A Igreja no desígnio de Deus O que significa a palavra Igreja? Designa o povo que Deus convoca e reúne de todos os

Leia mais

Coleção Chamados à Vida Chamados À Vida, Chamados À Vida Em Jesus Cristo,

Coleção Chamados à Vida Chamados À Vida, Chamados À Vida Em Jesus Cristo, Coleção Chamados à Vida Em preparação à Eucaristia 1ª Etapa: Chamados à vida 2ª Etapa: Chamados à vida em Jesus Cristo 3ª Etapa: Chamados à vida em Comunidade. 4ª Etapa: Chamados à vida para amar e servir.

Leia mais

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que?

Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? Conversa de Formigas Uma formiga conversando com outra: -Qual é o seu nome? -Fu. -Fu o que? -Fu miga. E você? -Ota. -Ota o que? -Ota fu miga Metodologia de uma Escola Bíblico-Catequética Método. [do gr.

Leia mais

XXI. Geral. Roma, Setembro-Outubro A experiência

XXI. Geral. Roma, Setembro-Outubro A experiência XXI Capítulo Geral Roma, Setembro-Outubro 2009 1. A experiência 5 semanas de encontro, trabalho, reflexão, busca na Casa Geral em Roma O Capítulo Geral se reúne a cada 8 anos 83 Irmãos capitulares 2 Convidados

Leia mais

ACOLHIMENTO Pessoas cuidando de pessoas

ACOLHIMENTO Pessoas cuidando de pessoas Nossa Visão Uma cidade transformada por Cristo através de uma igreja acolhedora que desenvolve cura social e renovação cultural, formando autênticos discípulos de Cristo transformados por meio do Evangelho.

Leia mais

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão.

Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Os bispos, como pastores e guias espirituais das comunidades a nós encomendadas, somos chamados a fazer da Igreja uma casa e escola de comunhão. Como animadores da comunhão, temos a missão de acolher,

Leia mais

de Jesus, nos é dada a oportunidade de iluminar as nossas ações.

de Jesus, nos é dada a oportunidade de iluminar as nossas ações. Novena de Natal O tempo do Advento é constituído das quatro semanas que antecedem o Natal do Senhor. É, portanto, tempo de piedosa espera. Ora, esperar uma pessoa querida requer alegre e cuidadosa preparação.

Leia mais

Por uma liturgia mais animada. Giovanni Marques Santos

Por uma liturgia mais animada. Giovanni Marques Santos Por uma liturgia mais animada Giovanni Marques Santos liturgia animada liturgia des-animada liturgia animada COM ALMA (anima), ação sim-bólica em que nos colocamos por inteiro, para que a graça divina

Leia mais

O MUNDO QUE DEUS SONHOU PARA MIM E MINHA FAMÍLIA

O MUNDO QUE DEUS SONHOU PARA MIM E MINHA FAMÍLIA Estudante: Ano: 6º Turma: Educador: Wagner Melo C. Curricular: Educação Religiosa O MUNDO QUE DEUS SONHOU PARA MIM E MINHA FAMÍLIA Deus nos criou para convivermos com outras pessoas e sermos felizes. A

Leia mais

NOVIDADES novembro 2016

NOVIDADES novembro 2016 ADVENTO E NATAL PARA CRENTES E NÃO-CRENTES AUTORES Isabel Figueiredo e Jorge Reis-Sá Continuando a coleção «Para Crentes e Não-Crentes», este livro apresenta meditações escritas por Isabel Figueiredo e

Leia mais

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR

Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo. Ano letivo 2016/17. Domínios Indicadores VALOR Critérios de Avaliação Departamento do 1º Ciclo Ano letivo 2016/17 Os critérios de avaliação constituem referenciais comuns, no Agrupamento, sendo operacionalizados pelos professores da turma 1. Áreas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - 2.º ano DOMÍNIOS CRITÉRIOS INDICADORES/PERFIL DE APRENDIZAGENS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ SOARES (150952) Português CRITÉRIOS - 2.º ano 6 AL / ATITUDINAL língua portuguesa Respeita regras da interação discursiva. Escuta discursos breves para aprender e construir

Leia mais

O Espírito Santo e a origem da Palavra: Revelador. Inspirador. Verdadeiro. O Espírito Santo e a Palavra hoje. Nosso instrutor. Não há contradição.

O Espírito Santo e a origem da Palavra: Revelador. Inspirador. Verdadeiro. O Espírito Santo e a Palavra hoje. Nosso instrutor. Não há contradição. Lição 1 para 7 de janeiro de 2017 O Espírito Santo foi o motor e a gênese do processo de criação da Palavra escrita de Deus a Bíblia. Mas sua relação com a Palavra não acabou com seu processo de escrita.

Leia mais

IRRADIAÇÃO E VIBRAÇÃO OBJETIVO

IRRADIAÇÃO E VIBRAÇÃO OBJETIVO IRRADIAÇÃO E VIBRAÇÃO Monitores: Alice Akemi, Franciene Briand e Marlene Barros 02 e 03/11/2014 OBJETIVO Compreender o processo da irradiação e a sua importância nas diversas atividades na Casa Espírita.

Leia mais

Cânticos para Missa Advento/2016

Cânticos para Missa Advento/2016 Santuário das Almas/Icaraí Cânticos para Missa Advento/2016 Data 17/12 www.oficinademusica.org Procissão de Entrada: Vamos Celebrar Todos reunidos na casa de Deus Com cantos de alegria e grande louvor

Leia mais

A família constituída por um homem, uma mulher e eventuais filhos, fundada sobre o um vínculo indissolúvel do

A família constituída por um homem, uma mulher e eventuais filhos, fundada sobre o um vínculo indissolúvel do DESAFIOS E POSSIBILIDADES DA FAMÍLIA NO LIMIAR DO NOVO MILÊNIO Dom João Carlos Petrini, Bispo de Camaçari e Presidente da Comissão Episcopal Pastoral Vida e Família Introdução A família constituída por

Leia mais

Irmãs de São José de Chambéry Serviço de Animação Vocacional

Irmãs de São José de Chambéry Serviço de Animação Vocacional Irmãs de São José de Chambéry Serviço de Animação Vocacional Nossa vocação à luz do Pe. Médaille Sugestões para oração: Ambiente com a imagem do Pe. Médaille, vela, Bíblia, Documentos da Congregação) Cantos

Leia mais

Nº 10 A Domingo III do Tempo Comum

Nº 10 A Domingo III do Tempo Comum Nº 10 A Domingo III do Tempo Comum-26.1.2014 Vinde comigo! - Quem irá anunciar a toda a gente a Boa Nova da ternura de Deus? - Quem irá falar de Jesus Cristo vivo a quem busca razões para viver? - Quem

Leia mais

Agosto, o Mês Dedicado às Vocações Vocação: Um chamado para servir

Agosto, o Mês Dedicado às Vocações Vocação: Um chamado para servir Agosto, o Mês Dedicado às Vocações Vocação: Um chamado para servir Nenhuma vocação nasce por si, nem vive para si. A vocação brota do coração de Deus e germina na terra boa do povo fiel, na experiência

Leia mais

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Princípios de Testemunho Pessoal

Treinamento de Instrutores Bíblicos. Princípios de Testemunho Pessoal North American Division Portuguese Ministry Treinamento de Instrutores Bíblicos Princípios de Testemunho Pessoal Princípios de Testemunho Pessoal CRESCIMENTO DA IGREJA NO NOVO TESTAMENTO - Atos 1:15 -

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Twiddla M a n

Leia mais

Quem somos e no que cremos?

Quem somos e no que cremos? Vivendo e compartindo o caminho de Jesús Quem somos e no que cremos? Igreja Evangélica Paseo de Extremadura 179 Tel: 91 813 67 05; 626 468 629 http://www.comuniondelagracia.es E-mail: iduespana@yahoo.es

Leia mais

COMO SE PREPARAR PARA O. NÚCLEO DE ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO Colégio da Faculdade Adventista da Bahia BR 101, Km 197, Cachoeira-BA. Tel.

COMO SE PREPARAR PARA O. NÚCLEO DE ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO Colégio da Faculdade Adventista da Bahia BR 101, Km 197, Cachoeira-BA. Tel. COMO SE PREPARAR PARA O NÚCLEO DE ATENDIMENTO PSICOPEDAGÓGICO Colégio da Faculdade Adventista da Bahia BR 101, Km 197, Cachoeira-BA. Tel. 3425-8000 LEIA MUITO Uma leitura observadora, reflexiva, atenta,

Leia mais

A caridade divina em São Tomás de Aquino

A caridade divina em São Tomás de Aquino RICARDO FIGUEIREDO A caridade divina em São Tomás de Aquino segundo o Comentário ao Evangelho de São João Índice Lista de siglas e abreviaturas 9 Prefácio, Professor Doutor José Jacinto Ferreira de Farias

Leia mais

o sacramento do matrimônio e as causas de nulidade

o sacramento do matrimônio e as causas de nulidade o sacramento do matrimônio e as causas de nulidade Coleção Sacramentos hoje O Sacramento da Confirmação Perspectivas teológico-pastorais, V. M. Goedert Sacramentos da iniciação cristã, Félix Moracho Galindo

Leia mais

Tudo é possível a quem crê! A história de um adolescente em caminhada

Tudo é possível a quem crê! A história de um adolescente em caminhada Caminhada na Quaresma Páscoa 2010 Tudo é possível a quem crê! A história de um adolescente em caminhada semana I 21.02.2010 a 27.02.2010 desafio: eu confio! proposta: procura na Internet textos sobre a

Leia mais