ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino."

Transcrição

1 1 ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. RESUMO Camila Rezende Bambirra 1 Ronaldo Maciel Guimarães 2 Este artigo tem como objetivo Identificar as expectativas e as percepções dos alunos dos cursos de graduação em administração e em comunicação oferecidos por uma Instituição de Ensino Superior (IES). Foi realizada uma pesquisa quantitativa com abordagem descritiva. Foi desenvolvido um questionário baseado no modelo SERVQUAL, A amostra a utilizada foi de 40% no curso de Administração e de 80% da população no curso de Comunicação e foi por conveniência. A análise dos dados foi dividida em três partes. A primeira parte apresenta os resultados do curso de Administração. A segunda parte apresenta os resultados do curso de comunicação e na parte terceira, um comparativo entre os cursos. O resultado da SERVQUAL foi calculado por meio da diferença entre a Percepção dos alunos em relação à IES e suas Expectativas. As dimensões tangibilidade, atendimento, empatia apresentaram um resultado insatisfatório, enquanto as dimensões confiabilidade e segurança apresentaram resultados positivos. Palavras-chave: Qualidade de Serviço, Instituição de Ensino Superior, Servqual INTRODUÇÃO O crescimento na quantidade de Instituições de Ensino Superior (IES) no Brasil se expandiu a partir da política expansionista do governo federal estabelecida a partir da publicação da lei 9.394/96 - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Em Belo Horizonte na década de 1980 havia seis cursos de graduação em administração, sendo cinco em Instituições de Ensino Superior (IES) privadas e um numa IES pública. Passados quase trinta anos, vinte e nove IES 1 Camila Rezende Bambirra : Aluna 4º período de Marketing, bolsista NPP (Núcleo de Pós- Graduação e Pesquisa). 2 Ronaldo Maciel Guimarães: Graduado em Administração, Especialista em Educação a Distância e Mestre em Administração. Professor da Faculdade Promove de Minas Gerais. 1

2 2 oferecem o curso superior em administração nesta cidade (INEP, senso educacional, 2008). Com este aumento, o mercado educacional tornou-se muito competitivo e as IES têm que se preocupar com a qualidade de seus serviços prestados para poder competir e sobressair-se. Assim, a instituição de ensino que pretende ser reconhecida como diferenciada deve criar condições para que sua marca se fortaleça perante o mercado consumidor. Cobra e Braga (2004) entendem o serviço educacional como um ato ou desempenho oferecido por uma parte à outra e seu desempenho é essencialmente intangível. No caso das instituições de ensino, o produto é, na prática, um serviço. O setor de serviços tem se mostrado cada vez mais primordial para a economia, crescendo em importância e geração de renda. Dentro desta perspectiva, a gestão de serviços deve estar relacionada ao estudo da qualidade percebida por seus alunos. PROBLEMA O presente estudo busca avaliar a qualidade dos serviços prestados por uma Instituição de Ensino Superior por meio da percepção de seus alunos utilizando o modelo SERVQUAL como instrumento de pesquisa. Desta forma formula-se a seguinte questão norteadora. Existe diferença entre a percepção de qualidade do serviço prestado por uma Instituição de Ensino Superior entre os alunos das graduações dos cursos de administração e de comunicação? OBJETIVO GERAL Identificar as expectativas e as percepções dos alunos dos cursos de graduação em administração e em comunicação oferecidos por uma Instituição de Ensino Superior (IES). OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Identificar as expectativas dos alunos do curso de graduação em administração em relação a uma IES considerada de qualidade; 2

3 3 2. Identificar as expectativas dos alunos do curso de graduação em Comunicação em relação a uma IES considerada de qualidade; 3. Identificar as percepções dos alunos do curso de graduação em administração em relação a IES em que estudam; 4. Identificar as percepções dos alunos do curso de graduação em comunicação em relação a IES em que estudam; 5. Identificar se existe diferença de percepções sobre a qualidade do serviço ofertado pela IES em que estudam entre os dois grupos analisados. JUSTIFICATIVA De acordo com Zeithaml e Bitner (2003), conhecer o que o cliente deseja é um importante passo para que uma organização possa prestar um serviço de qualidade. Neste sentido, este trabalho busca avaliar a satisfação dos alunos dos cursos de administração e de comunicação ao que lhes é oferecido pela IES e, a partir dos resultados sugerir soluções de melhoria nas áreas com os menores índices de satisfação. Este tipo de trabalho, como proposto, nunca foi realizada na IES pesquisada e pode vir a auxiliar seus gestores em suas tomadas de decisão visando melhorar seu desempenho e aumentar a satisfação de seus alunos. REFERENCIAL TEÓRICO Marketing de Serviço Somente a partir de 1953 é que se tem notícia de estudos em relação à natureza de marketing de serviços, sendo que antes a ênfase era apenas em marketing de bens e produtos. Foi a partir da década de 1980, entretanto que foi definido finalmente um conceito de marketing de serviços, diferenciando-o do marketing de bens e serviços. Lovelock (2001, p. 2), define marketing de serviços como Serviço é um ato ou desempenho oferecido por uma parte a outra. Embora o processo possa estar ligado a um produto físico, o desempenho é essencialmente intangível e normalmente não resulta em propriedade de nenhum dos fatores de produção. Serviço são atividades econômicas que criam valor e fornecem benefícios para cliente em tempos e lugares específicos, como decorrência da realização de uma mudança desejada no ou em nome do destinatário do serviço. 3

4 4 Téboul (1999, p. 20) assim define serviço através de Grönroos: um serviço é uma série de atividades que normalmente acontece durante as interações entre cliente e estruturas, recursos humanos, bens e sistemas do fornecedor, com fins de atender a uma necessidade do cliente. Outra definição sobre serviços é de Kotler (1988, p. 191), "Serviço é qualquer atividade ou benefício que uma parte possa oferecer a outra, que seja essencialmente intangível e não resulte na propriedade de qualquer coisa. Sua produção pode estar ou não vinculada a um produto físico". Percebe-se nesse sentido algumas características sobre serviços que podem ser destacadas: Intangibilidade - não podem ser vistos nem sentidos antes de serem comprados. Variabilidade - são altamente variáveis, à medida que dependem de quem os executa e de quando e onde são executados. Inseparabilidade - são tipicamente produzidos e consumidos ao mesmo tempo, com a participação do cliente no processo. Perecibilidade - não é possível estocar os serviços. Cobra (1986) demonstra a diferença entre serviços e produtos. Quadro 1 - Diferenças entre Produtos e Serviços BENS/PRODUTOS SERVIÇOS 1- Os bens possuem formas tangíveis e podem ser facilmente definidos. 1- Os serviços são formas intangíveis, e não podem ser inspecionados. 2- São produzidos e posteriormente 2- São produzidos e consumidos consumidos. simultaneamente. 3- São padronizados e uniformes. 3- São menos padronizados e uniformes, pois são baseados em pessoas e em equipamentos. 4- Podem ser estocados fisicamente 4- São perecíveis e não podem ser para venda e consumo futuro. estocados fisicamente. 5- São protegidos por patentes. 5- São facilmente copiados e raramente podem ser protegidos por patentes. 6- É mais fácil estabelecer preços. 6- É mais difícil estabelecer preços. Fonte: Cobra (1986) apud Gouvêa e Yamauchi (1999, p. 3) Foi na década de 1980 que houve grandes estudos sobre marketing de serviços. A esse respeito, Lovelock (2001) argumenta: 4

5 5 Os anos 80 foram marcados pela crescente insatisfação do cliente com qualidade dos produtos e serviços. Muitos problemas com os produtos industrializados diziam respeito ao mau atendimento no ponto de compra a loja de varejo e a dificuldade na solução de problemas, obtenção de reembolsos ou reparos após a venda. Lovelock (2001) descreve ainda: Com a crescente consciência de que a melhoria da qualidade era boa para os negócios e necessária para a competição eficaz, ocorreu uma mudança radical no pensamento. Noções tradicionais de qualidade (baseadas na conformidade com padrões definidos por gerentes operacionais) foram substituídas pelo novo imperativo de deixar a qualidade ser dirigida pelo cliente, o que trouxe enormes conseqüências para a importância do marketing de serviços e o papel da pesquisa junto aos clientes. Numerosas organizações de serviço têm investido em pesquisas para determinar o que os clientes desejam em cada dimensão do serviço, em programas de melhoria da qualidade destinados a entregar aquilo que os clientes almejam e na avaliação contínua do grau de satisfação dos clientes com a qualidade do serviço recebido. (LOVELOCK, 2001, p ) Além das quatro características básicas já demonstradas anteriormente (intangibilidade, variabilidade, perecibilidade do resultado e simultaneidade de produção e consumo), Lovelock (2001, p. 17) listou nove diferenças básicas nas tarefas de marketing e serviços e bens específicos: Os clientes não têm propriedade sobre os serviços; Os produtos dos serviços são realizações intangíveis; Há maior envolvimento dos clientes no processo de produção; Outras pessoas podem fazer parte do produto; Há maior variabilidade nos insumos e produtos operacionais; Muitos serviços são de difícil avaliação pelos clientes; Normalmente há uma ausência de estoques; O fator tempo é relativamente mais importante; Os sistemas de entrega podem envolver canais eletrônicos e físicos; Nesse processo diferencial dos serviços, os quatro elementos estratégicos tradicionais (preço, praça (distribuição), produto e promoção (comunicação) precisam ter nova inclusão de elementos, conhecidos como o modelo 8 P s: Elementos do Produto, Lugar e Tempo, Processo, Produtividade, Qualidade, Pessoas, Promoção e Educação, Evidência Física, Preço e outros custos do serviço, utilizados para o marketing de serviços (LOVELOCK, 2001). É nesse processo que o marketing de serviços é importante para a empresa, uma vez que é ele quem vai dar o diferencial dessa, destacando-a frente 5

6 6 aos concorrentes. Entretanto, não se deve esquecer que o marketing de serviços tem características diferenciadas do marketing feito para produtos, e tem ênfase no prestador do serviço. Se uma empresa tem profissionais satisfeitos, bem treinados e produtivos; faz clientes satisfeitos com o desempenho de alta qualidade dos serviços, tornando-se leais. É feita então a fidelização do cliente através de sua qualidade, fazendo com o cliente volte a procurar o serviço. Kotler (1995 p. 459) acrescenta que "A chave é superar as expectativas dos clientes quanto á qualidade do serviço. [...] Conservar os clientes é a melhor medida de qualidade. O mundo globalizado em que vivemos traz mudanças rápidas e qualquer empresa precisa ser ágil em acompanhar o desenvolvimento, nesse sentido, as empresas devem investir em treinamento e desenvolvimento de profissionais. Principalmente porque os serviços têm diferenciais importantes dos produtos, demandando novos modelos gerenciais, diferentes dos aplicados em produto. Nesse processo, deve-se dar ênfase nesse setor que é tão diferenciado, promovendo uma mudança revolucionária na forma de se ver as empresas de serviço e como elas devem ser gerenciadas. Marketing Educacional O conceito de marketing vinculado à educação ainda é recente e muitas vezes não utilizado, principalmente no Brasil, uma vez que organizações no exterior (como em universidades americanas e européias) esse recurso é amplamente utilizado. Apesar disso, muitas das Instituições de Ensino Superior (IES) têm utilizado o marketing educacional de maneira consistente. É necessário um esforço para se desenvolver o marketing, uma vez que [...] é preciso um trabalho sério em relação ao Marketing, porque excessos de propagandas com promoções podem gerar uma imagem negativa das instituições e atrair público que não é o alvo, público que quando não tiver suas expectativas atendidas, se desligará das instituições. As instituições precisam investir em qualidade, através do Marketing. (SILVA, 2011) O fato de agora as IES estarem sendo avaliadas interfere no desejo da maioria de melhorar seu conceito e, portanto, utilizar o marketing educacional de maneira positiva. O conceito é tão novo que muitas IES acreditam que o Marketing não diz respeito ao seu produto/serviço. Mas como alertam Kotler e Fox (1994), Marketing é muito mais que isso. 6

7 7 Marketing é análise, planejamento, implementação e controle de programas cuidadosamente formulados para causar trocas voluntárias de valores com mercados-alvo e alcançar os objetivos institucionais. Marketing envolve programar as ofertas da instituição para atender às necessidades e aos desejos de mercados-alvo, usando preço, comunicação e distribuição eficazes para informar, motivar e atender a esses mercados. (KOTLER; FOX, 1994, p. 24) O fato é que as IES hoje não podem ignorar o marketing educacional, uma vez que com tanta concorrência para se manter no mercado de maneira competitiva essa ferramenta não é somente útil, mas também imprescindível. Apesar disso, existe ainda certo preconceito em relação ao marketing no ambiente acadêmico, que acredita que basta que a qualidade de ensino seja boa para a IES se manter no mercado. Eles acreditam que o Marketing dentro das instituições de ensino seria uma espécie de mercantilização do ensino. Infelizmente, as instituições de ensino também precisam de dinheiro para sobreviver, mas as técnicas de Marketing vão além de ganhar dinheiro. Usando estratégias de Marketing o administrador educacional, além de elaborar maneiras de atrair seu cliente e mantê-lo em sua instituição, vai atender melhor os alunos que já tem e chamar a atenção de futuros alunos. (SILVA, 2011) Mas há de se chamar atenção de que o marketing não realiza milagres, através de uma ação publicitária para atrair alunos. Colombo et al. (2004) demonstra que fazer Marketing educacional exige respeitar um calendário de ações estando presente o ano inteiro. Não existe, portanto, uma fórmula pronta para conquistar e manter alunos. Nesse processo demanda da IES uma disposição séria e de qualidade na prestação de serviços, capacitando os professores e funcionários, além de instalações adequadas demonstrando a qualidade da IES não somente em seu ensino, mas também em todo seu contexto. A principal tarefa do Marketing, na instituição educacional, é determinar as necessidades, os desejos e interesses de seu público-alvo e transformar essas ansiedades em serviços oferecidos, preservando, dessa maneira, seu aluno e captando novos, começando tudo com um planejamento, que é o primeiro passo do Marketing. (COLOMBO et al. 2004, p. 68) Outro fator a ser levado em conta é que as necessidades dos clientes mudam através do tempo, principalmente nessa sociedade globalizada atual. A Instituição precisa se adequar à sua missão encontrando equilíbrio em meio à competitividade do mercado. Existe no momento um crescimento acelerado e desordenado do ensino superior no Brasil, principalmente por causa da omissão do governo em relação ao ensino superior. Embora desde que o sistema de avaliação foi instituído o ensino superior esteja sendo mais valorizado. É por isso mesmo cabe 7

8 8 às IES fazerem esforços no intuito de melhorar seu atendimento e sua marca frente a seus clientes. METODOLOGIA A pesquisa desenvolvida neste trabalho foi de natureza quantitativa com abordagem descritiva. Foi desenvolvido um questionário baseado no modelo SERVQUAL, contendo 22 questões para expectativa e 22 questões para percepção em uma escala Likert de cinco pontos, apresentando em seus extremos: (1) Discordo completamente e (5) Concordo completamente. As dimensões pesquisadas pelo modelo SERVQUAL foram: (1) Tangibilidade, (2) Confiabilidade, (3) Atendimento, (4) Segurança e (5) Empatia. Foram entrevistados, durante o período de 18 a 22 de junho de 2013, 80 alunos de cada curso totalizando 160 alunos da IES. Determinação da população e da amostra A população deste trabalho está delimitada por todos os alunos matriculados nos cursos das graduações em Administração e Comunicação. A amostra a utilizada foi de 40% no curso de Administração e de 80% da população no curso de Comunicação e foi por conveniência. Malhotra (2004), explica que uma amostra por conveniência é menos dispendiosa e que consome menos tempo e, é útil para pesquisas descritivas, como é o caso deste trabalho. A escolha desse método foi o mais adequado por causa de questões de tempo e gastos durante a pesquisa. Coleta de dados A coleta de dados foi realizada em campo, por meio de entrevistas individuais com os alunos da IES pesquisada. O questionário será estruturado em duas partes: (1) Dados Demográficos (2) Avaliação da qualidade do serviço por meio do modelo SERVQUAL adaptado a Instituição de Ensino Superior. 8

9 9 ANÁLISE DOS DADOS Esta análise foi dividida em três partes. A primeira parte será a apresentação dos resultados do curso de Administração. A segunda parte apresentará os resultados do curso de comunicação e na parte terceira, um comparativo entre os cursos. Na dimensão Tangibilidade foram avaliadas as instalações (corredores, banheiros, elevadores, escadas), salas de aula, a biblioteca, os laboratórios de informática aparência dos funcionários e localização da IES. Na dimensão Confiabilidade foram avaliadas palestras, visitas técnicas, cursos de extensão, grade curricular, capacidade do corpo docente e habilidade de conduzir grupos do corpo docente. Foi pesquisado também o atendimento realizado pelos funcionários das IES, do corpo docente e da coordenação dos cursos na dimensão Atendimento. Na dimensão Segurança foi pesquisada a comunicação interna da IES, a dedicação, conhecimento teórico e prático do corpo docente, se as avaliações demonstram lisura e se as respostas dos funcionários da IES são corretas. Na dimensão Empatia, buscou-se saber se a IES compreende as necessidades dos alunos e se o corpo docente lhes dá a devida atenção. O resultado da SERVQUAL foi calculado por meio da diferença entre a Percepção dos alunos em relação à IES e suas Expectativas. SERVQUAL = Percepção - Expectativa O curso de administração apresentou os seguintes resultados. Quadro 2- Resultado da SERVQUAL do curso de Administração. Dimensão Conteúdo SERVQUAL Instalações -1,80 Biblioteca -2,12 Laboratório de Informática -1,66 Tangibilidade Salas de Aula -1,75 Aparência dos Funcionários -0,02 Localização da IES 0,51 Sub total -1,14 Confiabilidade Palestras 0,88 Visitas Técnicas -1,67 Cursos de Extensão -0,12 Grade Curricular 0,53 9

10 10 Capacidade do Corpo Docente 1,07 Habilidade de Conduzir Grupos do Corpo Docente 0,80 Sub Total 0,25 Atendimento Funcionários -2,06 Corpo Docente 0,45 Coordenação 0,43 Sub Total -0,39 Segurança Comunicação Interna -0,97 Dedicação do Corpo Docente 1,36 Conhecimento Teórico e Prático do Corpo Docente 1,87 Avaliações -0,34 Respostas dos Funcionários -0,17 Sub Total 0,35 Empatia Compreensão das Necessidades dos Alunos -1,01 Atenção do Corpo Docente -0,38 Sub Total -0,70 Total Geral -0,46 Fonte: Dados Primários A média geral da avaliação da pesquisa SERVQUAL em relação ao curso de Administração apresentou um resultado negativo de 0,46. As dimensões Tangibilidade (-1,14), Atendimento (-0,39) e Empatia (-0,70) apresentaram resultados insatisfatórios. Na dimensão Tangibilidade, o quesito Localização da IES foi o único a apresentar um resultado positivo (0,51). E a Biblioteca obteve o pior resultado (2,12) nos itens avaliados. Percebe-se que a expectativa pelo atendimento dos funcionários foi muito superior a percepção do serviço prestado (-2,06) o que resultou numa avaliação insatisfatória desta dimensão, mesmo tendo os outros dois quesitos apresentado resultados positivos. Os dois itens pesquisados na dimensão Empatia obtiveram resultados insatisfatório, principalmente em relação a Compreensão das Necessidades dos Alunos (-1,01). 10

11 11 Em relação as dimensões Confiabilidade (0,25) e Segurança (0,35), notase que as expectativas dos alunos foi atendida e superada. Mesmo tendo uma avaliação positiva, a dimensão Confiabilidade apresentou os quesitos Visitas Técnicas (-1,67) e Cursos de Extensão (-0,12) com resultados negativos. Em relação a segurança que os alunos tem com a IES, os quesitos relacionados ao corpo docente é que apresentaram resultados positivos enquanto a Comunicação Interna da IES apresentou o resultado mais baixo (-0,97). O curso de Comunicação da IES apresentou como resultado o que consta no Quadro 2 Quadro 3- Resultado da SERVQUAL do curso de Comunicação. Dimensão Conteúdo SERVQUAL Instalações -1,74 Biblioteca -2,02 Laboratório de Informática -0,87 Tangibilidade Salas de Aula -1,77 Aparência dos Funcionários 0,76 Localização da IES 1,14 Sub total -0,75 Confiabilidade Palestras 0,41 Visitas Técnicas -0,35 Cursos de Extensão -0,12 Grade Curricular 0,61 Capacidade do Corpo Docente 0,76 Habilidade de Conduzir Grupos do Corpo Docente 0,34 Sub Total 0,28 Atendimento Funcionários -1,71 Corpo Docente 0,52 Coordenação 0,32 Sub Total -0,29 Segurança Comunicação Interna -1,20 Dedicação do Corpo Docente 1,17 Conhecimento Teórico e Prático do Corpo Docente 1,68 Avaliações -0,52 Respostas dos Funcionários -0,12 Sub Total 0,20 11

12 12 Empatia Compreensão das Necessidades dos Alunos -1,61 Atenção do Corpo Docente -0,20 Sub Total -0,91 Total Geral -0,37 Fonte: Dados Primários A média geral da avaliação da pesquisa SERVQUAL em relação ao curso de Comunicação apresentou um resultado negativo de 0,37. As dimensões Tangibilidade (-0,75), Atendimento (-0,29) e Empatia (-0,91) apresentaram resultados insatisfatórios. Na dimensão Tangibilidade, o quesito Localização da IES e aparência dos funcionários apresentaram resultados positivos (1,14) e (0,76) respectivamente. Percebe-se que a expectativa pelo atendimento dos funcionários foi superior a percepção do serviço prestado o que resultou numa avaliação insatisfatória desta dimensão (-0,29), mesmo sendo positiva a avaliação do atendimento do corpo docente e da coordenação de curso. Os dois itens pesquisados na dimensão Empatia obtiveram resultados insatisfatório, principalmente em relação a Compreensão das Necessidades dos Alunos (-1,61). Em relação as dimensões Confiabilidade (0,28) e Segurança (0,20), notase que as expectativas dos alunos foi atendida. Mesmo tendo uma avaliação positiva, a dimensão Confiabilidade apresentou dois quesitos com resultados negativos - Visitas Técnicas (-0,35) e Cursos de Extensão (-0,12). Em relação a segurança que os alunos tem com a IES, o quesito Comunicação Interna da IES apresentou o resultado mais baixo (-1,61), enquanto os relacionados ao corpo docente apresentaram resultados positivos. CONSIDERAÇÕES FINAIS Percebe-se que não há grande diferença nos resultados da pesquisa Servqual nos dois cursos. A pontuação geral, das percepções dos alunos dos dois cursos, está abaixo das expectativas que estes têm da IES (-0,46 e -0,37). As dimensões tangibilidade, atendimento, empatia apresentaram um resultado 12

13 13 insatisfatório, enquanto as dimensões confiabilidade e segurança apresentaram resultados positivos. Diante desse resultado, a IES deve desenvolver um plano de ação corretivo para melhorar a percepção de seus alunos nas dimensões em que suas expectativas não foram atendidas. De acordo com Zeithaml e Bitner (2003), conhecer o que o cliente deseja é um importante passo para que uma organização possa prestar um serviço de qualidade. REFERÊNCIAS COBRA, Marcos. Marketing de serviços: conceitos e estratégias. São Paulo, McGraw-Hill do Brasil, COBRA, Marcos; BRAGA, Ryon. Marketing Educacional: ferramentas de gestão para instituições de ensino. São Paulo: Cobra Editora, 2004 COLOMBO, Sonia Simões (Org). Gestão educacional: uma nova visão. Porto Alegre: Artmed, KOTLER, Philip. Marketing. ed. Comp. São Paulo: Atlas, 1988 KOTLER, Philip. Administração de Marketing. Análise, Planejamento, Implementação e Controle. 4a. Edição, São Paulo, Atlas, KOTLER, Philip e FOX, Karen F. A. Marketing Estratégico para Instituições Educacionais. São Paulo: Atlas, LOVELOCK, Christopher. Serviços: marketing e gestão. São Paulo: Saraiva, MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, SILVA, Regiane Apolinario da, Reflexões sobre o marketing educacional nos tempos da educação a distância. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Centro Universitário Claretiano, Batatais, Disponível em acesso em 23 de abr. de TÉBOUL,James. A era dos serviços: uma nova abordagem ao gerenciamento. Rio de Janeiro: Qualitymark,1999 ZEITHAML, V. A.; BITNER, M. J. Marketing de Serviços: A Empresa com Foco no Cliente. 2ª Edição. Porto Alegre: Bookman,

XVII Semana do Administrador do Sudoeste da BahiaISSN: 2358-6397 O Administrador da Contemporaneidade: desafios e perspectivas

XVII Semana do Administrador do Sudoeste da BahiaISSN: 2358-6397 O Administrador da Contemporaneidade: desafios e perspectivas A influência do endomarketing para a melhoria do ambiente organizacional: case faculdade Guanambi. Autoria: Fabrício Lopes Rodrigues 1 e Rogério Santos Marques 2 1 UNEB, E-mail: fabriciolopesr@hotmail.com

Leia mais

SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP.

SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP. SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP. Andressa Caroline Pereira Rufino Discente do 2º ano do curso de Administração FITL/AEMS Patrícia de Oliveira Docente das Faculdades

Leia mais

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ XXVIENANGRAD AVALIAÇÃO DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA AMAZÔNIA SETENTRIONAL: UM LEVANTAMENTO ACERCA DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA REGIÃO CENTRAL DE BOA VISTA Juliana Matos Eduardo Codevilla Soares

Leia mais

A IMAGEM INSTITUCIONAL DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO DECORRENTE DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

A IMAGEM INSTITUCIONAL DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO DECORRENTE DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR 3 A IMAGEM INSTITUCIONAL DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO A IMAGEM INSTITUCIONAL DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO DECORRENTE DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR

Leia mais

ENDOMARKETING COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO EM UMA USINA DE AÇÚCAR E ALCOOL EM CASTILHO/SP

ENDOMARKETING COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO EM UMA USINA DE AÇÚCAR E ALCOOL EM CASTILHO/SP ENDOMARKETING COMO ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO EM UMA USINA DE AÇÚCAR E ALCOOL EM CASTILHO/SP FERNANDA THAMIRES ULISSES BACURAU Discente do Curso de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos das Faculdades

Leia mais

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3.

TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1. Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. TREINAMENTO SOBRE PRODUTOS PARA VENDEDORES DO VAREJO COMO ESTRATÉGIA PARA MAXIMIZAR AS VENDAS 1 Liane Beatriz Rotili 2, Adriane Fabrício 3. 1 Pesquisa realizada no curso de Administração da Unijuí 2 Aluna

Leia mais

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS

TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO À QUALIDADE DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA UNIJUÍ

A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO À QUALIDADE DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DA UNIJUÍ !"#! $&%(')%(*,+.- /10.2)%4365879%4/1:.*,58;.2)=?5.@A2)3B;.- C(D 5.+.5FE(5.G.* %4- 'IHJ%?+.* /?=(5.KA:.*,5MLN%OHJ5F%4E(2)EOHJ%('IHJ/(G.- D - ;./(;.% A PERCEPÇÃO DOS ALUNOS EM RELAÇÃO À QUALIDADE DOS

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Marketing Institucional: Uma comparação das estratégias da divulgação do vestibular

Marketing Institucional: Uma comparação das estratégias da divulgação do vestibular Marketing Institucional: Uma comparação das estratégias da divulgação do vestibular Resumo Para as instituições de ensino superior que buscam a permanência no mercado competitivo, a prática do marketing

Leia mais

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas Publicado em XXXXX Data: XX/XX/XXXX 1. Introdução É evidente a necessidade de interação

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR NA ESCOLHA DE UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR (IES) Pós-Graduação Master em Marketing - Centro Universitário Ritter dos Reis/RS Alexandre Martins Marques Administrador com

Leia mais

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF.

RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. RECONHECIMENTO, OPORTUNIDADES E AUTONOMIA COMO FATOR MOTIVACIONAL. UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF. Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline

Leia mais

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA

TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA 1 TÉCNICA DE VENDAS: UMA ABORDAGEM DIRETA Alan Nogueira de Carvalho 1 Sônia Sousa Almeida Rodrigues 2 Resumo Diversas entidades possuem necessidades e interesses de negociações em vendas, e através desses

Leia mais

TÍTULO: PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL COLABORADOR(ES): MARINÊS ELISA SALAMI, NEIVA ISOLETE DOS SANTOS THEISEN

TÍTULO: PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL COLABORADOR(ES): MARINÊS ELISA SALAMI, NEIVA ISOLETE DOS SANTOS THEISEN Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PERFIL DOS ALUNOS INGRESSANTES NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas

Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Gestão da qualidade em serviços: um estudo de caso em microempresas do ramo de oficinas mecânicas Eunice Zucchi (CESCAGE) eunicezucchi@gmail.com Balduir Carletto (CESCAGE) bcarletto@uol.com.br Camila Lopes

Leia mais

A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS

A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS 1 A METODOLOGIA DA PESQUISA DE MERCADOAPLICADA À PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Maria Lúcia Ribeiro Da COSTA 1 João Cezario Giglio MARQUES 2 RESUMO: O estudo e a pesquisa de mercado

Leia mais

Item 2 - Marketing. Item 2.2- Marketing em empresas de serviços

Item 2 - Marketing. Item 2.2- Marketing em empresas de serviços Item 2 - Marketing Item 2.2- Marketing em empresas de serviços Item 2 - Marketing Item 2.2 - Marketing em empresas de serviços: SETOR DE SERVIÇOS Item 2 - Marketing Item 2.2 - Marketing em empresas de

Leia mais

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Avaliação Econômica como instrumento para o aprimoramento da gestão das ações sociais 26/09/2013 Fundação

Leia mais

Palestra de Philip Kotler - Tecnologia

Palestra de Philip Kotler - Tecnologia Palestra de Philip Kotler Tecnologia Pesquisa de Mercado, Treinamento de Vendas, Consultoria em Marketing SMGShare Marketing Group Por Helton Haddad Em uma excelente palestra, a autoridade de marketing

Leia mais

O ATENDIMENTO COMO DIFERENCIAL PARA A UNIMED NOROESTE/RS FIDELIZAR E AMPLIAR O NÚMERO DE CLIENTES ELISANDRA LIMA BALDISSERA. Orientador: Marcelo Blume

O ATENDIMENTO COMO DIFERENCIAL PARA A UNIMED NOROESTE/RS FIDELIZAR E AMPLIAR O NÚMERO DE CLIENTES ELISANDRA LIMA BALDISSERA. Orientador: Marcelo Blume 1 UNIJUÍ DACEC Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação Curso Pós-Graduação Lato Sensu em Gestão

Leia mais

A influência da Tecnologia da Informação e Telecomunicação na Contabilidade - A Era do Contador Digital

A influência da Tecnologia da Informação e Telecomunicação na Contabilidade - A Era do Contador Digital A influência da Tecnologia da Informação e Telecomunicação na Contabilidade - A Era do Contador Digital Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes Brayan Christian B. de Oliveira Abril 2012 Introdução

Leia mais

FACULDADE NOVOS HORIZONTES

FACULDADE NOVOS HORIZONTES 1 FACULDADE NOVOS HORIZONTES ANÁLISE DE DESEMPENHO DE UM DOCENTE DA DISCIPLINA FINANÇAS INTERNACIONAIS, NUMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR PRIVADA DE BELO HORIZONTE. Wendel Alex Castro Silva Doutor em

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO Rebecca Pires dos Santos (UFPE) rebecca.piress@hotmail.com Marcella Brito Galvao (UFPE) marcella_brito@yahoo.com.br

Leia mais

Se pudéssemos resumir em tópicos alguns conceitos apresentados na Palestra poderíamos citar os seguintes:

Se pudéssemos resumir em tópicos alguns conceitos apresentados na Palestra poderíamos citar os seguintes: Palestra de Philip Kotler Por Helton Haddad Além de ser um valioso aprendizado em termos de conhecimentos, este evento nos traz a certeza de cada vez mais, as empresas precisam agilizar e acelerar suas

Leia mais

A PEDAGOGIA EMPRESARIAL E A GESTÃO ESTRATÉGICA NA EMPRESA

A PEDAGOGIA EMPRESARIAL E A GESTÃO ESTRATÉGICA NA EMPRESA A PEDAGOGIA EMPRESARIAL E A GESTÃO ESTRATÉGICA NA EMPRESA Luciano Matos Nobre1 Autor Universidade Tiradentes nobre_matos_luciano@yahoo.com.br Marisa Marchi Uchôa Espindola2 Co-autora Universidade Tiradentes

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA ESCOLA CONTEMPORÂNEA: NOVOS DESAFIOS DA CARREIRA DOCENTE Resumo O estudo objetiva discutir os desafios dos cursos de formação de professores frente à inserção

Leia mais

A QUESTÃO ÉTNICO-RACIAL NA ESCOLA: REFLEXÕES A PARTIR DA LEITURA DOCENTE

A QUESTÃO ÉTNICO-RACIAL NA ESCOLA: REFLEXÕES A PARTIR DA LEITURA DOCENTE A QUESTÃO ÉTNICO-RACIAL NA ESCOLA: REFLEXÕES A PARTIR DA LEITURA DOCENTE Kallenya Kelly Borborema do Nascimento 1 Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) E-mail: kallenyakelly2@hotmail.com Patrícia Cristina

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES

AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES 152 AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: instrumento norteador efetivo de investimentos da IES Silvana Alves Macedo 1 Reginaldo de Oliveira Nunes 2 RESUMO O processo da Auto-Avaliação Institucional ainda é um

Leia mais

Logística e Valor para o Cliente 1

Logística e Valor para o Cliente 1 1 Objetivo da aula Esta aula se propõe a atingir os seguintes objetivos: 1. Discutir a importância do gerenciamento da interface entre marketing e logística. 2. Reconhecer a necessidade de entender os

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 1S - 2011 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

PLANO DE ENSINO - 1S - 2011 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS PLANO DE ENSINO - 1S - 2011 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO: Curso Superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários TURNO: Noturno DISCIPLINA: Gestão Mercadológica de Vendas SEMESTRE: 3º semestre

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Desenvolvimento e Capacitação de Servidores Públicos

Desenvolvimento e Capacitação de Servidores Públicos Desenvolvimento e Capacitação de Servidores Públicos I-Organização da Administração Pública A vida da sociedade organizada pressupõe uma organização racional do trabalho, constituída de uma hierarquia

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Título da Pesquisa: Palavras-chave: Campus: Tipo Bolsa Financiador Bolsista (as): Professor Orientador: Área de Conhecimento: Resumo INTRODUÇÃO:

Título da Pesquisa: Palavras-chave: Campus: Tipo Bolsa Financiador Bolsista (as): Professor Orientador: Área de Conhecimento: Resumo INTRODUÇÃO: Título da Pesquisa: Análise da gestão financeira e previsão de liquidez em micro e pequenas empresas da Região Metropolitana de Belo Horizonte Palavras-chave: Risco de liquidez, gestão financeira de curto

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE.

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. Jander Neves 1 Resumo: Este artigo foi realizado na empresa Comercial Alkinda, tendo como objetivo

Leia mais

Área: Educação. Curso: Especialização lato sensu em Gestão Educacional. Apresentação: Público alvo: Objetivo: Carga horária: Horário:

Área: Educação. Curso: Especialização lato sensu em Gestão Educacional. Apresentação: Público alvo: Objetivo: Carga horária: Horário: Área: Educação Curso: Especialização lato sensu em Gestão Educacional Apresentação: A Escola Superior Batista do Amazonas (ESBAM) por meio da Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação oferece o Curso de

Leia mais

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS

ELEMENTOS DO PLANO DE NEGÓCIOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ - CAMPUS DE PARNAÍBA CURSO: Técnico em Informática DISCIPLINA: Empreendedorismo PROFESSORA: CAROLINE PINTO GUEDES FERREIRA ELEMENTOS DO PLANO

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP)

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP) 1 O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP) São Carlos - SP - maio/2015 Daniela Salgado Gonçalves da Silva - UFSCar - danisalgadoead@gmail.com Glauco

Leia mais

Os 4 P s. P de PRODUTO

Os 4 P s. P de PRODUTO Os 4 P s P de PRODUTO O que é um Produto? Produto é algo que possa ser oferecido a um mercado para aquisição, uso ou consumo e que possa satisfazer a um desejo ou necessidade. Os produtos vão além de bens

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 RESUMO Diversos profissionais relatam dificuldades em coordenar adequadamente projetos sob sua responsabilidade. Muitos fatores que influenciam

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

Otimizada para Crescimento:

Otimizada para Crescimento: Quinta Pesquisa Anual de Mudança na Cadeia de Suprimentos RESUMO REGIONAL: AMÉRICA LATINA Otimizada para Crescimento: Executivos de alta tecnologia se adaptam para se adequar às demandas mundiais INTRODUÇÃO

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: ENTRE A POLÍTICA E A PRÁTICA

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: ENTRE A POLÍTICA E A PRÁTICA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: ENTRE A POLÍTICA E A PRÁTICA Fernanda Araujo Coutinho Campos 1 Hormindo P. de Souza Junior 2 RESUMO Este artigo apresenta parte dos

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

O ENSINO DA CIÊNCIA CONTÁBIL EM QUESTÃO: UMA ANÁLISE NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DE MINAS GERAIS

O ENSINO DA CIÊNCIA CONTÁBIL EM QUESTÃO: UMA ANÁLISE NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DE MINAS GERAIS V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 3 a 6 de outubro de 007 O ENSINO DA CIÊNCIA CONTÁBIL EM QUESTÃO: UMA ANÁLISE NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DE MINAS GERAIS João Paulo

Leia mais

Metodologias de Apoio ao Planejamento Estratégico. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Metodologias de Apoio ao Planejamento Estratégico. Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Metodologias de Apoio ao Planejamento Estratégico Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Análise Ambiental Análise Ambiental : Matriz SWOT A sigla SWOT Ambiente

Leia mais

DENIZE DIETER NICHTERWITZ SATISFAÇÃO DOS CLIENTES NA ÓPTICA MIRIAN

DENIZE DIETER NICHTERWITZ SATISFAÇÃO DOS CLIENTES NA ÓPTICA MIRIAN 0 UNIJUÍ Universidade Regional do Noroeste do Rio Grande do Sul DACEC Departamento de Ciências Administrativas, Contábeis, Econômicas e da Comunicação Curso de Administração Bacharelado modalidade presencial

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS. Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Prof. Líslei

GESTÃO DE SERVIÇOS. Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Prof. Líslei GESTÃO DE SERVIÇOS Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Conceito de Serviço Serviço é qualquer ato ou desempenho, essencialmente intangível, que uma parte pode oferecer

Leia mais

Propostas de melhorias da qualidade no processo de prestação de serviços de topografia: um estudo de caso

Propostas de melhorias da qualidade no processo de prestação de serviços de topografia: um estudo de caso Propostas de melhorias da qualidade no processo de prestação de serviços de topografia: um estudo de caso Cristiana Guimarães Cunha (FEAMIG) cristiguimaraes@yahoo.com.br Gislaine Barbosa Nascimento (FEAMIG)

Leia mais

Anais da Jornada Científica Integração: Educação, Sociedade e Tecnologia

Anais da Jornada Científica Integração: Educação, Sociedade e Tecnologia MARKETING DE RELACIONAMENTO UTILIZADO COMO FERRAMENTA PARA APRIMORAR A RELAÇÃO ENTRE O PÚBLICO INTERNO: ESTUDO DE CASO REALIZADO NA EMPRESA DALCAR NA CIDADE DE BACABAL MA MOURA, Íthalo Bruno Grigório de

Leia mais

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade I MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade I MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino O que é varejo Setor do comércio que vende diretamente para os consumidores finais. Fabricantes e atacadistas quando vendem para o consumidor

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

1 Introdução 1.1 O problema

1 Introdução 1.1 O problema 1 Introdução 1.1 O problema Em nossa sociedade globalizada, pode-se verificar um aumento da importância do conhecimento e das tecnologias de informação e comunicação, fator diretamente relacionado à competitividade

Leia mais

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA DA ESCOLA DE APLICAÇÃO DA UFPA: REPERCUSSÕES OBSERVADAS NA ESTRUTURA CURRICULAR

POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA DA ESCOLA DE APLICAÇÃO DA UFPA: REPERCUSSÕES OBSERVADAS NA ESTRUTURA CURRICULAR POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA DA ESCOLA DE APLICAÇÃO DA UFPA: REPERCUSSÕES OBSERVADAS NA ESTRUTURA CURRICULAR Denise Soares da Silva Alves- EAUFPA Deusa Priscila da Silva Resque- EAUFPA Renata Oliveira

Leia mais

FACITEC Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico

FACITEC Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico FACITEC Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas IESST Instituto de Ensino Superior Social e Tecnológico PLANO DE ENSINO Administração em Comunicação Credenciada pelas Portarias MEC 292, de 15.02.2001

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROMOTOR DE VENDAS

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROMOTOR DE VENDAS Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO PROMOTOR DE VENDAS Belo Horizonte

Leia mais

POR UMA EAD INCLUSIVA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES.

POR UMA EAD INCLUSIVA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES. 1 POR UMA EAD INCLUSIVA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES. Indaial, Maio, 2011. Tatiana dos Santos da Silveira - UNIASSELVI silsa@terra.com.br Educação Universitária Nível Meso Gerenciamento, Organização e Tecnologia

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Administração Mercadológica I Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 5 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito de Marketing.

Leia mais

Fanor - Faculdade Nordeste

Fanor - Faculdade Nordeste Norma 025: Projeto de Avaliação Institucional Capítulo I Disposições Gerais A avaliação institucional preocupa-se, fundamentalmente, com o julgamento dos aspectos que envolvem a realidade interna e externa

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL

A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A PARTICIPAÇÃO DOS ENGENHEIROS DE PRODUÇÃO NA GESTÃO AMBIENTAL EMPRESARIAL Júlio César de Almeida (FASA) julioc.almeida@hotmail.com Gisele Figueiredo Braz

Leia mais

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE TÉCNICA DO SETOR PÚBLICO NBCT (IPSAS)

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE TÉCNICA DO SETOR PÚBLICO NBCT (IPSAS) NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE TÉCNICA DO SETOR PÚBLICO NBCT (IPSAS) Temas para Discussão 1) DISPOSIÇÕES GERAIS 2) DEFINIÇÕES GERAIS 3) CARACTERÍSTICAS E ATRIBUTOS DA INFORMAÇÃO DE CUSTOS 4) EVIDENCIAÇÃO

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

A DANÇA E O DEFICIENTE INTELECTUAL (D.I): UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA À INCLUSÃO

A DANÇA E O DEFICIENTE INTELECTUAL (D.I): UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA À INCLUSÃO A DANÇA E O DEFICIENTE INTELECTUAL (D.I): UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA À INCLUSÃO CARNEIRO, Trícia Oliveira / Centro Universitário Leonardo da Vinci SODRÉ, Marta Patrícia Faianca / Universidade do Estado do

Leia mais

ENTENDENDO A CLASSIFICAÇÃO DAS IES NO BRASIL. Vanessa Edy Dagnoni Mondini Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB

ENTENDENDO A CLASSIFICAÇÃO DAS IES NO BRASIL. Vanessa Edy Dagnoni Mondini Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB ENTENDENDO A CLASSIFICAÇÃO DAS IES NO BRASIL Vanessa Edy Dagnoni Mondini Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB Maria José Carvalho de Souza Domingues Programa de Pós-Graduação em Administração/FURB

Leia mais

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012 Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil julho 2012 Metodologia e Perfil de Entrevistados Método Amostra por conveniência Questionário (quantitativo)

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA Karine Gantes Monteiro (kahh_gtm@hotmail.com) 1 Márcia Lorena Martinez (marcialorenam@hotmail.com) 2 Thaís Gonçalves D Avila (thais.avila@ig.com.br) 3 Vagner

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

Estratégias operacionais para serviços de alimentação

Estratégias operacionais para serviços de alimentação Estratégias operacionais para serviços de alimentação 5.1. Dimensionamento da capacidade. 5.2. Decisão sobre localização. 5.3. Decisão sobre os processos operacionais. 5.4. Definição dos fornecedores.

Leia mais

RESUMO. Autora: Juliana da Cruz Guilherme Coautor: Prof. Dr. Saulo Cesar Paulino e Silva COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA

RESUMO. Autora: Juliana da Cruz Guilherme Coautor: Prof. Dr. Saulo Cesar Paulino e Silva COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA 1 A IMPORTÂNCIA DO CURRÍCULO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES E O PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES PEDAGÓGICAS PARA ALUNOS COM SÍNDROME DE DOWN EM CENÁRIOS DE DIVERSIDADE 1 Autora: Juliana da Cruz Guilherme Coautor:

Leia mais

Palavras-chave: Ambiente de aprendizagem. Sala de aula. Percepção dos acadêmicos.

Palavras-chave: Ambiente de aprendizagem. Sala de aula. Percepção dos acadêmicos. PERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA UENP, EM RELAÇÃO AOS ASPECTOS QUE CARACTERIZAM UM AMBIENTE FAVORECEDOR DA APRENDIZAGEM RESUMO Maria Cristina SIMEONI 1 Este resumo

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NAI É preciso avaliar para aprimorar CONSIDERAÇÕES INICIAIS A UNISANTA desenvolveu,

Leia mais

AUTARQUIA DE ENSINO SUPERIOR DE GARANHUNS - AESGA FACULDADE DE CIENCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE GARANHUNS - FAGA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

AUTARQUIA DE ENSINO SUPERIOR DE GARANHUNS - AESGA FACULDADE DE CIENCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE GARANHUNS - FAGA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AUTARQUIA DE ENSINO SUPERIOR DE GARANHUNS - AESGA FACULDADE DE CIENCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE GARANHUNS - FAGA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARKETING II EMPRESA DE CONSULTORIA E TREINAMENTO DE PESSOAL HEIDY VANESSA

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA NO CONTEXTO DAS AVALIAÇÕES DO MEC: uma reflexão

A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA NO CONTEXTO DAS AVALIAÇÕES DO MEC: uma reflexão PÔSTER EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Biblioteconomia baseada em evidências A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA NO CONTEXTO DAS AVALIAÇÕES DO MEC: uma reflexão BAPTISTA, R. 1 RUEDA, D. 2 SANTOS,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇÃO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

Leia mais

A importância do treinamento em grandes corporações: Um estudo de caso na empresa Schincariol

A importância do treinamento em grandes corporações: Um estudo de caso na empresa Schincariol 1 A importância do treinamento em grandes corporações: Um estudo de caso na empresa Schincariol RESUMO Bruna Aparecida Pereira RAYMUNDO 1 Cristiane Aparecida RABELO 2 Emerson Pallotta RIBEIRO 3 Humberto

Leia mais

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico

Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Pós-Graduação em Gestão de Negócios com Ênfase em Mercado Farmacêutico Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2016 Apresentação O Sindusfarma deseja oferecer aos seus associados à possibilidade de

Leia mais

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna A importância dos RECURSOS HUMANOS na empresa moderna Organizações: cenário atual Empresas vêm passando por impactos revolucionários: Dimensão globalizada Aumento da competitividade Mudanças constantes

Leia mais

RESOLUÇÃO. Redação dada pela Res. CONSEPE 42/2003, de 29 de outubro de 2003.

RESOLUÇÃO. Redação dada pela Res. CONSEPE 42/2003, de 29 de outubro de 2003. RESOLUÇÃO CONSEPE 55/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE PEDAGOGIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

PANORAMA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO E O BRASIL: CENÁRIOS E PERSPECTIVAS

PANORAMA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO E O BRASIL: CENÁRIOS E PERSPECTIVAS PANORAMA MUNDIAL DA EDUCAÇÃO E O BRASIL: CENÁRIOS E PERSPECTIVAS Márcio de Souza Pires, Dr.¹ A educação mundial é fortemente analisada e acompanhada por importantes instituições, em busca de avanços no

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Palavras chave: texto, gêneros textuais, ensino, PCN, educação.

Palavras chave: texto, gêneros textuais, ensino, PCN, educação. Karen Alves de Andrade 1 RESUMO A inserção dos gêneros textuais no ensino vem mudando a dinâmica da educação em língua portuguesa em nosso país. A importância de se trabalhar a língua em uso, através de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-2 DISCIPLINA: Experiências de Aprendizagem em Gestão Educacional JP0016 PROFESSOR: Ms. Elbio Gerardo Silveira Ramos I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária

Leia mais

APLICAÇÃO DOS 5 S EM OPERADORES LOGÍSTICOS

APLICAÇÃO DOS 5 S EM OPERADORES LOGÍSTICOS APLICAÇÃO DOS 5 S EM OPERADORES LOGÍSTICOS RESUMO Williana de Souza Costa 1 Bruno de Araújo Santos 2 Carlos Alberto dos Santos Júnior 3 Jean Karlos Gouveia Januário 4 Natália dos Santos Pessoa 5 Osmar

Leia mais

PROVÃO DE ADMINISTRAÇÃO

PROVÃO DE ADMINISTRAÇÃO ALTERAÇÕES, EFEITOS E INFLUÊNCIAS DO PROVÃO DE ADMINISTRAÇÃO A opinião dos Coordenadores dos cursos de graduação MARÇO/2003 i Prezados Coordenadores de cursos de Administração, Apresentamos a seguir o

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS

PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS PROPOSTA DE UM MODELO DE ANÁLISE ESTRATÉGICA COM ENFOQUE EM MARKETING PARA EMPRESAS DE SERVIÇOS Rogério Chimionato Escola de Engenharia de São Carlos - USP - Área de Engenharia de Produção - Av. Dr. Carlos

Leia mais

NOME DA DISCIPLINA: QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS

NOME DA DISCIPLINA: QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 1- IDENTIFICAÇÃO CARGA HORÁRIA SEMANAL: 2 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 PERÍODO: NOTURNO NOME DA DISCIPLINA: QUALIDADE E PRODUTIVIDADE NOME DO CURSO: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PETRÓLEO E GÁS 2- EMENTA Analisar,

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER C. Bringhenti, M. Eng.* E. M. Lapolli, Dra.** G. M. S. Friedlaender, M. Eng* * Doutorandos do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais