S is t emas de. R. Boczko IAG - USP

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "S is t emas de. R. Boczko IAG - USP"

Transcrição

1 S is t emas de Coordenadas em As t ronomia R. Boczko IAG - USP

2 Dia

3 Movimento diurno aparente do Sol Meio-dia Zênite Nascer PS Horizonte Ocaso

4 PN Movimento Sol de Rotação da Terra PS Sol Sol

5 Estrela distante Dia Solar e Dia Sideral Sol 24h00m00s (Dia Solar) Rotação da Terra 23h56m04s (Dia Sideral)

6 Pontos Cardeais

7 Nascer do Sol Leste é o ponto onde o Sol nasce. (?!?)

8 Determinação do meridiano ( Sombra mínima ) Gnômon Nascente Meridiano Linha do Meio-dia Ocaso

9 Pontos ou Direções Cardeais Ponto Leste Nascente Ponto Norte Meridiano Ponto Sul Ponto Oeste Ocaso

10 Sistema Altazimutal

11 Coordenadas Altazimutais Zênite L z N A Horizonte h S W A = azimute h = altura z = distância zenital Nadir A,h A,z

12 A Esfera Celeste

13 Movimento noturno aparente olhando ao Sul 20 horas 22 horas 24 horas Pólo Sul Sul Leste Oeste Chão

14 Movimento noturno aparente de uma estrela circumpolar norte Pólo Norte Norte Oeste Leste

15 Esfera Celeste PNC Eixo de rotação PN PS Equador PSC

16 A esfera e os planos paralelos Eixo Plano Círculo Plano Círculo Plano Círculo

17 Pontos cardeais a partir do Cruzeiro do Sul Pólo Sul Horizonte Sul Leste Oeste

18 A Esfera Terrestre

19 Latitude ϕ e Longitude λ PN Greenwich ϕ λ Equador ϕ < 0 PS

20 Sistema Equatorial

21 Sistema Equatorial de Coordenadas PN p δ (α, δ ) α = ascensão reta δ = declinação p = distância polar Equador PS γ α p + δ = 90 0

22 Sistema Horário

23 Horizonte Sistema Horário de Coordenadas Z PN L N δ H S H = ângulo horário Equador W δ = declinação ( H, δ )

24 Ano

25 Sol Primitivo Ano das Estações Gnômon Norte IV IP Primavera Verão IO Inverno Outono II Sul Ano das Estações ~ 365 dias

26 12 11 Trajetórias diurnas do Sol Verão 15 7 Inverno 16 7 Leste 6 5 Norte 17 Sul Oeste 19

27 Movimento aparente do sol com relação às constelações

28 Horizonte visto no crepúsculo Lib Vir 1

29 Horizonte visto no crepúsculo Lib Vir

30 Horizonte visto no crepúsculo Lib Vir

31 Horizonte visto no crepúsculo Esc Lib Vir

32 Horizonte visto no crepúsculo Esc Lib Vir

33 Horizonte visto no crepúsculo Esc Lib Vir

34 Horizonte visto no crepúsculo Esc Lib 2

35 Horizonte visto no crepúsculo Sag Esc 3

36 Horizonte visto no crepúsculo Cap Sag 4

37 Horizonte visto no crepúsculo Aqu Cap 5

38 Horizonte visto no crepúsculo Pei Aqu 6

39 Horizonte visto no crepúsculo Ári Pei 7

40 Horizonte visto no crepúsculo Tou Ári 8

41 Horizonte visto no crepúsculo Gêm Tou 9

42 Horizonte visto no crepúsculo Cân Gêm 10

43 Horizonte visto no crepúsculo Leã Cân 11

44 Horizonte visto no crepúsculo Vir Leã 12

45 Horizonte visto no crepúsculo Lib Vir 1

46 Sol Terra Movimento anual aparente do Sol pelas constelações zodiacais Constelações Zodiacais

47 Eclíptica: Trajetória anual aparente do Sol Ω PN Eixo de rotação Eclíptica γ Equador PS

48 Explicação do Movimento Anual Aparente do Sol pelas Constelações Zodiacais Gêm Tou Terra Terra Ari Terra Terra Movimento de translação da Terra em torno do Sol Terra Pei Aqu Cân Terra Terra Sol Terra Terra Cap Leã Terra Terra Sag Visão heliocêntrica Vir Lib Esc

49 Sistema eclíptico

50 Coordenadas eclípticas de uma estrela PNE ε PN Ω b l ( l, b ) Equador Eclíptica γ ε

51 Eclíptica Ω PN Início da Primavera Estações do Ano: Hemisfério Sul Início do Inverno Início do Verão γ Início do Outono Equador PS

52 Órbitas planetárias no Sistema Solar

53 Problema de perspectiva Mer Sol Vên Ter Lua Mar Júp Sat Ura Plu Net

54 Órbitas não coplanares Plu Plano orbital de Plutão Sol Mer Vên Ter Mar Júp Sat Ura Net Eclíptica

55 Qual o motivo das estações do ano?

56 Órbita da Terra

57 Órbita da Terra

58 Representação da Órbita da Terra Movimento da Terra

59 Esquema da Órbita da Terra em torno do Sol Eclíptica Sol

60 Órbita da Terra em torno do Sol Eclíptica Sol Plano da eclíptica Plano da Eclíptica 23,5º Eixo de rotação Afélio Periélio

61 Motivo das Estações Verão Inverno Sol Inverno Verão Sol Primavera ou Outono Outono ou Primavera

62 Precessão

63 Sol no início da primavera Boreal T

64 Equinócio da primavera boreal ( γ ) PN PNE Movimento anual aparente do Sol Eclíptica γ Equador

65 Precessão dos equinócios PNE PN' PN Eclíptica γ' γ Movimento anual aparente do Sol Equador PN' PN

66 Defasagem entre Constelações e Signos Zodiacais Tou Ari Pei Gêm Aqu Cân T Cap Leã Sag Vir Lib Esc

67 PN Precessão PN Hoje PN PN Daqui a 13 mil anos

68 Constelações Cisne Lira δ Cefeidas β 6000 Polares γ 4000 ι PNE Dragão Ursa Menor 2000 Hércules τ

69 Nutação

70 Nutação PNE PN

71 Movimento dos Pólos

72 Movimento dos pólos Y X Y (m) X (m )

73 Movimento dos Pólos Eixo fixo no espaço Eixo da Terra rodada

74 Rotação Galáctica

75 Movimento Galáctico Sol Nossa Galáxia Período: 250 milhões de anos

76 Quantos movimentos tem a Terra? Só UM...! O movimento que a Terra tem...!

77 Componentes do movimento da Terra λ Rotação λ Translação λ Precessão λ Nutação λ Movimento dos pólos λ Movimento de rotação galáctica λ...

78 F im

Sistemas de coordenadas e tempo. 1 Sistema de coordenadas horizontal local

Sistemas de coordenadas e tempo. 1 Sistema de coordenadas horizontal local José Laurindo Sobrinho Grupo de Astronomia da Universidade da Madeira Fevereiro 2014 Sistemas de coordenadas e tempo 1 Sistema de coordenadas horizontal local O sistema de coordenadas horizontal local

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 1 ESFERA CELESTE E O SISTEMA DE COORDENADAS Esfera Celeste. Sistema de Coordenadas. Coordenadas Astronómicas. Sistema Horizontal. Sistema Equatorial Celeste. Sistema Equatorial Horário. Tempo

Leia mais

Movimentos aparentes dos Astros. Prof. J. Meléndez, baseado no Prof. R. Boczko IAG - USP

Movimentos aparentes dos Astros. Prof. J. Meléndez, baseado no Prof. R. Boczko IAG - USP Movimentos aparentes dos Astros 15 09 2011 Prof. J. Meléndez, baseado no Prof. R. Boczko IAG - USP Movimentos aparentes Movimento diurno (diário) aparente do Sol Movimento anual aparente do Sol Movimento

Leia mais

R. Boczko R. Boczko IAG - USP

R. Boczko R. Boczko IAG - USP R. Boczko R. Boczko IAG - USP Escalas de Distância e de Tempo usadas em Astronomia 11 1 4 R. Boczko IAG-USP Abrangência da Astronomia -3-2 -1 Metro 1 5 1 15 2 25 Micro mundo (tempo) -44-4 -3-2 -1 1 = 1

Leia mais

Movimento Anual Aparente do Sol

Movimento Anual Aparente do Sol Movimentos aparentes dos Astros: Movimento Anual Aparente do Sol 15 09 2011 Prof. J. Meléndez, baseado no Prof. R. Boczko IAG - USP Movimentos aparentes Movimento diurno aparente do Sol Movimento anual

Leia mais

OBSERVAÇÕES DO UNIVERSO E ORIENTAÇÃO NO CÉU O

OBSERVAÇÕES DO UNIVERSO E ORIENTAÇÃO NO CÉU O OBSERVAÇÕES DO UNIVERSO E ORIENTAÇÃO NO CÉU O céu noturno Zênite Céu Alfa Centauri A e B z Cen a Cen Próxima Aglomerado Aberto Caixa de Jóias (NGC 4755) b Cen e Cen b Cru Mimosa g Cru Rubídea d Cru Pálida

Leia mais

Localização de um lugar relativamente a outros locais, conhecidos.

Localização de um lugar relativamente a outros locais, conhecidos. Localização de um lugar relativamente a outros locais, utilizando pontos de referência conhecidos. Indicação de edifícios/construções conhecidas (da casa de um amigo, de uma Igreja, de uma rotunda, de

Leia mais

Introdução à Astronomia Semestre:

Introdução à Astronomia Semestre: Introdução à Astronomia Semestre: 2015.1 Sergio Scarano Jr 22/10/2013 Terra Redonda Fases da Lua associada a disposição relativa entre a Terra, Lua e Sol. Sombra indicavam que a própria Lua não era plana

Leia mais

Introdução à Astronomia Semestre: 2015.1

Introdução à Astronomia Semestre: 2015.1 Introdução à Astronomia Semestre: 2015.1 Sergio Scarano Jr 22/10/2013 Coordenadas Altazimutais Zênite Z z 0 o A < 360 o [Ñ] -90 o h +90 o [Z] L A [Z] 0 o z 180 o [Ñ] N Plano do Horizonte h S W A = azimute

Leia mais

His i t s ó t r ó ia i a e e Mé M t é o t d o o d s s da Astron o o n m o i m a i Clá l ssic i a R. Boczko 02 03 IAG-USP

His i t s ó t r ó ia i a e e Mé M t é o t d o o d s s da Astron o o n m o i m a i Clá l ssic i a R. Boczko 02 03 IAG-USP História e Métodos da Astronomia Clássica 15 02 03 R. Boczko IAG-USP Mundo na Antigüidade Estrelas (6000) Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno S l Astronomia x Astrologia Astronomia é a Ciênciaque

Leia mais

SISTEMAS DE 18 COORDENADAS UTILIZADOS EM ASTRONOMIA NÁUTICA E NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA

SISTEMAS DE 18 COORDENADAS UTILIZADOS EM ASTRONOMIA NÁUTICA E NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA SISTEMAS DE 18 COORDENADAS UTILIZADOS EM ASTRONOMIA NÁUTICA E NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA 18.1 CONCEITOS FUNDAMENTAIS Conforme visto no capítulo anterior, para determinar a posição de qualquer ponto na superfície

Leia mais

Elementos de Astronomia

Elementos de Astronomia Elementos de Astronomia Astronomia Antiga, Esfera Celeste, Coordenadas e Movimento Diurno dos Astros Rogemar A. Riffel Sala 1316 e-mail: rogemar@ufsm.br http://www.ufsm.br/rogemar/ensino.html Por que estudar

Leia mais

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010

Introdução À Astronomia e Astrofísica 2010 CAPÍTULO 3 ESTAÇÕES DO ANO E INSOLAÇÃO SOLAR. Movimento Anual do Sol e as Estações do Ano. Estação em diferentes latitudes. Insolação Solar. Recapitulando a aula anterior: Capítulo 2 Trigonometria Esférica

Leia mais

Explorando o Universo: dos quarks aos quasares. Astronomia de Posição. Professor: Alan Alves Brito Agradecimento: Professor Roberto Bockzo

Explorando o Universo: dos quarks aos quasares. Astronomia de Posição. Professor: Alan Alves Brito Agradecimento: Professor Roberto Bockzo Explorando o Universo: dos quarks aos quasares Astronomia de Posição Professor: Alan Alves Brito Agradecimento: Professor Roberto Bockzo Tópicos e Objetivos da Aula Conceitos Fundamentais Manipulações

Leia mais

A Astronomia e a medida. R. Boczko

A Astronomia e a medida. R. Boczko A Astronomia e a medida 22 04 04 R. Boczko 1 O que é um Calendário? 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Janeiro Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom É um conjunto

Leia mais

A Escola e o Relógio de Sol Resumo

A Escola e o Relógio de Sol Resumo Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Matemática A Escola e o Relógio de Sol Resumo Autora: Raquel Duarte de Souza Orientador: Prof. Dr. José Antônio

Leia mais

Conhecer a Esfera Celeste. Atividades com Planetário -Guião para Stellarium

Conhecer a Esfera Celeste. Atividades com Planetário -Guião para Stellarium Conhecer a Esfera Celeste Atividades com Planetário -Guião para Stellarium Carlos Brás 14-11-2011 Atividades com Planetário Introdução Depois de aberto o programa e devidamente configurado para a latitude

Leia mais

F031 - Tópicos em Astronomia e Astrofísica. Parte 1: Propriedades das Estrelas. Prof. Ernesto Kemp UNICAMP IFGW DRCC kemp@ifi.unicamp.

F031 - Tópicos em Astronomia e Astrofísica. Parte 1: Propriedades das Estrelas. Prof. Ernesto Kemp UNICAMP IFGW DRCC kemp@ifi.unicamp. F031 - Tópicos em Astronomia e Astrofísica Parte 1: Propriedades das Estrelas Prof. Ernesto Kemp UNICAMP IFGW DRCC kemp@ifi.unicamp.br Considerações sobre Astrofísica: A astrofísica é uma CIÊNCIA, e para

Leia mais

Plataforma Equatorial

Plataforma Equatorial Projecto Com a Cabeça na Lua OASA - Observatório Astronómico de Santana Açores Plataforma Equatorial Princípios fundamentais Utilização das Coordenadas Astronómicas Em geometria, sabemos que um sistema

Leia mais

Movimentos da Terra PPGCC FCT/UNESP. Aulas EGL 2016 João Francisco Galera Monico unesp

Movimentos da Terra PPGCC FCT/UNESP. Aulas EGL 2016 João Francisco Galera Monico unesp Movimentos da Terra PPGCC FCT/UNESP Aulas EGL 2016 João Francisco Galera Monico Terra Movimentos da Terra Cientificamente falando, a Terra possui um único movimento. Dependendo de suas causas, pode ser

Leia mais

Movimentos da Terra -

Movimentos da Terra - Movimentos da Terra - Orientação e Coordenadas A Terra no Espaço Jonathan Kreutzfeld A Terra é levemente achatada nos pólos, por isso a chamamos de ELIPSÓIDE Diâmetro (km) Equatorial: 12.756 Polar: 12.713

Leia mais

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais

Coordenadas. Prof. Jorge Meléndez

Coordenadas. Prof. Jorge Meléndez Coordenadas Bibliography: Any book (or chapter) on astronomical coordinates. Slides from Prof. Roberto Boczko + myself (Elementos de Astronomia): http://www.astro.iag.usp.br/~jorge/aga205/ Prof. Jorge

Leia mais

ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA

ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA 0 ASTRO 3D: UMA FERRAMENTA PARA O ENSINO DE ASTRONOMIA Eliza M. Silva 1, Rafael B. Botelho, Artur Justiniano, Paulo A. Bresan. Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Resumo O Ensino de Astronomia está

Leia mais

Os s Ecl c i l p i s p e s s 08 R. R B o B c o z c ko k 01 03 IAG A -US U P S

Os s Ecl c i l p i s p e s s 08 R. R B o B c o z c ko k 01 03 IAG A -US U P S Os Eclipses 08 01 03 R. Boczko IAG-USP Seqüência de um Eclipse Solar Sol visto no céu 00:00 Início do Eclipse Solar Parcial 00:10 Eclipse Solar Parcial 00:20 Eclipse Solar Parcial 00:30 Eclipse Solar Parcial

Leia mais

UNIDADE II Processos de medição de ângulos e distâncias.

UNIDADE II Processos de medição de ângulos e distâncias. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS - FESO CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CCT CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL Profª Drª Verônica Rocha Bonfim Engª Florestal

Leia mais

RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE. Capítulo 3 Meteorologia Básica e Aplicações (Vianello e Alves)

RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE. Capítulo 3 Meteorologia Básica e Aplicações (Vianello e Alves) RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE Capítulo 3 Meteorologia Básica e Aplicações (Vianello e Alves) INTRODUÇÃO A Radiação Solar é a maior fonte de energia para a Terra, sendo o principal elemento meteorológico,

Leia mais

Qual o motivo das estações do ano?

Qual o motivo das estações do ano? Qual o motivo das estações do ano? Estações do Ano: W Início da Primavera 23 set Hemisfério Sul Início do Inverno 22 jun Início do Verão 22 dez g Início do Outono 21 mar Estações do Ano: Hemisfério Norte

Leia mais

Mecânica do Sistema Solar

Mecânica do Sistema Solar Mecânica do Sistema Solar IFSP Vicente Barros Mais informações em Click to edit Masterhttp://astro.if.ufrgs.br/index.htm subtitle style Curiosidades - Posição da ISS http://spotthestation.nasa.gov/ Nosso

Leia mais

Aula 5 NOÇÕES BÁSICAS DE GEODÉSIA E ASTRONOMIA DE POSIÇÃO. Antônio Carlos Campos

Aula 5 NOÇÕES BÁSICAS DE GEODÉSIA E ASTRONOMIA DE POSIÇÃO. Antônio Carlos Campos Aula 5 NOÇÕES BÁSICAS DE GEODÉSIA E ASTRONOMIA DE POSIÇÃO META Mostrar as normas básicas de posicionamento e direção terrestre e apresentar formas de orientação que auxiliam na localização. OBJETIVOS Ao

Leia mais

Aula 2 LOCALIZAÇÃO, ORIENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA

Aula 2 LOCALIZAÇÃO, ORIENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA Aula 2 LOCALIZAÇÃO, ORIENTAÇÃO E REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA Orientação pelo Sol Leste = Nascente / Oeste = Poente Orientação por instrumentos (bússola) Consiste em uma agulha imantada que gira sobre um

Leia mais

SISTEMAS DE REFERÊNCIA Coordenadas celestiais e terrestres

SISTEMAS DE REFERÊNCIA Coordenadas celestiais e terrestres SISTEMAS DE REFERÊNCIA Coordenadas celestiais e terrestres Posição do Disco solar acima do horizonte Em função da grande distância entre o Sol e a Terra, a radiação solar pode ser considerada colimada,

Leia mais

Geografia/15 6º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 GEOGRAFIA 6º ano

Geografia/15 6º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / RECUPERAÇÃO FINAL 2015 GEOGRAFIA 6º ano Geografia/15 6º ano Turma: 1º trimestre Nome: Data: / / 6ºgeo301r RECUPERAÇÃO FINAL 2015 GEOGRAFIA 6º ano Querido(a) Aluno(a) No primeiro trimestre buscamos entender o surgimento da Geografia, sua contribuição

Leia mais

Coordenadas Horizontais O sistema horizontal é mais intuitivo porque é baseado no horizonte local. Por esta razão,

Coordenadas Horizontais O sistema horizontal é mais intuitivo porque é baseado no horizonte local. Por esta razão, Coordenadas Horizontais O sistema horizontal é mais intuitivo porque é baseado no horizonte local. Por esta razão, as coordenadas horizontais variam com a posiçã ção o do observador. Azimute (A):( abertura

Leia mais

Sistemas de Coordenadas:

Sistemas de Coordenadas: Necessários para expressar a posição de pontos sobre a superfície (elipsóide, esfera, plano). Î Para o Elipsóide, empregamos o Sistema de Coordenadas Cartesiano e Curvilíneo: PARALELOS E MERIDIANOS. Î

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2009 ROTEIRO GERAL Fenômenos astronômicos no dia-a-dia Movimentos da Terra heliocentrismo

Leia mais

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO

ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO ENSINO MÉDIO 01 - PLANETA TERRA FORMA E MOVIMENTO QUESTÃO 01 - Sobre as características gerais dos movimentos terrestres, julgue os itens: a) É incorreto dizer que o Sol nasce a leste e se põe a oeste,

Leia mais

Olhando o céu. Jorge Meléndez (baseado/ Prof. R. Boczko) IAG-USP

Olhando o céu. Jorge Meléndez (baseado/ Prof. R. Boczko) IAG-USP Olhando o céu 25 08 11 Jorge Meléndez (baseado/ Prof. R. Boczko) IAG-USP Céu de São Paulo (interior...) Itupeva, a 70 km de São Paulo http://www.fernando.arq.br/estrelas.htm Céu de São Paulo (interior...)

Leia mais

Cap. 2 Mecânica do Sistema Solar I

Cap. 2 Mecânica do Sistema Solar I Cap. 2 Mecânica do Sistema Solar I Nosso Lugar no Universo 1 min luz = 1,798 x 10 7 km 1 ano-luz = 9.460.800.000.000.00 Km ~10 12 km 100.000 a.l. = 946073047258080000 km = 9.46 x 10 17 km Observando o

Leia mais

Movimento Aparente dos Astros e Descrição do Céu

Movimento Aparente dos Astros e Descrição do Céu Movimento Aparente dos Astros e Descrição do Céu Fatos observados desde a antiguidade: Existem 5 astros ou estrelas errantes, posteriormente denominados planetas, que percorrem rapidamente o céu sobre

Leia mais

Movimento de Translação

Movimento de Translação Movimento de Translação Sol A Terra completa ~ uma volta em torno do Sol em um ano Terra Variação na distância Terra-Sol ~ 2% (órbita ~ circular) Movimento de Translação Sol ECLÍPTICA Eclíptica é o plano

Leia mais

A TERRA E SEUS MOVIMENTOS. A ESFERA CELESTE

A TERRA E SEUS MOVIMENTOS. A ESFERA CELESTE 17 A TERRA E SEUS MOVIMENTOS. A ESFERA CELESTE 17.1 A TERRA 17.1.1 FORMA E DIMENSÕES. A ESFERA TERRESTRE Primeiramente, o homem imaginou a Terra como uma superfície plana, pois era assim que ele a via.

Leia mais

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Elementos de Astronomia Movimento Anual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Rogemar A. Riffel Sol, Terra e Lua Movimento Diurno do Sol Relembrando a aula passada De leste para oeste; O círculo diurno do Sol

Leia mais

Breve Introdução à Informação Geográfica. João Carreiras Geo-DES jmbcarreiras@iict.pt

Breve Introdução à Informação Geográfica. João Carreiras Geo-DES jmbcarreiras@iict.pt Breve Introdução à Informação Geográfica João Carreiras Geo-DES jmbcarreiras@iict.pt Resumo 1 Informação Geográfica 2 Características da Informação Geográfica 3 Conceito de Escala 4 Coordenadas, Projecções

Leia mais

Astronomia de posição (II)

Astronomia de posição (II) Sistema de coordenadas horizontal, equatorial, eclíptico e galáctico. Determinação de distâncias (métodos clássicos): Eratostenes, Hiparco, Aristarco e Copérnico. Astronomia de posição (II) Gastão B. Lima

Leia mais

Céu aparente, sistema solar e exoplanetas TEMPO E COORDENADAS. Licenciatura em Ciências USP/ Univesp. Enos Picazzio. 3.1 Tempo

Céu aparente, sistema solar e exoplanetas TEMPO E COORDENADAS. Licenciatura em Ciências USP/ Univesp. Enos Picazzio. 3.1 Tempo 3.1 Tempo 3.1.1 Dia sideral, dia solar aparente e dia solar médio 3.1.2 Hora local, fuso horário e linha internacional de data 3.1.3 Mês sinódico e mês sideral 3.1.4 Ano sideral e ano trópico 3.2 Sistemas

Leia mais

29-09-2011. Sumário. O Universo. Como nos podemos orientar com a ajuda das estrelas? Constelações. 05 e 06 29/09/2011

29-09-2011. Sumário. O Universo. Como nos podemos orientar com a ajuda das estrelas? Constelações. 05 e 06 29/09/2011 Sumário Conclusão da lição anterior. Correção do TPC. Figuras no céu estrelado: as constelações. Mapas celestes. Orientação pelas estrelas: pelo Sol e pela Estrela Polar. Atividade experimental: Será possível

Leia mais

Competição observacional prova do céu. Instruções. 1. Há 2 questões, cada uma valendo 25 pontos. Você tem 80 minutos para resolvê-las, dos quais :

Competição observacional prova do céu. Instruções. 1. Há 2 questões, cada uma valendo 25 pontos. Você tem 80 minutos para resolvê-las, dos quais : Competição observacional prova do céu Instruções 1. Há 2 questões, cada uma valendo 25 pontos. Você tem 80 minutos para resolvê-las, dos quais : (a) 25 minutos para ler as questões e se preparar para as

Leia mais

COMBINAÇÃO DOS SISTEMAS DE COORDENADAS UTILIZADOS EM NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA. O TRIÂNGULO ASTRONÔMICO OU TRIÂNGULO DE POSIÇÃO

COMBINAÇÃO DOS SISTEMAS DE COORDENADAS UTILIZADOS EM NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA. O TRIÂNGULO ASTRONÔMICO OU TRIÂNGULO DE POSIÇÃO COMBINAÇÃO DOS SISTEMAS DE COORDENADAS UTILIZADOS EM NAVEGAÇÃO ASTRONÔMICA. O TRIÂNGULO ASTRONÔMICO OU TRIÂNGULO DE POSIÇÃO 20 20.1 PROCESSO DE OBTENÇÃO DE LINHAS DE POSIÇÃO (LDP) E DE UMA POSIÇÃO ASTRONÔMICA

Leia mais

Simuladores do movimento das estrelas, do Sol e da Lua

Simuladores do movimento das estrelas, do Sol e da Lua do movimento das estrelas, do Sol e da Lua Rosa M. Ros, Francis Berthomieu International Astronomical Union, Universidad Politécnica de Cataluña (Barcelona, Espanha), CLEA (Niza, França) Resumo É exposto

Leia mais

Manual para Stellarium

Manual para Stellarium Manual para Stellarium Conteúdo 1. Início do Stellarium e breves notas de interesse; 2. Criar pontos de interesse; 3. Como medir um objeto a definir; 4 Relacionar magnitude com poluição luminosa 1 Primeiro

Leia mais

A Esfera Celeste MOVIMENTOS APARENTES. Tópicos de Astronomia para Geofísicos AGA103

A Esfera Celeste MOVIMENTOS APARENTES. Tópicos de Astronomia para Geofísicos AGA103 A Esfera Celeste MOVIMENTOS APARENTES Tópicos de Astronomia para Geofísicos AGA103 Enos Picazzio IAGUSP / Ago.2010 Devido à infinitude, tudo parece estar à mesma distância. O horizonte encontra-se com

Leia mais

O movimento aparente do Sol e as estações do ano. Roberto Ortiz EACH/USP Roberto Bockzo IAG/USP

O movimento aparente do Sol e as estações do ano. Roberto Ortiz EACH/USP Roberto Bockzo IAG/USP O movimento aparente do Sol e as estações do ano Roberto Ortiz EACH/USP Roberto Bockzo IAG/USP Determinação do meridiano local (Método da sombra mínima ) Nascente Meridiano Linha do Meio dia Ocaso Determinação

Leia mais

Respostas - Exercícios de rotação e translação

Respostas - Exercícios de rotação e translação Respostas - Exercícios de rotação e translação 1) "Durante a minha vida inteira me fiz essas perguntas: Existe vida além da Terra? Se existe, como se parece? De que é feita? Os seres de outros mundos se

Leia mais

Movimentos da Terra e suas consequências

Movimentos da Terra e suas consequências Movimentos da Terra e suas consequências Movimentos da Terra A Terra descreve, como todos os outros planetas principais do Sistema Solar: Movimento de rotação movimento em torno de si própria, em volta

Leia mais

Estudos Ambientais. Aula 4 - Cartografia

Estudos Ambientais. Aula 4 - Cartografia Estudos Ambientais Aula 4 - Cartografia Objetivos da aula Importância da cartografia; Conceitos cartográficos. O que é cartografia Organização, apresentação, comunicação e utilização da geoinformação nas

Leia mais

Invenção da escrita Fim do Império Romano do Ocidente Tomada de Constantinopla (fim do Império Romano do Oriente) Revolução Francesa

Invenção da escrita Fim do Império Romano do Ocidente Tomada de Constantinopla (fim do Império Romano do Oriente) Revolução Francesa Visão da História Invençãodaescrita FimdoImpérioRomanodo Ocidente TomadadeConstantinopla (fimdoimpérioromanodo Oriente) RevoluçãoFrancesa HistóriadaCiência Física Mecânica ASTRONOMIA MATEMÁTICA Religiãoefilosofia

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

Forças Gravitacionais Diferenciais e Sistema Solar

Forças Gravitacionais Diferenciais e Sistema Solar Introdução à Astrofísica Forças Gravitacionais Diferenciais e Sistema Solar Rogemar A. Riffel Derivação da força diferencial A força gravitacional diferencial é a diferença entre as forcas exercidas em

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia Fundamentos de Astronomia e Astrofísica Prof. Rogério Riffel Por que estudamos astronomia? Por que estudamos astronomia?

Leia mais

INT R ODU ÇÃO À AS T R ONOMIA AGA S istemas de Coordenadas

INT R ODU ÇÃO À AS T R ONOMIA AGA S istemas de Coordenadas INT R ODU ÇÃO À AS T R ONOMIA AGA-210 3. S istemas de Coordenadas (J.B.K aler, 1994, Fig. 3.11, p.36) S ol à meia noite? Nas calotas polares, durante o ver ão, o S ol nunca s e põe. IAG/U S P E NOS PICAZZIO

Leia mais

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091

ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 ÓRBITA ILUMINADA HU F 152/ NT4091 INTRODUÇÃO Trata-se de um modelo científico de trabalho, representando o Sol, a Terra e a Lua, e mostrando como estes se relacionam entre si. Foi concebido para mostrar

Leia mais

Planetário de pobre. Introdução. Materiais Necessários. Vamos simular e entender o movimento da abóbada celeste com uma montagem simples e barata.

Planetário de pobre. Introdução. Materiais Necessários. Vamos simular e entender o movimento da abóbada celeste com uma montagem simples e barata. dução Vamos simular e entender o movimento da abóbada celeste com uma montagem simples e barata. Retirado de Rodolfo Caniato, O Céu, ed. Ática, 1990. Cadastrada por Lucas Assis Material - onde encontrar

Leia mais

Coordenadas Geográficas

Coordenadas Geográficas Orientação A rosa-dos-ventos possibilita encontrar a direção de qualquer ponto da linha do horizonte. Por convenção internacional, a língua inglesa é utilizada como padrão, portanto o Leste muitas vezes

Leia mais

2. Alguns conceitos e convenções na relação da Terra com o Céu

2. Alguns conceitos e convenções na relação da Terra com o Céu 2. Alguns conceitos e convenções na relação da Terra com o Céu Luís Cunha Depº de Física Universidade do Minho Esfera Celeste Equador Celeste Equador Pólo Norte Celeste Pólo Sul Celeste Pólo Norte Pólo

Leia mais

Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento. Bons Estudos!

Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento. Bons Estudos! EXERCÍCIO DE REVISÃO - GEOGRAFIA 6º ano Profª. Ms. Graziella Fernandes de Castro Queridos alunos, Para ajudá-los nos estudos, após resolver o exercício de revisão faça a correção a partir deste documento.

Leia mais

Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo

Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo Movimentos da Terra e da Lua Medidas de Tempo Fases da Lua Eclipses do Sol e da Lua Tempo Solar e Sideral Analema Tempo Atômico Tempo Civil Calendários: egípcio, romano, juliano, gregoriano Ano Bissexto

Leia mais

I. Movimento Aparente e o Sistema Solar. 1º Simpósio do Ensino Médio, Etec Vasco Antonio Venchiarutti, Jundiaí-SP, 21-22/07/2010

I. Movimento Aparente e o Sistema Solar. 1º Simpósio do Ensino Médio, Etec Vasco Antonio Venchiarutti, Jundiaí-SP, 21-22/07/2010 I. Movimento Aparente e o Sistema Solar 1º Simpósio do Ensino Médio, Etec Vasco Antonio Venchiarutti, Jundiaí-SP, 21-22/07/2010 Enos Picazzio IAGUSP / Jul.2010 Devido à infinitude, tudo parece estar à

Leia mais

Topografia. Conceitos Básicos. Prof.: Alexandre Villaça Diniz - 2004-

Topografia. Conceitos Básicos. Prof.: Alexandre Villaça Diniz - 2004- Topografia Conceitos Básicos Prof.: Alexandre Villaça Diniz - 2004- 1 ÍNDICE ÍNDICE...1 CAPÍTULO 1 - Conceitos Básicos...2 1. Definição...2 1.1 - A Planta Topográfica...2 1.2 - A Locação da Obra...4 2.

Leia mais

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL

Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO 2: ILUMINAÇÃO NATURAL Universidade Ibirapuera Arquitetura e Urbanismo Conforto Ambiental: Insolação e Iluminação MÓDULO : INSOLAÇÃO MÓDULO : ILUMINAÇÃO NATURAL MÓDULO : ILUMINAÇÃO DE INTERIORES Docente: Claudete Gebara J. Callegaro

Leia mais

Sistema Sol-Terra-Lua

Sistema Sol-Terra-Lua Sistema Sol-Terra-Lua Parte 1 As estações do ano Parte 2 As fases da Lua Parte 3 Eclipses Parte 4 - Marés 1 Parte 1 As estações do ano A latitudes medianas (como a nossa) há variações significativas de

Leia mais

Aula Inaugural. Introdução à Astrofísica. Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com)

Aula Inaugural. Introdução à Astrofísica. Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com) Aula Inaugural Introdução à Astrofísica Reinaldo R. de Carvalho (rrdecarvalho2008@gmail.com) Livros recomendados:!! 1 - An Introduction to Modern Astrophysics, Bradley W. Carroll & Dale A. Ostlie, Second

Leia mais

Movimentos da Terra. Gastão B. Lima Neto Vera Jatenco-Pereira IAG/USP. Agradecimento ao Prof. Roberto Boczko pelo material cedido

Movimentos da Terra. Gastão B. Lima Neto Vera Jatenco-Pereira IAG/USP. Agradecimento ao Prof. Roberto Boczko pelo material cedido Movimento aparente diurno e anual Sistemas geocêntrico e heliocêntrico Leis de Kepler Rotação e translação da Terra Definição de dia e ano Precessão e nutação Estações do ano Movimentos da Terra Gastão

Leia mais

(QRV3LFD]]LR NÃO HÁ PERMISSÃO DE USO PARCIAL OU TOTAL DESTE MATERIAL PARA OUTRAS FINALIDADES. NASA

(QRV3LFD]]LR NÃO HÁ PERMISSÃO DE USO PARCIAL OU TOTAL DESTE MATERIAL PARA OUTRAS FINALIDADES. NASA $6752120,$'26,67(0$62/$5$*$ 7(55$ H /8$ (QRV3LFD]]LR,$*863 NÃO HÁ PERMISSÃO DE USO PARCIAL OU TOTAL DESTE MATERIAL PARA OUTRAS FINALIDADES. NASA Parâmetros lunares mais relevantes Distância orbital média

Leia mais

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis

Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis Aula 1. O Sistema Solar e o Planeta Terra. Disciplina: Geografia A Profª.: Tamara Régis A origem do Universo A teoria do Big Bang foi anunciada em 1948 pelo cientista russo naturalizado estadunidense,

Leia mais

Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense Universidade Federal Fluminense Curso de Formação continuada em Astronomia Para professores de Educação Básica Prof. Dr. Tibério Borges Vale Projeto de Extensão O uso da Astronomia como elemento didático

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Aula 5: Orientação e Diagrama Solar

Desempenho Térmico de edificações Aula 5: Orientação e Diagrama Solar Desempenho Térmico de edificações Aula 5: Orientação e Diagrama Solar PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS estrutura Introdução Movimentos da terra Diagramas solares Análises de proteções

Leia mais

Ano: 6º Turma: 6.1 / 6.2

Ano: 6º Turma: 6.1 / 6.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: Geografia Professor (a): Fernando Parente Ano: 6º Turma: 6.1 / 6.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

Introdução à Astronomia Semestre:

Introdução à Astronomia Semestre: Introdução à Astronomia Semestre: 2015.1 Sergio Scarano Jr 22/10/2013 Horário de Atendimento do Professor Professor: Sergio Scarano Jr Sala: 119 Homepage: http://www.scaranojr.com.br/ * http://200.17.141.35/scaranojr/

Leia mais

LATITUDE, LONGITUDE E GPS

LATITUDE, LONGITUDE E GPS LATITUDE, LONGITUDE E GPS Anselmo Lazaro Branco* ENTENDA O QUE É LATITUDE, LONGITUDE, E COMO FUNCIONA UM APARELHO DE GPS. GPS O GPS é um aparelho digital de localização, que determinada a posição exata

Leia mais

Hoje adota novas tecnologias no posicionamento geodésico, como por exemplo o Sistema de Posicionamento Global (GPS)

Hoje adota novas tecnologias no posicionamento geodésico, como por exemplo o Sistema de Posicionamento Global (GPS) Geodésia A Geodésia é uma ciência que se ocupa do estudo da forma e tamanho da Terra no aspecto geométrico e com o estudo de certos fenômenos físicos relativos ao campo gravitacional terrestre, visando

Leia mais

ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO

ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO ORIENTAÇÃO E LOCALIZAÇÃO Para se orientar o homem teve de desenvolver sua capacidade de observação. Observando a natureza o homem percebeu que o Sol aparece todas as manhãs aproximadamente, num mesmo lado

Leia mais

Sistemas de Referência Locais

Sistemas de Referência Locais Definição Para definir um sistema de coordenadas geodésicas local, necessitamos de especificar um conjunto de : a) O elipsóide, dimensão e forma (a, e 2 ); b) A localização (topocêntrica) do seu ponto

Leia mais

Aula 11. O objetivo desta aula é criar condições para que os alunos:

Aula 11. O objetivo desta aula é criar condições para que os alunos: Aula 11 Nesta aula Os alunos trabalham com a escala de distâncias às estrelas, constatando que elas são imensamente maiores que as distâncias no interior do Sistema Solar. Também realizam uma montagem

Leia mais

Para explicar o equilíbrio existente nesse conjunto organizado de astros a Astrofísica propôs:

Para explicar o equilíbrio existente nesse conjunto organizado de astros a Astrofísica propôs: O SISTEMA SOLAR Para entendermos o mecanismo do "SISTEMA TERRA" temos que ter noções básicas de um contexto mais amplo: o espaço cósmico, onde se processam, entre outros milhares, o "SISTEMA SOLAR". UNIVERSO

Leia mais

O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões. do dia através do movimento da sombra de um objecto, o

O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões. do dia através do movimento da sombra de um objecto, o O Q U E É U M REL Ó G I O DE S O L? Relógio de Sol é um instrumento que determina as divisões do dia através do movimento da sombra de um objecto, o gnómon, sobre o qual incidem os raios solares e que

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Introdução à Astronomia. Prof.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia. Introdução à Astronomia. Prof. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Astronomia Introdução à Astronomia Prof. Rogério Riffel Por que estudamos astronomia? Por que estudamos astronomia? Para entender

Leia mais

A arte de conceber, de levantar, de redigir e de divulgar os mapas.

A arte de conceber, de levantar, de redigir e de divulgar os mapas. CARTOGRAFIA Cartografia (do grego chartis = mapa e graphein = escrita) é a ciência que trata da concepção, produção, difusão, utilização e estudo dos mapas. Joly (1990, p. 7) considera a cartografia como:

Leia mais

Geomática. Cartografia para Engenharia Ambiental. Prof. Alex Mota dos Santos

Geomática. Cartografia para Engenharia Ambiental. Prof. Alex Mota dos Santos Geomática Cartografia para Engenharia Ambiental Prof. Alex Mota dos Santos Castro (2004) O problema da representação Em síntese, a Cartografia trata das normas para representação dos elementos da superfície

Leia mais

A ROSA DOS VENTOS O MOVIMENTO DO SOL PONTOS CARDEAIS PONTOS COLATERAIS. Todo o Escuteiro deve saber orientar-se no campo.

A ROSA DOS VENTOS O MOVIMENTO DO SOL PONTOS CARDEAIS PONTOS COLATERAIS. Todo o Escuteiro deve saber orientar-se no campo. A ROSA DOS VENTOS Todo o Escuteiro deve saber orientar-se no campo. O primeiro passo para o domínio das técnicas de orientação é o conhecimento da Rosa dos Ventos. A Rosa dos Ventos é constituída por 4

Leia mais

Posicionamento na Terra suposta esférica

Posicionamento na Terra suposta esférica Posicionamento na Terra suposta esférica Primeira imagem da Terra de TV feita do espaço em 1 de abril de 1960 A sombra da Terra projetada na Lua Cheia durante o eclipse total Lua mostrava que a forma da

Leia mais

O estado de tempo e o clima Elementos e fatores climáticos

O estado de tempo e o clima Elementos e fatores climáticos O estado de tempo e o clima Elementos e fatores climáticos Escola Estadual Desembargador Floriano Cavalcanti PIBID-UFRN Geografia 6º ano O ESTADO DE TEMPO O ESTADO DE TEMPO VARIA: 11H 30M AO LONGO DO DIA

Leia mais

FOTOGRAFAR O CÉU (PARTE I)

FOTOGRAFAR O CÉU (PARTE I) FOTOGRAFAR O CÉU (PARTE I) Pedro Ré http://www.astrosurf.com/re Fotografar o céu é uma ambição natural de muitas pessoas, entre as quais se contam os entusiastas de fotografia e de astronomia, os amantes

Leia mais

SISTEMAS DE COORDENDAS CELESTES

SISTEMAS DE COORDENDAS CELESTES SISTEMAS DE COORDENDAS CELESTES Prof. Dr. Carlos Aurélio Nadal Distância angular e diâmetro aparente Diâmetro aparente da Lua Medidas angulares com o auxilio das mãos Ângulo medido a partir do centro da

Leia mais

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua

Figura 1 - O movimento da Lua em torno da Terra e as diferentes fases da Lua Estudo do Meio Físico e Natural I Movimentos reais e aparentes dos astros J. L. G. Sobrinho Centro de Ciências Exactas e da Engenharia Universidade da Madeira A Lua e a Terra A Lua está a sempre visível

Leia mais

Movimentos da Terra: Formação Tópicos Gerais de Ciências da Terra Turma B. Karín Menéndez-Delmestre Observatório do Valongo

Movimentos da Terra: Formação Tópicos Gerais de Ciências da Terra Turma B. Karín Menéndez-Delmestre Observatório do Valongo Movimentos da Terra: Formação Tópicos Gerais de Ciências da Terra Turma B Karín Menéndez-Delmestre Observatório do Valongo Os Movimentos da Terra Rotação Revolução Precessão Nutação Movimento dos Pólos...

Leia mais

Matéria: Geografia Assunto: O que é Geografia Prof. Luciano Teixeira

Matéria: Geografia Assunto: O que é Geografia Prof. Luciano Teixeira Matéria: Geografia Assunto: O que é Geografia Prof. Luciano Teixeira Geografia O que é Geografia? Embora possa parecer fácil responder a essa pergunta, muitos alunos ainda pensam quea ciência geográfica

Leia mais

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta CARTOGRAFIA Sistemas de Coordenadas Prof. Luiz Rotta SISTEMA DE COORDENADAS Por que os sistemas de coordenadas são necessários? Para expressar a posição de pontos sobre uma superfície É com base em sistemas

Leia mais

Gravitação IME 2s/2016. Lista de Exercícios 1

Gravitação IME 2s/2016. Lista de Exercícios 1 Gravitação 4300156 IME 2s/2016 Lista de Exercícios 1 Q1 A figura mostra os comprimentos da sombra de uma barra vertical fincada em Porto Alegre ao longo do dia. Com base nisso, responda e justifique as

Leia mais

Lista de Geografia I Data da entrega: 21/03/2016

Lista de Geografia I Data da entrega: 21/03/2016 Lista de Geografia I Data da entrega: 21/03/2016 Questão 01) Aparecida de Goiânia, / /2016. Aluno(a): 1ª série Professor: Edu Marinho Considerando a posição geográfica do território brasileiro ilustrada

Leia mais