1. RISCOS ASSOCIADOS À ÁGUA MEDIDAS GERAIS DE ACTUAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. RISCOS ASSOCIADOS À ÁGUA MEDIDAS GERAIS DE ACTUAÇÃO"

Transcrição

1 Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: SECA: Medidas de Actuação e Recomendações à População Nº: 16/DSA DATA: 10/05/05 Para: Contacto na DGS: Administrações Regionais de Saúde, Coordenadores dos Centros Regionais de Saúde Pública, Delegados Regionais de Saúde Pública e Autoridades de Saúde Divisão de Saúde Ambiental Face à situação de Seca que se vive no País urge implementar medidas excepcionais que minimizem os efeitos deste problema meteorológico e hidrológico na saúde pública. Importa referir que os principais riscos para a saúde humana provenientes de uma situação de seca estão, essencialmente, associados ao aumento potencial de doenças transmitidas pela água e pelos alimentos, a um agravamento das doenças alérgicas mas, igualmente, a um incremento de vectores e reservatórios de doenças transmissíveis e à ocorrência de incêndios. 1. RISCOS ASSOCIADOS À ÁGUA MEDIDAS GERAIS DE ACTUAÇÃO Reforçar a vigilância sanitária e a monitorização da qualidade da água para os diferentes usos, água para consumo humano, balneares e recreativas com especial incidência nos indicadores microbiológico e nos subprodutos resultantes do tratamento da água; Desenvolver planos de acção e programas de prevenção com vista a implementar medidas de minimização os riscos para a saúde pública; Desenvolver metodologias de comunicação dos riscos à população. 1.1 ÁGUAS PARA CONSUMO HUMANO Levantamento imediato de todas as fontes de abastecimento de água alternativas às actualmente existentes; As fontes de abastecimento de água alternativas devem ser sujeitas a uma acção de vigilância e monitorização apertadas, pelo menos do ponto de vista microbiológico e da vigilância da zona envolvente, devendo também englobar uma análise química sumária;

2 Deverão reforçar-se as medidas de protecção das captações; Os Laboratórios de Saúde Pública devem estar preparados para efectuarem a monitorização da qualidade da água, pelo menos do ponto de vista microbiológico e sempre que se suspeite da existência de outros parâmetros que prejudiquem a saúde; Deve-se prever o aconselhamento às populações afectadas sobre as medidas básicas necessárias para uma correcta desinfecção da água (por fervura e por via química), quando se trate de origens particulares (poços, furos, nascentes, minas etc ); Quando da distribuição de água à população se processe directamente a partir de autotanques devem-se reforçar as medidas de aconselhamento do ponto de vista hígiosanitário, nomeadamente as referentes aos recipientes de recolha (devem estar limpos e permitir o seu fecho hermético), ao seu armazenamento posterior e reforço da desinfecção; Sempre que as análises indiciem a presença de Cianobactérias, Giardia sp. e Cryptosporidium sp, dever-se-á proceder à interdição do uso da água para o fim a se destina. Em todas as situações deve-se avaliar o potencial risco para a saúde humana, recorrendo-se sempre que possível a estudos epidemiológicos; As doenças hídricas que forem referenciadas nestas áreas de intervenção, devem seguir os procedimentos de Doenças de Declaração Obrigatórias (DDO) ao abrigo das disposições contidas na Decisão n.º 2119/1998/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, assim como o estipulado na Portaria nº 1071/98, de 31 de Dezembro, quando aplicável e pelo SARA nos restantes casos, devendo ser sempre comunicadas a esta Direcção-Geral. RECOMENDAÇÕES À POPULAÇÃO Dever-se-á recomendar á população o consumo de água engarrafada quando não é possível o abastecimento público. A título excepcional e como medida pontual caso se recorra a uma fonte de abastecimento alternativa aconselham-se as seguintes precauções: 2

3 a) Desinfecção por fervura A fervura é uma maneira eficaz de destruir praticamente todos os micorganismos potencialmente patogénicos ou para o homem, sejam bactérias ou parasitas. Como proceder: - Ferver a água durante dez minutos, contados a partir do momento em que atinge o ponto de ebulição (este só é atingido quando a superfície da água se agita violentamente e são expelidas bolhas gasosas). O recipiente deverá estar tapado para evitar perdas por evaporação; - Adicionar uma gota de limão à água fervida para melhorar o seu sabor; - A água deve ser colocada em recipiente próprio, correctamente tapado e de preferência em local fresco; - Aconselha-se um período de armazenamento de 1 dia nas condições anteriores, antes de ser consumida. b) Desinfecção química Os principais produtos a usar na desinfecção da água são à base de cloro. Deve-se recorrer ao uso de solutos de hipoclorito de sódio, sem corantes nem detergentes. Como proceder: - Adicionar solutos de hipoclorito de sódio à água a desinfectar nas doses abaixo referidas, recorrendo ao uso de conta-gotas - verificar sempre a concentração referenciada no rótulo da embalagem; - O hipoclorito de sódio normalmente disponível no mercado tem uma concentração garantida de 10% a 13% em cloro disponível (100 g/litro a 130 g/litro de soluto). Concentração de soluto de hipoclorito de sódio, em cloro disponível Doses para a quantidade de água a desinfectar Em % Em g/litro 1 litro 2 litros 10 litros 1% 10 g/l 4 gotas 8 gotas 2 ml 2% 20g/l 2 gotas 4 gotas 1ml 4% 40g/l 1 gota 2 gotas 10 gotas 8% 80g/l - 1 gota 5 gotas 10% 100g/l - 1 gota 4 gotas 3

4 - Misturar bem; - Deixar actuar o desinfectante durante 20 a 30 minutos; - No caso de dúvida da dose a utilizar, recomenda-se a adição de 2 gotas por litro de água; 1.2 ÁGUAS RESIDUAIS Não deve ser permitida a rega de produtos hortícolas para consumo em cru com águas residuais, devendo alertar-se as populações para os graves riscos de saúde pública daí decorrentes. 1.3 ÁGUAS BALNEARES E RECREATIVAS Todas as zonas balneares de origem fluvial e albufeiras devem ser sujeitas a um reforço da vigilância sanitária bem como da zona envolvente. É importante avaliar a presença de florescência de cianobactérias. Deverão ser analisados outros parâmetros considerados necessários para avaliação do risco, tendo em conta os dados ambientais e/ou epidemiológicos; Os Laboratórios de Saúde Pública devem estar preparados para efectuarem a monitorização da qualidade da água, pelo menos do ponto de vista microbiológico e sempre que possível físico-químico; Dever-se-á proceder à divulgação e aconselhamento à população das medidas a tomar aquando de uma água imprópria para uso balnear e recreativo; Em todas as situações deve-se avaliar o potencial risco para a saúde humana; As potenciais doenças associadas á utilização destes meios hídricos que forem referenciadas nestas áreas de intervenção, devem ser sempre comunicadas a esta Direcção-Geral. RECOMENDAÇÕES À POPULAÇÃO O uso de uma água imprópria para banhos e fins recreativos poderá originar riscos acrescidos para a saúde, nomeadamente: Dermatites; Irritação dos olhos e conjuntivites; 4

5 Otites; Gastroenterites; Diarreias. À informação usual disponibilizada nos placares correspondentes à divulgação da qualidade da água da praia em uso, também deverá constar informação simples e clara dos riscos para a saúde decorrentes da utilização da zona balnear nas suas várias vertentes. 2. RISCOS ASSOCIADOS À OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS Com o tempo seco ocorre um acréscimo de incêndios florestais e urbanos. Os riscos para a saúde das populações devido à ocorrência de um incêndio, estão associados aos poluentes emitidos com a combustão bem como dos riscos associados ao seu combate como acidentes, queimaduras, asfixia, desidratação entre outros. De entre os poluentes emitidos pelos incêndios destacam-se as partículas, os óxidos de azoto, o dióxido de enxofre e o monóxido de carbono, ocasionando: Problemas respiratórios; Problemas oculares; Problemas dermatológicos Para mais informações consulte as recomendações para a população em geral dos Riscos para a saúde resultantes da ocorrência de incêndios disponível no site desta Direcção Geral da Saúde. Os serviços prestadores de cuidados de saúde, de nível regional e local, deverão organizar-se de forma a dar resposta adequada ao tipo de ocorrências que possam surgir neste contexto. 5

6 3. RISCOS ASSOCIADOS A UM AUMENTO POTENCIAL DE ALERGIAS E PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS O tempo seco poderá ocasionar um risco acrescido de alergias e de um aumento de problemas de foro respiratório, dado a concentração dos poluentes na atmosfera. Os serviços prestadores de cuidados de saúde, de nível regional e local, deverão organizar-se de forma a dar resposta adequada ao tipo de ocorrências que possam surgir neste contexto. 4. RISCOS ASSOCIADOS A UM AUMENTO VECTORES E RESERVATÓRIOS DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS Importa ainda referir que a seca poderá ter impacto na proliferação de vectores e reservatórios de agentes patogénicos. Dever-se-á ter especial atenção com locais a onde existam águas paradas, estagnadas ou poluídas e, igualmente, com os sistemas de águas residuais domésticas, individuais ou colectivas. Para mais informações consulte o site da Direcção-Geral da Saúde, nomeadamente na área de intervenção da Divisão de Saúde Ambiental. Acresce a necessidade de referir as recomendações descritas no Plano do Uso Eficiente da Água que se encontra disponível no site do INAG (www.inag.pt) de forma a se poder contribuir para o uso mais eficaz da água. O Director-Geral e Alto Comissário da Saúde (Prof.Doutor José Pereira Miguel) 6

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS Os incêndios florestais e urbanos para além das consequências económicas e ambientais, representam riscos para a saúde das populações decorrentes

Leia mais

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov.

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov. Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA 08 de abril de 05 Orientações à população para uso da Água Diante da atual situação de desabastecimento

Leia mais

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov.

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov. Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA 08 de abril de 05 Orientações à população para uso da Água Diante da atual situação de desabastecimento

Leia mais

Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja

Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja Sector da Limpeza Industrial www.campanhaquimicos.eu Avaliação de riscos na utilização de substâncias perigosas Campanha Europeia CARIT Comité dos

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA HIPOCLORITO DE SÓDIO

FICHA DE SEGURANÇA HIPOCLORITO DE SÓDIO Pag.1/8 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Identificação da substância: Nome do Produto: Hipoclorito de Sódio (Cloro activo: 12 15%) 1.2 Utilização da substância Principais aplicações: Tratamento

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Material Circulante

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Material Circulante Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Material Circulante Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação

Leia mais

Margarida Cosme Médica de Saúde Pública Comemorações Dia Mundial da Saúde

Margarida Cosme Médica de Saúde Pública Comemorações Dia Mundial da Saúde Alterações Climáticas Impactos na saúde Margarida Cosme Médica de Saúde Pública Comemorações Dia Mundial da Saúde A actividade humana está a afectar o clima, com repercussão na saúde das populações! As

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Página: 1 Data de compilação: 10.03.2014 Nº de Revisão: 1 Secção 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto Nome do produto: Código de stock: DF1513 1.2.

Leia mais

: Entecavir monohydrate CRS

: Entecavir monohydrate CRS Data de emissão: 18/12/2015 Data da redacção: Substitui a ficha: Versão: 1.0 SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto Forma do produto : Substância

Leia mais

Porquê ler este documento? Por quem é elaborada a informação?

Porquê ler este documento? Por quem é elaborada a informação? Informação a comunicar ao público sobre estabelecimento abrangido pelo regime de prevenção de acidentes graves que envolvem substâncias perigosas Dow Portugal Porquê ler este documento? Este documento

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010)

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO CE N.o 1907/2006 - REACH) Data: 30/01/2012 Página 1/5 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA

Leia mais

Respostas para artigo de Saúde Ambiental Jornal Água & Ambiente

Respostas para artigo de Saúde Ambiental Jornal Água & Ambiente Respostas para artigo de Saúde Ambiental Jornal Água & Ambiente 1. É notório um significativo impacto na saúde humana decorrente de factores de risco ambientais tanto ao nível da morbilidade como da mortalidade

Leia mais

Valongo. Laurinda de Queirós Delegada de Saúde Maia/Valongo

Valongo. Laurinda de Queirós Delegada de Saúde Maia/Valongo 24 de Abril 2014 Valongo Laurinda de Queirós Delegada de Saúde Maia/Valongo Sumário Introdução Vigilância da água para consumo humano Vl Valongo Histórico Situação atual Comentário final Rio Ferreira Rio

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO CE N.o 1907/2006 - REACH) Data: 29/06/2011 Página 1/5 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA

Leia mais

Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja

Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja Substâncias perigosas: Esteja atento, avalie e proteja Sector da Panificação www.campanhaquimicos.eu Avaliação de riscos na utilização de substâncias perigosas Campanha Europeia CARIT Comité dos Altos

Leia mais

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice

COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA. Índice COLÉGIO DA TROFA GRIPE A PLANO DE CONTINGÊNCIA Índice 1. Introdução 2. Objectivo 3. Âmbito de aplicação 4. Activação do plano 4.1. Cadeia de Gestão 4.2. Cadeia de Comando e Controlo 4.3. Actividades Essenciais

Leia mais

PRODUTO: QUIVI LIMPA VIDROS Detergente para limpar e desengordurar superfícies lisas tais como vidros e cristais.

PRODUTO: QUIVI LIMPA VIDROS Detergente para limpar e desengordurar superfícies lisas tais como vidros e cristais. FICHA TÉCNICA Nº 4 PRODUTO: Detergente para limpar e desengordurar superfícies lisas tais como vidros e cristais. CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS: Detergente líquido, baixa viscosidade, baixa espuma, cor

Leia mais

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança:

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança: Seguir as Regras de Segurança: 1. Seguir sempre as recomendações e instruções de aplicação dos produtos de limpeza e de desinfecção. 2. Observar os pictogramas de perigo, as advertências de perigo e as

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET GAM

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET GAM Pág. 1 de 5 1.- IDENTIFICAÇÃO DA PREPARAÇÃO E DA SOCIEDADE OU EMPRESA Identificação da substância ou da preparação: Utilização da substância ou da preparação: Gel de acção rápida para a desinfecção higiénica

Leia mais

UVW 9. SÍNTESE DE IMPACTES

UVW 9. SÍNTESE DE IMPACTES 9. SÍNTESE DE IMPACTES Um dos objectivos fundamentais deste Estudo de Ambiental é o de identificar os impactes diferenciais da utilização de RIP como combustíveis alternativos. Assim, a existência ou não

Leia mais

1) O que entende por contaminação cruzada? Cite algumas medidas de prevenção da contaminação cruzada. 2) Quais as categorias de perigos que conhece? 3) Dê alguns exemplos de Perigos Biológicos. 4) Quais

Leia mais

FICHAS DE SEGURANÇA segundo 93/112/CEE (rev. 2001/58/CE)

FICHAS DE SEGURANÇA segundo 93/112/CEE (rev. 2001/58/CE) FICHAS DE SEGURANÇA segundo 93/112/CEE (rev. 2001/58/CE) 1. Identificação da Preparação e da Empresa Nome Comercial: Sista Solyplast Neutra Silicone Fabricante/Fornecedor: Henkel Adhesivos y Tecnologias,

Leia mais

Nós precisamos de beber água para sobreviver!... A. água representa cerca de 60 a 70% do peso corporal e é. do organismo ocorram adequadamente.

Nós precisamos de beber água para sobreviver!... A. água representa cerca de 60 a 70% do peso corporal e é. do organismo ocorram adequadamente. A Água A água é o centro da vida! Nós precisamos de beber água para sobreviver!... A água representa cerca de 60 a 70% do peso corporal e é indispensável a todas as funções do organismo, designadamente,

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1

PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 PLANO DE CONTINGÊNCIA DO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E TRABALHO (ISET) PANDEMIA H1N1 No seguimento das recomendações efectuadas pelas autoridades de saúde nacionais, entendeu o Instituto Superior de

Leia mais

SECÇÂO 1. Identificação da substancia/preparação e da sociedade

SECÇÂO 1. Identificação da substancia/preparação e da sociedade Pagina: 1 de 7 SECÇÂO 1. Identificação da substancia/preparação e da sociedade 1.1 Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa Tipo de produto quimico Nome Comercial Mistura 1.2 Utilizações

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO (CE) n 1907/2006 - REACH) Data : 11/05/2015 Página 1/6 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA

Leia mais

Ficha de dados de segurança conforme 1907/2006/EC (REACH), 453/2010/EC SAIREN A

Ficha de dados de segurança conforme 1907/2006/EC (REACH), 453/2010/EC SAIREN A SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/MISTURA E DA SOCIEDADE/EMPRESA 1.1 1.2 1.3 1.4 Identificador do produto: Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas:

Leia mais

Plano Nacional de Gestão de Resíduos 2011-2020 (PNGR)

Plano Nacional de Gestão de Resíduos 2011-2020 (PNGR) Plano Nacional de Gestão de Resíduos 2011-2020 (PNGR) Em consulta pública O Projecto de Plano Nacional de Gestão de Resíduos (PNGR 2011-2020), bem como o Relatório Ambiental e o Resumo Não Técnico da Avaliação

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Pag. 1/6 Número de Telefone de Emergência Centro de Informação Anti-Venosos (CIAV): 808 250 143 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Identificação da substância: Nome do Produto: INCKGROU- Incrementador

Leia mais

Ficha de dados de segurança

Ficha de dados de segurança 1/2/2008, revisione 1 (2001/58/CE) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA SOCIEDADE Nome comercial: CTX-120 Hipoclorito Granulado Tipo de produto e emprego: desinfectante Fornecedor: AQUA AMBIENTE,S.A Estrada

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P.

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P. 2 O r g a n i z a ç ã o e m U n i d a d e s C a p i t a l i z á v e i s Área de Formação 850. Protecção do Ambiente Itinerário de Formação 85001. Operação de Sistemas Ambientais Saída Profissional Designação:

Leia mais

AGENTE DESENTUPIDOR DE CANALIZAÇÕES

AGENTE DESENTUPIDOR DE CANALIZAÇÕES 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA / PREPARAÇÃO E DA SOCIEDADE IDENTIFICAÇÃO: APRESENTAÇÃO: FORNECEDOR: DESISTARK Agente fortemente ácido destinado ao desentupimento de canalizações de esgoto. Desicosmo Desinfestação,

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO CE N.o 1907/2006 - REACH) Data: 24/08/2012 Página 1/6 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA

Leia mais

Actualização de dados da Declaração Ambiental

Actualização de dados da Declaração Ambiental Actualização de dados da Declaração Ambiental 2 0 0 5 G U I M A R Ã E S REG. Nº P-000014 Actualização de dados da Declaração Ambiental 2005 Índice 1. Política de Qualidade e Ambiente 4 2. Aspectos Gerais

Leia mais

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino

GRIPE A (H1N1) v. Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino GRIPE A (H1N1) v Planos de Contingência para Creches, Jardins-de-infância, Escolas e outros Estabelecimentos de Ensino Orientações para a sua elaboração Este documento contém: Metodologia de elaboração

Leia mais

ECODEPUR DEPURWASH. Sistema de Tratamento e. Reciclagem de Águas de Lavagem. v1.2-200213

ECODEPUR DEPURWASH. Sistema de Tratamento e. Reciclagem de Águas de Lavagem. v1.2-200213 ECODEPUR DEPURWASH Sistema de Tratamento e v1.2-200213 Reciclagem de Águas de Lavagem ENQUADRAMENTO A água potável é um bem cada vez mais escasso, e deverão ser efectuados todos os esforços para preservar

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO (CE) n 1907/2006 - REACH) Versão 3.1 (25/06/2015) - Página 1/6 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: Avaliação Ambiental Estratégica Recomendações para a integração e apreciação da Componente Saúde Humana nos Planos Municipais de Ordenamento do Território Nº: 36/DA DATA:09.10.09 Para: Contacto

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA: ZOTAL LABORATÓRIOS ZOTAL, S. L. UNIVETE, S. A. 41900 Camas (Sevilla) Tel: 21 3041230 Espanha Fax: 21 3041233

FICHA DE SEGURANÇA: ZOTAL LABORATÓRIOS ZOTAL, S. L. UNIVETE, S. A. 41900 Camas (Sevilla) Tel: 21 3041230 Espanha Fax: 21 3041233 FICHA DE SEGURANÇA: ZOTAL Identificação do fabricante: Identificação do distribuidor: LABORATÓRIOS ZOTAL, S. L. UNIVETE, S. A. Ctra. N. 630, KM 809 Rua D. Jerónimo Osório, 5 - B Apdo. De Correos, 4 1400-350

Leia mais

LEGISLAÇÃO E DOCUMENTOS NORMATIVOS ESPECÍFICOS DE ACORDO COM A NATUREZA JURÍDICA DAS ENTIDADES ESTABELECIMENTOS E SERVIÇOS INTEGRADOS

LEGISLAÇÃO E DOCUMENTOS NORMATIVOS ESPECÍFICOS DE ACORDO COM A NATUREZA JURÍDICA DAS ENTIDADES ESTABELECIMENTOS E SERVIÇOS INTEGRADOS LEGISLAÇÃO E DOCUMENTOS NORMATIVOS ESPECÍFICOS DE ACORDO COM A NATUREZA JURÍDICA DAS ENTIDADES ESTABELECIMENTOS E SERVIÇOS INTEGRADOS Portaria n.º 355/97, de 28 de Maio Aprova o modelo do livro de reclamações

Leia mais

(Segundo o Decreto de Lei nº82/2003)

(Segundo o Decreto de Lei nº82/2003) (Segundo o Decreto de Lei nº82/2003) 1. Identificação da substância/ Produto da empresa: 1.1. Identificação da preparação: ECODESIN GEL 1.2. Utilização da preparação: GEL DESINFECTANTE BRANQUEDOR COM CLORO

Leia mais

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS I IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, bilhete

Leia mais

2. Existem actividades dentro do sector dos alimentos para animais que estejam isentas de registo ou aprovação?

2. Existem actividades dentro do sector dos alimentos para animais que estejam isentas de registo ou aprovação? PERGUNTAS MAIS FREQUENTES- ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. Que estabelecimentos carecem de registo ou aprovação no âmbito do sector dos alimentos para animais? Todos os estabelecimentos, em nome singular ou colectivo,

Leia mais

PARECER N.º 26/CITE/2006

PARECER N.º 26/CITE/2006 PARECER N.º 26/CITE/2006 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadora grávida, nos termos do n.º 1 do artigo 51.º do Código do Trabalho, conjugado com a alínea b) do n.º 1 do artigo 98.º da

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO CE N.o 1907/2006 - REACH) Versão 8.1 (19/12/2012) - Página 1/5 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Ficha de Segurança. 1. Identificação da preparação e da companhia

Ficha de Segurança. 1. Identificação da preparação e da companhia 1. Identificação da preparação e da companhia Nome do Produto/Preparação Código do produto Uso específico Ver Ficha Técnica do Produto. Métodos de aplicação Ver Ficha Técnica do Produto. Nome da Empresa

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033 / 04

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033 / 04 1/8 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1. Nome: 1.2. Aplicações: Este produto destina-se a executar fixações em áreas de tráfico. 1.2. Entidade Responsável: 1.3. Telefone de Emergência: Saint-Gobain

Leia mais

PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V

PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V PREVENÇÃO DA GRIPE A(H1N1)V Gripe A(H1N1)v Quais os sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: RECOMENDAÇÕES Qual o modo de contágio? Pessoa a pessoa através de gotículas quando tosse

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA. Diário da República, 1.ª série N.º 229 26 de novembro de 2014 5977

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E ENERGIA. Diário da República, 1.ª série N.º 229 26 de novembro de 2014 5977 Diário da República, 1.ª série N.º 229 26 de novembro de 2014 5977 c) Atualização dos planos a que se refere a alínea a): 130 ; d) Atualização dos planos a que se refere a alínea b): 1230. 2 As importâncias

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) LAT 54

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) LAT 54 LAT 54 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do Produto: LAT 54 - DETERGENTE SEMIPASTOSO ESPUMANTE Identificação da Empresa: Química Foz do Iguaçu Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda.

Leia mais

ANÁLISE EXTERNA ANÁLISE INTERNA

ANÁLISE EXTERNA ANÁLISE INTERNA 3. DIAGNÓSTICO ESTRATÉGICO Neste último sub-capítulo do diagnóstico procurar-se-ão cruzar as diversas componentes analisadas nos pontos anteriores, numa dupla perspectiva: Análise externa - a avaliação

Leia mais

Recomendação ERSAR n.º 1/2010

Recomendação ERSAR n.º 1/2010 Recomendação ERSAR n.º 1/2010 CONTEÚDOS DAS FACTURAS DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO, DE SANEAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS URBANAS E DE GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS PRESTADOS

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (REGULAMENTO (CE) n 1907/2006 - REACH) Versão 2.1 (30/01/2014) - Página 1/5 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 453/2010) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

4. PRINCÍPIOS DE PLANEAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS

4. PRINCÍPIOS DE PLANEAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS 4. PRINCÍPIOS DE PLANEAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS A abordagem estratégica que se pretende implementar com o Plano Regional da Água deverá ser baseada num conjunto de princípios nucleares que, sendo unanimemente

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: SULFATO DE ALUMÍNIO E POTÁSSIO - Código interno de identificação do produto: S1049 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios

Leia mais

PORTAL DA EMPRESA DOCUMENTOS INSTRUTÓRIOS. Estabelecimento industrial tipo 1 - autorização prévia para instalação. 29_10_2011 Página 1 de 5

PORTAL DA EMPRESA DOCUMENTOS INSTRUTÓRIOS. Estabelecimento industrial tipo 1 - autorização prévia para instalação. 29_10_2011 Página 1 de 5 1 - a) Projeto de instalação com o conteúdo previsto no n.º 2; b) Pagamento da taxa que for devida nos termos do regime de exercício da atividade industrial; c) Identificação da decisão sobre o pedido

Leia mais

Material Safety Data Sheet OP9011 TROWELABLE FAIRING COMPOUND CURING AGENT Version No: 2 Revision Date: 18/02/2003

Material Safety Data Sheet OP9011 TROWELABLE FAIRING COMPOUND CURING AGENT Version No: 2 Revision Date: 18/02/2003 1. Identificação da preparação e da companhia Nome do Produto/Preparação Código do produto Uso específico Ver Ficha Técnica do Produto. Só para uso profissional Métodos de aplicação Ver Ficha Técnica do

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Data de preparação 15-Mar-2011 Numero de revisão 1 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/PREPARAÇÃO E DA SOCIEDADE/EMPRESA Nome do produto Cat No. Sinónimos Utilizações recomendadas CD0020 Produtos químicos de

Leia mais

: SESTAMIBI LABELLING KIT CRS

: SESTAMIBI LABELLING KIT CRS Data de emissão: 27/06/2013 Data da redacção: 27/06/2013 Substitui a ficha: 17/12/2009 Versão: 4.0 SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto Forma

Leia mais

REGULAMENTO DE GESTÃO DE RESÍDUOS NO PORTO DE AVEIRO. CAPÍTULO 1 Disposições gerais. Artigo 1.º Objectivo e Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DE GESTÃO DE RESÍDUOS NO PORTO DE AVEIRO. CAPÍTULO 1 Disposições gerais. Artigo 1.º Objectivo e Âmbito de aplicação REGULAMENTO DE GESTÃO DE RESÍDUOS NO PORTO DE AVEIRO CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º Objectivo e Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica-se a toda a área portuária e tem como objectivo

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA ÓXIDO DE CÁLCIO (Cal Viva)

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA ÓXIDO DE CÁLCIO (Cal Viva) ÓXIDO DE CÁLCIO (Cal Viva) 1.IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA / PREPARAÇÃO E DA EMPRESA 1.1 Identificação da Substância / Preparação Nome do produto: Óxido de Cálcio; Corretivos Agrícolas 1.2 Utilização da

Leia mais

Plano de Contingência

Plano de Contingência Plano de Contingência Gripe A (H1N1) Creche, Jardim-de-infância e ATL da ASSTAS Índice I INTRODUÇÃO... 2 II OBJECTIVOS... 3 III PREVENÇÃO E INFORMAÇÃO SOBRE A GRIPE A... 4 A) Quais os sintomas?... 4 B)

Leia mais

A Portaria n.º 631/2009 de 9 de Junho estabelece as normas relativas a:

A Portaria n.º 631/2009 de 9 de Junho estabelece as normas relativas a: REAP- Regime de Exercício da Actividade Pecuária Norma de preenchimento do Caderno de Campo Objectivos O Caderno de Campo constitui um documento imprescindível para assegurar uma adequada gestão dos efluentes

Leia mais

De acordo com o Regulamento (CE) 453/2010. 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas

De acordo com o Regulamento (CE) 453/2010. 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas 1 de 5 SECÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/MISTURA E DA SOCIEDADE/EMPRESA 1.1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Nome do produto: Urea Referência(s) de catálogo: MB19701, 1000 g Marca: NZYTech Número REACH: não

Leia mais

ASSUNTO: Certificação de Organizações de Formação do pessoal do controlo de tráfego aéreo, prevista na Lei n.º 6/2009, de 29 de Janeiro

ASSUNTO: Certificação de Organizações de Formação do pessoal do controlo de tráfego aéreo, prevista na Lei n.º 6/2009, de 29 de Janeiro INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I.P. C I R C U L A R D E I N F O R M A Ç Ã O A E R O N Á U T I C A PORTUGAL INFORMAÇÃO AERONÁUTICA Aeroporto da Portela / 1749-034 Lisboa Telefone: 21 842 35 02 / Fax:

Leia mais

Portugal CODIPOR. Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes

Portugal CODIPOR. Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes Portugal CODIPOR Rastreabilidade da Carne de Bovino Case Study Santacarnes ENQUADRAMENTO A Montebravo é a última empresa e a face mais visível, de uma organização composta por um circuito totalmente integrado

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Nome : %s - %s Data : 19/01/2016 Página 1/5 FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA (Regulamento REACH (CE) nº 1907/2006 - nº 2015/830) SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/MISTURA E DA SOCIEDADE/EMPRESA 1.1. Identificador

Leia mais

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 Capítulo I CONCEITOS GERAIS SOBRE EMBALAGEM 1. Introdução 2 2. As funções da embalagem 2 3. Classificação das embalagens 5 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 5. O ambiente e a embalagem

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA BRANQUEADOR CLORADO LINHA PROFISSIONAL

FICHA DE SEGURANÇA BRANQUEADOR CLORADO LINHA PROFISSIONAL Ficha de Segurança de acordo com Regulamento (CE) nº 1907/2006 (REACH). Classificação e Rotulagem de acordo com Regulamento para a Classificação, Embalagem e Rotulagem de Preparações perigosas. 1. Identificação

Leia mais

Biotecnologia Enquadramento Normativo da Segurança e Higiene no Trabalho

Biotecnologia Enquadramento Normativo da Segurança e Higiene no Trabalho Biotecnologia Enquadramento Normativo da Segurança e Higiene no Trabalho Maria Helena Franco, Alice C. Rodrigues, João Paulo Sousa Direcção de Serviços de Prevenção de Riscos Profissionais (DSPRP), Instituto

Leia mais

Segurança e saúde no trabalho

Segurança e saúde no trabalho Segurança e saúde no trabalho A empresa tem a responsabilidade legal de assegurar que os trabalhadores prestam trabalho em condições que respeitem a sua segurança e a sua saúde. A empresa está obrigada

Leia mais

Ficha de Dados de Segurança. Cloreto de Sódio

Ficha de Dados de Segurança. Cloreto de Sódio Ficha de Dados de Segurança Cloreto de Sódio 1. Identificação da substância e da empresa 1.1 Identificação da substância ou do preparado Denominação: Sódio Cloreto Segundo Regulamento (CE) 1907/2006 1.2

Leia mais

(Breve caracterização do concelho)

(Breve caracterização do concelho) Percursos de Saúde Ambiental 2009/05/15 Percurso Pessoal 1991-94 1º Curso de (Higiene e) Saúde Ambiental,no Porto 1997-98 Licenciatura, no Porto 2 Percurso Pessoal Departamento de Saúde Pública Delegado

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA Cutan Alcohol Gel

FICHA DE SEGURANÇA Cutan Alcohol Gel Data da revisão 15/02/2011 FICHA DE SEGURANÇA SECÇÃO 1: IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/MISTURA E DA SOCIEDADE/EMPRESA 1.1. Identificador do produto Denominação/designação comercial Núm. de produto CAG47GSP,

Leia mais

EFICIÊNCIA HÍDRICA. Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique. Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010

EFICIÊNCIA HÍDRICA. Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique. Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010 EFICIÊNCIA HÍDRICA Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010 Novembro de 2010 1. Introdução A água é um bem essencial à vida e indispensável

Leia mais

http:// www.insa.pt _ consumo de água de nascentes naturais Um problema de saúde pública. _DSA Departamento de Saúde Ambiental 2010 _Nascentes Naturais 01 _Introdução A convicção, ainda hoje frequente

Leia mais

1 Designação comercial da substância e identificação da empresa

1 Designação comercial da substância e identificação da empresa 1 Designação comercial da substância e identificação da empresa Identificação do nome do rótulo/designação comercial Utilização da substância/preparação Cosméticos/Cuidado pessoal Para emergência química

Leia mais

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE PISCINAS PÚBLICAS (TIPO 1)

PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE PISCINAS PÚBLICAS (TIPO 1) PROGRAMA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE PISCINAS PÚBLICAS (TIPO ) Coordenadoras Cláudia Arcanjo, Técnica de Saúde Ambiental Lola Monteiro, Técnica de Saúde Ambiental Rosete Lourenço, Técnica de Saúde Ambiental

Leia mais

METASSILICATO DE SÓDIO

METASSILICATO DE SÓDIO pág.:1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: - Código interno de identificação do produto: 00331 - Nome da empresa: Casquimica Produtos Químicos Ltda - Endereço: Rua Castro Alves,

Leia mais

Ficha de dados de segurança

Ficha de dados de segurança Página 1 de 6 SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto 1.2. Utilizações identificadas relevantes da substância ou mistura e utilizações desaconselhadas

Leia mais

Ficha de Dados de Segurança

Ficha de Dados de Segurança Ficha de Dados de Segurança (Em conformidade com o REGULAMENTO DA COMISSÃO [UE] N.º 453/2010) Identificador do produto SECÇÃO 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa Código do produto

Leia mais

Recomendação IRAR n.º 05/2007

Recomendação IRAR n.º 05/2007 Recomendação IRAR n.º 05/2007 DESINFECÇÃO DA ÁGUA DESTINADA AO CONSUMO HUMANO Considerando que: Os dados da qualidade da água para consumo humano reportados anualmente pelas entidades gestoras revelam

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR

MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR MINUTA DE CONTRATO DE ATRIBUIÇÃO DE APOIOS FINANCEIROS A PESSOAS COLECTIVAS PRIVADAS SEM FINS LUCRATIVOS PROGRAMA MODELAR Entre O Primeiro Outorgante, A Administração Regional de Saúde de. IP, adiante

Leia mais

INFECÇÃO ASSOCIADA AOS CUIDADOS DE SAÚDE (IACS)

INFECÇÃO ASSOCIADA AOS CUIDADOS DE SAÚDE (IACS) 25 de Novembro de 2008 Cristina Santos; Esmeralda Santos; Fernando Campos INFECÇÃO ASSOCIADA AOS CUIDADOS DE SAÚDE (IACS) DEFINIÇÃO É uma infecção adquirida pelos doentes em consequência dos cuidados e

Leia mais

ANEXO I CONCLUSÕES CIENTÍFICAS APRESENTADAS PELA EMEA

ANEXO I CONCLUSÕES CIENTÍFICAS APRESENTADAS PELA EMEA ANEXO I CONCLUSÕES CIENTÍFICAS APRESENTADAS PELA EMEA CONCLUSÕES CIENTÍFICAS O fundamento do procedimento de arbitragem foi o intervalo de segurança de zero dias.os Países Baixos mostraram-se inquietos

Leia mais

FISPQ - Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR-14725 Mixtinter Laranja HOR 16L Página 1 / 6

FISPQ - Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos em acordo com a NBR-14725 Mixtinter Laranja HOR 16L Página 1 / 6 Mixtinter Laranja HOR 16L Página 1 / 6 1. Identificação do produto e da empresa Nome comercial: Mixtinter Laranja HOR nº Material: 238961 16L nº Material:238961 Código Interno de Produto : 000000393778

Leia mais

v1.8-060312 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858

v1.8-060312 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858 Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL Classe 1 de acordo com a Norma EN858 APRESENTAÇÃO Os Separadores de Hidrocarbonetos, tipo ECODEPUR, Gama DEPUROIL, são equipamentos destinados

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA. Prego Líquido em Cartucho 0061-010

FICHA DE SEGURANÇA. Prego Líquido em Cartucho 0061-010 Página: 1 de 5 F+ : Extremamente Inflamável Xn : Nocivo Apresentamos os novos e correspondentes Pictogramas, segundo o novo Regulamento CRE (classificação, rotulagem e embalagem) (Regulamento (CE) n.º

Leia mais

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A

QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA. Plano de Contingência para a Pandemia da Gripe A QUINTA DOS SONHOS Creche Jardim de Infância ÉVORA Plano de Contingência para a Pandemia da Ano Lectivo 2009/2010 1. Coordenação do plano: A coordenação global do plano é da responsabilidade da Direcção

Leia mais

Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas

Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas JohnsonDiversey Solubex 20 Produto para proteger e dar brilho em superfícies de plástico e borrachas Não deixa resíduos nem mela os pneus A formulação balanceada de Solubex 20 permite a aplicação do produto

Leia mais

1 Que tipo de atividades estão sujeitas ao RERAE?

1 Que tipo de atividades estão sujeitas ao RERAE? Regime Extraordinário da Regularização de Atividades Económicas RERAE Perguntas Frequentes 1 Que tipo de atividades estão sujeitas ao RERAE? Podem apresentar pedido de regularização das atividades económicas

Leia mais

circundante de 20 metros de diâmetro. De um modo geral, os gases devem ser evacuados pelas chaminés ou saídas de gases verticalmente e para cima.

circundante de 20 metros de diâmetro. De um modo geral, os gases devem ser evacuados pelas chaminés ou saídas de gases verticalmente e para cima. Instruções para controlo da poluição por fumos negros e oleosos e maus cheiros provenientes dos estabelecimentos de restauração e bebidas e estabelecimentos congéneres 1. Princípios gerais 1.1 No cumprimento

Leia mais

Lei nº 7653 DE 24/07/2014

Lei nº 7653 DE 24/07/2014 Lei nº 7653 DE 24/07/2014 Norma Estadual - Alagoas Publicado no DOE em 28 jul 2014 Dispõe sobre as atividades pertinentes ao controle da poluição atmosférica, padrões e gestão da qualidade do ar, conforme

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET ASPIRAÇÃO

FICHA TÉCNICA DE SEGURANÇA INSTRUNET ASPIRAÇÃO Pág. 1 de 5 1.- IDENTIFICAÇÃO DO PREPARADO E DA SOCIEDADE OU EMPRESA Identificação da substância ou preparado: Utilização da substância ou preparado: Desinfetante concentrado para todo o tipo de sistemas

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 2 CONHECIMENTO Ação 2.2 ACONSELHAMENTO Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

PROKITCHEN DETERGENTE DESINCRUSTANTE ALCALINO - LIMPA COIFA

PROKITCHEN DETERGENTE DESINCRUSTANTE ALCALINO - LIMPA COIFA PROKITCHEN DETERGENTE DESINCRUSTANTE ALCALINO - LIMPA COIFA 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1- FABRICANTE: Audax Química Ind. e Comércio de Produtos para Higiene e Limpeza Ltda. Rua José Ferragut

Leia mais

Norma de Orientação Farmacêutica Higienização das mãos Hygiènization des mains Hygienization of the hands

Norma de Orientação Farmacêutica Higienização das mãos Hygiènization des mains Hygienization of the hands p. 1 de 10k Norma de Orientação Farmacêutica Higienização das mãos Hygiènization des mains Hygienization of the hands 1ª EDIÇÃO Janeiro de p. 2 de 10k p. 3 de 10k Índice Introdução... 4 Campo de aplicação...

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: TIOCIANATO DE AMÔNIO - Código interno de identificação do produto: T1012 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: Ácido Bórico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: Ácido Bórico 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E EMPRESA Nome comercial: Ácido Bórico Código interno de identificação do produto: A020 Nome da Empresa: Endereço: Estrada Municipal Engenheiro Abílio Gondin Pereira, 72 Galpão

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS Página: 1/5 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: CLORETO DE OURO - Código interno de identificação do produto: C1111 - Nome da empresa: Labsynth Produtos para Laboratórios Ltda -

Leia mais