CLIPPING ELETRÔNICO. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CLIPPING ELETRÔNICO. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo"

Transcrição

1 Brasil Econômico Custo de telecomunicações diminui ao redor do mundo Preços de serviços de telefonia móvel caíram 22% Embora os preços dos serviços de telecomunicações estejam em queda ao redor do mundo, o custo dessas atividades é bem maior nos países mais pobres do globo. Segundo pesquisa divulgada pela União Internacional de Telecomunicações (ITU, na sigla em inglês), a média dos preços de serviços, como telefonia fixa, celular e banda larga ficou menor, devido principalmente à queda desses preços nos países em desenvolvimento. Na média mundial, em 2010 os consumidores pagavam 18% menos por esses serviços do que em De acordo com a pesquisa, os preços de serviços de telefonia móvel caíram 22% no mesmo período, enquanto de telefonia fixa recuou em média 7%. Para a banda larga, os preços diminuíram 52%. A queda foi maior nos países em desenvolvimento. Para a entidade, a redução nos preços reflete o nível elevado em que os preços se encontram nesses países. Os preços de banda larga nos países em desenvolvimento caíram 52%. Ainda que na metade do preço, o serviço continua inacessível para a maioria da população, diz a entidade. Já nos países avançados, os preços ficaram 35,4% mais baixos. De acordo com a pesquisa, os países que possuem os serviços mais baratos são aqueles em que a renda por habitante é mais elevada. No topo da lista, estão Mônaco, Macau, Liechtenstein, Hong Kong e Singapura. Nos países desenvolvidos, os preços de comunicações correspondem a menos de 1% da renda por habitante. Já nos países em desenvolvimento, esse conjunto de serviços custa 17% da renda média.

2 FNDC 17/05/2011 Oi e Telefônica apostam em fundos de investimento para apoiar empresas de inovação As duas maiores operadoras de telecom procuram inovadores nacionais Embora com estratégias diferentes, as duas maiores concessionárias de telecomunicações - Oi e Telefônica - começaram a investir no apoio à tecnologia nacional e inovação. A Telefônica, segundo seu presidente, Antonio Carlos Valente, criou um fundo de investimentos que vai apoiar dois tipos de empresas brasileiras:as pequenas empresas, e as empresas já constituídas, que precisam de capital para crescer. Já a Oi, informou Pedro Ripper, diretor de estratégia corporativa e novos negócios da Oi, criou um fundo financeiro para dois usos distintos: apoiar as iniciativa internas, além de estimular as pequenas empresas de inovação. Para Ripper, o setor ainda tem algumas janelas de oportunidades que permitem o ingresso da tecnologia brasileira, mas alerta que essas janelas podem se fechar rapidamente. Valente assinalou, por sua vez, que a prioridade da Telefônica é apoiar a soluções voltadas para a aplicação de vídeo e alternativas para as redes de superbanda larga.

3 Instituto Telecom Valeu a pena recriar a Telebrás? Na última semana, fez um ano que a Telebrás foi reativada pelo governo. A recriação tinha como objetivo auxiliar na execução do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) e fazer da estatal um regulador do mercado, fomentando a competição e estimulando preços mais baixos para o consumidor final. Hoje, cabe a pergunta: o papel definido para a Telebrás dentro do PNBL vem, de fato, sendo executado? Em entrevista ao Tele.Síntese, na semana passada, o presidente da Telebrás, Rogério Santana reafirmou o papel fundamental da Telebrás, garantindo que até 2014 a rede pública de banda larga chegará aos municípios previstos inicialmente. Só que, até agora, metas como a de atender 100 cidades em 2010 não foram atingidas. E dificilmente se chegará às previstas para Santana atribui a culpa do atraso às complexas negociações com a Eletrobrás, Furnas, Chesf, Eletronorte, Eletrosul e Petrobrás e destaca o corte no orçamento da Telebrás como mais um empecilho. Em primeiro lugar é importante lembrar que o PNBL foi lançado em maio de 2010 para responder ao diagnóstico de que, no Brasil, a banda larga é cara, lenta e concentrada principalmente nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A reativação da Telebrás e a MP 495, atual Lei /10, que garante a prioridade para equipamentos produzidos e desenvolvidos no país, permitiram passos importantes no sentido de mudar esse diagnóstico, como a assinatura de contratos com várias empresas nacionais como a Datacom, Digitel (consórcio formado pela Asga e a Gigacom) e Padtec para o fornecimento de equipamentos e serviços. Em que pese esses pontos positivos, a verdade é que o governo está deixando para a empresa um papel secundário dentro do objetivo de universalizar a banda larga. Isto ficou claro quando o Ministério das Comunicações estabeleceu como prioridade para que o PNBL seja bem sucedido, as negociações com as concessionárias. E nestas negociações cedeu às pressões das empresas e aceitou retirar do PGMU qualquer cláusula referente à banda larga. Ou seja, retirou obrigações contratuais em troca do compromisso das concessionárias alcançarem determinadas metas. Com isso, fez com que tanto o PGMU III quanto a Telebrás não sejam mais considerados estratégicos para alcançar o avanço da banda larga no país. O PGMU virou moeda de troca e a Telebrás, criada para pressionar as empresas privadas, poderá ficar com o incômodo papel de ter que levar a banda larga para aqueles que o mercado não tem interesse em atender. No modelo que está sendo desenhado, à Telebrás caberiam as obrigações de universalização, isto é, levar banda larga para os mais pobres enquanto as concessionárias permaneceriam com o modelo que sempre defenderam: oferecer banda larga somente para quem pode pagar por ela. Defensor desde a primeira hora da reativação da Telebrás, o Instituto Telecom considera que a resposta à pergunta inicialmente formulada é não. E insiste que a universalização só se dará se o serviço de banda larga for prestado em regime público. É dentro desta lógica que a Telebrás tem um papel fundamental para o PNBL. Se o regime público for ignorado, à Telebrás restará apenas o papel de mero coadjuvante do modelo definido pelo governo. Nota do Editor: Por conta de um problema técnico, o Nossa Opinião desta semana só pode ser postado no site nesta quarta-feira, ao invés de seguir o padrão às terça-feira. Mas, foi enviado normalmente para os leitores inscritos na nossa newsletter.

4 Instituto Telecom Preços de celulares continuam altos no Brasil, segundo UIT Segundo levantamento divulgado pela UIT a fatura de celular paga pelo consumidor brasileiro ainda é uma das mais altas do mundo, mas o preço médio da banda larga caiu mais no país que no resto do mundo. A tarifa de celular cobrada no país é cinco vezes mais alta que a dos países da Europa. A desigualdade entre os países também continua. Nos países considerados desenvolvidos, os consumidores pagam mais barato para ter internet e celulares de qualidade superior aos encontrados nos países subdesenvolovidos. Entre 2008 e 2010 o preço de serviço de celular no Brasil caiu 7% no país enquanto em escala global o valor diminuiu cerca de 22%. Mesmo na África, por exemplo, o valor caiu 25%. Enquanto nos países ricos o usuário gasta 1% da sua renda para os serviços de internet, nos países pobres o consumidor gasta mais de 50% de sua renda. A pesquisa detalhada será publicada em setembro pela UIT. A taxa cobrada no Brasil chega a ser cinco vezes maior que a cobrada pelas operadoras na Europa. Apenas 40 países de 161 analisados pelo levantamento da UIT tem celulares mais caros que o Brasil. Em todos os países sul-americanos o custo da tarifa de celular é menor que no Brasil. Conforme antecipado pelo secretário-geral da UIT, Hamadoun Touré, globalmente os preços de serviços de tecnologia e comunicação caíram 18%, entre 2008 e O órgão credita a queda à competição no setor. Os preços relativos aos serviços de celular caíram aproximadamente 22% entre 2008 e 2010, enquanto os custos de telefonia fixa diminuíram 7%. Banda larga Em contrapartida aos preços dos celulares, o custo dos serviços de internet no país caiu 64% enquanto na média global o valor caiu 52%. Mas essa queda não significa que os preços ficaram baratos. Enquanto uma assinatura de banda larga no Brasil comprometia 9,6% da renda em 2008, o valor em 2009 caiu para 4,58% da renda. Mas, nos países ricos, a internet corresponde a menos de 1% da renda mensal. Entre todos os governos analisados, a UIT estima que 70 países tem um serviço de internet mais barato que no Brasil. Em 91, a internet ainda é mais cara que no Brasil. Conforme a UIT, o acesso à banda larga é o real espelho do desenvolvimento de um país na difusão da internet e nos países mais caros, a banda larga ainda pode custar US$ 1,8 mil por mês, como no Burkina Fasso, ou US$1,6 mil em Cuba.

5 O Globo Fórum Econômico propõe serviços financeiros no celular para 2,5 bilhões Brasil, Índia, Colômbia e Indonésia são citados como prontos para expansão Serviços financeiros por meio de telefonia móvel são uma alternativa crescente para as mais de 2,5 bilhões de pessoas que não têm acesso a contas bancárias, segundo um relatório do Fórum Econômico Mundial divulgado ontem em Nova York. O estudo, realizado em 20 países emergentes da América Latina, África e Ásia, situa o Brasil, a Índia, a Colômbia e a Indonésia entre os mais bem preparados para a expansão dessa modalidade de serviço. Menos de 10% da população pesquisada utiliza o recurso, embora a cobertura de celular chegue perto de 100% em vários países. - Achamos que não havia clareza suficiente para fazer um ranking, porque os dados e serviços disponíveis em cada país são desiguais, mas o Brasil certamente está entre os mais bem colocados em termos de nível de preparação - disse James Bilodeau, diretor de Finanças de Mercados Emergentes do Fórum Econômico Mundial e um dos autores do relatório. Relatório diz que Brasil deveria favorecer inovação Entre os pontos fortes do Brasil, de acordo com o estudo, estão o alto índice de penetração do uso de celulares e um forte sistema de proteção ao consumidor. Como a maioria dos países pesquisados, o Brasil precisaria mexer na regulamentação do setor de telefonia móvel, recomenda o Fórum. Os reguladores devem lutar por políticas que favoreçam a inovação, e não que a inibam, diz o relatório. De acordo com Bilodeau, a oferta de serviços financeiros via telefonia móvel deve evoluir com a abertura de um portfólio maior, incluindo poupança, crédito e pequenos seguros. - Acredito que haja um potencial maior de crescimento aí, mais do que no microcrédito tradicional. Com o celular, o cliente cria uma identidade eletrônica, e todas as operações podem ser rastreadas, é tudo mais seguro - afirma o diretor do Fórum. Bilodeau afirma que seria mais fácil para as pessoas que hoje estão excluídas do sistema bancário tradicional construir um histórico de crédito dessa maneira, comprovando seus pagamentos por meio do celular. Uma poupança também poderia ser feita por intermédio das operadoras, com os clientes acumulando crédito em dinheiro (em vez de minutos) e até recebendo juros. Mas, para isso, as autoridades reguladoras teriam de permitir a oferta desse tipo de serviço. A tecnologia móvel oferece oportunidades sem precedentes para alcançar as pessoas pobres em lugares nos quais os serviços bancários tradicionais fracassaram historicamente. O desafio para os políticos dos países em desenvolvimento é encontrar maneiras de liberar esse canal mantendo um setor financeiro seguro - disse Alfred Hannig, diretor-executivo da Aliança para Inclusão Financeira.

6 Blog do Emir Cultura: mercadoria ou bem comum? Todo o programa neoliberal, assim como o diagnóstico que levou a ele, pode ser sintetizado em um ponto: desregulamentar. O diagnóstico de por que a economia tinha parado de crescer, depois do ciclo mais longo de expansão capitalista no segundo pos-guerra, se centrou no suposto excesso de regulamentação. O capital se sentiria inibido para investir, por estar cerceado por excesso de normas, leis, políticas, que bloqueariam a livre circulação do capital. Chegado ao governo, o neoliberalismo se pôs a privatizar patrimônio público, a diminuir o tamanho do Estado, a abrir as economias nacionais ao mercado internacional, a flexibilizar as relações de trabalho, entre tantas outras medidas padrão codificadas no chamado Consenso de Washington e colocadas em prática por governos às vezes com origens ideológicas distintas, mas todos rendidos ao pensamento único. Todas elas são formas de desregulamentação, de retiradas de supostos obstáculos à circulação do capital. Quando se privatizam empresas, se está levantando obstáculos para que o capital privado se aproprie delas, se está desregulamentando o mercado de propriedade de empresas. Quando se aceita a não obediência a normas básicas da legislação do trabalho para contratar trabalhadores, se está desregulamentando o mercado de trabalho. Assim para todas as medidas do receituário neoliberal. Promoveu-se assim, rapidamente, o maior processo de concentração de riqueza que tínhamos conhecido, tanto a nível nacional, quanto mundial. Sem proteções dos Estados, os mais frágeis, os mais pobres a grande maioria de cada sociedade, em especial as periféricas, - se viram indefesos diante das ofensivas do capital e dos Estados centrais do capitalismo. Direitos, como aqueles à educação e à saúde, foram deixando de ser direitos para se transformar em mercadorias, compráveis no mercado. Quem tem mais recursos, compra mais e melhor, em detrimento de quem não tem. Riquezas naturais, como a água passaram a ser mercadoras, compradas e vendidas. O Estado, principalmente nas suas funções reguladoras de afirmação dos direitos contra a voracidade do capital passou a ser vítima privilegiada dos ataques neoliberais, pregando-se o Estado mínimo e a primazia do mercado, isto é, da concorrência feroz, em que os mais fortes e mais ricos ganham sempre. Até a cultura foi vítima de um grande embate, para definir se se trata de uma mercadoria mais ou de um bem comum. Do ponto de vista institucional o debate se deu para definir se a cultura deveria ser objeto da Organização Mundial do Comércio (OMC) e, portanto, uma mercadoria a mais, ou no âmbito da Unesco, considerada como patrimônio da humanidade, como bem comum, com as devidas proteções. Terminou triunfando esta segunda versão apesar da brutal oposição e pressão dos EUA, que chegaram a se retirar da Unesco. Foi um momento muito importante de resistência ao neoliberalismo, que queria reduzir também a capacidade de cada povo, de cada nação, de cada setor da sociedade, de afirmar suas identidades

7 Continuação... específicas, dissolvidas pela globalização. Queriam desregulamentar também a cultura, deixá-la ao sabor das relações de mercado, sem proteção de regulações estatais. Mas o embate não terminou por aí, porque o poder avassalador dos capitais privados, nacionais e internacionais, é um fluxo permanente, cotidiano, buscando expandir seu poder de mercantilização. As TVs públicas, por exemplo, se debilitam no seu papel diferenciado dos mecanismos de mercado que regem as TVs privadas, enfraquecidas pela falta de financiamento, apelam ao mercado e induzem seus mecanismos como aconteceu tristemente com a TV Cultura de São Paulo. Programas como o de Pontos de Cultura, do MINC, surgiram na contramão dessa lógica homogeneizadora da globalização na esfera cultural, buscando incentivar e proteger todas as formas de diversidade de cultural, de afirmação da heterogeneidade das identidades de setores sociais, étnicos, regionais, diferenciados. Muitos outros debates atuais hoje no Brasil o dos Commons, da propriedade intelectual, dos direitos de autor são também objeto de duas concepções diferenciadas, uma regulamentadora antineoiberal outra desregulamentadora, neoliberal, mercantilizadora. No marco mais geral do embate entre neoliberalismo e posneoliberalismo, é que a natureza das posições fica mais clara. Por um lado, as normas protetoras que consideram a cultura como um bem comum, de outro, a desregulamentação, que a consideram uma mercadoria como outra qualquer. Do seu desenlace depende a natureza da cultura no Brasil na segunda metade do século XXI.

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro II LATIN AMERICAN PUBLIC POLICY FORUM ON INTERNET, E- COMMERCE AND MOBILE TECHNOLOGIES Economic, Social and Cultural Impact on Latin America's Development Keynote speech by Senator Walter Pinheiro Discussion

Leia mais

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA 4 de outubro de 2009 O brasileiro Carlos Kirjner, nomeado pelo presidente Barack Obama para o cargo de conselheiro do diretor-geral da Comissão Federal de Comunicações

Leia mais

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010

Plano Nacional. de Banda Larga. Brasília, 05 de maio de 2010 Plano Nacional de Banda Larga Brasília, 05 de maio de 2010 Sumário 1. Importância Estratégica 2. Diagnóstico 3. Objetivos e Metas 4. Ações 5. Investimento 6. Governança e Fórum Brasil Digital 2 1. Importância

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 04 DE NOVEMBRO DE 2014 crescimento do setor de telecomunicações

Leia mais

4 A Telefonia Móvel no Brasil

4 A Telefonia Móvel no Brasil 4 A Telefonia Móvel no Brasil 4.1 Breve Histórico da Telefonia Móvel O uso da telefonia móvel teve início no Brasil no final de 1990. Em 30 de dezembro deste ano o Sistema Móvel Celular (SMC) começou a

Leia mais

Direitos dos Consumidores de Telecomunicação. Fórum Alô Brasil. 26 de abril de 2011

Direitos dos Consumidores de Telecomunicação. Fórum Alô Brasil. 26 de abril de 2011 Direitos dos Consumidores de Telecomunicação Fórum Alô Brasil 26 de abril de 2011 Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Instituto criado em 1987 Atuante na defesa dos direitos do consumidor Independente

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO FINANCEIRA E GLOBALIZAÇÃO PRODUTIVA

GLOBALIZAÇÃO FINANCEIRA E GLOBALIZAÇÃO PRODUTIVA GLOBALIZAÇÃO FINANCEIRA E GLOBALIZAÇÃO PRODUTIVA GLOBALIZAÇÃO FINANCEIRA Interação de três processos distintos: expansão extraordinária dos fluxos financeiros. Acirramento da concorrência nos mercados

Leia mais

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP

O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP O direito à tecnologia da informação: perspectivas e desafios Prof. José Carlos Vaz EACH-USP 1 1. A importância da democratização do acesso à TI A desigualdade no acesso à tecnologia é um fator adicional

Leia mais

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914

ESTUDO DE CASO MÓDULO XI. Sistema Monetário Internacional. Padrão Ouro 1870 1914 ESTUDO DE CASO MÓDULO XI Sistema Monetário Internacional Padrão Ouro 1870 1914 Durante muito tempo o ouro desempenhou o papel de moeda internacional, principalmente por sua aceitabilidade e confiança.

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Mario Dias Ripper F&R Consultores Brasília, 02 de setembro de 2014. PGMU III Geografia Características do Brasil

Leia mais

Breve Análise do Cenário e das Perspectivas da Conexão em Banda Larga no Brasil

Breve Análise do Cenário e das Perspectivas da Conexão em Banda Larga no Brasil SUPPLY CHAIN Breve Análise do Cenário e das Perspectivas da Conexão em Banda Larga no Brasil Logike Associados S/C Fevereiro 2008 Abstract: This article provides a simple overview of the broadband progress

Leia mais

Senado Federal. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA

Senado Federal. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA 4 de novembro de 2014 Flávia Lefèvre Guimarães flavia@lladvogados.com.br Lei Geral de Telecomunicações

Leia mais

PROPOSTAS PARA A CONECTIVIDADE DAS ESCOLAS PÚBLICAS BRASILEIRAS

PROPOSTAS PARA A CONECTIVIDADE DAS ESCOLAS PÚBLICAS BRASILEIRAS PROPOSTAS PARA A CONECTIVIDADE DAS ESCOLAS PÚBLICAS BRASILEIRAS I. APRESENTAÇÃO Como garantir que todas as escolas públicas tenham acesso à internet veloz para que as novas tecnologias contribuam de maneira

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Fluxos de capitais, informações e turistas

Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxos de capitais, informações e turistas Fluxo de capitais especulativos e produtivos ESPECULATIVO Capital alocado nos mercados de títulos financeiros, ações, moedas ou mesmo de mercadorias, com o objetivo

Leia mais

Tendências e cenários para a infra-estrutura de telecomunicações. ões. Seminário: O futuro das (tele)comunicações no Brasil

Tendências e cenários para a infra-estrutura de telecomunicações. ões. Seminário: O futuro das (tele)comunicações no Brasil Tendências e cenários para a infra-estrutura de telecomunicações ões Seminário: O futuro das (tele)comunicações no Brasil em homenagem a Sérgio S Motta (1940 1998) S. Paulo, 3 de junho de 2008 Juarez Quadros

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Igor Vilas Boas de Freitas

Igor Vilas Boas de Freitas 18ª Reunião Extraordinária da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática. 26 de maio de 2010 Igor Vilas Boas de Freitas Consultor Legislativo do Senado Federal 1. Quais são os

Leia mais

Audiência Pública "Plano Nacional de Banda Larga

Audiência Pública Plano Nacional de Banda Larga Audiência Pública "Plano Nacional de Banda Larga Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal 09 de março de 2010 Plenário nº 03 da Ala Senador Alexandre Costa Imagine

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Folha de S. Paulo. O Estado de S. Paulo. Tablets ficarão 36% mais baratos com desoneração, diz ministro

Folha de S. Paulo. O Estado de S. Paulo. Tablets ficarão 36% mais baratos com desoneração, diz ministro Folha de S. Paulo Tablets ficarão 36% mais baratos com desoneração, diz ministro O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta terça-feira que o conjunto de medidas de desoneração de tablets

Leia mais

Financiamento das Iniciativas de Inclusão Digital

Financiamento das Iniciativas de Inclusão Digital Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Financiamento das Iniciativas de Inclusão Digital III IPAIT 07 / 06 / 2005 Mauricio Neves MSN@BNDES.GOV.BR Gerente Depto Indústria Eletrônica Área Industrial

Leia mais

Promovendo o Futuro do Brasil Conectado

Promovendo o Futuro do Brasil Conectado Promovendo o Futuro do Brasil Conectado Tá na Mesa - Federasul Porto Alegre, 26 de maio de 2010 SUMÁRIO 1 -Telecomunicações e o desenvolvimento 2 - Expansão dos serviços 3 - Parcerias em política pública

Leia mais

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto*

BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* BANGLADESH E O SEU BANCO COMUNITÁRIO Carlos Daniel Baioto* *Carlos Daniel Baioto é professor de pós-graduação em gestão cooperativa na Unisinos, São Leopoldo, RS. É consultor nas áreas de projetos de tecnologias

Leia mais

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento Volume 11, Number 4 Fourth Quarter 2009 Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento As economias pelo mundo estão emergindo da recessão, embora em diferentes velocidades. As economias em desenvolvimento

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Ano 2010 No. 1 Telefonia móvel: São acessíveis os serviços na América Latina?

Ano 2010 No. 1 Telefonia móvel: São acessíveis os serviços na América Latina? Policy Brief Ano 2010 No. 1 Telefonia móvel: São acessíveis os serviços na América Latina? A telefonia móvel teve um crescimento espectacular em América Latina, e hoje alcança um nível de penetração próximo

Leia mais

1) a) Caracterize a Nova Ordem Econômica Mundial;

1) a) Caracterize a Nova Ordem Econômica Mundial; 1) a) Caracterize a Nova Ordem Econômica Mundial; A Nova Ordem Econômica Mundial insere-se no período do Capitalismo Financeiro e a doutrina econômica vigente é o Neoliberalismo. Essa Nova Ordem caracteriza-se

Leia mais

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS www.observatorioasiapacifico.org A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS Ignacio Bartesaghi 1 O debate na América Latina costuma focar-se no sucesso ou no fracasso dos processos

Leia mais

UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTODA WORLD WIDE WEB FOUNDATION "DIREITOS DAS MULHERES ONLINE" Por: Alsácia Atanásio. Coordenadora do Projecto

UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTODA WORLD WIDE WEB FOUNDATION DIREITOS DAS MULHERES ONLINE Por: Alsácia Atanásio. Coordenadora do Projecto UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTODA WORLD WIDE WEB FOUNDATION "DIREITOS DAS MULHERES ONLINE" Por: Alsácia Atanásio Coordenadora do Projecto SIITRI, Moçambique Ò o UMA VISÃO GERAL SOBRE O PROJECTO DA WORLD

Leia mais

Contribuição da TIA/TEC-LA para a ANATEL sobre o gerenciamento do espectro de rádio-frequência

Contribuição da TIA/TEC-LA para a ANATEL sobre o gerenciamento do espectro de rádio-frequência Contribuição da TIA/TEC-LA para a ANATEL sobre o gerenciamento do espectro de rádio-frequência Sendo uma organização que representa os interesses de fabricantes e fornecdores de produtos e sistemas para

Leia mais

Cooperação internacional e pósgraduação. VIII Congresso Brasileiro de Epidemiologia XVIII IEA Congress of Epidemiology Porto Alegre 2008

Cooperação internacional e pósgraduação. VIII Congresso Brasileiro de Epidemiologia XVIII IEA Congress of Epidemiology Porto Alegre 2008 Cooperação internacional e pósgraduação VIII Congresso Brasileiro de Epidemiologia XVIII IEA Congress of Epidemiology Porto Alegre 2008 Papel da educação superior Fundamental para o desenvolvimento econômico

Leia mais

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito Banda Larga TV por Assinatura Telefonia Fixa Respeito APIMEC RIO Rio de Janeiro, 22 de Novembro de 2013 A GVT é uma empresa autorizada pela Anatel a prestar serviços em todo o país A GVT tem licença STFC

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org sintetel@sintetel.org.

RESUMO DE NOTÍCIAS. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de São Paulo www.sintetel.org sintetel@sintetel.org. TELECOMUNICAÇÕES TÊM MAIOR PRODUTIVIDADE DO SETOR DE SERVIÇOS, DIZ IBGE A Pesquisa Anual de Serviços 2013, divulgada nesta quarta-feira, 23, pelo IBGE, apontou para um total de 1,2 milhão de empresas,

Leia mais

Educação é a chave para um desenvolvimento duradouro...

Educação é a chave para um desenvolvimento duradouro... Educação é a chave para um desenvolvimento duradouro...enquanto os líderes mundiais se preparam para um encontro em Nova York ainda este mês para discutir o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento do

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

Anatel publica regulamento para destinação da faixa de 700 MHz

Anatel publica regulamento para destinação da faixa de 700 MHz 4G/700 MHZ Anatel publica regulamento para destinação da faixa de 700 MHz Enquanto a SET e outras entidades do setor discutem no Congresso Nacional a hipótese de interferência de sinal para as emissões

Leia mais

Comércio Eletrônico em Números

Comércio Eletrônico em Números Comércio Eletrônico em Números Evolução do E-commerce no Brasil 23 milhões é um grande número. 78 milhões 23 milhões Enorme potencial de crescimento no Brasil Mas fica pequeno se comprarmos com o número

Leia mais

Fórum Banco Central de Inclusão Financeira. Painel MDS

Fórum Banco Central de Inclusão Financeira. Painel MDS Fórum Banco Central de Inclusão Financeira Painel MDS Brasília, 18/nov/2010 Sumário Breve descrição do PBF; Razões para inclusão financeira; Marco legal da inclusão financeira; Atual agenda de inclusão

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 77 julho de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 77 julho de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 77 julho de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Sistema bancário e oferta monetária contra a recessão econômica 1 BC adota medidas para injetar

Leia mais

EVITANDO NOVAS CRISES E CRIANDO A CAFEICULTURA DO FUTURO

EVITANDO NOVAS CRISES E CRIANDO A CAFEICULTURA DO FUTURO EVITANDO NOVAS CRISES E CRIANDO A CAFEICULTURA DO FUTURO A cafeicultura brasileira, vitimada por longo período de preços baixos, empreendeu um esforço imenso para tornar-se mais eficiente e ganhar competitividade.

Leia mais

Painel 2 Mecanismos de Estímulo para a Indústria de Telecomunicações

Painel 2 Mecanismos de Estímulo para a Indústria de Telecomunicações Painel 2 Mecanismos de Estímulo para a Indústria de Telecomunicações Segmento Redes de Telecomunicações Mario Baumgarten Retomada do Diálogo com a Indústria Duas décadas de foco no resgate do atendimento

Leia mais

Brasil tem 40,9 milhões de conexões de banda larga. Senado aprova MP do Cadastro Positivo sem alterações

Brasil tem 40,9 milhões de conexões de banda larga. Senado aprova MP do Cadastro Positivo sem alterações Folha de S. Paulo Brasil tem 40,9 milhões de conexões de banda larga O Brasil chegou em abril deste ano à marca de 40,9 milhões de acessos à banda larga, segundo balanço da Telebrasil (Associação Brasileira

Leia mais

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo. Telefônica 17 de julho de 2009

Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo. Telefônica 17 de julho de 2009 Transparência e Internet, as Telecomunicações apoiando a Administração Pública Case Prefeitura de São Paulo 17 de julho de 2009 1. Grupo 1 Grupo dados de 2008 No Mundo Presença em 25 países na Europa,

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS 366 ESPELHO DE AUTOR DA Chico D'angelo 24970001 Compartilhamento de infra estrutura para banda larga (unbundling) 0751 - Expandir a infraestrutura e os

Leia mais

TREINAMENTO BRADESCARD. Lojas BP

TREINAMENTO BRADESCARD. Lojas BP TREINAMENTO BRADESCARD Lojas BP 1 Cartão BradesCard O BradesCard facilita a realização dos seus clientes de forma prática e flexível. Especializado no Varejo, oferece um portfólio completo de produtos

Leia mais

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil

Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Estudos sobre a Taxa de Câmbio no Brasil Fevereiro/2014 A taxa de câmbio é um dos principais preços relativos da economia, com influência direta no desempenho macroeconômico do país e na composição de

Leia mais

O papel das Concessionárias do. Sistema de Telefonia Fixa Comutada

O papel das Concessionárias do. Sistema de Telefonia Fixa Comutada O papel das Concessionárias do Sistema de Telefonia Fixa Comutada Ciclo de reuniões para a primeira revisão dos Contratos de Concessão assinados em 22.12.2005 ANATEL 13 de nov. 2007 Flávia Lefèvre Guimarães

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

2.7 Financiamento. Por que Financiamento? Comparação Internacional. Visão 2022

2.7 Financiamento. Por que Financiamento? Comparação Internacional. Visão 2022 2.7 Financiamento Por que Financiamento? O ritmo de crescimento de uma economia e a competitividade da sua indústria dependem da disponibilidade de recursos para investimento e da capacidade do sistema

Leia mais

3º Seminário sobre informação na Internet: construindo o futuro do Brasil

3º Seminário sobre informação na Internet: construindo o futuro do Brasil 3º Seminário sobre informação na Internet: construindo o futuro do Brasil O custo do acesso a Internet no Brasil: caro ou barato? 18 de novembro de 2010 Sobre o Idec 2 Como o Idec trabalha? 3 4 Temas Prioritários

Leia mais

Conhecendo os Processos de Cobrança

Conhecendo os Processos de Cobrança Conhecendo os Processos de Cobrança 03 Processos de Cobrança Entenda a Fatura Ferramentas de Suporte Consulta de Extratos 05 09 11 16 Consumo Consciente 02 Processos de Cobrança conheça os processos de

Leia mais

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica Desafios para a Indústria Eletroeletrônica 95 O texto aponta as características das áreas da indústria eletroeletrônica no país e os desafios que este setor tem enfrentado ao longo das últimas décadas.

Leia mais

Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema. Inovação e Empreendedorismo. Data: 02/04/2014 Versão 1.0

Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema. Inovação e Empreendedorismo. Data: 02/04/2014 Versão 1.0 Síntese dos debates ocorridos nos fóruns anteriores relacionados ao tema Inovação e Empreendedorismo Data: 02/04/2014 Versão 1.0 1. INTRODUÇÃO Os relatórios considerados para esta síntese foram: I Fórum

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Novembro

Leia mais

Economia. Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos,

Economia. Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos, Economia Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos, Comércio Internacional Objetivos Apresentar o papel da taxa de câmbio na alteração da economia. Iniciar nas noções

Leia mais

Eduardo Levy. Entrevista com. SindiTelebrasil

Eduardo Levy. Entrevista com. SindiTelebrasil Entrevista com Eduardo Levy SindiTelebrasil por Olívia Bandeira 1 Eduardo Levy é diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil),

Leia mais

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA 1 OBJETIVOS 1. Como nossa empresa pode medir os benefícios de nossos sistemas de informação? Quais modelos deveríamos usar para

Leia mais

Parte V Financiamento do Desenvolvimento

Parte V Financiamento do Desenvolvimento Parte V Financiamento do Desenvolvimento CAPÍTULO 9. O PAPEL DOS BANCOS PÚBLICOS CAPÍTULO 10. REFORMAS FINANCEIRAS PARA APOIAR O DESENVOLVIMENTO. Questão central: Quais as dificuldades do financiamento

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Telefonia Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Outubro

Leia mais

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações.

mudanças qualitativas radicais na vida econômica, social e política das nações. PRONUNCIAMENTO DO MINISTRO EDUARDO CAMPOS NA SOLENIDADE DE INSTALAÇÃO DA III ASSEMBLÉIA GERAL DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE PARLAMENTARES PARA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (IPAIT), NA CÂMARA DOS DEPUTADOS,

Leia mais

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 O Acordo Internacional do Café (AIC) de 2007 é um instrumento chave para a cooperação internacional em matéria de café, e participar dele

Leia mais

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 EBITDA atingiu a soma de R$ 391 milhões no ano passado São Paulo, 24 de março de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações do Grupo Algar,

Leia mais

POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO?

POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO? ORGANIZE SUA VIDA POR QUE PRECISAMOS SER RACIONAIS COM O DINHEIRO? - Para planejar melhor como gastar os nossos recursos financeiros QUAIS OS BENEFÍCIOS DE TER UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO? - Para que possamos

Leia mais

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Rogério Santanna dos Santos Brasília, 29 de Setembro de 2009 Mercado Banda Larga - Operadoras Empresas 2007 (x1000) 2008 (x1000) % Crescimento Ano 2007 Telefonica

Leia mais

Mercado de Firmas de Consultoria Internacional e a Influe ncia dos Trabalhadores do Conhecimento sobre os Modelos Regulato rios

Mercado de Firmas de Consultoria Internacional e a Influe ncia dos Trabalhadores do Conhecimento sobre os Modelos Regulato rios Mercado de Firmas de Consultoria Internacional e a Influe ncia dos Trabalhadores do Conhecimento sobre os Modelos Regulato rios Rodrigo Garcia Braz rodrigo.gv.braz@gmail.com Agosto/2014 Introdução Objetiv:

Leia mais

Como universalizar o acesso à internet e incluir a população de baixa renda. 41º Encontro Tele.Síntese 2015 10.06.2015

Como universalizar o acesso à internet e incluir a população de baixa renda. 41º Encontro Tele.Síntese 2015 10.06.2015 Como universalizar o acesso à internet e incluir a população de baixa renda 41º Encontro Tele.Síntese 2015 10.06.2015 Telefonica acredita que a universalização da Internet precisa de soluções que abrangem

Leia mais

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador 25 de Abril de 2014 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo

Leia mais

Segurança de Dados. Relatório de Segurança de Dados, Inteligência de Mercado

Segurança de Dados. Relatório de Segurança de Dados, Inteligência de Mercado Segurança de Dados Segurança de dados e sigilo de informações ainda é um tema longe de ser solucionado no Brasil e no Mundo. A cada novo dispositivo lançado, cada nova transação bancária ou a cada novo

Leia mais

Apresentação institucional CTBC 1T07

Apresentação institucional CTBC 1T07 Apresentação institucional CTBC 1T07 1 Visão geral Empresa integrada de telecomunicações - há mais de 53 anos no mercado de telecom - portfolio completo de serviços - forma de atuação regional (proximidade

Leia mais

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano.

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano. 01) O que é AICE? Significa Acesso Individual Classe Especial. É um Plano básico e com regulamentação própria (Regulamentado pela Resolução Nº 586, da ANATEL, de 05 de abril de 2012). Modalidade de telefonia

Leia mais

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014)

SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) SINAIS POSITIVOS TOP 20 (atualizado a 10JUL2014) 1. Taxa de Desemprego O desemprego desceu para 14,3% em maio, o que representa um recuo de 2,6% em relação a maio de 2013. Esta é a segunda maior variação

Leia mais

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Por Paulo Botti, presidente da Terra Brasis, resseguradora local Nascido em 2008 após árduo trabalho e amplo diálogo entre

Leia mais

A importância dos Bancos de Desenvolvimento

A importância dos Bancos de Desenvolvimento MISSÃO PERMANENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA JUNTO AO OFÍCIO DAS NAÇÕES UNIDAS REPRESENTAÇÃO COMERCIAL GENEBRA - SUÍÇA NOTA DE TRABALHO A importância dos Bancos de Desenvolvimento G E NEBRA A OS 5 DE Segundo

Leia mais

André Criação e Atendimento. Edson E-commerce e Atendimento. Juciellen Web Design e Programação. Talita Planejamento e Projeto

André Criação e Atendimento. Edson E-commerce e Atendimento. Juciellen Web Design e Programação. Talita Planejamento e Projeto Integrantes André Criação e Atendimento Edson E-commerce e Atendimento Juciellen Web Design e Programação Talita Planejamento e Projeto Vanessa Criação e Conteúdo Briefing Histórico da Empresa - Características

Leia mais

Apresentação de resultados. Algar Telecom 2T10

Apresentação de resultados. Algar Telecom 2T10 Apresentação de resultados Algar Telecom 2T10 Destaques do 2T10 A Algar ficou com a 6 melhor colocação no setor de Telecomunicações e a 1ª no ranking de rentabilidade, conforme publicado pela Revista Exame

Leia mais

INFORME FINACAP DTVM

INFORME FINACAP DTVM INFORME FINACAP DTVM Histórico de crescimento até a criação da Finacap DTVM Março/97 - A Finacap nasce como empresa de consultoria financeira, a Finacap - Consultoria Financeira e Mercado de Capitais.

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país

IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país Material embargado até dia 9 de novembro, às 11h do Brasil IDH do Brasil melhora, mas país cai no ranking Mudança se deve a desempenho melhor de outro país O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014

Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014 Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de 1 Mbps for ofertado por R$ 15 em todos os municípios Se pacote PNBL de 1 Mbps for

Leia mais

PALAVRAS DO GOVERNADOR TASSO JEREISSATI POR OCASIÃO DA ABERTURA DO SEMINÁRIO "LIDERANÇA JOVEM NO SECULO XXI", AOS 07/03/2002 ~j 2902 03-0~/02

PALAVRAS DO GOVERNADOR TASSO JEREISSATI POR OCASIÃO DA ABERTURA DO SEMINÁRIO LIDERANÇA JOVEM NO SECULO XXI, AOS 07/03/2002 ~j 2902 03-0~/02 PALAVRAS DO GOVERNADOR TASSO JEREISSATI POR OCASIÃO DA ABERTURA DO SEMINÁRIO "LIDERANÇA JOVEM NO SECULO XXI", AOS 07/03/2002 ~j 2902 03-0~/02 Excelentíssimo Senhor Enrique Ig lesias, Presidente do Banco

Leia mais

Folha de S. Paulo. O Estado de S. Paulo. Coreia quer entrar no mercado de telefonia móvel brasileiro. SK Telecom quer operar 4G no Brasil

Folha de S. Paulo. O Estado de S. Paulo. Coreia quer entrar no mercado de telefonia móvel brasileiro. SK Telecom quer operar 4G no Brasil Folha de S. Paulo Coreia quer entrar no mercado de telefonia móvel brasileiro O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta segunda-feira que a empresa coreana SK Telecom está interessada

Leia mais

ESTATÍSTICAS GLOBAIS DE 2014

ESTATÍSTICAS GLOBAIS DE 2014 EMBARGADO PARA TRANSMISSÃO E PUBLICAÇÃO ATÉ ÀS 06:30 (HORÁRIO DE BRASÍLIA), TERÇA-FEIRA, 14 DE JULHO DE 2015 FICHA INFORMATIVA ESTATÍSTICAS GLOBAIS DE 2014 15 de pessoas com acesso a terapia antirretroviral

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

ANEFAC Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade

ANEFAC Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade PESQUISA DE UTILIZAÇÃO DO 13º SALÁRIO A Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração (ANEFAC) realizou durante o mês de outubro de a 15ª edição da Pesquisa de Utilização do 13º salário.

Leia mais

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial

Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Faculdade de Comunicação e Artes Habilitação em Jornalismo Tema 3 O BNDE e a inserção brasileira no capitalismo industrial Economia Brasileira Professora Eleonora Bastos Horta Dayse dos Santos Frederico

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Enquadramento da atividade bancária

Enquadramento da atividade bancária Enquadramento da atividade bancária Miguel Matias E.S.T.G. Instituto Politécnico de Leiria CET TECNICAS GESTAO E COM INTERNACIONAL EDIÇÃO 2015/16 PROGRAMA 1. Enquadramento da atividade bancária 2. Conta

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES DO BRASIL

TELECOMUNICAÇÕES DO BRASIL TELECOMUNICAÇÕES DO BRASIL EVENTO MOBILIZAÇÃO EMPRESARIAL: PIS COFINS SIMPLIFICAÇÃO OU AUMENTO? EDUARDO LEVY CURITIBA, 23 DE NOVEMBRO DE 2015 Números do Setor de Telecomunicações 275 milhões de celulares

Leia mais

Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011. Antonio Gil Presidente

Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011. Antonio Gil Presidente Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011 Antonio Gil Presidente São Paulo, Agosto 2011 Sobre a BRASSCOM VISÃO Posicionar o Brasil como um dos cinco maiores centros de TI do mundo. MISSÃO

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

ANEXOS. Processo de definição da taxa de juros

ANEXOS. Processo de definição da taxa de juros ANEXOS Processo de definição da taxa de juros A taxa de juros constitui-se no mais importante instrumento de política monetária à disposição do Banco Central. Através dela, a autoridade monetária afeta

Leia mais

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo SONHOS AÇÕES Planejando suas conquistas passo a passo Todo mundo tem um sonho, que pode ser uma viagem, a compra do primeiro imóvel, tranquilidade na aposentadoria ou garantir os estudos dos filhos, por

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações CONFIDENCIAL A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações José Antônio Guaraldi Félix Presidente da NET Serviços de Comunicação S.A. São Paulo, 29 de setembro de 2009 SUMÁRIO

Leia mais

O PAPEL DA INICIATIVA PRIVADA NO ENSINO SUPERIOR: REALIDADE E DESAFIOS PARA O FUTURO

O PAPEL DA INICIATIVA PRIVADA NO ENSINO SUPERIOR: REALIDADE E DESAFIOS PARA O FUTURO O PAPEL DA INICIATIVA PRIVADA NO ENSINO SUPERIOR: REALIDADE E DESAFIOS PARA O FUTURO Participação no Desenvolvimento Econômico Social Brasileiro Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos

Leia mais