Tiago R. M. Murakami * Sibele S. Fausto **

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tiago R. M. Murakami * trmurakami@gmail.com. Sibele S. Fausto ** sifausto@usp.br"

Transcrição

1 USO DE FERRAMENTAS DE SISTEMAS DE GESTÃO DE CONTEÚDO PARA O COMPARTILHAMENTO DA INFORMAÇÃO E CONHECIMENTO: O CASO DO REPOSITÓRIO ACADÊMICO DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO - RABCI Tiago R. M. Murakami * Sibele S. Fausto ** Área Temática: Redes de Conhecimento Sub-área: Arquitetura de Informação e Tecnologias * Prefeitura Municipal de São Paulo Centro Educacional Unificado - CEU Butantã Av. Eng. Heitor Antônio Eiras Garcia, São Paulo, SP - Brasil Tel. (11) **Universidade de São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Rua do Lago, São Paulo, SP - Brasil Tel. (11)

2 2 RESUMO Este trabalho apresenta a trajetória do Repositório Acadêmico de Biblioteconomia e Ciência da Informação - RABCI, as tecnologias experimentadas inicialmente e sua evolução até a adoção atual de uma ferramenta de Sistema de Gestão de Conteúdo em software livre o Drupal, abordando sua concepção, organização, os recursos tecnológicos e as funcionalidades envolvidos em sua implementação, focando a experiência prática do projeto como um recurso de compartilhamento dinâmico da informação e do conhecimento gerada nos cursos de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação, contribuindo para o livre acesso e disseminação da produção científica acadêmica da área. Palavras-chave: Repositórios Digitais Temáticos. Sistemas de Gestão de Conteúdo. Software Livre. Biblioteconomia. Ciência da Informação. 1 INTRODUÇÃO A evolução da internet e de suas tecnologias derivadas alterou a interface virtual da interação reativa com os conteúdos digitais basicamente estáticos para um ambiente de interação ativa, participativo e compartilhado, com maior autonomia e liberdade de seus atores. Os conteúdos web passaram a ser colaborativos, gerados pelos usuários (User Generated Content - UGT), com alta velocidade de disponibilização, e o arcabouço tecnológico necessário para suportar essa dinâmica intensamente dialógica são os Sistemas de Gestão de Conteúdo - SGC (Content Management Systems CMS), que combinam soluções flexíveis e ágeis para estruturar e facilitar a criação, administração, distribuição, publicação e acesso do conteúdo web. A produção científica acadêmica pode se beneficiar das muitas vantagens reunidas nos CMS, a exemplo de sua adoção para um repositório digital temático específico para a área da informação, o Repositório Acadêmico de Biblioteconomia e Ciência da Informação RABCI. Este trabalho apresenta o RABCI, compartilhando a experiência de sua trajetória, discutindo os princípios envolvidos nos CMS e nos repositórios digitais de acesso livre.

3 3 2 SISTEMAS DE GESTÃO DE CONTEÚDO O atual panorama interativo da web tornou a publicação uma tarefa complexa no ambiente digital, exigindo soluções para a gestão de seu conteúdo com elementos de valor agregado, e as tecnologias de suporte que respondem a esta demanda são os Sistemas de Gestão de Conteúdo, que integram ferramentas necessárias para várias funções na criação e gerenciamento (edição, inserção e workflow) de conteúdo de forma dinâmica, dispensando a necessidade de programação de código. Os CMS, por serem frameworks, são compostos pela interação entre vários módulos que gerenciam funções específicas na construção de uma página web. Estes recursos provêem um framework para criação, gerenciamento e publicação de conteúdos web; um ambiente seguro através do gerenciamento de papéis de usuários e podem ser complementados com extensões para ampliar suas funcionalidades, através de customização (AUSTIN; HARRIS, 2008, p.5). Tais características 1 tornam os CMS o suporte tecnológico em praticamente toda a World Wide Web atual. 3 REPOSITÓRIOS DIGITAIS DE ACESSO ABERTO Da evolução da comunicação científica no ambiente digital derivaram formas de armazenamento e disseminação da produção científica em modelos eficientes que promovem sua visibilidade e acesso, a exemplo dos chamados repositórios digitais, podendo ser institucionais ou temáticos. Os esforços para a livre disseminação do conhecimento científico 2 promoveram várias alternativas para esse fim, entre elas os repositórios de acesso livre baseados em arquivos abertos, [...] onde os conteúdos podem ser acessados sem custos e barreiras de quaisquer naturezas (MORENO; LEITE; MÁRDERO ARELLANO, 2006, p. 84), reunindo padrões e normas de interoperabilidade para facilitar a eficiente disseminação de conteúdos científicos na internet. 1 Módulos essenciais de um CMS são os de coleção, gerenciamento e publicação; administração do BackOffice; o módulo de contribuição, o workflow editorial e o módulo de publicação (TRAMULLAS, 2005; LALAUDE, 2009). 2 Estes esforços foram capitaneados pelo Movimento do Acesso Aberto (Open Access Movement OAM) e pela Iniciativa dos Arquivos Abertos (Open Archives Initiative OAI).

4 4 4 REPOSITÓRIO ACADÊMICO DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO RABCI 3 A convergência dos princípios envolvidos nos CMS e nos repositórios temáticos de acesso livre direcionaram a criação de um repositório digital temático específico para a produção científica da graduação em Biblioteconomia e Ciências da Informação (CI). 4.1 Por que um Repositório Acadêmico de Biblioteconomia e Ciência da Informação? Segundo Petinari (2008), quase não há iniciativas para a disponibilidade online da produção científica da graduação no Brasil, pois a obrigatoriedade legal 4 em divulgar de forma digital a produção das Instituições de Ensino Superior - IES restringe-se às teses e dissertações dos programas reconhecidos de doutorado e mestrado dessas instituições. Neste contexto, é pertinente a existência de um repositório digital temático livre e gratuito voltado à graduação. O RABCI objetiva ser um espaço alternativo de compartilhamento do conhecimento produzido por alunos e também profissionais da área de Biblioteconomia e CI, preenchendo o gap existente, além de ser um espaço de experimentação de novas tecnologias web facilitadoras da disseminação da informação, em um panorama em que as inovações e soluções surgem e disseminam-se rapidamente, exigindo agilidade para acompanhar e adotar as novidades tecnológicas. 4.2 RABCI: histórico e configuração atual A idéia de criar um repositório surgiu em O intuito inicial era utilizar as tecnologias disponíveis em soluções livres (Free/Live Open Source Software - FLOSS) e sob licença de uso público geral (General Public License GNU GPL) para divulgar o conhecimento produzido por alunos de graduação dos cursos de Biblioteconomia e Ciência da Informação. 3 RABCI: 4 Portaria nº 13, de 15 de fevereiro de 2006, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Capes (BRASIL, 2006). 5 Durante o mini curso sobre Bibliotecas Digitais durante o Encontro Nacional de Estudantes de Biblioteconomia e Documentação - ENEBD 2004, na Universidade Federal de Pernambuco - UFPE.

5 5 O RABCI foi então desenvolvido no final de 2004, inicialmente considerando-se softwares distribuídos nos modelos OAM/OAI. A princípio, adotou-se experimentalmente o Open Journal System (OJS) 6, porém como este aplicativo é específico para a editoração de revistas, surgiu a necessidade de outras alternativas apropriadas para a criação de um repositório que aceitasse diversos formatos de publicações. Além disso, este e os demais modelos OAM/OAI 7 se mostraram inviáveis por exigirem um alto controle do servidor, adequados para instituições com capacidade de infra-estrutura para tanto. Continuando o trabalho de prospecção de uma alternativa mais adequada às nossas necessidades 8, percebemos que os CMS seriam uma boa solução, por dependerem somente da estrutura LAMP (Linux Apache MySQL - PHP), dispensando infra-estruturas especialistas e/ou proprietárias. Surgiu então a opção pelo CMS livre Drupal 9, inclusive por contar com um módulo customizável para gerenciamento bibliográfico, o Bibliography. Verificamos que este CMS é altamente flexível, com variadas possibilidades de customização 10, além de contar com uma ampla comunidade de suporte, também no Brasil 11, e até mesmo de bibliotecários usuários do recurso Organização e funcionalidades A grande flexibilidade do Drupal permitiu a implementação de algumas funcionalidades facilitadoras para a organização e recuperação da informação no RABCI, de forma inédita, descritas a seguir. O RABCI é organizado no framework do Drupal, através do módulo Bibliography, uma extensão customizável para gerenciar conteúdos 6 O OJS é um software de editoração de periódicos científicos desenvolvido pelo Public Knowledge Project (PKP), da University of British Columbia (Canadá), em GNU-GPL, traduzido para o português e distribuído pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia IBICT em Como o E-prints (da Southampton University, Inglaterra), o Greenstone (desenvolvido na Waikato University, Nova Zelândia, e distribuído em cooperação com a UNESCO) ou o DSpace (do Massachusetts Institute of Technology MIT). 8 Inclusive experimentando gerenciadores de bibliografia em FLOSS/GNU-GPL como o WikiNDX e o Aigaion, que se mostraram robustos, mas limitados em termos de customização e com pouca atualização. 9 CMS Drupal: 10 O RABCI usa a versão 6 do Drupal, que soma 100 módulos customizáveis diferentes. 11 Drupal Brasil: 12 Drupal Group Libraries:

6 6 estruturados, prevendo em sua estrutura: a Administração do sistema 13 ; o Workflow editorial 14 ; e o Produto informacional 15. Esta estrutura suporta a gestão dos conteúdos fornecidos pelos usuários, através do auto-depósito (self-archiving) de seus trabalhos, mediante cadastro prévio 16, possibilitando o acesso e preenchimento do formulário estruturado com informações de metadados dos trabalhos a ser depositados, inclusive atribuindo palavraschave de sua escolha (Folksonomia) - que alimentam a nuvem de assuntos (tags) disponível na página principal ou escolhidas do vocabulário controlado 17 disponível no sistema. O preenchimento do formulário de metadados possibilita ao sistema a busca em todos os campos. A pesquisa de documentos no catálogo do RABCI pode ser processada de diferentes maneiras, através dos links específicos para pesquisar ou navegar 18. É possível imprimir, salvar ou fazer o download dos trabalhos, além de exportar os dados recuperados de uma dada pesquisa em EndNote, XML ou BibTex, pois o Módulo Bibliography do Drupal provê um filtro para esse procedimento 19. Ao preencher o formulário de auto-depósito, os usuários concordam em disponibilizar seus trabalhos sob uma licença de copyleft Creative Commons 20, permitindo aos visitantes do RABCI livre acesso ao conteúdo, mas impede sua comercialização ou modificação por terceiros. Assim, são assegurados os direitos autorais morais sobre a obra, e compartilhados os direitos materiais. Em dezembro de 2008, foi adicionado ao RABCI um novo recurso adotado pelo suporte do Drupal no Módulo Bibligraphy, provendo uma interface para a 13 Função essencial do CMS, administra dados importantes para todo o sistema como os dados dos usuários, permissões de cada tipo de usuário, modelagem da estruturação de dados, etc. 14 Permite o gerenciamento do processo editorial e suas funções. 15 Permite acesso ao produto informacional final. 16 Atualmente há 360 usuários cadastrados no RABCI. 17 Este vocabulário controlado é o JITA, um sistema de classificação de documentos da área de Biblioteconomia e Ciência da Informação, criado para ser usado no E-Lis, repositório temático internacional, de acesso aberto, da área de CI, integrante da iniciativa E-Prints (http://eprints.rclis.org). JITA é um acrônimo formado pelo nome dos autores: Jose Manuel Barrueco Cruz, Imma Subirats Coll, Thomas Krichel e Antonella De Robbio. 18 A pesquisa é possível por autor, por ano, por palavra-chave, na nuvem de assuntos ou no vocabulário controlado. 19 No entanto, para isso o usuário precisa ter instalado em seu desktop um software gerenciador de bibliografias, como o EndNote, mas existem alguns livres como o WikiNDX ou o Aigaion que aceitam o formato utilizado no RABCI. 20 Creative Commons: licença e direitos autorais em copyleft:

7 7 interoperabilidade com outras fontes de informação, através do padrão Open Archives Initiative Protocol for Metadata Harvesting OAI-PMH, que consiste em uma ferramenta de colheita de metadados. O uso deste protocolo permite que os metadados do RABCI sejam passíveis de harvesting promovendo a visibilidade e a disseminação online dos trabalhos ali depositados, porém o próprio RABCI ainda não atua como harvester de conteúdos externos. O RABCI é organizado em Seções, onde são distribuídos os conteúdos, acessíveis através de links. Mas a navegação no RABCI é muito flexível devido às ferramentas de web 2.0 incorporadas ao framework, tornando a página dinâmica e sempre atualizada, através da automatização de recepção de informação em tempo real, proporcionadas pelo emprego de agregador de Feeds RSS (Really Simple Syndication) 21, mantendo seus usuários constantemente informados sobre temas, novidades e oportunidades da área 22. Outra funcionalidade é o calendário 23, útil para indicar eventos da área. Além de tudo, o RABCI conta também com um Blog próprio, criado para ser um espaço de interatividade entre os usuários, através da réplica pública em comentários, propiciando o estreitamento do contato e a criação de uma comunidade social, fomentando discussões, críticas e sugestões sobre a produção científica ali disponível. 4.3 Resultados do recurso informacional Com quase 5 anos de existência, o RABCI acumulou resultados relevantes. A seguir mostramos gráficos da avaliação quantitativa de seu desempenho quanto ao número de trabalhos depositados por ano 24 e por instituição: 21 O RABCI subscreve Feeds de vários blogs e páginas web com temáticas relacionadas à Biblioteconomia e CI, bem como envia alertas aos usuários sobre suas atualizações, como novos trabalhos depositados, por exemplo. 22 Esses Feeds são distribuídos em quatro categorias: - Últimos posts em blogs de Biblio e CI; - Últimos posts sobre concursos e empregos; - Últimas contribuições em repositórios de acesso livre. - Últimas contribuições ao repositório 22 ; Além de apontar os 10 documentos mais acessados e baixados o chamado Zeitgeist do RABCI. 23 Para o Calendário, adotou-se o widget do Google Calendar. 24 É necessário esclarecer que a data refere-se ao ano de conclusão do trabalho, e não ao ano de depósito no RABCI, já que esses dados são fornecidos através dos metadados dos documentos, onde consta sua data de conclusão.

8 8 Gráfico 1: Distribuição dos trabalhos depositados no RABCI por ano Fonte: RABCI, 2009 Gráfico 2: Distribuição dos trabalhos depositados no RABCI por instituição Fonte: RABCI, 2009 O RABCI teve início em 2004, mas o Gráfico 1 mostra que a data dos trabalhos é anterior, chegando a Isso aponta o repositório como alternativa para o arquivamento retrospectivo, tornando-o uma fonte de memória científica acadêmica, além de disseminador de novos trabalhos. O fato de haver mais trabalhos do ano de 2005 em diante demonstra sua maior divulgação entre os usuários, que adotam o recurso como alternativa de publicação online de sua produção. Já o Gráfico 2, em relação às instituições de origem dos documentos, verifica-se que a maior presença é da Universidade de São Paulo USP, com 16 trabalhos auto-arquivados 25. Porém, nota-se que há instituições de praticamente todo o Brasil, apontando o alcance do recurso. 25 Isso se deve ao fato de a USP ser a instituição da graduação do desenvolvedor do RABCI (Tiago R.M. Murakami), onde naturalmente houve maior divulgação entre os alunos e colegas.

9 9 Quanto aos acessos e downloads 26, os quantitativos em um recorte temporal de três anos ( ) 27 são mostrados no Gráfico 3 e na Tabela 1, respectivamente Gráfico 3: Número de acessos, por ano Acessos ao servidor jan/07 abr/07 jul/07 out/07 jan/08 abr/08 jul/08 out/08 jan/09 Visitantes únicos Numero de visitas Tabela 1: Número de downloads, por ano e formato Ano PDF DOC PPS Totais parciais/ano Totais parciais/formato Total Geral O Gráfico 3 mostra que o RABCI tem um bom fluxo de acessos, chegando a em janeiro de Em relação aos downloads efetivados por ano, o maior número verificou-se em 2008, com o total parcial de documentos baixados. Em relação ao formato de publicação, o PDF foi majoritário em todos os anos, atingindo o número de no período analisado ( ). Lembramos que o RABCI aceita arquivos em formatos variados (pdf, doc, pps, jpg, avi, mp3, html, etc.), porém o fato de ser um repositório acadêmico mostra 26 Utilizamos a ferramenta de análise web Debian AWStats: 27 O RABCI migrou de servidor, sendo que só foi possível analisar os dados de acesso e download disponíveis no servidor atual, no período indicado.

10 10 que os documentos da produção científica (basicamente Trabalhos de Conclusão de Curso) são geralmente em formatos de publicação PDF. Verificamos a performance do RABCI na internet, nas ferramentas do Google Indexed Pages (nota obtida: 3,360) e Google PageRank 28 (nota obtida: 2). O PageRank indica a relevância de um site, e a nota 2 obtida coloca o RABCI como mais importante que 20% do conteúdo da internet, um bom resultado já que o RABCI nunca adotou ações sistemáticas de marketing virtual, ficando sua divulgação por conta do efeito viral da web. Utilizamos também a avaliação de posicionamento web do Hubspot (Hubspot s Website Grader), que analisa sites em termos de efetividade de marketing na web e atribui uma nota (website grade RABCI: 81/100). Nesta avaliação, o Hubspot mostrou também que o tempo médio de acesso e permanência no site é de 8 minutos, além de indicar a origem dos robôs/spiders utilizados nas buscas que levam ao site, importante para apontar em quais deles o RABCI está indexado 29. As freqüências de acesso e download confirmam que o compartilhamento em um repositório digital de acesso livre para disseminação da informação mostrase eficiente, devendo ser considerada por alunos de graduação e profissionais da área de CI, aproveitando um recurso já disponível e aberto. 4.4 Desafios para o futuro A adoção de um CMS livre e flexível como o Drupal, que possui uma ampla e participativa comunidade de desenvolvedores confere ao RABCI uma característica mutante está sempre em beta, sempre se desenvolvendo e adotando novos módulos de tecnologia disponibilizados pela comunidade. Isso aponta para sua melhoria constante no alcance de algumas metas traçadas para o futuro, entre as quais: Ampliar a possibilidade de colaboração dos usuários; Integração de ferramentas da Web Semântica; 28 O Google PageRank utiliza em sua análise de um site um algoritmo combinando acessos e links recebidos para determinar sua relevância.. 29 O Hubspot mostra muitos outros indicadores, e disponibiliza os resultados em relatórios e gráficos, em sua página web. O relatório de avaliação do RABCI está no URL: para livre acesso e consulta.

11 11 Ampliar a funcionalidade do OAI-PMH para atuar como harvester; Trabalhar junto à comunidade de desenvolvedores para encontrar soluções eficientes de preservação digital do conteúdo, um ponto importante ainda não devidamente atendido pelo Drupal; Melhoria da acessibilidade: o RABCI já foi submetido ao escrutínio de diretrizes de acessibilidade para a Web 30 e precisa desenvolver mais as funcionalidades assistivas demandadas pelas Pessoas com Necessidades Especiais (PNE); Implantar avaliações sistemáticas e programadas do RABCI, através de metodologias avaliativas fundamentadas (CAMARGO; VIDOTTI, 2008). 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Atualmente, o frenético surgimento de tecnologias propiciado pelo contexto interativo e colaborativo da web aponta para os CMS como ferramentas ideais para a gestão, publicação, disseminação e acesso da informação e do conhecimento, por sua alta flexibilidade e necessária agilidade na adoção de novidades úteis para esses fins. Os recursos de CMS livres, como o Drupal, que conta com uma grande participação de comunidades de desenvolvedores que compartilham erros e acertos e possibilitam ao sistema o desenvolvimento contínuo numa interconexão dinâmica confirmam-se como alternativas viáveis aos tradicionais sistemas de bibliotecas ou recursos de informação online dependentes das instituições que as mantém, conferindo-lhes morosidade em seu desenvolvimento e rápida obsolescência. O RABCI, ao adotar o CMS Drupal, transmudou-se em um verdadeiro laboratório de aplicações web, incorporando as soluções úteis para seus objetivos e conferindo-lhe características dinâmicas e proativas, a nosso ver extremamente necessárias aos serviços de informação vivendo sob o paradigma tecnológico atual. Trabalhar com um CMS livre permitiu ao RABCI atingir a vanguarda em muitas aspectos relacionados à disseminação, ao 30 Guias de acessibilidade para a Web 30 do World Wide Web Consortium (Web Content Accessibility Guidelines - W3CWCAG):

12 12 acesso e ao uso da informação, que constituem a missão básica dos serviços de informação. REFERÊNCIAS AUSTIN, A.; HARRIS, C. Drupal in Libraries. Library Technology Reports, v. 4, n. 4, Maio/Jun BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Portaria nº 13, de 15 de fevereiro de Institui a divulgação das teses e dissertações. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, n. 35, 17 fev Seção 1, p ---. CAMARGO, Liriane S.A., VIDOTTI, Silvana A. B.G. Uma estratégia de avaliação em repositórios digitais. In: Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, São Paulo, Anais... São Paulo: CRUESP, Disponível em: <http://www.sbu.unicamp.br/snbu2008/anais/site/pdfs/3560.pdf>. Acesso em 05 mar HUBSPOT S WEBSITE GRADER. Report for rabci.org/rabci. Disponível em: <http://grader.com/site/rabci.org/rabci>. Acesso em LALAUDE, Myriam. Découvrir la gestion de contenu. Documentaliste: Sciences de L information, v. 45, n.3, MORENO, Fernanda P.; LEITE, Fernando C.L.; MÁRDERO-ARELLANO, Miguel A. Acesso livre a publicações e repositórios digitais em ciência da informação no Brasil. Perspect. ciênc. inf. Belo Horizonte, v.11, n. 1, p , Disponível em: <http://www.scielo.br>. Acesso em 20 mar PETINARI, Valdinéa S. Repositórios digitais e sua colaboração para Disseminação da produção científica da graduação. In: Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, São Paulo, Anais... São Paulo: CRUESP, Disponível em: <http://www.sbu.unicamp.br/snbu2008/anais/site/pdfs/2878.pdf>. Acesso em 05 mar TRAMULLAS, Jesús. Open source tools for content management. Hipertext. net, n. 3, Disponível em: <http://www.hipertext.net>. Acesso em: 1 jun

Tiago Rodrigo Marçal Murakami

Tiago Rodrigo Marçal Murakami Tiago Rodrigo Marçal Murakami Bacharel em Biblioteconomia pela USP Estudante de Administração Pública na UFOP Editor do Blog Bibliotecários sem Fronteiras - BSF Responsável pelo RABCI Estrutura e objetivo

Leia mais

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO Ferreira, S. M. S.P. 1 Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações de Artes Weitzel, S. R. 2 Universidade Federal do

Leia mais

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Roteiro Biblioteca Digital da UNIVATES Bibliotecas: Conceitos Metas da

Leia mais

Palavras-chave: Repositório de dados; Softwares Livres; Bibliotecas digitais; Documentos eletrônicos; Universidades; Produção acadêmica.

Palavras-chave: Repositório de dados; Softwares Livres; Bibliotecas digitais; Documentos eletrônicos; Universidades; Produção acadêmica. Bibliotecas digitais: possibilidades da utilização de Softwares livres para disponibilização de trabalhos acadêmicos. Cristina Maria de Queiroz Valeria Ferreira de Jesus Lauriano Resumo Com a evolução

Leia mais

Repositórios, Acesso Livre, Preservação Digital. Questões para hoje e amanhã

Repositórios, Acesso Livre, Preservação Digital. Questões para hoje e amanhã Repositórios, Acesso Livre, Preservação Digital Questões para hoje e amanhã Florianópolis 1.000.000 a.c - 2009 d.c Evolução da prática científica O compartilhamento dos dados das pesquisas mudou para práticas

Leia mais

REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009

REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009 REPOSITÓRIO DIGITAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS Porto Alegre, RS Brasil 2009 LUME Repositório Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Implementado em janeiro de 2008, a

Leia mais

REPOSITÓRIO DIGITAL: acesso livre à informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul

REPOSITÓRIO DIGITAL: acesso livre à informação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul PÔSTER A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA E O CONTEXTO INSTITUCIONAL Acesso livre e repositórios institucionais: maior visibilidade da produção científica institucional REPOSITÓRIO DIGITAL: acesso livre à informação

Leia mais

Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica

Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Repositórios digitais da Embrapa: acesso livre a produção técnico-científica Rosângela Lacerda de Castro (EMBRAPA) - rosangela.lacerda@embrapa.br Marilaine Schaun Pelufê

Leia mais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais

Open Archives. um marco na história das Bibliotecas Digitais Open Archives um marco na história das Bibliotecas Digitais Motivação Pontiac G6 Preço igual (EUA) USD $17,000 Motivação Dificuldades encontradas pelos pesquisadores no ciclo da comunicação científica

Leia mais

CONSTRUINDO A BIBLIOTECA DIGITAL DA FGV: Estudo de caso

CONSTRUINDO A BIBLIOTECA DIGITAL DA FGV: Estudo de caso CONSTRUINDO A BIBLIOTECA DIGITAL DA FGV: Estudo de caso Márcia Nunes Bacha 1, Maria do Socorro G. de Almeida 2 1 Bibliotecária, Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, RJ 2 Bibliotecária, Fundação Getulio

Leia mais

DIÁLOGO CIENTÍFICO: EPrints como um ambiente virtual aberto da comunicação científica RESUMO. 1. Introdução

DIÁLOGO CIENTÍFICO: EPrints como um ambiente virtual aberto da comunicação científica RESUMO. 1. Introdução DIÁLOGO CIENTÍFICO: EPrints como um ambiente virtual aberto da comunicação científica VIANA, CASSANDRA LÚCIA DE MAYA Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia cassandra@ibict.br MÁRDERO

Leia mais

REFERENCIAS SOBRE O USO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS (SEER)

REFERENCIAS SOBRE O USO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS (SEER) REFERENCIAS SOBRE O USO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS (SEER) O Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) é um software desenvolvido para a construção e gestão de uma publicação

Leia mais

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência

GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA: relato de experiência TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Dimensionamento dos impactos dos serviços digitais na Biblioteca GESTÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL NA BIBLIOTECA CENTRAL

Leia mais

VIII CINFORM. Jacqueline D. Dutra 1 Fernanda S. Monteiro 2

VIII CINFORM. Jacqueline D. Dutra 1 Fernanda S. Monteiro 2 VIII CINFORM PLATAFORMAS DE SOFTWARE LIVRES PARA O ARMAZENAMENTO E DESCRIÇÃO DE OBJETOS EDUCACIONAIS DIGITAIS: ESTUDO INICIAL PARA CUSTOMIZAÇÃO DO BANCO INTERNACIONAL DE OBJETOS EDUCACIONAIS DIGITAIS Jacqueline

Leia mais

Uso de software livre para implementação de provedores de serviços OAI-PMH: caso do provedor de serviços Sabiia

Uso de software livre para implementação de provedores de serviços OAI-PMH: caso do provedor de serviços Sabiia Uso de software livre para implementação de provedores de serviços OAI-PMH: caso do provedor de serviços Sabiia Anderson Hirata Isaque Vacari Introdução A iniciativa de Acesso Aberto promove a interoperabilidade

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Humanas e da Educação Departamento de Biblioteconomia e Gestão da Informação

Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Humanas e da Educação Departamento de Biblioteconomia e Gestão da Informação PLANO DE ENSINO TECNOLOGIAS APLICADAS À BIBLIOTECAS DIGITAIS Departamento: Biblioteconomia e Gestão da Ano/semestre: 2014/2 Curso: Biblioteconomia Fase: 6ª Disciplina: Tecnologias Aplicadas à Bibliotecas

Leia mais

Implementação da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER.

Implementação da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER. Implementação da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal no Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER. Rodrigo F. Meirelles 1 e-mail: rodrigomei@hotmail.com Relata a experiência de implementação

Leia mais

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE Eliane Apolinário Vieira Priscila Marylin de Almeida Arlete Inocencia Menezes Roni

Leia mais

MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL MOTIVAÇÕES E DESAFIOS PARA A CRIAÇÃO DO REPOSITÓRIO RIO DIGITAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Caterina Groposo Pavão, Janise Silva Borges da Costa, Manuela Klanovicz Ferreira, Zaida Horowitz

Leia mais

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho

Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Estoril, 13 de Maio de 2004 Criação e desenvolvimento do Repositório Institucional da Universidade do Minho Eloy Rodrigues, Matilde Almeida, Ângelo Miranda, Augusta Guimarães, Daniela Castro E-mail: {eloy,

Leia mais

Drupal para Empresas. Descobrindo os benefícios do Drupal para o seu negócio

Drupal para Empresas. Descobrindo os benefícios do Drupal para o seu negócio Sorteio de R$400 de crédito nos cursos de Drupal! http://j.mp/sorteio400reais O que veremos nessa palestra? # Apresentação # Introdução a CMS # Conhecendo o Drupal # Drupal como solução para Empresas #

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SERVIÇO DE PERIÓDICOS DIRETRIZES DO PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFSC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SERVIÇO DE PERIÓDICOS DIRETRIZES DO PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFSC UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SERVIÇO DE PERIÓDICOS DIRETRIZES DO PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFSC Florianópolis, Março, 2012 Revisado em julho, 2012 2 1 INTRODUÇÃO O Portal

Leia mais

O Bibliotecário como gestor de Projetos em TIC. Rodrigo Moreira Garcia garcia.rodrigo@usp.br

O Bibliotecário como gestor de Projetos em TIC. Rodrigo Moreira Garcia garcia.rodrigo@usp.br Mesa: O papel das Tic s para a Democratização da Informação Publica O Bibliotecário como gestor de Projetos em TIC Rodrigo Moreira Garcia garcia.rodrigo@usp.br Bibliotecário da Escola de Comunicações e

Leia mais

Definições: quando usar cada um?

Definições: quando usar cada um? Framework ou CMS? Definições: quando usar cada um? Framework: Uma arquitetura desenvolvida com o objetivo de atingir a máxima reutilização, representada como um conjunto de classes abstratas e concretas,

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

Emir José Suaiden Professor e pesquisador da Universidade de Brasília Diretor do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict

Emir José Suaiden Professor e pesquisador da Universidade de Brasília Diretor do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict SERVIÇOS DE REFERÊNCIA: NAS TRILHAS DA WEB Emir José Suaiden Professor e pesquisador da Universidade de Brasília Diretor do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict No processo

Leia mais

REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL. Caterina Groposo Pavão

REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL. Caterina Groposo Pavão REPOSITÓRIOS E VISIBILIDADE INSTITUCIONAL NO BRASIL Caterina Groposo Pavão 17/10/2014 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO INTELECTUAL DA UFRGS REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS: etapas para criação 2 LUME REPOSITÓRIO

Leia mais

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS

Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS Customização do DSpace para Sincronizar com Diferentes Fontes de Dados e Padrões de Atualização: o Caso do Repositório Digital da UFRGS Janise Silva Borges da Costa,Manuela Klanovicz Ferreira, Afonso Comba

Leia mais

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário São Paulo, junho de 2007 1º Versão SUMÁRIO 1 Introdução... 3 2 Autor... 5 2.1 Cadastro no sistema (http://submission.scielo.br),

Leia mais

Open Archives e Open Access

Open Archives e Open Access Mesa redonda: Tecnologias de Informação Open Archives e Open Access Sumário Cenário Mundial da Comunicação Científica O modelo Open Archives O movimento do acesso livre Ações do Ibict em direção ao acesso

Leia mais

Consultoria sobre Joomla!

Consultoria sobre Joomla! Consultoria sobre Joomla! Joomla! (pronuncia-se djumla) é um CMS (Content Management System) desenvolvido a partir do Mambo. É escrito em PHP e roda no servidor web Apache ou IIS e banco de dados MySQL.

Leia mais

Curso de Joomla na Prática

Curso de Joomla na Prática Curso de Joomla na Prática Joomla! (pronuncia-se djumla) é um CMS (Content Management System) desenvolvido a partir do Mambo. É escrito em PHP e roda no servidor web Apache ou IIS e banco de dados MySQL.

Leia mais

O SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS (SEER) E

O SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS (SEER) E RELATO DE EXPERIÊNCIA O SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS (SEER) E SUA ADOÇÃO EM PERIÓDICOS BRASILEIROS Por: Rodrigo França Meirelles rodrigomei@hotmail.com Bibliotecário e Consultor em Tecnologia

Leia mais

A opção de CMS que vem crescendo rápido. Bruno Gomes Cláudio Barbosa Cláudio Gomes

A opção de CMS que vem crescendo rápido. Bruno Gomes Cláudio Barbosa Cláudio Gomes A opção de CMS que vem crescendo rápido Bruno Gomes Cláudio Barbosa Cláudio Gomes Uma evolução do Mambo, o Joomla! é um gerenciador de conteúdo open source baseado em PHP e MySQL que possui um bom número

Leia mais

Preservação de periódicos eletrônicos no Brasil: primeiros passos

Preservação de periódicos eletrônicos no Brasil: primeiros passos Congresso Humanidades Digitais em Portugal: construir pontes e quebrar barreiras na era digital FCSH (UNL) - Lisboa - 8 e 9 out 2015 Preservação de periódicos eletrônicos no Brasil: Dr. Miguel Angel Arellano/Dra.

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a indexação e resumos, julgue os itens a seguir. Julgue os itens subsecutivos, referentes à gestão da informação e do conhecimento. 51 Coerência intraindexador refere-se

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM. IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE TRABALHOS CONCLUSÃO CURSO TCCs WEBSITE DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UEM-DEP Manoel Francisco Carreira 1 Gislaine Camila Lapasini Leal

Leia mais

POLÍTICA DE REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL

POLÍTICA DE REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL 1. PROPÓSITO A Fundação Bahiana para Desenvolvimento das Ciências (FBDC), mantenedora da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP), vem instituir a Política de Repositório Institucional - RI,

Leia mais

EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN. TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br

EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN. TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br EXPLORANDO TÉCNICAS E RECURSOS DO GERENCIADOR DE DADOS ABERTOS CKAN Prof. Dr. José Eduardo Santarem Segundo USP santarem@usp.br TuaneFaria USP tuanefaria@yahoo.com.br Introdução Disponibilizar Dados Disponibilizar

Leia mais

MINI-CURSO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Tecnologias, Politicas e Gestão. Lorena Tavares de Paula

MINI-CURSO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Tecnologias, Politicas e Gestão. Lorena Tavares de Paula MINI-CURSO REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Tecnologias, Politicas e Gestão Lorena Tavares de Paula Sumário 1 Contexto: internet, open access, Big data, Web semântica 2 Conceitos: Objeto informacional, Repositório

Leia mais

A Biblioteca Escolar Digital Gildenir Carolino Santos

A Biblioteca Escolar Digital Gildenir Carolino Santos INTRODUÇÃO A Biblioteca Escolar Digital Gildenir Carolino Santos Historicamente já possuímos três períodos principais que retratam a evolução das bibliotecas, iniciamos com as bibliotecas tradicionais,

Leia mais

Construindo sítios profissionais com Mambo

Construindo sítios profissionais com Mambo 23/09/06 Construindo sítios profissionais com Mambo Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Software Livre Conceitos de CMS Mambo Configuração do Mambo Novidades Referências 2 O que é software

Leia mais

Biblioteca Digital do BNDES www.bndes.gov.br/bibliotecadigital

Biblioteca Digital do BNDES www.bndes.gov.br/bibliotecadigital Biblioteca Digital do BNDES www.bndes.gov.br/bibliotecadigital 24 de NOVEMBRO de 2014 AP/DEINCO/COPED Breve histórico Fev. 2010 início do projeto: seleção de software e digitalização de documentos; 2011

Leia mais

Biblioteca Digital da Unicamp

Biblioteca Digital da Unicamp Biblioteca Digital da Unicamp Luiz Atilio Vicentini vicentin@unicamp.br Florianópolis, novembro 2009. 2004 3.932 Teses = 627 mil visitas 370 mil downloads Formulário previa que as teses poderiam não ser

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS

ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA Lavras / MG 2013 ORIENTAÇÕES PARA USO DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UFLA O Repositório Institucional da Universidade Federal de Lavras (RIUFLA) está

Leia mais

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007

VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado. E-repositórios. 26 de Maio de 2007 VIII Oficinas de Formação A Escola na Sociedade da Informação e do Conhecimento praticar ao sábado E-repositórios 26 de Maio de 2007 Intervenção de Maria João Gomes da Universidade do Minho Repositórios

Leia mais

Todos os direitos reservados para Alfamídia Prow. AVISO DE RESPONSABILIDADE

Todos os direitos reservados para Alfamídia Prow. AVISO DE RESPONSABILIDADE Todos os direitos reservados para Alfamídia Prow. AVISO DE RESPONSABILIDADE As informações contidas neste material de treinamento são distribuídas NO ESTADO EM QUE SE ENCONTRAM, sem qualquer garantia,

Leia mais

Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais. Reunião MinC 20/03/2015

Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais. Reunião MinC 20/03/2015 Laboratório de Políticas Públicas Participativas Acervos digitais Reunião MinC 20/03/2015 Reunião MinC Proposta de Pauta Apresentação equipe: Leo, Murilo, Dalton, Marcel, Marco e Eduardo; Situação geral

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Sobre O SOAC. 2. Histórico. 3. Contato. 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências

SUMÁRIO. 1. Sobre O SOAC. 2. Histórico. 3. Contato. 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências SUMÁRIO 1. Sobre O SOAC 2. Histórico 3. Contato 4. Página Inicial Sistema Eletrônico de Administração de Conferências 4.1 Página Capa Localizada no Menu Horizontal Principal 4.2 Página Sobre Localizada

Leia mais

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra

BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO. Liliana Giusti Serra BIBLIOTECAS DIGITAIS: CONCEITOS E PLANEJAMENTO Liliana Giusti Serra INFORMAÇÃO - NOVA ECONOMIA Ciência da Informação Ciência da Computação CONTEÚDO Tecnologia de Rede BIBLIOTECAS DIGITAIS Interoperabilidade

Leia mais

BDU Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu)

BDU Biblioteca Digital da UNIVATES (http://www.univates.br/bdu) Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Univates, Centro Universitário Rua Avelino Talini, 171 - Lajeado - RS

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora:

DOCUMENTO DE APOIO. www.diadorim.ibict.br. Brasília 2012 1. Financiadora: www.diadorim.ibict.br DOCUMENTO DE APOIO Brasília 2012 1 Financiadora: 1 Esta é a segunda versão do Documento de Apoio ao diretório Diadorim, publicado em 2011. SUMÁRIO Introdução... 1 Contatos... 3 Acesso

Leia mais

Proposta para implantação da Biblioteca Virtual da Rede Pergamum

Proposta para implantação da Biblioteca Virtual da Rede Pergamum Proposta para implantação da Biblioteca Virtual da Rede Pergamum Jacqueline Pawlowski Oliveira Biblioteca Universitária Universidade Federal de Minas Gerais Miriam de Lima Soares Doti Centro Universitário

Leia mais

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos

Conteúdo. Curso de Introdução ao Plone. O que é Plone. Parte I Conceitos básicos Curso de Introdução ao Plone Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Modulo A Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Laurimar Gonçalves

Leia mais

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace

A Biblioteca Digital do Senado Federal. DSpace A Biblioteca Digital do Senado Federal eo DSpace André Luiz Lopes de Alcântara Chefe do Serviço de Biblioteca Digital Simone Bastos Vieira Diretora da Biblioteca do Senado Federal BIBLIOTECA DO SENADO

Leia mais

Sistema Eletrônico de Editoração de RevistasSEER

Sistema Eletrônico de Editoração de RevistasSEER Sistema Eletrônico de Editoração de RevistasSEER O SEER foi traduzido e customizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) baseado no software desenvolvido pelo Public

Leia mais

AtoM Access to Memory

AtoM Access to Memory AtoM Access to Memory Casa de Oswaldo Cruz Serviço de Tecnologias da Informação(STI) AtoM O que é? AtoM é uma abreviatura de Access to Memory. Funciona em ambiente WEB, é multilíngue e pode ser usado em

Leia mais

Acesso Aberto, Repositórios Institucionais e os Periódicos Científicos do MZUSP

Acesso Aberto, Repositórios Institucionais e os Periódicos Científicos do MZUSP XIII SEMANA DO LIVRO E DA BIBLIOTECA NA USP 25 A 29 DE OUTUBRO DE 2010 ACESSO ABERTO À PRODUÇÃO CIENTÍFICA NA USP VIII SEMANA DO LIVRO E DA BIBLIOTECA NO MZUSP Acesso Aberto, Repositórios Institucionais

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DA UNIRIO

ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DA UNIRIO ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE REPOSITÓRIOS DA UNIRIO Simone da Rocha Weitzel 1, Elisa Campos Machado 2 1 Professora Doutora, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Rio de Janeiro-RJ

Leia mais

OPEN JOURNAL SYSTEMS OJS

OPEN JOURNAL SYSTEMS OJS OPEN JOURNAL SYSTEMS OJS: migrando um periódico científico eletrônico para um sistema automatizado de gerência e publicação de periódicos científicos eletrônicos Guilherme Ataíde Dias * João Bosco Delfino

Leia mais

Weslley da Silva Fernandes Mathias

Weslley da Silva Fernandes Mathias Weslley da Silva Fernandes Mathias 1 Biblioteca digital é a biblioteca constituída por documentos primários, que são digitalizados sob a forma material (disquetes, CD-ROM, DVD), ou online através da internet,

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia.

A Empresa. Alguns Clientes que já utilizam nossa tecnologia. A Empresa A GDDoc é uma empresa especializada na gestão de documentos digitais e arquivos, auxilia as empresas a administrar através da tecnologia o uso de papel, para alcançar estes objetivos fazemos

Leia mais

Expandindo o conceito de biblioteca: interoperabilidade, personalização, curadoria digital e novos documentos

Expandindo o conceito de biblioteca: interoperabilidade, personalização, curadoria digital e novos documentos II ENCONTRO DE BIBLIOTECÁRIOS DA AERONÁUTICA - FAB Expandindo o conceito de biblioteca: interoperabilidade, personalização, curadoria digital e novos documentos ou a Biblioteca na Porta da Geladeira Luana

Leia mais

MEC/CAPES. Portal de Periódicos

MEC/CAPES. Portal de Periódicos MEC/CAPES Portal de Periódicos A CAPES e a formação de recursos de alto nível no Brasil Criada em 1951, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é uma agência vinculada ao

Leia mais

Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase

Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase Proposta de Serviço Piloto Grupo de Trabalho Segunda Fase Federação de Repositórios Educa Brasil - FEB Rosa Maria Vicari Universidade Federal do Rio Grande do Sul 23.10.2009 1. Concepção do serviço 1.1.

Leia mais

Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais

Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais Repositórios no contexto da EaD: O Banco Internacional de Objetos Educacionais Seminário Repositórios Institucionais e de Objetos Virtuais de Aprendizagem Florianópolis, Novembro - 2009 Anna Christina

Leia mais

repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite

repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite Por que, para quem e como criar repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica? Fernando César Lima Leite A produção do conhecimento É viabilizadamedianteprocessos decomunicação

Leia mais

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com 1. A comunicação científica e sua importância Qualquer

Leia mais

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani

Curso de Introdução ao Plone. Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Curso de Introdução ao Plone Instrutores Carlos Alberto Alves Meira Erick Gallani Conteúdo Parte I - Conceitos básicos Parte II - Interface do Plone Parte III - Gerenciamento de usuários Parte IV - Criação

Leia mais

Moodle. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens

Moodle. Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens Moodle Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Modular Orientado a Objetos) Ferramentas e Vantagens O que é? Alternativa às soluções comerciais de ensino on-line

Leia mais

PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA

PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA PROPOSTA PARA CONSTRUÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL COMO FERRAMENTA DE AUXÍLIO NO ENSINO À DISTÂNCIA Daniel Gonzaga dos Santos 1 Faculdade Cidade de João Pinheiro Resumo: Este artigo aborda as etapas para

Leia mais

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento

Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Contexto Planejamento Estrutura Política de funcionamento Promoção do acesso universal Informação atualizada Facilidade de pesquisa Compartilhamento de informação Facilidade de manutenção da informação

Leia mais

Introdução 13/06/2012. Software Livre

Introdução 13/06/2012. Software Livre Software Livre Introdução Software Livre, software de código aberto ou software aberto é qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo

Leia mais

3 Estudo de Ferramentas

3 Estudo de Ferramentas 3 Estudo de Ferramentas Existem diferentes abordagens para automatizar um processo de desenvolvimento. Um conjunto de ferramentas pode ser utilizado para aperfeiçoar o trabalho, mantendo os desenvolvedores

Leia mais

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL O USO DE INDICADORES DE PRODUÇÃO INTELECTUAL NO PROCESSO DE GESTÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Janise Silva Borges da Costa, Beatriz Helena de Souza Cestari, Carla Metzler

Leia mais

O uso do gestor de conteúdos plone no suporte a processos de software

O uso do gestor de conteúdos plone no suporte a processos de software O uso do gestor de conteúdos plone no suporte a processos de software Fernando Silva Parreiras Objetivo Demonstrar a aplicação de ferramentas de gestão de conteúdo, especificamente o plone, no apoio a

Leia mais

Biblioteca digital: novo paradigma da informação

Biblioteca digital: novo paradigma da informação Biblioteca digital: novo paradigma da informação Murilo Bastos da Cunha Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Brasília, DF E-mail: murilobc@unb.br Introdução A Internet está revolucionando

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

Atualização sobre os produtos e serviços da BVS

Atualização sobre os produtos e serviços da BVS Atualização sobre os produtos e serviços da BVS http://brasil.bvs.br/reuniao-redebvs-2014/ #BVSBrasil2014 Renato Murasaki murasaki@paho.org Metodologias e Tecnologias de Informação Administração de Fontes

Leia mais

Desenvolvimento de Software Livre para a área

Desenvolvimento de Software Livre para a área Desenvolvimento de Software Livre para a área de Saúde Daniel Weingaertner Departamento de Informática UFPR Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL Programa de Extensão Conhecendo Padrões

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

REPOSITÓRIOS DIGITAIS

REPOSITÓRIOS DIGITAIS Repositórios de informação e ambientes de aprendizagem: Criação de espaços virtuais para a promoção da literacia e da responsabilidade social Ana Bela Martins Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares

Leia mais

Sumário. 4 Introdução. 4 Definições. 4 Utilização. 4 Padrões. 4 Conclusão. 4 Os padrões permitem 4 Padrões USMARC 4 Padrões Dublin Core

Sumário. 4 Introdução. 4 Definições. 4 Utilização. 4 Padrões. 4 Conclusão. 4 Os padrões permitem 4 Padrões USMARC 4 Padrões Dublin Core Sumário 4 Introdução 4 Definições 4 Utilização 4 Padrões 4 Os padrões permitem 4 Padrões USMARC 4 Padrões Dublin Core 4 Conclusão Introdução 4 A constante evolução da área de informática, permite com que

Leia mais

Macuco Plataforma Online de Vídeo. Descrição da Arquitetura

Macuco Plataforma Online de Vídeo. Descrição da Arquitetura Macuco Plataforma Online de Vídeo Descrição da Arquitetura 9 de Outubro de 2009 1 Sumário Introdução...3 Elementos do site...4 Menu...4 Página inicial...5 Vídeos...6 Vídeo...7 Upload...8 Ferramentas a

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação versão 2.0 Conteúdo 1. Introdução... 3 2 1.1 Público alvo... 3 1.2 Convenções... 3 1.3 Mais recursos... 3 1.4 Entrando em contato com a ez... 4 1.5

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

JOOMLA! PARA INICIANTES

JOOMLA! PARA INICIANTES JOOMLA! PARA INICIANTES Djonatan Buss (UFPel) Jerônimo Median Madruga (UFPel) RESUMO: A disseminação da internet no mundo ocasionou uma explosão na procura de ferramentas para criação de conteúdo online.

Leia mais

Acesso livre a publicações e repositórios digitais em ciência da informação no Brasil

Acesso livre a publicações e repositórios digitais em ciência da informação no Brasil Acesso livre a publicações e repositórios digitais em ciência da informação no Brasil FERNANDA PASSINI MORENO FERNANDO CÉSAR LIMA LEITE Mestranda em Ciência da Informação, Departamento e Ciência da Informação

Leia mais

Acesso aberto à informação científica e o problema da preservação digital

Acesso aberto à informação científica e o problema da preservação digital Acesso aberto à informação científica e o problema da preservação digital Por Miguel Ángel Márdero Arellano e Fernando César Lima Leite Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT)

Leia mais

DSpace como repositório eletrônico de monografias da Universidade Estadual da Paraíba

DSpace como repositório eletrônico de monografias da Universidade Estadual da Paraíba de Andrade, Camille; Santos da Silva Medeiros, Irenilda DSpace como repositório eletrônico de monografias da Universidade Estadual da Paraíba III Jornadas de Intercambio y Reflexión acerca de la Investigación

Leia mais

Busca de informação cientifica em Ciências da Comunicação: ferramenta de coleta automática ARCom 1

Busca de informação cientifica em Ciências da Comunicação: ferramenta de coleta automática ARCom 1 Busca de informação cientifica em Ciências da Comunicação: ferramenta de coleta automática ARCom 1 Roberto Seiti Yamashiro 2 Sueli Mara S.P. Ferreira 3 Resumo Falar em produção cientifica em ciências da

Leia mais

FERRAMENTAS ON LINE ASSOCIADAS A UMA BIBLIOTECA DIGITAL PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS: PROJETO XII SBSR

FERRAMENTAS ON LINE ASSOCIADAS A UMA BIBLIOTECA DIGITAL PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS: PROJETO XII SBSR FERRAMENTAS ON LINE ASSOCIADAS A UMA BIBLIOTECA DIGITAL PARA PUBLICAÇÃO EM EVENTOS: PROJETO XII SBSR BANON, L. C. BANON, G. J. F. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais E-mail: lise@dpi.inpe.br RESUMO

Leia mais

Open Archives: contexto

Open Archives: contexto Open Archives Arquivos Abertos Impacto da Internet nos Sistemas de Informação Documentos em papel Documentos eletrônicos Bases de dados referenciais Bases em texto completo Sistemas isolados Interoperabilidade

Leia mais

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO PRESENCIAL: estudos preliminares e proposta de uma metodologia de implantação no CEFET-Bambuí Christiane dos Santos

Leia mais

VISIBILIDADE CIENTÍFICA: o caso da Revista Geologia USP Online

VISIBILIDADE CIENTÍFICA: o caso da Revista Geologia USP Online TRABALHO ORAL A BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA E O CONTEXTO INSTITUCIONAL Acesso livre e repositórios institucionais: maior visibilidade da produção científica institucional VISIBILIDADE CIENTÍFICA: o caso da

Leia mais

SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER

SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER SISTEMA ELETRÔNICO DE EDITORAÇÃO DE REVISTAS: SEER O Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER/OJS) foi customizado pelo IBICT, e o objetivo principal do projeto foi organizar a informação científica

Leia mais

Manual WordPress. Conteúdo Índice. Capítulo 1 Introdução. Capítulo 2 Conceitos básicos do Painel. Capítulo 3 Gerenciamento de Posts ( Artigos)

Manual WordPress. Conteúdo Índice. Capítulo 1 Introdução. Capítulo 2 Conceitos básicos do Painel. Capítulo 3 Gerenciamento de Posts ( Artigos) Manual WordPress Conteúdo Índice Capítulo 1 Introdução Sobre o WordPress Características principais Capítulo 2 Conceitos básicos do Painel Logando no Painel de Controle Alterando Usuário e Senha Painel

Leia mais