Voluntariado Empresarial

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Voluntariado Empresarial"

Transcrição

1 Voluntariado Empresarial

2 Agenda 09:00-09:10 Abertura e Introdução ao tema Voluntariado Empresarial 09:10 09:30 Jogo de Palavras conceito trabalho em grupos 09:30 10:15 Apresentação dos grupos e síntese dos conceitos e fundamentos do VE 10:15 10:30 Coffee break 10:30 10:45 Características e Resultados do VE 10:45-11:15 Apresentação de Cases 11:15-11:45 Apresentação do Núcleo de RS-AM 11:45-12:00 Atividade de encerramento

3 Responsabilidade Social e Voluntariado Empresarial O tema da Responsabilidade Social ganha cada vez mais importância e cresce o número de empresas interessadas em obter o reconhecimento da sociedade e do mercado nesse campo.

4 O que se entende como Responsabilidade Social? Responsabilidade Social é a responsabilidade que uma determinada pessoa ou organização tem para com a sociedade. É a obrigação que uma pessoa ou organização tem de responder pelos efeitos de seus atos para o conjunto de impactos, diretos e indiretos, atuais e futuros, que uma pessoa ou organização provoca na sociedade com o seu comportamento e/ou suas atividades. Paulo Itacarambi Perfil do Voluntariado Empresarial Rio Voluntário

5 O que a sociedade espera das empresas? Está cada vez mais presente a certeza de que as empresas têm um papel fundamental na construção de uma sociedade sustentável, em que a cidadania é um pressuposto básico. Essa certeza aumenta à medida que se percebe o imenso poder que as empresas adquiriram no mundo atual. Ética e transparência Justiça Social Liberdade

6 Como as empresas podem contribuir para a construção de um ambiente social em que as pessoas possam realizar todo o seu potencial humano com segurança e qualidade de vida, relacionar-se em igualdade com seus semelhantes e desfrutar as emoções de amar e ser amado e para construir a sua própria historia que lhe permita transcender seu breve período de vida em sociedade?

7 Qual é o lugar do Voluntariado Empresarial? VOLUNTARIADO EMPRESARIAL

8 JOGO DE PALAVRAS 1- Trabalho em Grupos 2- Apresentação das mensagens e conceitos 3- Síntese

9 3- Fundamentos - Conceitos

10 Indignação e voluntariado militante Solidariedade e apoio mútuo Compaixão e religiosidade

11 Voluntariado empresarial: Novo padrão de voluntariado, participativo e cidadão que busca a superação do assistencialismo. Embora continue importante atender populações em situação de risco, o conceito-chave não é mais apenas socorrer aos necessitados, a questão-chave está na promoção da cidadania. O princípio do voluntariado na atualidade, agrega a idéia de transformação social à prática dos voluntários. Responsabilidade e Compromisso

12 O QUE É SER VOLUNTÁRIO? O voluntário é o cidadão que, motivado pelos valores de participação e solidariedade, doa seu tempo,trabalho e talento, de maneira espontânea e não remunerada, para causas de interesse social e comunitário (Programa Voluntários, do Conselho da Comunidade Solidária)

13 VOLUNTARIADO EMPRESARIAL O que É? O que NÃO é? É organizar a disposição para o trabalho voluntário dentro da empresa, desenvolvendo ações de incentivo, reconhecimento e apoio para atividades que visem a melhoria da qualidade de vida das comunidades Não é compulsório Não é autoritário Não é assistencialismo Não é marketing Foco atual Premissa da solidariedade e do exercício da cidadania

14 3- Características e principais Resultados

15 A Comunidade Contribui para reduzir problemas sociais, resultando em melhorias na qualidade de vida A Empresa Contribui para imagem e reputação da empresa na sociedade e impactos positivos no clima organizacional QUEM GANHA? Os Funcionários Formação de cidadãos conscientes da realidade, mais críticos, solidários, desenvolvem iniciativa, autonomia e criatividade TORNA A COMUNIDADE UM LUGAR MELHOR PARA SE VIVER!!! Fortalece o indivíduo pelo trabalho em equipe, por lidar com diferentes visões de mundo, enfrentar adversidades Exercício da cidadania Satisfação pessoal

16 Características do Voluntariado Empresarial Extra Organizacional Inter Organizacional Intra Organizacional Conceito Realizado por indivíduos, duos, no seu tempo pessoal Apoiado pela empresa, mas não estrategicamente alinhado. Interesses filantrópicos dos colaboradores acima dos objetivos e estratégias da empresa Trabalhos voluntários realizados pelos colaboradores programas estruturados, focados em causas sociais escolhidas pela empresa Seleção da Instituição ou causa Colaboradores Colaboradores Empresa Envolvimento da Empresa Nenhum Apoio passivo a decisão do colaborador Oportunidades estratégicas para os colaboradores Fonte: The Impact of Corporate Volunteerism on Organisational Identity and Organisational Identification - Agnes Lau Ying-hung

17 Características do Voluntariado Empresarial Extra Organizacional Inter Organizacional Intra Organizacional Tipos de Programas Todos Sem foco Foco nas necessidades da comunidade e em benefícios para a empresa Tempo Tempo pessoal Dentro de horas de trabalho Dentro de horas de trabalho

18 Modalidades de atuação Voluntária Pontuais Continuadas Parecerias Estratégicas Atividades de 1 dia (ex. pintura de 1 escola) Longo prazo ou sem data para término (ex. Mentorato) Empresas e comunidades planejam atividades comunitárias para o beneficio de ambas (ex.participação em Comitês ou outros grupos da comunidade)

19 Formas de Participação Individual Grupos Participação dos familiares Aposentados Colaboradores participam individualmente, como no mentorato Todos os tipos de trabalhos em grupo Envolvimento das esposas (os), filhos e parentes próximos O Programa e estendido aos aposentados

20 Impactos do Voluntariado Empresarial na Identidade Organizacional A Identidade Organizacional e um valor socialmente construído, que é compartilhado por todos os stakeholders sobre as características e qualidades de uma organização. E influenciado e pode passar por mudanças, especialmente pela influencia de stakeholders externos fortes.

21 Impactos do Voluntariado Empresarial na Identidade Organizacional A percepção de identidade organizacional dos colaboradores é influenciada pela percepção que eles têm sobre como os externos (comunidade) percebem a empresa onde eles trabalham. Empresa atrativa externamente eleva a auto-estima dos colaboradores e atende a uma necessidade humana de distinguir a si mesmos dos outros no contexto social.

22 Impactos do Voluntariado Empresarial na Comunidade conforme estágios do VE 1- Distância: o relacionamento com a comunidade é individualista desconhecimento da comunidade em relação ao que a empresa faz. 2- Não Participação ão: comunidade sabe que a empresa tem algumas iniciativas direcionadas a comunidade, mas o relacionamento ainda é distante e não há conexão. 3- Atividades Pontuais Atividades Pontuais: Atitude responsiva da empresa iniciativas para atender as necessidades da comunidade Relacionamento ainda não é muito forte, mas empresa e comunidade percebem os benefícios para o público interno (positividade - trabalho em equipe).

23 Impactos do Voluntariado Empresarial na Comunidade conforme estágios do VE 4- Participação continuada: relacionamento é reforçado o papel da empresa continua responsivo. Neste estágio a comunidade percebe que a empresa está genuinamente preocupada com as suas necessidades. 5- Parcerias: empresa e comunidade compartilham a mesma plataforma, por exemplo em um Conselho planejamento e implementação de estratégias conjuntas. Papel da empresa evolui de responsivo para pro ativo em direção a objetivos comuns que contribuirão para a comunidade em geral.

24 Impactos do Voluntariado Empresarial para Colaboradores conforme estágios do VE 1- Relações de Trabalho: os colaboradores ainda não conhecem sobre VE. A imagem é de grande organização, produtos e tecnologia de alta qualidade. 2- Estágio de não participação ão: colaboradores conhecem iniciativas relacionadas à comunidade, mas ainda não participam de VE - percepção positiva de que a empresa preocupa-se com a comunidade percepção de que as iniciativas buscam benefícios para os negócios (reputação e desenvolvimento dos colaboradores)- Percepção de que a empresa esta mostrando a sua responsabilidade para a comunidade.

25 Impactos do Voluntariado Empresarial para Colaboradores conforme estágios do VE 3- Participações Pontuais: percepção de que quando a empresa decide envolver-se em iniciativas com a comunidade, os benefícios são para ambos. A empresa preocupa-se com a comunidade e tem como motivação os benefícios para o negócio. 4- Atividades continuadas Atividades continuadas: relacionamento mais forte. Neste estágio os colaboradores percebem que mesmo que a empresa não tivesse benefícios as atividades seriam continuadas.

26 3- Cases

27 Empresas que realizam Voluntariado Empresarial Bosch ABN AMRO REAL Petrobras Embraco Philips Masa

28 Philips Criado em 2001 Foco: saúde e educação Oportunidade para empregados e parceiros exercer a cidadania e contribuir Para a redução das desigualdades sociais Assessorado pela Gerência de Sustentabilidade Participação: cerca de 15% da força de trabalho Ações: 1- Doe Vida temas relacionados a sexualidade, doenças sexualmente transmissíveis e AIDS para jovens de escolas públicas realizado em parceria com Secretarias Estaduais de Educação 2- Aprendendo com a Natureza temas de educação ambiental para crianças do 2º ao 5º ano do ensino fundamental permanecem na escola por 3 anos 3- Escolas de Informática e Cidadania (EIC) parceria com o comitê pela Democratização da Informática CDI 4- Viva e Deixe Viver parceria com a ONG Viva e Deixe Viver voluntários levam alegria às crianças hospitalizadas

29 O MELHOR DE NÓS O melhor de nós não tem tamanho, nem quantidade, nem aparência. Ele pode mover grandes obstáculos ou provocar um sorriso. Ele só precisa ser verdadeiro, demonstrar que o que fazemos é importante para nós e para quem recebe. Podemos provocar mudanças com o nosso melhor. Experimente uma nova receita, uma nova postura, um novo meio de ajudar alguém, uma nova maneira de se expressar. Experimente cuidar de você e cuidar do outro.

30 Masa Criado em MULTICIDADÃO Apoio do presidente e todos os líderes Objetivo: aumentar a consciência social, valorizando a cultura e preservando suas riquezas naturais, em Manaus Foco: crianças e adolescentes Ações: 1- Contadores de Histórias programa semanal para crianças 2- Preservando o Futuro colaboradores e familiares acompanham a comunidade nos passeios na Reserva Florestal Adolpho Ducke 3- Mutirões de Limpeza consertos, pinturas, limpeza, arrecadação de equipamentos e utensílios para as comunidades 4- Cortes de Cabelo para crianças e adolescentes e vizinhos da Masa 5- Teatro grupo apresenta-se para crianças das instituições assistidas voluntários atuantes pessoas beneficiadas 756 eventos realizados

31 Petrobrás Criado em 2003 FOME ZERO Os empregados organizam-se em grupos, criam projetos e apresentam para análise e patrocínio Os projetos devem contribuir para a organização da sociedade civil, de forma sutentável Buscam parcerias com o poder público, associações, cooperativas e ONGs Incentivam o engajamento de aposentados e terceiros Participantes: 19 unidades no Brasil integrantes Parceria com a Universidade Petrobrás viabiliza a capacitação em gestão de projetos 38 projetos aprovados voluntários pessoas beneficiadas em 66 municípios Aprimoramento da sinergia entre o público interno Aproximação da empresa com a comunidade Maior conhecimento da sociedade civil sobre a campania e vice-veras Incentivo à qualificação dos voluntários e ao desenvolvimento da cidadania

32 ABN AMRO REAL Projeto Escola Brasil Programa de Voluntariado do ABN AMRO REAL Voluntários em 151 escolas Objetivos: contribuir para a melhoria da educação oferecida nas escolas públicas e fortalecer seus laços com a comunidade, promovendo o desenvolvimento local. Atua de maneira estruturada, envolvendo o Banco, funcionários, parceiros de negócios, familiares e a comunidade Plano de trabalho estabelecido em conjunto: voluntários e a equipe escolar Eixos temáticos: esporte, recreação, arte e cultura, programas com foco em diversidade, meio ambiente, empreendedorismo e geração de renda As escolas apoiadas passaram a ser vistas como parceiras e co-responsáveis pelo sucesso das ações O Voluntário assume o papel de articulador de parcerias e mobiliza outras pessoas para atuar em prol da educação. Envolver pessoas na construção das soluções com a premissa de participação e co-responsabilidade gera aprendizados e promove o desenvolvimento sustentável.

33 Encontro do Voluntariado Corporativo de Empresas de Joinville e Região 07 de Novembro de 2007 Atitude e Participação na Construção de Relacionamentos Sustentáveis com a Comunidade

34

35 PERFIL DO VOLUNTARIADO EMPRESARIAL Rio voluntário

36 LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DAS EMPRESAS Período - nov/2006 a fev/ empresas 103 questionários 89 válidos

37 MODELOS DE AÇÃO 45% das empresas iniciaram a promoção do Voluntariado por iniciativa corporativa

38 PRINCIPAIS EXPECTATIVAS 65% - fortalecer o relacionamento e atender as necessidades da comunidade do entorno

39 MOTIVAÇÃO PARA O VOLUNTARIADO

40 HORÁRIO EM QUE OS COLABORADORES SÃO INCENTIVADOS A REALIZAR AÇÕES VOLUNTÁRIAS

41 CONSIDERAM COMO AÇÃO VOLUNTÁRIA

42 PERCENTUAL DE PARTICIPAÇÃO

43 QUEM PARTICIPA

44 PRÁTICAS DE ESTÍMULO AO VOLUNTARIADO PERFIL DO VOLUNTARIADO NO BRASIL

45 ATUAÇÃO VOLUNTÁRIA QUE MAIS MOBILIZA

46 ATUAÇÃO VOLUNTÁRIA QUE MAIS MOBILIZA VERSUS EMPRESAS COM PROGRAMA INSTITUCIONALIZADO COM PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO ANUAL

47 TIPOS DE AÇÕES VOLUNTÁRIAS, ONDE A PARTICIPAÇÃO DE COLABORADORES É MAIOR QUE 20%

48 PARTICIPAÇÃO DOS DIRETORES

49 ÁREAS DE ATUAÇÃO

50 PÚBLICO ALVO DAS AÇÕES

51 RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA

52 VALOR FINANCEIRO INVESTIDO (divulgação, palestras, reconhecimento, consultorias, etc.)

53 DIVULGAÇÃO DAS AÇÕES

54 INDICADORES DE AVALIAÇÃO

55 MAIOR BENEFICIADO Percepções a partir da experiência

56 CONTRIBUI PARA A PARTICIPAÇÃO DOS COLABORADORES

57 CONTRIBUEM PARA O SUCESSO

58 AUTO-AVALIAÇÃO

Desafios do voluntariado

Desafios do voluntariado Desafios do voluntariado Conselho Regional de Administração 20 de outubro de 2009 Maria de Fátima Alexandre Mafalexandre@gmail.com Filme Michele Obama convida Filme Voluntariado no Brasil Voluntariado

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional Fundação ArcelorMittal ArcelorMittal Maior produtora de aço do mundo com mais de 222.000 empregados

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009 Transição de marca O Centro de Ação Voluntária de Curitiba completou 10 anos em março de 2008 e depois de ver consolidada uma etapa de vida da organização, iniciou um processo

Leia mais

VOLUNTARIADO EMPRESARIAL CRA - outubro 2009

VOLUNTARIADO EMPRESARIAL CRA - outubro 2009 VOLUNTARIADO EMPRESARIAL CRA - outubro 2009 APOENA SUSTENTÁVEL Missão Disseminar, desenvolver e promover a gestão corporativa sustentável garantindo o equilíbrio entre os fatores econômicos, sociais e

Leia mais

Santander InveStImento SocIal PrIvado

Santander InveStImento SocIal PrIvado Santander InveStImento SocIal PrIvado dashboard 2015 Nossa causa Inclusão social e econômica da população brasileira. diretrizes Fortalecer políticas públicas e não se perder em ações isoladas. Dialogar

Leia mais

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS

Realização: FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS FEDERAÇÃO CATARINENSE DE MUNICÍPIOS Núcleos de Defesa Civil (NUDECs): estruturação, atribuições e funcionamento Regina Panceri Gerente Capacitação, Pesquisa e Projetos SDC 3 O que é, o que é????? O que

Leia mais

Planejamento Estratégico Municipal. Tibagi -PR. A Cidade Que Nós Queremos

Planejamento Estratégico Municipal. Tibagi -PR. A Cidade Que Nós Queremos Municipal Tibagi -PR A Cidade Que Nós Queremos Bem Vindos a Tibagi A Cidade Que Nós Queremos Planejamento Estratégico Municipal Tibagi -PR Municipal Cidades e Cidadãos As cidades são as pessoas A vida

Leia mais

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM: Responsabilidade Social, Cidadania e Solidariedade

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM: Responsabilidade Social, Cidadania e Solidariedade Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio ODM: Responsabilidade Social, Cidadania e Solidariedade NÓS, VOCÊ, VOCÊS, EU,...SOMOS SERES VIVOS Colaboração COLABORAÇÃO Domínio das condutas relacionais,

Leia mais

Articula JOVENS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL. Andréia Beraldo Carolina Corção Izabel Martins Suellen Giovanoni

Articula JOVENS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL. Andréia Beraldo Carolina Corção Izabel Martins Suellen Giovanoni Articula JOVENS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL Andréia Beraldo Carolina Corção Izabel Martins Suellen Giovanoni Realização: Apoio: O ARTICULA foi um evento promovido pelo programa Jovens Profissionais do Desenvolvimento

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS 11 3672-6822 11 8067-9041. www.santagente.com.br

EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS 11 3672-6822 11 8067-9041. www.santagente.com.br EDUCAÇÃO PARA HUMANOS CRESCIDOS PALESTRAS Sobre a Santa Gente Mudamos o formato das palestras convencionais com o propósito de vender inovação com inovação. Utilizamos a música como ferramenta de facilitação

Leia mais

www.belcorp.biz VIII/09

www.belcorp.biz VIII/09 CÓDIGO DE ÉTICA www.belcorp.biz VIII/09 Na Belcorp acreditamos que cada pessoa tem o poder de transformar seus sonhos em realidade. Assumir este poder significa reconhecer que nossas ações e decisões têm

Leia mais

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES GRUPO VOLVO América latina

POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES GRUPO VOLVO América latina POLíTICA DE PATROCíNIOS E DOAÇÕES GRUPO VOLVO América latina índice APRESENTAÇÃO...3 POLíTICA DE PATROCíNIOS Do Grupo Volvo América Latina...3 1. Objetivos dos Patrocínios...3 2. A Volvo como Patrocinadora...3

Leia mais

Educação Integral Desafios para a implementação

Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral Desafios para a implementação Educação Integral: uma demanda da sociedade Enfrentamento da desigualdade social: Garantia de direitos Ampliação das redes de proteção para crianças e adolescentes

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável

Desenvolvimento Sustentável Desafios para as lideranças na criação de ambientes favoráveis à leitura Lucila Martínez Cáceres Educadora, Mestre em Biblioteconomia e Informação Especialização em Desenvolvimento Sustentável Local e

Leia mais

Redução da Pobreza e Desigualdades e Inclusão Produtiva na América Latina: novas abordagens

Redução da Pobreza e Desigualdades e Inclusão Produtiva na América Latina: novas abordagens Redução da Pobreza e Desigualdades e Inclusão Produtiva na América Latina: novas abordagens Washington, DC 13 de março de 2006 Senhoras e Senhores É com imensa satisfação que me dirijo aos Senhores para

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Voluntariado Corporativo. DOE. SEJA VOLUNTÁRIO. VIVA UNIDO. www.unitedwaybrasil.org.br

Voluntariado Corporativo. DOE. SEJA VOLUNTÁRIO. VIVA UNIDO. www.unitedwaybrasil.org.br Voluntariado Corporativo DOE. SEJA VOLUNTÁRIO. VIVA UNIDO. www.unitedwaybrasil.org.br UNITED WAY A UNITED WAY é uma organização americana, com125 anos e está presente em mais de 40 países Mobiliza anualmente

Leia mais

Linhas Orientadoras de Cidadania do Agrupamento de Escolas Engenheiro Fernando Pinto de Oliveira 2014/15

Linhas Orientadoras de Cidadania do Agrupamento de Escolas Engenheiro Fernando Pinto de Oliveira 2014/15 Agrupamento de Escolas Eng. Fernando Pinto de Oliveira Linhas Orientadoras de Cidadania do Agrupamento de Escolas Engenheiro Fernando Pinto de Oliveira 2014/15 A prática da cidadania constitui um processo

Leia mais

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO

PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS METODOLOGIA E ANÁLISE DOS BENEFÍCIOS PARA A ORGANIZAÇÃO Cecília, Pereira¹ Rosalina, Batista¹ Cruz, Paulo Emílio² RESUMO Através deste artigo iremos abordar de forma objetiva,

Leia mais

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015]

Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Correntes de Participação e Critérios da Aliança Global Wycliffe [Versão de 9 de maio de 2015] Introdução As Organizações da Aliança Global Wycliffe desejam expressar a unidade e a diversidade do Corpo

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP 2008-2 1 Apresentação A SABESP a partir da sua própria missão de prestar serviços de saneamento, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente constitui-se

Leia mais

Programas de. Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br

Programas de. Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br Programas de Voluntariado Empresarial Andrea Goldschmidt andrea@apoenasustentavel.com.br POSICIONAMENTO APOENA Visão Ser a mais completa empresa de consultoria em Gestão Sustentável do Brasil. Missão Disseminar,

Leia mais

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos Superintendência Regional de Negócios Rio de Janeiro Centro Plínio Magalhães Fonseca Gerente Regional 07 de Outubro de 2009 Responsabilidade

Leia mais

Lançamento. 25/agosto/2009

Lançamento. 25/agosto/2009 Lançamento Programa de Voluntariado Empresarial Sabesp 25/agosto/2009 Cenário externo Modelo de desenvolvimento insustentável; Desequilíbrio ambiental e escassez de recursos naturais; Aumento da pobreza,

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

Divisão Projeto Escola Brasil Diretoria de Desenvolvimento Sustentável. Marcos de Referência

Divisão Projeto Escola Brasil Diretoria de Desenvolvimento Sustentável. Marcos de Referência Divisão Projeto Escola Brasil Diretoria de Desenvolvimento Sustentável Marcos de Referência Se quisermos educação de qualidade para todos, precisaremos de todos pela qualidade da educação Jomtien, 1990

Leia mais

SUPERMERCADOS CARDOSO. Inserção da Responsabilidade Social na Gestão da Empresa

SUPERMERCADOS CARDOSO. Inserção da Responsabilidade Social na Gestão da Empresa SUPERMERCADOS CARDOSO Inserção da Responsabilidade Social na Gestão da Empresa 1 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA: Originariamente como Empresa Familiar, iniciamos nossas atividades nos idos dos anos 60 com uma

Leia mais

Núcleo Regional de Piên

Núcleo Regional de Piên Núcleo Regional de Piên Municípios participantes Lapa Mandirituba Quitandinha Tijucas do Sul Agudos do Sul Campo do Tenente Piên Rio Negro Ações prioritárias para a região Objetivo 1: Erradicar a extrema

Leia mais

Programa INTEGRA CIDADÃO

Programa INTEGRA CIDADÃO Programa INTEGRA CIDADÃO REALIZAÇÃO PARCERIA UNIVERsIDADE ÍNDICE A UNIVERSIDADE POSITIVO E O PROFISSIONAL DO FUTURO 3 VOLUNTARIADO E CIDADANIA 4 O PROFISSIONAL DO SÉCULO XXI E A PRÁTICA VOLUNTÁRIA VALORIZAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

Municípios participantes

Municípios participantes Municípios participantes Alvorada do Sul Arapongas Bela Vista do Paraíso Cafeara Cambé Centenário do Sul Florestópolis Guaraci Ibiporã Jaguapitã Londrina Lupionópolis Miraselva Pitangueiras Porecatu Prado

Leia mais

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013 CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS Junho 2013 PROPÓSITO Aqui apresentamos o caminho para as empresas adotarem uma estratégia em adaptação às mudanças climáticas,

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

GAMIFICATION... Você sabe o que é? NÃO SIM. Então, você sabia que a Apoena possui soluções para aplicar Gamification nos processos de desenvolvimento?

GAMIFICATION... Você sabe o que é? NÃO SIM. Então, você sabia que a Apoena possui soluções para aplicar Gamification nos processos de desenvolvimento? GAMIFICATION... Você sabe o que é? SIM Então, você sabia que a Apoena possui soluções para aplicar Gamification nos processos de desenvolvimento? NÃO Gamification é o uso de mecanismos e pensamentos baseado

Leia mais

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras VAMOS ACABAR COM A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RODOVIAS BRASILEIRAS parceria estratégica parceria técnica Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade.

RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade. RSC e Valor Compartilhado Uma nova forma de ver a relação com a comunidade. SUSTENTABILIDADE Comportamento alinhado com os valores básicos da sustentabilidade. Ecológico Sustentável Social Sustentabilidade

Leia mais

CONCERTOS BANRISUL PARA JUVENTUDE

CONCERTOS BANRISUL PARA JUVENTUDE APRESENTAÇÃO O Banrisul é agente viabilizador de iniciativas comunitárias, valorizando e apoiando atitudes que impactam sobre a qualidade de vida da comunidade gaúcha. Confirmando o seu compromisso histórico

Leia mais

PerguntAção: as vozes do voluntariado empresarial Programa de Voluntariado Promon

PerguntAção: as vozes do voluntariado empresarial Programa de Voluntariado Promon PerguntAção: as vozes do voluntariado empresarial Programa de Voluntariado Promon Grupo de Estudos de Voluntariado Empresarial Instituto Itaú Cultural 25/11/2014 AGENDA Atores Contexto Sintonia Programa

Leia mais

Balanço Social 2007. 1 - Apresentação. 1.1 Carta do Diretor Executivo. Índice. 1 - Apresentação. 2 - Empresa. 3 - Qualidade.

Balanço Social 2007. 1 - Apresentação. 1.1 Carta do Diretor Executivo. Índice. 1 - Apresentação. 2 - Empresa. 3 - Qualidade. 1 - Apresentação Balanço Social Índice 1 - Apresentação 1.1 Carta do Diretor Executivo 1.2 Perfil do Empreendimento 1.3 Nossos Produtos e Serviços 1.4 Abrangência de Atuação 1.5 Setores de Atuação 2 -

Leia mais

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna A importância dos RECURSOS HUMANOS na empresa moderna Organizações: cenário atual Empresas vêm passando por impactos revolucionários: Dimensão globalizada Aumento da competitividade Mudanças constantes

Leia mais

Comunidade Escola - O Espaço da Gente

Comunidade Escola - O Espaço da Gente Mostra Local de: Curitiba Categoria do projeto: Comunidade Escola - O Espaço da Gente Nome da Instituição/Empresa: Prefeitura Municipal de Curitiba - Secretaria Municipal da Educação - Programa Comunidade

Leia mais

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PLANO DE GESTÃO

UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PLANO DE GESTÃO UFRB UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PLANO DE GESTÃO (2011-2015) Cruz das Almas-BA 2011 Sumário Apresentação Justificativa Diretrizes Objetivos Metas e Estratégias Metodologia

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução Nossos Valores Artigo 1º Premissa Artigo 2º Objetivos e Valores Artigo 3º Sistema de Controle Interno Artigo 4º Relação com os Stakeholders / Partes Interessadas 4.1 Acionistas

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSELHO DE ALTOS ESTUDOS E AVALIAÇÃO TECNOLÓGICA GRUPO DE ESTUDOS SOBRE A CAPACITAÇÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SEBRAE Brasília, 18 de maio de 2010. MPE? Conceituação Brasil REPRESENTATIVIDADE

Leia mais

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Índice Quem é o Pedagogo?... Qual a duração do curso?... Quais os objetivos do curso?... E os campos de atuação?... Que

Leia mais

Como Ajudar. Sua participação é muito importante para nós

Como Ajudar. Sua participação é muito importante para nós Sua participação é muito importante para nós Ao colaborar com OSCIP ZAGAIA,, você nos apóia em vários projetos que desenvolvemos no Município de Carapicuíba.Você ou sua empresa tem a oportunidade de se

Leia mais

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O QiDEIA CREATE WHAT YOU SEE. CREATE WHAT YOU FEEL. CREATE WHAT YOU HAVE NEVER SEEN. JUST CREATE. NATHAN SAWAYA QUEM SOMOS A Qideia é uma agência de comunicação, vocacionada para a estratégia e implementação

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 INTRODUÇÃO A Fundação Tide Setubal nasce em 2005 para ressignificar e inovar o trabalho pioneiro

Leia mais

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR

A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR A INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DAS DROGAS NO CURRÍCULO ESCOLAR Robson Rogaciano Fernandes da Silva (Mestrando-Universidade Federal de Campina Grande) Ailanti de Melo Costa Lima (Graduanda-Universidade Estadual

Leia mais

MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. A mobilização é uma forma de intervenção social. Toda intervenção social parte do pressuposto

MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1. A mobilização é uma forma de intervenção social. Toda intervenção social parte do pressuposto MOBILIZAÇÃO SOCIAL 1 Denise Carrera A mobilização é uma forma de intervenção social. Toda intervenção social parte do pressuposto de que a ordem social não é natural e por isso pode ser transformada. A

Leia mais

UMA PARCERIA DE SUCESSO

UMA PARCERIA DE SUCESSO Relatório Final de Atividades Gerdau Barão de Cocais e : UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Relatório de Atividades... 3 Resultados Gerais... 3 Resultados do Programa Miniempresa... 6 Aprendizagem dos Conceitos

Leia mais

Caro(a)s voluntário(a)s. é

Caro(a)s voluntário(a)s. é Os Caro(a)s voluntário(a)s. é com satisfação que apresentamos cinco na temática do empreendedorismo que vocês poderão implementar junto aos alunos das escolas parceiras: Introdução ao Mundo dos Negócios,

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores Unimed de Londrina. Fabianne Piojetti Especialista em Responsabilidade Social

Desenvolvimento de Fornecedores Unimed de Londrina. Fabianne Piojetti Especialista em Responsabilidade Social Desenvolvimento de Fornecedores Unimed de Londrina Fabianne Piojetti Especialista em Responsabilidade Social 2 Slide 2 UFdP1 PARA "TÍTULO DA APRESENTAÇÃO": [negrito] TAMANHO: 40 PARA "NOME DO PALESTRANTE":

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental Novembro 2012 Página 1 1 1. Introdução A Política de Responsabilidade Socioambiental da Brasilcap consolida as diretrizes de ação social, ambiental e econômica.

Leia mais

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS:

TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: TEXTO RETIRADO DO REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA APAE DE PASSOS: Art. 3º - A Escola oferece os seguintes níveis de ensino: I. Educação Infantil: de 0 a 05 anos de idade. Educação Precoce de 0 a 03 anos Educação

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

Programa. Erro Zero Atraso Zero

Programa. Erro Zero Atraso Zero Programa Erro Zero Atraso Zero Introdução O caso de sucesso da Fatto Soluções Contábeis em parceria com o Nibo A Fatto iniciou suas atividades em 2012 e, desde o início, tinha como objetivo oferecer um

Leia mais

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino Unidade III ESPECIALIZAÇÕES DO MARKETING Profa. Cláudia Palladino Marketing social Atuação das empresas hoje e a Responsabilidade social: Obtenção de insumos e processamento de matéria prima de maneira

Leia mais

PROMOVENDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL INCENTIVANDO A CIDADANIA

PROMOVENDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL INCENTIVANDO A CIDADANIA CRIANDO OPORTUNIDADES PROMOVENDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL INCENTIVANDO A CIDADANIA Caros parceiros É com muito orgulho que olhamos para os 11 anos da existência da GERAR e temos a certeza de que oferecemos

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 "AGENTES DA ALEGRIA"

Mostra de Projetos 2011 AGENTES DA ALEGRIA Mostra de Projetos 2011 "AGENTES DA ALEGRIA" Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Fundação Proteger Cidade: Guarapuava Contato: (42) 3623-6417

Leia mais

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO.

INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE X ENSINO MÉDIO: INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM ADMINITRAÇÃO, INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO. Grupo PET Administração Universidade Federal de Lavras UFLA Resumo Os jovens formam o conjunto

Leia mais

Que acontece quando se solta uma mola comprimida, quando se liberta um pássaro, quando se abrem as comportas de uma represa? Veremos...

Que acontece quando se solta uma mola comprimida, quando se liberta um pássaro, quando se abrem as comportas de uma represa? Veremos... Que acontece quando se solta uma mola comprimida, quando se liberta um pássaro, quando se abrem as comportas de uma represa? Veremos... Gilberto Gil file:///c:/documents and Settings/normapaula/Meus documentos/norma

Leia mais

Partindo do Zero Agradecimentos

Partindo do Zero Agradecimentos Partindo do ZeroZ Partindo do Zero Agradecimentos SEBRAE SC MCE FNQ OIS Brasil (Consultoria Parceira da A2C em Gestão da Qualidade) Íntegra Consultoria (Incentivo e Apoio) Partindo do Zero Linha do Tempo

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável?

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . Conceitos: Responsabilidade Social Ecoeficiência Conceitos Responsabilidade Social - é a relação ética e transparente da organização

Leia mais

Formação de Voluntários em Programas Corporativos. Trabalho em Grupo Encontro de 08/06/2011

Formação de Voluntários em Programas Corporativos. Trabalho em Grupo Encontro de 08/06/2011 Formação de Voluntários em Programas Corporativos Trabalho em Grupo Encontro de 08/06/2011 Questão 1 A empresa tem uma estratégia definida? A empresa planeja a formação dos voluntários? Se sim, qual o

Leia mais

Casa do Bom Menino. Manual do Voluntario

Casa do Bom Menino. Manual do Voluntario Manual do Voluntario Apresentação A Casa do foi fundada em novembro de 1962 e hoje acolhe provisoriamente e excepcionalmente crianças e adolescentes afastados do convívio familiar. A instituição assume

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

Unidade III ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES. Prof. Tarciso Oliveira

Unidade III ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES. Prof. Tarciso Oliveira Unidade III ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES Prof. Tarciso Oliveira 7. A gestão da educação em ambientes não escolares A pedagogia como ciência da educação

Leia mais

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho?

Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Resultados, Sustentabilidade, Desempenho, Foco. Sim, sabemos que a sua organização quer chegar lá. Mas você sabe o melhor caminho? Nossa Empresa A MasterQual é uma consultoria brasileira que tem como principal

Leia mais

AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE

AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE MOVE 2015 AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PERMANENTE DE SAÚDE II CONGRESSO TODOS JUNTOS CONTRA O CANCER MOVE 2015 PRINCIPAIS MENSAGENS 01 AVALIAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA GARANTIR A QUALIFICAÇÃO DOS PROCESSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS MENSAGEM DO PRESIDENTE O cooperativismo vive seu momento de maior evidência. O Ano Internacional das Cooperativas, instituído

Leia mais

ABMES - 10 ANOS DA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasília, 7 de julho de 2015

ABMES - 10 ANOS DA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasília, 7 de julho de 2015 ABMES - 10 ANOS DA CAMPANHA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Brasília, 7 de julho de 2015 A ESTÁCIO HÁ 45 ANOS NOSSA VIDA É TRANSFORMAR A SUA. Somos uma empresa que tem na Educação o motivo

Leia mais

UMA EQUIPE DIFERENTE. A história de uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil. Cultivando o orgulho de pertencer à família

UMA EQUIPE DIFERENTE. A história de uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil. Cultivando o orgulho de pertencer à família UMA EQUIPE DIFERENTE A história de uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil Cultivando o orgulho de pertencer à família Brasil Salomão e Matthes Advocacia BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Douglas Farias Cordeiro

Gerenciamento de Projetos. Douglas Farias Cordeiro Gerenciamento de Projetos Douglas Farias Cordeiro Conceito de Organização Uma organização pode ser descrita como um arranjo sistemático, onde esforços individuais são agregados em prol de um resultado

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Famalicão Cidade Educadora Vila Nova de Famalicão, cidade educadora, aderente ao movimento das Cidades Educadoras,

Leia mais

Responsabilidad Social y el Recurso Humano como Factor Estratégico

Responsabilidad Social y el Recurso Humano como Factor Estratégico Congreso Internacional de Recursos Humanos Sector Minería Responsabilidad Social y el Recurso Humano como Factor Estratégico Ralph Chelotti Chile Abril de 2006 Apresentação Institucional O Caso Samarco

Leia mais

Secretaria Nacional de Segurança Pública

Secretaria Nacional de Segurança Pública Secretaria Nacional de Segurança Pública Mulheres da Paz Conceito do Mulheres da Paz O Projeto MULHERESDAPAZ é uma iniciativa do Ministério da Justiça, instituída pela Lei n 11.530/2007 e pelo Decreto

Leia mais

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade

Apoio à Valorização da Diversidade no Acesso e na Permanência na Universidade Programa 1377 Educação para a Diversidade e Cidadania Objetivo Combater as desigualdades étnico-racial, de gênero, orientação sexual, geracional, regional e cultural no espaço escolar. Justificativa Público

Leia mais

estão de Pessoas e Inovação

estão de Pessoas e Inovação estão de Pessoas e Inovação Luiz Ildebrando Pierry Secretário Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Prosperidade e Qualidade de vida são nossos principais objetivos Qualidade de Vida (dicas)

Leia mais

Conhecendo a Fundação Vale

Conhecendo a Fundação Vale Conhecendo a Fundação Vale 1 Conhecendo a Fundação Vale 2 1 Apresentação Missão Contribuir para o desenvolvimento integrado econômico, ambiental e social dos territórios onde a Vale atua, articulando e

Leia mais

PROJETO AGENTE DA PAZ

PROJETO AGENTE DA PAZ PROJETO AGENTE DA PAZ Substituir a cultura da violência que, infelizmente, permeia a nossa sociedade nos dias que correm por uma cultura de paz. É o que pretende a Associação dos Magistrados Catarinenses

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJA. A Responsabilidade Social nas Empresas e o Trabalho Voluntário

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJA. A Responsabilidade Social nas Empresas e o Trabalho Voluntário SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJA A Responsabilidade Social nas Empresas e o Trabalho Voluntário Jaqueline de Morais dos Santos Aluno do Curso de Administração de Empresas

Leia mais

1. Responsabilidade Social das Empresas enquadramento teórico

1. Responsabilidade Social das Empresas enquadramento teórico O Conceito de Responsabilidade Social das Empresas 1. Responsabilidade Social das Empresas enquadramento teórico A Responsabilidade Social das Empresas tem assumido uma visibilidade crescente nos últimos

Leia mais

INSTITUTO FIEC DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRESO

INSTITUTO FIEC DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRESO INSTITUTO FIEC DE RESPONSABILIDADE SOCIAL FIRESO O QUE É O INSTITUTO DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA FIEC? Criado em 2005, o FIRESO é o braço social da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC) que visa promover,

Leia mais

Jorn. Esp. Cris Guimarães

Jorn. Esp. Cris Guimarães As Relações Institucionais como Estratégia de Fortalecimento das Causas Sociais Jorn. Esp. Cris Guimarães Quem somos Missão: Potencializar o desenvolvimento integral da criança, adolescente e jovem numa

Leia mais

Formulário de Pesquisa Institucional Clubes de Lions do Distrito LC 1 Para a Gestão 2013/2014 do Governador CL Fernando da Silva Mota e DM e CaL Vera

Formulário de Pesquisa Institucional Clubes de Lions do Distrito LC 1 Para a Gestão 2013/2014 do Governador CL Fernando da Silva Mota e DM e CaL Vera Formulário de Pesquisa Institucional Clubes de Lions do Distrito LC 1 Para a Gestão 2013/2014 do Governador CL Fernando da Silva Mota e DM e CaL Vera Maria da Costa Mota Objetivo da Pesquisa Instiitucional:

Leia mais

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA SANTOS *, Josiane Gonçalves SME/CTBA josiane_2104@hotmail.com Resumo Os tempos mudaram, a escola mudou. Refletir sobre a escola na contemporaneidade

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário: Ubiratan de Brito Fonseca e Mariana Oliveira marianap@mh1.com.

Nome e contato do responsável pelo preenchimento deste formulário: Ubiratan de Brito Fonseca e Mariana Oliveira marianap@mh1.com. PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Dados da empresa Razão Social: Instituto Amapaense de Línguas Ltda. Nome Fantasia: Instituto Amapaense de Línguas

Leia mais

A marca corporativa que demonstrou a real abrangência das empresas Bettanin e as possibilitou alcançar seus objetivos estratégicos.

A marca corporativa que demonstrou a real abrangência das empresas Bettanin e as possibilitou alcançar seus objetivos estratégicos. A marca corporativa que demonstrou a real abrangência das empresas Bettanin e as possibilitou alcançar seus objetivos estratégicos. TOP DE MARKETING ADVB/RS 2014 CATEGORIA INDÚSTRIA A necessidade de uma

Leia mais

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015 CódigoDenominação 1001 1002 1003 1004 1005 1006 1007 1008 1009 1011 1012 Objetivo 1013 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO Promover o desenvolvimento pessoal e

Leia mais