Programação de Computadores IV

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programação de Computadores IV"

Transcrição

1 Tecnologia Programação de Computadores IV UNISAL Centro Universitário Salesiano de Campinas Prof. Gale

2 INTRODUÇÃO Antes do Visual Basic, todas as linguagens de programação eram parecidas do ponto de vista conceitual. Havia diferenças de sintaxe, é claro, bem como diferenças importantes de paradigmas. Entretanto, a metodologia da programação em C, por exemplo, era a mesma da programação em Pascal, Cobol ou Fortran. O Visual Basic introduziu uma estratégia radicalmente nova de programação. O fato é que, com o passar do tempo, escrever programas passou a ser cada vez mais difícil, especialmente programas que exigem interface gráfica. Entretanto, alguns programadores perceberam que muitas coisas que eram difíceis de ser feitas, como construir janelas, menus ou botões, podiam ser feitas sempre da mesma forma. Estes programadores, que já tinham o hábito de colecionar sub-rotinas de utilização geral, passaram a encapsular algumas destas rotinas em uma espécie de objeto pronto para ser usado. A idéia final, que deu origem ao Visual Basic, foi a percepção de que vários destes objetos podiam simplesmente ser desenhados na tela como se desenha um retângulo ou outra figura qualquer. O Visual Basic surgiu no começo da década de 90 e deu início a uma profusão de linguagens visuais, tais como Delphi, Visual C, Visual Fox Pro, etc. Entretanto, devido a estar mais tempo no mercado, o Visual Basic apresenta certas vantagens sobre os concorrentes. De fato, o VB (como chamaremos esta linguagem daqui para frente) é o pacote de programação que apresenta o maior número de controles no mercado, os quais o programador pode adquirir, muitas vezes sem ônus (como é o caso dos controles à disposição na Internet ou daqueles que vêem com alguns livros de programação). É claro que a linguagem por traz do VB é o Basic, mas esta linguagem nada tem a ver com aquele velho Basic interpretado dos primeiros computadores pessoais. Nos últimos anos o Basic se sofisticou e se transformou em uma linguagem estruturada que nada fica a dever ao Pascal, por exemplo. Ainda assim, trata-se de uma linguagem de alto nível e não de uma linguagem quebradora de bits, como o C. O Visual Basic, por outro lado, é um pacote de ferramentas de programação concebido para programação em Windows. Os objetos são desenhados na tela de forma visual, com auxílio do mouse, e não por meio de programação. A programação, por outro lado, é orientada a eventos. O coração dos recursos de detecção de eventos do Windows é a sua arquitetura de mensagens. Quando um evento ocorre, tal como uma tecla pressionada ou um clique de mouse, uma mensagem é enviada para a fila de mensagens do Windows. A mensagem estará disponível para todos os aplicativos que estiverem rodando, mas apenas aquele interessado no evento responderá à mensagem. Tudo que o usuário precisa fazer é detectar o evento e mandar que um trecho de código seja executado quando isto acontecer. O VB torna esta tarefa fantasticamente fácil, como veremos. DICAS DE PROGRAMAÇÃO Planeje antecipadamente seus programas. Pense sobre o que é necessário fazer e quais as ferramentas necessárias. Planejar é essencial para a programação e é comum que programadores iniciantes se esqueçam deste passo; Pense como o usuário. Lembre-se que o usuário não é um especialista em informática. Logo, você deve ser mais esperto do que ele. Também não é necessário tratá-lo como um idiota. Lembrese da velha máxima da informática: Um software que qualquer idiota possa usar será usado somente por um idiota! ; Pense nos controles. É comum que programadores inexperientes tentem desenvolver tudo com as próprias mãos, por falta de hábito ou somente para provar que é possível. Trata-se de uma perda de tempo, pois podem existir controles de software prontos que podem fazer o que você precisa; O ambiente de trabalho do Visual Basic é formado por um conjunto de janelas que podem ser abertas Centro Universitário Salesiano de Campinas 2

3 e fechadas individualmente. A janela principal é aquela que contém a Barra de Menus (Menu Bar) e a Barra de Ferramentas (Tool Bar), conforme mostrado na figura 1 abaixo Figura 1 - Barra de Menus e de Ferramentas Como pode ser visto, esta janela contém os controles usuais de qualquer aplicativo Windows, tais como Abrir Arquivo, Salvar Arquivo, Editar, etc. A figura 2 mostra a Caixa de Ferramentas (Tool Box), que contém todos os controles personalizados (objetos) do Visual Basic. A figura 3 mostra a Janela de Propriedades (Properties Window) que permite o acesso a todas as propriedades do controle selecionado. Fig. 2 Fig. 3 Fig. 4 A figura 4 mostra a Janela do Projeto (Project Window), que permite o acesso a todos os arquivos do projeto em questão. Para abrir cada uma destas janelas você pode usar o menu View, ou, então, digitar F4 para abrir a Janela de Propriedades e Ctrl+R para abrir a Janela do Projeto. A Caixa de Ferramentas não tem tecla de atalho associada. ALGUMA TERMINOLOGIA Um objeto, em Visual Basic, é uma conjunto de códigos de programação (sub-rotinas) e propriedades. Na verdade, cada elemento que você vê em um programa Windows é um objeto individual, dotado de propriedades características.. Exemplo: Objeto Avião: Propriedades: velocidade, altitude, inclinação, etc.; Rotinas: decolar, aterrissar, taxiar, etc. Mudando as propriedades de um objeto, podemos mudar a forma como ele interage com o ambiente. Na programação em VB não é necessário ter um conhecimento muito grande de programação orientada a objetos, como é necessário em outras linguagens. Os objetos estão prontos para serem usados e o Visual Basic cuida de quase tudo. A programação em VB não é um exemplo Centro Universitário Salesiano de Campinas 3

4 de Programação Orientada a Objetos (POO), como é o caso do C++ ou do Object Pascal. O termo objeto, em VB, é usado de uma maneira um pouco diferente, mas isto não significa que a abordagem seja deficiente. É apenas diferente da POO clássica. Projeto é o nome dado a um aplicativo desenvolvido em Visual Basic. O arquivo do projeto (.vpb) é apenas uma lista de todos os outros arquivos que fazem parte do aplicativo, tais como: formulários (.FRM); módulos de programação (.bas); controles de 16 bits (.VBX); controles de 32 bits (.OCX); bancos de dados (.mdb). Quando se gera o programa executável, o VB cria um arquivo.exe que tem todas as características do arquivo.vbp, mas que pode ser executado fora do ambiente do VB. a janela TOOLBOX (Caixa de Ferramentas) - é a janela que traz os Controles (as ferramentas no VB) - Pointer Não é um Controle, mas uma ferramenta que serve para mover e dimensionar Controles; - PictureBox Exibir figuras ou ícones nos Formulários. Também responde ao Evento click. - Label Etiqueta ou rótulo, exibe um texto que não pode ser editado pelo usuário. Uso: Títulos. - TextBox Exibe uma área onde o usuário pode digitar texto. - Frame Moldura para agrupar Controles para que funcionem de forma lógica. - CommandButton Botão de Comando. Executa ação ao ser clicado. - CheckBox Pode assumir valores falso ou verdadeiro. Em um mesmo Formulário vários CheckBoxes podem assumir o valor verdadeiro ao mesmo tempo. - OptionButton Pode também assumir valores falso/verdadeiro, mas em um mesmo Formulário somente um OptionButton pode assumir o valor verdadeiro. - ComboBox Combina caixa de texto com caixa de listagem. O usuário pode digitar a informação como também pode encolher da lista. - ListBox Exibe uma lista de itens que o usuário pode selecionar. Centro Universitário Salesiano de Campinas 4

5 - ScrollBar Horizontal e Vertical Permite selecionar com o mouse um determinado valor numa faixa de valores. - Timer Controla intervalos de tempo determinados pelo programador. - DriveListBox Exibe uma lista de drives onde o usuário pode selecionar um. - DirListBox Exibe uma lista de diretórios (pastas) e permite que o usuário selecione um. - FileListBox Idem para arquivos. - Shape Adiciona diversas formas geométricas ao Formulário. - Line Adiciona linhas a Formulários. - Image Exibe figuras ou ícones e funciona como um CommandButton quando clicado. - Data É o DataControl, que permite conectar-se a um Banco de Dados existente para extrair manipular as informações contidas neste. - OLE Incorpora objetos de outros aplicativos em um Formulário. - CommonDialog Exibe um conjunto de caixas de diálogo comuns no Windows, abrir arquivo, imprimir, fontes, salvar, etc. - ToolBar Contem uma coleção de Botões e é utilizado para criar Barras de Ferramentas que estão associadas com uma aplicação. - StatusBar Cria uma Barra de Status para um programa com até 16 painéis contidos em uma coleção de painéis. - ProgessBar Barra que indica o progresso de uma operação. - ImageList Contém uma coleção de objetos ListImage. Para exibir imagens. Centro Universitário Salesiano de Campinas 5

6 - DBList Automaticamente preenche uma lista com campos de um DataControl e opcionalmente passa o campo selecionado para um segundo DataControl. O DBCombo é similar mas permite editar o campo selecionado. - DBGrid Exibe e manipula uma série de linhas e colunas representando Registros e Campos de um objeto Recordset. CONVENÇÕES DE NOMES PARA CONTROLES É sempre bom estabelecer convenções de nomes para objetos do Visual Basic, sob risco de não se saber, no meio de um projeto mais complicado, qual o tipo de um objeto cujo nome é, por exemplo, dados. A tabela 3 a seguir apresenta alguns exemplos para os controles mais comuns. Tabela 3 Controle Nome em Português Prefixo Exemplo Form formulário frm frmabrir Check Box Caixa de Verificação chk chkleitura Combo Box Caixa Combo cbo cboportuguês Command Button Botão de Comando cmd cmdcancelar Data Dados dat datlivros Directory List Box Caixa de Diretório dir dirfontes Drive List Box Caixa de Drives drv drvalvo File List Box Caixa de Arquivos fil filarquivos Frame Quadro fra fralíngua Grid Grade grd grdpreços Horizontal scroll bar Barra de Rolagem Horizontal hsb hsbvolume Image Imagem img imgícone Label Rótulo lbl lblmensagem Line Linha lin linvertical List Box Caixa de Lista lst lstcep Menu Menu mnu mnusalvar OLE OLE ole oleobjeto Option Button Botão de Opções opt optfrancês Picture Box Caixa de Figuras pic picdesenho Shape Forma (geométrica) sha shacírculo Text Box Caixa de Texto txt txtentrada Timer Temporizador tmr tmralarme Vertical Scroll Bar Barra de Rolagem Vertical vsb vsbtaxa Centro Universitário Salesiano de Campinas 6

7 1ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE Name Caption MinButton MaxButton ControlBox Window State Backcolor Palavras-Chaves name_objeto.propriedade =???? Centro Universitário Salesiano de Campinas 7

8 Palavras-Chaves Label (name, caption, font, forecolor) Text (name, text ) Command Button (name, caption, font) Timer (interval) Date, Time Option Button Mousemove End Hide, Show Cores RGB (0..255, , ) Constantes: vbred, vbgreen, vbblack,... Qbcolor (0..15) Centro Universitário Salesiano de Campinas 8

9 2ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE Palavras-Chaves Shape (fillcolor, fillstyle, shape) VScroll (max, min, value) Textos: fontitalic, fontbold, fontunderline, fontsize, forecolor Decisão: if (condição) then else (opcional) endif Centro Universitário Salesiano de Campinas 9

10 3ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE Palavras-Chaves Variáveis Globais: declaradas quando necessitamos utilizar em vários forms a mesma variável Global variável Form (picture) Image (picture, left, top) Seleção: Select Case testexpression [Case expressionlist-n [statements-n]]... [Case Else expressionlist-n [elsestatements-n]] End Select Centro Universitário Salesiano de Campinas 10

11 4ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE Permitem exibir uma mensagem em uma janela e aguarda que o usuário escolha um botão. Uma caixa de mensagem pode ser utilizada de duas maneiras: Como comando, não sendo possível retornar valor Como função, retornando assim um valor Sintaxe: `Como função: Como comando: MSGBOX (Mensagem[,[tipo][,título]]) MSGBOX mensagem[,[tipo][,título]] Onde: mensagem : é o próprio escrito Tipo : deve conter uma expressão numérica opcional composta por uma soma de valores que especificam a quantidade e o tipo dos botões, o ícone que será exibido e o estilo da janela. De acordo com a tabela: Tipos de Botões Valor Descrição MB_OK 0 Mostra apenas o OK MB_OKCANCEL 1 OK e CANCEL MB_ABORTRETRYIGNORE 2 ABORT, RETRY, IGNORE MB_YESNOCANCEL 3 SIM, NÃO, CANCEL MB_YESNO 4 SIM, NÃO MB_RETRYCANCEL 5 RETRY, CANCEL Ícones: MB_ICONSTOP 16 STOP MB_ICONQUESTION 32? MB_ICONEXCLAMATION 48! MB_ICONINFORMATION 64 i Título: expressão do tipo caracter que será exibida na barra de título da janela. Obs: Para pular linha utilizamos CHR$(13) Exemplo: MsgBox "Preste Atenção!!!", 16, "ERRO" MsgBox "Você deverá pressionar algum botão...", 67, "INFORMAÇÃO" Os valores retornados pela MSGBOX indicam qual o botão que foi pressionado. Tipos de Botões Valor IDOK 1 IDCANCEL 2 IDABORT 3 IDRETRY 4 IDIGNORE 5 IDYES 6 IDNO 7 Centro Universitário Salesiano de Campinas 11

12 Crie cada msgbox em um botão diferente: Centro Universitário Salesiano de Campinas 12

13 4ª AULA Continuação... VISUAL BASIC PROF. GALE Comando Format(expression[, format[, firstdayofweek[, firstweekofyear]]]) Exemplo: Text1.text = format$ (date, dd/mmm/yyyy ) Palavras - Chaves Objetos: Drive / Dir / File (pattern) Image (loadpicture, strech, filename ) Centro Universitário Salesiano de Campinas 13

14 Exercícios Faça Você Centro Universitário Salesiano de Campinas 14

15 Centro Universitário Salesiano de Campinas 15

16 Instruções para Desenvolvimento dos Exercícios de Visual Basic Atenção: Este é um único projeto formado por 12 formulários diferentes. Cada formulário deve ser acessado pelo botão próximo ou anterior. É necessário criar um formulário antes de chamá-lo. Como se faz isso?? Vá até o menu do Visual Basic na opção Project / Add Form aparecerá uma tela onde você deverá escolher Form e teclar abrir ou mesmo teclar duas vezes sobre o próprio form. Se você fez a coisa certa aparecerá no seu canto superior direito Form2, e assim por diante. Dicas para realização dos formulários: Form 1: o usuário digita um nome e um sobrenome e quando teclar concatenar exiba na terceira textbox o nome e sobrenome juntos (+) para colocar o botão próximo não se esqueça: form1.hide (para esconder o primeiro formulário) form2.show (para chamar o outro formulário) para colocar figuras dentro do botão, altere a propriedade Style para graphical e escolha uma figura dentro da propriedade Picture no botão sair exiba uma msgbox perguntando realmente se deseja ou não sair do programa. Form 2: Permita o usuário digitar dois números e pressionando Somar exiba a soma dos dois. Cuidado: os valores digitados em uma textbox são textos, sendo necessários converter o texto para números, utilizando assim o comando val. Ex: a = val(text1.text) Form 3: Permita o usuário digitar o Salário Bruto, as horas extras e o salário família. Na textbox dos descontos deve-se conter uma soma do valor calculado do INSS + IRRF o INSS corresponde a 8% do salário bruto O imposto de renda e a faixa de imposto de renda deve obedecer o cálculo feito no jornal, procure-o Esta empresa paga R$ 10,00 para cada hora extra feita O salário líquido é a soma do salário bruto + horas extras + salário família descontos Se o Salário líquido ultrapassar R$ 5.000,00 exiba uma mensagem qualquer na caixa de mensagem do final do formulário. O botão limpar, limpa todos os conteúdos das textbox Form 4: Permita o usuário digitar uma temperatura em Celsius e quando pressionar calcular exiba em farenheit, kelvin e rankine. Form 5: Permita o usuário digitar 3 valores e utilizando o comando if exiba o menor e o maior valor digitado. Form 6: Permita o usuário digitar dois valores. De acordo com a opção desejada mostre o resultado na textbox. Cuidado: para se calcular raiz quadrada utiliza-se sqr para seno utiliza-se sin para cosseno utiliza-se cos O mod retorna o resto da divisão em Visual Os valores de seno e cos devem ser convertidos para graus: / 180 Form 7: Permita o usuário digitar um número de um mês e utilizando obrigatoriamente o comando Select case exiba por extenso o mês. exiba também uma hora e data correntes Form 8: Centro Universitário Salesiano de Campinas 16

17 Permita o usuário escolher um número e no momento que teclar Mostrar exiba a tabuada deste número em uma ListBox. Para utilização de uma listbox é necessário um comando de laço (for), um método chamado Additem para preencher cada linha da listbox. Form 9: A hora em que o usuário entrar neste formulário a bolinha comece a acender e apagar no sentido horário e o número que se encontra no meio vai diminuindo até chegar ao 1, voltando rapidamente ao 10 e continuando o processo. As bolinhas devem esperar 1s para apagar e acender. Form 10: Desenvolva dois shapes (um do lado esquerdo e outro do lado direito), a medida em que o usuário entrar no formulário este vão juntos ao mesmo tempo um para o lado esquerdo e outro para o direito, chegando volta e continua o processo. Form 11: Coloque nas textbox os valores dos resistores e calcule a resistência equivalente em série e em paralelo. Form 12: Permita trocar o valor das duas textbox e permita recalcular o salário de uma determinada pessoa, com base no aumento escolhido de 5%, 10%, 15% ou 20%. Centro Universitário Salesiano de Campinas 17

18 5ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE I-) As funções strings básicas Manipulando Strings Primeiro vamos mostrar as funções para tratamento de strings presentes em todas as versções do VB: a-) Str(numero) - Converte um valor numérica em uma string do tipo Variant Dim String String = Str(459) ' Resultado => " 459". String = Str( ) ' Resultado = > " ". String = Str( ) ' Resultado = > " ". b-) Len(string ) - Determina o número de caracteres de uma string. (o comprimento da string) Dim snome As String Dim tamanho As Long snome = "Visual Basic" tamanho = Len(sNome) 'Resultado => a variavel tamanho será igual a 12 c-) Chr$(codigo_do_caractere) - Retorna uma string caractere associado ao código indicado Dim Caractere Caractere = Chr(65) ' Resultado ==> A Caractere = Chr(97) ' Resultado ==> a Caractere = Chr(62) ' Resultado ==> > Caractere = Chr(37) ' Resultado ==> % Para exibir os códigos de todos os caracteres de 0 a 255 use o código a seguir: Dim i as integer For i=0 to 255 Debug.Print i; chr$(i) Next d-) Asc(string) - Retorna um valor inteiro que representa o código do primeiro Caractere da String. Dim MyNumber Numero = Asc("A") ' Resultado => 65. Numero = Asc("a") ' Resultado => 97. Numero = Asc("Amor") ' Resultado => 65. e-) Space(numero) - Retorna uma string do tipo Variant contendo a quantidade de espaços indicados por número. String = "Visual" & Space(10) & "Basic" Basic - insere dez espaços entre as strings Visual e f-) String$(Tamanho,String) - Cria uma string com comprrimento igual a Tamanho e que contém o primeiro caráter indicado em String. Se String tiver mais de um caractere somente o primeiro será usado. String$(9,"VISUAL") 'retorna => "VVVVVVVVV" g-) Trim$(string) - Remove os espaços eexistentes de ambos os lados de uma string. Dim MVar Centro Universitário Salesiano de Campinas 18

19 MVar = Trim(" visual basic ") 'MVar irá conter ==> "visual basic". h-) RTrim$(string) - Remove os espaços a direita da string. Dim MVar MVar = RTrim(" visual basic ") 'MVar irá conter ==> " visual basic". i-) LTrim$(string) - Remove os espaços a esquerda daa string. Dim MVar MVar = LTrim(" visual basic ") 'MVar irá conter ==> "visual basic ". j-) LCase$(string) - Converte todos os caracteres alfanuméricos na string para minúsculas. LCase("SÃO JOSE DO RIO PRETO, ") retorna ==> são jose do rio preto, l-) UCase$(string) - Converte todos os caracteres alfanuméricos na string para maiúsculas. LCase("São Jose Do Rio Preto, ") retorna ==> SÃO JOSE DO RIO PRETO, II) Substrings Substrings são pedaços de uma string. Veremos a seguir as principais funções para o tratamento de substrings. a-) Left$(String, Tamanho) - esquerdo da String. Retorna uma string contendo o número de caracteres definido em Tamanho do lado Left$("Programar com Visual Basic é fácil", 9) Retorna ==> "Programar" Left$("Programar com Visual Basic é fácil", 50) Retorna ==> "Programar com Visual Basic é fácil" Left$("Programar com Visual Basic é fácil", 0) Retorna ==> "" b-) Right$(String, Tamanho) - direito da String. Retorna uma string contendo o número de caracteres definido em Tamanho do lado Right$("Programar com Visual Basic é fácil", 8) Right$("Programar com Visual Basic é fácil", 50) Right$("Programar com Visual Basic é fácil", 0) Retorna ==> "" Retorna ==> " é fácil" Retorna ==> "Programar com Visual Basic é fácil" c-) Mid$(String, Inicio,[Tamanho]) - Como função retornaa uma substring da String dada, começando no primeiro caractere de Inicio com comprimento definido em Tamanho. Se Tamanho for omitido ou for menor que o comprimento da string todos os caracteres a partir de inicio será retornado. Texto = " Usando strings no Visual Basic" Mid$(texto,7,7) retorna => "strings" Mid$(texto,7) retorna => "strings no Visual Basic" Podemos usar MID$ para substituir uma parte da string dada, a partir do primeiro caractere da posição Inicio. Texto ="Isto é um teste" Mid$(texto,6)="123456" retorna => "Isto " Centro Universitário Salesiano de Campinas 19

20 Mid$(texto,6,3)="123456" Mid$(texto,8)="12" retorna => "isto 123m teste" retorna => "Isto é 12 teste" d-) Instr$(Inicio,string1,string2,[Compare]) - contida em uma string. Retorna uma variant do tipo Long. Determina a posiçãoo da primeira ocorrência de uma substring Os argumentos são : Argumentos Inicio string1 string2 compare Descrição Expressão numérica que define a posição de inicio para iniciar a procura. Se omitida a procura começa no inicio da string. A expressão string a ser procurada. A expressão string a procurar. Determina o tipo de comparação que será feito entre as strings. Os possiveis tipos de comparação são: Constante Valor Descrição vbusecompareoption -1 A comparação será feita como definida em Option Compare vbbinarycompare 0 Comparação binária vbtextcompare 1 Comparação textual vbdatabasecompare 2 Comparação com base no seu banco de dados. Só para o Microsoft Access Exemplos: Dim String1, String2, posicao String1 = "Visual Basic 6 A linguagem" ' string onde será feita a procura String2 = "a" ' Substring a procurar ' comparação textual iniciando na posicao 4 posicao = InStr(4, String1, String2, 1) 'Retorna => 5. ' Comparação binaria iniciando na posicao 1 posicao = InStr(1, String1, "A", 0) 'Retorna => 16 ' Comparação binária posicao = InStr(String1, "A") 'Returns => 16 posicao = InStr(1, String1, "W") ' Returns 0 (não achou) Centro Universitário Salesiano de Campinas 20

21 Nota: Observe que : Se A função InStr irá retornar: string1 for igual a "" 0 string1 for Null string2 for igual a "" string2 for igual a Null Null Inicio Null string2 não for encontrada 0 string2 for encontrada em string1 A posição onde ela for encontrada start > string2 0 d-) Split(string,delimiter,count,compare_mode] VB6 - Divide uma string e retorna as substrings como um array de strings. Parte String ( expressão ) delimiter Count compare Descrição Uma expressão string. Se a expressão for uma string vazia ("") o array retornado estar vazio, ou seja, sem elementos. Um string caractere usado para identificar Indica onde a divisão vai ocorrer. Se for omitida o caracter de espaço (" " ) será usado. Se for utilizado uma string vazia ("") então um array contendo a expressão completa será retornada. O número máximo de substrings a ser retornada. -1 indica que todas as substrings serão retornadas. Valor numérico indicando o tipo de comparação a usar quando da avaliação das substrings. Veja os valores abaixo: Os valores de compare podem ser: Constante Valor Descrição vbusecompareoption 1 Realiza uma comparação com base na definição de Option Compare. vbbinarycompare 0 Realiza uma comparação binária. vbtextcompare 1 Realiza uma comparação textual. vbdatabasecompare 2 Somente para arquivos Microsoft Access. Exemplo 1- Vamos dividir a string "Visual Basic 6" (voce pode testar com diversas expressões) 1:Private Sub Command1_Click() 2:Dim i As Integer 3:Dim vetor As Variant Inicie um projeto no VB e no formulario padrao insira uma caixa de texto, uma caixa de listagem e um botão de comando Abaixo veja o resultado do código ao lado: 4:vetor = Split(Text1.Text) 5:List1.Clear 6:For i = LBound(vetor) To UBound(vetor) 7: List1.AddItem i & vbtab & vetor(i) 7:Next 8:End Sub Centro Universitário Salesiano de Campinas 21

22 O código para dividir strings e gerar vetores de substrings O resultado gera 3 substrings: vetor(0), vetor(1) e vetor(2) No exemplo acima usamos a função LBound para determinar o valor do menor índice de um array e UBound para determinar o maior valor para um índice de um array. Assim acessaremos todos os índices do array. Se substituirmos o código da linha 4 por : vetor = Split(Text1.Text,,2) iremos obter duas substrings: 0 Visual 1 Basic 6 Exemplo 2- Vamos acrescentar o caracter "s" para indicar onde a divisão irá ocorrer Private Sub Command1_Click() Dim i As Integer Dim vetor As Variant Inicie um projeto no VB e no formulario padrao insira uma caixa de texto, uma caixa de listagem e um botão de comando Abaixo veja o resultado do código ao lado: vetor = Split(Text1.Text,"s") List1.Clear For i = LBound(vetor) To UBound(vetor) List1.AddItem i & vbtab & vetor(i) Next End Sub Note que a divisão teve inicio no caracter "s", retornando 4 substrings contidas nos vetores com indices 0,1,2 e 3. Podemos aproveitar esta última característica para 'contar' quantas vezes uma substring aparece numa string. Por exemplo, suponha que você queira saber quantas vezes a substring "do" aparece na frase : "Avaliação do impacto do treinamento no trabalho do programador". Usando Split fica fácil...: 1:Dim frase As string 2:Dim vetor As Variant 3:frase = "Avaliação do impacto do treinamento no trabalho do programador" 4:vetor = Split(frase,"do") 5:MsgBox " 'do' aparece na texto ' " & frase & " ' " & UBound(vetor) & " vezes." Centro Universitário Salesiano de Campinas 22

23 Você ter como resposta que 'do' aparece 4 vezes no texto, pois 'do' também esta contida na palavra 'programador'. Para contar somente as ocorrências da preposição 'do' altere a linha 4 do código para: 4:vetor = Split(frase," do ") e você obterá como resposta 3 vezes. e-)join(list,delimter) VB6 - Concatena as substrings contidas em <List em uma única string. -List - deve ser um array de uma dimensão contendo as strings a serem concatenadas -Delimiter - Caractere string usado para separar as substrings na string retornada. Se omitida o caractere (" ") sera usado. Se for uma string vazia (""), todos os itens da lista serão concatenados sem delimitadores. Exemplo: Dim array(1 to 4) As String Dim sjunta As String array(1)="visual" array(2)="basic" array(3)="6" array(4)="a linguagem" sjunta= Join(array," ") sjunta= Join(array) sjunta= Join(array,",") sjunta= Join(array,":") sjunta= Join(array,"") retorna => "Visual Basic 6 A linguagem" retorna => "Visual Basic 6 A linguagem" retorna => "Visual,Basic,6,A,linguagem" retorna => "Visual:Basic:6:A:linguagem" retorna => "VisualBasic6Alinguagem" g-) Filter(Varlist, Value, Include, Compare) VB6 - Procura em VarList pelas strings definidas em Value e retorna o resultado em um array. - VarList - contém um array de strings que a função irá filtrar - Value - é a string de caracteres usada para identificar qual elemento será incluída no novo array. - Include - Um valor boleano que indica se os elementos contendo o valor coincidente será incluido ou não na string. O valor padrão é True. - Compare indica como a busca por Value será efetuada. Os valores de compare podem ser: Constante Valor Descrição vbusecompareoption 1 Realiza uma comparação com base na definição de Option Compare. vbbinarycompare 0 Realiza uma comparação binária. vbtextcompare 1 Realiza uma comparação textual. vbdatabasecompare 2 Somente para arquivos Microsoft Access. Exemplo: Centro Universitário Salesiano de Campinas 23

24 Dim vetor(1 to 3) As String Dim i as integer Dim sfiltra As Variant vetor(1)="visual" vetor(2)="basic 6" vetor(3)="a linguagem" sfiltra=filter(vetor,"a") List1.Clear For i = LBound(vetor) To UBound(vetor) List1.AddItem i & vbtab & vetor(i) Next h-) StrReverse(string) - VB6 - Retorna uma string com os caraccteres invertidos. Exemplo: StrReverse ("Visual Basic") retorna => cisab lausiv Se string for um for um valor Null ocorrerá um erro. h-) Replace(string, strprocura, strsubstpor, Inicio, Contador, Compare) 1. String - é a string a ser alterada 2. strprocura - é a string a procurar em <String> 3. strsubstpor - é a string usada para substituir a string <strprocura> 4. Inicio - indica o incio da busca por <strprocura>. (Opcional) 5. Contador - indica o número máximo de vezes que <strprocura> será substituida 6. Compare - o modo de comparação a ser efetuada. Esta função é muito útil para substituir ocorrências em uma string por um determinado valor. Vamos mostrar um exemplo onde vamos substituir todas a vírgulas(,) em uma frase por ponto e vírgula(;): Exemplo: Frase = " Geralmente, temos um problema, quando a temperatura aumenta " NovaFrase = Replace(Frase, ",", ";" ) retorna => "Geralmente ; temos um problema ; quando a temperatura" Nota: Observe que você deverá estar atento ás seguintes ocorrências: Se A função strreverse irá retornar: string for igual a "" "" string for Null strprocura for igual a "" strsubstpor for igual a "" Um erro Uma cópia de string Uma cópia de string com todas as ocorrências de StrProcura removidas Inicio > string Uma string vazia "" contador for igual a zero Uma cópia de string Centro Universitário Salesiano de Campinas 24

25 FORMULÁRIO Centro Universitário Salesiano de Campinas 25

26 6ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE Criação de Menus Menus são criados usando a janela Menu Design. Você adiciona itens ao menu em tempo de projeto pela criação de controles de menu e setando propriedades que definirão sua aparência. Para a criação de um Menu devemos ir ao menu Tools Menu Editor ou teclar Ctrl+E. 1) Começamos digitando o Título (em Caption) do Menu mais à esquerda. Caso desejemos acessar esse menu via Alt e a letra grifada devemos inserir o & antes da letra que será grifada. No exemplo abaixo: &TesteMenu (que aparecerá como TesteMenu); 2) Depois digitamos o nome (em Name) do Menu para referência em Código; 3) Os outros itens não são obrigatórios; 4) Clicar em Next para entrar um novo Menu ou item de Menu. Caso seja um item de Menu devemos clicar na seta para a direita quando aparecerão três pontinhos a esquerda do título do item que ficará abaixo do nome do Menu. 5) Os Menus e os itens de Menus podem ser referenciados em Código através do Evento Click, que deve ser feito no Formulário após teclarmos em OK. Desenvolva o seguinte menu: Arquivo novo abrir texto figura sair Editar Ajuda colar normal especial copiar Centro Universitário Salesiano de Campinas 26

27 Botões Indexados Geramos um botão indexado quando copiamos e colocamos um botão e mantemos o mesmo name. O que diferencia um botão de outro é apenas a propriedade index, que retorna um valor numérico iniciado pelo valor 0. No menu Project Components, procurar: MICROSOFT Windows COMMON CONTROLS OBJETO DTPICKER (propriedade Value) Configura yyyy q m y d w ww h n s Descrição Year Quarter Month Day of year Day Weekday Week of year Hour Minute Second Sintaxe do Comando: DateDiff(interval, date1, date2) Centro Universitário Salesiano de Campinas 27

28 Common Dialog No menu Project Components, procurar: MICROSOFT COMMON DIALOG CONTROLS Esse objeto permite exibir cinco caixas de diálogo nos padrões do Windows. Apenas uma caixa de diálogo pode ser exibida a partir de um objeto Common Dialog. Para exibir uma determinada caixa de diálogo, deve ser utilizado o método correspondente à caixa desejada. Os conteúdos das caixas são controlados através de suas propriedades, ou seja, quando uma caixa é preenchida, os resultados são apresentados por suas propriedades. Caixas de Diálogo e sua utilização: Abrir: para abrir um arquivo. Método correspondente: ShowOpen Salvar Como: para salvar um arquivo. Método correspondente: ShowSave 7ª AULA VISUAL BASIC PROF. GALE Imprimir: para definir as opções de impressão. Método correspondente: ShowPrinter Fonte: para definir uma fonte e um estilo para textos. Método correspondente: ShowFont Cor: para escolher uma nova cor da paleta. Método correspondente: ShowColor NOTAS: Um objeto CommonDialog não é visível ao usuário em tempo de execução do programa. Propriedades correspondentes à CommonDialog Abrir: Filter: define quais os tipos de arquivos deverão ser exibidos. Por exemplo: commondialog1.filter = Bitmaps (*.BMP) *.BMP Metafiles (*.WMF) *.WMF Filename: define o nome do arquivo selecionado. Centro Universitário Salesiano de Campinas 28

29 ABERTURA DE ARQUIVOS Arquivo Texto Abrir um arquivo significa alocar um buffer do computador para eventos de entrada e saída. O Visual Basic disponibiliza o comando Open, cuja sintaxe é mostrada abaixo. Open Nome_do_Arquivo [For Modo][Access acesso][lock] As [#] nº_do_arquivo [Len=comp.], onde: Nome_do_arquivo: String que contém o nome do arquivo e caminhos eventuais. Se o caminho não for especificado, o arquivo será aberto na pasta atual; Modo: palavra-chave que especifica o modo de acessão arquivo, conforme a tabela 9; Acesso: palavra-chave opcional que especifica as operações permitidas no arquivo aberto, conforme a tabela 10; Lock: palavra-chave opcional que controla o acesso a um arquivo por outros processos, conforme a tabela 11; nº_do_arquivo: número do próximo arquivo livre (1 a 255) comp.: tamanho do registro, em bytes, para arquivos aleatórios, ou o tamanho do buffer para arquivos seqüenciais. Modos de abertura de arquivo Modo APPEND BINARY INPUT OUTPUT Acesso ao arquivo Acesso seqüencial; se o arquivo já existe, novos dados serão adicionados no final dos dados já existentes. Se o arquivo não existe, ele é criado. Acesso binário para leitura e escrita. Se o arquivo não existe, ele é criado. Acesso seqüencial para leitura. Se o arquivo não existe, ocorre um erro. Acesso seqüencial para gravação. Se o arquivo já existe, ele é eliminado e um outro é criado. Se o arquivo não existe, ele é criado. RANDOM Acesso aleatório para leitura e gravação. Se o arquivo não existe, ele é criado. Esse é o padrão se o argumento Modo for omitido. Por exemplo, para abrir um arquivo seqüencial para leitura, chamado VBJUNK.TXT, na pasta atual, escreveríamos: Open VBJUNK.TXT For Input As #1 Para fechar um arquivo devemos usar o comando Close: Close [#] nº_do_arquivo. O número do arquivo pode ser determinado com a função FreeFile, que retorna o número do próximo arquivo livre: nº_do_arquivo=freefile. LEITURA DE ARQUIVOS SEQÜENCIAIS O comando Open por si mesmo somente abre o arquivo, sem ler o conteúdo. Para ler arquivos seqüenciais devemos usar o comando Input$, cuja sintaxe é mostrada a seguir. Input$ (tamanho,[#]nº_do_arquivo), onde: tamanho: tamanho, em bytes, do arquivo a ser lido; nº_do_arquivo: número usado no comando Open. Para determinar o tamanho de um arquivo podemos usar a função LOF, que significa Length of File, ou Tamanho do Arquivo. Exemplo: Input$ (LOF(1), #1) line input lê uma linha do arquivo input #número,var1, var2 lê um conjunto de campos por vez GRAVAÇÃO DE ARQUIVOS SEQÜENCIAIS

30 Para gravar arquivos sequenciais estes devem, antes, ter sido abertos para saída (output). O comando mais comum para gravação é Print #. Print # nº_do_arquivo, Lista, onde o parâmetro Lista contém os dados a serem gravados. Exemplo: Print # 1, txttexto.text. Revisão - Comandos básicos: Open <nome arq> for <modo> as #número <modo> input, output, append line input lê uma linha do arquivo input #número,var1, var2 lê um conjunto de campos por vez eof verifica fim de arquivo close fecha o arquivo do until eof(1).... loop EXEMPLO: Centro Universitário Salesiano de Campinas 30

31 Para ler um arquivo: cd.showopen On Error GoTo fim monta = cd.filename enter = Chr$(13) + Chr$(10) Open monta For Input As #1 Do Until EOF(1) Line Input #1, linha$ tudo$ = tudo$ + linha$ + enter Loop Text1.Text = tudo$ Text2.Text = cd.filename Text3.Text = FileLen(cd.FileName) Text4.Text = FileDateTime(cd.FileName) Close #1 fim: Para gravar um arquivo: cd.showsave On Error GoTo fim monta = cd.filename Open monta For Output As #1 Print #1, Text1.Text Close #1 fim: Para imprimir um arquivo: cd.showopen On Error GoTo fim cd.showprinter monta = cd.filename enter = Chr$(13) + Chr$(10) Open monta For Input As #1 Do Until EOF(1) Line Input #1, linha$ Printer.Print linha$ Loop Printer.EndDoc Close #1 fim: Centro Universitário Salesiano de Campinas 31

32 FAÇA VOCÊ!!!! Centro Universitário Salesiano de Campinas 32

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri

Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Professor Sérgio Furgeri OBJETIVOS DA AULA: Criação de uma base de dados em MS SQL Server e acesso com VB 6. Fazer uma breve introdução a respeito do MS SQL Server 7.0; Criar uma pequena base de dados no MS SQL Server 7.0; Elaborar

Leia mais

Arq = Freefile Open C:\Pasta\Arquivo.dat For Binary As #arq Abrir o arquivo binario. X = Seek(arq) Mostra a posição que está sendo lida no arquivo

Arq = Freefile Open C:\Pasta\Arquivo.dat For Binary As #arq Abrir o arquivo binario. X = Seek(arq) Mostra a posição que está sendo lida no arquivo 6.3 Arquivos Binários Para ler arquivos binários é utilizado o seguinte comando. Arq = Freefile Open C:\Pasta\Arquivo.dat For Binary As #arq Abrir o arquivo binario Get #arq, 1, CabArquivo Lê o arquivo

Leia mais

Aula 1 - Programação III Programação Visual (Visual Basic)

Aula 1 - Programação III Programação Visual (Visual Basic) Aula 1 - Programação III Programação Visual (Visual Basic) 1. Introdução O objetivo da disciplina Programação III é apresentar uma nova visão de programação chamada de programação visual. A programação

Leia mais

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA

4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA 4 Criação de macros e introdução à linguagem VBA Vinicius A. de Souza va.vinicius@gmail.com São José dos Campos, 2011. 1 Sumário Tópicos em Microsoft Excel 2007 Introdução à criação de macros...3 Gravação

Leia mais

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr)

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) por Eduardo Vieira Machado (Good Guy) Hoje gostaria de tratar de um assunto bastante atraente no Access e que é muito trabalhado nas empresas - a manipulação

Leia mais

O que é Visual Basic?

O que é Visual Basic? Visual Basic O que é Visual Basic? O Visual Basic consiste em uma linguagem de programação orientada a eventos. Isto significa que todas as ações que ocorrem durante a execução do programa são estruturadas

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 3 Continuando nossa saga pelas ferramentas do Visual FoxPro 8.0, hoje vamos conhecer mais algumas. A Ferramenta Class Designer A Class Designer é a ferramenta

Leia mais

Construindo e Codificando o Projeto Conversor de Números

Construindo e Codificando o Projeto Conversor de Números Criando um Add-In no Visual Basic 6 Por John P. Cunningham Definindo um diretório, renomeando o formulário e salvando o projeto Passo 1: Crie um subdiretório na diretório do Visual Basic chamado ConverterAddIn.

Leia mais

Procalc v1.0. Versão Programador

Procalc v1.0. Versão Programador Procalc v1.0 Versão Programador Conteúdo Procalc... 4 Primeiros botões... 5 Funções Básicas... 6 Como funciona... 7 Funções avançadas... 8 Logaritmo... 8 Logaritmo Natural... 9 Expoente... 10 Factorial...

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Apêndice 1: Macros e Interação com o Usuário

Apêndice 1: Macros e Interação com o Usuário Apêndice 1: Macros e Interação com o Usuário A1.1 Introdução A macro é uma rotina de usuário no VBA usada para rotinas automática ou operações repetitivas no Excel. Macros são também chamadas subroutines;

Leia mais

CRIANDO UM BANCO DE DADOS

CRIANDO UM BANCO DE DADOS CRIANDO UM BANCO DE DADOS Bem, antes de iniciarmos propriamente no delphi, devemos aprender a usar sua ferramentas, sendo uma das mais importantes o Database Desktop, pois é com esta que construímos nossos

Leia mais

Índice: Tipo de Aplicações em Visual Basic Componentes do Visual Basic

Índice: Tipo de Aplicações em Visual Basic Componentes do Visual Basic O tutorial a seguir,é feito para iniciantes em Visual Basic, que no qual, pode ajudar alguns que querem saber algumas funcções. Que começe o Tutorial ^^ Índice: Tipo de Aplicações em Visual Basic Componentes

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL.

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2012 Edição 7 Listando e Gravando Listando itens em ComboBox e gravando os dados no

Leia mais

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda:

Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: 33 Capítulo 3 Procedimentos (macros) Primeiramente lemos a seguinte citação, copiada de Excel-Ajuda: O objetivo de uma macro é automatizar as tarefas usadas com mais freqüência. Embora algumas macros sejam

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário Índice 1. Introdução...3 2. Requisitos Mínimos de Instalação...3 3. Instalação...3 4. Inicialização do Programa...5 5. Abas de Configuração...6 5.1 Aba Serial...6 5.2 Aba TCP...7 5.2.1 Opções Cliente /

Leia mais

O cursor se torna vermelho e uma Paleta de Edição contendo as instruções mais utilizadas é apresentada.

O cursor se torna vermelho e uma Paleta de Edição contendo as instruções mais utilizadas é apresentada. Editor de Ladder para VS7 Versão Teste O editor de ladder é um software de programação que permite que o VS7 e o µsmart sejam programados em linguagem de contatos. Esse editor está contido na pasta Público

Leia mais

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS

Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS Curso de Iniciação ao Access Basic (I) CONTEÚDOS 1. A Linguagem Access Basic. 2. Módulos e Procedimentos. 3. Usar o Access: 3.1. Criar uma Base de Dados: 3.1.1. Criar uma nova Base de Dados. 3.1.2. Criar

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Banco de Dados I. Linguagem de Consulta (parte I) DDL DML

Banco de Dados I. Linguagem de Consulta (parte I) DDL DML Banco de Dados I Linguagem de Consulta (parte I) DDL DML Linguagem de Consulta:SQL contéudo Structured Query Language Originalmente SEQUEL Structured English Query Language Projeta e Implementada pela

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Projeto Supermercado - Produtos

Projeto Supermercado - Produtos OBJETIVO: Este projeto possibilitará fazer a manutenção dos dados da tabela de Produtos. Didaticamente, ele permite ao programador iniciante ter os primeiros contatos com os objetos de visualização individual

Leia mais

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características:

Para que o NSBASIC funcione corretamente em seu computador, você deve garantir que o mesmo tenha as seguintes características: Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br Conhecendo o NSBASIC para Palm Vitor Amadeu Vitor@cerne-tec.com.br 1. Introdução Iremos neste artigo abordar a programação em BASIC para o Palm OS. Para isso, precisaremos

Leia mais

1 MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS. Abertura do Banco de Dados e suas tabelas Adicionar Navegação Alteração Consulta Exclusão

1 MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS. Abertura do Banco de Dados e suas tabelas Adicionar Navegação Alteração Consulta Exclusão 1 MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS Abertura do Banco de Dados e suas tabelas Adicionar Navegação Alteração Consulta Exclusão 1.1 CRIANDO JANELAS Precisamos criar inicialmente um formulário para cadastrar

Leia mais

Microsoft Excel Macro V. Índice 16-) Formulários... 42 17-) Gerando código para o Formulário... 49

Microsoft Excel Macro V. Índice 16-) Formulários... 42 17-) Gerando código para o Formulário... 49 Microsoft Excel Macro V Índice 16-) Formulários... 42 17-) Gerando código para o Formulário... 49 16-) Formulários A forma mais comum de comunicação de um sistema com o usuário é por meio de caixas de

Leia mais

Tarifação ON-LINE Sistema de Tarifação Telefônica V. 6.0 GUIA DE INSTALAÇÃO COLETOR

Tarifação ON-LINE Sistema de Tarifação Telefônica V. 6.0 GUIA DE INSTALAÇÃO COLETOR Tarifação ON-LINE Sistema de Tarifação Telefônica V. 6.0 GUIA DE INSTALAÇÃO COLETOR Net Manager Informática Ltda Versão 6.0 1998-2007 1) Instalação do Software Coletor Guia de Instalação Executar o programa

Leia mais

Engenharia. Sistemas Computacionais - Automação - UNISAL. Centro Universitário Salesiano de Campinas. Prof. Gale

Engenharia. Sistemas Computacionais - Automação - UNISAL. Centro Universitário Salesiano de Campinas. Prof. Gale Engenharia Sistemas Computacionais - Automação - UNISAL Centro Universitário Salesiano de Campinas Prof. Gale ÍNDICE Assunto Pág. 1ª. Aula... 03 Atividade no.1... 06 2ª. Aula... 07 Atividade no. 2... 09

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos.

Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3 COMANDOS CONDICIONAIS E DE LAÇO Nesta aula serão apresentados alguns comandos de condição, repetição e gráficos. 3.1 COMANDOS CONDICIONAIS 3.1.1 Comando IF Como o próprio nome já indica, estes comandos

Leia mais

Banco de Dados I. Linguagem de Consulta (parte II) Recuperando Dados de Várias Tabelas (JOINS)

Banco de Dados I. Linguagem de Consulta (parte II) Recuperando Dados de Várias Tabelas (JOINS) Banco de Dados I Linguagem de Consulta (parte II) Recuperando Dados de Várias Tabelas (JOINS) Exemplo - pedido Diagrama Entidade-Relacionamento N Pedido N possui N Produto N faz tira 1 Cliente 1 Vendedor

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Software Ativo. Operação

Software Ativo. Operação Software Ativo Operação Página deixada intencionalmente em branco PROTEO MANUAL OPERAÇÃO SUMÁRIO 1 - INSTALAÇÃO DO SOFTWARE ATIVO... 5 2 CRIANDO PROJETO UVS/ TMS PROTEO... 10 2.1 - Estrutura do Projeto...

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 INICIANDO O EXCEL Para abrir o programa Excel,

Leia mais

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos:

Tela Inicial: O Banco de Dados e seus objetos: Access 1 Tela Inicial: 2 ÁREA DE TRABALHO. Nosso primeiro passo consiste em criar o arquivo do Access (Banco de Dados), para isto utilizaremos o painel de tarefas clicando na opção Banco de Dados em Branco.

Leia mais

Criando um formulário no VBA

Criando um formulário no VBA Criando um formulário no VBA No dia-a-dia, não queremos nem ouvir falar em formulários: imediatamente nos vem à mente qualquer idéia relacionada com burocracia... Mas, na hora de criar interfaces de macros,

Leia mais

DIGISAT ERRO MIDAS.DLL

DIGISAT ERRO MIDAS.DLL DIGISAT ERRO MIDAS.DLL Para resolver esta questão, faça o download do "Registra Midas" e "midas.dll" que estão disponíveis nos links abaixo e salve-os dentro da pasta de instalação do sistema. Em seguida,

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Display de 7 Segmentos Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Aspectos Avançados. Conteúdo

Aspectos Avançados. Conteúdo Aspectos Avançados Conteúdo Vendo o que existe em seu computador Ambiente de Rede Lixeira Organizando arquivos e pastas Usando o Windows de maneira eficaz Trabalhando com documentos 34 Vendo o que existe

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

O comando CREATE TABLE cria a tabela solicitada e obedece à seguinte forma:

O comando CREATE TABLE cria a tabela solicitada e obedece à seguinte forma: 1 CREATE TABLE O comando CREATE TABLE cria a tabela solicitada e obedece à seguinte forma: CREATE TABLE (), (

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com APOSTILA DE DELPHI 7.0 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. PROFa. GILENE BORGES GOMES. Home page: http://www.gomeshp.com E-mail: gilene@gomeshp.com 1. INTRODUÇÃO Delphi possui um ambiente de desenvolvimento

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel

Avançado. Visão geral do ambiente do VBA Retornar à planilha Excel Avançado Trabalhando com VBA Descubra a linguagem de programação do Microsoft Office e torne-se um expert no desenvolvimento de funções, macros e planilhas eletrônicas Nas edições anteriores da revista

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006

Entradas Digitais. PdP. Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 TUTORIAL Entradas Digitais Autores: Luís Fernando Patsko e Tiago Lone Nível: Intermediário Criação: 27/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br

Leia mais

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr)

Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) Manipulando Strings no VBA (Replace, Mid e InStr) por Eduardo Vieira Machado (Good Guy) Hoje gostaria de tratar de um assunto bastante atraente no Access e que é muito trabalhado nas empresas - a manipulação

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Hardware Sistema de Entrada/Saída Visão Geral Princípios de Hardware Dispositivos de E/S Estrutura Típica do Barramento de um PC Interrupções

Leia mais

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS)

Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Tutorial 160 CP FBs - Elipse Scada (RS232 Protocolo MODBUS) Este documento é propriedade da ALTUS Sistemas de Informática S.A., não podendo ser reproduzido sem seu prévio consentimento. Altus Sistemas

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI - UTILIZANDO OPENDIALOG PARA ARMAZENAR IMAGENS EM BANCO DE DADOS Criaremos uma solução simples para criar

Leia mais

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1.

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. 1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. Partes da tela do Excel... Barra de fórmulas... Barra de status...

Leia mais

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Ficha Complementar

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Ficha Complementar AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Neste capítulo, vamos utilizar as funções de API para o serviço de FTP, que permitirá o acesso a uma máquina remota para enviar arquivos.

Neste capítulo, vamos utilizar as funções de API para o serviço de FTP, que permitirá o acesso a uma máquina remota para enviar arquivos. Capítulo 11 Transmissão do arquivo de pedidos por FTP Neste capítulo, vamos utilizar as funções de API para o serviço de FTP, que permitirá o acesso a uma máquina remota para enviar arquivos. FTP File

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7).

A1;A7 é o mesmo que A1 e A7 A1:A7 é o mesmo que A1 até A7 (abrange A1, A2, A3, A4, A5, A6, A7). Excel Avançado Atenção! 1. Nunca referenciamos valores, mas sim o nome da célula que contém o valor, como A1, sendo A a coluna e 1 a linha. 2. As fórmulas sempre iniciam com sinal de =. 3. Lembre-se de:

Leia mais

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA...

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... Portal de Vendas Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 1.1. Guia Portal de Vendas... 7 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 8 5.

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE VARIAÁ VEL Antes de iniciarmos os comandos referentes a Banco de Dados, precisamos de uma breve descrição técnica sobre Variáveis que serão uma constante em programação seja qual for sua forma de leitura.

Leia mais

Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA

Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA OpenStax-CNX module: m47737 1 Trabalhando com Arquivos de Texto no VBA Joao Carlos Ferreira dos Santos This work is produced by OpenStax-CNX and licensed under the Creative Commons Attribution License

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Objetivo do Sistema. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual

Objetivo do Sistema. Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Índice Objetivo do Sistema Configuração Mínima (recomendada) Disposição do Manual Módulo Básico Instalando o PDV Abertura e tela de Senha Seleções / Tecla de Funções Ajuda Usando o sistema como ferramenta

Leia mais

Iniciando no Visual Basic.NET

Iniciando no Visual Basic.NET Iniciando no Visual Basic.NET A Microsoft disponibiliza duas versões das suas ferramentas de desenvolvimento, a versão profissional, que integra, em um único ambiente, todas as ferramentas de desenvolvimento

Leia mais

KM-NET for Accounting. Guia de Operação

KM-NET for Accounting. Guia de Operação KM-NET for Accounting Guia de Operação Informações legais e gerais Aviso É proibida a reprodução não autorizada deste guia ou parte dele. As informações neste guia estão sujeitas a alterações sem aviso

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-client MSI Versão: 4.2.3 Versão do Doc.: 1.0 Autor: Aline Della Justina Data: 19/11/2010 Documento destinado à: Clientes e Parceiros Alterado por: Release Note: Detalhamento

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU

8VDQGR5HSRUW0DQDJHUFRP&ODULRQH3RVWJUH64/ -XOLR&HVDU3HGURVR $,'(GR5HSRUW0DQDJHU $,'(GR5HSRUW0DQDJHU Neste capítulo vamos abordar o ambiente de desenvolvimento do Report Manager e como usar os seus recursos. $FHVVDQGRRSURJUDPD Depois de instalado o Report Manager estará no Grupo de

Leia mais

KID MANUAL DE SOFTWARE

KID MANUAL DE SOFTWARE KID MANUAL DE SOFTWARE Sumário 1.1. O que é Programação em Blocos?... 3 1.2. Conhecendo o KID Programador... 3 1.2.1. Instalação do Software... 3 1.2.2. Áreas do Software... 5 1.3. Blocos usados para Programação...

Leia mais

Tarifação ON-LINE Sistema de Tarifação Telefônica V. 6.0 GUIA DE INSTALAÇÃO COLETOR

Tarifação ON-LINE Sistema de Tarifação Telefônica V. 6.0 GUIA DE INSTALAÇÃO COLETOR Tarifação ON-LINE Sistema de Tarifação Telefônica V. 6.0 GUIA DE INSTALAÇÃO COLETOR Net Manager Informática Ltda Versão 6.0 1998-2007 Guia de Instalação 1) Instalação do Software Coletor Executar o programa

Leia mais

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc

Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS. 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica. 1.2) Inicializando o Excel e o Calc Unidade III 1. APRESENTANDO PLANILHAS ELETRÔNICAS 1.1) Conceito de Planilha Eletrônica Em certa época, a planilha era um pedaço de papel que os contadores e planejadores de empresas utilizavam para colocar

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

A p o s t i l a M i c r o s o f t A c c e s s 97

A p o s t i l a M i c r o s o f t A c c e s s 97 A p o s t i l a M i c r o s o f t A c c e s s 97 Índice a) Access 97 b) Iniciando o Access c) Passo- a- passo d) Tabelas e) Exercício f) Consultas g) Passo- a- passo h) Formulários i) Passo- a- passo j)

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática

UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática Programação 1 Prof. Osório Aula 02 Pag.: 1 UNISINOS - UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS (C6/6) Curso: Informática PROGRAMAÇÃO I AULA 02 Disciplina: Linguagem

Leia mais

Microsoft Word 97 Básico

Microsoft Word 97 Básico Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região Microsoft Word 97 Básico DIMI - Divisão de Microinformática e Redes Índice: I. Executando o Word... 4 II. A tela do Word 97... 6 III. Digitando

Leia mais

Brasil. Características da Look 312P. Instalação da Look 312P

Brasil. Características da Look 312P. Instalação da Look 312P Características da Look 312P 1 2 3 Lente Foco manual pelo ajuste da lente. Bolso Você pode colocar o cabo no bolso. Corpo dobrável Ajuste a Look 312P em diferentes posições. Instalação da Look 312P 1.

Leia mais

Instruções de instalação e remoção para os drivers de impressora PostScript e PCL do Windows Versão 8

Instruções de instalação e remoção para os drivers de impressora PostScript e PCL do Windows Versão 8 Instruções de instalação e remoção para os drivers de impressora PostScript e PCL do Windows Versão 8 Este arquivo ReadMe contém as instruções para a instalação dos drivers de impressora PostScript e PCL

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada.

ARQUIVOS. Os arquivos criados em meios magnéticos poderão ser acessados para leitura e escrita na forma seqüencial, direta ou indexada. Texto retirado e adaptado da apostila A Linguagem Pascal, disponível no site http://www.portaldaprogramacao.com (autor: desconhecido) ARQUIVOS Anteriormente, foi estudado o conceito de tabelas em memória

Leia mais

Wireshark Lab: Iniciando

Wireshark Lab: Iniciando Wireshark Lab: Iniciando Versão 1.1 2005 KUROSE, J.F & ROSS, K. W. Todos os direitos reservados 2008 BATISTA, O. M. N. Tradução e adaptação para Wireshark. Conte-me e esqueço. Mostre-me e eu lembro. Envolva-me

Leia mais

Software de Gerência de Dados de Música. Data Manager para Windows. Guia do Usuário

Software de Gerência de Dados de Música. Data Manager para Windows. Guia do Usuário P Software de Gerência de Dados de Música Data Manager para Windows Guia do Usuário Use este manual em combinação com o guia do usuário que acompanha o instrumento. DATAMANAGERP1C Sumário Introdução...3

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Utilizando conversor Serial/Ethernet com Mini-Impressora DR600/DR700.

STK (Start Kit DARUMA) Utilizando conversor Serial/Ethernet com Mini-Impressora DR600/DR700. STK (Start Kit DARUMA) Utilizando conversor Serial/Ethernet com Mini-Impressora DR600/DR700. Neste STK mostraremos como comunicar com o conversor Serial/Ethernet e instalar o driver Genérico Somente Texto

Leia mais

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14

Guia do Usuário. idocsscan v.2.1.14 Guia do Usuário idocsscan v.2.1.14 2013 BBPaper_Ds - 2 - Sumário Introdução... 5 Instalação... 7 Inicializando a aplicação... 12 Barras de acesso e informações... 13 Teclas de atalho... 14 Barra de Ferramentas...

Leia mais

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação Lógica de Programação 3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Caro Aluno Vamos iniciar o terceiro capítulo da nossa disciplina. Agora vamos começar a aplicar os conceitos vistos nos capítulos anteriores em uma linguagem

Leia mais

Registrador de Dados VB300 3-Axis G- Force Versão 1.0 Novembro 2010

Registrador de Dados VB300 3-Axis G- Force Versão 1.0 Novembro 2010 Utilitário de Ajuda do Software Registrador de Dados VB300 3-Axis G- Force Versão 1.0 Novembro 2010 Introdução ao Software O software do registrador de dados é um programa que coleta dados do registrador

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE TOKEN SAFESIGN

MANUAL DE INSTALAÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE TOKEN SAFESIGN MANUAL DE INSTALAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE TOKEN SAFESIGN Manual de utilização do software de gerenciamento SafeSign Índice 1. Instalação... 3 1.1. Instalação no Windows... 3 1.2. Verificar versão do aplicativo...

Leia mais

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado.

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado. 1 Área de trabalho O Windows XP é um software da Microsoft (programa principal que faz o Computador funcionar), classificado como Sistema Operacional. Abra o Bloco de Notas para digitar e participar da

Leia mais

Manual QuotServ Todos os direitos reservados 2006/2007

Manual QuotServ Todos os direitos reservados 2006/2007 Todos os direitos reservados 2006/2007 Índice 1. Descrição 3 2. Instalação 3 3. Configurações 4 4. Usando arquivo texto delimitado 5 5. Usando arquivo texto com posições fixas 7 6. Usando uma conexão MySQL

Leia mais