O Valor e os Benefícios do Sistema de Padrões GS1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Valor e os Benefícios do Sistema de Padrões GS1"

Transcrição

1 O Valor e os Benefícios do Sistema de Padrões GS1

2 O GS1 projeta e gerencia um sistema global de padrões de cadeia de suprimentos. Nos últimos trinta anos, a GS1 dedicou-se ao projeto e implementação de padrões globais para utilização em cadeia de suprimentos. Os padrões GS1 proporcionam uma estrutura, que permite que produtos, serviços e informações a respeito deles movimentem-se com eficiência e segurança, para o benefício dos negócios e para a melhoria da vida das pessoas, diariamente e em qualquer lugar. Nossos padrões asseguram intercâmbios eficazes entre empresas e atuam como diretrizes básicas, que facilitam a interoperabilidade e proporcionam estrutura para diversos setores. Os padrões GS1 reúnem empresas que representam todas as partes da cadeia de suprimentos: fabricantes, distribuidores, varejistas, hospitais, transportadoras, despachantes aduaneiros, programadores de software, agências regulatórias locais e internacionais, etc. Os padrões GS1 são utilizados por grandes cadeias multinacionais e por pequenas lojas, por marcas de fama mundial e por artífices individuais. Essas empresas, que podem ter interesses empresariais divergentes, trabalham juntas sob nossa liderança, concordando em relação a padrões que tornam a cadeia de suprimentos mais rápida, mais eficiente, menos complexa e menos onerosa. Leia mais sobre a GS1 em Na GS1, nossa visão é um mundo onde as coisas e as informações a respeito delas movimentam-se com eficiência e segurança, para o benefício dos negócios e para a melhoria da vida das pessoas, diariamente e em qualquer lugar. Nossa missão é ser um líder neutro, capacitando comunidades a desenvolver e implementar padrões globais e fornecendo ferramentas, confiança e segurança necessárias para atingir nossa visão.

3 CONTEÚDO Sumário - As funções desempenhadas pelos padrões - Por que escolher o Sistema de Padrões GS1 Como o Sistema de Padrões GS1 funciona - Elementos interoperáveis Identificação automática GS1 - Chaves de identificação GS1 GTIN Global Trade Item Number (Número Global de Item Comercial) GLN Global Location Number (Número Global de Localização) SSCC Serial Shipping Container Code (Código de Série de Unidade Logística) Outras Chaves de ID GS1 - Identificadores de Aplicação GS1 - Suportes de Dados GS1 Códigos de barra EAN/UPC Códigos de barra ITF-14 Códigos de barra GS1-128 Códigos de barra GS1 DataBar Códigos de barra GS1 DataMatrix Etiquetas EPC/RFID - O Código Eletrônico de Produto (EPC) Padrões de Comunicação GS1 - Dados mestres compartilhados com GDSN - Dados transacionais com ecom GS1 EANCOM GS1 XML GS1 - Dados de visibilidade com EPCIS Como os Padrões GS1 são feitos Sistema em que você pode confiar 3

4 Os padrões desempenham diversas funções básicas Talvez você seja um especialista em padrões de cadeia de suprimentos de varejo; talvez você esteja envolvido na implementação de um projeto de identificação automática no setor de saúde; ou um programa de rastreamento no campo do transporte e logística. Ou talvez você não esteja muito envolvido com esse aspecto do seu negócio ou do seu setor. No entanto, independentemente se você é ou não um especialista, e independentemente de quanta atenção ou quanto tempo você ou sua organização dão aos padrões, você certamente deve se preocupar a respeito do valor e dos benefícios trazidos pelos padrões. As empresas se preocupam com o valor e os benefícios trazidos pelos padrões. projetados desempenham uma função muito importante nas operações empresariais diárias: reduzem a complexidade entre e dentro das organizações. Facilitam a tomada de decisões corretas a respeito da aquisição de hardware, software e equipamentos; e, então, reduzem os custos de implementação, integração e manutenção. Facilitam a colaboração entre os parceiros comerciais da cadeia de suprimentos; agilizam e simplificam a identificação de itens; compartilham informações (como quantidades do pedido, disponibilidade ou características específicas); encomendam e recebem peças ou ingredientes dos fornecedores; ou embarcam bens aos clientes. Ajudam a melhorar a segurança do paciente e reduzem os erros de medicação. Possibilitam o rastreamento e a autenticação global. Melhoram a eficiência.. Em resumo, os padrões bem projetados permitem que as organizações concentrem-se em como utilizar as informações em vez de como obtê-las. Os padrões são acordos que estruturam qualquer atividade ou qualquer setor. Podem ser normas ou diretrizes, que todos aplicam da mesma maneira. Podem ser um modo de medição acordado e uniforme, ou de descrever ou classificar produtos ou serviços. Os padrões bem projetados são mais importantes do que nunca, no contexto das mudanças econômicas atuais, pois são a base de intercâmbios claros e compreensíveis, mantendo os custos baixos para todos mediante a redução da complexidade. Com padrões adequados, a logística das cadeias internacionais de suprimentos é mais eficiente, mais sustentável e mais lucrativa. A GS1 cria e gerencia um sistema adequado e bem projetado de padrões para a cadeia global de suprimentos. De fato, os padrões de cadeia de suprimentos bem

5 Por que escolher o Sistema de Padrões GS1 Algumas empresas desenvolvem seus próprios sistemas individualizados de identificação, classificação e captura de dados. Outras utilizam padrões que são somente funcionais dentro dos limites de um único setor industrial ou de um único país. No entanto, o Sistema de Padrões GS1 é uma opção muito melhor, pois é global, robusto, multissetorial, gerado pelo usuário e escalonável. Global Independentemente do local do mundo em que sua empresa ou seus fornecedores ou seus clientes está baseada, os padrões GS1 funcionarão perfeitamente ali. O Sistema de Padrões GS1 é verdadeiramente global. Robusto Nossos padrões foram desenvolvidos com o objetivo de serem extremamente robustos. Eles reagem e respondem previsivelmente, mesmo em situação imprevisíveis. As Chaves de identificação GS1 são de comprimento fixo, e todas se beneficiam de um dígito de verificação, que ajuda a impedir erros acidentais de curso da chave; os Suportes de Dados GS1 são os melhores da categoria, com taxas de leitura de primeira vez altamente confiáveis; os Padrões de Comunicação GS1 se beneficiaram de diversas melhorias da precisão de dados; e, em conjunto, o Sistema GS1 é sólido e escalonável Multissetorial Os padrões GS1 trabalham dentro da sua organização... e também fora dela. No entanto, não acredite somente em nós: o Sistema de Padrões GS1 foi endossado por diversos ramos de atividade. Temos parcerias e alianças de trabalho fortes com diversas organizações e associações comerciais, incluindo Efficient Consumer Response (ECR), Consumer Goods Forum, AIM Global (Association for Automatic Identification and Mobility) e WCO (World Customs Organization). O setor global de saúde está adotando amplamente os padrões GS1, e diversos Ministérios da Saúde nacionais regulamentaram seu uso. Da mesma forma, um memorando de entendimento foi assinado com a World Customs Organization, que reconhece no GS1 um parceiro e aliado genuíno nos seus esforços de proteger as fronteiras. Além disso, durante muitos anos, o GS1 e as organizações membro do GS1 se envolveram ativamente no United Nations Centre for Trade Facilitation and Electronic Business UN/CEFACT (Centro das Nações Unidas para Facilitação do Comércio e Comércio Eletrônico); e o GS1 também tem tido um longo e frutífero relacionamento de trabalho com a ISO, a International Organization of Standardization (Organização Internacional para Padronização). Gerado pelo usuário Todos os padrões GS1 são desenvolvidos e mantidos por meio do GS1 Global Standards Management Process GSMP (Processo de Gerenciamento dos Padrões Globais GS1), um fórum colaborativo mundial. O GSMP é um processo aberto e transparente, que reúne voluntários de todos os setores e de todos os lugares do mundo, para identificar necessidades de padrões, reunir requisitos comerciais, documentar as melhores práticas, obter consensos e soluções, e, em seguida, desenvolver e implementar os padrões resultantes de cadeia de suprimentos. Escalonável Quer você seja uma pequena ou grande empresa, quer você tenha um único produto ou centenas deles, o Sistema de Padrões GS1 é perfeitamente adequado para suas necessidades. De fato, se você for uma empresa pequena ou especializada, a utilização do Sistema GS1 será uma escolha especialmente inteligente. Por quê? Porque ele é eminentemente escalonável. Independentemente do que o futuro reserva para seu negócio uma expansão da sua linha de produtos ou serviços, uma extensão para novas geografias, uma aquisição ou uma fusão com o Sistema GS1, você está pronto. A melhor opção Por mais de trinta anos, os padrões voluntários GS1 forneceram uma estrutura, assegurando intercâmbios eficazes entre empresas e atuando como diretrizes básicas, que facilitam a interoperabilidade e proporcionam estrutura para diversos ramos de atividade. E ainda que fossem originalmente criados por fabricantes e varejistas para melhorar a eficiência da distribuição de alimentos e bens de consumo para supermercados, os padrões GS1 são utilizados hoje por mais de um milhão de empresas, em dezenas de setores, incluindo saúde, transporte e logística, produtos químicos, alta tecnologia e ainda, é claro, a cadeia de suprimentos do varejo. 5

6 Como How the funciona GS1 System o Sistema of Standards de Padrões works GS1 O Sistema de Padrões GS1 é uma arquitetura flexível, que assegura eficiência máxima. É desenvolvido em torno de dois elementos principais: os Padrões Automáticos de Identificação GS1 e os Padrões de Comunicação GS1. Os Padrões Automáticos de Identificação GS1 são compostos de diversos elementos: Chaves de Identificação (ID) GS1 e Identificadores de Aplicação GS1, Suportes de Dados GS1 e o Identificador EPC. As Chaves de ID e os Identificadores de Aplicação GS1 são especialmente projetados para trabalhar com os Suportes de Dados GS1: Códigos de Barra GS1 ou etiquetas EPC/ RFID. O EPC, que inclui as Chaves de Identificação GS1 e também todas Chaves de outros sistemas, é a base para codificar uma etiqueta EPC/RFID. Os Padrões de Comunicação GS1 lidam com dados transacionais, que são dados que reconhecem a conclusão de uma transação comercial, como uma apoiada pelos padrões GS1 ecorn; eles lidam com dados de visibilidade, que são dados que registram a ocorrência de um evento físico (item embarcado num navio, item desembarcado num porto, item inspecionado na alfândega...) em EPCIS; e possibilitam o compartilhamento de dados mestres entre parceiros comerciais, na cadeia de suprimentos, utilizando a Global Data Synchronisation Network GDSN (Rede Global de Sincronização de Dados). Bilhões de vezes por dia, o Sistema de Padrões GS1 conecta coisas físicas, como produtos, locais, unidades logísticas e ativos, com informações a respeito dessas coisas fornecidas pelos Padrões de Comunicação GS1. O sistema GS1 Chaves de Identificação Captura Automática de Dados Troca Eletrônica de Dados Padrões de comunicação GS1 GS1 XML EPCglobal Network WebEDI GDSN EANCOM ONS EPCIS etc... Chaves GS1 GTIN SSCC GRAI GIAI GLN Chaves GS1 GTIN SSCC GRAI GIAI GLN Suporte de Dados GS1 GS1 DataBar GS1-128 GS1 DataMatrix EAN/UPC ITF-14 Etiqueta EPC GEN2 Chaves GS1 GTIN SSCC GRAI GIAI GLN Suporte de dados GS1 GS1 DataBar GS1-128 GS1 DataMatrix EAN/UPC ITF-14 Etiqueta EPC GEN2

7 Identificar Número global de localização GLN Número global de localização GLN Número global de localização GLN Fabricante Item Caixa Palete Transporte Distribuidor Transporte Palete Caixa Item Loja Consumidor GTIN Número Global de Item Comercial SSCC Código de Série de Unidade Logística GTIN Número Global de Item Comercial Códigos de Barra Capturar SUPORTE DE DADOS DO SISTEMA GS1 EPC/RFID Compartilhar Dados do Item Dados do Preço e Promoção Aviso de Embarque Fatura Recall do Produto Pedido de Cotação Cronograma de Planejamento Ordem de Compra 7

8 Elementos interoperáveis O Sistema GS1 foi projetado para assegurar que todos elementos sejam compatíveis e interoperáveis entre si. Dessa maneira, eles podem ser implementados de maneiras a satisfazer necessidades muito específicas do cliente; e, ao mesmo tempo, são compatíveis com futuras mudanças de processo na cadeia de suprimentos ou com novas adições à família de Padrões GS1. Varejo - Ponto de venda Aquisição Healthcare GTIN + EAN/UPC + GS1 DataBar + EPC/RFID tags + GDSN GS1 ecom + GLN + GTIN + GS1 DATA CARRIERS + GDSN S-GTIN + GTIN + GS1 DataMatrix + EPC/RFID tags + GDSN GDSN GDSN GS1 ecom GDSN EAN/UPC GS1 DataBar EPC/RFID GS1 Data Carriers EPC/RFID tags GS1 DataMatrix GTIN GTIN GLN S-GTIN GTIN Visibilidade S-GTIN + GRAI + GIAI + GSRN + GDTI + EPCIS + EAN/UPC + GS EPC/RFID tags Transporte & Logistica SSCC + GINC + GSIN + GS EPC/RFID tags + GS1 ecom Food Service GTIN + GRAI + GLN + EAN/UPC + GS EPC/RFID tags + GDSN GIAI EAN/UPC EPCIS GSRN GS1-128 GDTI EPC/RFID tags GS1-128 GS1 ecom EPC/RFID tags SSCC GINC GSIN EAN/UPC GDSN GS1-128 EPC/RFID tags S-GTIN GRAI GLN S-GTIN GRAI Rastreabilidade GDSN GS1 ID KEYS + GS1 DATA CARRIERS + GDSN GS1 Data Carriers GS1 ID KEYS O Sistema GS1 Quando combinados de diverdas maneiras, os fundamentos exclusivos do Sistema GS1 apresentam uma série de usos e benefícios GDSN GS1 ecom GS1 XML EPCIS EAN/UPC GS1 DataBar ITF GS1-128 GS1 DataMatrix EPC/RFID tags GTIN GLN SSCC GRAI GIAI GDTI GSRN GSIN GINC

9 Identificação Automática GS1 Chaves de Identificação e Identificadores de Aplicação GS1 Suportes de Dados GS1 O Código Eletrônico de Produto (EPC) 9

10 Chaves de Identificação GS1 As Chaves de Identificação GS1 são utilizadas para nomear e distinguir qualquer objeto, coisa ou localização. Dessa maneira, as partes interessadas podem obter informações ou mensagens comerciais referentes a eles. As principais Chaves de ID GS1 são: GTIN Global Trade Item Number (Número Global de Item Comercial) Número global do ítem comercial (Estrutura do GTIN-13) Prefixo da Empresa GS1 Referência do item Dígito de verificação N 1 N 2 N 3 N 4 N 5 N 6 N 7 N 8 N 9 N 10 N 11 N 12 N 13 GLN Número global de localização GLN - Número global de localização Prefixo da Empresa GS1 Referência do item Dígito de verificação N 1 N 2 N 3 N 4 N 5 N 6 N 7 N 8 N 9 N 10 N 11 N 12 N 13 SSCC Código de série de unidade logística SSCC (Código de série de unidade logística) Dígito de extensão Prefixo da Empresa GS1 Referencia de série Dígito de verificação N 1 N 2 N 3 N 4 N 5 N 6 N 7 N 8 N 9 N 10 N 11 N 12 N 13 N 14 N 15 N 16 N 17 N 18 As outras Chaves de ID GS1 são: GRAI Identificador Global de Ativo Retornável GIAI Identificador Global de Ativo Individual GSRN Número Global de Relação de Serviço GDTI Identificador Global de Tipo de Documento GSIN Número Global de Identificação de Embarque GINC Número Global de Identificação de Remessa

11 GTIN Número Global de Item Comercial O Número Global de Item Comercial, ou GTIN, é um dos principais elementos do Sistema GS1. O GTIN é utilizado para identificar individualmente itens comerciais, que são produtos e serviços precificados, ordenados ou faturados em qualquer ponto da cadeia de suprimentos, quer em um caixa de pagamento, em um depósito, em um catálogo eletrônico ou em outro lugar. Cada item comercial diferente de outro é alocado em seu distinto GTIN. O GTIN é utilizado para identificar individualmente itens comerciais. Cada item comercial diferente do outro é alocado em seu distinto GTIN. de forma que possam ser rastreados ao longo de sua vida útil. Os GTINs serializados, por exemplo, permitem que a manutenção dos pneus de caminhões comerciais seja realizada em intervalos corretos e sejam retirados de uso depois de estarem em circulação por um determinando período de tempo. Sua função principal é proporcionar um modo de identificar individualmente um item, de forma que possa ser procurado em um banco de dados por exemplo, para obter seu preço, registrar sua venda, confirmar sua entrega ou identificar seu pedido, em qualquer ponto da cadeia de suprimentos e a partir de qualquer lugar do mundo. O GTIN proporciona precisão, velocidade e eficiência para milhões de empresas em todo mundo, em todas áreas do comércio moderno. Há também uma forma serializada de GTIN: um GTIN Serializado identifica o caso específico de um item comercial. Por exemplo, os GTINs serializados são utilizados no setor de saúde, para distinguir implantes individuais que são da mesma marca e características; ou na produção de pneus, para diferenciar pneus individuais, a b c d O GTIN é o sistema de identificação mais amplamente utilizado do mundo, com caráter único global garantido pela estrutura: a. Prefixo GS1: fornece a posição numérica de cada organização membro do GS1 e capacita a administração local b. Número da empresa: em combinação com o Prefixo GS1, constitui o Prefixo da Empresa GS1, permitindo que as empresas atribuam o GTIN e outras Chaves de ID GS1. c. Referência de Item: atribuída pela empresa, com cada produto distinto recebendo um número diferente d. Dígito de Verificação: calculado a partir de todos outros dígitos, para proporcionar segurança adicional O GTIN é apoiado, promovido e obtenível a partir de qualquer organização membro do GS1, em qualquer lugar do mundo. 11

12 GLN Número Global de Localização O Número Global de Localização, ou GLN, é a Chave de ID GS1 utilizada para identificar localizações e entidades legais. Localizações podem ser um local físico, como um depósito, um armário ou mesmo uma prateleira em uma loja; podem ser uma entidade legal, como uma empresa ou uma divisão de uma empresa; ou podem ser uma atividade que ocorre em uma entidade legal, como o departamento de contabilidade de uma empresa ou a ala pediátrica de um hospital. O GLN identifica qualquer localização, em qualquer lugar do mundo, de modo individualizado Poder identificar localizações com um número individualizado é fundamental para diversos processos comerciais; os GLNs também são o elemento essencial para diversas aplicações EPC/RFID desenvolvidas em torno da captura de evento. Utilizar um GLN em vez de um sistema interno individualizado de numeração para localizações oferece vantagens significativas para a empresa, pois proporciona um modo padronizado de identificar individualmente localizações importantes para a cadeia de suprimentos. a b c d O GLN é uma solução global multissetorial, para identificar localizações em qualquer que seja o nível de granularidade necessário. O identificador compatível com a ISO elimina a necessidade de complexos sistemas de numeração de localização individualizada. Seu caráter único global é garantido por sua estrutura: a.. Identificador de Aplicação GS1: fornece o significado do campo de dados que segue, permitido que o mesmo Suporte de Dados GS1 codifique múltiplos dados b. Prefixo da Empresa GS1: atribuído pelas organizações membro do GS1 às empresas membro, permitindo-lhe atribuir GLNs c. Referência de Localização: atribuída pelo proprietário da localização, com cada localização diferente recebendo um número diferente d. Dígito de Verificação: calculado a partir de todos outros dígitos, para proporcionar segurança adicional O GLN é apoiado, promovido e obtenível a partir de qualquer organização membro do GS1, em qualquer lugar do mundo.

13 SSCC Código de Série de Unidade Logística O Código de Série de Unidade Logística (SSCC) é a Chave de ID GS1 utilizada para identificar unidades logísticas individuais. Uma unidade logística pode ser qualquer combinação de unidades reunidas em uma caixa de papelão, em uma caixa, sobre um palete ou sobre um caminhão, onde a carga específica da unidade precisa ser gerenciada através da cadeia de suprimentos. Por meio do SSCC, uma unidade pode ser rastreada individualmente, trazendo benefícios para o rastreamento do pedido e da entrega e do recebimento automatizados dos bens. O SSCC identifica as unidades logísticas individuais, como caixas de papelão, engradados ou paletes. O componente de referência serial do SSCC proporciona capacidade numérica praticamente ilimitada, simplificando a atribuição numérica e garantindo a identificação individualizada. Como o SSCC fornece um número individualizado, ele também pode ser utilizado como um número de procura, para fornecer não somente informações detalhadas com respeito aos conteúdos da carga, como também parte de um Advanced Shipping Notice ASN (Aviso Antecipado de Embarque) ou processo de Aviso de Despacho. Além disso, com um SSCC, uma empresa pode procurar confiavelmente detalhes a respeito de cargas complexas, poupando o remetente de ter de codificar longas informações de remessa em etiquetas de unidade logística individual. a b c d e O SSCC vincula as informações do código de barra ou da etiqueta EPC/RFID com as comunicações eletrônicas a respeito da unidade logística. Os SSCCs são compatíveis com a placa de licença ISO (ISO/IEC 15459) para rastreamento de unidades logísticas. Sua estrutura: a. Identificador de Aplicação GS1: fornece o significado do campo de dados que segue, permitido que o mesmo Suporte de Dados GS1 codifique múltiplos dados b. Dígito de Extensão: atribuído pelo usuário para aumentar a capacidade c. Prefixo da Empresa GS1: atribuído pelas organizações membro do GS1 às empresas membro, permitindo-lhe atribuir SSCCs d. Referência Serial: atribuída pelo criador da unidade logística, com cada unidade logística recebendo um número diferente e. Dígito de Verificação: calculado a partir de todos outros dígitos, para proporcionar segurança adicional O SSCC é apoiado, promovido e obtenível a partir de qualquer organização membro do GS1, em qualquer lugar do mundo. 13

14 Outras Chaves de ID GS1 retornados para ser usados novamente. O GRAI pode ser utilizado simplesmente para identificação de ativo e fins de rastreamento, ou pode ser parte de um sistema de arrendamento ou aluguel, em que duas ou mais empresas colaboram, permitindo que as empresas monitorem ativos em seus negócios e fora deles. GIAI Identificador Global de Ativo Individual GSRN Número Global de Relação de Serviço O Número Global de Relação de Serviço é a Chave de ID GS1 utilizada para identificar uma relação de serviço entre uma empresa e um cliente, como condição de membro do clube, programas de fidelidade ou um paciente em um hospital. GRAI Identificador Global de Ativo Retornável O Identificador Global de Ativo Retornável (GRAI) é uma das duas Chaves de ID GS1 para identificação de ativo. Como seu nome indica, o GRAI é utilizado para identificar ativos retornáveis, como equipamentos de transporte reutilizáveis, como bandejas, engradados, paletes ou barris de cerveja, que são utilizados e, depois, Identificador Global de Ativo Individual (GIAI) é a segunda das duas Chaves de ID GS1 para identificação de ativo. Os GIAIs são utilizados para identificar ativos fixos de qualquer valor em uma empresa, que precisam ser identificados individualmente, como um computador, uma escrivaninha, um veículo ou uma peça componente. A existência de uma identificação individualizada para os ativos permite que a empresa identifique-os, rastreie-os e gerencie-os durante toda sua vida útil. Os identificadores são um modo rápido de procura de um ativo em um banco de dados, pois seu uso, localização ou estado pode ser registrado, por exemplo para conciliação de estoque, para atualização de registro de manutenção, para registro de atualização de software ou para transferência de um ativo para um usuário ou localização.

15 GSIN Número Global de Identificação de Embarque O Número Global de Identificação de Embarque (conhecimento de embarque) é um número atribuído por um vendedor (remetente) de bens. Fornece um número globalmente individualizado, que identifica um agrupamento lógico de unidades físicas, com o objetivo de um embarque de transporte. GDTI Identificador Global de Tipo de Documento O Identificador Global de Tipo de Documento (GTDI) é a Chave de ID GS1 para identificar um documento pelo tipo. Nesse caso, o termo documento é aplicado amplamente, para abranger quaisquer papeis oficiais ou privados que indicam um direito (por exemplo, uma comprovação de propriedade) ou uma obrigação (por exemplo, uma convocação para o serviço militar) em relação ao portador. Entre outros exemplos de tipos de documentos que podem ter um GDTI, incluem-se demandas fiscais, comprovações de formulários de embarque, apólices de seguro, faturas internas, exames nacionalizados ou padronizados, e passaportes. Uma empresa ou negócio GINC Número Global de Identificação de Remessa O Número Global de Identificação de Remessa identifica um agrupamento lógico de bens (uma ou mais entidades físicas), que foram remetidos para um despachante ou transportador de cargas, com o objetivo de ser transportado como um todo. emitirá um GDTI onde é importante manter um registro do documento; o GDTI proporcionará um link ao banco de dados que contém a cópia principal do documento. 15

16 Identificadores de Aplicação GS1 As Chaves de ID GS1 são complementadas pelos Identificadores de Aplicação GS1 (ou IAs GS1). Os IAs GS1 atuam como uma lista de códigos de campos de dados genéricos e simples, para utilização em aplicações de cadeias de suprimentos multissetoriais e internacionais. Cada IA GS1 inclui dois ou mais dígitos, proporcionando a definição, formato e estrutura do campo de dados codificado em um Suporte de Dados GS1. Por exemplo, um IA GS1 existe para cada Chave de ID (por exemplo, informações de entrega, pesos logísticos, etc.) também estão disponíveis como dados adicionais padronizados, pois o acesso a esses dados pode ser necessário quando os bens estão em trânsito, e a conexão à rede é impraticável. Os IAs GS1, e as diretrizes de aplicação afins, foram projetadas para propósitos internacionais e multissetoriais. Os IAs permitem que diversos dados sejam codificados em um Suporte de Dados GS1 único, melhorando as taxas de leitura e reduzindo os custos de impressão e produção. GS1, permitindo ser codificado em Códigos de Barra GS1 ou etiquetas EPC/RFID. Dados adicionais são sempre associados a uma Chave de ID GS1 e, apesar da intenção ser que a Chave de ID GS1 seja utilizada para encontrar informações a respeito do objeto identificado no banco de dados, os IAs GS1 existem para dados adicionais que não podem ser procurados em um banco de dados como referência a uma chave de ID GS1. Os IAs GS1 apresentam um modo padronizado de codificar informações em um Suporte de Dados GS1 único Isso poderá acontecer se os dados forem necessários quando uma conexão com um banco de dados não estiver disponível; ou quando um número de lote, data de vencimento ou ocorrência individual do objeto for requerida em forma de código de barra ou etiqueta EPC/ RFID. Por exemplo, o SSCC fornece um número de referência individualizado, que pode ser utilizado como chave para acessar todas informações pertinentes com respeito à unidade logística nos arquivos do computador. No entanto, os dados adicionais referentes à unidade logística

17 Suporte de dados GS1 O GS1 possui um portfólio completo de Suportes de Dados: diversos tipos de mídia, que podem conter Chaves de ID GS1 e dados de atributos. O mesmo conteúdo pode, de fato, ser codificado em diferentes tipos de suportes, dependendo de que uso será feito deles. Códigos de Barra EAN/UPC Se uma empresa desejar pôr um código de barra em um item comercial, que pode ser lido oticamente em qualquer ponto de venda de varejo, em qualquer lugar do mundo, ela precisará de um código de barra EAN/UPC. eficiente para situações de leitura ótica de grande volume, como caixas de supermercado. ITF-14 Os códigos de barra ITF-14 somente codificam GTINs. Como não podem ser utilizados para identificar itens que cruzarão um ponto de venda, são geralmente utilizados para itens comerciais onde se requer impressão diretamente nas caixas de papelão corrugado. O código de barra EAN/UPC GS1 é o Suporte de Dados GS1 mais amplamente utilizado e há mais tempo estabelecido. É um método de marcação de produto indispensável, que é encontrado em praticamente todos os produtos de consumo do mundo. Aquele curto aviso sonoro que as pessoas associam com o pagamento no caixa de um supermercado é um dispositivo de leitura ótica a laser lendo as informações codificadas em um código de barra EAN/UPC. Existem quatro tipos principais de código de barra EAN/ UPC, e todos são simbologias lineares. EAN-13, que codifica o GTIN-13 UPC-A, que codifica GTIN-12 EAN-8, que codifica GTIN-8 UPC-E, que codifica um zero-suprimido especial GTIN- 12 O EAN/UPC não codifica nenhuma outra Chave de ID GS1 nem nenhum outro Identificador de Aplicação GS1. Há dois códigos de barra EAN/UPC adicionais, designados códigos complementares de 2 dígitos e 5 dígitos, cujo uso é limitado quase exclusivamente para livros e periódicos. Além de sua ubiquidade global, a outra grande vantagem do código de barra EAN/UPC é a capacidade de leitura ótica em todas as direções: um código de barra EAN/UPC pode ser passado em frente de um leitor de código de barra, em um ponto de venda, com o lado certo para cima ou de cabeça para baixo, e ainda emitirá um aviso sonoro perfeitamente. Isso o torna um suporte de dados rápido e EAN-13 UPC ITF

18 GS1-128 Quando se fala de logística, o Suporte de Dados GS1-128 é o padrão-ouro. O código de barras GS1-128 pode conter todas Chaves de ID GS1, e também as informações variáveis, como números seriais, datas de vencimento e medidas. É uma simbologia linear, com a vantagem de ser mais comprimida que outras tecnologias lineares. O GS1-128 não pode ser utilizado para identificar itens cruzando um ponto de venda de varejo. Em vez disso, sua função principal está no setor de transporte e logística e no setor de saúde. O código de barra GS1-128 assumiu importância consideravelmente maior nos últimos anos, devido aos requisitos crescentes de rastreabilidade mais rigorosa de produto; de fato, uma etiqueta de transporte com um código de barra GS1-128 sobre o produto é o ponto central de qualquer sistema de rastreamento baseado em padrões globais. O GS1-128 é flexivelmente configurável, tornando-o totalmente adaptável a uma grande variedade de necessidades e casos de uso. Pode ser lido com diversos leitores óticos a laser comercialmente disponíveis. GS1-128

19 GS1 DataBar Os símbolos do DataBar GS1 podem conter mais informações e identificar itens menores que os códigos de barra EAN/UPC, e também podem ser lidos oticamente no ponto de venda de varejo. Assim, o DataBar GS1 permite a identificação do GTIN para produtos frescos de medida variável e difíceis de marcar, como frutas e vegetais a granel, jóias e cosméticos. Além disso, o DataBar GS1 pode conter os Identificadores de Aplicação GS1, como números seriais, números de lote e datas de vencimento, criando soluções para apoiar a autenticação e rastreabilidade do produto, como alimentos frescos e cupons. Os símbolos do DataBar GS1 foram endossados e adotados pelo GS1 após a análise de um caso empresarial convincente por uma força-tarefa global, incluindo varejistas, fabricantes de bens de consumo de grande saída, laboratórios farmacêuticos, organizações membro do GS1 e associações comerciais. A decisão de utilizar ou não os símbolos do DataBar GS1 será deixada para o detentor da marca (a parte responsável por especificar o projeto da embalagem), e não é obrigatória para substituir os códigos de barra EAN/UPC onde funcionam atualmente. A data quando o DataBar pode ser utilizada abertamente é fixada para 2014, em nível global, mas datas anteriores estão sendo estabelecidas em uma base país a país para aplicações específicas (por exemplo, cupons, ns Estados Unidos, em 2011; produtos agrícolas a granel, entre 2010 e 2014, em mercados diferentes). GS1 DataBar OmniStacked Utilizado principalmente para marcar peças individuais de produtos agrícolas a granel GS1 DataBar Expanded Stacked Utilizado principalmente para manuseio de cupons e para marcação de itens comerciais de medida variável, como carne, queijo, etc. 19

20 GS1 DataMatrix Ao contrário das outras simbologias GS1, o DataMatrix GS1 é uma simbologia bidimensional, que permite a codificação de muitas informações em um espaço muito compacto. No entanto, ele não é planejado para ser utilizado em ambientes de ponto de venda de varejo em todas as direções e de grande volume, como supermercados, pois somente é compatível com aplicações cujos sistemas de leitura utilizam leitores baseados em câmera. Um recurso particularmente digno de atenção do DataMatrix GS1 é que ele pode ser utilizado para aplicar marcações diretamente nos produtos, componentes ou peças individuais. Nesses casos, o código é gravado ou impresso a laser diretamente sobre a superfície de um item, tornando-o indelével, mesmo sob condições operacionais adversas. Por exemplo, um DataMatrix GS1 gravado dessa maneira pode ser utilizado na presença de graxa em aplicações industriais ou para itens que são expostos aos elementos. Isso torna o DataMatrix GS1 totalmente adequado para aplicações cujas condições não permitem o emprego de códigos de barra convencionais. O DataMatrix GS1 está ganhando popularidade no setor de saúde, pois satisfaz muitas necessidades e abre diversas oportunidades para melhorar a segurança do paciente. Por exemplo, como ele pode conter Identificadores de Aplicação GS1, números seriais e de lote e datas de vencimento podem ser codificadas em produtos médicos. Além disso, devido ao seu tamanho compacto, um símbolo de DataMatrix GS1 pode se encaixar em quase todos dispositivos médicos. No passado, os instrumentos cirúrgicos individuais não podem ser rotulados automaticamente. No entanto, um DataMatrix GS1 pode ser marcado diretamente nesses instrumentos, simplificando, assim, seu rastreamento nos hospitais. Com base em sua popularidade, o DataMatrix GS1 está sendo oferecido para uso em farmácias e em todos ambientes de leitura ótica de itens comerciais controlados. GS1 DataMatrix

O Sistema GS1 Normas para os T&L

O Sistema GS1 Normas para os T&L O Sistema GS1 Normas para os T&L MARCA Optimize as suas Operações Workshop Movimente Normas GS1 Eficiência nos T&L 29 Novembro, Hotel Villa Rica - Lisboa O QUE É A GS1? Sem Fins Lucrativos Neutra em relação

Leia mais

Conhecendo o GLN. Número Global de Localização. Volume 2

Conhecendo o GLN. Número Global de Localização. Volume 2 Conhecendo o GLN Número Global de Localização Volume 2 Conhecendo o GLN O material Conhecendo o GLN tem como objetivo integrar a sua empresa, de forma ainda mais eficiente, à cadeia de suprimentos. Além

Leia mais

GS1 Contributo para uma Classificação Global

GS1 Contributo para uma Classificação Global GS1 Contributo para uma Classificação Global GS1 Portugal e o Sistema GS1 1ª Reunião da Rede Portuguesa sobre Composição dos Alimentos Projecto PortFIR 16 Dezembro 2008 Agenda Quem somos Sistema GS1 Quem

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO. UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA Padrões GS1: Tranquilidade para você e seu cliente. Volume 7 Padrões do Sistema GS1 Habilitando a visibilidade da cadeia de valor. Identificação

Leia mais

A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA

A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA A CURA GLOBAL PARA A SAÚDE PÚBLICA Um relatório novo e independente divulgado pela McKinsey&Company estimou os benefícios em vidas e valor da implementação de um único padrão global para a saúde pública.

Leia mais

GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2

GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2 Quem é a GS1 Como gerar seu Código de Barras Produtos e Soluções GS1 GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 1 GS1025-13 Miolo Wellcome Kit GS1.indd 2 Quem é a GS1 GS1 Brasil A GS1 Brasil Associação Brasileira

Leia mais

R evolução no ponto-de-venda Mais dados menos espaço

R evolução no ponto-de-venda Mais dados menos espaço R evolução no ponto-de-venda Mais dados menos espaço 1 Como varejistas, estamos sempre a procura de formas para melhorar a experiência de compra dos clientes. Tendo como base os últimos 25 anos do Sistema

Leia mais

Controle e visibilidade: Internet das Coisas Roberto Matsubayashi*

Controle e visibilidade: Internet das Coisas Roberto Matsubayashi* Controle e visibilidade: Internet das Coisas Roberto Matsubayashi* Existem diversas atividades fundamentais desempenhadas pelas empresas no cumprimento de sua missão, sempre com o objetivo de agregar de

Leia mais

Guia de Codificação para Livros

Guia de Codificação para Livros Guia de Codificação para Livros 1. Introdução A GS1 e as Agências Internacionais do ISBN e ISSN elaboraram diretrizes para ajudar os editores na compreensão das funcionalidades do Sistema GS1 para o setor

Leia mais

Manual de código de Barras

Manual de código de Barras 1. VISÃO GERAL 1.1 MODITIVAÇÃO: O código de barras é uma forma de representar a numeração, que viabiliza a captura automática dos dados por meio de leitura óptica nas operações automatizadas (EAN Brasil,

Leia mais

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3 Brasil EPC Código Eletrônico de Produto Volume 3 A implementação do código eletrônico de produto (EPC) e da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), promete importantes benefícios aos consumidores

Leia mais

Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor

Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor Norma Global para a Rastreabilidade: A base para a visibilidade, qualidade e segurança na cadeia de valor Introdução O Sistema GS1, devido à sua capacidade de fornecer uma identificação única e global

Leia mais

GS1 Brasil Associação Brasileira de Automação. 2011 GS1 Brasil

GS1 Brasil Associação Brasileira de Automação. 2011 GS1 Brasil GS1 Brasil Associação Brasileira de Automação O que são padrões? São acordos que estruturam qualquer atividade ou setor da economia. São regras ou guias que todos aplicam. Ou uma forma de medição, descrição,

Leia mais

Ask the local Barcoding Expert. Silvério Paixão, GS1 Portugal 23 Outubro, 2012

Ask the local Barcoding Expert. Silvério Paixão, GS1 Portugal 23 Outubro, 2012 Ask the local Barcoding Expert Silvério Paixão, GS1 Portugal 23 Outubro, 2012 9 7 8 8 5 7 1 6 4 4 9 5 3 Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara. ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA José Saramago Agenda Quem Somos

Leia mais

Varejo e Tecnologia:

Varejo e Tecnologia: Seminário GVcev Varejo e Tecnologia: Presente e Perspectivas Iniciativas de Colaboração Sergio Ribinik CEO da GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA GS1 MEMBRO DO BOARD DO EPC GLOBAL Agenda Tecnologia

Leia mais

GS1. Um sistema de padrões que gera valor. 30 de Novembro 2012 10h00. Wilson José da Cruz Silva wilson.cruz@gs1br.

GS1. Um sistema de padrões que gera valor. 30 de Novembro 2012 10h00. Wilson José da Cruz Silva wilson.cruz@gs1br. GS1 Um sistema de padrões que gera valor 30 de Novembro 2012 10h00 Wilson José da Cruz Silva wilson.cruz@gs1br.org (11) 3068-6249 2 3 O conceito EPC Necessidade básica: Identificar 4 EPC como meio de identificação

Leia mais

Experiência de implementação de soluções RFID e RTLS em função do Inventário e de controlo de stock tanto em armazéns como em lojas

Experiência de implementação de soluções RFID e RTLS em função do Inventário e de controlo de stock tanto em armazéns como em lojas Experiência de implementação de soluções RFID e RTLS em função do Inventário e de controlo de stock tanto em armazéns como em lojas Silvério Paixão l Director de Inovação & Standars l GS1 Portugal 17 e

Leia mais

IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI)

IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) IV. Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) 1. Funcionamento do EDI 2. EDI tradicional X WEB EDI 3. EDI Tradicional 4. WEB EDI Intercâmbio Eletrônico de Dados (EDI) EDI: Electronic Data Interchange Troca

Leia mais

Webinar Pergunte ao especialista.

Webinar Pergunte ao especialista. Webinar Pergunte ao especialista. Código de Barras: Entenda, crie e gerencie a identificação do seu produto. Edson Matos 26/02/2015 Padrões GS1 que serão abordados Webinar Para fazer perguntas coloque:

Leia mais

Guia de apoio à codificação de medicamentos

Guia de apoio à codificação de medicamentos Guia de apoio à codificação de medicamentos Para atender à RDC 54/2013 (Versão 2) Apoio: Introdução... 3 Benefícios esperados... 3 Aplicações... 4 Embalagem secundária:... 4 Identificação: GTIN Codificação:

Leia mais

Obrigatoriedade do código de Barras nos Produtos

Obrigatoriedade do código de Barras nos Produtos Código: PT-130517 Módulo: PRODUTOS Data: 17/05/2013 Revisão: 17/05/2013 Assunto: Obrigatoriedade do código de Barras nos Produtos GTIN - "Global Trade Item Number" Número Global de Item Comercial na Nota

Leia mais

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão

NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão NORMALIZAÇÃO Normas Globais para a Codificação de Produtos 14 de Dezembro 2010 Silvério Paixão The global language of business Construindo pontes entre diversos parceiros da cadeia de distribuição Qual

Leia mais

Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade

Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade Sistema EAN UCC para a Rastreabilidade Marcos Gaspar Carreira Técnico de CAD Um Mundo Um Sistema The Global Language of Business A Linguagem Global dos Negócios GS1 Início de actividade em 1977; Com sede

Leia mais

O Futuro dos Padrões no Setor Varejista e de Bens de Consumo. Roberto Masubayashi Innovation and Strategic Alliances Director

O Futuro dos Padrões no Setor Varejista e de Bens de Consumo. Roberto Masubayashi Innovation and Strategic Alliances Director O Futuro dos Padrões no Setor Varejista e de Bens de Consumo Roberto Masubayashi Innovation and Strategic Alliances Director O começo... Invenção Código de Barras 1949 Código de Barras é inventado por

Leia mais

5 passos para. implementação. do código de barras IDENTIFIQUE CAPTURE COMPARTILHE

5 passos para. implementação. do código de barras IDENTIFIQUE CAPTURE COMPARTILHE 5 passos para implementação do código de barras IDENTIFIQUE CAPTURE COMPARTILHE O que é o código de Barras? Os números de identificação de um produto podem ser representados por meio de um código, possibilitando

Leia mais

Eficiência de Padrões na Cadeia Produtiva do Vinho. Ana Paula Vendramini Maniero

Eficiência de Padrões na Cadeia Produtiva do Vinho. Ana Paula Vendramini Maniero Eficiência de Padrões na Cadeia Produtiva do Vinho Ana Paula Vendramini Maniero A importância de padrões Calçados e tomadas são apenas dois exemplos simples Sem padrões, processos de negócios seriam muito

Leia mais

Rastreabilidade a Prática. Amanda Prado - Itaueira Flávia Ponte - GS1 Brasil

Rastreabilidade a Prática. Amanda Prado - Itaueira Flávia Ponte - GS1 Brasil 1 Rastreabilidade a Prática Amanda Prado - Itaueira Flávia Ponte - GS1 Brasil O que é Rastreabilidade? É a capacidade de recuperação do histórico, da aplicação ou da localização de uma entidade (ou item)

Leia mais

EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML

EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML Tecnologia da Administração O que veremos? EDI Definição, funcionamento Benefícios Categorias de EDI Pontos chaves (EDI/ XML) XML (Extensible Markup Language) HTML e XML Sintaxe Edifact (ONU) EDI For Administration

Leia mais

IBM WebSphere Product Center

IBM WebSphere Product Center Soluções de gerenciamento de informação de produto para dar suporte aos seus objetivos de negócios IBM WebSphere Product Center Oferece uma solução abrangente de gerenciamento de informação de produto

Leia mais

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto The global language of business GS1 EPCglobal/RFID Uma ferramenta logística RASTREABILIDADE INFORMAÇÃO EM TEMPO REAL GS1 EPC

Leia mais

Usos Práticos da Tecnologia RFID em Aplicações de Produção e Distribuição

Usos Práticos da Tecnologia RFID em Aplicações de Produção e Distribuição Whitepaper Usos Práticos da Tecnologia RFID em Aplicações de Produção e Distribuição ÍNDICE A Tecnologia RFID simplifica os Processos de Negócio 2 O que é RFID? 2 Como funciona a Tecnologia RFID 2 Vantagens

Leia mais

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Volume 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO

Volume 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO Volume 8 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE AU TOMAÇÃO Esta edição do Caderno Eficiência descreve as principais funcionalidades, benefícios e características do CADASTRO NACIONAL DE PRODUTOS, nova ferramenta on-line

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Considerações Iniciais

Considerações Iniciais 1. Introdução Este documento tem por objetivo explicar o Portal Nacional do Setor Calçadista para a Otimização Logística. Do portal passamos para o detalhamento do funcionamento do aplicativo cliente disponibilizado

Leia mais

Monkey Business - fotolia.com. GS1 MobileCom Interagindo com os consumidores pelo celular

Monkey Business - fotolia.com. GS1 MobileCom Interagindo com os consumidores pelo celular Monkey Business - fotolia.com GS1 MobileCom Interagindo com os consumidores pelo celular Você está explorando o potencial das comunicações móveis para alcançar consumidores e ampliar seus negócios? Os

Leia mais

+ CONFIABILIDADE + GRANDE RESISTÊNCIA + PLUG & PRINT + PRODUTIVIDADE + FACILIDADE DE USO + OPÇÕES

+ CONFIABILIDADE + GRANDE RESISTÊNCIA + PLUG & PRINT + PRODUTIVIDADE + FACILIDADE DE USO + OPÇÕES + CONFIABILIDADE + GRANDE RESISTÊNCIA + PLUG & PRINT + PRODUTIVIDADE + FACILIDADE DE USO + OPÇÕES As soluções de impressão térmica de código de barras da Printronix mantêm sua operação funcionando sem

Leia mais

RFID. Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID

RFID. Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID RFID Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID RFID A Identificação por Rádiofrequência permite a uma organização capturar, mover e gerenciar informações de e para cada ponto de atividade dentro do negócio

Leia mais

Prof. Daniel J. Melo Brasil

Prof. Daniel J. Melo Brasil CÓDIGO DE BARRAS Objetivos Entender a tecnologia do código de barras Entender os padrões existentes e quais as suas adoções Entender os passos necessários para adoção da tecnologia de código de barras

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS GS1 Portugal entrada em vigor 01/01/2014

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS GS1 Portugal entrada em vigor 01/01/2014 TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS entrada em vigor 01/01/2014 ÍNDICE TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS 01 ADMISSÃO À GS1 PORTUGAL JÓia Quota Anual Condições Comerciais 02 PRODUTOS GS1 PORTUGAL

Leia mais

EDI ELETRONIC DATA INTERCHANGE

EDI ELETRONIC DATA INTERCHANGE EDI ELETRONIC DATA INTERCHANGE Definição Intercâmbio eletrônico de mensagens de negócio através de computadores, entre parceiros comerciais. As informações são, normalmente, organizadas dentro de arquivos

Leia mais

EXPERIÊNCIA QUE GERA CONHECIMENTO. GS1-0027/15_folder_citi_AF.indd 1

EXPERIÊNCIA QUE GERA CONHECIMENTO. GS1-0027/15_folder_citi_AF.indd 1 EXPERIÊNCIA QUE GERA CONHECIMENTO GS1-0027/15_folder_citi_AF.indd 1 Conheça o CIT da GS1 Brasil. Um espaço de experiência para toda a cadeia de suprimentos que vai ampliar sua visão de negócios. O CIT

Leia mais

GS1 EPCglobal: O que necessita saber...

GS1 EPCglobal: O que necessita saber... GS1 EPCglobal: O que necessita saber... GS1 EPCglobal Em 1999, um grupo de produtores e distribuidores identificou o potencial da RFID - Radio Frequency IDentification (Identificação por Rádio Frequência)

Leia mais

RASTREABILIDADE - RDC 59/2009 e IN 01/2010

RASTREABILIDADE - RDC 59/2009 e IN 01/2010 RASTREABILIDADE - RDC 59/2009 e IN 01/2010 Logística Curso Formação de Auditores para a Cadeia Industrial Farmacêutica 2 Sobre o Docente Programação SONJA HELENA MADEIRA MACEDO Graduada em Farmácia-Bioquímica

Leia mais

ANO XXII - 2011-2ª SEMANA DE JUNHO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 24/2011 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - PA

ANO XXII - 2011-2ª SEMANA DE JUNHO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 24/2011 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - PA ANO XXII - 2011-2ª SEMANA DE JUNHO DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 24/2011 ASSUNTOS DIVERSOS SISTEMA EAN - IMPLANTAÇÃO Introdução - Conceitos Básicos - Utilização do Código de Barras no Brasil - Objetivo

Leia mais

Rastreabilidade de medicamentos - dentro e fora do hospital - Nilson Gonçalves Malta

Rastreabilidade de medicamentos - dentro e fora do hospital - Nilson Gonçalves Malta Rastreabilidade de medicamentos - dentro e fora do hospital - Nilson Gonçalves Malta Hospital Israelita Albert Einstein Abril 2015 Requisitos para rastreabilidade Códigos de barras em todos os produtos

Leia mais

FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL

FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL FILIAÇÃO À GS1 PORTUGAL Jóia Admissão à Associação (Direitos e Deveres Estatutários) 150,00 Quota Anual Permanência como Associado e Acesso e Licença de Utilização dos Produtos/Serviços GS1 Volume de negócios

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 5: Certificado Digital e Nota

Leia mais

Seminário GS1 Portugal FIPA

Seminário GS1 Portugal FIPA GS1 - The Global Language of Business Seminário GS1 Portugal FIPA Nuno Miranda 14.06.2012 2 EDI = Electronic Data Interchange - Transferência Electrónica de Documentos EDI é a transferência de MENSAGENS

Leia mais

1) O que é um ISSN? 2) Quem atribui o ISSN? 3) O ISSN é obrigatório? 4) Quais as vantagens de se ter um ISSN? 5) Como os editores brasileiros podem

1) O que é um ISSN? 2) Quem atribui o ISSN? 3) O ISSN é obrigatório? 4) Quais as vantagens de se ter um ISSN? 5) Como os editores brasileiros podem 1) O que é um ISSN? 2) Quem atribui o ISSN? 3) O ISSN é obrigatório? 4) Quais as vantagens de se ter um ISSN? 5) Como os editores brasileiros podem obter um ISSN para suas publicações? 6) Qual o endereço

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO Rosenclever Lopes Gazoni Data MACROPROCESSO [1] AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO/COMERCIAL: Correio eletrônico; vídeo texto; vídeo conferência; teleconferência;

Leia mais

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência RFID RFID - Identificação por Radiofreqüência Sistema de Identificação por Radio Frequência O que é RFID? Objetivo e utilidade similares ao código de barras; Composto por 3 elementos: Uma antena; Um leitor;

Leia mais

Impressão por transferência térmica Linha de produtos DataFlex

Impressão por transferência térmica Linha de produtos DataFlex Confiabilidade ideal, máxima produtividade Impressão por transferência térmica Linha de produtos DataFlex 2 Nossa linha DataFlex de Impressoras por Transferência Térmica oferece alto tempo de operação

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4

Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Brasil Nota Fiscal Eletrônica Volume 4 Nota Fiscal Eletrônica A Nota Fiscal Eletrônica já é uma realidade e uma tecnologia conhecida. Mas o projeto é contínuo, sempre com novidades. Uma delas é a maximização

Leia mais

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos APTRA PASSPORT DA NCR Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos Uma maneira melhor para os seus clientes depositarem cheques Bancos e instituições financeiras continuam a enfrentar os desafios

Leia mais

White Paper. Como os sistemas portáteis de identificação por radiofrequência (RFID) melhoram as operações e o retorno sobre o investimento (ROI)

White Paper. Como os sistemas portáteis de identificação por radiofrequência (RFID) melhoram as operações e o retorno sobre o investimento (ROI) White Paper Como os sistemas portáteis de identificação por radiofrequência (RFID) melhoram as operações e o retorno sobre o investimento (ROI) Escalabilidade inerente elimina o custo incremental Introdução

Leia mais

O desafio: A vantagem da Videojet:

O desafio: A vantagem da Videojet: Nota de aplicação Tinta Tintas coloridas para embalagens de ponto de venda O desafio: O ambiente de varejo é um mercado em constante evolução, com maior ênfase na embalagem, que não só protege os produtos

Leia mais

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos GS1 Brasil Rio Janeiro Rastreabilida e Autenticida Medicamentos XV ENCONTRO TÉCNICO E XI ENCONTRO EMPRESARIAL Wilson Cruz - 2010 GS1: trabalhando em colaboração com as empresas GS1 trabalha em colaboração

Leia mais

Agenda. Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005. A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos

Agenda. Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005. A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos Simpósio Internacional EPC e GDSN 2005 A Importância da Padronização Para a Cadeia de Suprimentos Sergio Ribinik CEO GS1 BRASIL MEMBRO DO ADVISORY COUNCIL DA GS1 E DO BOARD OF GOVERNORS DO EPC GLOBAL Agenda

Leia mais

O Futuro dos Padrões no Setor Varejista de Bens de Consumo

O Futuro dos Padrões no Setor Varejista de Bens de Consumo Tema: Apresentador: O Futuro dos Padrões no Setor Varejista de Bens de Consumo Roberto Matsubayashi Diretor de Inovação e Alianças Estratégicas GS1 BRASIL e-mail: roberto.matsubayashi@gs1br.org Impacto

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Logistica e Distribuição. Responsabilidades. O Fluxo do Processamento do Pedido. Mas quais são as atividades da Logística?

Logistica e Distribuição. Responsabilidades. O Fluxo do Processamento do Pedido. Mas quais são as atividades da Logística? Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição A Atividade de Processamento de Pedidos e Aquisição/Programação de Produtos Primárias Apoio 1 2 Responsabilidades O Fluxo

Leia mais

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho

SOBRE A SOFTLOG. APRESENTAÇÃO - SoftLog LOGuinho SOBRE A SOFTLOG A SoftLog Tecnologia é uma empresa especializada no desenvolvimento de soluções tecnológicas para empresas e instituições de diversos modais de transporte. Dentre os diversos tipos de soluções

Leia mais

YET - Your Electronic Transactions. Soluções globais de transações eletrónicas

YET - Your Electronic Transactions. Soluções globais de transações eletrónicas YET - Your Electronic Transactions Soluções globais de transações eletrónicas Conhecimento e experiência na desmaterialização de processos A YET Your Electronic Transactions é uma empresa especializada

Leia mais

ÍNDICE. Identificadores-Chave & Dados Adicionais. Normas Globais para Identificação Automática. Normas Globais para Mensagens Electrónicas Comerciais

ÍNDICE. Identificadores-Chave & Dados Adicionais. Normas Globais para Identificação Automática. Normas Globais para Mensagens Electrónicas Comerciais SISTEMA DE NORMAS DA GS1 A Linguagem Global dos Negócios ÍNDICE ÁREA CORPORATIVA: A Organização Internacional A Arquitectura do Sistema de Normas Globais GS1 A Arquitectura do Sistema GS1 em Portugal GS1

Leia mais

ESTE DOCUMENTO APRESENTA UMA VISÃO GERAL SOBRE A SOLUÇÃO NFC-e DA NDD

ESTE DOCUMENTO APRESENTA UMA VISÃO GERAL SOBRE A SOLUÇÃO NFC-e DA NDD NFC-e ESTE DOCUMENTO APRESENTA UMA VISÃO GERAL SOBRE A SOLUÇÃO NFC-e DA NDD NECESSIDADE PERCEBIDA As empresas possuem a necessidade de adequação quanto ao projeto de nível nacional, o qual tem o objetivo

Leia mais

O que é RFID? Fernando Xavier Maio/2007

O que é RFID? Fernando Xavier Maio/2007 Fernando Xavier Maio/2007 Agenda :: Contexto :: RFID :: Elementos :: Funcionamento :: Benefícios :: Barreiras :: Mercado :: Usos :: Questões :: Segurança :: Mitos Contexto :: Dificuldade na identificação

Leia mais

Vinho, Destilados e Cerveja Soluções para Cadeias de Suprimentos de Distribuidores Atacadistas

Vinho, Destilados e Cerveja Soluções para Cadeias de Suprimentos de Distribuidores Atacadistas Vinho, Destilados e Cerveja Soluções para Cadeias de Suprimentos de Distribuidores Atacadistas Apprise.com/br Entendemos o seu negócio Conhecemos os desafios únicos que enfrentam os distribuidores atacadistas

Leia mais

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial.

A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial. O QUE É A NOTA FISCAL ELETRÔNICA - NF-E? Podemos conceituar a Nota Fiscal Eletrônica como sendo um documento de existência apenas digital, emitido e armazenado eletronicamente, com o intuito de documentar,

Leia mais

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO Sistema de rádio bidirecional digital profissional A solução de comunicação em rádios bidirecionais de próxima geração está aqui, com melhor desempenho, produtividade e preço e mais oportunidades para

Leia mais

SISTEMA DE RASTREABILIDADE BOVINA

SISTEMA DE RASTREABILIDADE BOVINA SISTEMA DE RASTREABILIDADE BOVINA Ricardo Toshio Yugue EAN BRASIL Grupo de Trabalho para Automação, Rastreabilidade e Padronização Comercial da Carne Bovina 24 SUMÁRIO presente projeto tem por objetivo

Leia mais

Tecnologia Aplicada à Logística

Tecnologia Aplicada à Logística Tecnologia Aplicada à Logística Movimentação e TI Alunos: Keriton Leandro Fernando TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA LOGÍSTICA Definição de Informação na Logística É um elemento de grande importância nas operações

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação José Celso Freire Junior Engenheiro Eletricista (UFRJ) Mestre em Sistemas Digitais (USP) Doutor em Engenharia de Software (Universit(

Leia mais

RASTREAMENTO DE MEDICAMENTOS

RASTREAMENTO DE MEDICAMENTOS RASTREAMENTO DE MEDICAMENTOS COORDENAÇÃO DO GRUPO DE TRABALHO PORTARIAS Nº 255/2011 E Nº 535/2011 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO 40ª Reunião Ordinária do Conselho Consultivo Anvisa Brasília, 13 de junho de 2013

Leia mais

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte

Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte IBM Global Technology Services Manutenção e suporte técnico Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável de Suporte Uma abordagem inovadora em suporte técnico 2 Crescendo e Inovando com um Parceiro Confiável

Leia mais

Eficiência na manutenção de dados mestres referentes a clientes, fornecedores, materiais e preços

Eficiência na manutenção de dados mestres referentes a clientes, fornecedores, materiais e preços da solução SAP SAP ERP SAP Data Maintenance for ERP by Vistex Objetivos Eficiência na manutenção de dados mestres referentes a clientes, fornecedores, materiais e preços Entregar a manutenção de dados

Leia mais

Prof. Daniel J. Melo Brasil

Prof. Daniel J. Melo Brasil EDI Definição EDI é um acrônimo para Intercâmbio Eletrônico de Dados EDI refere-se a troca de estruturada de dados entre as organizações por meio eletrônico. EDI pode ser utilizado para a comunicação de

Leia mais

Reduza o custo das caixas e simplifique os processos de produção de laticínios

Reduza o custo das caixas e simplifique os processos de produção de laticínios Nota técnica Reduza o custo das caixas e simplifique os processos de produção de laticínios Com a impressão sob demanda, é possível reduzir a complexidade de SKUs e aumentar a eficiência operacional Simplifique

Leia mais

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DE MÃO DE OBRA MÓVEL DA MOTOROLA UMA ESTRUTURA IDEAL PARA GERENCIAMENTO DE TAREFAS AUTOMATIZADO E INTELIGENTE EM TEMPO REAL

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DE MÃO DE OBRA MÓVEL DA MOTOROLA UMA ESTRUTURA IDEAL PARA GERENCIAMENTO DE TAREFAS AUTOMATIZADO E INTELIGENTE EM TEMPO REAL SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DE MÃO DE OBRA MÓVEL DA MOTOROLA UMA ESTRUTURA IDEAL PARA GERENCIAMENTO DE TAREFAS AUTOMATIZADO E INTELIGENTE EM TEMPO REAL MANTENHA SUA MÃO DE OBRA, UM DOS CUSTOS MAIS ONEROSOS

Leia mais

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta DIMETRA IP Compact uma solução TETRA completa e compacta MOTOROLA - SEU PARCEIRO DE TECNOLOGIA CONFIÁVEL E ATUANTE Uma herança que dá orgulho As soluções TETRA da Motorola alavancam mais de 75 anos de

Leia mais

Rastreabilidade e Autenticidade de. Ricardo Yugue

Rastreabilidade e Autenticidade de. Ricardo Yugue Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos Ricardo Yugue O Conceito de Rastreabilidade Rastreabilidade éa capacidade de recuperação do histórico, da aplicação ou da localização de uma entidade (ou

Leia mais

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos O gerenciamento de informações é crucial para o sucesso de qualquer organização.

Leia mais

Gestão do Conteúdo. 1. Introdução

Gestão do Conteúdo. 1. Introdução Gestão do Conteúdo 1. Introdução Ser capaz de fornecer informações a qualquer momento, lugar ou através de qualquer método e ser capaz de fazê-lo de uma forma econômica e rápida está se tornando uma exigência

Leia mais

Sistemas de Processamento de Transações. Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br

Sistemas de Processamento de Transações. Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Sistemas de Processamento de Transações Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Evolução dos sistemas de informação Os dispositivos de computação passaram dos tubos a vácuo, nos anos 50

Leia mais

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas:

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas: e-ppcp / e-kanban 1 O que é e-ppcp? O e-ppcp é um aplicativo desenvolvido em ABAP/4 pela IntegrationSys para adicionar ao ERP SAP funcionalidades para suportar efetivamente o planejamento e operação de

Leia mais

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação.

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. SoftExpert PLM Suite é uma solução que oferece os requisitos e as habilidades necessárias que as empresas precisam para gerenciar com êxito

Leia mais

Documentação do produto SAP Business ByDesign, agosto 2015. Sourcing

Documentação do produto SAP Business ByDesign, agosto 2015. Sourcing Documentação do produto PUBLIC Sourcing Índice 1 Sourcing.... 5 2 Fundamentos... 7 2.1 Gerenciamento do relacionamento com fornecedores... 7 2.2 Automação do gerenciamento do relacionamento com fornecedores...

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável.

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável. WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA Eficiente. Flexível. Confiável. Automação SSI Schaefer: Pensamento Global Ação Local Liderança de mercado A SSI SCHAEFER é uma empresa mundialmente conhecida quando se trata

Leia mais

Brasil. Pensou em código de barras. Pensou GS1 Brasil. Manual do Usuário do Sistema GS1

Brasil. Pensou em código de barras. Pensou GS1 Brasil. Manual do Usuário do Sistema GS1 Brasil Pensou em código de barras. Pensou GS1 Brasil. Manual do Usuário do Sistema GS1 Manual do Usuário do Sistema GS1 Passo a Passo para a Aplicação dos Códigos de Barras EAN/UPC Pode-se dividir a aplicação

Leia mais

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes?

Comércio eletrônico 05/05/15. Objetivos de estudo. Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as aplicações mais importantes? Escola Superior de Gestão e Tecnologia Comércio eletrônico Mercados digitais, mercadorias digitais Prof. Marcelo Mar3ns da Silva Objetivos de estudo Qual o papel do e- commerce nos negócios e quais as

Leia mais

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT

IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT IDC TECHNOLOGY SPOTLIGHT A importância da inovação em fornecedores de sistemas, serviços e soluções para criar ofertas holísticas Julho de 2014 Adaptado de Suporte a ambientes de datacenter: aplicando

Leia mais

Acelere o valor da computação em nuvem com a IBM

Acelere o valor da computação em nuvem com a IBM Acelere o valor da computação em nuvem com a IBM Obtenha soluções em nuvem comprovadas para as suas prioridades mais urgentes Destaques da solução Saiba sobre os benefícios mais comuns de implementações

Leia mais

Jato de tinta contínuo Impressoras Série 1000

Jato de tinta contínuo Impressoras Série 1000 arcação e codificação inteligente produtividade simplificada Jato de tinta contínuo Impressoras Série 1000 Série Videojet 1000 elhorando a produtividade com tecnologia de última geração. As impressoras

Leia mais

Distinga-se pelo conhecimento

Distinga-se pelo conhecimento 2012 Distinga-se pelo conhecimento Índice Clique na Informação que deseja consultar Calendário de Formação GS1 Porquê Formação no Sistema GS1? Modelos de Formação Competências Informação Práticas 02 03

Leia mais

Eficiência, traceabilidade e segurança na cadeia de valor com standards da GS1

Eficiência, traceabilidade e segurança na cadeia de valor com standards da GS1 Eficiência, traceabilidade e segurança na cadeia de valor com standards da GS1 4º Congresso Internacional dos Hospitais Silvério Paixão, GS1 Portugal APDH, 7 Novembro 2012 Agenda Quem Somos Quem Somos

Leia mais

Conhecendo o Código de Barras Volume 1

Conhecendo o Código de Barras Volume 1 Conhecendo o Código de Barras Volume 1 Conhecendo o Código de Barras O material Conhecendo o Código de Barras tem como objetivo integrar a sua empresa, de forma ainda mais eficiente, à cadeia de suprimentos.

Leia mais

Maior integração Melhor visibilidade Melhores resultados

Maior integração Melhor visibilidade Melhores resultados Maior integração Melhor visibilidade Melhores resultados Apprise.com/br Escolhemos o Apprise ERP pelos seus resultados demonstrados na produtividade e na eficiência e por proporcionar-nos uma melhor visibilidade

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 6 Projeto de Sistema Biométrico 1. Definição de Metas A primeira etapa no projeto

Leia mais

Logística Empresarial

Logística Empresarial Logística Empresarial Aula 05 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais