Ano CXLVII Nº 43 Brasília DF, sexta-feira, 5 de março de 2010

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ano CXLVII Nº 43 Brasília DF, sexta-feira, 5 de março de 2010"

Transcrição

1 Subscrtaria d Planjamnto Orçamnto Ano CXLVII Nº 43 Brasília DF, sxta-fira, 5 d março d 2010 Obs.: As matérias slcionadas stão marcadas m amarlo. Contúdo: SEÇÃO 1 Portaria Intrministrial Portaria Intrministrial Portaria Portaria Portaria SEÇÃO 2 Sm matéria rlvant SEÇÃO 3 Sm matéria rlvant

2 52 ISSN Nº 43, sxta-fira, 5 d março d 2010 Procsso Nº / Angla Edwina Obongo, até 11/03/2010 Procsso Nº / Roxana Mamani Anccasi, até 16/04/2010 Procsso Nº / Carlos Jos Salgado, até 01/02/2011 Procsso Nº / Frnando Sbastian Baldi Ry, até 04/12/2010 Procsso Nº / Blanca Nidia Aquino Sanchz, até 19/01/2011 Procsso Nº / Dania Dsir Cond Coronado, até 08/01/2011 Procsso Nº / Jack Robrto Silva Fhon, até 04/02/2011 Procsso Nº / Jos Javir Msa Socha, até 28/02/2011 MARIA ROSA VILAS BOAS DE ALMEIDA p/dlgação d Comptência RETIFICAÇÕES No Diário Oficial da União d 17/06/2009, Sção 1, pág. 28, Ond s lê: Dfiro o prsnt pdido d transformação d rsidência tmporária m prmannt nos trmos do Acordo Brasil Uruguai, por troca d Notas, Para a Implmntação ntr si do Acordo Sobr Rsidência para Nacionais dos Estados Parts do Mrcosul. Procsso Nº: / Justo Paulino Vlazquz Lia-s: Dfiro o prsnt pdido d transformação d rsidência tmporária m prmannt nos trmos do Acordo Brasil Uruguai, por troca d Notas, Para a Implmntação ntr si do Acordo Sobr Rsidência para Nacionais dos Estados Parts do Mrcosul. Procsso Nº: / Justo Paulino Sosa V l a z q u z No Diário Oficial da União d 03/11/2009, Sção 1, pág. 55, ond s lê: Fac ás diligências procdidas plo Dpartamnto d Polícia Fdral, DEFIRO o prsnt pdido d prmanência, vz qu rstou provado qu o (a) strangiro (a) stá casado d fato d dirito com cônjug brasiliro (a), salintando, todavia, qu o ato prsistirá nquanto for dtntor da condição qu lh du origm. Procsso Nº / Cristina Zaza d Almida Campos Lia-s: Fac ás diligências procdidas plo Dpartamnto d Polícia Fdral, DEFIRO o prsnt pdido d prmanência, vz qu rstou provado qu o (a) strangiro (a) stá casado d fato d dirito com cônjug brasiliro (a), salintando, todavia, qu o ato prsistirá nquanto for dtntor da condição qu lh du origm. Procsso Nº / Cristina Zaza d Almida Campos Christian Eduardo Escurra Zarza DEPARTAMENTO DE JUSTIÇA, CLASSIFICAÇÃO, TÍTULOS E QUALIFICAÇÃO DESPACHO DO DIRETOR Em 3 d março d 2010 O Dirtor, no uso d suas atribuiçõs, tndo m vista o disposto nos artigos 21, Inciso XVI, 220, parágrafo 3º, Inciso I, da Constituição Fdral artigo 74 da Li 8.069, d 13 d julho d 1990, com bas na Portaria SNJ nº 08, d 06 d julho d 2006, publicada no DOU d 07 d julho d 2006, aprovando o Manual da Nova Classificação Indicativa, na Portaria MJ nº 1.100, d 14 d julho d 2006, publicada no DOU d 20 d julho d 2006 na Portaria nº d 11 d Julho d 2007, publicada no DOU d 13 d julho d 2007, rsolv: Procsso MJ nº: / Programa: "PROGRAMA DO GUGU" Rqurnt: Rádio Tlvisão Rcord S/A. (SET - Srviços Emprsariais Ltda. - EPP) Tma: Rlacionamnto Classificação Prtndida: Livr. CONSIDERANDO qu a Rd Rcord solicitou m 22 d julho d 2009 a autoclassificação do "PROGRAMA DO GUGU" como "Livr para todos os públicos". CONSIDERANDO qu o rfrido programa strou m 30 d agosto d 2009 foi instaurado o monitoramnto rgular da obra audiovisual. CONSIDERANDO qu problmas técnicos dificultaram a anális d alguns dos programas não foi possívl tomar a dcisão dntro do prazo rgular d sssnta dias dfinido no artigo 9º da Portaria MJ 1220/07. CONSIDERANDO qu, m 6 d janiro d 2010, a missora foi advrtida qu o programa podria tr indfrido sua autoclassificação, por um dos quadros do programa ritradamnt aprsntar linguagm d contúdo sxual xposição d pssoas (m spcial, mulhrs) m situaçõs constrangdoras ou dgradants. CONSIDERANDO qu, após a advrtência, o programa aprsntou, além do rfrido quadro, outros contúdos igualmnt incompatívis com a classificação prtndida. RESOLVO indfrir a autoclassificação classificar o "PROGRAMA DO GUGU" como "não rcomndado para mnors d 12 anos" por contr linguagm d contúdo sxual, lsão corporal nudz. Em vista do princípio da razoabilidad, concdo prazo d dz dias para a missora adquar-s à prsnt dtrminação. DAVI ULISSES BRASIL SIMÕES PIRES plo código Ministério da Prvidência Social GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 110, DE 4 DE MARÇO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso das atribuiçõs qu lh confr o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição tndo m vista o disposto no 2º do art. 25 da Portaria nº 6.209, d 16 d dzmbro d 1999, rsolv: Art. 1º Establcr qu, para o mês d fvriro d 2010, o valor médio da rnda mnsal do total d bnfícios pagos plo Instituto Nacional do Sguro Social - INSS é d R$ 684,66 (siscntos oitnta quatro rais sssnta sis cntavos). Art. 2º O INSS a Emprsa d Tcnologia Informaçõs da Prvidência Social - DATAPREV adotarão as providências ncssárias ao cumprimnto do disposto nsta Portaria. Art. 3º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. JOSÉ BARROSO PIMENTEL CONSELHO NACIONAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO Nº 1.314, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2009 O Plnário do Conslho Nacional d Prvidência Social, m sua 161ª Runião Ordinária, ralizada m 15 d Dzmbro d 2009, no uso das atribuiçõs qu lh são confridas pla Li nº 8.213, d 24 d julho d 1991, rsolvu: Art. 1º Rcpcionar o Rlatório Final do Grupo d Trabalho constituído pla Portaria nº 166, d 29 d maio d 2008, para avaliar, quantificar qualificar o grau d cobrtura prvidnciária xistnt propor mdidas para atndr a mta d xpansão da cobrtura prvidnciária assumida plo país na Agnda Hmisférica do Trabalho Dcnt nas Américas proposta pla Organização Intrnacional do Trabalho - OIT rcomndar ao Ministério da Prvidência Social - MPS qu publiqu o rlatório no su sítio da rd mundial d computadors aprofund studos dbats visando o amadurcimnto das propostas. Art. 2º Esta rsolução ntra m vigor na data d sua publicação. JOSÉ BARROSO PIMENTEL Prsidnt do Conslho CONSELHO DE RECURSOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL PROVIMENTO N o - 133, DE 2 DE MARÇO DE 2010 Transfr procssos da 4ª Junta d Rcursos localizada na Bahia, para a 6ª Junta d Rcursos localizada m Goiás. O PRESIDENTE DO CONSELHO DE RECURSOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - CRPS, no uso das atribuiçõs qu lhs são confridas plo art. 11, incisos I XVII do Rgimnto Intrno aprovado pla Portaria MPS/GM nº 323, d 27 d agosto d 2007; Considrando a ncssidad d adquar o quantitativo d procssos m tramitação no âmbito do Conslho d Rcursos; Considrando o grand volum d rcursos intrpostos plos sgurados bnficiários nos procssos administrativos d bnfícios instaurados no Estado da Bahia; Considrando os ntndimntos mantidos com os dirignts da Coordnação Gral d Logística do INSS, rsolv: Art. 1º - Rdistribuir (dois mil) procssos d bnfícios xistnts na 4ª Junta d Rcursos da Bahia, instalada na cidad d Salvador, para a 6ª Junta d Rcursos d Goiás, instalada m Goiânia. Art. 2º - Os mbargos ou pdidos d sclarcimntos formulados plas parts srão xaminados plo Órgão Julgador qu profriu a dcisão. Art. 3º - A 6ª Junta d Rcursos d Goiás, após o julgamnto, dvolvrá os procssos dirtamnt às unidads d origm, por mio do Srviço d Protocolo do INSS, nos trmos do art. 72 da Portaria/MPS/GM/ nº 323, d 27 d agosto d Art. 4º - O Chf da Divisão d Assuntos Administrativos, os Prsidnts Chfs d Scrtarias das rspctivas Unidads adotarão as providências ncssárias para ftivação dsta mdida. Art. 5º - A Coordnação d Gstão Técnica a Divisão d Assuntos Administrativos do CRPS acompanharão as providências rcomndadas nst Provimnto. Art. 6º - Est provimnto ntra m vigor na data d sua publicação. SALVADOR MARCIANO PINTO Prsidnt do Conslho. Ministério da Saúd GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 421, DE 3 DE MARÇO DE 2010 Institui o Programa d Educação plo Trabalho para a Saúd (PET Saúd) dá outras providências. OS MINISTROS DE ESTADO DA SAÚDE E DA EDU- CAÇÃO, no uso das atribuiçõs qu lhs confr o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, Considrando a Li nº 8.080, d 19 d stmbro d 1990 (Li Orgânica da Saúd), qu dfin ntr as atribuiçõs da União, sua participação na formulação na xcução da política d formação dsnvolvimnto d rcursos humanos para a saúd; Considrando a rsponsabilidad constitucional d incrmntar o dsnvolvimnto cintífico tcnológico d ordnação da formação d rcursos humanos para a ára da saúd, nos trmos do disposto no Dcrto d 20 d junho d 2007, qu institui a Comissão Intrministrial d Gstão do Trabalho da Educação na Saúd; Considrando o disposto nos arts. 15 a 18 da Li nº , d 30 d junho d 2005, qu institui autoriza o Programa d Bolsas para a Educação plo Trabalho; Considrando a xpriência acumulada no Programa d Educação Tutorial (PET), instituído pla Li nº , d 23 d stmbro d 2005, no âmbito do Ministério da Educação; Considrando o Trmo d Coopração Assistência Técnica, firmado m 29 d maio d 2008 ntr os Ministérios da Saúd da Educação, com o objtivo d dsnvolvr açõs d capacitação d rcursos humanos da ára da saúd, rsolvm: Art. 1º Instituir, no âmbito dos Ministérios da Saúd da Educação, o Programa d Educação plo Trabalho para a Saúd (PET Saúd), dstinado a fomntar grupos d aprndizagm tutorial m áras stratégicas para o Sistma Único d Saúd (SUS). Art. 2º O PET Saúd tm como prssuposto a ducação plo trabalho, caractrizando-s como instrumnto para qualificação m srviço dos profissionais da saúd, bm como d iniciação ao trabalho, dirigidos aos studants dos cursos d graduação d pósgraduação na ára da saúd, d acordo com as ncssidads do SUS, tndo m prspctiva a insrção das ncssidads dos srviços como font d produção d conhcimnto psquisa nas instituiçõs d nsino. Art. 3º Conform as ncssidads spcificidads d açõs das Scrtarias /ou órgãos do Ministério da Saúd (MS), podrão sr lançados Editais Tmáticos no âmbito do PET Saúd. Parágrafo único. As adquaçõs ncssárias aos Editais Tmáticos srão stablcidas por portarias assinadas plos Scrtários ou dirignts dos órgãos corrspondnts, mantndo-s, m qualqur caso, a ncssidad da assinatura dos Scrtários da Scrtaria d Educação Suprior (SESu/MEC) da Scrtaria d Gstão do Trabalho da Educação na Saúd (SGTES/MS). Art. 4º São objtivos do PET Saúd: I - possibilitar qu o Ministério da Saúd cumpra su papl constitucional d ordnador da formação d profissionais d saúd por mio da indução do apoio ao dsnvolvimnto dos procssos formativos ncssários m todo o País, d acordo com caractrísticas sociais rgionais; II - stimular a formação d profissionais docnts d lvada qualificação técnica, cintífica, tcnológica acadêmica, bm como a atuação profissional pautada plo spírito crítico, pla cidadania pla função social da ducação suprior, orintados plo princípio da indissociabilidad ntr nsino, psquisa xtnsão, prconizado plo Ministério da Educação; III - dsnvolvr atividads acadêmicas m padrõs d qualidad d xclência, mdiant grupos d aprndizagm tutorial d naturza coltiva intrdisciplinar; IV - contribuir para a implmntação das Dirtrizs Curriculars Nacionais dos cursos d graduação da ára da saúd; V - contribuir para a formação d profissionais d saúd com prfil adquado às ncssidads às políticas d saúd do País; VI - snsibilizar prparar profissionais d saúd para o adquado nfrntamnto das difrnts ralidads d vida d saúd da população brasilira; VII - induzir o provimnto favorcr a fixação d profissionais d saúd capazs d promovr a qualificação da atnção à saúd m todo o trritório nacional; VIII - fomntar a articulação nsino-srviço-comunidad na ára da saúd. Art. 5º O PET-Saúd ofrcrá bolsas nas sguints modalidads: I - iniciação ao trabalho, dstinada a studants rgularmnt matriculados m Instituiçõs d Educação Suprior (IES) intgrants do PET Saúd, com o objtivo d dsnvolvr vivências produzir conhcimnto rlvant m áras prioritárias na produção da saúd; II - tutoria acadêmica, dstinada a profssors das IES intgrants do PET Saúd qu orintm as vivências m srviço produzam ou orintm a produção d conhcimnto rlvant na ára da saúd;

3 Nº 43, sxta-fira, 5 d março d ISSN III - prcptoria, dstinada a profissionais prtncnts aos srviços d saúd qu ralizm orintação m srviço a studants participants do Programa. Parágrafo único. Podrão participar do PET Saúd, nas modalidads dscritas nos incisos I II do artigo 6º, os studants profssors d IES públicas ou privadas sm fins lucrativos, conform o qu s sgu: I - Instituiçõs d Educação Suprior - IES públicas; II - IES privadas sm fins lucrativos, qu dsnvolvam atividad curricular m srviços d saúd, atstada plo rspctivo gstor municipal, stadual ou fdral ao qual s vincular o srviço. Art. 6º O valor rpassado rfrnt às bolsas dvrá sr dstinado àquls qu xrcm funçõs d prcptoria, tutoria acadêmica monitoria studantil, conform as sguints dtrminaçõs: I - tutoria: função d suprvisão docnt-assistncial, xrcida m campo, dirigida aos profissionais da saúd com vínculo univrsitário, qu xrçam papl d orintadors d rfrência para os profissionais /ou studants da ára da saúd; II - prcptoria: função d suprvisão por ára spcífica d atuação ou d spcialidad profissional, dirigida aos profissionais d saúd; III - monitoria studantil: dsnvolvimnto d vivências m srviço atividads d psquisa, sob orintação do tutor do prcptor, visando à produção à dissminação d conhcimnto rlvant na ára da saúd às atividads d iniciação ao trabalho. 1º A monitoria constitui-s m função facilitadora da comunicação docnt/discnt na graduação pós-graduação. 2º São atribuiçõs do aluno bolsista: I - participar d todas as atividads programadas plo profssor tutor prcptor; II - participar, durant sua prmanência no PET Saúd, d atividads d nsino, psquisa xtnsão; III - mantr bom rndimnto scolar; IV - publicar ou aprsntar trabalhos acadêmicos m vntos d naturza cintífica, individualmnt ou m grupo, fazndo rfrência à sua condição d bolsista do PET Saúd nas publicaçõs trabalhos aprsntados; V - cumprir as xigências stablcidas no Projto PET Saúd aprovado plos Ministérios da Saúd da Educação. Art. 7º Os projtos dvrão sguir ditais a srm laborados m conformidad com sta Portaria. 1º Os valors rfrnts às modalidads d bolsas srão stablcidos nos ditais. 2º Os projtos dvrão sr assinados plos gstors d saúd plos rprsntants da IES dpndrão da aprovação técnica dos Ministérios da Saúd da Educação. 3º Os critérios d inclusão os rquisitos mínimos para a slção dos profissionais da saúd qu rcbrão o incntivo da prcptoria dos tutors acadêmicos qu farão part dos projtos dvm sr dfinidos d manira conjunta ntr os gstors d saúd as instituiçõs d nsino. Art. 8º Compt ao Ministério da Saúd a rsponsabilidad técnico-administrativa pla xcução do PETSaúd. Art. 9º Os rcursos financiros para a xcução dst Programa srão provnints do orçamnto do Ministério da Saúd. Art. 10. Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. Art. 11. Fica rvogada a Portaria Intrministrial nº 1.802/MS/MEC, d 26 d agosto d 2008, publicada no Diário Oficial da União nº 165, d 27 d agosto d 2008, sção 1, página 27. Ministros d Estado da Saúd FERNANDO HADDAD Ministros d Estado da Educação PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 422, DE 3 DE MARÇO DE 2010 Establc orintaçõs dirtrizs técnicoadministrativas para a xcução do Programa d Educação plo Trabalho para a Saúd - PET Saúd, instituído no âmbito do Ministério da Saúd do Ministério da Educação. OS MINISTROS DE ESTADO DA SAÚDE E DA EDU- CAÇÃO, no uso das atribuiçõs qu lhs confr o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, Considrando o disposto nos arts. 15 a 18 da Li nº , d 30 d junho d 2005, qu institui o Programa d Bolsas para a Educação plo Trabalho; Considrando a Li nº , d 23 d stmbro d 2005, qu institui o Programa d Educação Tutorial; Considrando a Portaria Intrministrial nº 421/MS/MEC, 3 d d março d 2010, qu stablc rgras grais para o Programa d Educação plo Trabalho para a Saúd (PET-Saúd), rsolvm: Art. 1º Establcr orintaçõs dirtrizs técnico-administrativas para a xcução do Programa d Educação plo Trabalho para a Saúd (PET Saúd), instituído no âmbito do Ministério da Saúd do Ministério da Educação, nos trmos dsta Portaria. plo código Art. 2º Fica instituído o Sistma d Informaçõs Grnciais do Programa d Educação plo Trabalho para a Saúd (SIG-PET Saúd). Parágrafo único. A organização o funcionamnto do Sistma d qu trata o caput dst artigo srão postriormnt rgulamntados plo Ministério da Saúd. CAPÍTULO I DO PROGRAMA E DOS PARTICIPANTES Art. 3º São intgrants do PET Saúd: I - o Ministério da Saúd, por intrmédio d sus órgãos /ou Scrtarias; II - o Ministério da Educação, por intrmédio da Scrtaria d Educação Suprior (SESU); III - as Instituiçõs d Educação Suprior (IES), slcionadas por mio d ditais próprios; IV - as Scrtarias d Saúd; V - os grupos PET Saúd. Parágrafo único. Conform o stablcido plo art. 5º da Portaria Intrministrial nº 421/MS/MEC, d 3 d março d 2010, os grupos PET Saúd são compostos por tutors, prcptors studants d graduação da ára da saúd, com a finalidad d fomntar a formação d grupos d aprndizagm tutorial m áras stratégicas para o Sistma Único d Saúd (SUS). CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO E DAS ATRIBUIÇÕES DOS PAR- T I C I PA N T E S Art. 4º O PET Saúd srá implmntado xcutado sob a coordnação da Scrtaria d Gstão do Trabalho da Educação na Saúd (SGTES), do Ministério da Saúd, por mio do Dpartamnto d Gstão da Educação na Saúd (DEGES). Art. 5º As atribuiçõs técnico-administrativas a srm dsmpnhadas plos Ministérios da Saúd da Educação no âmbito do Programa comprndm: I - aprciação d propostas, critérios, prioridads procdimntos para a xtinção criação d novos grupos PET Saúd; II - proposição d critérios, prioridads procdimntos stablcidos pla Comissão d Avaliação; III - formulação d propostas rfrnts ao funcionamnto à avaliação do PET Saúd; IV - proposição d critérios procdimntos para o acompanhamnto a avaliação do PET Saúd; V - proposição d studos programação para o aprimoramnto das atividads do PET Saúd; VI - manifstação sobr assuntos qu lh sjam submtidos plo DEGES/SGTES/MS. Parágrafo único. O apoio o suport técnico ao Sistma d Informaçõs Grnciais (SIG-PET Saúd) comptm ao DEGES/SG- TES/MS. Art. 6º Compt ao Fundo Nacional d Saúd procssar o pagamnto mnsal das bolsas PET Saúd autorizadas plo DE- GES/SGTES/MS. Art. 7º Compt às Instituiçõs d Educação Suprior (IES): I - slcionar os tutors acadêmicos studants participants; II - mantr atualizados os dados pssoais acadêmicos dos tutors studants bolsistas não-bolsistas participants do Programa, no Ministério da Saúd no SIG-PET Saúd, por mio do coordnador dos projtos slcionados. Art. 8º Compt às Scrtarias d Saúd: I - slcionar indicar noms dos prcptors bolsistas; II - mantr atualizados os dados pssoais dos prcptors bolsistas participants do Programa, no Ministério da Saúd no SIG-PET Saúd, por mio do coordnador dos projtos slcionados. Art. 9º A Comissão d Avaliação do PET Saúd é composta por: I - dois rprsntants do Dpartamnto d Gstão da Educação na Saúd (SGTES/MS); II - um rprsntant d cada órgão ou Scrtaria do Ministério da Saúd, vinculado à ára stratégica do SUS, rlacionada ao PET Saúd/Tmático instituído; III - um rprsntant da Scrtaria d Educação Suprior; IV - um rprsntant do Conslho Nacional d Scrtários d Saúd; V - um rprsntant do Conslho Nacional d Scrtários Municipais d Saúd. Art. 10. As avaliaçõs srão ralizadas anualmnt pla Comissão d Avaliação, à qual compt: I - avaliar o dsmpnho dos grupos PET Saúd; II - mitir parcr sobr a xpansão a xtinção d grupos; III - laborar rlatórios d naturza gral ou spcífica. Art. 11. Fica rvogada a Portaria Intrministrial nº 917/MS/MEC, d 6 d maio d 2009, publicada no Diário Oficial da União nº 85, d 7 d maio d 2009, sção 1, página 64 Ministros d Estado da Saúd FERNANDO HADDAD Ministros d Estado da Educação PORTARIA Nº 452 DE 4 DE MARÇO DE 2010 Institui no âmbito do Ministério da Saúd a Comissão Prmannt d Tlssaúd. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso da atribuição qu lh confr o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, rsolv: Art. 1º Instituir no âmbito do Ministério da Saúd a Comissão Prmannt d Tlssaúd, com as sguints atribuiçõs: I - assssoramnto d projtos m Tlssaúd m andamnto no Ministério da Saúd; II - laboração d proposta para stablcr padrõs d intrcâmbio d informaçõs, avaliação d qualidad d projtos d Tlmdicina Tlssaúd; III - studo avaliação d propostas para rmbolso d srviços dsnvolvidos por instituiçõs univrsitárias hospitalars, na ára d saúd, por mio do uso d rcursos d tlmdicina T l s s a ú d ; IV - acompanhamnto d sistmática para atualização profissional continuada por Tlssaúd; V - formação d bas d informação stratégica sobr implmntação d Tlmdicina Tlssaúd: VI - dsnvolvimnto d trabalhos cooprados com divrsos órgãos govrnamntais privados para facilitar a struturação d Tlmdicina Tlssaúd no País; VII - constituição d Conslho Assssor d Tlmdicina Tlssaúd; VIII - idntificação formação d grupo d Cntros Colaboradors. Art. 2º A Comissão trá a sguint composição: I - três rprsntants do Ministério da Saúd; II - dois rprsntants do Ministério da Ciência Tcnologia; III - um rprsntant do Ministério das Comunicaçõs IV - dois rprsntants do Ministério da Educação; V - um rprsntant do Ministério da Dfsa; VI - um rprsntant da Organização Pan-Amricana da Saúd; VII - um rprsntant do Conslho Fdral d Mdicina; VIII - um rprsntant da Univrsidad d São Paulo; IX - um rprsntant da Univrsidad Estadual do Amazonas; X - um rprsntant da Univrsidad Estadual do Rio d Janiro; XI - um rprsntant da Univrsidad Fdral d Minas Grais; XII - um rprsntant da Univrsidad Fdral d Prnambuco; XIII - um rprsntant da Univrsidad Fdral d Santa Catarina; XIV - um rprsntant da Univrsidad Fdral d São Paulo; XV - um rprsntant da Univrsidad Fdral do Cará; XVI - um rprsntant do Conslho Nacional d Scrtários d Saúd (CONASS); XVII - um rprsntant do Conslho Nacional d Scrtários Municipais d Saúd (CONASEMS); XVIII - um rprsntant do Cntro Gstor Opracional do Sistma d Protção da Amazônia (CENSIPAM), da Casa Civil, da Prsidência da Rpública; XIX - um rprsntant do Conslho Brasiliro d Tlmdicina Tlssaúd (CBTms); XX - um rprsntant da Univrsidad Fdral do Rio Grand do Sul. Art. 3º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. Art. 4º Ficam rvogadas as Portarias/GM nº 561, d 16 d março d 2006, publicada no Diário Oficial da União nº 93, d 17 d maio d 2006, sção 1, página 50, nº 1.228, d 9 d junho d 2006, publicada no Diário Oficial da União nº 111, d 12 d junho d 2006, sção 1, página 24 nº 3.275, d 22 d dzmbro d 2006, publicada no Diário Oficial da União nº 246, d 26 d dzmbro d 2006, sção 1, página 252. PORTARIA Nº 453, DE 4 DE MARÇO DE 2010 Institui o Grupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira Brasil-Pru. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuiçõs qu lh confrm os incisos I II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, considrando a importância d s criar um Grupo d Trabalho spcífico para tratar os tmas da saúd na rgião frontiriça ntr o Brasil o Pru, junto ao Grupo d Trabalho Binacional Brasil-Pru sobr Coopração Amazônica Dsnvolvimnto Frontiriço (GTB), criado m 23 d novmbro d 1995, na cidad d Brasília, coordnado plo Ministério das Rlaçõs Extriors, rsolv: Art. 1º Instituir o Grupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira Brasil-Pru com o objtivo d: I - fortalcr as açõs a implmntação dos Comitês d Frontira na ára d saúd; II - promovr o lvantamnto situacional d saúd da população; III - propor mcanismos para agilizar a troca d informaçõs m saúd;

4 54 ISSN Nº 43, sxta-fira, 5 d março d 2010 IV - propor stratégias d ação, laboração, avaliação acompanhamnto d Planos d Trabalho; V - implmntar programas d trinamnto capacitação d Rcursos Humanos ntr ambos os paíss; VI - assssorar na laboração na implmntação d Projtos d Coopração; VII - promovr o intrcâmbio a discussão dos Sistmas d Saúd dos paíss; VIII - considrar o foco intrcultural cintífico, com ênfas na promoção protção da saúd das localidads frontiriças. Art. 2º O Grupo srá composto por coordnadors, rprsntants dos sguints órgãos coordnado plo primiro: I - Ministério da Saúd; II - Scrtarias d Saúd dos Estados do Acr do Amazonas; III - Ministério das Rlaçõs Extriors. Art. 3º O Grupo srá composto por mmbros xcutors, rprsntants dos sguints órgãos: I - Ministério da Saúd; II - Scrtarias Estaduais d Saúd dos Estados do Acr do Amazonas; III - Scrtarias Municipais d Saúd qu fazm frontira com o Pru. Art. 4º As runiõs srão ordinárias s ralizarão plo mnos duas (2) vzs ao ano, d forma rotativa, ou sja, altrnando a sd ntr ambos os paíss, xtraordinárias, quando acordado por ambas as Parts. Art. 5º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. PORTARIA Nº 454, DE 4 DE MARÇO DE 2010 Institui o Subgrupo d Trabalho m Saúd na Frontira Brasil-Guiana Francsa. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuiçõs qu lh confrm os incisos I II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, considrando a importância d s criar um Subgrupo d Trabalho spcífico para tratar dos tmas da saúd na rgião frontiriça ntr o Brasil a Guiana Francsa, junto à Comissão Mista d Coopração Transfrontiriça Brasil-França, instituída m cumprimnto ao art. 6º do Acordo-Quadro d Coopração d 1996, coordnada plo Ministério das Rlaçõs Extriors, rsolv: Art. 1º Instituir o Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira Brasil-Guiana Francsa, com o objtivo d fortalcr, coordnar promovr açõs d saúd nas localidads d frontira. Art. 2º O Subgrupo srá composto por coordnadors, rprsntants dos sguints órgãos coordnado plo primiro: I - Ministério da Saúd, II - Scrtaria d Saúd do Estado do Amapá; III - Ministério das Rlaçõs Extriors. Art. 3º O Subgrupo srá composto por mmbros xcutors, rprsntants dos sguints órgãos: I - Ministério da Saúd, II - Scrtaria d Saúd do Estado do Amapá; III - Scrtarias Municipais d Saúd qu fazm frontira com a Guiana Francsa. Art. 4º As runiõs srão ordinárias s ralizarão plo mnos duas (2) vzs ao ano, d forma rotativa, ou sja, altrnando a sd ntr ambos os paíss, xtraordinárias, quando acordado por ambas as Parts. Art. 5º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. PORTARIA Nº 455, DE 4 DE MARÇO DE 2010 Institui o Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira (STSF) Brasil-Vnzula. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuiçõs qu lh confrm os incisos I II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, considrando a importância d s criar um Subgrupo d Trabalho spcífico para tratar dos tmas da saúd na rgião frontiriça ntr o Brasil a Vnzula, junto ao Grupo d Trabalho sobr Dsnvolvimnto Frontiriço (GTDF), criado na cidad d Caracas, Vnzula, m 4 d maio d 1994, coordnado plo Ministério das Rlaçõs Extriors, rsolv: Art. 1º Instituir o Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira (STSF) Brasil-Vnzula com o objtivo d coordnar promovr as açõs d saúd na frontira, conform consta d su Manual Opracional (Anxo). Art. 2º O Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira (STSF) Brasil-Vnzula trá as sguints funçõs: I - dsnhar coordnar a xcução do Plano d Ação d Saúd na Frontira, podndo idntificar grir os mcanismos fonts d financiamnto para sua ralização; II - aprsntar ao GTDF os rsultados do Plano d Ação d Saúd na Frontira, através d um Inform d Avaliação; III - coordnar suprvisionar as Comissõs d Trabalho qu intgram o Subgrupo, a sabr: a) Saúd Indígna, b) Atnção à Saúd, c) Assistência Prvnção da DST/HIV/AIDS, plo código d) Vigilância Sanitária, ) Vigilância Epidmiológica; f) Saúd Ambintal; IV - criar novas comissõs d trabalho ou dsativar as já xistnts, quando for d intrss mútuo; V - promovr o intrcâmbio d informaçõs xpriências sobr os sistmas d saúd d ambos os paíss. Parágrafo único. O Subgrupo d Trabalho sobr Saúd trabalhará sob a coordnação do Grupo d Trabalho sobr Dsnvolvimnto Frontiriço (GTDF) Brasil-Vnzula, dvndo mantr st informado informar sobr cada uma das atividads dcisõs tomadas no marco das comptências do Subgrupo. Art. 3º O Subgrupo srá composto por coordnadors, rprsntants dos sguints órgãos coordnado plo primiro: I - Ministério da Saúd; II - Ministério das Rlaçõs Extriors. Art. 4º O Subgrupo srá composto por mmbros xcutors, rprsntants dos sguints órgãos: I - Ministério da Saúd; II - Scrtarias d Saúd dos Estados d Roraima do Amazonas; III - Scrtarias Municipais d Saúd qu fazm frontira com a Vnzula, conform consta d su Manual Opracional (Anxo). Art. 5º As runiõs srão ordinárias s ralizarão plo mnos duas (2) vzs ao ano, d forma rotativa, ou sja, altrnando a sd ntr ambos os paíss, xtraordinárias, quando acordado por ambas as parts. Art. 6º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. ANEXO MANUAL OPERACIONAL DO SUBGRUPO DE TRABA- LHO SOBRE SAÚDE NA FRONTEIRA BRASIL-VENEZUELA Considrando a importância d formalizar a strutura o funcionamnto do Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira Brasil-Vnzula, criado no âmbito da IX Runião Binacional do Grupo d Trabalho sobr Dsnvolvimnto Frontiriço (GTDF), da Comissão Binacional d Alto Nívl (COBAN), clbrada na cidad d Caracas, durant os dias d março d 2009; Considrando o marco da intgração rgional o nfoqu multicultural xistnt na frontira Brasil-Vnzula; Considrando os Govrnos da Rpública Fdrativa do Brasil da Rpública Bolivariana da Vnzula, através do Grupo d Trabalho sobr Dsnvolvimnto Frontiriço (GTDF), acordam o sguint: DISPOSIÇÕES GERAIS I. OBJETO: O Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira (STSF) Brasil-Vnzula trá como objto coordnar promovr as açõs dstinadas à laboração, xcução sguimnto d um Plano d Ação d Saúd na Frontira, para fortalcr a intgração a coopração bilatral, com bas no diagnóstico dos dtrminants da situação da saúd na rgião frontiriça, considrando o nfoqu intrcultural cintífico, com ênfas na promoção protção da saúd. II. FUNÇÕES: São funçõs do Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira (STSF) Brasil-Vnzula: a) trabalhar sob a coordnação do Grupo d Trabalho sobr Dsnvolvimnto Frontiriço (GTDF) Brasil-Vnzula, dvndo informá-lo sobr cada uma das atividads dcisõs tomadas no marco das comptências do Subgrupo; b) dsnhar coordnar a xcução do Plano d Ação d Saúd na Frontira, podndo idntificar grir os mcanismos fonts d financiamnto para sua ralização; c) aprsntar ao GTDF os rsultados do Plano d Ação d Saúd na Frontira, através d um Inform d Avaliação; d) coordnar suprvisionar as Comissõs d Trabalho qu intgram o Subgrupo, a sabr: 1. Saúd Indígna, 2. Atnção à Saúd, 3. Assistência Prvnção da DST/HIV/AIDS, 4. Vigilância Sanitária, 5. Vigilância Epidmiológica; 6. Saúd Ambintal. ) criar novas Comissõs d Trabalho ou dsativar as já xistnts, quando for d intrss mútuo; f) promovr o intrcâmbio d informaçõs xpriências sobr os sistmas d saúd d ambos os paíss. ESTRUTURA III. MEMBROS COORDENADORES: Ministérios da Saúd da Rpública Fdrativa do Brasil da Rpública Bolivariana da Vnzula, acompanhados plos Ministérios d Rlaçõs Extriors d ambos os paíss, doravant dnominados "as Parts". IV. MEMBROS EXECUTORES: O Subgrupo d Trabalho sobr Saúd na Frontira stará composto plos sguints Mmbros Excutors: a) Ministérios da Saúd da Rpública Fdrativa do Brasil da Rpública Bolivariana da Vnzula. b) Scrtarias d Saúd dos Estados d Roraima do Amazonas, da Rpública Fdrativa do Brasil, as Dirccions Rgionais d Saúd dos Estados do Amazonas Bolívar, da Rpública Bolivariana da Vnzula; c) plo Brasil, as Scrtarias Municipais d Saúd d Barclos, Santa Isabl do Río Ngro São Gabril da Cachoira (Estado do Amazonas), Alto Algr, Amajari, Pacaraima, Iracma Uiramutã (Estado d Roraima) os Distritos Sanitários d Saúd Indígna; d) pla Vnzula, os Distritos Sanitários d Gran Sabana (Estado Bolívar); Manapiar, Río Ngro Alto Orinoco (Estado do Amazonas). Parágrafo único. As Parts podrão, d comum acordo, incorporar-s como Mmbros Excutors, a outros Municípios dos Estados frontiriços. ATRIBUIÇÕES DOS MEMBROS V. ATRIBUIÇÕS DOS MEMBROS COORDENADORES: a) xrcr a rprsntação do Subgrupo; b) conduzir as runiõs do Subgrupo; c) aprsntar os projtos a srm dsnvolvidos; d) propor a constituição das Comissõs d Trabalho, intgradas por técnicos do Brasil da Vnzula. VI. ATRIBUIÇÕES DOS MEMBROS EXECUTORES: a) comparcr às runiõs do Subgrupo; b) prparar aprsntar aos Mmbros Coordnadors do Subgrupo os documntos d trabalho qu sirvam d suport às dcisõs dst; c) laborar as atas corrspondnts das runiõs, no idioma oficial do país qu atu como sd; d) custodiar a documntação corrspondnt qu sirva d suport às runiõs do Subgrupo; ) laborar um Rlatório d Avaliação smstral sobr os rsultados do Plano d Ação d Saúd na Frontira. REUNIÕES E CONVOCATÓRIA VII. CARÁTER DAS REUNIÕES: a) ordinárias, qu s ralizarão plo mnos duas (2) vzs ao ano, d forma rotativa, ou sja, altrnando a sd ntr ambos os paíss; b) xtraordinárias, d comum acordo ntr as parts. VIII. CONVOCATÓRIA: A convocatória das runiõs ordinárias do Subgrupo srá ralizada através das Chanclarias dos dois paíss, com quarnta cinco (45) dias d antcdência à data fixada. Podrão convocar, quando d comum acordo, runiõs virtuais, qu s ralizarão através d vidoconfrência. DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO E AVALIAÇÃO DAS AT I V I D A D E S IX. RELATÓRIOS, DOCUMENTOS E DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO: Sujitos às lis às disposiçõs aplicávis dos rspctivos paíss, a informação, os dados rlatórios rfrnts às atividads mprndidas m conformidad com o prsnt Manual Opracional podrão sr divulgados somnt dpois qu as Parts tnham dado por scrito mutuamnt o su consntimnto. DISPOSIÇÕES FINAIS O prsnt documnto podrá sr modificado por mútuo acordo ntr as Parts. O prsnt Manual Opracional srá aplicado dsd o momnto d sua assinatura. PORTARIA Nº 456 DE 4 DE MARÇO DE 2010 Establc rcursos financiros a srm incorporados ao Tto Financiro Anual d Média Alta Complxidad do Estado Município d São Paulo. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso d suas atribuiçõs, Considrando a Política Nacional d Saúd da Pssoa com Dficiência; Considrando a Portaria nº 3.129/GM, d 24 d dzmbro d 2008, qu stablc rcursos financiros a srm incorporados ao tto financiro anual d Média Alta Complxidad dos Estados do Distrito Fdral para habilitação d srviços d Rabilitação Visual; Considrando a Portaria nº 101/SAS/MS, d 26 d fvriro d 2010, qu habilita o srviço d rabilitação visual no Município d São Paulo - SP, rsolv: Art. 1º Establcr rcursos financiros, no montant d R$ ,51 (trzntos stnta um mil duzntos quarnta três rais cinqunta um cntavos), a srm incorporados ao Tto Financiro Anual d Média Alta Complxidad do Estado Município d São Paulo. Art. 2º Dtrminar qu o Fundo Nacional d Saúd adot as mdidas ncssárias para a transfrência, rgular automática, ao Fundo Municipal d Saúd d São Paulo, dos valors corrspondnts a 1/12 (um doz avos) do montant stablcido no art. 1º dsta Portaria. Art. 3º Establcr qu os rcursos orçamntários, objto dsta Portaria, corram por conta do orçamnto do Ministério da Saúd, dvndo onrar o Programa d Trabalho Atnção à Saúd da População para Procdimntos d Média Alta Complxidad. Art. 4º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação, com fitos financiros a partir da comptência março d 2010.

5 Nº 43, sxta-fira, 5 d março d ISSN PORTARIA Nº 457, DE 4 DE MARÇO DE 2010 Suspnd a transfrência d incntivos financiros rfrnts ao númro d quips d Saúd da Família, quips d Saúd Bucal d Agnts Comunitários d Saúd nos Municípios com irrgularidads no cadastro d profissionais no Sistma d Cadastro Nacional d Establcimntos d Saúd - SCNES. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso d suas atribuiçõs, Considrando os sforços do Ministério da Saúd pla transparência nos rpasss d rcursos para a Atnção Básica; Considrando o disposto na Política Nacional d Atnção Básica, instituída pla Portaria nº 648/GM, d 28 d março d 2006; Considrando o disposto na Portaria nº 750/SAS/MS, d 10 d outubro d 2006, qu dfin o SCNES como bas cadastral para o SIAB; Considrando a rsponsabilidad do Ministério da Saúd plo monitoramnto da utilização dos rcursos da Atnção Básica transfridos para Municípios Distrito Fdral; Considrando a xistência d irrgularidads no cadastramnto d profissionais da Saúd da Família idntificadas no Sistma d Cadastro Nacional d Establcimntos d Saúd - SCNES, rsolv: Art. 1º Suspndr a transfrência d incntivos financiros rfrnts ao númro d quips d Saúd da Família, d quips d Saúd Bucal d Agnts Comunitários d Saúd, da comptência financira janiro d 2010, dos Municípios qu aprsntaram duplicidad no cadastro d profissionais no SCNES, rlacionados no Anxo a sta Portaria. Art. 2º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. ANEXO UF CÓDIGO MUNICÍPIO ESF Irrgulars ESB1 Irrgulars ESB2 Irrgulars plo código ACS Irrgulars AC Acrlândia AL Fliz Dsrto AL Ibatguara AM Barririnha AM Lábra AM Manaus AM Nhamundá AM Novo Airão AP Macapá AP Ta r t a r u g a l z i n h o BA Anagé BA Andaraí BA Aporá BA Araci BA Arataca BA Boninal BA Burarma BA Camacan BA Camaçari BA Campo Formoso BA Cansanção BA Capim Grosso BA Coronl João Sá BA Dom Basílio BA Esplanada BA Euclids da Cunha BA Formosa do Rio Prto BA Guajru BA Ibiassucê BA Ibicuí BA Iramaia BA Itabraba BA Itamaraju BA Itapicuru BA Itarantim BA Itatim BA Itororó BA Itubrá BA Iuiú BA Jacobina BA Jquié BA Mata d São João BA Migul Calmon BA Morpará BA Piraí do Nort BA Ponto Novo BA Salinas da Margarida BA Salvador BA Santo Amaro BA São Francisco do Cond BA Srra do Ramalho BA Tabocas do Brjo Vlho BA T o f i l â n d i a BA Trra Nova BA Tr m d a l BA Uauá BA Uruçuca CE Altanira CE Apuiarés CE Aracoiaba CE Barroquinha CE Bbrib CE Brjo Santo CE Camocim CE Cascavl CE Croatá CE Granjiro CE Guaraciaba do Nort CE Hidrolândia CE Iguatu CE Ipaumirim CE Jardim CE Juaziro do Nort CE Maranguap CE Milagrs CE Saboiro CE São Luís do Curu CE T j u ç u o c a ES Concição da Barra ES Ecoporanga ES Santa Lopoldina ES Vi a n a GO Colinas do Sul GO Crixás GO Goianésia GO Hitoraí GO Jandaia GO Jaraguá GO Montividiu do Nort GO Porangatu GO Snador Cando MA Açailândia MA Alto Algr do Maranhão MA Anapurus MA Apicum-Açu MA Bacabal MA Bacabira MA Blágua MA Buriti MA Cajari MA Cândido Mnds MA Carutapra MA Cntro do Guilhrm MA Fortalza dos Noguiras MA Godofrdo Viana MA Lima Campos MA Monts Altos MA Paço do Lumiar MA Passagm Franca MA Pio XII MA Santa Filomna do Maranhão MA São Bnto MA São Félix d Balsas MA São Matus do Maranhão MA São Pdro da Água Branca MA Sucupira do Riachão MA Trizidla do Val MA Tu t ó i a MA Urbano Santos MG Arinos MG Ataléia MG Blmiro Braga MG Bom Jsus do Galho MG Cachoira d Minas MG Cambuí MG Campos Grais MG Caplinha MG Caraí MG Catuji MG Concição da Aparcida MG Contagm MG Cuparaqu MG Dionísio MG Dors do Turvo MG Guidoval MG Inhapim MG Ipiaçu MG Itabira MG Joaíma MG Lassanc MG Malacachta MG Mantna MG Mar d Espanha MG Martinho Campos MG Mata Vrd MG Matias Cardoso MG Matipó MG Mirabla MG Miraí MG Mont Carmlo MG Muzambinho MG Nova Lima MG Nova União MG Novo Orint d Minas MG Paracatu MG Pçanha MG Pdro Lopoldo MG Piraptinga MG Pont Nova MG Ponto dos Volants MG Poté MG Prados MG Prudnt d Morais MG Rcrio MG Rduto MG Santa Luzia MG Santo Antônio do Jacinto MG São Félix d Minas MG São Gonçalo do Abaté MG São Joaquim d Bicas MG Stubinha MG Silvirânia MG Simonésia MG Tófilo Otoni MG Ubá MG Umburatiba MG Varjão d Minas MG Va z a n t MS Bla Vista

6 56 ISSN Nº 43, sxta-fira, 5 d março d 2010 MS Novo Horizont do Sul MS Rio Brilhant MT Cácrs MT Cuiabá MT Dom Aquino MT Rondolândia PA Abl Figuirdo PA Blém PA Bragança PA Brjo Grand do Araguaia PA Capanma PA Chavs PA Eldorado dos Carajás PA Irituia PA Mã do Rio PA Muaná PA Oiras do Pará PA Pacajá PA Palstina do Pará PA Santa Isabl do Pará PA Santo Antônio do Tauá PA São Domingos do Araguaia PB Água Branca PB Aparcida PB Araruna PB Blém PB Borborma PB Cabdlo PB Cachoira dos Índios PB Campina Grand PB Concição PB Dstrro PB Ingá PB Pdra Lavrada PB São Bnto PB Ta v a r s PE Afogados da Ingazira PE Bom Jardim PE Buíqu PE Cabo d Santo Agostinho PE Canhotinho PE Caruaru PE Granito PE Olinda PE Ptrolândia PE Ptrolina PE Quipapá PE Rcif PE Salguiro PE Santa Filomna PE Srra Talhada PE Surubim PE Ti m b a ú b a PI Batalha PI Floriano PI Paulistana PI Porto Algr do Piauí PI T r s i n a PR Andirá PR Faznda Rio Grand PR Frnands Pinhiro PR Foz do Iguaçu PR Guarapuava PR Inácio Martins PR Palmas PR Pinhais PR Piraquara PR Planalto PR Qudas do Iguaçu PR Rio Bom PR Rio Bonito do Iguaçu PR Santa Mariana PR São Jrônimo da Srra PR Tlêmaco Borba PR Trra Boa PR Tu r v o PR Vi r m o n d PR Xambrê RJ Armação dos Búzios RJ Cabo Frio RJ Maricá RJ Nilópolis RJ Nitrói RJ Nova Iguaçu RJ Rio d Janiro RJ São Gonçalo RJ Trajano d Morais RN Arês RN Baraúna RN Caicó RN Lajs RN Macaíba RN Mossoró RN Natal RN Pdra Grand RN To u r o s RO Alto Algr dos Parcis RO Buritis RO Cujubim RO Itapuã do Ost RO Novo Horizont do Ost RO Santa Luzia D'Ost RS Hrval RS Nova Ptrópolis RS Santa Maria RS Santa Vitória do Palmar RS Tu p a n c i r t ã plo código SC Blumnau SC Coronl Fritas SC Galvão SC Garuva SC Guaraciaba SC Içara SC Indaial SC Itajaí SC Maravilha SC Mont Castlo SC Nova Itabraba SC Orlans SC São Ludgro SC Urubici SC Xavantina SC Xaxim SE Riachão do Dantas SP Araçatuba SP Barão d Antonina SP Cubatão SP Iguap SP Itapva SP Miniros do Titê SP Mirandópolis SP Mogi das Cruzs SP Nova Europa SP Santa Isabl SP São Carlos SP São Paulo SP Ta q u a r i t u b a TO Formoso do Araguaia TO Jaú do Tocantins TO Lagoa do Tocantins TO Palmas TO Pix TO TA L PORTARIA Nº 458, DE 4 DE MARÇO DE 2010 Establc rcurso financiro anual, a sr incorporado ao Tto Financiro anual d Média Alta Complxidad no Estado d São Paulo no Município d Jundiaí. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso d suas atribuiçõs, Considrando a Política Nacional d Saúd da Pssoa com Dficiência; Considrando a Portaria nº 3.129/GM, d 24 d dzmbro d 2008, qu stablc rcursos financiros a srm incorporados ao tto financiro anual d Média Alta Complxidad dos Estados Distrito Fdral para habilitação d srviços d Rabilitação Visual; Considrando a Portaria SAS/MS nº 80, d 26 d fvriro d 2010, qu habilita o srviço d rabilitação visual no Município d Jundiaí (SP) rsolv: Art. 1º Establcr rcurso financiro anual, no montant d R$ ,51 (trzntos stnta um mil duzntos quarnta três rais cinqunta um cntavos), a sr incorporado ao tto financiro anual d Média Alta Complxidad, no Estado d São Paulo no Município d Jundiaí. Art. 2º Dtrminar qu o Fundo Nacional d Saúd adot as mdidas ncssárias para a transfrência, rgular automática, ao Fundo Municipal d Saúd d Jundiaí do valor mnsal corrspondnt a 1/12 (um doz avos) do valor dscrito no art. 1º dsta Portaria. Art. 3º Establcr qu os rcursos orçamntários, objto dsta Portaria, corram por conta do orçamnto do Ministério da Saúd, dvndo onrar o Programa d Trabalho Atnção à Saúd da População para Procdimntos d Média Alta Complxidad. Art. 4º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação, com fitos financiros a partir da comptência fvriro d PORTARIA Nº 472, DE 4 DE MARÇO DE Dispõ sobr a disponibilidad do mdicamnto Fosfato d Osltamivir nas unidads da Rd Própria do Programa Farmácia Popular do Brasil O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso d suas atribuiçõs, Considrando o Dcrto nº 5.090, d 20 d maio d 2004, o qual institui o Programa Farmácia Popular do Brasil; Considrando o dvr do Estado d garantir os mios indispnsávis à prvnção, à promoção à rcupração da saúd; Considrando a ncssidad d ofrcr altrnativas d acsso à assistência farmacêutica, com vistas ao fortalcimnto da intgralidad do atndimnto à saúd; Considrando a mta d assgurar mdicamntos ssnciais para o tratamnto dos agravos com maior incidência na população, mdiant rdução d su custo para os pacints; Considrando a dcisão do Comitê Técnico do Ministério da Saúd qu laborou o Plano d Contingência do Brasil qu slcionou como opção d tratamnto o antiviral Fosfato d Osltamivir para o nfrntamnto da pandmia por Influnza AH1N1, rsolv: Art. 1º Disponibilizar o mdicamnto Fosfato d Osltamivir cápsula 75 mg na Rd Própria do Programa Farmácia Popular do Brasil. 1º A dispnsação do Fosfato d Osltamivir cápsula 75 mg nas unidads do Programa srá fita sm custo aos pacints dvrá obdcr a lgislação sanitária vignt. 2º A disponibilização prvista no caput corrspond ao príodo d 15 d abril d 2010 a 15 d março d Art. 2º A Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ fica rsponsávl plo procsso d produção d distribuição do mdicamnto para as farmácias do Programa Farmácia Popular do Brasil - Rd Própria. Art. 3º Esta Portaria ntra m vigor na data d sua publicação. DESPACHO DO MINISTRO N o Com fundamnto na manifstação da Consultoria Jurídica, cujas conclusõs invoco como razõs d dcidir, não conhço do rcurso intrposto por LABORATÓRIO FARMACEUTICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO - LAFEPE. D dcisão da Dirtoria Colgiada da ANVISA, qu ngou provimnto a su aplo contra a aplicação d multa por dscumprimnto das boas práticas d fabricação d mdicamntos, posto star sgotada a instância administrativa, nos trmos do 2º do artigo 15 da Li nº 9.782, d 1999, articuladamnt com o artigo 26, inciso IV, do Dcrto-Li nº 200, d 25 d fvriro d 1967.

DELIBERAÇÃO N.º 793/2012

DELIBERAÇÃO N.º 793/2012 DELIBERAÇÃO N.º 793/2012 Parágrafo único Nos casos m qu o afastamnto s stndr por tmpo suprior ao prvisto, dsd qu autorizada sua prorrogação, fará jus, às diárias corrspondnts ao príodo prorrogado. Art.

Leia mais

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98.

Florianópolis, 09 de abril de 1998. PORTARIA Nº 0173/GR/98. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GABINETE DO REITOR PORTARIAS Florianópolis, 09 d abril d 1998 PORTARIA Nº 0173/GR/98 O Ritor da Univrsidad Fdral d Santa Catarina, no uso d suas atribuiçõs statutárias

Leia mais

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado

Lei nº 7998/90. Pós MP nº 665/14 Vigência 60 dias após a data da publicação Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Art. 2ºB Revogado Ants da MP nº 665/14 Art. 2o-B. Em carátr xcpcional plo prazo d sis mss, os trabalhadors qu stjam m situação d dsmprgo involuntário plo príodo comprndido ntr doz dzoito mss, inintrruptos, qu já tnham sido

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA

PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA PROTOCOLO DA CAMPANHA PARA A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA PESCA I Aos quinz dias d mês d maio d 2014, ntr Autoridad Para

Leia mais

Anexo 2 Projetos identificados no Plano de Desenvolvimento Institucional

Anexo 2 Projetos identificados no Plano de Desenvolvimento Institucional Plano Dirtor d Tcnologia da Informação 2012-2013 88 Anxo 2 Projtos idntificados no Plano d Dsnvolvimnto Institucional Cód Projto/Programa (Ncssidad) 1 Espaço Cinma I II Equipar salas com datashow, room

Leia mais

ALTERAÇÃO Nº 8 tudo até 31 de Agosto de 2007. Diplomas alterados

ALTERAÇÃO Nº 8 tudo até 31 de Agosto de 2007. Diplomas alterados ALTERAÇÃO Nº 8 tudo até 31 d Agosto d 2007 Diplomas altrados CAPÍTULO I Disposiçõs grais Administração local autárquica (A) Municípios Frgusias Dcrto-Li n.º 17/2007, d 22 d Janiro, qu criou o rgim xcpcional

Leia mais

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO

FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO FASE - ESCOLA 2º CICLO DO ENSINO BÁSICO CRONOGRAMA ÍNDICE FASES DATAS APURAMENTOS LOCAL 4 alunos por scola 1. Introdução...2 1ª fas Escolas 2ª fas Distrital Até 11 d Janiro 1 ou 2 d Fvriro 2 do sxo fminino

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pedagógica UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO (UCB) 3.1.1.1. Organização Didático-Pgógica (4) (5) Mtas Rorganizar a distribuição dos discnts. Elaborar uma Política d contratação gstão d pssoal Rvisar o Projto Pgógico. Rstruturar

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA - SEDE

SEÇÃO JUDICIÁRIA - SEDE RJ-BIE-2011/00060 Publicação Diária - Data: 31/03/2011 SEÇÃO JUDICIÁRIA - SEDE PORTARIA Nº RJ-PGD-2011/00012 d 28 d março d 2011 PORTARIAS PGD O JUIZ FEDERAL - DIRETOR DO FORO E CORREGEDOR PERMANENTE DOS

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais

14 ISSN 1677-7042. Nº 96, quarta-feira, 21 de maio de 2008. ANEXO Portaria MEC n o - 608, DE 20 DE MAIO DE 2008. PORTARIA N o - .

14 ISSN 1677-7042. Nº 96, quarta-feira, 21 de maio de 2008. ANEXO Portaria MEC n o - 608, DE 20 DE MAIO DE 2008. PORTARIA N o - . 4 ISSN 677-7042 Nº 96, quarta-fira, 2 d maio d 2008 608, DE 20 DE MAIO DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso d suas atribuiçõs lgais tndo m vista o disposto na Portaria MP n o 450,

Leia mais

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01

Empreendedorismo e Empregabilidade PE04/V01 1 APROVAÇÃO DO DOCUMENTO Rsponsávl plo Procsso Validação Função Nom Razão para a nova vrsão Coord. CTCO José Pirs dos Ris Não - vrsão inicial Pró-Prsidnt para a Qualidad João Lal Aprovação Prsidnt IPBja

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Dspacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União d 17/07/2003 (*) Portaria/MEC nº 1.883, publicada no Diário Oficial da União d 17/07/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

com efeitos financeiros a contar da competência julho/2004. JORGE SOLLA O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

com efeitos financeiros a contar da competência julho/2004. JORGE SOLLA O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, RESOLUÇÃO-RE PORTARIA PORTARIA PORTARIA Nº 135, quinta-fira, 15 d julho d 2004 1 81 FABRICANTE : OLYMPUS LATIN AMERICA CO. - ESTADOS UNIDOS BML-1Q.A/B;

Leia mais

EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016

EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016 EDITAL N.º 24/2016 EDITAL PROCESSO SELETIVO ESPECÍFICO PARA INGRESSO DE FRONTEIRIÇOS 2016 O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso d suas atribuiçõs lgais statutárias, torna público st Edital

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DIRETORIA DE ANÁLISE TÉCNICA

SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DIRETORIA DE ANÁLISE TÉCNICA Nº 95, quinta-fira, 17 d maio d 2012 1 ISSN 1677-7042 67 Considrando os ntndimntos mantidos com os Prsidnts das Juntas d Rcursos com os dirignts da Coordnação Gral d Logística do Instituto Nacional do

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Empresa Elétrica Bragantina S.A

Empresa Elétrica Bragantina S.A Emprsa Elétrica Bragantina S.A Programa Anual d Psquisa Dsnvolvimnto - P&D Ciclo 2006-2007 COMUNICADO 002/2007 A Emprsa Elétrica Bragantina S.A, concssionária d srviço público d distribuição d nrgia létrica,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EDITAL N.º 005/2014 REVALIDAÇÃO/PROGRAD A Pró-Ritoria d Graduação Educação Profissional (PROGRAD)

Leia mais

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora Edital V Mostra LEME d Fotografia Film Etnográficos 5º SEMINÁRIO DO LABORATÓRIO DE ESTUDOS EM MOVIMENTOS ÉTNICOS - LEME 19 a 21 d stmbro d 2012 Univrsidad Fdral do Rcôncavo da Bahia Cachoira-BA O 5º Sminário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA EDITAL 2006

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA EDITAL 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA EDITAL 2006 A Coordnação do MESTRADO EM EDUCAÇÃO BRASILEIRA torna

Leia mais

Informamos ainda que estamos à disposição para elucidar eventuais dúvidas. Atenciosamente, Natan Schiper Diretor Secretário

Informamos ainda que estamos à disposição para elucidar eventuais dúvidas. Atenciosamente, Natan Schiper Diretor Secretário Rio d Janiro, 22 d outubro d 2012 Of. Circ. Nº 425/12 Snhor Prsidnt, Foram publicadas no Diário Oficial do Estado do Rio d Janiro no dia 18 d outubro d 2012 as Rsoluçõs SES/RJ Nºs 453, 454, 457 458, todas

Leia mais

Indeferir o Requerimento de Anistia post mortem de MA- NOEL SOARES NASCIMENTO, filho de JUSTINA SOARES DO N A S C I M E N TO. JOSÉ EDUARDO CARDOZO

Indeferir o Requerimento de Anistia post mortem de MA- NOEL SOARES NASCIMENTO, filho de JUSTINA SOARES DO N A S C I M E N TO. JOSÉ EDUARDO CARDOZO Nº 138, quarta-fira, 22 d julho d 2015 1 ISSN 1677-7042 25 N o - Município 1 Alvorada 2 Bagé 3 Barra do Guarita 4 Barra do Quaraí 5 Cachoira do Sul 6 Cachoirinha 7 Crro Grand 8 Esprança do Sul 9 Estio

Leia mais

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha

FAQ DEM/ Esta é uma. Estímulo 2012? Assim, não. Fundo. R: 1. Após tenha Esta é uma Mdida só para 2012, ou vai continuar? Não stá prvisto na lgislação um príodo d vigência. Uma ntidad mprgadora com mnos d cinco (5) trabalhadors pod candidatar s ao Estímulo 2012? Sim. Nst caso,

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

TERMOS ADITIVOS AOS CONTRATOS FIRMADOS EM 2013

TERMOS ADITIVOS AOS CONTRATOS FIRMADOS EM 2013 TRMOS ADITIVOS AOS CONTRATOS FIRMADOS M 2013 ORDM CRONOLÓGICA PRIMIRO TRMO ADITIVO Nº DO CONTRATO 14/2013 MOTIVO PRAZO VALOR PRSTAÇÃO D SRVIÇOS PARA LABORAÇÃO D TRMO D RFRÊNCIA PARA ATUALIZAÇÃO DO PLANO

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS 48 ISSN 1677-7069 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL EXTRATO DE CONTRATO Nº 195/2013 - UASG 154054 Nº Procsso: 23104006021201307. PREGÃO SRP Nº 124/2013. Contratant: FUNDACAO UNIVER- SIDADE

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS DE CURSOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS ESTRANGEIROS DE ENSINO, PELO INSITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA- IFB. 1. DA ABERTURA 1.1

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano d Trabalho Docnt 2014 Ensino Técnico Etc Etc: PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 0136 Município: TUPÃ Ára d conhcimnto: INFRAESTRUTURA Componnt Curricular: PLANEJAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL - PCC

Leia mais

Legislação Mineira NORMA: LEI 20591. LEI 20591 de 28/12/2012 - Texto Atualizado

Legislação Mineira NORMA: LEI 20591. LEI 20591 de 28/12/2012 - Texto Atualizado Lgislação Minira NORMA: LEI 20591 LEI 20591 d 28/12/2012 - Txto Atualizado Institui a Gratificação d Incntivo à Psquisa à Docência a Gratificação d Função d Psquisa Ensino Gipd, no âmbito da Fundação João

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO e

DIREITO FINANCEIRO e DIREITO FINANCEIRO Fábio Fort d Andrad Dirtor do Dpto. d Administração Financira Prfitura Municipal d Campinas Scrtaria Municipal d Finanças Julho d 2012 História Concito Atividad Financira do Estado ROTEIRO

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dezembro/2010 [Digit txto] 1 IDENTIFICAÇÃO RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO TÉCNICO SOCIAL Dzmbro/2010 Programa: Opraçõs Coltivas Contrato CAIXA nº: 0233.389.09/2007 Ação/Modalidad: Construção d unidad habitacional

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO E AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

"Chernobyl: mitologia contemporânea?" Alexandre Ramos (USP) Sala G04. Sala G04. Coffe Break e Apresentação de Pôsteres e Henrique

Chernobyl: mitologia contemporânea? Alexandre Ramos (USP) Sala G04. Sala G04. Coffe Break e Apresentação de Pôsteres e Henrique MANHÃ (Palstras) TARDE (Minicursos) Programação da II SAIFUFT I ENFEBP (02-06 d Stmbro d 2014) Horário 02 (trça) 03 (quarta) 04 (quinta) 05 (sxta) 06 (sábado) 7h - 8h Rcbimnto do matrial 8:00 8:40 (10

Leia mais

Gestão Ambiental - Gestores Ambientais

Gestão Ambiental - Gestores Ambientais Am bint 9º Fór um amnto n M i o d Sa - Intgração m Políticas Públicas GESTÃO SE FAZ COM CONHECIMENTO E PARTICIPAÇÃO Grir qur dizr administrar, dirigir, mantr dtrminada situação ou procsso sob control m

Leia mais

Prefeito Tatu e vereadores vão a São Paulo em busca de Cursos Profissionalizantes para Maracaí

Prefeito Tatu e vereadores vão a São Paulo em busca de Cursos Profissionalizantes para Maracaí 01 Prfito Tatu vradors vão a São Paulo m busca d Cursos Profissionalizants para Maracaí Ontm (06/03) o prfito Eduardo Corra Sotana (Tatu), o Dputado Estadual Mauro Bragato, os vradors Edivaldo Rodrigus

Leia mais

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores.

PLANO DE CURSO 2011. 3 aulas Data show Aulas expositivas Estudo de casos e análise de precedentes dos Tribunais Estaduais e Superiores. Est Plano d Curso podrá sofrr altraçõs a critério do profssor / ou da Coordnação. PLANO DE CURSO 2011 DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III Excução civil, tutlas d urgência procdimntos spciais. PROFESSOR:

Leia mais

Breve histórico do projeto Escola Intercultural Bilingue de Fronteira. Flores, Olga Viviana (PG-UNIOESTE) INTRODUÇAO

Breve histórico do projeto Escola Intercultural Bilingue de Fronteira. Flores, Olga Viviana (PG-UNIOESTE) INTRODUÇAO INTRODUÇAO Brv histórico do projto Escola Intrcultural Bilingu d Frontira Flors, Olga Viviana (PG-UNIOESTE) A Linguística Aplicada (LA) é a ára d psquisa qu stá dirtamnt rlacionada à rsolução d problmas

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O

P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O DISCIPLINA: EMRC ANO: 5º 1º PERÍODO ANO LECTIVO: 2011/2012 P L A N I F I C A Ç Ã O A M É D I O P R A Z O UNIDADE DIDÁTICA 1: Vivr juntos AULAS PREVISTAS: 12 COMPETÊNCIAS (O aluno dvrá sr capaz d:) CONTEÚDOS

Leia mais

Alunos dos 1 anos participam de concurso de exposições sobre Inovação e Sustentabilidade na Agropecuária

Alunos dos 1 anos participam de concurso de exposições sobre Inovação e Sustentabilidade na Agropecuária Alunos dos 1 anos participam concurso xposiçõs sobr Inovação Sustntabilida na Agropcuária Na última trçafira, 23 junho, as turmas Curso 1 anos Técnico do m Agropcuária participaram do concurso xposiçõs

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG.

Atitudes Sociolinguísticas em cidades de fronteira: o caso de Bernardo de Irigoyen. Célia Niescoriuk Grad/UEPG. Valeska Gracioso Carlos UEPG. Atituds Sociolinguísticas m cidads d frontira: o caso d Brnardo d Irigoyn. Célia Niscoriuk Grad/UEPG. Valska Gracioso Carlos UEPG. 1. Introdução: O Brasil Argntina fazm frontira m crca d 1240 km dsd sua

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

PLUGUES E TOMADAS. Padrão NBR 14.136. Painel Setorial INMETRO 11 abr 2006

PLUGUES E TOMADAS. Padrão NBR 14.136. Painel Setorial INMETRO 11 abr 2006 PLUGUES E TOMADAS Padrão NBR 14.136 Painl Storial INMETRO 11 abr 2006 1 NBR para (P&T) 2 ABNT NBR NM 60884-1 tomadas para uso doméstico análogo Part 1: Rquisitos grais - Fixa as condiçõs xigívis para P&T

Leia mais

6. A SVS/MS agradece a todas as Instituições que enviaram suas propostas. Instituição proponente. Universidade Federal do Rio de Janeiro

6. A SVS/MS agradece a todas as Instituições que enviaram suas propostas. Instituição proponente. Universidade Federal do Rio de Janeiro A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (SVS/MS) torna público o resultado da análise das propostas e projetos submetidos ao Chamamento Público nº 05/2014 Iniciativas Educacionais Aplicadas

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG SUMÁRIO PARTE I BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 - NOÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

Centro e Bacia do Itacorubi: A Rota da Educação SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FLORIANÓPOLIS

Centro e Bacia do Itacorubi: A Rota da Educação SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FLORIANÓPOLIS PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS Cntro Bacia do Itacorubi: A Rota da Educação SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FLORIANÓPOLIS Crch Irmão Clso, no bairro Agronômica PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS

Leia mais

Ministério da Justiça

Ministério da Justiça Nº 193, quinta-fira, 8 d outubro d 2015 1 ISSN 1677-7042 31 I - fatos rlacionados às atividads das socidads sguradoras d capitalização; ntidads abrtas d prvidência complmntar; socidads cooprativas, nas

Leia mais

LEVANTAMENTO SOBRE AÇÕES AFIRMATIVAS VOLTADAS AOS POVOS INDÍGENAS EM UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS E ESTADUAIS DO BRASIL

LEVANTAMENTO SOBRE AÇÕES AFIRMATIVAS VOLTADAS AOS POVOS INDÍGENAS EM UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS E ESTADUAIS DO BRASIL REGIÃO SUL UF Catgoria admistrativa Tipo d ação Dscrição Procsso Sltivo Origm Fdral Fdral do Paraná - UFPR * Vagas suplmntars 7 suplmntars, para indígnas rsidnts no Estado do Paraná spcífico Rsolução nº37/04

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 015/2013 REGISTRO DE PREÇOS

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 015/2013 REGISTRO DE PREÇOS Fundo Municipal Sd cr Saúd ta- Comissão ria dprmannt Sa d RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº. 015/2013 REGISTRO DE PREÇOS OBJETO: Aquisição d Kit HIV Hpatit (Rgistro d Prços). RETIFICA-SE através

Leia mais

Protocolo n.º 11/001894

Protocolo n.º 11/001894 O SESI/PR Srviço Social da Indústria, adiant dsignado simplsmnt SESI/PR, com sd na Rua Cândido d Abru, nº. 200, nsta Capital, torna público o prsnt rgulamnto d crdnciamnto para laboração do documnto bas

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA

PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA PROJETO DE EDUCAÇÃO AFETIVO - SEXUAL E REPRODUTIVA Tma: Sxualidad rlaçõs intrpssoais 1º Ano- EB1/JI DE VELAS Turma 2 Formas d Rcursos Atividads Objtivos Contúdos organização/ (humanos (por disciplina)

Leia mais

Entidades de defesa de direitos 1 Contribuição da ABONG à discussão do Art.3 da LOAS Brasília 09/08/2005

Entidades de defesa de direitos 1 Contribuição da ABONG à discussão do Art.3 da LOAS Brasília 09/08/2005 Entidads d dfsa d diritos 1 Contribuição da ABONG à discussão do Art.3 da LOAS Brasília 09/08/2005 1. A constituição do campo associativo assistncial As ntidads d assistência social corrspondm às formas

Leia mais

Conselho Federal de Enfermagem

Conselho Federal de Enfermagem Conslho Fdral d Enfrmagm Planjamnto Estratégico para o Conslho Fdral d Enfrmagm Assssoria d Planjamnto Gstão do Cofn Brasília 2015 1 Assssoria d Planjamnto Gstão Planjamnto Estratégico para o Conslho Fdral

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG. PEDAGOGIA A DISTÂNCIA Síntese do Projeto Político Pedagógico PERFIL DO PROFISSIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG. PEDAGOGIA A DISTÂNCIA Síntese do Projeto Político Pedagógico PERFIL DO PROFISSIONAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Univrsidad Fdral d Alfnas. UNIFAL-MG Rua Gabril Montiro da Silva, 700 Alfnas / MG - CEP 37130-000 Fon: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 PEDAGOGIA A DISTÂNCIA Sínts do Projto Político

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS. EDITAL Nº. 005, de 30 de janeiro de 2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS. EDITAL Nº. 005, de 30 de janeiro de 2009. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS EDITAL Nº. 005, d 30 d janiro d 2009. A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS torna público para conhcimnto dos intrssados qu ralizará CONCURSO

Leia mais

RETROSPECTIVA 2013. Frente Parlamentar

RETROSPECTIVA 2013. Frente Parlamentar Brasília, 20 d dzmbro d 2013 Edição 155 RETROSPECTIVA 2013 Confira um rsumo das principais açõs dsnvolvidas pla Associação Brasilira dos Ritors das Univrsidads Estaduais Municipais m 2013 com o intuito

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO EDUCATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIATIVIDADE

CENTRO DE FORMAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO EDUCATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIATIVIDADE CENTRO DE FORMAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO EDUCATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CRIATIVIDADE AÇÕES DE FORMAÇÃO PARA PROFESSORES 2015-2016 Junho Julho! Atualizado a 03-06-2016 (http://criatividad.nt) Nota: O prço

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO Quadra 109 Nort, AV. NS -15, ALCNO 14 Plano Dirtor Nort 77001-970 Palmas/TO (63) 3232-8545 www.uft.du.br cops@uft.du.br EDITAL N 001/2016

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 ÍNDICE

PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 ÍNDICE ÍNDICE PLANO ESTRATÉGICO 2013-2015.3 I. ENQUADRAMENTO..4 II. VISÃO, MISSÃO, VALORES E POLÍTICA DA QUALIDADE..5 III. MODELO ORGANIZACIONAL...10 IV. DIAGNÓSTICO EXTERNO.12 V. DIAGNÓSTICO INTERNO..14 VI.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO Quadra 109 Nort, AV. NS -15, ALCNO 14 Plano Dirtor Nort 77001-970 Palmas/TO (63) 3232-8545 www.uft.du.br cops@uft.du.br EDITAL N 003/2015

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 8º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NOS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Cargo 1: Analista do MPU Área de Atividade: Apoio Técnico-Administrativo Especialidade: Arquivologia Distrito Federal / DF 596 4 149,00 Especialidade: Biblioteconomia Acre / AC 147 1 147,00 Especialidade:

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR ALFENAS-MG

COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR ALFENAS-MG COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR ALFENAS-MG 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS UNIFAL-MG REITOR Prof. Antônio Martins d Siquira COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR COPEVE Prsidnt: Prof. Hêbr Sbastião d Carvalho

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnt da Rpública Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planjamnto, Orçamnto Gstão Paulo Brnardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Prsidnt Eduardo Prira Nuns Dirtor-Excutivo

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Nº 155, sxta-fira, 14 d agosto d 2015 1 ISSN 1677-7042 13 c) Cartira d idntidad d strangiro ou Visto d Prmanência xpdido pla Polícia Fdral dntro da validad (cópia d) Atstado d Saúd Ocupacional (ASO), mitido

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS 6 ISSN 677-7042 Nº 3, sgunda-fira, 9 d julho d 202 projto células-tronco msnquimais (CTM) adultas humanas obtidas da mdula óssa, tcido adiposo sangu d cordão umbilicar, bm como células prognitoras ndotliais

Leia mais

CADERNO 1 - DIÁRIO DO EXECUTIVO/LEGISLATIVO

CADERNO 1 - DIÁRIO DO EXECUTIVO/LEGISLATIVO QUARTA-FEIRA, 17 DE JUNHO DE 2015 -- DIÁRIO OFICIAL ELETRÔNICO MONTES CLAROS-MG - ANO 3 - Nº 397 SUMÁRIO DIÁRIO DO EXECUTIVO/LEGISLATIVO Administração Dirta...1 a 5 Administração Indirta...3 Município

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE

PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europu PROGRAMA DE ESTÍMULO À OFERTA DE EMPREGO PEOE FORMULÁRIO DE CANDIDATURA A prnchr plo IEFP, I. P. IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Cntro d Emprgo Data d Rcpção - - Númro do Procsso

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA AREA DA SAÚDE Porto Alegre, 01 de julho de 2011 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL LDB Nº 9394/96 É uma modalidade de ensino integrada às diferentes formas de educação,

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS

DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS DIAGNÓSTICO DOS INVESTIMENTOS EM CULTURA NO BRASIL v. 1 Gastos públicos com cultura no Brasil: 1985-1995 Contrato de prestação de serviços que entre si celebram a União Federal, por intermédio da Secretaria

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições

Este documento constitui um instrumento de documentação e não vincula as instituições 2004R0854 PT 01.07.2013 009.001 1 Est documnto constitui um instrumnto d documntação não vincula as instituiçõs B C2 REGULAMENTO (CE) N. o 854/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO d 29 d Abril d 2004

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

Plano de Contingência com foco na Proteção de Crianças e Adolescentes

Plano de Contingência com foco na Proteção de Crianças e Adolescentes Plano d Contingência com foco na Protção d Crianças Adolscnts Blumnau Novmbro/2009 Vrsão I SEMASCRI, SEMED, SEMUS, CONSELHOS TUTELARES, FURB, DEFESA CIVIL 2. Marco Institucional: 2.1 Bas Normativa: - ECA;

Leia mais

ESCOLA BÁSICA D. DOMINGOS JARDO

ESCOLA BÁSICA D. DOMINGOS JARDO Unidad Didáctica: Trocas nutricionais ntr o organismo o mio nos animais. Comprndr qu a vida dos srs vivos assgurada pla ralização d funçõs spcíficas;. Comprndr qu as funçõs vitais rqurm nrgia;. Assumir-s

Leia mais

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43

Atualizado em, 28/02/2012 Páginas:27, 28 e 41. Página 1 de 43 Atualizado m, 28/02/2012 Páginas:27, 28 41. Página 1 d 43 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS-UFT SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA PARA O CARGO DE PROFESSOR TEMPORÁRIO 2012.2 EDITAL Nº 022, DE 27 DE

Leia mais

PORTARI A ORIGEM DESTINO PERÍODO MOTIVO DA VIAGEM Nº DIÁRIAS. DE 24 a 25/06/2014 DE 02 A 06/06/2014 DE 15 A 16/05/2014 24 A CORREGEDORIA Nº 56/2014.

PORTARI A ORIGEM DESTINO PERÍODO MOTIVO DA VIAGEM Nº DIÁRIAS. DE 24 a 25/06/2014 DE 02 A 06/06/2014 DE 15 A 16/05/2014 24 A CORREGEDORIA Nº 56/2014. ADRIANO DUA VIIRA APOIO SPCIALIZADO- SPC. NGNHARIA CIVIL 278/2014 FORTALZA JUAZIRO D 24 a 25/06/2014 FISCALIZAR O CONTRATADO CMB NGNHARIA LTDA., RALIZANDO O ACOMPANHAM DA OBRA A PRPARAÇÃO DA 7ª MDICÃO,

Leia mais

PORTARIA SDA Nº 109, DE 07 DE JULHO DE 2014.

PORTARIA SDA Nº 109, DE 07 DE JULHO DE 2014. Scrtaria d Dfsa Agropcuária SDA LABORATÓRIO DE SAÚDE ANIMAL DO INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA Nom Emprsarial: INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA CNPJ: 65.179.400/0001-51 Endrço: Av. do Contorno,

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS

COMERCIALIZAÇÃO PROIBIDA POR TERCEIROS 06 ISSN 677-7042 Nº 22, quarta-fira, 3 d novmbro d 203 PORTARIA Nº 2.72, DE 2 DE NOVEMBRO DE 203 Rdfin o rgulamnto técnico d procdimntos hmotrápicos. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso da atribuição

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

~ ~ ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

~ ~ ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS .".,....,. RESOLUÇÃO N 2007 1a CÂMARA DE JULGAMENTO 51 a SESSÃO ORDINÁRIA EM: 20.03.2007 PROCESSO N. 2/5023/2005 AUTO DE INFRAÇÃO N 2/200520854 RECORRENTE: ERALDO MARINHO DA SILVA. RECORRIDO: CÉLULA DE

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS-UFT SELEÇÃO PÚBLICA EDITAL Nº 52, DE 30 DE JULHO DE 2013 A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS UFT, nst ato rprsntada plo su ritor, Márcio Silvira, dsignado

Leia mais

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33

CARVALHO HOSKEN S/A carvalhohosken.com.br CARVALHO HOSKEN S.A. ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES CNPJ: 33.342.023/0001-33 Balanço Social Em 31 d dzmbro d 2015 2014 1 - Bas d Cálculo 2015 Valor (Mil rais) 2014 Valor (Mil rais) Rcita líquida (RL) 190.202 292.969 Rsultado opracional (RO) 111.720 (16.955) Rsultado Financiro (29.648)

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 227, DE 2010.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 227, DE 2010. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 227, DE 2010. Dispõe sobre o capital mínimo requerido para autorização e funcionamento e sobre planos corretivo e de recuperação

Leia mais