DICAS PARA FALAR E ESCREVER MELHOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DICAS PARA FALAR E ESCREVER MELHOR"

Transcrição

1 DICAS PARA FALAR E ESCREVER MELHOR 1. CONCORDÂNCIA 2. CRASE 3. PONTUAÇÃO (VÍRGULA) 4. REGÊNCIA 5. DIFICULDADES GERAIS 1 CONCORDÂNCIA 1. Cuidado com verbos que iniciam períodos, assim: CHEGOU, depois de uma longa viagem de estudos, os JUÍZES. Como o verbo inicia a frase, não prestamos atenção no que se diz mais adiante. O verbo está no singular, e o sujeito, no plural. O correto deverá ser: CHEGARAM, depois de uma longa viagem de estudos, os JUÍZES. 2. Cuidado em dobro com os verbos fazer (indicando tempo decorrido) e haver (indicando existir). Observe: a) Faz dez anos que houve aquele julgamento. (Jamais FAZEM) b) Deve fazer dez anos que houve aquele julgamento. (Jamais DEVEM) c) Houve muitas audiências hoje. (Jamais HOUVERAM) 1

2 d) Pode haver novas decisões. (Jamais PODEM) Com outros sentidos, os verbos são conjugados normalmente: a) Todos fazem o melhor. Todos devem fazer o melhor. b) Os candidatos houveram-se bem nas prova de aula. 3. Cuidado com construções com SE: a) Precisa-se de advogados. (Verbo transitivo indireto) Jamais no plural. b) Observam-se grandes transformações sociais. (Verbo transitivo direto) Equivale a Grandes transformações sociais são observadas. Muito cuidado com a concordância. 4. Muito cuidado com a concordância de gêneros diferentes: Exemplo: Carros, lanchas e motos foram imediatamente vendidos. (Masculino + feminino + feminino = masculino plural) 2 CRASE O que é? A palavra crase, de origem grega, significa "mistura", "fusão" - ou seja, a união íntima de dois elementos. A correta utilização do sinal indicativo de crase depende da existência de uma preposição e de um artigo definido. Assim, na frase À mulher compete a administração do casal, é necessário que se entenda a construção: compete a quem? Esse a é uma preposição. Mulher, por sua vez, é 2

3 um substantivo feminino. Admite, portanto, o artigo a: a mulher. Temos, então: A administração do casal compete a a mulher. Ou: compete a + a mulher = compete à mulher. Utilizamos o sinal indicativo de crase nos seguintes casos: 1. Encontro da preposição a com a inicial dos demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo - que passam a escrever-se àquele(s), àquela(s), àquilo. 2. Encontro da preposição a com o artigo definido feminino a, as, que passa a escrever-se à, às. 3. Encontro da preposição a com o pronome demonstrativo a, as, que passa a escrever-se à, às. Eis alguns exemplos: 1. Encaminhe-se àquela repartição. ( = encaminhe-se a aquela repartição.) 2. O juiz despachou favoravelmente àqueles acusados (= favoravelmente a aqueles acusados.) Para que acertemos sempre, é importante saber regência: Exemplo: Eu me refiro àquele rapaz. Eu encontrei aquele rapaz. Quem se refere, refere-se a ( = preposição) + aquele = àquele. Quem encontra, encontra alguém. Nesse caso, não há preposição: encontrei + aquele = encontrei aquele. Mais exemplos: 3

4 1. O homem já foi à Lua. (O verbo ir pede preposição a; o nome Lua pede o artigo a; a + a = à. 2. Mantenha o amor à Patria e o respeito às tradições. (Os substantivos amor e respeito pedem preposição a; os nomes Pátria e tradições pedem o artigo a, as; a + a = à; a + as = às. É necessário que haja preposição + artigo. Observe: O homem já foi à Lua. Mas: O homem ainda não foi a Vênus. Por que não há o sinal indicativo de crase em a Vênus? Simples. Porque Vênus não admite artigo. Outro exemplo: Ele resistiu às tentações do poder. (Houve crase da preposição a, pedida pelo verbo resistir, com o a do artigo plural as, que determina tentações = ele resistiu a as tentações = às) E mais exemplos: Minha sorte está ligada à da minha terra. (Compare: Meu destino está ligado ao do meu país. Depois do à subentende-se sorte.) Em alguns casos, a crase é facultativa. É o que acontece diante dos possessivos minha(s), tua(s), sua(s), nossa(s), vossa(s). Exemplo: Dê toda a atenção a sua tarefa. Dê toda atenção à sua tarefa. Algumas situações que devem ser levadas em conta: 1. A crase e as locuções com substantivos femininos. Eis alguns exemplos: 4

5 à beça à beira de à cata de à chave à conta de à direita à escuta à espreita à esquerda à farta à grande (= à larga) à guisa de (= à maneira de) à maneira de à mão à medida que à mercê de à míngua (em penúria, na miséria) à moda (de) à parte à revelia à sorte à tarde à toa à vista (de) às cegas às claras às direitas 2. A crase antes dos topônimos (nomes de lugar): Os nomes próprios de lugar ora são determinados pelo artigo, ora não o admitem. Exemplos: Com artigo: a América, a Europa, a África, a França, a Itália, a Argentina, o Peru, as Antilhas, as Filipinas, a China, o Japão; a Bahia, o Acre, o Pará; a Gávea, a Penha, o Leblon, as canárias. Sem artigo: 5

6 Portugal, Mônaco, Honduras, Cuba; Paria, Roma, Atenas; Alagoas, Sergipe, Minas Gerais; Curitiba, São Paulo, Brasília, Fortaleza, Natal; Copacabana, Ipanema. Assim, temos: Vou a Curitiba. (Curitiba não admite artigo: logo, não há sinal indicativo de crase). Podemos, no entanto, qualificar Curitiba: a Curitiba dos grandes festivais de teatro. Poderemos escrever: Vou à Curitiba dos grandes festivais de teatro. 3. A crase antes da palavra casa A palavra casa sem algo que a qualifique não admite artigo. Logo, não haverá crase. Se houver qualificação, haverá crase. Exemplos: Fui a casa apanhar os processos. (casa sem qualificador/adjunto) Fui à casa de meus pais. (casa com qualificador/adjunto = de meus pais) 4. A crase antes da palavra terra A palavra terra, na maioria das suas acepções, pode vir precedida do artigo a. Assim, haverá o sinal indicativo de crase. Quando, porém, se opõe a bordo é indeterminada, sem artigo; portanto não admite crase: Exemplos: Voltei, depois de muito tempo, à terra onde nasci. Logo que o navio aportou, os marinheiros desceram a terra. Por fim, guarde bem os casos em que não acentuamos o a: 6

7 1. antes de substantivos masculinos (exceto se houver palavra feminina subentendida); 2. antes dos infinitivos de verbos; 3. antes do artigo indefinido uma; 4. antes dos pronomes que não podem vir precedidos do artigo a: a mim, a ti, a si, a ela, a nós, a vós, a elas; a você, a Vossa Senhoria, a Vossa Excelência, a Vossa Majestade, a Sua Senhoria, a Sua Excelência, a Sua Santidade; alguma(s), nenhuma(s), cada, certa(s), determinada(s), pouca(s), quanta(s), tal, tamanha(s), tanta, toda(s), uma(s), muita(s), outra(s), várias, qualquer, quaisquer, alguém, ninguém); esta(s), essa(s), cuja(s), quem. Alguns exemplos: - Eu me refiro a uma certa pessoa. - Entregou o processo a alguém. - Ofendeu a todos. - Estamos atentos a essa determinação. - Estamos dispostos a colaborar. - Entregou a ela tudo o que foi solicitado. Importante: a) Uma, como numeral, admite crase: chegou à uma hora; b) Em certas ocasiões, alguns indefinidos - tal, tais, mesma(s), muita(s), outra(s), pouca(s) - podem vir determinados pelo artigo definido feminino a, as, o que provocará a crase, no caso de haver encontro com a preposição a. c) Antes do pronome relativo QUE, a crase só é obrigatória se a fusão à (a + a) resulta de preposição a + a demonstrativo ( = aquela, como em Arquive esta carta e responda à que recebemos ontem. Nesse caso, à que = àquela que.) 7

8 d) Há também a locução à uma ( = a uma só voz): Todos responderam à uma. Não acentuamos também: 1. o a antes da expressão Nossa Senhora ou de nomes de santas. Da mesma forma, não se acentua o a que fica entre substantivos iguais e também um a sozinho que antecede palavra no plural; 2. o a (que é artigo definido) que se segue a preposições (ante, após, com, conforme, contra, desde, durante, entre, mediante, para, perante, sob, sobre, segundo). 3. o a que precede substantivos femininos tomados em sentido geral, indeterminado, e que, portanto, repelem o artigo definido. 4. o a antes de numerais cardinais. 3 PONTUAÇÃO (VÍRGULA) A pontuação é algo que causa muitos estragos em nossos textos. O uso da vírgula parece ser um monstro de muitas cabeças. E não é. Basta que tenhamos um pouco de atenção. Nem sempre lemos o que escrevemos; se lêssemos, veríamos as quebras inexplicáveis, as frases que ficam sem sentido. Observe: 1. O advogado tão logo foi chamado, solicitou que fosse marcada uma nova data para um novo encontro. É uma falha bastante comum. Quebramos a frase. Afinal, que solicitou a nova marcação? O advogado. Não podemos separar advogado (sujeito) de seu verbo (solicitou). Não pode haver a vírgula. Intercalar informações pode ser uma maneira de salvar a frase. 8

9 Assim: O advogado tão logo foi chamado, por volta das duas horas, solicitou que fosse marcada uma nova data para um novo encontro. Como podemos perceber, uma vírgula quebra a frase; se usarmos duas, não alteramos nada. 2. Remeteremos na próxima semana, um novo pedido. Também quebramos a frase. Não há sentido, porque quem envia, envia alguma coisa, envia alguém. Não podemos separar a ação de enviar do que é remetido. Assim, o emprego dessa vírgula é um grande erro. Também podemos salvar a frase intercalando uma informação, um dado, um comentário. Assim: Remeteremos na próxima semana, sem falta, um novo pedido. Aqui está um outro exemplo: A Faculdade Sorte lançou de forma inédita no País, a Pós- Graduação em TERAPIA PLAUTIANA. Que instituição lançou? A Faculdade Sorte. Lançou o quê? A Pós-graduação. A frase está correta? Não. Há uma vírgula no meio do caminho. Como consertar? Tiramos a vírgula: A Faculdade Sorte lançou de forma inédita no País a Pós-Graduação em TERAPIA PLAUTIANA. Colocamos outra vírgula: A Faculdade Sorte lançou, de forma inédita no País, a Pós-Graduação em TERAPIA PLAUTIANA. O uso correto da vírgula depende muito da atenção. Devemos verificar as expressões referentes a tempo, a lugar, a modo; também expressões de explicação, correção, continuação, conclusão e concessão. A vírgula 9

10 separa também as conjunções e termos adversativos: porém, todavia, contudo, entretanto, principalmente quando pospostos. Nas datas, a vírgula separa o nome do lugar; às vezes, também indica a omissão do verbo. Para acertar, a sua leitura é fundamental. Alguns exemplos: a) Ele sai agora; eu, logo mais. ( = eu saio logo mais) b) A sentença, porém, não acalmou os ânimos. (termo adversativo) c) Ele sairá amanhã, aliás, depois de amanhã. (correção de informação) d) Eu mesmo, até então, estava triste. (noção de tempo) e) Como não me atendessem, fui embora. (noção de causa) f) Fomos visitá-lo, embora fosse tarde. (noção de concessão) g) Mal chegou, começou o depoimento. (noção de tempo) É preciso ter muito cuidado com a pontuação nas seguintes frases: a) O acusado declarou que não estava no local do crime. (Jamais use vírgula nesse tipo de construção: declarou o quê?) b) O funcionário que me atendeu disse que estava tudo certo. (também não há vírgula; há uma noção de restrição, porque não foi um funcionário qualquer: foi o funcionário que me atendeu. Trata-se de uma oração adjetiva restritiva.) c) O advogado, que me pareceu muito sério, enviou sua proposta de acordo. (Neste caso, há uma explicação acerca do comportamento do advogado. Trata-se de uma oração adjetiva explicativa.) d) O advogado chegou ao recinto e logo exigiu uma medida punitiva. O advogado chegou ao recinto, e 10

11 uma voz se ouviu ao fundo da sala. (No primeiro caso, não há vírgula antes do e; o advogado está ligado diretamente às duas ações expressas chegou e exigiu. No segundo exemplo, temos advogado e voz, sujeitos diferentes. O uso da vírgula, nesse caso, está corretíssimo.) Numa frase como Todos aplaudiram o cantor que recebeu o prêmio, entende-se que os aplausos foram para o vencedor, não para os outros. É uma restrição. Se tivermos Todos aplaudiram o cantor, que recebeu o prêmio, entende-se que o cantor acabou recebendo o prêmio. É uma explicação. 4 REGÊNCIA Desconhecer regência é causa de grandes tropeços. Por quê? Porque assassinamos frases como Ontem paguei o pedreiro. Ora, pagamos alguma coisa a alguém. Esse a é uma preposição; sem ela a frase fica quebrada. Bom mesmo é escrever Ontem paguei [o salário] ao pedreiro. E o que é regência? É a relação de dependência de uma palavra em relação a outra. Costuma-se dar o nome de regência nominal à regência estabelecida entre um nome e seus dependentes. E quando o assunto é verbo, como o verbo pagar, temos a regência verbal. Observe: Os jurados tinham necessidade de mais informações. Necessidade é um nome, e esse nome precisa de algo: uma preposição (de). Assim temos um caso de regência nominal. Vejamos outros exemplos de regência nominal: Acessível a 11

12 alheio a apto a ou para desejoso de desfavorável a fiel a hábil em impotente para ou contra obediente a passível de preferível a prestes a ou para residente em sito em união com ou entre Quanto à regência verbal, é necessário que tenhamos muita atenção no que se refere ao verbo. É preciso recordar alguns pontos da gramática: Assim, em Ele entregou o documento, o verbo entregar é transitivo direto. Ele entregou alguma coisa: o documento é objeto direto. Poderíamos também dizer Ele entregou o documento ao juiz. Nesse caso, teríamos: ele entregou alguma coisa a alguém. Dois complementos, um deles com a, uma preposição. O verbo foi construído como transitivo direto e indireto: o documento é o objeto direito e ao juiz é objeto indireto. Há também os verbos intransitivos, como o verbo morar: O acusado mora na Rua Azul. Ele mora mora em uma rua. Esses verbos intransitivos não são construídos com objetos. O que temos são adjuntos adverbiais (de tempo, de lugar, de causa, etc.), como é o caso de na rua Azul, que é um adjunto adverbial de lugar. 12

13 Vejamos outros dois exemplos de regência verbal: Aperceber-se É transitivo indireto: Ele não se apercebeu da gravidade da situação. Avisar Transitivo direto e indireto: Avisamos a nova decisão aos participantes. Ou: Avisamos da nova decisão os participantes. Raciocínio: avisamos alguém de alguma coisa ou avisamos alguma coisa a alguém. Somente um dos complementos pode ter preposição. Implicar Transitivo direto = acarretar: Aumento dos combustíveis implica aumento de preços em geral.. Querer Transitivo direto = desejar: A gente quer comida. Transitivo indireto = amar, estimar, querer bem: A menina quer muito ao pai. O importante mesmo é analisar com muita atenção o verbo que está sendo utilizado para que não haja enganos. Eis aqui mais um bom exemplo: À mulher compete a administração do casal. É uma frase bastante difícil. É fundamental que se entenda a construção que foi utilizada: Alguma coisa compete a alguém. A administração do casal compete à mulher. Assim, esse verbo é transitivo indireto e, nesse caso, o que está destacado é objeto indireto. 13

14 5 DIFICULDADES GERAIS: MUITO CUIDADO! 1. Cuidado com a colocação de pronomes: - advérbios, pronomes substantivos e conjunções subordinativas exercem grande atração sobre outros pronomes (casos de próclise): Exemplos: a) Não diga-me! (Correto: Não me diga! ) b) Ninguém ama-me! (Correto: Ninguém me ama!) - Orações exclamativas, optativas e interrogativas também exercem atração: Exemplo: Quanto iludi-me com ele! (O correto: Quanto me iludi com ele ) - Há ênclise com infinitivo, gerúndio e imperativo afirmativo; jamais com particípio: Exemplos: a) Vou encontrá-lo amanhã. b) Viver é adaptar-se. c) Levante-se daí! d) O advogado, levantando-se da mesa, pediu a palavra. e) Tenho visto-o aqui. (Erro absoluto: com particípio não se usa ênclise. Certo: tenho o visto aqui. Ou: Eu o tenho visto aqui.) 2. Evite construções como: Qual será a situação daquele advogado junto à OAB? Acabe com esse junto à e use na. Fica melhor assim: Qual será a situação daquele advogado na OAB? 14

15 3. Cuidados com os modismos: Na reunião, ele colocou os problemas da empresa. Evite isso. Prefira: Na reunião, ele apresentou/enumerou os problemas da empresa. 4. ALUGUEL/ ALUGUÉIS ALUGUER/ALUGUERES Aluguel, com o plural aluguéis, é a forma hoje mais usada. Fora do meio jurídico, é a única que se vê e ouve. Aluguer, com o plural alugueres, é forma variante de aluguel (aluguéis). É bastante comum a troca do l por r. Aluguer e alugueres são as formas empregadas em nosso Código Civil. Por exemplo, observemos o artigo 178, parágrafo 10: IV - Os alugueres de prédio rústico ou urbano. VI Os prazos dos números anteriores serão contados do dia em que cada prestação, juro, aluguer ou salário for exigível. A forma aluguer está em desuso, associada que é a uma pronúncia caipira, do tipo papel/paper. A forma alugueres ainda é bastante usual no meio jurídico, principalmente na escrita (em contratos de locação, por exemplo). 5. A PRIORI A POSTERIORI A priori, outra expressão latina, indica o ato de discorrer independentemente dos fatos, da experiência, partindo da causa para o efeito. Argumento a priori é, pois, o argumento dedutivo, que parte do geral para o particular. A priori, por sua vez, não é sinônimo de antes, anteriormente. Assim, o advogado também não deve dizer, por exemplo, que deseja, a priori (em vez de preliminarmente, antes de 15

16 mais nada), tecer algumas considerações sobre o sistema carcerário brasileiro. A posteriori, expressão latina, aplica-se ao raciocínio que se escuda nos fatos, em que se remonta do efeito à causa. Raciocínio a posteriori é, portando, o que não se baseia na regra abstrata, mas se funda nos fatos, na experiência, nos dados concretos, para chegar a uma conclusão indutiva. É incorreto o emprego de a posteriori como sinônimo de depois, posteriormente. Assim, o advogado não deve dizer que juntará documentos a posteriori (em vez de posteriormente). 6. HÁ/A POUCOS MINUTOS DO FINAL A Indica distância temporal, tempo que falta ou tempo futuro (nas expressões daqui a, daí a, dali a ). Exemplos: Estamos a dez dias das provas (faltam dez dias ). A duas semanas do pleito (faltando duas semanas ), o eleitorado não sabe em quem votar. Estávamos a dois meses (faltavam dois meses ) das férias. O réu suicidou-se a vinte minutos do início do júri. A reunião terá início daqui a três horas. Assim, o título da nossa coluna está errado. O correto deverá ser: A poucos minutos do final do jogo, o juiz apitou a falta. ÀS Indica hora certa, determinada (hora do relógio). Exemplos: 16

17 A sessão teve início às 10 horas (quando eram ). À uma hora (quando era uma hora), começou o julgamento. O expediente externo encerra às 17 horas (quando são ). HÁ Indica tempo passado, anterior. Podemos substituir por faz. Exemplos: A reunião teve início há (faz) três horas. Há (faz) pouco tempo, um réu de homicídio enforcou-se naquela mesma cela. A comissão examinadora está reunida há (faz) mais de quatro horas. 7. MAIORES INFORMAÇÕES Não sei se você sabe, mas informações não têm tamanho. Não são pequenas, não são grandes: são informações. Por isso, nada de maiores informações. É pura bobagem. Que tal mais informações? Ou outras informações? Ou informações complementares? 17

CRASE. Entregue o documento à advogada.

CRASE. Entregue o documento à advogada. CRASE A crase é a fusão de duas vogais da mesma natureza. Sua representação se dá por meio do chamado acento grave sobre a letra a, tornando acentual esta vogal. Assim, o acento grave é o sinal que indica

Leia mais

Crase. Regra Geral. Maria vai a + a festa. Maria vai à festa

Crase. Regra Geral. Maria vai a + a festa. Maria vai à festa Crase Regra Geral prep artigo Maria vai a + a festa Maria vai à festa 1. Em locuções adverbiais de que participam palavras femininas: às vezes à toa à vontade às cegas à tarde / à noite / à beça / às moscas

Leia mais

c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural.

c) O verbo ficará no singular ou no plural se o sujeito coletivo for especificado com substantivo no plural. Concordância Verbal a) O verbo vai para a 3ª pessoa do plural caso o sujeito seja composto e anteposto ao verbo. Se o sujeito composto é posposto ao verbo, este irá para o plural ou concordará com o substantivo

Leia mais

CRASE TEORIA. REGRA GERAL A crase ocorrerá sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as.

CRASE TEORIA. REGRA GERAL A crase ocorrerá sempre que o termo anterior exigir a preposição a e o termo posterior admitir o artigo a ou as. CRASE TEORIA (Aluna do Curso de Secretariado Executivo Trilíngüe da Universidade Estácio de Sá) Crase é a fusão da preposição a com o artigo a ou com o a inicial dos pronomes demonstrativos aquele, aquela,

Leia mais

CRASE. CONCEITO - É a fusão de duas vogais idênticas. Representa-se graficamente a crase pelo acento grave (`).

CRASE. CONCEITO - É a fusão de duas vogais idênticas. Representa-se graficamente a crase pelo acento grave (`). CRASE CONCEITO - É a fusão de duas vogais idênticas. Representa-se graficamente a crase pelo acento grave (`). A crase pode ocorrer entre: 1) Preposição A e os artigos A, AS Há limites a+a tolerância humana

Leia mais

Sem o acento, uma frase como essa teria seu sentido alterado, pois, em "Saiu a francesa", "a francesa" é o sujeito da oração.

Sem o acento, uma frase como essa teria seu sentido alterado, pois, em Saiu a francesa, a francesa é o sujeito da oração. OBS.: A locução prepositiva "à moda de" tem uma peculiaridade: nela se costuma observar a elisão do substantivo feminino "moda", mas, mesmo nos casos em que isso ocorre, mantém-se o acento de crase. Ex.:

Leia mais

PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA...

PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA... Sumário PARTE 1 FONÉTICA CAPÍTULO 1 FONÉTICA... 3 1.1. Fonema...3 1.2. Classificação dos fonemas...4 1.3. Encontros vocálicos...5 1.4. Encontros consonantais...5 1.5. Dígrafos...6 1.6. Dífono...7 1.7.

Leia mais

Pessoais Do caso reto Oblíquo. Possessivos. Demonstrativos. Relativos. Indefinidos. Interrogativos

Pessoais Do caso reto Oblíquo. Possessivos. Demonstrativos. Relativos. Indefinidos. Interrogativos Pessoais Do caso reto Oblíquo Possessivos Demonstrativos Relativos Indefinidos Interrogativos Os pronomes is indicam diretamente as s do discurso. Quem fala ou escreve, assume os pronomes eu ou nós, emprega

Leia mais

Problemas Notacionais da Língua

Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Problemas Notacionais da Língua Neste encontro, analisaremos algumas particularidades que nossa língua apresenta e, muitas vezes, devem ter deixado você com dúvidas. É muito

Leia mais

Português- Prof. Verônica Ferreira

Português- Prof. Verônica Ferreira Português- Prof. Verônica Ferreira 1 Com relação a aspectos linguísticos e aos sentidos do texto acima, julgue os itens a seguir. No trecho que podemos chamar de silenciosa (l.15-16), o termo de silenciosa

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ÍNDICE Pronomes...2 Pronomes Pessoais...2 Pronomes de Tratamento...3 Pronomes Possessivos...3 Pronomes Demonstrativos...3 Pronomes Indefinidos...4 Pronomes Relativos...4 Pronomes

Leia mais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais

Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE. Comunicação Oral e Escrita. Unidade 11. Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 1 UVAONLINE Comunicação Oral e Escrita Unidade 11 Emprego de Pronomes Relativos e Pessoais Núcleo de Educação a Distância 2 Aviso importante! Este material foi produzido

Leia mais

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros

Muito prazer Curso de português do Brasil para estrangeiros Modo: indicativo O modo indicativo expressa um fato de maneira definida, real, no presente, passado ou futuro, na frase afirmativa, negativa ou interrogativa. Presente Presente Passado (=Pretérito) Pretérito

Leia mais

Língua Portuguesa. Prof. Pablo Alex L. Gomes. Quem é você? Por que ninguém ligou? NÃO deve ser usado em perguntas INDIRETAS

Língua Portuguesa. Prof. Pablo Alex L. Gomes. Quem é você? Por que ninguém ligou? NÃO deve ser usado em perguntas INDIRETAS Língua Portuguesa Prof. Pablo Alex L. Gomes É utilizado na finalização de frases declarativas ou imperativas. Utilizado em abreviaturas: Sr. (senhor), Sra. (senhora), Srta. (senhorita), p. (página). Em

Leia mais

ESCOLA SÃO DOMINGOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 3º TRIMESTRE GRAMÁTICA 2º ANO

ESCOLA SÃO DOMINGOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 3º TRIMESTRE GRAMÁTICA 2º ANO ESCOLA SÃO DOMINGOS BATERIA DE EXERCÍCIOS 3º TRIMESTRE GRAMÁTICA 2º ANO 1. No lugar das lacunas, empregue adequadamente as palavras entre parênteses. a) Já é -dia e. (meio) b) Pareciam preocupadas com

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul NÚMERO DA VAGA: 22 venho por meio deste pedir a anulação

Leia mais

Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é

Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é Caro aluno! O CURSO AVANÇADO DE PORTUGUÊS (FGV) está voltado para o concursando que se destina a realizar as provas da banca FGV. Nossa estratégia é que o aluno NÃO DECORE NADA em Língua Portuguesa. Se

Leia mais

CONCURSO BB 2014 REVISÃO - PORTUGUÊS

CONCURSO BB 2014 REVISÃO - PORTUGUÊS CONCURSO BB 2014 REVISÃO - PORTUGUÊS Professora Renata Tosetto COMPREENSÃO TEXTUAL Atente-se sempre ao enunciado segundo o texto, conforme o texto, segundo o autor, de acordo com o autor (texto) nestes

Leia mais

Professor Jailton CONCORDÂNCIA VERBAL

Professor Jailton CONCORDÂNCIA VERBAL Professor Jailton CONCORDÂNCIA VERBAL CONCORDÂNCIA VERBAL Regra geral O verbo e seu sujeito deverão concordar em número e pessoa: Eu Tu Ele Os alunos sujeito cheguei. chegaste. chegou. chegaram. verbo

Leia mais

ORAÇÕES SUBORDINADAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS

ORAÇÕES SUBORDINADAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS ORAÇÕES SUBORDINADAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS As orações subordinadas substantivas são as palavras

Leia mais

As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso.

As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso. COMENTÁRIO QUESTÕES DE PORTUGUÊS PROFESSORA: FABYANA MUNIZ As questões a seguir foram extraídas de provas de concurso. 1. (FCC)...estima-se que sejam 20 línguas. (2º parágrafo) O verbo flexionado nos mesmos

Leia mais

Período composto por subordinação

Período composto por subordinação Período composto por subordinação GRAMÁTICA MAIO 2015 Na aula anterior Período composto por coordenação: conjunto de orações independentes Período composto por subordinação: conjunto no qual um oração

Leia mais

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO

Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO Professora Verônica Ferreira PROVA CESGRANRIO 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL TÉCNICO BANCÁRIO 1 Q236899 Prova: CESGRANRIO - 2012 - Caixa - Técnico Bancário Disciplina: Português Assuntos: 6. Interpretação

Leia mais

CAPÍTULO 9: CONCORDÂNCIA DO VERBO SER

CAPÍTULO 9: CONCORDÂNCIA DO VERBO SER CAPÍTULO 9: CONCORDÂNCIA DO VERBO SER Vejamos os exemplos de concordância do verbo ser: 1. A cama eram (ou era) umas palhas. Isto são cavalos do ofício. A pátria não é ninguém: são todos. (Rui Barbosa).

Leia mais

Colégio Cândido Portinari Professora Anna Frascolla 2010 CRASE

Colégio Cândido Portinari Professora Anna Frascolla 2010 CRASE Colégio Cândido Portinari Professora Anna Frascolla 2010 CRASE 1º caso: Preposição A + artigo feminino A Ela irá à festa. (Ela irá ao parque.) 2º caso: Preposição A + pronome demonstrativo Aquela Fomos

Leia mais

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS

PORTUGUÊS PARA CONCURSOS PORTUGUÊS PARA CONCURSOS Sumário Capítulo 1 - Noções de fonética Fonema Letra Sílaba Número de sílabas Tonicidade Posição da sílaba tônica Dígrafos Encontros consonantais Encontros vocálicos Capítulo 2

Leia mais

Questão 01 Interpretação de texto. Questão 02 Acentuação gráfica

Questão 01 Interpretação de texto. Questão 02 Acentuação gráfica COMENTÁRIOS E RESPOSTAS À PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA DE NÍVEL MÉDIO PARA AGENTE ADMINSITRATIVO AUXILIAR PORTO ALEGRE DO CONCURSO DA FUNDAÇÃO ESTADUAL DE PROTEÇÃO E PESQUISA EM SAÚDE FEPS PROVA REALIZADA

Leia mais

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data:

FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: FACCAT FACULDADES INTEGRADAS DE TAQUARA Nomes: Ana Carvalho, Tairini, Ellen, Tâmiris, Cássia, Cátia Weber. Professor: Zenar Schein Data: Listagem Conteúdos: 6º ano ensino fundamental Morfologia Fonética

Leia mais

DICAS DE PORTUGUÊS. Sidney Patrézio Reinaldo Campos Graduando em Ciência da Computação

DICAS DE PORTUGUÊS. Sidney Patrézio Reinaldo Campos Graduando em Ciência da Computação DICAS DE PORTUGUÊS Sidney Patrézio Reinaldo Campos Graduando em Ciência da Computação CONCORDÂNCIA NOMINAL Concordância nominal é o princípio de acordo com o qual toda palavra variável referente ao substantivo

Leia mais

Estudo das classes de palavras Conjunções. A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das

Estudo das classes de palavras Conjunções. A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das Um pouco de teoria... Observe: Estudo das classes de palavras Conjunções A relação de sentido entre orações presentes em um mesmo período e o papel das I- João saiu, Maria chegou. II- João saiu, quando

Leia mais

Prazer em Conhecê-lo. APRENDA Cumprimentos Dias da Semana Meses do Ano O Alfabeto

Prazer em Conhecê-lo. APRENDA Cumprimentos Dias da Semana Meses do Ano O Alfabeto EU E VOCÊ Unidade 1 01 Prazer em Conhecê-lo Cumprimentos Dias da Semana Meses do Ano O Alfabeto 02 Frases: Afirmativa, Negativa, Interrogativa Artigos: Definidos e Indefinidos Substantivos e Adjetivos

Leia mais

Análise Sintática AMOSTRA DA OBRA. Português é simples. 2ª edição. Eliane Vieira. www.editoraferreira.com.br

Análise Sintática AMOSTRA DA OBRA. Português é simples. 2ª edição. Eliane Vieira. www.editoraferreira.com.br AMOSTRA DA OBRA www.editoraferreira.com.br O sumário aqui apresentado é reprodução fiel do livro 2ª edição. Eliane Vieira Análise Sintática Português é simples 2ª edição Nota sobre a autora Sumário III

Leia mais

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br

Odilei França. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br Odilei França Graduado em Letras pela Fafipar. Graduado em Teologia pela Faculdade Batista. Professor de Língua Portuguesa para concursos públicos há 22 anos. Sintaxe do período composto: parte II Período

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO

COMANDO DA AERONÁUTICA ESCOLA DE ESPECIALISTAS DE AERONÁUTICA SUBDIVISÃO DE ADMISSÃO E DE SELEÇÃO Questão : 08 19 25 A questão 08 do código 07, que corresponde à questão 19 do código 08 e à questão 25 do código 09 Assinale a alternativa incorreta em relação à regência nominal. a) São poucos os cargos

Leia mais

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos:

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos: Concordância Na aula de hoje, estudaremos os principais tipos e ocorrências de itens relacionados à concordância verbal cobrados nos vestibulares do país. Nesse sentido, é válido lembrar que serão observadas

Leia mais

Deve-se analisar a frase e sublinhar todas as formas verbais nelas existentes. Assim sendo, a frase fica:

Deve-se analisar a frase e sublinhar todas as formas verbais nelas existentes. Assim sendo, a frase fica: Revisão sobre: - Orações complexas: coordenação e subordinação. - Análise morfológica e análise sintáctica. - Conjugação verbal: pronominal, reflexa, recíproca, perifrástica. - Relação entre palavras.

Leia mais

O objeto direto preposicionado pode ocorrer quando: Estiver representando nomes próprios. Ex.: Sempre quis viajar a Fernando de Noronha.

O objeto direto preposicionado pode ocorrer quando: Estiver representando nomes próprios. Ex.: Sempre quis viajar a Fernando de Noronha. Em alguns casos, o objeto direto pode ser introduzido por preposição: é o chamado objeto direto preposicionado. Nesses casos, o verbo é sempre transitivo direto, e seu complemento é, obviamente, um objeto

Leia mais

CONCORDÂNCIA NOMINAL

CONCORDÂNCIA NOMINAL CONCORDÂNCIA NOMINAL Concordância nominal é a concordância de nomes entre si. A que vai nos interessar particularmente é a concordância do adjetivo com o substantivo. Primeiro caso: Preste atenção a este

Leia mais

03. Resposta: E. Página 552 02.

03. Resposta: E. Página 552 02. Orações coordenadas Página 550 a) O aquecimento excessivo do planeta é um fato incontestável [1], por isso muitos países já implantaram programas de redução de poluentes [2], mas / porém / no entanto o

Leia mais

MUNICÍPIO DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE AVARÉ ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO DOS RECURSOS I DOS RECURSOS

MUNICÍPIO DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE AVARÉ ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO DOS RECURSOS I DOS RECURSOS MUNICÍPIO DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE AVARÉ ESTADO DE SÃO PAULO DECISÃO DOS RECURSOS (INFRARRELACIONADOS) I DOS RECURSOS Trata-se de recursos interpostos pelos candidatos infrarrelacionados concorrentes ao

Leia mais

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa 01. Alternativa (E) Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Língua Portuguesa Alternativa que contém palavras grafadas de acordo com o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa - VOLP 02. Alternativa

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 1 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 1 - I Pronomes pessoais Eu Tu 1 Você 2 / ele/ela A gente 3 Nós Vós 4 Eles/ elas

Leia mais

Adjunto adnominal. Os dois primeiros colocados disputarão a medalha de ouro. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj: adn.

Adjunto adnominal. Os dois primeiros colocados disputarão a medalha de ouro. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj. adn. adj: adn. Professor Jailton Adjunto adnominal é o termo da oração que sempre se refere a um substantivo que funciona como núcleo de um termo, a fim de determiná-lo, indeterminá-lo ou caracterizá-lo. adj. adn. adj.

Leia mais

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Língua Portuguesa

Vestibular UFRGS 2015. Resolução da Prova de Língua Portuguesa Vestibular UFRGS 2015 Resolução da Prova de Língua Portuguesa COMENTÁRIO GERAL: a prova compôs-se de três textos dois breves ensaios (artigo cuja temática é universal) e uma crônica. O conhecimento solicitado

Leia mais

Língua Portuguesa. O texto abaixo serve de base para as questões de 16 a 20. Leia-o atentamente. Depois, responda às perguntas.

Língua Portuguesa. O texto abaixo serve de base para as questões de 16 a 20. Leia-o atentamente. Depois, responda às perguntas. Língua Portuguesa O texto abaixo serve de base para as questões de 16 a 20. Leia-o atentamente. Depois, responda às perguntas. O rápido e grande avanço observado no ambiente da produção, por meio do surgimento

Leia mais

Profª.: Elysângela Neves

Profª.: Elysângela Neves Profª.: Elysângela Neves Regência É a relação sintática que se estabelece entre um termo regente ou subordinante (que exige outro) e o termo regido ou subordinado (termo regido pelo primeiro) A regência

Leia mais

As palavras: QUE, SE e COMO.

As palavras: QUE, SE e COMO. As palavras: QUE, SE e COMO. Enfocaremos, nesse capítulo, algumas particularidades das referidas palavras. Professor Robson Moraes I A palavra QUE 1. Substantivo aparece precedida por artigo e exerce funções

Leia mais

Erros mais freqüentes

Erros mais freqüentes Lição 1 Erros mais freqüentes Extraímos de comunicações empresariais alguns erros, que passamos a comentar: 1. Caso se faça necessário maiores esclarecimentos... Apontamos duas falhas: 1. Caso se faça

Leia mais

Orações reduzidas. Bom Estudo!

Orações reduzidas. Bom Estudo! Orações reduzidas Bom Estudo! Orações reduzidas São orações construídas com as formas nominais do verbo infinitivo (terminação em -r), gerúndio (terminação em -ndo) e particípio (terminação em -ado/ -ido),

Leia mais

Conteúdos Programáticos Bolsão 2016. Centro Educacional Apogeu ENSINO FUNDAMENTAL I. Conteúdo para ingresso no 2 o ano

Conteúdos Programáticos Bolsão 2016. Centro Educacional Apogeu ENSINO FUNDAMENTAL I. Conteúdo para ingresso no 2 o ano Conteúdos Programáticos Bolsão 2016 Centro Educacional Apogeu ENSINO FUNDAMENTAL I Conteúdo para ingresso no 2 o ano LÍNGUA PORTUGUESA: Alfabeto (maiúsculo e minúsculo); vogal e consoante; separação silábica;

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES

EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES EMPREGO DE PALAVRAS E EXPRESSÕES ASPECTOS TEÓRICOS. POR QUE /POR QUÊ / PORQUE / PORQUÊ a) POR QUE: Equivale a POR QUAL MOTIVO ou a pelo qual e variações; vem também depois de EIS e DAÍ. b) POR QUÊ: Equivale

Leia mais

Questões de Português da Cesgranrio: prepara-se para o BNDES

Questões de Português da Cesgranrio: prepara-se para o BNDES Questões de Português da Cesgranrio: prepara-se para o BNDES 1. Indique o período em que o sinal de dois-pontos está sendo usado com a mesma finalidade da que ocorre em: Ademilton praticou uma atividade

Leia mais

Conteúdo: Aula: 40.1. Período composto por subordinação: Oração subordinada adverbial Oração subordinada adverbial temporal LÍNGUA PORTUGUESA

Conteúdo: Aula: 40.1. Período composto por subordinação: Oração subordinada adverbial Oração subordinada adverbial temporal LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula: 40.1 Conteúdo: Período composto por subordinação: Oração subordinada adverbial Oração subordinada adverbial temporal

Leia mais

CASOS PARTICULARES S + S + A Obs:

CASOS PARTICULARES S + S + A Obs: 1) Regra geral Palavra que acompanha substantivo concorda com ele. Ex.: O aluno. Os alunos. A aluna. As alunas. Meu livro. Meus livros. Minha pasta. Minhas pastas. Garoto alto. Garotos altos. Garota alta.

Leia mais

Termos integrantes da oração Objeto direto e indireto

Termos integrantes da oração Objeto direto e indireto Termos integrantes da oração Objeto direto e indireto Termos integrantes da oração Certos verbos ou nomes presentes numa oração não possuem sentido completo em si mesmos. Sua significação só se completa

Leia mais

NONA AULA DE GRAMÁTICA - INTERNET. Professora: Sandra Franco

NONA AULA DE GRAMÁTICA - INTERNET. Professora: Sandra Franco NONA AULA DE GRAMÁTICA - INTERNET Professora: Sandra Franco Período Composto 1.Orações Subordinadas Adverbiais. 2. Apresentação das conjunções adverbiais mais comuns. 3. Orações Reduzidas. As orações subordinadas

Leia mais

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e

Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e Conhecer o conteúdo programático do componente Língua Portuguesa e desenvolver habilidades de compreensão, interpretação e produção de textos orais e escritos à maneira adequada do padrão da língua materna;

Leia mais

Classes Gramaticais: Pronome

Classes Gramaticais: Pronome Classes Gramaticais: Pronome Conceito É a palavra que representa uma pessoa do discurso. Pode se referir a um substantivo ou simplesmente substituí-lo. Ex.: Maria, vi os teus lábios, mas não os beijei.

Leia mais

H) Final: funciona como adjunto adverbial de finalidade. Conjunções: a fim de que, para que, porque.

H) Final: funciona como adjunto adverbial de finalidade. Conjunções: a fim de que, para que, porque. H) Final: funciona como adjunto adverbial de finalidade. Conjunções: a fim de que, para que, porque. Ex. Ele não precisa do microfone, para que todos o ouçam. I) Proporcional: funciona como adjunto adverbial

Leia mais

Concordância Nominal

Concordância Nominal Concordância Nominal Concordância Nominal Regra Geral O artigo, o pronome, o numeral e o adjetivo devem concordar em gênero e número com o substantivo ao qual se referem. Ex.: Os nossos dois brinquedos

Leia mais

Telefone: (31) 3352 1272 apostila@apostilasdamasceno.com

Telefone: (31) 3352 1272 apostila@apostilasdamasceno.com REGÊNCIA Regência é o modo pelo qual um termo rege outro que o complementa. A regência pode ser verbal ou nominal, conforme trate do regime dos verbos ou dos nomes (substantivos e adjetivos). 1 REGÊNCIA

Leia mais

Academia Diplomática y Consular Carlos Antonio López

Academia Diplomática y Consular Carlos Antonio López FUNDAMENTACIÓN: IDIOMA: PORTUGUÊS CONTENIDO TEMÁTICO Llevando en consideración las directrices del Marco Europeo Común de Referencia, el examen será encuadrado en un nivel Intermedio Superior. En este

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 3 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 3 I Pronomes possessivos Ele Eles Ela Elas Dele Deles Dela Delas Observação: Dele(s)

Leia mais

08h40min às 09h INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO

08h40min às 09h INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO HORÁRIO DE PROVAS 3º BIMESTRE/2015 TURMA: 6º ANO A 07h às 08h40min HISTÓRIA ARTES ÉTICA CIÊNCIAS ESPANHOL 09h às 10h30min GEOGRAFIA PORTUGUÊS INGLÊS MATEMÁTICA ED. FÍSICA PORTUGUÊS: Interpretação textual/

Leia mais

Leandro Guimarães Faria Corcete Dutra, 12/0 035 341 Thaís Fernanda, 10/0 124 739 Murilo Papa, 12/0 038 901 Waysman Venâncio da Silva, 12/0 023 903

Leandro Guimarães Faria Corcete Dutra, 12/0 035 341 Thaís Fernanda, 10/0 124 739 Murilo Papa, 12/0 038 901 Waysman Venâncio da Silva, 12/0 023 903 Leandro Guimarães Faria Corcete Dutra, 12/0 035 341 Thaís Fernanda, 10/0 124 739 Murilo Papa, 12/0 038 901 Waysman Venâncio da Silva, 12/0 023 903 Vade Mecum Brasília, DF 2012 4 10 Leandro Guimarães Faria

Leia mais

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula!

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! Bete Masini A pontuação é, sem dúvida, um dos principais elementos coesivos do nosso texto. Certamente, não podemos crer no que muitos já falaram (e ainda falam):

Leia mais

Professora Verônica Ferreira

Professora Verônica Ferreira Professora Verônica Ferreira 1- Prova: ESAF - 2013 - DNIT - Técnico Administrativo (questão nº 1) Disciplina: Português Assuntos: Crase; Assinale a opção que completa corretamente a sequência de lacunas

Leia mais

Frequentemente você utiliza certos termos que não

Frequentemente você utiliza certos termos que não 10 Não se distraia demais Frequentemente você utiliza certos termos que não dão o mínimo problema na hora da fala, mas que, na escrita, podem fazê-lo oscilar entre uma forma ou outra. Ainda há muita gente

Leia mais

Brasileiros esperam ganhar salário três vezes maior após fazer MBA

Brasileiros esperam ganhar salário três vezes maior após fazer MBA COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 6º Ano Profª: Margareth Rodrigues Dutra Disciplina: Língua Portuguesa Aluno(a): TRABALHO DE RECUPERAÇÃO Data de entrega: 18/12/14 Questão 1- Leia o texto a seguir. Brasileiros

Leia mais

Sumário. Apresentação - 1. a edição /13 Apresentação - 2 edição /14

Sumário. Apresentação - 1. a edição /13 Apresentação - 2 edição /14 Sumário Apresentação - 1. a edição /13 Apresentação - 2 edição /14 1 Variação lingüística / 15 1.1 Os níveis de linguagem / 17 1.1.1 O nível informal /17 1.1.2 O nível semiformal /1 7 1.1.3 O nível formal/18

Leia mais

A Morfologia é o estudo da palavra e sua função na nossa língua. Na língua portuguesa, as palavras dividem-se nas seguintes categorias:

A Morfologia é o estudo da palavra e sua função na nossa língua. Na língua portuguesa, as palavras dividem-se nas seguintes categorias: MORFOLOGIA A Morfologia é o estudo da palavra e sua função na nossa língua. Na língua portuguesa, as palavras dividem-se nas seguintes categorias: 1. SUBSTANTIVO Tudo o que existe é ser e cada ser tem

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE LÍNGUA PORTUGUESA UNIDADE PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE LÍNGUA PORTUGUESA 1. ano - 1. volume UNIDADE 1 Símbolos Letras do alfabeto UNIDADE 2 Alfabeto (vogais e consoantes) Crachá Letras do próprio nome, do nome do professor e dos colegas

Leia mais

Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica

Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica Prova de auditor-fiscal da Sefaz/RJ -2011- FGV Texto para as questões 1 a 10 Responsabilidade Penal da Pessoa Jurídica 1. No Brasil, embora exista desde 1988 o 2. permissivo constitucional para responsabilização

Leia mais

Gramática Eletrônica. O mecanismo da concordância verbal consiste na adequação do verbo na frase. Muitas vezes, temos dúvidas como estas:

Gramática Eletrônica. O mecanismo da concordância verbal consiste na adequação do verbo na frase. Muitas vezes, temos dúvidas como estas: Lição 14 Concordância Verbal O mecanismo da concordância verbal consiste na adequação do verbo na frase. Muitas vezes, temos dúvidas como estas: Basta algumas palavras. Bastam algumas palavras? A concordância

Leia mais

Funções do "que" e do "se"

Funções do que e do se Funções do "que" e do "se" Há muitas dúvidas quanto ao emprego do que e do se, pois podem ser empregados em várias funções morfossintáticas. Portanto, iremos analisar cada termo individualmente, a fim

Leia mais

Concordância Nominal. 1. Regra Geral. 2. Regras Especiais. 3. Exercícios. 1. Regra Geral

Concordância Nominal. 1. Regra Geral. 2. Regras Especiais. 3. Exercícios. 1. Regra Geral Aula 15 GRAMÁTICA Concordância Nominal 1. Regra Geral. 2. Regras Especiais. 3. Exercícios. 1. Regra Geral Já estudamos um pouco de concordância verbal em nossas aulas sobre oração sem sujeito, em relação

Leia mais

Uma chaminé esfumaçante em forma de arma apontada contra a cabeça só pode colocar a poluição como uma arma letal.

Uma chaminé esfumaçante em forma de arma apontada contra a cabeça só pode colocar a poluição como uma arma letal. 1. A legenda mais apropriada para a charge é: A poluição é uma arma que pode matar. Uma chaminé esfumaçante em forma de arma apontada contra a cabeça só pode colocar a poluição como uma arma letal. 02.

Leia mais

Regra Geral O artigo, o numeral, o adjetivo e o pronome adjetivo concordam em gênero e número com o substantivo a que se referem.

Regra Geral O artigo, o numeral, o adjetivo e o pronome adjetivo concordam em gênero e número com o substantivo a que se referem. CONCORDÂNCIA NOMINAL Regra Geral O artigo, o numeral, o adjetivo e o pronome adjetivo concordam em gênero e número com o substantivo a que se referem. Ex.: Os dois jornais (subst.) publicaram aquelas notícias

Leia mais

CURSO: TRIBUNAL REGULAR ASSUNTO: CRASE SUMÁRIO DE AULA DÉCIO SENA. 1. O que é crase? 2. Casos de crase obrigatória. 3. Casos de crase facultativa

CURSO: TRIBUNAL REGULAR ASSUNTO: CRASE SUMÁRIO DE AULA DÉCIO SENA. 1. O que é crase? 2. Casos de crase obrigatória. 3. Casos de crase facultativa CURSO: TRIBUNAL REGULAR ASSUNTO: CRASE SUMÁRIO DE AULA DÉCIO SENA 1. O que é crase? 2. Casos de crase obrigatória 3. Casos de crase facultativa 4. Casos de crase proibida 5. Exercícios 1. O que é crase?

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral

LÍNGUA PORTUGUESA Módulo Geral Módulo Geral CONCURSO: Ministério do Trabalho e Emprego CARGO: Auditor-Fiscal do Trabalho PROFESSOR: Pablo Jamilk Este curso é protegido por direitos autorais (copyright), nos termos da Lei n.º 9.610/1998,

Leia mais

CURSO EXTENSIVO MÓDULO 5 REGÊNCIA

CURSO EXTENSIVO MÓDULO 5 REGÊNCIA A) 1. A 2. O, LHE 3. O 4. O 5. LA, LHE 6. LHE, O 7. OS 8. O 9. LHE 10. O 11. O 12.O 13. LHE 14. LO, -LO, -LO 15. O, O B) Complete os espaços, se necessário, com a preposição adequada: 16.A 17. - 18.DE

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA. para o Exame de Suficiência do CFC. Bacharel em Ciências Contábeis

LÍNGUA PORTUGUESA. para o Exame de Suficiência do CFC. Bacharel em Ciências Contábeis LÍNGUA PORTUGUESA para o Exame de Suficiência do CFC Bacharel em Ciências Contábeis O livro é a porta que se abre para a realização do homem. Jair Lot Vieira con cursos con cursos LÍNGUA PORTUGUESA para

Leia mais

QUESTÃO 1 Ortografia e parônimos. QUESTÃO 2 Semântica e interpretação de texto.

QUESTÃO 1 Ortografia e parônimos. QUESTÃO 2 Semântica e interpretação de texto. Comentários e respostas às questões da prova de Língua Portuguesa do concurso da Polícia Civil para Escrivão e Inspetor de Polícia pela FDRH Concurso ocorrido no dia 18 de agosto de 2013 QUESTÃO 1 Ortografia

Leia mais

NÍVEL FUNDAMENTAL (COMPLETO)

NÍVEL FUNDAMENTAL (COMPLETO) EDITAL N.º 001/2010 PREFEITURA MUNICIPAL DE JURUTI PROVA OBJETIVA: 29 de agosto de 2010 NÍVEL FUNDAMENTAL (COMPLETO) Nome do Candidato: Nº de Inscrição: Assinatura INSTRUÇÕES AO CANDIDATO 1. Confira se

Leia mais

Língua Portuguesa 9º ano

Língua Portuguesa 9º ano Colégio I.L. Peretz Sistema Anglo de Ensino ORAÇÃO SUBORDINADA E ORAÇÃO PRINCIPAL No período: Todos desejavam sua recuperação. verbo complemento do verbo (objeto direto) observamos que: * o verbo, por

Leia mais

Aula 05. Locução Adjetiva = expressão que tem a mesma função: qualificar o substantivo.

Aula 05. Locução Adjetiva = expressão que tem a mesma função: qualificar o substantivo. RESUMÃO 2º SIMULADO DE PORTUGUÊS Aula 05 Adjetivo e suas flexões Adjetivo = palavra que qualifica o substantivo. Locução Adjetiva = expressão que tem a mesma função: qualificar o substantivo. Os adjetivos

Leia mais

5 Sintaxe dos verbos haver e existir

5 Sintaxe dos verbos haver e existir 5 Sintaxe dos verbos haver e existir Há aspectos envolvidos em construções com haver e existir que são muito importantes, para encontrar as raízes das dificuldades que se apresentam no uso desses dois

Leia mais

Curso Bíblico. Lição 5. Restituição & Perdão

Curso Bíblico. Lição 5. Restituição & Perdão Curso Bíblico Lição 5 Curso Bíblico Para Novos Discípulos de Jesus Cristo Devemos a ndar de tal forma que sejamos dignos de ser chamados discípulos de Jesus. Restituição & Perdão No Antigo Testamento,

Leia mais

Professor Jailton. www.professorjailton.com.br

Professor Jailton. www.professorjailton.com.br Professor Jailton www.professorjailton.com.br Regra Geral O artigo, a adjetivo, o pronome adjetivo e o numeral concordam em gênero e número com o nome a que se referem: Aqueles dois meninos estudiosos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano

ESCOLA BÁSICA FERNANDO CALDEIRA Currículo de Português. Departamento de Línguas. Currículo de Português - 7º ano Departamento de Línguas Currículo de Português - Domínio: Oralidade Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, tratar e reter a informação. Participar oportuna

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professora: Daniela Bunn Disciplina: Técnicas de Redação Série: 8ª. série Tema da aula: CRASE Objetivo da aula: Fornecer aos alunos noções básicas sobre o

Leia mais

Professor Marlos Pires Gonçalves

Professor Marlos Pires Gonçalves EMPREGO DO VERBO Nesse tutorial veremos como deve ser empregado o verbo nos modos indicativo, subjuntivo e imperativo, bem como suas formas nominais. MODO INDICATIVO É o modo verbal que expressa um fato

Leia mais

ADJETIVO: palavra que se refere ao substantivo, indicando-lhe qualidade, estado, modo de

ADJETIVO: palavra que se refere ao substantivo, indicando-lhe qualidade, estado, modo de MATERIAL 1 Professor Deivid Xavier ANÁLISE GRAMATICAL ADJETIVO: palavra que se refere ao substantivo, indicando-lhe qualidade, estado, modo de ser. Ex: Há ideias ótimas entre alunos inteligentes. Locução

Leia mais

Turma Regular Semanal Manhã

Turma Regular Semanal Manhã A) ARTIGOS CORRELATOS CONCORDÂNCIA NOMINAL Introdução Leia a frase abaixo e observe as inadequações: Aquele dois meninos estudioso leram livros antigo. Note que as inadequações referem-se aos desajustes

Leia mais

SINTAXE. ISJB - Colégio Salesiano Jardim Camburi. Profa. Me. Luana Lemos. llemos@salesiano.org.br

SINTAXE. ISJB - Colégio Salesiano Jardim Camburi. Profa. Me. Luana Lemos. llemos@salesiano.org.br SINTAXE ISJB - Colégio Salesiano Jardim Camburi Profa. Me. Luana Lemos 1 FRASE, ORAÇÃO E PERÍODO FRASE unidade mínima de comunicação. Ex: Nós estudamos muito. Frase nominal exprime uma visão estática do

Leia mais

CURIOSIDADES GRÁFICAS

CURIOSIDADES GRÁFICAS CURIOSIDADES GRÁFICAS 1. USO DOS PORQUÊS POR QUE: usado em frases interrogativas diretas e indiretas; quando equivale a pelo qual e flexões e quando depois dessa expressão vier escrita ou subentendida

Leia mais

PONTUAÇÃO. 1) Para marcar a supressão ou omissão do verbo.

PONTUAÇÃO. 1) Para marcar a supressão ou omissão do verbo. EMPREGA-SE VÍRGULA: PONTUAÇÃO 1) Para marcar a supressão ou omissão do verbo. EX.: A moral legisla para o homem: o direito, para o cidadão. Adalberto estuda francês, e Osmar, Inglês. Uma flor, Quincas

Leia mais

Biblioteca Escolar. O Dicionário

Biblioteca Escolar. O Dicionário O Dicionário O que é um dicionário? Livro de referência onde se encontram palavras e expressões de uma língua, por ordem alfabética, com a respetiva significação ou tradução para outra língua e ainda,

Leia mais

NOME: 9º ANO EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CONTEÚDO: CONCORDÂNCIA NOMINAL E VERBAL

NOME: 9º ANO EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CONTEÚDO: CONCORDÂNCIA NOMINAL E VERBAL NOME: 9º ANO EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE CONTEÚDO: CONCORDÂNCIA NOMINAL E VERBAL 1. Reescreva, em seu caderno, as frases abaixo, completando-as com o verbo e o tempo entre parênteses: a) Ele disse que dois

Leia mais