APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-PROPAGAÇÃO DE TRINCAS NA RODOVIA-386 TRECHO TABAÍ-CANOAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-PROPAGAÇÃO DE TRINCAS NA RODOVIA-386 TRECHO TABAÍ-CANOAS"

Transcrição

1 APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-PROPAGAÇÃO DE TRINCAS NA RODOVIA-386 TRECHO TABAÍ-CANOAS Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Fernando Spinelli Alves AGOSTO 1997 Revisado JANEIRO Departamento Técnico.

2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO DADOS DA OBRA REFLEXÃO DE TRINCAS INSTALAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM CONCLUSÃO DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA...9

3 1 INTRODUÇÃO Este trabalho tem, por objetivo, apresentar detalhes da instalação na Rodovia Federal BR-386, trecho Tabaí- Canoas, do geotêxtil Bidim RT-10 como camada anti-propagação de trincas, objetivando reduzir o custo e oferecer alternativa tecnicamente eficiente de pavimentação. São abordados também, fundamentos técnicos que justificam a instalação do geotêxtil Bidim como inibidor de reflexão de trincas do pavimento antigo. A seguir, são apresentados detalhes da instalação e imagens das etapas de execução. 2 DADOS DA OBRA Nome Duplicação da BR-386 com aplicação do geotêxtil Bidim em camada anti-propagação de trincas. Local Trecho entre as cidades de Tabaí e Canoas no Estado do Rio Grande do Sul. Contratante Governo Federal Departamento Nacional de Estrada de Rodagem DNER Projetista ETEL Estudos Técnicos Ltda. Construtora Construtora Ergo S/A Conclusão Agosto de 1997

4 3 REFLEXÃO DE TRINCAS A reflexão de trincas é o processo de reaparecimento do padrão de trincamento do pavimento subjacente na superfície do recapeamento. Este fenômeno decorre da incapacidade da mistura asfáltica de resistir às deformações elevadas que são geradas no entorno das extremidades das fissuras. O processo pouco difere dos mecanismos de trincamento por fadiga dos pavimentos asfálticos. Enquanto que no pavimento flexível a trinca coincide com a região de máxima deformação de tração, no pavimento recapeado a trinca surge na região de máxima densidade de energia de distorção, coincidente com a extremidade de um trincamento existente. A reflexão de trincas é acelerada quando a severidade das trincas subjacentes é maior, sendo diretamente relacionada com a espessura e com a rigidez da camada trincada. Dependendo da magnitude destes parâmetros, o simples recapeamento com mistura asfáltica pode não ser economicamente eficiente, exigindo neste projeto de restauração a adoção de sistema anti-reflexão de trincas. O sistema anti-reflexão de trincas consiste na introdução de uma camada intermediária entre o pavimento original e o recapeamento. Esta camada é comumente denominada de interlayer. Esta camada é constituída por materiais de pequena espessura com capacidade de absorver deformações por fluência. Estas camadas redirecionam a energia de deformação para a formação e progressão de um desligamento localizado entre o pavimento original e o interlayer, retardando o aparecimento das trincas no recapeamento (membranas de geotêxtil impregnado com asfalto. A chave para o dimensionamento reside na determinação do fator de eficiência do sistema que pode ser conceituado como: Onde, FE = Nr Nn Nr é o numero de ciclos do eixo padrão projetado para a vida útil do recapeamento reforçado. Nn é o número de ciclos do eixo padrão projetado para a vida útil do recapeamento não reforçado. O fator de eficiência é geralmente dependente das características mecânicas do interlayer. Neste caso o sistema anti-reflexão é constituído por geossintéticos, a avaliação do fator de eficiência é realizada por extrapolação de resultados em ensaios de laboratório que já contam com extensivos programas experimentais. Nos sistemas desviadores de trincas, os valores de variam de 0,2 a 10,0, dependendo do tipo de geossintético utilizado.

5 Os sistemas desviadores de trincas oferecem algumas vantagens complementares em relação aos sistemas absorvedores de tensões, desde que as deformações plásticas do pavimento não sejam a causa das patologias presentes no pavimento original, especialmente pela capacidade impermeabilizante das membranas. Empregam-se geotêxteis para atuarem como camada anti-propagação de trincas. A implantação do sistema anti-reflexão de trincas com geotêxtil seguiu uma sequência executiva típica, sendo cada atividade executada de acordo com suas peculiaridades. 4 INSTALAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM Selagem das trincas Os trincamentos devem ser selados com material betuminoso. Quando a trinca é muito fina e sem desgastes de bordas (abertura inferior a 3 mm), a simples aplicação de emulsões asfálticas pode ser suficiente para que ocorra o selamento Contudo, quando o padrão de trincamento acusar aberturas maiores e com extensiva erosão nas bordas, é importante que a selagem seja feita com massa asfáltica. Limpeza Dependendo da extensão da área pode-se empregar a vassoura mecânica ou varredura manual. Em alguns casos onde impregnações ou concreções estejam presentes, uma limpeza mecânica ou com ar comprimido podem ser necessárias. Neste caso foi utilizada a vassoura mecânica. Primeira aplicação do ligante A emulsão asfáltica foi a RR2C, aplicada com barra espargidora. A taxa de pintura foi de 1,2 l/m². Esta taxa foi o suficiente para permitir o total preenchimento da manta sem que ocorressem exsudações. Foi esperada a devida cura de emulsão. Instalação do geotêxtil Bidim Após a cura da emulsão, o geotêxtil Bidim foi desenrolado através de distribuidor mecânico (pendural em u acoplado a uma escavadeira). Foi tomado o devido cuidado para não haver rugas na manta. As emendas laterais entre uma bobina e outra foram realizadas por sobreposição de 10 cm, enquanto as emendas transversais (começo e fim da bobina) foram feitas topo a topo. Rolagem do geotêxtil Bidim

6 Uma vez estendido o geotêxtil, executou-se a passagem do rolo compactador de pneus, com o objetivo de forçar a penetração do asfalto na estrutura do geotêxtil Bidim de baixo para cima. Foram necessárias de 3 a 4 passadas. Segunda aplicação do ligante O mesmo processo de aplicação da primeira camada de emulsão asfáltica (RR2C), porém a uma taxa de pintura de 0,75 l/m². Esperou-se a cura. A taxa final residual foi de 1,2 l/m² aproximadamente. Salgamento da superfície Com o objetivo de evitar a aderência do asfalto/geotêxtil nas rodas dos caminhões ou rodas/esteiras da vibroacabadora, foi feito um salgamento manual com a própria mistura betuminosa em pequena quantidade, apenas nos locais onde passaram as ditas rodas do caminhão de transporte de CBUQ e da vibroacabadora. Aplicação e compactação do CBUQ Foi executado com os procedimentos tradicionais de aplicação e compactação. A seguir, na Figura 1, são apresentados, em resumo, desenhos esquemáticos das etapas de aplicação do geotêxtil Bidim no recapeamento.

7 (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) Figura 1 Desenho esquemático das etapas de aplicação do geotêxtil Bidim.

8 5 CONCLUSÃO A inclusão do geotêxtil Bidim impregnado com asfalto como camada intermediária no recapeamento de pavimentos asfálticos trincados tem o efeito de retardar a reflexão de trincas. Isso ocorre por meio de um processo conjunto de redução da deformação máxima de tração, pela ação de reforço estrutural e pelo redirecionamento horizontal da trinca. A inclusão do geotêxtil Bidim na zona tracionada de um revestimento asfáltico aumenta significativamente a vida de fadiga dessa camada, com o efeito adicional de contribuir para reduzir os afundamentos em trilha de roda por acúmulo de deformações plásticas. A compactação adequada e a correta taxa de impregnação com asfalto são importantes, na medida em que afetam a sua resistência à tração e a sua impermeabilidade. Essas propriedades são cruciais para a fase posterior à reflexão completa da trinca. Além disso, quanto maior o teor de impregnação do geotêxtil Bidim, maior seu módulo de elasticidade, incrementado o efeito de reforço estrutural.

9 6 DOCUMENTAÇÃO FOTOGRÁFICA FOTO 1 Primeira aplicação de ligante asfáltico. FOTO 2 Instalação do geotêxtil Bidim.

10 FOTO 3 Operação de rolagem sobre o geotêxtil Bidim com rolo de pneus. FOTO 4 Segunda aplicação do ligante asfáltico.

11 FOTO 5 Salgamento manual da superfície. FOTO 6 Aplicação do CBUQ sobre o geotêxtil Bidim.

12 FOTO 7 Compactação do CBUQ com rolo de pneus. FOTO 8 Final da compactação do CBUQ com rolo.

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA ÁGUA VERDE CURITIBA PR

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA ÁGUA VERDE CURITIBA PR APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA ÁGUA VERDE CURITIBA PR Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. André Fanaya SETEMBRO 1997 Revisado JANEIRO 2011-

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA PRESIDENTE JUSCELINO KUBITSCHEK JUIZ DE FORA MG

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA PRESIDENTE JUSCELINO KUBITSCHEK JUIZ DE FORA MG UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO ASFÁLTICO DA AVENIDA PRESIDENTE JUSCELINO KUBITSCHEK JUIZ DE FORA MG Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Luis Otávio de Pinho Tavares

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO DA AVENIDA NOSSA SENHORA DA LUZ CURITIBA PR

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO DA AVENIDA NOSSA SENHORA DA LUZ CURITIBA PR APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO RECAPEAMENTO DA AVENIDA NOSSA SENHORA DA LUZ CURITIBA PR Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Ivan Macedo JULHO 1998 Revisado JANEIRO 2011 - Departamento

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO FLEXÍVEL DA RAMPA N6 DA PONTE RIO-NITERÓI

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO FLEXÍVEL DA RAMPA N6 DA PONTE RIO-NITERÓI UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO FLEXÍVEL DA RAMPA N6 DA PONTE RIO-NITERÓI Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Gerson Dias da Cunha Eng. Marcos Galvão

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-REFLEXÃO DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA BR-392 PELOTAS RS

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-REFLEXÃO DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA BR-392 PELOTAS RS UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-REFLEXÃO DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA BR-392 PELOTAS RS Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Drenamac Consultoria e Rep. Ltda.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO RETARDADOR DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA DOS IMIGRANTES EM SÃO PAULO

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO RETARDADOR DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA DOS IMIGRANTES EM SÃO PAULO UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM COMO ELEMENTO RETARDADOR DE TRINCAS NA RESTAURAÇÃO DA RODOVIA DOS IMIGRANTES EM SÃO PAULO Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Ramalho Comercial Ltda.

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA AVENIDA PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS BELO HORIZONTE MG

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA AVENIDA PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS BELO HORIZONTE MG UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA AVENIDA PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS BELO HORIZONTE MG Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Leonardo de Carvalho Thimotti

Leia mais

RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA RODOVIA NACIONAL Nº5 E Nº7 COM UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM BUENOS AIRES ARGENTINA

RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA RODOVIA NACIONAL Nº5 E Nº7 COM UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM BUENOS AIRES ARGENTINA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA RODOVIA NACIONAL Nº5 E Nº7 COM UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM BUENOS AIRES ARGENTINA Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Arq. Alberto Dal Farra Eng. Luiz

Leia mais

UTILIZAÇÃO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-REFLEXÃO DE TRINCAS NO RECAPEAMENTO DA RODOVIA BR-040 NOVA LIMA MG

UTILIZAÇÃO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-REFLEXÃO DE TRINCAS NO RECAPEAMENTO DA RODOVIA BR-040 NOVA LIMA MG UTILIZAÇÃO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA ANTI-REFLEXÃO DE TRINCAS NO RECAPEAMENTO DA RODOVIA BR-040 NOVA LIMA MG Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Bimig Comércio e Representação

Leia mais

RECUPERAÇÃO ASFÁLTICA DOS ACESSOS INTERNOS MEMORIAL DESCRITIVO

RECUPERAÇÃO ASFÁLTICA DOS ACESSOS INTERNOS MEMORIAL DESCRITIVO RECUPERAÇÃO ASFÁLTICA DOS ACESSOS INTERNOS MEMORIAL DESCRITIVO Concórdia, dezembro de 2008 1 - APRESENTAÇÃO Este projeto refere-se à recuperação da pavimentação asfáltica em CAUQ (Concreto Asfáltico Usinado

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL IMPREGNADO COM ASFALTO NA RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL IMPREGNADO COM ASFALTO NA RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL IMPREGNADO COM ASFALTO NA RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS Fernando Wickert PG Divisão de Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica wickert@infra.ita.br RESUMO O presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. * escavação dos materiais constituintes do terreno natural até o greide de terraplenagem indicado no projeto;

MEMORIAL DESCRITIVO. * escavação dos materiais constituintes do terreno natural até o greide de terraplenagem indicado no projeto; MEMORIAL DESCRITIVO Município: Piratini/RS Local da obra: Rua 24 de Maio, Rua Princesa Isabel e Rua Rui Ramos. Área total: 12.057,36 m² 1) Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014. Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014. Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Recapagem Asfáltica contrato 1018.097-09 - 2014 Município: ESTAÇÃO/RS Responsável Técnico: Eng. Luciano Bernardon INTRODUÇÃO Tem este Memorial Descritivo por finalidade orientar

Leia mais

DEFEITOS, AVALIAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS

DEFEITOS, AVALIAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS DEFEITOS, AVALIAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS DEFEITOS DE SUPERFÍCIE DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS Defeitos de superfície Os defeitos de superfície são os danos ou deteriorações na superfície dos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica PREFEITURA MUNICIPAL DE GALVÃO ESTADO DE SANTA CATARINA MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica Rua Manoel Lustosa Martins Julho 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Execução de pavimentação asfáltica sobre

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS

MEMORIAL DESCRITIVO. Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO Projeto: Capeamento asfáltico Município: Fontoura Xavier / RS Local: Rua Pedro Azelin da Silva Trecho: Entre a Rua 09 de Julho e a Rua Ernesto Ferreira Maia Área: TRECHO 01:

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ROTINA

CONSERVAÇÃO DE ROTINA CONSERVAÇÃO DE ROTINA PARTE 3 Engº Pery C. G. de Castro Revisado em setembro/2009 1 CONSERVAÇÃO DE ROTINA Visa corrigir os defeitos que surgem no pavimento. Em alguns tipos de defeitos é possível dar duas

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA

PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE FONTOURA XAVIER SECRETARIA DO PLANEJAMENTO LOCAL: AVENIDA 25 DE ABRIL ASSUNTO: PROJETO DE CAPEAMENTO ASFÁLTICO ÁREA TOTAL: 4.935,75 m² PROJETO BÁSICO

Leia mais

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA

ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA 1 ANEXO IV MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA BOA VISTA PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA URBANA LOCALIZAÇÃO: Avenida Jacob Wagner Sobrinho NOVA BOA VISTA / RS JUNHO DE 2013 1 2 1.0 INTRODUÇÃO

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE TÊNIS DO GRANDE HOTEL CANELA Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Fernando S. Alves ABRIL 1992 Revisado JANEIRO

Leia mais

MEMÓRIA DE CALCULO E ESP.TECNICAS

MEMÓRIA DE CALCULO E ESP.TECNICAS MEMÓRIA DE CALCULO E ESP.TECNICAS 1 - INTRODUÇÃO Tem este por finalidade orientar e especificar a execução dos serviços e empregos dos materiais que farão parte das obras de Pavimentação Asfáltica de 3.511,00m

Leia mais

13/06/2014 DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS PELA RESILIÊNCIA INTRODUÇÃO. Introdução. Prof. Ricardo Melo

13/06/2014 DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS PELA RESILIÊNCIA INTRODUÇÃO. Introdução. Prof. Ricardo Melo UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Centro de Tecnologia Departamento de Engenharia Civil e Ambiental Laboratório de Geotecnia e Pavimentação DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS PELA RESILIÊNCIA Prof. Ricardo Melo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA PISTA DE POUSO 15 30 NO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO

UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA PISTA DE POUSO 15 30 NO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO . UTILIZAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NA RESTAURAÇÃO DO PAVIMENTO DA PISTA DE POUSO 15 30 NO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Gerson Dias

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PARA OBRAS DE DRENAGEM PAVIMENTAÇÃO, OBRAS E SINALIZAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO PARA OBRAS DE DRENAGEM PAVIMENTAÇÃO, OBRAS E SINALIZAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO PARA OBRAS DE DRENAGEM PAVIMENTAÇÃO, OBRAS E SINALIZAÇÃO GENERALIDADES: O presente memorial tem por objetivo descrever os procedimentos que serão utilizados para a pavimentação asfáltica

Leia mais

13 o Encontro Técnico DER-PR

13 o Encontro Técnico DER-PR 13 o Encontro Técnico DER-PR Imprimaduras Impermeabilizante e Ligante Osvaldo Tuchumantel Jr. Imprimadura ato ou efe ito de imprima r Impermeabilizante - Aplicação uniforme de material betuminoso sobre

Leia mais

33 a REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO FLORIANÓPOLIS/SC

33 a REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO FLORIANÓPOLIS/SC 33 a REUNIÃO ANUAL DE PAVIMENTAÇÃO FLORIANÓPOLIS/SC APLICAÇÃO DE RECICLAGEM A FRIO COM ESPUMA DE ASFALTO NA RESTAURAÇÃO DA BR-29 NO TRECHO ENTRE ELDORADO DO SUL E PORTO ALEGRE Marcelo Archanjo Dama 1 Fernando

Leia mais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Diretoria de Infra-Estrutura Manual de Fiscalização de Obras e Vias Rurais Rodovia: Contrato: Lista de Verificação das Principais Atividades do Eng. Fiscal

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM ATERRO SOBRE SOLO MOLE E DRENAGEM SUB-SUPERFICIAL CAMPOS ELÍSEOS, DUQUE DE CAXIAS RJ

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM ATERRO SOBRE SOLO MOLE E DRENAGEM SUB-SUPERFICIAL CAMPOS ELÍSEOS, DUQUE DE CAXIAS RJ UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM ATERRO SOBRE SOLO MOLE E DRENAGEM SUB-SUPERFICIAL CAMPOS ELÍSEOS, DUQUE DE CAXIAS RJ Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Geomaks Comércio de Geossintéticos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: pavimentação asfáltica. Município: QUINZE DE NOVEMBRO

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: pavimentação asfáltica. Município: QUINZE DE NOVEMBRO MEMORIAL DESCRITIVO Obra: pavimentação asfáltica Município: QUINZE DE NOVEMBRO 1 - INTRODUÇÃO Tem este por finalidade orientar e especificar a execução dos serviços e empregos dos materiais que farão parte

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA

MEMORIAL DESCRITIVO PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIO A EXECUÇÃO DOS ENSAIOS DE CONTROLE TECNOLÓGICO DAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA, SENDO INDISPENSÁVEL À APRESENTAÇÃO DO LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E DOS RESULTADOS

Leia mais

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas.

O presente memorial descritivo tem por finalidade descrever os serviços que compõe a obra de Capeamento Asfáltico nas vias acima descritas. MEMORIAL DESCRITIVO CAPEAMENTO ASFÁLTICO SOBRE PEDRAS IRREGULARES Proprietário: MUNICÍPIO DE ITATIBA DO SUL Local: - Rua Argentina = 5.910,43 m²; - Rua Estados Unidos = 1.528,98 m². Total = 7.439,41 m²

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q.

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. Inter.: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CATANDUVA. 1. PESQUISA: Os logradouros contemplados com a pavimentação asfáltica deverão ser objeto de análise

Leia mais

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO:

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM E CAPEAMENTO ASFÁLTICO Local: Diversas Ruas Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade expor de maneira detalhada as

Leia mais

ìiit PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA íinizé TRES DE MAIO RESTAURAÇÃO DA TRES DE MAIO. RS DIVERSAS RUAS MEMORIAL DESCRITIVO f l f Anexo I

ìiit PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA íinizé TRES DE MAIO RESTAURAÇÃO DA TRES DE MAIO. RS DIVERSAS RUAS MEMORIAL DESCRITIVO f l f Anexo I FI f l f l. Prefeitura MuniciPalde íinizé TRES DE MAIO ìiit Anexo I MEMORIAL DESCRITIVO RESTAURAÇÃO DA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA DIVERSAS RUAS ^ TRES DE MAIO. RS Doe órgãos, doe sangue; Sa/ye vidas. Rua Minas

Leia mais

REMENDO SUPERFICIAL (RECOMPOSIÇÃO LOCALIZADA DE REVESTIMENTO BETUMINOSO)

REMENDO SUPERFICIAL (RECOMPOSIÇÃO LOCALIZADA DE REVESTIMENTO BETUMINOSO) 1 / 6 REMENDO SUPERFICIAL (RECOMPOSIÇÃO LOCALIZADA DE REVESTIMENTO BETUMINOSO) 1. DEFINIÇÃO O Remendo Superficial é um serviço que se destina a restaurar a camada de revestimento asfáltico, em pontos isolados

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M)

MEMORIAL DESCRITIVO TERRAPLENAGEM REMOÇÃO DE CAMADA SUPERFICIAL (0,20 M) MEMORIAL DESCRITIVO É OBRIGATÓRIA A APRESENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO DE CONTROLE TECNOLÓGICO E OS RESULTADOS DOS ENSAIOS REALIZADOS EM CADA ETAPA DOS SERVIÇOS, CONFORME EXIGÊNCIAS DO DNIT Departamento Nacional

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO

Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Infra-estrutura urbana Pavimentação Asfáltica, Micro-drenagem, e Rede água potável. Município: Vera Cruz/RS Local da obra: Rua Cipriano O presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Especificações para pavimentação

MEMORIAL DESCRITIVO. Especificações para pavimentação 1- Condição Geral MEMORIAL DESCRITIVO Especificações para pavimentação 1.1- A presente especificação faz parte integrante do EDITAL completando-o nos seus diversos capítulos. 1.2- Antes do início do trabalho,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA:

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: SERVIÇOS INICIAIS, CAPEAMENTO ASFÁLTICO, QUEBRA-MOLA, SINALIZAÇÃO E SERVIÇOS FINAIS E COMPLEMENTARES MUNICÍPIO: ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL - RS LOCAL: RUA LUIZ GRAEF ÁREA: 427,20

Leia mais

Prefeitura Municipal de Tramandaí / RS MEMORIAL DESCRITIVO. MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM SOBRE CALÇAMENTO IRREGULAR

Prefeitura Municipal de Tramandaí / RS MEMORIAL DESCRITIVO. MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM SOBRE CALÇAMENTO IRREGULAR MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE PERFILAGEM SOBRE CALÇAMENTO IRREGULAR Local: Diversas Ruas Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade expor de maneira detalhada

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM SISTEMA DE DRENAGEM PROFUNDA NA RODOVIA BR116 TRECHO ALÉM PARAÍBA-TERESÓPOLIS RJ

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM SISTEMA DE DRENAGEM PROFUNDA NA RODOVIA BR116 TRECHO ALÉM PARAÍBA-TERESÓPOLIS RJ UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM SISTEMA DE DRENAGEM PROFUNDA NA RODOVIA BR116 TRECHO ALÉM PARAÍBA-TERESÓPOLIS RJ Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Geomaks Comércio de Geossintéticos

Leia mais

CBCR 2005 BRASVIAS EXPO

CBCR 2005 BRASVIAS EXPO RECICLAGEM DE PAVIMENTOS ASFÁLTICOS A FRIO IN SITU RIO DE JANEIRO RJ SETEMBRO DE 2005 Reciclagem a Frio in situ do Revestimento Asfáltico RIO DE JANEIRO RJ SETEMBRO DE 2005 Concessionária INTERVIAS Poder

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-P12 IMPRIMAÇÃO DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 1 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO... 4 2. DESCRIÇÃO... 4 3. MATERIAIS... 4 3.1 MATERIAIS PARA IMPRIMAÇÃO IMPERMEABILIZANTE...

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO

Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO Prefeitura Municipal de Vera Cruz MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Infra-estrutura urbana Pavimentação Asfáltica, Micro-drenagem e Sinalização Horizontal/Vertical Município: Vera Cruz/RS Local da obra: Rua São

Leia mais

Pavimentação - imprimação

Pavimentação - imprimação MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/102/imprime31630.asp Foto 1 - Pavimento de asfalto deteriorado

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/102/imprime31630.asp Foto 1 - Pavimento de asfalto deteriorado 1 de 6 01/11/2010 22:15 Como Construir Whitetopping Foto 1 - Pavimento de asfalto deteriorado Owhitetopping é uma técnica de recuperação de pavimentos asfálticos deteriorados (foto 1). A superfície recebe

Leia mais

ESTRADAS E TRANSPORTES 2

ESTRADAS E TRANSPORTES 2 MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS ESTRADAS E TRANSPORTES 2 Adaptado de Pavimentação Asfáltica Bernucci, L.B., Motta, L.M.G., Ceratti, J.A.P.,Soares, J. B. 1. Conceitos O desempenho adequado do conjunto de camadas

Leia mais

RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA

RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA RECICLAGEM DE CAMADA BETUMINOSA COMO SUB-BASE ESTABILIZADA COM CIMENTO NA BR 381: UMA EXPERIENCIA I. APRESENTAÇÃO César Augusto Rodrigues da Silva Juarez Miranda Jr. Este trabalho apresenta a experiência

Leia mais

PATOLOGIAS DO ASFALTO: PROCESSOS PARA PREVENIR E CORRIGIR DETERIORAÇÕES

PATOLOGIAS DO ASFALTO: PROCESSOS PARA PREVENIR E CORRIGIR DETERIORAÇÕES PATOLOGIAS DO ASFALTO: PROCESSOS PARA PREVENIR E CORRIGIR DETERIORAÇÕES Álvaro Urcelino Diniz Silva - alvaro.urcelino@yahoo.com.br Danielle Stéfany Pereira Nunes - danispnunes@hotmail.com Luciane Ruffato

Leia mais

PRÉ MISTURADOS. À FRIO (P.M.Fs) 15/06/02 Departamento Técnico

PRÉ MISTURADOS. À FRIO (P.M.Fs) 15/06/02 Departamento Técnico PRÉ MISTURADOS À FRIO (P.M.Fs) 15/06/02 Departamento Técnico Conteúdo Definição Usos Características da técnica Materiais: ligantes asfálticos/agregados Tipos de PMF s Composição da mistura Faixas granulométricas:

Leia mais

Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto. Módulo 4 Construção de Pavimentos

Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto. Módulo 4 Construção de Pavimentos Curso de Tecnologia de Pavimentos de Concreto Módulo 4 Construção de Pavimentos Seção do Pavimento BR 101 NE (exemplo) Placa de concreto - 22 cm Tração na flexão > 4,5 MPa Barreira de segurança tipo New

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇO TRATAMENTO SUPERFICIAL DUPLO ( DAER-ES-P 15/11) CAPA SELANTE ( DAER-ES-P 21/11)

ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇO TRATAMENTO SUPERFICIAL DUPLO ( DAER-ES-P 15/11) CAPA SELANTE ( DAER-ES-P 21/11) SECRETARIA DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA DEPARTAMENTO AUTONÔMO DE ESTRADAS DE RODAGEM CENTRO DE PESQUISAS RODOVIÁRIAS SPQ Superintendência de Pesquisas Rodoviárias ESPECIFICAÇÕES DE SERVIÇO TRATAMENTO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA: Pavimentação Asfáltica Tipo CBUQ, sobre Pavimentação de Pedra Irregular na Rua 1 - INTRODUÇÃO Tem este por finalidade orientar e especificar a execução

Leia mais

CONSTRUÇÃO DA SUPERESTRUTURA Tipos de Serviços em Pavimentação

CONSTRUÇÃO DA SUPERESTRUTURA Tipos de Serviços em Pavimentação CONSTRUÇÃO DA SUPERESTRUTURA Tipos de Serviços em Pavimentação IMPRIMAÇÃO (Prime Coat) ADP Bases Granulares - Aumentar coesão superficial - Impermeabilização - Aderência com revestimento ADP: CM-30 e CM-70

Leia mais

CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 1)

CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 1) CONCRETOS ESPECIAIS MCC2001 AULA 7 (parte 1) Disciplina: Materiais de Construção II Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2015 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil

Leia mais

FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP ENGENHARIA CIVIL

FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP ENGENHARIA CIVIL 1 FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP ENGENHARIA CIVIL EXECUÇÃO DE CONCRETO ASFÁLTICO EM OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO Vladimir de Souza Amorim Caruaru - 2010 2 FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP ENGENHARIA

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO REFORÇADO NO PARQUE DOS PRÍNCIPES, SÃO PAULO SP

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO REFORÇADO NO PARQUE DOS PRÍNCIPES, SÃO PAULO SP UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO REFORÇADO NO PARQUE DOS PRÍNCIPES, SÃO PAULO SP Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Ramalho Comercial Ltda. PERÍODO 1996 Revisado ABRIL 2011

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA PROPONENTE: PREFEITURA PALMITINHO

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA PROPONENTE: PREFEITURA PALMITINHO OBRA: PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA PROPONENTE: PREFEITURA PALMITINHO MEMORIAL DESCRITIVO 1.0-OBJETO: O presente memorial tem por finalidade descrever as obras e serviços necessários para execução de Pavimentação

Leia mais

Como ocorrem e como evitar patologias em pisos de concreto? Veja as recomendações para escolha de materiais e reparo de falhas mais comuns

Como ocorrem e como evitar patologias em pisos de concreto? Veja as recomendações para escolha de materiais e reparo de falhas mais comuns Piso novo Como ocorrem e como evitar patologias em pisos de concreto? Veja as recomendações para escolha de materiais e reparo de falhas mais comuns Método "extremo" de recuperação, o overlay é praticamente

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM E GEOWEB PARA REFOÇO DE ATERRO E PROTEÇÃO SUPERFICIAL DE TALUDE JACIARA MT

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM E GEOWEB PARA REFOÇO DE ATERRO E PROTEÇÃO SUPERFICIAL DE TALUDE JACIARA MT UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM E GEOWEB PARA REFOÇO DE ATERRO E PROTEÇÃO SUPERFICIAL DE TALUDE JACIARA MT Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Paulo Roberto Ferst EPP PERÍODO 2003

Leia mais

Estudo da. de Reflexão em. Semi-rígidos

Estudo da. de Reflexão em. Semi-rígidos INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA Rafael Ribeiro Rocha Estudo da Prevenção de Trincas de Reflexão em Pavimentos Semi-rígidos Trabalho de Gradua ação 2009 Civil CDU 625.8:656.71 Rafael Ribeiro Rocha

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS EXECUTIVOS PARA CONSTRUÇÃO DE CAMADA ESPESSA DE BASE CIMENTADA

AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS EXECUTIVOS PARA CONSTRUÇÃO DE CAMADA ESPESSA DE BASE CIMENTADA AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS EXECUTIVOS PARA CONSTRUÇÃO DE CAMADA ESPESSA DE BASE CIMENTADA Amanda Helena Marcandali da Silva José Mario Chaves arteris Ana Luisa Aranha Liedi Legi Bariani Bernucci Kamilla

Leia mais

Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado. Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF LUIZ ALBUQUERQUE MARANHÃO 3402-D/PE

Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado. Autor do Proj. / Resp. Técnico CREA / UF LUIZ ALBUQUERQUE MARANHÃO 3402-D/PE KARLA 00 EMISSÃO INICIAL FEV/2012 JAQUELINE JOSÉ LAGHI CARRIÇO Rev. Modificação Data Elaborado Verificado Aprovado atp engenharia Coordenador de Projeto CREA / UF MÔNICA COIMBRA LOYO 011.414--D/PE JOSÉ

Leia mais

8. MISTURAS ASFÁLTICAS

8. MISTURAS ASFÁLTICAS 8. MISTURAS ASFÁLTICAS CONCEITUAÇÃO Produtos obtidos em usina, a quente ou a frio, envolvendo agregados e ligantes asfálticos, adequadamente. CLASSIFICAÇÃO Pré misturados a quente (PMQ) - Temperatura 121

Leia mais

UTILIZAÇÃO GEOTÊXTIL BIDIM PARA PROTEÇÃO DE GEOMEMBRANA E GEOWEB EM REVESTIMENTO DE TALUDES LAGO PAISAGÍSTICO, SESC E SENAC RJ

UTILIZAÇÃO GEOTÊXTIL BIDIM PARA PROTEÇÃO DE GEOMEMBRANA E GEOWEB EM REVESTIMENTO DE TALUDES LAGO PAISAGÍSTICO, SESC E SENAC RJ UTILIZAÇÃO GEOTÊXTIL BIDIM PARA PROTEÇÃO DE GEOMEMBRANA E GEOWEB EM REVESTIMENTO DE TALUDES LAGO PAISAGÍSTICO, SESC E SENAC RJ Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Geomaks Comércio

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO

DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO DEPARTAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO DE BAGÉ DEPARTAMENTO DE PROJETOS MEMORIAL DESCRITIVO REPAVIMENTAÇÃO EM PAVIMENTOS COM PEDRA IRREGULAR, PARALELEPÍPEDO, BLOCOS DE CONCRETO E CBUQ. 2015 APRESENTAÇÃO Trata o

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.1.1 - LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO Os níveis marcados na Planta de Implantação deverão ser rigorosamente obedecidos.

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.1.1 - LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO Os níveis marcados na Planta de Implantação deverão ser rigorosamente obedecidos. MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO : Prefeitura Municipal de Irai OBRA : Construção de ponte em concreto armado de 4,50m de largura x 25,00m de vão total e 5,33m de altura total. LOCAL : Linha Corticeira

Leia mais

NOVO PROJETO GRÁFICO DO FATOS & ASFALTOS. Obra em Destaque: Micro Revestimento na Rodovia Presidente Dutra

NOVO PROJETO GRÁFICO DO FATOS & ASFALTOS. Obra em Destaque: Micro Revestimento na Rodovia Presidente Dutra Frota GRECA de cara nova Em 2008 os caminhões da GRECA Transportes começaram a ganhar uma nova identidade visual. Os cavalos mecânicos foram completamente adesivados com o símbolo da GRECA ASFALTOS, e

Leia mais

SECRETARIA DE OBRAS PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA

SECRETARIA DE OBRAS PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA PREFEITURA MUNICIPAL DE GOIATUBA / GO SECRETARIA DE OBRAS PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA SOLUÇÃO 1 - APLICAÇÃO DE MICRO REVESTIMENTO E EXECUÇÃO DE TAPA BURACO GOIATUBA/GO JULHO/2013 1. INTRODUÇÃO A Prefeitura

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM REVESTIMENTO DE LAGO PAISAGÍSTICO HOTEL SESC PANTANAL MT

UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM REVESTIMENTO DE LAGO PAISAGÍSTICO HOTEL SESC PANTANAL MT UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM REVESTIMENTO DE LAGO PAISAGÍSTICO HOTEL SESC PANTANAL MT Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Paulo Roberto Ferst EPP PERÍODO 2004 Revisado ABRIL 2011 - Departamento

Leia mais

Endria Rayana da Silva Costa (UEAP) endria_rayana@hotmail.com Wylckson Machado Costa (UEAP) wylckson93@gmail.com

Endria Rayana da Silva Costa (UEAP) endria_rayana@hotmail.com Wylckson Machado Costa (UEAP) wylckson93@gmail.com ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA COM CONCRETO BETUMINOSO USINADO A QUENTE E AREIA ASFALTO USINADO A QUENTE A CUSTOS DE MACAPÁ Endria Rayana da Silva Costa (UEAP) endria_rayana@hotmail.com

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PADRONIZADOS...

PAVIMENTAÇÃO ESPECIFICAÇÕES OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PADRONIZADOS... 1/25 SUMÁRIO OBJETIVO... 2 CONSIDERAÇÕES GERAIS... 2 CONSIDERAÇÕES ESPECÍFICAS... 2 11 RETIRADA DE PAVIMENTOS, GUIAS E SARJETAS... 2 12 EXECUÇÃO DE PAVIMENTOS, GUIAS E SARJETAS... 3 13 RECOMPOSIÇÃO DE

Leia mais

Pavimentação - sub-base de concreto de cimento Portland adensado por vibração

Pavimentação - sub-base de concreto de cimento Portland adensado por vibração MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

DER/PR ES-P 31/05 PAVIMENTAÇÃO: FRESAGEM À FRIO

DER/PR ES-P 31/05 PAVIMENTAÇÃO: FRESAGEM À FRIO PAVIMENTAÇÃO: FRESAGEM À FRIO Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304 8130 www.pr.gov.br/transportes

Leia mais

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA

BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA BETUMINOSOS NO CONCELHO DE VIANA DO ALENTEJO 3.1 MEMÓRIA DESCRITIVA 3.1.1 INTRODUÇÃO A Câmara Municipal de Viana do Alentejo pretende, com este projecto, proceder à construção/reparação/reforço do pavimento

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM PARA PROTEÇÃO DE GEOMEMBRANA EM LAGO ORNAMENTAL DE CONDOMÍNIO RIO DE JANEIRO - RJ

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM PARA PROTEÇÃO DE GEOMEMBRANA EM LAGO ORNAMENTAL DE CONDOMÍNIO RIO DE JANEIRO - RJ UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM PARA PROTEÇÃO DE GEOMEMBRANA EM LAGO ORNAMENTAL DE CONDOMÍNIO RIO DE JANEIRO - RJ Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Geomaks Com. de Geossintéticos

Leia mais

JUNTAS EM PISOS INDUSTRIAIS DE CONCRETO

JUNTAS EM PISOS INDUSTRIAIS DE CONCRETO Introdução JUNTAS EM PISOS INDUSTRIAIS DE CONCRETO Há, na literatura técnica, uma grande lacuna no que se refere ao projeto de juntas. Com o objetivo de reduzir esta deficiência, este trabalho apresenta

Leia mais

Restauração do Pavimento da Pista Auxiliar do Aeroporto de Congonhas com Geogrelha de Poliéster

Restauração do Pavimento da Pista Auxiliar do Aeroporto de Congonhas com Geogrelha de Poliéster Restauração do Pavimento da Pista Auxiliar do Aeroporto de Congonhas com Geogrelha de Poliéster Cássio Alberto Teoro do Carmo, Huesker Ltda., São José dos Campos/SP, E-mail: cassio@huesker.com.br, Tel.

Leia mais

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO:

/ RS MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: MEMORIAL DESCRITIVO MUNICÍPIO: Tramandaí / RS RUAS DE TAPA BURACO E MICROREVESTIMENTO Local: Diversas Ruas Introdução: O presente Memorial Descritivo tem por finalidade expor de maneira detalhada as normas

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM DRENAGEM DO CANAL DA VILA NATAL CUBATÃO SP

UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM DRENAGEM DO CANAL DA VILA NATAL CUBATÃO SP UTILIZAÇÃO DE GEOWEB EM DRENAGEM DO CANAL DA VILA NATAL CUBATÃO SP Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Pedro Henrique Piassa Distribuidor: Ramalho Comercial Ltda. SETEMBRO 1997

Leia mais

RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ESPUMA DE ASFALTO

RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ESPUMA DE ASFALTO RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ESPUMA DE ASFALTO Conteúdo Obra de Referência Objetivo Fresagem / Reciclagem O Processo A Execução Consumo de Materiais e Produção Estratégia de Abastecimento da Obra. Conteúdo

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE Associação de Ensino Superior Unificado do Centro Leste ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PAVIMENTO RÍGIDO R E FLEXÍVEL Msc. Flavia Regina Bianchi Engª.. Isis Raquel Tacla Brito Engª.. Veronica Amanda Brombley

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO BASE DE SOLO-CIMENTO Grupo de Serviço PAVIMENTAÇÃO Código DERBA-ES-P-07/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço define os critérios que orientam a execução de base de solo-cimento,

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA Projeto de Execução Designação da empreitada CONSERVAÇÃO E REABILITAÇÃO DA E.M. 242-1 E ESTRADA ATLÂNTICA Julho de 2015 MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP

FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP Estudo Comparativo de Viabilidade Técnica e Econômica Entre Pavimentos Rígido e Flexível Aplicados a Rodovia BR-408/PE Augusto Lins e Silva Filho Caruaru 2011 FACULDADE

Leia mais

O Desempenho dos Pavimentos Flexíveis. Prof. Fernando Pugliero Gonçalves

O Desempenho dos Pavimentos Flexíveis. Prof. Fernando Pugliero Gonçalves O Desempenho dos Pavimentos Flexíveis Prof. Fernando Pugliero Gonçalves Novembro de 1999 2 Índice 1. INTRODUÇÃO...4 2 - EVOLUÇÃO DA TECNOLOGIA APLICADA À PAVIMENTAÇÃO...6 3 - PROJETO DE PAVIMENTOS...8

Leia mais

ETS-03/2013 PAVIMENTOS PERMEÁVEIS COM REVESTIMENTO ASFALTICO POROSO - CPA

ETS-03/2013 PAVIMENTOS PERMEÁVEIS COM REVESTIMENTO ASFALTICO POROSO - CPA 1. OBJETIVO O objetivo desta Especificação Técnica é a definição dos critérios de dimensionamento e execução de pavimentos permeáveis com revestimento em Concreto Asfáltico Poroso CPA (Camada Porosa de

Leia mais

Pavimentação - base de macadame hidráulico

Pavimentação - base de macadame hidráulico MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 Centro Rodoviário, Parada de Lucas Rio de

Leia mais

MICRO REVESTIMENTO ASFÁLTICO À FRIO. QUIM.: CARLOS AUGUSTO COSTA Departamento Técnico

MICRO REVESTIMENTO ASFÁLTICO À FRIO. QUIM.: CARLOS AUGUSTO COSTA Departamento Técnico MICRO REVESTIMENTO ASFÁLTICO À FRIO QUIM.: CARLOS AUGUSTO COSTA Departamento Técnico Conteúdo Definições Conceito Características Componentes Especificações Ensaios e projeto Aspectos técnicos / econômicos

Leia mais

VOLUME 9 METODOLOGIAS CONSTRUTIVAS DE PAVIMENTAÇÃO

VOLUME 9 METODOLOGIAS CONSTRUTIVAS DE PAVIMENTAÇÃO VOLUME 9 1 INTRODUÇÃO A execução de obras e serviços de pavimentação no meio urbano requer um planejamento específico, com a utilização de métodos adequados e dominados pelas empresas executoras. A utilização

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO Conceitos Básicos de Pavimento Definição

PAVIMENTAÇÃO Conceitos Básicos de Pavimento Definição - Conceitos Básicos de PAVIMENTO - Camadas do pavimento - Projeto de Pavimentação - Materiais para pavimentação - Dimensionamento de pavimentos flexíveis - Dimensionamento de pavimentos rígidos - Bases

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA DE BLOQUEIO NAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO POLIÉDRICA DO BALNEÁRIO JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS SC

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA DE BLOQUEIO NAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO POLIÉDRICA DO BALNEÁRIO JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS SC APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA DE BLOQUEIO NAS OBRAS DE PAVIMENTAÇÃO POLIÉDRICA DO BALNEÁRIO JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS SC Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração:

Leia mais

XIV ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Universidade de Fortaleza 20 a 24 de outubro de 2014

XIV ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Universidade de Fortaleza 20 a 24 de outubro de 2014 XIV ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Universidade de Fortaleza 20 a 24 de outubro de 2014 Identificação de Patologias em Pavimentação Asfáltica de Estacionamento do Campus da Unifor. Roberto Macambira

Leia mais

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO COMPOSIÇÃO DE PREÇO CÓDIGO: 02.110.00 SERVIÇO: REGULARIZAÇÃO DO SUBLEITO : m² E.0.06 E.0.07 E.0.13 E.1.01 E.1.05 E.4.07 MOTONIVELADORA CAT 120 H TRATOR AGRÍCOLA M.FERGUSON MF292 ROLO COMPACT. PC AP CA25PC

Leia mais

ISAP Fortaleza, 06/10/08

ISAP Fortaleza, 06/10/08 Visão do DNIT sobre métodos de projetos de pavimentos ISAP Fortaleza, 06/10/08 ISAP Fortaleza, 06/10/08 A VISÃO DO DNIT SOBRE O PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO NÃO É CONSIDERADA EM SI, APENAS EM FUNÇÃO DA SUA

Leia mais

Quando, no DER/RJ, decidimos investir em novas tecnologias rodoviárias, optamos pela implementação da pavimentação com

Quando, no DER/RJ, decidimos investir em novas tecnologias rodoviárias, optamos pela implementação da pavimentação com Quando, no DER/RJ, decidimos investir em novas tecnologias rodoviárias, optamos pela implementação da pavimentação com ASFALTO ADICIONADO COM GRANULADO DE BORRACHA IN SITU. Procuramos uma rodovia estadual

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONTROLE DE REVISÕES ELABORADO: RODOLFO GASSEN MATRÍCULA: 12.420-61 RÚBRICA: REV. DESCRIÇÃO DATA RESPONSÁVEL MATRÍCULA RUBRICA

TERMO DE REFERÊNCIA CONTROLE DE REVISÕES ELABORADO: RODOLFO GASSEN MATRÍCULA: 12.420-61 RÚBRICA: REV. DESCRIÇÃO DATA RESPONSÁVEL MATRÍCULA RUBRICA TERMO DE REFERÊNCIA CONTROLE DE REVISÕES ELABORADO: RODOLFO GASSEN MATRÍCULA: 12.42061 RÚBRICA: VALIDADO: CLERALNO DE ANDRADE E SILVA MATRÍCULA: 15.58416 RÚBRICA: APROVADO: GERMANO VASCONCELOS ROCHA MATRÍCULA:

Leia mais

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...);

- Pisos e revestimentos Industriais (pinturas especiais, autonivelantes, uretânicas, vernizes...); A TECNIKA iniciou suas atividades em meados de 2003, impulsionada pela demanda do mercado, sempre preocupada em buscar e oferecer soluções técnicas inovadoras, tendo como focos principais as áreas de impermeabilização

Leia mais

Os fatores que influem na dosagem das misturas, vinculadas com as propriedades que se busca atingir no conjunto são:

Os fatores que influem na dosagem das misturas, vinculadas com as propriedades que se busca atingir no conjunto são: Misturas Betuminosas As misturas asfálticas constituem sistemas plástico-elásticos cujos componentes tem características, composta de uma fase sólida, que é constituída pelos agregados pétreos de elevado

Leia mais

NOTA TÉCNICA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE LOMBAS REDUTORAS DE VELOCIDADE

NOTA TÉCNICA INSTALAÇÃO E SINALIZAÇÃO DE LOMBAS REDUTORAS DE VELOCIDADE 1 - Introdução A construção de vias públicas com o objectivo primordial de maximizar o escoamento de grandes volumes de tráfego e o conforto dos ocupantes dos veículos, aliada aos progressos da industria

Leia mais