OWAlifetime OWAconsult. Resistência ao fogo FOGO: EN A NORMA EUROPEIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OWAlifetime OWAconsult. Resistência ao fogo FOGO: EN 13501 A NORMA EUROPEIA"

Transcrição

1 OWAlifetime OWAconsult Resistênci o fogo FOGO: EN A NORMA EUROPEIA

2 2 As norms europeis As Norms Europeis Hrmonizs sobre o Fogo são um conjunto e norms que form ceits por toos os píses Comunie Econômic Europei. Isso permite os fbricntes prouzirem ou importrem proutos que form testos e coro com um norm comum sem necessie e testes em c Esto membro. Os testes com ests norms gor são ceitos em toos os píses CEE. A Declrção e Desempenho (DP) e o KIT e etiquet CE são os ois principis ocumentos que normlmente serão exigios pels utories oficiis locis pr emonstrr que o sistem e forro vi cumprir os níveis e esempenho especificos. O uso e componentes lém queles fornecios pel OWA vi impeir emissão e um etiquet KIT. O cumprimento s norms e regulmentos europeus é obrigtório. Toos os lbortórios e testes europeus certificos ( Orgnismos Notificos ) que estão registros n EOTA (Orgnizção Europei e Aprovção Técnic) poem executr esses testes e emitir os resultos os testes corresponentes (TTI Teste e Tipo Inicil). Além isso, poe hver outros testes ncionis ou exigêncis e regulção pr construção que poem precisr ser observos. Reção o fogo Se o fogo puer encontrr mteriis inflmáveis suficientes, ele vi se esplhr rpimente por um áre. É, portnto, crucil utilizr mteriis e combustibilie limit ns superfícies principis e um mbiente, como nos forros e prees. O uso esses mteriis poe reuzir rsticmente velocie com que s chms se esplhm em um áre, ssim como minimizr su contribuição pr o incênio. A norm europei EN : Reção o Fogo oferece um série e critérios e esempenho pr meir s crcterístics relcions o fogo em mteriis e construção. Estes incluem propgção chm e contribuição pr o incênio e tmbém gerção e fumç e proução e prtículs quentes. A tbel bixo fornece um visão gerl s clssificções isponíveis. Sem fumç Exigêncis icionis Sem prtículs quentes cino/escorreno Clsses europeis e coro com EN A1 3 3 A2-s1,0 3 3 B-s1,0 C-s1,0 3 A2-s2,0 A2-s3,0 B, C-s2,0 B, C-s3,0 3 A2-s1,1 A2-s1,2 B, C-s1,1 B, C-s1,2 A2-s3,2 B-s3,2 3 3 D-s1,0 3 D-s2,0 D-s3,0 E E-2 F 3 D-s1,2 D-s2,2 D-s3,2 As ctegoris icionis são: Fumç s1, s2, s3 s1 = pouc ou nenhum gerção e fumç s2 = méi gerção e fumç s3 = muit gerção e fumç Prtículs quentes 0, 1, 2 0 = sem prtículs entro e 600 segunos 1 = prtículs em formto e got em 600 segunos ms que não queimm por mis e 10 segunos 2 = iferente e 0 ou 1 Pís Norm prão Clssificção Estos Membros EN A2-s1,0 B-s1,0 CE Suíç Gui pr regulmentos e fogo, 1976 Vl q.3 virtulmente não inflmáveis, nível e fumç bixo EUA ASTM E clss I Resistênci o fogo Clsses e Resistênci o fogo EN Durção e resistênci o fogo em minutos REI REI REI REI REI Pr s ctegoris europeis, clssificção e reção o fogo sempre é seprmente. Elementos estruturis bseos n EN compreenem too o elemento estruturl e não pens o forro suspenso. Isso poe consistir no telho e forro suspenso ou no piso estruturl e forro suspenso. O elemento inteiro eve resistir o impcto o fogo em su hbilie estruturl pelo mior tempo possível. A urção e tempo que poe ser mntio é urção e resistênci o fogo que será clssific em um s clsses inics.

3 3 Critérios e Teste Durnte os testes e resistênci o fogo o lbortório vi procurr por reções verss e elborr reltórios e coro com os critérioschve seguir. R. O elemento estruturl não eve entrr em colpso ou efletir lém os níveis permitios quno sujeito à crg plic. E. A integrie o mbiente eve ser mnti. Não é permiti propgção e chms. I. A tempertur o lo não exposto o elemento estruturl não eve umentr mis que 140 K cim tempertur méi mbiente e não mis que 180 K em nenhum outro locl. Se um os critérios cim for exceio o teste é encerro e urção tingi ntes reprovção vi inicr clssificção propri e resistênci o fogo. Devio à iversie os inúmeros elementos estruturis isponíveis tulmente, é impossível testr c um eles iniviulmente. Por isso nós nos esforçmos em testr os piores cenários possíveis em c tipo e construção genéric. Os exemplos seguir mostrm construções entro e um câmr e testes. A ilustrção bixo (fig. 1) mostr um exemplo e um típic construção com vig e ço e o forro OWA embixo. Extensão vig e ço 4000 mm Cobertur O exemplo bixo (fig 2) mostr um construção com piso e meir e o forro OWA embixo Fig. 2: Piso e meir Vigs e meir Tábus e meir com mcho e fême Forro suspenso A OWA testou miori s construções prão pr pisos e telhos com Forros OWAcoustic n EN e tingiu té REI 180 conforme emonstro n próxim tbel. Aqui um forro OWAcoustic é uso pr oferecer resistênci estruturl o fogo e é importnte que o forro sej construío mesm mneir em que ele foi uso no teste. Cso não utilizr os mesmos componentes e lyout poe invlir qulquer certificção e impeir emissão e um eclrção KIT. Sís e emergênci e resgte frequentemente têm serviços conteno mteriis inflmáveis instlos embixo s ljes estruturis. Por est rzão, recomenmos o uso os forros resistentes o fogo e com utocontenção OWAcoustic (vej tbel ns págins 6 e 7). Com esse tipo e forro é possível oferecer resistênci o fogo e EI 30 nos serviços vgos e n áre bixo. O uso esse sistem poe jur oferecer sís e emergênci protegis tnto o fogo como fumç. Forros suspensos Fig. 1: Piso e vig e ço Os Forros suspensos OWA tmbém poem ser usos pr oferecer resistênci o fogo em construções e meir. No i 1o e julho e 2013 nov Regulção Europei e Mteriis e Construção (CPR) No. 305/20 entrou em vigor e substituiu ntig Diretiv e Mteriis e Construção (CPD) 89/106/EU. Prte nov regulção é sobre o uso e etiquets CE pr mteriis e construção que são reguls pels Norms Europeis hrmonizs (hen) ou por um Documento Europeu e Avlição (EAD, nteriormente conhecio como ETAG ). Além isso, um Declrção e Desempenho (DP) será emiti pr toos os mteriis e construção com etiquets CE. Ess eclrção mostrrá iversos critérios chve e esempenho e um cóigo único e ientificção o tipo e prouto. Isso substitui o ocumento previmente conhecio como Declrção Europei e Conformie A norm europei hrmoniz EN (Exigêncis pr Forros Suspensos e Métoos e Testes), cobre um vriee e exigêncis funmentis, incluino: Reção o fogo Resistênci o fogo Segurnç Mecânic Higiene, súe e mbiente Acústic Corrosão Outros Importnte: Em cso e resistênci o fogo etiquet CE e o DP pr too o kit (plcs e forro + subconstrução) é obrigtóri e coro com EN ZA 1.1

4 4 Teste europeu e resistênci o fogo Construção e suporte e crg Tipo e forro suspenso espessur mín. lje () ltur mín. cvie () (plenum) Sistems Premium OWAconstruct Piso e vig e ço KIT-16-01/ S 3 KIT-16-01/ S mm 200 mm S 3 Piso e vig e ço KIT--01/ mm 250 mm S 3 Piso e vig e ço KIT-17-01/ S 15 cliq 90 mm 230 mm S 15 cliq Piso e vig e ço KIT-18-01/20 - S 15 cliq 100 mm 200 mm S 15 cliq Piso e vig e ço KIT-19-01/20 - S 18p 100 mm 200 mm S 18p = glutinnte Piso e vig e ço KIT-20-01/ S 1 90 mm 185 mm S 1 Piso e vig e ço KIT-15-01/ S 9 90 mm 285 mm S 9 Piso e vig e ço KIT-08-01/ S 7 90 mm 250 mm S 7 OWApln

5 Kits e Forros 5 Plcs OWAcoustic Resistênci o fogo Suspensão test (istânci máx.) Móulo Espessur Linh o prouto Clssificção mín. Reltório e teste n o Centro perfil T principl Centro Penurl os OWA-n o penuris Crcterístics especiis REI 120 No /7130/CPD 14 mm nom. 15 mm smrt premium REI 90 PB III/ Ä REI mm REI mm 15 mm premium REI 90 PB 3.2/ mm 600 mm 14 mm nom. 15 mm smrt premium REI 90 No /6379/CPD 625 mm 600 mm 2050 (comprimento plc) x 312,5 mm 15 mm premium REI 90 No /6380/CPD 2130 mm 750 mm perfil C n o 36/70 15 mm premium REI 90 PB 3.2/ mm premium REI 90 PB 3.2/ x 1200 x 800 mm 20 mm premium REI 120 PB 3243/496/ mm 750 mm 750 mm 750 mm

6 6 Teste europeu e resistênci o fogo Construção e suporte e crg Tipo e forro suspenso espessur mín. lje () ltur mín. cvie () (plenum) Sistems Premium OWAconstruct Piso e bloco reforço KIT-21-01/ S 3 KIT-21-01/ S 3 S mm 250 mm S 3 Lje oc e concreto reforç KIT-10-01/ S 3 KIT-10-01/ S mm 250 mm S 3 S 3 Construção e telho e meir KIT-01-01/ S 3 KIT-01-01/ S mm S 3 S 3 Piso composto KIT-22-01/ S 3 KIT-22-01/ S 3 S 3 70 mm 200 mm S 3 Construção e telho e ço com isolmento e chps e ço corrugo (Fomgls) KIT-13-01/ S mm S 3 Construção e telho e ço com isolmento e chps e ço corrugo (Fomgls resp. espum rígi) KIT-05-01/ S mm S 3 Construção e telho e ço com isolmento e chps e ço corrugo + lã minerl KIT-23-01/ S mm S 3

7 Kits e Forros 7 Plcs OWAcoustic Resistênci o fogo Suspensão test (istânci máx.) Móulo Espessur Linh o prouto Clssificção mín. Reltório e teste n o Centro perfil T principl Centro os penuris Penurl OWA-n o Crcterístics especiis 14 mm nom. 15 mm smrt premium REI 120 No. 3867/8160/CPR 900 mm 14 mm nom. 15 mm smrt premium REI 180 No /2488/CPD 14 mm nom. 15 mm smrt premium REI 30 PB 3222/3473-CR 14 mm nom. 15 mm smrt premium REI 120 No. 2896/6048/CPD 14 mm nom. smrt REI 90 PB 36/427/07-CR 625 mm 600 mm 1250 x 625 mm 1200 x 600 mm 15 mm premium REI 30 PB 3691/3845-CR 625 mm 600 mm 15 mm premium REI 30 PB 3.2/ mm 600 mm

8 8 Teste europeu e resistênci o fogo Construção e suporte e crg Tipo e forro suspenso espessur mín. lje () ltur mín. cvie () (plenum) Sistems Premium OWAconstruct Piso e meir KIT-04-01/ S 3 vig e meir plc e piso e meir 21 mm 248 mm S 3 Piso e meir KIT-07-01/ S 3 vig e meir plc e compenso e meir 18 mm 245 mm S 3 Gesso Fermcell firebor 12,5 mm Forro suspenso EI 30 unies e proteção utoconti contr o fogo e coro com EN Forros com resistênci o fogo inepenente Tipo e forro suspenso EI 30 ( b) [ = cim, b = bixo] Sistems premium OWAconstruct forro homogêneo OWAcoustic resistênci o fogo F 30 brriere e cim bixo plcs esmontáveis F 30 brriere B espço livre, gre ocult, elemento esmontável, comprimento mm

9 Kits e Forros 9 Plcs OWAcoustic Resistênci o fogo Suspensão test (istânci máx.) Móulo Espessur Linh o prouto Clssificção mín. Reltório e teste n o Centro perfil T principl Centro os penuris Penurl OWA-n o Crcterístics especiis + Plc + Minow espessur 21 mm 15 mm premium REI 90 PB Re/Ei MPA Stuttgrt 625 mm 600 mm 930 mm 17/45 15 mm premium REI Efectis RO 574 (E) Plcs OWAcoustic / elementos Resistênci o fogo Suspensão test (istânci máx.) Móulo Espessur Linh o prouto Clssificção mín. Reltório e teste n o Centro Centro Penurl perfil T principl os OWA-n o penuris Crcterístics especiis Lrgur: 300 mm, 312,5 mm Comprimento: 1800 mm, 2000 mm, 2250 mm 44 mm premium EI 30 b PB 3617/3831 PB 3619/3851 MPA Brunschweig vão livre e sistem bnrster 2300 mm 625 mm 79/75 perímetro pree n o 51/25 Pr miores etlhes consulte o ctálogo OWA n o 9915 e

10 10 Lumináris Quno instlr lumináris embutis em um forro resistente o fogo OWAcoustic, um cix contr incênio eve ser instl pr grntir continuie resistênci o fogo. É importnte grntir que o esempenho cix contr incênio sej igul àquele o forro OWAcoustic instlo. Lumináris embutis Forros prão OWAcoustic (piso e vig e ço, construção e telho e meir, construção e telho e ço, piso e meir) Plcs OWAcoustic premium e 40 mm e espessur, evem ser utilizs com plcs Minow e 40 mm. Pr plcs OWAcoustic premium e 20 mm e espessur, eve-se utilizr plcs Minow e 21 mm. Consulte tmbém o folheto e informções sobre Proteção contr Fogo. Espessur s plcs OWAcoustic Espessur Cix contr Incênio 14 mm 14,5 mm 15 mm 16 mm 20 mm 21 mm 40 mm 40 mm Forros OWAcoustic com iluminção embuti oferecem mesm resistênci o fogo que forros OWAcoustic fechos, se iluminção embuti estiver encix em um cix contr incênio e 16 mm e espessur Minow. Pr miores etlhes, consulte o Gui e instlção OWA no 9801 e. Acbmento e Perímetro Pr forros resistentes o fogo, os cbmentos e perímetro evem ser instlos em conformie com o reltório e teste corresponente. Somente fixores e pree resistentes o fogo evem ser usos (ETA Aprovção Técnic Europei). Centro o Fixor 250 mm. Perímetro e pree prão pr toos os forros prão Perímetro e pree pr forros Contur S Perímetro e pree com espço estreito

11 Penuris e suspensões n o 17/10 Penuris Nonius pr sistems ocultos n o Penuris pr sistems expostos n o 12/.../...* Penuris e juste uplo pr sistems expostos Armes pré-molos Ø 2,0 mm; As ponts os fixores são press pelo menos 3 vezes n o 17/45 Penuris Nonius pr sistems expostos n o 90 Clips e suspensão, justáveis pr vigs e ço n o 12/44* Penuris justáveis o tipo click n o 2001 OWApln n o 79/.. Penuris Nonius pr bnrster * Penuris justáveis não evem ser usos com construções e meir REI 90. Fixções Superiores Somente fixções superiores provs equs o substrto evem ser uss (ETA Aprovção Técnic Europei). Verificção Pr exigêncis e resistênci o fogo relcions os forros OWAcoustic, é recomeno que você etlhe o projeto pr s exigêncis relevntes ntes e comprr e instlr o forro. Quno submeter um peio, solicite os ocumentos o seu forneceor e entregue um list preenchi. Isso é necessário pr entregr os ocumentos corretos (DP, eclrção CE-KIT). Os ocumentos e proteção contr o fogo OWA são válios somente com o uso e plcs OWAcoustic e componentes originis os sistems OWAconstruct (conforme testos).

12 Assistênci Técnic Este mteril oferece um breve visão gerl Norm Europei EN e como os Forros OWAcoustic poem jur em sus exigêncis e resistênci o fogo. Se você precisr e mis informções ou ssistênci em qulquer etp o seu projeto e instlção e forro, por fvor, fle conosco ou visite o nosso site. Serviço e informção OWAconsult : Alemnh tel Grntis o Prouto As informções encontrs neste pnfleto estão bses ns norms e os isponíveis no momento publicção. Qulquer esempenho, grntis ou firmções fornecis, expresss ou implícits estão sujeits o uso exclusivo os componentes OWA e à instlção esses componentes e coro com s nosss recomenções. O não cumprimento ests conições resultrá n nulção e qulquer requisição e esempenho ou grntis e isenção e qulquer responsbilie. A OWA reserv o ireito e relizr qulquer melhori técnic em seus proutos, sistems e serviços sem viso prévio. Toos os proutos e serviços são fornecios em conformie com nossos Termos e Conições e Ven tuis. Slvo erros! Erros e flhs e impressão não estão excluíos. Com publicção est eição, toos os folhetos nteriores o no 500 são inválios. Oenwl Fserplttenwerk GmbH Dr.-F.-A.-Freunt-Strße Amorbch tel Brochur 9500 eu/pt/br

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth FUNCIONL ENTORNO IDENTIFICR RELÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERNDO OS TRIBUTOS DO LUGR - MSSS EDIFICDS, RELÇÕES DE PROXIMIDDE, DIÁLOGO, INTEGRÇÃO OU UTONOMI O ENTORNO D CSH #9 É COMPOSTO

Leia mais

Manual de instalação. Aquecedor de reserva de monobloco de baixa temperatura Daikin Altherma EKMBUHCA3V3 EKMBUHCA9W1. Manual de instalação

Manual de instalação. Aquecedor de reserva de monobloco de baixa temperatura Daikin Altherma EKMBUHCA3V3 EKMBUHCA9W1. Manual de instalação Aquecedor de reserv de monoloco de ix tempertur Dikin EKMBUHCAV EKMBUHCA9W Portugues Índice Índice Acerc d documentção. Acerc deste documento... Acerc d cix. Aquecedor de reserv..... Pr retirr os cessórios

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST 2016 - FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA.

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST 2016 - FASE 1. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA. 6 ) RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FUVEST 06 - FASE. POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEICÃO GOUVEIA. 0 De 869 té hoje, ocorrerm s seguintes munçs e moe no Brsil: () em 94, foi crio o cruzeiro, c cruzeiro

Leia mais

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo Resumo do Jogo Resumo do Jogo Regrs -Qundo for seu turno, você deve jogr um de sus crts no «ponto n linh do tempo» que estej correto. -Se você jogr crt corretmente, terá um crt menos à su frente. -Se você

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Mnul de Operção e Instlção Clh Prshll MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS Cód: 073AA-025-122M Rev. B Novembro / 2008 S/A. Ru João Serrno, 250 Birro do Limão São Pulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

Técnica das Construções Edmundo Rodrigues 9

Técnica das Construções Edmundo Rodrigues 9 Técnic ds Construções Edmundo Rodrigues 9 2.4. Elborção dos projetos construtivos Os projetos que devem ser elbordos de modo definir todos os procedimentos construtivos clssificm-se como: projeto de rquitetur;

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE

CÂMARA MUNICIPAL DE FERREIRA DO ZÊZERE CAPITULO I VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA FINS INDUSTRIAIS ARTIGO l. A lienção, trvés de vend, reliz-se por negocição direct com os concorrentes sendo o preço d vend fixo, por metro qudrdo, pr um ou mis

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

Carta Convite para Seleção de Preceptores. Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria na Residência Médica

Carta Convite para Seleção de Preceptores. Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria na Residência Médica ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA (ABEM) Av. Brsil, 4036 sls 1006/1008 21040-361 Rio de Jneiro-RJ Tel.: (21) 2260.6161 ou 2573.0431 Fx: (21) 2260.6662 e-mil: rozne@bem-educmed.org.br Home-pge: www.bem-educmed.org.br

Leia mais

Plugues e Tomadas Industriais

Plugues e Tomadas Industriais Plugues e Toms Inustriis Linh Inustril Instlções mis onfiáveis e segurs. CARACTERÍSTICAS GERAIS A Linh e Plugs e Toms Inustriis Soprno é ini pr onexão e iversos equipmentos, em mientes sujeitos pó, águ,

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

Dia 1 de Outubro Dia Nacional da Água

Dia 1 de Outubro Dia Nacional da Água Divisão de Plnemento Ambientl e Proteção Civil Di 1 de Outubro Di Ncionl d Águ entre 2 mil e 8 mil milhões de pessos té Águ 2050, num momento em que meç do Aquecimento Globl d Terr é um A águ é essencil

Leia mais

CATÁLOGOTELHAS TELHAS METÁLICAS TELHAS TERMOACÚSTICAS TELHAS FORRO TELHA CALANDRADA TELHA MULTIDOBRA TELHA PÓS-PINTADA ACESSÓRIOS PARA COBERTURA

CATÁLOGOTELHAS TELHAS METÁLICAS TELHAS TERMOACÚSTICAS TELHAS FORRO TELHA CALANDRADA TELHA MULTIDOBRA TELHA PÓS-PINTADA ACESSÓRIOS PARA COBERTURA CATÁLOGOTELHAS TELHAS METÁLICAS TELHAS FORRO TELHA CALANDRADA TELHA MULTIDOBRA TELHA PÓSPINTADA ACESSÓRIOS PARA COBERTURA nnmetis.com.r O ço trnsformou o muno. Nós trnsformmos o ço. Em quse us écs e existênci,

Leia mais

Capítulo 5 Vigas sobre base elástica

Capítulo 5 Vigas sobre base elástica Cpítuo 5 Vigs sobre bse eástic Este cpítuo vi presentr s bses pr o estudo estático e eástico d fexão simpes de vigs suportds diretmente peo terreno (ue constitui, então, num poio eástico contínuo pr ests

Leia mais

Técnica de conexões pneumáticas Programa complementar Parafusos obturadores e apoio. Catálogo impresso

Técnica de conexões pneumáticas Programa complementar Parafusos obturadores e apoio. Catálogo impresso Técnic de conexões pneumátics Progrm complementr Prfusos obturdores e poio Ctálogo impresso 2 Técnic de conexões pneumátics Progrm complementr Prfusos obturdores e poio Peç em cruz, cônic rosc intern,

Leia mais

Rolamentos com uma fileira de esferas de contato oblíquo

Rolamentos com uma fileira de esferas de contato oblíquo Rolmentos com um fileir de esfers de contto oblíquo Rolmentos com um fileir de esfers de contto oblíquo 232 Definições e ptidões 232 Séries 233 Vrintes 233 Tolerâncis e jogos 234 Elementos de cálculo 236

Leia mais

XEROX BOLETIM DE SEGURANÇA XRX07-001

XEROX BOLETIM DE SEGURANÇA XRX07-001 XEROX BOLETIM DE SEGURANÇA XRX07-001 XEROX Boletim de Segurnç XRX07-001 Há vulnerbiliddes n ESS/Controldor de Rede que, se forem explords, podem permitir execução remot de softwre rbitrário, flsificção

Leia mais

Exame Nacional de 2006 1. a chamada

Exame Nacional de 2006 1. a chamada 1. Muitos os estuntes que usm mochils trnsportm irimente peso mis pr su ie. 1.1. Pr evitr lesões n colun verterl, o peso e um mochil e o o mteril que se trnsport entro el não evem ultrpssr 10% o peso o

Leia mais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais POTÊNCIAS A potênci de epoente n ( n nturl mior que ) do número, representd por n, é o produto de n ftores iguis. n =...... ( n ftores) é chmdo de bse n é chmdo de epoente Eemplos =... = 8 =... = PROPRIEDADES

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO LAMINADOS

BOLETIM TÉCNICO LAMINADOS A BOLETIM TÉCNICO LAMINADOS Últim tulizção Mio/2011 VERSÃO MAIO/2011 ACABAMENTOS NATURAL: O cbmento pdrão d chp possui bi reflectânci e pode presentr vrições de brilho. BRILHANTE: Esse tipo de cbmento

Leia mais

Mod. 246-1 Tit. - Abril 2016

Mod. 246-1 Tit. - Abril 2016 Mo. 246-1 Tit. - Abril 2016 1 5 CARTÃO DE CRÉDITO PARTICULAR UNICRE DECO PRO/TESTE Conições Geris e Utilizção, Direitos e Deveres s Prtes Elbors e coro com o Aviso nº 11/2001 e 20/11 o Bnco e Portugl,

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 Ministério d Educção Universidde Tecnológic Federl do Prná Comissão Permnente de Concurso Público PR CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 ÁREA / SUBÁREA: ELETROTÉCNICA GABARITO PROJETOS ELÉTRICOS INSTRUÇÕES

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA MANUAL DE USO DA MARCA DA MARÇO/2011 1 Identidde Visul Sobre o Mnul d Mrc Este mnul vis pdronizr e estbelecer regrs de uso pr mrc d Forç Aére Brsileir. Mrc é um símbolo que funcion como elemento identificdor

Leia mais

Relações em triângulos retângulos semelhantes

Relações em triângulos retângulos semelhantes Observe figur o ldo. Um escd com seis degrus está poid em num muro de m de ltur. distânci entre dois degrus vizinhos é 40 cm. Logo o comprimento d escd é 80 m. distânci d bse d escd () à bse do muro ()

Leia mais

Prezados Estudantes, Professores de Matemática e Diretores de Escola,

Prezados Estudantes, Professores de Matemática e Diretores de Escola, Prezdos Estudntes, Professores de Mtemátic e Diretores de Escol, Os Problems Semnis são um incentivo mis pr que os estudntes possm se divertir estudndo Mtemátic, o mesmo tempo em que se preprm pr s Competições

Leia mais

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos?

Calculando volumes. Para pensar. Para construir um cubo cuja aresta seja o dobro de a, de quantos cubos de aresta a precisaremos? A UA UL LA 58 Clculndo volumes Pr pensr l Considere um cubo de rest : Pr construir um cubo cuj rest sej o dobro de, de quntos cubos de rest precisremos? l Pegue um cix de fósforos e um cix de sptos. Considerndo

Leia mais

Processo TIG. Eletrodo (negativo) Argônio. Arco elétrico Ar Ar + + e - Terra (positivo)

Processo TIG. Eletrodo (negativo) Argônio. Arco elétrico Ar Ar + + e - Terra (positivo) Processo TIG No processo de soldgem rco sob proteção gsos, região se unir é quecid té que se tinj o ponto de fusão, pr que isto ocorr, é fornecid um energi trvés do rco elétrico, que irá fundir tnto o

Leia mais

Exemplo 1 Dimensionamento ELU Força Cortante

Exemplo 1 Dimensionamento ELU Força Cortante Exemplo 1 Dimensionmento ELU Forç Cortnte 1. Esquem estruturl, geometri, crgs e resistêncis O presente exemplo mostr rotin e imensionmento à orç cortnte sem que sej necessário esenhr treliç resistente

Leia mais

... ... a. Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados. Identificação: A1.N2 Revisão: 03 Folha: 3 / 5

... ... a. Anexo I - Tabela de Tolerâncias Dimensionais e de Montagem de Elementos Pré-Fabricados. Identificação: A1.N2 Revisão: 03 Folha: 3 / 5 Identificção: A1.N2 Revisão: 03 Folh: 1 / 5 Função do Elemento Pinéis Arquitetônicos (item b1 do requisito Pilres, Vis, Pórticos, Terçs e Escds (itens b2, b3 e b4 do requisito Ljes Armds ou Protendids

Leia mais

Obrigado por escolher Besafe izi Kid i-size. Informação vital. Preparação para instalação SIP+

Obrigado por escolher Besafe izi Kid i-size. Informação vital. Preparação para instalação SIP+ 1 6 d c e Mnul de utilizção f h g i j k l m 7 8 10 2 3 9 c e d no sentido inverso o d mrch Altur 61-105 cm 4 5 11 12 Peso máximo 18 kg Idde 6m-4 UN regultion no. R129 i-size 8 9 Origdo por escolher Besfe

Leia mais

DECivil Secção de Mecânica Estrutural e Estruturas MECÂNICA I ENUNCIADOS DE PROBLEMAS

DECivil Secção de Mecânica Estrutural e Estruturas MECÂNICA I ENUNCIADOS DE PROBLEMAS Eivil Secção de Mecânic Estruturl e Estruturs MEÂNI I ENUNIOS E ROLEMS Fevereiro de 2010 ÍTULO 3 ROLEM 3.1 onsidere plc em form de L, que fz prte d fundção em ensoleirmento gerl de um edifício, e que está

Leia mais

Revestimentos com alto desempenho para indústria de petróleo e gás. Desempenho excepcional, excelente serviço ao cliente

Revestimentos com alto desempenho para indústria de petróleo e gás. Desempenho excepcional, excelente serviço ao cliente Petróleo e Gás Revestimentos com lto desempenho pr indústri de petróleo e gás Desempenho excepcionl, excelente serviço o cliente Representndo Revestimentos de polietileno Revestimentos de polipropileno

Leia mais

TARIFÁRIO 2016 Operadora Nacional SEMPRE PERTO DE VOCÊ

TARIFÁRIO 2016 Operadora Nacional SEMPRE PERTO DE VOCÊ TARIFÁRIO 2016 Operdor Ncionl SEMPRE PERTO DE VOCÊ 24 HOTÉIS PORTUGAL E BRASIL LAZER E NEGÓCIOS CIDADE, PRAIA E CAMPO Os Hotéis Vil Glé Brsil Rio de Jneiro VILA GALÉ RIO DE JANEIRO 292 qurtos 2 resturntes

Leia mais

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos.

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos. Acoplmento É o gru de dependênci entre dois módulos. Objetivo: minimizr o coplmento grndes sistems devem ser segmentdos em módulos simples A qulidde do projeto será vlid pelo gru de modulrizção do sistem.

Leia mais

LFS - Canaletas de PVC UFS - Caixas de Tomada para Piso

LFS - Canaletas de PVC UFS - Caixas de Tomada para Piso Ctálogo LFS - UFS LFS - Cnlets de PVC UFS - Cixs de Tomd pr Piso fique conectdo. pense oo. Linh LFS Cnlets de PVC Com lto pdrão estético, s cnlets OBO vlorizm o miente, lém de oferecerem possiilidde de

Leia mais

Algoritmos de Busca de Palavras em Texto

Algoritmos de Busca de Palavras em Texto Revisdo 08Nov12 A busc de pdrões dentro de um conjunto de informções tem um grnde plicção em computção. São muits s vrições deste problem, desde procurr determinds plvrs ou sentençs em um texto té procurr

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular Áre de formção 523. Eletrónic e Automção Curso de formção Técnico/ de Eletrónic, Automção e Comndo Nível de qulificção do QNQ 4 Componentes de Socioculturl Durção: 775 hors Científic Durção: 400 hors Plno

Leia mais

1 Distribuições Contínuas de Probabilidade

1 Distribuições Contínuas de Probabilidade Distribuições Contínus de Probbilidde São distribuições de vriáveis letóris contínus. Um vriável letóri contínu tom um numero infinito não numerável de vlores (intervlos de números reis), os quis podem

Leia mais

Desempenho de coletores solares planos

Desempenho de coletores solares planos Universidde do Vle do Rio dos Sinos UNISINOS Progrm de Pós-Grdução em Engenhri Mecânic Energi Solr érmic Desempenho de coletores solres plnos 2 º. semestre, 2015 Os testes seguem norms específics. Brsil:

Leia mais

OWAcoustic sanitas 02 Onde condições estéreis contra fungos e bactérias são essenciais:

OWAcoustic sanitas 02 Onde condições estéreis contra fungos e bactérias são essenciais: Forros higiênicos OWAcoustic sanitas 02 Onde condições estéreis contra fungos e bactérias são essenciais: Placas de forro especialmente desenvolvidas para uso em áreas higienicamente sensíveis: O OWAcoustic

Leia mais

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza Operdores momento e energi e o Princípio d Incertez A U L A 5 Mets d ul Definir os operdores quânticos do momento liner e d energi e enuncir o Princípio d Incertez de Heisenberg. objetivos clculr grndezs

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Plano de Trabalho Docente 2015. Etec Profª Ermelinda Giannini Teixeira Coorden http://www.etecermelind.com.br/etec/sis/ptd_tec_6.php 1 de 5 18/09/2015 12:45 Unidde de Ensino Médio e Técnico Cetec Ensino Técnico Integrdo o Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plno de Trblho Docente

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b]

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b] Interl Deinid Se é um unção de, então su interl deinid é um interl restrit à vlores em um intervlo especíico, dimos, O resultdo é um número que depende pens de e, e não de Vejmos deinição: Deinição: Sej

Leia mais

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática.

Desenvolvendo novas ferramentas pedagógicas para a formação de gestores de parques nacionais: jogos de papéis e simulação informática. Desenvolvendo vs ferrments pedgógics pr formção gestores prques ncionis: jogos ppéis e simulção informátic 1 Equipe Jen-Pierre Briot (LIP6 & LES/DI/PUC-Rio) (coorndor) Mrt Irving (EICOS/IP/UFRJ) (vice-coorndor)

Leia mais

1 Fórmulas de Newton-Cotes

1 Fórmulas de Newton-Cotes As nots de ul que se seguem são um compilção dos textos relciondos n bibliogrfi e não têm intenção de substitui o livro-texto, nem qulquer outr bibliogrfi. Integrção Numéric Exemplos de problems: ) Como

Leia mais

IP-09 INSTRUÇÃO DE PROJETO DE REFORÇO PARA RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS

IP-09 INSTRUÇÃO DE PROJETO DE REFORÇO PARA RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS 1. OBJETIVO O presente documento tem por objetivo presentr s instruções pr projeto de reforço dos pvimentos executdos pel Prefeitur do Município de São Pulo. 2. INTRODUÇÃO Este procedimento estbelece critérios

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO DE PEÇAS GRAN VIALE ARTICULADO A001 - COMP.CAIXA DE RODA E PARA-PEDRA - DIANTEIRO PARA-PEDRAS TRASEIRO FRENTE RODADO A-001

CATÁLOGO TÉCNICO DE PEÇAS GRAN VIALE ARTICULADO A001 - COMP.CAIXA DE RODA E PARA-PEDRA - DIANTEIRO PARA-PEDRAS TRASEIRO FRENTE RODADO A-001 0 - COMP.CIX DE ROD E PR-PEDR - DINTEIRO GV_RT0 CONJUNTO CIX DE RODS GV_RT0 PR-PEDRS GV_RT0 CONJUNTO CIX DE RODS GV_RT0 CONJUNTO CIX DE RODS GV_RT0 PR-PEDRS GV_RT0 PR-PEDRS GV_RT0 PR-PEDRS GV_RT0 REFORÇO

Leia mais

A primeira gama de rolamentos para uso extremo disponível como padrão. SNR - Industry

A primeira gama de rolamentos para uso extremo disponível como padrão. SNR - Industry A primeira gama e rolamentos para uso extremo isponível como parão. SNR - Inustry I N U S T R Y TN21Ra:TN21Fc 2/04/08 16:04 Page 2 Uma gama aaptaa para as aplicações mais exigentes. Uma gama técnica testaa

Leia mais

T E L H A S M E T Á L I C A S. Catálogo Técnico

T E L H A S M E T Á L I C A S. Catálogo Técnico T E L H A S M E T Á L I C A S Ctálogo Ténio T E L H A S M E T Á L I C A S Visndo ofereer informções e orientções pr o melhor proveitmento dos produtos d Linh Metáli, Eternit elorou este tálogo ténio. Nele

Leia mais

Seu pé direito nas melhores faculdades

Seu pé direito nas melhores faculdades Seu pé direito ns melhores fculddes IBMEC 03/junho/007 ANÁLISE QUANTITATIVA E LÓGICA DISCUSIVA 01. O dministrdor de um boliche pretende umentr os gnhos com sus pists. Atulmente, cobr $ 6,00 por um hor

Leia mais

os corpos? Contato direto F/L 2 Gravitacional, centrífuga ou eletromagnética F/L 3

os corpos? Contato direto F/L 2 Gravitacional, centrífuga ou eletromagnética F/L 3 Universidde Federl de Algos Centro de Tecnologi Curso de Engenri Civil Disciplin: Mecânic dos Sólidos 1 Código: ECIV018 Professor: Edurdo Nobre Lges Forçs Distribuíds: Centro de Grvidde, Centro de Mss

Leia mais

VI.1.1 DIFUSÃO EM FASE LÍQUIDA: 1- SOLUTO NÃO ELETROLÍTICO EM SOLUÇÕES LÍQUIDAS DILUÍDAS: EQUAÇÃO DE Wilke e Chang (1955):

VI.1.1 DIFUSÃO EM FASE LÍQUIDA: 1- SOLUTO NÃO ELETROLÍTICO EM SOLUÇÕES LÍQUIDAS DILUÍDAS: EQUAÇÃO DE Wilke e Chang (1955): VI.. IFUSÃO EM FSE LÍQUI: - SOLUTO NÃO ELETROLÍTICO EM SOLUÇÕES LÍQUIS ILUÍS: EQUÇÃO E Wilke e Chang (955): 0 B B 8 M 7,4 0 T V B IFUSIVIE. O SOLUTO( ) NO SOLVENTE B 0,6 b 0,5 cm 2 s ; T TEMPERTUR O MEIO

Leia mais

Matemática. Aula: 07 e 08/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Matemática. Aula: 07 e 08/10. Prof. Pedro Souza. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Matemática Aula: 07 e 08/10 Prof. Pero Souza UMA PARCERIA Visite o Portal os Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistaeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO

Leia mais

Matemática. Atividades. complementares. 9-º ano. Este material é um complemento da obra Matemática 9. uso escolar. Venda proibida.

Matemática. Atividades. complementares. 9-º ano. Este material é um complemento da obra Matemática 9. uso escolar. Venda proibida. 9 ENSINO 9-º no Mtemátic FUNDMENTL tividdes complementres Este mteril é um complemento d obr Mtemátic 9 Pr Viver Juntos. Reprodução permitid somente pr uso escolr. Vend proibid. Smuel Csl Cpítulo 6 Rzões

Leia mais

Recordando produtos notáveis

Recordando produtos notáveis Recordndo produtos notáveis A UUL AL A Desde ul 3 estmos usndo letrs pr representr números desconhecidos. Hoje você sbe, por exemplo, que solução d equção 2x + 3 = 19 é x = 8, ou sej, o número 8 é o único

Leia mais

b para que a igualdade ( ) 2

b para que a igualdade ( ) 2 DATA DE ENTREGA: 0 / 06 / 06 QiD 3 8º ANO PARTE MATEMÁTICA. (,0) Identifique o monômio que se deve multiplicr o monômio 9 5 8 b c. 5 b pr obter o resultdo. (,0) Simplifique s expressões bixo. ) x + x(3x

Leia mais

Análise de Variância com Dois Factores

Análise de Variância com Dois Factores Análise de Vriânci com Dois Fctores Modelo sem intercção Eemplo Neste eemplo, o testrmos hipótese de s três lojs terem volumes médios de vends iguis, estmos testr se o fctor Loj tem influênci no volume

Leia mais

Apostila De Matemática GEOMETRIA: REVISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, PRISMAS E PIRÂMIDES

Apostila De Matemática GEOMETRIA: REVISÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL, PRISMAS E PIRÂMIDES posti De Mtemátic GEOMETRI: REVISÃO DO ENSINO FUNDMENTL, PRISMS E PIRÂMIDES posti de Mtemátic (por Sérgio Le Jr.) GEOMETRI 1. REVISÃO DO ENSINO FUNDMENTL 1. 1. Reções métrics de um triânguo retânguo. Pr

Leia mais

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o VETORES INTRODUÇÃO No módulo nterior vimos que s grndezs físics podem ser esclres e vetoriis. Esclres são quels que ficm perfeitmente definids qundo expresss por um número e um significdo físico: mss (2

Leia mais

Desvio do comportamento ideal com aumento da concentração de soluto

Desvio do comportamento ideal com aumento da concentração de soluto Soluções reis: tividdes Nenhum solução rel é idel Desvio do comportmento idel com umento d concentrção de soluto O termo tividde ( J ) descreve o comportmento de um solução fstd d condição idel. Descreve

Leia mais

Fio de tecido. m laser. = a. = a. Difração de um fio. Difração de uma fenda simples

Fio de tecido. m laser. = a. = a. Difração de um fio. Difração de uma fenda simples Problem 8 Os fbricntes e fios às vezes usm um lser pr monitorr continumente espessur o prouto. O fio intercept luz o lser, prouzino um figur e ifrção preci com e um fen com mesm lrgur que o iâmetro o fio.

Leia mais

Área entre curvas e a Integral definida

Área entre curvas e a Integral definida Universidde de Brsíli Deprtmento de Mtemátic Cálculo Áre entre curvs e Integrl definid Sej S região do plno delimitd pels curvs y = f(x) e y = g(x) e s rets verticis x = e x = b, onde f e g são funções

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: ETEC ANHANQUERA Município: Sntn de Prníb Áre de Conhecimento: : Proteção e Prevenção Componente Curriculr: LNR Legislção e Norms Regulmentodors

Leia mais

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação Mnul de Internção ÍNDICE CARO CREDENCIADO, LEIA COM ATENÇÃO.... 3 FATURAMENTO... 3 PROBLEMAS DE CADASTRO... 3 PENDÊNCIA DO ATENDIMENTO... 3 ACESSANDO O MEDLINK WEB... 4 ADMINISTRAÇÃO DE USUÁRIOS... 5 CRIANDO

Leia mais

TK-810 OBRIGADO SEU RECIBO VENHA DE NOVO! HAMBÚRGUER CAFÉ BATATAS FRITAS SANDUÍCHE SORVETE CAIXA REGISTRADORA ELETRÔNICA

TK-810 OBRIGADO SEU RECIBO VENHA DE NOVO! HAMBÚRGUER CAFÉ BATATAS FRITAS SANDUÍCHE SORVETE CAIXA REGISTRADORA ELETRÔNICA CAIA ISTRADORA ELETRÔNICA TK-810 OBRIGADO SEU RECIBO VENHA DE NOVO! HAMBÚRGUER 10 CAFÉ BATATAS FRITAS SANDUÍCHE SORVETE C 7 8 9 4 5 6 1 2 3 0 00 TK-810 10 Eu Di U.K. MANUAL DE INSTRUÇÕES DO OPERADOR V

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS DE TEORIA DOS GRAFOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS DE TEORIA DOS GRAFOS EXERCÍCIOS RESOLVIDOS DE TEORIA DOS GRAFOS.) Considere tbel de trefs seguir pr construção de um cs de mdeir: TAREFAS PRÉ-REQUISITOS DIAS. Limpez do terreno Nenhum. Produção e colocção d fundção. Produção

Leia mais

Introdução à Integral Definida. Aula 04 Matemática II Agronomia Prof. Danilene Donin Berticelli

Introdução à Integral Definida. Aula 04 Matemática II Agronomia Prof. Danilene Donin Berticelli Introdução à Integrl Definid Aul 04 Mtemátic II Agronomi Prof. Dnilene Donin Berticelli Áre Desde os tempos mis ntigos os mtemáticos se preocupm com o prolem de determinr áre de um figur pln. O procedimento

Leia mais

Técnica de conexões pneumáticas Acessório para uniões Parafusos obturadores e apoio. Catálogo impresso

Técnica de conexões pneumáticas Acessório para uniões Parafusos obturadores e apoio. Catálogo impresso Técnic de conexões pneumátics Acessório pr uniões Prfusos obturdores e poio Ctálogo impresso 2 Técnic de conexões pneumátics Acessório pr uniões Prfusos obturdores e poio Adptdor rosc extern M5-3/8 Rosc

Leia mais

b 2 = 1: (resp. R2 e ab) 8.1B Calcule a área da região delimitada pelo eixo x, pelas retas x = B; B > 0; e pelo grá co da função y = x 2 exp

b 2 = 1: (resp. R2 e ab) 8.1B Calcule a área da região delimitada pelo eixo x, pelas retas x = B; B > 0; e pelo grá co da função y = x 2 exp 8.1 Áres Plns Suponh que cert região D do plno xy sej delimitd pelo eixo x, pels rets x = e x = b e pelo grá co de um função contínu e não negtiv y = f (x) ; x b, como mostr gur 8.1. A áre d região D é

Leia mais

INSTABILIDADE DE CHAPAS INSTABILIDADE DE CHAPAS MÉTODO DAS LARGURAS EFETIVAS APLICAÇÃO A PERFIS FORMADOS A FRIO APLICAÇÃO A PERFIS SOLDADOS

INSTABILIDADE DE CHAPAS INSTABILIDADE DE CHAPAS MÉTODO DAS LARGURAS EFETIVAS APLICAÇÃO A PERFIS FORMADOS A FRIO APLICAÇÃO A PERFIS SOLDADOS INSTABILIDADE DE CHAPAS INSTABILIDADE DE CHAPAS MÉTODO DAS LARGURAS EFETIVAS APLICAÇÃO A PERFIS FORMADOS A FRIO FLAMBAGEM POR FLEXÃO FLAMBAGEM POR TORÇÃO FLAMBAGEM POR FLEXO-TORÇÃO FLAMBAGEM LATERAL FLAMBAGEM

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA MÓDULO CHÁ. Versão 1.1

CÓDIGO DE CONDUTA MÓDULO CHÁ. Versão 1.1 CÓDIO DE CONDUTA MÓDULO CHÁ Versão 1.1 Cópis e trduções deste documento estão disponíveis em formto eletrônico no site d UTZ Certified: www.utzcertified.org Este documento foi trduzido do Inglês. Se houver

Leia mais

Telhas Galvanizadas Telhas Galvalume Telhas Pintadas Telhas Termoacústicas

Telhas Galvanizadas Telhas Galvalume Telhas Pintadas Telhas Termoacústicas nnmetis.com.r Telhs Glvnizs Telhs Glvlume Telhs Pints Telhs Termocústics PIRACICABA Ru Antonio Grneiro Lopes Filho, 205 Uninorte CEP 13496 Fone (19) 6.9050 CURITIBA Ru João Ferreir Sorinho, 274 Birro CIC

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

COBERTURAS. Ficha Técnica 01. Nomenclatura. Tipos

COBERTURAS. Ficha Técnica 01. Nomenclatura. Tipos Fich Técnic 01 COBERTURAS Nomencltur 1 Pendente 2 Cumeeir 3 Rincão 4 Tcniç 5 Lró 6 Bordo lterl de empen 7 Alpendre 8 Beir 8b Beirdo 9 Empen 10 Linh de máxim pendente Tipos Telhdo de um águ Telhdo de qutro

Leia mais

CPV O cursinho que mais aprova na GV

CPV O cursinho que mais aprova na GV O cursinho que mis prov n GV FGV Administrção 04/junho/006 MATEMÁTICA 0. Pulo comprou um utomóvel fle que pode ser bstecido com álcool ou com gsolin. O mnul d montdor inform que o consumo médio do veículo

Leia mais

TÍTULO: Métodos de Avaliação e Identificação de Riscos nos Locais de Trabalho. AUTORIA: Ricardo Pedro

TÍTULO: Métodos de Avaliação e Identificação de Riscos nos Locais de Trabalho. AUTORIA: Ricardo Pedro TÍTULO: Métodos de Avlição e Identificção de Riscos nos Locis de Trblho AUTORIA: Ricrdo Pedro PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 167 (Novembro/Dezembro de 2006) 1. Enqudrmento legl A vlição e identificção de

Leia mais

Apoio à Decisão. Aula 3. Aula 3. Mônica Barros, D.Sc.

Apoio à Decisão. Aula 3. Aula 3. Mônica Barros, D.Sc. Aul Métodos Esttísticos sticos de Apoio à Decisão Aul Mônic Brros, D.Sc. Vriáveis Aletóris Contínus e Discrets Função de Probbilidde Função Densidde Função de Distribuição Momentos de um vriável letóri

Leia mais

Física. Resolução das atividades complementares. F1 Gravitação universal

Física. Resolução das atividades complementares. F1 Gravitação universal esolução s tivies complementres Físic F Grvitção universl p. 7 err possui pens um stélite nturl, Lu. Pesquise pr responer. ) Quis os períoos e rotção e e trnslção Lu em torno err? b) Por que err é possível

Leia mais

Construção e montagem

Construção e montagem Construção e montgem Tetos Knuf D11 Construção Os tetos Knuf com chps de gesso podem ser fixdos diretmente o teto originl ou suspensos com tirnte e suportes. As chps de gesso são prfusds num estrutur metálic,

Leia mais

Eletrotécnica. Módulo III Parte I Motores CC. Prof. Sidelmo M. Silva, Dr. Sidelmo M. Silva, Dr.

Eletrotécnica. Módulo III Parte I Motores CC. Prof. Sidelmo M. Silva, Dr. Sidelmo M. Silva, Dr. 1 Eletrotécnic Módulo III Prte I Motores CC Prof. 2 3 Máquin CC Crcterístics Básics Muito versáteis (bos crcterístics conjugdo X velocidde) Elevdos conjugdos de prtid Aplicções em sistems de lto desempenho

Leia mais

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa

Física 1 Capítulo 3 2. Acelerado v aumenta com o tempo. Se progressivo ( v positivo ) a m positiva Se retrógrado ( v negativo ) a m negativa Físic 1 - Cpítulo 3 Movimento Uniformemente Vrido (m.u.v.) Acelerção Esclr Médi v 1 v 2 Movimento Vrido: é o que tem vrições no vlor d velocidde. Uniddes de celerção: m/s 2 ; cm/s 2 ; km/h 2 1 2 Acelerção

Leia mais

VERSÃO 1 VERSÃO 2 VERSÃO 3 BERÇO AMORE ESQUEMA DE MONTAGEM ALTURA: mm LARGURA: 869 mm PROFUNDIDADE: mm BCO/BCO. 60 Min.

VERSÃO 1 VERSÃO 2 VERSÃO 3 BERÇO AMORE ESQUEMA DE MONTAGEM ALTURA: mm LARGURA: 869 mm PROFUNDIDADE: mm BCO/BCO. 60 Min. ESQUEM E MONTGEM 949021 BERÇO MORE 60 Min. VERSÃO 1 ROIZIO NÃO COMPNH O PROUTO VENIO SEPRO VERSÃO 2 VERSÃO 3 LTUR: 1.289 mm LRGUR: 869 mm PROFUNIE: 1.352 mm 215766 - BCO/BCO 1 IMPORTNTE LER COM TENÇÃO

Leia mais

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Aplicações da Integral

Resumo com exercícios resolvidos do assunto: Aplicações da Integral www.engenhrifcil.weely.com Resumo com exercícios resolvidos do ssunto: Aplicções d Integrl (I) (II) (III) Áre Volume de sólidos de Revolução Comprimento de Arco (I) Áre Dd um função positiv f(x), áre A

Leia mais

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular

Plano Curricular Plano Curricular Plano Curricular Áre de formção 523. Eletrónic e Automção Curso de formção Técnico/ de Eletrónic, Automção e Comndo Nível de qulificção do QNQ 4 Componentes de Socioculturl Durção: 775 hors Científic Durção: 400 hors Plno

Leia mais

CECOMETAL. Distribuidora Ltda. CECOMETAL Distribuidora Ltda. A entrega mais rápida e confiável de Campinas

CECOMETAL. Distribuidora Ltda. CECOMETAL Distribuidora Ltda. A entrega mais rápida e confiável de Campinas Distriuidor Ltd A entreg mis rápid e onfiável de Cmpins Ru José Gonçlves Mhdo, 132, Vil Elz Cmpins-SP - CEP: 141-5 Fone/Fx: (1) 3232-7 VIVO: (1) 1-546 ID:7* E-mil: eometl@eometl.om.r CECOMETAL Distriuidor

Leia mais

INFLUÊNCIA DO CLIMA (EL NIÑO E LA NIÑA) NO MANEJO DE DOENÇAS NA CULTURA DO ARROZ

INFLUÊNCIA DO CLIMA (EL NIÑO E LA NIÑA) NO MANEJO DE DOENÇAS NA CULTURA DO ARROZ INFLUÊNCIA DO CLIMA (EL NIÑO E LA NIÑA) NO MANEJO DE DOENÇAS NA CULTURA DO ARROZ Ricrdo S. Blrdin Mrcelo G. Mdlosso Mônic P. Debortoli Giuvn Lenz. Dep. Defes Fitossnitári - UFSM; Instituto Phytus. Em nos

Leia mais

Sólidos semelhantes. Segmentos proporcionais Área Volume

Sólidos semelhantes. Segmentos proporcionais Área Volume Sólios semelntes Segmentos proporcionis Áre olume Sólios semelntes Consiere um pirâmie cuj se é um polígono qulquer: Se seccionrmos ess pirâmie por um plno prlelo à se, iiiremos pirâmie em ois outros sólios:

Leia mais

Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. NBR 13434

Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. Licença de uso exclusiva para Petrobrás S.A. NBR 13434 ABNT-Associção Brsileir de Norms Técnics Sede: Rio de Jneiro Av. Treze de Mio, 13-28º ndr CEP 20003-900 - Cix Postl 1680 Rio de Jneiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Fx: (021) 220-1762/220-6436 Endereço

Leia mais

ÍNdice. Nossos produtos são fabricados com a mais moderna tecnologia e um rigoroso padrão de qualidade

ÍNdice. Nossos produtos são fabricados com a mais moderna tecnologia e um rigoroso padrão de qualidade Ctálogo DE produtos especilizd em soluções pr refrigerção Nossos produtos são fbricdos com mis modern tecnologi e um rigoroso pdrão de qulidde A TRINEVA estbelecid desde 1966, cont com mis de 40 nos de

Leia mais

3 - A Metalurgia Extrativa

3 - A Metalurgia Extrativa 7 3 - A Metlurgi Extrtiv 3-1. Principis metis A metlurgi extrtiv estud otenção dos metis prtir de fontes mineris d nturez e d suct. Um comprção entre os principis metis produzidos pelo Homem em escl mundil

Leia mais

Uso Racional de Energia Elétrica em Residências e Condomínios

Uso Racional de Energia Elétrica em Residências e Condomínios Uso Rcionl de Energi Elétric em Residêncis e Condomínios Css Verifique s Condições ds Instlções : Dimensionmento; Execução; Mnutenção; Conservção. Css Verifique os Hábitos de consumo : Form pessol de utilizção

Leia mais

ALICATES. Furo do rebite calibrado permite perfeito. sua vida útil. com alicates padrões.

ALICATES. Furo do rebite calibrado permite perfeito. sua vida útil. com alicates padrões. AICAES Mior Vid Útil do Corte Design do corte perfeiçodo e trtdo termicmente pr mior vid útil do licte. Cbo Ergonômico Cbo ntidesliznte fbricdo em duplo mteril pr mior conforto. Mior Durbilidde Fbricdo

Leia mais

Aula de solução de problemas: cinemática em 1 e 2 dimensões

Aula de solução de problemas: cinemática em 1 e 2 dimensões Aul de solução de problems: cinemátic em 1 e dimensões Crlos Mciel O. Bstos, Edurdo R. Azevedo FCM 01 - Físic Gerl pr Químicos 1. Velocidde instntâne 1 A posição de um corpo oscil pendurdo por um mol é

Leia mais

Oportunidade de Negócio: OFICINA DE CONVERSÃO - GNV

Oportunidade de Negócio: OFICINA DE CONVERSÃO - GNV Oportunidde de Negócio: OFICINA DE CONVERSÃO - GNV Mio/2007 1 OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FICHA BÁSICA SEGMENTO: Prestção de Serviço Conversão de motores utomotivos (GNV) DESCRIÇÃO: Oficin pr montgem de Kit

Leia mais

Tubo de Proteção em PVC rígido-ø2"x3.00m Descida da Cordoalha (3) Caixa de Inspeção do aterramento. Haste do Aterramento. Banco Madeira.

Tubo de Proteção em PVC rígido-ø2x3.00m Descida da Cordoalha (3) Caixa de Inspeção do aterramento. Haste do Aterramento. Banco Madeira. Tubo de Proteção em PVC rígido-ø2"x3.m Cordoalha (3) Caixa de Inspeção do aterramento Haste do terramento SIMBOLOGI UTILIZD P..I. Bloco utônomo - w / h=2,20m-12 wolts Bloco utônomo-pl2w/h=2,20m-12wolts

Leia mais

Manual de Montagem MATERIAL PARA MONTAGEM: OPÇÕES DE CHAMINÉ: KIT S EM CONCRETO REFRATÁRIO PARA LAREIRA-LD 550/700 850/1000

Manual de Montagem MATERIAL PARA MONTAGEM: OPÇÕES DE CHAMINÉ: KIT S EM CONCRETO REFRATÁRIO PARA LAREIRA-LD 550/700 850/1000 R Manual de Montagem KIT S EM ONRETO REFRTÁRIO PR LREIR-L 550/00 50/1000 MTERIL PR MONTGEM: O kit é composto das seguintes peças: 1- locos 2- oifa 3- ümper (Regulador de Tiragem - metálico) 4- poio para

Leia mais