DECRETO N , DE 06 DE JUNHO DE 2007

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DECRETO N 28.745, DE 06 DE JUNHO DE 2007"

Transcrição

1 DECRETO N , DE 06 DE JUNHO DE 2007 * Publicado no DOE em 08/06/2007. Altera o Decreto n.º , de 31 de julho de 1997, com suas alterações, que consolida e regulamenta a legislação do ICMS, e demais decretos atinentes ao ICMS, para adequá-los à nova Classificação Nacional de Atividades Econômicas-Fiscal (CNAE-Fiscal), em virtude da alteração da Versão 1.1 para a Versão 2.0, nos termos da Resolução CONCLA nº 1, de 4 de setembro de 2006, e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos IV e VI do art. 88 da Constituição Estadual, Considerando o disposto no Ajuste SINIEF n.º 02/99, publicado no Diário Oficial da União de 29 de julho de 1999, que altera o Convênio s/nº, de 15 de dezembro de 1970, o qual instituiu o Sistema Nacional Integrado de Informações Econômico-Fiscais (SINIEF), e o Ajuste SINIEF n.º 09/2001, publicado no Diário Oficial da União aos 14 de dezembro de 2001; Considerando a conveniência de se adotarem os novos códigos de identificação da atividade econômica de contribuintes do ICMS, de conformidade com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas-Fiscal (CNAE-Fiscal), aprovada pela Resolução n.º 1, de 25 de junho de 1998, revogada pela Resolução nº 1, de 4 de setembro de 2006, ambas da Comissão Nacional de Classificação (CONCLA), órgão colegiado do Ministério do Planejamento e Orçamento, de acordo com a atividade econômica do estabelecimento; Considerando que a adoção dos códigos da CNAE-Fiscal objetiva, sobremaneira, a identificação econômica de todas as unidades produtivas do País, através de uma melhor qualidade nas informações dos cadastros de contribuintes existentes na Administração Pública, notadamente na Administração Fazendária, uniformizados nacionalmente, seguindo padrões internacionais adotados pela Organização das Nações Unidas (ONU) e sob orientação técnica do IBGE;

2 Considerando, por fim, a necessidade de se alterarem as demais normas que guardam consonância com as atividades econômicas inseridas na CNAE-Fiscal, DECRETA: Art. 1º Os dispositivos abaixo indicados do Decreto n , de 31 de julho de 1997, com suas alterações posteriores, que regulamenta o ICMS no Estado do Ceará, passam a vigorar com a seguinte redação: Art VIII às operações realizadas por contribuintes enquadrados na Classificação Nacional de Atividades Econômicas-Fiscais (CNAE-Fiscal), subclasse /00 (Comércio varejista de gás liqüefeito de petróleo GLP). (NR) "Art Fica adotada, pela Secretaria da Fazenda, a Classificação Nacional de Atividades Econômicas, Versão 2.0, de natureza fiscal (CNAE-Fiscal), conforme o Anexo LVIII a este Decreto, aprovada pela Resolução n.º 1, de 4 de setembro de 2006, da Comissão Nacional de Classificação (CONCLA), órgão colegiado do Ministério do Planejamento e Orçamento, em substituição aos Códigos da Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE), versão 1.1, com o objetivo de se constituir numa referência padrão para as informações econômicas do Brasil. (NR) "Art. 426-A.... I Seção, composta de 21 (vinte e um) grupamentos, identificados por letras de A a U, que não fazem parte do código numérico e representam os grandes segmentos da economia; II Divisão, composta de 87 (oitenta e sete) grupamentos, representados pelos dois primeiros dígitos do código CNAE e padronizado em nível internacional; III Grupo, composto de 285 (duzentos e oitenta e cinco) grupamentos, representados pelos três primeiros dígitos do código CNAE; IV Classe, composta de 672 (seiscentos e setenta e dois) grupamentos,

3 representados pelos quatro primeiros dígitos do código CNAE, seguidos de um dígito verificador; até este nível, o código representa a CNAE; V Subclasse, composta de 1301 (mil trezentos e um) grupamentos, que formam o código numérico de sete dígitos, resultado de uma classe adicional de desagregação da CNAE, atendendo às necessidades de detalhamento das Administrações Tributárias Brasileiras; neste nível de desdobramento, obtém-se o código da CNAE-Fiscal. (NR) Art. 426-B º Para efeito de inscrição no CGF, a CNAE principal será sempre aquela cadastrada no CNPJ, e, para efeito de arrecadação e fiscalização, deverá ser aquela cuja atividade operacional do estabelecimento sofra a incidência do ICMS. 2º Na hipótese do inciso II do caput deste artigo, a comunicação deverá ser efetuada ao órgão local da circunscrição fiscal do contribuinte até o último dia útil do mês subseqüente ao da ocorrência do fato. 3º A Secretaria da Fazenda poderá, sem prejuízo da aplicação de eventual penalidade, quando prevista, alterar de ofício a CNAE-Fiscal da atividade econômica do estabelecimento, sempre que constatar divergência entre a CNAE- Fiscal declarada e a atividade econômica preponderante exercida pelo estabelecimento, notificando o contribuinte a regularizar-se perante os demais órgãos. 4º Considera-se como atividade preponderante aquela cuja receita de vendas proporcione maior valor adicionado entre as atividades desenvolvidas pelo estabelecimento. (NR) "Art Fica sujeita ao regime de substituição tributária do ICMS, relativo à saída subseqüente de produto resultante de sua industrialização, a aquisição de mercadoria realizada por estabelecimento gráfico e editorial enquadrado na CNAE-Fiscal: I /00 (Edição de livros); II /00 (Edição de Jornais); III /00 (Edição de revistas); IV /00 (Edição integrada à impressão de livros); V /00 (Edição integrada à impressão de jornais);

4 VI /00 (Edição integrada à impressão de revistas); VII /00 (Edição integrada à impressão de cadastros, listas e outros produtos gráficos); VIII /00 (Edição de cadastros, listas e outros produtos gráficos); IX /01 (Impressão de Jornais); X /02 (Impressão de livros, revistas e outras publicações periódicas); XI /99 (Impressão de material para outros usos); XII /01 (Impressão de material para uso publicitário); XIII /00 (Impressão de material de segurança); XIV /00 (Serviços de acabamentos gráficos); XV /00 (Serviços de pré-impressão); ou XVI /00 (Serviços de acabamentos gráficos)...." (NR). Art. 594-A.... I agricultura CNAE's-Fiscal: /1 (Cultivo de arroz); /2 (Cultivo de milho); /3 (Cultivo de trigo); /9 (Cultivo de outros cereais não especificados ); /1 (Cultivo de algodão herbáceo); /00 (Cultivo de cana-de-açúcar); /00 (Cultivo de fumo); /00 (Cultivo de soja); /01 (Cultivo de abacaxi); /01 (Cultivo de amendoim): /03 (Cultivo de batata-inglesa);

5 /06 (Cultivo de mandioca); /05 (Cultivo de feijão); /02 (Cultivo de juta); /03 (Cultivo de mamona); /07 (Cultivo de melão); /09 (Cultivo de tomate rasteiro) /02 (Cultivo de girassol); /08 (Cultivo de melancia); /02 (Produção de sementes certificadas de forrageiras para formação de pasto); /01 (Produção de sementes certificadas, exceto de forrageiras para pasto); /99 (Cultivo de outras plantas de lavoura temporária não especificadas ); /04 (Cultivo de cebola); /02 (Cultivo de alho); /02 (Cultivo de morango); /01 (Horticultura, exceto morango); /00 (Cultivo de flores e plantas ornamentais); /00 (Cultivo de laranja); /04 (Cultivo de cítricos, exceto laranja); /00 (Cultivo de café); /00 (Cultivo de cacau); /00 (Cultivo de uva); /02 (Cultivo de banana); /03 (Cultivo de caju); /05 (Cultivo de coco-da-baía); /03 (Cultivo de pimenta-do-reino); /01 (Cultivo de chá-da-índia); /07 (Cultivo de maçã); /08 (Cultivo de mamão);

6 /10 (Cultivo de manga); /09 (Cultivo de maracujá) /02 (Cultivo de erva-mate); /01 (Cultivo de açaí); /11 (Cultivo de pêssego); /06 (Cultivo de seringueira); /06 (Cultivo de guaraná); /05 (Cultivo de dendê); /04 (Cultivo de plantas para condimento, exceto pimenta-do-reino); /99 (Cultivo de outras plantas de lavoura permanente não especificadas ); /00 (Atividades paisagísticas); /01 (Serviço de pulverização e controle de pragas agrícolas); /02 (Serviço de poda de árvores para lavouras); /03 (Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita); /00 (Atividades de pós-colheita); /99 (Atividades de apoio à agricultura não especificadas ); II apicultura (criação de abelhas para a produção de mel, cera e outros produtos apícolas) CNAE-Fiscal: /01 (Apicultura); III aqüicultura (criação de animais aquáticos) CNAE's-Fiscal: /01 (Criação de peixes em água salgada e salobra); /02 (Criação de camarões em água salgada e salobra); /03 (Criação de ostras e mexilhões em água salgada e salobra); /04 (Criação de peixes ornamentais em água salgada e salobra); /05 (Atividades de apoio à aqüicultura em água salgada e salobra); /99 (Cultivos e semicultivos da aqüicultura em água salgada e salobra não especificados ); IV avicultura (criação de aves) CNAE's-Fiscal: /01 (Criação de frangos para corte); /02 (Produção de pintos de um dia);

7 /04 (Criação de aves, exceto galináceos); /05 (Produção de ovos); /03 (Criação de outros galináceos, exceto para corte); V cunicultura (criação de coelhos) CNAE-Fiscal: /99 (Criação de outros animais não especificados ); VI ranicultura (criação de rãs) CNAE-Fiscal: /05 (Ranicultura); VII pesca CNAE's-Fiscal: /01 (Pesca de peixes em água salgada); /01 (Pesca de peixes em água doce) /02 (Pesca de crustáceos e moluscos em água salgada); /03 (Coleta de outros produtos marinhos); /04 (Atividades de apoio à pesca em água salgada); VIII pecuária CNAE s-fiscal: /01 (Criação de bovinos para corte); /02 (Criação de bovinos para leite); /01 (Criação de bufalinos); /02 (Criação de eqüinos) /03 (Criação de asininos e muares); /02 (Criação de ovinos, inclusive para produção de lã); /00 (Criação de suínos); /01 (Criação de caprinos); /04 (Criação de bicho-da-seda); /03 (Criação de escargô); /02 (Criação de animais de estimação); /99 (Criação de outros animais não especificados ); /01 (Serviço de inseminação artificial em animais); /02 (Serviço de tosquiamento de ovinos); /99 (Atividades de apoio à pecuária não especificadas ); /03 (Serviço de manejo de animais)

8 IX estabelecimentos hoteleiros e outros tipos de alojamento temporário: /01 (Hotéis); /02 (Apart-hotéis); /03 (Motéis); /01 (Albergues, exceto assistenciais); /02 (Campings); /03 (Pensões alojamento); /99 (Outros alojamentos não especificados ). (NR) "Art O estabelecimento panificador enquadrado na CNAE-Fiscal /00 (Fabricação de produtos de panificação) ou /01 (Padaria e confeitaria com predominância de produção própria), na qualidade de contribuinte substituto, fica responsável pelo pagamento do ICMS devido na operação subseqüente, por ocasião da entrada da mercadoria neste Estado ou no estabelecimento, conforme o caso." (NR) "Art Parágrafo único.... I - ao estabelecimento industrial, exceto aquele enquadrado na CNAE-Fiscal /01 (Serrarias com desdobramento de madeira) ou /02 (Serrarias sem desdobramento de madeira);" (NR) Seção XX Das Operações Realizadas por Postos Revendedores Art Fica atribuída ao comerciante varejista posto revendedor CNAE /00 (Comércio varejista de combustíveis para veículos automotores), na qualidade de contribuinte substituto, a responsabilidade pela retenção e recolhimento do ICMS devido nas operações subseqüentes, por ocasião da entrada da mercadoria neste Estado ou no estabelecimento, conforme o caso. (NR)

9 "Art. 548-F. O estabelecimento enquadrado na CNAE-Fiscal /01 (Comércio varejista de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas), /03 (Comércio varejista de produtos farmacêuticos homeopáticos) ou /02 (Comércio varejista de produtos farmacêuticos, com manipulação de fórmulas), na condição de contribuinte substituto, fica responsável pelo pagamento do ICMS incidente nas operações subseqüentes com qualquer mercadoria entrada para comercialização. (NR) Art. 2º O art. 1º do Decreto nº , de 30 de março de 2004, que dispõe acerca do regime de recolhimento para os estabelecimentos exclusivamente revendedores de veículos usados, passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 1º O estabelecimento revendedor de veículo usado, cuja atividade principal seja aquela indicada na CNAE-Fiscal /02 (Comércio a varejo de automóveis, camionetas e utilitários usados), em substituição à sistemática normal de tributação ou aos demais Regimes Especiais concedidos pela legislação tributária estadual, será enquadrado de ofício no Regime Especial de Recolhimento a que se refere este Decreto. Art. 3º O caput e o 1º do art. 1º do Decreto n.º , de 30 de junho de 2004, que estabelece tratamento tributário a contribuintes do ramo de comércio atacadista, passam a vigorar com a seguinte redação: "Art. 1º Nas operações internas com mercadoria, efetuadas por contribuintes regularmente inscritos no Cadastro Geral da Fazenda-CGF, que desenvolvam atividade econômica preponderante de comércio atacadista, opcionalmente à sistemática normal de tributação, a base de cálculo do ICMS poderá ser reduzida em 41,18% (quarenta e um vírgula dezoito por cento), de forma que a carga tributária efetiva resulte em dez por cento. 1º Para aplicação da sistemática a que se refere o caput deste artigo, a atividade econômica preponderante do contribuinte deve corresponder a um dos seguintes códigos da CNAE-Fiscal: I /02 (Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral, com atividade de fracionamento e acondicionamento associada); II /99 (Comércio atacadista especializado em outros produtos alimentícios não especificados ); III /01 (Comércio atacadista de produtos alimentícios em geral); IV /08 (Comércio atacadista de matérias primas agrícolas com atividade de fracionamento e acondicionamento associada);

10 V /99 (Comércio atacadista de matérias primas agrícolas não especificadas ); VI /01 (Comércio atacadista de cereais e leguminosas beneficiados); VII /02 (Comércio atacadista de produtos de higiene pessoal); VIII /08 (Comércio atacadista de higiene, limpeza e conservação domiciliar); IX /01 (Comércio atacadista de artigos de escritório e de papelaria); ou X /02 (Comércio atacadista de livros, jornais e outras publicações). (NR) Art. 4º Os incisos do 5º do art. 1º do Decreto nº , de 23 de dezembro de 2004, que dispõe sobre o regime de substituição tributária nas operações com peças, componentes e acessórios, com as alterações decorrentes do Decreto nº , de 19 de janeiro de 2005, passam a vigorar com as seguinte redação: Art. 1º...,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, 5º... I (Comércio a varejo e por atacado de veículos automotores); II (Manutenção e reparação de veículos automotores); III (Comércio de peças e acessórios para veículos automotores); IV (Comércio por atacado e a varejo de motocicletas, peças e acessórios); V (Manutenção e reparação de motocicletas); VI /00 (Comércio atacadista de máquinas, aparelhos e equipamentos para uso agropecuário; partes e peças); VII /05 (Comércio varejista de embarcações e outros veículos recreativos; peças e acessórios). (NR) Art. 5º Os incisos do caput do art. 1º do Decreto nº , de 5 de junho de 2006, que dispõe sobre o regime de substituição tributária nas operações realizadas por contribuintes do ICMS enquadrados nas atividades econômicas de hipermercado, supermercado e minimercado, passam a vigorar com a seguinte redação:

11 Art. 1º... I /01 (Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios hipermercados); II /02 (Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios supermercados); III /00 (Comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios mimimercados, mercearias e armazéns). (NR) Art. 6º O Anexo LVIII ao Decreto nº , de 31 de julho de 1997, passa a vigorar de conformidade com o Anexo I a este Decreto. Art. 7º O Anexo Único ao Decreto n.º , de 29 de abril de 2002, que concede credenciamento de ofício aos contribuintes sujeitos ao pagamento do ICMS devido por substituição tributária, antecipação tributária e diferencial de alíquotas, passa a vigorar com o acréscimo de itens constantes da relação anexa ao Decreto n.º , de 1º de julho de 2002, e com as alterações decorrentes do Decreto nº /2004, na forma do Anexo II a este Decreto. Art. 8º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos jurídicos a partir de 1º de junho de PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ, aos 06 de junho de Cid Ferreira Gomes GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ Carlos Mauro Benevides Filho SECRETÁRIO DA FAZENDA

12 ANEXO I AO DECRETO Nº , DE 06 DE JUNHO DE 2007 CNAE-Fiscal, Versão Estrutura detalhada CNAE seções, divisões, grupos, classes e subclasses* código CNAE 2.0 Denominação Seção Divisão Grupo Classe Subclasse AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO A FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS 01 RELACIONADOS 01.1 Produção de lavouras temporárias Cultivo de cereais /01 Cultivo de arroz /02 Cultivo de milho /03 Cultivo de trigo /99 Cultivo de outros cereais não especificados Cultivo de algodão herbáceo e de outras fibras de lavoura temporária /01 Cultivo de algodão herbáceo /02 Cultivo de juta Cultivo de outras fibras de lavoura temporária não /99 especificadas Cultivo de cana-de-açúcar /00 Cultivo de cana-de-açúcar Cultivo de fumo /00 Cultivo de fumo Cultivo de soja /00 Cultivo de soja Cultivo de oleaginosas de lavoura temporária, exceto soja /01 Cultivo de amendoim /02 Cultivo de girassol /03 Cultivo de mamona Cultivo de outras oleaginosas de lavoura temporária não /99 especificadas Cultivo de plantas de lavoura temporária não especificadas /01 Cultivo de abacaxi /02 Cultivo de alho /03 Cultivo de batata-inglesa /04 Cultivo de cebola /05 Cultivo de feijão /06 Cultivo de mandioca /07 Cultivo de melão /08 Cultivo de melancia

13 0119-9/09 Cultivo de tomate rasteiro Cultivo de outras plantas de lavoura temporária não /99 especificadas 01.2 Horticultura e floricultura Horticultura /01 Horticultura, exceto morango /02 Cultivo de morango Cultivo de flores e plantas ornamentais /00 Cultivo de flores e plantas ornamentais 01.3 Produção de lavouras permanentes Cultivo de laranja /00 Cultivo de laranja Cultivo de uva /00 Cultivo de uva Cultivo de frutas de lavoura permanente, exceto laranja e uva /01 Cultivo de açaí /02 Cultivo de banana /03 Cultivo de caju /04 Cultivo de cítricos, exceto laranja /05 Cultivo de coco-da-baía /06 Cultivo de guaraná /07 Cultivo de maçã /08 Cultivo de mamão /09 Cultivo de maracujá /10 Cultivo de manga /11 Cultivo de pêssego Cultivo de frutas de lavoura permanente não especificadas / Cultivo de café /00 Cultivo de café Cultivo de cacau /00 Cultivo de cacau Cultivo de plantas de lavoura permanente não especificadas /01 Cultivo de chá-da-índia /02 Cultivo de erva-mate /03 Cultivo de pimenta-do-reino Cultivo de plantas para condimento, exceto pimenta-doreino / /05 Cultivo de dendê /06 Cultivo de seringueira Cultivo de outras plantas de lavoura permanente não /99 especificadas 01.4 Produção de sementes e mudas certificadas Produção de sementes certificadas

14 Produção de sementes certificadas, exceto de forrageiras /01 para pasto Produção de sementes certificadas de forrageiras para /02 formação de pasto Produção de mudas e outras formas de propagação vegetal, certificadas Produção de mudas e outras formas de propagação vegetal, /00 certificadas 01.5 Pecuária Criação de bovinos /01 Criação de bovinos para corte /02 Criação de bovinos para leite /03 Criação de bovinos, exceto para corte e leite Criação de outros animais de grande porte /01 Criação de bufalinos /02 Criação de eqüinos /03 Criação de asininos e muares Criação de caprinos e ovinos /01 Criação de caprinos /02 Criação de ovinos, inclusive para produção de lã Criação de suínos /00 Criação de suínos Criação de aves /01 Criação de frangos para corte /02 Produção de pintos de um dia /03 Criação de outros galináceos, exceto para corte /04 Criação de aves, exceto galináceos /05 Produção de ovos Criação de animais não especificados /01 Apicultura /02 Criação de animais de estimação /03 Criação de escargô /04 Criação de bicho-da-seda /99 Criação de outros animais não especificados Atividades de apoio à agricultura e à pecuária; atividades 01.6 de pós-colheita Atividades de apoio à agricultura /01 Serviço de pulverização e controle de pragas agrícolas /02 Serviço de poda de árvores para lavouras /03 Serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita Atividades de apoio à agricultura não especificadas / Atividades de apoio à pecuária /01 Serviço de inseminação artificial em animais /02 Serviço de tosquiamento de ovinos /03 Serviço de manejo de animais

15 Atividades de apoio à pecuária não especificadas / Atividades de pós-colheita /00 Atividades de pós-colheita 01.7 Caça e serviços relacionados Caça e serviços relacionados /00 Caça e serviços relacionados 02 PRODUÇÃO FLORESTAL 02.1 Produção florestal - florestas plantadas Produção florestal - florestas plantadas /01 Cultivo de eucalipto /02 Cultivo de acácia-negra /03 Cultivo de pinus /04 Cultivo de teca Cultivo de espécies madeireiras, exceto eucalipto, acácianegra, pinus e teca / /06 Cultivo de mudas em viveiros florestais /07 Extração de madeira em florestas plantadas /08 Produção de carvão vegetal - florestas plantadas /09 Produção de casca de acácia-negra - florestas plantadas Produção de produtos não-madeireiros não especificados /99 em florestas plantadas 02.2 Produção florestal - florestas nativas Produção florestal - florestas nativas /01 Extração de madeira em florestas nativas /02 Produção de carvão vegetal - florestas nativas /03 Coleta de castanha-do-pará em florestas nativas /04 Coleta de látex em florestas nativas /05 Coleta de palmito em florestas nativas /06 Conservação de florestas nativas Coleta de produtos não-madeireiros não especificados /99 em florestas nativas 02.3 Atividades de apoio à produção florestal Atividades de apoio à produção florestal /00 Atividades de apoio à produção florestal 03 PESCA E AQÜICULTURA 03.1 Pesca Pesca em água salgada /01 Pesca de peixes em água salgada /02 Pesca de crustáceos e moluscos em água salgada /03 Coleta de outros produtos marinhos /04 Atividades de apoio à pesca em água salgada Pesca em água doce /01 Pesca de peixes em água doce /02 Pesca de crustáceos e moluscos em água doce /03 Coleta de outros produtos aquáticos de água doce

16 B /04 Atividades de apoio à pesca em água doce 03.2 Aqüicultura Aqüicultura em água salgada e salobra /01 Criação de peixes em água salgada e salobra /02 Criação de camarões em água salgada e salobra /03 Criação de ostras e mexilhões em água salgada e salobra /04 Criação de peixes ornamentais em água salgada e salobra /05 Atividades de apoio à aqüicultura em água salgada e salobra Cultivos e semicultivos da aqüicultura em água salgada e /99 salobra não especificados Aqüicultura em água doce /01 Criação de peixes em água doce /02 Criação de camarões em água doce /03 Criação de ostras e mexilhões em água doce /04 Criação de peixes ornamentais em água doce /05 Ranicultura /06 Criação de jacaré /07 Atividades de apoio à aqüicultura em água doce Cultivos e semicultivos da aqüicultura em água doce não /99 especificados INDÚSTRIAS EXTRATIVAS 05 EXTRAÇÃO DE CARVÃO MINERAL 05.0 Extração de carvão mineral Extração de carvão mineral /01 Extração de carvão mineral /02 Beneficiamento de carvão mineral 06 EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL 06.0 Extração de petróleo e gás natural Extração de petróleo e gás natural /01 Extração de petróleo e gás natural /02 Extração e beneficiamento de xisto /03 Extração e beneficiamento de areias betuminosas 07 EXTRAÇÃO DE MINERAIS METÁLICOS 07.1 Extração de minério de ferro Extração de minério de ferro /01 Extração de minério de ferro Pelotização, sinterização e outros beneficiamentos de /02 minério de ferro 07.2 Extração de minerais metálicos não-ferrosos Extração de minério de alumínio /01 Extração de minério de alumínio /02 Beneficiamento de minério de alumínio Extração de minério de estanho /01 Extração de minério de estanho /02 Beneficiamento de minério de estanho Extração de minério de manganês

17 0723-5/01 Extração de minério de manganês /02 Beneficiamento de minério de manganês Extração de minério de metais preciosos /01 Extração de minério de metais preciosos /02 Beneficiamento de minério de metais preciosos Extração de minerais radioativos /00 Extração de minerais radioativos Extração de minerais metálicos não-ferrosos não especificados /01 Extração de minérios de nióbio e titânio /02 Extração de minério de tungstênio /03 Extração de minério de níquel Extração de minérios de cobre, chumbo, zinco e outros /04 minerais metálicos não-ferrosos não especificados Beneficiamento de minérios de cobre, chumbo, zinco e /05 outros minerais metálicos não-ferrosos não especificados 08 EXTRAÇÃO DE MINERAIS NÃO-METÁLICOS 08.1 Extração de pedra, areia e argila Extração de pedra, areia e argila /01 Extração de ardósia e beneficiamento associado /02 Extração de granito e beneficiamento associado /03 Extração de mármore e beneficiamento associado /04 Extração de calcário e dolomita e beneficiamento associado /05 Extração de gesso e caulim Extração de areia, cascalho ou pedregulho e beneficiamento /06 associado /07 Extração de argila e beneficiamento associado /08 Extração de saibro e beneficiamento associado /09 Extração de basalto e beneficiamento associado /10 Beneficiamento de gesso e caulim associado à extração Extração e britamento de pedras e outros materiais para /99 construção e beneficiamento associado 08.9 Extração de outros minerais não-metálicos Extração de minerais para fabricação de adubos, fertilizantes e outros produtos químicos Extração de minerais para fabricação de adubos, fertilizantes /00 e outros produtos químicos Extração e refino de sal marinho e sal-gema /01 Extração de sal marinho /02 Extração de sal-gema /03 Refino e outros tratamentos do sal Extração de gemas (pedras preciosas e semipreciosas) /00 Extração de gemas (pedras preciosas e semipreciosas)

18 C Extração de minerais não-metálicos não especificados /01 Extração de grafita /02 Extração de quartzo /03 Extração de amianto Extração de outros minerais não-metálicos não especificados /99 ATIVIDADES DE APOIO À EXTRAÇÃO DE 09 MINERAIS 09.1 Atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural Atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural /00 Atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural Atividades de apoio à extração de minerais, exceto petróleo 09.9 e gás natural Atividades de apoio à extração de minerais, exceto petróleo e gás natural /01 Atividades de apoio à extração de minério de ferro Atividades de apoio à extração de minerais metálicos nãoferrosos / /03 Atividades de apoio à extração de minerais não-metálicos INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO 10 FABRICAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS 10.1 Abate e fabricação de produtos de carne Abate de reses, exceto suínos /01 Frigorífico - abate de bovinos /02 Frigorífico - abate de eqüinos /03 Frigorífico - abate de ovinos e caprinos /04 Frigorífico - abate de bufalinos Matadouro - abate de reses sob contrato, exceto abate de /05 suínos Abate de suínos, aves e outros pequenos animais /01 Abate de aves /02 Abate de pequenos animais /03 Frigorífico - abate de suínos /04 Matadouro - abate de suínos sob contrato Fabricação de produtos de carne /01 Fabricação de produtos de carne /02 Preparação de subprodutos do abate Preservação do pescado e fabricação de produtos do 10.2 pescado Preservação do pescado e fabricação de produtos do pescado /01 Preservação de peixes, crustáceos e moluscos /02 Fabricação de conservas de peixes, crustáceos e moluscos Fabricação de conservas de frutas, legumes e outros 10.3 vegetais

19 Fabricação de conservas de frutas /00 Fabricação de conservas de frutas Fabricação de conservas de legumes e outros vegetais /01 Fabricação de conservas de palmito Fabricação de conservas de legumes e outros vegetais, /99 exceto palmito Fabricação de sucos de frutas, hortaliças e legumes Fabricação de sucos concentrados de frutas, hortaliças e /01 legumes Fabricação de sucos de frutas, hortaliças e legumes, exceto /02 concentrados 10.4 Fabricação de óleos e gorduras vegetais e animais Fabricação de óleos vegetais em bruto, exceto óleo de milho /00 Fabricação de óleos vegetais em bruto, exceto óleo de milho Fabricação de óleos vegetais refinados, exceto óleo de milho /00 Fabricação de óleos vegetais refinados, exceto óleo de milho Fabricação de margarina e outras gorduras vegetais e de óleos não-comestíveis de animais Fabricação de margarina e outras gorduras vegetais e de /00 óleos não-comestíveis de animais 10.5 Laticínios Preparação do leite /00 Preparação do leite Fabricação de laticínios /00 Fabricação de laticínios Fabricação de sorvetes e outros gelados comestíveis /00 Fabricação de sorvetes e outros gelados comestíveis Moagem, fabricação de produtos amiláceos e de alimentos para animais Beneficiamento de arroz e fabricação de produtos do arroz /01 Beneficiamento de arroz /02 Fabricação de produtos do arroz Moagem de trigo e fabricação de derivados /00 Moagem de trigo e fabricação de derivados Fabricação de farinha de mandioca e derivados /00 Fabricação de farinha de mandioca e derivados Fabricação de farinha de milho e derivados, exceto óleos de milho Fabricação de farinha de milho e derivados, exceto óleos de /00 milho Fabricação de amidos e féculas de vegetais e de óleos de milho /01 Fabricação de amidos e féculas de vegetais

20 1065-1/02 Fabricação de óleo de milho em bruto /03 Fabricação de óleo de milho refinado Fabricação de alimentos para animais /00 Fabricação de alimentos para animais Moagem e fabricação de produtos de origem vegetal não especificados Moagem e fabricação de produtos de origem vegetal não /00 especificados 10.7 Fabricação e refino de açúcar Fabricação de açúcar em bruto /00 Fabricação de açúcar em bruto Fabricação de açúcar refinado /01 Fabricação de açúcar de cana refinado /02 Fabricação de açúcar de cereais (dextrose) e de beterraba 10.8 Torrefação e moagem de café Torrefação e moagem de café /01 Beneficiamento de café /02 Torrefação e moagem de café Fabricação de produtos à base de café /00 Fabricação de produtos à base de café 10.9 Fabricação de outros produtos alimentícios Fabricação de produtos de panificação /00 Fabricação de produtos de panificação Fabricação de biscoitos e bolachas /00 Fabricação de biscoitos e bolachas Fabricação de produtos derivados do cacau, de chocolates e confeitos /01 Fabricação de produtos derivados do cacau e de chocolates /02 Fabricação de frutas cristalizadas, balas e semelhantes Fabricação de massas alimentícias /00 Fabricação de massas alimentícias Fabricação de especiarias, molhos, temperos e condimentos /00 Fabricação de especiarias, molhos, temperos e condimentos Fabricação de alimentos e pratos prontos /00 Fabricação de alimentos e pratos prontos Fabricação de produtos alimentícios não especificados /01 Fabricação de vinagres /02 Fabricação de pós alimentícios /03 Fabricação de fermentos e leveduras /04 Fabricação de gelo comum /05 Fabricação de produtos para infusão (chá, mate, etc.) /06 Fabricação de adoçantes naturais e artificiais Fabricação de outros produtos alimentícios não /99 especificados

21 11 FABRICAÇÃO DE BEBIDAS 11.1 Fabricação de bebidas alcoólicas Fabricação de aguardentes e outras bebidas destiladas /01 Fabricação de aguardente de cana-de-açúcar /02 Fabricação de outras aguardentes e bebidas destiladas Fabricação de vinho /00 Fabricação de vinho Fabricação de malte, cervejas e chopes /01 Fabricação de malte, inclusive malte uísque /02 Fabricação de cervejas e chopes 11.2 Fabricação de bebidas não-alcoólicas Fabricação de águas envasadas /00 Fabricação de águas envasadas Fabricação de refrigerantes e de outras bebidas nãoalcoólicas /01 Fabricação de refrigerantes /02 Fabricação de chá mate e outros chás prontos para consumo Fabricação de refrescos, xaropes e pós para refrescos, exceto /03 refrescos de frutas Fabricação de outras bebidas não-alcoólicas não /99 especificadas 12 FABRICAÇÃO DE PRODUTOS DO FUMO 12.1 Processamento industrial do fumo Processamento industrial do fumo /00 Processamento industrial do fumo 12.2 Fabricação de produtos do fumo Fabricação de produtos do fumo /01 Fabricação de cigarros /02 Fabricação de cigarrilhas e charutos /03 Fabricação de filtros para cigarros Fabricação de outros produtos do fumo, exceto cigarros, /99 cigarrilhas e charutos 13 FABRICAÇÃO DE PRODUTOS TÊXTEIS 13.1 Preparação e fiação de fibras têxteis Preparação e fiação de fibras de algodão /00 Preparação e fiação de fibras de algodão Preparação e fiação de fibras têxteis naturais, exceto algodão /00 Preparação e fiação de fibras têxteis naturais, exceto algodão Fiação de fibras artificiais e sintéticas /00 Fiação de fibras artificiais e sintéticas Fabricação de linhas para costurar e bordar /00 Fabricação de linhas para costurar e bordar 13.2 Tecelagem, exceto malha Tecelagem de fios de algodão /00 Tecelagem de fios de algodão

22 14 Tecelagem de fios de fibras têxteis naturais, exceto algodão /00 Tecelagem de fios de fibras têxteis naturais, exceto algodão Tecelagem de fios de fibras artificiais e sintéticas /00 Tecelagem de fios de fibras artificiais e sintéticas 13.3 Fabricação de tecidos de malha Fabricação de tecidos de malha /00 Fabricação de tecidos de malha 13.4 Acabamentos em fios, tecidos e artefatos têxteis Acabamentos em fios, tecidos e artefatos têxteis Estamparia e texturização em fios, tecidos, artefatos têxteis e /01 peças do vestuário Alvejamento, tingimento e torção em fios, tecidos, artefatos /02 têxteis e peças do vestuário Outros serviços de acabamento em fios, tecidos, artefatos /99 têxteis e peças do vestuário 13.5 Fabricação de artefatos têxteis, exceto vestuário Fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico /00 Fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico Fabricação de artefatos de tapeçaria /00 Fabricação de artefatos de tapeçaria Fabricação de artefatos de cordoaria /00 Fabricação de artefatos de cordoaria Fabricação de tecidos especiais, inclusive artefatos /00 Fabricação de tecidos especiais, inclusive artefatos Fabricação de outros produtos têxteis não especificados Fabricação de outros produtos têxteis não especificados /00 CONFECÇÃO DE ARTIGOS DO VESTUÁRIO E ACESSÓRIOS 14.1 Confecção de artigos do vestuário e acessórios Confecção de roupas íntimas /01 Confecção de roupas íntimas /02 Facção de roupas íntimas Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas Confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas e as /01 confeccionadas sob medida Confecção, sob medida, de peças do vestuário, exceto /02 roupas íntimas /03 Facção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas Confecção de roupas profissionais /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida /02 Confecção, sob medida, de roupas profissionais /03 Facção de roupas profissionais

23 Fabricação de acessórios do vestuário, exceto para segurança e proteção Fabricação de acessórios do vestuário, exceto para /00 segurança e proteção 14.2 Fabricação de artigos de malharia e tricotagem Fabricação de meias /00 Fabricação de meias Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias e tricotagens, exceto meias Fabricação de artigos do vestuário, produzidos em malharias /00 e tricotagens, exceto meias PREPARAÇÃO DE COUROS E FABRICAÇÃO DE 15 ARTEFATOS DE COURO, ARTIGOS PARA VIAGEM E CALÇADOS 15.1 Curtimento e outras preparações de couro Curtimento e outras preparações de couro /00 Curtimento e outras preparações de couro Fabricação de artigos para viagem e de artefatos diversos 15.2 de couro Fabricação de artigos para viagem, bolsas e semelhantes de qualquer material Fabricação de artigos para viagem, bolsas e semelhantes de /00 qualquer material Fabricação de artefatos de couro não especificados Fabricação de artefatos de couro não especificados / Fabricação de calçados Fabricação de calçados de couro /01 Fabricação de calçados de couro /02 Acabamento de calçados de couro sob contrato Fabricação de tênis de qualquer material /00 Fabricação de tênis de qualquer material Fabricação de calçados de material sintético /00 Fabricação de calçados de material sintético Fabricação de calçados de materiais não especificados Fabricação de calçados de materiais não especificados / Fabricação de partes para calçados, de qualquer material Fabricação de partes para calçados, de qualquer material /00 Fabricação de partes para calçados, de qualquer material 16 FABRICAÇÃO DE PRODUTOS DE MADEIRA 16.1 Desdobramento de madeira Desdobramento de madeira

24 /01 Serrarias com desdobramento de madeira /02 Serrarias sem desdobramento de madeira Fabricação de produtos de madeira, cortiça e material 16.2 trançado, exceto móveis Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada, prensada e aglomerada Fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira /00 compensada, prensada e aglomerada Fabricação de estruturas de madeira e de artigos de carpintaria para construção /01 Fabricação de casas de madeira pré-fabricadas Fabricação de esquadrias de madeira e de peças de madeira /02 para instalações industriais e comerciais /99 Fabricação de outros artigos de carpintaria para construção Fabricação de artefatos de tanoaria e de embalagens de madeira Fabricação de artefatos de tanoaria e de embalagens de /00 madeira Fabricação de artefatos de madeira, palha, cortiça, vime e material trançado não especificados, exceto móveis /01 Fabricação de artefatos diversos de madeira, exceto móveis Fabricação de artefatos diversos de cortiça, bambu, palha, /02 vime e outros materiais trançados, exceto móveis FABRICAÇÃO DE CELULOSE, PAPEL E PRODUTOS DE PAPEL Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação 17.1 de papel Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel Fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de /00 papel 17.2 Fabricação de papel, cartolina e papel-cartão Fabricação de papel /00 Fabricação de papel Fabricação de cartolina e papel-cartão /00 Fabricação de cartolina e papel-cartão Fabricação de embalagens de papel, cartolina, papelcartão e papelão ondulado Fabricação de embalagens de papel /00 Fabricação de embalagens de papel Fabricação de embalagens de cartolina e papel-cartão /00 Fabricação de embalagens de cartolina e papel-cartão Fabricação de chapas e de embalagens de papelão ondulado /00 Fabricação de chapas e de embalagens de papelão ondulado

25 Fabricação de produtos diversos de papel, cartolina, papelcartão e papelão ondulado 17.4 Fabricação de produtos de papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado para uso comercial e de escritório /01 Fabricação de formulários contínuos Fabricação de produtos de papel, cartolina, papel-cartão e /02 papelão ondulado para uso comercial e de escritório, exceto formulário contínuo Fabricação de produtos de papel para usos doméstico e higiênico-sanitário /01 Fabricação de fraldas descartáveis /02 Fabricação de absorventes higiênicos Fabricação de produtos de papel para uso doméstico e /99 higiênico-sanitário não especificados Fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado não especificados Fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, /00 cartolina, papel-cartão e papelão ondulado não especificados 18 IMPRESSÃO E REPRODUÇÃO DE GRAVAÇÕES 18.1 Atividade de impressão Impressão de jornais, livros, revistas e outras publicações periódicas /01 Impressão de jornais /02 Impressão de livros, revistas e outras publicações periódicas Impressão de material de segurança /00 Impressão de material de segurança Impressão de materiais para outros usos /01 Impressão de material para uso publicitário /99 Impressão de material para outros usos 18.2 Serviços de pré-impressão e acabamentos gráficos Serviços de pré-impressão /00 Serviços de pré-impressão Serviços de acabamentos gráficos /00 Serviços de acabamentos gráficos 18.3 Reprodução de materiais gravados em qualquer suporte Reprodução de materiais gravados em qualquer suporte /01 Reprodução de som em qualquer suporte /02 Reprodução de vídeo em qualquer suporte /03 Reprodução de software em qualquer suporte FABRICAÇÃO DE COQUE, DE PRODUTOS 19 DERIVADOS DO PETRÓLEO E DE BIOCOMBUSTÍVEIS 19.1 Coquerias Coquerias

26 1910-1/00 Coquerias 19.2 Fabricação de produtos derivados do petróleo Fabricação de produtos do refino de petróleo /00 Fabricação de produtos do refino de petróleo Fabricação de produtos derivados do petróleo, exceto produtos do refino /01 Formulação de combustíveis /02 Rerrefino de óleos lubrificantes Fabricação de outros produtos derivados do petróleo, exceto /99 produtos do refino 19.3 Fabricação de biocombustíveis Fabricação de álcool /00 Fabricação de álcool Fabricação de biocombustíveis, exceto álcool /00 Fabricação de biocombustíveis, exceto álcool 20 FABRICAÇÃO DE PRODUTOS QUÍMICOS 20.1 Fabricação de produtos químicos inorgânicos Fabricação de cloro e álcalis /00 Fabricação de cloro e álcalis Fabricação de intermediários para fertilizantes /00 Fabricação de intermediários para fertilizantes Fabricação de adubos e fertilizantes /00 Fabricação de adubos e fertilizantes Fabricação de gases industriais /00 Fabricação de gases industriais Fabricação de produtos químicos inorgânicos não especificados /01 Elaboração de combustíveis nucleares Fabricação de outros produtos químicos inorgânicos não /99 especificados 20.2 Fabricação de produtos químicos orgânicos Fabricação de produtos petroquímicos básicos /00 Fabricação de produtos petroquímicos básicos Fabricação de intermediários para plastificantes, resinas e fibras Fabricação de intermediários para plastificantes, resinas e /00 fibras Fabricação de produtos químicos orgânicos não especificados Fabricação de produtos químicos orgânicos não /00 especificados 20.3 Fabricação de resinas e elastômeros Fabricação de resinas termoplásticas /00 Fabricação de resinas termoplásticas Fabricação de resinas termofixas /00 Fabricação de resinas termofixas

27 Fabricação de elastômeros /00 Fabricação de elastômeros 20.4 Fabricação de fibras artificiais e sintéticas Fabricação de fibras artificiais e sintéticas /00 Fabricação de fibras artificiais e sintéticas Fabricação de defensivos agrícolas e desinfestantes 20.5 domissanitários Fabricação de defensivos agrícolas /00 Fabricação de defensivos agrícolas Fabricação de desinfestantes domissanitários /00 Fabricação de desinfestantes domissanitários Fabricação de sabões, detergentes, produtos de limpeza, 20.6 cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal Fabricação de sabões e detergentes sintéticos /00 Fabricação de sabões e detergentes sintéticos Fabricação de produtos de limpeza e polimento /00 Fabricação de produtos de limpeza e polimento Fabricação de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal Fabricação de cosméticos, produtos de perfumaria e de /00 higiene pessoal Fabricação de tintas, vernizes, esmaltes, lacas e produtos 20.7 afins Fabricação de tintas, vernizes, esmaltes e lacas /00 Fabricação de tintas, vernizes, esmaltes e lacas Fabricação de tintas de impressão /00 Fabricação de tintas de impressão Fabricação de impermeabilizantes, solventes e produtos afins Fabricação de impermeabilizantes, solventes e produtos /00 afins 20.9 Fabricação de produtos e preparados químicos diversos Fabricação de adesivos e selantes /00 Fabricação de adesivos e selantes Fabricação de explosivos /01 Fabricação de pólvoras, explosivos e detonantes /02 Fabricação de artigos pirotécnicos /03 Fabricação de fósforos de segurança Fabricação de aditivos de uso industrial /00 Fabricação de aditivos de uso industrial Fabricação de catalisadores /00 Fabricação de catalisadores Fabricação de produtos químicos não especificados Fabricação de chapas, filmes, papéis e outros materiais e /01 produtos químicos para fotografia

28 21 22 Fabricação de outros produtos químicos não especificados /99 FABRICAÇÃO DE PRODUTOS FARMOQUÍMICOS E FARMACÊUTICOS 21.1 Fabricação de produtos farmoquímicos Fabricação de produtos farmoquímicos /00 Fabricação de produtos farmoquímicos 21.2 Fabricação de produtos farmacêuticos Fabricação de medicamentos para uso humano /01 Fabricação de medicamentos alopáticos para uso humano Fabricação de medicamentos homeopáticos para uso /02 humano /03 Fabricação de medicamentos fitoterápicos para uso humano Fabricação de medicamentos para uso veterinário /00 Fabricação de medicamentos para uso veterinário Fabricação de preparações farmacêuticas /00 Fabricação de preparações farmacêuticas FABRICAÇÃO DE PRODUTOS DE BORRACHA E DE MATERIAL PLÁSTICO 22.1 Fabricação de produtos de borracha Fabricação de pneumáticos e de câmaras-de-ar /00 Fabricação de pneumáticos e de câmaras-de-ar Reforma de pneumáticos usados /00 Reforma de pneumáticos usados Fabricação de artefatos de borracha não especificados Fabricação de artefatos de borracha não especificados / Fabricação de produtos de material plástico Fabricação de laminados planos e tubulares de material plástico Fabricação de laminados planos e tubulares de material /00 plástico Fabricação de embalagens de material plástico /00 Fabricação de embalagens de material plástico Fabricação de tubos e acessórios de material plástico para uso na construção Fabricação de tubos e acessórios de material plástico para /00 uso na construção Fabricação de artefatos de material plástico não especificados Fabricação de artefatos de material plástico para uso pessoal /01 e doméstico Fabricação de artefatos de material plástico para usos /02 industriais /03 Fabricação de artefatos de material plástico para uso na construção, exceto tubos e acessórios

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLOGICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ ATIVIDADES ECONÔMICAS

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TECNOLOGICO JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ ATIVIDADES ECONÔMICAS Página: 001 / 052 S ECONÔMICAS A 01 011 0111-3 0111-3/01 0111-3/02 0111-3/03 0111-3/99 0112-1 0112-1/01 0112-1/02 0112-1/99 0113-0 0113-0/00 0114-8 0114-8/00 0115-6 0115-6/00 0116-4 0116-4/01 0116-4/02

Leia mais

Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses

Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses Quadro resumo CNAE 2.0 - subclasses Seções CNAE 2.0 - subclasses Divisões Grupos Classes Subclasses (Fiscal) A - 01.. 03 - Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aqüicultura 3 12 34 122 B -

Leia mais

Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01

Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01 Setor produtivo G10 - Produtos Químicos/ Atividades Extrativas/ Insumos Agropecuários. Contém 1254300 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0133-4/01 Cultivo de açaí 0133-4/02 Cultivo de banana 0133-4/03

Leia mais

Tabela VI - Classificação Nacional de Atividades Econômicas CNAE

Tabela VI - Classificação Nacional de Atividades Econômicas CNAE Tabela VI - Classificação Nacional de Atividades Econômicas CNAE Para maiores informações acesse: www.simplesnacional.org CNAE DESCRIÇÃO AGRICULTURA, PECUÁRIA, SERVIÇOS RELACIONADOS 01.11-3/01 Cultivo

Leia mais

RAT - Risco Acidente do Trabalho

RAT - Risco Acidente do Trabalho RAT - Risco Acidente do Trabalho Tabela do RAT - Risco Acidente do Trabalho, conforme Anexo V do Decreto nº.048/99 - Regulamento da Previdência Social, conforme redação dada pelo Decreto nº 6.957/009,

Leia mais

ANEXO V RELAÇÃO DE ATIVIDADES PREPONDERANTES E CORRESPONDENTES GRAUS DE RISCO (CONFORME A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS)

ANEXO V RELAÇÃO DE ATIVIDADES PREPONDERANTES E CORRESPONDENTES GRAUS DE RISCO (CONFORME A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS) ANEXO V RELAÇÃO DE ATIVIDADES PREPONDERANTES E CORRESPONDENTES GRAUS DE RISCO (CONFORME A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS) CNAE.0 0111-/01 Cultivo de arroz 0111-/0 Cultivo de milho 0111-/0

Leia mais

Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média)

Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média) Relatório de CNAEs do Regime de Estimativa por Operação e do Regime de Estimativa Simplificado (Carga Média) 0111-3/01 Cultivo de arroz 0111-3/02 Cultivo de milho 0111-3/03 Cultivo de trigo 0111-3/99 Cultivo

Leia mais

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não

Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não Setor produtivo G01 - Alimentação/ Bebidas/ Massas. Contém 1120204 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados anteriormente 0116-4/99 Cultivo de outras

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998

RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 RESOLUÇÃO Nº 417, DE 27 DE MARÇO DE 1998 Dispõe sobre as empresas industriais enquadráveis nos Artigos 59 e 60 da Lei n.º 5.194/66. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA, no uso das

Leia mais

ANEXO III LICENÇA NORMAL, ANUAL, DE LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO

ANEXO III LICENÇA NORMAL, ANUAL, DE LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO CNAE 2.0 ANEXO III LICENÇA NORMAL, ANUAL, DE LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE Taxa de licença R$ A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA A0111301 Cultivo de arroz

Leia mais

Tabela de Correspondência dos Códigos CNAE/TFE

Tabela de Correspondência dos Códigos CNAE/TFE TFE (TAXA DE FISCALIZAÇÃO DE ESTABELECIMENTOS) Tabela de Correspondência dos Códigos CNAE/TFE Anexo da Instrução Normativa SF/Surem 09/2010, que substitui o Anexo 2 da Portaria SF 05/2003 e revoga o Anexo

Leia mais

FAP - Fator Acidentário de Prevenção - Vigência a Partir de 1º.01.2010

FAP - Fator Acidentário de Prevenção - Vigência a Partir de 1º.01.2010 FAP - Fator Acidentário de Prevenção - Vigência a Partir de º.0.00 Nota: Em virtude de atualização, esta matéria substitui a publicada no Contadez Boletim nº 4/008 - Fator Acidentário de Prevenção - FAP

Leia mais

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca

Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Coeficiente de Especializaçao dos Empregos na Industria Região Administrativa de Franca Franca Total da Indústria NA NA Indústria Extrativa 0,157899 0,018606 Indústria de Transformação 99,842101 99,981394

Leia mais

Página 1 de 111 Versão 1.0

Página 1 de 111 Versão 1.0 89320002 BENEFICIAMENTO DE GEMAS SIM 14.05 SIM Local do Prestador NÃO 89910101 EXTRAÇÃO DE GRAFITA NÃO NÃO NÃO 89910102 BENEFICIAMENTO DE GRAFITA SIM 14.05 SIM Local do Prestador NÃO 89910201 EXTRAÇÃO

Leia mais

Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica

Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica Setores obrigados a emitir Nota Fiscal Eletrônica Setores obrigados a emitir NF-e em Abril/2010 (Inclui todos os setores já obrigados a emitir NF-e nas relações divulgadas anteriormente: Abril/2008, Dezembro/2008,

Leia mais

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2014, CONFORME DEC. Nº 24.

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2014, CONFORME DEC. Nº 24. ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2014, CONFORME DEC. Nº 24.712/2013 CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES Seção Divisão Grupo Classe Subclasse

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA CPRH Nº 005/2012

INSTRUÇÃO NORMATIVA CPRH Nº 005/2012 INSTRUÇÃO NORATIVA CRH Nº 005/2012 Disciplina o Enquadramento para Licenciamento Ambiental na CRH das Indústrias quanto ao otencial Degradador previsto no item 1.1 da Tabela 1 do Anexo I, da Lei Estadual

Leia mais

Tabela de Correspondência CNAE-Fiscal 1.1 x CNAE 2.0 e subclasses

Tabela de Correspondência CNAE-Fiscal 1.1 x CNAE 2.0 e subclasses Tabela de Correspondência A A A A 01 01 01 01 01 CNAE-Fiscal 1.1 (versão atual) CNAE 2.0 e subclasses (D.O.U. 05/09/2006) código código AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL AGRICULTURA,

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

ANEXO XIV CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS SUMÁRIO

ANEXO XIV CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS SUMÁRIO - Sumário ANEXO XIV CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS SUMÁRIO Seção Divisões Descrição CNAE A 01-03 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA B 05-09 INDÚSTRIAS EXTRATIVAS

Leia mais

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2015, CONFORME DEC. Nº 25.

ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2015, CONFORME DEC. Nº 25. ANEXO V TABELA DE RECEITA IV TAXA DE FISCALIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO - TFF ATUALIZADA PARA O EXERCÍCIO DE 2015, CONFORME DEC. Nº 25.746/2014 CLASSIFICAÇÃO DAS ATIVIDADES A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO

Leia mais

LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010

LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010 LEI Nº 2.778, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicada no Diário Oficial nº 4.010 Institui o Cadastro Técnico Estadual de Atividades Potencialmente Poluidoras ou Utilizadoras de Recursos Ambientais - CTE e

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação.

GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação. GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação. LEI N º 14.384, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2002. Institui o Cadastro Técnico Estadual de Atividades Potencialmente Poluidoras

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTO FISCAL N 049/2008. (Consolidada com as alterações das NPF 093/2008, 007/2009 e 016/2009)

NORMA DE PROCEDIMENTO FISCAL N 049/2008. (Consolidada com as alterações das NPF 093/2008, 007/2009 e 016/2009) NORMA DE PROCEDIMENTO FISCAL N 049/2008 (Consolidada com as alterações das NPF 093/2008, 007/2009 e 016/2009) O DIRETOR DA COORDENAÇÃO DA RECEITA DO ESTADO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5438, DE 17 DE ABRIL DE 2009 Institui o cadastro

Leia mais

Estado do Acre DECRETO Nº. 4.006 DE 31 DE MARÇO DE 2009.

Estado do Acre DECRETO Nº. 4.006 DE 31 DE MARÇO DE 2009. DECRETO Nº. 4.006 DE 31 DE MARÇO DE 2009.. Publicado no D.O.E n 10.020 de 1 de abril de 2009. Altera e acrescenta dispositivos ao Decreto nº 2.914, de 11 de abril de 2008. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE,

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS EMISSÕES DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO,

Leia mais

A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em

A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em A AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA E EXPLORAÇÃO FLORESTAL A seção A abrange a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em ambiente natural e em ambiente protegido. Compreende as

Leia mais

2.2 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0: Códigos e denominações

2.2 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0: Códigos e denominações (continua) A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA 01 AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS RELACIONADOS 01.1 Produção de lavouras temporárias 01.11-3 Cultivo de cereais 0111-3/01 Cultivo

Leia mais

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014*

RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* RESOLUÇÃO SMAC nº 577 de 02 de dezembro de 2014* Estabelece parâmetros para o Licenciamento Ambiental das atividades de comércio atacadista e de confecção e fabricação de produtos têxteis. O SECRETÁRIO

Leia mais

Descrição CNAE FABRICACAO DE OLEOS VEGETAIS REFINADOS, EXCETO OLEO DE MILHO 1/4/2010

Descrição CNAE FABRICACAO DE OLEOS VEGETAIS REFINADOS, EXCETO OLEO DE MILHO 1/4/2010 Descrição CNAE Início da obrigatoriedade 0722701 EXTRACAO DE MINERIO DE ESTANHO 1/4/2010 0722702 BENEFICIAMENTO DE MINÉRIO DE ESTANHO 1/4/2010 1011201 FRIGORIFICO - ABATE DE BOVINOS 1/4/2010 1011202 FRIGORÍFICO

Leia mais

CÓDIGO DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997. A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções:

CÓDIGO DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997. A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções: DE ATIVIDADE - PESQUISA PADRÕES DE VIDA -1996-1997 A relação dos Códigos de Atividade refere-se as seguintes seções: Seção 06 - Atividade Econômica Parte B: Trabalho Principal nos últimos 7 dias - Quesito

Leia mais

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos

Gênero do NCM. 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 01 - Animais Vivos Gênero do NCM 02 - Carnes e miudezas 03 - Peixes, Crustaceos, Moluscos e outros invertebrados Aquaticos 04 - Produtos Comestiveis de origem animal 05 - Outros Produtos de Origem Animal

Leia mais

Boletim. Federal. Manual de Procedimentos. ICMS-IPI/Sped - NF-e - Preenchimento - Código de barras. ICMS - IPI e Outros 2.

Boletim. Federal. Manual de Procedimentos. ICMS-IPI/Sped - NF-e - Preenchimento - Código de barras. ICMS - IPI e Outros 2. Boletim Manual de Procedimentos Federal ICMS-IPI/Sped - NF-e - Preenchimento - Código de barras SUMÁRIO 1. Introdução 2. Código de barras 3. Preenchimento dos campos 102 e 111 do Bloco I - Produtos e Serviços

Leia mais

ANEXO 8B - TIPO DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS CLASSIFICADAS POR POTENCIAL POLUIDOR Para atividades não listadas ver classificiação da FEPAM.

ANEXO 8B - TIPO DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS CLASSIFICADAS POR POTENCIAL POLUIDOR Para atividades não listadas ver classificiação da FEPAM. INDUSTRIA DE MINERAIS NAO-METÁLICOS Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, com Tingimento Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, sem Tingimento Beneficiamento

Leia mais

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p

= igual + mais - menos parte CODIGO. = 0 1 relacionados + 81p - C O R R E S P. = igual + mais - menos p - Rev.1 OBSERVAÇÕES 0 1 Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades dos serviços = 0 1 relacionados + 81p Agricultura, produção a n i m a l, caça e actividades

Leia mais

ANEXO 03 Atividades Industriais

ANEXO 03 Atividades Industriais ANEXO 03 Atividades Industriais ATIVIDADE INDUSTRIAL INDUSTRIA DE MINERAIS NAO-METALICOS Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos Beneficiamento de Minerais Não-Metálicos, sem Tingimento e com Britagem

Leia mais

ANEXO I EXERCÍCIO 2010. 0111-2/99 Cultivo de outros cereais para grãos R$ 77,80

ANEXO I EXERCÍCIO 2010. 0111-2/99 Cultivo de outros cereais para grãos R$ 77,80 ANEXO I 0111-3/01 Cultivo de arroz 0111-2/01 0111-3/02 Cultivo de milho 0111-2/02 0111-3/03 Cultivo de trigo 0111-2/03 0111-3/99 Cultivo de outros cereais não especificados EXERCÍCIO CNAE 2.0 - subclasses

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 1, DE 25 DE JANEIRO DE 2013 (DOU de 30/01/2013 Seção I Pág 82) O PRESIDENTE SUBSTITUTO DO INSTITUTO BRASILEIRO

Leia mais

0111-2/99 0119-8/99 * 0119-8/99 *

0111-2/99 0119-8/99 * 0119-8/99 * 4.1 Correspondência entre as Subclasses CNAE 2.0 e a CNAE-Fiscal 1.1 A tabela de correspondência, a seguir, indica, para cada subclasse da CNAE 2.0, o correspondente código (ou códigos) na estrutura da

Leia mais

Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, com correspondente agrupamento para dimensionamento de CIPA.

Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, com correspondente agrupamento para dimensionamento de CIPA. Página 1 de 14 Relação da Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE, com correspondente agrupamento para dimensionamento de CIPA NR 5 Anexo III Descrição da Atividade Grupo Extração de carvão

Leia mais

ANEXO XI CONTRIBUINTES E MERCADORIAS ENQUADRADOS NO PROGRAMA ICMS GARANTIDO INTEGRAL E RESPECTIVOS PERCENTUAIS DE MARGEM DE LUCRO

ANEXO XI CONTRIBUINTES E MERCADORIAS ENQUADRADOS NO PROGRAMA ICMS GARANTIDO INTEGRAL E RESPECTIVOS PERCENTUAIS DE MARGEM DE LUCRO 1 de 29 30/11/2012 10:22 Nota: " Os documentos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os textos publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais."

Leia mais

Anexo 1 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0 (seções B, C e D): códigos e denominações

Anexo 1 - Estrutura detalhada da CNAE 2.0 (seções B, C e D): códigos e denominações (continua) B INDÚSTRIAS EXTRATIVAS 05 EXTRAÇÃO DE CARVÃO MINERAL 05.0 Extração de carvão mineral 05.00-3 Extração de carvão mineral 06 EXTRAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL 06.0 Extração de petróleo e gás

Leia mais

Indústrias Químicas - Orgânicas

Indústrias Químicas - Orgânicas Indústrias Químicas Orgânicas UTFPR Campus Toledo Tecnologia em Processos Químicos Processos Industriais Orgânicos INDÚSTRIA QUÍMICA As indústrias químicas envolvem o processamento ou alteração de matérias-primas

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013

Região Zona da Mata. Regional Dezembro 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado

Estado do Paraná Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Receita do Estado RESOLUÇÃO SEFA Nº 145/2015 Publicada no DOE 9428 de 09.04.2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, com fundamento nos Ajustes SINIEF 1/2013, 22/2013 e 5/2014; no inciso XIV do art. 45 da Lei n. 8.485, de

Leia mais

PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012

PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012 PROTOCOLO ICMS 4, DE 30 DE MARÇO DE 2012 Publicado no DOU de 09.04.12 Altera o Protocolo ICMS 28/09, que dispõe sobre a substituição tributária nas operações com produtos alimentícios. Os Estados de Minas

Leia mais

DECRETO Nº 51.044, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a licença de funcionamento para o exercício das atividades não residenciais pelo

DECRETO Nº 51.044, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a licença de funcionamento para o exercício das atividades não residenciais pelo DECRETO Nº 51.044, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a licença de funcionamento para o exercício das atividades não residenciais pelo microempreendedor individual MEI e regulamenta a Lei nº 15.031,

Leia mais

LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS

LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS LC nº 16/2005 TABELA I USOS COMERCIAIS COM. VICINAL 1 OBS. 1 COM. DE BAIRRO OBS. 2 GRUPO A OBS. 3 GRUPO B GRUPO C COM. SETORIAL OBS. 4 e 5 COM. GERAL OBS. 5 GERAL 1 GERAL 2 GRUPO A COM. ESPECÍFICO OBS.

Leia mais

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg

ITEM DESCRIÇÃO NCM/SH 1.1. Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg I - CHOCOLATES 1.1 Chocolate branco, em embalagens de conteúdo inferior ou igual a 1 kg 1704.90.10 1.2 Chocolates contendo cacau, em embalagens de conteúdo inferior 1806.31.10 ou igual a 1kg 1806.31.20

Leia mais

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010.

ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1. * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. ANEXO 4.0 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANEXO 4.42.1 * REVOGADO PELO DECRETO Nº 26.695 de 6 de julho de 2010. NAS OPERAÇÕES COM PRODUTOS ALIMENTÍCIOS Acrescentado pelo DECRETO nº 26.258 de 30.12.2009 DOE: 30.12.2009

Leia mais

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014

Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 Objetivo: Produtos que tiveram maior crescimento no mercado francês entre 2013/2014 PRODUTOS Jan-Jun 2013 Jan-Jun 2014 Crescimento 2013/2014 Outras frutas de casca rija e outras sementes, preparadas ou

Leia mais

ANEXO 02 Tabela de Atividades dos Usos do Solo.

ANEXO 02 Tabela de Atividades dos Usos do Solo. Residencial, Comercial, Serviços, Atividades Especiais e Atividades Primárias USO RESIDENCIAL R.1 Residencial Tipo I Residencial unifamiliar R.2 Residencial Tipo II Residencial multifamiliar horizontal

Leia mais

O que é uma empresa rural?

O que é uma empresa rural? Contabilidade Rural Prof. João Marcelo O que é uma empresa rural? É aquela que explora a capacidade produtiva do solo por meio do cultivo da terra, da criação de animais e da transformação de determinados

Leia mais

Atos. Executivo, oriundo da Mensagem 0034/2009 que DISPÕE SOBRE A ALTERAÇÃO DA TAXA DE. Seção III Do Alvará Precário

Atos. Executivo, oriundo da Mensagem 0034/2009 que DISPÕE SOBRE A ALTERAÇÃO DA TAXA DE. Seção III Do Alvará Precário 23 Veículo Oficial de publicação dos atos oficiais do Município Edição Especial nº 31 Dezembro Poder Executivo Atos Art. 122-B. A licença ou a autorização de localização de estabelecimento de qualquer

Leia mais

LEI Nº 3721/2016, DE 16 DE JUNHO DE 2016.

LEI Nº 3721/2016, DE 16 DE JUNHO DE 2016. LEI Nº 3721/2016, DE 16 DE JUNHO DE 2016. INCLUI TIPOLOGIAS DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL NO ANEXO ÚNICO DA LEI Nº 2821/2007, ALTERADA PELAS LEIS 2843/2008, 3084/2010 E 3568/2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE

Leia mais

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano

Valor das Importações e das Exportações, nos Açores, por ano Q.10.01 - Resultados Globais, por ano Unidade: 1 000 Euros 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Importações (CIF) 34 490 773 37 505 656 43 257 180 44 093 881 42 466 265 41 753 699 45

Leia mais

! Notas Explicativas (PROVISÓRIA - 4ª edição IBGE - Novembro/2006) Versão 2.0. 4ª Edição Provisória

! Notas Explicativas (PROVISÓRIA - 4ª edição IBGE - Novembro/2006) Versão 2.0. 4ª Edição Provisória "# Versão 2.0 4ª Edição Provisória NOVEMBRO/2006 A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQÜICULTURA...37 01 AGRICULTURA, PECUÁRIA E SERVIÇOS RELACIONADOS...37 01.1 PRODUÇÃO DE LAVOURAS TEMPORÁRIAS...37

Leia mais

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010

Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.2010 Protoc. ICMS CONFAZ 110/10 - Protoc. ICMS - Protocolo ICMS CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA - CONFAZ nº 110 de 09.07.010 D.O.U.: 10.08.010 Altera o Protocolo ICMS 8/09, que dispõe sobre a substituição

Leia mais

Alameda Carlos Lacerda, 449 Sala 102 e 103 Liberdade Tel.

Alameda Carlos Lacerda, 449 Sala 102 e 103 Liberdade Tel. Tabela do Simples Nacional - Completa Confira as Atividades, CNAE e alíquotas das atividades permitidas no Simples Nacional. atualizado em 06/11/2014 Tabela Simples Nacional - Completa *Alíquota inicial

Leia mais

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura,

Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, Setor produtivo G07 - Gráfica e Edição Visual/ Papel, Papelão e Cortiça. Contém 953505 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0121-1/01 Horticultura, exceto morango 0122-9/00 Cultivo de flores e plantas

Leia mais

INDÚSTRIA DE MADEIRA QUE SE ABASTEÇA DE FLORESTA PLANTADA

INDÚSTRIA DE MADEIRA QUE SE ABASTEÇA DE FLORESTA PLANTADA Perguntas e Respostas 1 - O que é a Reposição Florestal? A Reposição Florestal caracteriza-se pelo plantio obrigatório de árvores de espécies adequadas ou compatíveis, exigido de pessoas físicas ou jurídicas

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS PLANTAÇÃO/VEGETAÇÃO NATIVA IBAMA, 2014 Guia de Preenchimento

Leia mais

Minas Gerais > Fevereiro/2016

Minas Gerais > Fevereiro/2016 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Minas Gerais

Leia mais

QUADRO DO SETOR ALIMENTAR EM SANTA CATARINA 1. PANORAMA DO SETOR DE ALIMENTOS EM SANTA CATARINA

QUADRO DO SETOR ALIMENTAR EM SANTA CATARINA 1. PANORAMA DO SETOR DE ALIMENTOS EM SANTA CATARINA Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina (Órgão reconhecido pelo Governo Italiano Decreto Mise29/7/2009) Tel.: +55 48 3027 2710 / Fax: +55 48 3222 2898 www.brasileitalia.com.br info@brasileitalia.com.br

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1 de 5 22/02/2016 15:31 Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONSEMA n.º 102, de 24 maio de 2005.

CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução CONSEMA n.º 102, de 24 maio de 2005. CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE Resolução CONSEMA n.º 102, de 24 maio de 2005. Dispõe sobre os critérios para o exercício da competência do Licenciamento Ambiental Municipal, no âmbito do Estado do

Leia mais

Classificação Nacional de Atividades Econômicas - SUBCLASSES Versão 2..2 Notas Explicativas. CNAE Subclasses 2.2 JANEIRO/2015

Classificação Nacional de Atividades Econômicas - SUBCLASSES Versão 2..2 Notas Explicativas. CNAE Subclasses 2.2 JANEIRO/2015 1 CNAE Subclasses 2.2 JANEIRO/2015 2 A AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA Esta seção compreende a exploração ordenada dos recursos naturais vegetais e animais em ambiente natural

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) EMISSÕES ATMOSFÉRICAS FONTES ENERGÉTICAS VERSÃO 3 IBAMA JANEIRO, 2016 2 Índice

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.342, DE 20 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 4.342, DE 20 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 4.342, DE 20 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre ajustes nas normas de de custeio, de investimento e de comercialização com recursos do crédito rural, a partir de 1º de julho de 2014. O Banco Central

Leia mais

Estabelecimentos e Equipamentos de Assistência e de Interesse à Saúde Tabela CNAE - Fiscal IBGE adaptada para a Vigilância Sanitária

Estabelecimentos e Equipamentos de Assistência e de Interesse à Saúde Tabela CNAE - Fiscal IBGE adaptada para a Vigilância Sanitária ANEXO I Estabelecimentos e Equipamentos de Assistência e de Interesse à Saúde Tabela CNAE - Fiscal IBGE adaptada para a Vigilância Sanitária As tabelas a seguir apresentam os estabelecimentos e equipamentos

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 31, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 31, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 31, DE 03 DE DEZEMBRO DE 2009 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeado pela Portaria nº 382, de 02 de junho

Leia mais

CENTRO LATINOAMERICANO Y CARIBEÑO DE DEMOGRAFÍA (CELADE) CÓDIGOS RAMA DE ACTIVIDADES BRASIL 1960

CENTRO LATINOAMERICANO Y CARIBEÑO DE DEMOGRAFÍA (CELADE) CÓDIGOS RAMA DE ACTIVIDADES BRASIL 1960 CENTRO LATINOAMERICANO Y CARIBEÑO DE DEMOGRAFÍA (CELADE) CÓDIGOS RAMA DE ACTIVIDADES BRASIL 1960 QUESITO X RAMO E CLASSE DE ATIVIDADE Antes de codificar êste quesito, o codificador deve observar as respostas

Leia mais

http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.html?source=printlink

http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.html?source=printlink Page 1 of 21 Agenda de Obrigações Estadual - Minas Gerais - Agosto/2011 28 de de 2011 Agosto D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Hoje Obrigações

Leia mais

APÊNDICE XXVII. CRÉDITO ADMITIDO (% sobre a Base de Cálculo) 1% UNIDADE DA FEDERAÇÃO DE ORIGEM ITEM MERCADORIA BENEFÍCIO

APÊNDICE XXVII. CRÉDITO ADMITIDO (% sobre a Base de Cálculo) 1% UNIDADE DA FEDERAÇÃO DE ORIGEM ITEM MERCADORIA BENEFÍCIO APÊNDICE XXVII MERCADORIAS ORIUNDAS DE OUTRAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO BENEFICIADAS COM INCENTIVO OU FAVOR FISCAL OU FINANCEIRO-FISCAL EM DESACORDO COM A LEI COMPLEMENTAR Nº 24/75 UNIDADE DA FEDERAÇÃO DE

Leia mais

Mato Grosso > Novembro/2015

Mato Grosso > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Mato Grosso

Leia mais

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 991

TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 991 ISSN 1415-4765 TEXTO PARA DISCUSSÃO N o 991 A FORMAÇÃO DA ALCA E SEU IMPACTO NO POTENCIAL EXPORTADOR BRASILEIRO PARA OS MERCADOS DOS ESTADOS UNIDOS E DO CANADÁ João Alberto De Negri Jorge Saba Arbache

Leia mais

Comunicado CAT n.º 16, de 27-07-2011

Comunicado CAT n.º 16, de 27-07-2011 Comunicado CAT n.º 16, de 27-07-2011 (DOE 28-07-2011) O Coordenador da Administração Tributária declara que as datas fixadas para cumprimento das OBRIGAÇÕES PRINCIPAIS e ACESSÓRIAS, do mês de agosto de

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS HÍDRICOS E DA AMAZÔNIA LEGAL INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS HÍDRICOS E DA AMAZÔNIA LEGAL INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA Página 1 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE, DOS RECURSOS HÍDRICOS E DA AMAZÔNIA LEGAL INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA PORTARIA NORMATIVA Nº 113 1997 DE 25 DE SETEMBRO

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA FAZENDA PORTARIA SEFAZ N o 299, de 01 de março de 2008 Dispõe sobre o Termo de Credenciamento dos contribuintes para a emissão da Nota Fiscal Eletrônica NF-e

Leia mais

COMUNICADO CAT Nº 22 DE 27/05/2009 DOE-SP de 28/05/2009

COMUNICADO CAT Nº 22 DE 27/05/2009 DOE-SP de 28/05/2009 COORDENADOR DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA COMUNICADO CAT Nº 22 DE 27/05/2009 DOE-SP de 28/05/2009 O Coordenador da Administração Tributária declara que as datas fixadas para cumprimento das Obrigações Principais

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em março, o conjunto

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE CONSEMA CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE COMISSÃO PROCESSANTE E DE NORMATIZAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE CONSEMA CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE COMISSÃO PROCESSANTE E DE NORMATIZAÇÃO MINUTA de Deliberação CONSEMA Normativa 01/2014 De...de...de 2014... Reunião Ordinária do Plenário do CONSEMA Fixa tipologia para o exercício da competência municipal no âmbito do licenciamento ambiental

Leia mais

Comunicado CAT - 48, de 27-10-2009. DOE-SP 28/10/2009.

Comunicado CAT - 48, de 27-10-2009. DOE-SP 28/10/2009. Comunicado CAT - 48, de 27-10-2009. DOE-SP 28/10/2009. O Coordenador da Administração Tributária declara que as datas fixadas para cumprimento das OBRIGAÇÕES PRINCIPAIS e ACESSÓRIAS, do mês de novembro

Leia mais

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015

ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ASSUNTOS DIVERSOS DAS COMPLEMENTAR - GENERALIDADES SOBRE A EMISSÃO... Pág. 02 ICMS PR ALÍQUOTAS DO ICMS - REGIÃO NORTE - ATUALIZAÇÃO

Leia mais

Portaria nº. 188 de outubro de 2006.

Portaria nº. 188 de outubro de 2006. Portaria nº. 188 de outubro de 2006. O Secretário de Estado do Desenvolvimento Ambiental, no uso das atribuições que lhe confere o Decreto Lei n 8.982, artigo 38 de 31 de Janeiro de 2000. Considerando

Leia mais

3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios.

3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios. Módulo 3 3.1. Empreendimentos e Atividades que necessitam do Licenciamento Ambiental. 3.2. EIA-RIMA como Instrumento do licenciamento Ambiental. Exercícios. 3.1 Empreendimentos e Atividades que necessitam

Leia mais

Fundamento Legal: Convênio ICMS nº 110/2007, cláusula vigésima sexta, 1º, I e Ato Cotepe/ICMS nº 33/2014

Fundamento Legal: Convênio ICMS nº 110/2007, cláusula vigésima sexta, 1º, I e Ato Cotepe/ICMS nº 33/2014 Agenda de Obrigações Estadual - São Paulo - Julho/2015 Até: Quarta-feira, dia 1 - Scanc Transportador Revendedor Retalhista (TRR) Entrega das informações relativas às operações interestaduais com combustíveis

Leia mais

a) preparado contendo uva (fruta) correspondente a um ingrediente característico:

a) preparado contendo uva (fruta) correspondente a um ingrediente característico: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 18, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

Acidentes de Trabalho no Setor de Atividade Econômico Agricultura 2007.

Acidentes de Trabalho no Setor de Atividade Econômico Agricultura 2007. Acidentes de Trabalho no Setor de Atividade Econômico Agricultura 2007. Estatísticas de Acidente de Trabalho no Brasil BLOG DIESAT: Leia notícias atualizadas sobre Acidente de Trabalho: http://diesat.blogspot.com/search/label/acidente%20de%20trabalho

Leia mais

CNAE 7 DESCRIÇÃO DO CNAE. CID s relacionados para este CNAE. S49 0133-4/11 Cultivo de pêssego M00-M25 / M40-M54 / S20-S29 / S30-S39 / S40- S49

CNAE 7 DESCRIÇÃO DO CNAE. CID s relacionados para este CNAE. S49 0133-4/11 Cultivo de pêssego M00-M25 / M40-M54 / S20-S29 / S30-S39 / S40- S49 Na tabela a seguir estão os CID Código Internacional de Doenças, de doenças correlacionadas com os CNAE das empresas, para os quais poderá ocorrer enquadramento no NTEP Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário,

Leia mais

Listagem dos grupos de atividades industriais: Ind-1a, Ind-1b, Ind-2 e Ind-3 I. Grupo de atividades: Ind-1a - Usos industriais compatíveis

Listagem dos grupos de atividades industriais: Ind-1a, Ind-1b, Ind-2 e Ind-3 I. Grupo de atividades: Ind-1a - Usos industriais compatíveis Quadro nº 04 Anexo ao Decreto nº 45.817, de 4 de abril de 2005 RETORNAR Listagem dos grupos de atividades industriais: Ind-1a, Ind-1b, Ind-2 e Ind-3 I. Grupo de atividades: Ind-1a - Usos industriais compatíveis

Leia mais

http://www.iobonlineregulatorio.com.br/templates/coreonline/onlinehom...

http://www.iobonlineregulatorio.com.br/templates/coreonline/onlinehom... 1 de 16 07/01/2016 14:41 Agenda de Obrigações Estadual - São Paulo - Janeiro/2016 Orientações IOB Esta agenda contém as principais obrigações a serem cumpridas nos prazos previstos na legislação em vigor.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - CEMAm PRESIDÊNCIA. Resolução nº04 DE 2011

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - CEMAm PRESIDÊNCIA. Resolução nº04 DE 2011 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - CEMAm PRESIDÊNCIA Resolução nº04 DE 2011 Dispõe sobre os critérios para a Descentralização do Licenciamento

Leia mais

ANEXO V RELAÇÃO DE ATIVIDADES PREPONDERANTES E CORRESPONDENTES GRAUS DE RISCO (CONFORME A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS)

ANEXO V RELAÇÃO DE ATIVIDADES PREPONDERANTES E CORRESPONDENTES GRAUS DE RISCO (CONFORME A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS) ANEXO V RELAÇÃO DE ATIVIDADES PREPONDERANTES E CORRESPONDENTES GRAUS DE RISCO (CONFORME A CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS) CNAE 7 DESCRIÇÃO %NOVO CID 0111-3/01 Cultivo de arroz I10-I15

Leia mais

CONSIDERANDO a prerrogativa estampada no 1 do artigo 163 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n 2.212, de 20 de março de 2014;

CONSIDERANDO a prerrogativa estampada no 1 do artigo 163 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n 2.212, de 20 de março de 2014; PORTARIA N 220/2014-SEFAZ Exclui do regime de estimativa simplificado de que tratam os artigos 157 a 171 do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n 2.212, de 20 de março de 2014, os contribuintes

Leia mais

1020101 PRESERVACAO DE PEIXES, CRUSTACEOS E MOLUSCOS 1/10/2010 1020102 FABRICACAO DE CONSERVAS DE PEIXES, CRUSTACEOS E MOLUSCOS 1/10/2010 1032501

1020101 PRESERVACAO DE PEIXES, CRUSTACEOS E MOLUSCOS 1/10/2010 1020102 FABRICACAO DE CONSERVAS DE PEIXES, CRUSTACEOS E MOLUSCOS 1/10/2010 1032501 Para pesquisar se o seu CNAE está incluido neste documento use o macnismo de busca do Acrobat Reader (pesquisa, localizar ou find) que está logo acima deste texto. Verifique a inclusão de sua empresa e

Leia mais

GUIA DE PREENCHIMENTO

GUIA DE PREENCHIMENTO GUIA DE PREENCHIMENTO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS E UTILIZADORAS DE RECURSOS AMBIENTAIS (RAPP) CERTIFICADOS AMBIENTAIS VERSÃO 2 IBAMA JANEIRO, 2015 Certificados ambientais 2

Leia mais