ESTRATÉGIAS DE CAPTAÇÃO DE DOADORES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRATÉGIAS DE CAPTAÇÃO DE DOADORES"

Transcrição

1 ESTRATÉGIAS DE CAPTAÇÃO DE DOADORES VIII Simpósio HEMOMINAS de Transfusão Heloisa Gontijo Gerência de Captação e Cadastro Diretoria Técnico Científica

2 A LEGISLAÇÃO NO BRASIL DEFINE Art. 30. A doação de sangue deve ser voluntária, anônima e altruísta, não devendo o doador, de forma direta ou indireta, receber qualquer remuneração ou benefício em virtude da sua realização. Portaria MS /11/2013

3 A DOAÇÃO DE SANGUE É uma prática que ainda enfrenta preconceitos e superstições gerados pela falta de informação. A maior parte das pessoas ainda precisa ser despertada para a ação de doar sangue.

4 NO BRASIL A população não possui a cultura da doação de sangue; A Doação de Sangue é transparente / invisível; Menos de 2% da população doa sangue regularmente (OMS preconiza 3 a 5%).

5 O MINISTÉRIO DA SAÚDE ALERTA A taxa de doação por habitante registrou queda no País em 2013 se comparado à 2012 passando de 18,75/mil hab. para 17,84/mil hab. portalsaude.saúde.gov.br

6 PERCEBE-SE QUE FALTAM NOÇÕES BÁSICAS PARA A POPULAÇÃO EM RELAÇÃO A DVS O sangue é um remédio diferente dos outros. Não é possível comprá-lo em farmácias. Quando algum paciente precisa de sangue, não há nada que possa substituí-lo.

7 CONTRIBUI AINDA PARA O AGRAVAMENTO DO CENÁRIO O fato da vida das pessoas está cada vez mais atribulada. Gasta-se um tempo maior para percorrer as mesmas distâncias.

8 POR OUTRO LADO OBSERVAMOS UM AUMENTO NA: Sobrevida da população; Complexidade dos procedimentos médicos e cirúrgicos realizados; E, consequentemente, Na demanda por sangue e hemocomponentes.

9 A FALTA DE SANGUE E HEMOMPONENTES REPRESENTA Insegurança da população; Cancelamento/adiamento de cirurgias e transfusões; Sub aproveitamento da agenda do médico e dos leitos hospitalares; Insatisfação dos médicos e pacientes; Risco para os pacientes e para a população de modo geral;

10 DIANTE DISSO NÃO HÁ OUTRA SAÍDA É necessário que a sociedade se mobilize em prol da realização da Doação de sangue. Nesse contexto, o envolvimento dos hospitais torna-se essencial para a obtenção de um estoque compatível com a demanda transfusional.

11 CONSIDERANDO QUE NOS HOSPITAIS/ SERVIÇOS DE SAÚDE Estão concentrados os maiores usuários de sangue e hemocomponentes; São espaços organizados para a realização dessa divulgação; É justamente lá que o trabalho de conscientização sobre a importância e necessidade da DVS deve ser mais intenso.

12 ALÉM DISSO A vivência da necessidade, própria ou próxima, pode mobilizar pessoas ou a comunidade para realização de uma doação, ainda que de 1ª vez.

13 É NECESSÁRIO QUE O HOSPITAL TENHA UM PROFISSIONAL RESPONSÁVEL PELA CAPTAÇÃO DE DOADORES Para desenvolver ações de caráter educativo, que visem sensibilizar a sociedade para a importância e necessidade da Doação Voluntária de Sangue (DVS) a fim de comprometê-la com a manutenção de um estoque de sangue e hemocomponentes, compatível com a demanda da comunidade.

14 PORÉM, O SUCESSO DESSE TRABALHO DE CAPTAÇÃO Além de depender da aptidão do Captador para o desenvolvimento da atividade, está diretamente ligado ao envolvimento dos outros profissionais do Hospital Contratante Direção Médicos Enfermeiros Auxiliares de Enfermagem...

15 DOADOR SEGURO É aquele doador captado nos hospitais E que, depois, se torna um Doador de Repetição. Guilherme Genovez Coordenador Geral de Sangue e Hemoderivados - MS

16 É POSSÍVEL OBSERVAR NO NOSSO DIA A DIA Que a grande maioria dos doadores fidelizados viveram a necessidade.

17 O CAPTADOR/ HOSPITAL PODE TAMBÉM BUSCAR PARCERIAS PARA Realizar a captação de doadores; Divulgar/ Patrocinar a divulgação da DVS; Enviar doadores até o local de doação.

18 Somente com a participação de cada um dos hospitais é que teremos sangue e hemocomponentes em quantidade suficiente para atender, a qualquer momento, a demanda da sociedade. OBRIGADA! NÃO HÁ OUTRO CAMINHO Heloisa Gontijo Gerência de Captação e Cadastro Fone: (31)

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. I SEMANA DE SERVIÇO SOCIAL DO HEMOCE Captação Hospitalar: Multiplique essa idéia NÁGELA LIMA CAPTAÇÃO DE DOADORES A DOAÇÃO DE SANGUE

Leia mais

PROJETO SANGUE CIDADÃO

PROJETO SANGUE CIDADÃO PROJETO SANGUE CIDADÃO 2015 Banco de Dados para Doadores de Sangue Criação de banco de doadores voluntários para atender campanhas emergenciais e fidelização de doadores de sangue B A N C O D E D A D O

Leia mais

DOE SANGUE, DOE VIDA!

DOE SANGUE, DOE VIDA! 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (X) SAÚDE DOE SANGUE, DOE VIDA! Apresentador 1 Patrícia de Vargas Stella Apresentador 2 Josiane Cavali Barros da Silva Autor 3 Celso Luiz Borges

Leia mais

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA CONTRIBUIÇÃO DAS EQUIPES DE SAÚDE CAPTAÇÃO DE DOADORES DE SANGUE

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA CONTRIBUIÇÃO DAS EQUIPES DE SAÚDE CAPTAÇÃO DE DOADORES DE SANGUE III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA CONTRIBUIÇÃO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA IMPLEMENTAÇÃO DA CAPTAÇÃO DE DOADORES DE SANGUE Josinete Gomes FUNDAÇÃO HEMOPE PERNAMBUCO Brasília -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM EMILYN MARTINS MATIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM EMILYN MARTINS MATIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM EMILYN MARTINS MATIAS RELATÓRIO ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES UNIDADE DE BANCO DE SANGUE DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

Leia mais

Versão final 28 de abril de 2014

Versão final 28 de abril de 2014 1 Plano Operativo de Saúde do Estado do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 Versão final 28 de abril de 2014 2 Hemorrede pública do Estado do Rio de Janeiro Ações Pré Evento: Manter estoque

Leia mais

Câmara Municipal de Vereadores Centro Democrático Adelmo Simas Genro Santa Maria/RS PROJETO DE LEI Nº /LEGISLATIVO

Câmara Municipal de Vereadores Centro Democrático Adelmo Simas Genro Santa Maria/RS PROJETO DE LEI Nº /LEGISLATIVO PROJETO DE LEI Nº /LEGISLATIVO Dispõe sobre o atendimento preferencial aos doadores de sangue, órgãos e de medula óssea em Santa Maria e da outras providências. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal

Leia mais

FU N D A Ç Ã O HEMO M IN A S

FU N D A Ç Ã O HEMO M IN A S DESENVOLVIMENTO DE PESQUIS NA FUNDAÇÃO HEMOMINAS VERSÃO 05 DEZEMBRO / 2014 Cópia controlada. Nenhuma parte deste Manual pode ser reproduzida, por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia,

Leia mais

XII Encontro Nacional da Rede Sentinela 08 a 10 de dezembro de 2010 Brasília DF HEMOVIGILÂNCIA

XII Encontro Nacional da Rede Sentinela 08 a 10 de dezembro de 2010 Brasília DF HEMOVIGILÂNCIA XII Encontro Nacional da Rede Sentinela 08 a 10 de dezembro de 2010 Brasília DF HEMOVIGILÂNCIA Maria de Fátima Alves Fernandes Unidade de Bio e Hemovigilância UBHEM/NUVIG/ANVISA Premissas A transfusão

Leia mais

(?) (?) as doações de reposição.

(?) (?) as doações de reposição. PROJETO CAPTAÇÃO DE DOADORES NA REDE HOSPITALAR Captação de Doadores Hemoce - Fortaleza Coordenação: Nágela Lima Assistentes Sociais: Adalise Maia Alexandra Paula Moraes Elizabete Cristina Ramalho Marina

Leia mais

NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5

NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5 NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5 A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, através do Núcleo de Atenção à Saúde Mental//Coordenadoria de Políticas e Atenção à Saúde

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.1 O problema

1 INTRODUÇÃO. 1.1 O problema 1 INTRODUÇÃO 1.1 O problema Nos últimos anos, a indústria hospitalar no Brasil tem revelado expressivo crescimento. Dados do IBGE indicam que, em 1976, havia 13.133 estabelecimentos de saúde espalhados

Leia mais

Programa 0807 - Investimento das Empresas Estatais em Infra-Estrutura de Apoio

Programa 0807 - Investimento das Empresas Estatais em Infra-Estrutura de Apoio Programa 0807 - Investimento das Empresas Estatais em Infra-Estrutura de Apoio Orgão: 36000 - Ministério da Saúde Unidade Responsável: 177127 - definido Momento do Programa: Objetivo Dotar a área administrativa

Leia mais

Hemovida. Agência Transfusional Visão Geral. Versão do produto: 2.0.7. Edição do documento: 1.0 Fevereiro de 2007 MS DATASUS

Hemovida. Agência Transfusional Visão Geral. Versão do produto: 2.0.7. Edição do documento: 1.0 Fevereiro de 2007 MS DATASUS Hemovida Agência Transfusional Visão Geral Versão do produto: 2.0.7 Edição do documento: 1.0 Fevereiro de 2007 MS DATASUS Hemovida Agência Transfusional Visão Geral Versão do produto: 2.0.7 Edição do documento:

Leia mais

COMO ORGANIZAR A PASTORAL DA SAÚDE NA PARÓQUIA?

COMO ORGANIZAR A PASTORAL DA SAÚDE NA PARÓQUIA? COMO ORGANIZAR A PASTORAL DA SAÚDE NA PARÓQUIA? Paróquia - Missão da Igreja na vida das pessoas - Libertar a pessoa da enfermidade - Ser presença solidária e cristã junto aos doentes Papel PS contribuir

Leia mais

CRI R AN A ÇA Ç SEGURA R Safe Kids Bras B il il 2009

CRI R AN A ÇA Ç SEGURA R Safe Kids Bras B il il 2009 CRIANÇA SEGURA Safe Kids Brasil 2009 CRIANÇA SEGURA Organização sem fins lucrativos presente no Brasil desde 2001, com atuação nacional. Missão: Promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes

Leia mais

NOTIFICAÇÕES DE EVENTOS ADVERSOS VIA SISTEMA

NOTIFICAÇÕES DE EVENTOS ADVERSOS VIA SISTEMA GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO GERÊNCIA DE UNIDADES DE INTERNAÇÃO Comissão de Gerenciamento de Risco NOTIFICAÇÕES DE EVENTOS ADVERSOS VIA SISTEMA 2012 Luciane Lindenmeyer,

Leia mais

PROMOÇÃO DA DOAÇÃO VOLUNTÁRIA DE SANGUE NO ÂMBITO DO MERCOSUL

PROMOÇÃO DA DOAÇÃO VOLUNTÁRIA DE SANGUE NO ÂMBITO DO MERCOSUL PROMOÇÃO DA DOAÇÃO VOLUNTÁRIA DE SANGUE NO ÂMBITO DO MERCOSUL XLIII Reunião Ordinária do SGT Nº 11 Saúde Comissão Intergovernamental de Sangue e Hemoderivados Presidência Pro Tempore do Brasil 01/2015

Leia mais

ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS

ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS Compete as Unidades de Saúde (básica, secundária/ambulatórios follow up): 1. Realizar a identificação das crianças que cumprem os critérios estabelecidos para recebimento

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012 1 ÍNDICE 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 2.1 (Rio de Janeiro) 1.2. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 3.1 (Rio de Janeiro) 1.3.

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 1 ÍNDICE 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 2.1 (Rio de Janeiro) 1.2. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 3.1 (Rio de Janeiro) 1.3.

Leia mais

Detecção de ácidos nucléicos (NAT), para HIV e para HCV, nas amostras de sangue de doadores - Portaria 79 de 31/1/2003 -

Detecção de ácidos nucléicos (NAT), para HIV e para HCV, nas amostras de sangue de doadores - Portaria 79 de 31/1/2003 - Detecção de ácidos nucléicos (NAT), para HIV e para HCV, nas amostras de sangue de doadores - Portaria 79 de 31/1/2003 - Ementa: Determinar a implantação, no âmbito da Hemorrede Nacional, nos Serviços

Leia mais

Programação - 25/09/2013. Dra. Junia G. M. Cioffi - F. Hemominas - Belo Horizonte (MG)

Programação - 25/09/2013. Dra. Junia G. M. Cioffi - F. Hemominas - Belo Horizonte (MG) Programação - 25/09/2013 8h30 9h15 Abertura (Sala 1 azul) 9h15 9h45 Palestra: Qualidade em Hemoterapia (sala 1 azul) Dra. Junia G. M. Cioffi - F. Hemominas - Belo Horizonte (MG) 9h45 10h00 Apresentação

Leia mais

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Cad. do Menu Cuidados com o Pac. e Campos Complementares. 11.8x. março de 2015. Versão: 2.

TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Cad. do Menu Cuidados com o Pac. e Campos Complementares. 11.8x. março de 2015. Versão: 2. TOTVS Gestão Hospitalar Manual Ilustrado Cad. do Menu Cuidados com o Pac. e Campos Complementares 11.8x março de 2015 Versão: 2.0 1 Sumário 1 Objetivos... 5 2 Introdução... 5 3 Cadastros Cuidados com o

Leia mais

Comer bem, Viver melhor

Comer bem, Viver melhor Unidade Cuidados Comunidade ACES Gondomar Comer bem, Viver melhor Enf.º José Lima josebarbosalima@gmail.com 01-02-2011 01-02-2011 ACeS GRANDE PORTO II GONDOMAR UCC INOVAR Início de Funções 1 de fevereiro

Leia mais

Descrição de funções VNU

Descrição de funções VNU Descrição de funções VNU Preâmbulo: O programa Voluntários das Nações Unidas (VNU) é no seio das Nações Unidas, a organização que a nível mundial se encarrega de promover o voluntariado em prol da paz

Leia mais

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso PADI Programa de Atenção Objetivos do programa Apesar dos benefícios óbvios da internação quando necessária, o paciente idoso afastado da rotina de casa e da família apresenta maior dificuldade de recuperação,

Leia mais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais

NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. CAPÍTULO I Das considerações gerais Sociedade de Educação e Cultura de Goiás www.faculdadearaguaia.edu.br Rua 18 n 81 Centro Goiânia Goiás Fone: (62) 3224-8829 NÚCLEO DE EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO- NEPG REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO

Leia mais

Relatório Atividades Comitê de Enfrentamento da Dengue IBEDESS Ações realizadas:

Relatório Atividades Comitê de Enfrentamento da Dengue IBEDESS Ações realizadas: Relatório Atividades Comitê de Enfrentamento da Dengue IBEDESS Ações realizadas: Inserção no site do IBEDESS e envio, para todas as entidades que compõem o Instituto, do material citado abaixo, incluindo

Leia mais

O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL

O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL HEMOCENTRO DE BELO HORIZONTE 2015 TRANFUSÃO SANGUÍNEA BREVE RELATO Atualmente a transfusão de sangue é parte importante da assistência à saúde. A terapia transfusional

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N. PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP 2 ª Reunião do GT de Indicadores Hospitalares 09/04/2012 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Comparação

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Antes mesmo de inaugurar seu hospital, em 1971, a Sociedade já se dedicava ao exercício da responsabilidade social, atendendo crianças carentes da comunidade na área de Pediatria

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO

BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO Jaciane Vargas de Freitas Silva Enfermeira RT Serviço de Enfermagem do Ambulatório do HBH Fundação Hemominas BOA PRÁTICA TRANSFUSIONAL Aplicação

Leia mais

CIRURGIA SEGURA 1 FINALIDADE 2 JUSTIFICATIVA. Protocolo de Serviço do Hospital Universitário de Santa Maria PROTOCOLO DE SERVIÇO

CIRURGIA SEGURA 1 FINALIDADE 2 JUSTIFICATIVA. Protocolo de Serviço do Hospital Universitário de Santa Maria PROTOCOLO DE SERVIÇO PROTOCOLO DE SERVIÇO CIRURGIA SEGURA Responsáveis: Vânia Segalin, Graziela Cauduro, Rafaela Andolhe Colaboradores: Roosi Zanon Código: PS03 CIRSEG Data: Dezembro/2015 1 FINALIDADE A finalidade do protocolo

Leia mais

Projeto da IBFAN Brasil para Fomento das atividades da. Semana Mundial de Aleitamento Materno no Brasil

Projeto da IBFAN Brasil para Fomento das atividades da. Semana Mundial de Aleitamento Materno no Brasil Projeto da IBFAN Brasil para Fomento das atividades da Semana Mundial de Aleitamento Materno no Brasil a ser realizado com apoio do Senac São Paulo e Santander Universidades Maio 2008 2 Nome da organização:

Leia mais

O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO. Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG

O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO. Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG O HOSPITAL DO SNS NO FUTURO Francisco Ramos Presidente do Conselho de Administração do IPOLFG 22-06-2016 1. O PASSADO Os problemas A urgência como forma de acesso em primeira linha A combinação público-privado

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM HOTELARIA HOSPITALAR - CURITIBA Unidade

Leia mais

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social Descrição da Despesa ASPS Assist. Social Outros Base Legal Subsídio do Secretário da Saúde, Assistência e Meio Ambiente. X 1 1 Casos em que a Secretaria da Saúde abranja outras áreas de atuação, deverá

Leia mais

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica

Capacitação de Profissionais em Prevenção, Controle e Assistência Oncológica Programa 0011 PREVENÇÃO E CONTROLE DO CÂNCER E ASSISTÊNCIA ONCOLÓGICA Objetivo Indicador(es) Promover a prevenção, a detecção precoce dos tipos de câncer prevalentes e a assistência à população para reduzir

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA DOAÇÃO DE SANGUE FRENTE A CARÊNCIA VIVENCIADA 1

CAPTAÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA DOAÇÃO DE SANGUE FRENTE A CARÊNCIA VIVENCIADA 1 CAPTAÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA DOAÇÃO DE SANGUE FRENTE A CARÊNCIA VIVENCIADA 1 BENDER, Leticia Silmara 2 ; MARZARI, Carla 3 ; MENEGAZZI, Bruna Boff 4 ; NEVES, Bruna Sartori 5 ; QUADROS,

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO. Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue do HEMOAL

TÍTULO DO PROJETO. Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue do HEMOAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde TÍTULO DO PROJETO Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES: CUIDADOS PRIORITÁRIOS DE ENFERMAGEM EM IDOSOS

TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES: CUIDADOS PRIORITÁRIOS DE ENFERMAGEM EM IDOSOS câncer. 3 Atualmente, fatores como envelhecimento populacional, intenso processo de TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES: CUIDADOS PRIORITÁRIOS DE ENFERMAGEM EM IDOSOS João Evangelista da Costa - UFRN. hevan33@oi.com.br

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

O Talento Está no Sangue Colsan/Unifesp 1

O Talento Está no Sangue Colsan/Unifesp 1 O Talento Está no Sangue Colsan/Unifesp 1 Gabriel NASCIMENTO 2 João Batista Freitas CARDOSO 3 IMES - Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Caetano do Sul, SP RESUMO Doar sangue é sinônimo de

Leia mais

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL

VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL VIII JORNADA DE ESTÁGIO DE SERVIÇO SOCIAL INSTRUMENTAIS TÉCNICOS OPERATIVOS NO SERVIÇO SOCIAL E A VIVÊNCIA DO PROJETO ÉTICO-POLÍTICO NA PRÁTICA PROFISSIONAL HOSPITAL MUNICIPAL DR. AMADEU PUPPI RESUMO CARVALHO,

Leia mais

A evolução financeira do setor de queimados, sua legitimidade, seu financiamento e sua complexidade no período de 2002 a 2010

A evolução financeira do setor de queimados, sua legitimidade, seu financiamento e sua complexidade no período de 2002 a 2010 A evolução financeira do setor de queimados, sua legitimidade, seu financiamento e sua complexidade no período de 2002 a 2010 Antonio Pescuma Junior I ; Aquilas Mendes II ; Paulo Cezar Cavalcante de Almeida

Leia mais

Plano Estratégico de Comunicação no Terceiro Setor Banco de Sangue-HCI 1

Plano Estratégico de Comunicação no Terceiro Setor Banco de Sangue-HCI 1 Resumo Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Plano Estratégico de Comunicação no Terceiro Setor Banco de Sangue-HCI 1 Caroline Viana 2 Graciela Formentini 3 André Gagliardi

Leia mais

ÁREA TEMÁTICA: Saúde OBJETIVOS DAS AÇÕES EXTRA-MUROS

ÁREA TEMÁTICA: Saúde OBJETIVOS DAS AÇÕES EXTRA-MUROS TÍTULO:A CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA DO IDOSO EM AÇÕES INTERSETORIAS DO PROGRAMA UNIVERSIDADE ABERTA COM A TERCEIRA IDADE - UATI E VOLUNTARIADO POPULAR NO MUNICÍPIO DE JEQUIÉ/BA. AUTORES: Andréa Santos Souza;

Leia mais

Monitoramento e Gestão de Riscos A experiência de parceiros da Vigilância Sanitária Hospital Getúlio Vargas PE

Monitoramento e Gestão de Riscos A experiência de parceiros da Vigilância Sanitária Hospital Getúlio Vargas PE 15º Encontro Nacional da Rede Sentinela Fórum Internacional de Monitoramento e Gestão de Risco Sanitário Monitoramento e Gestão de Riscos A experiência de parceiros da Vigilância Sanitária Hospital Getúlio

Leia mais

A PRATICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOACIAL NA UNIDADE DE SAÚDE DR. NILTON LUIZ DE CASTRO

A PRATICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOACIAL NA UNIDADE DE SAÚDE DR. NILTON LUIZ DE CASTRO A PRATICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOACIAL NA UNIDADE DE SAÚDE DR. NILTON LUIZ DE CASTRO AJUZ, Jamili Guimarães¹. NADAL, Isabela Martins². WERNER, Rosiléa Clara³. Resumo: O presente trabalho é referente

Leia mais

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA, O TRABALHO DE CAPTAÇÃO DE CANDIDATOS E A POSSIBILIDADE DE ENVOLVIMENTO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA Déborah Carvalho Gerência

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS. IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013

GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS. IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013 GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013 Pode dizer-me que caminho devo tomar? Isto depende do lugar para onde você quer ir. (Respondeu com muito

Leia mais

A Educação Permanente na articulação de uma rede de cuidado integral à saúde: A experiência da Estratégia Saúde da Família na AP 3.

A Educação Permanente na articulação de uma rede de cuidado integral à saúde: A experiência da Estratégia Saúde da Família na AP 3. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Atenção Primária, Coordenação de Área Programática 3.2 Estratégia Saúde da Família na AP 3.2 Coordenadoria de Educação Permanente SPDM A Educação

Leia mais

Projeto coordenado por Denise Costa Dias

Projeto coordenado por Denise Costa Dias A hemoterapia moderna baseia-se no uso seletivos dos componentes do sangue. A utilização correta dos diversos hemocomponentes, associados a um maior controle de qualidade nas diversas etapas desde a coleta

Leia mais

BRIEFING BAHIA RECALL REVELAÇÃO. Apoio Social: HEMOBA - Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia

BRIEFING BAHIA RECALL REVELAÇÃO. Apoio Social: HEMOBA - Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia BRIEFING BAHIA RECALL REVELAÇÃO Clientes: Rede Bahia e Instituto ACM Apoio Social: HEMOBA - Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia Tema: Doação de Sangue Objetivo de Comunicação: Estimular a doação

Leia mais

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA I CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA DOCUMENTO ORIENTADOR CONFERÊNCIAS NAS COMUNIDADES EDUCATIVAS Novembro / 2008 1 I CONFERÊNCA DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA - CONEEI 1. Entendendo a I Conferência

Leia mais

Prova Objetiva/Discursiva Cargo ou opção A - TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Tipo gabarito 1 001 - E 011 - D 021 - C 031 - B 041 - E 051 - E

Prova Objetiva/Discursiva Cargo ou opção A - TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Tipo gabarito 1 001 - E 011 - D 021 - C 031 - B 041 - E 051 - E TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Cargo ou opção A - TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Tipo gabarito 1 001 - E 011 - D 021 - C 031 - B 041 - E 051 - E 002 - A 012 - A 022 - A 032 - C 042 - D 052 - B 003

Leia mais

Bairro: Município: UF: CEP: Telefone: Tipo de Atividade Realizada na Empresa/ Instituição (Consultar anexo):

Bairro: Município: UF: CEP: Telefone: Tipo de Atividade Realizada na Empresa/ Instituição (Consultar anexo): 20 DADOS PARA O ACERVO TÉCNICO DO NUTRICIONISTA I - IDENTIFICAÇÃO DA NUTRICIONISTA: Nome: II- DADOS PARA COMPOSIÇÃO DO ACERVO TÉCNICO: CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS

Leia mais

Ações de Promoção à Doação de Sangue para a Copa 2014 no RJ

Ações de Promoção à Doação de Sangue para a Copa 2014 no RJ Coordenação Técnica de Hemoterapia Setor de Promoção à Doação de Sangue Ações de Promoção à Doação de Sangue para a Copa 2014 no RJ Neusimar Carvalho STPDS Abril- 2014 Ações de Saúde para a Copa PREMISSAS

Leia mais

Hemoce: Doe sangue antes, durante e após o carnaval

Hemoce: Doe sangue antes, durante e após o carnaval O carnaval se aproxima e os cuidados redobrados com a saúde envolvem também a solidariedade na doação de sangue para salvar vidas antes, durante e após o período da festa, quando aumenta a demanda, principalmente

Leia mais

Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente. Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem

Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente. Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem Como o HGIS cuida da saúde do meio ambiente Fernanda Dei Svaldi Pamplona Coordenadora de Enfermagem 12 de setembro de 2012 2 VISÃO Ser reconhecido pela excelência em gestão de serviços de saúde. MISSÃO

Leia mais

MANUAL DO DENTISTA VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO DENTISTA DO BEM

MANUAL DO DENTISTA VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO DENTISTA DO BEM MANUAL DO DENTISTA VOLUNTÁRIO E TERMO DE COMPROMISSO DO DENTISTA DO BEM 2008 TURMA DO BEM Fundada em 2002, a Turma do Bem é uma OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, que tem como

Leia mais

1. Dados de identificação

1. Dados de identificação 1. Dados de identificação 1.1. Denominação do Projeto: Construindo uma cultura de Paz 1.2. Escola: Escola de Ensino Fundamental Menino Jesus - Notre Dame 1.3. Endereço: Rua General Prestes Guimarães, 520

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE HUMANIZAÇÃO E GARANTIA DE DIREITOS NO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PONTA GROSSA

EXPERIÊNCIA DE HUMANIZAÇÃO E GARANTIA DE DIREITOS NO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PONTA GROSSA EXPERIÊNCIA DE HUMANIZAÇÃO E GARANTIA DE DIREITOS NO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PONTA GROSSA KOUT, Pamela de Oliveira (estagio I), e-mail: pam_kout@hotmail.com CAMPOS, Ligia Márcia de Araújo

Leia mais

Programas de Promoção do Desenvolvimento na Primeira Infancia e seus Indicadores

Programas de Promoção do Desenvolvimento na Primeira Infancia e seus Indicadores Programas de Promoção do Desenvolvimento na Primeira Infancia e seus Indicadores Simpósio: O PAPEL DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO ESTÍMULO AO DESENVOLVIMENTO DA PRIMEIRA INFÂNCIA-DPI BRASILIA 22 e 23/03/2016

Leia mais

Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH

Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH 2013 Núcleos de Apoio a Gestão Hospitalar NAGEH Os Grupos de Estudos do Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH) do CQH são formados por profissionais de diferentes

Leia mais

Gestão da Qualidade em Projetos

Gestão da Qualidade em Projetos Gestão da Qualidade em Projetos Definição do Escopo Escopo O escopo do projeto define o que precisa ser feito. Isso se refere a todo o trabalho que deve ser realizado com a finalidade de produzir todas

Leia mais

Carlos Alberto Dias Pinto. Vitória, 2014

Carlos Alberto Dias Pinto. Vitória, 2014 Carlos Alberto Dias Pinto Enfermeiro Sanitarista Mestre em Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ Especialista em Vigilância Sanitária de Serviços de Saúde ENSP/FIOCRUZ STO/DVFS/SUVISA/SVS/SESDEC-RJ cadias.pinto2572@gmail.com

Leia mais

Atitude. (Enciclopédia Barsa 1997)

Atitude. (Enciclopédia Barsa 1997) Atitude Conceito genérico, com diferentes interpretações em psicologia, que busca explicar grande parte da conduta social frente às situações e experiências. (Enciclopédia Barsa 1997) (Autor Desconhecido)

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 7 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA ASSISTÊNCIA

Leia mais

Constituição Federal de 1988 Artigo 196 Sistema Único de Saúde e a enfermagem na assistencia ambulatorial; na assistencia hospitalar com ênfase na

Constituição Federal de 1988 Artigo 196 Sistema Único de Saúde e a enfermagem na assistencia ambulatorial; na assistencia hospitalar com ênfase na 8º. ENCONTRO DO CONSELHO REGIONLA DE ENFERMAGEM DO PIAUI SAÚDE Direito de todos e Dever do Estado Constituição Federal de 1988 Artigo 196 Sistema Único de Saúde e a enfermagem na assistencia ambulatorial;

Leia mais

Avaliação da Eficácia e da Eficiência da Fundação Hemominas na Execução da Política do Sangue no Estado de Minas Gerais

Avaliação da Eficácia e da Eficiência da Fundação Hemominas na Execução da Política do Sangue no Estado de Minas Gerais Avaliação da Eficácia e da Eficiência da Fundação Hemominas na Execução da Política do Sangue no Estado de Minas Gerais Autoria: Júnia G.M. Cioffi, Telma Maria Gonçalves Menicucci Resumo O estudo tem como

Leia mais

hemorrede nacional hemoglobinopatias

hemorrede nacional hemoglobinopatias Perspectiva Foco Estratégico Estratégia Projetos Descrição do Projeto Resultado Esperado Gestor Prazo SOCIEDADE Credibilidade do serviço Satisfação dos doadores e usuários da Atendimento integral aos portadores

Leia mais

A PolíticA que faz muitos brasileiros voltarem A sorrir.

A PolíticA que faz muitos brasileiros voltarem A sorrir. A PolíticA que faz muitos brasileiros voltarem A sorrir. POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL PROGRAMA BRASIL SORRIDENTE Durante anos a Odontologia esteve à margem das políticas públicas de saúde. O acesso

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico. Qualificação: Sem certificação técnica

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico. Qualificação: Sem certificação técnica Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos - SP Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Fundação Instituída nos termos da Lei nº 5.152, de 21/10/1966 São Luís - Maranhão. CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CLÍNICO- CIRÚRGICA NA MODALIDADE DE RESIDÊNCIA (Aprovado em caráter permanente pela Resolução Nº 198/2001 CONSEPE) EDITAL PPPG Nº. 38/2010 A PRÓ-REITORIA DE PESQUISA

Leia mais

Portaria GM/MS n.º 263, de 5 de fevereiro de 2002.

Portaria GM/MS n.º 263, de 5 de fevereiro de 2002. Portaria GM/MS n.º 263, de 5 de fevereiro de 2002. O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: a magnitude e a transcendência das hepatites virais, as quais configuram um grave

Leia mais

Caro(a)s voluntário(a)s. é

Caro(a)s voluntário(a)s. é Os Caro(a)s voluntário(a)s. é com satisfação que apresentamos cinco na temática do empreendedorismo que vocês poderão implementar junto aos alunos das escolas parceiras: Introdução ao Mundo dos Negócios,

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CAPACITAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA PARA ESTUDANTES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM

RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CAPACITAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA PARA ESTUDANTES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM RELATO DE EXPERIÊNCIA SOBRE CAPACITAÇÃO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA PARA ESTUDANTES E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM MOTA 1, Carla Pimentel; FARIAS 2, Creusa Ferreira; PEDROSA 3, Ivanilda Lacerda 1 Aluno bolsista;

Leia mais

02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP

02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP 02 a 05 de junho de 2009 Expo Center Norte - SP Eventos Oficiais: 0 A Saúde Rompendo Paradigmas para o Crescimento Sustentável Profissionalização na Gestão da Saúde Suplementar Governança Corporativa no

Leia mais

O desafio é A Segurança do Paciente

O desafio é A Segurança do Paciente O desafio é A Segurança do Paciente CAISM - Fevereiro de 2011: Implantação do Segundo Desafio Global Cirurgias Seguras Salvam Vidas Profª Drª Roseli Calil Enfº Adilton Dorival Leite Conhecendo um pouco

Leia mais

6.667 hospitais espalhados pelo Brasil* 3,5 milhões de profissionais da saúde atuam hoje na área da saúde 496 mil leitos hospitalares

6.667 hospitais espalhados pelo Brasil* 3,5 milhões de profissionais da saúde atuam hoje na área da saúde 496 mil leitos hospitalares PROJETO PROMOVENDO CULTURA NOS HOSPITAIS - 2016 O PROBLEMA A fragilidade da humanização no ambiente hospitalar. O CONTEXTO 6.667 hospitais espalhados pelo Brasil* 3,5 milhões de profissionais da saúde

Leia mais

PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE SAÚDE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ACS DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO

PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE SAÚDE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ACS DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE SAÚDE SELEÇÃO PÚBLICA SIMPLIFICADA AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ACS DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO Não deixe de preencher as informações a seguir: NOME Nº DE IDENTIDADE

Leia mais

A ATUAÇÃO DA ASSISTENTE SOCIAL NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FACULDADE 1

A ATUAÇÃO DA ASSISTENTE SOCIAL NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FACULDADE 1 A ATUAÇÃO DA ASSISTENTE SOCIAL NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FACULDADE 1 Vanice Maria Schaedler 2 INTRODUÇÃO: A profissão do Serviço Social é regulamentada pela Lei nº 8.662/93, sendo o seu exercício profissional

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO N 199, DE 20 DE OUTUBRO DE 2001, SEÇÃO 1, PÁG. 2

Leia mais

Requisição incompleta, inadequada ou ilegível não será aceita pelo Serviço de Hemoterapia

Requisição incompleta, inadequada ou ilegível não será aceita pelo Serviço de Hemoterapia 1 1 - REQUISIÇÃO DE HEMOCOMPONENTES A enfermagem deve checar se a requisição de transfusão (MA5-036) foi preenchida corretamente, em duas ou mais vias, com os seguintes itens: - Nome completo do paciente

Leia mais

ANEXO I REGIME DE TRABALHO REMUNERAÇÃO

ANEXO I REGIME DE TRABALHO REMUNERAÇÃO PORTARIA CONJUNTA SAD/HEMOPE Nº 63, 2/7/29 ANEXO I a) QUADRO, e Lotação: Diretoria de Hemoterapia ESPECIALIDA NECESSIDAS ESPECIAIS Tec. Laboratório Diarista 4, 3 4 Tec. Laboratório Plantonista 52, 3 4

Leia mais

ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL)

ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL) ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL) PROPOSTAS PARA SAÚDE Temos plena convicção de que uma ambulância com destino à capital não pode ser considerada como um tratamento

Leia mais

AGENDA DA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

AGENDA DA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL AGENDA DA PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Ações do Ministério da Saúde Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição CGAN/ DAB / SAS Ministério da Saúde Encontro com Referências Estaduais de Alimentação

Leia mais

PROGRAMAS/ EVENTOS / PROJETOS/ AÇÕES DO HOSPITAL

PROGRAMAS/ EVENTOS / PROJETOS/ AÇÕES DO HOSPITAL PROGRAMAS/ EVENTOS / PROJETOS/ AÇÕES DO HOSPITAL A AEBES/Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves HEJSN, promove anualmente eventos relacionados às datas comemorativas: aniversário do hospital, páscoa,

Leia mais

Mobilização Social. Núcleo de Mobilização Social da Assessoria de Comunicação Social - SES/MG

Mobilização Social. Núcleo de Mobilização Social da Assessoria de Comunicação Social - SES/MG Mobilização Social 2013 Núcleo de Mobilização Social da Assessoria de Comunicação Social - SES/MG Mobilizar é convocar vontades para atuar na busca de um propósito comum, sob uma interpretação e um sentido

Leia mais

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es).

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es). O IDOSO INSTITUCIONALIZADO COMO FOCO DE SUA ATENÇÃO RELATO DE EXPERIÊNCIA BERGAMO, Vinicius M. 1 DALL AGNOL, Crístyan C. 2 PIMENTEL, Cauê F. 3 PAZ, Késia M. R. 4 RUPOLO, Denize. J. 5 UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Campanha Internacional de Solidariedade IDEA 2010

Campanha Internacional de Solidariedade IDEA 2010 IDEA VII Congresso Mundial 3-11 Julho 2010 Viva a diversidade viva! Abraçando as Artes de Transformação Campanha Internacional de Solidariedade IDEA 2010 Associação Internacional de Drama/Teatro e Educação

Leia mais

Objetivo do Curso. Oportunidade. Carga horária e duração. Processo Seletivo

Objetivo do Curso. Oportunidade. Carga horária e duração. Processo Seletivo Pós-Graduação 1ª Gerência em Gestão Empresarial e Marketing Público-alvo Indicado para recém-formados e jovens profissionais. Objetivo do Curso Capacitação gerencial em geral, com ênfase na área de Marketing,

Leia mais

ADITIVO 01 AO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N 001/2015

ADITIVO 01 AO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N 001/2015 ADITIVO AO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N 1/25 O Prefeito Municipal de São João Nepomuceno MG, faz saber que fica alterado o Edital de Processo Seletivo Público da seguinte forma: O quadro de vagas

Leia mais

O CONHECIMENTO COMO INSTRUMENTO NO INCENTIVO A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS HUMANOS

O CONHECIMENTO COMO INSTRUMENTO NO INCENTIVO A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS HUMANOS RELATO DE EXPERIÊNCIA O CONHECIMENTO COMO INSTRUMENTO NO INCENTIVO A DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS HUMANOS Carolini Piovesan 1 ; Claudete Adriana Moretti 1 ; Elise Berra 1 ; Gabriela Santana Lemos 1 ; Marciane

Leia mais

Pesquisa de Satisfação da Qualidade de Atendimento dos serviços oferecidos aos prestadores da operadora

Pesquisa de Satisfação da Qualidade de Atendimento dos serviços oferecidos aos prestadores da operadora Pesquisa de Satisfação da Qualidade de Atendimento dos serviços oferecidos aos prestadores da operadora Julho de 2011 OBJETIVO Avaliar a satisfação da qualidade do atendimento dos serviços oferecidos aos

Leia mais