CÉLULAS-TRONCO REVISTA DA LITERATURA STEM CELLS LITERATURA REVIEW

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÉLULAS-TRONCO REVISTA DA LITERATURA STEM CELLS LITERATURA REVIEW"

Transcrição

1 363 CÉLULAS-TRONCO REVISTA DA LITERATURA STEM CELLS LITERATURA REVIEW Filipe HILLE * Elaine Dias Do CARMO ** Clóvis MARZOLA *** * Graduação em Odontologia, atuando na área de Clínica Geral e Odontopediatria. Pós-graduando em Odontopediatria realiza tratamento de gestantes e neonatos por meio de pré-natal odontológico e tratamentos preventivos. Curso de extensão universitária em Ciências Forenses aplicada à Odontologia Legal. Auditoria Odontológica através da Universidade de São Paulo. Curso de Odontologia Hospitalar do Hospital Sírio Libanês de São Paulo. Curso de extensão em Bases Moleculares do Câncer. Curso de Urgências e Emergências em Odontologia pela Universidade de São Paulo. Atualmente se dedica à pesquisa científica em Odontologia, atuando nos temas de Ética, Células-tronco de dentes decíduos, Processos Patológicos Gerais, Patologia Bucal, Glândulas Salivares e Metotrexato. ** Possui graduação em Odontologia pela Universidade de Mogi das Cruzes (1998), Mestrado (2004) e Doutorado (2007) em Biopatologia Bucal pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (FOSJC-UNESP). Professora Doutora do curso de Odontologia das Faculdades Metropolitanas Unidas. Realiza projetos nas áreas de carcinogênese e plantas medicinais. *** Professor Titular de Cirurgia Aposentado da Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo. Professor dos Cursos de Especialização e Residência da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD) Regional de Bauru, do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia Buco Maxilo Facial. Membro Titular Fundador do Colégio Brasileiro de Cirurgia e Traumatologia BMF. Membro Titular e Presidente da Academia Tiradentes de Odontologia. Conselheiro da Câmara Brasileira de Cultura e da Academia de Artes e Ciências da CBC. Membro Titular da Academia Brasileira de Odontologia.

2 364 RESUMO Nos dias atuais com os avanços da engenharia tecidual o intuito da terapêutica com células-tronco é desenvolver a terceira dentição a partir de destas células. O presente trabalho teve como objetivo mostrar por meio da revista da literatura o papel das células-tronco nos avanços da Odontologia em relação à terceira dentição e à regeneração de tecidos bucais. O levantamento bibliográfico evidenciou as metodologias e resultados obtidos de estudos com células-tronco na Odontologia de 2006 a Estudos dos últimos anos mostraram que célulastronco de polpa dentária e do ligamento periodontal de dentes decíduos e permanentes são capazes de se diferenciar em vários tipos de linhagens celulares, originando tanto os tecidos moles como os tecidos mineralizados de origem odontogênica. Diante disso, pode-se concluir que a terapêutica com células-tronco torna-se uma promissora ferramenta no desenvolvimento da terceira dentição que será um marco na Odontologia do futuro. ABSTRACT Nowadays with the advances in tissue engineering the purpose of stem cell therapy is to develop a third set of teeth from these cells. This work aimed to show through literature review the role of stem cells in advances in dentistry over the third dentition and oral tissue regeneration. The literature survey revealed the methodologies and results of studies with stem cells in dentistry from 2006 to Studies in recent years have shown that stem cells from dental pulp and periodontal ligament of deciduous teeth and permanent teeth are capable of differentiating into various types of cell lines that originate both soft tissues such as odontogenic mineralized tissues. Thus, it can be concluded that therapy with stem cell becomes a promising tool in the development of the third set of teeth that will be a milestone in the future of dentistry. UNITERMOS: Células-tronco; Engenharia tecidual; Terceira dentição; Polpa dentária. UNITERMS: Stem cells; Tissue engineering; Third dentition; Dental pulp. INTRODUÇÃO A ausência dos dentes pode ser superada pela colocação de implantes e com a confecção de próteses, que tentam ao máximo, devolver a função mastigatória ao indivíduo. Apesar dos avanços da Odontologia, ainda não é possível devolver ao paciente, um elemento dentário capaz de substituir de maneira plena os tecidos biológicos perdidos (HAU; LOPES; BALDANI et al., 2006). Atualmente, há um empenho na área científica, na tentativa de se desenvolver um elemento dental, capaz de ser tão funcional quanto o que foi perdido. Assim como as células se organizam, para formar tecidos, estes mesmos fenômenos ocorrem, quando o objetivo é a formação dos elementos dentários (HAU; LOPES; BALDANI et al., 2006).

3 365 Os dentes possuem um processo de formação muito complexo e minucioso realizado por células especializadas. A formação dos dentes é alvo de muitos estudos e discussões na literatura, devido à sua grande riqueza de detalhes e processos envolvidos. Desta maneira, surgem grandes expectativas, para se criar uma terceira dentição em seres humanos, revolucionando a Odontologia, que começa a ser chamada de Odontologia do Futuro (SARDEMBERG; TELLERMAN; BORGES et al., 2012). O presente trabalho tem como objetivo mostrar por meio da revista da literatura o papel das células-tronco nos avanços da Odontologia em relação à terceira dentição e a regeneração de tecidos bucais. REVISTA DA LITERATURA A pergunta de muitos estudiosos e pesquisadores, envolvidos na área da Biologia Molecular e da Engenharia Tecidual é: - Se os tecidos são capazes de se desenvolver perfeitamente, a partir de células-tronco, desempenhando função, seria possível desenvolver um novo elemento dental? (CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009). As células-tronco são células indiferenciadas ou com baixo grau de diferenciação encontrado em tecidos embrionários ou extraembrionários (SOUZA; LIMA; REIS et al., 2003). Apresentam capacidade de diferenciação e de auto renovação ilimitada, podendo dar origem a uma grande variedade de tipos teciduais (VOGEL, 2000 e CAVALCANTI; CAMPOS; NÖR et al., 2011). Desta maneira, a Engenharia Tecidual está embasada na utilização destas células, de matrizes biocompatíveis e de moléculas bioativas, fatores de crescimento, responsáveis pelos sinais morfogênicos dos tecidos. Atualmente os estudos avançam em busca de uma nova modalidade terapêutica baseada na engenharia de tecidos. (CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009 e CAVALCANTI; CAMPOS; NÖR et al., 2011). Existem dois tipos de células-tronco, as embrionárias e aquelas adultas. As células-tronco embrionárias são derivadas de embriões, exibindo grande potencial de crescimento e diferenciação celular. (SOUZA; LIMA; REIS et al., 2003; SARDEMBERG; TELLERMAN; BORGES et al., 2012 e MACHADO; SANTOS JÚNIOR, 2013). Há uma grande polêmica na utilização de células-tronco embrionárias, pois para se obtiver, infelizmente, ocorre a destruição do embrião, especificamente de um blastocisto, um embrião de cinco dias. Algumas culturas e religiões atribuem ao embrião humano, desde o momento da fecundação, o status de vida, com todos os direitos de uma pessoa já nascida, sendo sua destruição inaceitável. No Brasil, o uso do embrião humano congelado para fins de pesquisa, foi regulamentado pela Lei de 24 de março de Vale ressaltar que, trabalhar com células-tronco não é uma tarefa fácil e cabe a nós estudar a sua relação com a ética e bioética antes de atuar. (PERIN; DOHMANN; BOROJEVIC et al., 2003 e ODA; GESUALDO; CASTILHO, 2011). As células-tronco adultas, que estão presentes em vários órgãos e tecidos no indivíduo adulto, participam da homeostase tecidual, gerando novas células, devido à sua própria renovação fisiológica, como também em resposta a uma injúria (PEREIRA, 2008). Apresentam um grande potencial terapêutico, no tratamento de diabetes, doenças autoimunes, na hematologia, na oftalmologia e, na regeneração de lesões decorrentes de acidentes (CARMO; SANTOS JR, 2014).

4 366 O sangue de cordão umbilical humano é rica fonte em células-tronco hematopoiéticas e mesenquimais que são elementos de extrema importância na terapêutica para regenerar tecidos e órgãos afetados por doenças hematológicas, cardíacas, ortopédicas, reumatológicas e oncogênicas, principalmente nos casos de pacientes que não apresentam doadores compatíveis. Assim, foram criados os bancos de sangue especializados, devido ao avanço na utilização das células-tronco do cordão umbilical (KAWASAKI-OYAMA; BRAILE; CALDAS, 2008; OLIVEIRA; SILVA; 2009; MACHADO; SANTOS JR, 2013) (Fig. 1). Fig. 1 - Imagem que mostra os elementos necessários para a constituição de uma terceira dentição em seres humanos. Fonte Acervo do Dr. Filipe Hille. Na área Odontológica, as células-tronco presentes no ligamento periodontal apresentam potencialidade para formar tecido ósseo, cemento e ligamento periodontal, podendo desta maneira, regenerar tecidos periodontais (AMORMINO; COSTA; ALBUQUERQUE et al., 2012). Estudos mostram que as células-tronco da polpa dentária são semelhantes àquelas encontradas no cordão umbilical. Assim, a polpa tem sido alvo de estudos para o desenvolvimento da terceira dentição em humanos, pois fornece células progenitoras podendo se diferenciar em linhagens celulares de origem mesenquimal, como polpa, dentina, osso alveolar, possibilitando assim, a construção de um novo dente (KOLYA; CASTANHO, 2007; CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009; CAVALCANTI; CAMPOS; NÖR et al., 2011 e MACHADO; SANTOS JR, 2013). Para isso, também, é imprescindível a presença de estruturas tridimensionais de suporte celular chamadas de scaffolds. São matrizes ou arcabouços que criam uma base para orientar a arquitetura tecidual e, a deposição de substâncias indutoras do crescimento e da diferenciação tecidual (DALTOÉ; MIGUITA; MANTESSO, 2010). Os scaffolds podem ser biológicos ou sintéticos, biodegradáveis ou permanentes. Scaffolds contendo componentes inorgânicos, como, hidroxiapatita e fosfato de cálcio, são usualmente empregados na neoformação óssea guiada (JADLOWIEC; CELIL; HOLLINGER, 2005). Matrizes a base de polímeros biodegradáveis serviram para a engenharia de estruturas dentais com características muito similares à coroa de dentes naturais (YOUNG et al., 2002).

5 367 As células mesenquimais indiferenciadas são consideradas um reservatório de onde se derivam as células do tecido conjuntivo da polpa e, de acordo com estímulos, podem originar odontoblastos, fibroblastos, cementoblastos, osteoblastos e, outras células envolvidas no desenvolvimento dentário (LOZANO; INSAUSTI; INIESTA, 2012). O tecido pulpar é também reconhecido devido a sua grande capacidade de reparo, através da formação de uma barreira mineralizada nos locais onde houve exposições pulpares após o capeamento direto. Diversos fatores exercem papel fundamental nos eventos de formação e reparação do complexo dentino-pulpar. As proteínas formadoras da matriz extracelular, como colágeno tipo I, colágeno tipo III, fibronectina, tenascina e, fatores de crescimento exercendo um grande destaque nestes processos (CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009). As células-tronco são capazes de se diferenciar em fibroblastos, que por sua vez colaboram de forma direta na formação de um novo dente, sendo responsáveis pela elaboração do colágeno, um dos produtos mais abundantes do dente, ricamente encontrado na polpa, dentina, cemento, osso alveolar, ligamento periodontal e, em menores quantidades no esmalte. As células mesenquimais da polpa são capazes de se diferenciar em odontoblastos, responsáveis pela formação do tecido mais abundante do elemento dentário, a dentina. A diferenciação dos odontoblastos ocorre a partir da expressão de moléculas sinalizadoras e fatores de crescimento (ARANA; KATCHBURIAN, 2012). Culturas de células-tronco mesenquimais derivadas de medula óssea, depositadas sobre plataformas de hidroxiapatita e, sobre cerâmica de cálcio, poderiam ser utilizadas no tratamento de defeitos críticos em fêmures de cães (BRUDER et al., 1998). Como resultados de suas pesquisas, constataram rápido desenvolvimento de tecido ósseo ao redor dos implantes e, retorno da função do membro (MONTEIRO et al., 2009). Estudos realizados em roedores mostraram a diferenciação de célulastronco em ameloblastos. Tem sido demonstrado que as células-tronco estão localizadas no germe dentário, tanto no epitélio quanto no ectomesênquima subjacente. Os incisivos de ratos, de crescimento contínuo, mantêm as célulastronco epiteliais na alça cervical, durante toda vida do animal, sendo responsáveis por um sistema regulatório específico e contínuo de produção de esmalte (HARADA; KETUNEN; JUNG, 1999). Foi demonstrada a capacidade de diferenciação celular das célulastronco pulpares, analisando transplantes autógenos de células pulpares de dentes de porcos, cultivadas e associadas com BMP2 recombinante humana, que foi utilizada como sinal morfogenético com a finalidade de estimular a diferenciação dessas células (IOHARA; NAKASHIMA; ITO et al., 2004). As células-tronco do ligamento periodontal implantadas em camundongos germ free são capazes de produzir estruturas similares ao cemento e ligamento periodontal humano. A cementogênese, também, poderá ocorrer a partir da diferenciação de células-tronco em cementoblastos, secretando a matriz cementóide e, recebem depósitos minerais, formando assim, o cemento radicular (SARDEMBERG; TELLERMAN; BORGES et al., 2012). Análises imuno histoquímicas demonstraram que as células-tronco do ligamento periodontal expressam uma série de marcadores cementoblástios e osteoblásticos (SOARES, 2007) e, assim quando estimuladas apropriadamente, podem se diferenciar em

6 368 direção a um fenótipo de osteoblasto ou cementoblasto, promovendo a formação de osso e cemento (BEERTSEN; MCCOLLOCH; SODEK, 1997). O ligamento periodontal humano, também, contém uma população de células-tronco multipotentes pós-natais, que podem ser isoladas e expandidas in vitro. Em meios de cultura apropriados, podem diferenciar-se em células semelhantes a cementoblastos, adipócitos e, células formadoras de colágeno. Quando transplantadas para roedores imuno comprometidos, estas células mostram a capacidade de gerar uma estrutura semelhante a cemento e ligamento periodontal, além de contribuir para o reparo dos tecidos periodontais (SEO; MIURA; GRONTHOS et al., 2004). As estratégias de engenharia tecidual para a regeneração periodontal deve explorar a capacidade regenerativa das células-tronco residentes no periodonto e, seu crescimento em uma estrutura tridimensional, com a subsequente implantação sendo assim, possível criar uma nova estrutura dental que seja totalmente funcional (CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009). DISCUSSÃO O uso de células-tronco permitirá tratar de condições e doenças da cavidade oral e do complexo craniofacial que atualmente são intratáveis. Para isso, os autores acreditam que clínicos e pesquisadores terão que se familiarizar com conceitos básicos de biologia celular e molecular para terem condições de aplicar tecnologias avançadas de tratamento em um futuro próximo. Acredita-se que o terceiro dente será o grande marco que construirá o começo de uma nova odontologia (CAVALCANTI; CAMPOS; NÖR et al., 2011). Estudos têm isolado células altamente proliferativas derivadas da polpa dentária. Foi constatado que estas células são multipotentes, possuindo a capacidade de auto renovação podendo se diferenciar em diversos tipos celulares de origem odontogênica. O estudo de células-tronco relaciona-se com a odontologia a cada dia que passa e novas perspectivas surgem no meio científico (SOARES; KNOP; DE JESUS et al., 2007). As células mesenquimais da polpa dental é foco dos pesquisadores nos dias atuais que buscam desenvolver o terceiro dente biologicamente funcional. A capacidade das células multipotentes do órgão pulpar são magníficas, prometendo revolucionar a Odontologia (LOZANO; INSAUSTI; INIESTA, 2012). Apesar das excelentes perspectivas ainda não foram obtidos ensaios clínicos em humanos sobre o desenvolvimento de um novo dente, porém já se sabe que com os avanços das pesquisas envolvendo células-tronco e, com o aprimoramento de técnicas de manipulação gênica, possa-se desenvolver em breve um dente totalmente funcional baseando-se em células estaminais. O presente trabalho revisou artigos atuais verificando a grande quantidade de novas descobertas (DALTOÉ; MIGUITA; MANTESSO, 2010). Com os avanços das novas tecnologias, em um futuro próximo os pacientes poderão melhorar suas condições de vida e função mastigatória através de novas modalidades terapêuticas a partir de células-tronco. A engenharia tecidual nos últimos anos visa o desenvolvimento de estruturas dentais idênticas àquelas que foram perdidas e, para que isso seja possível, o órgão pulpar assim como o ligamento periodontal são estudados profundamente por cientistas. Já se sabe que as células-tronco destes tecidos são capazes de se diferenciar em todas as linhagens odontogênicas. Do ponto de vista internacional, verificou-se que os

7 369 cientistas se preocupam em desenvolver novas estratégias para estudar as célulastronco e aplicá-las na odontologia baseada em evidências (CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009). A regeneração de um novo dente não é algo tão simples, uma vez que os processos que envolvem a neoformação dentária são de natureza complexa e, não totalmente compreendida por estudiosos (CARMO; SANTOS JR, 2014). Em um estudo in vitro, células-tronco mesenquimais de medula óssea e polpa dental se diferenciaram em linhagens osteogênicas, condrogênicas (SOARES; KNOP; DE JESUS et al., 2007). Estudos in vitro, também, foram efetuados e verificaram que, células da polpa dental de terceiros molares são capazes de se diferenciar em linhagens odontogênicas e miogênicas. Observa-se ainda nesse trabalho que, a polpa dental é um tecido rico e valioso para os estudos com células-tronco. (ZHANG; WALBOOMERS; SHI et al., 2006). Pesquisas foram efetuadas com a polpa apical de terceiros molares e, com isso, pode verificar in vitro, a capacidade de se diferenciar em adipócitos, condroblastos e células neurais. A maior parte do elemento dental é constituída por dentina, um tecido de natureza colagenosa com elevado conteúdo orgânico rico em terminações nervosas e prolongamentos de odontoblástos (SUCHÁNEK; SOUKUP; IVANCAKOVÁ et al., 2007). Pesquisas in vitro mostraram que as células-tronco de dentes decíduos esfoliados podem originar uma nova linhagem odontoblástica (CASAGRANDE; LAUXEN; FERNANDES et al., 2009). As células do ligamento periodontal e sua capacidade de manutenção foram estudadas e, observaram que o ligamento periodontal implantado em camundongos produziu estruturas similares ao cemento e ligamento periodontal humano (SARDENBERG; TELLERMAN; BORGES et al., 2012). A polpa de dentes decíduos foi estudada in vitro e, apontaram a presença de células-tronco que se diferenciavam em células de origem epitelial (NAM; LEE, 2009). As células-tronco de dentes decíduos podem se diferenciar em odontoblastos maduros, adipócitos e células neurais (SOARES; KNOP; DE JESUS et al., 2007). Estudos in vitro e in vivo, demonstraram que a polpa dental de terceiros molares humanos apresentam células-tronco com alta capacidade proliferativa, originando por completo o complexo dentina-polpa (GRONTHOS et al., 2000). Trabalhos foram realizados com células-tronco localizadas no epitélio odontogênico e mesênquima não odontogênico e, como resultado obtiveram dentes histológica e clinicamente iguais aos dentes naturais que continuaram o desenvolvimento quando implantados em diastema interincisivo de rato (MODINO; SHARPE, 2005). Ao realizar estudos in vitro, foi verificado que a polpa dentária e ligamento periodontal de camundongo e linhagem de células epiteliais apresentam células-tronco que originaram uma estrutura semelhante a dentes (esmalte e ameloblastos) (CAI; HUANG; LEUNG et al., 2013). A polpa dentária de dentes de murinos foi averiguada e, comprovaram que tais células são capazes de originar uma mistura de células de sistema nervoso central e sistema nervoso periférico (ELLIS; CARROLL; LEWIS et al., 2014). Ainda não se sabe quando, porém, através de estudos recentes podese ter a certeza de que uma nova modalidade terapêutica a partir de células-tronco está mais próxima do que se pode imaginar, proporcionando aos pacientes melhor qualidade de vida, além de promover ainda mais a Odontologia.

8 370 Artigo Tipo de estudo Localização das células ZHANG, 2006 Experimental in vitro Polpa de terceiros molares após criopreservação Estruturas formadas Linhagens de células odontogênicas, osteogênicas, condrogênicas e miogênicas SUCHÁNEK et al., 2007 Experimental in vitro Polpa apical de terceiros molares Adipócitos, condroblastos e células neurais LI et al., 2008 Experimental in vivo Papila dentária de dentes de ratos NAM; LEE, 2009 Experimental in vitro Polpa de dentes decíduos CASAGRANDE, 2010 Experimental in vitro Células-tronco de dentes decíduos esfoliados Cemento e ligamento periodontal Células epiteliais Odontoblastos DE JESUS et al., 2011 Experimental in vitro Tecido pulpar de dentes decíduos Deposição de cálcio em meio osteogênico e acúmulos lipídicos em meio adipogênico SARDEMBERG et al., 2012 Experimental in vivo Ligamento periodontal implantadas em camundongos Produzem estruturas similares cemento e ligamento periodontal humano. CAI et al., 2013 ELLIS et al., 2014 Experimental in vitro Experimental in vivo Polpa dentária e ligamento periodontal de camundongo e linhagem de células epiteliais Polpa dental de murino Estrutura semelhante a dentes (esmalte e ameloblastos) Mistura de células de sistema nervoso central e sistema nervoso periférico Tabela 1 - Achados bibliográficos dos últimos dez anos. Fonte Acervo do Dr. Filipi Hille. CONCLUSÕES Estudos dos últimos anos mostraram que células-tronco de polpa dentária e de ligamento periodontal de dentes decíduos e dentes permanentes são capazes de se diferenciar em vários tipos de linhagens celulares, que originam tanto os tecidos moles como os tecidos mineralizados de origem odontogênica. Diante disso, pode-se concluir que a terapêutica com células-tronco torna-se uma promissora ferramenta no desenvolvimento da terceira dentição que será um marco na Odontologia do futuro. REFERÊNCIAS * AMORMINO, S. A. F.; COSTA, L. C. M.; ALBUQUERQUE, B. N. et al., Célulastronco e regeneração periodontal. Perio. News, v. 6, n. 3, p , 2012.

9 371 ARANA, V.; KATCHBURIAN, E. Histologia e embriologia oral. Texti, atlas e correlações clínicas. 3ª ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, BEERTSEN, W.; MCCOLLOCH, C. A.; SODEK, J. The periodontal ligament: a unique, multifunctional connective tissue. Periodontol., v. 23, n. 4, p , BRUDER, S. R. et al., Mesenchymal stem cells in osteobiology and applied bone regeneration. Clin. Orthop. Related Res., v. 355, p , CAI, Y. J.; HUANG, L.; LEUNG, T. Y. et al., A study of the immune properties of human umbilical cor lining epithelial cells. Elsevier Inc., v. 16, n. 5, p , CARMO, D. D. D.; SANTOS JR, A. R. Aplicação clínica de células-tronco adultas. Dep. Ciên. UFAC, v. 9, n. 3, p. 1-3, CASAGRANDE, L.; LAUXEN, I. S.; FERNANDES, M. I. O emprego da engenharia tecidual na odontologia. Rev. Fac. Odontol., v. 50, n. 1, p. 20-3, jan., CASAGRANDE, L.; DEMARCO, F. F.; ZHANG, Z. et al., Dentin-derived BMP-2 and odontoblast differentiation. J. dent. Res., v. 89, n. 6, p , CAVALCANTI, B. N.; CAMPOS, M. S.; NÖR, J. E. Células-tronco na saúde e na doença. Rev. Assoc. paul. Cir. Dent., v. 65, n. 2, p. 92-7, DALTOÉ, F. P.; MIGUITA, L.; MANTESSO,. Terceira dentição: uma visão geral do seu desenvolvimento. Rev. gaúcha Odont., v. 58, n. 3, p , DE JESUS, A. A.; SOARES, M. B. P.; SOARES, A. P. et al., Coleta e cultura de células-tronco obtidas da polpa de dentes decíduos: Técnica e relato de caso clínico. J. Orthod., v. 16, n. 6, p , ELLIS, K. L. M.; CARROLL, D. C. O.; LEWIS, M. D. et al., Neurogenic potential of dental pulp stem cells isolated from murine incisors. Stem Cell Res. Ther., v. 5, n. 30, p , HARADA, H.; KETUNEN, P.; JUNG, H. S. Localization of putative stem cells in dental epithelium and their association with Notch and FGV signaling. J. Cell Biol., v. 147, n. 1, p , HAU, G. R.; LOPES, C. M. L.; BALDANI, M. H. et al., Levantamento preliminar sobre a possibilidade de obtenção de dentes de reposição a partir de células-tronco. Cien. Biol. Saúde. v. 12, n. 2, p , jun., IOHARA, K.; NAKASHIMA, M.; ITO, M. et al., Dentin regeneration by dental pulp stem cell therapy whit recombinant human bone morphogenetic protein 2. J. Dent. Res. Alexandria, v. 83, n. 8, p , JADLOWIEC, J. Á,; CELIL, A. B.; HOLLINGER, J. O. Bone tissue engineering: recent advances and promising therapeutic agents. Expert. Opin. Biol. Ther., v. 3, n. 3, p , KAWASAKI-OYAMA, R. S.; BRAILE, D. M.; CALDAS, H. C. Blood mesenchymal stem cell culture from the umbilical cord with and without Ficoll-Paque density gradient method. Rev. brasil. Cir. Cardiovas, v. 23, n. 1, p , KOLYA, C. L.; CASTANHO, F. L. Células-tronco e a odontologia. Com. Scient. Saúde, v. 6, n. 1, p , LI, Y.; JIN, F.; DU, Y. et al., Cementum and periodontal ligament-like tissue formation induced using bioengineered dentin. Tissue Eng. Part A, v. 14, n. 10, p , LOZANO, F. J. R.; INSAUSTI, C. L.; INIESTA, F. Mesenchymal dental stem cells in regenerative dentistry. Med. oral Patol. Cir. Bucal, v. 17, n. 6, p , MACHADO, L.; SANTOS, A. R. Stem cells and cell therapy: From basic sciences to clinical perspectives. J. Biomed. Scien. Engen., v. 10, n. 6, p , NAM, H.; LEE, G. Identification of novel epithelial stem cell-like cells in human deciduous dental pulp. Biochem. Biop. Res. Com., v. 386, n. 1, p , 2009.

10 372 ODA, J. Y.; GESUALDO, A. P.; CASTILHO, M. A. S. Implicações éticas e legais na utilização de células-tronco embrionárias no Brasil. Arq. Ciên. Saúde, v. 10, n. 2, p , PERIN, C.; DOHMANN, H. F.; BOROJEVIC, R. et al., Transendocardial autologous boné marrow cell transplantation for severe, chronic ischemic heart failure. Circulation, v. 107, p , PEREIRA, L. V. A importância do uso de células-tronco para a saúde pública, Ciência e saúde coletiva, v. 13, n. 1, p. 7-14, SARDENBERG, C.; TELLERMAN, B.; BORGES, L. C. et al., Perspectivas na regeneração periodontal com a terapia de células-tronco. Braz. J. Periodontol., v. 22, n. 3, p , set., SEO, B. M.; MIURA, M.; GRONTHOS, S. et al., Investigation of multipotente postnatal stem cells from human periodontal ligament. Lancet, v. 374, p , SOARES, A. P.; KNOP, L. A. H.; DE JESUS, A. A. et al., Células-tronco em Odontologia. Rev. dent. Press Ortodon. Ortop. Facial, v. 11, n. 1, p. 1-8, SOUZA, V. R.; LIMA, L. M. C.; REIS, S. A. A. et al., Células-tronco: Uma breve revisão. Rev. Ci. Méd. biol., v. 2, n. 2, p , dez SUCHÁNEK, J.; SOUKUP, T.; IVANCAKOVÁ, R. et al., Human dental pulp stem cells-isolation and long term cultivation. Acta Medica, v. 50, n. 3, p , VOGEL, G. Can old cells learn new tricks? Science, Washington, v. 287, v. 9, p , YOUNG, C. S. et al., Tissue engineering of complex tooth structures on biodegradable polymers scaffolds. J. dent. Res., v. 81, n. 10, p , ZHANG, W.; WALBOOMERS, X. F.; SHI, S., et al., Multilineage differentiation potential of stem cells derived from human dental pulp after cryopreservation. Tissue Enge., v. 12, n. 10, p , * De acordo com as normas da ABNT e da Revista de Odontologia da ATO. o0o

DENTINOGÊNESE BANDA EPITELIAL CAVIDADE BUCAL PRIMITIVA. Morfologia II UNINOVE. Ü 22 o dia: formação da mb bucofaríngea. 2º Mês de V.I.U.

DENTINOGÊNESE BANDA EPITELIAL CAVIDADE BUCAL PRIMITIVA. Morfologia II UNINOVE. Ü 22 o dia: formação da mb bucofaríngea. 2º Mês de V.I.U. ODONTOGÊNESE Morfologia II UNINOVE ODONTOGÊNESE CAVIDADE BUCAL PRIMITIVA - ESTOMODEO GERME DENTÁRIO AMELOGÊNESE DENTINOGÊNESE DESENVOVIMENTO RADICULAR EMBRIOGÊNESE FACIAL RELEMBRANDO... Tecidos Embrionários

Leia mais

TERAPIA CELULAR: REVISÃO DE LITERATURA

TERAPIA CELULAR: REVISÃO DE LITERATURA TERAPIA CELULAR: REVISÃO DE LITERATURA SILVA, Marcos Vinícius Mendes 1 ; NOGUEIRA, José Luiz 1 ; 1 Mestrandos do Departamento de Cirurgia Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres - Faculdade

Leia mais

Questão de Vida ou Morte?

Questão de Vida ou Morte? Célula-Tronco: Questão de Vida ou Morte? III Seminário A Filosofia das Origens Fábio Juliano Pacheco, Ph.D. Laboratório de Biologia Celular, Molecular e Auto-Imunidade Centro Universitário Adventista de

Leia mais

Ana Carolina Faria Morandini 1, Carlos Ferreira Santos 2, Mário Taba Jr 3

Ana Carolina Faria Morandini 1, Carlos Ferreira Santos 2, Mário Taba Jr 3 R. Periodontia - Junho 2008 - Volume 18 - Número 02 FUNDAMENTOS E PRINCÍPIOS BIOLÓGICOS DA ENGENHARIA TECIDUAL EM PERIODONTIA REVISÃO DE LITERATURA Concepts and biological principles of periodontal tissue

Leia mais

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente CÉLULA - TRONCO São células com capacidade de autorenovação,eficiente proliferação, gerando células-filhas com as mesmas características fenotípicas da célula precursora e, ainda, com habilidade de gerar

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO DE ORIGEM DENTAL: CARACTERÍSTICAS E APLICAÇÕES NA MEDICINA E ODONTOLOGIA

CÉLULAS-TRONCO DE ORIGEM DENTAL: CARACTERÍSTICAS E APLICAÇÕES NA MEDICINA E ODONTOLOGIA CÉLULAS-TRONCO DE ORIGEM DENTAL: CARACTERÍSTICAS E APLICAÇÕES NA MEDICINA E ODONTOLOGIA STEM CELLS OF DENTAL ORIGIN: FEATURES AND APPLICATIONS IN MEDICINE AND DENTISTRY Carolina Ellen Spínola MACHADO 1

Leia mais

ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil

ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil ConScientiae Saúde ISSN: 1677-1028 conscientiaesaude@uninove.br Universidade Nove de Julho Brasil Lasakosvitsch Kolya, Cássia; Lasakosvitsch Castanho, Fernanda Células-tronco e a odontologia ConScientiae

Leia mais

USO DE CÉLULAS-TRONCO NA ODONTOLOGIA:

USO DE CÉLULAS-TRONCO NA ODONTOLOGIA: Braz J Periodontol - September 2014 - volume 24 - issue 03 USO DE CÉLULAS-TRONCO NA ODONTOLOGIA: realidade ou utopia? Use of stem cells in dentistry: reality or utopia? Renata dos Reis Feques 1, Samantha

Leia mais

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Florianópolis, Agosto 2004 Células-tronco O que são células-tronco e o que podemos fazer com elas? Qual a relação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO

A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO A UTILIZAÇÃO DA PROTEÍNA MORFOGENÉTICA RECOMBINANTE SINTÉTICA TIPO 2 PARA RECOSNTRUÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA. DESCRIÇÃO DA TÉCNICA E RELATO DE UM CASO AUTORES: André Zétola Rafaela Larson Introdução A procura

Leia mais

Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli

Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli Transplante Dental* Coordenador: MACEDO, Sérgio Bruzadelli LIMA, Richard Presley 1 ; DOS SANTOS, Mateus Veppo 2 ; DE MOURA, Cariacy Silva 3 ; GUILLEN, Gabriel Albuquerque 4 ; MELLO, Thais Samarina Sousa

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

células Vários tipos de

células Vários tipos de Células tronco Bioquímicas Maria Alice Vieira Willrich Adriana Helena Sedrez Patricia Bernardi Curso de Gestantes Unimed Brusque, 03 de setembro de 2007. O que são células tronco? Tipos de Células-Tronco

Leia mais

Transplantes dentários autógenos: uma solução para casos ortodônticos e uma casuística brasileira

Transplantes dentários autógenos: uma solução para casos ortodônticos e uma casuística brasileira I NSIGHT ORTODÔNTICO Transplantes dentários autógenos: uma solução para casos ortodônticos e uma casuística brasileira Alberto Consolaro*, Tiago Novaes Pinheiro**, João Batista Gagno Intra***, Armelindo

Leia mais

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria MEC nº 131 de 13.01.11, DOU de 17.01.11

CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria MEC nº 131 de 13.01.11, DOU de 17.01.11 Componente Curricular: HISTOLOGIA BUCO-DENTAL Código: ODO-007 Pré-Requisito: HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA HUMANA Período Letivo: 2013.1 CURSO DE ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria MEC nº 131 de 13.01.11,

Leia mais

ANATOMIA DO PERIODONTO

ANATOMIA DO PERIODONTO INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação DISCIPLINA DE PERIODONTIA ANATOMIA DO PERIODONTO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com 2012 PERIODONTO DE SUSTENTAÇÃO Ligamento

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso

Trabalho de Conclusão de Curso Trabalho de Conclusão de Curso Avaliação do conhecimento de graduandos em Odontologia da Universidade Federal de Santa Catarina sobre as células-tronco e suas aplicações Juliana Luz das Chagas Junckes

Leia mais

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin UPGRADE BIOLOGIA 2 Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco Prof. Diego Ceolin Desenvolvimento Embrionário Animal Divisões Divisões Cavidade (blastocele) celulares celulares Ovo Gastrulação Mórula

Leia mais

APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS

APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS Garantir o futuro da saúde do seu filho com Patrícia SEGURANÇA Cruz e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia

Leia mais

Células tronco: Medicina Regenerativa

Células tronco: Medicina Regenerativa Claudia M. C. Batista Instituto de Ciências Biomédicas Programa de Bioengenharia Tecidual Universidade Federal do Rio de Janeiro Células tronco: Perspectivas na Medicina Regenerativa Célula-tronco É a

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

Células-tronco em Odontologia

Células-tronco em Odontologia A RTIGO I NÉDITO Células-tronco em Odontologia Ana Prates Soares*, Luégya Amorim Henriques Knop*, Alan Araujo de Jesus **, Telma Martins de Araújo*** Resumo Introdução: existe um grande interesse no desenvolvimento

Leia mais

Células estaminais criam nova esperança contra leucemia (pág.1)

Células estaminais criam nova esperança contra leucemia (pág.1) Células estaminais criam nova esperança contra leucemia (pág.1) Investigadores portugueses e americanos, no âmbito do programa MIT-Portugal, estão usar clinicamente células estaminais para neutralizar

Leia mais

CAMILA ESPINDOLA FRANCIELLE KARIME SALEH ZANETTI ANÁLISE MORFOLÓGICA DA PAPILA DENTAL TRANSPLANTADA EM BOLSAS RECEPTORAS NA ORELHA DE RATOS

CAMILA ESPINDOLA FRANCIELLE KARIME SALEH ZANETTI ANÁLISE MORFOLÓGICA DA PAPILA DENTAL TRANSPLANTADA EM BOLSAS RECEPTORAS NA ORELHA DE RATOS 1 CAMILA ESPINDOLA FRANCIELLE KARIME SALEH ZANETTI ANÁLISE MORFOLÓGICA DA PAPILA DENTAL TRANSPLANTADA EM BOLSAS RECEPTORAS NA ORELHA DE RATOS Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito parcial

Leia mais

LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO. Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO. Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia Clínica As células estaminais

Leia mais

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O FACULDADE INDEPENDENE DO NORDESE CURSO ODONOLOGIA Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: HISOLOGIA BUCO-DENAL Código:ODO

Leia mais

Aula 12: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS DAS LESÕES PERIODONTAIS

Aula 12: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS DAS LESÕES PERIODONTAIS Aula 12: ASPECTOS RADIOGRÁFICOS DAS LESÕES PERIODONTAIS Autora: Profª. Rosana da Silva Berticelli Edição: Luana Christ e Bruna Reuter Lesões Periodontais Doença inflamatória dos tecidos de suporte dos

Leia mais

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Ajudando futuros pais a tomar uma decisão consciente Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa O que é sangue de cordão umbilical

Leia mais

Anatomia do Periodonto. Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com

Anatomia do Periodonto. Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Anatomia do Periodonto Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc,, PhD cmfigueredo@hotmail.com Periodonto Normal Anatomia macroscópica Anatomia microscópica Anatomia macroscópica Gengiva Ligamento

Leia mais

Tipos de células-tronco:

Tipos de células-tronco: Células-tronco Profa. Dra. Patricia Pranke, PhD Professora dehematologia da Faculdade de Farmácia e da Pós-graduação em Ciências Médicas da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd Conselho Universitário - CONSUNI Câmara de Ensino Curso de Graduação em Odontologia da UNIPLAC Quadro de Equivalência para Fins de Aproveitamento de Estudos entre duas Estruturas Curriculares Modulares

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

TRANSPLANTE DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS

TRANSPLANTE DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS 1 TRANSPLANTE DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS Adriano dos Santos Pereira RESUMO Desde o primeiro procedimento realizado em 1968, o transplante de medula óssea vem sendo utilizado de maneira crescente, o tratamento

Leia mais

Patrícia Joana Soares Mota

Patrícia Joana Soares Mota Patrícia Joana Soares Mota APLICAÇÃO DE CÉLULAS ESTAMINAIS EM MEDICINA DENTÁRIA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA FACULDADE CIÊNCIAS DA SAÚDE Porto, 2012 Patrícia Joana Soares Mota APLICAÇÃO DE CÉLULAS ESTAMINAIS

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ANATOMIA DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA GERAL DEPARTAMENTO DE HISTOLOGIA PROGRAMA DO MÓDULO 6MOD059 CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO CORPO HUMANO ODONTOLOGIA 1º ano LONDRINA

Leia mais

Pontos para as provas teóricas e práticas (segundo as áreas do Programa)

Pontos para as provas teóricas e práticas (segundo as áreas do Programa) PROGRAMAS DAS ÁREAS E BIBLIOGRAFIAS Pontos para as provas teóricas e práticas (segundo as áreas do Programa) Área de Periodontia - Anatomia do Periodonto - Etiologia e patogênese das doenças periodontais:

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

Odontologia Hospitalar Rio de Janeiro. Outubro de 2008. Projeto de Implantação da odontologia hospitalar. Em Hospital do Estado do Rio de Janeiro

Odontologia Hospitalar Rio de Janeiro. Outubro de 2008. Projeto de Implantação da odontologia hospitalar. Em Hospital do Estado do Rio de Janeiro Odontologia Hospitalar Rio de Janeiro Outubro de 2008 Projeto de Implantação da odontologia hospitalar Em Hospital do Estado do Rio de Janeiro O atual formato de atualização do CD nos hospitais está com

Leia mais

Potencialidades da terapia com células-tronco na regeneração hepática Potentialities of stem cell therapy in hepatic regeneration

Potencialidades da terapia com células-tronco na regeneração hepática Potentialities of stem cell therapy in hepatic regeneration ARTIGO DE REVISÃO/REVIEW ARTICLE Potencialidades da terapia com células-tronco na regeneração hepática Potentialities of stem cell therapy in hepatic regeneration Ana Caroline BRAUN 1 e Patricia PRANKE

Leia mais

ESTUDO SOBRE CÉLULAS-TRONCO

ESTUDO SOBRE CÉLULAS-TRONCO ESTUDO ESTUDO ESTUDO SOBRE CÉLULAS-TRONCO Dr. Hugo Fernandes Junior Consultor Legislativo da Área XVI Saúde Pública e Sanitarismo ESTUDO MARÇO/2004 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa

Leia mais

FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS GERAIS NILSON MINORU KANASHIRO

FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS GERAIS NILSON MINORU KANASHIRO FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS GERAIS NILSON MINORU KANASHIRO UTILIZAÇÃO DE CÉLULAS-TRONCO EM ODONTOLOGIA: PANORAMA ATUAL E PERSPECTIVAS FUTURAS SÃO PAULO 2011 NILSON MINORU KANASHIRO UTILIZAÇÃO DE

Leia mais

Com Ciência - Células-tronco: a promessa da medicina regenerativa

Com Ciência - Células-tronco: a promessa da medicina regenerativa Página 1 de 5 Editorial A esperança celular Carlos Vogt Reportagens Pesquisa brasileira em CT já apresenta resultados Em meio à discussão ética, a pesquisa avança em todo o mundo Faltam leis, sobra polêmica

Leia mais

CÉLULAS TRONCO E REGENERAÇÃO PERIODONTAL

CÉLULAS TRONCO E REGENERAÇÃO PERIODONTAL SIMONE ANGÉLICA DE FARIA AMORMINO 10 CÉLULAS TRONCO E REGENERAÇÃO PERIODONTAL Faculdade de Odontologia - UFMG BELO HORIZONTE 2010 SIMONE ANGÉLICA DE FARIA AMORMINO 11 CÉLULAS TRONCO E REGENERAÇÃO PERIODONTAL

Leia mais

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 K00 - Distúrbios do Desenvolvimento e da Erupção Dos Dentes K00.0 - Anodontia K00.1 - Dentes Supranumerários

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 1º/2014

PLANO DE ENSINO - 1º/2014 PLANO DE ENSINO - 1º/2014 1. IDENTIFICAÇÃO: Curso: Odontologia Disciplina: Endodontia Carga Horária: 60h/a Professora: Dra. Patrícia Alvarez Ruiz Spyere do Nascimento E-mail: patriciaruizspyere@hotmail.com

Leia mais

PIRES, A. N.; LEITE, R. G. de M Eletronic Journal of Pharmacy, vol. XII, Suplemento, p. 13-18, 2015

PIRES, A. N.; LEITE, R. G. de M Eletronic Journal of Pharmacy, vol. XII, Suplemento, p. 13-18, 2015 A IMPORTÂNCIA DO SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO (SCUP) E DOS BANCOS DE SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO (BSCUP) ALEX NOGUEIRA PIRES*; CENTRO DE TERAPIA CELULAR CORDCELL, BRASÍLIA-DF,

Leia mais

EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO. discreta de células-tronco adultas fazem a reposição. laboratório, determinar suas propriedades

EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO. discreta de células-tronco adultas fazem a reposição. laboratório, determinar suas propriedades EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO José Carlos Rossini Iglézias* As células-tronco são importantes para os organismos vivos por várias razões. No embrião, na fase do terceiro ao quinto dia de idade -

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO. derme tendão

TECIDO CONJUNTIVO. derme tendão TECIDO CONJUNTIVO derme tendão Tecido adiposo cartilagem sangue osso http://medinfo.ufl.edu/~dental/denhisto/lecture_materials/conntiss1_07_nxpowerlite_1.ppt Tecido Conjuntivo Característica: vários tipos

Leia mais

Células - Tronco DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO BIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO

Células - Tronco DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO BIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Células - Tronco Ize Penhas de Lima Carolina Beltrana Del Debbio Allysson Coelho Sampaio DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Admiração pelos mecanismos que constróem seres complexos a partir de uma única célula

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA CRIOPRESERVAÇÃO NAS CÉLULAS MESENQUIMAIS INDIFERENCIADAS DO LIGAMENTO PERIODONTAL DE HUMANOS ANÁLISE COMPARATIVA IN VITRO

A INFLUÊNCIA DA CRIOPRESERVAÇÃO NAS CÉLULAS MESENQUIMAIS INDIFERENCIADAS DO LIGAMENTO PERIODONTAL DE HUMANOS ANÁLISE COMPARATIVA IN VITRO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PERIODONTIA E PRÓTESE DENTÁRIA A INFLUÊNCIA

Leia mais

CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz (pesquisadora da USP)

CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz (pesquisadora da USP) CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz (pesquisadora da USP) O QUE É CLONAGEM? A clonagem é um mecanismo comum de propagação da espécie em plantas ou bactérias. Um clone é definido como uma população de

Leia mais

O BIODIREITO, A BIOÉTICA E AS CÉLULAS-TRONCO

O BIODIREITO, A BIOÉTICA E AS CÉLULAS-TRONCO 1 O BIODIREITO, A BIOÉTICA E AS CÉLULAS-TRONCO FABENE, L. R. Resumo: O tema apresentado está em voga, e tem presença constante nos meios midiáticos. Isto porque a palavra célula-tronco traz esperança de

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

Reprogramação Celular. Pítia Ledur pitialedur@gmail.com

Reprogramação Celular. Pítia Ledur pitialedur@gmail.com Reprogramação Celular Pítia Ledur pitialedur@gmail.com Reprogramação Celular O que é isso? ipsc = induced pluripotent stem cells Shinya Yamanaka Reprogramação Celular O que é isso? ipsc = induced pluripotent

Leia mais

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA PERIODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Biossegurança e Orientação Profissional Odontológica; Diagnóstico por Imagem I; Patologia Buço Denta. 2. EMENTA: O aluno

Leia mais

PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS

PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS 47/CNECV/05 PARECER Nº 47 DO CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS (Novembro de 2005) O presente parecer do Conselho Nacional de Ética para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ODONTOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO HORÁRIO DO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ODONTOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO HORÁRIO DO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE ODONTOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO HORÁRIO DO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014 PRIMEIRO PERÍODO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014 7:00-8:00 Bioquímica Aplicada

Leia mais

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Graduação em Odontologia - 5º Período PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 GRANULOMA

Leia mais

Especialista em Periodontia e Doutora em Patologia Oral (UFRN); Professora Adjunta de Periodontia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Especialista em Periodontia e Doutora em Patologia Oral (UFRN); Professora Adjunta de Periodontia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Artigo de Revisão / Review Articie Identificação de células-tronco mesenquimais no ligamento periodontal e perspectivas na regeneração periodontal: Revisão de literatura Identification of mesenchymal stem

Leia mais

Semestre: 2 Quantidade de Módulos:8 Unidade de Ensino:Núcleo de Saúde

Semestre: 2 Quantidade de Módulos:8 Unidade de Ensino:Núcleo de Saúde 212 Semestre: 2 Módulo: 8º Período e Mês Início do Módulo:216/1 Numero da Página: 1 Impresso em:16/12/215 11:48:45 5697 TÉCNICAS DE PESQUISA EM ODONTOLOGIA II DCOP(N/C)APS 2 1 Estudo dos tipos de trabalhos

Leia mais

Área de Biologia Craniofacial e Biomateriais

Área de Biologia Craniofacial e Biomateriais Bibliografia e tópicos para a prova de seleção 2013 (Mestrado / Doutorado) Área de Biologia Craniofacial e Biomateriais Tópicos - Mestrado e Doutorado (prova teórica*) *O candidato poderá excluir um número

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ODONTOLOGIA Atividades Complementares Atividades extracurriculares desenvolvidades pelo aluno durante os 10 semestres do curso, nas áreas de ensino, pesquisa

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

Especialidades Odontológicas

Especialidades Odontológicas Especialidades Odontológicas Urubatan Medeiros Doutor (USP) - Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária (UERJ/UFRJ) - Consultor do Ministério da Saúde I - Introdução A Odontologia

Leia mais

disponibilidade do proprietário. Em geral, a melhor forma de profilaxia consiste na escovação dentária diária em animais de pequeno porte e, três

disponibilidade do proprietário. Em geral, a melhor forma de profilaxia consiste na escovação dentária diária em animais de pequeno porte e, três Perfil do proprietário de cães e gatos da cidade de Jataí GO em relação aos cuidados odontológicos de seus animais RESENDE, Lara Gisele¹; PAIVA, Jacqueline de Brito¹; ARAÚJO, Diego Pereira¹; CARVALHO,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 2012.2 NOVO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) OBRIGATÓRIAS: 264 CREDITOS OPTATIVAS: 14 CRÉDITOS TOTAL: 278 CRÉDITOS

MATRIZ CURRICULAR 2012.2 NOVO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) OBRIGATÓRIAS: 264 CREDITOS OPTATIVAS: 14 CRÉDITOS TOTAL: 278 CRÉDITOS MATRIZ CURRICULAR 2012.2 NOVO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) TOTAL DE CRÉDITOS: 278 TOTAL DE HORAS: 4448 HORAS OBRIGATÓRIAS: 2 CREDITOS OPTATIVAS: 14 CRÉDITOS TOTAL: 278 CRÉDITOS SEMESTRE 01 Módulo

Leia mais

EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Odontologia da UNIP. Ano Letivo de 2013 (segundo semestre)

EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Odontologia da UNIP. Ano Letivo de 2013 (segundo semestre) EDITAL Abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao Programa de Mestrado em Odontologia da UNIP Recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, de acordo com

Leia mais

Dentina Características gerais

Dentina Características gerais Características gerais Tecido dental duro com extensões es citoplasmáticas ticas de células c da polpa. Composiçã ção: Mineral Água Orgânica peso 70% 12% 18% volume 50% 20% 30% Relaçã ção o com outros

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA. O que são células-tronco? células-tronco

CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA. O que são células-tronco? células-tronco Celulas_2006 5/9/05 17:41 Page 3 CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA O que são s-tronco? O corpo humano é formado por cerca de 200 tipos distintos de s, que se juntam de diversas maneiras

Leia mais

Clínica de Preparo Bucal: Indispensável para o Tratamento de Pacientes Parcialmente Desdentados

Clínica de Preparo Bucal: Indispensável para o Tratamento de Pacientes Parcialmente Desdentados Clínica de Preparo Bucal: Indispensável para o Tratamento de Pacientes Parcialmente Desdentados Frederico dos Reis Goyatá 1 Universidade Severino Sombra, curso de Odontologia, Professor de Dentística,

Leia mais

23) Respaldado no seu elevado nível cien- tífico, adquirido na pós-graduação de Arara- quara e no convívio com o professor Peter H.

23) Respaldado no seu elevado nível cien- tífico, adquirido na pós-graduação de Arara- quara e no convívio com o professor Peter H. Entrevista com altura maior que 3mm, sua ação passa a ser de protrusão dos arcos dentários e maxilomandibular, devido à incidência das forças mastigatórias ser mais oblíqua em relação ao longo eixo dentário.

Leia mais

COLÉGIO JARDINS. Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade

COLÉGIO JARDINS. Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade COLÉGIO JARDINS Aluno: Data: / / SÉRIE: 1º A( ) B( ) Profº Marcos Andrade TECIDO CONJUNTIVO I São aqueles que atuam nas funções de preenchimento de espaços entre órgãos, sustentação, defesa e nutrição.

Leia mais

IMPLANTODONTIA E REABILITAÇÃO ORAL

IMPLANTODONTIA E REABILITAÇÃO ORAL Duração: 12 meses aperfeiçoamento e 30 meses especialização Periodicidade: 1 módulo/mês PÚBLICO ALVO: Cirurgiões dentistas que queiram iniciar sua formação em implantodontia e reabilitação oral, como também

Leia mais

ORTODONTIA FRENTE ÀS REABSORÇÕES APICAIS E PERIAPICAIS PRÉVIAS OU POSTERIORES AO TRATAMENTO.

ORTODONTIA FRENTE ÀS REABSORÇÕES APICAIS E PERIAPICAIS PRÉVIAS OU POSTERIORES AO TRATAMENTO. ORTODONTIA FRENTE ÀS REABSORÇÕES APICAIS E PERIAPICAIS PRÉVIAS OU POSTERIORES AO TRATAMENTO. ORTHODONTIC TREATMENT S POSSIBILITY IN PRESENCE OF PREVIOUS OR POSTERIOR APICAL AND PERIAPICAL ROOT RESORPTION

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Introdução A associação do trauma oclusal (TO)

Leia mais

EMPREGO DE CÉLULAS TRONCO NA ODONTOLOGIA¹ THE USE OF STEM CELLS IN DENTISTRY RESUMO

EMPREGO DE CÉLULAS TRONCO NA ODONTOLOGIA¹ THE USE OF STEM CELLS IN DENTISTRY RESUMO ATUALIZAÇÃO/REVISÃO EMPREGO DE CÉLULAS TRONCO NA ODONTOLOGIA¹ THE USE OF STEM CELLS IN DENTISTRY Pedro Philippe da SILVA ROSALES 2, Eloana soares MACHADO², Daniel farias DALLAGNOL 2 e Aluísio Ferreira

Leia mais

- Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, promovido pela PUCRS, Porto Alegre, setembro de 1979.

- Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, promovido pela PUCRS, Porto Alegre, setembro de 1979. PARTICIPAÇÃO EM CURSOS - Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial, promovido pela PUCRS, Porto Alegre, setembro de 1979. - Prótese Fixa; Prótese Removível, promovido pela ABO/RS, em Porto Alegre, julho,

Leia mais

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período Matriz Curricular Período 1º Unidades Acadêmicas UAI: Introdução ao Estudo da Odontologia Conhecer a estrutura do indivíduo nas suas bases biomoleculares e celulares quanto às propriedades e interrelações

Leia mais

Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br

Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br ISSN 1980-3540 02.02, 25-29 (2007) www.sbg.org.br Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br O conceito básico de células-tronco Nosso organismo

Leia mais

Células Pluripotenciais Induzidas

Células Pluripotenciais Induzidas Células Pluripotenciais Induzidas Uma vez dominados os processos envolvidos na obtenção, cultivo, e diferenciação de CTE em células de interesse clínico, outra limitação prática deve ser levada em conta.

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso

Trabalho de Conclusão de Curso Trabalho de Conclusão de Curso Conhecimento de Pós-Graduandos em Odontologia da Universidade Federal de Santa Catarina sobre células-tronco Juliana Martins Trajano Universidade Federal de Santa Catarina

Leia mais

TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIÉTICAS NO TRATAMENTO DA LEUCEMIA.

TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIÉTICAS NO TRATAMENTO DA LEUCEMIA. UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ESPECIALIZAÇÃO EM BIOLOGIA MOLECULAR E CITOGÉNETICA HUMANA MÔNICA DE SOUSA PITA TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIÉTICAS NO TRATAMENTO DA LEUCEMIA.

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora ATLAS DE HISTOLOGIA DENTAL

Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora ATLAS DE HISTOLOGIA DENTAL Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora ATLAS DE HISTOLOGIA DENTAL Juiz de Fora / MG - 2009 Autoras PROFª. MARIA ELIZABETH M.N. MARTINS PROFª. MARIA CHRISTINA M.N. CASTAÑON Juiz de Fora/MG

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE ODONTOLOGIA Turno: INTEGRAL Currículo n 10 Reconhecido pelo Decreto n 40.445, de 30.11.56, D.O.U. nº 275 de 30.11.56. Renovação de Reconhecimento Decreto nº. 868, de 24.03.11. D.O.E. nº 8431 de

Leia mais

Células-tronco: uma breve revisão

Células-tronco: uma breve revisão 251 Células-tronco: uma breve revisão Verônica Ferreira de Souza * Leonardo Muniz Carvalho Lima * Sílvia Regina de Almeida Reis ** Luciana Maria Pedreira Ramalho *** Jean Nunes Santos **** Resumo As células-tronco

Leia mais

Biomateriais. Catálogo. Biomateriais. Excelência e Evolução

Biomateriais. Catálogo. Biomateriais. Excelência e Evolução Biomateriais Excelência e Evolução Catálogo Biomateriais Empresa Linha de Produtos Inovação com qualidade A Bionnovation é uma empresa brasileira especializada na fabricação de biomateriais, que oferece

Leia mais

Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros. CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi

Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros. CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi Fundação Hemominas Fundação Centro de Hematología e Hemoterapia de Minas Gerais Fundação Pública, de direito público

Leia mais

CURSO INTERNACIONAL DE REABILITAÇÃO ORAL E ESTÉTICA PERIIMPLANTAR

CURSO INTERNACIONAL DE REABILITAÇÃO ORAL E ESTÉTICA PERIIMPLANTAR CURSO INTERNACIONAL DE REABILITAÇÃO ORAL E ESTÉTICA PERIIMPLANTAR 2012 2013 INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES Rose Cabral Telemóvel 935 014 972 e-mail: rose.cabral@signovinces.com.br Daniele Siqueira Telefones:

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

Av. Júlio de Castilhos, 2101, sala 51, Centro 95010-005. Caxias do Sul-RS (54) 32239207 (54) 99012424 ncguerra@terra.com.br

Av. Júlio de Castilhos, 2101, sala 51, Centro 95010-005. Caxias do Sul-RS (54) 32239207 (54) 99012424 ncguerra@terra.com.br Currículo Natalia Comerlato Guerra Hecher Cirurgiã Dentista Especialista em Dentística Restauradora Av. Júlio de Castilhos, 2101, sala 51, Centro 95010-005. Caxias do Sul-RS (54) 32239207 (54) 99012424

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA 1. ODONTOPEDIATRIA PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana SISTEMA DIGESTÓRIO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição janeiro/2007 SISTEMA DIGESTÓRIO SUMÁRIO Sobre a Bio Aulas... 03 Sistema Digestório... 04 Boca... 05 Características

Leia mais

Reconhecido pelo Decreto n 40.445, de 30.11.56, D.O.U. de 30.11.56. Renovação de Reconhecimento Decreto nº. 868, de 24.03.11. D.O.E. de 24.03.

Reconhecido pelo Decreto n 40.445, de 30.11.56, D.O.U. de 30.11.56. Renovação de Reconhecimento Decreto nº. 868, de 24.03.11. D.O.E. de 24.03. CURSO DE ODONTOLOGIA Turno: INTEGRAL Currículo n 10 Reconhecido pelo Decreto n 40.445, de 30.11.56, D.O.U. de 30.11.56. Renovação de Reconhecimento Decreto nº. 868, de 24.03.11. D.O.E. de 24.03.11 Para

Leia mais

Centro Av. Frei Pacífico Wagner,653 11660 903 Caraguatatuba SP T F 55 12 3897 2000

Centro Av. Frei Pacífico Wagner,653 11660 903 Caraguatatuba SP T F 55 12 3897 2000 Nome Curso: IMPLANTE. Implantando idéias, um curso diferente. Curso de extensão Universitária Natureza: Teórico prático Data do inicio do curso: 27 de agosto de 2010 Local: Clinica Universitário Módulo

Leia mais

ODONTOPEDIATRIA 2003/2004 ANOMALIAS DENTÁRIAS

ODONTOPEDIATRIA 2003/2004 ANOMALIAS DENTÁRIAS ODONTOPEDIATRIA 2003/2004 ANOMALIAS DENTÁRIAS ANOMALIAS DENTÁRIAS ODONTOGÉNESE (6ª Sem. I.U.) LÂMINA DENTÁRIA Invag. Epitelial Ectodérmica GERME DENTÁRIO ORGÃO DE ESMALTE Epitélio interno Ameloblastos

Leia mais

Utilização do rh-bmp2 na Implantodontia

Utilização do rh-bmp2 na Implantodontia Utilização do rh-bmp2 na Implantodontia Dra. Patricia Fretes Coord. do curso de atualização em Implantodontia IOA PY Profa. adjunta do curso de especialização em Implantodontia IOA PY Especialista em Implantes

Leia mais