Células Pluripotenciais Induzidas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Células Pluripotenciais Induzidas"

Transcrição

1 Células Pluripotenciais Induzidas Uma vez dominados os processos envolvidos na obtenção, cultivo, e diferenciação de CTE em células de interesse clínico, outra limitação prática deve ser levada em conta. Apesar de bancos de CTE poderem ser eventualmente criados, permitindo o estabelecimento de grandes coleções, elas dificilmente iriam abranger toda a diversidade existente. Assim, as CTE teriam seu uso restrito a receptores histo-compatíveis. Uma das alternativas à criação de bancos de CTE envolve a reprogramação do núcleo de células somáticas (no caso, o paciente sem doador) pelo citoplasma de um oócito, de forma a obter CTEh autólogas. Esta abordagem é também conhecida como clonagem terapêutica uma vez que não visa gerar um indivíduo clonado, mas somente CTE para uso terapêutico. A reprogramação do núcleo somático induzida pelo citoplasma de oócitos resulta da presença de diferentes moléculas, incluindo fatores de transcrição e outras proteínas. Recentemente, vários grupos relataram a indução de pluripotência em fibroblastos primários humanos através da transdução dos mesmos com vetores virais expressando os genes OCT4, C-MYC, KLF4 e SOX2. As chamadas células-tronco pluripotentes induzidas (ips) têm morfologia característica de CTEs, expressam marcadores de células pluripotentes e são capazes de se diferenciar in vitro e in vivo em tecidos derivados dos três folhetos embrionários. Assim, a geração de ips a partir da indução de células somáticas por fatores específicos, poderia representar uma alternativa para a obtenção de células tronco histo-compatíveis. Os resultados preliminares obtidos pelo grupo coordenado pelo Dr. Dimas Tadeu Covas do Hemocentro de Ribeirão Preto mostram a eficiência na produção de vetores lentivirais, na transdução de células-tronco mesenquimais e progenitores endoteliais e na modificação do padrão de expressão de célulastronco endoteliais com gene Nanog. Assim, este grupo, através do sub-projeto 5, intitulado Modificação gênica de células-tronco, terá como objetivo geral, modificar geneticamente Células Tronco Mesenquimais (CTM) e células progenitoras endoteliais com vetores lentivirais contendo fatores de transcrição, com o intuito de transformar células multipotentes em células pluripotentes e com maior capacidade de expansão in vitro. Para tanto, o projeto envolverá as seguintes abordagens: a) transduzir CTM com vetores lentivirais 1054-CIGWS contendo um dos

2 fatores de transcrição (Nanog, Oct3/4, Sox 2, β-catenina, Kfl4, c-myc, Esrrb, Tcl 1e Tbx 3) juntamente com o gene GFP para que as células transduzidas possam ser selecionadas por citometria de fluxo (GFP positivas); b) Inicialmente, as transduções de CTM serão realizadas com um fator de transcrição de cada vez e posteriormente um conjunto de quatro vetores serão utilizados para transdução; c) avaliar as alterações causadas no perfil de expressão gênica; d) avaliar mudanças na morfologia das células transformadas; e) determinar se as células modificadas apresentam marcadores típicos de células-tronco embrionárias (como por exemplo: fosfatase alcalina e/ou antígenos SSEA-1) e por fim avaliar se estas células modificadas adquirem a capacidade de se diferenciar em tecidos dos três folhetos germinativos. Uma grande limitação dos estudos pré-clínicos com CTEs é a falta de modelos animais de grande porte onde se possa realizar esses testes, uma vez que uma série de dificuldades técnicas e biológicas dificultam e/ou impedem o estabelecimento de CTEs a partir de embriões desses modelos. Com isto em mente, o grupo coordenado pela Dra. Lygia da Veiga Pereira da USP de São Paulo através do sub-projeto 6, intitulado Estabelecimento de linhagens de células tronco pluripotentes induzidas (ips) de modelos animais de grande porte, pretende desenvolver uma metodologia para estabelecer linhagens de ips de modelos animais de grande porte, especificamente de primatas não-humanos e cães. As células geradas serão utilizadas em ensaios pré-clínicos de lesão de medula espinhal nos respectivos modelos animais. Para este fim: vetores lentivirais da empresa AddGene (EUA) serão empacotados em células 293 por co-transfecção transiente com vetores de empacotamento; culturas de fibroblastos caninos e de macacos serão transduzidos com lentivírus expressando o gene repórter GFP para avaliação de eficiência de transdução com diferentes sistemas de empacotamento; transdução dos fibroblastos animais com vetores de indução de acordo com as condições estabelecidas acima, e isolamento de ips em meio de cultura específico para CTE (caso não consigamos estabelecer as ips usando vetores com genes humanos de indução, serão isolados os homólogos de cada espécie por RT-PCR de embriões pré-implantação, e novos vetores espécie-específicos serão construídos e utilizados para indução); caracterização da pluripotência das ips por imunofluorescência, diferenciação in vitro em corpos embrióides e in vivo por ensaio de formação de teratomas; diferenciação neural das ips animais por cultura

3 em meio com acido retinóico; transplante das células diferenciadas em modelos de lesão de medula. Apesar de ainda inadequadas para uso clínico, as ips são uma ferramenta importante de pesquisa básica, principalmente aquelas células derivadas de indivíduos com diferentes doenças genéticas. Assim, o grupo coordenado pela Dra. Lygia da Veiga Pereira através do sub-projeto 7, intitulado Estabelecimento de linhagens de células tronco pluripotentes induzidas (ips) a partir de fibroblastos de pacientes com doenças genéticas mendelianas e multifatoriais (com componente genético), pretende implantar a metodologia de geração de ips humanas de forma a poder estabelecer ips a partir de diferentes tecidos de pacientes com doenças genéticas de interesse do grupo, particularmente pacientes com displasia óssea, diabetes tipo I, esclerose múltipla e leucemia promielocitica aguda. As ips estabelecidas servirão como modelo experimental para o estudo dos mecanismos básicos por trás das respectivas doenças. Além disso, serão construídos novos vetores baseados em adenovirus, que não se integram ao genoma, de forma a gerarmos ips não modificadas geneticamente, mais adequadas para o uso clínico. Com esta finalidade, as seguintes abordagens experimentais serão utilizadas: vetores lentivirais da empresa AddGene (EUA) serão empacotados em células 293 por co-transfecção transiente com vetores de empacotamento; células mesenquimais de medula óssea de pacientes com diabetes tipo 1 e de leucemia PMA congeladas serão expandidas em cultura para transdução com vetores virais; padronização de estabelecimento de linhagem de células adequadas para indução a partir de sangue periférico humano; transdução das células humanas com vetores lentivirais e seleção de células ips em meio de cultura de CTEhs; caracterização das ips por imunofluorescência e FACS com marcadores de células pluripotentes (OCT4, NANOG, SSEA-1,2,3,4); diferenciação em corpos embrióides e caracterização por imunofluorescência; formação de teratomas em camundongos SCID; caracterização da pluripotência das ips por imunofluorescência, diferenciação in vitro em corpos embrioides e in vivo por ensaio de formação de teratomas. Apesar das técnicas de indiferenciação induzida pela incorporação de fatores de transcrição no genoma de células somáticas (Takahashi e Yamanaka, 2006) constituírem possíveis aliados à terapia celular autóloga, é importante ressaltar

4 neste contexto que a aplicação prática de células induzidas à diferenciação pela modificação genética ainda precisa ser melhor estudada e avaliada (Liu, 2008). Por outro lado, a técnica de transferência de núcleo (TN) é bem estabelecida e já se mostrou capaz de produzir animais saudáveis a termo, confirmando a capacidade eficiente de reprogramação de uma célula diferenciada (Wilmut, Schnieke et al., 1997; Keefer, Keyston et al., 2002). Adicionalmente, quando utilizado como receptor, o citoplasto bovino já se mostrou capaz de reprogramar células diferenciadas de diversas espécies (Chen, Wen et al., 2002; Illmensee, Levanduski et al., 2006), suportando o desenvolvimento embrionário inicial necessário para o isolamento de células-tronco embrionárias. Aliada à reprogramação eficiente do citoplasto, a abundância e facilidade de obtenção de material biológico torna o modelo bovino adequado para o estabelecimento de metodologias eficientes de obtenção de células pluripotentes de origem embrionária pela reprogramação de células somáticas diferenciadas de diversas espécies (Cibelli, Stice et al., 1998). Com isto em vista, o grupo coordenado pelo Dr. Flavio Vieira Meirelles da USP de Pirassununga através do sub-projeto 8, intitulado Células pluripotentes autólogas geradas a partir de células somáticas diferenciadas, terá como objetivo geral, caracterizar metodologias de obtenção de células pluri/totipotentes a partir de células somáticas em termos de morfologia, expressão gênica e estudos epigenéticos. Além de determinar uma metodologia mais adequada no modelo bovino comparando os grupos com o controle e aplicá-la no sistema interespecífico. Para esta finalidade, inicialmente será estabelecida uma linhagem celular somática bovina derivada do cultivo in vitro de fibroblastos adultos. Uma parte destas células será utilizada na transdução lentiviral de fatores de transcrição responsáveis pela indiferenciação celular (Takahashi e Yamanaka, 2006). Tais células serão caracterizadas no modelo bovino e, juntamente com as células não modificadas, serão utilizadas como doadoras de núcleo no processo de transferência nuclear. Células embrionárias derivadas destes processos serão comparadas entre si e com aquelas somáticas indiferenciadas em termos de morfologia, expressão gênica e epigenética. Serão também comparadas com as células embrionárias obtidas através de processos naturais de fertilização. A metodologia que prover características mais parecidas com aquelas do grupo controle será julgada a mais adequada para a produção de células-tronco a partir

5 de células somáticas diferenciadas e, portanto, será utilizada no modelo interespecífico, onde serão produzidas células pluripotentes de primatas. A reprogramação do núcleo de células somáticas pelo citoplasma de um oócito implica na combinação entre o genoma nuclear de um indivíduo e o mitocondrial de outro. Considerando o grande potencial deste tipo de abordagem no desenvolvimento futuro da terapia celular, o controle da herança mitocondrial é de suma importância para viabilizar i) a produção de células-tronco humanas por reprogramação da célula doadora de núcleo em citoplasma não humano e, ii) a produção de células-tronco humanas autólogas (Illmensee, Levanduski et al., 2006). Neste sentido, o modelo bovino é interessante pela abundância de material disponível e pelo grande conhecimento disponível sobre os mecanismos que regulam a herança do DNA mitocondrial (mtdna) durante a embriogênese. Em embriões bovinos produzidos por transferência de núcleo de células somáticas, a porcentagem de mtdna da célula doadora de núcleo aumenta entre o terceiro e o quarto ciclo celular em relação ao mtdna proveniente do oócito (Ferreira, Meirelles et al., 2007). Por outro lado, a centrifugação de zigotos bovinos possibilita a depleção mecânica de parte das mitocôndrias sem comprometer o desenvolvimento embrionário, pois o embrião é capaz de repor o mesmo conteúdo de mtdna observado em blastocistos não depletados (Chiaratti et al., 2008). Além disso, com a depleção mitocondrial é possível introduzir uma maior quantidade de mitocôndrias exógenas nos zigotos (Ferreira et al., submetido). Frente ao exposto, o grupo coordenado pelo Dr. Flavio Vieira Meirelles da USP de Pirassununga através do sub-projeto 9, intitulado Modelo animal para estudo da herança mitocondrial intra e inter-espécie, terá como objetivo geral, avaliar a viabilidade da produção de embriões contendo mtdna de origem somática intra e inter-específico e aumentar a porcentagem herdada deste mtdna pelos blastocistos. Mais especificamente, pretende-se produzir blastocistos bovinos (Bos taurus) que contenham mtdna de origem somática intra (B. indicus) ou interespecífica (Homo sapiens) em heteroplasmia com mtdna de origem embrionária (herdado do oócito) e; adicionalmente, desenvolver um método para aumentar a porcentagem herdada nos blastocistos de mtdna somático (B. indicus ou H. sapiens). Para isso, as seguintes abordagens tecnológicas serão empregadas: Estabelecimento de linhagens mesenquimais de células oriundas de B. indicus e H.

6 sapiens; enucleação de células mesenquimais por centrifugação e fusão dos citoplastos para utilização como doadores de citoplasma (Shay, Gershenbaum et al., 1975; Marchington, Barlow et al., 1999); produção in vitro de zigotos bovinos (B. taurus) partenogenéticos a partir de oócitos aspirados de ovários coletados em abatedouro e maturados in vitro (Meo, Yamazaki et al., 2007); centrifugação dos zigotos para concentrar as mitocôndrias num dos pólos do embrião e remoção de parte das mitocôndrias por micromanipulação (Ferreira et al., submetido); fusão dos citoplastos (B. indicus ou H. sapiens) aos zigotos depletados (B. taurus) e cultivo in vitro (Inoue, Nakada et al., 2000); determinação da porcentagem de mtdna (mtdna somático em relação à quantidade total de mtdna) mediante PCR em Tempo Real imediatamente à fusão, às 72 horas (embriões com cinco ou mais células) e às 168 horas (blastocistos) após a ativação partenogenética (Ferreira et al. submetido)(ferreira, Meirelles et al., 2007). A porcentagem de mtdna será analisada considerando como efeito o citoplasto usado (B. indicus e H. sapiens), o momento da análise (0, 72 e 168 horas) e a interação ambos os fatores.

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente CÉLULA - TRONCO São células com capacidade de autorenovação,eficiente proliferação, gerando células-filhas com as mesmas características fenotípicas da célula precursora e, ainda, com habilidade de gerar

Leia mais

Reprogramação Celular. Pítia Ledur pitialedur@gmail.com

Reprogramação Celular. Pítia Ledur pitialedur@gmail.com Reprogramação Celular Pítia Ledur pitialedur@gmail.com Reprogramação Celular O que é isso? ipsc = induced pluripotent stem cells Shinya Yamanaka Reprogramação Celular O que é isso? ipsc = induced pluripotent

Leia mais

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Florianópolis, Agosto 2004 Células-tronco O que são células-tronco e o que podemos fazer com elas? Qual a relação

Leia mais

Questão de Vida ou Morte?

Questão de Vida ou Morte? Célula-Tronco: Questão de Vida ou Morte? III Seminário A Filosofia das Origens Fábio Juliano Pacheco, Ph.D. Laboratório de Biologia Celular, Molecular e Auto-Imunidade Centro Universitário Adventista de

Leia mais

Linhas de Pesquisa e Subprojetos

Linhas de Pesquisa e Subprojetos Linhas de Pesquisa e Subprojetos Estudos com Células-tronco Pluripotenciais Células-tronco pluripotenciais são capazes de originar células e tecidos dos três folhetos embrionários: ectoderma, mesoderma

Leia mais

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin UPGRADE BIOLOGIA 2 Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco Prof. Diego Ceolin Desenvolvimento Embrionário Animal Divisões Divisões Cavidade (blastocele) celulares celulares Ovo Gastrulação Mórula

Leia mais

Subprojeto 11 1. Identificação: Título do subprojeto 2. Dados do coordenador do subprojeto 3. Dados da instituição do coordenador do subprojeto

Subprojeto 11 1. Identificação: Título do subprojeto 2. Dados do coordenador do subprojeto 3. Dados da instituição do coordenador do subprojeto Subprojeto 11 1. Identificação: Título do subprojeto: Avaliação do potencial angiogênico e elucidação das interações moleculares de células-tronco mesenquimais e células endoteliais em sistemas de co-cultivo

Leia mais

Tipos de células-tronco:

Tipos de células-tronco: Células-tronco Profa. Dra. Patricia Pranke, PhD Professora dehematologia da Faculdade de Farmácia e da Pós-graduação em Ciências Médicas da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz (pesquisadora da USP)

CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz (pesquisadora da USP) CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz (pesquisadora da USP) O QUE É CLONAGEM? A clonagem é um mecanismo comum de propagação da espécie em plantas ou bactérias. Um clone é definido como uma população de

Leia mais

TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS AO MELHORAMENTO ANIMAL

TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS AO MELHORAMENTO ANIMAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS

Leia mais

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA...

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA... Atividade extra Fascículo 4 Biologia Unidade 9 Questão 1 A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA. O processo de divisão celular é composto por cinco etapas:

Leia mais

Biotecnologia da Reprodução. Inseminação artificial. Transferência de embriões. Produção de animais transgênicos. Clonagem Cultura de células-tronco

Biotecnologia da Reprodução. Inseminação artificial. Transferência de embriões. Produção de animais transgênicos. Clonagem Cultura de células-tronco 23/07/12 Produção e Manipulação de Pré-embriões Inseminação artificial Fertilização in vitro Biotecnologia da Reprodução Produção de animais transgênicos Biopsia de embrião Determinação genética pré-implante

Leia mais

Exercícios Propostos Células - tronco Professor Fernando

Exercícios Propostos Células - tronco Professor Fernando Exercícios Propostos Células - tronco Professor Fernando 1. (Fuvest) Células-tronco são células indiferenciadas que têm a capacidade de se diferenciar em diversos tipos celulares. Para que ocorra tal diferenciação,

Leia mais

Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br

Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br ISSN 1980-3540 02.02, 25-29 (2007) www.sbg.org.br Células-tronco: fatos, ficção e futuro. Nance Beyer Nardi Departamento de Genética, UFRGS, nardi@ufrgs.br O conceito básico de células-tronco Nosso organismo

Leia mais

FABIANA FERNANDES BRESSAN

FABIANA FERNANDES BRESSAN UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ZOOTECNIA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS FABIANA FERNANDES BRESSAN Geração de células pluripotentes através da indução gênica e transferência de núcleo: modelo bovino

Leia mais

TERAPIAS COM CÉLULAS-TRONCO PROMESSA OU REALIDADE?

TERAPIAS COM CÉLULAS-TRONCO PROMESSA OU REALIDADE? TERAPIAS COM CÉLULAS-TRONCO PROMESSA OU REALIDADE? Há algum tempo as pessoas escutam ou leem notícias sobre o imenso potencial das chamadas células-tronco para o tratamento de diferentes doenças, algumas

Leia mais

Células - Tronco DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO BIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO

Células - Tronco DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO BIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Células - Tronco Ize Penhas de Lima Carolina Beltrana Del Debbio Allysson Coelho Sampaio DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Admiração pelos mecanismos que constróem seres complexos a partir de uma única célula

Leia mais

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo

Aula - Terapia Gênica. Unidade Curricular: Cultura de Células Animais. Prof. Me. Leandro Parussolo Aula - Terapia Gênica Unidade Curricular: Cultura de Células Animais Prof. Me. Leandro Parussolo O que é? O que não é? O que será? 1990 (EUA) - Primeiro protocolo clínico de Terapia Gênica em humanos 2

Leia mais

CLONAGEM HUMANA. Clonagem reprodutiva

CLONAGEM HUMANA. Clonagem reprodutiva CLONAGEM HUMANA As academias de ciências de todo o mundo estão coesas no apoio ao banimento global da clonagem reprodutiva de seres humanos, apelando para que sejam excluídos deste banimento os casos de

Leia mais

I Curso de Verão em Oncologia Experimental Cursos Práticos

I Curso de Verão em Oncologia Experimental Cursos Práticos I Curso de Verão em Oncologia Experimental Cursos Práticos 1. Técnicas Experimentais para o Estudo da Expressão Gênica O curso terá como base o estudo da expressão gênica utilizando um fator de transcrição.

Leia mais

BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA. Profa. Maria Paula

BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA. Profa. Maria Paula BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA Profa. Maria Paula FERRAMENTAS Enzimas: de restrição, DNA-ligase, DNA-polimerase, transcriptase Vetores: plasmídeos, vírus 1) PGH O número de genes é muito menor do

Leia mais

Unidade IV Tecnologia Aula 21.2 Conteúdo: Genética e sociedade

Unidade IV Tecnologia Aula 21.2 Conteúdo: Genética e sociedade A A Unidade IV Tecnologia Aula 21.2 Conteúdo: Genética e sociedade 2 A A Habilidade: Conhecer sobre células- troncos, projeto genoma e engenharia genética. 3 A A Células-tronco Autorrenovação e diferenciação

Leia mais

Regulação das Terapias Celulares

Regulação das Terapias Celulares Gerência Geral de Sangue, outros Tecidos, Células e Órgãos - GGSTO Regulação das Terapias Celulares Marina Ferreira Gonçalves Base Legal para Terapia Celular Constituição Lei nº. 11.105 de 24 de março

Leia mais

Atividades sobre Células-tronco, transgênicos e clonagem

Atividades sobre Células-tronco, transgênicos e clonagem CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA SUBSEQUENTE Aluno(a): Módulo: I Data: Professor(a): Fábio Zanella Comp. Curricular: Genética Aplicada CÉLULAS-TRONCO Atividades sobre Células-tronco, transgênicos e clonagem

Leia mais

PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS? PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS

PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS? PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS E O ESPAÇO DA ATIVIDADE FÍSICA PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS Amar é descobrir que a deficiência do próximo faz parte do perfeito mosaico

Leia mais

CÉLULAS ESTAMINAIS PLURIPOTENTES INDUZIDAS NO ESTUDO DE MECANISMOS DE DOENÇA E AVALIAÇÃO DE NOVAS TERAPIAS

CÉLULAS ESTAMINAIS PLURIPOTENTES INDUZIDAS NO ESTUDO DE MECANISMOS DE DOENÇA E AVALIAÇÃO DE NOVAS TERAPIAS Liliana dos Santos Tavares Correia CÉLULAS ESTAMINAIS PLURIPOTENTES INDUZIDAS NO ESTUDO DE MECANISMOS DE DOENÇA E AVALIAÇÃO DE NOVAS TERAPIAS Dissertação de Mestrado em Biotecnologia Farmacêutica, orientada

Leia mais

Genética Aplicada (GAP) Assunto: Células-tronco, clonagem e transformação gênica

Genética Aplicada (GAP) Assunto: Células-tronco, clonagem e transformação gênica Genética Aplicada (GAP) Assunto: Células-tronco, clonagem e transformação gênica Técnico em Biotecnologia Módulo I Prof. Fábio Zanella Células-Tronco O que é? É um tipo de célula que pode: se diferenciar

Leia mais

Células-tronco. Mitos e Realidades. Benedito de Pina Almeida Prado Júnior

Células-tronco. Mitos e Realidades. Benedito de Pina Almeida Prado Júnior Células-tronco Mitos e Realidades Benedito de Pina Almeida Prado Júnior Declaração de Conflito de Interesse Médico Hematologista-Hemoterapeuta e Advogado Centro Regional de Hemoterapia do HCFMRP-USP Centro

Leia mais

Exercícios sobre Células Tronco Fernando Biologia

Exercícios sobre Células Tronco Fernando Biologia Exercícios sobre Células Tronco Fernando Biologia 1. (Ufpb) A Biologia, com os estudos sobre célulastronco, proporciona grandes esperanças aos portadores de traumas com dano tecidual permanente. Resultados

Leia mais

Exercícios Propostos Clonagem Professor Fernando

Exercícios Propostos Clonagem Professor Fernando Exercícios Propostos Clonagem Professor Fernando 1. (Fuvest) Uma maneira de se obter um clone de ovelha é transferir o núcleo de uma célula somática de uma ovelha adulta A para um óvulo de uma outra ovelha

Leia mais

Aproposta dessa série de artigos foi reunir

Aproposta dessa série de artigos foi reunir CLONAGEM E CÉLULAS-TRONCO Mayana Zatz Aproposta dessa série de artigos foi reunir opiniões de cientistas, de um professor de ética e de uma mãe de uma criança afetada por uma grave doença neurodegenerativa

Leia mais

FOLHA DE ROSTO QUE NÃO É PARA IMPRIMIR, MAS SIM PARA QUE O WORD POSSA CONTABILIZAR. Rasgar ESTA FOLHA E COLOCAR A OUTRA QUE ESTÁ NO FICHEIRO

FOLHA DE ROSTO QUE NÃO É PARA IMPRIMIR, MAS SIM PARA QUE O WORD POSSA CONTABILIZAR. Rasgar ESTA FOLHA E COLOCAR A OUTRA QUE ESTÁ NO FICHEIRO FOLHA DE ROSTO QUE NÃO É PARA IMPRIMIR, MAS SIM PARA QUE O WORD POSSA CONTABILIZAR. Rasgar ESTA FOLHA E COLOCAR A OUTRA QUE ESTÁ NO FICHEIRO FOLHA DE ROSTO. NÃO ESTÁ NUMERADA E BEM, MAS CONTA. i Agradecimentos

Leia mais

Teoria da EVA mitocondrial e a utilização do DNA mitocondrial em estudos genéticos

Teoria da EVA mitocondrial e a utilização do DNA mitocondrial em estudos genéticos Teoria da EVA mitocondrial e a utilização do DNA mitocondrial em estudos genéticos 1. Diferentes tipos celulares Estudos de microscopia eletrônica demonstraram que existem fundamentalmente duas classes

Leia mais

EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO. discreta de células-tronco adultas fazem a reposição. laboratório, determinar suas propriedades

EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO. discreta de células-tronco adultas fazem a reposição. laboratório, determinar suas propriedades EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO José Carlos Rossini Iglézias* As células-tronco são importantes para os organismos vivos por várias razões. No embrião, na fase do terceiro ao quinto dia de idade -

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA. O que são células-tronco? células-tronco

CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA. O que são células-tronco? células-tronco Celulas_2006 5/9/05 17:41 Page 3 CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA O que são s-tronco? O corpo humano é formado por cerca de 200 tipos distintos de s, que se juntam de diversas maneiras

Leia mais

reportagem Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro

reportagem Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro Desde a aprovação da Lei de Biossegurança, em 2005, os estudos com células-tronco têm se intensificado e

Leia mais

1 100.000.000.000...

1 100.000.000.000... 1 100.000.000.000... 1 100.000.000.000... Diferenciação Celular O que é diferenciação celular? diagrama de Waddington O que é diferenciação celular? diagrama de Waddington O conceito de diferenciação está

Leia mais

3 TERAPIA CELULAR: SONHOS E REALIDADE

3 TERAPIA CELULAR: SONHOS E REALIDADE 38 3 TERAPIA CELULAR: SONHOS E REALIDADE A utilização terapêutica de células-tronco é uma das formas mais promissoras de tratamento de muitas doenças. No entanto, valer-se de tais procedimentos ainda desperta

Leia mais

Ética, Genética e Biotecnologia: o uso de células tronco

Ética, Genética e Biotecnologia: o uso de células tronco Ética, Genética e Biotecnologia: o uso de células tronco Apresentação A Lei de Biossegurança e o uso científico de CT embrionárias humanas, aprovados recentemente pelo Congresso Nacional Brasileiro, são

Leia mais

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

células estaminais e medicina regenerativa

células estaminais e medicina regenerativa células estaminais e medicina regenerativa Um admirável mundo novo José Bragança 1,2, Álvaro Tavares 1,2 e José A. Belo 1,2 RESUMO O progresso da investigação no domínio das células estaminais mostrou

Leia mais

Nome: Nº: Turma: Células-tronco

Nome: Nº: Turma: Células-tronco Biologia Ficha 9 Avançado Rafael mai/13 Nome: Nº: Turma: Células-tronco 1. (UFRGS) Em março de 2005, foi promulgada a Lei de Biossegurança, que autoriza a pesquisa com células-tronco obtidas a partir de

Leia mais

TERAPIA GÊNICA. Brasília DF, Julho de 2010.

TERAPIA GÊNICA. Brasília DF, Julho de 2010. Apresentação desenvolvida pelas graduandas em Ciências Farmacêuticas: Ana Carolina Macedo Lima, Ariane Mugnano Castelo Branco, Caroline Cardoso Mendes Souza, Clarisse Danielli Silva Albergaria, Jéssica

Leia mais

[Ano] Biotecnologia e Melhoramento Animal. Campus Virtual Cruzeiro do Sul www.cruzeirodovirtual.com.br

[Ano] Biotecnologia e Melhoramento Animal. Campus Virtual Cruzeiro do Sul www.cruzeirodovirtual.com.br [Ano] Biotecnologia e Melhoramento Animal Unidade - Biotecnologia e Melhoramento Animal MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Prof a. Ms. Heloísa Orsini de Souza Revisão Textual: Prof a. Ms. Alessandra

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Células-tronco e a lei de biossegurança Luiz de Carvalho Ramos A Lei de Biossegurança, n 11.105, de 24.03.2005, estabeleceu normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre

Leia mais

Ética das células-tronco

Ética das células-tronco Ética das células-tronco Mayana Zatz -Professora titular de Genética Coordenadora- CENTRO DE ESTUDOS DO GENOMA HUMANO Presidente da Associação Brasileira de Distrofia Muscular Pró-reitora de Pesquisas-

Leia mais

ENCONTROS E SOCIEDADES CIENTÍFICAS. n.º 7_DEZEMBRO_2010

ENCONTROS E SOCIEDADES CIENTÍFICAS. n.º 7_DEZEMBRO_2010 ENCONTROS E SOCIEDADES CIENTÍFICAS n.º 7_DEZEMBRO_2010 ÍNDICE FICHA TÉCNICA COORDENAÇÃO CIENTIFICA João Varela (CCMAR, U. Algarve) EQUIPA EDITORIAL Francisco Ambrósio (IBILI, U. Coimbra) Graça Soveral

Leia mais

Clonagem e células-tronco

Clonagem e células-tronco C LONAGEM E C ÉLULAS-T RONCO Clonagem e células-tronco MAYANA ZATS O que é clonagem? ACLONAGEM É UM mecanismo comum de propagação da espécie em plantas ou bactérias. De acordo com Webber (1903) um clone

Leia mais

Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz Instituto Carlos Chagas - ICC- Fiocruz - PR

Ministério da Saúde FIOCRUZ Fundação Oswaldo Cruz Instituto Carlos Chagas - ICC- Fiocruz - PR Itamar Crispim Simpósio Temático - 01/07 e 02/07 Local: Auditório do TECPAR das 8:00 às 18:00 horas 01 de Julho Abertura e Apresentação Institucional Dr. Samuel Goldenberg Doença de Chagas: realidade e

Leia mais

objetivos As células-tronco Pré-requisitos

objetivos As células-tronco Pré-requisitos As células-tronco A U L A 12 objetivos Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Definir o que são as células-tronco. Distinguir a origem e as características das célulastronco embrionárias e das

Leia mais

ISSN 1647-9858. n.º 7_SETEMBRO_JANEIRO_ABRIL2010 CÉLULAS ESTAMINAIS

ISSN 1647-9858. n.º 7_SETEMBRO_JANEIRO_ABRIL2010 CÉLULAS ESTAMINAIS ISSN 1647-9858 n.º 7_SETEMBRO_JANEIRO_ABRIL2010 CÉLULAS ESTAMINAIS ÍNDICE FICHA TÉCNICA COORDENAÇÃO CIENTIFICA João Varela (CCMAR, U. Algarve) EQUIPA EDITORIAL Francisco Ambrósio (IBILI, U. Coimbra) Graça

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UFRJ 2006 www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UFRJ 2006 www.planetabio.com 1-No processo evolutivo, centenas de espécies podem ser criadas em um tempo relativamente curto. Esse fenômeno é conhecido como radiação adaptativa. No grupo dos répteis, ocorreu uma grande radiação adaptativa

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 37 BIOTECNOLOGIA

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 37 BIOTECNOLOGIA BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 37 BIOTECNOLOGIA Bactéria Plasmídeo Enzima de restrição corta o plasmídeo DNA Célula humana Gene para insulina Gene para insulina combinado ao DNA da bactéria com a DNA-ligase

Leia mais

Quatro grupos de pesquisadores paulistas. Marcadores da fertilização. tecnologia Pecuária y

Quatro grupos de pesquisadores paulistas. Marcadores da fertilização. tecnologia Pecuária y tecnologia Pecuária y Marcadores da fertilização Novas técnicas mapeiam a função de proteínas, carboidratos e lipídeos para obtenção de embriões bovinos de melhor qualidade Dinorah Ereno Quatro grupos

Leia mais

Células estaminais e medicina regenerativa

Células estaminais e medicina regenerativa Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Biopatologia 2006/2007 11ª Aula Teórica: 27/11/06 Aula dada por: Dr. Raquel Almeida Células estaminais e medicina regenerativa Hoje eu vou falar de células

Leia mais

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular Descrição do Programa do Instituto

Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular Descrição do Programa do Instituto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular Descrição do Programa do Instituto A presente proposta de criação de um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Terapia Celular (INCTC)

Leia mais

ronco A Lei de Biossegurança vai impulsionara pesquisa nacional, que já era forte na área LEGISLAÇÃO ICAPA

ronco A Lei de Biossegurança vai impulsionara pesquisa nacional, que já era forte na área LEGISLAÇÃO ICAPA ICAPA LEGISLAÇÃO ronco A Lei de Biossegurança vai impulsionara pesquisa nacional, que já era forte na área MARCOS PIVETTA m 1998, a equipe do biólogo James Thomson, da Universidade de Wisconsin, Estados

Leia mais

Seleção Artificial. "A seleção feita pelo homem visa apenas seu próprio bem; a da natureza visa, de forma exclusiva, o bem do indivíduo modificado".

Seleção Artificial. A seleção feita pelo homem visa apenas seu próprio bem; a da natureza visa, de forma exclusiva, o bem do indivíduo modificado. Biotecnologia Seleção Artificial Processo conduzido pelo ser humano de cruzamentos seletivos com o objetivo de selecionar características desejáveis em animais, plantas e outros seres vivos. "A seleção

Leia mais

COMISSÃO TEMPORÁRIA SOBRE A GENÉTICA HUMANA E OUTRAS NOVAS TECNOLOGIAS DA MEDICINA MODERNA

COMISSÃO TEMPORÁRIA SOBRE A GENÉTICA HUMANA E OUTRAS NOVAS TECNOLOGIAS DA MEDICINA MODERNA COMISSÃO TEMPORÁRIA SOBRE A GENÉTICA HUMANA E OUTRAS NOVAS TECNOLOGIAS DA MEDICINA MODERNA AUDIÇÃO de 26 de Abril de 2001 Carlos Alonso BEDATE Curriculum académico Licenciado em Filosofia Universidade

Leia mais

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre

Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Biologia Professor Vianna 2ª série / 1º trimestre Módulo 1 EMBRIOLOGIA 1 Atualmente já existem protocolos de pesquisa utilizando células-tronco embrionárias na busca de tratamento para várias doenças humanas,

Leia mais

X CRIAR DESATIVAR RETORNAR ALTERAR

X CRIAR DESATIVAR RETORNAR ALTERAR B H 4 2 0 Embriologia Comparada 0 7 0 7 G 0 0 N 0 7 5 % S 2 1 5 S 0 1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 2 0 2 BH282 Gametogênese, fertilização e início da embriogênese. Gastrulação e formação dos primórdios de órgãos.

Leia mais

Painéis Do Organismo ao Genoma

Painéis Do Organismo ao Genoma Painéis Do Organismo ao Genoma A série de 5 painéis do organismo ao genoma tem por objetivo mostrar que os organismos vivos são formados por células que funcionam de acordo com instruções contidas no DNA,

Leia mais

Célula. A medicin. mantidas indiferenciadas em cultura tais colônias, às vezes, apresentam. na célula-tronco, mas ainda não se sabe em

Célula. A medicin. mantidas indiferenciadas em cultura tais colônias, às vezes, apresentam. na célula-tronco, mas ainda não se sabe em A produção de diferentes tipos de células em laboratório e sua utilização para recuperar tecidos ou órgãos lesados está deixando de ser um sonho. Estudos com células-tronco vêm demonstrando que elas podem

Leia mais

ESTUDO SOBRE CÉLULAS-TRONCO

ESTUDO SOBRE CÉLULAS-TRONCO ESTUDO ESTUDO ESTUDO SOBRE CÉLULAS-TRONCO Dr. Hugo Fernandes Junior Consultor Legislativo da Área XVI Saúde Pública e Sanitarismo ESTUDO MARÇO/2004 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria Legislativa

Leia mais

Conceitos Básicos de Reprodução Assistida

Conceitos Básicos de Reprodução Assistida Conceitos Básicos de Reprodução Assistida Mariana Antunes Ribeiro ribeiro.mantunes@gmail.com Tratamentos IIU - Inseminação intra-uterina FIV - Fertilização in vitro convencional ICSI - Intracytoplasmic

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR

CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR CÉLULAS-TRONCO E A DIFERENCIAÇÃO CELULAR Plano de Aula -Desenvolvimento embrionário -Diferenciação celular -Células-tronco em diversos tecidos - Profª Juliana Schmidt

Leia mais

Expressão gênica e diferenciação celular

Expressão gênica e diferenciação celular Volume 2 Módulo 2 Biologia Unidade 5 Expressão gênica e diferenciação celular Para início de conversa... Quando você olha para as pessoas ao seu redor ou para você mesmo em frente ao espelho, é capaz de

Leia mais

Expressão gênica e diferenciação celular

Expressão gênica e diferenciação celular Módulo 2 Unidade 5 Expressão gênica e diferenciação celular Para início de conversa... Quando você olha as pessoas ao seu redor ou para você mesmo em frente ao espelho, é capaz de perceber como as pessoas

Leia mais

Carlos Sinogas - Biotecnologia 2014/15

Carlos Sinogas - Biotecnologia 2014/15 Terapia genética Técnica para corrigir efeitos de genes responsáveis por patologias Métodos Inserção de gene normal para substituição de gene não funcional Correcção do gene anormal (mutações especí?icas,

Leia mais

Capítulo 2: Tendências da Pesquisa com Células-Tronco (PCT) no Contexto Brasileiro

Capítulo 2: Tendências da Pesquisa com Células-Tronco (PCT) no Contexto Brasileiro Capítulo 2: Tendências da Pesquisa com Células-Tronco (PCT) no Contexto Brasileiro Dra. Liliana Acero Conteúdos: 1. Introdução 1.1. As Células Tronco (CT) 2. Breve Histórico da PCT e da Terapia Celular

Leia mais

Com Ciência - Células-tronco: a promessa da medicina regenerativa

Com Ciência - Células-tronco: a promessa da medicina regenerativa Página 1 de 5 Editorial A esperança celular Carlos Vogt Reportagens Pesquisa brasileira em CT já apresenta resultados Em meio à discussão ética, a pesquisa avança em todo o mundo Faltam leis, sobra polêmica

Leia mais

M. Sc. Nadia Batoreu Dr Martin Bonamino Dr Etel Gimba. goulart@bio.fiocruz.br. Ana Emília Goulart, Bio-Manguinhos/ Fiocruz

M. Sc. Nadia Batoreu Dr Martin Bonamino Dr Etel Gimba. goulart@bio.fiocruz.br. Ana Emília Goulart, Bio-Manguinhos/ Fiocruz Investigação dos mecanismos moleculares pelos quais o PCA3 modula a sobrevivência de células de câncer de próstata. LATER/ PBIO Bio-manguinhos/ FIOCRUZ goulart@bio.fiocruz.br M. Sc. Nadia Batoreu Dr Martin

Leia mais

Células-tronco: progressos científicos e o futuro das pesquisas

Células-tronco: progressos científicos e o futuro das pesquisas Células-tronco: progressos científicos e o futuro das pesquisas Silvio Higa - Traduzido e adaptado de Stem Cells: Scientific Progress and Future Research Directions - http://www.stemcells.nih.gov/index.asp

Leia mais

ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS E MESENQUIMAIS DE EQUINOS

ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS E MESENQUIMAIS DE EQUINOS UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS E MESENQUIMAIS DE EQUINOS JOÃO FERREIRA DE LIMA NETO

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos Rio de Janeiro, 21-25 setembro de 2009 Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ Construções Mais Comuns

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 12 DE MAIO DE 2008

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 12 DE MAIO DE 2008 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO - RDC Nº 29, DE 12 DE MAIO DE 2008 Aprova o Regulamento

Leia mais

Avaliação molecular da macho-esterilidade citoplasmática em milho

Avaliação molecular da macho-esterilidade citoplasmática em milho Jornal Eletrônico da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) Ano 04 - Edição 26 - Agosto / Setembro de 2010 Artigo Avaliação molecular da macho-esterilidade citoplasmática em milho por Sílvia Neto Jardim

Leia mais

PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS

PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS 47/CNECV/05 PARECER Nº 47 DO CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS (Novembro de 2005) O presente parecer do Conselho Nacional de Ética para

Leia mais

ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS E MESENQUIMAIS DE EQUINOS

ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS E MESENQUIMAIS DE EQUINOS UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA ISOLAMENTO, CARACTERIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DE CÉLULAS TRONCO EMBRIONÁRIAS E MESENQUIMAIS DE EQUINOS JOÃO FERREIRA DE LIMA NETO

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL... Seção II Da Saúde... Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada. 1º

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO: UM BREVE ESTUDO STEM CELLS: A BRIEF STUDY

CÉLULAS-TRONCO: UM BREVE ESTUDO STEM CELLS: A BRIEF STUDY ARTIGO DE REVISÃO / Review Article CÉLULAS-TRONCO: UM BREVE ESTUDO STEM CELLS: A BRIEF STUDY Sara GRINFELD 1 Roberta Gondim da Costa GOMES 2 RESUMO A célula-tronco é uma célula que pode se diferenciar

Leia mais

Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES

Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES COM CARDIOPATIA ISQUÊMICA OU VALVULAR. Autora: Carine Ghem Orientadora: Dra. Melissa

Leia mais

Células tronco promessas e realidades da terapia celular

Células tronco promessas e realidades da terapia celular Células tronco promessas e realidades da terapia celular Stem cells - promises and realities of cellular therapy Lygia da Veiga Pereira 1 Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar ao leitor aspectos

Leia mais

Possibilidades Clínicas Atuais para Terapia Gênica e de Células Tronco no Tratamento da Fibrose Cística e Outras Doenças Genéticas

Possibilidades Clínicas Atuais para Terapia Gênica e de Células Tronco no Tratamento da Fibrose Cística e Outras Doenças Genéticas Possibilidades Clínicas Atuais para Terapia Gênica e de Células Tronco no Tratamento da Fibrose Cística e Outras Doenças Genéticas Preparado Por Dace Shugg Professor Bob Williamson AO, FRS Professor de

Leia mais

Geneticista Mayana Zatz defende mais ousadia nos estudos com células-tronco e revela avanços da área

Geneticista Mayana Zatz defende mais ousadia nos estudos com células-tronco e revela avanços da área Publicada em 23/05/2010 às 07h53m 'O futuro é brilhante' Geneticista Mayana Zatz defende mais ousadia nos estudos com células-tronco e revela avanços da área SÃO PAULO - A notícia de que cientistas do

Leia mais

O que são células estaminais?

O que são células estaminais? Mundo Estaminal O poder de dividir Área de Projecto 2010/2011 (Sobre) VIVER Planear o futuro, lembrando o passado O que são células estaminais? 4 Células estaminais: o que são? As células 1 são as unidades

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Sementes na agricultura orgânica

Sementes na agricultura orgânica Sementes na agricultura orgânica Uso da técnica de fusão de protoplasma em macho esterilidade citoplasmatica(cms) e seus impactos na agricultura orgânica Pedro Jovchelevich Associação Biodinâmica OQUE

Leia mais

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos:

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos: Estudo das alterações citogenéticas em pacientes com suspeita clínica de síndrome mieloproliferativa e em pacientes com leucemia mielóide crônica em uso de imatinib. Experiência do laboratório Sérgio Franco

Leia mais

ARBORICULTURA I. Propagação de Plantas

ARBORICULTURA I. Propagação de Plantas ARBORICULTURA I Propagação de Plantas O que é a propagação de plantas? É a multiplicação de indivíduos do reino vegetal, por métodos sexuados ou assexuados, por forma a obter na descendência um determinado

Leia mais

células Vários tipos de

células Vários tipos de Células tronco Bioquímicas Maria Alice Vieira Willrich Adriana Helena Sedrez Patricia Bernardi Curso de Gestantes Unimed Brusque, 03 de setembro de 2007. O que são células tronco? Tipos de Células-Tronco

Leia mais

Aplicações da Biotecnologia na Agricultura

Aplicações da Biotecnologia na Agricultura Aplicações da Biotecnologia na Agricultura Cultura de Células e Tecidos Anticorpos Monoclonais e Sondas de Ácidos Nucléicos para diagnóstico Engenharia genética de plantas para a introdução de novas características

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES EM GENÉTICA - PARTE I

DESENVOLVENDO HABILIDADES EM GENÉTICA - PARTE I DESENVOLVENDO HABILIDADES EM GENÉTICA - PARTE I Leia o texto abaixo com atenção. Considere que, nos pombos, a ausência de s é condicionada geneticamente. Nos cruzamentos que um criador realizava, ele observou

Leia mais

Coffee Break 10:30hs às 11:30hs Biologia Molecular do Processo de Apoptose Prof. Dr. Roberto César Pereira Lima Júnior Departamento de Fisiologia e

Coffee Break 10:30hs às 11:30hs Biologia Molecular do Processo de Apoptose Prof. Dr. Roberto César Pereira Lima Júnior Departamento de Fisiologia e II Curso Avançado em Citogenômica do Câncer - realizado pelo Laboratório de Citogenômica do Câncer da Universidade Federal do Ceará. 20 a 23 de novembro no Seara Praia Hotel em Fortaleza - Ceará. Carga

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.4.2003 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RELATÓRIO SOBRE A INVESTIGAÇÃO DAS CÉLULAS ESTAMINAIS EMBRIONÁRIAS HUMANAS* RESUMO * Tradução não oficial

Leia mais

Apoptose em Otorrinolaringologia

Apoptose em Otorrinolaringologia Apoptose em Otorrinolaringologia Teolinda Mendoza de Morales e Myrian Adriana Pérez García Definição A apoptose é um processo biológico existente em todas as células de nosso organismo, conhecida desde

Leia mais

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia.

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. Questão 01 B100010RJ Observe o esquema abaixo. 46 23 46 23 46 23 23 Disponível em: . Acesso

Leia mais