,.. I..,... la pu.,.,... de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ",.. I..,... la pu.,.,... de"

Transcrição

1 A c»tana _(evai. IE J'A1J)~ICA.JMl. cseonta "' aetla'l'o mo:tj. na qualldade de MIl Pre41~te _ dolo, Pl'o.a1p no. ts!iwc 6» Artt..,."'O 1~ /!fi ~ ~to Sák:'l1o, e ~.. "'x- Al'ttco 1* ~ A tdej. n',. l1d vu&u!jij. da LeS a' lat$,..,. :as de OUtll&bro de 1.91,&. ~oada pelo ~ 1', d4 Le1 a' 258. de :!li... 1_"" O\ItuIs'o de p..'& e... MS\IlDte. E9 l~'aam 11 WC1J!5jA C iu uirmao C2lfoaoID _tora) 'M1lt.,... _I. CP" 1."' OW... em II ~... f'awiea;1id e. D.. I- Notoelel...,!! "' ,.. I..,... la pu.,.,.... de t. f'aiii'i. ClllQIo Oit e 1.i"... ~- :r~... P... de~1o t~- I~ tct. ~ de ta1ll'1oi;io.' e 1. ~_ I~ la. pan~" i"alwf.4iiiq1o '1-% ~~.. ~t..... e... Z~.. '- p... I.fOe tu h~ Jdta9 l~, ~~ de t'atlrto.qlo u- la., t~....to. t'alllplaaqlo 6a e , Gaft"Nt.1 ~biae. PA I', de e 12 l>m... ~, ~ooo.oo c.troe'tj~. OIdI:ilu, 1>= 7,.to :::::' "DOOt" ~ 1~, GOl..., P" "',... de..se.. 2» ~~:o-...!! ~ =;. ~eoo,.. 1,.. ::.: ,.. a6!j...,.".. U... e: em......,., de a... 1alIIo N... ~ ,.. 1'- 0...,..,.,, ao., t~ "'fone 1 t-... 1IoI'e8 de....,... 1aCIIMt... li ~ 4?'eM.. de..,.. de 6 e 1& tcna1... ""'... ""._ De...!.; aeo tontol 84 U~ De..s ,.".. 1~cJaIJ... ae" Oi...!... I!!D- De -.. ft. e tonel". ucjtllfell ' ~ 6... ~ o...s. ~ada. lsta14a ~.. za- ~. de ~ ~~.o Dl<Nl", tyj!p 10M' 'W!!!I!, ( Am'l )

2 -i!- 1- Carros at~ 4 passagg1~os.. Z - Carros Até 5 P8Ssage1ros. 3- CQ1'ros, jardineiras, on1bus, p'il 1~as. eto. de " e. 12 pa3sagu1roa _ 4- Cerros, Jardinel.ras. r;,nlbus, peruas, et;c.!'lo 13 a 20 P!l.S - sagalro$, 5- Carros, jardineiras, onibua, p~ruas, eco. de mais de Cam1.nhõe,; ~assag.1ros leves. t... ate 3 t[meladas l1quiõas, ou motoc1c.los ~.. com c...:... _" de carga ao lado ou a reboque C~es pesados, camlllllaes tralores e sem1-tra11res de 3 a 6 ton~ladas. 8- Caminh~es posados de mais de 5 a 9 tonoladas 9- Cam1nh~es pesados de mais de 9 a 12 toneladas 10- Cam1nh~e9 JleSados de mals da lê. a L.l tcneladas 1:L- Call11nh~e9 posados de mais 08 la a 211 tonelada!'! 12- Cam1.nheos posados de mais dli 24 a 30 toneladas 1" C~Oes posados de mais de 30 toneladas. 14- Caminh~es posados com jamanta, pagarão sebrq as tabelas aelma, de con.formldade com n.. SUB tonel.e.,gem, rn.a1ea:.... j)id'rsoê - Ci'J.IDil 1- D1c1a16tas 2- Carrinho de ~ão _.~ ~ _ 9 VEICUfQS ~~o ~fí.i\l - Zopg UrbanA.AIm - ugüê 1- Carroça de duas rod~s sem-mola ~ 2- Carr~a de quatro rodas e 5aw mola.. r Cal":ooqa de duas :oodes. com moloi:! (c~ll'rinho de praça) 4- Carl"oça de dua!j rodas, com molas, cl pnmll!lat1cos. 5- Ce:rroç a de qua trg rodtl.", O"'" molas, cl pd'nf'jumat1qoll 6 - Ch411'"i.ete oom ).1'(...Jda.s de.ferro. p... '* 7- Charreto com roaas ~e pn~ntloos _~ 8-1'ro11 ou!)9::11-troll... \I Carretilo r.'ara transporte de toras Carretela I:a:ra transpo'rte dê toras..... U;IC!1LOO A 1'1lACl!.Q ANIHAJ,. - 2ono.rural. (Anual) 1- Carrooinha.em mola ~ 2. Carrocinha com mola 3- Aranha com mola (roda de ferro) ~, 4- Aranha sem mqla (roda de ferro) ~ 5- Charr-ete C01l1 rodas de.:ferro eolll molas Charrete oom rodas de :r-neumatlooa.... 7~ Trol1, somi-trop11, roda de ferro _.#.~. 8- Carretlo para t~anspo~te de toras _ 9- Carretel. para tran_rorta de toras ~ 10- Aranha ou oarroc1nha, oom molas roda. de pnaumat Aranha ou carrocinha, som molas, rodas ~e pneumatieos 12- TrolL ou sem1-troli, com rodas de pn.umatioo l~_ Carretel a com roda. de r.rro.. 4 ~.' ~ 14- Carroça de U rodas, da rerro ~5- Carro de bol, ~o r1xo ~... 'li.". 900, , , , , , , , , , , , , ,00 5O,ClO 150,00 150,00 80, ,00 Li.oco.oo 80,00 120, DO 150toO 500,00

3 Artigo Z' a) Os ve1cul.os emplacados na Prefeitura, pagal'lo.. chapas e selo. de chullbo pelo valor do. _., b) O. ve1cul.os que rol'_ utj.11aado. _ ohaoara. e ~.,.. 2endas pu'a Sêl"Ylços j.ntelrnos., nl'io transl tar_ pe1as eotradas do ~c!p10, eetarlo.utomatioa _ mente, '.lsentas de 1.IIpostos. ' A Tabela oi 7, ' do N't1gó 71, ' tia Lei n' 46 ~ 18 4e outubro de 1.9l48, Modl.fioada pe].o artigo 02-, da Le1 n-.258, de 31 de OUtubro de 1.95Ó, passará Q ser a seg~tei,vbgj,. "4" -; JauQ.tg ppr eat.rg ]1p,.r (Ra' rua', "presu ' ayen1d., O"ç''',i''>" 1- Terreno em aberto z- ~reno com oêrca bruta. 3- rer~o com gradil ou muro pintado ~- Terreno com grad~ cu muro nia p~tado ~ ~ Terreno oom grbtill ou muro nao havendo edirioaç!o nlo pintado...!'.1'~ gradu OU J:lUl'0, havendo edl!'loar, io e.,1d'tado 7- A êxt4msio do terreno considerado com edlrl~açl\n a pintado i'r8l1te \lara. rua, aten1aa DU praça. o excedente ât6 20 metrd3 pagar' cr.t5o,oo por metro 8 o exaedclte desta liiqt:t'ag_ pagará. cr.t60.oo por _tro. niíd posc1e «Itoeaer ae.20 _tro. de 3- Terreno som edtt'loaç'o, J>r..u-ndo. S1.1;nado na!! Px-açaJJ 9 de JulhD, dr. Joaq~ Baptista, por ~tro 11n Terrenos 90M edtflcaçlo, n~o muradoa e aom gradil, lltuado. nas praças 9 de Julho e dr. Joaquim Baptle1õa,por _t:ro linear 10-1'erranos sem ed:t:t:toaç~o, murados, situado!! nas praça. Sac, Benedito (D.Joa6 Marcondes Homem da Malo) e P.A.aS1S,POr 1Inear 11- Terrenos aem edl.flcaç!i.o, nlo murados e-sem grad1l s1tuado:; na. praças São Benedito (D. Jos6 Marcondes Homem de Melo) e D.Aesi., por aetro linear O. terrenos eo.preendidos 110S itens 8, 9, 10 e ll, lof'rerlo um acresajjdo :progress1vo de 50$ ao ano, enquanto nao houver ad1:t'1eaçlo ooiil liiiiiillios. 13-!'vreno8._ 8411'10.;10 em aberto sl!;aadoll na rua Ru1 Barbo-o.a,. eoimçar pela Avenida Ar~ Y.rrI até a AVenida doutor Vonte., por metro 11near llt- Idem na rua Sil.o S~basUao a co-.ar aa Av. Pintos.t6 Av. Dr. Ponte., por metro llnear 15- Idem na rua K1m1 AlfJ!!lagna a começll1' da Áv.riradente. au Av. MaJor Novai., por m$tro linear 16- Idem na rua JUCQ quito a oomeçar da Av.riradante. ati a Av. 7 de Setembro, por metro ~1n.ar _ na au.a Barão do Rio Drancot coaeçar da A".Pinto9 41'0 Av.Arthu:P V.rrS. at' Av. Dr. J'ontes, por liletro lineer 19- I4_ na rua 24 de Maio a oomeçar da AV. General Carne1ro at' a Avenida dr.fonte8, por metro linear w 19- I~eD,na rua Floriano Peixota a eom.ç ar da Av.General Carneiro at6 a Av. Dr. Fontes. por metro 11near ao- XCI. da rua Si.o, ~olo cc_.. ar da A..,. Duque de Caxias at6 a Zl.~ Av.Brasi11ano Oosta POntes, por metro 1inear Idem na rua Quint1no l5ocb1l1ya a coaeqar da Av. Pinto J'err.1ra at6 a Av.BrasIliano Coata POnte.,por ~etro linear 60,00 50,00,0,00 40,00 40,00 20,00 250,00 ZOO,oo ZOo,oo ZOO.OO ZOO,oo ZOO.oo ZOO.oo ZOO,oo ' '

4 -14- z.c;- 1d_ Rua.Tos' llonl1"r.ol0 a c~ar da AY.Pint;o hrrelra.t6 a AVen1da Bru1~lano COAtIl Fontea, 1ncl.u1ndo.. ro.pootlvui trave... ou aven14a81. que 11g_.. aua. entre al, coiçrea:ldendo-sa as do ltaa ~~ a 22, por motro Linear 23- Terrenos murado. ou oom gradil, localisado. no. itens l' 22, 1nel~do as travessas, ou AvenidaS, por.etro linear 24- Os terrenos situados em eaqulnaa pagarão p~ ~ate~la dico pel,aa l.atezoú. <toa ~ da rectuçao na. tabela. 801_ flx.. d 25- o. terreno. com~roendldos nos Itens l' a 23, so~r.r&o UM acre.o1mo probteaslvo de ~ ao ano, enquanto nlo houy8r odi- 1'108";10 noa UMtll1lloa. 'ANlLt -DI' - bmp.tq?or metro J 1 PIar (Nas rltu, praças o ávan1da. aarget:.adtt.1i e 1~um1nada.) (ExceptulUldo da Tabel.a "A- - Itens n l l' ~) 1- ~errono em ab$rto ~ Z--Terrano O~ c'roa bruta 3- terrerw Qom Irad11 OU aura alo pint.do 4-1'erreno oom gl'adil ou IIlU'O r1i1t.~o 5-1'errreno grad1~ ou muro~ havendo edl!".1cação enio pino.do 6- ~reno 00. gradil ou.uro hr?en~o 9dltlc&çlo. pt~tado 7- A ext8dsão do torreno co~sidsrado COIII odltioaçlo nia p6ae exceder de 10 metros, pagar' cr.t 10,00 por metro e o. excedaot. dea" trag_ pqari cr.t15t~ por _t_. 8- Os torrenos sittlado8 em 9ll'l111n&ll )la-1llrlo pelas lfllteral. coa 6<l:C cse 'l"e(!qçlo nu ta~aa acima f1xadas. 200,DO 150,00 140,00 ~,oo _ 10,00 ~,oo fasbla "Clt 1 ImvoatQ por metro linear (Nas ruas, l:raças's avenidas ilum.:lnadll.s e nlo ss.r&;eta.daa) (E~cepttl~~do d~ rbbe~a "A- - Iten. ~~ a ~) 1.- rerreno em aborto ~..._... Z-. ~~~eno com oira. bruta _,.. 'rerr-.o eoa... to ou grad1l nlo pintado..." ~erreno oom auto ou gradl1»1ntado 5- Terreno aura ou gradil havendo edlf1caqlo e Dlo pintado 6- rel"~o wto ou,radu havendo edj.tj.oeqlo, pintado 7- A extenalo do terreno conllldel'qqo com edu'i0891o nlo pode exc.de~ de 10 metro. d. frente para a rua, QveD14.o~ praça' o exoedente desta rnetragem pagar' or 5,00 por metro. 8- o. t.rreno. s1tuados e. esqu1na, ' pa~.. lo p~,, l.t~~. ooa 60,% de reàuçl0 na. tabeles ~a1.. tlxadaa., "." Z<I,oo l.5,00 1.0,00 6,00 14, Artigo '" rabela n e 10, do arugo 91, d4 Lel n l 46, d. 18 de Ou-. tubro de ~.94B. modificada PQ~O Artlgo,I da Lol' na' z58~ da' ~ de Outubro ' ae 1.956, pas.ará a ser a 8.g~te. 1- z- QmU'GlO Dl$ ESOO198 DQl(XCILURM Pr6dio p*flmetro oalçado.cada l.iaaçlo ,00 Pr'4io.. outroll perliaetroa, cada ll&6\l1o ;,. ~... -:-. ~ " ArUro A Tabel.a n l ll.. do t 11n.i.co, do Ar'lr"9Z da x..1 u a 4'.da

5 -5- de 18 de OUtubro de 1.948, modl~ieada pelo artigo 41, da LeI n l Z5S, de 31 de OUtubro do 1.956, passará R ser a.eguintel k Z: Z- REMQCAO DOMJCILIAR [!E LIXO, ru:cobim E lleslooqs Pr(,dio do valor loce,tivo anual at6 cr.t3.oo0l?o - anual - Id.. ~ã.. da maia de er.$3.000,oo até or. 5.bOOrO~ - anual., Idem idem da mais do cr.~ até ar anual IdeID 1d_ de 11'.818 de or.$3.z00,oo ata or ,00 - anual. Idem idem de ~ais de ar.th.8oo,oo Até or. 7. anual Ide&! idem de mn1s de cr0t:.200loo a.té or ,00 AnUal Idem 1dem do ~s de cr ,00 ata o ,00 anual Idem de mata de or ,00 ata ar '.000,00 - anual Idem idem de mall!1 de a.l' ,00 at6 cr 3Q.OOO,óo anual Idem 1d... de maia de ar'i' ,00 st'..000,00 - anual Idem idem de r.mll!1 de or ,00 at6.c.oo,oo - anual. Idam. 1dem de lu31.e de cr. lj,2"ooo,oo - anual. (Nota: O~ pr~ dio s com ecdnômla eepaxon,da prcarlio tnmb_ taxas corrc~pondentes a quantas ~oram as 11gR~~es ou sub-lo OIlÇ~ea). Artigo 5' - A Tabela n l 1~, dn A~tteo 97, dq Lel n l 46 do 18 de ~~tubro de 1.948, l!)odlf'lqada pelo artigo SI da I.. t n tl 058, de 3".l 4. DIItubro de 1.956, passar! a s.r a a8gulllte: SF..rVLtA..~ms a) - m!ndrab ~J"lll.1 1- P.ara rnt110res... ~1'... ti z- Para meno~es. b) - quad't'aii r0i11e'ml'll~ 1- Mo~oro3 dg 9 ~~DS... ~~ ~ _ r z- Maiores de 9 anoa ~, 1-2- ~: BPUL'l'!lBAS a) stmla..t98sq para A' laoca., raa!lty'4" 0'91191' moi) Por 10 anoa.... Por 1.0 IlllOS com.raoe para a :"~ Po~ 20 anos 4 Por 20 anos, com ~ac. par~ a rua Perpetua ~. Perpetua, eom race para a rua (Maioras ao 9 anos) Por 10 anoe._ ~ Por 10 anos, eo~ faca para a rua Por,0 ano Po!: 20. 4al\OS, com raaa para a rua Perpetua Perpetu4, com ~8CO para a rua foel-.,petua, com fac. paro a rua e pnra ~6.-rl..gp ' , Z00,DO 1.800,00 z.400,00, , , , ,00,.000,00 IhOOO,OO 4.800,00

6 -6- mmmnqs Pi:.RA JAZIOO. Em 1- Com face :pera a rua ,00 z- Em es~a ~ ,00 ~- pu 'IA Aprasant&Qlo de planta para m&u.o~60s, 3aZigOSl tumuloa ou capela., preoedida de requerimento 80 Prete to ALIlIHAJ!EN'l'O MEDINf+B RlgtnmIl:Iwrw AQ PREfEIN 1- De tumuloa nas quadras re~.rvadas De lliill"oa, etc:., f aré4 jal'ú1ns, Qr" qu!ldras ré!lervbàas o 3- Nas quadras gera18 gssabm OISOS 1- Entrada no Cemit4r1.o "",diante requerimento ee> Pref.. ito Z- Retirada do Oemit6r10,mediante requerimento ao Prefeito a) - Dl' Adultos b) - De Henores REKQÇAO DE QUAmA DB..'lillP 00 CEMlrlRIO (NIId!onlêe ao PrifeItõ ~!IOO,oo ~oooo,oo 500,00 ;;00,00 1'MA, l,!;5peçim ~. ApHveltl'.t;cntn ~g tu.>mlj.\l!; ;,u\'e. novas j,nlru./liqções _diante raquer1.mento ao Pre:feito ,00 1- Z- 3- LICm-<A MEDIANX8 REQ[JICRUlENXO AO PflERt:tl'O r ARA CONSTRIJCOES B MSEW&IJ:jENroq DE!'tt1uI.11os, oada... " ~. xausolêos. jazigos ou cbpe1as, oada ~08, ~nuso160s, ja~lgo., capelas, por ~essors nlc tabelecidaa uo Município Nota. As oarneiras serão c!mst rulda:!l p"los intere.,1ado 500,00 ~oooo,oo 3.000,00 Al'tigo 68 - A Tabal.a n 8 1" do artigo 102, ds. Lei n' 46,ct. 18 de outubro de 1.948, IIIIlctlf'1oada pglo Art1go 6- da Lei n l Z58, de 51 de Outubro de 1.95Ó, passar' a ser a seguinte: ~ z- E: KAZAWURO ~. bcy1no8,.bat~do., eada, AO''''. aulno8, abatido., oada An1ma'. caprino. ou InigeroB, abatidos l cada aada boy1do reoolhido ao Matadouro e nao abatido dentro de bb hor, e.tadlb, por dia Alugue:la ele poclllu, por lua ou 1'rll';lo t Dada cabeça. o rrlpelro. por _a , ZO,OO 60,00 60,00 :!'!)O,00 Artico 1- - A Tabela n l 1.4, do art1co ~D5, da Lei n 8 li.6, de 1.8 de Outub-t'o de 1.9~, liocu.f1oa4e. pelo art. 7 1, da 141 n l 258, de.:51 d. outubro 4e 1.956,pusar' a s.r a.eguinte.

7 -7- MO!.UH!jlI1'!lS A].Jnb'MPto a)- De oada allnham9nto; co~ OU ' sem n1velamento, oom uma ~age b). De cada al.1nhamen'tco, com ou 15_ n1,..ela.mento, 00. duu t'aoe. c) MUros, oom ou Bem n1yê~amento, com uma r.e,.... d) Muros ou sem nivelamento, co. duas t'eces Olt..u.... MVAAM a}., Para mad1t~qaçiu d8, pl~lt. J' aprovada b)- Pua cons~j'tos, reconstm1ç lle. ou altepii<;!5e.!l externas de. pr6d1os. _ c)- OonatruçAo em geral... ~ ~ ~... ~ )- Para funcionql1l~to do éstabeléoimebtos oomerciais, indu. _ trla1. e.1d111ar.s e volculost.raçllo Il!Otora.. d. imposto sup. a cri' 20,00 ~ ~.~ ~ ~ e>- I4em,id..., 1 delll, de i~posto infer1.or a ur 20,00... r )- P~a DGgooiante. aabu1ante. de imposto at6 or.$zq,oo g)- Para no~oc1ant am\l ~lante. de flnvosto d. mals de 01'.'2.0,00 ata cr 30roo ~. h}- PI.\!'B n.~oc ante ~bul, ~te de,imposto ~e JI1ais,,~ 01'.$30,00 at6 or.'50too :1) Pare. ne,r;oo1.. nte lij!\hu.1l11lte di!' impcsto sur el:lor Q cl".i50.uo 3)- Pare easaa ou empreeab de, d~vers~8s, 1~po.to :1nreri~ & er.tzo.oq... ".... k)- Para c... ou ~preaas de u~vers~os, imposto.uper1or a cr.~20,oo lj: Para l;1cen<;ali o.pf.lcfa1s, ~e ijopqstos atli croe_do IdslIi, lde1ll, 1d_, de 1mpo!J'to IItl!)e:!.'ioI' a 01' D Pua "8.Dl;~to 4. bomba. de SU<l11na. OU.. 1ar _ Ct.~d eo~rala1 ~ ~...,.. Z - Ela POlltO. de "IJ'lillda. t; " Em l'urij 011 prnç; as, Pal'a veieu.lo-'l a tr8~ão nn~, 2~na urbnna P- Para ve1c:rnlos II tr~tlo an1rn(11, zon,.. rttro1. mscaj a)- De papei. arqultados ou p~e.do b papcll bu.e_ do, at' dois an~ ~ b)- Idem, idem d<l maia de,d018 ano~t Qcre!lcJ.mo, VOr ano c)- (As buiic... em 11V1:oS l'~.x'io a _t.de daa 'taxas utabel.o1- daa para as buaolul do pep.s..l. (O. 81DOlumantos de busoas serio cobrados adi_t.d~'tc. no!to do pedido da ce:rtj.4io 011 ateetac!c, quando DO I'equ.n- 1HIl't;o n&o menoionar o ano.!tio batendo t.nd:10891d do ano, oobrar-... ~ ar.tl00,oo, ;fioando,luje:lto à direrença - que houver, de ~oardo com a Tabela que ser' eobra4. DO 'to 4a ontrega da Cert1dlo ou Ate.tado). CERUDOES li ' AlMUPQ a)- Para qua1aqu.r.r1.n_ #...,,. ',... ', '.... (Oa.dos aerlo t"orneo:1dos pel.. part_ t.nt_ da.) 150,00 15,00 ;!\lo I ao 100,60,- 60 t H ' ( , --=') :J60,00 / 120,00 160, ,00 ~,oo l~o.oo. INl'OllJWiP1S..' " a.)- Pedido. de. 1nd.~.ncSente ti. cust, alem da taxa 4e _ped1ente!;

8 o) b) -.Q.Q.ü..J,,1!t.\Nf ASB 1 TlAOO!) - At4 er.$5.0üo,oç Do m!l1. de cr. Ei5.000,oo a t 6 or. $20.000,00 do Msls de o~.20.~)o,oo,cada cr.$1.000~oo exoeàanto - ma1a PLANtAS E CROquIS - C6p1a de plantaa ~ - Peô1âo3 de a.r:royn"'l.jl0 de 111 ti.... &-Q:.CESÚQl?él Fi f'sfe'ltlp;qjos a) - Pedido. dirigidos a l~unlci p alldade 10,00 n ) - Alem da busca EXi>EDmnre (Protocolo) a) Taxa de prdtoco10 ; LX11j'EZA OI) PRlMgS a)_ Pedido para, cnda pr6dl (QUando mua a6 pedj.do, ha3a.ol101taçlo para 1I.mp... de mais do um r r4c!lo t eelrao ~obradas tantas tau. fluiidtoil t'orem 011 prdc!10. indicados). limqs a)- De praça b)- na qaa1qaer QU~. natupea iirwsrnnrujci AS pe contrato. gonge81~.' 11. O que tiver tlpu1ajo no contrato. ZL lmo hayeucso eotlpulaçlo, ;st.abro & Importânola da transrerencla S-- De ~u COlOQrelata, lnlfuatrla1l1 e slmual', a ft()'v'o. der."":!! uo-idem, 1dam, 1~.. 48 local 5-- De p~6~ost Carranoa e propr lgdadec agrlcolnll "'i:c;p1qf 'rr"3. kj Hptgra 1 A B09O~ Za. De maroa8 ~....,a_ De n6mero 48 motor 40- De categoria zoo,oo zoo,o<> zoo,oo ADERitlHA a)- De 3stsbel.eclmentoa ct)rn aro1~s, tnclustr1al. 8 o1c11aroa 500,00 ylstorlnã - A [.acudo de' para' 1 8 )_ No perlmetro da e1dao z gj - ~ra da ~se perlmotro e 400,00 :;9)_ Fl'OlongMc!o-SEJ por l~lb de um 1UIl, pagol'i.o por dia zoo,oo. COP't!un ~ Da contratos, prgcedondo roquer to à Prefeitura, cada uma, alam da taxa de ~odlento

9 MADIGP&" a>- Da reuanmat.. reu llyl'.... por ano..._ b>- Da... (&'"4. qa _trlcnu.. quarato f.- COODtrdoa.... "._dopel... U\l PI'.",... tv. ~ai-. :rio IIOl'toa JIelo prooea90 que... J. _ ~)... IfIlMftAB B eiul''p >- De ol~oo.t parques de ~ver. ~', e 1.000,00 Artl.., S8. A 1'1lbe1a n' 15, do 81'tlgoh8 U5. da ~ n' U. de 18 de OUtu'b'ro de 1.9.b8. IIIOd1rlcada pelo arugo 88 da Lei n Q Z58. de OU~ 4ft 1.'''. p..,ar'... a HIÜDt.,.. 1 :n.poauo 4. a"l1-.1 oavalar, muar ou bov1no, llol' dia 81_ ela ~\a de 101raol.o.. ' Depo.Uo ~ ~qu.1" oue;.o ""...,. po!' d.1*t &1.alta ~ ~, - PepOsUo de v.toldo. de qualquv eq601...por lua 4 - Depoalto de qua1qa~ outra a.readorta Artico,. - A tad tabeleoida DO án.lco, 40 APUgo 93, da ".00 SO... 50,.. Lei. n' M. de 18 de OUtubrc de 1.948, 1IOd11'1oada pelo Al'Uco,8. ela LG. n 8 258, de ;g. ele OuiRlbro de 1.9". pau...'.. RI'... p1rate,... ". ( le 07U"~.). ArU.. 10' - Ao ~ \la1jeleole1a lio,,"co 94, da ~1 na W, de 18 de Outab1'o,. 1.9bâ. 1IOcU.f'1oada pe].o Ar'1.. 10e.. LG.!la 258,.. 31 de ou.tabro de passar' a ser a ga1nte. 1- "Wo lsne.,. 0:-. H,H (nove 07U.-Jaoo.).bU.., 11e O uuco 54 da la1 ai 1t6, d.18 deolat1l.bh.. 1.9lt8, p..., tu p1n\le Joadal;1... -An1" 54 - Oillpo.".., te _ (01.. JlOr oato).8... o.,al_ 100ati,.. ~ n'luo ooupaco p.to... Ph~hUzi. 10$.abre o.,elol' -loo8tl... da PI'I&o la,;,.. unca4-.de j1lbt.. rtle... tau ~ r.-ot" de 11lDD 4om101l.1ar,.sgoto., COIl....",1D da oa1ç.... 1t.pe.. ci&8 n... pa"b11oa., tua _ U_t n",1o :p6"b) tllpcl'to t_rltor1a1 arllllzso4l.an1ao UI O artigo 59, da LG. n l 1&4, 4. la de outablro , p... ar' a te qgu1n~e ~ uu.e " - I.".1BIpo.to,... s.. ~,... de ~IG 4e :.:,c_, u.. doid.ut.....i.l&to. eon "aqlo de e.1ç..-_. libipti.. ci&e Ylu p6. ;'.

10 pub1.1cgllt 1l,um.1ne. 1o pubuea SIIIlO.to terruor1&\ no. aezotio 1U'l"OO4Id8doa _ aaa.. J)l'e8Mç&atl 1.It1at., hirta o... de AbIt11 ~ de eada:... loto-. Al'UIo ~... Esq ~ eotrcarl _ 'f'lcor '* ~ta de *"- pgbuo.qid. I'tI'VOt1a<lu.. 4U.,-,oal.qee... oon~....,.. 4M Sea~. da c"rwa 1bl1à1pa1 de.,.bouoeba1, ao..t cje,.. Ir 7 IOf) di! R(' ~ :ist.r '!;H:1n, :!:Iuhlj_c';H1a e af ~L :-[lrjo n a ::>ecre al' l.a, na l '\esfj-a de. ta,.

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana

Cadastro Territorial Multifinalitário no planejamento e gestão territorial urbana Mundo Geo Connect Seminário Geotecnologia na Gestão Municipal Sessão Desafios para as Prefeituras: o CTM como instrumento de política fiscal e urbana São Paulo, 16 de junho de 2011 Cadastro Territorial

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O

PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O PATR IMÔNIO PALEONTOLÓG IC O O s depós itos fos s ilíferos, o s s ítios paleontológ icos (paleobiológicos ou fossilíferos) e o s fós s eis q u e a p r e s e n ta m valores científico, educativo o u cultural

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00004 Sexta-Feira Quit-Feira 08 11 de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Santa Barbara, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Nº

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

! "#" $ %&& ' ( )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36 " #89 : /&*&

! # $ %&& ' ( )%*)&&&& +,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) (5 (6 7 36  #89 : /&*& ! "#" %&& ' )%*)&&&& "+,)-. )/00*&&& 1+,)-. )/00*&2) 3 4 5 6 7 36 " #89 : /&*& #" + " ;9" 9 E" " """

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Prefeitura Municipal de Gavião-BA

Prefeitura Municipal de Gavião-BA Edição Nº Nº 024/2012 030/2012 Segunda-Feira Quinta-Feira 08 26 de Março Junho de 2012 Rua Irmã Dulce, nº 370 Gavião Bahia CEP: 44650-000. Tel/Fax: 75.3682 2271 CNPJ: 13.233.036/0001-67 www.gaviao.ba.gov.br

Leia mais

Município de Gondomar. Resumo. 97.037,18 97.037,18 6737 401 04 99D Outras construções Anfiteatro junto à Igreja de Medas

Município de Gondomar. Resumo. 97.037,18 97.037,18 6737 401 04 99D Outras construções Anfiteatro junto à Igreja de Medas 3196 31 4 4D Equipamentos não integrados nos Deposito de aguas das oliveiras 29-6-2 19.75,81 151,716.257,33 637 41 4 5D Cemitérios (construções, vedações e Cemiterio de Melres - novo 31-12-29 25.887,49

Leia mais

1º ANO A 06 07 2015 ATIVIDADE DE FÉRIAS

1º ANO A 06 07 2015 ATIVIDADE DE FÉRIAS 1º ANO A 06 07 2015 VAMOS RELEMBRAR ALGUMAS ATIVIDADES QUE APRENDEMOS DURANTE AS AULAS? LEIA E IDENTIFIQUE CADA SÍLABA DOS QUADROS ABAIXO, DEPOIS RECORTE E COLE UMA FIGURA QUE INICIE COM A SÍLABA E ESCREVA

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D O P A R A N Á L E T Í C I A M A R I A G R O B É R I O A B O R T O : U M A Q U E S T Ã O M O R A L, L E G A L, C U L T U R A L E E C O N Ô M I C A C U R I T I B A

Leia mais

UNICAMP 2012 (2ª Fase)

UNICAMP 2012 (2ª Fase) 1. Re so lu ção (se rá con si de ra do ape nas o que es ti ver den tro des te es pa ço). a)...in te res se do pú bli co (L1): Tra ta-se de um subs tan ti vo pos to que de ter mi na do pe lo ar ti go o,

Leia mais

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP

White Paper. Flexibilidade e economia na era IP White Paper Flexibilidade e economia na era IP Saiba como utilizar as tecnologias mais modernas de comunicação de voz pela internet para conseguir mais economia e rapidez em telefonia para sua empresa

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

. D A D O S I N I C I A I S 1.1 N a t u r e z a e fi n a l i d a d e d a e d i f i c a ç ã o : i n d i ca r o ti p o d e e d ifi ca ç ã o ( e x : e s c o l a r u r a l co m 0 2 s a l a s, e sc o la u r

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024

A N E X O P L A N O M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O 2 0 1 5 2024 E S T A D O D E S A N T A C A T A R I N A P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E M A J O R V I E I R A S E C R E T A R I A M U N I C I P A L D E E D U C A Ç Ã O, C U L T U R A E D E S P O R T O C N

Leia mais

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira.

REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES ANTIGAS ASSINATURA. 30/7/2014 Salão de Gramado encerra nesta quinta-feira. Q u a, 3 0 d e J u l h o d e 2 0 1 4 search... REVIS TA CONTATO LEITOR GALERIA COLUNAS EDIÇÕES Selecione a Edição ANTIGAS C l i q u e n o l i n k a b a i xo p a r a a c e s s a r a s e d i ç õ e s a n

Leia mais

C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19

C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19 C ontextualização his tórica da operacionalização da R es olução C onama 258/99 1/19 C iclo de vida : Do pneu novo ao pneu us ado FABRICAÇÃO IMPORTAÇÃO MERCADO Pneus Novos EXPORTADOS Pneus novos Fora do

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Física feita pelo Intergraus. 12.01.2010 da Unicamp 010 ª fase - Física 1.01.010 UNICAMP 010 - FÍSICA Esta prova aborda fenômenos físicos em situações do cotidiano, em experimentos científicos e em avanços tecnológicos da humanidade. Em algumas

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de APRESENTAÇÃO O T r i b u n a l d e J u st i ç a d e S ã o P a u l o d e s e n v o l ve, d e s d e 2 0 0 7, o P r o j e to P a t e r n i d a d e R e s p o n s á v e l. S u a d i s c i p l i n a e s t á

Leia mais

, "., são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV. ~) No circuito, determinar a resistência total do potenciômetro

, ., são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV. ~) No circuito, determinar a resistência total do potenciômetro ~ercíc~os ~11!;: - Propostos, "., ". ~tl) Quatro resistores 'RI = IK5, R2 = 4K7, R3 = 470 fie R4 = 2K2 são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV.. determinar:.,- ~ ~-- ~--- ~. a)

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

A history of child's rights in Portuguese speaking countries.

A history of child's rights in Portuguese speaking countries. Estudos Históricos (Rio de Janeiro), vol. 25, núm. 50, 2012, pp. 475-478. A history of child's rights in Portuguese speaking countries. Arend, Silvia Maria Favero. Cita: Arend, Silvia Maria Favero (2012).

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Programa Copa do Mundo 2014

Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Programa Copa do Mundo 2014 Gerente do Programa: Mario Queiroz Guimarães Neto Rede do Programa: Rede de Cidades Objetivo do Programa: Organizar com excelência os eventos FIFA

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

NOSSA LI STA DE PRODUT OS PARA COFFEE BREAK

NOSSA LI STA DE PRODUT OS PARA COFFEE BREAK NOSSA LI STA DE PRODUT OS PARA COFFEE BREAK ( Na foto: qui che i ntegr al de alho porró co muva passa branca, torta i ntegr al de goi abada comcastanha de caj u, empada de pal mi to e muffi n de uva) A

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00034 Sexta-Feira Quit-Feira 22 08 de de Fevereiro Março de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Conceição da Feira, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Leia mais

dos novos d e s e n v o I v i m e n t o s urbanos nas malhas i n f r a - e s t r u t u r a i s

dos novos d e s e n v o I v i m e n t o s urbanos nas malhas i n f r a - e s t r u t u r a i s REPUBLICA DEMOCRÁTICA WÍ DE SÃO TOME E PRÍNCIPE ( U nidade'disciplina-trabalho) GOVE RN O DECRETO-LEl N.' 029/2014 No âmbito do p roje cto de "Ap o io ao Desenvolvimento urbano em São Tomé e Príncìpe",

Leia mais

White Paper. Gestão Ágil de Produtos

White Paper. Gestão Ágil de Produtos White Paper Gestão Ágil de Produtos Um bom gestor de produtos de software oferece o suporte e a confiança que a equipe de desenvolvimento precisa Com o advento das metodologias ágeis de desenvolvimento

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

- 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB

- 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB - 15G0078G130 - MÓDULO USB INSTRUÇÕES DA INTERFACE PARA ASAC-0/ASAC-1/ASAB Emitido em 15/6/2012 R. 01 Este manual é parte integrante e essencial do produto. Leia atentamente as instruções contidas nele,

Leia mais

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20

Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13. O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 Sa i ba mais so bre Fator Previdenciário Págs. 10 a 13 O que você pre ci sa saber sobre re ci cla gem de lixo Pág. 20 To dos so mos igua is, ape nas te - mos di fi cul da des di fe ren tes. Le o nar do

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

PLANOS DIRETORES REGIONAIS PLANEJAR UMA BH MELHOR PARA TODOS

PLANOS DIRETORES REGIONAIS PLANEJAR UMA BH MELHOR PARA TODOS PLANOS DIRETORES REGIONAIS PLANEJAR UMA BH MELHOR PARA TODOS Realização Secretaria Municipal de Governo Secretaria Municipal Adjunta de Gestão Compartilhada Secretaria Municipal de Desenvolvimento Secretaria

Leia mais

White Paper. E-mail Marketing: por onde começar?

White Paper. E-mail Marketing: por onde começar? White Paper E-mail Marketing: por onde começar? Primeiros passos para definir o planejamento de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação, é importante criar suas

Leia mais

O USO DAS FÁBULAS NO ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA (E/LE) Uma experiência com alunos do 3ª ano do fundamental I.

O USO DAS FÁBULAS NO ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA (E/LE) Uma experiência com alunos do 3ª ano do fundamental I. O USO DAS FÁBULAS NO ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA (E/LE) Uma experiência com alunos do 3ª ano do fundamental I. DAN TAS 1, Jessica Soares SILVA 2, Mykeline Vieira da CCHLA/ DLEM/ PROBEX RES

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

.-ilo*ecr/a/ /, -,//o*/oi PE93EI9=I3=1:999199. pnovroêucras.,l. Exercício de Mondaí, Estado de Santa Catarina

.-ilo*ecr/a/ /, -,//o*/oi PE93EI9=I3=1:999199. pnovroêucras.,l. Exercício de Mondaí, Estado de Santa Catarina 9o-* 6r*ur*.-ilo*ecr/a/ /, -,//o*/oi TOS O PO XCUTVO P939=3=1:999199,MJO SCÂL SLL O QUO PSSOL TL MUNÇÃO PSSOL OÁ OUTnS pnovroêucrs.,l OMO NO UTZG, Prefeito Municipat em xercício de Mondaí, stado de Santa

Leia mais

PRO GRA MA ÇÃO DAS UNI DA DES DIDÁTI CAS

PRO GRA MA ÇÃO DAS UNI DA DES DIDÁTI CAS PRO GRA MA ÇÃO DAS UNI DA DES DIDÁTI CAS Unidade 1. Somos cidadãos........................................... 25 Unidade 2. Descobrindo as diferenças................................... 28 Unidade 3. Conhecendo

Leia mais

PROGRAMA - DE ORDENAMENTO DO MUNICIPIO DE CONCEIÇAO DO CASTELO GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRITO

PROGRAMA - DE ORDENAMENTO DO MUNICIPIO DE CONCEIÇAO DO CASTELO GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRITO GOVENO DO ESADO DO ESPIIO - SANO SECEAIA DE ESADO DO PLANEJAMENO PEFEIUA MUNICIPAL DE CONCEIÇAO DO CASELO POGAMA - DE ODENAMENO - UBANO DO MUNICIPIO DE CONCEIÇAO DO CASELO CADASO - IMOBILIAIO UBANO Vali

Leia mais

TUTORIAL DA INTERFACE DO ALUNO

TUTORIAL DA INTERFACE DO ALUNO TUTORIAL DA INTERFACE DO ALUNO APRESENTAÇÃO O LMS (Learning Management System) Classe 21 é formado por s oluções integradas de gerenciamento de aprendizagem, conhecimento e conteúdos on-line. Neste ambiente

Leia mais

Características Pretendidas (ver código de cores no desenho nº 1) Circulação na estrada. segregados. Percurso misto de peões e bicicletas em passeio

Características Pretendidas (ver código de cores no desenho nº 1) Circulação na estrada. segregados. Percurso misto de peões e bicicletas em passeio eslocação () Lazer (L) A1 887 BB A2 174 BB Via de ligação ao concelho do Barreiro, com dimensões generosas, junto ao Parque da Zona Ribeirinha. Pavimento em betuminoso, estacionamento e passeios. Tráfego

Leia mais

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10

RESOLUÇÃO Matemática APLICADA FGV Administração - 24.10.10 VESTIBULAR FGV 2011 OUTUBRO/2010 RESOLUÇÃO DAS 10 QUESTÕES DE MATEMÁTICA APLICADA QUESTÃO 1 O gráfico no plano cartesiano expressa a alta dos preços médios de televisores de tela plana e alta definição,

Leia mais

SISTEMA MODULAR DE FOLHA DE PAGAMENTO

SISTEMA MODULAR DE FOLHA DE PAGAMENTO SISTEMA MODULAR DE FOLHA DE PAGAMENTO TERMO DE ABERTURA DO PROJETO... 5 P A R T I C I P A N T E S... 5 I D E N T I F I C A Ç Ã O D O P R O J E T O... 5 Nome e Sigla do Projeto... 5 Cliente e Representante...

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E J A R D I M N Ú C L E O D E C O M P R A S E L I C I T A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O P A R A R E A L I Z A Ç Ã O D E C E R T A M E L I C I T A T Ó R I O M O D A L I D A D E P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 027/ 2

Leia mais

// APLICAÇÕES DAS MANGUEIRAS INDUSTRIAIS

// APLICAÇÕES DAS MANGUEIRAS INDUSTRIAIS // APLICAÇÕES DAS MANGUEIRAS INDUSTRIAIS www.alfagomma.com ÍNDICE Índice Geral CATÁLOGO DE MANGUEIRAS INDUSTRIAIS... H CATÁLOGO DE ACESSÓRIOS INDUSTRIAIS... F ANEXO...A MODELO, ARMAZENAMENTO, USO E MANUTENÇÃO

Leia mais

1111E111E1111 APROVADO. Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba Estado de São Paulo 3 1 AGO. 2015. Vereador Felipe César Presidente

1111E111E1111 APROVADO. Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba Estado de São Paulo 3 1 AGO. 2015. Vereador Felipe César Presidente Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba Estado de São Paulo REQUERIMENTO EMENTA: Ao Sr. Prefeito Municipal, com cópia para conhecimento do Ministério Público, solicitando informar em que termos vem sendo

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12

12 ru e d e R ib e a u v illé. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : Ed it é le 13 /05/2016 à 17 :23 Page : 1 / 12 R A M F A R A N D O L E 12 ru e d e R ib e a u v illé 6 7 7 3 0 C H A T E N O IS R e s p o n s a b le s d u R e la is : B ie g e l H. - R o e s c h C. T é l. :03.88.57.51.7 1 / Fa x : * * * * * * * * *

Leia mais

BedZED é um bairro ecológico no sul de Londres cuja concepção permite atingir impressionantes taxas de economia nos consumos domésticos.

BedZED é um bairro ecológico no sul de Londres cuja concepção permite atingir impressionantes taxas de economia nos consumos domésticos. BedZED é um bairro ecológico no sul de Londres cuja concepção permite atingir impressionantes taxas de economia nos consumos domésticos. O BedZED atinge taxas de redução de 88% no aquecimento, 57% na utilização

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22

botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 botika búfalo Bufalo v7.indd 3 17/09/10 17:22 sumário Introdução... 17 Gua ra ná Porrada... 25 Muletas... 39 Exó ti cas gan gues... 47 Um mons tro e um pinguim... 55 Si ga o cão... 61 Dia de campeão...

Leia mais

7a. Edição Editora Atlas

7a. Edição Editora Atlas FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU Pós-graduação em Auditoria, Controladoria e Finanças Disciplina: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO Slide 1 Professor: MASAKAZU HOJI ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

LEI No. r.6es cle 16 de o4 19 eo

LEI No. r.6es cle 16 de o4 19 eo Lt'li LEI No. r.6es cle 16 o4 19 eo DISPOE SOBRE AS TABELAS DE REMUNERAÇAO DE FUNC I ONÁRlOS?PROFE SSO- RES E SERViDORES EM GERAL DA PREFEITURA E DÁ OUTRAS PROV]DÊNCIAS NILSON WILHELMS, Prefeito Municipal

Leia mais

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA

UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA UM MODELO DE ANÁLISE DA DRAMATIZAÇÃO NA IMPRENSA ESCRITA Pedro Diniz de Sousa Resumo Parte-se de uma definição do conceito de dramatização e da identificação das funções que o discurso dramático pode desempenhar

Leia mais

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas

Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Informativo mensal da unidade Contagem da PUC Minas nº 78 Agosto de 2008 Uni ver si da de lan ça gri fe com a mar ca PUC Mi nas Com três li nhas de pro du tos bá si ca, es cri tó rio e es por ti va, a

Leia mais

CONTADOR GEIGER PORTÁTIL COM ESCALA LOGARÍTMICA INSTITUTO DE PESQUISAS RADIOATIVAS U. F. M G. - CN.1N. ' ; BELO HORIZONTE - BRASIL. :\'.

CONTADOR GEIGER PORTÁTIL COM ESCALA LOGARÍTMICA INSTITUTO DE PESQUISAS RADIOATIVAS U. F. M G. - CN.1N. ' ; BELO HORIZONTE - BRASIL. :\'. CONTADOR GEIGER PORTÁTIL COM ESCALA LOGARÍTMICA JUNHO 1971 DR-39 OLIVEIRA, L.A.O. CHAGAS, Ê.A. BITTENCOURT, F.A. - 1 INSTITUTO DE PESQUISAS RADIOATIVAS U. F. M G. - CN.1N. ' ; * S" Gd«de Universitérié

Leia mais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais

Rita Alexandra Manso Araújo. As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde UMinho 2012 Rita Alexandra Manso Araújo As relações negociais entre jornalistas e fontes: o caso da Saúde Universidade

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

RELÉS 24V CA / CC 24 240V CA/CC 3RR21 41-1AA30 3RR21 41-1AW30 3RR21 42-1AA30 3RR21 42-1AW30

RELÉS 24V CA / CC 24 240V CA/CC 3RR21 41-1AA30 3RR21 41-1AW30 3RR21 42-1AA30 3RR21 42-1AW30 Reles de Monitoramento de Corrente SIRIUS Os reles de monitoramento de corrente supervisionam não apenas os motores ou outras cargas, mas adicionam facilidades para o monitoramento da corrente ideal do

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II)

ABRI AS PORTAS A CRISTO (Hino ao Beato João Paulo II) Órg. 6 11 q = 60 me mf ortas a ris to! Não te mais, não te nhais do: 'scanca rai o vosso cora ção ao mor de Deus. RI POR RIO (Hino ao eato João Paulo II) ortas a ris to! Não te mais não te nhais me do;

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais