1. Noções gerais: evolução social e o momento de formação do contrato de compra e venda (CC 482)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. Noções gerais: evolução social e o momento de formação do contrato de compra e venda (CC 482)"

Transcrição

1 TURMA EXTENSIVA SEMANAL Disciplina: Direito Civil Professor: Cristiano Chaves Data: MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CONTRATOS EM ESPÉCIE Prof. Cristiano Chaves de Farias O CONTRATO DE COMPRA E VENDA 1. Noções gerais: evolução social e o momento de formação do contrato de compra e venda (CC 482) 2. Conceito e caráter obrigacional puramente (sem implicar em aquisição de propriedade em face da necessidade de tradição CC 481, e 1.245). Exceção: contrato de alienação fiduciária (transmissão de propriedade resolúvel, CC 1.361) Novidade: venda de uso (leasing) 3. Natureza jurídica: contrato bilateral, consensual, oneroso (de regra), não solene (de regra) e (de regra) comutativo. Exceções: compra e venda de coisa incerta, a contento. Compra e venda de imóvel. Contratos com valor acima de 10 salários mínimos. Aplicação prática: (MP/BA, 99) Constituem contratos reais: a) depósito e penhor; b) penhor e hipoteca; c) hipoteca e compra e venda; d) compra e venda e permuta; e)permuta e sociedade 4. Elementos essenciais da compra e venda: consentimento, preço e objeto (coisa). A questão da forma consentimento: livre e espontâneo (pena de anulabilidade CC 171), necessidade da plena capacidade; possibilidade de suprimento judicial de capacidade (ex: venda de bens de nascituro ou de incapaz) Situações especiais: a) compra e venda de ascendente para descendente (CC 496 e 179; STF 494);

2 b) compra e venda entre marido e mulher (sobre bens estranhos à comunhão CC 499); c) compra e venda sem o consentimento do cônjuge e a anulabilidade do ato. Extensão para fiança e aval (CC ); d) compra e venda de bem condominial ou entre co-herdeiros (CC 504); e) compra e venda e falência f) venda de bens sujeitos ao dever de zelar e guardar (conseqüência: nulidade) Aplicação prática: (MP/BA, 01) Felipe, casado, vendeu uma fazenda de sua propriedade sem que da escritura pública constasse o consentimento de sua esposa, Maria. O comprador, Carlos, levou o instrumento ao cartório de imóveis. O oficial recusou-se a efetuar o registro, argüindo a falta de outorga. Responda qual a conseqüência? 4.3. O preço: determinado ou determinável; apreciável pecuniariamente; distinção com a dação em pagamento. Pode submeter-se à taxa de mercado ou de bolsa de valores (CC 486) ou mesmo a índices econômicos (CC 487). Impossibilidade de indeterminação absoluta ou puro arbítrio de uma das partes (CC 489). Pode ser arbitrado por terceiro, que assume a posição de mandatário (não precisa ter capacidade especial) e não se confunde com arbitragem. O CDC e o dever de informação sobre o preço. Pagamento em dinheiro ou correspondente e a possibilidade de fixação em moeda estrangeira. Preço deve ser sério e real. Não precisa ser justo (CC/02). Possibilidade de lesão/estado de perigo ou revisão/resolução de contrato A coisa: atual ou futura (CC 483). Não pode ser herança de pessoa viva (CC 426). Admite-se bem incorpóreo (cessão, presumidamente onerosa) ou corpóreo. Admitese sobre coisa incerta (CC 243) ou venda alternativa (CC 252). Não pode incidir sobre bens personalíssimos ou coisas fora do comércio (CC 1.911). Pode ser coisa litigiosa, mas não pode alegar evicção, se já sabia (CC 457 e CPC 42). A venda a non domino (bem não pertencente ao vendedor). Negócio convalidável (CC 1.268, Par. 1º). 5. Efeitos da compra e venda Evicção 5.2. Vícios redibitórios e ações edilícias 5.3. Perecimento da coisa (res perit domino) 5.4. Despesas (CC 490) Aplicação prática:

3 (MP/DFT, 02) Em relação aos vícios rediibitórios: I no CC o adquirente da coisa recebida com vícios, pode rejeitá-la ou reclamar abatimento do preço; II houve amplicação do parzo para ajuizamento das ações edilícias, além de serem abrangidos os defeitos aparentes; III tratando-se de venda de animais, os prazos de garantia podem ser estabelecidos pelos usos locais; IV a existência de garantia contratual não afeta, de modo algum, a contagem do prazo decadencial. 6. Situações especiais 6.1. Venda sob amostras (CC 484) 6.2. Ad corpus e ad mensuram (CC 500) 7. Cláusulas especiais 7.1. Retrovenda (CC 505) 7.2. Preempção ou preferência (CC 513). Peculiaridades na locação de imóveis urbanos (Lei 8.245/91, 27) e entre condôminos (CC 504) Reserva de domínio (CC 521): venda sob condição suspensiva. Cláusula adjeta pela qual o vendedor reserva para si a propriedade do bem alienado até o momento do pagamento integral do preço ajustado. Admissibilidade de bem imóvel (CARLOS ROBERTO GONÇALVES) Venda a contento (cláusula que subordina os efeitos do contrato a um evento futuro e incerto, consistente no bem vendido agradar ao comprador) e venda sujeita à prova (condição subordinando os efeitos à averiguação das qualidades da coisa adquirida CC 510) Pacto de melhor comprador: cláusula estabelecendo o prazo de 1 ano para que o negócio seja desfeito se surgir um novo comprador oferecendo mais vantagens ao vendedor 7.6. Pacto comissório: cláusula que prevê o desfazimento do negócio caso o comprador deixe de cumprir com a obrigação de pagar o preço no prazo estipulado. O CONTRATO DE COMODATO 1. O empréstimo e as suas espécies (comodato e mútuo). O empréstimo de uso (comodato) e o empréstimo de consumo (mútuo). 2. Noções gerais: empréstimo gratuito de coisa não fungível (móvel ou imóvel) que exige tradição. Entrega de coisa para uso por terceiro, por tempo determinado, sem contraprestação. Exige-se capacidade das partes, mas não titularidade, pois não precisa ser proprietário, bastando ser possuidor, direto ou indireto (exceção CC 580, bens emprestados pelo administrador, tutor e curador).

4 Nomenclatura: comodante e comodatário. 3. Classificação: contrato real (tradição), unilateral, gratuito (excepcionalmente o comodatário pode assumir encargos comodato modal) e não solene (CC 579, exceção: CC 580 comodato de bens de tutelado e curatelado). Prova-se o comodato por qualquer meio (oral ou escrito). Limites do CPC 401. Não tem natureza personalíssima, de ordinário, salvo estipulação contrária. Transmitese, pois, com a morte. 4. Características: 4.1. Gratuidade: é da natureza. Não desnatura o comodato o fato de comodatário assumir despesas condominiais e impostos. Assumir encargos não desnatura (comodato modal) Infungibilidade do objeto: em face do dever de restituir. Se fungível, seria mútuo. Admite-se comodato de bens fungíveis destinados à ornamentação (comodatum ad pompam vel ostentationem). Possibilidade de determinação da infungibilidade de bens fungíveis. O objeto deve ser também inconsumível (CC 85-6) Tradição: posse direta e indireta. CC Prazo determinado ou determinável. Impossibilidade do comodante pedir a restituição antes do tempo. Não havendo prazo convencionado, entende-se que o prazo é o necessário para usar e fruir da coisa.ex: barco para pescaria e trator para arar a terra (SILVIO RODRIGUES). Excepcionalmente, o comodante pode requerer restituição quando houver necessidade imprevista e urgente (CC 581). 6. Obrigações do comodatário: 6.1. Conservar a coisa como se sua fosse (CC 582). Não pode alugar ou emprestar (vedação ao sub-comodato). Responde pelas despesas necessárias para o uso, sem direito de recobrá-las. A questão das despesas extraordinárias e das benfeitorias (CC 584). Obrigação de, em caso de necessidade, salvar primeiro as coisas do comodante. Responde pelos danos se preferir salvar suas coisas (CC 583). 582) Usar a coisa de forma adequada. Responsabilidade pelo uso inadequado (CC 6.3. Restituir a coisa. Caracterizará esbulho a não restituição. Admite reintegração de posse (STJ, REsp , rel. Min. Sálvio de Figueiredo Teixeira). Responde pela mora (CC 399): se for por prazo determinado, não precisa constituir em mora; se sem prazo determinado, precisa constituir em mora, pela interpelação judicial ou extrajudicial. Responsabilidade pela perda ou deterioração responsabilidade objetiva com risco integral. Responde pelo aluguel (CC 575). Arbitrado judicialmente (ORLANDO GOMES e SÍLVIO RODRIGUES e STJ, REsp , rel. Min. Sálvio de Figueiredo Teixeira). Havendo dois ou mais comodatários inadimplindo, responsabilidade solidária (CC 585). Obs Responsabilidade do comodatário pelo caso fortuito/força maior em 2 casos: a) quando não salvar primeiro os bens do comodante; b) quando estiver em mora.

5 7. Obrigações do comodante: aguardar a data da restituição, receber a coisa e obrigação de não fazer (não embaraçar o uso). Excepcionalmente: reembolsar despesas extraordinárias necessárias e urgentes (STJ, REsp , rel. Min. Fátima Nancy Andrighi). Indenizar por vícios que eram de seu conhecimento e não informados ao comodatário. Não responde por vícios redibitórios e evicção. O risco pela perda é do comodante (res perit domino). 8. Extinção do comodato: a) termo ou pelo uso; b) rescisão judicial por culpa ou resilição bilateral (distrato) ou unilateral (denúncia, se permitida pelo contrato); c) pela necessidade imprevista e urgente; d) pela morte do comodatário, quando personalíssimo; e) pela alienação do bem. O CONTRATO DE MÚTUO 1. Noções conceituais: empréstimo de bem fungível para consumo, com obrigação de restituir coisa do mesmo gênero, qualidade e quantidade (CC 586). Se o mutuário puder restituir coisa diversa ou dinheiro, será troca ou compra e venda. 2. Implica em transferência da propriedade e do domínio da coisa (não é o objeto do contrato, mas sua conseqüência efeito natural). Por isso, os riscos da coisa correm por conta do mutuário (res perit domino) CC 587. Não há obrigação de restituir a mesma coisa. Pode consumir, alienar, abandonar... Exige capacidade das partes. Exige que o mutuante seja proprietário. O mútuo feito a menor, sem prévia autorização do responsável, não pode ser reavido (CC 588), salvo hipóteses de lei. Visa, fundamentalmente, evitar empréstimo de dinheiro a menor. Origens romanas. É diferente do comodato: é de consumo; bens fungíveis; restituição de mesma espécie; transfere domínio; permite alienação da coisa. 3. Classificação: real (tradição); unilateral, não solene (forma livre, exceto o oneroso, que exige forma escrita), e gratuito (exceção: empréstimo de dinheiro, que é oneroso, por conta da presunção legal de que são devidos os juros, não excedendo a taxa em vigor, CC 406 mútuo feneratício ou oneroso CC 591). A FINALIDADE ECONÔMICA DETERMINA A ONEROSIDADE. Prova livre (exceção CPC 401). 4. Prazo. O mútuo é temporário, sob pena de caracterizar doação. CC 592. Se não há prazo convencionado, presume-se: a) até a próxima colheita (mútuo de produtos agrícolas); b) 30 dias, pelo menos (mútuo em dinheiro feneratício); c) pelo espaço de tempo que declarar o mutuante (não pode ser abusivo CC 187). O mutuante não pode exigir a restituição antes do vencimento. Pode exigir garantia, se antes do vencimento o mutuário sofrer notória mudança em sua situação econômica (CC 590). Sendo oneroso, o mutuário deve pagar juros. O mutuário tem de entregar a coisa integralmente, não podendo obrigar o mutuante a aceitá-la em partes. 5. Mútuo em dinheiro. Princípio do nominalismo (CC 315): valor da moeda. Pagamento em moeda nacional (real, pena de nulidade CC 318). Exceções: Lei n.9.069/95.

6 6. Objeto: bem fungível. As partes podem determinar a fungibilidade. Ex: cereais, produtos da lavoura, produtos químicos, dinheiro. 7. Extinção: advento do termo, com restituição do equivalente; resolução culposa; resilição (bilateral ou unilateral). Se sujeito ao CDC, o consumidor tem direito à redução proporcional dos juros (CDC 52, Par. 2º). O CONTRATO DE DEPÓSITO 1. Noções gerais (CC 627): contrato pelo qual uma pessoa (depositante) entrega a outro (depositário) um bem móvel para ser guardado e restituído. Ex: dinheiro no banco. 2. Caracteres: real, gratuito, de regra (com onerosidade expressa), unilateral, se gratuito (bilateral, se oneroso) e personalíssimo (admitida disposição contrária). Exige capacidade das partes. Se for o depósito regular, não exige a propriedade do bem depositado. 3. Objeto: coisa móvel, corpórea, infungível e inconsumível. Admite-se depósito de bem fungível e consumível: depósito irregular. Não há depósito de bem imóvel. É possível o seqüestro (depósito judicial) de bem imóvel. 4. Espécies: voluntário (regular ou irregular regido este pelas regras do mútuo, CC 645) ou necessário (legal ou miserável, CC 647-8). Equipara-se ao depósito necessário o depósito de bagagens dos viajantes nos hotéis (CC 649). Responsabilidade do hoteleiro limitada às coisas normalmente transportadas (roupas, relógios...). Não abrange quantias elevadas ou jóias raras. Admite exclusão por caso fortuito e força maior. 5. Não há necessidade de forma escrita para fins de prova. 6. Obrigações do depositário: dever pessoal de guarda e cuidado (CC 629). Impossibilidade de uso da coisa, salvo consentimento do depositante (CC 640). Se o bem foi entregue lacrado ou fechado, assim deve permanecer (CC 630). Dever de restituição, pena de prisão. 7. Obrigações do depositante: dever de reembolsar as despesas necessárias à conservação da coisa (CC 643). Pode gerar retenção. Dever de receber o bem, sob pena de depósito judicial. 8. Riscos: res perit domino (a coisa perece para o depositante, que continua sendo proprietário). Exceção: quando o depositário incorrer em mora. 9. Prisão civil (CC 652 e CF 5º, LXVII). Nova posição do STF, STF, RE /SP, rel. Min. Cezar Peluso.

7 O CONTRATO ESTIMATÓRIO OU CONSIGNATÓRIO 1. Noções gerais (CC 534). 2. é contrato real (tradição) 3. coisa continua a pertencer ao consignante, criando obrigação alternativa para o consignatário. Comum nas representações comerciais e obras artísticas. 4. Não pode ser penhorado o bem pelo consignatário 5. Consignatário não pode dispor 6. Findo o prazo, surge alternatividade: devolver ou entregar o preço ajustado (preço será determinado previamente e o lucro pode ser controlado contratualmente); 7. Transfere riscos 8. Necessidade de termo final (contrato, costumes, vontade do consignante) 9. Restituição sem deterioração O CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA 1. Origens (Decreto-lei 58/37) 2. Noções gerais: contrato preliminar (CC 462-6) 3. transmissão da posse. 4. Desnecessidade de registro no cartório de imóveis (STJ 84 e 239) 5. Adjudicação compulsória (DL 58/37, 16) 6. Purgação da mora (15 dias para imóvel não loteados; 30 dias para imóveis loteados); 7. Nulidade de cláusula que implique em perda das parcelas pagas (CDC 53)

OAB 1ª Fase Direito Civil Contratos em Espécie Duarte Júnior

OAB 1ª Fase Direito Civil Contratos em Espécie Duarte Júnior OAB 1ª Fase Direito Civil Contratos em Espécie Duarte Júnior 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. CONTRATOS EM ESPÉCIE COMPRA E VENDA Arts. 481 a 532 NECESSIDADE

Leia mais

Sumário PARTE GERAL 3. PESSOA JURÍDICA

Sumário PARTE GERAL 3. PESSOA JURÍDICA Sumário PARTE GERAL 1. LINDB, DAS PESSOAS, DOS BENS E DO NEGÓCIO JURÍDICO 1. Introdução (DL 4.657/1942 da LINDB) 2. Direito objetivo e subjetivo 3. Fontes do Direito 4. Lacuna da lei (art. 4.º da LINDB)

Leia mais

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos

DIREITO CIVIL Espécies de Contratos DIREITO CIVIL Espécies de Contratos Espécies de Contratos a serem estudadas: 1) Compra e venda e contrato estimatório; 2) Doação; 3) Depósito; 4) Mandato; 5) Seguro; 6) Fiança; 7) Empréstimo (mútuo e comodato);

Leia mais

EMPRÉSTIMO: COMODATO

EMPRÉSTIMO: COMODATO Empréstimo: Comodato 19 EMPRÉSTIMO: COMODATO Sumário: 19.1 Introdução. 19.2- Conceito de comodato. 19.3 Classificação. 19.4 Quem pode dar em comodato. 19.5 Obrigações e direitos do comodatário. 19.6 Extinção

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR TURMA EXTENSIVA AOS SÁBADOS Disciplina: Direito Civil Professor: Cristiano Chaves Data: 12.12.2009 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CONTRATOS EM ESPÉCIE II Prof. Cristiano Chaves de Farias O CONTRATO DE DOAÇÃO

Leia mais

EMPRÉSTIMO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 579 a 592 do CC. 2. Conceito de empréstimo

EMPRÉSTIMO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 579 a 592 do CC. 2. Conceito de empréstimo 1. Referência legal do assunto Arts. 579 a 592 do CC. 2. Conceito de empréstimo EMPRÉSTIMO Negócio jurídico pelo qual uma pessoa entrega uma coisa a outra, de forma gratuita, obrigando-se esta a devolver

Leia mais

Contrato Unilateral - gera obrigações para apenas uma das partes. Contrato Bilateral - gera obrigações para ambas as partes.

Contrato Unilateral - gera obrigações para apenas uma das partes. Contrato Bilateral - gera obrigações para ambas as partes. Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Civil (Contratos) / Aula 13 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Teoria Geral dos Contratos: 3- Classificação; 4 - Princípios. 3. Classificação: 3.1

Leia mais

COMPRA E VENDA Cláusulas especiais

COMPRA E VENDA Cláusulas especiais COMPRA E VENDA Cláusulas especiais 1) retrovenda; 2) venda a contento; 3) preempção; 4) reserva de domínio; e 5) venda sobre documentos. COMPRA E VENDA Cláusulas especiais Retrovenda é o direito que tem

Leia mais

DIREITO CIVIL CONTRATOS 1 Danilo D. Oyan

DIREITO CIVIL CONTRATOS 1 Danilo D. Oyan DIREITO CIVIL CONTRATOS 1 Danilo D. Oyan 1. COMPRA E VENDA, 7 Terc. 459, 317, Lei 8078 1.1 Conceito.Efeitos obrigacionais do contrato de compra e vendas, 7 481, 1226, 1245, 1227, 585 II CPC, 621 a 628

Leia mais

PONTO 1: Contratos em Espécie 1. CONTRATOS EM ESPÉCIE

PONTO 1: Contratos em Espécie 1. CONTRATOS EM ESPÉCIE 1 DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL PONTO 1: Contratos em Espécie 1. CONTRATOS EM ESPÉCIE Bibliografia: Flávio Tartuce; Comentários ao Novo Código Civil (organizado por Judith Martins Costa e Miguel Reale);

Leia mais

Sumário. Parte I DOS CONTRATOS EM GERAL PALAVRAS PRÉVIAS 4ª EDIÇÃO... 21 PREFÁCIO... 27

Sumário. Parte I DOS CONTRATOS EM GERAL PALAVRAS PRÉVIAS 4ª EDIÇÃO... 21 PREFÁCIO... 27 PALAVRAS PRÉVIAS 4ª EDIÇÃO... 21 PREFÁCIO... 27 Parte I DOS CONTRATOS EM GERAL Capítulo I INTRODUÇÃO A TEORIA GERAL DOS CONTRATOS... 31 1. O Direito Civil Constitucional... 31 1.1. O Direito Civil na Feição

Leia mais

Direito Civil III Contratos

Direito Civil III Contratos Direito Civil III Contratos Compra e Venda Art. 481 a 532 Prof. Andrei Brettas Grunwald 2011.1 1 Conceito Artigo 481 Pelo contrato de compra e venda, um dos contratantes se obriga a transferir o domínio

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO: MÚTUO E COMODATO

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO: MÚTUO E COMODATO CONTRATO DE EMPRÉSTIMO: MÚTUO E COMODATO Autor: Graciel Marques Tarão 1. Conceito Contrato de empréstimo é o contrato pelo qual uma das partes entrega um bem à outra, para ser devolvido em espécie ou gênero.

Leia mais

O que é conta corrente? O que é o depósito? Direito Bancário Quais os elementos do mútuo civil? Real O que isso quer dizer? Unilateral O que isso quer dizer? Coisa fungível Temporariedade Direito Bancário

Leia mais

1.1 Direito especial dos contratos ou contratos em espécie, 1. 2.1 Conceito. Efeitos obrigacionais do contrato de compra e venda, 5

1.1 Direito especial dos contratos ou contratos em espécie, 1. 2.1 Conceito. Efeitos obrigacionais do contrato de compra e venda, 5 1 Introdução ao direito especial dos contratos, 1 1.1 Direito especial dos contratos ou contratos em espécie, 1 1.2 Evolução da técnica contratual, 3 2 Compra e venda, 5 2.1 Conceito. Efeitos obrigacionais

Leia mais

EXERCÍCIO 1. EXERCÍCIO 1 Continuação

EXERCÍCIO 1. EXERCÍCIO 1 Continuação Direito Civil Contratos Aula 1 Exercícios Professora Consuelo Huebra EXERCÍCIO 1 Assinale a opção correta com relação aos contratos. a) O contrato preliminar gera uma obrigação de fazer, no entanto não

Leia mais

Nasce em razão da violação de um dever jurídico, mas depende da configuração de elementos.

Nasce em razão da violação de um dever jurídico, mas depende da configuração de elementos. OAB EXTENSIVO SEMANAL Disciplina: Direito Civil Prof.: Brunno Giancoli Data: 22.09.2009 Aula n 04 TEMAS TRATADOS EM AULA RESPONSABILIDADE CIVIL Nasce em razão da violação de um dever jurídico, mas depende

Leia mais

1ª FASE - EXTENSIVO MATUTINO Disciplina: Direito Civil Prof.: Brunno Giancoli Data: 07/10/2008 Aula: 8/13

1ª FASE - EXTENSIVO MATUTINO Disciplina: Direito Civil Prof.: Brunno Giancoli Data: 07/10/2008 Aula: 8/13 TEMAS TRATADOS EM SALA Contrato de Compra e Venda - bilateral; - oneroso; - comutativo; - consensual; Elementos - preço, não pode ser fixado a livre arbítrio de uma das partes. - mercadoria. Restrições

Leia mais

Outubro/2011. Prof a. HELISIA GÓES. Advogada Especialista em Direito Processual Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas

Outubro/2011. Prof a. HELISIA GÓES. Advogada Especialista em Direito Processual Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas Contrato de Compra e Venda Outubro/2011 Prof a. HELISIA GÓES Advogada Especialista em Direito Processual Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas Definição: é a troca de uma coisa por dinheiro

Leia mais

DIREITO CIVIL. 1. Cláusula Penal:

DIREITO CIVIL. 1. Cláusula Penal: 1 PONTO 1: Cláusula Penal PONTO 2: Formação dos contratos PONTO 3: Arras PONTO 4: Extinção PONTO 5: Classificação dos contratos PONTO 6: Vícios redibitórios 1. Cláusula Penal: Estrutura da cláusula penal:

Leia mais

AULA 05 SFN: GARANTIAS REAIS

AULA 05 SFN: GARANTIAS REAIS 1 2 1. Compreender Alienação Fiduciária, Penhor, Hipoteca e Anticrese 2. Conceituar e classificar as Garantias Reais 3. Entender a Alienação Fiduciária; 4. Entender o Penhor; 5. Entender a Hipoteca; 6.

Leia mais

CONTRATOS (COMPRA E VENDA)

CONTRATOS (COMPRA E VENDA) CONTRATOS (COMPRA E VENDA) Professor Dicler COMPRA E VENDA Contrato de compra e venda é aquele pelo qual um dos contratantes t t se obriga bi a transferir o domínio de certa coisa, e, o outro, a pagar-lhe

Leia mais

go to http://www.speculumscriptum.com

go to http://www.speculumscriptum.com go to http://www.speculumscriptum.com CONTRATO DE EMPREITADA - Conceito: Empreitada é o contrato em que uma das partes (empreiteiro) se obriga, sem subordinação ou dependência, a realizar certo trabalho

Leia mais

Termos e Condições Gerais de Vendas

Termos e Condições Gerais de Vendas Termos e Condições Gerais de Vendas 1º Escopo da aplicação (1) As condições a seguir são aplicáveis a todos os fornecimentos e serviços (por exemplo, instalações, projetos) da BrasALPLA. Estas condições

Leia mais

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

DIREITO DAS OBRIGAÇÕES Direito Civil Professor Grevi Bôa Morte Júnior Obrigações DIREITO DAS OBRIGAÇÕES CONCEITO DE OBRIGAÇÃO Assinala Washington de Barros Monteiro que obrigação é a relação jurídica, de caráter transitório,

Leia mais

CÓDIGO CIVIL. Livro III. Dos Fatos Jurídicos TÍTULO III. Dos Atos Ilícitos

CÓDIGO CIVIL. Livro III. Dos Fatos Jurídicos TÍTULO III. Dos Atos Ilícitos CÓDIGO CIVIL Livro III Dos Fatos Jurídicos TÍTULO III Dos Atos Ilícitos Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que

Leia mais

2º ano. Parte Geral. Parte Especial Do Direito de Família

2º ano. Parte Geral. Parte Especial Do Direito de Família 1957 2º ano Parte Geral 1. Do Direito. Definição. Conceito. Classificação. O Direito e a Moral. 2. Das fontes do Direito. Lei e suas espécies. Ignorância do Direito. Irretroatividade da lei. Eficácia da

Leia mais

RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA IMOBILIÁRIA POR INADIMPLEMENTO ABSOLUTO DO QUESTÕES ATUAIS E OUTRAS NEM TÃO ATUAIS...

RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA IMOBILIÁRIA POR INADIMPLEMENTO ABSOLUTO DO QUESTÕES ATUAIS E OUTRAS NEM TÃO ATUAIS... RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA IMOBILIÁRIA POR INADIMPLEMENTO ABSOLUTO DO COMPRADOR QUESTÕES ATUAIS E OUTRAS NEM TÃO ATUAIS... Rubens Leonardo Marin SECOVI / SP 11/05/2015 O problema:

Leia mais

CÓDIGOS REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE LOCAÇÃO FINANCEIRA TERMOS DE DISPONIBILIZAÇÃO E DE UTILIZAÇÃO

CÓDIGOS REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE LOCAÇÃO FINANCEIRA TERMOS DE DISPONIBILIZAÇÃO E DE UTILIZAÇÃO CÓDIGOS REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE LOCAÇÃO FINANCEIRA TERMOS DE DISPONIBILIZAÇÃO E DE UTILIZAÇÃO A selecção dos textos legislativos disponibilizados no sitio Home Page Jurídica (www.euricosantos.pt)

Leia mais

AULA 7 CONTRATOS EM ESPÉCIE

AULA 7 CONTRATOS EM ESPÉCIE Introdução CURSO ON-LINE DIREITO CIVIL TRE-PE AULA 7 CONTRATOS EM ESPÉCIE Já estudamos na última aula os conceitos gerais aplicáveis às diversas espécies de contratos existentes, sejam eles previstos em

Leia mais

Direito Civil III Contratos

Direito Civil III Contratos Direito Civil III Contratos Doação Art. 538 à 564 Prof. Andrei Brettas Grunwald 2011.1 1 Conceito Artigo 538 Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio

Leia mais

Última actualização em 01/03/2007

Última actualização em 01/03/2007 Decreto-Lei n.º 149/95 de 24 de Junho. - Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira, Ministério das Finanças, S.I-A, DR n.º 144, p. 4091-4094 alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/97 de 2 de

Leia mais

Contratos de Empréstimos

Contratos de Empréstimos Contratos de Empréstimos Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Civil III Publicação no semestre 2014.1 Autor: José Carlos Ferreira da Luz 2 Dados de acordo com:

Leia mais

Decreto-Lei n.º 149/95, de 24 de Junho, Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira

Decreto-Lei n.º 149/95, de 24 de Junho, Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira 1/13 Decreto-Lei n.º 149/95, de 24 de Junho, Altera o regime jurídico do contrato de locação financeira JusNet 40/1995 Link para o texto original no Jornal Oficial (DR N.º 144, Série I-A, 24 Junho 1995;

Leia mais

NEGÓCIO JURÍDICO Conceito MANIFESTAÇÃO DE VONTADE + FINALIDADE NEGOCIAL (aquisição, conservação, modificação e extinção de direitos)

NEGÓCIO JURÍDICO Conceito MANIFESTAÇÃO DE VONTADE + FINALIDADE NEGOCIAL (aquisição, conservação, modificação e extinção de direitos) NEGÓCIO JURÍDICO Conceito MANIFESTAÇÃO DE VONTADE + FINALIDADE NEGOCIAL (aquisição, conservação, modificação e extinção de direitos) INTERPRETAÇÃO Boa-fé e usos do lugar CC113 Os negócios jurídicos devem

Leia mais

Regime jurídico do contrato de locação financeira

Regime jurídico do contrato de locação financeira Regime jurídico do contrato de locação financeira www.odireitodigital.com REGIME JURÍDICO DO CONTRATO DE LOCAÇÃO FINANCEIRA Decreto-Lei n.º 149/95 de 24 de Junho. - Altera o regime jurídico do contrato

Leia mais

Abril/2011. Prof a. Mestre Helisia Góes

Abril/2011. Prof a. Mestre Helisia Góes Contrato de Locação de Coisas Abril/2011 Prof a. Mestre Helisia Góes Definição:Éonegóciojurídicopormeiodoqualumadas partes(locador) se obriga a ceder à outra(locatário), por tempo determinado ou não, o

Leia mais

DA DOAÇÃO. É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra

DA DOAÇÃO. É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra DAS VÁRIAS ESPÉCIES DE CONTRATO DA DOAÇÃO É o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens e vantagens para o de outra Unilateral, porque envolve prestação de uma só das

Leia mais

Lição 15. Locação Locação de coisas

Lição 15. Locação Locação de coisas Lição 15. Locação No direito romano, a locação se dividia em locação de coisas e locação de serviços (trabalho). O CC/16 apresentava o contrato de prestação de serviços como locação de serviços. O CC/02

Leia mais

PRÁTICA CIVIL E PROCESSUAL LEGALE

PRÁTICA CIVIL E PROCESSUAL LEGALE BEM IMOVEL Art. 79. São bens imóveis o solo e tudo quanto se lhe incorporar natural ou artificialmente. Art. 80. Consideram-se imóveis para os efeitos legais: I -os direitos reais sobre imóveis e as ações

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO E AÇÃO DE DEPÓSITO 1 Parte I AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 2 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação

Leia mais

1. Compra e Venda Mercantil (art. 481/504 CC) 1. Origem histórica da compra e venda

1. Compra e Venda Mercantil (art. 481/504 CC) 1. Origem histórica da compra e venda 1. Compra e Venda Mercantil (art. 481/504 CC) 1. Origem histórica da compra e venda A compra e venda é o mais importante de todos os contratos, tendo em vista que é pela compra e venda que se dá a circulação

Leia mais

À guisa de prefácio (à 1a edição), xvii. 1 Âmbito do direito das obrigações, 1 1 Generalidades, 1 2 Âmbito, 2 3 Quadro da matéria, 3

À guisa de prefácio (à 1a edição), xvii. 1 Âmbito do direito das obrigações, 1 1 Generalidades, 1 2 Âmbito, 2 3 Quadro da matéria, 3 À guisa de prefácio (à 1a edição), xvii 1 Âmbito do direito das obrigações, 1 1 Generalidades, 1 2 Âmbito, 2 3 Quadro da matéria, 3 2 Posição do direito das obrigações no Código Civil brasileiro, 4 1 Código

Leia mais

Conteúdo: IV - Modalidades de Obrigação. 2. Não fazer. 3. Dar Coisa Certa e Incerta. 4. Divisível. 5 - Indivisível

Conteúdo: IV - Modalidades de Obrigação. 2. Não fazer. 3. Dar Coisa Certa e Incerta. 4. Divisível. 5 - Indivisível Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Direito Civil - Obrigações / Aula 09 Professor: Rafael da Mota Mendonça Conteúdo: IV - Modalidades de Obrigação. 2. Não fazer. 3. Dar Coisa Certa e Incerta. 4.

Leia mais

Usucapião. É a aquisição do domínio ou outro direito real pela posse prolongada. Tem como fundamento a função social da propriedade

Usucapião. É a aquisição do domínio ou outro direito real pela posse prolongada. Tem como fundamento a função social da propriedade Usucapião É a aquisição do domínio ou outro direito real pela posse prolongada Tem como fundamento a função social da propriedade!1 Requisitos da posse ad usucapionem Posse com intenção de dono (animus

Leia mais

ACÓRDÃO. apelante CAMARGO CORREA - RODOBENS EMPREENDIMENTOS. IMOBILIARIOS SPE LTDA., são apelados ISAAC (Omitido) e outra.

ACÓRDÃO. apelante CAMARGO CORREA - RODOBENS EMPREENDIMENTOS. IMOBILIARIOS SPE LTDA., são apelados ISAAC (Omitido) e outra. Registro: 2014.0000707XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXXXX-55.2013.8.26.0405, da Comarca de Osasco, em que é apelante CAMARGO CORREA - RODOBENS EMPREENDIMENTOS

Leia mais

Direito Civil Dr. Márcio André Lopes Cavalcante Juiz Federal

Direito Civil Dr. Márcio André Lopes Cavalcante Juiz Federal Direito Civil Dr. Márcio André Lopes Cavalcante Juiz Federal Escola Brasileira de Ensino Jurídico na Internet (EBEJI). Todos os direitos reservados. 1 Principais julgados do 1 o Semestre de 2013 Julgados

Leia mais

Outubro/2010. Prof a. Esp. Helisia Góes

Outubro/2010. Prof a. Esp. Helisia Góes Contrato de Compra e Venda Outubro/2010 Prof a. Esp. Helisia Góes Definição: é a troca de uma coisa por dinheiro (VENOSA). É o negócio jurídico bilateral pelo qual uma das partes (vendedora) se obriga

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS. Nota justificativa

PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS. Nota justificativa PROJECTO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA AS NOVAS ZONAS E LOTEAMENTOS INDUSTRIAIS Nota justificativa A criação de novas Zonas e loteamentos Industriais tem como principal finalidade

Leia mais

2.013. Direito Civil IV. Rodrigo Barros Prof. Elke Brondi 2.013

2.013. Direito Civil IV. Rodrigo Barros Prof. Elke Brondi 2.013 2.013 Direito Civil IV Rodrigo Barros Prof. Elke Brondi 2.013 Inicio da aula 07/08/13 Contratos Parte Geral Personalidade Civil nascimento Nascimento Proteção - Direitos Animais Proteção Termino Morte

Leia mais

AULA 07. Herança Jacente = herança sem herdeiros notoriamente conhecidos (arts. 1819 e ss. do CC).

AULA 07. Herança Jacente = herança sem herdeiros notoriamente conhecidos (arts. 1819 e ss. do CC). 01 Profª Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL VI SUCESSÕES Turmas: 8ºDIV, 8ºDIN-1 e 8º DIN-2 Data: 21/08/12 AULA 07 II - SUCESSÃO EM GERAL (Cont...) 11. Herança Jacente e Vacante (arts. 1.819 a 1.823,

Leia mais

Convenção de Condomínio. Diovani Santa Bárbara diovanisb@gmail.com

Convenção de Condomínio. Diovani Santa Bárbara diovanisb@gmail.com Convenção de Condomínio Diovani Santa Bárbara diovanisb@gmail.com Conceito A convenção de condomínio é documento escrito que A convenção de condomínio é documento escrito que estabelece as regras de convivência

Leia mais

Código Civil. Parte Especial - Arts. 304 a 420. TÍTULO III Do Adimplemento e Extinção das Obrigações. CAPÍTULO I Do Pagamento

Código Civil. Parte Especial - Arts. 304 a 420. TÍTULO III Do Adimplemento e Extinção das Obrigações. CAPÍTULO I Do Pagamento Código Civil Parte Especial - Arts. 304 a 420 TÍTULO III Do Adimplemento e Extinção das Obrigações CAPÍTULO I Do Pagamento Seção I De Quem Deve Pagar Art. 304. Qualquer interessado na extinção da dívida

Leia mais

Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF

Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF Os contratos de mútuo, comumente realizados entre pessoas físicas e jurídicas, serão tributados, na fonte, pelo Imposto de Renda e pelo Imposto sobre

Leia mais

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação.

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação. 1. Execução Resumo A Lei 11.232/05 colocou fim à autonomia do Processo de Execução dos Títulos Judiciais, adotando o processo sincrético (a fusão dos processos de conhecimento e executivo a fim de trazer

Leia mais

Novas regras na habitação

Novas regras na habitação Novas regras na habitação PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 7 DE JANEIRO DE 2013 POR JM A lei n.º 59/2012, de novembro, cria salvaguardas para os mutuários de crédito à habitação e altera o decreto-lei

Leia mais

sql Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D.

sql Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. AG no 200.2010.023.561-9/001 ACÓRDÃO sql Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira AGRAVO DE INSTRUMENTO No 200.2010.023.561-9/001

Leia mais

PROGRAMA DE DIREITOS REAIS Luís Menezes Leitão

PROGRAMA DE DIREITOS REAIS Luís Menezes Leitão PROGRAMA DE DIREITOS REAIS Luís Menezes Leitão INTRODUÇÃO Secção I. Os Direitos Reais. 1. A categoria de Direitos Reais. 2. Objecto e características dos Direitos Reais. 3. A tutela constitucional dos

Leia mais

ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS. Artur Francisco Mori Rodrigues Motta

ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS. Artur Francisco Mori Rodrigues Motta ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS Artur Francisco Mori Rodrigues Motta ESPÉCIES DE RENÚNCIA AO DIREITO HEREDITÁRIO E EFEITOS TRIBUTÁRIOS Artur Francisco Mori Rodrigues Motta

Leia mais

Conteúdo: Direito das Coisas: Posse: Conceito de Possuidor; Teorias da Posse; Natureza Jurídica; Composse; Detenção. - DIREITO DAS COISAS

Conteúdo: Direito das Coisas: Posse: Conceito de Possuidor; Teorias da Posse; Natureza Jurídica; Composse; Detenção. - DIREITO DAS COISAS Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Reais) / Aula 16 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Direito das Coisas: Posse: Conceito de Possuidor; Teorias da Posse; Natureza Jurídica; Composse;

Leia mais

OAB XIV EXAME PROVA BRANCA. Comentário às questões de Direito Empresarial. A prova foi bem elaborada e não ofereceu maiores dificuldades.

OAB XIV EXAME PROVA BRANCA. Comentário às questões de Direito Empresarial. A prova foi bem elaborada e não ofereceu maiores dificuldades. OAB XIV EXAME PROVA BRANCA Comentário às questões de Direito Empresarial A prova foi bem elaborada e não ofereceu maiores dificuldades. QUESTÃO 48 Paulo, casado no regime de comunhão parcial com Jacobina,

Leia mais

Conteúdo: Divórcio e Espécies. Concubinato e União Estável: Pressupostos, Natureza Jurídica, Efeitos Pessoais, Efeitos Patrimoniais.

Conteúdo: Divórcio e Espécies. Concubinato e União Estável: Pressupostos, Natureza Jurídica, Efeitos Pessoais, Efeitos Patrimoniais. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Família e Sucessões / Aula 08 Professor: Andreia Amim Conteúdo: Divórcio e Espécies. Concubinato e União Estável: Pressupostos, Natureza Jurídica, Efeitos Pessoais,

Leia mais

DO DEPÓSITO. O depósito, no direito brasileiro, tem por objeto coisa móvel, não se admitindo o depósito de imóveis. VOLUNTÁRIO NECESSÁRIO

DO DEPÓSITO. O depósito, no direito brasileiro, tem por objeto coisa móvel, não se admitindo o depósito de imóveis. VOLUNTÁRIO NECESSÁRIO DAS VÁRIAS ESPÉCIES DE CONTRATO DO DEPÓSITO O depósito é o contrato pelo qual uma pessoa - depositário - recebe, para guardar, um objeto móvel alheio, com a obrigação de restituí-lo quando o depositante

Leia mais

Turma e Ano: Turma Regular Master A. Matéria / Aula: Direito Civil Aula 19. Professor: Rafael da Mota Mendonça

Turma e Ano: Turma Regular Master A. Matéria / Aula: Direito Civil Aula 19. Professor: Rafael da Mota Mendonça Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 19 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva DIREITO DAS COISAS (continuação) (III) Propriedade

Leia mais

Em regra, todos os créditos podem ser cedidos (art. 286 CC) a) Créditos de natureza personalíssima;

Em regra, todos os créditos podem ser cedidos (art. 286 CC) a) Créditos de natureza personalíssima; Turma e Ano: Flex B (2013) Matéria / Aula: Direito Civil / Aula 11 Professor: Rafael da Mota Mendonça Conteúdo: V- Transmissão das Obrigações: 1. Cessão de Crédito. V - Transmissão das Obrigações: 1. CESSÃO

Leia mais

DECRETO N.º 265/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 265/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 265/XII Aprova o regime de concessão de crédito bonificado à habitação a pessoa com deficiência e revoga os Decretos-Leis n.ºs 541/80, de 10 de novembro, e 98/86, de 17 de maio A Assembleia

Leia mais

PARTE PRIMEIRA CONDOMÍNIO EDILÍCIO

PARTE PRIMEIRA CONDOMÍNIO EDILÍCIO Índice sistemático Obras do autor Nota de introdução PARTE PRIMEIRA CONDOMÍNIO EDILÍCIO 1. Do condomínio geral ao condomínio edilício ou em edificações 2. Condomínio voluntário, condomínio necessário e

Leia mais

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação Supervisão: Habermann Editora Capa: Kaloã Tuckmantel Habermann Diagramação: Habermann Editora Dados Internacionais de Catalogação na Publicação Soluções Práticas do Dia a Dia do Advogado - Doutrina, Legislação,

Leia mais

GARANTIAS LOCATÍCIAS. 20 de março de 2012

GARANTIAS LOCATÍCIAS. 20 de março de 2012 GARANTIAS LOCATÍCIAS 20 de março de 2012 As MODALIDADES estão previstas no artigo 37 da Lei 8245/91, mantidas pela Lei 12.112/09: I caução; II fiança; III seguro de fiança locatícia; IV cessão fiduciária

Leia mais

DIREITO CIVIL IV TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS. Foed Saliba Smaka Jr. Aulas 27/28 10 e 11/11/2015.

DIREITO CIVIL IV TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS. Foed Saliba Smaka Jr. Aulas 27/28 10 e 11/11/2015. DIREITO CIVIL IV TEORIA GERAL DAS OBRIGAÇÕES CONTRATUAIS. Foed Saliba Smaka Jr. Aulas 27/28 10 e 11/11/2015. Introdução: Tão antigo quanto a troca, anterior a compra e venda. Transferência de Patrimônio

Leia mais

Livro I PROPRIEDADE, DIREITOS REAIS E REGISTROS

Livro I PROPRIEDADE, DIREITOS REAIS E REGISTROS SUMÁRIO Livro I PROPRIEDADE, DIREITOS REAIS E REGISTROS Capítulo 1 Propriedade e Direitos Reais 1.1. Direitos reais 1.2. Sistematização no Código Civil e classificação 1.3. Características dos direitos

Leia mais

TRANSPORTE. 1. Referência legal do assunto. Arts. 730 a 756 do CC. 2. Conceito de transporte

TRANSPORTE. 1. Referência legal do assunto. Arts. 730 a 756 do CC. 2. Conceito de transporte 1. Referência legal do assunto Arts. 730 a 756 do CC. 2. Conceito de transporte TRANSPORTE O CC define o contrato de transporte no art. 730: Pelo contrato de transporte alguém se obriga, mediante retribuição,

Leia mais

14/06/2013. Andréa Baêta Santos

14/06/2013. Andréa Baêta Santos Tema: DIREITO REGISTRAL IMOBILIÁRIO Questões de Registro de Imóveis 14/06/2013 1. Na certidão em relatório Oficial deve sempre se ater ao quesito requerente? formulado o pelo Não, pois sempre que houver

Leia mais

Art. 593. A prestação de serviço, que não estiver sujeita às leis trabalhistas ou a lei especial, reger-se-á pelas disposições deste Capítulo.

Art. 593. A prestação de serviço, que não estiver sujeita às leis trabalhistas ou a lei especial, reger-se-á pelas disposições deste Capítulo. Código Civil Parte Especial - Arts. 593 a 709 CAPÍTULO VII Da Prestação de Serviço Art. 593. A prestação de serviço, que não estiver sujeita às leis trabalhistas ou a lei especial, reger-se-á pelas disposições

Leia mais

Penhor, Hipoteca e Anticrese

Penhor, Hipoteca e Anticrese Penhor, Hipoteca e Anticrese Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Departamento de Direito Civil Professor Doutor Antonio Carlos Morato Classificação Direitos de Garantia Penhor (art. 1.225,

Leia mais

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Ao alugar um imóvel é necessário documentar a negociação por meio de um contrato, de preferência, escrito. O inquilino deve ler atentamente todas

Leia mais

DEPÓSITO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 627 a 652 do CC. 2. Conceito de depósito

DEPÓSITO. 1. Referência legal do assunto. Arts. 627 a 652 do CC. 2. Conceito de depósito 1. Referência legal do assunto Arts. 627 a 652 do CC. 2. Conceito de depósito DEPÓSITO O contrato de depósito importa na guarda temporária de um bem móvel pelo depositário até o momento em que o depositante

Leia mais

LEI N 3.818, DE 20 DE MARÇO DE 1967

LEI N 3.818, DE 20 DE MARÇO DE 1967 LEI N 3.818, DE 20 DE MARÇO DE 1967 Publicada no DOE (Pa) de 31.03.67. Alterada pela Lei 4.313/69. Vide Lei 5.002/81, que fixa alíquotas para o Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis e de Direitos

Leia mais

Informativo Austin Rating

Informativo Austin Rating Informativo Austin Rating Cédula de Crédito Bancário - CCB CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO - CCB Medida Provisória n.º 2.160-25 Resolução Banco Central do Brasil n.º 2.843/01 Comunicado SNA n.º 010/01 CONCEITO

Leia mais

SEGURO-GARANTIA CONDIÇÕES GERAIS

SEGURO-GARANTIA CONDIÇÕES GERAIS SEGURO-GARANTIA CONDIÇÕES GERAIS 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES... 2 2. APRESENTAÇÃO... 2 3. ESTRUTURA DO CONTRATO DE SEGURO... 2 4. OBJETIVO DO SEGURO... 3 5. DEFINIÇÕES... 3 6. FORMA DE CONTRATAÇÃO... 4

Leia mais

UMA SUSCINTA ANÁLISE DA EFICÁCIA DA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

UMA SUSCINTA ANÁLISE DA EFICÁCIA DA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO UMA SUSCINTA ANÁLISE DA EFICÁCIA DA AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO Anne Karoline ÁVILA 1 RESUMO: A autora visa no presente trabalho analisar o instituto da consignação em pagamento e sua eficácia. Desta

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.507.239 - SP (2014/0340784-3) RELATÓRIO O SENHOR MINISTRO MARCO AURÉLIO BELLIZZE: Trata-se de recurso especial interposto por Santander Leasing S.A. Arrendamento Mercantil, com fundamento

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO DE CONTEÚDO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO DE CONTEÚDO Prof a.: Helisia Góes Disciplina: DIREITO CIVIL CONTRATOS Turmas: 4º DIV e 4º DIN CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO - 1º SEMESTRE/2012 1 EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO DE CONTEÚDO I N S T R U Ç

Leia mais

PONTO 1: União estável PONTO 2: Alimentos. 1. União estável:

PONTO 1: União estável PONTO 2: Alimentos. 1. União estável: 1 PONTO 1: União estável PONTO 2: Alimentos 1. União estável: - Leis 8971/94 e 9278/96. - Lei 10.406/2002 e art. 1723 e seguintes. - Art. 226, 3 1, CF. União entre homem e mulher pública (notoriedade),

Leia mais

PUBLICADO DOC 17/11/2011, PÁG 107

PUBLICADO DOC 17/11/2011, PÁG 107 PUBLICADO DOC 17/11/2011, PÁG 107 PROJETO DE RESOLUÇÃO 03-00023/2011 da Mesa Diretora Institui no âmbito da Câmara Municipal de São Paulo Sistema de Consignação Facultativa em Folha de Pagamento na modalidade

Leia mais

Obs1: O possuidor direto pode fazer uso dos interditos possessórios contra o possuidor indireto e vice-versa.

Obs1: O possuidor direto pode fazer uso dos interditos possessórios contra o possuidor indireto e vice-versa. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Civil (Reais) / Aula 17 Professor: Rafael da Motta Mendonça Conteúdo: Posse: Classificação; Formas de Aquisição. I) POSSE (cont.): 7. Classificação da Posse:

Leia mais

Ementário do curso de

Ementário do curso de Introdução ao Estudo de I Fase: I Carga Horária: 60 h/a Créditos: 04 A sociedade. e ordem jurídica. Conceito de justiça. e moral. Fontes do. Positivo. objetivo e subjetivo. Público e Privado. Capacidade

Leia mais

RESTITUIÇÃO DE PARCELAS APÓS O ENCERRAMENTO DO GRUPO CONSORCIAL-DECISÃO DA RECLAMAÇÃO 3.752/GO - INCIDIÊNCIA DOS JUROS MORATÓRIOS

RESTITUIÇÃO DE PARCELAS APÓS O ENCERRAMENTO DO GRUPO CONSORCIAL-DECISÃO DA RECLAMAÇÃO 3.752/GO - INCIDIÊNCIA DOS JUROS MORATÓRIOS RESTITUIÇÃO DE PARCELAS APÓS O ENCERRAMENTO DO GRUPO CONSORCIAL-DECISÃO DA RECLAMAÇÃO 3.752/GO - INCIDIÊNCIA DOS JUROS MORATÓRIOS Consórcio é uma reunião de pessoas, físicas e/ou jurídicas, em grupo fechado,

Leia mais

LEGISLAÇÃO CSC PARA CONSULTA NO EXAME

LEGISLAÇÃO CSC PARA CONSULTA NO EXAME ELEMENTOS DO CÒDIGO DAS SOCIEDADES COMERCIAIS PARA CONSULTA Artigo 28.º Verificação das entradas em espécie 1 - As entradas em bens diferentes de dinheiro devem ser objecto de um relatório elaborado por

Leia mais

a) Empresa, que crie o maior número de postos de trabalho; c) A empresa estar sediada no concelho de Portalegre;

a) Empresa, que crie o maior número de postos de trabalho; c) A empresa estar sediada no concelho de Portalegre; REGULAMENTO DE VENDA DE LOTES DE TERRENO PARA IMPLANTAÇÃO DE INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS, COMERCIAIS E/OU SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS DE UTILIZAÇÃO COLECTIVA DA ZONA INDUSTRIAL DE PORTALEGRE CAPÍTULO I VENDA DE

Leia mais

1. CONDOMÍNIO - CONCEITO.

1. CONDOMÍNIO - CONCEITO. 1. CONDOMÍNIO - CONCEITO. É a existência de pluralidade de titulares do direito de propriedade sobre um determinado bem de maneira simultânea. Dá-se o condomínio quando, em uma relação de direito de propriedade,

Leia mais

O devedor originário responde se o novo devedor for insolvente e esta insolvência não for de conhecimento do credor.

O devedor originário responde se o novo devedor for insolvente e esta insolvência não for de conhecimento do credor. 3.2 Cessão de Débito ou Assunção de Dívida A cessão de débito traduz um negócio jurídico bilateral pelo qual o devedor, COM EXPRESSA AUTORIZAÇÃO DO CREDOR (CC, art. 299), transfere a um terceiro a sua

Leia mais

Condições de Venda em Hasta Pública Unificada

Condições de Venda em Hasta Pública Unificada Condições de Venda em Hasta Pública Unificada ORIENTAÇÕES DO PREGÃO JUDICIAL Última atualização em Terça, 26 Agosto 2014 01. Para todas as Varas do Trabalho deste Regional, a Hasta Pública Unificada realizada,

Leia mais

DIREITO CIVIL OBRIGAÇÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS

DIREITO CIVIL OBRIGAÇÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS DIREITO CIVIL OBRIGAÇÕES PROF. FLÁVIO MONTEIRO DE BARROS MÓDULO I Direito das obrigações; Introdução; Divisão patrimonial; Distinção entre os direitos reais e pessoais; Direitos mistos; Obrigações propter

Leia mais

TEORIA E PRÁTICA DO INVENTÁRIO JUDICIAL E EXTRAJ U DICIAL

TEORIA E PRÁTICA DO INVENTÁRIO JUDICIAL E EXTRAJ U DICIAL JOÃO ROBERTO PARIZATTO TEORIA E PRÁTICA DO INVENTÁRIO JUDICIAL E EXTRAJ U DICIAL 5. a Edição EDITORA PARIZATTO Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio eletrônico, mecânico ou xerográfico,

Leia mais

A extinção da personalidade ocorre com a morte, que pode ser natural, acidental ou presumida.

A extinção da personalidade ocorre com a morte, que pode ser natural, acidental ou presumida. Turma e Ano: Turma Regular Master A Matéria / Aula: Direito Civil Aula 04 Professor: Rafael da Mota Mendonça Monitora: Fernanda Manso de Carvalho Silva Personalidade (continuação) 3. Extinção da personalidade:

Leia mais

DIREITO CIVIL Comentários Prova CETRO ISS/SP 2014 Prof. Lauro Escobar

DIREITO CIVIL Comentários Prova CETRO ISS/SP 2014 Prof. Lauro Escobar ISS/SP 2014) No que tange aos institutos da Prescrição e da Decadência, marque V para verdadeiro ou F para falso e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA. ( ) O princípio

Leia mais

Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra.

Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Lição 14. Doação Art. 538. Considera-se doação o contrato em que uma pessoa, por liberalidade, transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o de outra. Na doação deve haver, como em qualquer outro

Leia mais

DIREITO CIVIL DIREITO REAL - ÍNDICE Danilo D. Oyan

DIREITO CIVIL DIREITO REAL - ÍNDICE Danilo D. Oyan DIREITO CIVIL DIREITO REAL - ÍNDICE Danilo D. Oyan 1 O UNIVERSO DOS DIREITOS REAIS, 19 1.1 Relação reais e direitos pessoais, 23 1.2 Direitos reais e direitos pessoais, 23 1.3 Divagações doutrinárias acerca

Leia mais

Ofício-Circulado 60009, de 21/05/1999 - Direcção de Serviços de Justiça Tributária

Ofício-Circulado 60009, de 21/05/1999 - Direcção de Serviços de Justiça Tributária Ofício-Circulado 60009, de 21/05/1999 - Direcção de Serviços de Justiça Tributária PLANOS PRESTACIONAIS - DEC-LEI Nº 124/96 REDUÇÃO DA TAXA DE JUROS DE MORA VINCENDOS CONSTITUIÇÃO DE GARANTIAS - DEC-LEI

Leia mais