LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO. Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO. Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA"

Transcrição

1 LÍDER NO DESENVOLVIMENTO DA CRIOPRESERVAÇÃO Garantir o futuro do seu filho com SEGURANÇA e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

2 Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia Clínica As células estaminais são células indiferenciadas muito primitivas que têm uma capacidade extraordinária de se diferenciarem em vários tipos de células adultas que compõem o nosso organismo. É, no entanto, importante distinguir entre células estaminais hematopoiéticas e células estaminais mesenquimais. Até agora, apenas existia a possibilidade de guardar as células estaminais isoladas a partir do sangue do cordão umbilical células estaminais hematopoiéticas. Em termos gerais, as células estaminais hematopoiéticas, dão origem a células relacionadas com o sangue, e, por esse motivo, são geralmente utilizadas no tratamento de doenças relacionadas com o sangue (alguns tipos de leucemias, linfomas ou anemias). No serviço Cytothera Baby é este tipo de células que são criopreservadas e que permitem este tipo de aplicações terapêuticas.

3 Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia Clínica Com um novo serviço Cytothera Cord, é possível o isolamento de um outro tipo de células estaminais, as células estaminais mesenquimais, isoladas a partir do tecido do cordão umbilical. Estas células apresentam um elevado potencial de multiplicação e capacidade de diferenciação em vários tipos celulares, como pele, osso, músculo, cartilagem, tecido nervoso e gordura, o que as torna uma ferramenta muito útil na medicina regenerativa, alargando o potencial terapêutico das células estaminais. O processo de isolamento de células estaminais a partir do tecido do cordão umbilical - Cytothera Cord - foi desenvolvido em parceria com a equipa de investigadores da EcBio e patenteado pelo Grupo Medinfar.

4 Células estaminais Mesenquimais A primeira referência publicada do isolamento de células estaminais mesenquimais data de Desde essa data, o conhecimento sobre este tipo de células evoluiu bastante e actualmente já é possível caracterizá-las com relativa facilidade. Estas células não possuem um complexo de histocompatibilidade major completo, encontrando-se ausentes os genes do subgrupo II e faltando um gene do subgrupo I (HLA-DR). Esta característica tem uma enorme importância quando se trata da probabilidade de compatibilidade entre o dador e o receptor, sendo que, quanto mais genes estiverem ausentes, maior é a probabilidade de compatibilidade entre duas pessoas. Verificou-se, ainda, possuírem uma característica muito importante de potenciação do sucesso da aplicação das células estaminais hematopoiéticas.

5 Potencial de diferenciação das células estaminais mesenquimais As células estaminais mesenquimais, consoante estímulos apropriados, podem diferenciar-se em células nervosas, musculares, cartilagíneas, ósseas, adiposas ou endócrinas (produtoras de hormonas) que poderão ser, num futuro próximo, uma solução muito atractiva para a resolução de múltiplas patologias. Células estaminais mesenquimais Células de Osso Células de Cartilagem Células de Gordura

6 Principais fontes de células estaminais Tecido do Cordão Umbilical Sangue do Cordão Umbilical Medula Óssea Sangue Periférico Tecido Adiposo O sangue do cordão umbilical é rico em células estaminais hematopoiéticas, que se diferenciam maioritariamente em células do sistema sanguíneo. Para além de células estaminais hematopoiéticas, existem estudos que indicam ser também possível isolar Células estamianais mesenquimais a partir do sangue do cordão umbilical. Na actualidade e em ensaios clínicos realizados em humanos, as células estaminais mesenquimais são colhidas a partir da medula óssea, do tecido adiposo ou da mucosa nasal do próprio individuo. Os resultados têm sido promissores, embora o número de células obtido a partir destas fontes seja relativamente escasso. Com efeito, e a título de exemplo, obtêm-se, em média, 10 vezes mais células estaminais mesenquimais a partir da matriz do cordão umbilical do que a medula óssea do próprio indivíduo.

7 Principais fontes de células estaminais É por este motivo que a criopreservação de células estaminais mesenquimais a partir da matriz do cordão umbilical, dado que se consegue obter um número muito maior de células do que a partir da colheita de outras fontes, se apresenta actualmente como a solução ideal para as aplicações terapêuticas preconizadas com este tipo de células.

8 As potenciais aplicações terapêuticas das células estaminais são vastas. No entanto, é necessário distinguir as potenciais aplicações das células estaminais hematopoiéticas, que poderá preservar no serviço Cytothera Baby, das aplicações das células estaminais mesenquimais, que poderá preservar no serviço Cytothera Cord (no serviço Cytothera Plus criopreservam-se ambos os tipos de células estaminais).

9 Aplicações terapêuticas das células estaminais hematopoiéticas DOENÇAS ONCOLÓGICAS: Alguns tipos de leucemias Síndromes mielodisplásicos Alguns tipos de linfoma Síndromes linfoproliferativos agudos IMUNODEFICIÊNCIAS: Hipogamaglobulinémia Imnunodeficiência combinada severa Doença granulomatosa crónica Outras imunodeficiências DOENÇAS HEMATOLÓGICAS: Alguns tipos de anemias Alguns tipos de trombocitopénia Alguns tipos de pancitopénia DOENÇAS METABÓLICAS: Doença de Gaucher (infantil) Síndrome de Hurler Mucolipidoses Tipo II e III Outras doenças metabólicas

10 Aplicações terapêuticas das células estaminais mesenquimais Doenças Cardíacas: Enfarte do Miocárdio Insuficiência Cardíaca Acidentes Vasculares Cerebrais Lesões na Medula Espinal Regeneração de Osso Regeneração de Cartilagem Osteogenesis imperfecta Diabetes tipo 1 Doença do Enxerto versus Hospedeiro

11 Aplicações emergentes das células estaminais mesenquimais Doenças da Superfície Ocular Reparação Hepática Doença de Parkinson Doença de Alzheimer Esclerose Lateral Amiotrófica Doença de Huntington

12

13 CYTOTHERA Baby O QUE É? Serviço de Criopreservação das Células Estaminais Hematopoiéticas isoladas a partir do sangue do cordão umbilical VANTAGEM Aplicação terapêutica comprovada em várias doenças do foro sanguíneo Constante desenvolvimento de novas aplicações terapêuticas

14 CYTOTHERA Cord O QUE É? É o novo serviço de Criopreservação das Células Estaminais Mesenquimais isoladas a partir da matriz do cordão umbilical Processo inovador, patenteado pela Medinfar em 2007 Inovação VANTAGEM Novas aplicações terapêuticas a nível dos órgãos de estrutura Compatibilidade provável entre irmãos e boa probabilidade de compatibilidade com outros familiares próximos Aumento de probabilidade do sucesso do Enxerto das Células Estaminais Hematopoiéticas As Células do CYTOTHERA CORD armazenadas podem ser utilizadas mais de uma vez

15 CYTOTHERA Plus O QUE É? É a conjugação entre os serviços Cytothera Baby e Cytothera Cord VANTAGEM Aumento do leque de aplicações terapêuticas Aumento da capacidade de multiplicação das Células Estaminais Hematopoiéticas quando utilizadas em conjunto Oferta de 2 serviços distintos e complementares, que respondem de forma única à Criopreservação das Células Estaminais, nas várias aplicações terapêuticas, conhecidas até à data BABY + CORD = 30% a menos no serviço

16 Custos do Serviço Gama de Serviços Kit Processamento e Criopreservação Cytothera Baby * Cytothera Cord * Cytothera Plus * * Este valor poderá ter um desconto. Consulte-nos. O pagamento poderá ser efectuado em prestações até um ano sem qualquer juro associado.

APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS

APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS APRESENTAÇÃO CYTOTHERA CORD E CYTOTHERA PLUS Garantir o futuro da saúde do seu filho com Patrícia SEGURANÇA Cruz e INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Apresentação de um serviço único na Europa na área da Biotecnologia

Leia mais

Cytothera Baby O serviço Cytothera Baby permite recolher e criopreservar células estaminais obtidas a partir do sangue do cordão umbilical do bebé.

Cytothera Baby O serviço Cytothera Baby permite recolher e criopreservar células estaminais obtidas a partir do sangue do cordão umbilical do bebé. A Cytothera pertence ao grupo farmacêutico MEDINFAR e dedica a sua actividade à investigação e criopreservação de células estaminais. O método pioneiro de isolamento e criopreservação de células estaminais

Leia mais

O QUE SÃO CÉLULAS ESTAMINAIS?

O QUE SÃO CÉLULAS ESTAMINAIS? O QUE SÃO CÉLULAS ESTAMINAIS? As células estaminais, também conhecidas por células mãe ou células tronco, distinguem-se das demais por serem células indiferenciadas, o que significa que não possuem a especialização

Leia mais

Perguntas Frequentes. Centro de Histocompatibilidade do Norte

Perguntas Frequentes. Centro de Histocompatibilidade do Norte Perguntas Frequentes Desde quando o Banco Público de Células Estaminais do Cordão Umbilical serve gratuitamente a criopreservação às grávidas? O Despacho do Banco Público de células estaminais do cordão

Leia mais

Células estaminais criam nova esperança contra leucemia (pág.1)

Células estaminais criam nova esperança contra leucemia (pág.1) Células estaminais criam nova esperança contra leucemia (pág.1) Investigadores portugueses e americanos, no âmbito do programa MIT-Portugal, estão usar clinicamente células estaminais para neutralizar

Leia mais

Fevereiro 2011 BEBÉ VIDA INFORMA. 707 20 10 18 geral@bebevida.com www.bebevida.com

Fevereiro 2011 BEBÉ VIDA INFORMA. 707 20 10 18 geral@bebevida.com www.bebevida.com Fevereiro 2011 BEBÉ VIDA INFORMA 1 Células hematopoiéticas do sangue do cordão umbilical podem ajudar na recuperação de AVC s As células estaminais hematopoiéticas do sangue do cordão umbilical podem promover

Leia mais

DOENÇAS TRATÁVEIS. Existem dois tipos de transplante:

DOENÇAS TRATÁVEIS. Existem dois tipos de transplante: DOENÇAS TRATÁVEIS Nestes casos, o tratamento com células estaminais e progenitoras hematopoiéticas é eficaz e está totalmente comprovado, padronizado e generalizado. Para algumas destas doenças, as células

Leia mais

células Vários tipos de

células Vários tipos de Células tronco Bioquímicas Maria Alice Vieira Willrich Adriana Helena Sedrez Patricia Bernardi Curso de Gestantes Unimed Brusque, 03 de setembro de 2007. O que são células tronco? Tipos de Células-Tronco

Leia mais

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Ajudando futuros pais a tomar uma decisão consciente Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa O que é sangue de cordão umbilical

Leia mais

Centro de Histocompatibilidade do Sul. Pele Vascular Córnea Membrana amniótica. Processamento Armazenamento Distribuição Importação Exportação

Centro de Histocompatibilidade do Sul. Pele Vascular Córnea Membrana amniótica. Processamento Armazenamento Distribuição Importação Exportação Centro de Histocompatibilidade do Sul Tecidos Atividade Ósseos Pele Vascular Córnea Membrana amniótica Análise Processamento Importação Exportação Criopreservação Congelação Congelação seca Descontaminação

Leia mais

Aplicação das células mesenquimatosas na transplantação de medula óssea. Projecto IPOFG,IST- IBB, LT Apoios: APCL, JMS 2008

Aplicação das células mesenquimatosas na transplantação de medula óssea. Projecto IPOFG,IST- IBB, LT Apoios: APCL, JMS 2008 Aplicação das células mesenquimatosas na transplantação de medula óssea Projecto IPOFG,IST- IBB, LT Apoios: APCL, JMS 2008 Doenças potencialmente tratáveis com transplantação de medula óssea Leucemias

Leia mais

Como a preservação de. células-tronco do sangue do cordão umbilical pode ajudar. seu bebê no futuro?

Como a preservação de. células-tronco do sangue do cordão umbilical pode ajudar. seu bebê no futuro? Como a preservação de células-tronco do sangue do cordão umbilical pode ajudar seu bebê no futuro? Índic 03 Introdução 04 Perspectivas e tratamento com células-tronco do sangue do cordão umbilical 08 Como

Leia mais

Tipos de células-tronco:

Tipos de células-tronco: Células-tronco Profa. Dra. Patricia Pranke, PhD Professora dehematologia da Faculdade de Farmácia e da Pós-graduação em Ciências Médicas da Faculdade de Medicina, da Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 755/2006 AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A DECRETA:

PROJETO DE LEI Nº 755/2006 AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A DECRETA: PROJETO DE LEI Nº 755/2006 A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CRIAR O BANCO MUNICIPAL DE SANGUE DE CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO, SEU RESPECTIVO CADASTRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Células estaminais e medicina regenerativa

Células estaminais e medicina regenerativa Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Biopatologia 2006/2007 11ª Aula Teórica: 27/11/06 Aula dada por: Dr. Raquel Almeida Células estaminais e medicina regenerativa Hoje eu vou falar de células

Leia mais

Plataformas para o transplante e diferenciação controlada de células estaminais

Plataformas para o transplante e diferenciação controlada de células estaminais Plataformas para o transplante e diferenciação controlada de células estaminais Lino Ferreira Departamento de Biomateriais e Terapias Baseadas em Células Estaminais Área de Biotecnologia Centro de Neurociências

Leia mais

Art. 4º Para os efeitos desta lei compete ao Banco Municipal de Sangue de Cordão Umbilical de Neonatos:

Art. 4º Para os efeitos desta lei compete ao Banco Municipal de Sangue de Cordão Umbilical de Neonatos: CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO 200 Nº Despacho PROJETO DE LEI N 755/2006 AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A CRIAR O BANCO MUNICIPAL DE SANGUE DE CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO, SEU RESPECTIVO CADASTRO E

Leia mais

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Florianópolis, Agosto 2004 Células-tronco O que são células-tronco e o que podemos fazer com elas? Qual a relação

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO E GENÉTICA DESAFIOS NA CIÊNCIA. Mayana Zatz CENTRO DE ESTUDOS DO GENOMA HUMANO

CÉLULAS-TRONCO E GENÉTICA DESAFIOS NA CIÊNCIA. Mayana Zatz CENTRO DE ESTUDOS DO GENOMA HUMANO CÉLULAS-TRONCO E GENÉTICA DESAFIOS NA CIÊNCIA Mayana Zatz CENTRO DE ESTUDOS DO GENOMA HUMANO AS GRANDES REVOLUÇÕES DA ÚLTIMA DÉCADA O Projeto Genoma Humano A CLONAGEM e AS CÉLULAS-TRONCO Como isso nos

Leia mais

Protocolo. Transplante de células-tronco hematopoiéticas nas hemoglobinopatias

Protocolo. Transplante de células-tronco hematopoiéticas nas hemoglobinopatias Protocolo Transplante de células-tronco hematopoiéticas nas hemoglobinopatias Versão eletrônica atualizada em Abril 2012 Embora a sobrevida dos pacientes com talassemia major e anemia falciforme (AF) tenha

Leia mais

SÍNDROME DE HIPER-IgM

SÍNDROME DE HIPER-IgM SÍNDROME DE HIPER-IgM Esta brochura é para ser usada pelos pacientes e pelas suas famílias e não deve substituir o aconselhamento de um imunologista clínico. 1 Também disponível: AGAMAGLOBULINEMIA LIGADA

Leia mais

1. CANDIDATURA A UM DESEJO

1. CANDIDATURA A UM DESEJO 1. CANDIDATURA A UM DESEJO Dados da criança: (dd/mmm/aaaa i.e. 01Jan2000) Nome: Sexo: Masculino Feminino Doença: Data de Nascimento: Telefone: Morada actual: Idade: Desejo da Criança: Língua-materna: Já

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 3. Comparação do Número de Dadores na Europa, 2002... 4 2. SEGURANÇA E QUALIDADE EM TRANSPLANTAÇÃO... 4

1. INTRODUÇÃO... 3. Comparação do Número de Dadores na Europa, 2002... 4 2. SEGURANÇA E QUALIDADE EM TRANSPLANTAÇÃO... 4 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 Comparação do Número de Dadores na Europa, 2002... 4 2. SEGURANÇA E QUALIDADE EM TRANSPLANTAÇÃO... 4 3. CARTA NACIONAL DE COLHEITA DE ÓRGÃOS... 6 4. GESTÃO ESTRATÉGICA... 6 5.

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Disciplina de Professor Doutor Miguel Oliveira da Silva Ana Marta António Pedro Daniel Rita Rodrigues 10 de Dezembro de 2009 Células Estaminais do Cordão Umbilical - - Sangue do cordão umbilical o Tecido

Leia mais

Future Health BIOBANK liberta uma amostra. É o 10.º aniversário da Future Health! MBE para diretor da Future Health BIOBANK

Future Health BIOBANK liberta uma amostra. É o 10.º aniversário da Future Health! MBE para diretor da Future Health BIOBANK 2012 Número 5 É o 10.º aniversário da Future Health! Em 2012, a Future Health estará a celebrar o seu 10.º aniversário. O senhor Roger Dainty, diretor-geral da Future Health BIOBANK, Reino Unido, disse:

Leia mais

LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997

LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997 LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997 Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço

Leia mais

O QUE É? O LINFOMA DE HODGKIN

O QUE É? O LINFOMA DE HODGKIN O QUE É? O LINFOMA DE HODGKIN Gânglio Linfático O LINFOMA DE HODGKIN O QUE É O LINFOMA DE HODGKIN? O linfoma de Hodgkin é um cancro do sistema linfático, que surge quando as células linfáticas se alteram

Leia mais

CONHECIMENTO DE ENFERMEIROS NA UTILIZAÇÃO DE SANGUE DE CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO PARA TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO

CONHECIMENTO DE ENFERMEIROS NA UTILIZAÇÃO DE SANGUE DE CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO PARA TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO CONHECIMENTO DE ENFERMEIROS NA UTILIZAÇÃO DE SANGUE DE CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO PARA TRANSPLANTE DE CÉLULAS TRONCO FRITZ, E. R.¹; GARCIA, M. C. ² ; FILIPINI, S. M. 3 1,2,3, Universidade do Vale do

Leia mais

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA, O TRABALHO DE CAPTAÇÃO DE CANDIDATOS E A POSSIBILIDADE DE ENVOLVIMENTO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA Déborah Carvalho Gerência

Leia mais

O QUE É? A LEUCEMIA MIELOBLÁSTICA AGUDA

O QUE É? A LEUCEMIA MIELOBLÁSTICA AGUDA O QUE É? A LEUCEMIA MIELOBLÁSTICA AGUDA A LEUCEMIA MIELOBLÁSTICA AGUDA O QUE É A LEUCEMIA MIELOBLÁSTICA AGUDA? A Leucemia Mieloblástica Aguda (LMA) é o segundo tipo de leucemia mais frequente na criança.

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO. derme tendão

TECIDO CONJUNTIVO. derme tendão TECIDO CONJUNTIVO derme tendão Tecido adiposo cartilagem sangue osso http://medinfo.ufl.edu/~dental/denhisto/lecture_materials/conntiss1_07_nxpowerlite_1.ppt Tecido Conjuntivo Característica: vários tipos

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 126/X ESTABELECE OS PRINCÍPIOS DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA EM CÉLULAS ESTAMINAIS E A UTILIZAÇÃO DE EMBRIÕES

PROJECTO DE LEI N.º 126/X ESTABELECE OS PRINCÍPIOS DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA EM CÉLULAS ESTAMINAIS E A UTILIZAÇÃO DE EMBRIÕES Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda PROJECTO DE LEI N.º 126/X ESTABELECE OS PRINCÍPIOS DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA EM CÉLULAS ESTAMINAIS E A UTILIZAÇÃO DE EMBRIÕES Exposição de motivos O isolamento de

Leia mais

Biologia - 3ª Série Histologia Data: 13 de junho de 2007

Biologia - 3ª Série Histologia Data: 13 de junho de 2007 HISTOLOGIA Conceito: Ciência que estuda os tecidos. Tecido: Conjunto de células semelhantes que juntas anatomicamante, desempenham a mesma função. TECIDO EPITELIAL Características: células muito coesas

Leia mais

Conselho Ibero-Americano de Doação e Transplantes

Conselho Ibero-Americano de Doação e Transplantes Conselho Ibero-Americano de Doação e Transplantes Subgrupo de Segurança e Qualidade no Uso Terapêutico de Células e Tecidos GUIA DE QUALIDADE E SEGURANÇA EM TECIDOS E CÉLULAS PARA IMPLANTES Este documento

Leia mais

EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO. discreta de células-tronco adultas fazem a reposição. laboratório, determinar suas propriedades

EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO. discreta de células-tronco adultas fazem a reposição. laboratório, determinar suas propriedades EDITORIAL / EDITORIAL CÉLULA-TRONCO José Carlos Rossini Iglézias* As células-tronco são importantes para os organismos vivos por várias razões. No embrião, na fase do terceiro ao quinto dia de idade -

Leia mais

PARECER SOBRE OS BANCOS DE SANGUE E TECIDO DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTA

PARECER SOBRE OS BANCOS DE SANGUE E TECIDO DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTA 67/CNECV/2012 PARECER SOBRE OS BANCOS DE SANGUE E TECIDO DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTA Parecer conjunto do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida e do Comité de Bioética de España Lisboa,

Leia mais

Ética, Genética e Biotecnologia: o uso de células tronco

Ética, Genética e Biotecnologia: o uso de células tronco Ética, Genética e Biotecnologia: o uso de células tronco Apresentação A Lei de Biossegurança e o uso científico de CT embrionárias humanas, aprovados recentemente pelo Congresso Nacional Brasileiro, são

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 3.4.2003 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO RELATÓRIO SOBRE A INVESTIGAÇÃO DAS CÉLULAS ESTAMINAIS EMBRIONÁRIAS HUMANAS* RESUMO * Tradução não oficial

Leia mais

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos.

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos. Doação de órgãos A doação de órgãos é um ato de caridade e amor ao próximo. A cada ano, muitas vidas são salvas por esse gesto altruísta. A conscientização da população sobre a importância da doação de

Leia mais

ORIGEM: TECIDO CONJUNTIVO

ORIGEM: TECIDO CONJUNTIVO ORIGEM: TECIDO CONJUNTIVO TECIDO EPITELIAL MUITAS CÉLULAS; CÉLULAS JUSTAPOSTAS; POUCA OU NENHUMA SUBSTÂNCIA INTERCELULAR; FORMADO POR UMA OU VÁRIAS CAMADAS DE CÉLULAS; NÃO POSSUI FIBRAS; É AVASCULARIZADO;

Leia mais

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin

UPGRADE BIOLOGIA 2. Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco. Prof. Diego Ceolin UPGRADE BIOLOGIA 2 Aula 1: Noções de embriologia e células-tronco Prof. Diego Ceolin Desenvolvimento Embrionário Animal Divisões Divisões Cavidade (blastocele) celulares celulares Ovo Gastrulação Mórula

Leia mais

Mato Grosso do Sul conta com 80.665 pessoas cadastradas (até 2010) como doadoras de

Mato Grosso do Sul conta com 80.665 pessoas cadastradas (até 2010) como doadoras de Nesta sexta-feira (12) o Rádio Clube se dedica à solidariedade. Será feita uma campanha de captação de doadores de medula óssea no clube. A intenção da ação é sensibilizar as pessoas para aumentar o número

Leia mais

Tecido Conjuntivo. Prof Leonardo M. Crema

Tecido Conjuntivo. Prof Leonardo M. Crema Tecido Conjuntivo Prof Leonardo M. Crema Variedades de Tecido Conjuntivo Propriamente dito (frouxo, denso modelado e não modelado) Com propriedades especiais (tecido elástico, reticular, adiposo, mielóide,

Leia mais

reportagem Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro

reportagem Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro Como o Brasil avança nos estudos de células-tronco 18 HEMO em revista outubro/novembro/dezembro Desde a aprovação da Lei de Biossegurança, em 2005, os estudos com células-tronco têm se intensificado e

Leia mais

Mini-conferência Detecção de agentes infecciosos em hemocomponentes não plasmáticos. Discussão

Mini-conferência Detecção de agentes infecciosos em hemocomponentes não plasmáticos. Discussão Foto: Marcelo Rosa 8h30 8h40-9h 9h-9h50 9h50-10h 10h-10h20 Entrega do material Abertura Conferência: A doação de sangue na América Latina 10h20-10h50 10h50-11h 11h-12h30 11h-11h20 11h20-11h40 11h40-12h

Leia mais

Tipos de enxertos. Tipos de Enxertos: Tipos de Enxertos: O que é um transplante? Imunologia dos Transplantes. Singênicos

Tipos de enxertos. Tipos de Enxertos: Tipos de Enxertos: O que é um transplante? Imunologia dos Transplantes. Singênicos O que é um transplante? Imunologia dos Transplantes Prof.Dr. Gilson Costa Macedo Processo de retirada de células, tecidos ou órgãos, chamados enxertos, de um indivíduo e a sua inserção em um indivíduo

Leia mais

PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS

PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS 47/CNECV/05 PARECER Nº 47 DO CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA PARECER SOBRE A INVESTIGAÇÃO EM CÉLULAS ESTAMINAIS (Novembro de 2005) O presente parecer do Conselho Nacional de Ética para

Leia mais

Níveis de. Organização do. Corpo Humano

Níveis de. Organização do. Corpo Humano Níveis de Organização do Corpo Humano No corpo humano existem vários grupos de células semelhantes entre si. Cada grupo constitui um TECIDO Semelhança de forma: todas destinam-se a uma função específica.

Leia mais

3 TERAPIA CELULAR: SONHOS E REALIDADE

3 TERAPIA CELULAR: SONHOS E REALIDADE 38 3 TERAPIA CELULAR: SONHOS E REALIDADE A utilização terapêutica de células-tronco é uma das formas mais promissoras de tratamento de muitas doenças. No entanto, valer-se de tais procedimentos ainda desperta

Leia mais

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal

O QUE É? O NEUROBLASTOMA. Coluna Vertebral. Glândula supra-renal O QUE É? O NEUROBLASTOMA Coluna Vertebral Glândula supra-renal O NEUROBLASTOMA O QUE SIGNIFICA ESTADIO? O QUE É O NEUROBLASTOMA? O neuroblastoma é um tumor sólido maligno, o mais frequente em Pediatria

Leia mais

Descrição do esfregaço

Descrição do esfregaço Descrição do esfregaço Série vermelha: microcitose e hipocromia acentuadas com hemácias em alvo. Policromasia discreta. Série branca: sem anormalidades morfológicas Série plaquetária: sem anormalidades

Leia mais

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Processo de Trabalho em saúde: Integralidade e Cuidado do 6º ou 7º Biossegurança no trabalho, aspectos legais, suas classificações

Leia mais

células estaminais e medicina regenerativa

células estaminais e medicina regenerativa células estaminais e medicina regenerativa Um admirável mundo novo José Bragança 1,2, Álvaro Tavares 1,2 e José A. Belo 1,2 RESUMO O progresso da investigação no domínio das células estaminais mostrou

Leia mais

Manual do Doador Voluntário de Medula Óssea

Manual do Doador Voluntário de Medula Óssea Manual do Doador Voluntário de Medula Óssea Manual do Doador Voluntário O desconhecimento sobre a doação de medula óssea é enorme. Quando as pessoas são informadas de como é fácil ser doador voluntário

Leia mais

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade Apresentação Projeto Cultura Doadora É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade e uma atitude proativa para a doação de órgãos e tecidos, bem como na

Leia mais

TERAPIAS COM CÉLULAS-TRONCO PROMESSA OU REALIDADE?

TERAPIAS COM CÉLULAS-TRONCO PROMESSA OU REALIDADE? TERAPIAS COM CÉLULAS-TRONCO PROMESSA OU REALIDADE? Há algum tempo as pessoas escutam ou leem notícias sobre o imenso potencial das chamadas células-tronco para o tratamento de diferentes doenças, algumas

Leia mais

TRANSPLANTE DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS

TRANSPLANTE DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS 1 TRANSPLANTE DE CÉLULAS HEMATOPOÉTICAS Adriano dos Santos Pereira RESUMO Desde o primeiro procedimento realizado em 1968, o transplante de medula óssea vem sendo utilizado de maneira crescente, o tratamento

Leia mais

PIRES, A. N.; LEITE, R. G. de M Eletronic Journal of Pharmacy, vol. XII, Suplemento, p. 13-18, 2015

PIRES, A. N.; LEITE, R. G. de M Eletronic Journal of Pharmacy, vol. XII, Suplemento, p. 13-18, 2015 A IMPORTÂNCIA DO SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO (SCUP) E DOS BANCOS DE SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTÁRIO (BSCUP) ALEX NOGUEIRA PIRES*; CENTRO DE TERAPIA CELULAR CORDCELL, BRASÍLIA-DF,

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 05 - TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Sub-Grupo: - COLETA E EXAMES PARA FINS DE DOACAO DE ORGAOS,

Leia mais

III. 4 - Tecido Ósseo

III. 4 - Tecido Ósseo Capítulo 2: Parte 4 1 III. 4 - Tecido Ósseo É um tecido conjuntivo resistente em virtude da impregnação da sua substância fundamental pelos sais de cálcio, principalmente o fosfato e o carbonato de cálcio.

Leia mais

Idade, ela pesa 07/07/ 2015. Minhavida.com.br

Idade, ela pesa 07/07/ 2015. Minhavida.com.br Todo mundo quer viver muitos anos, não é mesmo? Mas você já se questionou se está somando mais pontos contra do que a favor na busca pela longevidade? Por isso mesmo, um estudo da Universidade da Califórnia,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA 67/CNECV/12

CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA 67/CNECV/12 CONSELHO NACIONAL DE ÉTICA PARA AS CIÊNCIAS DA VIDA 67/CNECV/12 RELATÓRIO SOBRE OS BANCOS DE SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL, TECIDO DO CORDÃO UMBILICAL E PLACENTA RELATORES: JORGE SEQUEIROS e MARIA DO CÉU

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 05 - TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Sub-Grupo: - COLETA E EXAMES PARA FINS DE DOACAO DE ORGAOS,

Leia mais

Transplante de Células Tronco Hematopoéticas

Transplante de Células Tronco Hematopoéticas 20 Congresso Multidisciplinar em Oncologia do Hospital Mãe de Deus Transplante de Células Tronco Hematopoéticas Enfermeira Fabiane Marek Especialista em Enfermagem Oncológica Unidade de Ambiente Protegido

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Formação APFH com o apoio de:

Formação APFH com o apoio de: Formação APFH 2012 3º Curso APFH Actualizações em Neurologia Módulo I Organização: APFH Local: Sede Nacional da APFH Rua Padre Estêvão Cabral, Edifício Tricana, nº120-1º andar, sala 108, Coimbra Data Módulo

Leia mais

Colesterol 3. Que tipos de colesterol existem? 3. Que factores afectam os níveis de colesterol? 4. Quando está o colesterol demasiado elevado?

Colesterol 3. Que tipos de colesterol existem? 3. Que factores afectam os níveis de colesterol? 4. Quando está o colesterol demasiado elevado? Colesterol Colesterol 3 Que tipos de colesterol existem? 3 Que factores afectam os níveis de colesterol? 4 Quando está o colesterol demasiado elevado? 4 Como reduzir o colesterol e o risco de doença cardiovascular?

Leia mais

II Workshop Internacional de Atualização. em Hepatologia. na Hematologia. Dominique Muzzillo

II Workshop Internacional de Atualização. em Hepatologia. na Hematologia. Dominique Muzzillo II Workshop Internacional de Atualização em Hepatologia O Fígado na Hematologia Dominique Muzzillo Prof a. Adjunto UFPR 1. Anemias - siderose secundária - hemólise transfusão 2. Doenças Malignas - leucemia

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL

AVALIAÇÃO LABORATORIAL AVALIAÇÃO LABORATORIAL Escolha das análises a serem realizadas Realização da coleta de forma adequada domínio da técnica reconhecimento de eventuais erros de procedimento escolha do recipiente, acondicionamento

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. Ao lançar

Leia mais

EXERCÄCIOS DE HISTOLOGIA. 1- (PUC-2006) Associe o tipo de tecido animal Å sua correlaçéo:

EXERCÄCIOS DE HISTOLOGIA. 1- (PUC-2006) Associe o tipo de tecido animal Å sua correlaçéo: EXERCÄCIOS DE HISTOLOGIA 1- (PUC-2006) Associe o tipo de tecido animal Å sua correlaçéo: 1) Tecido Ñsseo compacto 2) Tecido Ñsseo esponjoso 3) Cartilagem hialina 4) Cartilagem elöstica 5) Cartilagem fibrosa

Leia mais

20/10/2014. TECIDO CONJUNTIVO ou CONECTIVO

20/10/2014. TECIDO CONJUNTIVO ou CONECTIVO TECIDO CONJUNTIVO ou CONECTIVO Poucas células, encontram-se separadas; Presença de grande quantidade de substância intercelular; Substância intercelular ou matriz extracelular Substância fundamental amorfa:

Leia mais

Planificação anual de Saúde- 10ºano

Planificação anual de Saúde- 10ºano CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Turmas: 10ºI Professora: Ana Margarida Vargues Planificação anual de Saúde- 10ºano 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Saúde do Curso

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Nelson Bornier)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Nelson Bornier) PROJETO DE LEI Nº, DE 2011 (Do Sr. Nelson Bornier) Dispõe sobre doação de sangue e células do corpo humano vivo para fins de transplante de medula óssea e de outros precursores hematopoéticos, e estabelece

Leia mais

Clonagem A Medicina regenerativa vai ser uma realidade nos próximos anos

Clonagem A Medicina regenerativa vai ser uma realidade nos próximos anos Clonagem A Medicina regenerativa vai ser uma realidade nos próximos anos Entrevista concedida pelo Prof. Carolino Monteiro à revista Oxigénio A classe científica dividiu-se perante o anúncio do nascimento

Leia mais

Células Estaminais do Sangue do Cordão Umbilical - O Farmacêutica informa

Células Estaminais do Sangue do Cordão Umbilical - O Farmacêutica informa Ana Sofia Fabrício Células Estaminais do Sangue do Cordão Umbilical - O Farmacêutica informa Dissertação para obtenção ao grau de Mestre em Farmacologia Aplicada sob a orientação da Professora Doutora

Leia mais

05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS

05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS 05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Grupo: Sub-Grupo: 05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS 01-EXAMES LABORATORIAIS PARA IDENTIFICACAO DE DOADOR E RECEPTOR DE CELULAS-TRONCO HEMATOPOETICAS

Leia mais

Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros. CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi

Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros. CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi Bancos de Células e Tecidos ligados a Hemocentros CETEBIO Júnia Guimarães Mourão Cioffi Fundação Hemominas Fundação Centro de Hematología e Hemoterapia de Minas Gerais Fundação Pública, de direito público

Leia mais

ONCOGÊNESE UNESC FACULDADES ENFERMAGEM ONCOLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES O QUE É O CÂNCER PROCESSO FISIOPATOLÓGICO 16/08/2015

ONCOGÊNESE UNESC FACULDADES ENFERMAGEM ONCOLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES O QUE É O CÂNCER PROCESSO FISIOPATOLÓGICO 16/08/2015 UNESC FACULDADES ENFERMAGEM ONCOLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES ONCOGÊNESE O QUE É O CÂNCER Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS O presente Projeto de Lei tem como base e inspiração a Lei Federal nº 11.930, de 22 de abril de 2009, de autoria do deputado federal Beto Albuquerque uma homenagem a seu filho e a

Leia mais

Uma família de serviços de células estaminais

Uma família de serviços de células estaminais Uma família de serviços de células estaminais 2 Quem somos Somos o primeiro Banco de Tecidos Humanos europeu totalmente creditado e licenciado; Fundado em 2002 após 3 anos de uma intensa investigação científica;

Leia mais

CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA. O que são células-tronco? células-tronco

CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA. O que são células-tronco? células-tronco Celulas_2006 5/9/05 17:41 Page 3 CÉLULAS-TRONCO: ESPERANÇA PARA O FUTURO DA MEDICINA O que são s-tronco? O corpo humano é formado por cerca de 200 tipos distintos de s, que se juntam de diversas maneiras

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 586, DE 2007 I RELATÓRIO. Cria o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea.

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 586, DE 2007 I RELATÓRIO. Cria o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea. COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N o 586, DE 2007 Cria o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea. Autora: Deputada ALICE PORTUGAL Relator: Deputado LELO COIMBRA I RELATÓRIO O Projeto

Leia mais

Doenças e Recomendações de Tratamento De acordo com o livro Mein Vitalkonzept de Dr. Jean-Bernard Delbé e com as recomendações do catálogo

Doenças e Recomendações de Tratamento De acordo com o livro Mein Vitalkonzept de Dr. Jean-Bernard Delbé e com as recomendações do catálogo Cérebro Alzheimer, Parkinson, Demência, Esclerose Múltipla, Epilepsia Aloe Vera Mel, Pêssego, Sivera ou Freedom Purificar Vita Aktiv 1 colher de chá, 2 vezes ao dia Proteção celular LRoxan 1 comprimidos,

Leia mais

Doação de sangue do cordão umbilical: público ou privado?

Doação de sangue do cordão umbilical: público ou privado? XV Edição - Julho 2015 Doação de sangue do cordão umbilical: público ou privado? Umbilical cord blood donation: public or private? Bone Marrow Transplant. 2015 Jun 1. doi: 10.1038/bmt.2015.124. [Epub ahead

Leia mais

Participar em estudos de investigação científica é contribuir para o conhecimento e melhoria dos serviços de saúde em Portugal

Participar em estudos de investigação científica é contribuir para o conhecimento e melhoria dos serviços de saúde em Portugal FO L H E TO F EC H A D O : FO R M ATO D L ( 2 2 0 x 1 1 0 m m ) FO L H E TO : C A PA Departamento de Epidemiologia Clínica, Medicina Preditiva e Saúde Pública Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Leia mais

Oncologia. Aula 2: Conceitos gerais. Profa. Camila Barbosa de Carvalho 2012/1

Oncologia. Aula 2: Conceitos gerais. Profa. Camila Barbosa de Carvalho 2012/1 Oncologia Aula 2: Conceitos gerais Profa. Camila Barbosa de Carvalho 2012/1 Classificação da Quimioterapia Em relação ao número de medicamentos usados; Em relação ao objetivo; Em relação à via de administração;

Leia mais

Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014.

Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014. Circular 435/2014 São Paulo, 08 de Agosto de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) Define os temas e objetivos prioritários para apresentação dos projetos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional

Leia mais

PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS? PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS

PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS? PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS PERSPECTIVAS FUTURAS PARA O TRATAMENTO DE DOENÇAS/DEFICIÊNCIAS E O ESPAÇO DA ATIVIDADE FÍSICA PARA VOCÊ, QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS Amar é descobrir que a deficiência do próximo faz parte do perfeito mosaico

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

1 - Estrutura e Finalidades da disciplina

1 - Estrutura e Finalidades da disciplina CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO AUXILIAR DE SAÚDE Planificação anual de SAÚDE 10º ano 014/015 Turma K Professora: Maria de Fátima Martinho. 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina de Saúde

Leia mais

BANCO DE SANGUE COLETA E TESTES SOROLÓGICOS

BANCO DE SANGUE COLETA E TESTES SOROLÓGICOS BANCO DE SANGUE COLETA E TESTES SOROLÓGICOS Resolução da Diretoria Colegiada RDC no 57, de 16 de dezembro de 2010. Determina o Regulamento Sanitário para Serviços que desenvolvem atividades relacionadas

Leia mais

CASOS DE SUCESSO DO CONCURSO NACIONAL DE INOVAÇÃO BES. O sucesso. dos métodos. não invasivos. de detecção. do cancro

CASOS DE SUCESSO DO CONCURSO NACIONAL DE INOVAÇÃO BES. O sucesso. dos métodos. não invasivos. de detecção. do cancro CASOS DE SUCESSO DO CONCURSO NACIONAL DE INOVAÇÃO BES O sucesso dos métodos não invasivos de detecção do cancro Foi distinguida no Concurso Nacional de Inovação BES em 2007 e desde então já lançou no mercado

Leia mais

Uso de Células-Tronco em Cirurgia Plástica

Uso de Células-Tronco em Cirurgia Plástica Uso de Células-Tronco em Cirurgia Plástica MANOEL MARIA BARCELOS DA ROSA Especialista e titular da SBCP. n 105. ISAPS. n 912. Sociedade Ibero Latina Americana de Cirurgia Reparadora e Estética n 303. Sociedade

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte:

Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: QUESTÃO 01 Escolha o nível de contagem de plaquetas considerado seguro para a realização de uma cirurgia de grande porte: a) 10.000/mm 3 b) 5.000/mm 3 c) 20.000/mm 3 d) 100.000/mm 3 e) 30.000/mm 3 QUESTÃO

Leia mais

TECIDO CONJUNTIVO. (tecido conjuntivo propriamente dito)

TECIDO CONJUNTIVO. (tecido conjuntivo propriamente dito) Definições gerais Estabelece conexões e une os demais tecidos; Sustentação e manutenção da forma (estroma); Caminho para vasos e fibras nervosas; Origem: Mesoderma Características gerais formado por matriz

Leia mais

Coffee Break 10:30hs às 11:30hs Biologia Molecular do Processo de Apoptose Prof. Dr. Roberto César Pereira Lima Júnior Departamento de Fisiologia e

Coffee Break 10:30hs às 11:30hs Biologia Molecular do Processo de Apoptose Prof. Dr. Roberto César Pereira Lima Júnior Departamento de Fisiologia e II Curso Avançado em Citogenômica do Câncer - realizado pelo Laboratório de Citogenômica do Câncer da Universidade Federal do Ceará. 20 a 23 de novembro no Seara Praia Hotel em Fortaleza - Ceará. Carga

Leia mais

Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS

Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS 1. Terapêutica Clínica Geral: a. Equilíbrio ácido-básico e hidro-eletrolítico. b. Fluidoterapia. c. Terapêutica hematológica (transfusões). d. Utilização

Leia mais