HIGIENE: UMA QUESTÃO DE SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HIGIENE: UMA QUESTÃO DE SAÚDE"

Transcrição

1 HIGIENE: UMA QUESTÃO DE SAÚDE JUSTIFICATIVA A ideia de desenvolver este projeto surgiu de uma necessidade das turmas. Ou melhor, de um problema que estávamos vivenciando e que estava gerando desconforto entre os alunos da turma, principalmente do turno matutino. Diz respeito ao cuidado que cada aluno tem com o seu corpo, com a sua higiene. Problemas como piolho, mau cheiro, uso de roupas sujas, falta de cuidado com unhas, cabelos, orelhas e com os seus pertences estavam bem comuns nas turmas. Esse problema ficou ainda mais evidente após a visita do dentista do posto de saúde do bairro à escola, o qual passou em cada uma das salas de aula para fazer uma triagem nos dentes dos alunos, a fim de perceber se havia casos de cárie ou outra doença bucal. Após analisar a boca de cada um dos alunos, chamou-me para conversar. Infelizmente, ele falou que praticamente todos os alunos estavam com cárie e que vários tinham mais de cinco cáries nos dentes. O dentista ainda fez um apelo para que incentivasse os alunos a irem ao posto de saúde para serem atendidos, já que muitas famílias foram chamadas para consultas, porém não compareceram. Então, como esse quadro precisava se reverter urgentemente, pensei em propor momentos em que a turma se divertisse e aprendesse mais sobre a temática higiene, para que os alunos levassem esses conhecimentos de forma autônoma para suas casas e os desenvolvessem junto às suas famílias. Além disso, como a turma está no Ciclo de Alfabetização, as disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática também permearam o projeto nos mais diferentes momentos, dando ao projeto uma proporção multidisciplinar. O projeto Higiene: uma questão de saúde foi realizado com alunos de duas turmas do 2 ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Vítor Meirelles, Bairro Três Rios do Norte, Município de Jaraguá do Sul, SC. A escola possui pouco mais de 700 alunos, da pré-escola até o 5 ano, sendo que o total de alunos participantes do projeto foi de 50 alunos. As turmas em que o projeto foi realizado são bem diferentes entre si. A turma do matutino é

2 mais afetiva, carinhosa, possui mais alunos carentes em relação a recursos financeiros, é mais lenta nas atividades e tem mais alunos com dificuldades de aprendizagem e que não estão alfabetizadas. Os problemas de higiene foram mais evidentes nesta turma. Já a turma do vespertino é mais organizada, rápida, participativa, dominam melhor a leitura, escrita e conceitos matemáticos. Na turma há um aluno com Transtorno Global de Desenvolvimento (Transtorno de Espectro do Autismo e transtorno opositor desafiante), então os demais alunos diariamente estão lidando com situações de inclusão, respeito às limitações, paciência diante de algumas atitudes inusitadas e fazem isso com carinho e respeito pelo colega. Ambas as turmas têm uma característica em comum: gostam de atividades diferentes e aceitam qualquer desafio proposto pela professora. Nossa escola fica localizada em um bairro periférico do município, sendo que muitos alunos tem apenas a sua casa, a rua e a escola como espaço de aprendizagem e convivência. Então, a equipe escolar dedica-se muito para oferecer boas condições para os alunos permanecerem e gostarem de estar na escola como: Laboratório de informática, biblioteca, quadra esportiva coberta, cinco salas de aula com projetor multimídia, pátio externo amplo, horta, entre outros. Ou seja, a escola procura oferecer boas instalações aos alunos. A participação dos pais dos alunos na escola é parcial, sendo que a maioria das famílias é ativa, vêm à escola sempre que são chamadas, já outras não são assim. Durante o projeto, houve a necessidade da participação das famílias, sendo que participaram positivamente, algumas delas até contribuindo mais do que foi solicitado pela professora. OBJETIVOS Objetivo geral Compreender que a higiene do corpo auxilia na nossa saúde, a fim de estimular maior autonomia e dedicação a essa questão, por meio de leituras, vivências, experimentações, pesquisa, registros e atividades de apropriação do sistema de escrita alfabética e de matemática.

3 Objetivos específicos - Compreender a saúde como bem individual e comum que deve ser promovido pela ação coletiva (PCN, Ciências Naturais, 1997). - Conhecer e valorizar o próprio corpo com adoção aos hábitos de higiene [...], compreendendo que o termo saúde engloba o indivíduo, o ambiente e a sociedade (PPP da EMEF Vítor Meirelles/2014). - Apropriar-se de diferentes saberes e conhecimentos por meio de reflexão, do diálogo e da problematização de questões do cotidiano, desenvolvendo atitudes de melhoria de vida (PPP da EMEF Vítor Meirelles/2014). -Mobilizar os alunos para a importância dos cuidados com o corpo, por meio de conversas, análise de imagens e debate, a fim de que entendam a higiene como fator que influencia nossa saúde. -Utilizar as características do personagem Cascão (de Maurício de Sousa) para se pensar em quais hábitos de higiene são necessários para preservar nossa saúde. -Conversar e pesquisar sobre os produtos de higiene disponíveis nos mercados, sua utilidade e forma de uso. -Explorar embalagens de produtos de higiene trazidas pelos alunos, percebendo suas características e informações importantes, fazendo sua classificação e seriação. -Trabalhar conceitos matemáticos e situações-problema acerca dos produtos de higiene. -Desenvolver atividades que visem melhorar a apropriação do sistema de escrita alfabética, bem como as habilidades de leitura e interpretação. -Conhecer catálogos de mercado, bem como suas características, ampliando, assim, os conhecimentos tanto dos produtos de higiene quanto do sistema monetário.

4 -Ler textos científicos acerca da temática higiene. -Produzir frases e textos sobre os conhecimentos apreendidos no projeto. -Simular situações de banho e escovação de dentes para os alunos visualizarem formas de realizarem tais ações de forma autônoma e cuidadosa. -Conhecer mais sobre os dentes, suas funções e características, a fim de cuidar deles com mais dedicação e consciência. -Confeccionar um livrinho como produto final do projeto, registrando ao longo da história os conhecimentos apreendidos e trabalhados. -Construir um jogo com os alunos para resgatar conhecimentos da temática higiene. METODOLOGIAS Quando comecei a pensar no projeto, sabia aonde queria chegar, por isso, primeiramente listei subtemas que o projeto teria que contemplar, por exemplo: o que é higiene e saúde, hábitos de higiene, produtos de higiene pessoal, doenças causadas pela falta de higiene. Então, organizei um roteiro (fornecido pela Secretaria Municipal de Educação de Jaraguá do Sul ao qual permitiu que eu organizasse o passo a passo do projeto. Assim, ao longo do projeto, fui repassando as ações para o meu caderno de planejamento, conforme o dia de execução, para evitar qualquer tipo de esquecimento ou transtorno com reserva ou solicitação de algum material. Também já tinha em mente fazer uma proposta multidisciplinar, pois não via sentido em abandonar a Língua Portuguesa e a Matemática ou trabalhar com as mesmas de forma isolada. O projeto teve condições de abraçar estas disciplinas de forma harmoniosa e contextualizada. Isso foi positivo, pois nem todos os alunos estavam alfabéticos ou dominando plenamente os conceitos matemáticos esperados para a faixa etária. Com o desenrolar das aulas, o projeto foi tomando uma proporção maior do que eu imaginava, pois fui conseguindo mais materiais sobre a temática, além de outros profissionais da escola também repassarem vídeos, atividades, ideias,... que ampliaram o meu horizonte

5 pedagógico. O projeto a princípio era para ter a duração de apenas um mês, começando em 30 de abril a 30 de maio de 2014, porém, não foi possível concluir neste período, estendeu-se até o final de julho. E quando a temática do projeto terminou, já estudamos sobre outros fatores que influenciam na saúde: vacinação, atividades físicas e alimentação saudável. Muitos recursos materiais foram utilizados nestas semanas de estudo, como por exemplo: projetor multimídia, computadores para pesquisa e realização de atividades, imagens impressas, embalagens de produtos de higiene, catálogos de supermercado, atividades impressas sobre a temática (caça-palavras, cruzadinhas, construção de frases,...), cadernos dos alunos, materiais para simulação de um banho (boneca, xampu, toalha, água, sabonete e bacia), dentre outros. Houve parceiros que auxiliaram neste projeto: a orientadora pedagógica, Sandra Gruber; a secretária, Juliana Godoi; o articulador de tecnologias, Jonas Furlan; a bibliotecária, Patricia Horn e o diretor escolar, Antonio de Sousa. Além destes, tentei conseguir uma palestra com o dentista do posto de saúde, porém ele não tinha horário disponível para vir até a escola. A proposta foi apresentada aos alunos por meio de um momento de mobilização. Apresentei à turma o personagem da turma da Mônica (Maurício de Sousa), o Cascão, e conversamos sobre suas características. Os alunos foram comentando sobre seus conhecimentos em relação ao personagem e, consequentemente, sobre como sua falta de cuidados com o corpo pode atrapalhar sua saúde e convivência com os colegas. Também, falaram que se o personagem não se cuidar poderá ficar sujo, fedorento, doente, encardido, sem amigos,... Quando questionados sobre o que significava a palavra higiene, não souberam falar sobre o que se tratava. Então, fizemos a busca do significado desta palavra em um dos dicionários da sala (enviados pelo PNLD Dicionários). Aproveitei para, de forma indireta, falar dos problemas de higiene de cada turma também, mas, claro, sem citar nomes de alunos. Após isso, convidei os alunos para verem uma coleção de imagens pesquisadas previamente na internet, as quais mostravam de forma bem pontual problemas

6 de higiene. Os alunos ficaram espantados ao verem dentes podres, gengivas inflamadas, micoses, imagens de piolhos e de vermes... Foi um momento forte, porém necessário para as turmas se mobilizarem para o projeto. Algumas falas deste tipo surgiram: Que nojo, que pessoa mais feia, eu não quero ficar assim, perdi a fome. Após isso, foram realizadas as seguintes ações/etapas: Etapa 01: Após a mobilização, dediquei um tempo para explicar sobre as doenças abordadas nas imagens, para isso, fiz uma pesquisa prévia no site do Dr. Dráuzio Varella (www.drauziovarella.com.br) para saber com mais consistência sobre cada uma delas. As doenças apresentadas foram: cárie, gengivite, pediculose, micose, berne, sarna e vermes. Realizou a leitura de trechos do conteúdo do site. Conforme fui explicando os alunos davam dicas do que fazer para evitar estas doenças e é incrível como contribuíram oralmente com a aula. E muitos inclusive relataram que já tiveram alguma destas doenças. Para finalizar a aula, entreguei a cada aluno uma atividade de caça-palavras, em que os alunos foram desafiados a localizar o nome das doenças que havíamos conversado naquela aula. A maioria adora este tipo de atividade, por isso faço com bastante frequência. Para alguns, a atividade foi fácil e rápida, já para outros, tive que dar mais dicas para conseguirem localizar as palavras. O aluno com necessidades especiais foi ajudado por um colega da sala na realização desta atividade. Ao final, todos realizaram a atividade e colaram em seus cadernos. Etapa 02: Nesse dia, tivemos uma boa conversa sobre bons hábitos de higiene. Foi lançada a pergunta: O que o Cascão pode fazer para deixar o seu corpo limpo?. Os alunos deram suas sugestões (tomar banho, escovar os dentes, não andar descalço, trocar de roupa,..,) que foram complementadas com material de apoio pesquisado previamente por mim (http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/ pdf). No caderno, os alunos copiaram e realizaram uma atividade em que tinham que pintar somente os bons hábitos de higiene. Na lista havia: tomar banho, cutucar o nariz, lavar as mãos, andar descalço, usar roupas sujas, escovar os dentes e limpar as unhas. A turma do matutino precisou de mais auxílio para ler e

7 interpretar a atividade, sendo que quatro alunos não estão alfabéticos e precisaram que eu realizasse a leitura integralmente para ajudá-los. Após isso, os alunos escreveram frases para registrar os novos conhecimentos e pintaram desenhos de hábitos de higiene. Essas frases foram lidas em voz alta para a turma. Para finalizar, fizemos uma lista de palavras que rimam com Cascão, já que os alunos estavam demonstrando dificuldade em registrar a sílaba cão da palavra Cascão. Após esta lista ser construída coletivamente, a maioria está escrevendo tranquilamente palavras que terminam em ão. Etapa 03: Os alunos foram ao laboratório de informática da escola e pesquisaram por meio do Google Imagens, produtos de higiene pessoal. Esta atividade foi realizada em duplas, o que gerou muita conversa e bagunça, precisei pedir para que não falassem alto várias vezes, mas, quando a atividade terminou, percebi que o objetivo foi alcançado. Em sala, fizeram uma lista com o nome dos produtos encontrados. Foi um ditado coletivo, onde cada dupla falava o nome dos produtos pesquisados na internet e todo o grupo de alunos registrava em seu caderno. Foram identificados tantos nomes de produtos que faltou tempo para conseguirmos registrar tudo. Foi um momento importante para os alunos se familiarizarem principalmente com produtos que ainda não conheciam. Em outro dia, essa lista de produtos foi colocada em ordem alfabética e, também, os alunos contaram o número de sílabas de cada nome de produto. Como tarefa de casa, os alunos tiveram que trazer uma embalagem de produtos de higiene pessoal. Etapa 04: A maioria dos alunos trouxe embalagens de produtos de higiene, o que permitiu que conversássemos muito sobre o tema produtos de higiene. Para minha surpresa, a turma da manhã trouxe também embalagens de produtos de higiene para a casa (desinfetante, álcool, água sanitária...); então, fizemos primeiramente a classificação de embalagens, colocando de um lado as embalagens dos produtos de higiene da casa e em outro lado as embalagens de produtos de higiene pessoal. Após isso, cada aluno foi apresentando a embalagem que trouxe, explicando a utilidade do produto em questão e em qual parte do corpo era usado. Pedi para me ajudarem a separar os produtos que têm o conteúdo sólido daqueles que têm o conteúdo líquido, e

8 conversamos sobre as unidades de medidas correspondentes a cada produto, chegando à conclusão de que: produtos líquidos têm unidade de medida litro ou mililitro, já os produtos sólidos e também os pastosos têm a unidade de medida gramas, metros (no caso do fio dental) ou somente a quantidade unidades (no caso dos cotonetes, papel higiênico, lenços...). Fizemos a organização da embalagem com mais conteúdo para a que tem menos conteúdo. Para finalizar, os alunos fizeram uma tabela contendo o nome e a quantidade de embalagens trazidas e responderam perguntas como: qual o tipo de embalagem mais trazida? Qual o tipo de embalagem menos trazida? Se somarmos todas as embalagens, quantas darão ao total? Qual o tipo de embalagem da qual foram trazidas quatro unidades? Quantas embalagens de pasta de dentes têm a mais que de xampu? Foi um dos dias de maior envolvimento e de descoberta de novos conceitos. Etapa 05: A proposta desse dia foi a de trabalhar com agrupamento de elementos, ou seja, aproveitar a temática higiene para explorar mais o conceito de distribuir elementos igualmente em grupos, podendo, assim, trabalhar noções aditivas e multiplicativas. A atividade foi feita em forma de desafio. Os alunos receberam uma tira de papel na qual havia o desenho de escovas e pastas de dentes, sabonetes e xampu. Tinham o desafio de formar kits com esses produtos, sendo que havia a regra: os kits deveriam ser formados com um produto de cada tipo, sem repeti-los. E a pergunta foi lançada: quantos kits conseguiremos formar com essa quantidade de produtos? Quantos produtos havia em cada kit? Sobrarão produtos que não formarão um kit? A atividade foi bem recebida pelas crianças, porém, para alguns foi difícil lidar com mais de 20 recortes na sua mesa, sendo que tiveram alunos que perderam algumas das figurinhas. A turma da manhã teve mais problemas de alunos que perderam parte do material, então, fiz a reposição para esses alunos. No final da atividade estava muito cansada, pois passei em casa mesa para conferir o trabalho realizado. No começo pensei em deixar que cada um fizesse o agrupamento com o que tivesse disponível em sua mesa, mesmo tendo perdido uma parte. Mas como a atividade foi passada em forma de desafio, achei mais justo que houvesse um consenso entre as respostas.

9 Etapa 06: Os alunos realizaram uma cruzadinha na qual tiveram que escrever nas lacunas os nomes dos produtos de higiene solicitados: creme dental, escova, tesoura, pente, toalha, xampu e sabonete. Aqui ficou bem evidente o nível de escrita de cada aluno, já que alguns realizaram sem a minha ajuda e outros precisaram de algumas intervenções como: aqui está faltando letras, aqui tem duas letra na mesma lacuna, etc. O creme dental foi o que mais gerou confusão, pois aqui na nossa região é mais comum chamar de pasta de dentes. Essa atividade foi adaptada para alunos não alfabéticos e com necessidades especiais, com o banco de palavras para consulta. Mesmo assim, alguns precisaram de um maior acompanhamento. Nesta etapa também foram passados às turmas filmes de curta duração do Cascão, nos quais ficava claro o pavor de água do personagem. Os alunos apreciaram muito. A intenção de passar os vídeos é que eles percebessem de forma divertida que existem ocasiões em que as pessoas fogem dos hábitos de higiene e fiz questão de exemplificar que isso também acontecia com as turmas dos 2 os anos, quando íamos para o refeitório lanchar e alguns alunos se escondiam ou davam a volta no refeitório para não lavarem as mãos antes de comer. Naquele momento, o que mais se ouviu foi não fui eu. A minha intenção não era a de acusar ninguém, mas a de gerar reflexões e debate. Etapa 07: Como consegui uma doação de catálogos de mercado, aproveitei para levá-los para as turmas para vermos os preços dos produtos de higiene, principalmente daqueles de que foram trazidas embalagens para a sala. Cada aluno ganhou um catálogo. Eles gostaram muito, mais do que eu poderia imaginar. Pedi para que observassem as páginas e vissem como esse material é organizado. Os alunos foram rápidos e certeiros, respondendo que era organizado pelos tipos de produtos do mercado. Então, conferimos para ver se essa informação realmente se confirmava. Havia a seção de frios e laticínios, de carnes, padaria, mercearia, bazar, produtos de limpeza e, finalmente, de produtos de higiene pessoal. Pedi o porquê de os produtos estarem divididos dessa forma; eles pensaram, e alguns chegaram à conclusão de que assim era possível encontrá-los mais facilmente. Se estivessem todos misturados, seria mais difícil. Então, começamos a analisar os produtos que estavam lá, um de cada vez, desde a imagem do produto, sua descrição, até o preço.

10 Conversamos sobre elementos do sistema monetário: o uso do R$ para representar o nome da nossa moeda, o uso da vírgula para separar os reais dos centavos e outras dúvidas que foram surgindo ao longo da conversa. Retomei a tabela que fizemos uns dias antes e pedi que eles recortassem aqueles produtos no catálogo, pois o trabalho seria acerca deles. Não realizamos o trabalho com todos os produtos de higiene do catálogo pela questão do tempo e também por haver produtos que estavam nessa seção, mas que não tinham a função efetiva de limpar o corpo (exemplo: fraldas, absorventes, creme de barbear...). Os alunos recortaram os produtos e os colaram em seus cadernos. Depois, responderam a algumas perguntas: a) Qual o produto mais caro? b) Qual o produto mais barato? c) Qual o produto que custa R$ 0,98? d) Que tal organizar os produtos na ordem crescente de seus preços? e) Qual o valor total dos produtos? f) Você consegue formar o valor total dos produtos com notinhas de dinheiro? Foi uma aula bem agitada, mas muito prazerosa. Manipular o catálogo já tinha sido muito divertido, mas recortar as notas de dinheiro de trás do livro de Matemática foi melhor ainda. A turma da tarde fez até competição para ver de quantas formas diferentes conseguiam montar o valor total dos produtos. Etapa 08: Realizamos uma atividade de leitura, em que os alunos tiveram que ligar o produto de higiene (fotografei os produtos que eles trouxeram) com a frase informando a utilidade desse produto. Adaptei essa atividade para alunos não alfabéticos e com necessidades especiais, utilizando-me das mesmas imagens; porém, em vez de frases, escrevi os nomes dos produtos. Os alunos se saíram bem nessa atividade. Alguns, mesmo alfabéticos, precisaram de ajuda na interpretação das frases. Nesse dia também realizamos a leitura de um texto sobre higiene, apresentado no projetor. (Fonte: O texto também falava sobre cuidados com o corpo. Cada grupo de alunos leu uma parte do texto. Conversamos sobre a mensagem do texto. Depois, falamos sobre parágrafos, sinais de pontuação, acentos e outros aspectos percebidos pelos alunos durante a leitura.

11 Etapa 09: Os alunos fizeram produção de frases sobre higiene ao ir ao banheiro, com apoio de imagens. Falamos da importância de lavar as mãos após usar o banheiro. A turma do vespertino fez frases com um conteúdo mais amplo e criativo, já a turma da manhã em sua maioria, escreveu de forma mais óbvia e sucinta. Apenas os alunos alfabéticos fizeram esta atividade no turno matutino, os demais tiveram aula de reforço neste horário. Etapa 10: Ainda sobre produtos de higiene, pedi para os alunos me ajudarem a pensar nos produtos que utilizamos durante o momento do banho. Eles deram seus palpites, e formamos uma lista com o nome de tais produtos (xampu, condicionador, sabonete, esponja e toalha). Depois, peguei alguns objetos previamente organizados: boneca, bacia com água, toalha, sabonete, xampu e escova para unhas. Mostrei os objetos aos alunos e disse que trouxe uma amiga minha que está com um grande problema: há dias não toma banho e não troca de roupa (era a boneca). Pedi a eles se sabiam o que fazer para ajudá-la. Eles falaram que sim. Primeiro, tirar aquela roupa suja e pôr para lavar. Perguntei a eles quais peças de roupas trocamos todos os dias e quais podemos usar mais de uma vez. Discutimos muito sobre isso, já que foi um dos motivos pelos quais o projeto iniciou: o mau cheiro e o uso de roupas sujas. Ficou combinado que trocamos todos os dias: roupas íntimas, meias e camisetas que estão suadas ou sujas. Podemos usar mais de uma vez: calças, bermudas, camisetas que não estão sujas ou suadas. Podemos usar durante uma semana: casacos que não tem tanto contato com a pele, touca, cachecol Podemos usar mais semanas, até que suje ou fique com cheiro ruim: calçados. São combinados simples, mas que afetam significativamente desde o bem estar à convivência entre as crianças. Em seguida, os alunos falaram que ela precisava de um bom banho, e foram dando dicas para tomar banho. Tais dicas foram sendo anotadas e se transformaram em um texto coletivo da turma. Convidei grupos de alunos para darem banho na boneca, sendo necessário seguir as dicas dadas, para não esquecer nada. Todos os alunos participaram com entusiasmo desse momento. A turma do vespertino ficou mais tímida no momento de dar o banho, pois estávamos com visita na sala, observando a nossa aula. Por fim, copiaram as dicas em seus cadernos e

12 também registraram esse momento com um desenho. Depois desse dia, não tive mais problemas com alunos com mau cheiro e roupas sujas. Etapa 11: Nesse dia, resolvemos quatro situações-problema sobre produtos de higiene. Essas atividades foram montadas tendo como base as questões da Provinha Brasil de Matemática, porém, com a temática higiene. Entreguei um problema de cada vez e pedi que os alunos tentassem ler sozinhos e pensassem em uma forma de resolver esse problema. Dei a ideia de usar desenhos para fazer a atividade, já que houve esta sugestão nos encontros e no material de estudos do PNAIC de Matemática. Como alguns alunos não tem uma leitura fluente precisaram de ajuda na interpretação. Então, fizemos uma leitura coletiva e cada um foi dando ideias de como resolver. A turma do vespertino foi muito bem nesta atividade, sendo que a maioria nem precisou da minha ajuda para realizar a leitura. Nessas situações-problema, procurei também propor que os alunos pensassem além do tirar e juntar. Etapa 12: Fizemos a leitura coletiva do texto sobre a criação do personagem Cascão com uso do projetor (fonte: Gosto muito deste recurso, pois posso explorar tanto a interpretação, como também a apropriação de elementos da Língua Portuguesa. Porém, para os alunos que não estão alfabéticos, a atividade não tem o mesmo significado, ficando eles mais na condição de ouvintes. Por isso, preciso sempre tomar o cuidado de não exagerar nesta metodologia, para não deixar a aula cansativa para este grupo de alunos. Etapa 13: Nessa aula iniciei um trabalho mais direcionado sobre higiene bucal. Fiz uma atividade de sondagem, perguntando o que havia dentro da boca, para que os dentes serviam, quantas vezes nossos dentes nascem. As crianças foram muito bem nas respostas e também queriam contar muitas histórias de dentes que caíram e onde guardaram seus dentes que caíram. Como nosso tempo era limitado, combinei de mandar uma tarefa de casa sugerida pelo livro didático, em que os alunos teriam que desenhar sua boca e responder perguntas sobre seus dentes, que tinham tudo a ver com o que estávamos

13 conversando. Realizamos uma leitura informativa sobre dentição: Livro didático de Ciências (PORTO, Amélia. Asas para voar: ciências 2 ano. 2. ed. São Paulo, Ática). Conversamos sobre: o que temos na boca, nomes dos dentes, por que e quando os dentes caem. Há muitas críticas aos livros didáticos, mas gosto muito de usá-los para os alunos terem contato com esse material que é científico, penso que é uma metodologia a mais para auxiliar na aprendizagem. Às vezes os escuto falando olha, o que a professora falou está aqui no livro e isso é muito bacana. É uma forma de incentivarmos a buscar por fontes seguras de informação e conhecimento. Após isso, fizemos uma experiência com ovos, refrigerante e antisséptico bucal. Em um copo, colocamos um ovo com refrigerante, e, em outro, um ovo com antisséptico bucal. Deixamos no fundo da sala durante uma semana, observamos e constatamos que o ovo que ficou no refrigerante mudou a coloração da casca, ficando quase preto. Já o ovo que ficou no antisséptico bucal não teve sua coloração alterada, permanecendo idêntico a quando o colocamos no copo no início da experiência. (Fonte: As turmas refletiram sobre o excesso de doces na alimentação e a falta de hábito de escovar os dentes. Esta atividade também chocou os alunos e passaram a não reclamar mais de escovar os dentes após o recreio. Também pararam de dizer que esqueceram a escova em casa, sendo que muitas vezes nem era verdade. Aproveitei e resgatei a imagem mostrada no início do projeto de uma boca com dentes podres e pedi para eles qual era a escolha deles: cuidar dos seus dentes ou ter uma boca igual daquela imagem. A resposta foi a de cuidar bem dos dentes. Etapa 14: Os alunos realizaram uma atividade de leitura para identificar bons hábitos de higiene bucal. Os alunos coloriram apenas as frases em que apareciam os bons hábitos. Para os não-alfabéticos ou com necessidades especiais, realizei a leitura das frases. Houve uma frase que gerou mais dúvida É errado passar fio dental, muitos se atrapalharam no momento da interpretação e acabaram pintando, depois conversamos sobre cada uma das frases e porque estavam com informações certas ou erradas.

14 Etapa 15: Convidei os alunos da turma para simularem os dentes de uma boca de uma criança, adaptei alguns objetos da sala para serem uma escova de dentes e um fio dental gigantes. Conversamos sobre como deve ser a escovação de dentes, qual o movimento da escova, quais as outras partes da boca que devemos escovar. Encenamos essa situação, sendo os alunos os dentes da boca. Também falamos do uso do fio dental e simulamos sua passagem entre cada dente (naquele momento, sendo representado pelos alunos). Depois, criamos um texto coletivo chamado Dicas para deixar os dentes limpinhos. Os alunos copiaram em seus cadernos e coloriram um desenho que representou a higiene bucal. Etapa 16: Fizemos situações-problemas sobre dentição, comparando os dentes de um ser humano com os de um porquinho-da-índia. Construímos uma tabela comparativa dos tipos de dentes dessas espécies. Etapa 17: Ainda como parte do projeto, fizemos a confecção do jogo Trilha da higiene, envolvendo os produtos de higiene, sistema monetário e dicas de higiene. O objetivo do jogo é além de fixar os conhecimentos apreendidos com o projeto, é os alunos valorizem os jogos e brinquedos que podem ser confeccionados por eles mesmos, despertando sua criatividade e autonomia. Etapa 18: Preparativos para a Feira Municipal de Matemática ao qual quatro dos alunos envolvidos no projeto socializarão os conceitos matemáticos do estudo sobre higiene. Como produto final e culminância do projeto, pensei em algo que pudesse conter as aprendizagens que foram mais marcantes para cada um ao longo do projeto, uma produção em forma de livrinho infantil que teve como tema a importância dos hábitos de higiene. A produção começou no laboratório de informática, onde os alunos criaram um personagem para o livrinho Utilizaram o programa KolourPaint para essa atividade. Depois, em outro momento, fiz a impressão de várias cópias desse personagem para os alunos criarem suas histórias e usá-los nas páginas de seus livrinhos. Como foi a primeira produção de texto individual dos alunos, fizemos um roteiro, sendo

15 que cada página do livrinho deveria conter alguns elementos comuns combinados pela turma, além de outros que o aluno também poderia colocar. Dividi a produção escrita em quatro dias, já que alguns precisaram de mais auxílio no momento dessa atividade. Foi muito significativo perceber claramente as habilidades de escrita de cada um e onde preciso intervir mais. Decidi que este seria o produto final de nosso projeto, pois sabia que seria um momento para os alunos mostrarem os conhecimentos que tiveram ao longo do projeto. Foi uma produção bem desafiadora, mas que cada um se dedicou bastante para fazer. Os alunos realizaram a reescrita dessas histórias posteriormente em seus cadernos, sendo que pedi que eles tivessem atenção ao ponto final e ao recuo referente ao parágrafo. Combinei que cada página seria um parágrafo diferente, assim ficou mais fácil ter a noção de que parágrafo é uma parte do texto. É interessante que, conforme foram fazendo a reescrita, foram percebendo erros ortográficos e me pediam se poderiam arrumar. Achei o máximo. AVALIAÇÃO Os alunos foram avaliados pela professora e também se autoavaliaram conforme os critérios abaixo: -Sabe o significado da palavra higiene? -Conhece e relata sobre bons hábitos de higiene? -Compreende a utilidade dos produtos de higiene? -Sabe procurar produtos no catálogo de supermercado? -Identificou preços, produtos e descrição? -Mudou seus hábitos de higiene? -Utilizou os conhecimentos do projeto na construção de seu livrinho? -Melhorou seus conhecimentos matemáticos após o projeto? -Melhorou suas habilidades de leitura e escrita após o projeto? -Participou com entusiasmo, dedicação e comprometimento de todos os momentos?

16 Os principais instrumentos de avaliação foram: Participação oral, registros escritos e em desenho, atividades matemáticas e de língua portuguesa. A experiência foi positiva desde o começo do processo, pois, conforme íamos trabalhando, os resultados começavam a aparecer. O mais evidente foi a mudança de comportamento em relação à higienização antes de vir para a escola, não houve mais o mau cheiro devido à falta de banho ou roupa suja. Outros resultados também foram significativos: melhora nas habilidades de escrita e leitura, maior interesse pelas situações-problema, pois foram contextualizadas com a temática, maior participação oral dos alunos durante as aulas, comentando, sugerindo e contextualizando as experiências vividas. Percebi boa vontade de todos os alunos, e cada um, de acordo com suas possibilidades e limitações, conseguiu chegar ao final do projeto com mais conhecimentos e informações. Com certeza o projeto possibilitou novas perspectivas e demos continuidade ao nosso estudo sobre saúde, com enfoque na importância da vacinação, das atividades físicas e da alimentação saudável para a nossa saúde. Foi muito gratificante poder mediar este projeto e amadurecer junto com os alunos a cada aula ou momento planejado. Algumas situações não saíram exatamente como eu gostaria, já outras superaram qualquer expectativa. Precisei estudar e pesquisar muito para estar segura para as aulas, já que nem tudo o que desenvolvemos durante o projeto era de meu entendimento. Precisei planejar e replanejar, mas sempre com muita vontade de fazer o melhor pelas crianças que estão sob minha responsabilidade. Posso afirmar que este projeto foi mediado de forma comprometida, assídua e com enfoque principal na aprendizagem e construção de maior autonomia das crianças. Valorizo muito os projetos que transformam o olhar tanto do professor como de seus alunos. Para mim, são os mais valiosos, pois nos tornam melhores. Enfim, aprendi muito com o projeto, com as crianças e entendi os motivos pelos quais muitos deles estavam com problemas de higiene.

Prática com Projeto em aulas de Matemática: um desafio Antonio Roberto Barbutti arbarbutti@hotmail.com EMEF Padre Francisco Silva

Prática com Projeto em aulas de Matemática: um desafio Antonio Roberto Barbutti arbarbutti@hotmail.com EMEF Padre Francisco Silva Prática com Projeto em aulas de Matemática: um desafio Antonio Roberto Barbutti arbarbutti@hotmail.com EMEF Padre Francisco Silva Resumo: Este trabalho é resultado do curso de formação Gestar II Matemática,

Leia mais

Observação na Escolinha EMEI Cebolinha no Dia 02 de setembro de 2015

Observação na Escolinha EMEI Cebolinha no Dia 02 de setembro de 2015 Observação na Escolinha EMEI Cebolinha no Dia 02 de setembro de 2015 Acadêmica: Ewelyn Sampaio Cardoso Ao chegar à Escola EMEI cebolinha ás 08h00min, a professora do pré I já estava na escola com uma aluna

Leia mais

PROMOVENDO ATIVIDADES RELACIONADAS À HIGIENE PESSOAL NO ENSINO FUNDAMENTAL

PROMOVENDO ATIVIDADES RELACIONADAS À HIGIENE PESSOAL NO ENSINO FUNDAMENTAL PROMOVENDO ATIVIDADES RELACIONADAS À HIGIENE PESSOAL NO ENSINO FUNDAMENTAL Renata Fonseca Bezerra¹, Eliete Alves de Sousa¹, Paloma Rodrigues Cunha¹, Larissa Costa Pereira¹, Francisco Cleiton da Rocha²

Leia mais

UnP. fazendo e compartilhando a gente aprende mais

UnP. fazendo e compartilhando a gente aprende mais DIRETRIZES DO ALUNO Olá, você está fazendo parte de um projeto de melhoria acadêmicoaction! Neste material você encontrará todas as pedagógica: o Edu Action informações necessárias para entender como esse

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

LIVRO DO PROFESSOR LIBRAS 1 O ANO 35. Espaços da escola. Encaminhamento

LIVRO DO PROFESSOR LIBRAS 1 O ANO 35. Espaços da escola. Encaminhamento Atividade 9 Espaços da escola Encaminhamento Leve os alunos para conhecer os espaços da escola: sala de leitura, informática, refeitório, quadra de futebol, parque, etc. Peça para os alunos registrarem

Leia mais

Reunião com pais. Tema: Tarefa de casa. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento

Reunião com pais. Tema: Tarefa de casa. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento Reunião com pais Tema: Tarefa de casa 1. Objetivos da reunião 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. Aprofundar reflexões sobre a função da tarefa de casa; Compartilhar facilidades e dificuldades encontradas na realização

Leia mais

Índice. 5.1. Correção das Palavras do Texto... 5 5.2. Autocorreção... 5 5.3. Pontuação... 6 5.4. Escrita Ortográfica... 6. Grupo 5.

Índice. 5.1. Correção das Palavras do Texto... 5 5.2. Autocorreção... 5 5.3. Pontuação... 6 5.4. Escrita Ortográfica... 6. Grupo 5. GRUPO 5.4 MÓDULO 5 Índice 1. Reconstrução do Código Linguístico da Criança...3 2. Textos...3 3. Jogos de Análise Linguística...4 4. Letra Cursiva e Letra de Fôrma...4 5. Ortografia e Gramática...5 5.1.

Leia mais

QUESTIONÁRIO UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE ESTUDOS DA CRIANÇA MESTRADO EM ESTUDOS DA CRIANÇA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE

QUESTIONÁRIO UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE ESTUDOS DA CRIANÇA MESTRADO EM ESTUDOS DA CRIANÇA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE QUESTIONÁRIO UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE ESTUDOS DA CRIANÇA MESTRADO EM ESTUDOS DA CRIANÇA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE INVESTIGADORA: ISABEL ALVES ESTEVES ORIENTADORA: DOUTORA ZÉLIA ANASTÁCIO

Leia mais

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL 389 COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL Ruth de Sousa Ferreira Silva Mestranda em Artes pela Universidade Federal de Uberlândia Introdução Este relato de experiência tem como

Leia mais

PROJETO: CASA DE BRINQUEDO 1 RELATO DO PROCESSO

PROJETO: CASA DE BRINQUEDO 1 RELATO DO PROCESSO PROJETO: CASA DE BRINQUEDO 1 RELATO DO PROCESSO Áreas: Matemática, Artes Plásticas Transversal: Meio Ambiente Faixa etária: 4 a 5 anos Turma com 30 crianças Duração: agosto a outubro/2004 Produto final:

Leia mais

APRENDENDO A INCLUIR NO COTIDIANO ESCOLAR

APRENDENDO A INCLUIR NO COTIDIANO ESCOLAR APRENDENDO A INCLUIR NO COTIDIANO ESCOLAR ANGELA MARIA PARREIRAS RAMOS angelaramos7@gmail.com RESUMO O trabalho aqui apresentado é um relato de experiência do trabalho de um ano letivo com dois alunos

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE DOCUMENTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO

ESTRATÉGIAS DE DOCUMENTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO ESTRATÉGIAS DE DOCUMENTAÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO DE CASO Eixo Temático 2 - Pesquisa e Práticas Educacionais Autora: Beatriz de Oliveira Abuchaim Orientadora: Maria Malta

Leia mais

TEdAM. Educação Ambiental

TEdAM. Educação Ambiental 290 Educação Ambiental TEdAM Resumo O projeto TEdAm tem como meta principal introduzir novas formas de construção, cooperação e circulação de conhecimentos e informações, capazes de auxiliar o processo

Leia mais

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental

Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Gêneros discursivos no ciclo da alfabetização 1º ao 3º ano do ensino fundamental Não se aprende por exercícios, mas por práticas significativas. Essa afirmação fica quase óbvia se pensarmos em como uma

Leia mais

Avaliação-Pibid-Metas

Avaliação-Pibid-Metas Bolsista ID: Claines kremer Avaliação-Pibid-Metas A Inserção Este ano o reingresso na escola foi diferente, pois já estávamos inseridas na mesma há praticamente um ano. Fomos bem recepcionadas por toda

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos.

Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos. Dicas para você trabalhar o livro Mamãe, como eu nasci? com seus alunos. Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2

O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA UNIDADE 5 ANO 2 O TRABALHO COM GÊNEROS TEXTUAIS NA SALA DE AULA INICIANDO A CONVERSA APROFUNDANDO O TEMA Por que ensinar gêneros textuais na escola? Registro

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): Aniversário do Dentinho 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio Aniversário do Dentinho

Leia mais

PROJETO AMA HIGIENE CORPORAL INFANTIL ATIVIDADES

PROJETO AMA HIGIENE CORPORAL INFANTIL ATIVIDADES PROJETO AMA ATIVIDADES HIGIENE CORPORAL INFANTIL ROTEIRO DE ENSINO 1. TEMA: Higiene infantil. 2. TEMPO DE APRESENTAÇÃO: 30 minutos. 3. ASSUNTO: Higiene corporal; importância da adequada escovação dos dentes;

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA AS SÉRIES INICIAIS UTILIZANDO JOGO KTUBERLING

PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA AS SÉRIES INICIAIS UTILIZANDO JOGO KTUBERLING PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA AS SÉRIES INICIAIS UTILIZANDO JOGO KTUBERLING Marinez Siveris1 Elci dos Santos Tassi2 Carlos Renato Lima3 Nádia Bodignou4 1 2 3 4 Mestre em Educação. Graduada em Ciências, Hab.

Leia mais

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO)

EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) Explorando a obra EXPLORANDO A OBRA (ALUNOS SENTADOS EM CÍRCULO) INTRODUÇÃO Antes da leitura Peça para que seus alunos observem a capa por alguns instantes e faça perguntas: Qual é o título desse livro?

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio. Atividade: Reflexão sobre Amadurecimento e Relacionamento Interpessoal

Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio. Atividade: Reflexão sobre Amadurecimento e Relacionamento Interpessoal Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio Atividade: Reflexão sobre Amadurecimento e Relacionamento Interpessoal Público: Oitavos anos Data: 25/5/2012 181 Dentro deste tema, foi escolhida para

Leia mais

Nome: Rosemar Aparecida Santos da Rosa Informações da Escola:

Nome: Rosemar Aparecida Santos da Rosa Informações da Escola: Nome: Rosemar Aparecida Santos da Rosa Informações da Escola: Nome da Escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental Genuíno Sampaio Cidade: Campo Bom UF: RS Informações do Projeto: Categoria: (TEMA ESPECIFICO)

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO INICIAL COM A DISCIPLINA OFICINA DE MATEMÁTICA EM PARCERIA COM O PIBID

JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO INICIAL COM A DISCIPLINA OFICINA DE MATEMÁTICA EM PARCERIA COM O PIBID JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO INICIAL COM A DISCIPLINA OFICINA DE MATEMÁTICA EM PARCERIA COM O PIBID Cléia Ferreira da Costa da Matta Universidade Federal do Acre - UFAC libriana34@hotmail.com

Leia mais

Folhas de papel, Xerox com figuras e palavras de frutas e legumes, tesoura, lápis de cor, cola, fita adesiva.

Folhas de papel, Xerox com figuras e palavras de frutas e legumes, tesoura, lápis de cor, cola, fita adesiva. ALGUNS MODELOS DE PLANOS DE AULA NVOLVNDO A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Áreas do conhecimento: Educação ambiental Agricultura familiar Educação artística Objetivos Treinar a ortografia, Exercitar a memória. Estratégias

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha ESCOLA MUNICIPAL JOSÉ EVARISTO COSTA RELATO DE EXPERIÊNCIA Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha Professoras: Maria Cristina Santos de Campos. Silvana Bento de Melo Couto. Público Alvo: 3ª Fase

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC RELATÓRIO SUCINTO: MÊS JUNHO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC RELATÓRIO SUCINTO: MÊS JUNHO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC 1. Dados do Município ou GERED a) Município: FLORIANÓPOLIS b)município/gered: SECRETARIA MUNICIPAL RELATÓRIO

Leia mais

Ensino de Ciências nas séries iniciais: Ideias de atividades práticas

Ensino de Ciências nas séries iniciais: Ideias de atividades práticas Ensino de Ciências nas séries iniciais: Ideias de atividades práticas Lis Rejane Lopes Dutra Alexandre Lopes de Oliveira Lis Rejane Lopes Dutra Alexandre Lopes de Oliveira Produto educacional elaborado

Leia mais

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1

EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 EDUCAÇÃO ALGÉBRICA, DIÁLOGOS E APRENDIZAGEM: UM RELATO DO TRABALHO COM UMA PROPOSTA DIDÁTICA 1 Claudemir Monteiro Lima Secretária de Educação do Estado de São Paulo claudemirmonteiro@terra.com.br João

Leia mais

GINCANA MATEMÁTICA, UM JEITO NOVO DE APRENDER MATEMÁTICA!

GINCANA MATEMÁTICA, UM JEITO NOVO DE APRENDER MATEMÁTICA! ISSN 2177-9139 GINCANA MATEMÁTICA, UM JEITO NOVO DE APRENDER MATEMÁTICA! Thaís Eduarda Ávila da Silveira thaisuab3@gmail.com Universidade Federal de Pelotas, Pólo Sapucaia do Sul, 92990-000 Sapucaia do

Leia mais

A História do. Luca Rischbieter. Discussão 4. No Capítulo 4 da História do Pequeno Reino. Ideias e Sugestões

A História do. Luca Rischbieter. Discussão 4. No Capítulo 4 da História do Pequeno Reino. Ideias e Sugestões Desenhar, modelar, pintar: brincadeiras especiais No Capítulo 4 da História do Pequeno Reino Aparecem no castelo materiais para desenhar, pintar e modelar que, juntamente com os brinquedos, passam a fazer

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Educação Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID/UFPR Projeto Interdisciplinar Pedagogia e Matemática PLANO DE AULA SISTEMA MONETÁRIO SANTOS,

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 369 PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Jorge Leonardo Garcia (Uni-FACEF) Sílvia Regina Viel Rodrigues (Uni-FACEF) O Ensino da Matemática Hoje As aulas típicas

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR EM MATEMÁTICA RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PROGRAMA GESTAR II Sidnei Luís da Silva Escola Municipal Vereador Benedito Batista Congatem - MG sidneiluisdasilva@yahoo.com.br Camila

Leia mais

MICROORGANISMOS: MONSTRINHOS INVISÍVEIS?

MICROORGANISMOS: MONSTRINHOS INVISÍVEIS? MICROORGANISMOS: MONSTRINHOS INVISÍVEIS? Resumo O projeto foi desenvolvido com crianças entre 5 e 6 anos do primeiro ano do Ensino Fundamental da escola municipal de Ibaté. O tema microorganismos foi selecionado

Leia mais

Aprender para além dos muros escolares

Aprender para além dos muros escolares Aprender para além dos muros escolares Aline Verardo Corrêa e Simone de Oliveira Emer 1 Resumo O presente artigo quer de forma fiel e sucinta apresentar esboços de sonhos e realidades sobre a educação

Leia mais

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão

ENTREVISTA Alfabetização na inclusão ENTREVISTA Alfabetização na inclusão Entrevistadora:Amarílis Hernandes Santos Formação: Aluna da graduação de Pedagogia USP Formada em Ciências Biológicas Mackenzie Contato: amarilishernandes@yahoo.com.br

Leia mais

Jeana Maria de Moura Telles

Jeana Maria de Moura Telles Jeana Maria de Moura Telles Brincar, compartilhar e aprender: A ludicidade como elemento norteador de uma aula mais proveitosa, atrativa e eficaz Araguaína TO 2013 Jeana Maria de Moura Telles Brincar,

Leia mais

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO Elane Porto Campos-UESB Graduanda em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista do subprojeto de Pedagogia PIBID/UESB-CAPES

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO. Mas, tem um detalhe muito importante: O Zé só dorme se escutar uma história. Alguém deverá contar ou ler uma história para ele.

2. APRESENTAÇÃO. Mas, tem um detalhe muito importante: O Zé só dorme se escutar uma história. Alguém deverá contar ou ler uma história para ele. 1.INTRODUÇÃO A leitura consiste em uma atividade social de construção e atribuição de sentidos. Assim definida, as propostas de leitura devem priorizar a busca por modos significativos de o aluno relacionar-se

Leia mais

PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS

PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS PLANO DE TRABALHO TÍTULO: PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA DAS CRIANÇAS IDENTIFICAÇÃO O presente projeto de intervenção está sendo desenvolvido na Escola Municipal Professor

Leia mais

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos 2. Lição Bíblica: Daniel 1-2 (Base bíblica para a história e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL. Subprojeto Biologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL. Subprojeto Biologia UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL Subprojeto Biologia PORTFÓLIO Escola Estadual de Ensino Médio Dr. Fernando Abbott Coordenadores: Analía Garnero e Ronaldo Erichsen Supervisora: Berenice

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA. Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br

A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA. Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br A EVOLUÇÃO DO DESENHO DA CRIANÇA Marília Santarosa Feltrin 1 - ma_feltrin@yahoo.com.br Resumo: o presente trabalho cujo tema é a Evolução do desenho da criança teve por objetivo identificar o processo

Leia mais

Sejam bem vindos ao ano letivo de 2016! EDUCAÇÃO INFANTIL

Sejam bem vindos ao ano letivo de 2016! EDUCAÇÃO INFANTIL Colégio Amorim / Santa Teresa Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Rua Lagoa Panema, 466 Vila Guilherme Fone: 2909-1422 Diretoria de Ensino Região Centro Sejam bem vindos ao ano letivo

Leia mais

INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA

INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA Marcos Leomar Calson Mestrando em Educação em Ciências e Matemática, PUCRS Helena Noronha Cury Doutora em Educação

Leia mais

Projeto - Profissões. Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 3 a 4 anos. Áreas: Natureza e Sociedade / Identidade e Autonomia

Projeto - Profissões. Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 3 a 4 anos. Áreas: Natureza e Sociedade / Identidade e Autonomia Projeto - Profissões Público alvo: Educação Infantil / Crianças de 3 a 4 anos Áreas: Natureza e Sociedade / Identidade e Autonomia Duração: 5 semanas Justificativa: Este projeto visa apresentar às crianças

Leia mais

C artilha C do educando

C artilha C do educando C Cartilha educan do do D Apresentação W n G A Olá, amiguinho! F Estamos felizes com a sua chegada no Programa de Criança Petrobras, um local onde aprendemos a viver em grupo e participamos de diversas

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA Encontro Nacional de Educação Matemática A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA Thiarla avier Dal-Cin Zanon Prefeitura Municipal de Castelo/ES Universidade

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial 1 O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento

Leia mais

APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES

APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ORAL DA CRIANÇA COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES DE PAIS E PROFESSORES Resumo Gabriela Jeanine Fressato 1 - Universidade Positivo Mariana Gomes de Sá Amaral

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem EXPLORAÇÃO Busco entender como as coisas funcionam e descobrir as relações entre as mesmas. Essa busca por conexões

Leia mais

Histórias em Sequência

Histórias em Sequência Histórias em Sequência Objetivo Geral Através das histórias em sequência fazer com que os alunos trabalhem com a oralidade, escrita, causalidade e vivências pessoais. Objetivos Específicos Trabalho envolvendo

Leia mais

PROJETO SENTINDO A ÁGUA

PROJETO SENTINDO A ÁGUA PROJETO SENTINDO A ÁGUA Adriana Maria de Souza Geraldo Fernanda Daniela F. Rodrigues Juliana Aparecida Ribeiro Resumo O presente projeto foi desenvolvido em um Centro Municipal de Educação Infantil, com

Leia mais

NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA LODI BASSANESI JULIANA MASIERO

NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA LODI BASSANESI JULIANA MASIERO NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA LODI BASSANESI JULIANA MASIERO PROJETO SORRISO NA ESCOLA EDUCAÇÃO, ARTE E CULTURA BOM JESUS DO SUL PR, FEVEREIRO DE 2011. NILCE DE MENEZES MOREIRA ISABEL CRISTINA

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

GRÁFICO DE SETORES - O TRABALHO COM TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

GRÁFICO DE SETORES - O TRABALHO COM TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL GRÁFICO DE SETORES - O TRABALHO COM TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Giancarla Giovanelli de Camargo 1 RESUMO A publicação do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil,em 1998,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Conhecendo e compartilhando com Rosário e a rede de saúde

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Conhecendo e compartilhando com Rosário e a rede de saúde UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Ciências Médicas Departamento de Saúde Coletiva Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Coletiva Relatório Referente à experiência de Estágio Eletivo

Leia mais

Orientações para Professores. Prezado professor,

Orientações para Professores. Prezado professor, Orientações para Professores Prezado professor, No ano em que a Oficina do texto comemora 10 anos, todos os olhares se voltam para um país em especial: a África do Sul sede da Copa do Mundo de Futebol.

Leia mais

A ÁLGEBRA NO ENSINO FUNDAMENTAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO

A ÁLGEBRA NO ENSINO FUNDAMENTAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO A ÁLGEBRA NO ENSINO FUNDAMENTAL: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO Vilmara Luiza Almeida Cabral UFPB/Campus IV Resumo: O presente relato aborda o trabalho desenvolvido no projeto de intervenção

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS Até onde vai a força da Motivação? Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Uma proposta criativa motivadora na sala de aula pode deixar o professor bem impressionado

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Sticker Art: Uma ferramenta de inclusão e conscientização do valor da arte

Sticker Art: Uma ferramenta de inclusão e conscientização do valor da arte Sticker Art: Uma ferramenta de inclusão e conscientização do valor da arte Priscila de Macedo Pereira e Souza Resumo: Uma experiência numa escola pública de Goiânia, usando da técnica Sticker Art para

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Campus Nilópolis Ana Paula Inacio Diório AS MÍDIAS

Leia mais

SENTIDOS SUBJETIVOS DE ESTUDANTES DE BIOLOGIA A PARTIR DO USO DAS TICs

SENTIDOS SUBJETIVOS DE ESTUDANTES DE BIOLOGIA A PARTIR DO USO DAS TICs SENTIDOS SUBJETIVOS DE ESTUDANTES DE BIOLOGIA A PARTIR DO USO DAS TICs Iris Maria de Moura Possas (Universidade Federal do Pará Instituto de Educação em Ciências e Matemática e Escola de Ensino Fundamental

Leia mais

Domingo. Acorda, seu dorminhoco, está na hora de levantar! De manhã? Meus pais esqueceram que os zumbis pegam fogo com a luz do sol?

Domingo. Acorda, seu dorminhoco, está na hora de levantar! De manhã? Meus pais esqueceram que os zumbis pegam fogo com a luz do sol? Domingo Cocoricóóó! Acorda, seu dorminhoco, está na hora de levantar! Urrggghhoquefoi? Eu disse que já é de manhã e está na hora de você sair da cama. De manhã? Meus pais esqueceram que os zumbis pegam

Leia mais

A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação

A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação A criança, a escrita e a leitura: sugestões para a ação Geraldina Porto Witter PUC-Campinas As sugestões aqui arroladas decorrem de pesquisas, as quais evidenciam a eficiência das mesmas. Elas servem a

Leia mais

DISCIPLINA: MATEMÁTICA DATA DA REALIZAÇÃO: 26/10/2015

DISCIPLINA: MATEMÁTICA DATA DA REALIZAÇÃO: 26/10/2015 3º ano A e B - FICHA DA SEMANA 1. Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2. As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno, de acordo

Leia mais

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 IFES danielly.fraga@live.com Danielly Fraga Santana 3 IFES binecosta@gmail.com Dilza Côco 4 IFES/UFES dilzacoco@gmail.com

Leia mais

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz 1 RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz Contrato: AS.DS.PV.024/2010 Empresa: SENSOTECH ASSESSORAMENTO

Leia mais

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública Luciana Lopes Xavier 1 Odenise Maria Bezerra 2 Resumo O presente trabalho busca relatar uma experiência

Leia mais

Tipo do produto: Plano de aula

Tipo do produto: Plano de aula Edital PIBID n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de aula 1 IDENTIFICAÇÃO NOME DO SUBPROJETO: POPULARIZANDO

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Formar cidadãos para o mundo é o nosso dever de casa

Formar cidadãos para o mundo é o nosso dever de casa Desde os primeiros contatos com a vida, o recém-nascido revela o desejo de conhecer o mundo. Quer ver, ouvir, tocar, sentir o perfume e o sabor de tudo que o cerca. Desenvolve seu raciocínio tão logo inicie

Leia mais

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PORTFÓLIO ENQUANTO INSTRUMENTO DE REFLEXÃO DA PRÁTICA DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Telma Maria Pereira dos Santos Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado da Bahia UNEB e Pós-graduada em Educação

Leia mais

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA Luiz Cleber Soares Padilha Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande lcspadilha@hotmail.com Resumo: Neste relato apresentaremos

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Londrina 2010 1 Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Relatório final

Leia mais

Reuniões dos Bolsistas: momentos de. planejamento, estudo, organização das atividades, exposição dos trabalhos, integração e confraternização

Reuniões dos Bolsistas: momentos de. planejamento, estudo, organização das atividades, exposição dos trabalhos, integração e confraternização Reuniões dos Bolsistas: momentos de. planejamento, estudo, organização das atividades, exposição dos trabalhos, integração e confraternização Síntese dos estudos CTS com os bolsistas PIBID na UNIPAMPA-fevereiro

Leia mais

Papo com a Especialista

Papo com a Especialista Papo com a Especialista Silvie Cristina (Facebook) - Que expectativas posso ter com relação à inclusão da minha filha portadora da Síndrome de Down na Educação Infantil em escola pública? Quando colocamos

Leia mais

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com 1 Distribuição Gratuita. Este e-book em hipótese alguma deve ser comercializado ou ter seu conteúdo modificado. Nenhuma parte deste e-book pode ser reproduzida ou transmitida sem o consentimento prévio

Leia mais

Saúde é qualidade de vida

Saúde é qualidade de vida Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Educação infantil Publicado em 2012 Projetos temáticos Educação Infantil Data: / / Nível: Escola: Nome: Saúde é qualidade de vida Justificativa O projeto

Leia mais

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução

Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO. Introdução Oficina 18: TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO Introdução Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) o conteúdo Tratamento da Informação, deve ser trabalhado de modo que estimule os alunos a fazer perguntas,

Leia mais

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro O meu brinquedo é um livro é um projecto de promoção da leitura proposto pela Associação

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

ANEXO I - Transcrição das entrevistas

ANEXO I - Transcrição das entrevistas 147 ANEXO I - Transcrição das entrevistas ENTREVISTA 1 Nome: L.C. Idade: 58 anos. Formação: Pedagogia. Tempo de experiência em cursos de Licenciatura: 7 anos. Pq - A pesquisa em questão trata da ação docente

Leia mais

GUIA DO ALUNO. Bom trabalho e conte conosco para trilhar este caminho com sucesso!

GUIA DO ALUNO. Bom trabalho e conte conosco para trilhar este caminho com sucesso! GUIA DO ALUNO Olá! Seja bem-vindo novamente! Este guia apresenta algumas informações e orientações para auxiliá-lo na sua participação e aprendizagem. Também lhe ajudará a organizar seu estudo no decorrer

Leia mais

Ficha Técnica. Mais uma edição de nosso jornal,

Ficha Técnica. Mais uma edição de nosso jornal, Nº5 E. M. Professor Lund Fernandes Villela Mais uma edição de nosso jornal, mais notícias, imagens e fatos acontecendo na escola Lund. Essa edição conta com novos alunos do 5º ano que estão animados com

Leia mais

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PROJETO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 1. Tema: Boa alimentação Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza e Sociedade (x) Matemática 2. Duração:

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. PRÉ I Professoras Caroline e Ana Lucia Habilidades vivenciadas no 2º bimestre 2011

EDUCAÇÃO INFANTIL. PRÉ I Professoras Caroline e Ana Lucia Habilidades vivenciadas no 2º bimestre 2011 EDUCAÇÃO INFANTIL Prezados Pais e/ou Responsáveis, Estamos vivenciando o segundo bimestre letivo e o processo de aprendizagem representa pra nós, motivo de alegria e conquistas diárias. Confiram as habilidades

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS

O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS O TRABALHO DOCENTE NUM PROGRAMA DE ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CONTRADIÇÕES E PERSPECTIVAS Daiana Rodrigues dos Santos Prado¹; Francine de Paulo Martins² Estudante do Curso de Pedagogia; e-mail:

Leia mais