PROGRAMA RENDA MELHOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA RENDA MELHOR"

Transcrição

1 PROGRAMA FAQ Perguntas e Respostas Mais Frequentes Emissão em 17/02/2014. Rio de Janeiro Fevereiro/14

2 Sumário 1. O que é o Programa Renda Melhor? Qual o objetivo do Renda Melhor? Quem tem direito? Quais municípios fazem parte do Renda Melhor? Quais são as condicionalidades do Renda Melhor? Qual é o conceito de Família utilizado pelo Programa Renda Melhor? Como posso obter informações sobre os beneficiários do Programa Renda Melhor? Como posso acessar o Sistema de gestão do Programa Renda Melhor? O que é Renda Estimada/Presumida? É possível calcular a renda estimada/presumida? Como é calculado o valor do benefício? Quando é atualizada a folha raiz do Programa Renda Melhor? A família que é beneficiária do Bolsa Família e possui renda inferior a R$100,00 per capita por que razão não recebe o benefício do Renda Melhor? A família que não é beneficiária do Bolsa Família pode ser beneficiária do Renda Melhor? De que forma as famílias recebem o benefício do Renda Melhor? A família é beneficiária do Bolsa Família e recebeu o cartão compartilhado do Renda Melhor/Bolsa Família, como deve proceder para utilizar o novo cartão? A família que saca o beneficio do Programa Bolsa Família por meio do cartão CAIXA Fácil poderá efetuar o saque do benefício do Renda Melhor com esse cartão? / 27

3 18. De que forma o RF pode sacar o beneficio do Programa Renda Melhor? Em que situações a família deve ligar para o da CAIXA? A família pode ir diretamente a uma agência da CAIXA ou lotérica para efetuar o desbloqueio? A parcela do benefício do Renda Melhor do mês de competência está disponível, porém a família não consegue sacá-la, o que fazer? Por que existem casos em que uma família, incluída na folha raiz do Renda Melhor, recebe o benefício do PBF, porém não recebe o benefício do Renda Melhor? Ao fazer o saque do(s) benefício(s) com o cartão Bolsa Família ou Cartão compartilhado (PBF/ Renda Melhor), a beneficiária (RF) recebe o comprovante que demonstre o(s) valor(es) que ela recebeu? Por que uma família que foi bloqueada no PBF continua recebendo no mês seguinte o benefício do Renda Melhor? Como é realizado o controle social do Programa Renda Melhor? O que devo fazer quando ocorreu a troca do RF no CadÚnico de uma família beneficiária do Renda Melhor ( por motivo de falecimento/outros)? Após a troca de NIS referente a um RF de família beneficiária do RM, qual o prazo de liberação do benefício para a família beneficiária? Como o município pode consultar a situação de pagamento do benefício do Renda Melhor? É pelo SIBEC? Onde posso localizar a folha de pagamentos do mês corrente do Programa Renda Melhor? / 27

4 Finalidade: Trata-se de um roteiro de apoio aos técnicos e gestores municipais para facilitar a execução de suas atividades de gestão do programa Renda Melhor e atendimento/orientação às famílias. 1. O que é o Programa Renda Melhor? O Programa Renda Melhor, criado pelo Decreto nº de 10 de maio de 2011 e alterado pelo Decreto nº de 11 de maio de 2011, é um Programa de Transferência de Renda do Governo do Estado que atende as famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família PBF cuja renda mensal per capita estimada seja inferior a R$ 100,00, que é a linha de extrema pobreza adotada pelo Governo do Rio de Janeiro. O Programa Renda Melhor integra o Plano Rio sem Miséria, Lei de 25 de novembro de 2011, cujas ações para enfrentamento e superação da pobreza extrema estão alinhadas ao Plano Brasil Sem Miséria do Governo Federal. 4/ 27

5 2. Qual o objetivo do Renda Melhor? O objetivo principal do Programa Renda Melhor é complementar a renda de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, que estejam em extrema pobreza, ou seja, que tenham uma renda per capita estimada menor que R$ 100,00, proporcionando dessa forma às famílias beneficiárias melhores condições para que realizem suas trajetórias de vida com maior autonomia e dignidade. Para além do alívio financeiro imediato com vistas à garantia de uma renda mínima para subsistência diária da família, o Programa Renda Melhor visa dar condições a essas famílias para que tenham acesso às oportunidades econômicas e sociais, por meio do acompanhamento familiar sistemático, realizado pelos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS)e Centros Especializados da Assistência Social (CREAS). Isso significa garantir e promover o acesso aos serviços nas áreas de saúde, educação, assistência social e qualificação profissional, além de outros benefícios e serviços essenciais ao desenvolvimento social. 3. Quem tem direito? O Programa Renda Melhor atende às famílias já beneficiárias do PBF cuja renda mensal per capita estimada seja inferior a R$ 100,00. Esse valor foi adotado pelo Governo do Rio de Janeiro como a linha de pobreza extrema - superior à linha do Governo Federal que é de R$ 70,00 dadas as características socioeconômicas do nosso estado. Para mais informações sobre renda estimada/ presumida, veja também a pergunta/respostanº 9. 5/ 27

6 4. Quais municípios fazem parte do Renda Melhor? No ano de 2011 somente os municípios de Japeri (a partir de junho), Belford Roxo (a partir de julho) e São Gonçalo (a partir de agosto) foram incluídos no programa. Esses municípios foram priorizados como piloto por estarem na região metropolitana e possuírem baixos índices de desenvolvimento humano em relação aos demais municípios do estado, associado ao fator de elevado contingente populacional. Em janeiro/2012, o município de Magé passou a fazer parte do Programa e, em março/2012, outros quarenta e sete (47) municípios foram incluídos no Programa, totalizando 51 municípios em A partir de julho de 2013 foram incluídos mais 40 municípios ( Decreto de 12/07/13) totalizando 91 municípios. Destaca-se que o município do Rio de Janeiro não integra o Programa Renda Melhorporque já possui um programamunicipal denominado CARTÃO FAMÍLIACARIOCA. 5. Quais são as condicionalidades do Renda Melhor? São as mesmas do Programa Bolsa Família freqüência escolar, acompanhamento da saúde e freqüência nas atividades socioassistenciais. O acompanhamento das condicionalidades funciona como um mecanismo de ampliação e reforço dos direitos dessas famílias aos serviços de educação, saúde e assistência social. O Renda Melhor é articulado com o Programa Bolsa Família e a família só receberá o benefício do Renda Melhor enquanto receber o do Bolsa Família. Se a família teve algum bloqueio ou cancelamento no Bolsa Família, enquanto a situação não for regularizada, a família não receberá o benefício do Renda Melhor. Nesses casos não existe o pagamento da parcela retroativa. 6/ 27

7 6. Qual é o conceito de Família utilizado pelo Programa Renda Melhor? É o mesmo utilizado pelo Cadastro Único, ou seja, família é a unidade nuclear composta por uma ou mais pessoas, eventualmente ampliada por outras que contribuam para o rendimento ou tenham suas despesas atendidas por ela, todas moradoras em um mesmo domicílio. Isso significa que não é necessário que haja vínculos consanguíneos ou de parentesco entre os membros que compõem uma família de acordo com o conceito de família utilizado pelo Cadastro Único. 7. Como posso obter informações sobre os beneficiários do Programa Renda Melhor? Foi disponibilizado acesso ao Gestor Municipal do Programa Bolsa Família/ Renda Melhor,o mesmo que foi designado formalmente no SIGPBF*, ao Módulo de Consulta do Sistema de Gestão do Programa Renda Melhor. A partir deste acesso foram disponibilizadas as seguintes informações: consulta ao histórico da geração das parcelas do benefício, emissão de relatórios da folha raiz, folhas de pagamento mensal e distribuição de benefícios do programa por faixa de valor. (*)SIGPBF - Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família do MDS. 8. Como posso acessar o Sistema de gestão do Programa Renda Melhor? O Módulo de consulta do Sistema de Gestão do Programa Renda Melhor deve ser acessado no endereço Deve ser informado o Login e senha de acesso que já foi disponibilizado ao Gestor Municipal. Essas informações sobre o Login e senha foram encaminhadas para o do gestor municipal registrado no SIGPBF. 7/ 27

8 O Módulo de Consulta ao Sistema de Gestão do Programa Renda Melhor foi desenvolvido em parceria com o PRODERJ e teve por objetivo a descentralização para os municípios do acesso às informações referentes ao Programa Renda Melhor. 9. O que é Renda Estimada/Presumida? O Programa Renda Melhor considera que pobreza não se restringe ao baixo rendimento financeiro da família. Ao invés de considerar para a seleção da família e cálculo do seu valor do benefício a renda declarada no Cadastro Único pelo RF (Responsável Familiar) associada à composição familiar, como é o caso do Programa Bolsa Família, a metodologia utilizada pelo Programa Renda Melhor considera um conjunto de informações constantes do Cadastro Único referente às características estruturais que melhor representam a situação de extrema pobreza, como: i) condições da moradia; ii) acesso a serviços públicos, tais como saneamento básico, destino do lixo e energia elétrica; iii) nível de escolaridade das pessoas integrantes da família, iv) composição familiar (presença de pessoas com deficiência, crianças e idosos na família); v) acesso ao mercado de trabalho e também o valor do benefício do Bolsa Família. A Renda Estimada/Presumida é uma forma de avaliar o nível de vulnerabilidade econômico e social da família. Assim, mesmo que duas famílias possuam o mesmo rendimento financeiro declarado no Cadastro Único, a família que estiver com piores condições de vida e maior carência de acesso a serviços públicos, considerando as informações constantes do CadÚnico, poderá ser contemplada com um valor maior de benefício do Programa Renda Melhor. 8/ 27

9 10. É possível calcular a renda estimada/presumida? Não. Os profissionais da Rede SUAS e as famílias não possuem os insumos para realizar essa apuração. O cálculo da renda estimada/presumida é o resultado de uma combinação de diversos dados, em sua grande maioria existentes no Cadastro Único. Trata-se de um algoritmo desenvolvido pelo Centro de Pesquisas Sociais da FGV,que em linhas gerais utiliza informações socioeconômicas relacionadas a diversas dimensões da vida como: renda de programas sociais, acesso a serviços públicos, composição familiar, escolaridade e situação no mercado de trabalho dos membros da família e características da moradia. Para melhor entendimentosobre renda estimada/ presumida, leia também a pergunta/resposta nº Como é calculado o valor do benefício? O cálculo é realizado a partir da definição da renda estimada da família, conforme explicado anteriormente. Obtida a informação da renda estimada, é somado o valor do benefíciodo PBF e este total é dividido pelo número de pessoas da composição familiar, obtendo assim o valor da renda estimada per capita. Se a renda per capita estimada é inferior a R$ 100,00 (linha de pobreza extremaadotada pelo estado do Rio de Janeiro) a família receberá a diferença multiplicada pelo número de membros da família, de modo a preencher o hiato de pobreza, ou seja, um suplemento de renda que garanta uma renda mínima para as necessidades básicas desta família. 9/ 27

10 Vamos aos exemplos: Exemplo I: Família com 4 pessoas, Renda familiar estimada é de R$ 214,00 Bolsa Família pago à família é de R$ 134,00 Somamos a renda estimada com o valor do beneficio do Bolsa Família recebido pela família e obtemos R$ 348,00 (R$ 214,00 + R$ 134,00) e dividimos pelo número de pessoas da família para obter a renda familiar per capita estimada. Logo: R$ 348,00/4 = R$ 87,00 Hiato de pobreza (linha de pobreza extrema que é R$ 100,00 MENOS a renda familiar per capita estimada). Logo: R$100,00 R$ 87,00 = R$ 13,00 hiato per capita VALOR DO BENEFÍCIO para a família: R$ 13,00 X 4 ( número de membros da família ) = R$ 52,00 a ser pago de benefício do Renda Melhor para esta família. Exemplo II: Família com 9 pessoas, Renda familiar estimada é de R$ 324,00 10/ 27

11 Bolsa Família pago à família é de R$ 306,00 Somamos a renda estimada com o valor do beneficio do Bolsa Família recebido pela família e obtemos R$ 630,00 (R$ 324,00 + R$ 306,00) e dividimos pelo número de pessoas da família para obter a renda familiar per capita estimada. Logo: R$ 630,00/9 = R$ 70,00 Hiato de pobreza (linha de pobreza extrema que é R$ 100,00 MENOS a renda familiar per capita estimada). Logo: R$100,00 R$ 70,00 = R$ 30,00 hiato per capita VALOR DO BENEFÍCIO para a família: R$ 30,00 X 9 ( número de membros da família ) = R$ 270,00 a ser pago de benefício do Renda Melhor para esta família. IMPORTANTE: O valor do benefício do Programa Renda Melhor varia entre o valor mínimo de R$ 30,00 e o máximo de R$ 300, Quando é atualizada a folha raiz do Programa Renda Melhor? Conforme previsto no Artigo 9º da Lei 6088 de 25 de novembro de 2011, no mínimo anualmente a folha raiz do Programa Renda Melhor será atualizada, de modo a reavaliar o valor do benefício para quem já o possui e incluir novos beneficiários, em ambos os casos, considerando as informações constantes do Cadastro Único e da Folha de Pagamento do PBF. 11/ 27

12 O procedimento da revisão anual de benefícios, previsto na Lei 6.088/2011 foi implementado em 2013, em conformidade com a Resolução SEASDHnº 512de 11 de julho de 2013 (publicada no D.O. de 16/07/13), que Regulamenta os procedimentos da revisão anual dos valores dos benefícios pagos às famílias incluídas no Programa Renda Melhor. A última revisão anual, no que se refere às alterações na folha raiz 2013 do Renda Melhor (inclusões e saídas de famílias, bem como alterações para mais ou para menos nos valores dos benefícios pagos às famílias), foi efetivada no pagamento do mês de julho de Esta informação está disponível no Sistema de Gestão do Programa Renda Melhor/Consultas/Alterações. Foram consideradas as informações constantes nas bases municipais do Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal do mês de dezembro/2012 e a folha de pagamento do Programa Bolsa Família referente ao mês de março/2013. Em alguns casos as famílias deixaram de receber o benefício do Renda Melhor porque deixaram de receber o Bolsa Família ou por terem superado o patamar de renda per capita estimada de R$100,00 do Programa Renda Melhor. Também ocorreram casos de aumento ou diminuição do valor do benefício recebido pela família em virtude de alterações na renda estimada. Em grande medida as alterações na renda estimada foram decorrentes do aumento do valor do benefício do PBF, especialmenteo variável BSP Benefício da Superação da Extrema Pobreza, criado em / 27

13 13. A família que é beneficiária do Bolsa Família e possui renda inferior a R$100,00 per capita por que razão não recebe o benefício do Renda Melhor? Inicialmente, é preciso lembrar que o Programa Renda Melhor não utiliza a renda monetária per capita declarada pela família no Cadastro Único como critério para a seleção das famílias e concessão do benefício. Ao invés da renda monetária, são considerados um conjunto de variáveis socioeconômicas contidas no Cadastro Único para o cálculo da renda familiar estimada/presumida. Logo, mesmo que a família possua renda per capita declarada inferior a R$ 100,00, não significa necessariamente que ela possua renda per capita estimada inferior a R$ 100,00,que éo critério utilizado para a concessão do Renda Melhor. Por isso é muito importante manter as informações das famílias atualizadas no Cadastro Único, para que as mesmas possam ser beneficiadas pelo Renda Melhor, caso possuam perfil para o Programa. 14. A família que não é beneficiária do Bolsa Família pode ser beneficiária do Renda Melhor? Não. O Renda Melhor é um programa articulado ao Bolsa Família e para participar do Renda Melhor é necessário ser beneficiário do Bolsa Família. Se a família ainda não está incluída no Cadastro Único e possui perfil para o Bolsa Família, ela deve ser imediatamente incluída no Cadastro Único pelo setor responsável no município por realizar a inclusão. Se a família já foi incluída no Cadastro Único, mas não é beneficiáriado Bolsa Família, é necessário verificar e acompanhar a situação, bem como manter o seu cadastro atualizado. 13/ 27

14 15. De que forma as famílias recebem o benefício do Renda Melhor? O pagamento é feito por meio de cartão compartilhado (Bolsa Família/ Renda Melhor), contendo a identidade visual de ambos os programas de transferência de renda, utilizando a mesma rede e obedecendo ao mesmo calendário de pagamento do Programa Bolsa Família. O cartão compartilhado é entregue pelos Correios, no mesmo modelo de entrega do cartão do PBF, ou seja, no endereço informado pelas famílias no Cadastro Único. Por essa razão é muito importante manter o endereço atualizado no Cadastro Único. 16. A família é beneficiária do Bolsa Família e recebeu o cartão compartilhado do Renda Melhor/Bolsa Família, como deve proceder para utilizar o novo cartão? O primeiro passo é efetuar contato com a CAIXA, por meio do Esse é um passo necessário para o desbloqueio do cartão do Renda Melhor/Bolsa Família. Ao efetuar a ligação será feita uma identificação positiva, ou seja, o atendente da CAIXA irá solicitar algumas informações tais como: NIS, RG (Identidade) e CPF. Após a informação e confirmação dos dados, o beneficiário poderá efetuar o desbloqueio do cartão diretamente na agência da CAIXA ou na lotérica mais próxima da sua residência. 17. A família que saca o beneficio do Programa Bolsa Família por meio do cartão CAIXA Fácil poderá efetuar o saque do benefício do Renda Melhor com esse cartão? Não. A família beneficiária do PBF que saca o seu beneficio por meio cartão CAIXA Fácil ( famílias bancarizadas) não poderá efetuar o saque do beneficio do Renda Melhor com este cartão. Isso ocorre porque o beneficio do Renda Melhor não é depositado automaticamente pela CAIXA na conta CAIXA Fácil como é o caso do beneficio do Programa Bolsa Família. 14/ 27

15 18. De que forma o RF pode sacar o beneficio do Programa Renda Melhor? O saque do beneficio do Renda Melhor poderá ser realizado somente: com o cartão compartilhado do Bolsa Família/Renda Melhor ou com o cartão do Bolsa Familia até o recebimento do cartão compartilhado. Se a família for bancarizada, ou seja se possui o cartão CAIXA Fácil, serão necessárias duas operações para o saque dos benefícios: 1º - Sacar o Renda Melhor: com o cartão compartilhado do Bolsa Família/Renda Melhor ou com o cartão do Bolsa Familia até o recebimento do cartão compartilhado 2º - Sacar o Bolsa Família: com o cartão CAIXA Fácil Caso a família não possua o cartão compartilhado, poderá efetuar o saque do seu beneficio diretamente na boca do caixa nas agências da CAIXA, por meio de guia bancária avulsa, até o recebimento do cartão compartilhado. 19. Em que situações a família deve ligar para o da CAIXA? Em caso do não recebimento do cartão por parte da família; Para saber em qual agência a família deve retirar o cartão PBF/RM; Para desbloquear o cartão e; Para bloquear o cartão em caso de roubo, perda ou extravio. 15/ 27

16 20. A família pode ir diretamente a uma agência da CAIXA ou lotérica para efetuar o desbloqueio? Não, pois a identificação e confirmação dos dados por meio do é um prérequisito para a execução do desbloqueio na agência da CAIXA ou lotérica. Ao ligar para o 0800, as famílias deverão ser orientadas a observar os seguintes procedimentos: Escolher a Opção 2: Bolsas, Programas Sociais, Cartão Social e Senha do Cartão Social; Em seguida, escolhera Opção 3: Desbloqueio do Cartão Social, Cadastramento ou recadastramento da senha; Para agilizar o atendimento tenha em mãos: NIS, RG (Identidade) e CPF; Após digitar o número do NIS, escolher a Opção 2: Recadastrar a senha do cartão. Digite os 4 (quatro) primeiros números do CPF do RF Digite o mês e ano do nascimentodo RF A ligação será transferida para o atendente Para agilizar o atendimento tenha em mãos o número do NIS. 16/ 27

17 21. A parcela do benefício do Renda Melhor do mês de competência está disponível, porém a família não consegue sacá-la, o que fazer? Para estar certo de que a parcela está disponível para saque, inicialmente, o gestor municipal deve consultar a situação do pagamento no Módulo de Consulta do Sistema de Gestão do Programa Renda Melhor- SGPRM, no endereço "aba" Pagamentos Por Competência. Se a parcela do benefício estiver disponível para saque, é importante verificar com o RF se o benefício do PBF está sendo creditado na conta CAIXA Fácil. Nesse caso, o RF só poderá sacar com o cartão compartilhado PBF/ ou com o cartão do PBF. Para melhor entendimento sobre o saque, leia também a pergunta/resposta nº 17 e 18. Atenção! Para acesso ao módulo de consulta do programa, o Gestor Municipal do Programa Bolsa Família/Renda Melhor recebeu login e senha no endereço de informado no SIGPBF. 22. Por que existem casos em que uma família, incluída na folha raiz do Renda Melhor, recebe o benefício do PBF, porém não recebe o benefício do Renda Melhor? Existem duas situações nas quais isso pode ocorrer e todas têm como explicação básica a troca de algum dado no Cadastro Único que acaba divergindo da informação que consta da folha raiz: 17/ 27

18 a) Alteração de dados cadastrais do RF, como correções no nome ou na data de nascimento ou até mesmo a troca do nome de solteira da RF pelo sobrenome de casada e; b) Troca do RF Nessas duas situações, como resultado do fluxo de processamento mensal da folha do RM, definido entre o PRODERJ (órgão de TI do Estado do RJ) e a CAIXA, não é possível a geração do benefício do RM, por motivo de rejeição em virtude de divergência dos dados cadastrais. Ou seja, a inclusão na folha mensal é rejeitada pela CAIXA, sendo que esta informa o motivo da rejeição (troca de NIS em decorrência de alteração cadastral identificada no CadÚnico e/ou Troca de RF). De modo que o PRODERJ possa na próxima competência de pagamento enviar os dados corretos do beneficiário e comandar novamente a competência de pagamento que havia sido rejeitada no mês anterior. Dessa forma, o beneficiário recebe o valor do benefício referente ao mês corrente (competência de pagamento) e até duas parcelas retroativas. Ao entrar no sistema de gestão do Renda Melhor, realizando a pesquisa pelo nº do NIS e clicando na aba Pagamentos por Competência, o gestor poderá visualizar exemplos de casos de pagamentos de benefício de até duas parcelas retroativas, conforme tela abaixo: 18/ 27

19 23. Ao fazer o saque do(s) benefício(s) com o cartão Bolsa Família ou Cartão compartilhado (PBF/ Renda Melhor), a beneficiária (RF) recebe o comprovante que demonstre o(s) valor(es) que ela recebeu? Sim. As casas lotéricas ou agências da CAIXA emitem e entregam ao RF um Comprovante de Pagamento de Benefício Social. Se a beneficiária não é bancarizada, ou seja, não possui conta 19/ 27

20 CAIXA Fácil (ver pergunta 21 desta FAQ), no comprovante os valores estarão discriminados da seguinte forma: Bolsa Família Pacto Renda Melhor RJ Se a famíia for bancarizada, no comprovante só irá aparecer o valor do Pacto Renda Melhor RJ uma vez que o valor do Bolsa família estará depositado na conta CAIXA Fácil. É importante observar os dois modelos, abaixo detalhados: a) No caso da família que não possui conta CAIXA Fácil, tanto o valor do benefício do RM quanto do PBF estarão disponíveis para saque por meio do cartão compartilhado PBF/ ou do cartão PBF. Nesse caso será entregue o comprovante, conforme modelo abaixo informando os valores de cada um dos benefícios. 20/ 27

21 b) No caso da família que possui conta CAIXA Fácil, o saque do benefício do RM deverá ser obrigatoriamente realizado com o cartão compartilhado PBF/ RM ou com o cartão PBF e estará disponível para saque apenas o valor do benefício do RM. Nesse caso, será entregue o comprovante, conforme modelo abaixo informando apenas o valor do RM. 21/ 27

22 22/ 27

23 24. Por que uma família que foi bloqueada no PBF continua recebendo no mês seguinte o benefício do Renda Melhor? Para geração da folha mensal do Renda Melhor, o PRODERJ encaminha a CAIXA, consulta ao Sistema de Benefícios do Bolsa Famíia (SIBEC) para verificar a situação do benefício do PBF referente as famílias beneficiárias do Renda Melhor. Essa verificação tem por objetivo identificar se o benefício do PBF está cancelado, suspenso ou bloqueado e retrata a situação vigente na data do processamento da consulta. A diferença entre a situação do benefício do PBF e do RM pode ocorrer sim, pois após ter sido realizada a consulta ao SIBEC, o gestor municipal/federal pode ter executado alguma ação de gestão no benefício do PBF. Seja para bloquear, desbloquear ou cancelar o benefício. Se essa manutenção do benefício PBF ocorrer após a data da consulta ao SIBEC, essa ação só vai refletir na folha do Renda Melhor da próxima competência de pagamento. Exemplo: A consulta ao SIBEC é realizada em determinada data do mês. Se na data da realização da consulta processada pela CAIXA for identificado no SIBEC que a família está com o benefício do PBF liberado, será gerada a parcela do RM. Por outro lado, se na data da realização da consulta processada pela CAIXA for identificado no SIBEC que a família está com o benefício do PBF na situação diferente deliberado (bloqueado/cancelado/suspenso), a parcela do RM NÃO será gerada. 23/ 27

24 25. Como é realizado o controle social do Programa Renda Melhor? Como já foi explicado o Renda Melhor é articulado ao programa de transferência de renda federal, o Programa Bolsa Família. Assim, o Conselho ou Comitê de Controle Social que é responsável pelo acompanhamento e fiscalização do PBF também é responsável por realizar o controle social do Programa Renda Melhor, conforme disposto em Termo de Adesão assinado entre o Município e o Estado do Rio de Janeiro. 26. O que devo fazer quando ocorreu a troca do RF no CadÚnico de uma família beneficiária do Renda Melhor ( por motivo de falecimento/outros)? Deve ser informado à Coordenação Estadual do PBF/Renda Melhor (por meio do que foi realizada no CadÚnico a troca do RF referente a uma família beneficiária do Renda Melhor. Nesse caso, a coordenação municipal do PBF/ necessita informar o número de NIS do RF anterior, o código da familia e o NIS do RF atual, para que seja possível efetuar a transferência do responsável familiar também no Sistema de Gestão do Programa Renda Melhor. É fundamental que a Gestão Municipal solicite a transferência de Responsável Familiar no Renda Melhor, por meio de um formulário próprio disponível para download no endereço e já encaminhado aos municípios, visto que a transferência registrada no Cadastro Único repercute, automaticamente, apenas no Programa Bolsa Família. 24/ 27

25 Observe a seguir o modelo de planilha a ser utilizada: Este formulário está disponível em nosso site: Favor encaminhá-lo preenchido para o endereço eletrônico É importante salientar que já foi solicitado pela SEASDH ao MDS e à CAIXA o envio mensal das ocorrências de transferências de RF registradas no CadÚnico. Entretanto, enquanto essa informação não for recebida da CAIXA de forma sistemática terá que ser mantida a rotina de comunicação implementada pela SEASDH junto aos municípios. 25/ 27

26 27. Após a troca de NIS referente a um RF de família beneficiária do RM, qual o prazo de liberação do benefício para a família beneficiária? Normalmente quando ocorre somente a troca de NIS* a CAIXA identifica e realiza o pagamento no próprio mês de competência. Quando ocorre simultaneamente a troca de NIS e alteração de dados cadastrais, o pagamento é restabelecido na competência seguinte. De modo que a família beneficiária recebe o mês de competência e a parcela retroativa. Para maiores detalhes sobre o modelo de operação do RM, veja também a pergunta/resposta 22 e 25 desta FAQ. (*) Também denominada conversão de NIS. 28. Como o município pode consultar a situação de pagamento do benefício do Renda Melhor? É pelo SIBEC? Não. Foi desenvolvido pelo Governo do Rio de Janeiro, em parceria com o PRODERJ, o Módulo de Consulta ao Sistema de Gestão do Renda Melhor e disponibilizado ao gestor municipal. (Encontre mais detalhes nas perguntas/respostas 7 e 8) No SIBEC é possível visualizar apenas a situação do benefício do Programa Bolsa Família e não em relação ao Programa Renda Melhor. 29. Onde posso localizar a folha de pagamentos do mês corrente do Programa Renda Melhor? Conforme definido no artigo 12 da Lei 6088, será de acesso público as informações sobre os beneficiários do Programa Renda Melhor. Sendo assim, as informações sobre o nome do RF e o 26/ 27

27 valor do benefício do RM da última folha de pagamento do Programa Renda Melhor é disponibilizada mensalmente no endereço eletrônico - Consulta Pública Renda Melhor. Atenção! Prezado Leitor, caso você tenha alguma pergunta não atendida neste FAQ, encaminhe para Rio de janeiro, 17 de Fevereiro de / 27

FAQ Perguntas mais frequentes

FAQ Perguntas mais frequentes FAQ Perguntas mais frequentes Dezembro de 2014 Sumário 1. O que é o Programa Renda Melhor?... 4 2. Qual o objetivo do Renda Melhor?... 4 3. Quem tem direito a participar do Renda Melhor?... 4 4. Quais

Leia mais

TEXTO ORIENTADOR PARA O CURSO DO SIBEC

TEXTO ORIENTADOR PARA O CURSO DO SIBEC 1 TETO ORIENTADOR PARA O CURSO DO SIBEC Antes de iniciar a capacitação presencial do SIBEC, é importante rever alguns pontos sobre a gestão do Programa Bolsa Família. Fique atento às informações que reunimos

Leia mais

II SEMINÁRIO PACTUAÇÃO FEDERATIVA NO BRASIL SEM MISÉRIA

II SEMINÁRIO PACTUAÇÃO FEDERATIVA NO BRASIL SEM MISÉRIA Programas de Garantia de Renda no Rio sem Miséria: Renda Melhor e Renda Melhor Jovem II SEMINÁRIO PACTUAÇÃO FEDERATIVA NO BRASIL SEM MISÉRIA Brasília DF 16 de setembro de 2013 Plano Rio Sem Miséria Iniciado

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA MUNICÍPIO: ESTADO: DATA: / / PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA MUNICÍPIO: ESTADO: DATA: / / PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA Este questionário tem por objetivo fazer com que a sociedade participe da gestão pública, exercendo controle sobre as despesas efetuadas e orientando aos órgãos do

Leia mais

PROJETO DE INCLUSÃO BANCÁRIA DOS BENEFICIÁRIOS DO PBF

PROJETO DE INCLUSÃO BANCÁRIA DOS BENEFICIÁRIOS DO PBF INCLUSÃO BANCÁRIA 2 PROJETO DE INCLUSÃO BANCÁRIA DOS BENEFICIÁRIOS DO PBF CONCEITO A inclusão bancária é a ação conjunta do MDS e da CAIXA para incentivar a inserção dos beneficiários do Programa Bolsa

Leia mais

Programa Bolsa Família e Cadastro Único para Programas Sociais. Guia Rápido. O que os municípios devem fazer nos primeiros 60 dias de gestão

Programa Bolsa Família e Cadastro Único para Programas Sociais. Guia Rápido. O que os municípios devem fazer nos primeiros 60 dias de gestão Programa Bolsa Família e Cadastro Único para Programas Sociais Guia Rápido O que os municípios devem fazer nos primeiros 60 dias de gestão Janeiro de 2013 Apresentação Enfrentar a pobreza e as desigualdades

Leia mais

Histórico da transferência de renda com condicionalidades no Brasil

Histórico da transferência de renda com condicionalidades no Brasil Brasil População: 184 milhões habitantes Área: 8.514.215,3 km² República Federativa com 3 esferas de governo: Governo Federal, 26 estados, 1 Distrito Federal e 5.565 municípios População pobre: 11 milhões

Leia mais

Lei 17.734/13 Criação do Programa Família Paranaense Decreto 5968/13 Art. 19 da Lei Transferência Direta de Renda Deliberação 096/13 Transferência de

Lei 17.734/13 Criação do Programa Família Paranaense Decreto 5968/13 Art. 19 da Lei Transferência Direta de Renda Deliberação 096/13 Transferência de Lei 17.734/13 Criação do Programa Família Paranaense Decreto 5968/13 Art. 19 da Lei Transferência Direta de Renda Deliberação 096/13 Transferência de Renda Estadual Direta às Famílias Acordo de Cooperação

Leia mais

O Protocolo de Gestão Integrada e o Acompanhamento das Famílias PBF no Sicon. Encontro Regional do Congemas Região Nordeste

O Protocolo de Gestão Integrada e o Acompanhamento das Famílias PBF no Sicon. Encontro Regional do Congemas Região Nordeste O Protocolo de Gestão Integrada e o Acompanhamento das Famílias PBF no Sicon Encontro Regional do Congemas Região Nordeste Camaçari, 31 de outubro de 2012 Programa Bolsa Família Transferência de renda

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARIBARA CEARÁ CADASTRO ÚNICO DE JAGUARIBARA

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARIBARA CEARÁ CADASTRO ÚNICO DE JAGUARIBARA Secretária Municipal de Assistência Social SMAS Karla Rejanne Queirós Guedes PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARIBARA CEARÁ CADASTRO ÚNICO DE JAGUARIBARA Equipe do Cadastro Único Adelina Maria Bezerra Peixoto

Leia mais

PORTARIA Nº 754, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010

PORTARIA Nº 754, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010 PORTARIA Nº 754, DE 20 DE OUTUBRO DE 2010 Estabelece ações, normas, critérios e procedimentos para o apoio à gestão e execução descentralizadas do Programa Bolsa Família, no âmbito dos municípios, e dá

Leia mais

Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais

Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais Informe nº 7 Informações sobre a transferência dos recursos às famílias beneficiárias O que é o Programa de Fomento? O Programa de Fomento surgiu a partir

Leia mais

CECAD Consulta Extração Seleção de Informações do CADÚNICO. Caio Nakashima Março 2012

CECAD Consulta Extração Seleção de Informações do CADÚNICO. Caio Nakashima Março 2012 CECAD Consulta Extração Seleção de Informações do CADÚNICO Caio Nakashima Março 2012 Introdução O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal é o principal instrumento de identificação e seleção

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Instrução Operacional Conjunta SENARC/SNAS/MDS nº 06 de 29 de outubro de 2010. Assunto: Estabelece instruções para a inserção, no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadastro Único),

Leia mais

Gestão Municipal do Cadastro Único. Programa Bolsa Família

Gestão Municipal do Cadastro Único. Programa Bolsa Família Gestão Municipal do Cadastro Único e Programa Bolsa Família Gestora Olegna Andrea da Silva Entrevistadora e Operadora de Cadastro Ana Paula Gonçalves de Oliveira A porta de entrada para receber os bene?cios

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Instrução Operacional nº 31 SENARC/MDS Brasília, 17 de julho de 2009. Reeditada em 04 de janeiro de 2010. Assunto: Orienta quanto aos procedimentos necessários para regularização da situação das famílias

Leia mais

Guias e Manuais. Gestão de Benefícios. do Programa Bolsa Família VOLUME I. Programa Bolsa Família

Guias e Manuais. Gestão de Benefícios. do Programa Bolsa Família VOLUME I. Programa Bolsa Família Guias e Manuais 2010 Gestão de Benefícios do Programa Bolsa Família VOLUME I Programa Bolsa Família Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Manual de Gestão de Benefícios Volume I Concessão

Leia mais

Sistema de Gestão de Benefícios - SGB

Sistema de Gestão de Benefícios - SGB MANUAL OPERACIIONAL Sistema de Gestão de Benefícios - SGB VERSÃO DO MANUAL V2.0 Secretaria Nacional de Renda e Cidadania - SENARC Departamento de Operação Coordenação-Geral de Benefícios - CGB Sistema

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO MÓDULO DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS APLICATIVO UPLOAD /DOWNLOAD VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

PORTARIA GM/MDS Nº 551, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2005

PORTARIA GM/MDS Nº 551, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2005 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME PORTARIA GM/MDS Nº 551, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicada no DOU nº 217, de 11 de novembro de 2005) Regulamenta a gestão das condicionalidades do

Leia mais

Guia de Atuação Das Instâncias de Controle Social do Programa Bolsa Família

Guia de Atuação Das Instâncias de Controle Social do Programa Bolsa Família Guia de Atuação Das Instâncias de Controle Social do Programa Bolsa Família Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) Brasília 2006 2006 Ministério

Leia mais

Reeditada em, 03 de novembro de 2011.

Reeditada em, 03 de novembro de 2011. Instrução Operacional nº 44 SENARC/MDS Brasília, 29 de abril de 2011. Assunto: Orienta os municípios sobre os procedimentos para averiguação de famílias identificadas em processo de auditorias com indícios

Leia mais

Sicon. Manual do Usuário

Sicon. Manual do Usuário 1 Sistema de Condicionalidades Sicon Manual do Usuário Versão 4.5 Março de 2013 2 Sumário Sumário... 2 Apresentação... 4 1. Objetivos... 5 2. O Usuário do Sicon... 6 2.1. Quem pode ser Usuário do Sicon?...

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Frequentes FAQ (Frequently Asked Questions) Acompanhamento da Frequência Escolar

Perguntas e Respostas mais Frequentes FAQ (Frequently Asked Questions) Acompanhamento da Frequência Escolar P0 Perguntas e Respostas mais Frequentes FAQ (Frequently Asked Questions) Acompanhamento da Frequência Escolar P1 ÍNDICE DE PERGUNTAS 1 P2 2 P3 3 P3 4 P4 5 P5 6 P6 7 P7 8 P8 09 P9 10 P9 11 p9 12 P11 13

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Gabinete do Ministro

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Gabinete do Ministro Edição Número 251 de 30/12/2005 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Gabinete do Ministro GABINETE DO MINISTRO PORTARIA N o 666, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2005 Disciplina a integração entre

Leia mais

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Desde o dia 01 de dezembro, o novo sistema de Gestão do Programa Bolsa Família (SIGPBF) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) está disponível para os

Leia mais

Programa Bolsa Família no Município de Manaus

Programa Bolsa Família no Município de Manaus SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO EDUCACIONAL DEPARTAMENTO DE GESTÃO EDUCACIONAL DIVISÃO DE APOIO A GESTÃO ESCOLAR GERÊNCIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES E PROGRAMAS ESPECIAIS Programa

Leia mais

Guias e Manuais. Exercendo o. Controle Social. do Programa Bolsa Família. Programa Bolsa Família

Guias e Manuais. Exercendo o. Controle Social. do Programa Bolsa Família. Programa Bolsa Família Guias e Manuais 2010 Exercendo o Controle Social do Programa Bolsa Família Programa Bolsa Família Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) Exercendo o Controle Social do Programa Bolsa

Leia mais

BOLSA FAMÍLIA TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À ASSISTÊNCIA SOCIAL

BOLSA FAMÍLIA TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À ASSISTÊNCIA SOCIAL BOLSA FAMÍLIA TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À ASSISTÊNCIA SOCIAL 1 2 BOLSA FAMÍLIA TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL - PETI

QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL - PETI - PETI Este questionário tem por objetivo fazer com que a sociedade participe da gestão pública, exercendo controle sobre as despesas efetuadas e orientando aos órgãos do governo para que adotem medidas

Leia mais

Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. Capacitação Novos Formulários do Cadastro Único

Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. Capacitação Novos Formulários do Cadastro Único Capacitação Novos Formulários do Cadastro Único 1 O que é o Cadastro Único? O Cadastro Único para Programas Sociais (Cadastro Único) é instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias

Leia mais

Município: JOÃO PESSOA / PB

Município: JOÃO PESSOA / PB O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público definido como prioritário foi o dos brasileiros que estavam em situação de

Leia mais

Programa Bolsa Família Gestão das Condicionalidades SICON

Programa Bolsa Família Gestão das Condicionalidades SICON Programa Bolsa Família Gestão das Condicionalidades SICON CONDICIONALIDADES O QUE SÃO Compromissos assumidos pelo poder público (em especial) e pelas famílias beneficiárias nas áreas de Saúde e Educação.

Leia mais

Gestão de benefícios depende da correta elaboração de ofício e do preenchimento do FPGB

Gestão de benefícios depende da correta elaboração de ofício e do preenchimento do FPGB N 80 24 de maio de 2007 Gestão de benefícios depende da correta elaboração de ofício e do preenchimento do FPGB MDS orienta os municípios sobre a elaboração do documento e sobre o preenchimento do Formulário

Leia mais

PROGRAMA. Bolsa Família Guia do Gestor

PROGRAMA. Bolsa Família Guia do Gestor PROGRAMA Bolsa Família Guia do Gestor Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Brasília, 2006 2006 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate

Leia mais

Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família

Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família 3 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Acompanhamento Familiar Programa Bolsa Família Brasília, 2009 2009 Ministério do Desenvolvimento

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SIGPBF APLICATIVO DE FORMULÁRIOS GUIA DE NAVEGAÇÃO PERFIL MUNICÍPIO Versão do Guia: 1.1 Brasília, DF Abril de 2011 2011 Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

RELATÓRIO AVALIATIVO DA QUALIDADE DA BASE DE DADOS DO SISTEMA DE CADASTRO ÚNICO MUNICIPAL

RELATÓRIO AVALIATIVO DA QUALIDADE DA BASE DE DADOS DO SISTEMA DE CADASTRO ÚNICO MUNICIPAL PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO, TRABALHO E INCLUSÃO (SDTI) DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS (DIEESE) PROGRAMA OSASCO DIGITAL OBSERVATÓRIO

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

Cadastro Único: um cadastro, vários programas sociais.

Cadastro Único: um cadastro, vários programas sociais. Cadastro Único: um cadastro, vários programas sociais. Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social. O CADASTRO ÚNICO é a porta de entrada para os Programas Sociais do Governo Federal e

Leia mais

Gestão de condicionalidades

Gestão de condicionalidades Gestão de condicionalidades Condicionalidades no contexto de políticas públicas universais As condicionalidades são compromissos da família e do poder público O acesso aos serviços de saúde e educação

Leia mais

O PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

O PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA Presidência da República Controladoria-Geral da União O PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA O PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA O Programa Bolsa Família foi instituído pelo Governo Federal, pela Lei nº 10.836, de 9 de janeiro

Leia mais

Cadastro Único e Programa Bolsa Família

Cadastro Único e Programa Bolsa Família Cadastro Único e Programa Bolsa Família Letícia Bartholo Secretária Adjunta Abril de 2014 A Secretaria A Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) é responsável pela gestão, em nível nacional,

Leia mais

BOLSA FAMÍLIA À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À ASSISTÊNCIA SOCIAL TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO

BOLSA FAMÍLIA À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À ASSISTÊNCIA SOCIAL TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO BOLSA FAMÍLIA TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À ASSISTÊNCIA SOCIAL 1 2 BOLSA FAMÍLIA TRANSFERÊNCIA DE RENDA E APOIO À FAMÍLIA NO ACESSO À SAÚDE, À EDUCAÇÃO E À

Leia mais

A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA NA CONSTRUÇÃO DE UM REGISTRO ÚNICO

A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA NA CONSTRUÇÃO DE UM REGISTRO ÚNICO A EXPERIÊNCIA BRASILEIRA NA CONSTRUÇÃO DE UM REGISTRO ÚNICO Com um registro único para programas sociais é possível saber quem são as pessoas mais vulneráveis, suas necessidades e onde elas moram. É possível

Leia mais

Municípios já podem realizar revisão cadastral dos beneficiários do PBF de 2010

Municípios já podem realizar revisão cadastral dos beneficiários do PBF de 2010 Nº 205 28 de janeiro de 2010 Municípios já podem realizar revisão cadastral dos beneficiários do PBF de 2010 Lista dos beneficiários que devem ter o cadastro atualizado já está disponível na Central de

Leia mais

TUTORIAL // MÓDULO BENEFICIÁRIOS BENNER WEB MÓDULO BENEFICIÁRIOS

TUTORIAL // MÓDULO BENEFICIÁRIOS BENNER WEB MÓDULO BENEFICIÁRIOS BENNER WEB MÓDULO BENEFICIÁRIOS 1 Sumário Procedimento inicial para acessar o sistema na web... 3 Módulo Beneficiários... 3 1. INCLUSÃO DE MATRÍCULA ÚNICA, FAMÍLIAS E BENEFICIÁRIOS...4 Criar a Matrícula

Leia mais

Guias e Manuais. Orientações para a Fiscalização e Controle Social do Programa Bolsa Família. Programa Bolsa Família

Guias e Manuais. Orientações para a Fiscalização e Controle Social do Programa Bolsa Família. Programa Bolsa Família Guias e Manuais 2010 Orientações para a Fiscalização e Controle Social do Programa Bolsa Família Programa Bolsa Família Orientações para a fiscalização e Controle Social do Programa Bolsa Família Brasília

Leia mais

PROGRAMA BOLSA FAMÌLIA. O que é

PROGRAMA BOLSA FAMÌLIA. O que é PROGRAMA BOLSA FAMÌLIA O que é É o maior e mais ambicioso programa de transferência de renda da história do Brasil. O Bolsa Família nasce para enfrentar o maior desafio da sociedade brasileira, que é o

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO CONTROLE DE ACESSO. Versão do Guia: 1.1

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO CONTROLE DE ACESSO. Versão do Guia: 1.1 SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO CONTROLE DE ACESSO Versão do Guia: 1.1 Brasília, DF Fevereiro de 2011 2011 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Leia mais

CADASTRAMENTO ÚNICO VERSÃO 7.3 INCLUSÃO E MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS

CADASTRAMENTO ÚNICO VERSÃO 7.3 INCLUSÃO E MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS CADASTRAMENTO ÚNICO VERSÃO 7.3 INCLUSÃO E MANUTENÇÃO DE USUÁRIOS Para a prefeitura foi definido dois tipos de usuários: Usuário máster e Usuário Final. O cadastramento para acesso ao CadÚnico V7 é feita

Leia mais

BENNER WEB MÓDULO BENEFICIÁRIOS

BENNER WEB MÓDULO BENEFICIÁRIOS BENNER WEB MÓDULO BENEFICIÁRIOS 1 Módulo Beneficiários Onde são criados os registros das famílias dos titulares e definidas coberturas assistenciais do plano de saúde, bem como os valores de custeio, os

Leia mais

Texto 2. Conhecendo o Índice de Gestão Descentralizada do Programa Bolsa Família (IGD-PBF) e o seu gerenciamento

Texto 2. Conhecendo o Índice de Gestão Descentralizada do Programa Bolsa Família (IGD-PBF) e o seu gerenciamento Texto 2 Conhecendo o Índice de Gestão Descentralizada do Programa Bolsa Família (IGD-PBF) e o seu gerenciamento Após estudarmos sobre o contexto histórico em torno do repasse de recurso financeiro por

Leia mais

O BRASIL SEM MISÉRIA NO SEU MUNICÍPIO Município: VITÓRIA DA CONQUISTA / BA O Plano Brasil Sem Miséria O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado com o desafio de superar a extrema pobreza no país. O público

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social Instrução Operacional Conjunta Senarc/SNAS/MDS Nº 07 de 22 de novembro de 2010. Assunto: Orientações aos municípios e ao Distrito Federal para a inclusão de pessoas em situação de rua no Cadastro Único

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família. Junho 2014

Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família. Junho 2014 Estratégia de Desenvolvimento no Brasil e o Programa Bolsa Família Junho 2014 Estratégia de Desenvolvimento no Brasil Estratégia de desenvolvimento no Brasil Crescimento econômico com inclusão social e

Leia mais

ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL

ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL ORIENTAÇÕES SOBRE A ATUALIZAÇÃO CADASTRAL DO SERVIDOR MUNICIPAL Apresentação A Prefeitura Municipal de Goiânia realizará a atualização cadastral dos Servidores

Leia mais

Guia de Orientação para Gestores/as do Programa Bolsa Família na Educação. Não-localizados/as

Guia de Orientação para Gestores/as do Programa Bolsa Família na Educação. Não-localizados/as Guia de Orientação para Gestores/as do Programa Bolsa Família na Educação Não-localizados/as P1 ÍNDICE DE PERGUNTAS 1 P2 Introdução - Contexto Geral 2 P4 3 P6 4 P14 5 P17 6 P18 Quem são os/as beneficiários

Leia mais

TEXTO 3 O SICON: PASSO A PASSO PARA VIABILIZAÇÃO DA SEGURANÇA DE RENDA DAS FAMÍLIAS EM DESCUMPRIMENTO DE CONDICIONALIDADES NO ÂMBITO DO SUAS 1.

TEXTO 3 O SICON: PASSO A PASSO PARA VIABILIZAÇÃO DA SEGURANÇA DE RENDA DAS FAMÍLIAS EM DESCUMPRIMENTO DE CONDICIONALIDADES NO ÂMBITO DO SUAS 1. TEXTO 3 O SICON: PASSO A PASSO PARA VIABILIZAÇÃO DA SEGURANÇA DE RENDA DAS FAMÍLIAS EM DESCUMPRIMENTO DE CONDICIONALIDADES NO ÂMBITO DO SUAS 1. Nosso estudo, até o momento, vem trazendo elementos essenciais

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME DOU de 27/08/2015 (nº 164, Seção 1, pág. 73) GABINETE DA MINISTRA PORTARIA Nº 81, DE 25 DE AGOSTO DE 2015 Altera as Portarias nº 754, de 20 de outubro

Leia mais

Encontro Regional do Congemas Região Nordeste. Cadastro Único

Encontro Regional do Congemas Região Nordeste. Cadastro Único Encontro Regional do Congemas Região Nordeste Cadastro Único Camaçari/BA, 31 de outubro de 2012 I. Sistema de Cadastro Único - Versão 7 II. Guardião V7 Sistema de Monitoramento da disponibilidade e performance

Leia mais

Guias e Manuais. Atuação das Instâncias de. Controle Social. Programa Bolsa Família

Guias e Manuais. Atuação das Instâncias de. Controle Social. Programa Bolsa Família Guias e Manuais 2010 Atuação das Instâncias de Controle Social Programa Bolsa Família Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) Guia

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES. Teotonio Brandão Vilela Filho GOVERNADOR DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES. Teotonio Brandão Vilela Filho GOVERNADOR DO ESTADO ORIENTAÇÕES GERAIS GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SEADES Teotonio Brandão Vilela Filho GOVERNADOR DO ESTADO Solange Bentes Jurema SECRETÁRIA DE

Leia mais

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano.

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano. 01) O que é AICE? Significa Acesso Individual Classe Especial. É um Plano básico e com regulamentação própria (Regulamentado pela Resolução Nº 586, da ANATEL, de 05 de abril de 2012). Modalidade de telefonia

Leia mais

GUIA DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS

GUIA DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS GUIA DE SERVIÇOS E BENEFÍCIOS VEJA COMO UTILIZAR O DE FORMA PRÁTICA E SEGURA. DESBLOQUEIO DO CARTÃO Sua senha foi enviada anteriormente para seu endereço. Caso não a tenha recebido, ligue para a Central

Leia mais

Controladoria-Geral da União

Controladoria-Geral da União Controladoria-Geral da União Secretaria de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas Programa Bolsa Família Orientações para acompanhamento das ações do Programa Bolsa Família Coleção Olho Vivo

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.5 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão.5 Manual do Data: 04/0/0 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3

Sicoobnet Empresarial. Manual do Usuário. Versão 1.3 Sicoobnet Empresarial Manual do Versão. Manual do Data: /07/00 Histórico Data Versão Descrição Autor 04/0/008.0 Criação do Manual Ileana Karla 0//008. Revisão Luiz Filipe Barbosa /07/00. Atualização Márcia

Leia mais

Tarifa Social de Energia Elétrica Conheça as novas regras do Programa!

Tarifa Social de Energia Elétrica Conheça as novas regras do Programa! Tarifa Social de Energia Elétrica Conheça as novas regras do Programa! 1FOLDER_TARIFA_SOCIAL_alt.indd 1 30/11/12 18:25 O que é a Tarifa Social de Energia Elétrica? São descontos na conta de energia elétrica

Leia mais

Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado. Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel

Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado. Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel Cadastramento e compra de vale transporte para o Cartão Metrocard Metropolitano Integrado Em substituição ao Vale Transporte Temporário de Papel Acesso para cadastramento da empresa 2 Caso já tenha se

Leia mais

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR

SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR CAIXA SIFAP SISTEMA DE FARMÁCIA POPULAR MANUAL DO USUÁRIO DA FARMÁCIA (INTERNET) Versão 12-05/01/2015 1 ÍNDICE CAIXA CAIXA...1 CAIXA...2 CAIXA...2 1.Introdução... 2 2.Objetivo do Sistema...3 3.Usuário

Leia mais

Controladoria-Geral da União

Controladoria-Geral da União Controladoria-Geral da União Secretaria de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas Programa Bolsa Família Orientações para acompanhamento das ações do Programa Bolsa Família Coleção Olho Vivo

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY

TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DO APLICATIVO CONTROLY E DO CARTÃO CONTROLY Os presentes termos e condições gerais de uso (os Termos de Uso ) definem os direitos e obrigações aplicáveis aos usuários do

Leia mais

Programa Bolsa Família (PBF)

Programa Bolsa Família (PBF) FICHA DE PROGRAMA Área temática: Transferência de renda. 1. SUMÁRIO EXECUTIVO Programa Bolsa Família (PBF) DATA DE ATUALIZAÇÃO: 23/06/2015 O Programa Bolsa Família (PBF) é um programa de transferência

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA GUIA DE NAVEGAÇÃO APLICATIVO ADESÃO ESTADUAL VERSÃO 1.1 BRASÍLIA DF Agosto/2015 2011 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Permitida a reprodução,

Leia mais

Manual do Usuário Instituição

Manual do Usuário Instituição 1 Manual do Usuário Instituição Área Restrita Site de Certificação Controle: D.04.36.00 Data da Elaboração: 13/08/2014 Data da Revisão: - Elaborado por: TIVIT / Certificação ANBIMA Aprovado por: Gerência

Leia mais

O EIXO DE GARANTIA DE RENDA NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA

O EIXO DE GARANTIA DE RENDA NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA O EIXO DE GARANTIA DE RENDA NO PLANO BRASIL SEM MISÉRIA Os expoentes do eixo de garantia de renda do Plano Brasil sem Miséria são o Programa Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), ambos

Leia mais

A operacionalização da gestão de condicionalidades no Programa Bolsa Família (PBF) ocorre de forma:

A operacionalização da gestão de condicionalidades no Programa Bolsa Família (PBF) ocorre de forma: CONDICIONALIDADES DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA ATORES RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO A operacionalização da gestão de condicionalidades no Programa Bolsa Família (PBF) ocorre de forma:» Intersetorial: com os responsáveis

Leia mais

Guia de Utilização. Índice. Sumário. Produção Online 3.0 - Cooperados

Guia de Utilização. Índice. Sumário. Produção Online 3.0 - Cooperados Índice Sumário 1. Apresentação... 2 2. Dúvidas Frequentes... 2 2.1. Não consigo acessar o Produção Online 3.0. O que fazer?... 2 2.2. Qual o meu login e senha de acesso ao Produção Online 3.0?... 2 2.3.

Leia mais

CADASTRAMENTO DOS BENEFICIÁRIOS DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC NO CADASTRO ÚNICO

CADASTRAMENTO DOS BENEFICIÁRIOS DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC NO CADASTRO ÚNICO CADASTRAMENTO DOS BENEFICIÁRIOS DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC NO CADASTRO ÚNICO RELACIONADAS À OPERACIONALIZAÇÃO DO CADASTRO ÚNICO E DO SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA

Leia mais

Quadro resumo 12 13 16 16 17

Quadro resumo 12 13 16 16 17 MANUAL Quadro resumo 12 13 16 16 17 e proteção civil. M Cartão deverá designar: O representante autorizado, responsável pela gestão dos recursos repassados pelo Ministério da Integração Nacional em sua

Leia mais

Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS

Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS Oficina O Uso dos Sistemas de Informação como Ferramentas de Gestão Local do SUAS O Cadastro Único e a Gestão do SUAS: Essa ferramenta auxilia no processo de planejamento das ações socioassistenciais?

Leia mais

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014

Manual Cartão Pesquisa /CNPq. Atualizado em 25/08/2014 Manual Cartão Pesquisa /CNPq Atualizado em 25/08/2014 Sumário Introdução... 3 Cartão BB Pesquisa... 4 Passo a Passo... 8 Perguntas e Respostas.... 14 Cartão BB Pesquisa O Cartão BB Pesquisa éresultado

Leia mais

Manual NetBank PAN. Título da apresentação

Manual NetBank PAN. Título da apresentação Manual NetBank PAN Título da apresentação Sumário Sumário 1. Acesso ao NetBank Pan p. 04 2. Tela principal e funcionalidades p. 05 3. Opções de Conta Corrente p. 06 4. Extrato de Conta-Corrente p. 07 5.

Leia mais

O Programa Bolsa Família

O Programa Bolsa Família Painel sobre Programas de Garantia de Renda O Programa Bolsa Família Patrus Ananias de Sousa Ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome República Federativa do Brasil Comissão de Emprego e Política

Leia mais

Manual do Usuário SISPETI. Sistema de Controle e Acompanhamento da Freqüência no Serviço Socioeducativo do PETI - SISPETI

Manual do Usuário SISPETI. Sistema de Controle e Acompanhamento da Freqüência no Serviço Socioeducativo do PETI - SISPETI Manual do Usuário SISPETI Sistema de Controle e Acompanhamento da Freqüência no Serviço Socioeducativo do PETI - SISPETI 2 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME- SECRETARIA NACIONAL DA

Leia mais

VI - reconhecer as especificidades, iniquidades e desigualdades regionais e municipais no planejamento e execução das ações;

VI - reconhecer as especificidades, iniquidades e desigualdades regionais e municipais no planejamento e execução das ações; O Sistema Único de Assistência Social A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos poderes públicos e da sociedade destinada a assegurar os direitos relativos à saúde,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 6 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.013, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2009. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Manual Instrutivo Saque para Cartão Emitido / Complementar

Manual Instrutivo Saque para Cartão Emitido / Complementar Título da apresentação Manual Instrutivo Saque para Cartão Emitido / Complementar Solicitação de serviços Cartão emitido Solicitação de Serviços Cartão Emitido O sistema deve ser acessado pelo site do

Leia mais

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil

cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil cartilha Cartão de Pagamento de Defesa Civil 1 Índice Introdução...3 Público-alvo...3 Descrição... 3 Adesão... 3 Utilização... 3 Limites de utilização do produto... 4 Serviços e benefícios para a unidade...

Leia mais

LOAS Os Benefícios Eventuais caracterizam-se por seu caráter suplementar e provisório, prestados aos cidadãos e às famílias em virtude de nascimento,

LOAS Os Benefícios Eventuais caracterizam-se por seu caráter suplementar e provisório, prestados aos cidadãos e às famílias em virtude de nascimento, CONCEITO A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Perfil Convenente

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV (Ordem Bancária de Transferências Voluntárias) Perfil Convenente MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de Parceria operados por OBTV MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios SICONV Convênio, Contrato de Repasse

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania 1) CONTRATAÇÃO DE PESSOAL PERGUNTA: Em relação ao IGD-M, pode se pagar hora extra, em casos de demandas do MDS, como revisão cadastral, BPC e outras? RESPOSTA DO MEDIADOR: Os recursos do IGD-M podem ser

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA O ISS-e é um sistema completo de gestão do ISS do Município de Maringá, composto pelos módulos de: - NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica) - DMS-e (Declaração Mensal de Serviços Eletrônica) - AIDF-e

Leia mais

POLÍTICA DE SENHAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E CADASTRO ÚNICO

POLÍTICA DE SENHAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E CADASTRO ÚNICO POLÍTICA DE SENHAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E CADASTRO ÚNICO Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH, conforme edital SMARH nº 001/2014, na área temática de Gestão de Pessoas e Modernização

Leia mais

MANUAL DE SISTEMA. Página1

MANUAL DE SISTEMA. Página1 Página1 Página2 Sumário 1 Configurações Recomendadas... 3 2 Passo a Passo... 4 2.1. Visão inicial do Sistema Presença 4 2.2. Solicitar Acesso 5 2.3. Substituição do Operador Municipal Máster 7 2.4. Acessar

Leia mais

1 Introdução. 1 O Benefício de Prestação Continuada (BPC) é um programa de política social, garantido pela

1 Introdução. 1 O Benefício de Prestação Continuada (BPC) é um programa de política social, garantido pela 1 Introdução O Programa Bolsa Família (PBF) é o maior programa sócio assistencial atualmente no país, que atende cerca de 11,1 milhões de famílias brasileiras. O PBF tem sido objeto de várias questões

Leia mais